Você está na página 1de 59

Métodos de pesquisa quantitativa e qualitativa para a Ciência da Computação

Tiago Cesar dos Santos, Lina María Garcés e André Gomes Benjamim. Prof. Dr. Jorge Luiz e Silva.

ROTEIRO

Conceitos introdutórios

Métodos de pesquisa científica

Métodos quantitativos

Planejamento de Experimentos

Métodos qualitativos

Ética em pesquisa em computação

Referência

ROTEIRO

Conceitos introdutórios

Métodos de pesquisa científica

Métodos quantitativos

Planejamento de Experimentos

Métodos qualitativos

Ética em pesquisa em computação

Referência

Conceitos Introdutórios

PESQUISA EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (CC) rodrigoregis.blogspot.com
PESQUISA EM CIÊNCIAS DA
COMPUTAÇÃO (CC)
rodrigoregis.blogspot.com

Envolve na maioria dos casos a construção de:

um programa

um modelo

um algoritmo, ou

um sistema novo.

Novidade é considerada como algo fundamental da pesquisa em CC.

Conceitos Introdutórios

PROGRAMA E SISTEMA desenvolvimentodesoftware.xpg.uol.com.br
PROGRAMA E SISTEMA
desenvolvimentodesoftware.xpg.uol.com.br

PROGRAMA: Software que resolve um

problema

normalmente o próprio autor.

específico,

e

cujo

usuário

é

SISTEMA: Software que interage com usuários que não são o desenvolvedor do sistema, e que faz parte das atividades do usuário.

Conceitos Introdutórios

VERIFICAÇÃO, VALIDAÇÃO E AVALIAÇÃO www.passmark.com
VERIFICAÇÃO, VALIDAÇÃO E
AVALIAÇÃO
www.passmark.com

VERIFICAÇÃO: É o processo de julgar a aderência de um sistema de informação com a sua especificação. VALIDAÇÃO: É o processo de julgar quão bem um sistema de informação resolve o problema para o qual ele foi concebido. AVALIAÇÃO: É o processo de verificar para que serve e quanto serve um sistema.

ROTEIRO

Conceitos introdutórios

Métodos de pesquisa científica

Métodos quantitativos

Planejamento de Experimentos

Métodos qualitativos

Ética em pesquisa em computação

Referência

Métodos de pesquisa científica

PARA QUÊ SÃO USADOS?
PARA QUÊ SÃO USADOS?

Avaliar programas e sistemas.

Entendimentos de requisitos.

Entendimento de práticas e o contexto de trabalho em organizações.

Demonstrações e refutações de teorias sobre sistemas de informação.

Subsídio para especificar sistemas de informação.

Entender práticas de trabalho colaborativo.

Para fazer ciência”.

Criação de leis gerais ou teorias em diferentes áreas da computação.

Métodos de pesquisa científica

METOLOGIAS PARA OBTÊR CONHECIMENTO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Pesquisa analítica Pesquisa bibliográfica Pesquisa quantitativa Pesquisa qualitativa
Pesquisa analítica
Pesquisa bibliográfica
Pesquisa quantitativa
Pesquisa qualitativa

Métodos de pesquisa científica

METOLOGIAS PARA OBTÊR CONHECIMENTO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Pesquisa analítica Pesquisa bibliográfica Pesquisa quantitativa Pesquisa qualitativa
Pesquisa analítica
Pesquisa bibliográfica
Pesquisa quantitativa
Pesquisa qualitativa

Método mais comum de gerar/obter conhecimento.

Faz algumas pressuposições sobre os dados do programa ou sobre a máquina onde o programa vai a ser executado

Prova matematicamente que o programa tem algumas propriedades interessantes.

Exemplos:

A análise de complexidade assintótica de algoritmos

Análise de algoritmos e programas onde se modela a distribuição de probabilidades dos dados

Métodos de pesquisa científica

METOLOGIAS PARA OBTÊR CONHECIMENTO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Pesquisa analítica Pesquisa bibliográfica Pesquisa quantitativa Pesquisa qualitativa
Pesquisa analítica
Pesquisa bibliográfica
Pesquisa quantitativa
Pesquisa qualitativa

NÃO é apenas coletar e resumir alguns artigos relevantes à pesquisa.

