Você está na página 1de 43

ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO

AVE
Formada por uma estrutura complexa,
basicamente composta por células nervosas
(Neurônios) e células sustentadoras (Células gliais),
que agrupadas realizam comunicação em
diferentes níveis e ampla atividade nervosa, sendo
o SNC humano dividido em Sistema Nervoso
Central (SNC) e Sistema Nervoso Periférico (SNP).
O SNC é protegido por ossos do crânio devido sua
localização e é composto pelo encéfalo e medula
espinhal.
Região com maior estrutura e super
desenvolvimento em sentido lateral e posterior
que praticamente encobre o Diencéfalo
formando e constituindo os hemisférios
cerebrais, se caracterizando por uma superfície
extensa de substância cinzenta composta por
bilhões de células nervosas, disposta em
camadas com espessuras variáveis, denominada
de Córtex Cerebral encobrindo os hemisférios
cerebrais, sendo responsável pela captação de
impulsos sensitivos e sensoriais e seu
processamento em percepções e reações.
O encéfalo ativo requer um constante e
um abundante suprimento sanguíneo para
manter sua funcionalidade e suas atividades
normais, sendo que se o fluxo for interrompido
por alguns minutos resultará em danos
permanentes ao tecido neural.
Cerca de 50 a 55 mL de sangue são
fornecidos a 100 g de tecido cerebral por minuto
estimando-se em 800 mL por minuto em todo o
tecido encefálico. O valor da necessidade de
aumento do volume sanguíneo necessário para o
aporte cerebral varia de acordo com aumento da
atividade funcional em cada região ativada pelo
uso de áreas singulares ao realizar atividades
manuais e cálculos mentais, se tornando
característico de dano permanente encefálico,
algum episodio em que o fluxo sanguíneo em
alguma região é menor que 15 mL de sangue
arterial em 100g de tecido cerebral por minuto,
Toda a irrigação arterial do encéfalo é
realizada por quatro troncos arteriais, que são
as duas artérias carótidas internas e duas
artérias vertebrais, que em conjunto com a
artéria basilar, formam o sistema vértebro-
basilar
 é a expressão usada para revelar qualquer
anormalidade vascular cerebral, sendo
causado por um processo patológico nas
paredes dos vasos sangüíneos ou por
acidente vascular cerebral, termo este
aplicado clinicamente para definir esses
distúrbios
O AVE é uma das principais causas de
mortalidade em todo o mundo, a incidência no
mundo foi estimada em 300 casos a cada
100.000 pessoas com discreta predominância
para os homens.
 AVE é classificado por sua etiologia que é
descrita pela interrupção temporária da
circulação focal do cérebro, o que resulta em
déficit neurológico definido de acordo com
processos específicos, tendo como base a
patologia vascular que pode ser adquirida ou
congênita.

