P. 1
64_Termologia3

64_Termologia3

4.0

|Views: 21.826|Likes:
Publicado porapi-3713096

More info:

Published by: api-3713096 on Oct 17, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

EDUCACIONAL

Física
Termologia
Resolução: a) No estado B, temos: V = 21 p = 0,4 104 . 21
x x

TERMODINÂMICA 01. Qual a energia interna de uma molécula de certa massa gasosa a uma temperatura de 27º C? Qual a variação dessa energia se a temperatura aumentar em 30º C? constante de Boltzmann k = 1,38 x 10−23 J/K Resolução: Vamos inicialmente transformar a temperatura de ºC para Kelvin: T = Tc + 273 = 27 + 273 = 300K Sendo U =

10−2 m3 104 N/m2, 10−2 = 1 . 8,3 . T

aplicando a equação de Clapeyron, com n = 1 mol temos: pV = n R T → 0,4
x x

T ≅ 100 K Note que a expansão A → B é realizada à temperatura constante. Logo, TA = TB = 100 K. b) O trabalho na contração B → C é dado pelo cálculo da área abaixo da curva:
p 1,2 x 104

3 N.k.T, com N = 1 molécula. 2 3 logo, U = 1,38 x 10–23 . 300 = 6,21 x 10–21J. 2

Agora, para uma variação de 30º C, temos a temperatura final de 57º C ou 330 K. Assim, ∆U =
3 3 Nk ∆T = 1,38 x 10−23 x 30 = 6,21 x 10−22 J 2 2
0,4 x 104 C B

τ
7 x 10–2 21 x 10–2 V

02. Um mol de certo gás ideal sofre a transformação que está indicada no diagrama p x V, conforme mostra a figura abaixo. Dado R = 8,3 J/mol . K, determine: a) b) c) d) e) A temperatura deste mol do gás no estado B; O trabalho realizado pelo gás na contração B → C; O trabalho aproximado na expansão A → B; A variação da energia interna na expansão A → B; A variação da energia interna na contração B → C.
p (N/m2) 1,2 x 104 A

τ = 0,4 x 104 (7 – 21) x 10−2 = – 5,6 x 102 J
c) O trabalho de A → B pode ser calculado, de forma aproximada, tomando-se a área como indica a figura:
p 1,2 x 104

A

0,4 x 104 C

τ

B

0,4 x 104 C

B

7 x 10-2

21 x 10-2

V

área do trapézio
21 x 10-2 V (m3)

τ=

1,2 x 104 + 0,4 x 104 2

. (21 – 7) x 10−2

7 x 10-2

τ = 11, 2 x 102 J

FISCOL-MED1303-R

1

2

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

d) Sendo TA = TB → AU = 0 e) em B temos:

Facilmente podemos observar que se a transformação for cíclica, o trabalho é obtido pela área da figura na transformação.
p(N/m2)

UB =

3 3 . p . VB = . 0,4 x 104 . 21 x 10–2 = 12,6 x 102 J 2 2

10

A

B

τ
C

3 em C temos Uc = p . Vc 2

4

Uc = logo

3 . 0,4 x 104 . 7 x 10−2 = 4,2 x 102J 2
x

5

15

V(m3)

∆U = (4,2 − 12,6)

10−2 = − −8,4

x

102 J

+ τ = 6 . (2 10)

= 30 J

03. O diagrama abaixo indica a transformação ABCA sofrida por um gás perfeito:
p(N/m2) A B

10

04. Uma certa massa gasosa, de volume 10m3 sob pressão 2000 N/m2, sofre transformação isotérmica, recebendo 5000 J de calor do meio externo. Sendo o número de moles do gás igual a 8 e a constante dos gases perfeitos igual a 8,32 J/mol K, determine: a) a temperatura da transformação; b) a variação da energia interna do gás; c) o trabalho realizado na transformação.

4

C

5

15

V(m3)

Resolução: a) Cálculo da temperatura:

Determine o trabalho realizado na transformação. p . V = n . R . T → 2000 . 10 = 8 . 8,32 . T Resolução: Vamos inicialmente calcular o trabalho em cada transformação: A → B: B → C: C → A: T @ 300 K b) Cálculo da variação da energia interna: como a transformação é isotérmica, a temperatura é constante, portanto ∆U = 0 . c) Cálculo do trabalho realizado: pela 1a Lei da Termodinâmica, temos: Q=

τ = 10 (15 − 5) = 100 J τ = 0 dado que ∆V = 0 τ
10 + 4 = . −10 = −70 J 2

logo,

− τTOTAL = 100 + (−70) = 30 J

τ + ∆U 5000 = τ + 0

τ = 5000 J

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

3

05. (U.F. Uberlândia-MG) Num recipiente A existe um determinado gás perfeito que se encontra no estado definido pelos valores p, V e T da pressão, do volume e da temperatura, respectivamente. Em um recipiente B, um outro gás perfeito encontra-se no estado definido pelos valores p da pressão, 2 V do volume e 2 T da temperatura. Os dois gases têm o mesmo número de mols. Sejam respectivamente U1 e U2 as energias internas dos
U gases nos recipientes A e B. A razão 1 vale: U2

Resolução: 3 U1 = 2 n . R . T 3 U2 = 2 n . R . 2T U1 1 U2 = 2 Alternativa A

a) b) c) d) e)

1/2 3/2 6 3/4 2

06. (FESP) Numa primeira experiência, expande-se o gás contido em um recipiente, de modo a duplicar o volume, enquanto a pressão permanece constante. Numa segunda experiência, a partir das mesmas condições iniciais, duplica-se a pressão sobre o gás, enquanto o volume permanece constante. A respeito da energia cinética das moléculas do gás pode-se afirmar que: a) duplicou nas duas experiências. b) duplicou na 1a experiência e reduziu-se à metade na segunda. c) duplicou na 2a experiência e reduziu-se à metade na primeira. d) permaneceu constante nas duas experiências. e) em ambas as experiências foi multiplicada pela raiz de 2.

Resolução: Experiência 1: P= n.R.T ⇒ Se eu duplicar o volume, a temperatura deve duplicar V para a pressão permanecer constante, daí, temos: 3 E= 2 n.R.T Experiência 2: V= n.R.T ⇒ Se duplicarmos a pressão, devemos multiplicar P a temperatura por dois para que o volume permaneça constante, daí temos: n . R . 2T 3 3 E= 2 n.R.T ⇒ V= ⇒ E2 = 2 n . R . 2T 2P Percebemos que nas duas experiências a energia duplicou. Alternativa A ⇒ P= n . R . 2T 2V ⇒ 3 E1 = 2 n . R . 2T

07. (FASP) Um gás real aproxima-se de um gás ideal quando: a) b) c) d) a pressão é alta e a temperatura muito baixa. a pressão e a temperatura são muito elevadas. a pressão e a temperatura são muito baixas. a pressão é muito baixa e a temperatura muito elevada.

Resolução: Pressão baixa e temperatura elevada minimizam as interações entre as moléculas do gás. Alternativa D

08. (UEL-PR) A pressão de um gás perfeito, mantido num recipiente de volume constante a 27oC, é P. Se a temperatura for elevada a 127oC, a pressão será: a)
27 . P 127 4 . P d) 3 3 . P 4 127 . P e) 27

Resolução: P1 P2 = T1 T2
4P P P = 2 ⇒ P2 = 3 300 400

b)

c) P

Alternativa D

FISCOL-MED1303-R

4

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

09. Um gás perfeito sofre a transformação ABCD indicada no diagrama abaixo:
p(N/m2) 4 3 2 B C V(m3) 2 4 7 10 A

Resolução:

τ

N

= Área ⇒

a) Área A → B D

Área =

b2 + 4 g . 2 = 6
2

τA → B = 6 J
b) Área B → C

τB → C = 6 J

Área = 3 . 2 = 6

Determine o trabalho realizado nas transformações: a) b) c) d) AB BC CD ABCD

c) Área C → D

Área =

b2 + 3g . 3 = 7,5
2

τC → D = 7,5 J
d)

τTOTAL = Σ τ = 6 + 6 + 7,5 = 19,5 J

10. (Unicamp) 1 mol de gás ideal sofre a transformação A → B → C indicada no diagrama p x V da figura.
R = constante dos gases = 0,082 atm . L/mol . K = 8,3 J/mol . K p(atm) 3,0 A B

Resolução: a) P . V = n . R . T 3 . 8 = 1 . 0,082 . T T = 293 K b)

τA → B

N

= Área = 3 . 2 = 6 atm . l ou 6 x 102 J

c) Nas transformações isotérmicas, ∆T = 0, daí temos que TA = TC = 293 K isoterma C V (L) 0 8,0 10,0

a) Qual a temperatura do gás no estado A? b) Qual o trabalho realizado pelo gás na expansão A → B? c) Qual a temperatura do gás no estado C? 11. Uma certa massa gasosa sofre uma transformação termodinâmica, representada pelo trajeto ABC, mostrado no gráfico a seguir. Qual o trabalho realizado pelo gás, ao longo do processo ABC, em joules?
p(N/m2) 2 1,5 1 0,5 0 0,5 1 1,5 2 V(m3) A C B Resolução:

.

τ

N

= Área

Área =

2 . 1 + 2 . 0,5 = 1,5 J 2

b

g

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

5

12. (FUVEST) Um mol de um gás ideal sofre uma transformação isotérmica reversível A → B, mostrada na figura.
p (atm) 2 1 A B

Resolução: a) PAVA = PBVB

constante dos gases ideais: R = 0,082 atm . L/mol . K.

2 . 1 = 1 . VB ⇒ VB = 2L b) isotérmica → ∆µ = 0 ⇒ Q = τ ∴ Q = 5,7 J

1

VB

a) Determine o volume VB. b) Sabendo que o gás efetuou um trabalho igual a 5,7 J, qual a quantidade de calor que ele recebeu? 13. (FEI) Uma amostra de um gás perfeito é levada do estado A ao estado C, segundo a transformação ABC, conforme indica o diagrama. O trabalho realizado pelo gás durante a transformação é: 5 2
p . 10 N/m Resolução:
Ν τ = área = (0,5 – 0,2) . 1 x 105 = 0,3 x 105 = 3 x 104 J

a) b) c) d) e)

3 x 104 J 4,5 x 104 J 7,5 x 104 J 10,5 x 104 J 12 x 104 J

4

C

Alternativa A

A 1 0 0,2 B 0,5 V (m3) Resolução:

14. Na transformação cíclica de um gás perfeito, mostrada na figura, o trabalho realizado num ciclo, em joules, vale:
p(N/m2)

a) b) 6 x 105 c) 15 x 105 d) 20 x 105 e) 25 x 105

2 x 105

4 x 105 2 x 105

τ

= área =

N

b15 + 10g . 2
2

x 10

5

= 25 x 105 J ⇒ Alternativa E

0

5

10

15

20

V(m3) Resolução: Inicialmente, vamos calcular a área abaixo da curva ADC: Área1 =

15. (UF-SCar) Um sistema termodinâmico é levado de um estado A e trazido de volta ao estado A, mas passando pelos estados B, C e D, conforme o gráfico seguinte. O trabalho realizado sobre o sistema para completar o ciclo foi de:
p(N/m2)

a) b) c) d) e)

10,5J 25J 42J 7,5J 9,0J

10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

FG 4 + 8 IJ . 5 + FG 1 + 4 IJ . 1 = 32,5 H 2 K H 2 K
FG 8 + 5 IJ . 2 + FG 5 + 1IJ . 4 = 25 H 2 K H 2 K

A

Cálculo da área abaixo da curva ABC: Área2 = B D

Área do ciclo = Área1 − Área2 = 32,5 − 25 = 7,5 C 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 V(m3)

τ = 7,5 J
Alternativa D

FISCOL-MED1303-R

6

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

16. (MACK) Considere o diagrama abaixo, onde se representam duas isotermas T e T'. As transformações gasosas 1, 2 e 3 são, respectivamente:
p (atm) 2,5

19. (FUVEST) Certa quantidade de um gás perfeito sofre três transformações sucessivas A → B; B → C; C → A, conforme diagrama p x V a seguir. Sejam τAB, τBC, τCA, os trabalhos realizados pelos gás em cada uma daquelas transformações. Podemos afirmar que:
p

ƒ
1,0

‚ 
2,2 T' T

C

V (L)
0 3,5

a) b) c) d) e)

isobárica, isocórica e isotérmica isobárica, isotérmica e isocórica isotérmica, isocórica e isobárica isocórica, isobárica e isotérmica isotérmica, isobárica e isocórica a)

A

B

V

Resolução: 1. Pressão constante (Isobárica) 2. Temperatura constante (Isotérmica) 3. Volume constante (Isocórica) ⇒ Alternativa B

τAB = 0 τBC = 0 τAB + τBC + τCA = 0

b) | τCA | > | τAB | c)

17. (FATEC) Um corpo de gás perfeito contém a quantidade de matéria n (mols). À temperatura absoluta T e sob a pressão p, ele ocupa o volume V (linha 0 no quadro abaixo). Assinalar o outro conjunto de elementos coerentes com os dados:
0 a b c d e p 2p 2p 2p 3p V V/2 2V 2V V/3 n n 2n n n/3 T 2T 2T T T

d) | τBC | > | τAB | e)

Resolução: Pelo gráfico, tiramos que a área sob a curva BC é maior que a área sob a curva AB. Portanto | τBC | > | τAB |. Alternativa D

nenhuma das anteriores

Resolução: P.V=n.R.T 2P . 2V = 2n . R . 2T ⇒ Alternativa B

20. O gráfico abaixo representa a compressão de uma massa gasosa sob pressão constante de 10 N/m2. Determine o trabalho realizado na transformação.
V(m3) A 10 6 B T(K) 300 Resolução: 500

18. (F.M. Santa Casa) A energia cinética média das moléculas de um gás perfeito é diretamente proporcional: a) b) c) d) e) à pressão do gás. ao volume do gás. à temperatura absoluta do gás. à temperatura Celsius do gás. à variação da temperatura absoluta do gás.

Resolução: 3 3 E = 2 n . R . T ou E = 2 k . T Depende exclusivamente da temperatura.

Alternativa C

τ = P . ∆V = 10 . (6 − 10) = −40 J

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

7

21. (ITA) Um recipiente de volume ajustável contém n mols de um gás ideal. Inicialmente o gás está no estado A, ocupando o volume V à pressão p. Em seguida, o gás é submetido à transformação indicada na figura. Calcular o calor absorvido pelo gás na transformação cíclica ABCA. a) Q = 0 b) Q = npV/2 c) Q = – npV/2 d) Q = pV/2 e) Q = – pV/2
Resolução: ∆u = 0 ⇒ Q = τ Ν área = Q=
−(2V − V) . (2p − p) − pV = 2 2

24. (EMC-RJ) O rendimento de uma certa máquina térmica de Carnot é de 25% e a fonte fria é a própria atmosfera a 27oC. Calcule a temperatura da fonte quente.
Resolução: η=1– 300 TF ⇒ TQ = 400 K = 127 ºC ⇒ 0,25 = 1 – TQ TQ

p 2p C

25. (UNESP) A Primeira Lei da Termodinâmica diz a respeito à: a) b) c) d) e) dilatação térmica conservação da massa conservação da quantidade de movimento conservação da energia irreversibilidade do tempo

p

A V

B 2V V

Resolução: A primeira Lei da Termodinâmica é um balanço energético. Alternativa D

Alternativa E

26. (FATEC) Haverá trabalho realizado sempre que uma massa gasosa: a) b) c) d) e) sofrer variação em sua pressão sofrer variação em seu volume sofrer variação em sua temperatura receber calor de fonte externa nda

22. (MACK) Certa massa de gás ideal sofre uma transformação na qual sua energia interna não varia. Essa transformação é: a) b) c) d) e) isotérmica isobárica isométrica adiabática inexistente

Resolução:

τ = P . ∆V
Alternativa B

Resolução: Pela teoria → Alternativa A

23. (F.M.ABC) O Ciclo de Carnot compreende: a) b) c) d) e) duas transformações isotérmicas e duas isométricas duas transformações isobáricas e duas isométricas duas transformações adiabáticas e duas isobáricas duas transformações isotérmicas e duas adiabáticas duas transformações isotérmicas e duas isobáricas

