A Escatologia de Wesley

O Reino de Deus
Por Bispo Ildo Mello

A Escatologia de Wesley

Grande confiança na supremacia da graça sobre os
efeitos do pecado tanto no que diz respeito a santificação
individual como também social.

Por conta deste otimismo foi que ele se levantou contra a
escravidão e toda a gama de injustiças sociais de seus
dias.

Confiança e Otimismo

A maior força da doutrina wesleyana da perfeição talvez
esteja em sua habilidade de mobilizar os crentes a buscarem
um futuro mais perfeito que supere o presente.

Pois, mesmo estando consciente das forças do mal, Wesley
não as considera conseqüências inevitáveis do pecado
original, mas exatamente aquilo que pode ser vencido.

Sendo assim, sua teologia busca o poder criativo e
transformador na vida neste mundo.
(Theodore Runyon)

O Poder e Alcance da Graça

Wesley via a graça de Deus atuando de maneira tão
plena e abundante que ninguém deveria estabelecer
limites para a ação do poder de Deus através da Igreja
na era presente

Ele via a Igreja como um poderoso instrumento de
transformação e redenção pessoal e social.
(Howard Snyder)

Wesley era pós-milenista

“Foi então que os fundamentos do inferno se abalaram e o Reino de
Deus foi-se alargando progressivamente. Por toda parte havia pecadores
‘voltando-se das trevas para a luz e do poder de Satanás para Deus’...
Assim se espalhou o Cristianismo sobre a face da terra. Ele havia
‘edificado sua igreja sobre a rocha e as portas do inferno não prevalecerão
contra ela’(Mat. XVI:18). Veremos, porventura, maiores coisas do que
estas? Sim, maiores do que as que tem havido desde o começo do mundo.
Pode Satanás fazer naufragar a verdade de Deus ou invalidar suas
promessas? Se não, tempo virá em que o Cristianismo prevalecerá sobre
todas as coisas e cobrirá a terra... O mundo cristianizado… Tendo, pois,
considerado, ainda que brevemente, o cristianismo em seu começo, em
seu crescimento e cobrindo, afinal, a terra.” 
(Wesley, John . Sermões de Wesley – 1985. Volume 1, p. 90-91 e 93).

Sermão
“A Expansão Geral do Evangelho”

“Ele está já a renovar a face da terra. E temos forte razão
para esperar que a obra que ele iniciou, ele a concluirá
no dia do Seu Senhor Jesus; que ele jamais
interromperá esta bendita obra do seu Espírito até que
haja cumprido as suas promessas; até colocar ponto
final ao pecado e à miséria, à enfermidade e à morte; e
restabelecido santidade e felicidade universais, e levado
todos os habitantes da terra a cantar juntos, ‘Aleluia! O
Senhor Deus Omnipotente reina!’”

Sobre Atos 3.21, Wesley comenta:

“Até o tempo da restauração de todas as coisas - Aqui, o
apóstolo abrange ao mesmo tempo todo o curso dos
tempos do Novo Testamento entre a ascensão de nosso
Senhor e a vinda em glória. O mais eminente deste
tempos é a era apostólica e esta da Igreja imaculada,
que consistirá de todos os judeus e gentios unidos,
depois que todas as perseguições e apostasia acabarem.”
(Notas Explicativas de John Wesley sobre o Novo Testamento. Editora Filhos da Graça)

Wesley ensinou que
O Juízo Final será um Evento Único e Geral

Para Wesley, o Grande Trono Branco (Ap 20) é também o
dia do Juízo das Nações (Mt 25) e também o Tribunal de
Cristo (2 Co 5.10). Os 3 são citados no sermão “O
Grande Tribunal” como que acontecendo na mesma
ocasião.