 O AVE é caracterizado por déficit neurológico


focal, de instalação e evolução relativamente
rápida, com surgimento abrupto de sintomas de
origem vascular arterial, causado em geral por
anormalidade estrutural dos vasos sangüíneos ou
por alterações nas suas funcionalidades.
Insuficiência do fluxo sanguíneo cerebral
permanente ou temporária é definida como
isquemia vascular que pode ou não evoluir para
infarto, sendo ela de origem venosa ou arterial,
sistêmica ou local resultando em necrose do tecido
nervoso.
É a condição onde o fluxo sanguíneo cerebral
não é suficiente de forma permanente, onde o
cérebro é incapaz de seguir com suas funções
cerebrais normais, acontecimento esse que afeta
alguma região do cérebro que por sua vez tem o
tamanho da área em sofrimento determinado pelo
grau da isquemia.
 (AIT) é definido por um déficit
neurológico focal, de aparecimento
súbito, reversível e que tenha
regressão completa do déficit
neurológico em menos de 24
horas;
 O déficit neurológico no ataque isquêmico
transitório tem a remissão do quadro em até
24 horas, sendo mais comum ter a duração
entre 2 a 15 minutos, podendo se alongar por
horas, mas nunca exceder á 24 horas. Foi
observado que um mês após o ataque
isquêmico transitório uma quantia importante
de pacientes sofre infarto cerebral e até um
ano após, uma quantia ainda maior apresenta
o infarto.
O ataque isquêmico transitório
considerado um sinal de grande importância
para o inicio da prevenção do AVC isquêmico
definitivo, exigindo sempre a internação
hospitalar para investigação e indicação de
tratamento adequado.
Dura até 24h;
Não causa sequelas irreverversíveis;
Sangue oxigenado é de suma importância
para a manutenção do cérebro e suas funções
normais, sendo necessário apenas de 10 a 12
segundos de privação de sangue para se obter
a perda da consciência de um individuo
normal e de 3 a 5 minutos para ocorrer lesões
teciduais irreversíveis no cérebro causando até
mesmo a morte.
 Definida como área ao redor do campo
central da isquemia e com suporte de
perfusão sanguínea através de vasos
colaterais com fluxo sanguíneo escasso, no
qual os neurônios perdem sua atividade
funcional, porém morfologicamente
preservados se tornando viável a normalidade
de seu funcionamento em até 48 horas após
o inicio do episódio isquêmico.
É a patologia cerebral mais
evidenciada em doenças
cerebrovasculares assintomática ou
sintomática, tornando-se a principal
causa do infarto vascular cerebral por
trombo ou embolia, sendo ela mais
grave quando associada à diabetes
mellitus, hiperlipidemia, tabagismo e
hipertensão.
é desencadeado através do extravasamento
sanguíneo na cavidade craniana por ruptura
espontânea (não traumática) de um vaso, de
acordo com a localização pode ser
classificado como hemorragia
intraparenquimatosa, subaracnóidea e
intraventricular, existindo também a
possibilidade da ruptura do vaso sanguíneo
que se encontra frágil após ter sofrido
possível episódio isquêmico, transformação
hemorrágica.
Representa 20% das doenças cerebrovasculares
A hipertensão
arterial é
considerada como
fator de risco de
grande importância
para o AVE
hemorrágico
intracerebral, sendo
causa primária da
dissecção ou a
ruptura arterial, fato
este dado quando
existe crise
hipertensiva.
Quadro 1. Escala pré-hospitalar para AVE de Cincinnati

Sinal/Sintoma Como testar Normal Anormal

Pede-se para o Um lado da face não se


Lados da face movem-
Queda facial paciente sorrir ou move tão bem quanto o
se igualmente
mostrar os dentes outro

O paciente fecha os
Braços movem-se por Um braço não se move
olhos, estende os
Debilidade dos braços igual e se mantém ou cai abaixo quando
braços e tentar manter
estendidos comparado com o outro
estendido

Pede-se para o
paciente dizer “o rato Usa palavras corretas Usa palavras incorretas
Fala anormal
roeu a roupa do rei de com pronúncia clara ou é incapaz de falar.
Roma”
Quadro 4. Territórios arteriais acometidos e respectivo quadro neurológico
Território Carotídeo
A. oftálmica Alteração Visual monocular
Déficit motor Predomínio braquiofacial
Déficit sensitivo
Artéria cerebral média
Afasia Hemisfério dominante
Negligência Hemisfério não dominante
Déficit motor
Predomínio crural
Artéria cerebral anterior Déficit motor
Sinal de frontalização
Território Vertebrobasilar
Náuseas, vômitos e tonturas
Artéria vertebral Acometimento de nervos cranianos baixos
Alterações cerebelares
Alterações de campo visual
Artéria cerebral posterior Rebaixamento de nível de consciência
Déficit sensitivo
Alterações de funções nervosas superiores
Déficit motor
Freqüentemente bilateral
Artéria basilar Déficit sensitivo
Rebaixamento do nível de consciência
Alterações de nervos cranianos
Quadro 5. Características clinicas da hemorragia intracerebral segundo sua
localização

Hemiparesia, hemianestesia, afasia global, paralisia do


Putaminal
olhar conjugado horizontal contralateral.

Hemiparesia, hemianestesia, ocasionalmente afasia,


Talâmica
paralisia do olhar conjugado vertical para cima.