27. (U.Uberaba-MG) Um gás está submetido a uma pressão constante dentro de um recipiente de volume variável. Provocando-se uma expansão isobárica desse gás, o seu volume varia como mostra a figura. Ao passar do estado X para o estado Y, o gás realiza um trabalho que, em joules, é igual a: a) b) c) d) e) 1,6 1,4 1,2 1,0 0,8
p (N/m2) 4 X Y

V (m3) 0 0,2 0,5

Resolução: Pela teoria → Alternativa D

Resolução:

τ Ν área = (0,5 – 0,2) . 4 = 1,2 J =
Alternativa C

FISCOL-MED1303-R

8

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

28. (UR-RN) Um sistema termodinâmico realiza um trabalho de 30 kcal quando recebe 20 kcal de calor. Nesse processo, a variação de energia interna desse sistema é: a) b) c) d) e) – 10kcal zero 10 kcal 20 kcal 35 kcal

30. (FEI) Numa transformação de um gás perfeito, os estados final e inicial acusaram a mesma energia interna. Certamente: a) b) c) d) e) a transformação foi cíclica a transformação foi isométrica não houve troca de calor entre o gás e o ambiente são iguais as temperaturas dos estados inicial e final não houve troca de trabalho entre o gás e o ambiente

Resolução: ∆µ = Q –

Resolução: Pela teoria → Alternativa D

τ = 20 – 30 = – 10 kcal

Alternativa A

29. (FUVEST) Um mol de um gás ideal dobra o seu volume num processo de aquecimento isobárico. Calcule: Constante Universal dos gases: R = 8,3 J/mol.K
p (N/m2)

31. (FUVEST) A figura representa um cilindro com êmbolo móvel, de massa 200 kg e área A = 100 cm2, que contém inicialmente 2,4 litros de um gás ideal à temperatura de 27oC. Aquece-se o sistema até a temperatura estabilizar-se em 127oC. A pressão atmosférica é igual a 105 N/m2. Adotar g = 10m/s2

5 . 106 V (m3)

0

5 . 10–3

10 –2

a) o trabalho mecânico realizado pelo gás b) a variação da energia interna do gás nesse processo
Resolução: a)

a) Qual o volume final do gás? b) Qual o trabalho mecânico realizado?
Resolução:

τ = área =
Ν

(10–2

–5

x 10–3)

.5

x 106

= 2,5

x 104

J a) V1 V2 2,4 . 400 = ⇒ V2 = = 3,2 L T1 T2 300

b) pV = nRT ⇒ T =

pV nR

T1 =

5 x 106 . 5 x 10 −3 ≅ 3012 K 1 . 8,3 5 x 106 . 10 −2 ≅ 6024 K 1 . 8,3

b)

τ = p . ∆V = 105 + 

2000 100 x 10
−4

  (3,2 x 10–3 – 2,4 x 10–3) = 240 J  

T2 =

∆µ = 3/2 n R ∆T = 3/2 . 1 . 8,3 (T2 – T1) = 3,75 x 104 J

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

9

32. (UNICAMP) O volume de 1 mol de gás ideal varia linearmente em função da temperatura, conforme o gráfico abaixo.
V (L) 2V0 V0 A T (K) T0 2T 0 B

34. (UFF-RJ) Uma certa quantidade de gás perfeito evolui de um estado I para um estado II e deste para um estado III, de acordo com o diagrama pressão x volume representado. Sabendo que a temperatura no estado I é de 57ºC, podemos afirmar que a temperatura no estado III é de:
p (atm) 4 3 2 1 2 4 6 I II 8 10 III V (L) 12

Calcule o trabalho realizado pelo gás ao passar do estado A para o estado B. V0 = 15 L, T0 = 300 K R (constante dos gases) = 8,3 J mol K
Resolução:
nRT 1 . 8,3 . 300 = = 166.000 Pa V 15 x 10−3

a)

95 K

b) 120 K c) 250 K d) 330 K e) 550 K
Resolução: p1V1 p3V3 3 . 2 1 . 10 = ⇒ = ⇒ T3 = 550 K T1 T3 330 T3 Alternativa E

p=

τ = p . ∆V = 166.000 (2V0 – V0) = 2490 J
33. (UNESP) Dois gases ideais, denominados G1 e G 2, 3 ocupam volumes idênticos. Porém p1 = 2p2 e T2 = T1 5 (p e T são, respectivamente, pressão e temperatura absoluta). Se o número de mols de G1 é 12, qual será o número de mols de G2? a) b) c) d) e) 10 6 14,4 7,2 12

35. (UF-RN) A temperatura de uma certa quantidade de gás ideal, à pressão de 1,0 atm, cai de 400 K para 320 K. Se o volume permaneceu constante, a nova pressão é de: a) 0,8 atm b) 0,9 atm c) 1,0 atm d) 1,2 atm e) 1,5 atm
Resolução: p1 p2 1 p = ⇒ = 2 P = 0,8 atm T1 T2 400 320 ⇒ 2 Alternativa A

Resolução: p1V n1 = = 12 R . T1 p V p 2 . V 5p1V = n2 = 2 = 1 R . T2 R . 3 5 T1 6RT1 n2 5 5n 5 . 12 = ⇒ n2 = 1 = = 10 mols n1 6 6 6 Alternativa A