”Depois de terem sido julgados os justos, o Rei se voltará
para os que se acharem à sua esquerda – e também estes
serão julgados, cada um segundo suas obras.”
(SERMÃO 15 - O GRANDE TRIBUNAL)

Juízo Final
Pré-milenismo vs. Pós-milenismo

Pré-Milenismo Dispensacionalista

3 Ressurreições e 3 Juízos Finais

Pré-milenismo Histórico
2 Ressurreições e 2 Juízos

1. Tribunal de Cristo
Após Arrebatamento e antes da Gde. Tribulação
2. Juízo das Nações
Após a Segunda Vinda e antes do Milênio
3. Grande Trono Branco
Após o Milênio

Pós-milenismo e Amilenismo
1. Juízo Final - Único e Geral - Ressurreição Geral
Após a Segunda Vinda e antes dos Novos Céus e Nova Terra

Principais eventos que precederão
O Tribunal de Cristo.

Enquanto o pré-milenismo ensina que o Tribunal de Cristo
precederá o milênio, Wesley afirma:

“O sol se converterá em trevas e a lua em sangue, antes que venha o
grande e terrível dia do Senhor” (Jl 2.31). “As estrelas perderão seu
brilho” (Jl 3.15) e “cairão dos céus” (Ap 6.13), saindo de suas órbitas.
E então se ouvirá o clamor universal, partindo de todos os
habitantes do céu, seguido pela “voz do arcanjo” a proclamar a
aproximação do Filho de Deus e do Homem, e a “trombeta de Deus”
fará soar um toque de alarme dirigido a todos os que dormem no pó
da terra (1Ts 4.16). Em conseqüência, abrir-se-ão todos os sepulcros e
ressurgirão os corpos. Também o mar entregará os mortos que nele
jazem (Ap 20.13). (Sermão 15)

Segunda-Vinda e o Juízo Final

Ao mesmo tempo, “o Filho do Homem aparecerá em meio de seus anjos” à
vista de toda a terra; e os anjos “reunirão os eleitos de Deus, chamando-os
dos quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus” (Mt 24.31). E o
próprio Senhor virá nas nuvens em sua própria glória e na glória de seu Pai,
com milhares de seus santos, miríades de anjos, e assentar-se-á sobre o trono
de sua glória. “E diante dele serão reunidas todas as nações, e separará uns
dos outros, e porá as ovelhas”, isto é, os bons, “à sua direita, e os cabritos”,
isto é, os maus, “à esquerda” (Mt 25.31ss). Pensando nessa assembléia geral,
o discípulo amado assim se expressa: “Vi os mortos”, todos os que tinham
estado sob a condição de mortos, “grandes e pequenos, perante Deus; e
foram abertos os livros (expressão figurada, visivelmente tirada dos usos
seguidos pelos tribunais humanos), e os mortos foram julgados segundo o
que estava escrito nos livros acerca de suas obras” (Ap 20.12).

Depois disto, o que temos são novos céus e nova terra!
(SERMÃO 15 - O GRANDE TRIBUNAL)

Wesley cita os eventos que se seguirão ao
Juízo Universal

Execução da Sentença de Vida Eterna para os justificados e
condenação eterna para os injustos (Mt 25 e Ap 20).

Então os céus se enrolarão como um pergaminho e passarão com
grande estrondo: “fugirão da presença daquele que se assenta
sobre o trono, e não se achará lugar para eles” (Ap 20.11)

"Tudo, tudo morrerá, perecerá, dissipar-se-á”

Mas uma circunstância há que, seguindo-se ao juízo, merece nossa
mais séria consideração. “Esperamos” – diz o apóstolo –
“consoante sua promessa, novos céus e nova terra, onde habita a
justiça” (2Pd 3.13).
(SERMÃO 15 - O GRANDE TRIBUNAL)

Ressurreição Física será Única e Geral

Multidões que dormem no pó da terra acordarão: uns para a vida
eterna, outros para a vergonha, para o desprezo eterno. (Daniel 12:2).

“Não fiquem admirados com isto, pois está chegando a hora em que
todos os que estiverem nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão; os que
fizeram o bem ressuscitarão para a vida, e os que fizeram o mal
ressuscitarão para serem condenados. (João 5:28-29).

Todo aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida
eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. (João 6:54)

Marta respondeu:“Eu sei que ele vai ressuscitar na ressurreição, no
último dia”. (João 11:24)

haverá ressurreição tanto de justos como de injustos. (Atos 24:15)

O sonho de
Nabucodunosor
4 impérios
Uma pedra cortada sem o auxílio
de mãos humanas despedaça o
Império Romano e cresce
paulatinamente trazendo o Reino
de Deus!

