Você está na página 1de 34
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Data: Maio, 2014 Referência: Sistema, Pós- Tratamento, SCR, DCU, Diagnóstico, Serviço

Assunto: Procedimentos de Diagnóstico e Serviço do Sistema de Pós-Tratamento dos Gases de Escape - SCR

Modelo: DuraStar Euro V

DESCRIÇÃO

Este Boletim de Serviço descreve as informações relativas às identificações e soluções de problemas relacionados ao Sistema de Pós-Tratamento dos Gases de Escape - SCR (sistema de injeção de ARLA 32) nos veículos DuraStar Euro V.

de injeção de ARLA 32) nos veículos DuraStar Euro V. NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
de injeção de ARLA 32) nos veículos DuraStar Euro V. NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Boletim de Serviço 016/14 NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG. 2/34
Boletim de Serviço 016/14 NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG. 2/34
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

1. ROTEIRO PARA LOCALIZAÇÃO DE FALHAS

Para iniciar a atividade de diagnóstico no sistema SCR devido a qualquer problema, é necessário proceder conforme segue:

A- Anotar os números de série processos de garantia.

da

Caixa da

Número de série da Caixa da DCU, 8 dígitos:

DCU, da

DCU e do injetor

para

7002860C1
7002860C1

Número de série da DCU, 10 dígitos:

para 7002860C1 Número de série da DCU, 10 dígitos: Número de série do injetor, 6 dígitos:

Número de série do injetor, 6 dígitos:

DCU, 10 dígitos: Número de série do injetor, 6 dígitos: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

B- Inspecionar visualmente o sistema para ver se há sinais óbvios de danos mecânicos ou conexões elétricas soltas:

Se houver uma causa óbvia para o problema observado ou relatado, corrigir o problema (se possível) antes de ir ao passo seguinte; Se não for possível localizar visualmente a causa, conectar a ferramenta de diagnóstico ao conector do veículo.

NOTA: SE A FERRAMENTA DE DIAGNÓSTICO NÃO ESTIVER DISPONÍVEL:

recuperar os códigos de falha ativos (SPN / FMI) através do cluster do veículo e analisar a tabela dos códigos de falhas deste boletim de serviço. Neste caso, os códigos de falhas só serão apagados pelo sistema após todas as possíveis causas de falhas serem analisadas e eliminadas, o que pode tornar o processo mais demorado. Após seguir os passos da tabela de códigos de falhas, efetuar os passos de 1 a 10 abaixo para apagar as falhas elétricas. FALHAS DE EFICIÊNCIA do SCR não apagarão de imediato. De acordo com a legislação vigente, será preciso rodar com o veículo por 9600 horas com o sistema sem problemas para que estas falhas sejam apagadas.

C- Verificar os códigos de diagnósticos (SPN / FMI) dos problemas que estiverem armazenados na DCU e seguir os passos abaixo:

1- Retirar e recolocar (após 10 segundos) o fusível que alimenta a DCU, forçando seu desligamento;

2- Ligar a chave de ignição (motor desligado) e apagar as falhas inativas com a ferramenta de diagnóstico;

3- Desligar a chave de ignição por pelo menos 1 minuto;

(A DCU irá desligar e gravar na memória que as falhas foram apagadas)

4- Ligar a chave de ignição (motor desligado) por pelo menos 1minuto;

(A DCU irá verificar se as falhas elétricas continuam presentes)

5- Desligar a chave de ignição por pelo menos 1 minuto;

(A DCU irá verificar se o sensor de pressão de ARLA 32 está lendo corretamente)

6- Ligar a chave de ignição (motor desligado) e verificar com a ferramenta de diagnóstico se há alguma falha listada, anotando se houver;

7- Ligar o motor por pelo menos 4 minutos;

(A DCU irá verificar se bomba e filtro de ARLA 32 estão funcionando)

8- Desligar o motor por pelo menos 10 segundos;

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

9- Ligar a chave de ignição (motor desligado) e verificar com a ferramenta de diagnóstico se há alguma falha. Anotar se houver.

10- Desligar a chave de ignição e aguardar pelo menos 10 minutos com a ignição desligada antes de retirar o conector da DCU, caixa da DCU ou fusível que alimenta a DCU para realizar o processo de diagnóstico. Isto garantirá que ocorra o desligamento correto da DCU e que as linhas de ARLA 32 sejam drenadas, facilitando a troca de componentes.

NOTA: REPITA OS PASSOS 7 e 8 mais 3 vezes para que a falha se torne ativa e seja visível no cluster do veículo ou para que ela seja limpa, caso o reparo já tenha sido executado.

Se após este processo os códigos de falha estiverem pendentes / ativos, consultar

a tabela de códigos de falha no manual do sistema SCR; Se nenhum DTC for recuperado, consultar as tabelas de sintomas do manual de diagnóstico para a identificação e solução de problemas.

NOTA: Após executar o reparo do chicote ou troca de componente, repita os 10 passos acima para garantir que o problema foi solucionado.

2. CÓDIGO DE FALHAS E AÇÕES

Segue abaixo:

Lista de DTCs (códigos de diagnóstico de falhas) que são comunicados pelo Sistema SCR; Instruções para executar ações de diagnóstico adicionais para a localização da causa de uma falha em particular.

Instruções para executar ações de diagnóstico adicionais para a localização da causa de uma falha em

NOTA: Ao diagnosticar falhas do tipo falta de comunicação CAN, circuito aberto e mesmo outras falhas cujo diagnóstico indique a retirada de conectores (injetor, DCU, caixa da DCU, sensores de temperatura dos gases, do nível e temperatura do ARLA 32), certifique-se de que o conector A da caixa da DCU está devidamente encaixado até o fim e travado, antes e após as verificações.