FISCOL-MED1303-R

10

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

36. (CESESP-PE) O diagrama p x V da figura ilustra a variação da pressão com o volume, durante uma transformação quase-estática e isotérmica de um gás ideal entre o estado inicial I e estado final F. Das afirmativas a seguir:
p (atm) I Isoterma F V (L) 0 10 20

38. (UF-PA) A importância do Ciclo de Carnot reside no fato de: a) ser o ciclo do refrigerador b) ser o ciclo do motor de explosão c) ter rendimento de 100% ou próximo d) determinar o máximo rendimento de uma máquina térmica, entre duas temperaturas dadas. e) ser o ciclo dos motores diesel
Resolução: Pela teoria → Alternativa D

2,46 1,23

I. É nula a variação de energia interna do gás nesse processo. II. O trabalho realizado pelo gás é numericamente igual à área abaixo da curva IF. III. O calor absorvido pelo gás é numericamente igual à área abaixo do gráfico IF. Pode-se afirmar que: a) b) c) d) e) apenas I é correta apenas II e III são corretas apenas I e II são corretas todas são corretas nenhuma é correta

39. (UNISA) Certa máquina ideal funciona realizando o ciclo de Carnot. Em cada ciclo o trabalho útil fornecido pela máquina é 1 500 joules. Sendo as temperaturas das fontes térmicas 227oC e 127oC, o rendimento da referida máquina é de: a) 44% b) 56% c) 80% d) 10% e) 20%

Resolução:

η=1–

TF 400 =1− = 0,20 = 20% TQ 500

Alternativa E

Resolução: I. correta → ∆T = 0 II. correta III. correta → Se ∆µ = 0 ⇒ Q = τ Alternativa D

40. (PUC) O bico de uma seringa de injeção é completamente vedado, de modo a encerrar 1,0 cm3 de ar no interior da mesma, nas condições ambientais de temperatura e pressão. A seguir, puxa-se lentamente para fora o êmbolo (ver figura). O gráfico representa a variação da pressão p do ar em função do seu volume V. Sendo isotérmica a transformação, e desprezando os atritos pergunta-se:
P (104 N/m2) 1,0
– 5,0 – 4,0 – 3,0 – 2,0 – 1,0 (cm3)

A

PB 0

B V (cm3) 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0

37. (FGV) Pode-se afirmar que máquina térmica é toda máquina capaz de transformar calor em trabalho. Qual dos dispositivos pode ser considerado uma máquina térmica? a) b) c) d) e) Motor a gasolina Motor elétrico Chuveiro elétrico Alavanca Sarilho

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Aproximando a curva AB por uma reta, calcule o trabalho realizado sobre o gás no processo.
Resolução: a) pAVA = pBVB ⇒ pB =
1 x 10 4 . 1 = 2500 N/m2 4

Resolução: Pela teoria → Alternativa A b)

τΝ área = ( =

1 x 104 + 2500 . 4 x 10−6 − 1 x 10−6 2

)(

) = 1,9 x 10–2 J

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

11

41. (UF-MG) Uma dada massa de um gás perfeito recebe 120 J de calor e sofre uma transformação isobárica, sob a pressão de 40 N/m2, conforme gráfico. Determine a variação da energia interna do gás, em joules, ao evoluir do estado inicial A até o estado final B.
V (m3) 6 5 B A

44. O diagrama caracteriza uma p transformação 1 → 2 na qual: a) não ocorre variação na 2 energia interna do 1 T2 sistema T1 b) o sistema não troca V calor com o exterior c) o sistema não realiza trabalho ao passar de (1) para (2) d) o calor posto em jogo é transformado integralmente em trabalho e) o sistema recebe calor, que é parcialmente transformado em trabalho
Resolução: É uma transformação isobárica. Alternativa E

T (K) 600 900 Resolução:

τ = p . ∆V = 40 . 1 = 40 J ∴ ∆µ = Q – τ = 120 – 40 = 80 J
42. (CESESP-PE) Calcule aproximadamente o rendimento máximo teórico de uma máquina a vapor cujo fluido entra a 400ºC e abandona o cilindro a 105ºC.
Resolução:

Q = 120 J

45. (FATEC) Um sistema constituído de um gás perfeito passa do estado 1 para o estado 2, conforme o esquema. Se medirmos: Q (o calor fornecido), (o trabalho realizado) e ∆U (variação de energia interna), tem-se Q = + ∆U.

τ

τ

p 2 B C T2 = 500 K T1 = 300 K

η=1–

TF 378 =1− = 0,44 = 44% TQ 673

A 1

43. (FEI) Considere as afirmações relativas a um gás perfeito: I. A energia interna de uma dada massa de gás ideal é função exclusiva de sua temperatura. II. Numa expansão isobárica a quantidade de calor recebida é menor que o trabalho realizado III. Numa transformação isocórica a variação da energia interna do gás é igual à quantidade de calor trocada com o meio exterior. São corretas as afirmações: a) I e II b) II e III c) I e III d) todas e) nenhuma

V (Volume)

Então, quando o sistema passar do estado 1 para o estado 2, pelos processos A, B e C, podemos dizer que: a) o trabalho realizado pelo sistema será o mesmo para os 3 processos. b) o calor fornecido ao sistema será igual nos três processos. c) a variação de energia interna será a mesma nos três processos. d) no processo A o calor fornecido será menor que nos processos B e C. e) nenhuma das afirmações anteriores.
Resolução:

