Antônio Carlos Ferrarezi Gedean Heberton Jonas Gomes Pereira Priscila Antunes Silva Carvalho

RA: RA: RA: RA: RA:

A474BI-9 A68ICC-4 A7141F-1 A36875-2 A56AHG-7

Dilatação Térmica. INTRODUÇÃO
A dilatação que a maioria dos materiais sofre por ação do calor é uma conseqüência do aumento de sua energia interna, que implica em uma maior amplitude das vibrações moleculares e, portanto, um maior distanciamento entre seus constituintes estruturais. Este aumento dimensional é característico de cada material e expresso por um fator que depende da temperatura, denominado coeficiente de dilatação. Esse coeficiente pode referir-se ao volume (coeficiente de dilatação volumétrico), à superfície (coeficiente de dilatação superficial), ou a uma só dimensão (coeficiente de dilatação linear). Os dilatômetros medem a dilatação ou contração de uma amostra diretamente (dilatômetros absolutos) ou com referência a outro material de expansão conhecida (dilatômetros diferenciais). O sistema de medida mais freqüentemente empregado para a determinação da dilatação térmica é o constituído por um suporte de sílica fundida ou alumina, no qual o corpo de provas a ser examinado é alojado. O conjunto é introduzido em um forno tubular e o conjunto é aquecido a uma velocidade controlada de 5 °C/min até uma temperatura máxima escolhida (para vidrados, a temperatura é ligeiramente superior à temperatura de amolecimento TR).

PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS.
• •

Medição do comprimento inicial da barra a ser estudada (L0). Medição da temperatura inicial (T0). encaixe da barra ao relógio comparador de forma a evitar erros na medição ou mesmo perda do experimento por encaixe inadequado.

• Conexão da barra de metal ao equipamente, tomando cuidado para que o

• Adição de água destilada em balão de 250mL.

521.10-2 / 980 . ∆ T = Variação de temperatura (oC) E% (Erro Experimental) = (α Teórico -α Experimental ) x 100 / α Teórico Coeficiente de dilatação do Alumínio: • α =∆ L / L0 ∆ T α = 168. • • Medição da temperatura final do vapor de água (Tf). • Anotaram-se os valores marcados pelo relógio quando deixou de ocorrer variação no ponteiro.22. 68 -> 1. Este valor corresponderá a variação de comprimento.10-5 oC-1 • E% (Erro Experimental) = (α 2.56% Coeficiente de dilatação do Cobre: . L0 = Comprimento inicial da barra (mm).10 -α -5 Experimental ) x 100 / α Teórico E% = (α -α 2. • Observou-se a variação no relógio marcador (responsável pela identificação do fenômeno da dilatação).10 -5 Teórico 2.10-2 mm 115.68 / 66640 -> 2.10-2 mm 125.10-2 mm Os cálculos abaixo foram baseados na seguinte fórmula: α =∆ L / L0 ∆ T α = Coeficiente de dilatação ∆ L = Variação do comprimento da barra (mm).521. Tabela de Resultados Barra Alumínio Cobre Latão L0 (mm) 980 mm 970 mm 990 mm T0 (oC) 25ºC 25ºC 25ºC Tf (oC) 93ºC 93ºC 93ºC ∆L (mm) 168.• Conexão do balão à barra a ser estudada. • Com auxílio de uma manta. aquecimento do balão até a ebulição da água destilada. Calculo dos coeficientes de dilatação correspondente às barra de alumínio.22. latão e cobre.10 -5 ) x 100 / α -> -13.

Sendo assim a dilatação térmica dos sólidos pode ser divida em: Dilatação térmica linear: quando a dilatação é predominante em uma direção.25 / 65960 -> 1.α =∆ L / L0 ∆ T α = 125.Efeito Joule . Carceller e V.88. 68 -> 1.10-5 oC-1 • E% (Erro Experimental) = (α 1. Nos corpos sólidos a dilatação ocorre em todas as direções. ESTEVÂO. ocorrer quando temos um aumento no volume de um corpo que sofre variação na sua temperatura ou. Amorós. quando temos uma diminuição no volume de um corpo também ocorrida por ter sido submetido a uma variação de temperatura.http://www. J. Sanz .895.10 -5 ) x 100 / α -> -16.L.V.708.br/pdf/v02n12/v2n12_1.10 -5 ) x 100 / α -> 9.15 / 67320 -> 1.10 -5 Teórico 1. Dilatação térmica volumétrica: quando a dilatação ocorre em três direções.org.14% CONCLUSÃO Conclui-se que a dilatação térmica pode.62. A.88.895. .10 -5 Teórico 1.efeitojoule.10 -α -5 Experimental ) x 100 / α Teórico E% = (α -α 1. então.ceramicaindustrial.Acesso em 3 de Abril de 2011.708.62.10-2 / 990 .com – Acesso em 3 de Abril de 2011. Vanks . REFERENCIAS J. esta dilatação pode ser predominante em apenas uma direção ou em duas.97% Coeficiente de dilatação do Latão: α =∆ L / L0 ∆ T α = 115.10-2 / 970 . mas.10 -α -5 Experimental ) x 100 / α Teórico E% = (α -α 1. Dilatação térmica superficial: quando a dilatação é predominante em duas direções.pdf .Acordo Esmalte-Suporte (II) Expansão Térmica de Suportes e Esmaltes Cerâmicos – Janeiro/Abril de 2007 http://www. 68 -> 1. Blasco.10-5 oC-1 • E% (Erro Experimental) = (α 1.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful