P. 1
Dinâmica de uma particula

Dinâmica de uma particula

|Views: 125|Likes:
Publicado pormarcelocardoso1989

More info:

Published by: marcelocardoso1989 on Aug 23, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/09/2011

pdf

text

original

Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante

Dinâmica de uma partícula material de massa constante
Introdução Dinâmica É o estudo da relação existente entre o movimento de um corpo e as causas desse movimento. Este movimento é o resultado da interacção com outros corpos que o cercam. As interacções são convenientemente descritas através de um conceito matemático chamado força. Basicamente, o objecto da dinâmica é o estudo da relação entre força e as variações do movimento de um corpo. Partícula material É um corpo de dimensões desprezáveis relativamente à grandeza que se está a estudar. Considera-se a sua massa constante, mpartícula= k.

Quantidade de movimento, momento linear de uma partícula ou momento cinético Define-se quantidade de movimento ou momento linear de uma partícula ou momento cinético, como o produto da sua massa pela sua velocidade.
p = mv

É uma grandeza mais informativa que a velocidade.

Noção de Força de interacção ou de Newton Considere-se uma partícula material de massa m, velocidade v1 no instante t1 e v 2 no instante t2. A variação da sua quantidade de movimento entre estes dois instantes será:
p 2 − p1 = mv 2 − mv1 ⇔ p 2 − p1 = m v 2 − v1

(

)

A variação da quantidade de movimento por unidade de tempo será:
p 2 − p1 v −v ∆p ∆v =m 2 1 ⇔ =m t 2 − t1 ∆t ∆t t 2 − t1

(

)

Admitindo que o intervalo de tempo ∆t tende para zero, virá
lim dv ∆v dp ∆p ⇔ =m = lim m ∆t →0 dt ∆t dt ∆t

∆t →0

Como

dp dv obtemos F = ma = a e fazendo F = dt dt

A grandeza física F é um conceito matemático chamado força de interacção (força da mecânica clássica ou de Newton) e representa a taxa de variação temporal da quantidade de movimento de uma partícula material.
1

Como v = k . . tipicamente enunciada como: Uma partícula livre move-se com velocidade constante. Duas situações são possíveis: . A expressão F = ma traduz a Terceira Lei de Newton. v0 = 0 . isto é. =m dt dt dv = 0 . v = v 0 .Um ponto material com força de interacção nula permanece em repouso ou em movimento uniforme e rectilíneo. dt F =0 e como dv dp . Um observador inercial reconhece que uma partícula é livre se ela não tiver aceleração. v = 0 . que pode enunciar-se do seguinte modo: Se a massa de uma partícula é constante. sem aceleração. Como v = k . logo dt p = mv = k ⇔ v = k . . Lei da inércia ou 1ª lei de Newton Admita-se que dp = 0 . 2 . a força é igual ao produto da massa pela aceleração. logo o corpo estava em repouso e permanece em repouso. também chamada 1ª Lei de Newton ou Primeira Lei da Dinâmica.Um ponto material que não está sujeito a interacções ou em que estas se anulam chama-se partícula livre. Nesse caso.Velocidade inicial constante. . v0 = k .Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Consequências da noção de força: Terceira lei de Newton. A última conclusão traduz a Lei da Inércia.Velocidade inicial nula. dado a massa da partícula ser constante.Uma partícula livre permanece em repouso ou em movimento uniforme e rectilíneo. Conclusões . logo o corpo estava em movimento rectilíneo e uniforme e assim permanece.

