Você está na página 1de 52

METÓDOS DE CONTROLE DE PLANTAS

DANINHAS - MANEJO
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
CLASSIFICAÇÃO DOS PERÍODOS
PITELLI & DURIGAN (1984)

PAI  PERÍODO ANTERIOR A INTEFERÊNCIA

PTPI  PERÍODO TOTAL DE PREVENÇÃO DA


INTERFERÊNCIA

PCPI  PERÍODO CRÍTICO DE PREVENÇÃO


PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
CLASSIFICAÇÃO DOS PERÍODOS
PITELLI & DURIGAN (1984)

PAI  PERÍODO ANTERIOR A INTEFERÊNCIA

PERÍODO A PARTIR DA SEMEADURA EM QUE A


CULTURA PODE CONVIVER COM A COMUNIDADE
INFESTANTE SEM NO ENTANTO SOFRE
INTERFERÊNCIA A PONTO DE RUDUZIR SUA
PRODUTIVIDADE DEFINITIVAMENTE.
%
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0

Dias no Mato

Produtividade %
110
100
90
80
70
60
50
P.A.I.
40
30
20
10
0
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120
Dias no Mato
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
CLASSIFICAÇÃO DOS PERÍODOS
PITELLI & DURIGAN (1984)

PTPI  PERÍODO TOTAL DE PREVENÇÃO DA


INTEFERÊNCIA

INTERVALO DE TEMPO ENTRE A IMPLANTAÇÃO


DA CULTURA E O MOMENTO EM QUE O CONTROLE
DE PLANTAS DANINHAS DEIXA DE SER
NECESSÁRIO
%
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120
Dias no Limpo
MS Mato Produtividade %

Produtividade %
110
100
90
80
70
60
50
O Mato é Controlado
40 Pela Cultura
30 P.T.P.I.
20
10
0
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120
Dias no Limpo
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
CLASSIFICAÇÃO DOS PERÍODOS
PITELLI & DURIGAN (1984)

PCPI  PERÍODO CRÍTICO DE PREVENÇÃO


DA INTEFERÊNCIA

PERÍODO NO QUAL A CULTURA DEVE FICAR LIVRE


DA PRESENÇA DE PLANTAS DANINHAS POIS A
INTERFERÊNCIA LEVA A QUEDA NA PRODUÇÃO
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA

MOMENTO DE CONTROLE
ANÁLISE DOS PERÍODOS
PAI < PTPI

NESTE CASO SURGE O PCPI, PERÍODO NO


QUAL A CULTURA TEM QUE FICAR LIVRE
DAS PLANTAS DANINHAS
IDEAL SERIA CONTROLE NO FIM DO PAI
PERÍODOS DE CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS EM
DIVERSAS CULTURAS.

Cultura PAI PTPI PCPI Trabalhos

Algodão 25 45 25-45 11

Amendoim 52 7 Não há 3

Arroz - Seq. 35 50 35-50 4

Arroz - Irrig. 22 40 22-40 3

Feijão 20 23 20-23 3

Milho 17 42 17-42 3

Soja 26 42 26-42 7

36 21 Não há 3
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
MOMENTOS DE CONTROLE

PAI < PTPI – PCPI – Momento ideal até o final do


PAI, pois a partir deste momento até o final do PTPI,
a cultura deve estar livre das plantas daninhas.

PAI > PTPI - Controle deve ser realizado entre o final


do PTPI e final do PAI, bastando um único
controle.

PAI = PTPI – Controle deve ser feito até o final do


PAI, bastando um único controle.
100
90
80
70
60
50
40
30
20 Com Controle
10 Sem Controle
0
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120

100
90
80
70
60
50
40
30
20 Com Controle
10 Sem Controle
0
0 15 30 45 60 75 90 105 120
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA

A
PAI PCPI

IT
SEMEADURA

E
LH
CO
PTPI

DIFERENTES FATORES PODEM INTERFERIR


NOS PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
PERÍODOS DE INTERFERÊNCIA
SOJA X CAPIM MARMELADA (MARTINS, 1994)

CONTROLE
MÉTODOS DE MANEJO
DE
PLANTAS DANINHAS
MÉTODOS DE MANEJO

INTEGRAÇÃO DE DIFERENTES MÉTODOS PARA O


CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

O CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS DEVE


FAVORECER O DESENVOLVIMENTO INICIAL DA
CULTURA

AVALIAR EFICIÊNCIA TÉCNICA E ECONÔMICA DO


MÉTODO, LEVANDO-SE EM CONSIDERAÇÃO O
MOMENTO DE SUSCETIBILIDADE DAS ESPÉCIES
ALVO
MÉTODOS DE MANEJO

INTEGRAÇÃO DE DIFERENTES MÉTODOS PARA O


CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS
 ERRADICAÇÃO
 PREVENTIVOS
 MÉTODOS FÍSICOS
 MÉTODOS CULTURAIS
 MÉTODOS BIOLÓGICOS
 MÉTODOS MECÂNICOS
 MÉTODOS QUÍMICOS
MÉTODOS DE MANEJO
 ERRADICAÇÃO
Planta daninha totalmente eliminada

Germinada ou estruturas de propagação

Produto químico  Brometo de metila – Legislação?

