P. 1
Guia de Medicamentos Genéricos

Guia de Medicamentos Genéricos

4.77

|Views: 14.114|Likes:
Publicado poreniehy

More info:

Published by: eniehy on Jul 10, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/15/2012

pdf

text

original

Medicamentos GenŽricos 15.10.01 15:09 Page 21

BROMAZEPAM

Ref. LEXOTAM

FORMA(S) FARMACÊUTICA(S)

Comprimido - 6mg

INDICAÇÕES

Distúrbios emocionais, tensão nervosa, ansiedade, agitação, insônia. Humor depressivo. Distúrbios
cardiovasculares, respiratórios e gastrointestinais associados à tensão nervosa como: precordialgia
atípica, taquicardia, hipertensão psicogênica, dispnéia, hiperventilação, colite ulcerativa, epigastralgia,
espasmos, distensão abdominal e diarréia. Outros distúrbios psicossomáticos: cefaléia e dermatoses
psicogênicas.

POSOLOGIA

A dose usual é de 1,5mg a 3mg VO, até 3 vezes ao dia. Em casos graves, 6 a 12mg VO, 2 a 3 vezes ao dia.

CONTRA-INDICAÇÕES

Pacientes com hipersensibilidade aos benzodiazepínicos ou qualquer componente do produto.
Lactação. Glaucoma de ângulo fechado. Primeiro trimestre da gravidez.

EFEITOS ADVERSOS

Agitação, irritabilidade, pesadelos, sonolência, astenia, adinamia. Boca seca. Relaxamento muscular.

INTERAÇÕES

Pode ter seu efeito intensificado pelo álcool, neurolépticos, tranqüilizantes, antidepressivos,
hipnóticos, analgésicos e anestésicos.
Pode ter sua ação diminuída pela carbamazepina.
Pode aumentar os riscos de depressão respiratória com clozapina.
Pode diminuir o efeito terapêutico da levodopa.
Não é recomendado seu uso concomitante com zidovudina, dissulfiram, eritromicina, rifampicina,
isoniazida e contraceptivos orais contendo estrógenos.

PRECAUÇÕES

Gravidez. Amamentação. Idosos. Apnéia do sono. Depressão. Psicoses.
Pacientes com miastenia grave, disfunção renal e hepática, doenças cardíacas, insuficiência
respiratória.
Não dirigir ou operar máquinas durante o tratamento, principalmente nas primeiras 6 horas após a
ingestão do bromazepam.
Em crianças a segurança e eficácia ansiolíticas não estão bem comprovadas.
Tratamento prolongado com mulheres com risco de engravidar.
Nos casos de intoxicações graves por benzodiazepínicos (com sedação grave ou coma), recomenda-
se o uso de antagonista específico, flumazenil, na dose inicial de 0,3mg EV, com incremento de 0,3mg
até reversão do coma.

Medicamentos GenŽricos 15.10.01 15:09 Page 22

DIAZEPAM

Ref. VALIUM

FORMA(S) FARMACÊUTICA(S)

Solução injetável - 5mg/ml
Comprimido - 5mg e 10mg

INDICAÇÕES

Tratamento da ansiedade. Relaxante muscular. Alívio sintomático da abstinência alcoólica aguda.
Anticonvulsivante e pré-anestésico, quando usado por via endovenosa. Sedativo em endoscopia,
cardioversão e procedimentos cirúrgicos menores.

POSOLOGIA

Adultos: 5mg a 20mg/dia VO, IM ou IV.
Crianças (sedativo, relaxante muscular ou como ansiolítico): 0,12 a 0,80mg/kg/dia VO, de 6/6h ou 8/8h.
Crianças (estado epiléptico) entre 30 dias e 5 anos: 0,05 a 0,30mg/kg/dose IV (durante 2 a 3 minutos).
Pode ser repetido conforme a resposta terapêutica, não ultrapassando 5mg/dia. Em crianças maiores
de 5 anos a dose máxima é de 10mg/dia.

CONTRA-INDICAÇÕES

Miastenia grave. Depressão respiratória. Glaucoma. Hipertrofia prostática. Obstrução pilórica e
estados depressivos graves.

EFEITOS ADVERSOS

Sonolência, alterações da memória, confusão, cefaléia, visão turva, fadiga e tonturas. Boca seca,
constipação, diarréia, náusea, vômito, mal-estar epigástrico e alterações do apetite. Mialgia, tremores,
cãibras. Efeitos paradoxais como agitação, insônia, ansiedade, depressão e agressividade podem
ocorrer, notadamente em idosos.
Bradicardia, taquicardia, dor torácica, colapso cardiovascular. Depressão respiratória.
Reações de hipersensibilidade. Redução da libido. Diplopia, visão turva.

INTERAÇÕES

Potencializa efeitos de outros depressores do SNC. Associados a opióides, produz depressão grave.
Aumenta o efeito hipotensor de medicamentos anti-hipertensivos.
Anti-histamínicos, álcool, anestésicos e analgésicos opióides potencializam o seu efeito sedativo.
Isoniazida e omeprazol reduzem o metabolismo do diazepam; a rifampicina aumenta.
Associado ao lítio, produz hipotermia acentuada.

PRECAUÇÕES

Só deve ser utilizado em crianças sob rigoroso controle médico. Utilizar doses menores em idosos.
Os pacientes que operam máquinas e veículos devem ser orientados do risco de ocorrerem acidentes.
Potencializa os efeitos do álcool.
Uso prolongado pode ocasionar reações de abstinência e dependência, razão pela qual a suspensão
da droga deve ser gradual.
Usar com cautela em gestantes e durante amamentação.

Medicamentos GenŽricos 15.10.01 15:09 Page 23

LORAZEPAM

Ref. LORAX

FORMA(S) FARMACÊUTICA(S)

Comprimido - 1mg e 2mg

INDICAÇÕES

Tratamento da ansiedade. Insônia. Sedação. Pré-operatório.

POSOLOGIA

A dose média para tratamento da ansiedade é 1mg a 4mg/dia VO, em dose única ou dividida.
Idosos ou debilitados: 1 ou 2mg/dia VO, em dose única ou dividida.
Pré-operatório: 2 a 4mg VO, na noite anterior à cirurgia, e/ou 1 a 2 horas antes do procedimento
cirúrgico.

CONTRA-INDICAÇÕES

Pacientes com hipersensibilidade conhecida aos benzodiazepínicos. Glaucoma agudo de ângulo
estreito. Hipotensão severa. Não deve ser utilizado em pacientes com depressão do sistema nervoso
central. Criança menor de 12 anos de idade.

EFEITOS ADVERSOS

Sonolência, tonturas, ataxia, alterações da memória e da fala, confusão, cefaléia, fadiga. Diplopia,
visão turva. Boca seca, constipação, diarréia, náusea, vômito e alterações do apetite. Efeitos
paradoxais como agitação, insônia, ansiedade, depressão e agressividade podem ocorrer,
notadamente em idosos. Taquicardia e dor torácica. Depressão respiratória. Hiperventilação.
Congestão nasal. Discrasias sangüíneas. Elevação das enzimas hepáticas. Reações de
hipersensibilidade. Redução da libido.

INTERAÇÕES

Potencializa efeitos de outros depressores do SNC. Associado a opióides, produz depressão grave.
Anti-histamínicos, álcool, anestésicos, analgésicos opióides e relaxantes musculares potencializam o
seu efeito sedativo.
Aumenta o efeito hipotensor de medicamentos anti-hipertensivos.

PRECAUÇÕES

Como os demais benzodiazepínicos, recomendam-se avaliações hematimétricas e testes da função
hepática periódicos nos pacientes sob terapia a longo prazo com o lorazepam.
Os pacientes que operam máquinas e veículos devem ser orientados do risco de ocorrerem acidentes.
Uso prolongado pode ocasionar reações de abstinência e dependência, razão pela qual a suspensão
da droga deve ser gradual.
Usar com cautela em gestantes e durante amamentação.

Medicamentos GenŽricos 15.10.01 15:09 Page 24

25

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->