A Rocha

A Rocha que veio à Terra há 2 mil anos fez com que o
Império Romano desmoronasse exatamente como as
palavras de Daniel revelaram.

O ensino de Daniel

A interpretação de Daniel do sonho do rei revela que a
Rocha chegaria à Terra na época do quarto reino, que é
o Império Romano.

A Rocha cresceu e se tornou o Reino de Deus,
destruindo o Império Romano.

Já a visão futurista

Ensina que o Reino de Deus virá à Terra na Segunda
Vinda de Jesus

Então dizem que haverá um Império Romano
revivificado na terra nessa época.

Mas

Não devemos estar à procura de um Império Romano
revivificado.

Jesus veio e inaugurou o Reino de Deus, quando o
Império Romano estava realmente no poder.

O Reino de Deus já destruiu o Império Romano.

O reino de Deus está se expandindo.

Um pré-milenista precisa crer…

que a morte física continuará a existir após a Segunda-vinda de Cristo.

que a criação natural continuará sujeita à maldição da Queda mesmo após a
Segunda-vinda de Cristo.

que os Novos Céus e Nova Terra não serão estabelecidos na Segunda-Vinda,
mas apenas 1.000 mais tarde.

que homens e mulheres descrentes ainda terão a oportunidade de abraçar à
fé salvadora em Cristo pelo período de mil anos após sua Segunda-vinda.

que os incrédulos não serão finalmente ressuscitados até pelo menos 1000
anos subseqüentes ao retorno de Cristo.

que os incrédulos não serão finalmente julgados na Segunda-vinda, mas
somente mil anos mais tarde.

Mas, a Bíblia ensina

que a morte é destruída pela vitória na Segunda-vinda de
Cristo (1 Co 15.54);

a criação natural é libertada da escravidão da corrupção na
Segunda-vinda (Rm 8.21);

que os Novos Céus e Nova Terra são introduzidos
imediatamente após a Segunda-vinda (2 Pe 3.10-12);

que toda oportunidade de salvação termina na Segundavinda (Mt 24.14 e 37; 25.1-13; Mc 13.33);

que a ressurreição e juízo final dos incrédulos irá ocorrer com
a Segunda-vinda (Dn 12.2; Ap 1.7; 20.11-15; Mt 25.31-34).

Algumas Questões aos pré-milenistas

Quem serão as pessoas e os povos sobre os quais Cristo e os remidos
com corpos imortais reinarão?

Se o último inimigo que é a morte será destruído na Segunda Vinda,
por que ainda haveria espaço para o surgimento de novos inimigos e
de mais uma rebelião e guerra no final do milênio?

Como explicar que no final do milênio, Satanás será solto e num
período curto de tempo conseguirá promover uma rebelião sem
precedentes contra Jesus arrebanhando uma multidão incontável de
todas as nações? 

Não é absurda a idéia de que uma multidão de rebeldes alimente
qualquer espécie de esperança de vitória contra o Todo Poderoso
Cristo e seus santos com corpos glorificados e imortais? 

Figuras de linguagem de Apocalipse 20

A chave do abismo

A corrente

Judas disse que os Demônios estão presos em algemas eternas (Judas 6)

Prender ou Atar

Pedro disse que os Demônios já foram entregues ao abismo (2 Pe 2.4)

Satanás como um ser espiritual não pode ser acorrentado literalmente,
portando, este é um simbolismo de que seu poder foi restrito de modo a não
poder destruir a igreja em sua missão de fazer discípulos de todas as nações (Mt
12.29; Lc 10.18,19; Jo 12.31,32; Mt 16.18,19)

Mil anos

Período de completude em que Cristo está reinando até colocar todos os seus
inimigos debaixo dos seus pés (1 Co 15:25).

Jesus já foi entronizado

Jesus foi entronizado quando subiu ao céu e sentou- se
à destra de Deus.

Desde aquele dia o Reino tem crescido na terra

e finalmente ele encherá toda a terra, como a
montanha no sonho de Nabucodonosor.

O Trono está no céu

“Tronos” aparece 67 vezes no NT e 47 no Apocalipse.

As únicas três vezes que o trono está na terra ele
pertence pertence a Satanás ou a Besta (2:13; 13:2; 16:10).

Apocalipse 20 descreve as almas dos mártires sentadas
em tronos celestes

"fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais,
acima de todo principado, e potestade…(Ef 1:20-21).

"e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém
sentado” (Ap 4:2).

O Reino já Chegou

"Se, porém, eu expulso demônios pelo Espírito de Deus,
certamente é chegado o reino de Deus sobre vós.” (Mt
12:29).

"Todo poder me foi dado no céu e na terra!" (Mt 28:18).

"Porque convém que ele reine até que haja posto todos
os inimigos debaixo dos pés. O último inimigo a ser
destruído é a morte." (1 Co 15:25-26).

Satanás já foi amarrado

Ou como pode alguém entrar na casa do valente e roubar-lhe os bens sem
primeiro amarrá-lo?” (Mt 12:30)

"Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe
será expulso.” (Jo 12:31)

"Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago”. (Lc 10:18)

O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada Diabo
ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados
à terra. Então ouvi uma forte voz dos céus que dizia: “Agora veio a
salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo,
pois foi lançado fora o acusador dos nossos irmãos (Ap 12:8-10)

"e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao
desprezo, triunfando deles na cruz." (Cl 2:15)

A regeneração é chamada de
ressurreição espiritual

“Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou,
tem a vida eterna e não será condenado, mas já passou da
morte para a vida". (Jo 5:24)

"Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar
nos lugares celestiais em Cristo Jesus" (Ef 2:6)

"Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as
coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de
Deus.” (Cl 3:1)

Quem ressuscitou espiritualmente não está sujeito à segunda
morte, que é a condenação ao inferno. (Ap 20.6 e Rm 8.1).

Reinamos com Cristo

"nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais
em Cristo Jesus" (Ef 2:6)

"Recebereis poder" (At 1:8)

"Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e
escorpiões e sobre todo o poder do inimigo" (Lc 10:19)

As portas do inferno não prevalecerão (Mt 16:18)

"Dar-te-ei as chaves do reino dos céus" (Mt 16:19)

A Natureza do Reino

"Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão:
Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de
vós” (Lc 17:20).

Todas as coisas sujeitaste debaixo dos seus pés... Agora, porém,
ainda não vemos todas as coisas a ele sujeitas” (Hb 2:8)

É como um tesouro escondido que não é facilmente
identificado, mas, os que o descobrem, encontram grande
alegria (Mt 13:44, 45–46).

 Adam Clarke afirmou: "Estou convencido de que este período
de mil anos não deve ser interpretado literalmente"

Parábolas do Reino

Trigo e joio - Tanto o bem quanto o mal terão
permissão para crescer juntos até que um dia Jesus
volte e separe um do outro (Mateus 13:24- 43).

Jesus comparou o Reino com uma semente de
mostarda que cresceu até se tornar a maior árvore de
um jardim.

Desenvolvimento paulatino do Reino

A expressão "até que" de 1 Coríntios 15.25 indica um
desenvolvimento paulatino do Reino em que os inimigos vão sendo
gradativamente postos debaixo dos pés de Cristo e não
abruptamente como ensinam os pré-milenistas 

Como a interpretação pré-milenista se harmoniza com as Parábolas
do Reino (Mt 13) que ensinam que o Reino de Deus se estabelece de
maneira gradativa como o desenvolvimento da plantação de um
grão de mostarda e também híbrida com a presença do joio no meio
do trigo, onde temos também a presença do maligno representado
pelo inimigo que planta o joio e pelos pássaros?

Hoje

O Cristianismo teve início em uma pequena região do
Oriente Médio com um Líder e doze seguidores.

Hoje, é a maior religião que cobre a face da terra.

Mais de 2 bilhões afirmam ser cristãos hoje.

Propagação do Evangelho

Mais de 200 mil conversões por dia

Na China há mais de 20 mil conversões a Cristo por dia,

Na América do Sul são 35 mil por dia.

1 milhão de pessoas por semana se tornam cristãs.