sujeitas somente às suas interacções mútuas. A quantidade de movimento total de um sistema isolado de partículas é constante. Designando as massas das partículas A e B por. respectivamente.Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Teorema da conservação da quantidade de movimento de uma partícula. mA e mB. admitindo as massas constantes. permanece constante. Num determinado instante t1. + p i = constante i ou seja. designado por Princípio da conservação da quantidade de movimento e que pode enunciar-se do seguinte modo: A quantidade de movimento total de um sistema composto por duas partículas. Devido a estas interacções as partículas têm velocidade individual variável e movem-se em trajectórias curvas. vindo P = ∑ p i = p 1 + p 2 + . logo a resultante das forças que sobre ele actuam é nula. este princípio pode ser generalizado. a partícula A estará em A2 com velocidade vA2 e a partícula B em B2 com velocidade vB2. vindo P 2 − P1 = 0 ⇔ P 2 = P1 Esta igualdade traduz um dos princípios fundamentais da física. 3 . a partícula A está em A1 com velocidade vA1 e a partícula B está em B1 com velocidade vB1. a quantidade de movimento total do sistema no instante t1 será P 1 = p A1 + p B1 = m A v A1 + m B v B1 e no instante t2 P 2 = p A2 + p B 2 = m A v A2 + mB v B 2 Sendo o sistema isolado não há interacção. Considerando um sistema isolado. No instante t2. Considere-se a seguinte situação ideal: 2 partículas isoladas do universo e unicamente sujeitas ás suas interacções mutuas. composto por um conjunto de partículas.. é igual a zero. ou seja. a variação da quantidade de movimento..

à força sobre a outra – Segunda Lei de Newton ou Lei da acção e reacção. 4 .Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Princípio fundamental da dinâmica ou 2ª lei de Newton Considere-se novamente o sistema isolado constituído por duas partículas. Sendo a quantidade de movimento total constante. vem − ∆ pA = ∆ pB Considerando a variação instantânea e as relações anteriormente estabelecidos. virá − ∆ pA = ∆ pB ⇔ − − ⎛ ∆pA ⎞ ∆ pA ∆ pB ⎟ = lim ∆ p B ⇔ = ⇔ lim ⎜ − ∆t → 0⎜ ⎟ ∆t →0 ∆t ∆t ∆t ⎝ ∆t ⎠ d pA d pB = ⇔ −F A = F B dt dt Quando duas partículas interagem. a força sobre uma partícula é igual em módulo e de sentido contrário. em dois instantes t1 e t2 teremos P 1 = P 2 ⇔ p A1 + p B1 = p A 2 + p B 2 ⇔ p A1 − p A2 = p B 2 − p B1 Designando por ∆ p = p 2 − p 1 a variação da quantidade de movimento entre os instantes t1 e t2.

... + mn m1 y1 + m2 y 2 + ... conclui-se que j r CM = m1 r 1 + m2 r 2 + ... + mn Substituindo na expressão do vector posição e considerando M = m1 + m2 + . yCM e zCM são dadas por: xCM = y CM = z CM = m1 x1 + m2 x 2 + ... + mn z n ˆ î+ 1 1 j+ k⇔ M M M 1 ˆ ˆ ˆ = m1 x1î + y1 ˆ + z1 k + m2 x 2 î + y 2 ˆ + z 2 k + .Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Teorema do Centro de Massa Posição do centro de massa Por definição. m1 + m2 + .mn = ∑ mi i =1 n r CM = r CM m1 x1 + m2 x 2 + . + mn x n . o centro de massa de um sistema de partículas é um ponto cujo vector de posição é dado por ˆ r CM = xCM î + y CM ˆ + z CM k j As coordenadas xCM.. + mn r n M r CM = ∑m r i =1 i n i M 5 ... m1 + m2 + . + mn y n ˆ m1 z1 + m2 z 2 + . + mn x n m y + m2 y 2 + ... + mn z n m1 + m2 + ......... + mn m1 z1 + m2 z 2 + .. + mn x n î + y n ˆ + z n k j j j M [ ( ) ( ) ( )] ˆ Como r i = xi î + y i ˆ + z i k .. + mn y n .

...Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Velocidade do centro de massa Conhecida a lei do movimento do centro de massa é possível determinar a lei das velocidades.. vem dt d r CM dt ou seja d r CM = dt n ∑m i =1 i n i dri dt M i v CM = ∑m v i =1 M Vindo as coordenadas da velocidade dadas por m1v1x + m2 v 2 x + .. + mn m1v1z + m2 v 2 z + .. + mn vCM x = ⇔ vCM x = ∑m v i =1 n i ix M vCM y = ⇔ vCM y = ∑m v i =1 n i iy M vCM z = ⇔ vCM z = ∑m v i =1 n i iz M Aceleração do centro de massa a CM = d v CM dt v CM = ∑m v i =1 i n i M d v CM = dt n ∑m i =1 i i n i d vi dt M a= ∑m a i =1 M 6 .... Dado que v = v CM = dr ... + mn m1v1y + m2 v 2 y + . + mn v nz m1 + m2 + . + mn v nx m1 + m2 + .. + mn v n y m1 + m2 + .

de acordo com a Lei de Acção e Reacção. a resultante das forças interiores.Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Quantidade de movimento de um sistema de partículas A velocidade de um sistema de partículas é dada por v CM = ∑m v i =1 i n i M Vem. 7 . dado que. vem Como n d p sist dv dv = ∑ mi i e i = a i dt dt dt i =1 d p CM d p sistema = dt dt ∑m a i =1 i n i = d p CM dt com ∑m a i =1 i n i representando a resultante das forças exteriores. assim M v CM = ∑ mi v i i =1 n ∑m v i =1 i n i = p sistema M v CM = p CM p CM = p sistema A quantidade de movimento de um sistema de partículas é igual à quantidade de movimento do seu centro de massa. F ext = d p CM dt F ext = M a CM A resultante das forças exteriores que actuam sobre um sistema de partículas é igual ao produto da massa total do sistema pela aceleração do seu centro de massa. F ext que actuam no sistema de partículas. Assim. é nula. F int . Lei fundamental da dinâmica para um sistema de partículas Derivando em ordem ao tempo p CM = p sistema .

a quantidade de movimento do sistema é constante. Forças aplicadas – forças que resultam da interacção com elementos em contacto com o sistema. Forças Exteriores – forças que resultam da interacção com elementos estranhos ao sistema. Tipo de forças a considerar num sistema de partículas materiais Forças Interiores – forças que resultam da interacção entre as partículas do sistema. F ext = 0 ⇔ a CM = 0 ⇔ v CM = k F ext = d p CM d p CM ⇔ = 0 ⇔ p CM = p sistema = k dt dt Se a resultante das forças exteriores que actuam sobre um sistema de partículas é nula.Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Principio da conservação da quantidade de movimento para um sistema de partículas Se a resultante das forças exteriores for nula. Exemplo: forças de contacto. 8 . a aceleração do centro de massa do sistema é igualmente nula e a sua velocidade é constante. Forças de ligação – forças que limitam as possibilidades de movimento do sistema de partículas.

Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Aplicações Considere-se um corpo assente sobre um plano inclinado. N CM F θ g ⎧R y = 0 = N + F n ⎧ N = Fn cos θ ⎪ ⇔ ma = mg sin θ ⇔ a = g sin θ ⇔⎨ ⎨ ⎩ Fu = F sin θ ⎪R x = F u ⎩ y N C F O= u M F x θ F n g 9 . sujeito apenas ao seu peso próprio e à reacção do plano e descendo sem atrito.

Física Geral – Dinâmica de uma partícula material de massa constante Movimento no plano vertical Fio sem massa e inextensível. roldana ideal e de massa desprezável e mA ≠ mB. Sistema: A+B+fio Forças exteriores ao sistema: F gA e F gB Resultante das forças exteriores ao sistema: R = F gA + F gB com R = F gB − F gA Lei fundamental da dinâmica R = mtotal a = (m A + m B )a em módulo: F gB − F gA = (m A + m B ) a ⇔ a = a = F gB − F gA A B (m A + m B ) mB − m A g Aceleração do sistema (m A + m B ) Isolamento dos corpos R A = − F gA + T A T A − F gA = m A a T A = F gA + m A a T R B = F gB − T B F gB − T B = m B a T B = F gB − m B a A T B F gA F gB TA = TB 10 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->