Sentir

São Bento
Sense
São Bento
guide
ASSOCIAÇÃO
CULTURAL E
RECREATIVA
PEDRAS
SOLTAS
guia
São Bento civil parish is located
in the center region of Portugal, at
the Santo António Plateau which
separates Serra de Aire from Serra
dos Candeeiros. It is the biggest
civil parish of Porto de Mós district,
with more than 39 square km, one
of the biggest of Leiria county.
Its first inhabitants were convict
settlers from Lisbon, in the XII
century, which, as a way of punish-
ment, were sent to a land where
survival was a hard task. In this
case, due to dehydrated lands, lack
of surface water and the distance
from nearest settlements.
A

freguesia de São
Bento situa-se na
zona centro, no
Planalto de Santo António
que separa a Serra de Aire
da Serra dos Candeeiros.
É a maior freguesia do
concelho de Porto de Mós,
com mais de 39 quilómetros
quadrados, e uma das
maiores do distrito de Leiria.
Os primeiros habitantes
terão sido “degredados”
de Lisboa, no século XII,
reclusos que, como forma
de castigo, eram enviados
para um território onde a
sobrevivência era uma tarefa
árdua. Neste caso, devido
aos terrenos desidratados,
à falta de água à superfície
e à distância de todas as
povoações.
A estrada do Patelo é o nome dado
à ligação entre São Bento e o vale
de Alvados, antiga sede de freguesia,
através de uma estrada sinuosa.
Deve o nome aos “patelos”, ou
seja, os ladrões que a usavam para
fugir após os roubos aos viajantes
que se deslocavam entre Santarém
e o Porto e utilizavam as estradas
nos arredores.
A norte desenvolve-se a Costa,
descida íngreme entre São Bento
e Alvados, que possibilita uma vista
impressionante. É também nesta
linha que encontramos uma pista de
parapente (mapa:22) e um pouco
mais a norte a vista para a Fórnea
(mapa:23).
PATELO E COSTA
A terra pertence ao dono, mas a paisagem pertence a quem a sabe olhar.
Miguel Sousa Tavares
A estrada do Patelo é o nome dado
à ligação entre São Bento e o vale
de Alvados, antiga sede de freguesia,
através de uma estrada sinuosa.
Deve o nome aos “patelos”, ou
seja, os ladrões que a usavam para
fugir após os roubos aos viajantes
que se deslocavam entre Santarém
e o Porto e utilizavam as estradas
nos arredores.
A norte desenvolve-se a Costa,
descida íngreme entre São Bento
e Alvados, que possibilita uma vista
impressionante. É também nesta
linha que encontramos uma pista de
parapente (mapa:22) e um pouco
mais a norte a vista para a Fórnea
(mapa:23).
The Patelo road
is the name given
to the link between
São Bento and the Alvados
valley, our old civil parish,
through a winding road and
owes its name to “patelos” -
thieves that used it to escape
after robbing travelers on
their way between Santarém
and Porto and used nearby
roads.
To the north, the
Costa evolves, a steep slope
between São Bento and
Alvados, which makes for an
impressive view. This line is
also the place where we can
find the paragliding runway
(map: 22). To the north we
can appreciate the view to
Fornea (map: 23).
O que a
natureza
deixou
PATELO E COSTA
What nature
has left us
A terra pertence ao dono, mas a paisagem pertence a quem a sabe olhar.
Miguel Sousa Tavares

Ao tratar-se de um planalto, a freguesia
de São Bento tem palcos privilegiados
para ver a paisagem dos vários vales que
a rodeiam. No entanto, a paisagem mais
impressionante observa-se na parte sul
do Planalto, onde se consegue apreciar a
grande imensidão da lezíria ribatejana.
VISTA PARA A LEZÍRIA
|
VIEW TO THE LEZÍRIA
ALGARES
|
CAVE PIT
Being a plateau, São Bento civil parish
is a privileged stage to view several
valleys that surround it. However, the
most impressive view can be seen in the
south part of the Plateau, where one
can appreciate the great vastness of the
Ribatejo lezíria.
Algar é uma cavidade natural vertical, cujo termo
tem origem no árabe Al-gar. Este tipo de rasgos
e fendas são muito comuns por todo o planalto
e constituem a principal razão pela qual a água é
rapidamente engolida pela terra. Os algares servem
de armadilha a animais distraídos. Noutros tempos
serviam de jazigo para animais e até de lixeiras.
Hoje são explorados por turistas e espeleólogos e
utilizados para cursos de salvamento e resgate.
Pelo planalto existem também muitas lapas,
aberturas à superfície que comunicam com cavidades
de desenvolvimento horizontal.
A Lapa dos Pocilgões (na fotografia) é um fenómeno
geológico singular: a gruta natural dá acesso a uma
cavidade, agora com abertura vertical, que resultou
do abatimento do teto de uma galeria fóssil, devido
às forças da erosão.
ALGARES
|
CAVE PIT
Algar is a natural vertical cave, which has
it’s name in the arab Al-Gar.
This type of cracks and crevices are
very common throughout all the plateau
and are the main reason why rainwater
is rapidly swallowed by the land. Algares
serve as traps to distracted animals. In
the past they served as burial sites to
animals and dumping grounds for trash.
Nowadays, they are explored by tourists
and spelunkers and used as salvaging and
rescue practice grounds.
Throughout the Plateau, there are also
many caves with surface openings that
give access to horizontal chambers.
The Pocilgões cave (in the picture) is
a singular geologic phenomenon: the
natural cave gives access to a chamber,
now with a vertical opening resulting
from the collapsing of the roof of a fossil
gallery due to erosion forces.
A ação do vento e da água na erosão do calcário torna
o Planalto de Santo António rico em várias formas de
carsificação. Um dos fenómenos mais espetaculares são
os mega-lapiás, penedos fantásticos que se destacam
pela grande dimensão e diversidade de formas que
incitam à imaginação. Moleana, Paiã ou Covas são
algumas povoações onde podem ser observados.
Os campos de lapiás são frequentes no Planalto,
constituindo grandes extensões de superfície com
calcário modelado pelos elementos com diferentes
formas e dimensões.
Entre as formas cársicas há que destacar ainda as dolinas,
que podem ser observadas na Chainça ou Covões
Largos (mapa:24). São depressões grosseiramente
circulares e com o fundo preenchido por sedimentos,
criando melhores solos para a agricultura. Popularmente
são chamadas de covões.
MEGA-LAPIÁS
|
MEGA-LAPIAZ
The action of the wind and water in
eroding the limestone makes the Santo
António Plateau rich in different forms of
carsification. One of the more spectacular
phenomenons are mega-lapiaz, fantastic
boulders that stand out due to their size
and shape diversity which entice our
imagination. Moleana, Paiã or Covas are
some of the towns where they can be
observed (map: 24).
Lapiaz fields are frequent in the Plateau,
they make for large surface areas with
molded limestone by the elements with
different shapes and sizes.
Among the karst features, there is yet to
highlight dolines, which can be observed
at Chainça or Covões Largos. They are
grossly circular depressions with their
bottoms filled with sediments, making for
better agricultural lands. Locally, they are
called as Covões.
Com a falta de água à superfície a sobrevivência
dos habitantes em São Bento apenas foi possível
graças à existência de pias, cavidades naturais
existentes nas rochas que permitiam armazenar
água da chuva.
Desde cedo também o povo foi construindo
barreiros e pias comunitárias, aproveitando
as características do terreno barrento ou as
particularidades de pedras, para armazenar a
água para saciar a sede também aos animais no
regresso a casa para a ordenha (mapa:29).
Em toda a freguesia existe apenas uma fonte
natural, de caudal relativamente permanente,
localizada no Covão da Fonte (mapa:25).
PIAS
|
WATER HOLES
Due to the lack of surface water,
the survival of São Bento inhabitants
was only made possible by the
existence of pias, natural water holes
that would collect rain water.
From early on, the population
would also build “barreiros” and
community “pias”, taking advantage
of clay land or natural stone holes
to quench the thirst of their animals
on the way back home to be milked
(map: 29).
All over the civil parish there is only
one natural spring, with a relatively
permanent water flow, located in
Covão da Fonte (map: 25).
A natureza deixou o seu cunho
com a abundância de pedra. O
Homem usou o esforço e engenho
para utilizar a pedra, supostamente
inútil, numa ferramenta de vida
e num modo de sustento. O
rendilhado dos muros de pedra solta
marca a paisagem e foi uma forma
encontrada de proteger culturas,
vedar animais e ao mesmo tempo
obter terras aráveis. Ao encaixar as
pedras em muros foi possível limpar
terras para cultivo ou pastagem.
Nos casos em que os muros não
conseguiram absorver toda a pedra
solta existente a solução foi criar
“maroiços”, montes de pedra no
interior do terreno vedado.
O que o
homem
criou
MUROS DE PEDRA SOLTA
|
WALLS OF LOOSE STONE
What man created
O som liso da terra interrompido por pedras. Pedras como a pontuação da tarde.
Pedras pequenas como vírgulas, pedras maiores como pontos.

José Luís Peixoto
O som liso da terra interrompido por pedras. Pedras como a pontuação da tarde.
Pedras pequenas como vírgulas, pedras maiores como pontos.

José Luís Peixoto
Nature left its mark
with the abundance of
stone. Men used their
effort and skills to use stone,
supposedly useless, into a life
tool and way of sustenance. The
loose stone walls embroidery
marks the landscape and
was one way to protect the
crops, enclose animals and
at the same time make lands
plowable. By fitting stones, the
stone walls made it possible to
clean the lands to make room
for crops and grazing. In other
cases, where the walls were not
enough to absorb all the loose
stone, the solution was to create
“maroiços”, piles of stone inside
the enclosed land.
Chão
das Pias
Covão
da Fonte
Covões
Largos
Casal de
Santo António
Casais das
Correias
São Bento
Covão do
Sabugueiro Barreira da
Junqueira
Curraleira
Pia do Lopo
Telhados
Grandes
Casal Velho
Parque Natural
das Serras de Aire
e Candeeiros
Espinheiro
Moliana
Penedos
Belos
Vale de
Carneiros
Pia Carneira
Paiã Fontainhas
Cabeço das
Pombas
Chainça
Covão
da Fonte
Covões
Largos
Casal de
Santo António
Casais das
Correias
São Bento
Covão do
Sabugueiro Barreira da
Junqueira
Curraleira
Pia do Lopo
Telhados
Grandes
Casal Velho
Parque Natural
das Serras de Aire
e Candeeiros
Espinheiro
Moliana
Penedos
Belos
Vale de
Carneiros
Pia Carneira
Paiã
Fontainhas
Cabeço das
Pombas
1 km
1 mile
Chainça
Covão
da Fonte
Covões
Largos
Casal de
Santo António
Casais das
Correias
São Bento
Covão do
Sabugueiro Barreira da
Junqueira
Curraleira
Pia do Lopo
Telhados
Grandes
Casal Velho
Parque Natural
das Serras de Aire
e Candeeiros
Espinheiro
Moliana
Penedos
Belos
Vale de
Carneiros
Pia Carneira
Paiã
Fontainhas
Cabeço das
Pombas
Patelo
GPS | lat. 39.5276640 long. -8.7718270
Vista sobre o Vale de Canada e o Polge de Alvados.
Vista para o Castelejo
GPS | lat. 39.5277750 long. -8.7590900
Encosta ingreme com vista para o vale de Alvados.
Vista para a Lezíria
GPS | lat. 39.5137670 long. -8.7785600
Vista para a Lezíria Ribatejana e para a Serra de
Montejunto.
Lapa dos Pocilgões
GPS | lat. 39.4894910 long. -8.7955430
Cavidade de abatimento, um ex-líbris da regiãao devido à
facilidade de acesso e à grande beleza.
Algar da Bajanca e Cofelo
GPS | lat. 39.5053370 long. -8.8059320
Local muito usado para ensino de espeleologia.
