P. 1
Organismos Transgênicos Ou OGM (Organismos Geneticamente Mod

Organismos Transgênicos Ou OGM (Organismos Geneticamente Mod

4.63

|Views: 12.647|Likes:
Publicado porapi-3800279

More info:

Published by: api-3800279 on Oct 17, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

Organismos Transgênicos

Professora Aline Pic-Taylor Genética Básica e Evolução Terceiro Período

Introdução

Nos dias atuais, em que a preocupação com a saúde publica e com o meio ambiente tornam-se cada vez mais evidentes, o avanço da ciência e da tecnologia tem papel fundamental em nossas vidas. Entretanto, muitas vezes o aprimoramento tecnológico pode gerar profundas controvérsias em relações aos aspectos morais, éticos, sociais ou econômicos. Exemplo desta evolução está na engenharia genética, através da descoberta de organismos geneticamente modificados (OGM), produto de cruzamento de espécies diferentes, ou seja, organismos transgênicos.

Introdução

As técnicas de engenharia genética modernas permitem que:
1. 2.

se retirem de um organismo genes (fragmentos de DNA) responsáveis por determinadas características que se transfiram artificialmente esses genes para outros organismos, com o fim de reproduzir neles essas características. POR MEIOS NATURAIS, NÃO É POSSÍVEL cruzarmos uma banana com um gato e obtermos um OGM COM A TRANSGENIA ESTES CONCEITOS MUDARAM.

Introdução

Com essa tecnologia é possível produzir:
1. plantas

resistentes a pragas, 2. adaptar plantas para cultivo em terras inóspitas, 3. adaptá-las a condições climáticas adversas, 4. enriquecer plantas alimentícias com nutrientes especiais, 5. usar as plantas como produtoras de substâncias para fins terapêuticos, utilização industrial, etc.

O que são organismos transgênicos?

Um organismo transgênico é aquele que tem sua estrutura genética modificada pela introdução de genes de outro organismo. Do ponto de vista legal (no Brasil): é conceituado como OGM, o organismo cujo material genético tenha sido modificado por qualquer técnica de engenharia genética, definida, por sua vez, como atividade de manipulação de moléculas DNA/RNA recombinantes (Lei n 8.974, de 5 de janeiro de 1995)

Porém....
 

Nem todo organismo geneticamente modificado (OGM) é transgênico!!!!! Por exemplo:

pesquisadores da Unicamp recentemente desenvolveram leveduras geneticamente modificadas capazes de otimizar e reduzir os custos da produção de álcool no Brasil. A levedura obtida não é um organismo transgênico, pois não foram introduzidos nela genes de outro organismo, mas sim utilizaram-se genes que já existiam no próprio organismo, e apenas foram "mudados de lugar".

Esse fato se torna possível porque:

Os genes são constituídos das mesmas moléculas (Adenina, Citosina, Guanina e Timina) em qualquer organismo vivo; Genes podem ser movidos de um organismo a outro sem "rejeição"; Se o gene é alterado é também alterada a proteína por ele codificada, modificando assim a característica biológica deste indivíduo; Existem enzimas que são como "tesouras moleculares" capazes de cortar os genes.

Quando surgiram os transgenicos

As primeiras plantas transgênicas, ou seja, obtidas por engenharia genética, começaram a ser testadas em campo no início da década de 80. No Brasil, a primeira planta transgênica foi produzida em 1986 pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. Nenhuma notícia sobre estas plantas, muito provavelmente as primeiras produzidas na América do Sul, foi veiculada nos jornais.

Como pode ser feito isso?
Passo-a- passo resumido!!!!
3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

Deve-se identificar o gene de interesse em uma outra espécie de planta, animal, bactéria etc...; Isolar esse gene de interesse; Inserir esse gene em um vetor (que vai "fazer a entrega"); Transformar geneticamente, ou seja, transferir esse gene para o tecido da "planta"; A partir deste tecido regenerar uma nova "planta"; Analisar e testar a eficiência do processo de transformação; Analisar a segurança do material Testar em campo para verificar a característica de interesse; Aprovação por órgãos competentes e comercialização.

A figura ao lado ilustra de forma simplificada o processo de transformação genética de uma planta.

Método para inserção de genes externos em uma planta ou animais.

Métodos Físicos
 

Microinjeção Biobalistica

Métodos Biológicos
 

Bactérias Vírus

Métodos Físicos

Microinjeção: por meio de agulhas microscópicas manipuladas mecanicamente. É injetado o gene de interesse no interior do núcleo da célula alvo. O contra tempo desta técnica é que tem de ser feito célula a célula, e é muito mais difícil regenerar uma planta a partir de uma única célula isolada. Esse método é mais utilizado em animais como , cães, rãs, coelhos, camundongos, ratos, carneiros entre outros.

Métodos Físicos

Biobalistica: isso mesmo, o processo atira os genes na célula vegetal. Partículas de ouro ou tungstênio são revestidas com os genes e com a ajuda de um canhão de hélio são atiradas contra as células vegetais inserindo os genes. A eficiência desse processo é extremamente baixa.

A - Aparelho de bombardeamento B - Calos de tecido vegetal C -Tecido transformado selecionado D Plantas regeneradas E - Plantas cultivadas F - Plantas transgênicas adultas

Métodos Biológicos

Bactérias: É um método no qual o gene de interesse é inserido em uma bactéria (Agrobacterium tumefasciens ou A. rhizogenes) e esta "faz a entrega" ou seja, insere o gene de interesse na célula vegetal. Vírus: É muito semelhante ao método da bactéria, porém o vetor utilizado é um vírus.

Os métodos biológicos são os mais utilizados pois não requerem equipamentos de alto custo e tecnologia, além de serem mais simples, baratos e eficientes. Mais precisamente, o método mais comumente utilizado é o método com transferência por bactérias.

Em que são usados os transgênicos?
Os transgênicos hoje já nos trazem uma série de benefícios que por vezes nem sabemos que é atribuído a eles, por exemplo: Na Agricultura 7. Resistência a herbicidas 8. Resistência a vírus e fungos 9. Resistência ao ataque de insetos 10. Modificação na composição e qualidade dos óleos 11. Alteração na qualidade nutricional de alimentos 12. Produção de metabólitos secundários para indústria farmacêutica 13. Biofábricas de uma série de compostos que antes eram extraídos com baixo rendimento de outros vegetais.

Em que são usados os transgênicos?
1. 2. 3. 4. 5. 7.

Na Medicina Insulina produzida em larga escala Vacinas para meningite e hepatite B Produção de Hormônios de crescimento humano Imunotoxinas que auxiliam no combate ao Câncer

No Meio Ambiente 8. Despoluição de águas 9. Despoluição de solo 10. Retenção de metais pesados 11. Melhoria da qualidade do ar 12. Redução na quantidade de pesticidas utilizados.

Trabalhos da Embrapa com transgênicos - Fase Inicial
→Os técnicos já desenvolveram tecnologia para implantar genes em diversas espécies, mas ainda não a ponto de criar espécies modificadas.

ALFACE o objetivo é desenvolver espécies com resistência aos fungos Sclerotinia, que provocam o mofo branco. TOMATE Busca-se um fruto com resistência ao geminivírus, que amarela as folhas dos tomateiros e provoca perdas extensas. ALGODÃO A meta é criar algodoeiros resistentes a herbicidas, como os utilizados nas plantações da China e da África do Sul, e a insetos. TRIGO As variedades que a Embrapa quer criar seriam resistentes a doenças e a variáveis climáticas, e adaptáveis a várias regiões do país. CAFÉ Se busca uma planta resistente a herbicidas e a insetos.

Trabalhos da Embrapa com transgênicos -Segunda Fase
→A pesquisa já avançou para a implantação de genes e a comprovação de que são resistentes a doenças. Mas ainda não se avaliou se os alimentos são seguros para o meio ambiente e o consumo humano.

FEIJÃO Já se conseguiu desenvolver 2 mil mudas resistentes ao vírus-do-mosaicodourado, que amarelece e mata as folhas. Foram introduzidos fragmentos do DNA do vírus no feijão, o que bloqueia a replicação do germe e 'vacina' a planta contra a doença. BATATA Há mudas e clones de batatas transgênicas resistentes ao vírus Y, que atrofia as plantas. A única forma de combater com eficiência é destruir a plantação. MAMÃO Já há frutos resistentes ao vírus da mancha anelar, que causa perdas entre 5% e 100%. SOJA A Embrapa recebeu da Monsanto sementes transgênicas para cruzar com as cultivares nacionais e obteve 20 tipos de grãos. O impasse jurídico impediu que eles chegassem aos produtores.

Segurança
Por serem novos e despertar muita polêmica, os produtos transgênicos estão sendo avaliados com um rigor muito maior do que os produtos tradicionais lançados no mercado. Da criação de um novo produto até seu lançamento no mercado, são anos e anos de teste (geralmente de 4 a 6). Dentre os critérios avaliados para alimentos estão:
   

TOXICIDADE (efeitos crônicos, agudos e alergenicidade) NUTRIÇÃO (Efeitos do processo nos níveis de disponibilidade de nutrientes e fatores anti-nutricionais) MICROBIOLOGIA (efeitos das mudanças de patogenicidade e riscos de contaminação biológica) INGESTA (impacto do novo produto nos níveis de ingestão e processamento)

O OGM deve prover garantia quanto à segurança relativa ao análogo convencional, mostrar se os efeitos da modificação genética foram os previstos. OGM/derivado é suficientemente similar ao análogo convencional para permitir que a avaliação de segurança alimentar seja focada nas diferenças existentes, por exemplo:
  

Novo gene. Produtos do novo gene com efeitos secundários. Alteração de estabilidade, patogenicidade, ou transferência de genes.

Vantagens X Desvantagens
Vantagens

Aumentar a produção de alimentos com redução nos custos de produção. Aumento da resistência induzida diminuindo assim, a necessidade do uso de herbicidas. Produção de alimentos de maior qualidade nutricional e menor perecibilidade. Produção de anticorpos em plantas transgênicas e a possibilidade de as distribuição em massa. Introdução de novas características não existentes no organismo em seu estado original.

Vantagens para a Saúde

OGM de terceira geração

Vantagens X Desvantagens
Desvantagens
1. À saúde humana
 

Aumento das alergias. Prejudicar seriamente o tratamento de algumas doenças de homens e animais. Isto ocorre porque muitos cultivos possuem genes de resistência antibiótica. Se o gene resistente atingir uma bactéria nociva, pode conferir-lhe imunidade ao antibiótico, aumentando a lista, já alarmante, de problemas médicos envolvendo doenças ligadas a bactérias imunes. Em torno de 8% da população mundial tem alergia a proteínas contidas na soja.

Vantagens X Desvantagens
 

2. Ao meio-ambiente Fluxo gênico: pode ocorrer a transferência de genes da planta transgênica para uma espécie diferente que pode ser um parente silvestre ou plantas daninhas sexualmente compatíveis podendo gerar desequilíbrio nas cadeias alimentas e no próprio ecossistema; Boa parte dos chamados transgênicos, recebem um gene que os tornam resistentes a herbicidas e inseticidas. Assim, podem receber mais agrotóxicos que o usual. Impactos sobre a biodiversidade E outros efeitos colaterais que não podem ser previstos a curto prazo.

 

Conclusão

 

É necessário respeitar a pluralidade moral e o desejo livre, soberano e consciente dos indivíduos e das sociedades humanas desde que isso não signifique dominação ou expropriação dos direitos de pessoas e populações. A pesquisa deve, em primeiro lugar, ter em conta a qualidade de vida da população e a preservação do meio ambiente e não os interesses privados e a satisfação econômica de alguns grupos transnacionais. A falta de acúmulo de conhecimentos e investimento público em pesquisas de biossegurança. A falta de conhecimento científico e informação suficiente para uma avaliação de risco, democrática e responsável.

Conclusão

Não é possível retirar do consumidor brasileiro a opção pela escolha entre produtos naturais e os geneticamente modificados. A ausência de informação clara e precisa sobre a origem de OGM´s caracteriza um grave descumprimento do Código de Defesa do Consumidor. Portanto, devemos concluir que o fator chave é a importância da conscientização e mobilização da sociedade civil e o investimento público prioritário em pesquisas de biossegurança, de forma a ampliar a capacidade nacional de avaliação de risco e elaboração de normas de biosegurança que possibilitem a liberação de organismos em situações que minimizem o risco para o ambiente e a saúde humana.

Quem regula o uso de transgênicos no Brasil?

O que é o alimento transgênico

Alimentos transgenicos

Cultivo de transgênicos no mundo

Enzimas recombinantes na industria

Por que existe, então, tanta oposição ao uso dos transgênicos?
Talvez tudo tenha começado com uma trágica ocorrência em 1989, nos EUA, s.

quando 37 pessoas m

Tudo que gostariamos de saber sobre transgênicos e não tinhamos coragem de perguntar!!!!

Organismo transgênico pode matar?

Os transgênicos podem causar alergias?

Transferência dos transgênes

Apóiam o uso de transgênicos

Opinião pública no Brasil

Pergunta Principal

Legislação Brasileira Atual

Conclusões Finais

Curiosidade
Sabe qual a chance de que um gene inserido em uma planta transgênica Ingerida por você possa se integrar ao seu genoma e causar algum dano? Acompanhe o raciocínio: Vamos admitir que você vá comer o vegetal transgênico cru (pois cozido desnaturaria todo o DNA) 1. O DNA teria que resistir às enzimas da saliva (que iniciam a quebra de produtos iniciando a digestão) 2. SE passasse pela saliva, teria que resistir às inúmeras enzimas do trato digestivo 3. SE resistisse, teria que agüentar o pH muito baixo dos ácidos estomacais 4. SE agüentasse, teria que resistir às enzimas do pâncreas e do intestino 5. SE resistisse, teria que chegar em uma forma livre (muito instável), desencapsulada. 6. SE chegasse, teria que ser incorporada por alguma bactéria do seu trato digestivo 7. SE fosse, teria que ser integrado a um plasmídio da bactéria (com processos laboratoriais controlados isso já é muito difícil) 8. SE fosse integrada, esta bactéria teria que ter a capacidade de

9. SE tivesse, ela teria que ter sucesso na transferência 10. SE tivesse, ainda teria que resistir às enzimas do citoplasma da sua célula que tendem a destruir qualquer "corpo estranho" 11. SE resistisse teria que chegar ao núcleo da sua célula 12. SE chegasse teria que penetrar e integrar-se ao DNA (tarefa nada fácil) 13. SE integrasse teria que resistir ao mecanismo celular de reparo de DNA (mecanismo que faz a verificação do DNA para eliminar células com código genético "estranho") 14. SE resistisse, teria que chegar inteiro e teria que se ligar em uma região que está ativa (existem muitas regiões inativas no nosso DNA) 15. SE chegasse teria que codificar alguma proteína 16. SE codificasse, essa proteína teria que ser processada 17. SE fosse, ela teria que ser tóxica ou causar algum mal pra você. Agora... SE isso acontecer com você, jogue na loteria hoje mesmo porque as chances disso tudo acontecer são menores do que 1/1.000.000.......0.(são 42 zeros). Sabe o que isso quer dizer? Que as chances de você ser atingido por um meteorito enquanto você lê essa matéria são maiores do que isso!

Bibliografia
        

Controle sanitário dos alimentos - 3 edição www.embrapa.br www.greenpeace.org.br http://www.comciencia.br/comciencia/ www.unifesp.br –Universidade federal de SP www. revistagloborural.globo.com Site do governo de agricultura www.veja.com.br - trangenicos Entre outros sites

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->