Objetivo: Coletar TODOS os artigos publicados que reportam a algum experimento quantitativo pelo qual se esta interessado em resumir os vários resultados.

Práticas comuns :

Revisão sistemática: Termina em uma avaliação qualitativa e quantitativa dos resultados.

Meta-análise: Usa técnicas estatísticas avançadas para agregar os vários resultados experimentais num único número.

Métodos de pesquisa científica

METOLOGIAS PARA OBTÊR CONHECIMENTO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

● É baseada em: ● A medida (normalmente numérica) de poucas variáveis objetivas Pesquisa analítica
● É baseada em:
● A medida (normalmente numérica) de poucas
variáveis objetivas
Pesquisa analítica
● A ênfase em comparação de resultados, e
● O uso intensivo de técnicas estatísticas.
Pesquisa bibliográfica
Pesquisa quantitativa
Métodos
quantitativos
Pesquisa qualitativa
Técnicas
Uso de
Desenhos
Dados sintéticos
estatísticas
questionários
experimentais

Métodos de pesquisa científica

METOLOGIAS PARA OBTÊR CONHECIMENTO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Pesquisa analítica Pesquisa bibliográfica Pesquisa quantitativa Estudos qualitativos observacionais Pesquisa
Pesquisa analítica
Pesquisa bibliográfica
Pesquisa quantitativa
Estudos qualitativos
observacionais
Pesquisa qualitativa
Métodos qualitativos
Pesquisa-ação
Outras formas

É baseada em:

A observação cuidadosa dos ambientes onde o sistema está sendo usado ou será usado.

Do entendimento das várias perspectivas dos usuários

dos ambientes onde o sistema está sendo usado ou será usado. Do entendimento das várias perspectivas

ROTEIRO

Conceitos introdutórios

Métodos de pesquisa científica

Métodos quantitativos

Planejamento de Experimentos

Métodos qualitativos

Ética em pesquisa em computação

Referência

Métodos Quantitativos

ESSÊNCIA DA PESQUISA QUANTITATIVA

Características marcantes

estabelecer variáveis

ato de mensurar

Métodos Quantitativos

ESSÊNCIA DA PESQUISA QUANTITATIVA

Primeiro contato

metodologia científica

forma empírica

Aplicação em Ciências Naturais

tradicional

poucas variáveis

objetivas

medidas em escala numérica

Métodos Quantitativos

ESSÊNCIA DA PESQUISA QUANTITATIVA

● as variáveis a serem observadas são consideradas objetivas, isto é, diferentes observadores obterão os mesmos resultados em observações distintas

● não há desacordo do que é melhor e o que é pior para os valores dessas variáveis objetivas

● medições numéricas são consideradas mais ricas que descrições verbais, pois elas se adequam à manipulação estatística

Métodos Quantitativos

Estrutura lógica da abordagem quantitativa (BRYMAN, 1989)

Métodos Quantitativos ● Estrutura lógica da abordagem quantitativa (BRYMAN, 1989)

Métodos Quantitativos

A essência da pesquisa quantitativa em ciência da computação é verificar o quão “melhor” é usar um programa/sistema novo frente à (s) alternativa(s).

Métodos Quantitativos

Processamento de dados

organização dos dados para extração de conhecimento

Métodos Quantitativos

Estatística Descritiva

descreve, resumi, totaliza e apresenta graficamente os dados

Estatística Inferencial

permite testar hipóteses

Métodos Quantitativos

Estatística Descritiva

distribuição de frequência

%

=>

número de ocorrências/total

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos ● Estatística Descritiva ○ média ■ ○ mediana ■ ordena os valores e pega

Estatística Descritiva

média

mediana

ordena os valores e pega o central

moda

valor mais frequente

○ média ■ ○ mediana ■ ordena os valores e pega o central ○ moda ■

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos ● Estatística Descritiva ○ correlação ■ indica a força e a direção do

Estatística Descritiva

correlação

indica a força e a direção do relacionamento linear entre duas variáveis aleatórias

Descritiva ○ correlação ■ indica a força e a direção do relacionamento linear entre duas variáveis
○ correlação ■ indica a força e a direção do relacionamento linear entre duas variáveis aleatórias
○ correlação ■ indica a força e a direção do relacionamento linear entre duas variáveis aleatórias

Métodos Quantitativos

Estatística Inferencial

amostras de uma população

teste de hipôteses

intervalo de confiança

ROTEIRO

Conceitos introdutórios

Métodos de pesquisa científica

Métodos quantitativos

Planejamento de Experimentos

Métodos qualitativos

Ética em pesquisa em computação

Referência

Planejamento de Experimentos

“Experimentos são atividades caracterizadas pela manipulação de algumas variáveis, e a observação de outras, em situações artificiais ou semi-artificiais.” - Jacques Wainer

Planejamento de Experimentos

Validade Interna

O efeito observado foi obtido a partir da manipulação realizada

Validade Externa

Generalização do efeito observado

Planejamento de Experimentos

E1: apresentação de um projeto P1, contagem de erros de P1. Apresentação de um projeto P2 e contagem de erros de P2

E2: Contagem de erros de um projeto P3, instalação CASE, contagem de um projeto P4 posterior.

Desenho Experimental

O1 X O2

O1: pré-teste (observação)

O2: pós-teste

X: Introdução case (Intervenção)

Planejamento de Experimentos

Algumas das ameaças podem ser:

Instrumentação

Testagem

Maturação

História

Planejamento de Experimentos

Outras ameaças estão presentes em desenhos que apresentem dois grupos.

Considerando um experimento E3 com dois grupos, onde ambos possuem a estrutura do experimento E1, entretanto o grupo 2 não apresenta a ferramenta CASE.

Planejamento de Experimentos

Desenho Experimental (E3) O1 X O2 (Grupo Experimental)

O3

O4 (Grupo de Controle)

Planejamento de Experimentos

Esse desenho permite que sejam neutralizadas as ameaças de maturação e história. Entretanto, permite que sejam introduzidas outras ameaças como:

Seleção

Mortalidade Seletiva

Contaminação

Comportamento Competitivo

Comportamento Compensatório

Efeito de Expectativa do Sujeito

Efeito de expectativa do Experimentador

Influência de Parte da Intervenção

Planejamento de Experimentos

Os desenhos de um experimento são tidos como verdadeiramente experimentais se ambos os grupos de controle e grupo experimental forem selecionados de forma aleatória. Isso permite a eliminação das ameaças de seleção e mortalidade seletiva

Caso não seja possível a seleção aleatória, porém, ainda existir a separação entre grupo experimental e de controle, então esse desenho é considerado como quase experimental.

Planejamento de Experimentos

O objetivo de um experimento é permitir que determinado conhecimento seja generalizado.

Entretanto, é possível garantir que o resultado irá valer para qualquer indivíduo, em qualquer lugar, em qualquer tempo e em qualquer ambiente?

ROTEIRO

Conceitos introdutórios

Métodos de pesquisa científica

Métodos quantitativos

Planejamento de Experimentos

Métodos qualitativos

Ética em pesquisa em computação

Referência

Métodos Qualitativos

DEFINIÇÃO http://www.slideshare.net/tofoli/elaborando-uma-pesquisa-qualitativa
DEFINIÇÃO
http://www.slideshare.net/tofoli/elaborando-uma-pesquisa-qualitativa

Se ocupam de variáveis que NÃO podem ser medidas, APENAS observadas.

Vêm das ciências sociais.

São métodos que se caraterizam por ser um estudo aprofundado de um sistema no ambiente onde ele está sendo usado.

Métodos Qualitativos SEMPRE envolvem pessoas, e na maioria das vezes sistemas.

Métodos Qualitativos

Métodos Qualitativos CLASSIFICAÇÃO Pesquisa observacional ● Objetivo: Observar o ambiente mas NÃO

CLASSIFICAÇÃO

Pesquisa observacional

Pesquisa observacional

Objetivo:

Observar o

ambiente mas NÃO modificá- lo.

ambiente mas NÃO modificá- lo.

Pesquisa – Ação

Objetivo:

ambiente.

Modificar

o

– Ação ● Objetivo: ambiente. Modificar o ÁREAS: Sistemas de informação, Gerência de sistemas de

ÁREAS: Sistemas de informação, Gerência de sistemas de informação, Sistemas colaborativos, Engenharia de Software, Interfaces humano-computador, e Informática médica

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

1. ESTUDOS OBSERVACIONAIS

Positivista Interpretativista
Positivista
Interpretativista

Tenta seguir de perto os fundamentos da pesquisa quantitativa.

Existem variáveis objetivas “no mundo”, que embora não possam ser medidas, podem ser observadas.

Pesquisa com viés positivista tenta falar em teorias, em provar e desaprovar essas teorias.

É chamada:

Descritiva: Busca descrever de forma “objetiva” e direta “eventos” e “fatos interessantes”.

Exploratória: Descreve o fenômeno, faz propostas para novas teorias, observações ou métricas para medir o

fenômeno.

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

1. ESTUDOS OBSERVACIONAIS

> Pesquisa observacional 1. ESTUDOS OBSERVACIONAIS Positivista Positivista Crítica Interpretativista ■

Positivista

Positivista Crítica

Interpretativista

Entende o mundo como uma construção histórica e social de relações de poder e dominação. Objetivo central: Revelar heranças que os sistemas de informação tem com a sociedade, alienação e dominação.

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

1. ESTUDOS OBSERVACIONAIS

> Pesquisa observacional 1. ESTUDOS OBSERVACIONAIS Positivista Crítica Interpretativista ■ Propõe

Positivista

Crítica

Interpretativista

Propõe que:

Não há variáveis objetivas. Tudo o que é observado depende de interpretação de um observador.

Tenta iluminar e elucidar as diferentes

perspectivas/valores/interpretações pessoas envolvidas com o sistema.

das

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.1 ESTILOS DA PESQUISA OBSERVACIONAL ESTUDOS DE CASO ● O

1.1 ESTILOS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

ESTUDOS DE CASO
ESTUDOS DE CASO

O pesquisador interage com os sujeitos de uma forma semi-formal.

Entrevistas, conversas programadas, acesso a documentos formais da organização.

Objetivo: Descobrir as práticas formais da organização e os valores, opiniões e atitudes dos sujeitos.

Relevante em pesquisa da Engenharia de software, sistemas de informação, informática médica.

ETNOGRAFIA
ETNOGRAFIA

O pesquisador “vive-trabalha” junto com os sujeitos.

Em computação tem sido usada para descobrir “o que as pessoas fazem”.

Objetivo: Entender como as pessoas trabalham.

Duração deve ser suficiente para:

Sujeitos passem a estar confortáveis com a presença do pesquisador

O pesquisador tenha observado suficientes comportamentos e práticas.

Relevante em áreas de sistemas colaborativos, interfaces (HIC).

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL Amostragem fundamentada em

1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Amostragem fundamentada em teoria ou
direcionada
Separação de observação e de teorização
Separação de observação e de teorização
Teoria fundamentada em dados
Teoria fundamentada em dados
Triangulação
Triangulação
Parceiro neutro
Parceiro neutro
Validação pelos sujeitos
Validação pelos sujeitos

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL Amostragem fundamentada em

1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Amostragem fundamentada em teoria ou
direcionada

Separação de observação e de teorização

Separação de observação e de teorização
Separação de observação e de teorização

Teoria fundamentada em dados

Teoria fundamentada em dados
Teoria fundamentada em dados

Triangulação

Triangulação
Triangulação

Parceiro neutro

Parceiro neutro
Parceiro neutro

Validação pelos sujeitos

Validação pelos sujeitos
Validação pelos sujeitos

A seleção das amostras NÃO é aleatória, mas busca especificamente casos extremos.

As fontes mais diversas serão estudadas

A pesquisa cobre o espectro das possibilidades.

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL Amostragem fundamentada em

1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Separação de observação e de teorização
Separação de observação e de teorização

Teoria fundamentada em dados

Teoria fundamentada em dados
Teoria fundamentada em dados

Triangulação

Triangulação
Triangulação

Parceiro neutro

Parceiro neutro
Parceiro neutro

Validação pelos sujeitos

Validação pelos sujeitos
Validação pelos sujeitos

A

coleta de dados e a teorização devem ser feitas em momentos independentes.

O pesquisador deve anotar “tudo” que acontece na observação de campo e depois fazer o analise.