Pequenas áreas (hortas e estufas) ou substratos de


mudas

Elimina plantas daninhas problemáticas como por


exemplo tiririca.
MÉTODOS DE MANEJO
 PREVENTIVOS

Evitar introdução e disseminação

Eliminar focos iniciais

Fácil execução

Utilização de sementes certificadas

Limpeza de máquinas e equipamentos


MÉTODOS DE MANEJO - PREVENTIVOS
MÉTODOS DE MANEJO

 PREVENTIVOS

Monitoramento - Áreas vizinhas sem cultura,


curva de nível, estradas

Represas, rios, canais de captação


(disseminação)

Adubação Orgânica  esterco

Uso de quebra vento


MÉTODOS DE MANEJO

 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de fogo – coagulação do protoplasma da célula
Destrói população existente (quebra dormência)
Queimadas – Efeitos nocivos ao solo e ambiente

Uso de vapor – insuflar vapor d’água em caixas


Esterilizante
Opção a produtos químicos
Usado na desinfecção de substratos de mudas
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de fogo
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de fogo
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de fogo
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de fogo
MÉTODOS DE MANEJO
MÉTODOS DE MANEJO
MÉTODOS DE MANEJO

 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de água – Inundação ou drenagem
Submergir totalmente as plantas
Arroz vermelho e Capim pé de galinha

Uso de plásticos – canteiros


Evita o surgimento da planta daninha
Mantém umidade do solo
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de água
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de plásticos
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS FÍSICOS
Uso de plásticos
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS CULTURAIS
Minimizar interferência e aumentar o potencial
competitivo da cultura, que irá contribuir no controle

Eliminação de plantas daninhas


Poder competitivo da cultura
Manejo de plantas daninhas na entressafra
Rotação de culturas
Escolha de cultivares
Período de controle
MÉTODOS DE MANEJO

 MÉTODOS CULTURAIS
Cobertura morta
Adubação verde
Espaçamento e densidade de plantio
Preparo do solo
Época de semeadura
Adubação e correção do solo
Controle de pragas e doenças – manter cultura sadia
para competir.
MÉTODOS DE MANEJO

 MÉTODOS MECÂNICO
Capina manual

Pequenas áreas de cultivo


Custo elevado e indisponibilidade de mão de obra
Inviável para grandes áreas
Catação
MÉTODOS DE MANEJO

 MÉTODOS MECÂNICO
Cultivo Mecânico animal ou tratorizado

Início do desenvolvimento da cultura


Início do desenvolvimento das infestantes
Solo com baixa umidade
Superficial
Limitado
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS MECÂNICO
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS MECÂNICO
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS MECÂNICO
MÉTODOS DE MANEJO
 MÉTODOS MECÂNICO
MÉTODOS DE MANEJO
 Controle biológico

Organismos dependentes das plantas daninhas

Insetos; fungos; bactérias, ácaros e peixes.

Limitações  muito seletivo

Exige extremo cuidado


MÉTODOS DE MANEJO
 Controle biológico

Método Clássico

Planta daninha exótica  buscar inimigo natural no


local de origem da planta

Uma única aplicação – estabilização ao longo do


tempo

Não controla totalmente a população alvo


MÉTODOS DE MANEJO
 Controle biológico
Método Clássico
MÉTODOS DE MANEJO
 Controle biológico
Método Inundativo
Aplicação massiva de agentes de controles (fungos
normalmente) sobre uma grande população de
plantas daninhas com o objetivo de criar uma rápida
epidemia da doença e levar a uma drástica redução
da população

Phytophthora palmivora (De Vine)  Morredia odorata  Citrus nos EUA


Colletotrichum glaeosporioides (Collego)  Aeschynomene virginia 
Arroz e Soja nos EUA

Colletotrichum glaeosporioides (Biomal)  Malva pusilla 


MÉTODOS DE MANEJO
 Controle biológico

Método Aumentativo ou Repositivo

Aplicação, monitoramento e reposição dos


índivíduos até o nível de controle.

Mais de uma aplicação – Longo prazo

Carpa capim  Hydrilla sp  Flórida


MÉTODOS DE MANEJO
 Controle biológico

Estudos realizados no Brasil:


Bipolaris euphorbiae – Leiteiro
Alternaria cassiae – Fedegoso
Curvularia sp – Poáia branca

Plantas aquáticas
Egeria sp
Eichornia crassipes
MÉTODOS DE MANEJO
 Controle Químico

 Redução da mão de obra

 Rapidez de operação e controle

 Evitar injúrias ao sistema radicular

 Possibilita associação com outros métodos de


controle
MÉTODOS DE MANEJO
 Controle Químico
APLICAÇÃO EM PPI OU PSI

 Herbicidas aplicados ao solo devem ser


incorporados

 Apresentam perdas na superfície do solo


 volatilização e fotodecomposição

 Não é muito usual devido ao plantio direto, pois


este método requer movimentação do solo
MÉTODOS DE MANEJO
 Controle Químico
APLICAÇÃO EM PRÉ

 Herbicidas aplicados ao solo após semeadura e


antes da emergência das plantas daninhas e da
cultura

 Necessidade de umidade

 Cobertura Morta no solo - Interceptação


MÉTODOS DE MANEJO
 Controle Químico
APLICAÇÃO EM PÓS

 Herbicidas aplicados na folhagem das plantas


daninhas dentro de estádios corretos

 Momento de aplicação e Seletividade da cultura

 Dessecação