Você está na página 1de 18
Informativo da Contmatic Phoenix • www.contmatic.com.br Edição 93 • Maio 2012 Em prol da classE
Informativo da Contmatic Phoenix • www.contmatic.com.br Edição 93 • Maio 2012 Em prol da classE
Informativo da Contmatic Phoenix • www.contmatic.com.br Edição 93 • Maio 2012 Em prol da classE
Informativo da Contmatic Phoenix • www.contmatic.com.br Edição 93 • Maio 2012 Em prol da classE

Informativo da Contmatic Phoenix • www.contmatic.com.br

Informativo da Contmatic Phoenix • www.contmatic.com.br Edição 93 • Maio 2012 Em prol da classE contábil,

Edição 93 • Maio 2012

Em prol da classE contábil, as duas EmprEsas fEcham uma parcEria dE nEgócios quE bEnEficiará os sEus cliEntEs; juntas, Elas ofErEcErão os mElhorEs sistEmas E as mais importantEs E atuais informaçõEs sobrE lEgislação E mErcado

dipj, Ecd E fcont têm prazo até junho

VEja as noVidadEs da Efd-contribuiçõEs

dipj, Ecd E fcont têm prazo até junho VEja as noVidadEs da Efd-contribuiçõEs g5 para atEndEr

g5 para atEndEr o spEd sEm conflitos

Foto • Divulgação
Foto • Divulgação

editorial

Na edição anterior deste boletim apresentamos a vocês, nos- sos parceiros, em primeira mão, o projeto de expansão que

demos início recentemente. O objetivo é criarmos entre 8 e 12 novos canais de atendimento em pontos estratégicos do País

e inaugurar, em São Paulo, um moderno e amplo complexo administrativo ainda em 2013.

Pois bem, meus amigos, também lhes trago uma excelente notícia no exato momento em que comemoramos o Dia do

Contabilista, neste 25 de abril. Em prol da classe contábil,

a Contmatic Phoenix acaba de fechar uma parceria com o

Centro de Orientação Fiscal (Cenofisco). Não tenham dúvida

de que, por meio dessa integração, os clientes de ambas as empresas terão mais garantias e segurança na execução de seus trabalhos contábeis, fiscais e administrativos.

A parceria, um marco histórico no mercado da contabilidade,

reunindo companhias com 25 anos de experiência e referên- cias em suas áreas de atuação, será de fundamental impor- tância no auxílio aos profissionais do setor, especialmente em um momento em que o País passa por profundas transforma- ções por conta do Sped. As empresas, e principalmente seus clientes, têm muito a ganhar.

A Contmatic é a líder absoluta do mercado de softwares

de gestão contábil em São Paulo. O Cenofisco, por sua vez,

é líder no segmento de publicações legislativas voltadas às

questões tributárias, contábeis, regulatórias, trabalhistas e previdenciárias em todo o País. Atentos às necessidades de clientes e do mercado, estamos juntos para oferecermos as melhores soluções. Acompanhem as nossas futuras ações e, preparem-se, pois os maiores beneficiados serão vocês.

Sérgio Contente

Presidente da Contmatic Phoenix Idealizador e mantenedor da Fundação Sérgio Contente – Idepac Deus seja louvado

Índice

3

Contmatic fecha parceria com Cenofisco

4

Evite a dor de cabeça com a DIPJ

5

Fcont e ECD Contábil: prazo até junho

6

Datacon em Nossos Parceiros

7

Entrevista com Marcos Barbosa

8

FAQ do Sped com Sérgio Contente

2 | contmatic

8 FAQ do Sped com Sérgio Contente 2 | contmatic | canal aBerto “A chave para

|

canal

aBerto

“A chave para o sucesso de um funcionário em qual- quer empresa, além do talento, é o seu conhecimen- to. Minha chave para o sucesso na área profissional começou pela Fundação Sérgio Contente – Idepac. Hoje trabalho em um escritório contábil e utilizo dia- riamente os softwares da Contmatic. Além de contar com um atendimento muito bom do suporte técnico, posso tirar minhas dúvidas com a equipe da consul- toria Legalmatic e capacitar-me por meio dos Cursos Contmatic. Espero que a empresa continue sempre assim: oferecendo sistemas de excelência no merca- do e capacitando os funcionários de seus clientes.”

Verônica Suelleny de Lima Melo Notari Assessoria Contábil Ltda
Verônica Suelleny
de Lima Melo
Notari Assessoria Contábil Ltda
Suelleny de Lima Melo Notari Assessoria Contábil Ltda Ilton Vieira Santos Alencar Vitasovic “Cada vez mais
Ilton Vieira Santos
Ilton Vieira Santos

Alencar Vitasovic

“Cada vez mais vivemos uma rotina sufocante de trabalho no meio contábil. Por isso agradeço muito a Contmatic por nos ajudar a simplificar nosso dia a dia, oferecendo sistemas integrados e atualizados constantemente, além de promover cursos e mi- nistrar palestras aos colaboradores de seus clientes. Obrigado Contmatic Phoenix pelo carinho que tem dado aos seus parceiros.”

O Contmatic Phoenix Mais publica a coluna Canal Aberto mensalmente. Nela apresentamos depoimentos de alunos e participantes dos cursos e palestras, e de colaboradores de clientes da Contmatic Phoenix. Envie também seu relato para o e-mail redacao@contmatic.com.br, acompanhado de uma foto com uma resolução de, no mínimo, 300 dpi. Os depoimentos serão analisados pela Comissão Editorial, que pode reproduzí-los e editá-los total ou parcialmente.

que pode reproduzí-los e editá-los total ou parcialmente. Conheça a versão digital da edição 92 por

Conheça a versão digital da edição 92 por meio do link

http://files.flipsnack.com/iframe/embed.html?hash=fzc8wpud

Depois do Twitter, nossa fan page no Facebook

é o mais novo canal de comunicação. Ajude-nos

a ser a melhor empresa de softwares para vocês!

curtir
curtir

www.facebook.com/Contmatic.Phoenix.oficial

curtir www.facebook.com/Contmatic.Phoenix.oficial Publicação da Contmatic Phoenix, empresa de
curtir www.facebook.com/Contmatic.Phoenix.oficial Publicação da Contmatic Phoenix, empresa de

Publicação da Contmatic Phoenix, empresa de desenvolvimento de softwares administrativos, para seus clientes e parceiros.

ContmatiC Phoenix Rua Padre Estevão Pernet, 215, Tatuapé, São Paulo/SP, CEP 03315-000. Telefone: (11) 2942-6700 www.contmatic.com.br redacao@contmatic.com.br

Conselho editorial: Sérgio Contente (Presidência) - Mário Hessel (Diretoria executiva) - Priscila Ribeiro - Salgado (Cursos) - Ailton dos Santos Silva (TI) - Ricardo de Freitas (Marketing eVendas) • Produção editorial:Versátil Comunicação Estratégica (www.versatilcomunicacao.com.br) edição: CíceroVieira • textos: Helder Horikawa • Secretaria:Vanessa Lima • Jornalista responsável: CíceroVieira (MTb 23.171) • Projeto gráfico: Thatto Comunicação 360º (www.thatto.com.br) • impressão: Printcrom Gráfica e Editora • Periodicidade: mensal • tiragem: 20 mil exemplares - As opiniões expressas em artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.

Fale com a Contmatic:

Comercial: (11) 2942-6723 • Financeiro: (11) 2942-6725 Cursos: (11) 2942-6720 • Treinamentos: (11) 2942-6705

Suporte:

Folha:(11)2942-6710•G5/Junior:(11)2942-6711•Orion:(11)2942-6716

Contábil: (11) 2942-6712• Rede: (11) 2942-6713 • Outros: (11) 2942-6714

especial juntas para atender o mercado contáBil As empresas unem as forças para oferecer o

especial

especial juntas para atender o mercado contáBil As empresas unem as forças para oferecer o que

juntas para atender o mercado contáBil

As empresas unem as forças para oferecer o que há de melhor em informações sobre legislação e sistemas

Depois De anunciar um plano de expan-

pacotE dE VantagEns

são, que prevê a abertura de 8 a 12 canais

De imediato, os benefícios de origem

produtos, e vice versa, os recursos volta-

de

atendimento pelo País e a inauguração

no mix de produtos (software e con-

de

um amplo e moderno complexo admi-

teúdo) serão ampliados na integração

nistrativo em São Paulo, no decorrer do ano que vem, a Contmatic Phoenix apre- senta mais uma excelente notícia para o mercado e, principalmente, aos seus 17 mil clientes. A companhia acaba de fechar uma parceria com o Centro de Orientação Fiscal (Cenofisco), líder no segmento de

de gestão nas empresas. Na prática, os clientes de ambas as companhias têm um pacote de vantagens, anunciado oficialmente em uma data muito espe- cial, o 25 de abril, Dia do Contabilista. Os clientes da Contmatic, por exemplo, terão diversas vantagens em cursos e

publicações legislativas voltadas às ques- tões tributárias, contábeis, regulatórias, trabalhistas e previdenciárias do País.

produtos do Cenofisco e os deste último terão o mesmo em toda a Linha Phoenix de sistemas. “Ser parceiro da Contmatic

As

negociações para o acordo começa-

significa caminhar junto com a tecnolo-

ram no princípio do ano. E com ele se- lado, os clientes e o mercado já podem comemorar. “A parceria vai proporcionar à Contmatic e ao Cenofisco uma maior

de reforçar a credibilidade e a liderança

gia de software e desenvolver em seus

dos para cada tipo de exigência do mer- cado”, justificam Campos e Nunes.