Se você não tiver certeza da localização de algum componente em particular, consultar as informações gerais sobre os componentes no Manual de Diagnóstico.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

FALHA

DESCRIÇÃO DA FALHA

CONDIÇÕES DE DISPARO

 
 

AÇÕES

 

SPN/FMI

 
   

Tensão no sistema acima de:

 

0168/03

Tensão de sistema acima do limiar

a)

Medir a tensão no sistema elétrico do

16V em veículos

veículo e a tensão que alimenta o sistema SCR

   

12V.

XNOx: pino A02 (+), A31 (terra) e A26 (+ ignição) do conector da DCU.

   

Tensão no sistema abaixo de:

b)

Se

a

tensão

do

veículo

estiver

normal,

0168/04

Tensão do sistema abaixo do limiar

 

8V em veículos

   

12V.

consulte o fabricante para assegurar que a unidade instalada no veículo é a correta.

 

Falha de desempenho na comunicação da linha CAN J1939

Sinais necessários da linha CAN faltando.

IMPORTANTE: Ao diagnosticar este tipo de falha, certifique-se que o conector A do módulo da DCU está devidamente encaixado e travado, antes e após as verificações.

0639/02

 
     

a)

Verificar se a DCU está conectada a linha

J1939 do veículo: com a ignição desligada, a leitura entre os pinos A29 e A44 deve estar entre 50 e 70Ω;

b)

Se a DCU estiver conectada, diagnosticar se

o

motor está conectado a linha CAN J1939.

0639/04

Nenhuma comunicação com a linha CAN J1939

 

0639/03

Desconexão com a linha CAN.

c)

Se o Motor estiver conectado, mas a DCU

4349/19

não se comunica, medir a tensão que alimenta

     

o

sistema SCR XNOx, verificando que com a

 

ignição ligada há tensão da bateria nos pinos

A02 (+) e A26 (+ ignição) com relação ao A31 (terra) do conector da DCU.

d)

Se não for encontrado problema nas

conexões, troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

a) Inspecionar o conjunto da unidade de envio de ureia acima do tanque quanto a danos, conexões soltas, etc.;

Tensão no circuito do sensor de nível da ureia acima do limiar

Tensão no circuito do sensor de nível da ureia acima de

b)

Se não houver dano visível, diagnosticar o

1761/03

circuito do sensor de nível de ureia:

 

4,75V.

1- a alimentação com tensão da bateria ocorre pelos pino A30 (+) e A40 (terra) do conector da DCU (pinos A (+) e E (-) do tanque). Com a ignição ligada, verificar alimentação do sensor. Se não houver alimentação e o problema não for no chicote, troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU). 2- Com a alimentação ligada, um sinal

     

elétrico linear de 0,5 a 4,5 volts entre os pinos

Tensão no circuito do sensor de nível

Tensão no circuito do sensor de nível da ureia abaixo de

(+) e E (-) do tanque é transmitido para os

pinos A33 (+) e A40 (-) da DCU, correspondente a indicação de 0% a 100% de nível do reagente no tanque respectivamente (o nível pode ser visualizado no Cluster do veículo). Se não houver sinal ou a leitura não corresponde ao nível de ureia e o problema não for no chicote, troque o tanque de ureia. c) Se o problema persistir, troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

B

1761/04

 

da ureia abaixo do limiar

0,25V.

 

O monitor de nível do tanque de ureia detecta baixo ou vazio

   

1761/01

Leitura da tensão do tanque de ureia entre 0,25V e 0,8V.

1761/18

a)

Encher o tanque de ARLA 32 com solução

   

de ureia certificada.

   

Desvio na leitura do sensor de nível de ureia ou esta permanece com valor fixo dentro da escala.

b)

Se o nível visualizado no Cluster do veículo

Leitura do sensor de nível de ureia desviada para baixo, para cima ou emperrada.

não corresponder ao procedimento, verifique

1761/21

1761/20

circuito do tanque de ureia para a falha SPN 1761 / FMI 03.

o

1761/10

 
 
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

 

Tensão no circuito do sensor de temperatura da ureia acima do limiar

Tensão no circuito do sensor de temperatura da ureia acima de 4,87 V.

a)

Inspecionar o sensor quanto a danos,

conexões soltas, etc.;

3031/03

b)

Se o conector estiver solto, encaixar o

 

conector;

c)

Se um fio estiver danificado, reparar o fio;

 

Tensão no circuito do sensor de temperatura da ureia abaixo do limiar

Tensão no circuito do sensor de temperatura da ureia abaixo de 0,14 V.

d) Se o sensor estiver danificado, substituir; e) Se não há nenhum dano visível, diagnosticar o circuito do sensor da temperatura de ARLA 32: a leitura entre os pinos A35 e A25 deve estar entre 1 e 15 kΩ, dependendo da temperatura ambiente. Verifique também esta leitura no conector do sensor do tanque entre os pinos C e D para garantir que o problema não está no chicote do veículo. Se a leitura estiver incorreta e não for o chicote, troque o tanque de ureia.

3031/04

 
 

Leitura do sensor de temperatura do reagente oscila desviada para baixo, para cima ou emperrada.

Desvio na leitura do sensor de temperatura ou esta permanece com valor fixo dentro da escala.

3031/21

3031/20

3031/10

 

f) Se o problema persistir troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

 

Sensor de NOx removido da tubulação de exaustão

 

a)

Inspecionar o sistema de exaustão quanto à

tubulação ou conexões quebradas, ou o outro dano;

3226/10

Sensor de NOx removido.

 

b)

Se não for encontrado nenhum dano,

reinstalar o sensor de NOx.

     

a)

Inspecionar o Sensor de NOx quanto a

O

sensor de NOx

danos, conexões soltas, etc.;

comunica dados inválidos na linha CAN. Falha na linha CAN ou perda de

b)

Se o conector estiver solto, encaixar o

Falha na

conector;

3226/12

comunicação CAN do sensor de NOx

c) Se um fio estiver danificado, reparar o fio;

 

d) Se o sensor estiver danificado, substituir o

 

mensagens durante a comunicação.

sensor;

e) Se não houver dano visível, verifique os

 

códigos de falha específicos que o sensor de NOx transmite.

