Você está na página 1de 5

Biologia/Geologia 1ºTeste

BIOLOGIA E GEOLOGIA
Sistema: Todos os sistemas são formados por objectos que se relacionam entre si, condição
fundamental para que exista um sistema.
 O sistema Terra é um subsistema relativamente ao Sistema Solar. Contudo pode ser
também considerado um sistema independente.

Os sistemas são classificados fisicamente como:


• Sistema isolado: quando não se verifica qualquer troca de matéria e energia com o
meio exterior. Não existem sistemas completamente fechados.
• Sistema fechado: quando ocorre apenas a troca de energia, não se verificando
qualque troca de matéria com o exterior.
• Sistema aberto: quando se verifica a troca de matéria e de energia com o meio 2
exterior.

 O sistema Terra é considerado fechado, dado que apesarde existirem pequenas


trocas de matéria com o Universo (pequenas quantidades de hélio e hidrogénio escapam,
enquanto fragmentos de meteoritos e poeiras entram na Terra), estas não são significantes
comparadas com a massa da Terra. As trocas energéticas porém são frequentes, com a Terra
a receber energia do Sol, emitindo-a depois sob a forma de energia térmica.

SUSBSISTEMAS DA TERRA

 Os subsistemas interagem entre si, de modo que qualquer perturbação que ocorra
num eles influencia todos os outros, como é o caso de uma erupção vulcânica, ou da poluição
dos solos.

Rochas Magmáticas: São as rochas que derivam do magma. Podem ser intrusivas ou
extrusivas.
 Magma: são rochas que quando chegam a uma certa profundidade se fudem a
elevadas temperaturas. O magma é formado por uma parte sólida, líquida e gasosa. Ao
subir à superfíie é maioritariamente líquido e chama-se lava.
Rochas Sedimentares: São aquelas que se formam a partir de sedimentos.
 Sedimentos: são materiais que precipitam no fundo das águas dos mares, oceanos,
como por exemplo as conchas, ossos, sal, algas, etc.

Sabina D’Azevedo 10ºB 2009/2010


Biologia/Geologia 1ºTeste
Rochas Metamórficas: são as rochas que mudam a sua forma, derivado a aumentos da
pressão e da temperatura.

CICLO DAS ROCHAS

Rochas
Intrusiva
s ou
Plutónica
s 2

 O magma solidifca originando rochas magmáticas, podendo isto ocorrer nas


pronfundezas ou através da sua subda à superficie. Quando o processo de solidificação
ocorre na profundidade originam-se rochas intrusivas ou Plutónicas, que devido ao
elevado tempo da sua formação permite o crescimento de minerais. Por outro lado, quando
as rochas são formadas à superficíe designam-se extrusivas ou vulcânicas, a sua
formação é rápida não permitindo a formação de minerias.
 As rochas magmáticas que ficam na superfície ficam sujeitas ao processo de
sedimentogénese (erosão, transporte e deposição), originando assim sedimentos que
precitam no fundo das águas.
 Estes sedimentos são sujeitos à diagénese (conjunto de processos físico-quimicos) e
à pressão que é exercida pelas camadas superioes, unindo-se e formando asism rochas
sedimentares.
 As rochas sedimentares quando sujeitas a uma elevada pressão e temperatura,
sofrem modificações, originando rochasmetamórficas. Estas podem ser de metamorfismo
regional (quando o factor principal da sua formação é a pressão) e de metamorfismo de
contacto (o factor principal é a temperatura).
 As rochas metamórficas por sua vez, se forem sujeitas a uma elevação ainda
maior da pressão e da temperatura, fundem-se voltando a formar magma .

Estratos: formam-se geralmente nos fundos oceânicos horizontais. A sua formação ocorre
devido à sedimentação de diversos materias (rochas, conchas, ossos, algas) que ocorre num
determinado intervalo de tempo em que as condições de material disponivel e de depoisção
são constantes.
 Estratificação: Deposição de vários materiais diferentes em camadas (estratos) de
diferente aspecto, consoante o tipo de sedimentos existentes, e de diferentes espessuras. A
espessura dos vários estratos depende do processo da sua formação e do tempo que durou.

Sabina D’Azevedo 10ºB 2009/2010


Biologia/Geologia 1ºTeste

Fóssil: resto de um ser vivo ou da sua actividade.