competitividade em nível de custos e

A

parceria vem de encontro aos anseios

benefícios frente à concorrência, além

da Contmatic em crescer 30% anual- mente com seu projeto de expansão.

no

segmento comum às duas empresas”,

“Sabíamos que a parceria com uma

argumentam Lourival Campos e Antônio

grande empresa de consultoria, como

Nunes, respectivamente, diretor Comer-

o

Cenofisco, que tem atuação em pra-

cial e gerente de Produtos do Cenofisco.

ticamente todo o País e é referência no

sérgio contente

o presiDente da Contmatic Phoenix ocupa, desde o dia 3 de abril, o cargo de secretário municipal adjunto da cida- de de São Paulo – Secretaria Municipal da Pessoa com De- ficiência (SMPED). A sua nomeação ocorre em razão da sua dedicação, por meio da Fundação Sérgio Contente – Idepac,

a projetos sociais que beneficiam os jovens carentes,

pessoas da terceira idade e pessoas com deficiência.

pessoas da terceira idade e pessoas com deficiência. Foto • Divulgação setor contábil, ajudará em nosso

Foto • Divulgação

setor contábil, ajudará em nosso pro- cesso de crescimento. As duas possuem perfis semelhantes, como o mesmo tem- po de fundação e forte relacionamento com seus milhares de clientes”, lembram Mário Hessel e Ricardo de Freitas, respec- tivamente, diretor-executivo e diretor de

Marketing e Vendas da Contmatic.

quEm é

Com índices de 15% de crescimento anual desde 2008, o Cenofisco conta com um quadro de 320 especialistas, entre re- datores, consultores, autores de livros técnicos, professores e profissionais das áreas de Direito Tributário, Trabalhista e Previdenciário para atender a cerca de 25 mil clientes espalhados por 15 Estados em todo o País. Além disso, ele possui um amplo leque de produtos e serviços, entre eles boletins impressos e online, o Guia de Contabilidade, manuais práticos, agendas técnicas, periódicos e uma intensa pro- gramação de cursos e treinamentos.

Sérgio assumiu como secretário municipal adjunto da cidade de São Paulo – Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED)

| contmatic

municipal adjunto da cidade de São Paulo – Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) |

| 3

Foto • Divulgação

espaço contáBil

dipj: preenchimento correto evita dores de caBeça

A entregA da Declaração de Impos-

to de Renda de Pessoa Jurídica (DIPJ)

ainda é obrigatória e se constitui em importante ferramenta de controle

e fiscalização na arrecadação de IR,

Contribuição Social sobre o Lucro Lí- quido, IPI e Contribuição Previdenciá- ria. Ela deve ser encaminhada ao Fisco até o dia 30 de junho, inclusive pelas pessoas jurídicas imunes ou isentas.

Ricarte pede atenção em cada quadro no momento do preenchimento

“Para evitar erros, o melhor caminho é ler atentamente as instruções de cada quadro antes de preenchê-lo. Não hou- ve mudanças significativas no progra- ma, ele está praticamente igual ao ano anterior”, esclarece Jádson Gonçalves

Ricarte, conselheiro do Conselho Fede-

ral de Contabilidade (CFC).

A entrega da DIPJ após o prazo, se-

gundo ele, sujeitará o contribuinte ao pagamento de multa que será emitida automaticamente e constará do recibo de entrega da respectiva declaração.

A não apresentação, ou o seu envio

com incorreções ou omissões, pode render multa de 2% ao mês-calendário ou fração, incidente sobre o montante

do IRPJ informado na DIPJ 2012, ainda que integralmente pago, no caso de falta de entrega dessa declaração ou entrega após o prazo, limitada a 20%.

Há ainda a multa de R$ 20 para cada gru-

po de dez informações incorretas ou omi- tidas. “Para efeito de aplicação dela, será considerado como termo inicial o dia se- guinte ao término do prazo fixado para a entrega da declaração e como termo final a data da efetiva entrega ou, no caso de não apresentação, da lavratura do auto de infração”, explica Ricarte. A multa também pode ser reduzida a 50% quando a decla- ração for apresentada após o prazo, mas antes de qualquer procedimento de ofí- cio, e a 75%, se houver a apresentação da declaração no prazo fixado em intimação. Em qualquer uma das hipóteses, a multa mínima a ser aplicada é de R$ 500. Em Brasília, discute-se muito a possi- bilidade de extinguir a DPIJ a partir de 2014. O processo será implantado ini- cialmente nas empresas que declaram pelo Lucro Real. Já as que declaram pelo Lucro Presumido seriam libera-

das da DIPJ em 2015.

pelo Lucro Presumido seriam libera- das da DIPJ em 2015. eFd-pis/coFins tem novas alterações os contribuintes

eFd-pis/coFins tem novas alterações

os contribuintes que devem entregar

a EFD-PIS/Cofins precisam ficar atentos às novas alterações nessa obrigação aces- sória. Por meio da Instrução Normativa

nº 1.252, de 1º de março de 2012, o secre-

tário da Receita Federal, Carlos Alberto Freitas Barreto, promoveu alterações na escrituração dos dois tributos. Antes aplicável apenas ao PIS e à Cofins,

a referida obrigação acessória, que ganhou

a denominação de EFD-Contribuições,

passa também a ser obrigatória para o registro das informações atinentes à apu- ração e ao recolhimento de contribuições previdenciárias calculadas sobre a receita

bruta, nos moldes dos artigos 7º a 9º da Lei

nº 12.546/2011, em substituição às con-

tribuições devidas sobre a remuneração paga ou creditada a seus colaboradores.

4 | contmatic

paga ou creditada a seus colaboradores. 4 | contmatic | A lei é aplicável às empresas

|

A lei é aplicável às empresas que se dedi-

quem às atividades de Tecnologia da In- formação (TI) e de Tecnologia da Informa- ção e Comunicação (TIC), e às companhias que fabricam determinados artigos em

plástico, pele, couro e metal, entre outros. Essas alterações na EFD em relação às con- tribuições previdenciárias vigoram para as pessoas jurídicas tributadas no Lucro Real

e Lucro Presumido para fatos geradores

ocorridos a partir de 1º de março de 2012 ou 1º de abril de 2012, conforme o caso, de acordo com o inicio de vigência da Lei nº 12.546/2011.

As companhias devem ficar atentas, pois

a pessoa jurídica tributada no Lucro Pre-

sumido, que deveria iniciar a entrega da EFD-Contribuições a partir dos fatos ge- radores ocorridos em julho de 2012, com

a obrigatoriedade de informar a contribui-

ção previdenciária incidente sobre a receita bruta, terá que transmitir o arquivo con- tendo apenas informações sobre as contri- buições previdenciárias a partir dos fatos geradores ocorridos em março ou abril de 2012, conforme o caso. Para os fatos gera- dores ocorridos a partir de julho terá que apresentar a EFD-Contribuições com as informações do PIS e da Cofins e da contri- buição previdenciária sobre a receita bruta.

A EFD-Contribuições deve ser transmitida

mensalmente ao Sped até o 10º dia útil do segundo mês subsequente ao que se refira a escrituração, inclusive nos casos de extinção, incorporação, fusão e cisão total ou parcial. A sua não apresentação no prazo acarreta multa de R$ 5 mil por mês-calendário ou fração.

espaço contáBil

entrega do Fcont encerra-se em junho

As empresAs tributadas no regime de Lucro Real devem entregar até o dia 30 de junho o Fcont (Controle Fis- cal Contábil de Transição). O descum- primento da entrega da obrigação acessória exigida pela Secretaria da Receita Federal, no prazo fixado, acar-

retará a aplicação de multa de R$ 5 mil por mês-calendário.

O Fcont, segundo o advogado tributa-

rista Miguel Silva, sócio-fundador do escritório Miguel Silva & Yamashita, de São Paulo, é uma escrituração das contas patrimoniais e de resultados, em partidas dobradas, que considera os métodos e critérios contábeis apli-

cados pela legislação tributária vigen-

te em 31 de julho de 2007. Em outras

palavras, ele destina-se a expurgar, do lucro apurado contabilmente, os efei- tos da aplicação dos novos métodos e critérios contábeis introduzidos pelas Leis nºs 11.638/07 e 11.941/09 (con- vergência às Normas Internacionais de Contabilidade). Se não existir lançamento contábil com base em métodos e critérios di- ferentes daqueles prescritos pela le-

Miguel alerta: “Por segurança, não se deve contar com a prorrogação de prazo” Foto •
Miguel alerta: “Por segurança, não se
deve contar com a prorrogação de prazo”
Foto • Divulgação

gislação tributária vigente em 31 de dezembro de 2007, deverão constar no Fcont os dados cadastrais da empresa (Registro 0000), o Plano de Contas da Empresa (Registro I050), o Plano de Contas Referencial (Registro I051), os saldos periódicos das contas patrimo- niais (Registros I150 e I155) e das con- tas de resultado (Registros I350 e I355), a identificação do signatário da escri-

turação (Registro J930), a qualificação da pessoa jurídica (Registro M020), os saldos iniciais das contas patrimoniais (Registro M025) e a identificação do período de apuração do Lucro Real (Registro M030). “Constarão também os detalhes dos saldos referenciais das contas patrimoniais (Registro M155) e das contas de resultado antes do en- cerramento (Registro M355), que serão gerados automaticamente pelo pro- grama do Fcont disponível no site da Receita”, lembra Miguel. Segundo ele, podem ser importados da Escrituração Contábil Digital (ECD)

o Plano de Contas da Empresa, o Pla-

no de Contas Referencial e os saldos periódicos das contas de resultado (Registros I350 e I355). Em 2011, a entrega do Fcont foi prorrogada. Mas Miguel alerta: “Por segurança, não se deve contar com a prorrogação de pra- zo, até porque o Programa Validador já está disponível no site do Sped. Basi- camente, não há mudanças em relação ao programa utilizado no ano anterior, mas apenas algumas atualizações, sem

mudança de layout”.

apenas algumas atualizações, sem mudança de layout ”. ecd Fora do prazo: multa de r$ 5

ecd Fora do prazo: multa de r$ 5 mil

trintA De junho é o último dia para

De acordo com o advogado tributarista

os

profissionais contábeis devem priorizar

a

transmissão da Escrituração Contá-

Miguel Silva, a empresa deve gerar, a par-

é o cuidado com a qualidade das opera-

se

esquecendo de que de posse da ECD

bil Digital (ECD), ou Sped Contábil, que a exemplo do Fcont, é uma obri- gação acessória devida pelas pessoas

tir do seu sistema de contabilidade, um arquivo digital no formato especificado pela Receita Federal. Ele deve ser subme-

ções contabilizadas e a observância dos ditames das normas pertinentes, nunca

jurídicas que são tributadas pelo re-

tido ao Programa Validador e Assinador

o

Fisco tem condições de analisar, deta-

gime do Lucro Real. A não apresen- tação da ECD no prazo também acar- reta a aplicação de multa no valor de

(PVA) disponível no sítio do Sped e trans- mitido por meio do Programa Receitanet. No tocante ao layout da ECD não há mu-

lhadamente, tudo o que foi contabilizado, principalmente quanto às operações que impactam a apuração do resultado da ati-

R$ 5 mil por mês-calendário ou fração.

danças em relação ao ano anterior. “O que

vidade da empresa”, avisa Miguel Silva.

vidade da empresa”, avisa Miguel Silva.

| contmatic

fração. danças em relação ao ano anterior. “O que vidade da empresa”, avisa Miguel Silva. |

| 5

Foto • Divulgação

nossos parceiros

sistemas geram segurança e rapidez na datacon

mAis segurAnçA, agilidade nos

serviços e gerenciamento do escritó-

rio de forma rápida e simples, sempre

com o objetivo de oferecer os melho-

res serviços aos seus atuais 152 clien- tes. Esses foram alguns dos benefícios conquistados pela Datacon Serviços Contábeis, de São Paulo, desde que tor- nou-se parceiro da Contmatic Phoenix

há oito anos. “Os sistemas foram apre-

sentados por outro escritório contá- bil. Conhecermos e participarmos dos treinamentos da Contmatic e toda a implantação dos programas foi muito tranquila”, explicam os contadores e coordenadores da Datacon, Edemilson Alves Pereira e José Djalma Pereira.

Atualmente, a Datacon utiliza os sistemas Gescon, G5, Contábil, JR e o Folha de Pa- gamento.“Todos eles estão devidamente integrados, o que facilita o nosso traba- lho e minimiza a possibilidades de erros

e

retrabalho”, argumenta Edemilson.

Ele

também faz elogios à equipe de con-

sultores da Contmatic. “Sempre quando

A equipe da Datacon atende um portólio de 152 clientes Foto • Divulgação
A equipe da Datacon atende um portólio de 152 clientes
Foto • Divulgação

entramos em contato somos bem aten- didos. E em casos extremos o acesso remoto é imediatamente efetuado e os problemas solucionados. Além disso, os cursos, palestras e treinamentos gra- tuitos são de grande relevância para os nossos colaboradores”, analisa. Localizado estrategicamente na Vila São José, zona sul da capital paulis- ta, a Datacon foi criada em 1987 e sempre prestou serviços com mui-

ta responsabilidade, serenidade e profissionalismo. Hoje, a equipe de atendimento é composta por 15 co- ladoradores altamente qualificados. “É um orgulho termos um parceiro que ofereça bons serviços e é referên- cia na Vila São José. E é pensando em empresas como essa que buscamos desenvolver os melhores programas do mercado”, afirma Sérgio Contente,

presidente da Contmatic.

afirma Sérgio Contente, presidente da Contmatic. palestra 6 | contmatic | josé joaquim Fala soBre a

palestra

6 | contmatic

Contente, presidente da Contmatic. palestra 6 | contmatic | josé joaquim Fala soBre a dipj no

|

josé joaquim Fala soBre a dipj no dia 15

Palestra do professor será proferida no auditório nobre da Contmatic

o professor e consultor, com larga experiência em empresas nacionais e multinacionais, José Joaquim Filho, mi- nistra a palestra DIPJ 2012 para os profis- sionais das áreas contábil, fiscal, jurídica, financeira e administrativa no dia 15 de maio. Ela será proferida, das 18h30 às 22h30, no auditório nobre da Contmatic Phoenix, em São Paulo. O objetivo de José Joaquim é orientar os participantes sobre as alterações ocor- ridas na DIPJ 2012, ano-calendário de 2011, das empresas tributadas com base

no Lucro Real, incluindo o Controle Fiscal Contábil de Transição (Fcont). Ele aborda- rá, entre outras coisas, as principais novi- dades nas fichas, o cruzamento da DIPJ com o Fcont, Sped, DCTF, DIRF e GFIP, si- tuações especiais, penalidades e procedi- mentos para a retificação do documento. As vagas para a palestra são limitadas e gratuitas para os clientes da Contmatic. Os não clientes, por sua vez, pagam uma taxa de R$ 200. A empresa fica na Rua Padre Estevão Pernet, 215. Mais informa-

ções pelo telefone (11) 2942-6720.

uma taxa de R$ 200. A empresa fica na Rua Padre Estevão Pernet, 215. Mais informa-

entreViStA

Mudanças no Fisco

e AlterAçõeS no Site dA nF-e e pGdAS-d

consultor marcos barbosa, do cenofisco, lembra que a Receita tem a necessidade de constantes mudanças para gerenciar todas as informações de contribuintes

Criado há cinco anos, o Sistema Pú-

conta do grande número de infor-

blico de Escrituração Digital (Sped) revo-

mações que precisam ser pontuadas.

lucionou o mundo contábil e fiscal. Com

A

EFD-Contribuições, por exemplo,

o

sistema todo informatizado, o objetivo

tem aproximadamente 179 registros

será a integração com os profissionais

do

Fisco é facilitar a vida do contribuinte,

divididos em nove blocos. A orienta-

ao

mesmo tempo em que oferece mais

ção para os contabilistas se adequa-

segurança às informações das empresas. Em meio aos constantes investimentos,

rem a essa nova obrigação acessória

Fisco e contribuintes, porém, vivem em meio a polêmicas e amplas discussões. Recentemente, às vésperas da entre-

ga da EFD-PIS/Cofins, agora conhecida

como EFD-Contribuições, o governo al- terou, simultaneamente, o site da NF-e, impossibilitando a importação dos da-

dos da NF-e via chave de acesso, e tam- bém do PGDAS-D, que não possibilitou

a exportação das informações dos va-

lores de faturamento para apuração do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), e o pior, por duas vezes consecutivas, em menos de uma sema-

na. Resultado: muitas dores de cabeça às empresas e escritórios contábeis. Em entrevista ao Contmatic Phoenix Mais, o consultor do Centro de Orienta- ção Fiscal (Cenofisco), Marcos Barbosa, fala sobre as constantes mudanças do Fisco e os impactos aos contribuintes

e contabilistas.

Muitas empresas preparam uma infraestrutura de Ti para atender a demanda das obrigações acessórias do Sped, mas esbarram, muitas ve- zes, em inconsistências do próprio sistema do Fisco. Porque temos tan- tos conflitos?

O contabilista tem encontrado difi-

culdade em se adequar ao Sped por

de TI, pois um dependerá dos conhe-

cimentos técnicos do outro para o preenchimento dos blocos e regis- tros, além do guia prático disponibili- zado no site da Receita Federal.

o Sped permite ao Fisco cruzar in- formações contábeis e fiscais. Po- rém, com mudanças repentinas e simultâneas nos programas, os con- tribuintes simplesmente não con- seguem importar e exportar dados para o encaminhamento dos arqui- vos. Porque isso acontece? Com essa nova forma de cruzamento de informações contábeis e fiscais, alguns contribuintes têm enfrentado dificulda-

des, pois os softwares devem ser integra- dos para que haja o menor número de preenchimentos por parte dos usuários.

A Receita, como administradora do

Sped, tem a necessidade de constan- tes mudanças para gerenciar toda essa gama de informações dos contribuin- tes. Além disso, a finalidade do Sped é

unificar as atividades de recepção, vali- dação, armazenamento e autenticação

de livros e documentos que integram a

escrituração comercial e fiscal dos em- presários e das sociedades empresárias, mediante fluxo único, computadoriza- do, de informações.

Barbosa: softwares integrados auxiliam usuários nos preenchimentos Foto • Divulgação
Barbosa: softwares integrados
auxiliam usuários nos preenchimentos
Foto • Divulgação

a preocupação dos contabilistas mos- tra que de pouco adianta um layout perfeito se as informações não estão integradas. Como os profissionais contábeis podem utilizar as ferramen-

tas de Ti em favor de seus trabalhos?

O contabilista que utilizar as ferramentas

de TI terá nas suas rotinas diárias uma grande vantagem, principalmente se os softwares forem integrados, pois haverá

o menor número de preenchimentos

por parte dos usuários. Além dos pro- fissionais ganharem com a redução dos custos com a dispensa de emissão e ar- mazenamentos de documentos em pa-

pel, haverá a possibilidade de melhoria

e o aperfeiçoamento dos processos in-

ternos de faturamento e logística opera- cional e a eliminação da possibilidade de erros de escrituração no registro de NF-e

de Entradas e Saídas de mercadorias.

no registro de NF-e de Entradas e Saídas de mercadorias. leiA A entrevista completa com Marcos
leiA

leiA

leiA

A entrevista completa com Marcos Barbosa no site www.contmatic.com.br.

| contmatic

Saídas de mercadorias. leiA A entrevista completa com Marcos Barbosa no site www.contmatic.com.br. | contmatic |

| 7

FAQ G5 - Sped

Arquivos sped:

explicAçõeS SimpleS Sobre um ASSunto complexo

A equipe de consultores da Contmatic Phoenix tem registrado muitas dúvidas dos clientes sobre a importação dos arquivos magnéticos do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped). Por isso, apresentamos um FAQ especial, que tem por objetivo explicar e elucidar, em simples palavras, especialmente para quem tem conhecimento de escrita fiscal mas não é do segmento de informática, sobre os arquivos magnéti- cos a importar e gerar. Os arquivos magnéticos exigidos pelo Fisco no Sped são: NF-e, CT-e, NFS-e, NFP-MFD/TDM, Sped EFD-PIS/Cofins, Sped EFD-ICMS/IPI, SAT-CF-e. À exceção desse último, que ainda não é obri- gatório, o G5 Phoenix lê todos eles. Vamos definir alguns termos:

Importação e exportação

Quando nos referirmos à importação, queremos dizer a entrada de dados no G5. Em outras palavras, são os arquivos que o G5 lê.

E quando nos referirmos à exportação, nos reportamos aos ar- quivos que o G5 gera, produz e cria.

Informações fora do sped

Um engano que ocorre é imaginar que as informações contidas nos arquivos Sped são suficientes para o contador atender o con- tribuinte nas exigências fisco-contábeis. Muitos esquecem que o contabilista, além de gerar as novas obrigações do Sped, precisa entregar aquelas tradicionais, como o Sintegra, IN86, fazer a contabilidade, Ciap, conta cor- rente, apurações, gerar as guias, carta de correção, etc. Isso sem dizer que ele faz o controle de todos os valores. Também o fato de uma NF-e estar errada não quer dizer que se deva escriturar também de forma equivocada.

nota fiscal eletrônica (nf-e)

o G5 importa esse arquivo? Sim.

o que é? Quando você emite a NF-e, é gerado um arquivo xml que contém todos os dados do documento.

Vantagem? Todos os contribuintes que emi- tem a NF-e têm esses arquivos, já existem, é só importá-los.

desvantagem? As NF-es de saída nem sempre contêm todas as informações necessárias para gerar os arquivos Sped EFD-PIS/Cofins e EFD- -ICMS/IPI. O mais complicado são as notas de entrada, pois precisam trocar os CFOPs, CST, código de produtos, etc, pois elas vêm com a classificação do emitente (fornecedor), como era antes em papel. Também não podemos esquecer de que temos notas para uso e con- sumo ativo, que necessitam de ajustes.

Qual a solução no G5? Você poderá, após ter importado a NF-e pelo arquivo xml, ir na tela “Escrituração de Notas” e digitar o que falta, ou arrumar as informações manualmente. Mas criamos telas para você cadastrar parâmetros a fim do sistema automaticamente trocar ou completar as informações que faltam. Você os cadastra uma única vez no G5, e daí em dian- te o sistema faz os ajustes de forma automá- tica durante a importação dos arquivos xmls. Exemplo: você parametriza no G5 para trocar na importação dos xml as notas de entradas

8 | contmatic

na importação dos xml as notas de entradas 8 | contmatic | que estão com os

|

que estão com os CFOPs 5102 para CFOP 1102, e assim por diante.

onde importo os xmls das nf-e no G5? Vá ao

menu “Escrituração/Notas ICMS/IPI/Importar NF-e/Importar”. Na tela, é possível selecionar os arquivos para importação ou informar a chave de acesso por meio do leitor ótico. O ideal é efetuar todas as parametrizações para não ter que alterar os lançamentos manual- mente. O botão “Importar NF-e” executa a importação do documento eletrônico.

onde parametrizo as informações no G5 para que ele faça as correlações e complementações automáticas do que está sendo importado dos

xmls? Vá ao menu “Escrituração/Notas ICMS/ IPI/Importar NF-e/Importar”. Na tela, do lado esquerdo, serão apresentados os botões de parametrização:

para a contabilidade. Esse item pode ser utilizado quando a empresa tem na sua movimentação somente um tipo de CFOP

a ser escriturado nas Entradas;

• Configurar Correlação de CFOP – C/C – tem

a mesma função do botão descrito an- teriormente, porém, deverá ser utilizado quando a empresa usa diversos CFOPs na escrituração das Entradas;

Cadastro de CST por CFOP – nesse botão,

pode ser configurada a troca dos CSTs da nota de Entrada por CFOP;

• Configurar Correlação de Itens – nesse bo-

tão pode ser configurada a troca dos códi- gos dos produtos próprios do fornecedor da nota de Entrada, pelos códigos de pro- duto da empresa adquirente;

• Configurar C/C para Saídas – para NF-e de Saí- • Preparar Correlação de Itens para o Arquivo –

das. Configuração do C/C por CFOP de Saí- das, com a finalidade de exportar os dados da NF-e importada para a contabilidade;

• Configurar Único CFOP – C/C – para NF-e de

entrada. Configuração da troca do CFOP de Saída que vem na nota do fornecedor para o CFOP de Entrada da empresa que está adquirindo a mercadoria. O C/C para o CFOP de Entrada também deverá ser configurado nessa tela, com a finalidade de exportar os dados da NF-e importada

nesse botão é possível efetuar a parametri- zação dos dados de código de itens, CFOP

e CST a partir da seleção de um arquivo de

NF-e. Ou seja, se a nota de determinado fornecedor for importada pela primeira vez, todas as parametrizações poderão ser efetuadas nessa tela, que automaticamente ficarão armazenadas. Nessa tela também é possível efetuar as parametrizações de PIS e Cofins para a importação da NF-e efetuada através da chave de acesso/site.

nf-e baixada pelo site do fisco, por meio da chave de acesso

o G5 importa esse arquivo diretamente do site?

Sim.

o que é? Todas as NF-es possuem uma chave de acesso. Por meio dela o G5 acessa o site do governo e busca as informações da NF-e no WebService (site).

Vantagem? Você busca as informações direta- mente do WebService (site) apenas com o nú- mero da chave de acesso.

desvantagem? É mais lento, tem que ser nota por nota, e, o pior, vem sem as informações de PIS e Cofins, obrigando-o a ter um cadastro de

item no G5 para complementá-las por meio da rotina de “Reorganizar Saldos (PIS/Cofins)”, ou manualmente você completa na tela de lan- çamento o que falta. Para facilitar, na tela de importação da NF-e, acesse o botão “Preparar Correlação de Itens para o Arquivo” e parame- trize os dados do PIS e Cofins.

Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

o G5 importa esse arquivo? Sim.

o que é? Quando você emite um CT-e, é ge- rado um arquivo xml que contém todos os dados do conhecimento.

Vantagem? Todos os contribuintes que emi- tem o CT-e têm esses arquivos, já estão pron- tos, é só importá-los.

desvantagem? Os CT-es de saídas nem sempre contêm todas as informações necessárias para gerar os arquivos Sped EFD-PIS/Cofins e EFD- -ICMS/IPI. As informações de PIS e Cofins, por exemplo, não constam nesse arquivo, mas é possível efetuar a parametrização delas. O mais complicado são os CT-es de entrada, pois preci- sam trocar os CFOPs e CSTs, visto que os mes- mos vêm com a classificação do emitente do CT-e (prestador), como era feito antes em papel.

Qual a solução no G5? Você poderá manualmen-

te, após ter importado o CT-e pelo arquivo xml,

ir na tela“Escrituração de Notas”e digitar o que

falta, ou corrigir as informações. Mas criamos telas para você cadastrar parâmetros para que o sistema automaticamente troque ou complete as informações faltantes, da mesma

forma que ocorre com a importação da NF-e. Você cadastra uma vez esses parâmetros no G5, e daí em diante o sistema faz os ajustes de forma automática durante a importação dos arquivos xmls. Exemplo: você parametriza no G5 para trocar na importação do xml referente aos CT-es tomados, os CFOPs 5352 para CFOP 1352, e assim por diante.

Onde eu importo os xmls dos CT-es no G5? Vá ao

menu “Escrituração/Notas ICMS/IPI/Importar CT-e”. Na tela, é possível selecionar os arqui- vos para importação ou informar a chave de acesso por meio do leitor ótico. Lembrando que o ideal é efetuar todas as parametriza- ções para não alterar os lançamentos manual- mente. O botão“Importar CT-e”executa a im- portação do documento eletrônico.

onde eu parametrizo as informações no G5, para que ele faça as correlações e complementações automáticas do que está sendo importado dos

xmls? Vá ao menu “Escrituração/Notas ICMS/IPI/ Importar CT-e”. Na tela, do lado esquerdo, serão apresentados os botões de parametrização:

• Configurar C/C e PIS/Cofins para Saídas –

para CT-e de Saída. Configuração do C/C por CFOP de Saídas, com a finalidade de ex- portar os dados do CT-e importado para a contabilidade, assim como as informações de CST, natureza das receitas e alíquotas de PIS e Cofins com a finalidade de geração do arquivo do EFD-PIS/Cofins.

Configurar Correlação de CFOP – C/C – para

CT-e de Entrada. Configuração da troca do CFOP de Saída que vem no conhecimento de transporte do prestador para o CFOP de Entrada da empresa que está tomando o ser- viço de transporte. O C/C para o CFOP de En- trada também deverá ser configurado nessa tela, com a finalidade de exportar os dados do CT-e importado para a contabilidade.