     

f)

Se não houver comunicação com o sensor,

O circuito de monitoramento do aquecedor do sensor de NOx detecta falha

verifique o chicote que o alimenta: Com a ignição ligada, a alimentação da bateria deve

O

sensor de NOx

ser medida entre os pinos 01 (+) e 02 (terra)

3226/12

comunica falha do aquecedor na linha

do sensor de NOx. Se não houver alimentação, verifique relés e fusíveis desta linha. Com a

 

CAN.

ignição e todos os módulos do veículo

 

desligados, a leitura entre os pinos 03 e 04 deve estar entre 50 e 70Ω.

g)

Se não há problema no chicote, troque o

sensor de NOx.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

a)

Inspecionar

o

sensor

quanto

a

danos,

Tensão no sensor de temperatura do gás de exaustão do pré-catalisador acima de 4,75 V.

conexões

 

soltas,

 

etc.;

Tensão no sensor de temperatura do gás de exaustão acima do limiar

b)

Se o conector estiver solto, encaixar o

3241/03

conector;

 
 

c) Se um fio estiver danificado, reparar o fio;

d) Se o sensor estiver danificado, substituir;

   

e) Se não há nenhum dano visível,

     

diagnosticar o circuito do sensor da temperatura na exaustão: a leitura entre os pinos A21 e A40 deve estar próxima a 200,

Tensão no sensor de temperatura do gás de exaustão abaixo do limiar

Tensão no sensor de temperatura do gás de exaustão pré-catalisador abaixo de 0,25 V.

220

e

240

para

0,

25

e 50 °C

 

3241/04

respectivamente. Verifique também esta leitura no conector do sensor de temperatura para garantir que o problema não está no

 
 

chicote do veículo.

 
 

f)

Se o problema persistir o módulo da DCU

(não é necessário trocar a caixa da DCU).

 

Leitura do sensor de temperatura pré- catalisador desviada para baixo, para cima ou emperrada.

Desvio na leitura do sensor de temperatura pré- catalizador ou esta permanece com valor fixo dentro da escala.

Esta falha geralmente está associada a

remoção do sensor de temperatura pré- catalisador sem sua desconexão elétrica, verifique se ele está instalado corretamente na tubulação de escape. Se este não for o caso, execute as ações descritas para SPN 3241 FMI 03 e 04.

a)

3241/21

3241/20

3241/10

 
     

a)

Esvaziar o tanque e enxaguá-lo com uma

pequena quantidade de ureia certificada. b) Com a linha de retorno ao tanque

Qualidade do

Baixa qualidade da ureia ou líquido incorreto usado no tanque de reagente.

desconectada, ligar o motor por 1 minuto para que a bomba de ureia seja acionada, limpando as linhas de ureia.

3364/01

reagente - líquido incorreto

c)

Desligue o motor e conecte a linha de

 

retorno

 
 

d)

Efetue a troca do filtro de ARLA 32 no

 

interior da caixa da DCU (supply module) seguindo as instruções de abertura e fechamento da caixa da DCU.

e)

Encher o tanque com o fluído correto.

 
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

a)

Verificar se algum dos sensores do circuito

Tensão de referência dos sensores acima do limiar

Tensão "A" de referência do sensor acima de

ou mesmo o chicote do veiculo está causando o problema. Desconecte a DCU e meça a resistência entre os pinos A25 e A10, se não for maior que 1kΩ, desconecte cada um dos seguintes componentes para identificar a fonte do curto circuito: Caixa da DCU (onde

3509/03

 

5,2V.

está o sensor de pressão de ureia), sensor de temperatura pré-catalisador e sensor do tanque de ureia. Caso um destes sensores ou seus chicotes esteja em curto (fazendo a

leitura entre A25 e A10 ser menor que 1kΩ), faça o reparo do chicote ou troque o componente.

     

b)

Verifique também o chicote do pino A25

quanto a curto circuito com os pinos A02 (+),

A26 (ignição) e A31 (terra).

c)

Caso os passos anteriores não resolvam o

Tensão de referência dos

sensores abaixo do limiar

Tensão "A" de referência do sensor abaixo de

problema, com a ignição ligada, DCU conectada e o motor desligado, desconecte o conector da caixa da DCU para isolar o sensor de pressão de ureia e meça a tensão entre os pinos 9 (+) e 10 (-) deste conector. Se a leitura estiver entre 4,8 e 5,1V, o problema está no sensor de pressão, troque-o (procedimento

3509/04

 

4,8V.

   

5.4).

d) Se a leitura não estiver correta, tente desconectar o sensor de temperatura pré- catalisador ou mesmo o sensor do tanque de

ureia. Caso isto não resolva o problema, troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

 

Saída positiva do chicote em curto com a bateria

Parte positiva do circuito em curto com a alimentação da bateria.

 

3597/03

a)

Verificar chicote elétrico dos pinos A01 e

 

A30 do conector da DCU quanto a curto circuito com a alimentação da bateria (pino A02), ignição (A26) ou o terra (A31); reparar o chicote caso seja encontrado.

     

Saída positiva do chicote em curto com o terra

Parte positiva do circuito em curto com o terra.

Se não houver curto circuito neste chicote,

troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

b)

3597/04

   
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

a)

Verificar se há outros códigos de falha

ativos;

 

Emissão de NOx excedida devido a um erro no sistema

Limites de NOx pós- catalisador excedidos devido a um erro no sistema.

b)

Determinar os códigos de falha que

estão ativos no sistema de dosagem do SCR

4090/31

e

fazer os reparos necessários;

 
 
 

c)

Verificar se há códigos de falha do

 

sistema do veículo e realizar todos os

reparos necessários.

 
     

a)

Esvaziar o tanque e enxaguá-lo com uma

pequena quantidade de ureia certificada.

Emissão de NOx excedida devido à baixa qualidade da ureia

Limites de NOx pós- catalisador excedidos devido à baixa qualidade da ureia.

b) Com a linha de retorno ao tanque desconectada, ligar o motor por 1 minuto para que a bomba de ureia seja acionada, limpando as linhas de ureia.

4093/31

c)

Desligue o motor e conecte a linha de

 

retorno

 
 

d)

Efetue a troca do filtro de ARLA 32 no

 

interior da caixa da DCU (supply module)

seguindo as instruções de abertura e fechamento da caixa da DCU.

e) Encher o tanque com o fluído correto.

     

a) Inspecionar o injetor de ureia quanto a

danos, conexões soltas, mangueiras

torcidas,

etc.;

Limites de NOx pós- catalisador excedidos devido ao baixo consumo de ureia.

b)

Se o conector elétrico estiver solto,

Emissão de NOx excedida devido ao baixo consumo de ureia

encaixar o conector; se um fio estiver

4094/31

danificado, reparar o fio.

 
 

c) Se o injetor estiver danificado, substituir

 

o

injetor.

 

d)

Se não houver outros códigos de falha

ativos e o problema persistir, troque o injetor.

     

a)

Verificar se há outros códigos de falha

ativos;

 

b)

Determinar os códigos de falha que

Emissão de NOx excedida devido à interrupção da dosagem

Limites de NOx pós- catalisador excedidos devido a interrupção da dosagem.

estão ativos no sistema de dosagem do SCR

e

fazer os reparos necessários;

4095/31

c)

Verificar se há códigos de falha do

 

sistema do veículo e realizar todos os

reparos

necessários;

   

d)

Limpe todos os códigos de falha e teste

o veículo para verificar se todos os problemas do sistema foram reparados.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

a)

Verificar a leitura do nível de ureia no

painel do veículo;

b) A leitura deve indicar tanque vazio;

c) Se a leitura estiver significativamente

acima de vazio, verificar fisicamente o nível

Emissão de NOx excedida devido ao

tanque de ureia estar vazio

Limites de NOx pós- catalisador excedidos devido ao tanque de ureia estar vazio.

no

tanque;

d)

Se a leitura indicar vazio ou próximo de

4096/31

vazio, encher o tanque com ureia certificada e verificar se a falha foi limpa do sistema de dosagem do SCR.

 
   

e)

Se o nível visualizado no Cluster do

veículo não corresponder ao procedimento, verifique o circuito do tanque de ureia para a falha SPN 1761 /

FMI 03.

     

a)

Inspecionar o injetor da ureia quanto a

danos, conexões soltas, etc.;

O

circuito do injetor

b)

Se o conector elétrico estiver solto,

de ureia foi

encaixar o conector;

4331/03

diagnosticado como em curto com a

Injetor em curto com a bateria.

c) Se o injetor estiver danificado, substituir

 

o

injetor;

bateria

d)

Se não houver dano visível, verifique o

circuito:

1- Verifique a resistência da bobina do injetor, através de seus pinos. A leitura

     

O

circuito do injetor

correta está entre 4 e 12 . Se esta não for

de ureia foi

Injetor em curto com o terra.

 

leitura, troque o injetor.

4331/04

a

2- Verifique a resistência da bobina do

 
 

diagnosticado como em curto com o

terra.

 

injetor entre os pinos A30 e A13 do

conector da DCU, Se a leitura não for próxima a da resistência do injetor, teste a continuidade do chicote.

     

e)

Se um fio estiver danificado, reparar o

fio;

Circuito do injetor de

f) Verificar chicote elétrico dos pinos A01, A30 e A13 do conector da DCU quanto a

4331/05

Circuito do injetor de ureia aberto.

curto circuito com a alimentação da bateria (pino A02), ignição (A26) ou terra (A31); reparar o chicote caso seja encontrado curto circuito. g) Se não houver curto circuito neste chicote e o problema persistir, troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

 

ureia detectado como aberto

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

a)

Inspecionar o injetor e linhas de ureia

quanto

 

a

danos,

conexões

soltas,

Alto consumo de

A

nível deduzido de ureia e o nível medido está acima do limite aceitável.

diferença entre o

estrangulamentos, etc.;

 

4331/16

ureia pelo injetor detectado

b)

Se

o

conector

elétrico

estiver

solto,

encaixar o conector;

 
 
   

c)

Se um fio estiver danificado, reparar o

fio;

 
     

d)

Se o injetor estiver danificado, substituir

o injetor;

 

e)

Se não houver dano ou vazamento

A

diferença entre o

visível, retire o injetor do escapamento para diagnóstico: Remover o injetor da exaustão, mas não desconectar as linhas de ureia ou o conector elétrico. Com o veículo funcionando em marcha lenta:

Baixo consumo de

nível deduzido de

4331/18

ureia pelo injetor detectado

ureia e o nível medido está acima do limiar.

1- monitorar o gotejamento de ureia no orifício: Se houver mais de 5 gotejamentos em um período de 3 minutos, substituir o injetor.

 
   

2- desconectar eletricamente o injetor e com o auxilio de pequenos terminais elétricos, aplicar a tensão da bateria no injetor para induzir sua abertura (não há polaridade). Se não houver injeção (agulha travada ou entupimento), substituir o injetor.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

 

Tensão no sensor de pressão da ureia acima do limiar

Tensão no sensor de pressão da ureia acima de 4,75 V.

a)

Verifique a continuidade do chicote do pino

A25 ao B09 e A40 ao B10 entre conector da

4334/03

DCU e da caixa da DCU. Se for encontrado algum problema, verifique o chicote.

 
     

b)

Com a ignição ligada, DCU conectada e o

motor desligado, desconecte o conector da caixa da DCU para isolar o sensor de pressão de ureia e meça a tensão entre os pinos 9 (+) e 10

(-) deste conector. Se a leitura estiver entre 4,8

Tensão no sensor de

Tensão no sensor de pressão da ureia abaixo de 0,25 V.

5,1V, o problema está no sensor de pressão, troque-o.

e

4334/04

c)

Se a leitura não estiver correta, tente

 

pressão da ureia abaixo do limiar

desconectar o sensor de temperatura pré- catalisador ou mesmo o sensor do tanque de ureia para verificar se estes circuitos estão causando a falha. Caso isto não resolva o

 

problema, troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

     

a)

Verificar se há linhas de ureia retorcidas,

estranguladas ou danificadas;

b)

Se alguma linha estiver retorcida ou

Pressão alta no

Pressão do sistema

amassada, remover a torção ou o

estrangulamento;

4334/16

monitor da pressão de dosagem

maior do que a prevista.

c) Se alguma linha estiver danificada, substituir

 
 

a linha;

   

d)

Verificar se o Injetor encontra-se obstruído.

e) Se o problema persistir, diagnosticar o injetor para SPN 4334 / FMI 20.

   

Pressão do sistema menor do que a prevista.

ANTENÇÃO: antes de iniciar este diagnóstico, verifique se a falha SPN/FMI 4334/20 ou 4334/20 está presente. Se este for o caso, execute primeiramente as ações daqueles códigos de falha, pois é possível que o problema seja o sensor de pressão de reagente.

Pressão baixa no

a)

Verificar se o nível de ureia está acima de

4334/18

monitor da pressão de dosagem

Pode também ser causada por baixo nível no tanque de ureia.

10% e a condição da linha de ureia que vai do tanque até a caixa da DCU quanto a pontos retorcidos, de estrangulamento ou danos,

 
 

removendo-os.

 

b)

Se a linha estiver danificada, fazer o

seguinte:

1- Remover a linha da entrada da caixa da DCU. 2- Soprar ar através da linha até o tanque para

verificar se a linha e a unidade de envio de

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

ureia não estão obstruídas (tente eliminar o bloqueio com ar comprimido). 3- Se isso não funcionar, seguir o procedimento de serviço na linha de ureia ou serviços no conjunto da unidade de envio de ureia para substituir o componente obstruído.

d)

Usando um multímetro, verificar pressão da

ureia e ciclo de trabalho (duty cycle) da bomba do reagente para motor ligado em marcha lenta:

FERRAMENTA DE DIAGNÓSTICO: se o ciclo de trabalho estiver perto ou a 90% e for verificada pressão abaixo de 2,0 bar (29 psi), substituir o filtro ureia. MULTIMETRO (que meça %DUTY) ATENÇÃO:

tome cuidado para não danificar as vedações do conector. Sem retirar o conector B da caixa da DCU, introduza um arame para medir o ciclo de trabalho nos pinos B03 (+) e B04 (-), se

estiver perto ou a 90% e for verificado sinal de pressão abaixo de 1,2 volts entre pinos B11(+) e B10 (-), substituir o filtro ureia.

e)

caso o problema persista ou após algum

tempo o veículo volte a apresentar a falha 4334/18 ou 5435/07 ou 5435/05 troque a bomba de ARLA 32, pois esta pode ter sido danificada.

     

a) Verificar a leitura do sensor de pressão com a bomba de ureia desligada. Você pode verificar esta leitura em volts usando um Multímetro ou uma ferramenta de diagnóstico:

Detectado desvio na leitura do sensor de pressão de ureia ou esta permanece com valor fixo dentro da escala.

1-Remova e introduza após 10 segundos o

Leitura do sensor de pressão de ureia desviada para baixo,

para cima ou emperrada.

fusível que alimenta o módulo da DCU e ligue

a ignição (com o motor desligado).

4334/20

- FERRAMENTA DE DIAGNÓSTICO: certifique-se

4334/21

de que o ciclo de trabalho da bomba dosadora é 0% (se não for, repita o procedimento de retirada do fusível). A leitura de pressão de

 
 

ARLA 32 deve estar entre -0,3 e 0,3 Bar (±5 psi).

 

-

MULTIMETRO, ATENÇÃO: tome cuidado para

não danificar as vedações do conector. A bomba de ureia deve estar parada (caixa em silencio) devido ao procedimento de retirada colocação do fusível. Sem retirar o conector B

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

da caixa da DCU, introduza um arame para medir o sinal de pressão entre pinos B11(+) e B10 (-), que deve estar entre 0,35 e 0,65 volts.

Se o sinal não estiver entre não estiver 0,35 e 0,65 volts ou ±0,3 bar (±5 psi) e não estiverem presente as falhas 4334/03 ou 4334/04, efetue a troca do sensor.

 

O

circuito do

   

elemento de aquecimento da caixa da DCU foi detectado como em curto com a bateria.

Aquecedor da caixa da DCU em curto com a bateria.

4357/03

 
 

O

circuito do

 

elemento de aquecimento da caixa da DCU foi detectado como em curto com o terra.

Aquecedor da caixa da DCU em curto com o terra.

Diagnosticar da manta de aquecimento: A

leitura entre os pinos B01 e B02 da caixa da DCU deve estar 2 a 4 . Se não for, troque a caixa da DCU (não é preciso trocar o módulo da DCU) b) Verifique também se a leitura entre os pinos A30 e A11 da DCU é similar, pois pode haver um problema no chicote do veículo.

a)

4357/04

 
 

Circuito aberto no aquecedor da caixa da DCU detectado

Circuito aberto do elemento de aquecimento da caixa da DCU.

4357/05

 
 
 

Falha funcional do aquecedor da caixa da DCU

Falha funcional do elemento de aquecimento da caixa da DCU detectada.

4357/07

 
     

a)

Inspecionar o sistema de exaustão quanto à

tubulação e conexões quebradas, ou o outro dano;

4792/31

Falta de catalisador no SCR detectada

Catalisador do SCR não está presente.

b)

Se for encontrado algum dano, substituir o

     

catalisador do SCR conforme as especificações do veículo.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

     

a)

Verificar o sistema de exaustão quanto a

vazamentos, qualidade de ARLA 32, etc.;

b)

Se não for encontrado nenhum problema,

faça o seguinte:

Detectada baixa eficiência de conversão de NOx no sistema SCR

Baixa eficiência de

1- Determinar se há outros códigos de falha e reparar os problemas associados; 2- Verificar necessidade do processo de desulfurização, segundo boletim de serviço próprio para este procedimento. 3- Limpar os códigos; 4- Funcionar o veículo para verificar se todos os problemas do sistema foram resolvidos.

4892/31

 

conversão de NOx no sistema SCR.

   

Bomba de ureia em curto com a bateria.

 

5435/03

Curto-circuito na alimentação da bomba de ureia

IMPORTANTE: Ao diagnosticar este tipo de falha, certifique-se que os conectores da DCU e da caixa da DCU estão devidamente encaixados e travados, antes e após as verificações.

5435/04

   
 

O

circuito da bomba

 
 

Condutor da

 

5435/05

de ureia foi detectado como

bomba aberto.

a)

Meça a resistência entre os pinos B03 e B04

 

aberto

do conector da DCU, deve estar entre 2,4 e 13 Ω (dependendo da posição das escovas). Se a leitura não estiver correta:

 

O

circuito da bomba

 

de ureia foi

Condutor da bomba em curto- circuito.

5435/07

 

detectado como em

1- Abra a caixa da DCU e verifique o chicote interno que alimenta a bomba; 2- Meça a resistência entre os pinos do conector da bomba; 3- Se o resultado não estiver correto, aplique provisoriamente a tensão da bateria nos terminais deste conector, para observar se a

 

curto-circuito

     

bomba liga, e meça novamente a resistência entre os pinos. 4- Se não houver mudança, troque a bomba.

Falha funcional da bomba de ureia

b) Verifique também se a leitura entre os pinos

5435/07

Falha funcional da bomba de ureia.

A07 e A08 do conector da DCU esta entre 2,4 e 13 Ω, do contrário, pode haver um problema no chicote do veículo.

 

detectada

c)

Se a bomba gira, mas o diagnóstico é

reativado, é possível que uma obstrução do filtro, da linha do tanque a caixa da DCU ou mesmo um sensor de pressão defeituoso tenha

causado a falsa detecção da falha de bomba, consulte diagnóstico para falhas SPN/FMI 4334/18 e 4334/20.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

3. COMBINAÇÃO DE CÓDIGOS DE FALHA E POSSÍVEL CAUSA

Considerando as taxas de falha observadas em campo, a tabela seguinte traz um resumo dos códigos de falha que usualmente aparecem combinados e suas respectivas ações.

Lista de falhas mais comuns:

SPN/FMI

DESCRIÇÃO

1761/01

Tanque de ARLA 32 vazio.

1761/18

Tanque de ARLA 32 com nível baixo.

1761/04

Circuito aberto no sensor de nível da ureia.

4331/04

Injetor em curto com o terra.

4334/16

Pressão de ARLA 32 acima do limite.

4334/18

Pressão de ARLA 32 abaixo do limite.

4334/20

Leitura do sensor de pressão desviado para cima.

4334/21

Leitura do sensor de pressão desviado para baixo.

4349/19

Falta de comunicação com a DCU.

5435/05

Circuito aberto na bomba de ARLA 32.

5435/07

Falha funcional da bomba de ARLA 32.

Primeira falha sempre presente; demais podem ocorrer ou não:

SPN/FMI

Possível causa

 

Ações

4349/19

Módulo da DCU está

 

+

queimado e não se comunica com o veículo.

a) Execute o diagnóstico e ações para SPN / FMI 0639/04.

1761/09

4331/04

Falta de alimentação do pino 30 do conector da

a)

Certifique-se que o chicote que parte do pino 30 não está em curto com o chassi do veículo. Se não houver curto circuito neste chicote, troque o módulo da DCU (não é necessário trocar a caixa da DCU).

+

DCU. Este pino alimenta o circuito do injetor de ureia e do tanque de ureia, causando a falha associada a esses componentes.

1761/08

ou

1761/04

b) Caso não seja resolvido, consulte as falhas individuais no capítulo anterior.

4334/20

   

+

Sensor de pressão de ureia com defeito tem leitura fixa entre 0,6 e 4,75 V, causando falsa detecção de problema na bomba ou filtro de ureia.

4334/16

4334/18

a) inicie o diagnóstico para SPN 4334/20.

5435/07

b) Caso não seja resolvido o problema, consulte as falhas individuais para bomba e filtro de ureia na tabela anterior.

4334/21

Sensor de pressão de ureia

+

com defeito tem leitura fixa entre 0,4 e 0,25 V, causando falsa detecção de problema na bomba ou filtro de ureia.

4334/18

 

5435/07

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

1761/01

Nível do tanque de ureia abaixo do mínimo (vazio)

a) Verificar a leitura do nível de ureia no painel do veículo. -Se estiver marcando vazio, adicionar ALRA 32 certificada ao tanque de ureia. - Se não houver variação na leitura do nível, diagnosticar o sensor de nível: 0,5 V para vazio e 4,5V para cheio entre fios Amarelo (+) e Preto (terra) no conector do tanque, o sensor de nível pode estar avariado.

b) Caso não seja resolvido, consulte as falhas individuais no capítulo anterior.

+

causou falha na pressurização do sistema, levando a falsa diagnose da bomba de ureia.

5435/07

4334/18

5435/05

 
 

Filtro de ureia entupido. Pode ser consequência de fluido incorreto no tanque de ureia (diesel / água) ou ARLA 32 de baixa qualidade.

a)

Inicie o diagnóstico para SPN 3364/01.

4334/18

 

+

 

b) Se não for constatado o reagente incorreto execute a análise para 4334/18.

5435/07

ou

IMPORTANTE: É possível que o sensor de nível do ALRA32 esteja defeituoso, causando o mesmo efeito do item acima.

 

5435/05

c) Caso não seja resolvido o problema, consulte as falhas para 5435/07.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

4. PROCEDIMENTOS DE SERVIÇO

A seguir constam os passos para efetuar a abertura da caixa da DCU para executar os serviços em seus componentes internos.

NOTA: Abrir a caixa da DCU SOMENTE se for necessária a troca de componentes.

4.0 Retirando / instalando a caixa da DCU no veículo

NOTA: Antes de retirar a caixa da DCU, desligue a chave de ignição do veículo (ou mesmo a alimentação da bateria) e retire os conectores do módulo e da caixa da DCU.

A caixa da DCU é fixada em sua posição de montagem com quatro parafusos M10. Há uma flange de plástico com dois furos de montagem de cada lado da caixa da DCU:

com dois furos de montagem de cada lado da caixa da DCU: Use parafusos, arruelas de

Use parafusos, arruelas de pressão e porcas ou porcas auto-travantes (conforme a figura) para assegurar-se de que os parafusos não se soltem e vibrem com o tempo.

NOTA: O torque de aperto desses parafusos é de 10 a 12 Nm.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

4.1 Abrindo e fechando a caixa da DCU

Passo 1 Usando uma chave Philips, solte os 4 parafusos indicados abaixo:

uma chave Philips, solte os 4 parafusos indicados abaixo: Passo 2 – Os componentes são envolvidos

Passo 2 Os componentes são envolvidos pela manta de aquecimento. Descobrir a manta para ter acesso aos componentes. A figura abaixo mostra a manta antes e depois de ser desdobrada, respectivamente:

a manta antes e depois de ser desdobrada, respectivamente: Passo 3 – Realizar a troca do

Passo 3 Realizar a troca do componente conforme indicam os próximos passos;

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 4 Dobrar a manta aquecida sobre o sensor de pressão (A), bomba (B), linha (C) e filtro de ureia (D) na sequência mostrada abaixo, tomando cuidado para não danificar a manta:

abaixo, tomando cuidado para não danificar a manta: Passo 5 – Colocar a tampa na posição

Passo 5 Colocar a tampa na posição correta, aplicar 2 gotas de trava rosca LOCTITE 242 em cada um dos 4 parafusos da tampa e apertar na sequência mostrada abaixo:

parafusos da tampa e apertar na sequência mostrada abaixo: NOTA: Certificar-se de aplicar de 10,5 a

NOTA: Certificar-se de aplicar de 10,5 a 11,5 Nm de torque nos parafusos, para garantir a vedação da tampa da caixa da DCU.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 6 Instale o conector da DCU.

4.2 Troca do Filtro de ARLA 32

Passo 1 Siga as instruções de abertura da caixa da DCU (seção 4.1);

Passo 2 Pressionar as travas transparentes e retirar o engate rápido da parte de cima do filtro:

e retirar o engate rápido da parte de cima do filtro: Passo 3 – Desconectar a

Passo 3 Desconectar a linha de ureia do conector da parte de baixo do filtro:

a linha de ureia do conector da parte de baixo do filtro: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO &
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 4 Puxar para cima o filtro através do anel de borracha na parte de baixo da caixa;

Passo 5 Introduzir o filtro novo na abertura através do anel de borracha na parte de baixo da caixa. Certificar-se de que o anel permanece assentado durante a instalação;

Passo 6 Conectar as linhas de ureia ao filtro e à entrada da caixa da DCU:

as linhas de ureia ao filtro e à entrada da caixa da DCU: Passo 7 –

Passo 7 Siga as instruções de fechamento da caixa da DCU (seção 4.1).

4.3 Troca da bomba de ARLA 32

Passo 1 Siga as instruções de abertura da caixa da DCU (seção 4.1);

Passo 2 Pressionar as travas transparentes e retirar os engates rápidos das linhas de ureia indicados abaixo:

os engates rápidos das linhas de ureia indicados abaixo: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 3 Retirar o conector elétrico, mostrado em verde, e desprender o conector da bomba da caixa da DCU (pode estar encaixado ou colado com uma fita dupla face). Tome cuidado para retirar o fio que passa por baixo da manta aquecida:

para retirar o fio que passa por baixo da manta aquecida: Passo 4 – Remova a

Passo 4 Remova a bomba de ureia;

Passo 5 Instale a nova bomba e certifique-se de que ela está encaixada em seus suportes, circulados em vermelho abaixo:

encaixada em seus suportes, circulados em vermelho abaixo: Passo 6 – Cole o conector elétrico na

Passo 6 Cole o conector elétrico na caixa usando a fita dupla face que acompanha a nova bomba de ureia;

Passo 7 Encaixe o conector elétrico. Certifique-se de que está completamente encaixado;

Passo 8 Conecte os engates rápidos do filtro e do sensor de pressão de ureia;

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 9 Siga as instruções de fechamento da caixa da DCU (seção 4.1).

4.4 Troca do sensor de pressão de ARLA 32

Passo 1 Siga as instruções de abertura da caixa da DCU (seção 4.1);

Passo 2 Verificar visualmente se o sensor da caixa da DCU é do tipo A ou do tipo B, conforme a figura abaixo. Para tipo A, vá para o passo 8. Para o tipo B, é necessário trocar o chicote interno da caixa da DCU, pois o conector do novo sensor será diferente:

da DCU, pois o conector do novo sensor será diferente: Passo 3 – Desconectar eletricamente o

Passo 3 Desconectar eletricamente o sensor de pressão, manta aquecida e bomba de ureia;

Passo 4 Remover os 2 parafusos que prendem o conector da caixa da DCU, com uso de uma chave Torx 25:

o conector da caixa da DCU, com uso de uma chave Torx 25: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 5 Remover com cuidado o chicote interno da caixa da DCU, para não danificar a manta aquecida:

da caixa da DCU, para não danificar a manta aquecida: Passo 6 – Instalar o novo

Passo 6 Instalar o novo chicote na caixa da DCU, fixando os parafusos com um torque de 1,7 N.m a 1,9 N.m. Certificar-se de que a junta de vedação interna deste conector esteja no lugar:

a junta de vedação interna deste conector esteja no lugar: Passo 7 – Instalar os conectores

Passo 7 Instalar os conectores elétricos da manta aquecida e da bomba de ureia utilizando a fita dupla face que os acompanham para fixar na caixa;

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 8 Levantar o sensor do encaixe e puxar para fora através do anel de borracha na parte de baixo da caixa;

Passo 9 Pressionar a trava transparente e retirar o engate rápido da linha de ureia no sensor de pressão:

o engate rápido da linha de ureia no sensor de pressão: Passo 10 – Encaixar o
o engate rápido da linha de ureia no sensor de pressão: Passo 10 – Encaixar o

Passo 10 Encaixar o engate rápido da linha de ureia e o conector elétrico do novo sensor:

da linha de ureia e o conector elétrico do novo sensor: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 11 Colocar o novo sensor através do anel de borracha, encaixando-o na caixa da DCU:

através do anel de borracha, encaixando-o na caixa da DCU: Passo 12 – Seguir as instruções

Passo 12 Seguir as instruções de fechamento da caixa da DCU (seção 4.1).

4.5 Troca do Injetor de ARLA 32

Passo 1 Pressionar as travas para liberar os conectores das linhas de ureia do injetor:

para liberar os conectores das linhas de ureia do injetor: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 2 Soltar o conector elétrico do injetor:

016/14 Passo 2 – Soltar o conector elétrico do injetor: Passo 3 – Soltar a porca

Passo 3 Soltar a porca da abraçadeira em V:

injetor: Passo 3 – Soltar a porca da abraçadeira em V: Passo 4 – Soltar a

Passo 4 Soltar a trava e afastar a abraçadeira para remover o injetor:

a trava e afastar a abraçadeira para remover o injetor: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

NOTA: Limpar a área da junta antes da instalação. Mesmo para reinstalar um injetor antigo após uma verificação, utilize sempre abraçadeira e junta novas para evitar vazamentos de ureia no escapamento.

Passo 5 Colocar uma JUNTA NOVA sobre o flange de montagem, certificando-se de que fique alinhada:

o flange de montagem, certificando-se de que fique alinhada: Passo 6 – Colocar o injetor sobre

Passo 6 Colocar o injetor sobre a junta, alinhando as bordas:

– Colocar o injetor sobre a junta, alinhando as bordas: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Passo 7 Colocar a abraçadeira utilizando a trava:

Passo 7 – Colocar a abraçadeira utilizando a trava: Passo 8 – Posicionar a entrada do

Passo 8 Posicionar a entrada do injetor e o fechamento da abraçadeira conforme a figura abaixo:

e o fechamento da abraçadeira conforme a figura abaixo: Passo 9 – Apertar o parafuso até

Passo 9 Apertar o parafuso até que o torque seja de 6 a 8 N.m. Bater levemente na parte externa da abraçadeira em torno do injetor durante o aperto para que a abraçadeira se ajuste em torno da circunferência total:

a abraçadeira se ajuste em torno da circunferência total: NAVISTAR MERCOSUL TREINAMENTO & LITERATURA PÁG.
Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

4.6 Troca do Módulo da DCU

Passo 1 Desligar a chave de ignição;

Passo 2 Retirar o conector do Módulo da DCU:

Passo 2 – Retirar o conector do Módulo da DCU: Passo 3 – Usando uma chave

Passo 3 Usando uma chave Torx, retire os 4 parafusos que seguram o módulo;

Passo 4 Posicione o novo módulo;

Passo 5 Aplicar 2 gotas de trava rosca LOCTITE 242 em cada um dos 4 parafusos e apertar (torque de 5 a 7 N.m) na sequência mostrada abaixo:

apertar (torque de 5 a 7 N.m) na sequência mostrada abaixo: Passo 6 – Instalar e

Passo 6 Instalar e travar o conector do módulo.

Boletim de Serviço 016/14

Boletim de Serviço

016/14

Observações:

O conteúdo deste boletim foi desenvolvido de modo a refletir a realidade da melhor forma possível no momento de sua publicação. A INTERNATIONAL se reserva o direito de modificar ou substituir seu conteúdo sem aviso prévio. Para outros procedimentos não relacionados neste boletim, consultar o respectivo Manual de Serviço. Utilize somente peças genuínas INTERNATIONAL. Este Boletim de Serviço serve apenas como informação técnica e não poderá ser utilizado como instrumento de reclamação ou garantia. Este boletim estará publicado também como Article no iKnow. Em caso de dúvidas, contate (11) 3882-3638.

ou garantia. Este boletim estará publicado também como Article no iKnow. Em caso de dúvidas, contate
ou garantia. Este boletim estará publicado também como Article no iKnow. Em caso de dúvidas, contate
ou garantia. Este boletim estará publicado também como Article no iKnow. Em caso de dúvidas, contate
ou garantia. Este boletim estará publicado também como Article no iKnow. Em caso de dúvidas, contate
ou garantia. Este boletim estará publicado também como Article no iKnow. Em caso de dúvidas, contate