Algar do Alecrineiros
GPS | lat. 39.5122220 long. -8.8129240
Uma das cavidades conhecidas mais profundas de
Portugal (actualmente com uma quota de -230m).
Algar da Boca Larga
GPS | lat. 39.5139660 long. -8.8111900
Algar que deve o nome ao grande diâmetro da
entrada da cavidade.
Algar da Sardanisca
GPS | lat. 39.5134660 long. -8.8122920
Local de nidificação da espécie mais emblemática
do Planalto de Santo António, a Gralha-de-bico-vermelho.
Algar do Ladoeiro
GPS | lat. 39.5258180 long. -8.7543080
Cavidade de abatimento de grande interesse científico,
com espécies vegetais e animais (troglóbios) únicos.
Mega Lapiás da Paiã
GPS | lat. 39.4902000 long. -8.7371590
Monólitos esculpidas pela chuva de enorme beleza
que nos instigam a imaginação. Também podem ser
observados Mega Lapiás na Moliana.
Campo de Lapiás da Barreira Junqueira
GPS | lat. 39.5200810 long. -8.7680210

Formações típicas das zonas cársicas, provocadas
pela erosão.
Pias do Codaçal
GPS | lat. 39.5413670 long. -8.8121980
Aglomerados de pias escavas naturalmente que
armazenam a água de escorrências.
Muros e vista sobre a uvala da Azelha
GPS | lat. 39.5348780 long. -8.7990530
Depressão tipicamente cársica e um dos vários locais
onde se podem observar os característicos muros
de pedra solta.
Moinho do Espingardeiro
GPS | lat. 39.5363660 long. -8.7937270
Moinho particular recuperado de forma a preservar a
traça e funcionamento original.
Moinho do Daniel
GPS | lat. 39.5405160 long. -8.8036980
Moinho particular restaurado.
Casina do Cheirinho
GPS | lat. 39.4803770 long. -8.7323610
A mais bela do planalto, servia como abrigo para os pastores.
Perto do marco geodésico goza de uma vista fantástica
sobre o vale do Tejo, já fora dos limites da freguesia.
Lagar de Azeite do Ti Ezequiel
GPS | lat. 39.4961430 long. -8.7553420
Lagar de fabrico tradicional de azeite.
Capela da Pia Carneira
GPS | lat. 39.4923360 long. -8.7534130
Capela de invocação a Santa Águeda e S. Sebastião. Os
contrafortes da sua construção distingue-a das demais.
Pedreiras de Lage
GPS | lat. 39.5037840 long. -8.7442530
Zona de pedreiras de lage de revestimento. Um dos três
tipos de exloração de pedra do maciço.
Pedreiras de blocos
GPS | lat. 39.5387650 long. -8.8140440
Pedreiras de blocos de calcário, uma das principais ativi-
dades económicas do Planalto. Este tipo de exploração
encontra-se também no Espinheiro e Moliana.
Pedreiras de Calçada
GPS | lat. 39.4903220 long. -8.8074550
Zona de extração de calçada à portuguesa, pequenos
cubos de calcário, que ornamentam passeios e praças
em Portugal e pelo mundo.
Pista de Parapente
GPS | lat. 39.5394630 long. -8.7835400
Pista de lançamento de parapente com excelente vista
para o polje de Alvados.
Vista para a Fórnea
GPS | lat. 39.5550120 long. -8.7970690
Estrutura em forma de anfiteatro, uma das mais bem
preservadas da Europa que demonstra bem as forças em
acção no Maciço Calcário Estremenho.
Capela da Chainça e observação de Dolina
GPS | lat. 39.5495570 long. -8.8014010
Capela de invocação a N.ª Sr.ª da Conceição.
Fonte e tanques de armazenagem de água
GPS | lat. 39.5378040 long. -8.8029110
Tanques onde é armazenada água para o combate a
incêndios florestais, que são abastecidos pela única fonte
natural da freguesia.
Capela da Cabeça das Pombas
GPS | lat. 39.4949460 long. -8.7953360
Capela belissima de invocação a Santa Susana e à
Nª Srª da Saúde.
Capela de Santo António
GPS | lat. 39.5294270 long. -8.8028970
Foi mandada construir por um particular em 1905 e é de
invocação a Santo António.
Igreja Matriz
GPS | lat. 39.5276370 long. -8.7898340
Construída no local da anterior igreja é de invocação
a São Bento.
Parque de merendas do Barreiro Novo
GPS | lat. 39.5220830 long. -8.7548200
Estrutura criada para o armazenamento de água da
chuva. Criado pela população e para a população é o
maior do género no planalto.
Penas do Casal Velho
GPS | lat. 39.5070570 long. -8.8000210
Escarpa de grande interesse geológico e paisagistico.
Nesta serra o vento faz-se sentir quase
todo o ano. Juntando o vento generoso
e a abundância de pedra, a população foi
construindo moinhos, usando a energia
eólica para a moagem de farinha, que
foi um elemento central na alimentação
dos habitantes. Ainda hoje são vários os
moinhos que podem ser vistos, alguns ainda
com o engenho a funcionar, testemunhos
da vontade e determinação no trabalho.
MOINHOS
|
WINDMILLS
In these mountains, wind is felt
almost year round. Adding generous
winds and abundant stone, these
people built windmills using wind
power to mill flour, which was a key
element in the diet of the locals. Today,
there are still several windmills that
can be seen, some with the flour mill
still in working, witnessing the will and
determination at work.
A pedra é a base das mais variadas
construções, como as casinas. São construções
integralmente construídas em pedra, incluindo a
cobertura, erguidas para dar abrigo a pastores.
Encontram-se casinas que apenas abrigavam o
pastor e algumas de maior dimensão, onde era
possível acoitar inclusive o rebanho. Apesar da
ausência de ferro ou betão, os pastores foram
“mestres de obra” capazes de construir abrigos
que permanecem intactos até aos nossos dias.
CASINAS
|
LOOSE STONE HOUSES
Stone is the base of very diversified
constructions, like “casinas”. They
are constructions integrally built in
stone, including the roof, to shelter
shepherds. One can find “casinas”
that would shelter just the shepherds
to some bigger ones that could also
shelter the herd. Although in iron
or concrete’s absence, shepherds
were “master builders”, capable of
building shelters which remained intact
until today.
A forte presença de oliveiras é uma das imagens
distintivas de São Bento, o que se deve à grande
adaptação da árvore a uma terra pobre e um
clima agreste. A azeitona colhida das oliveiras era
um elemento vital para a população: depois de
esmagada nos lagares era um líquido precioso,
quer para regar a comida, quer para iluminar as
noites longas de inverno. Os lagares eram uma
importante fonte de rendimento e um espaço
social. Durante muitos anos estiveram vedados
a mulheres e, além de serem um local de
trabalho árduo, acolhiam também momentos
de convívio em torno de um alguidar de
bacalhau à lagareiro. A “apanha da azeitona” e
os lagares são elementos que se mantêm vivos
até aos dias de hoje.
LAGARES DE AZEITE
|
OLIVE OIL PRESS
The strong presence of olive trees is
one of the most distinctive images of São
Bento, due to olive tree’s great adaptation
capability to poor lands and a harsh
climate. Olives picked from olive trees
were a vital element to the population:
after being pressed in the “lagares”, it was
a precious liquid to either season food,
or to light long winter nights. Lagares
were also a source of income and a social
gathering place. During many years, they
were restricted to women; although
being a place of hard work, they would
also host get togethers around a bowl
of “Bacalhau à lagareiro” (codfish with
olive oil) meal. Olive picking and olive oil
presses are the elements kept alive to
these days.
A referência escrita mais antiga que é conhecida sobre a freguesia de São Bento
consta do Couseiro e refere que em 1560 habitavam em Pia Carneira Lopo João
e a sua mulher Águeda Maria. O casal mandou construir uma capela em honra do
Divino Mártir S. Sebastião, para agradecer o refúgio ali encontrado durante a fuga à
justiça régia. Os oragos são Santa Águeda (o seu símbolo são os seios numa bandeja)
e o São Sebastião, o mártir.
A poucos metros da Capela encontra-se o Penedo da Cruz, assim chamado por ter
gravado uma cruz que se afirma assinalar o local onde parou uma grande epidemia
de peste.
Em São Bento encontramos ainda capelas em Chainça, Cabeça das Pombas e Casal
de Santo António, além da Igreja Matriz, construída na sede de freguesia no mesmo
local da anterior (mapa:24,26,27 e 28).
CAPELA DA PIA CARNEIRA
|
PIA CARNEIRA CHAPEL
The oldest written source
known about São Bento civil
parish was of Couseiro, which
mentioned that in 1560, Lopo
João and his wife Águeda Maria
lived in Pia Carneira. The couple
ordered a chapel to be built,
honoring the Divine Martyr Saint
Sebastian, to thank him for the
haven found there during their
escape from regal justice. Its
invocations are Saint Agatha (her
symbol is her breasts in a platter)
and Saint Sebastian, the martyr.
Not many meters away, one
can find the Cross Boulder, hav-
ing this name for having a cross
engraved which was told signals
the spot where a great epidemic
stopped.
In São Bento, one can find
chapels in Chainça, Cabeça das
Pombas and Casal de Santo
António. The parish church, built
in the civil parish town, is in the
same location where the old
one was located (map: 24, 26,
27 and 28).
Uma população rodeada de calcário desde cedo
arranjou forma de transformar “pedras em pão”. Os
vestígios mais antigos de exploração de pedra podem
ser encontrados na zona da Pia dos Lobos, de onde
eram extraídas mós. A pedra era também esculpida
para dar forma a pias para guardar azeite e cereais,
lavadouros de roupa ou bebedouros de animais.
Em meados do século XX surgiram novas pedreiras
de extração de blocos em calcário que ainda mantém
atividade em vários pontos da freguesia: Moleana,
Espinheiro e Codaçal.
Mais perto do final do século ganhou força a extração
de calçada à portuguesa no Corredouro. Apesar
de em São Bento a exploração ser mais recente, a
calçada à portuguesa foi aplicada pela primeira vez
em Lisboa, em meados do século XIX, num trabalho
realizado por presidiários. O pavimento com um
desenho em zig-zag foi considerado irreverente para
a época e conotado com um ideal de moda e de bom
gosto. A moda da calçada à portuguesa rapidamente
se espalhou pelo país, colónias e além-fronteiras.
Além de blocos e calçada à portuguesa, existem
ainda pedreiras de laje na freguesia.
PEDREIRAS
|
QUARRIES
The population surrounded by limestone from
the early days found way to transform “stones to
bread”. The oldest traces of stone extraction can
be found in Pia dos Lobos area, where millstones
were extracted. This stone was also sculpted to
give shape to sinks to keep olive oil and cereals,
washing clothes sinks and animal drinkers.
In the middle of the XX century new quarries
arose to extract limestone blocks; they still are
in operation in several points of the civil parish:
Moleana, Espinheiro and Codaçal.
Closer to the end of the century, “Calçada à
Portuguesa” pavement gained expression at Cor-
redouro. Although the exploration in São Bento
is more recent, “Calçada à Portuguesa” was used
for the first time in Lisbon, in the middle of the
XIX century, in a work made by convicts. The
pavement with a zigzag pattern was considered
irreverent for the times and given an ideal of
fashion and good taste. The “Calçada à Portu-
guesa” rapidly expanded throughout the country,
oversea colonies and foreign countries.
Besides limestone blocks and “Calçada à Portu-
guesa”, there are also limestone slabs quarries in
the civil parish.
Fauna
Wildlife
Não foi apenas o Homem que se adaptou ao Planalto.
Outros animais também se moldaram às agrestes condições
naturais e o caso mais interessante é o da gralha-de-bico-
vermelho que, neste local, nidifica exclusivamente dentro
de algares e outras cavidades. Devido à existência de um
grande mundo subterrâneo, existem muitos morcegos,
que são o símbolo do Parque Natural das Serras de Aire
e Candeeiros.
No entanto, quando se pensa em São Bento, o primeiro
animal que se associa à paisagem é a vaca, introduzida
pelo homem. A vaca de leite turina foi protagonista da
principal fonte de rendimento da população nas décadas
de 80 e 90. As cabras primeiro, e depois as vacas, tiveram
um papel importante na configuração da paisagem pois
impediram o crescimento excessivo de mato.
Numa altura em que a comida escasseava, o leite foi uma
fonte barata de sustento ao ponto de ser racionado. Os
pastores recorriam ao barbilho, que impedia os cabritos
de mamar nas tetas das cabras, para acelerar o desmame.
It was not just Men that adapted to the
Plateau. Other animals also adapted to the
harsh environment. The most interesting case
is of the red-billed chough that, in this place,
nests exclusively inside algares and other caves.
Due to the existence of a great underground
world, there are also a lot of bats, which are
“symbols” of Parque Natural da Serra de Aire
e Candeeiros.
However, when you think of São Bento,
the first animals that are associated with the
landscape are cows, introduced by Man. The
turina dairy cattle was the headliner of the
main source of income of the population in
the 80’s and 90’s. Goats first, then cows, had
very important roles in modeling the landscape
as they would stop the excessive growth of
wild bushes.
Back then food was scarce, so milk was a
cheap source of sustenance to the point of
being rationed. Shepherds would resort to
the “barbilho” (mouthpiece) which would stop
goatlings from sucking their mothers’ udders to
speed up the weaning.
Fauna Flora
Plant Life
Os solos escassos e o clima agreste fazem com que a
vegetação em São Bento seja constituída principalmente
por matos rasteiros. O tomilho é um subarbusto aromático
que se encontra com abundância em todo o planalto. As
plantas aromáticas e medicinais são uma característica
dominante da flora, sendo utilizada, desde sempre, pela
população para remédios, panaceias e temperos.
A oliveira não é autóctone, mas domina a vegetação não
espontânea.
Na zona sul da freguesia pode visitar-se uma área de
sobral.
The scarce soils and harsh climate make the
wild plants in São Bento to be comprised of
mainly low vegetation. Thyme is an aromatic
shrub found abundantly in the whole Plateau.
Aromatic and medicinal plants are one of the
dominant characteristics of the local flora hav-
ing always been used by the local population
for medicines, panaceas and seasonings.
The olive tree isn’t autochthonous, but
dominates the non-spontaneous vegetation.
In the southern area of the civil parish, one
can visit a cork oak woodland.
FICHA TÉCNICA
TÍTULO (TITLE): Sentir São Bento (Sense São Bento) | AUTOR (AUTHOR): Associação Cultural e Recreativa
“Pedras Soltas”, Junta de Freguesia de São Bento | TEXTOS (WRITERS): Dália Silva, Patrícia Santos
TRADUÇÃO (TRANSLATION): Samuel da Costa | REVISÃO (EDITORS): Vânia Frazão, Yutzu Liang Goalabré, Samuel
da Costa | DESIGN & LAYOUT: Ricardo Matias, Suse Antunes | FOTOS (PHOTOGRAPHY): Shoot & Walking,
Associação Cultural e Recreativa “Pedras Soltas” São Bento, 2013 | IMPRESSÃO E ACABAMENTO (PRINTING):
Offsetlis, indústria gráfica, lda | 1.ª TIRAGEM (1ST SAMPLING): 400 exemplares (samples), Maio (May) 2013
A Associação Cultural e Recreativa “Pedras
Soltas” nasceu em 2003 com o objetivo de
valorizar e dinamizar o património de São
Bento. Durante uma década desenvolveu
atividades de animação cultural, registo e
promoção de tradições locais. Este guia de
apresentação da freguesia encerra a atividade
desta associação.
Association created in 2003 with the purpose
of valuing and giving dynamics to São Bento’s
heritage. During this period several cultural and
heritage related activities were registered in
a audiovisual format. This guide closures this
association’s activities.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful