Você está na página 1de 11

CIRCUITOS ELÉTRICOS 2

Circuitos Magneticamente Acoplados


Prof. José Rubens Macedo Jr
Núcleo de Qualidade da Energia Elétrica
Sala: 3N113
Prof. José Rubens Macedo Jr
jrubens@ufu.br
Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Linhas de fluxo magnético em uma bobina

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Própria Quando uma corrente i(t) flui através de um indutor simples,
um fluxo magnético f é produzido ao redor dele.

 Indutor simples
𝑑𝜙
NORTE Lei de Faraday: 𝑣=𝑁
𝑑𝑡
O fluxo magnético f é produzido pela corrente i(t).
SUL
Assim, qualquer alteração nesse fluxo é causada por uma
variação de i(t).

f Fluxo magnético
i
f
Então:
SUL N espiras
Indutância própria
i(t)
NORTE A indutância própria relaciona a tensão induzida em uma bobina
Prof. José Rubens Macedo Jr
Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
provocada por uma corrente variante no tempo, na mesma bobina.
Indutância Mútua Tem-se duas bobinas próximas, com indutâncias próprias L1 e L2, contendo N1 e N2
espiras, respectivamente. Em um primeiro momento, considera-se que não
há circulação de corrente em L2.
 Dois indutores
É evidente que o fluxo magnético f1, originado na bobina 1, possui duas
componentes:
f11 = fluxo magnético que percorre a bobina 1 apenas;
f12 = fluxo magnético que percorre as duas bobinas.

Indutância própria
da bobina 1
i
f

Acoplamento i1(t)
Magnético

Indutância Mútua
Tensão induzida na da bobina 2 com
bobina 2 em respeito à bobina 1
Prof. José Rubens Macedo Jr
circuito aberto
Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Mútua Tem-se duas bobinas próximas, com auto-indutâncias L1 e L2, contendo N1 e N2
espiras, respectivamente. Em um primeiro momento, considera-se que não
há circulação de corrente em L1.
 Dois indutores
É evidente que o fluxo magnético f2, originado na bobina 2, possui duas
componentes:
f21 = fluxo magnético que percorre a bobina 2 apenas;
f22 = fluxo magnético que percorre as duas bobinas.

Indutância própria
da bobina 2

i
f

Acoplamento i1(t) Indutância Mútua


Magnético Tensão induzida na da bobina 1 com
bobina 1 em respeito à bobina 2
circuito aberto

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Mútua

 Considerando-se a permeabilidade constante do meio físico (no caso o ar),


tem-se uma relutância fixa da trajetória do fluxo magnético (R21 = R12)

 M é a indutância mútua entre dois enrolamentos, expressa em henryes (H)

Indutância Mútua é a capacidade de um indutor


induzir uma tensão sobre um indutor vizinho

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Mútua
 Coeficiente de acoplamento magnético
(Média geométrica da razão entre os fluxos magnéticos mútuos e próprios)

A fração de f1 vinculada à L2 (f12/f1), assim como a fração de f2 vinculada à L1 (f12/f1),


são indícios do grau de acoplamento que existe entre os dois enrolamentos.

Sob condições de permeabilidade constante: M12 = M21 = M

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Mútua
 Convenção do ponto para análise de circuitos magneticamente acoplados

Fluxos mútuos se somam Polaridade Aditiva

i
i

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Mútua
 Convenção do ponto para análise de circuitos magneticamente acoplados

Polaridade Aditiva Polaridade Subtrativa

Polaridade Subtrativa
Polaridade Aditiva

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Mútua
 Convenção do ponto para análise de circuitos magneticamente acoplados (indutores em série)

Polaridade Aditiva Polaridade Subtrativa

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU
Indutância Mútua
 Análise de circuitos envolvendo indutâncias mútuas

Polaridade subtrativa Polaridade aditiva

Prof. José Rubens Macedo Jr


Faculdade de Engenharia Elétrica - UFU