 Fóssil de idade: espécie que nos permite datar a idade de uma rocha. Para serem
bons fósseis de idade, estes tiveram de viver durante um curto intervalo de tempo.

DATAÇÃO DAS ROCHAS

Datação relativa: processo que permite adtar as rochas como mais antigas ou mais joven
em relação a outras. Esta datação é feita através do princípio da sobreposição de
estratos. 2
 Principio da sobreposição de estratos: este princípio diz que os estratos mais
profundos são mais antigos do que aqueles que es encontram por cima. Estre princípio
apenas pode ser aplicado se todos os estratos estiverem na horizontal – princípio da
horizontallidade.
 A datação relativa dividiu o tempo em eras (Paleozóico 550Ma-248M.a; Mesozóico
248M.a-65M.a; Cenozóico 65M.a-0M.a). Estas eras foram estabelecidades com base em
mudanças climáticas e alterações graves que levaram à extinção de todas as espécie e à
criação de novas. Existe uma grande diferença entre os fósseis das diferentes eras.

Datação radiométrica (Absoluta): processo que permite determinar a idade das rochas,
geralmente em M.a. Baseia-se essencialmente na desintegração regular espontânea
de isótopos naturais (urânio, potássio, carbono-14).
 Os isótopos que se desintegram designam-se isótopos-pai. Estes por sua vez originam
isótopos mais estáveis (através da libertação de partículas nucleares) designados isótopos-
filho.
 Semi-vida: é o tempo necessário para que 50% do elemnto pai se transforme no
elemento filho. Este intervalo de tempo é imprevisível e não é afectado por condições como a
pressão ou a temperatura.

PRÍNCIPIOS BÁSICOS DO RACIOCÍNIO GEOLÓGICO

Sabina D’Azevedo 10ºB 2009/2010


Biologia/Geologia 1ºTeste

MOBILISMO GEOLÓGICO

 A Terra é formada pelo núlceo interno (no estado


sólido) e pelo núcleo externo (no estado líquido),
sendo que estes não possuem rochas, sendo formados
apenas por metal.
 Acima dos núcleos encontra-se a mesosfera (no
estado sóldo) e a astenosfera (no estado sólido com
partes líquidas). Estas partes líquidas na astenosfera
devem-se ao facto das placas litósféricas se
movimentarem sobre a astenosfera, criando atrito e
fazendo com o que o material se funda.
 Por fim, na superficie localiza-se a litosfera, esta não
é uma camada única, encontrando-se fragmentada em
placas, sendo que estas se encontram juntas. Esta
fragmentação deve-se à deslocação da litosfera em
relação à astenosfera.~

Wegner : cientista que admitiu que os continentes se movem sobre os oceanos, tendo
defendidoque outrora apenas existia um único continente, a Pangea, banhado por um só
Sabina D’Azevedo 10ºB 2009/2010
Biologia/Geologia 1ºTeste
oceano, a Pantalassa. Para tal, baseou-se nas costas continentais, que se encaixam; nas
semelhanças entre camadas rochosas com a mesma idade em continentes que agora estão
muito distantes; e ainda na existência de fósseis semelhantes em regiões actualmente muito
separadas.
 As semelhanças rochosas entre continentes são mais acentuadas durante o
passado, o que permite saber quando é que os continentes se separaram (no
momento em que os fósseis e as rochas deixam de sersemelhantes).

 A posição dos continentes e oceanos tem vindo a alterar-se em consequência do


movimento das placas tectónicas. Os limites destas podem ser divergentes,
convergentes e conservativos.
• Limites divergentes: ocorrem quando as placas se afastam uma da outra. 2
Originam dorsais oceânicas, locais onde é formada crosta oceânica e se dá a
expansão dos fundos oceânicos.
• Limites convergentes: ocorrem quando as placas colidem uma com a
outra. Originam fossas onde ocorre a destruição de parte da placa litosférica
(material mais pesado), denomina-se zona de subducção. Os materiais mais leve
acabam por subir, originando grandes cadeias montanhosas, ou até mesmo vulcões.
• Limites conservativos: ocorre quando as placas se deslocam
lateralmente uma em relação a outra. Originam falhas transformantes (a falha de
Santo André é a mais conhecida).

Sabina D’Azevedo 10ºB 2009/2010