Em 2020, a cada 3 pessoas, 1 será cristã! (Center for the Study of
Global Christianity de South Hamilton, dirigido por Todd M. Johnson)

A pequena semente que entrou na terra naquela pequena
nação de Israel cresceu para permear a terra.

O mundo mudou pra melhor

Poucas pessoas nos dias de hoje têm uma concepção
adequada da miséria e da degradação que imperavam
naquela época:

Crueldade

guerras contínuas

Tiranias

escravidão, miséria, discriminação e injustiça

O mundo mudou pra melhor

Na Itália 40% da população consistia de escravos.

Nações eram idólatras

Os povos da África, da Ásia e da Austrália adoravam
a natureza, os demônios e os próprios ancestrais
mortos.

Nas Américas, milhões adoravam um deus sedento
por sangue, e ofereciam sacrifícios humanos,
geralmente milhares deles em uma única cerimônia.

Avanços

Esforços humanitários

Crescente pressão contra os líderes governamentais corruptos.

Democracia

Constituição

Liberdade de expressão e de culto em países cristãos

Se um espírito maligno de religião estava ativo na Igreja
Católica Romana medieval, então ele recebeu um golpe
durante a Reforma Protestante.

Avanços

Durante os últimos trezentos anos, a influência das
religiões estatais diminuiu.

A Bíblia também passou a estar disponível nos
idiomas do povo e, assim, as pessoas passaram a se
colocar diante de Deus de uma maneira muito mais
independente.

A Igreja está perdendo a sua capacidade de controlar,
mas está aumentando a sua capacidade de influenciar.

Avanços do Reino

Fim da escravidão

Diminuição do racismo

Presidente negro nos EUA e uma mulher presidindo a Alemanha…

Direito das mulheres

Direito das crianças

Maior cuidado com os idosos

Avanços na medicina

Aumento da expectativa de vida

Aumento da cultura e do respeito pelos direitos alheios.

O Reino hoje

É possível experimentar e andar no Reino de Deus
hoje.

Esse Reino consiste em “justiça e paz e alegria no
Espírito Santo” (Romanos 14:17).

À medida em que buscamos o Reino de Deus em
primeiro lugar, experimentamos as bênçãos de Deus
por meio das quais “todas estas coisas [alimento,
vestes e outras provisões] nos sendo
acrescentadas” (Mateus 6:33).

Wesley

“Vossa própria natureza é dar sabor a tudo quanto vos
rodeia. É da natureza do divino sabor que existe em vós
expandir-se em tudo quanto tocardes, difundir-se por
todos os lados, atingindo a todos aqueles em cujo meio
estiverdes. Esta é a grande razão pela qual a Providência
de Deus vos misturou com os outros homens, de modo
que as graças, quaisquer que sejam, que de Deus
houverdes recebido, possam ser comunicadas através de
vós ao demais homens.” (Wesley, João. Sermões de Wesley. Volume 1.
São Bernardo do Campo, SP: Imprensa Metodista. 3a. Edição. 1985. Sermão XXIV –
Sobre o Sermão do Monte – Discurso IV. P. 505.)

Wesley e a santidade social

Trabalhou duro pelo fim da escravidão

Em favor da reforma de prisões

Contra o trabalho infantil

Em favor de direitos civis

Da construção de casas de abrigo

Criação de agências de assistência aos pobres

Numerosas sociedade missionárias

Hospitais

Escolas

Concentrou seu ministério entre os pobres

Conclusão

Embora fosse realista devido a sua consciência da realidade e da
natureza do pecado humano, Wesley mantinha viva uma esperança
otimista baseado em sua confiança no poder regenerador da graça
de Deus.

Wesley via a presente era como uma guerra entre o reino das trevas
e o Reino de Deus, onde os cristão não seriam salvos da guerra, mas
salvos para a batalha, salvos para lutarem o bom combate da guerra
espiritual contra os principados e as potestades da maldade e da
injustiça que operam neste mundo.

Wesley vivia o presente à luz da eternidade, pois procurava fazer a
obra do Reino de Deus aqui e agora impulsionado pela visão do
futuro de Deus, enquanto se preparava também para a eternidade.

Vídeo da Palestra
https://youtu.be/GbC_OGrQjV4

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful