Você está na página 1de 24

M6 Módulo 6 - A Cultura do Palco

Hoc loco habitat fortuna,


hic quiescit cor
Neste lugar habita a felicidade,
aqui o coração encontra a paz.
Abade Marianus II, 1755

Ana Lídia Pinto


Fernanda Meireles
Manuela Cernadas Cambotas
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies

A Igreja de Wies é uma igreja de


peregrinação situada na proximidade
do município de Steingaden, na
Baviera, sul da Alemanha.

Foi construída entre 1745 e 1754, a


mando do abade do convento
premonstratense de Steingaden,
Marianus II, comitente da obra.

O motivo da encomenda foi dar um


santuário condigno a uma imagem
milagrosa, pertença do mosteiro e
motivo de grande procura por parte de
peregrinos de todas as partes da
Europa.
M6 O Senhor do Pilar
M6 O Senhor do Pilar

A imagem milagrosa é a do Senhor do Pilar (ou


Cristo Flagelado), uma escultura em madeira
policromada, datada de cerca de 1730 e pertença
do Mosteiro de Steingaden.

No dia 14 de junho de 1738, uma camponesa da


região, Maria Lory, afirmou ter visto lágrimas serem
derramadas pelos olhos da imagem.
A imagem do “Senhor que Chora” rapidamente se
tornou motivo de curiosidade e de veneração,
atribuindo-se-lhe vários milagres.

A afluência crescente de visitantes obrigou os


monges e os camponeses locais a erguerem, em
1740, uma pequena e modesta capela, exterior ao
mosteiro, para abrigar a imagem e receber os
peregrinos que acorriam para a adorar.

Mas a capela revelou-se pequena de mais. Em


1745, o abade de Steingaden dá ordem para a
construção da atual igreja.
M6 Dominikus Zimmermann

O arquiteto da obra foi Dominikus Zimmermann


(1685-1776), um artista alemão, nascido na região
de Wessobrunn, com formação de estucador,
mestre de obras e arquiteto.
Dominikus provinha de uma família de artistas que,
no seu conjunto, formou o que em arte se apelidou
de “escola de Wessobrunn”.

Para a realização da obra, Dominikus rodeou-se de


alguns dos melhores artistas e artesãos da sua
região, como:
• o seu irmão mais velho, Johann Baptist
Zimmermann (1680-1758), pintor, estucador
e decorador, a quem encarregou das
pinturas dos tetos da igreja;
• o escultor Anton Sturm (1690-1757);
• o construtor de órgãos Georg Hörterich
(1705-1770).
M6 Dominikus Zimmermann: outras obras

Quando iniciou as obras da Igreja de


Wies, Dominikus tinha 60 anos.

Trazia consigo uma experiência vasta:

• primeiro como estucador,


principalmente de altares;

• depois como arquiteto-construtor;

• embora tivesse realizado edifícios


civis, a maior parte das suas obras
arquitetónicas haviam sido igrejas.
Igreja de Wallfahrt (1727-1733), Igreja de Nossa Senhora (1717),
em Steinhausen, Alemanha Günzburg, Alemanha
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: o exterior

O lado sul O lado norte


M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: as componentes

A entrada
A torre sineira

O corpo da igreja

A capela-mor

Casa dos monges


M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: a planta

Nave central oval

Capela-mor

Entrada
Altar-mor

Pilares de sustentação Corredor que circunda a


da cúpula nave central
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: a entrada e o órgão

A porta de entrada

O coro alto com o órgão

Os pilares de sustentação
da cobertura
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: a capela-mor

Cobertura
Púlpitos: em abóbada
Aprincipal
luz
Santuário
Retábulo
entra(esquerda)
pelas
com abatida,
do Senhor
janelas
pintura com mural
e secundário
do
da
a óleo
Pilar
galeria (direita)
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: retábulo do altar-mor

Balthasar August Albrecht (1687-1765), Sagrada Família, óleo sobre tela, 1753
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: púlpito principal

Púlpito principal
decorado a mármores e
estuques policromos.
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: teto da capela-mor

Johann Baptist
Zimmermann,
mural do teto da capela-mor da
Igreja de Wies

Representa os Anjos a
transportar para o céu os
instrumentos do martírio divino:

• o chicote;
• a cruz;
• a lança.

Moldura de estuques pintados


M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: nave central

Pilares de suporte

Corredor lateral

Pintura do teto

Púlpito secundário ou
Galeria do Abade

Esculturas de Anton Sturm


M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: teto da nave central

Pintura do teto
É uma composição de Johann Baptist
Zimmermann que nos mostra a segunda
vinda triunfal de Cristo à Terra.
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: teto da nave central

Composição movimentada

Lado da entrada Lado da capela-mor

Viva policromia

Pintura perspetivada em trompe-l’oeil


M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: teto da nave central

Anjos com palmas e


trompetas

Símbolo da divina
providência

Cristo desce do Céu


montado num arco-íris
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: teto da nave central

O trono do Juízo Final

Decoração a estuques brancos e dourados


com motivos naturalistas e enconchados
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: teto da nave central

A porta do Paraíso
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: pormenores

Esculturas de Anton Sturm: os quatro doutores da Igreja

Agostinho Ambrósio Jerónimo Gregório


M6 A Igreja de Peregrinação de Wies: temática decorativa

4
7 3 7
1. A imagem do Cristo do Pilar
2
7 7
1
2. O pelicano
6 6 3. O cordeiro
6 5 6 4. Parte superior do altar
6 6 5. Fresco do teto da capela-mor
8 8 6. Frescos da galeria que rodeia a capela-mor
11
12 13 7. Estátuas de evangelistas e profetas
11 10 10 11 8. Alas laterais
9. O grande fresco do teto
10 14 14 10 10. Oito beatos colocados na parte superior
15 11 9 11 16
dos pilares
11. Frescos do corredor que circunda a nave
10 14 14 10 12. Púlpito
13. Galeria do Abade
11 10 10 11 14. Estátuas de 4 doutores da Igreja:
11 Agostinho, Ambrósio, Gregório e Jerónimo
15. Altar lateral norte
11 16. Altar lateral sul
M6 A Igreja de Peregrinação de Wies

“Tudo aqui foi feito para revelar o sobrenatural.


Esculturas e murais combinam-se para dar ao
divino uma forma visível.”

“A Igreja de Wies é um bocadinho de Céu


neste mundo sofredor.”
Peter Dörfler (1878-1955)
M6 A beleza da Igreja de Wies

Luz

Música

Teologia