Você está na página 1de 73

SOLUÇÕES

Maria Leovânia Oliveira da Luz Dantas


1. Visualize o momento em que uma
garrafa de refrigerante é aberta. Às vezes,
o conteúdo jorra, outras vezes não.
Reflita: em que condições é mais
provável que o refrigerante jorre da
garrafa quando ela é aberta?
Resp.: como a solubilidade de gás em um
líquido diminui com o aumento da
temperatura, quando o refrigerante é
guardado fora da geladeira, sua
temperatura é maior do que se estivesse na
geladeira, por isso a probabilidade de um
refrigerante mantido na geladeira jorrar é
mais alta, já que o gás deixa a solução com
maior velocidade do que se a temperatura
da solução fosse menor.
2. É como salgar a água para cozinhar
uma massa ou um legume; essa adição do
sal de cozinha provoca alguma diferença
quanto ao tempo que a água leva para
entrar em ebulição e ao tempo de
cozimento?
Resp.: A temperatura de ebulição varia
enquanto a água ferve, e quanto maior
a concentração de sal, maior a
temperatura de inicio da ebulição da
água. Portanto, o tempo e as condições
de cozimento serão diferentes.
3. Quando se adiciona certa porção de sal
de cozinha a uma quantidade fixa de água,
que fatores influem para que o sistema
obtido seja homogêneo ou heterogêneo?
Resp.: O sistema pode homogêneo ou
heterogêneo, dependendo da relação
entre as quantidades de soluto e de
água e da natureza do soluto.
4. Que diferenças há entre uma
solução e uma dispersão coloidal?
Resp.: Soluções são misturas homogêneas
nas quais não conseguimos ver as partículas
dispersas nem com microscópio, enquanto
na dispersão coloidal suas partículas não são
visualizadas a olho nu, por isso muitas vezes
são confundidas com sistemas homogêneos,
mas são, na realidade, heterogêneos, como se
pode ver com o uso de microscópios.
O que é dispersão?
São sistemas nos quais uma substância
está disseminada, sob a forma de
pequenas partículas, em uma segunda
substância.
Toda mistura é chamada de
dispersão. A primeira substância
chama-se disperso ou fase dispersa e a
segunda substância chama-se
dispersante ou fase de dispersão.
DISPERSÃO
Dispergente + disperso

Prática p. 32
Soluções
Solução: é uma mistura homogênea de
soluto e solvente
Solvente: Componente cujo estado físico
é preservado.
Soluto: Dissolvido no solvente
Observação: Se todos os componentes
estiverem no mesmo estado físico, o
solvente é aquele presente em maior
quantidade.
Componentes da solução

soluto solvente
 Estado físico
 Soluções sólidas: formadas por solutos
e solventes em estado sólido. Por
exemplo, a união de cobre e níquel, que
forma uma liga metálica.
 Soluções líquidas: formadas por
solventes em estado líquido e solutos
que podem estar em estado sólido,
líquido ou gasoso. Por exemplo, o sal
dissolvido em água.
 Soluções gasosas: formadas por solutos
e solventes em estado gasoso. Por
exemplo, o ar atmosférico.
Estado da Estado do Estado do Exemplo
solução solvente soluto
Gás Gás Gás Ar
Líquido Líquido Gás Oxigênio na
água
Líquido Líquido Líquido Álcool na água