Hemiparesia e hemianestesia (frontoparietal), afasia,


paralisia do olhar conjugado horizontal contralateral
Lobar
(frontal), hemianopsia (occipital) e convulsões em 20-28%
dos casos.

Tríade de Ott: ataxia, paralisia do olhar conjugado horizontal


Cerebelar
e paralisia facial periférica.

Dupla hemiparesia e hemianestesia, paralisia do olhar


Pontina conjugado bilateral, pupilas puntiformes, postura
descerebrada e instabilidade respiratória.
Quadro 6. Principais exames para a investigação do AVE
Exames Indicação Finalidade
Fornece imagens transversais do
Tem sido o exame de imagem mais
cérebro, é exibido em um
recomendado e deve ser realizado o
osciloscópio, geralmente com
Tomografia computadorizada de mais rápido possível, sendo repetido
utilização de contraste, pode
crânio (TC) em 24 e 48 horas, quando não há
reconstruir as imagens nos planos
alterações no exame inicial ou a
transversal, sagital, horizontal e
evolução do quadro é insatisfatória.
coronal.

AVCI, pois apresenta maior Gerador de imagens em cortes


positividade dentro das 24 horas. transversais da medula espinhal e
otimiza diagnósticos de lesões do cérebro possui a vantagem de
Ressonância magnética encefálica
ICranianas e detectar alterações mostrar imagens atrás dos ossos e
estagio mais precoce do que seria tecidos moles preenchido por
possível com a TC. liquido.

Ultra-som Doppler de carótidas e


vertebrais Detectam anormalidades cardíacas
Exames são recomendados para
Eletrocardiograma como arritmias, isquemias, infarto
inicio da investigação da etiologia do
Radiografia de tórax agudo do miocárdio, anormalidades
AVC na fase aguda.
Ecocardiograma com Doppler transtorácico arteriais entre outras.
ou transesofágico.
Exames Indicação Finalidade
Detecção de aneurisma,
Casos de AVCH, subaracnóidea ou
malformação arteriovenosa,
de causa desconhecida. Exame
trombose, obstrução. Geralmente
Angiografia cerebral radiológico que compreende a
e realizada após suspeitas de
vasculatura cerebral após a injeção
anormalidades sugeridas por
de contraste intra-arterial.
outros estudos de imagem.
suspeita de hemorragia diagnostico de neurossifilis e
subaracnóidea com resultado de infecções crônicas do sistema
Exame do liquido cefalorraquiano TC negativo. Obtido mais nervoso central, confirmar
(LCR) comumente por punção lombar, e suspeitas de meningites,
raramente por punção da cisterna hemorragias subaracnóidea,
ou de um ventrículo. intracraniana e tumores.
Angio-ressonância Medir a velocidade do fluxo
Doppler transcraniano sanguíneo por determinados
vasos sanguíneos cerebrais,
determinar a existência de fluxo
computed tomography)
sanguíneo colateral antes de
ligaduras cirúrgica.
Hemograma

Glicemia

Creatinina

Ureia

Gasometria arterial

Tempo de protrombina
 O tratamento pode ser medicamentoso ou
cirúrgico:

 Medicamentoso: uso de anticonvulsivantes


(fenitoína, carbamazepina, fenobarbital,
gabapentina e primidona), ácido valpróico,
clonazepan e etossuxinida.

 AVEI: Varfarina ou Ácido Acetilsalicílico, inibidores


de plaquetas e medicamentos trombolíticos (até 3
horas após início dos sintomas).
 Monitorização da pressão intracraniana (PIC):
 administrando diuréticos osmóticos e
posicionamento para prevenir hipóxia.
 Elevação da cabeceira para reduzir a PIC,
favorecendo a drenagem venosa;
 hemicraniectomia de PIC aumentada;
 intubação, quando necessário;
 monitoramento hemodinâmico contínuo;
 avaliação neurológica.
 Remoção da lesão focal, de tumores,
abcessos ou problemas vasculares e
Implante estimulador de nervo vago.

 Endarterectomia carotídea (remoção da


placa aterosclerótica ou do trombo) e
colocação de stent carotídeo com ou sem
angioplastia.
Esta escala é utilizada para avaliar o grau de gravidade em pacientes
com hemorragia subaracnoide (HSA).

GRUPO HSA NA TOMOGRAFIA DO CRÂNIO

1 Não se detecta sangue

2 Presente em espessura < 1mm

3 Presente em espessura > ou igual a 1 mm

4 Presença de coágulo intraparenquimatoso ou


intraventricular com ou sem HSA
Herniação no tronco encefálico : morte encefálica
O desenvolvimento de processo
interacional e transdisciplinar que favoreça o
planejamento;
- Implementação e avaliação de medidas
terapêuticas de enfermagem voltadas para a
educação e promoção da saúde com
enfoque no autocuidado;
- Proporcionar o envolvimento e a
participação ativa e sistemática do cliente,
família e pessoas significativas em relação
aos cuidados a serem desempenhados em
casa;
Estabelecer critérios para o atendimento deste
cliente internado:
- Disposição do quarto de uma pessoa com
AVE: o lado hemiplégico deve ficar voltado para o
centro do quarto, para favorecer a máxima
estimulação dos sentidos;

- Medidas posturais e mobilização: quando um


paciente está clinicamente estável e apresenta um
bom nível de consciência, convém começar nas
primeiras 24 a 48 horas com mobilização passiva e
ativa na cama.
Estabelecer critérios para o atendimento deste
cliente internado:
- Controle da cabeça e do tronco e transferência
para poltrona (Previnem-se as úlceras de
pressão, diminui-se a incidência de trombose
venosa e de complicações respiratórias, ao
mesmo tempo em que se acelera a
recuperação).
- Avaliar a necessidade de cateterismo vesical e
atentar para integridade cutâneo-mucosa
(bexiga neurogênica);
- Medidas para a reinserção social.
Estabelecer critérios para o atendimento deste
cliente internado:

- Alimentação: a presença de disfagia pode


provocar desidratação e associa-se a infecções
pulmonares, a uma maior mortalidade intra-
hospitalar e a um pior prognóstico funcional;
- Sondagem após 7 ou 8 dias se o aporte
nutricional não for alcançado;
- Preparo para alta hospitalar - preparo do
cuidador- família;
- Reabilitação em Unidade Especializada.
 Prescrições de Enfermagem

 Manter repouso no leito e decúbito elevado a 30°.


 Manter permeabilidade de VAS e assegurar
ventilação adequada.
 Observar, anotar nível de consciência, se alteração
comunicar.
 Observar, anotar e comunicar alterações de SSVV.
 Controle rigoroso da temperatura, mantendo-a
abaixo de 37,8 ºC
Prescrições de Enfermagem

 Monitorar glicemia.
 Promover acolhimento, tranquilizando e
explicando o tratamento e procedimento a ser
realizado.
 Observar, anotar e comunicar queixas álgicas.
 Realizar rodízio de sensores de monitorização
cardíaca.
 Realizar mudança de decúbito 2/2h.
 Manter grades do leito elevadas para promoção
de segurança no leito.
Prescrições de Enfermagem
 Promover apoio emocional.
 Fornecer método alternativo de comunicação.
 Avaliar perfusão periférica e comunicar se
alteração.
 Aspirar vias aéreas se necessário.
 Observar, anotar, incentivar e auxiliar na
aceitação das dietas
 Realizar teste de refluxo em CNG antes de
administrar dietas.
 Realizar e/ou incentivar higiene oral.

Prescrições de Enfermagem
 Realizar e/ou auxiliar banho
 Realizar hidratação corpórea após banho
 Estimular o auto cuidado gradativo, sempre
que possível.
 Realizar higiene ocular e promover hidratação
de esclerótica.
 Manter técnicas assépticas nos cuidados com
acesso venoso, drenos e curativos.
 Estimular e realizar exercício ativo e passivo
em membros.

Prescrições de Enfermagem

 Apoiar as extremidades com travesseiros para


evitar, reduzir edema e úlceras.
 Proteger as áreas com sensibilidade
diminuída.
 Observar e anotar eliminações vesico -
intestinal.
 Cateterismo vesical de alivio se necessário,
após avaliação criteriosa.
 Realizar limpeza concorrente no leito e
equipamentos.