P. 1
Resistência dos Materiais - Flambagem

Resistência dos Materiais - Flambagem

|Views: 2.692|Likes:

More info:

Published by: Alessandro Alves de Melo on Oct 18, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/24/2014

pdf

text

original

Flambagem de Colunas

1. Introdução: Ao sofrer a ação de uma carga axial de compressão, a peça pode perder a sua estabilidade, sem que o material tenha atingido o seu limite de escoamento. Este colapso ocorrerá sempre na direção do eixo de menor momento de inércia de sua secção transversal. 2. Conceito de Carga Crítica: Ao ser projetado, um elemento deve satisfazer as condições de resistência, deslocamentos limites e estabilidade. Alguns elementos podem estar submetidos a cargas compressivas, e se esses elementos forem longos ou esbeltos, o carregamento pode ser suficientemente elevado para causar uma instabilidade lateral. Especificamente, elementos longos e esbeltos sujeitos a cargas axiais compressivas são chamados de colunas e seus deslocamentos laterais são caracterizados através do fenômeno conhecido como flambagem. A carga axial máxima que uma coluna pode suportar quando atinge a iminência de flambar, demonstrada pelo seu encurvamento na direção do eixo longitudinal, é chamada de carga crítica, Pcr.

Esta é a razão pela qual as seções tubulares são mais econômicas que as seções maciças.. mm. cm4. os engenheiros aos dimensionar as seções transversais dos elementos estruturais procuram atender à condição de momentos de inércia idênticos em todas as direções. Assim.a e não em relação ao eixo b . uma vez que o módulo de elasticidade é aproximadamente o mesmo para ambos os aços. A capacidade de uma coluna suportar uma carga aumenta com o aumento do momento de inércia da seção transversal.]. Consequentemente.1415. Lf = comprimento livre de flambagem [m. Ela depende apenas das dimensões da coluna (I e L) e da rigidez do material ou módulo de elasticidade E. por exemplo...A carga crítica é independente da resistência do material.]. π – constante trigonométrica 3.. GPa.. do ponto de vista geométrico.. de aço de alta resistência não apresentam vantagem em relação àquelas feitas de aço de baixa resistência.]. . .. Assim.. kN. . Por esta razão... de seus eixos principais centroidais.E. flambará em relação ao eixo a . as colunas eficientes são projetadas de forma que a maior parte da área da seção transversal seja afastada. os tubos circulares são excelentes colunas. Carga Crítica de Euler: A equação de flambagem para colunas apoiadas em rótulas ou pinos pode ser escrita sob a forma: P cr = π2. tanto possível. 3. as colunas feitas..J L2f Fórmula de Euler Onde: Pcr = carga axial crítica ou máxima atuante sobre a coluna imediatamente antes de ocorrer o fenômeno da flambagem [N. considerando-se que a flambagem ocorra no regime elástico do material. E= módulo de elasticidade do material [Mpa.] . É também importante lembrarmos que uma coluna flambará relativamente ao eixo principal da seção transversal com o menor momento de inércia (eixo mais fraco).b. J= menor momento de inércia da área da seção transversal da coluna [m4.. veja figura acima. Por exemplo uma coluna com seção transversal retangular.

.. então. observa-se que o material deverá estar sempre na região de formação elástica. Tensão Crítica ( σ cr ): A tensão crítica deverá ser menor ou igual à tensão de proporcionalidade do material. que: σ cr = P cr = π2. pois o limite de proporcionalidade constitui-se no limite máximo para validade da lei de Hooke.J A L2f .. Lf 6.A Como L2f = λ2..] r min – Raio de giração mínimo [m. Desta forma. Define-se a tensão crítica através da relação entre a carga crítica e a área da secção transversal da peça. a peça apresenta diferentes comprimentos livres de flambagem.r2min mas. Tem-se. r2min = J A .J A.. mm.]. Comprimento Livre de Flambagem: Em função do tipo de fixação das suas extremidades.λ2.4.E. . λ = rmin Onde: λ – Índice de esbeltez (adimensional).E. Lf – Comprimento de flambagem [m. Índice de Esbeltez (λ): É definido através da relação entre o comprimento de flambagem eo raio de giração mínimo da secção transversal da peça. 5. Este índice representa uma medida da flexibilidade da coluna quanto à flambagem e será utilizado posteriormente para classificá-la como longa. intermediária ou curta.r2min escreve-se que σcr = π2..

300 para λ > 105 λ2 b) ABNT NB11 (Madeira): Tensão admissível na madeira Compressão axial de peças curtas.0023.Portanto: σcr = π2 ..036. a fórmula de Euler perde a sua validade. utiliza-se Tetmajer que indica: 8.E para λ > 105 λ2 _ Adotando-se um coeficiente de segurança k = 2. Normas: a) ABNT NB14 (Aço): σfl = 240 – 0. . Para estes casos.λ2 para λ ≤ 105 σfl = π2.] E – módulo de elasticidade do material [Mpa.20σc Compressão axial de peças esbeltas . tem-se σfl = (tensão admissível de flambagem): _ σfl = 120 – 0...0046. λ ≤ 40 σfl = 0. Flambagem nas Barras no Campo das Deformações Elastoplásticas: Quando a tensão de flambagem ultrapassa a tensão de proporcionalidade do material... E λ2 Onde: σcr . GPa.λ2 para λ ≤ 105 _ σfl = 1.constante trigonométrica 7.] Λ – índice de esbeltez [adimensional] π .tensão crítica [Mpa.

Em = 2 . Em – Módulo de elasticidade da madeira verde [Pa.21x104 190x106 190 . então.E σp  ___________ _________ 2 9 λ = √ π .. [ 1 ... ( λo ) 4 λ2 3 λ λo = [ π2. Exercícios: 1) Determinar λ para o aço de baixo carbono. σc .1 . (Considerar σ = 190 Mpa e Eaço = 210 GPa) Solução: Para determinar o domínio. que: σp = σcr = π2. π2.λ > 40 40 < λ ≤ λo _ σfl = σc .. visando ao domínio da fórmula de Euler. .P A Onde: λ – Índice de esbeltez P – Carga aplicada [N. c) Concreto NB1 Taxa mecânica de armadura W = 100 (150-λ) λ ≤ 100 W = 2λ3 λ > 100 106 Tensão de Flambagem σ= W.. . .] A – área da secção transversal [m2.210x10  λ = √ π2. Tem-se. λ – 40 ] 3 λo – 40 λ ≥ λo _ _ σfl = 1 . a tensão de proporcionalidade torna-se a tensão crítica.].σc Onde: λo – Índice de esbeltez acima do qual é aplicável a fórmula de Euler (adimensional).E λ2 _____ Então: λ = √ π2.. Em ] ½ (8/3).] W – taxa mecânica de armadura [adimensional] 9.

b) _____ __________ 2 Então: λ = √ π .E  λ = √ π2.1010  λ ≡ 100 7 σp 10 Utiliza-se a fórmula de Euler para pinho.E  λ = √ π2.109  λ ≡ 80 σp 150x106 Utiliza-se a fórmula de Euler para Fofo.E  λ = √ π2. c) _____ _______ 2 Então: λ = √ π . visando ao domínio da equação de Euler para os seguintes materiais: a) Ferro Fundido Cinzento (σp = 150 Mpa e Efofo= 100 GPa) b) Duralumínio (σp= 200 Mpa e E= 70 GPa) c) Pinho (σp= 10 Mpa e E= 10 GPa) Solução: a) _____ _______ 2 Então: λ = √ π . . para aço de baixo carbono a fórmula de Euler é válida para λ > 105. quando o índice λ > 59. quando o índice λ > 100. quando o índice λ > 80.21  λ≡ 105 190 2 Portanto. 3) A figura dada representa uma barra de aço ABNT 1020 que possui d = 50 mm.______ λ = 10 .70x109  λ ≡ 59 σp 200x106 Utiliza-se a fórmula de Euler para duralumínio.√ π2. 2) Determine o índice de esbeltez (λ). Determinar o comprimento mínimo para que possa ser aplicada a equação de Euler.

Uma das barras possui secção transversal circular com diâmetro a.12 64. Determinar a carga axial de compressão máxima que poderá ser aplicada na barra.a4/64) JQ (a4/12)  JC = JQ.L x 4 rmin d Conclui-se dessa forma que: L = λ x d = 105 x 50  L = 2625mm 2 2 4) Duas barras de mesmo comprimento e de mesmo material serão submetidas à ação de uma carga axial P de compressão. . a barra de secção transversal quadrada é a mais resistente.58 Portanto. Lf = L = 1.7JC 0.a4.2m e diâmetro d= 34mm. (Considere Eaço= 210GPa) Solução: A barra sendo biarticulada.Solução: Para que possa ser aplicada a equação de Euler.JC = π2. 5) Uma barra biarticulada de material ABNT 1020. λ > 105 (aço doce). sob o regime de Euler. escreve-se que: Pfl C = Pfl Q π2.2m.E. e a outra possui secção transversal quadrada de lado a. Verificar qual das barras é a mais resistente. admitindo-se um coeficiente de segurança k=2.JQ Lf2 Lf2 Através da relação entre os momentos de Inércia. π. o seu comprimento de flambagem é o comprimento da própria barra. Considere que as barras possuem o mesmo tipo de fixação nas extremidades.5L e rmin= d 4 Tem-se que: λ = Lf = 0.JQ  JQ = 1 . tem-se que: Então: JC = (π. Como a peça está duplamente engastada Lf = 0. possui comprimento L= 1.5. Solução: Como as cargas são de mesma intensidade (P). ou seja.E. JC  JQ = 1.58.a4  JC = 0.

a) Índice de Esbeltez O raio de giração da secção transversal Circular é d/4.d Lf2 (1.d4 64 2 2 4 Portanto: Pcr = π .E.π.J = π . tem-se: λ = 4.E.2)2x 64 (1. Dessa forma. a carga máxima que se admite que seja aplicada na barra é: Pad = Pcr = k 94400 N = 47200 N 2 .2)2 x 64 Como o coeficiente de segurança é k= 2.Lf = 4 x 1200 d 34 λ = 141 Como λ= 141.210x344x10-3  Pcr= = 94400N (1. b) Carga Crítica O momento de inércia de secção circular é: Jx = π. conclui-se que a barra encontra-se no domínio da equação de Euler.2)2x64 Pcr = π3. portanto maior que 105.210x109x344x10-12  Pcr = π3.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->