Líquido Líquido Sólido Sal na água


Sólido Sólido Gás Hidrogênio no
Paládio

Sólido Sólido Líquido Mércurio na


prata
Sólido Sólido Sólido Prata no ouro
Leitura p. 16/ 17-19 (questões 1 e 2).
1. A liga níquel-cromo é usada em
resistência elétricas por sua baixa
condutibilidade elétrica e sua alta
temperatura de fusão. Quantos gramas
de cada metal há em 150g dessa liga
com 60% em massa de Ni e 40% em
massa de Cr?
2. Por que a maioria dos metais é usada
na forma de ligas?
Leitura p. 16/ 17-19 (questões 1 e 2).
RESP.:
1. Porque as ligas, em geral, têm
propriedades que as tornam mais úteis do
que os metais puros( resistência mecânica,
resistência à corrosão, etc.: )
Leitura p. 16/ 17-19 (questões 1 e 2).
RESP.:
2. 150g corresponde ao peso total da amostra, ou
seja, 100% da amostra.
Para descobrir quantas gramas de Níquel existe
nela, precisamos descobrir quanto é 60% de 150.
Para isso, façamos uma regra de 3.
100% ------------- 150g
60% --------------  x   g
100x = 60 x 150
100x = 9 000
x = 9 000/ 100 (corte 2 zeros em baixo e 2
zeros em cima)
x = 90 gramas de Níquel.
Para achar a massa de Cromo, também
faremos uma regra de 3.
 100% ------------ 150g
 40% -------------  x  g
100x = 150 x 40
100x = 6 000
x = 6 000/ 100 (corte dois zeros em cima
e dois zeros em baixo)
x = 60g de cromo.
DICA: para saber se você acertou uma questão
desse tipo, pense: 40% + 60% = 100%. Então,
se você somar os dois valores que encontrou,
eles PRECISAM resultar em 150, caso
contrário, tem algum erro na conta.
 60 + 90 = 150. 
Questões para a próxima aula:
1) Qual a composição do aço, bronze e latão?
2) Por que as ligas a base de titânio são usadas
em implantes dentários?
3) O que significa o termo “ouro 18 quilates”?
4) Quais os componentes das moedas?
5) O que são amálgamas?
6) Por que as amálgamas foram largamente
empregadas nas obturações dentárias?
Respostas
Exercícios para casa
1. Aço: Formado pela mistura de
aproximadamente 98,5% de ferro (Fe), 0,5
a 1,7% de carbono (C) e traços de
silício(Si), enxofre(S), oxigênio(O) e
fósforo(P). É usado em peças metálicas
que sofrem elevada tração, pois é mais
resistente à tração do que o ferro puro. O
aço é uma liga usada para produzir outras
ligas metálicas.
1. Bronze: Formado por 67% de
cobre e 33% de estanho. Sua principal
propriedade é resistência ao desgaste,
sendo muito usado para produzir
sinos, medalhas, moedas e estátuas.
1. Latão: Mistura de 95 a 55% de cobre e
de 5 a 45% de zinco. Devido a sua alta
flexibilidade, ele é usado para produzir
instrumentos musicais de sopro, como
trompete, flauta, saxofone etc., além de
também ser aplicado em peças de
máquinas, produção de tubos, armas e
torneiras.
2. A liga de titânio é utilizado na produção de
próteses para implantes odontológicos em razão das
suas propriedades:  baixa densidade (massa
específica da ordem de 4,5 g/cm3), boa resistência
mecânica à tração (entre 200 e 1370 MPa,
comparável à de muitos aços ligados), excelente
resistência à corrosão (garantida pela formação de
uma camada passivada de TiO2) e relativa
abundância na natureza (é o nono metal mais
abundante),  as ligas de titânio estão entre os
materiais mais utilizados para a produção de próteses
empregadas em implantes odontológicos.
3. Serve par definir a quantidade
de ouro numa liga. Se falarmos que uma joia é
de ouro 18K, isso significa que ela tem 75%
de ouro, 13% de prata e 12% de cobre.
Sua vantagem em relação ao ouro puro é
que esse metal é macio e pode ser
facilmente riscado. Além disso, a liga
mantém as propriedades desejadas do
ouro, como brilho, dureza adequada para
a joia e durabilidade.
4. Moeda de 1 centavo: composta
por Aço e revestida com Cobre (Cu).
Aço é uma liga de Ferro e carbono.
(Hoje, a moeda está fora de
circulação).
4. Moeda de 5 centavos: em
circulação desde 1998, as atuais
moedas de 5 centavos são feitas  de
aço revestido com cobre.
4. Moeda de 10 centavos: As
prateadas são feita de aço inoxidável
(C + Fe + Ni). As amareladas é feita
de aço revestido de Bronze (Cu +Sn).
4. Moeda de 25 centavos: As
prateadas são feita de aço inoxidável
(C + Fe + Ni). As amareladas é feita
de aço revestido de Bronze (Cu +Sn).
 
4. Moeda de 50 centavos:
Inicialmente, a moeda era feita de
cuproníquel(liga de cobre e níquel).
Hoje a moeda é feita de aço
inoxidável (C + Fe + Ni).
4. Moeda de 1 real: a composição desta
moeda é única, ela possui um disco interno
formado por uma liga de Cobre e Níquel e um
disco externo composto por alpaca. Mas o que
seria alpaca? Alpaca é uma liga metálica de
Cobre, Níquel, Estanho e Prata: Cu + Ni + Sn
+ Ag.
5. É uma liga composta de mercúrio
e algum outro metal.
6. Porque ela é bastante resistente à
oxidação (corrosão) e é bem
maleável, podendo ser moldada no
dente do paciente. A amálgama dental
é formada pela mistura de 70% de
prata, 18% de estanho, 10% de cobre
e 2% de mercúrio.
O que é solubilidade?
É a propriedade física das substâncias
de se dissolverem, ou não, em um
determinado líquido.
A dissolução química é o processo de
dispersão do soluto em um solvente,
dando a origem a uma solução ou mistura
homogênea.
Coeficiente de solubilidade
Representa a capacidade máxima do
soluto de se dissolver em uma
determinada quantidade de solvente.
Isso conforme as condições de
temperatura e pressão.
Relembrando:
Soluto: compostos químicos que se dissolvem
em outra substância.
Solvente: é a substância na qual o soluto será
dissolvido.
Os solutos podem ser classificados em:
Solúvel: são os solutos que se dissolvem no
solvente.
Pouco solúvel: são os solutos que apresentam
dificuldade de se dissolver no solvente.
Insolúvel: são os solutos que não se dissolvem
no solvente.
Por exemplo, considere a seguinte situação:
Em um copo de água com sal (NaCl), inicialmente, o
sal desaparece na água.
Entretanto, se for adicionado mais sal, em
determinado momento ele começará a se acumular no
fundo do copo.
Isso acontece porque a água, que é o solvente, atingiu
o seu limite de solubilidade e a quantidade máxima de
concentração. A isso também chamamos de ponto de
saturação.
O soluto que resta no fundo do recipiente e que não se
dissolve é chamado de corpo de fundo ou
precipitado.
Em relação ao ponto de saturação,
as soluções classificam-se em três
tipos:
Solução insaturada: quando a
quantidade de soluto é menor que Cs.
Solução saturada: quando a
quantidade de soluto é exatamente a
mesma do Cs. É o limite de
saturação.
Solução supersaturada: quando a
quantidade do soluto é maior que o
Cs.
Fatores que influenciam a
solubilidade
Mesmo quando o soluto é solúvel no
solvente, existem alguns fatores que
podem influenciar a capacidade de
dissolução do soluto. São eles:
a) Relação entre a quantidade de
soluto e de solvente
O solvente sempre possui um limite
de soluto que consegue dissolver. Se
aumentarmos a quantidade de
solvente, mantendo a quantidade de
soluto, o solvente tende a dissolver
todo o soluto utilizado.
b) Temperatura
A temperatura é o único fator físico
capaz de modificar a solubilidade de
um solvente com relação a um
determinado soluto.
Essa modificação depende da
natureza do soluto, como veremos a
seguir:
Soluto endotérmico: quanto mais
quente estiver o solvente, mais soluto
será dissolvido.
Exemplo: É possível dissolver uma
maior quantidade de café em pó
quando a água está quente.
Soluto exotérmico: quanto mais frio
estiver o solvente, mais soluto será
dissolvido.
Exemplo: É possível dissolver uma
maior quantidade de gás carbônico
quando o refrigerante está gelado.
Formas de determinar a
solubilidade
a) Análise de uma tabela
Muitas vezes, o estudante pode
deparar-se com a solubilidade a partir
da interpretação de uma tabela.
Exemplo: (UEPG - adaptada) A
tabela abaixo apresenta a solubilidade
do sal Li2CO3 em 100 gramas de
água.
A tabela apresenta os valores da massa em gramas de
Li2CO3 que pode ser dissolvida em 100 gramas de água, de 0 oC
a 50 oC. Podemos observar que, quanto mais quente está a água,
menos Li2CO3 dissolve-se. Assim sendo, o Li2CO3 é um soluto
exotérmico (será mais dissolvido se a água estiver fria).
b) Análise de um gráfico
A solubilidade pode ser avaliada pela
interpretação de um gráfico. Para
isso, basta determinar a temperatura,
ligá-la até a curva e, em seguida,
ligar a curva até o eixo y, que é a
massa em gramas de soluto que será
dissolvida.
Exemplo: (UFTM - adaptada) O
gráfico apresenta a curva de
solubilidade de um sal AX2.
O gráfico diz que, no
eixo y, a quantidade de
água (solvente) é de 100
gramas. Para o soluto
AX2, determinaremos a
quantidade de água nas
seguintes temperaturas:
30oC: Quando ligamos a temperatura
30oC até a curva e, em seguida, a
curva até o eixo y, temos que, nessa
temperatura, os 100 gramas de água
conseguem dissolver,
aproximadamente, 35 gramas do
soluto AX2.
Determinação da solubilidade do AX2 a 30oC
40oC: Quando ligamos a temperatura
40oC até a curva e, em seguida, a
curva até o eixo y, temos que, nessa
temperatura, os 100 gramas de água
conseguem dissolver,
aproximadamente, 45 gramas do
soluto AX2.
Determinação da solubilidade do AX2 a 40oC
Como a quantidade dissolvida de
soluto é maior a cada aumento na
temperatura, temos que o AX2 é um
soluto endotérmico.
c) Interpretação textual
Exemplo: (PUC-MG) Determinadas
substâncias são capazes de formar
misturas homogêneas com outras
substâncias.
A substância que está em maior quantidade é
denominada solvente e a que se encontra em
menor quantidade é denominada de soluto. O
cloreto de sódio (NaCl) forma solução
homogênea com a água, em que é possível
solubilizar, a 20ºC, 36 g de NaCl em 100 g de
água.
O texto informa que, se tivermos 100 gramas
de água (solvente), a uma temperatura de
20 oC, é possível dissolver até 36 gramas de
NaCl.
Atividade (sala de aula) p. 21
Atividade (casa) p. 23
Curva de Solubilidade
São gráficos que apresentam variação
dos coeficientes de solubilidade das
substâncias em função da temperatura.
Para qualquer ponto em cima da
curva de solublidade, a solução
é saturada.
Para qualquer ponto acima da curva
de solubilidade, a solução
é supersaturada.
Para qualquer ponto abaixo da curva
de solubilidade, a solução
é insaturada.
Curva de Solubilidade
No gráfico, a curva de solubilidade demonstra que a solução é:
Saturada: quando o ponto está sobre a curva de solubilidade.
Insaturada: quando o ponto está abaixo da curva de solubilidade.
Saturada homogênea: quando o ponto está acima da curva de solubilidade.
Quanto à proporção do soluto/solvente
A solução pode ser:
- Concentrada: grande quantidade de soluto
em relação ao solvente.
Exemplo: H2SO4 conc = ácido sulfúrico 98% +
água
- Diluída: pequena quantidade de soluto em
relação ao solvente.
Diluir significa adicionar mais solvente puro a
uma determinada solução.
Exemplo: água + pitada de sal de cozinha.