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL Amostragem fundamentada em

1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Separação de observação e de teorização

Separação de observação e de teorização
Separação de observação e de teorização
Teoria fundamentada em dados
Teoria fundamentada em dados

Triangulação

Triangulação
Triangulação

Parceiro neutro

Parceiro neutro
Parceiro neutro

Validação pelos sujeitos

Validação pelos sujeitos
Validação pelos sujeitos

Análise de dados qualitativos que busca extrair dos próprios dados e de padrões repetitivos dos dados as teorias que explicam tais dados.

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL Amostragem fundamentada em

1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Separação de observação e de teorização

Separação de observação e de teorização
Separação de observação e de teorização

Teoria fundamentada em dados

Teoria fundamentada em dados
Teoria fundamentada em dados
Triangulação
Triangulação

Parceiro neutro

Parceiro neutro
Parceiro neutro

Validação pelos sujeitos

Validação pelos sujeitos
Validação pelos sujeitos

Utilização de várias fontes para o mesmo fato.

Consiste em buscar pelo menos duas formas/fontes para cada dado e análise da pesquisa.

Pode-se usar mais de uma técnica de coleta de dados, ou pode-se usar mais de um pesquisador observando o ambiente.

Codificação múltipla: Uso de múltiplos pesquisadores.

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL Amostragem fundamentada em

1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Separação de observação e de teorização

Separação de observação e de teorização
Separação de observação e de teorização

Teoria fundamentada em dados

Teoria fundamentada em dados
Teoria fundamentada em dados

Triangulação

Triangulação
Triangulação
Parceiro neutro
Parceiro neutro

Validação pelos sujeitos

Validação pelos sujeitos
Validação pelos sujeitos

Utilização de um pesquisador experiente não envolvido diretamente na pesquisa para validar/ criticar as conclusões.

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional

Métodos Qualitativos > Pesquisa observacional 1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL Amostragem fundamentada em

1.2 TÉCNICAS DA PESQUISA OBSERVACIONAL

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada
Amostragem fundamentada em teoria ou direcionada

Separação de observação e de teorização

Separação de observação e de teorização
Separação de observação e de teorização

Teoria fundamentada em dados

Teoria fundamentada em dados
Teoria fundamentada em dados

Triangulação

Triangulação
Triangulação

Parceiro neutro

Parceiro neutro
Parceiro neutro
Validação pelos sujeitos
Validação pelos sujeitos

Consiste em mostrar os dados coletados e/ou a análise dos mesmos a alguns dos sujeitos da pesquisa.

Métodos Qualitativos

Métodos Qualitativos CLASSIFICAÇÃO Pesquisa observacional ● Objetivo: Observar o ambiente mas NÃO

CLASSIFICAÇÃO

Pesquisa observacional

Pesquisa observacional

Objetivo:

Observar o

ambiente mas NÃO modificá- lo.

ambiente mas NÃO modificá- lo.

Pesquisa – Ação

Objetivo:

ambiente.

Modificar

o

– Ação ● Objetivo: ambiente. Modificar o ÁREAS: Sistemas de informação, Gerência de sistemas de

ÁREAS: Sistemas de informação, Gerência de sistemas de informação, Sistemas colaborativos, Engenharia de Software, Interfaces humano-computador, e Informática médica

Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação

■ Objetivo: Modificar o ambiente que está sendo estudado através da ação do pesquisador. ■
■ Objetivo: Modificar o ambiente que está
sendo
estudado
através
da
ação
do
pesquisador.
■ Resultados: É a descrição de um caso de
tentativa
de
modificação
de
uma
organização ou
desenvolvimento
grupo
através
do
(opcional)
e
a
implantação de um sistema.
Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação
Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação
Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação

Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação

Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação
Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação
Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação
Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação
Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação

ETAPAS DE UMA PESQUISA-AÇÃO

Infra-estrutura cliente-sistema Definição de um acordo/contrato sobre o escopo da pesquisa, os papéis que cada
Infra-estrutura
cliente-sistema
Definição de um acordo/contrato sobre o escopo da pesquisa, os
papéis que cada um assumirá, etc.
Definição
conjunta
e
colaborativa
do
que
é
o
problema
a
ser
Aprendizado
Diagnóstico
resolvido.
Construção da solução que espera-se resolverá o problema.
Implantação da solução
Planejamento
Avaliação
da ação
A análise/avaliação dos resultados da ação.
Tomada da
A adaptação das teorias que foram usadas para formular a solução,
ação
tendo em vista a avaliação.

Métodos Qualitativos > Pesquisa - Ação

DIFERENÇÃS COM ATIVIDADES DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E CONSULTORIAS

Des. de sistemas
Des. de sistemas
Des. de sistemas

Des. de sistemas

Des. de sistemas
Des. de sistemas

O problema a ser resolvido normalmente é

definido antes que o processo de desenvolvimento comece.

Acredita que a solução é desenvolver um sistema novo.

Encara a avaliação como um teste – Existe um viés para que a avaliação seja positiva!.

Não há muita preocupação com o aprendizado participativo. Há pouco retorno para os sujeitos do sistema.

Pesquisa - Ação
Pesquisa - Ação
Pesquisa - Ação

Pesquisa - Ação

Pesquisa - Ação
Pesquisa - Ação

Começa com a fase de diagnóstico

Pode que a solução não seja um sistema novo.

A avaliação deve ser tão neutra quanto possível.

Da análise dos resultados, os participantes devem reavaliar suas teorias e conhecimentos.

Consultorias
Consultorias
Consultorias

Consultorias

Consultorias
Consultorias
O processo de diagnóstico é parte do processo. As organizações esperam que os consultores proponham
O processo de diagnóstico é parte do processo.
As organizações esperam que os consultores
proponham a solução baseada na sua experiência
prévia.

Métodos Qualitativos > Outras formas qualitativas de avaliação

Avaliação como crítica artística ● Especialista na área usa o programa ou sistema e expressa
Avaliação como crítica
artística
● Especialista na área usa o programa ou sistema e
expressa sua opinião sobre a experiência de usá-lo.
● Áreas: Interação Humano - Computador
Avaliação por comitê de
especialistas
● Usa-se um grupo de especialistas.
● Mantem o controle da subjetividade dos
especialistas.

Métodos Qualitativos > Publicação

CUIDADOS NA HORA DE PUBLICAR RESULTADOS

> Publicação CUIDADOS NA HORA DE PUBLICAR RESULTADOS ● Defender o mérito dos métodos qualitativos, se

Defender o mérito dos métodos qualitativos, se a publicação é em uma área da CC que valoriza a pesquisa quantitativa.

Na pesquisa quantitativa, a competência do pesquisador é central na escolha do desenho experimental e na escolha do teste estatístico, mas “fazer” pesquisa é essencialmente uma tarefa mecânica.

Em pesquisa qualitativa, a competência do pesquisador é necessária durante o “fazer” da pesquisa. O pesquisador tem que:

Manter suas idéias pré-pesquisa controlados

Separar a coleta dos dados da teorização

Estar aberto e aproveitar as oportunidades que aparecem durante a pesquisa.

Ter habilidade de entrevistar os participantes.

O texto da publicação tem que ser rico o suficiente para dar confiança ao revisor e aos leitores que a pesquisa foi feita por alguém competente.

O pesquisador precisa de ligar a sua pesquisa com as teorias fundamentais da pesquisa qualitativa.

ROTEIRO

Conceitos introdutórios

Métodos de pesquisa científica

Métodos quantitativos

Planejamento de Experimentos

Métodos qualitativos

Ética em pesquisa em computação

Referência

Ética em pesquisa em computação

Pesquisa qualitativa, questionários e experimentos necessariamente envolvem seres humanos.

Cada pesquisador terá que refletir e agir segundo suas convicções nessas e outras questões, quanto à participação em experimentos:

O sujeito de um experimento em ciência da computação deve ser informado que ele participa de um experimento ou isso não é necessário?

Se ele tiver que ser informado, é preciso que ele o seja antes e concorde em participar, ou só é preciso que ele aprove após o experimento?

informado, é preciso que ele o seja antes e concorde em participar, ou só é preciso
informado, é preciso que ele o seja antes e concorde em participar, ou só é preciso

Referência

WAINER, J. (2007) Métodos de pesquisa quantitativa e qualitativa para a ciência de computação. T. KOWALTOWSKI W e K. BREITMAN (Org), Atualização em Informática da Sociedade Brasileira de Computação, PP 221-262.

Disponível para download no endereço:

HTTP://www.ic.unicamp.br/~wainer/publications.html