Resolução: I. correta II. errada → ∆V > 0 ⇒ Q >

τ

III. correta → Não há variação de volume ⇒ Alternativa C

τ=0

A variação de energia interna depende apenas da variação de temperatura. Alternativa C

FISCOL-MED1303-R

12

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

46. Um gás perfeito sofre uma expansão, realizando um trabalho igual a 200 J. Sabe-se que, no final dessa transformação, a energia interna do sistema está com 60 J a mais que no início. Qual a quantidade de calor recebida pelo gás?
Resolução: ∆U = 60 J

49. (UF-RS) Qual é a variação de energia interna de um gás ideal sobre o qual é realizado um trabalho de 80 J, durante uma compressão adiabática? a) b) c) d) e) 80 J 40 J zero –40 J –80 J

τ = 200 J ∆U = Q − τ

60 = Q − 200 Q = 260 J

Resolução:

47. (MED. Pouso Alegre-MG) Um gás, sofrendo uma transformação isométrica, recebe 240 J de calor do meio ambiente. O trabalho realizado pelo gás e sua variação de energia interna são, respectivamente: a) 240 J e zero b) zero e 240 J c) 120 J e 120 J d) zero e 120 J e) –240 J e 240 J
Resolução:

∆U = Q − τ

Q = 0 (adiabática)

∆U = −(−80) = 80 J

τ = P . ∆V ∆U = Q − τ

→ ⇒

Se ∆V = 0 , ∆U = Q

τ=0

Alternativa B

50. (UF-ES) Certa quantidade de gás ocupa, inicialmente, um volume de 10 litros à pressão de 7 x 105 N/m2. O gás sofre uma compressão isobárica até que seu volume se reduz à metade, sendo que nesse processo a energia interna do gás diminui em 4000 J. Quanto ao calor trocado, pode-se afirmar que: a) b) c) d) e) o gás recebeu 7700 J. o gás recebeu 500 J. o gás cedeu 7500 J. o gás cedeu 500 J. não houve troca de calor.

48. (MED ABC) Nas afirmações abaixo, indique aquela que não contém inverdades: a) Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema não troca calor com o meio. b) Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema cede calor menor que o trabalho que recebe. c) Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, sempre ocorre variação da energia interna do gás. d) Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema realiza trabalho; portanto, não recebe calor. e) Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema recebe trabalho, que é integralmente transformado em calor.
Resolução: Como T = T' ∴ ∆U = 0 Mas ∆U = Q − τ Então: Q = τ Alternativa E ⇒ U = U'

Resolução: ∆U = −4 000 J ⇒ ∆U = Q − P . ∆V −4000 = Q − 7 x 105 . (10 − 5) x 10−3 Q = −500 J Alternativa D

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

13

51. (FUVEST) O gráfico da figura abaixo representa uma transformação reversível sofrida por uma determinada massa de gás perfeito: a) Qual foi a variação da temperatura do gás entre o estado inicial A e o estado final C ? b) Qual a quantidade de calor, em joules, recebida pelo gás na transformação ABC ? P (N/m2) 4 A B

53. Num aquecimento isométrico de um gás perfeito o sistema: a) recebe calor maior que o aumento de energia interna. b) cede calor igual ao aumento de energia interna. c) recebe calor igual ao aumento de energia interna. d) recebe calor menor que o aumento de energia interna. e) nenhuma das alternativas está correta.
Resolução: Como não há variação de temperatura, ∆U = Q − τ ∆U = Q Alternativa C

τ=0

1 0
Resolução: P.V=n.R.T a) 4 . 1 = n . R . TA 4 TA = nR 1 . 4 = n . R . TB 4 TB = nR Percebemos que TB = TA b) = Área Área = 3 . 4 = 12 J Como TA = TC ∆UA → C = 0 ∆U = Q − τ 0=Q−τ Q=τ Q = 12 J ∴

C 1 4 V (m3) 54. Julgar as afirmativas a seguir: I. um gás somente pode ser aquecido se recebe calor II. pode-se aquecer um gás realizando-se trabalho sobre ele III. para esfriar um gás devemos, necessariamente, retirar calor do mesmo Responda mediante o código: a) se apenas I for correta b) se apenas II for correta c) se apenas I e III forem corretas d) se todas forem corretas e) se nenhuma for correta
Resolução: Podemos aquecer ou resfriar um gás realizando-se trabalho sobre ele ou fazendo com que ele realize trabalho. Alternativa B

∆T = 0

τ

N

52. (PUC-MG) Se, numa transformação adiabática, a energia interna final do sistema é maior que a inicial, então: a) o sistema realiza trabalho. b) o sistema não recebe nem realiza trabalho. c) o calor recebido pelo sistema é maior que o trabalho por ele realizado. d) o trabalho é realizado sobre o sistema. e) o calor recebido pelo sistema é menor que o trabalho por ele realizado.
Resolução: ∆U > 0 Alternativa D Se τ < 0 , ∆U > 0

55. (FUVEST) Uma certa massa de gás, inicialmente sob pressão p e com volume V, é submetida à seguinte seqüência de transformações: I. a volume constante, é aquecida até que a pressão atinja o valor 3p II. a pressão constante, é expandida até que o volume quadruplique III. a volume constante, é levada à pressão inicial p IV. a pressão constante, é levada ao volume V a) Represente as transformações num diagrama pressão x volume. b) Qual o trabalho realizado pelo sistema?
Resolução: a)
3p p V 4V V p

b)

τ

N

= Área

Área = (4V − V).(3p − p) = 6 p.V

τ=6p.V

FISCOL-MED1303-R

14

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

56. (IPUG-MG) Uma determinada massa gasosa, ao se expandir, absorve 840 J de calor e realiza um trabalho de 360 J. Pode-se afirmar que: a) há aumento na temperatura do gás, provocado pelo trabalho realizado b) o aumento de energia interna do gás é 480 J c) o aumento de temperatura é devido a todo o calor absorvido d) o gás sofre transformação isovolumétrica e) o sistema perde, para o meio, todo o calor absorvido 57. Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema: a) não troca calor com o meio. b) cede calor menor que o trabalho que recebe. c) recebe trabalho que é integralmente transformado em calor. d) cede trabalho e recebe calor. e) nda.

Resolução:

τ = 360 J
Q = 840 J ∆U = Q − τ = 840 − 360 = 480 J Alternativa B

Resolução: Isotérmica ∆U = 0 ∆U = a − τ ∴τ=Q Alternativa C

58. (Fundação Carlos Chagas) Um gás perfeito pode ser levado de um estado A para um estado B através de várias transformações e em cada uma delas o gás recebe uma certa quantidade de trabalho e calor. Considere as seguintes proposições: I. Em diferentes transformações a quantidade de trabalho e calor variam, mas a soma algébrica de ambos é sempre a mesma. II. A soma algébrica do trabalho e do calor, em qualquer uma das transformações, mede o incremento da energia interna. III. A soma algébrica do trabalho e do calor, para cada transformação, depende das características dos diferentes percursos. Pode-se afirmar que é(são) verdadeira(s): a) I b) II c) III d) I e II e) II e III

Resolução: A variação da energia interna não depende do percurso. É uma função de pontos. Alternativa D

59. (FEI) Um mol de gás perfeito é submetido a uma transformação cíclica conforme esquema no diagrama p x V abaixo. São dados: p pA = 2 x 105 N/m2 VA = 2 m3 TA = 100 K pC = 4 x 105 N/m2 VC = 6 m3 Determinar: V a) o trabalho realizado durante o ciclo; b) as temperaturas TB, TC e TD. B C

Resolução: a)

τ

N

= Área

Área = (4 − 2) x 105 . (6 − 2) = 8 x 105 J PC . VC TC PD . VD TD

b)

PA . VA TA

=

PB . VB TB

=

=

A

D

4 x 105 . 6 2 x 10 5 . 2 4 x 10 5 . 2 2 x 10 5 . 6 = = = TC 100 TB TD Temos que: TB = 200 K TC = 600 K TD = 300 K

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

15

60. (MACK) Uma amostra de gás perfeito sofre uma transformação isobárica sob pressão de 60 N/m2, como ilustra o diagrama abaixo. Admita que, na transformação, o gás recebe uma quantidade de calor igual a 200 J. Podemos afirmar que a variação de energia interna do gás é de: a) b) c) d) e) 80 J 100 J 120 J 200 J 320 J V (m3) Q

Resolução: ∆U = Q − τ ∆U = Q − P . ∆V ∆U = 200 − 60 . 2 ∆U = 200 − 120 = 80 J Alternativa A

3

1 0

P 100 300 T (K)

61. (UnB-DF) Um gás ideal vai do estado 1 ao estado 2, podendo passar pelos caminhos 1a2, 1I2 e 1b2, como na figura abaixo. p p1 1 a

Resolução: (0) e (1) erradas pois a energia interna é uma função de ponto, ou seja, depende apenas do estado inicial e final. (3) errada pois no caminho há variação de pressão. Alternativa C

I p2 2 b V1 V2 V

(0) O estado final 2 depende do caminho seguido. (1) A energia total do sistema no estado 2 depende do caminho seguido. (2) O trabalho realizado pelo gás, seguindo o caminho 1a 2, é maior que pelo caminho 1I2. (3) O caminho 1a 2 é isobárico. (4) Se o caminho 1I2 é uma isoterma, a temperatura em 1 é a mesma que em 2. (5) O trabalho realizado pelo gás, seguindo o caminho 1b2, é p2 (V2 − V1). Os algarismos das afirmativas corretas, na ordem em que se encontram, formam o seguinte número: a) b) c) d) e) 012 135 245 045 345

FISCOL-MED1303-R

16

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

62. (MAUÁ) O diagrama abaixo indica três transformações de um gás perfeito, sendo uma delas isotérmica. A temperatura do gás no estado 2 é 350K. Calcular: p (N/m2)

65. (UNISA) Uma máquina térmica realiza o ciclo ABCA, como mostra a figura abaixo. p (pascal) 6 B A 4 8 12

3,4

x

103

1

2

4 2 3 0 V (m3) a) b) c) d) e) C 14 V (m3)

0,10

0,50

a) a pressão e a temperatura no estado 3; b) o trabalho realizado pelo gás na transformação 1-2.
Resolução: a) P1 . V1 P2 . V2 T1 = T2 T1 = 70 K = T3 ⇒ 3,4 x 103 . 0,1 3,4 x 103 . 0,5 = T1 350

O trabalho realizado no ciclo é de 50 joules. A transformação AB é adiabática. A transformação BC é isotérmica. A transformação CA é isobárica. NRA

Resolução: Como percebemos, no caminho CA não há variação de pressão. Alternativa D

⇒ P1 . V1 = P3 . V3 (Isoterma) 3,4 x 103 . 0,1 = P3 . 0,5 P3 = 680 N/m2

b)

τ = 3,4 x 103 . (0,5 − 0,1) = 1,36 x 103 J
recebe calor e a energia interna diminui. recebe calor e a energia interna fica constante. realiza trabalho e a energia interna diminui. realiza trabalho e a energia interna não varia. troca mais calor que trabalho com o meio.

63. Numa expansão isobárica de um gás perfeito o sistema: a) b) c) d) e)

66. (ITA) Da teoria cinética dos gases sabemos que a temperatura absoluta de uma massa gasosa corresponde à velocidade quadrática média das moléculas do gás. Nessas condições, se uma molécula de oxigênio (O2) de massa m O está na superfície da Terra, com energia cinética 2 correpondente a 0oC e se sua velocidade é dirigida para cima e ela não colide com outras partículas durante a subida, a que altitude h ela chegará?
k = constante de Boltzmann = 1,38 x 10–23 J/K

Resolução: Numa expressão isobárica de um gás perfeito, o trabalho realizado é positivo e não há variação da pressão. Há uma diminuição de temperatura trocando calor com o meio. Alternativa E

m O = 5,3 x 10–26 kg
2

a) b) c) d) e)

h = 1,1 x 104 km h = 1,09 x 102 km h = 10,9 m h = 1,1 m h = 11 km

64. Numa transformação adiabática de um gás perfeito: a) a temperatura não varia, pois não há troca de calor. b) quando o volume aumenta, a temperatura diminui. c) o volume e a temperatura variam sempre no mesmo sentido d) a temperatura aumenta quando o volume aumenta. e) há duas afirmações corretas.
Resolução: Se o sistema expandir (V2 > V1), este realizará trabalho sobre o meio externo e gastará energia. A energia interna diminui, logo a temperatura diminui. Alternativa B Resolução: E=

m 02 V 2 3 ⇒ kT = 2 2
3kT 3 . 1,38 x 10−23 . 273 = = 461,79 m/s m 02 5,3 x 10−26

⇒V=

V2 = V02 + 2 . a . ∆h ⇒ 2 . 10 . ∆h = 461,792 ∆h = 10662,5 m ≈ 11 km Alternativa E

FISCOL-MED1303-R

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

FÍSICA

17

67. (PUC-RJ) Uma máquina de Carnot é operada entre duas fontes, cujas temperaturas são, respectivamente, 100oC e 0oC. Admitindo-se que a máquina receba da fonte quente uma quantidade de calor igual a 1000 cal por ciclo, pede-se: 1 cal = 4,2 ∆U ciclo = 0 a) o rendimento térmico da máquina b) o trabalho realizado pela máquina em cada ciclo (expresso em J) c) a quantidade de calor rejeitada para a fonte fria

Resolução: a) η = 1 – TF 273 =1− = 0,27 = 27% TQ 373

b) ∆µ = 0 ⇒ Q =

τ = 1000 cal . 0,27 = 270 cal = 1134 J

c) 1000 cal – 270 cal = 730 cal

68. (PUC-RS) O gráfico p x V representa as transfor-mações experimentadas por um gás ideal. Calcular o trabalho mecânico realizado pelo gás durante a expansão de A até C.
p (N/m2)

Resolução: 3 + 2 . 20 τ N área = ( 2) + 10 . 3 = 80 J =

30 10 A 0

B

C

V (m3) 3,0

1,0

69. (ITA) Uma molécula-grama de gás ideal sofre uma série de transformações e passa sucessivamente pelos estados A→B→C→D, conforme o diagrama pV abaixo, onde TA = 300 K. Pode-se afirmar que a temperatura em cada estado, o trabalho líquido realizado no ciclo e variação da energia interna no ciclo são respectivamente:
TA(K) TB(K) TC(K) TD(K) ∆W(atml) ∆U(J)

Resolução: p A VA p B VB pC VC p D VD = = = TA TB TC TD TB = 900 K 2 . 10 2 . 30 1 . 30 1 . 10 = = = ⇒ T = 450 K C 300 TB TC TD TD = 150 K ∆τ N área = 20 . 1 = 20 atm . L = ciclo → ∆U = 0 Alternativa A

a) b) c) d) e)

300 300 300 300 nda

900 900 450 900

450 450 900 450

150 150 150 150

20,0 20,0 20,0 60,0

0 40 0 40

p (atm)

A 2,0 1,0 D 10,0

B C V (L) 30,0

FISCOL-MED1303-R

18

FÍSICA

TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

70. (PUC) O rendimento de uma máquina térmica: a) depende apenas da temperatura da fonte quente b) é tanto maior quanto maior a diferença de temperaturas das fontes quente e fria c) depende apenas da temperatura da fonte fria d) não depende das temperaturas das fontes e sim das transformações envolvidas e) nunca pode ultrapassar 30%

Resolução: Pela teoria → Alternativa B n=1–
TF TQ

71. (FMU) Uma máquina térmica recebe da fonte quente 100 cal e transfere para a fonte fria 70 cal. O rendimento dessa máquina será: a) b) c) d) e) 15% 20% 30% 40% 50%

Resolução:

η=

100 − 70 30 = = 30% 100 100

Alternativa C

72. (Santa Casa) Uma máquina térmica executa um ciclo entre as temperaturas 500 K (fonte quente) e 400 K (fonte fria). O máximo rendimento que essa máquina poderá ter será: a) b) c) d) e) 10% 20% 25% 30% 80%

Resolução:

η=1–

TF 400 =1− = 0,20 = 20% TQ 500

Alternativa B

FISCOL-MED1303-R

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->