Você está na página 1de 35

ONDAS

REFLEXÃO E REFRAÇÃO DE ONDAS


SUPERPOSIÇÃO DE ONDAS

ONDAS ESTACIONÁRIAS

Prof°. Camila
Cursinho ATHO-RC
REFLEXÃO DE ONDAS
 Toda onda quando se depara com um obstáculo
irá continuar sua propagação, porém em sentido
contrário e com a mesma intensidade. Isso ocorre
devido à lei da Ação e Reação.

 Um pulso de onda possui energia potencial


elástica e essa energia não pode se perder ao
longo da trajetória, ou seja, ela se conserva pelo
princípio da Conservação de Energia.
REFLEXÃO DE ONDAS
 Quando a extremidade em que a onda se
propaga é fixa,
fixa a reflexão ocorrerá de forma
inversa à normal.
REFLEXÃO DE ONDAS
 Quando a extremidade for móvel ou livre, a
reflexão retorna da mesma forma, sem inversão.
Exemplo de reflexão de ondas
ECO
 Forma-se o eco quando uma onda sonora
encontra uma barreira, ela reflete voltando para o
local de onde veio.
 O som emitido deve ser breve e as ondas sonoras
aproximadamente paralelas à superfície refletora.
 E só há eco quando a distância percorrida pelo
som até o obstáculo é superior a 17 metros, sendo
a velocidade do som no ar de 340 m/s.
REFRAÇÃO DE ONDAS
 Quando uma onda se propaga passando de um meio
para outro, ela sofrerá uma mudança de velocidade e
direção de propagação. Esse fenômeno é chamado
de refração.
 Assim, quando dizemos que uma onda se refratou ao
passar de um meio para outro, queremos dizer que
sua velocidade foi alterada e sua direção sofreu uma
mudança de sentido.
 O comportamento da onda na refração depende da
densidade linear da corda.
REFRAÇÃO DE ONDAS
 DO MEIO MAIS DENSO PARA O MEIO
MENOS DENSO não ocorre inversão de fase
na reflexão nem na refração.
REFRAÇÃO DE ONDAS
 DO MEIO MENOS DENSO PARA O MEIO
MAIS DENSO ocorre inversão de fase na
reflexão, mas não ocorre inversão de fase na
refração.
Densidade linear
 Densidade linear é uma medida de massa por a
unidade de comprimento e é uma característica das
cordas ou de outros objetos unidimensionais.
 No SI a unidade da densidade linear é (kg/m).

m = massa
L = comprimento
Velocidade das ondas na
refração
 A velocidade de propagação de onda depois de
sofrer refração depende de dois principais fatores:
a densidade linear e a força aplicada sobre a
corda.
 A velocidade é dada, em m/s, por:

v = velocidade de propagação
T (ou F) = força de tração
µ = densidade linear
Exercício 1:

 A figura corresponde ao perfil de duas cordas instantes depois


de um pulso, se propagando pela porta B, atingir a junção
delas (J). Se a velocidade do pulso na corda B é 200m/s e a
densidade linear na corda B é de 10g/m, pergunta-se:
a) Qual a velocidade de propagação dos pulsos na corda A?
b) Qual é a tração a que estão submetidas essas cordas?
c) Qual é a densidade linear da corda A?
SUPERPOSIÇÃO DE ONDAS
 A superposição, também chamada interferência em
alguns casos, é o fenômeno que ocorre quando duas
ou mais ondas se encontram, gerando uma onda
resultante igual à soma algébrica das perturbações de
cada onda.

 Imagine uma corda esticada na posição horizontal, ao


serem produzidos pulsos de mesma largura, mas de
diferentes amplitudes, nas pontas da corda, poderá
acontecer uma superposição de duas formas:
SITUAÇÃO 1:
Os pulsos são dados em fase.

No momento em que os pulsos se encontram, suas elongações em cada ponto da


corda se somam algebricamente, sendo sua amplitude (elongação máxima) a soma
das duas amplitudes:
Numericamente temos:

 Após este encontro, cada um segue na sua direção inicial, com


suas características iniciais conservadas.

Este tipo de superposição é chamado interferência


construtiva, já que a superposição faz com que a amplitude
seja momentaneamente aumentada em módulo.
SITUAÇÃO 2: Os pulsos são dados em
oposição de fase.

Novamente, ao se encontrarem as ondas, suas amplitudes serão


somadas,mas podemos observar que o sentido da onda de
amplitude é negativo em relação ao eixo vertical, portanto <0.
Logo, o pulso resultante terá amplitude igual a diferença entre as
duas amplitudes:
Numericamente temos:
 Sendo que o sinal negativo está ligado à amplitude e
elongação da onda no sentido negativo.
 Após o encontro, cada um segue na sua direção inicial,
com suas características iniciais conservadas.