• Cadastro de CST por CFOP – nesse botão, pode

ser configurada a troca dos CSTs do conhe- cimento de transporte de Entrada por CFOP, além de configurar outras informações pró- prias para a geração do arquivo do EFD-PIS/ Cofins que são o CST das contribuições, as alíquotas, a Natureza do Frete e a Natureza da Base de Cálculo de Crédito.

Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) baixado pelo site do Fisco por meio da chave de acesso

o G5 importa esse arquivo diretamente do site?

Sim.

o que é? Todo CT-e possui uma chave de aces- so. Por meio dela o G5 acessa o site do governo

e busca as informações no WebService (site).

Vantagem? Você busca as informações dire- tamente do WebService (site) apenas com o número da chave de acesso.

desvantagem? É mais lento, tem que ser co- nhecimento por conhecimento, e o pior,

vem sem as informações de PIS e Cofins, obrigando-o a completá-las manualmente

na tela “Escrituração de Notas”. Para facilitar,

é possível utilizar os mesmos recursos de pa-

rametrização para a importação via arquivos.

nota fiscal de serviço eletrônica (nfs-e)

o G5 importa esse arquivo? Sim. Porém, nem

todos os municípios adotaram o layout da Abrasf (que consta no Sped), mas a tendên- cia é a padronização.

o que é? Para os contribuintes cujo município adotou o layout da Abrasf, quando emite uma NFS-e é gerado um arquivo xml que contém todos os dados do documento.

Vantagem? Os contribuintes, cujo município adotou o layout da Abrasf, têm esses arqui-

vos e estão prontos, é só importá-los.

desvantagem? Nos arquivos xml desses docu- mentos faltam algumas informações, como, por exemplo, o código municipal dos servi- ços (nesse arquivo há o código federal da Lei Complementar nº 116/2003), CST PIS/Cofins e contas para a integração com a contabilidade.

poderá, após

Qual a solução no G5? Você

ter importado a NFS-e pelo arquivo xml, ir na tela “Escrituração de Notas” e digitar

manualmente o que falta, ou corrigir as informações. Mas criamos telas para você cadastrar parâmetros a fim de que sistema automaticamente troque ou complete as informações que faltam. Você cadastra uma

vez esses parâmetros no G5, e daí em diante

o sistema efetua os ajustes de forma auto-

mática durante a importação dos arquivos xmls. Exemplo: você parametriza no G5 o código do serviço municipal e o C/C para a integração contábil.

| contmatic

Exemplo: você parametriza no G5 o código do serviço municipal e o C/C para a integração

| 9

onde eu importo os xmls das nfs-e no G5?

ao menu “Escrituração/Notas ISS/Importar NF-e Municipal”. Na tela, é possível sele- cionar os arquivos e efetuar todas as para- metrizações necessárias para não alterar os lançamentos manualmente. O botão “Exe-

cutar” importa o documento eletrônico.

onde eu parametrizo as informações no G5, para que ele faça as correlações e comple- mentações automáticas do que está sendo

importado dos xmls? Vá ao menu “Escritura-

ção/Notas ISS/Importar NF-e Municipal”. Na

tela, do lado esquerdo, será apresentado o

botão “Configurar C/C”, onde será possível

configurar o C/C para a integração contábil

por código de serviço municipal.

NFP – MFD/TDM

o G5 importa esses arquivos? Sim.

o que são? Antes do Sped, e independente- mente dele, quem emite cupom fiscal por ECF é obrigado a enviar ao Fisco um arquivo com informações dos documentos emitidos, chamado MFD. Em São Paulo, bem como em outros Estados, os governos locais criaram a Nota Fiscal de Cidadania, que no caso pau- lista, é conhecida como Nota Fiscal Paulista (NFP). Então, no caso de São Paulo, o arquivo com o MFD é chamado de arquivo NFP, que contém os cupons ECF, acrescido do CPF do consumidor.

Vantagem? Todos os contribuintes da NFP têm esses arquivos, estão prontos, é só im- portá-los.

desvantagem? Nesse arquivo faltam algumas informações, principalmente, aquelas sobre

CST e alíquotas do PIS e Cofins.

Qual a solução no G5? Você poderá, manual- mente, após importar os cupons fiscais do ECF, pelo arquivo NFP-MFD, ir na tela “Escri- turação de Notas” e entrar em cupom por cupom e completar os valores que faltam. Mas criamos uma tela para cadastrar os itens, apenas uma vez, com seus respectivos CST e alíquotas de PIS e Cofins, para que o G5, baseado nessas informações, complete auto- maticamente item por item, através da rotina de “Reorganizar Saldos (PIS/Cofins)”.

mesmo assim, cadastrar todos os itens, ainda que uma única vez, é muito trabalhoso. Como resolver isso no G5? O G5 consegue ler uma

planilha em Excel que contém esse cadastro de itens. Em tese, você não precisa digitá-la, pois o sistema de emissão de ECF tem essa in-

formação pronta. Portanto, basta que o siste- ma de ECF gere o arquivo em formato Excel.

onde eu importo a nfp=mfd no G5? Vá ao

menu “Escrituração/Notas ICMS/IPI/Nota Fis-

cal Paulista/Importar modelo 1, 2 e ECF”. Na tela, selecione a opção “ECF c/MFD”, procure

o arquivo do NFP, informe os CFOPs que de-

verão constar na escrituração e clique em “Importar”.

onde eu cadastro os itens no G5? Vá ao menu

“Cadastro/Itens/Cadastro”.

onde eu importo a planilha excel com o cadas-

tro de itens no G5? Vá ao menu “Cadastro/ Itens/Importação Cad.Item – em Excel”.

onde eu ajusto os saldos e cálculos dos cupons

no G5? Vá ao menu “Auxiliar/Reorganizar Sal- dos (PIS/Cofins)”.

Cupom Fiscal Eletrônico (SAT- CF-e)

o G5 importa esse arquivo? Ainda não. Mas vai

importar, assim que começar a obrigatorie- dade das empresas emitirem Cupom Fiscal por SAT-CF-e.

oqueé?Do mesmo modo que existe a NF-e, que substituiu a nota fiscal em papel, o SAT-CF-e

vai substituir os atuais cupons fiscais (ECF).

Vantagem? Todos os contribuintes que emiti- rem cupom fiscal por SAT-CF-e terão esses ar- quivos completos, com todas as informações que faltavam no arquivo NFP-MFD, dispen- sando assim, de manter no G5, o cadastro de

itens, bem como a necessidade de importar o arquivo Excel citado acima.

desvantagem? Para atender essa nova exigên- cia, o contribuinte vai ter em breve um gasto para substituir suas impressoras ECFs por mo- delos atuais.

arquivos

EFD-ICMS/IPI

EFD-PIS/Cofins

ECD Contábil

Muitas pessoas têm dúvidas sobre o que são esses arquivos. E nossa intenção, com esse FAQ, é esclarecer esse emaranhado de nomes.

Vamos imaginar os contribuintes entregan- do um arquivo único chamado “Sped (ão)”, que contém todas as informações exigidas pelo Fisco. Por outro lado, o governo se desdobra para distribuí-las para as esferas federal, estadual e municipal.

Pois é essa a intenção no futuro. Mas en- quanto isso não acontece, cada esfera gover- namental pede apenas um “pedaço” desse Sped (ão). O do governo estadual chama-se EFD-ICMS/IPI, e o do federal denomina-se EFD-PIS/Cofins. O governo federal pede o “pedaço” que lhe interessa. Entre outras coi- sas, ele quer as informações do PIS e Cofins. Já o governo estadual está mais interessado na parte que contém informações do ICMS. Mas temos o IPI, que interessa a ambos os governos. Já a ECD é a parte que contém in- formações da contabilidade. Os layouts da EFD-ICMS/IPI e da EFD PIS/Co- fins são semelhantes, pois são subconjuntos

de um mesmo arquivo. O segundo, porém, possui várias informações consolidadas, prin- cipalmente por item. O primeiro foca o do- cumento fiscal solicitando a maior parte das informações de forma detalhada. Conclusão: A EFD-ICMS/IPI vem com informa- ções faltando para atender a EFD-PIS/Cofins,

e vice-versa. Por isso, se você importar para o

G5 um desses arquivos EFD, provavelmente, faltará alguma informação, que deverá ser parametrizada ou complementada de acordo com o tipo de empresa e atividade. Para solucionar isso, o G5 tem várias alternati- vas que você pode usar, a saber:

| contmatic

e atividade. Para solucionar isso, o G5 tem várias alternati- vas que você pode usar, a

| 10

EFD-ICMS/IPI

o G5 importa esse arquivo? Sim.

o que é? É um arquivo no formato txt, formado por blocos, que trazem informações cadastrais (Bloco 0000), notas de mercadorias tributadas pelo ICMS/IPI (Bloco C) e de serviços tributa- das pelo ICMS (Bloco D), apuração do ICMS/ IPI (Bloco E), CIAP (Bloco G), inventário (Bloco H) e outras informações (Bloco 1). Os sistemas ERP normalmente geram esse arquivo.

Vantagem? O arquivo vem com todas as informações prontas de notas de merca- dorias modelos 1, 1B e 4, não sendo ne- cessário digitar nada relativo aos dados do ICMS, IPI, PIS e Cofins.

desvantagem? Para as notas modelo 55 não são gerados os registros C170 dos itens. Des- sa forma não teriam as informações de PIS/ Cofins, assim como para os documentos das ECFs e de serviços de transporte.

Qual a solução no G5? Para os documentos da

ECF pode ser utilizada a rotina do “Reorgani- zar Saldos (PIS/Cofins)” para complementar

as informações de PIS/Cofins, desde que o ca-

dastro de itens esteja completo, ou ainda im- portar os arquivos da NFP. Mesmo nessa op- ção, porém, seria necessário utilizar a rotina de “Reorganizar Saldos (PIS/Cofins)”. Para as empresas que emitem o modelo 55, pode ser

utilizada a importação da NF-e. Para aquelas

que emitem o modelo 57, pode ser utilizada a importação do CT-e. Relativamente, as infor- mações contábeis, o C/C podem ser parame- trizados na tela de importação dos arquivos.

Onde eu importo a EFD-ICMS/IPI no G5? Vá ao

menu “Escrituração/Notas ICMS/IPI/Impor- tar Sped”.

Onde eu parametrizo/complemento a importa-

ção no G5? O C/C para a integração contábil é parametrizado na tela de importação do ar- quivo. Vá ao menu “Escrituração/Notas ICMS/ IPI/Importar Sped, botão “C/C”. Para a comple- mentação de dados de PIS e Cofins, vá ao menu “Auxiliar/Reorganizar Saldos (PIS/Cofins)”.

EFD-PIS/Cofins

o G5 importa esse arquivo? Sim.

o que é? É um arquivo no formato txt, for- mado por blocos, que trazem informações cadastrais (Bloco 0000), notas de serviços tributadas pelo ISS (Bloco A), notas de mer- cadorias tributadas pelo ICMS/IPI (Bloco C) e de serviços tributadas pelo ICMS (Bloco D), demais documentos e operações (Bloco F), apuração do PIS/Cofins (Bloco M) e comple- mentos da escrituração (Bloco 1). Os sistemas ERP normalmente geram esse arquivo.

Vantagem? O arquivo vem com todas as infor- mações prontas de notas de mercadorias mo- delos 1, 1B, 4 e 55, não precisando digitar nada relativo aos dados do ICMS, IPI, PIS e Cofins.

desvantagem? Para o modelo 55, existe a possibilidade de apresentar os registros con- solidados por item no arquivo da EFD-PIS/ Cofins. Nesse caso não seria possível efetuar uma importação que atendesse a EFD-ICMS/ IPI, pois não existiriam essas informações no arquivo. Grande parte dos modelos de docu- mentos fiscais é apresentado de forma con- solidada, como por exemplo, os registros dos documentos emitidos por ECF, de transporte nas Saídas, sendo que esses não mostram as informações detalhadas por documento fiscal, prejudicando a emissão dos livros de Entrada e Saída. As notas que são informadas no Bloco A não trazem o código municipal de

serviço, necessário para a elaboração das De- clarações Municipais do ISS.

Qual a solução no G5? Disponibilizando outras formas de importação como já descritas.

Onde eu importo a EFD-PIS/Cofins no G5? Vá ao

menu “Escrituração/Notas Sped”.

Onde eu parametrizo/complemento a importa-

ção no G5? O C/C para a integração contábil é parametrizado na tela de importação do arqui- vo. Vá ao menu “Escrituração/Notas ICMS/IPI/ Importar Sped, botão C/C”. Para a complemen- tação de dados de PIS e Cofins, vá ao menu “Auxiliar / Reorganizar Saldos (PIS/Cofins)”.

ICMS/IPI/Importar

Sped – Layout da Contmatic

o G5 importa esse arquivo? Sim (opcional).

o que é? É uma solução opcional que oferece- mos aos nossos clientes. É um facilitador, mas ninguém é obrigado a usá-lo. Ciente de que muitos usuários já tinham feito a EFD-ICMS/ IPI, e que para atender a exigência da EFD- -PIS/Cofins, faltava só um pouquinho a mais de informação. Então criamos o Sped - Layout da Contmatic, que nada mais é do que a EFD-ICMS/IPI acrescida de algumas informa-

ções para atender também a EFD-PIS/Cofins.

Vantagem? Quem já tinha desenvolvido o arquivo da EFD-ICMS/IPI, ao invés de ter que construir outro para atender o PIS e a

Cofins, basta apenas adicionar algumas in- formações a esses dois tributos. Com isso,

o G5 consegue gerar os dois arquivos, bem

como as apurações, Sintegra, IN86/2001, etc.

É uma forma menos trabalhosa para quem já fez a EFD-ICMS/IPI.

desvantagem? Essas informações adicionais

de PIS e Cofins precisam ser acrescentadas

no programa de ERP, mas nem todos estão

dispostos a fazê-lo. De qualquer forma,

como informamos, é opcional gerar esse ar-

quivo. Mas é possível o contabilista fazer seu

trabalho, gerar todas as obrigações acessó-

rias, sem precisar usar esse layout sugerido,

porém, é mais trabalhoso.

CONSIDErAçãO SObrE INTErCâMbIO DE INFOrMAçãO ESCrITórIO CONTábIL E CONTrIbuINTE

O formato Sped será o elo de ligação entre os escritórios de contabilidade e o contribuinte. Até o seu advento, cada um tinha um formato

diferente de importar e exportar arquivos entre os sistemas. Eram arquivos textos, com separadores dos mais diversos tipos, maneira de

relacionar, vincular registros, além daqueles que usavam Excel, etc. Na minha opinião, é aconselhável, doravante, usar como padrão, arqui- vos no formato Sped, para troca de informações entre sistemas. Em tempo, em 1º de março foi publicada a Instrução Normativa nº 1.252 da Receita Federal, que mudou o nome da EFD-PIS/Cofins para EFD-Contribuições. Dessa forma, em todos os momentos em que me referi

a EFD-PIS/Cofins, agora lê-se EFD-Contribuições.

Sérgio Contente Presidente da Contmatic Phoenix

a EFD-PIS/Cofins, agora lê-se EFD-Contribuições. Sérgio Contente Presidente da Contmatic Phoenix 11 | contmatic |

11 | contmatic

a EFD-PIS/Cofins, agora lê-se EFD-Contribuições. Sérgio Contente Presidente da Contmatic Phoenix 11 | contmatic |

|

Desde o dia 10 de abril, a Contmatic Phoenix disponibiliza aos clien- tes usuários do
Desde o dia 10 de abril, a Contmatic Phoenix disponibiliza aos clien- tes usuários do

Desde o dia 10 de abril, a Contmatic Phoenix disponibiliza aos clien-

tes usuários do G5 Phoenix o Contmatic NAV (NF-e, Armazenador e

Validador), novo sistema desenvolvido em Plataforma Java com con-

ceito cloud computing. Criado em três módulos, ele facilita o trabalho

dos profissionais contábeis na geração dos arquivos xmls e controle da

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e).

Os primeiros módulos são o Armazenador e o Validador.

Armazenador:

Ele guarda, por cinco anos ou mais, o arquivo xml da NF-e. Na impor-

tação dos arquivos, que pode ser em lote, o sistema automaticamen-

te consulta a situação de cada documento na Secretaria da Fazenda

(Sefaz), verificando se a nota está autorizada, cancelada ou denegada.

Também é possível, depois da importação, fazer consultas individuais

depois da importação, fazer consultas individuais do arquivo na Sefaz, gerar Danfe e enviá-lo, juntamente com

do arquivo na Sefaz, gerar Danfe e enviá-lo, juntamente com o xml, por

e-mail. Permite-se também efetuar o download do arquivo xml em lote

para importação no sistema G5 Phoenix - Escrita Fiscal.

Esse processo pode ser efetuado pelo contador no escritório contábil,

acessando via internet os dados do cliente no Contmatic NAV. Outro

contmAtic nAV: ótima

solução para validação e armazenamento da NF-e

processo do armazenador é o controle de Danfes recebidos, que per-

mite verificar a Danfe sem xml importado, facilitando o controle de que

os fornecedores enviaram ou não os xmls.

Validador:

Nele são validados os arquivos xmls da NF-e antes de transmití-los à

Sefaz, antecipando possíveis rejeições que possam acontecer no mo-

mento da transmissão.

que possam acontecer no mo- mento da transmissão. “Por meio do portal Contmatic NAV, disponibilizamos e

“Por meio do portal Contmatic NAV, disponibilizamos e armazenamos

os arquivos, emitidos ou recebidos da NF-e, o que faz com que os usuá-

rios os importem em xml diretamente no G5 Phoenix, sem a necessida-

de de entrar no site da Receita Federal para escriturar as notas”, comen-

tam Cristiane Duarte e Leandro Domingues Guasco, respectivamente,

consultora e gerente de programação da Contmatic.

O NAV é um software quase gratuito, inclusive com suporte e treina-

mento. Há apenas um custo simbólico de R$ 5 mensais para cada grupo

de 10 mil notas armazenadas, como forma de cobrir os custos opera-

cionais e de hospedagem nos servidores. Esse valor é válido para quem

adquirir o primeiro módulo até o dia 31 de maio.

Conheça as outras soluções pioneiras com a marca Contmatic Phoenix

contábil phoenix

Contabilidade

a marca Contmatic Phoenix contábil phoenix Contabilidade gescon phoenix Gestão de empresas contábeis enfs phoenix

gescon phoenix

Gestão de empresas contábeis

Contabilidade gescon phoenix Gestão de empresas contábeis enfs phoenix Emissor de notas fiscais adm phoenix contábil

enfs phoenix

Emissor de notas fiscais

de empresas contábeis enfs phoenix Emissor de notas fiscais adm phoenix contábil Adm. de escritório iRpJ/JR

adm phoenix contábil

Adm. de escritório

de notas fiscais adm phoenix contábil Adm. de escritório iRpJ/JR phoenix Imposto de renda cRm web

iRpJ/JR phoenix

Imposto de renda adm phoenix contábil Adm. de escritório iRpJ/JR phoenix cRm web cloud Integração escritório-cliente oRion phoenix

cRm web cloud

Integração escritório-cliente

de renda cRm web cloud Integração escritório-cliente oRion phoenix ERP de Gestão Empresarial g 5 p

oRion phoenix

ERP de Gestão Empresarial cRm web cloud Integração escritório-cliente oRion phoenix g 5 p h o e n i x

g5 phoenix

Escrita Fiscal

Empresarial g 5 p h o e n i x Escrita Fiscal folha phoenix Folha de

folha phoenix

Folha de Pagamento

e n i x Escrita Fiscal folha phoenix Folha de Pagamento nfp phoenix Nota fiscal paulista

nfp phoenix

Nota fiscal paulista

phoenix Folha de Pagamento nfp phoenix Nota fiscal paulista www.contmatic.com.br siga-nos @contmaticweb matriz: Rua
phoenix Folha de Pagamento nfp phoenix Nota fiscal paulista www.contmatic.com.br siga-nos @contmaticweb matriz: Rua

www.contmatic.com.br

nfp phoenix Nota fiscal paulista www.contmatic.com.br siga-nos @contmaticweb matriz: Rua Padre Estevão Pernet,

siga-nos @contmaticweb

matriz: Rua Padre Estevão Pernet, 215 – Tatuapé – São Paulo – SP – Fone: (11) 2942-6723

filiais: Campinas: (19) 3213-7007 / 3284-2433 Ribeirão Preto: (16) 3967-3536 / 3603-6100

/ 3284-2433 Ribeirão Preto: (16) 3967-3536 / 3603-6100 São José do Rio Preto: (17) 3222-6710 /

São José do Rio Preto: (17) 3222-6710 / 3211-1399 São José dos Campos: (12) 3921-0888 / 3908-0900

Marília: (14) 3454-7774 / 3401-2499

A CONTMATIC

APOIA A FUNDAÇÃO

SÉRGIO CONTENTE

IDEPAC

FUND AÇ ÃO SÉRGIO C ONTENTE IDEP A C
FUND AÇ ÃO
SÉRGIO
C ONTENTE
IDEP A
C

traBalhista

previdenciária

legalmatic phoenix

consultoria legalmatic

Comprofissionais atualizados, experientes e bastante atentos, a Consultoria Legalmatic Phoenix oferece, gratuitamente aos clientes da Contmatic, o esclarecimento adequado das principais dúvidas sobre a legislação e os procedimentos das áreas tributária, contábil, trabalhista e previdenciária.

Acesse: www.legalmatic.com.br

Pacote Contmatic Phoenix All-Inclusive O curso de aperfeiçoamento feito pelo empregado após a jorna- da
Pacote
Contmatic Phoenix
All-Inclusive
O curso de aperfeiçoamento feito pelo empregado após a jorna-
da normal de trabalho deve ser remunerado como hora extra?
Em primeiro lugar, cumpre esclarecer que o artigo 4º da CLT
dispõe que constituem tempo de serviço não só aquele em
que o empregado se ocupa propriamente da prestação labo-
ral, mas também aquele em que ele permanece à disposição
do empregador aguardando ordens. Portanto, se a realização
do curso for exigida pelo empregador, o tempo despendido
será considerado como horas à disposição desse último, as
quais devem ser remuneradas como extraordinárias desde
que ultrapassem a jornada normal de trabalho.
Caso o empregado venha a falecer durante o cumprimento
do aviso prévio, devo alterar o motivo do desligamento?
Não. Se o empregado vir a falecer no decorrer do aviso prévio,
a rescisão contratual não sofrerá qualquer alteração, permane-
cendo como causa a que originariamente lhe tenha sido dada.
Assim sendo, se ele for dispensado sem justa causa, mas fale-
ce durante o aviso prévio, o motivo da rescisão permanecerá
como sendo dispensa sem justa causa, porém, deverá o em-
pregador remunerar somente até o último dia trabalhado, não
sendo necessário indenizar os dias restantes.
Qual o cargo devo informar na Carteira de Trabalho (CTPS)
de um empregado menor aprendiz?
No campo função da CTPS deve ser anotada a palavra “apren-
diz”, seguida da função constante no programa de aprendiza-
gem a qual é desempenhada pelo jovem.
Quando o menor aprendiz falta ao curso de aprendizagem
sem justificativa legal, pode ser descontado do salário?
Sim, pois as horas dedicadas às atividades teóricas também
integram a jornada do aprendiz, podendo ser descontadas
as faltas que não forem legalmente justificadas ou autoriza-
das pelo empregador.

O tempo em que o empregado esteve prestando serviço militar é contado como tempo de contribuição para fins de benefícios previdenciários? Sim. Conforme dispõe o inciso VI do artigo 60 do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048/99, até que a lei específica discipline a matéria, são contados para efei- to de contribuição, entre outros, o tempo de serviço militar, salvo se já contado para inatividade remunerada nas Forças Armadas ou auxiliares ou para aposentadoria no serviço público federal, estadual, do Distrito Federal ou municipal, ainda que, anterior à filiação ao Regime Geral de Previdência Social (RGPS), nas seguin- tes condições: a) obrigatório ou voluntário; b) alternativo, assim considerado o atribuído pelas Forças Armadas àqueles que, após alistamento, alegarem imperativo de consciência, entendendo-se como tal o decorrente de crença religiosa e de convicção filosófica ou política, para se eximirem de atividades de caráter militar.

A construtora contratada para execução de obra por emprei-

tada total deve efetuar a inscrição da matrícula CEI da Obra? Sim. Nos termos da alínea “c” do item II do artigo 19 da Instrução Normativa RFB 971/09, a inscrição ou a matrícu-

la CEI da obra será efetuada, conforme o caso, no prazo de

30 dias contados do início das atividades, pela empresa construtora, quando contratada para execução de obra por empreitada total.

O empregado que recebe aposentadoria por invalidez pode

transformar esse benefício em aposentadoria por idade? Sim. O segurado que recebe o benefício de aposentado- ria por invalidez, pode, se assim desejar, transformá-lo em aposentadoria por idade, desde que na data de solicitação do mesmo, ele possua a idade mínima exigida para sua concessão, bem como a carência necessária.

14 | contmatic

do mesmo, ele possua a idade mínima exigida para sua concessão, bem como a carência necessária.

|

triButária

jurisprudÊncias

triButária jurisprudÊncias A pessoa jurídica que passou para a condição de inativa no decorrer do ano-calendário

A pessoa jurídica que passou para a condição de inativa

no decorrer do ano-calendário é dispensada da entrega da

EFD-contribuições?

Se a pessoa jurídica passou para a condição de inativa no curso do ano-calendário ainda é obrigada a apresentação da EFD- -Contribuições em relação a este ano. Entretanto, se assim se mantiver, estará dispensada da EFD-Contribuições a partir do primeiro mês do ano-calendário subsequente.

A pessoa jurídica que em determinado mês não teve movi-

Observa-se, porém, que no mês de dezembro do ano-calen- dário correspondente, a pessoa jurídica deve proceder a en- trega regular da escrituração digital indicando os meses do ano-calendário em que não auferiu receitas e não realizou operações geradoras de crédito.

Com a obrigatoriedade de informações da contribuição pre- videnciária sobre a receita na EFD-Contribuições, a pessoa

jurídica tributada no Lucro Presumido deve iniciar a obriga- toriedade da entrega em março ou em julho de 2012?

mento de receita deve entregar a EFD-Contribuições?

A

pessoa jurídica com base de tributação no Lucro Presumido

A

Instrução Normativa RFB nº 1.252/12 dispõe que a pessoa ju-

e

que se enquadra nas hipóteses de incidência da contribui-

rídica sujeita a entrega da EFD-Contribuições fica dispensada da apresentação em relação aos meses do ano-calendário em que:

ção previdenciária incidente sobre a receita bruta, conforme Lei nº 12.546, de 2011, deve:

I. não tenha auferido ou recebido receita bruta da venda de bens e serviços, ou de outra natureza, sujeita ou não ao pa- gamento das contribuições, inclusive no caso de isenção, não incidência, suspensão ou alíquota zero;

a) apresentar a EFD-Contribuições contendo apenas as infor- mações da contribuição previdenciária sobre a receita bru- ta a partir dos fatos geradores ocorridos em março de 2012 ou abril de 2012, conforme o caso;

II. não tenha realizado ou praticado operações sujeitas a apu- ração de créditos da não cumulatividade do PIS/Pasep e da Cofins, inclusive referentes a operações de importação.

b) apresentar a EFD-Contribuições com as informações do PIS e da Cofins e da contribuição previdenciária sobre a receita bru- ta, a partir dos fatos geradores ocorridos em julho de 2012.

Direito à reintegração ao emprego - Estabilidade acidentária “Para ter direito à estabilidade provisória no emprego, o trabalhador que sofreu acidente em serviço deverá com- provar afastamento das funções habituais por prazo su- perior a 15 dias, bem como demonstrar o recebimento do auxílio-doença acidentário nesse interregno (orientação jurisprudencial nº 230 – SDI 1/TST). Da mesma forma, para se cogitar o interesse do empregado em obter a reinte- gração ao cargo necessário, que este prove estar no mo- mento da demissão gozando de estabilidade no serviço, mesmo que momentânea.” TRT/MT - 00826.2002.002.23.00-6 - Relator Juíz Osmair Couto

Gorjetas - Verba salarial

rado com valor inferior ao recebido pelo trabalho normal. E, se pelo labor normal era paga a taxa de serviço, essa verba deve ser utilizada também como base de cálculo das horas extras.” TRT/PR -16.391/98 -1ª Turma - Relator Juíz Wilson Pereira

Horas extras - Reflexos nas verbas rescisórias “Comprovada a habitualidade na prática do labor extraordi- nário pelo reclamante, o valor correspondente ao seu paga- mento deve integrar o salário obreiro, inclusive para fins de cálculo das verbas rescisórias.” TRT/PB - 2314/2000 - Relatora Juíza Ana Clara de Jesus Maroja

PDV - Renúncia ao direito à estabilidade

“A adesão voluntária do empregado ao plano demissional pro-

“A

taxa de serviço, ou gorjeta, quando recebida com habitua-

movido pelo empregador, com o recebimento de indenização

lidade, tem caráter eminentemente salarial, eis que remunera

compensatória pela extinção do contrato, implica renúncia ao

o

trabalho prestado, sendo devida pelo labor normal. Assim,

direito à estabilidade sindical e à reintegração no emprego.”

se

existir labor extraordinário, o mesmo não pode ser remune-

TRT/PR - 02941-2001 - Relator Juíz Tobias de Macedo Filho

| contmatic

o mesmo não pode ser remune- TRT/PR - 02941-2001 - Relator Juíz Tobias de Macedo Filho

| 15

Pacote

All-Inclusive

cursos contmatic

Contmatic Phoenix
Contmatic Phoenix
Pacote All - Inclusive cursos contmatic Contmatic Phoenix Até o dia 20 de cada mês, a

Até o dia 20 de cada mês, a Contmatic Phoenix torna disponível, em www.contmatic.com.br, a programação de cursos do mês subsequente. Para recebê-la por e-mail, mantenha seus dados atualizados. Para isso, digite o seu código e senha na área“Cliente”. Na próxima janela, clique na opção“Cadastro de e-mails do MAC”.

*As vagas dos cursos indicados com asterisco não estão disponíveis no site da Contmatic, pois primeiramente serão convocados os inscritos na lista de espera.

Os cursos são gratuitos para clientes da Contmatic Phoenix, a quem

são destinados 90% das vagas. os 10% restantes são dedicados a não clientes, estudantes de universidades e de cursos técnicos mediante pagamento de inscrição a partir de r$ 200. alunos de universidades e de cursos técnicos conveniados à Contmatic têm desconto de 60% e os não conveniados, 30%. inscrições, mediante a disponibilidade de vagas, podem ser efetuadas por meio

do site www.cursoscontmatic.com.br.

maiS de 5 mil Sped - lucro Real/lucro Presumido usuários treinados exclusivo para cliente Contmatic.
maiS de 5 mil
Sped - lucro Real/lucro Presumido
usuários treinados
exclusivo para cliente Contmatic. Limitado a 2 inscrições por cliente do
sistema G5 Phoenix. Faça a sua inscrição gratuitamente por meio do site
www.cursoscontmatic.com.br.
datas: 3, 7, 9, 11, 14, 16, 18, 21, 23, 25, 28, 30 e 31 de maio das 8h30 às 17h30.

Matriz (São Paulo) – Tel. (11) 2942-6720

 

Área contábil

C.H.

 

Datas

Horários

Abertura e encerramento de empresas

8h

 

7/5

8h30 - 17h30

 

*

19/5

8h30 - 17h30

     

*

19 e 26/5, 2 e 16/6

8h30 - 16h30

Contabilidade geral

28h

*

21, 22, 23, 24, 28, 29, 30 e

19h - 22h30

 

31/5

Formas de tributação com ênfase em apuração

 

12h

 

*

5

e 12/5

9h - 16h

 

*

19 e 26/5

9h - 16h

Lucro Real - teoria e prática

 

20h

 

*

8, 9, 10, 11 e 14/5

18h30 - 22h30

 

*

5, 12 e 19/5

9h - 16h40

Área tributária

C.H.

 

Datas

Horários

     

*

5, 12, 19 e 26/5

8h30 - 17h30

Analista fiscal

32h

*

15, 17, 22, 24, 29 e 31/5, 5 e 12/6

13h30 - 17h30

     

9

e 10/5

19h - 22h

Dacon e DCTF

6h

 

*

16 e 17/5

19h - 22h

 

*

26/5

9h - 16h

EFD-Contribuições (PIS/Cofins)

 

6h

 

*

15 e 16/5

19h - 22h

 

*

26/5

9h - 16h

     

*

12 e 26/5 e 2/6

8h30 - 17h30

Escrita fiscal

24h

*

21, 22, 23, 24, 28, 29, 30 e

19h - 22h

 

31/5

Faturamento e emissão de notas fiscais

16h

 

*

26/5 e 2/6

8h30 - 17h30

Retenções na fonte (PIS, Cofins, CSLL, IRRF, ISSQN E INSS - P.J)

 

16h

 

*

7

a 10/5

18h30 - 22h30

 

*

23, 25, 28 e 30/5

18h30 - 22h30

Substituição tributária

14h

 

*

12 e 19/5

9h - 17h

Área trabalhista

C.H.

 

Datas

Horários

Cálculos da folha de pagamento e apuração dos encargos trabalhistas da empresa

 

12h

 

*

19 e 26/5

9h - 16h

     

*

5, 12, 19 e 26/5

8h30 - 16h30

Departamento pessoal

 

28h

*

7, 8, 9, 10, 14, 16, 17 e 18/5

18h30 - 22h

*

21, 22, 23, 24, 28, 29, 30 e

19h - 22h30

   

31/5

Gestão de RH e relações trabalhistas

 

8h

 

*

3 e 4/5

18h30 - 22h30

Outras áreas

C.H.

 

Datas

Horários

Excel

12h

 

*

12, 19 e 26/5

9h - 13h

Campinas - Tel. (19) 3284-2433

 

Área contábil

C.H.

 

Datas

Horários

Abertura e encerramento de empresas

8h

 

26/5

8h30 - 17h30

Área tributária

C.H.

 

Datas

Horários

Escrita fiscal

24h

 

5, 12 e 19/5

8h30 - 17h30

Área trabalhista

C.H.

 

Datas

Horários

Departamento pessoal

28h

 

5, 12, 19 e 26/5

8h30 - 16h30

Gestão de RH e relações trabalhistas

 

8h

 

23

e 24/5

18h30 - 22h30

Justa causa

8h

 

16

e 17/5

18h30 - 22h30

Noções básicas do direito do trabalho

 

8h

 

9

e 10/5

18h30 - 22h30

16 | contmatic

16 | contmatic |

|

São José do Rio Preto - Tel. (17) 3211-1399

 

Área contábil

C.H.

 

Datas

Horários

Contabilidade geral

28h

21, 22, 23, 24, 28, 29, 30 e 31/5

19h - 22h30

Contabilidade para não contadores

16h

15

a 18/5

18h30 - 22h30

Demonstrações contábeis

24h

12, 19 e 26/5 e 2/6

9h - 16h

IFRS para pequenas e médias empresas

12h

2

a 4/5

18h30 -22h30

RTT- Reflexos das novas normas

     

contábeis (Link Contábil Phoenix e

24h

7, 8, 9, 10, 14, 15, 16 e 17/5

18h30 - 21h30

controles internos)

Área tributária

C.H.

 

Datas

Horários

Escrita fiscal

24h

7, 8, 9, 10, 11 e 14/5

18h30 - 22h30

Área trabalhista

C.H.

 

Datas

Horários

Conectividade social - ICP

8h

15

e 16/5

18h30 - 22h30

17

e 18/5

18h30 - 22h30

Departamento pessoal

28h

12, 19 e 26/5 e 2/6

9h - 17h

21, 22, 23, 24, 28, 29, 30 e 31/5

19h - 22h30

Equiparação salarial

4h

 

25/5

18h30 -22h30

Marília - Tel. (14) 3401-2499

Área contábil

C.H.

 

Datas

Horários

Contabilidade geral

28h

5, 12, 19 e 26/5

9h - 17h

14, 15, 16, 17, 21, 22, 23 e 24/5

18h30 - 22h

Área tributária

C.H.

 

Datas

Horários

Substituição tributária

14h

19

e 26/5

9h - 17h

Área trabalhista

C.H.

 

Datas

Horários

Justa causa

8h

 

19/5

8h30 - 17h30

21

a 23/5

19h - 21h40

Noções básicas do direito do trabalho

8h

 

5/5

8h30 - 17h30

15

a 17/5

19h - 21h40

São José dos Campos - Tel. (12)3908-0900

 

Área contábil

C.H.

 

Datas

Horários

IFRS para pequenas e médias empresas

12h

5, 12 e 19/5

8h - 12h

Área tributária

C.H.

 

Datas

Horários

Analista fiscal

32h

7, 8, 9, 10, 14, 15, 16 e 17/5

18h30 - 22h30

EFD-Contribuições (PIS/Cofins)

6h

2

e 3/5

18h30 - 21h30

Escrita fiscal

24h

5, 12 e 19/5

8h30 - 17h30

Área trabalhista

C.H.

 

Datas

Horários

Gestão de RH e relações trabalhistas

8h

 

26/5

9h - 18h

Noções básicas do direito do trabalho

8h

15

a 17/5

18h30 - 21h10

Ribeirão Preto - Tel.(16) 3603-6100

 

Área tributária

C.H.

 

Datas

Horários

Retenções na fonte (PIS, Cofins, CSLL,

IRRF, ISSQN E INSS - P.J)

16h

5

e 12/5

8h30 - 17h30

Área trabalhista

C.H.

 

Datas

Horários

Noções básicas do direito do trabalho

8h

 

26/5

8h30 - 17h30

ADM PHOENIX
ADM PHOENIX
ADM PHOENIX
ADM PHOENIX
ADM PHOENIX
ADM PHOENIX
ADM
PHOENIX