Este tipo de superposição é chamado interferência


destrutiva, já que a superposição faz com que a amplitude
seja momentaneamente reduzida em módulo.
SUPERPOSIÇÃO DE ONDAS
PERIÓDICAS
 A superposição de duas ondas periódicas
ocorre de maneira análoga à superposição de
pulsos.

 Causando uma onda resultante, com pontos de


elongação equivalentes à soma algébrica dos
pontos das ondas sobrepostas.
 A figura acima mostra a sobreposição de duas ondas com
períodos iguais e amplitudes diferentes (I e II), que, ao
serem sobrepostas, resultam em uma onda com
amplitude equivalente às duas ondas (III). Este é um
exemplo de interferência construtiva.
 Já este outro exemplo, mostra uma interferência destrutiva de
duas ondas com mesma freqüência e mesma amplitude, mas
em oposição de fase (I e II) que ao serem sobrepostas
resultam em uma onda com amplitude nula (III).
Exemplos de ondas
sobrepostas
 Os principais exemplos de ondas sobrepostas são
os fenômenos ondulatórios de batimento e ondas
estacionárias.

 Ondas de Batimento
Ocorre quando duas ondas periódicas de
freqüência diferente e mesma amplitude são
sobrepostas, resultando em uma onda com
variadas amplitudes dependentes do soma de
amplitudes em cada crista resultante.
Ondas de Batimento

 É um fenômeno bastante conhecido pelos músicos


que afinam seu instrumento musical.

 Enquanto o músico afina seu instrumento, o som das


cordas se combinam formando pulsos que são
combinações de ondas de freqüência muito próximas,
e são eliminados quando se estica ou afrouxa a corda
até que esse fenômeno desapareça (as duas cordas
vibram na mesma freqüência).
ONDAS ESTACIONÁRIAS
 É o fenômeno que ocorre quando são sobrepostas
duas ondas com mesma freqüência, velocidade e
comprimento de onda, na mesma direção, mas em
sentidos opostos.
Forma-se uma onda
estacionária

 A onda é refletida na extremidade fixa de tal forma que, se


propaga numa outra onda, em sentido contrário ao da
primeira. A onda incidente e a refletida sobrepõem-se.
 Há pontos, N, cuja elongação resultante é sempre
nula. Chamam-se nodos ou nós.
 Entre dois nodos consecutivos, os pontos estão
todos na mesma fase de vibração, mas com
diferentes amplitudes. Aos pontos,V, que atingem
a máxima amplitude chamam-se ventres,
antinodos ou antinós.
 Como os nós estão em repouso, não há transporte
de energia por eles.
 A distância entre dois nós consecutivos vale λ/2.
 A distância entre dois ventres consecutivos vale
λ/2.
 A distância entre um nó e um ventre consecutivo
vale λ/4.
Ondas Harmônicas
 Como você já deve ter observado, cordas
esticadas, como no violão, emitem som quando
postas em vibração.

 Isso ocorre porque o ar a sua volta é colocada em


movimento, evidentemente, a frequência da onda
sonora é determinada a partir da frequência da
corda, sendo igual a ela.
Modos de vibração

Os modos de vibração
da corda, ocorrem em
virtude da superposição
das ondas incidentes e
refletidas nas
extremidades fixas A e
B da corda.
Modos de vibração

 Em (a) ela está vibrando


com a menor frequência
possível.
 Esta frequência f1 é
denominada frequência
fundamental.
 E o modo de vibração
em (a) é chamado de
1°harmônico.
Modos de vibração

 Em (b) temos o
2°harmônico .

 Em (c) temos o
3°harmônico , e assim
sucessivamente.
O comprimento de onda e a
frequência em uma onda harmônica
Sendo λn o comprimento de onda correspondente
ao n-harmônico, temos:

Sendo n o número de
harmônicos

E temos a frequência fn dada por:


Com as equações
anteriores podemos
concluir que:
f2 = 2.f1
f3 = 3.f1
Concluímos que:

fn = n.f1

Sendo n o número de harmônicos


Exercício 1:
 Uma corda homogênea esticada com tração
constante presa às extremidades, distantes 0,60m.

a) Faça um esboço dos três primeiros modos de vibração


possíveis nessa corda (n= 1, 2 e 3)
b) Determine os comprimentos de onda correspondentes a
cada modo de vibração.
c) Sabendo que a velocidade de propagação de onda nessa
corda é 48m/s, determine as freqüências correspondentes
a cada modo de vibração.
Exercício 2:
 (VUNESP-SP) a figura representa uma configuração de ondas
estacionárias em uma corda homogênea fixa sob tração
constante entre os ponto A e B distantes 0,80m.

Determine:
a) O comprimento de onda dessa configuração.
b) A velocidade das ondas nessa corda sabendo que a frequência
correspondente a essa configuração é de 200Hz.
c) A frequência fundamental dessa corda.