Você está na página 1de 4

ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA VÓ BARBINA

ESCOLA EURÍPEDES BARSANULFO


Curso de Umbanda
Fase I – Aula 01 – Apresentação do Curso

1. Apresentação do Curso:
a) Motivação:
Nos dias atuais é cada vez mais raro termos médiuns que já nascem com o dom aflorado, sem a necessidade de estudo e
exercício para que o desenvolvimento mediúnico se processe.
Nessa questão aqui exposta se encontra a verdadeira motivação para a criação do Curso de Umbanda.
A Associação Espírita Vó Barbina – AEVB, por ser uma casa umbandista e por seguir e praticar as suas normas,
doutrinas e condutas necessita que seus médiuns possuam o conhecimento sobre a religião de Umbanda.
Não podemos negar que a prática é também muito importante, mas a prática sem o conhecimento é como semente
lançada em solo infértil. Talvez esse semente venha até a florescer algum dia, mas com certeza, se tivesse sido plantada da
forma correta, em solo devidamente preparado para tal, com todos os recursos que se dispõem para se ajudar em seu
crescimento, essa mesma semente poderia ser hoje uma árvore muito mais bonita, frondosa e produtora de frutos belíssimos.

b) Objetivos:
O Curso de Umbanda não visa formar nenhum médium, pai ou mãe de santo. O objetivo primeiro desse curso é o de
ensinar sobre Umbanda a quem queria conhecê-la.
Os médiuns terão a oportunidade de saber um pouco mais sobre a religião que praticam e professam. Estarão munidos
de conhecimentos para que possam entender o que acontece durante os trabalhos mediúnicos, bem como terão conhecimento
sobre a história da Umbanda.
Aos assistentes visamos dar maior clareza sobre os trabalhos que são realizados dentro do Centro de Umbanda Ogum
Beira-Mar. Sabendo mais e compreendendo melhor os trabalhos mediúnicos ambos, médiuns e assistentes, serão capazes de
aproveitar melhor os benefícios desses trabalhos.
Com isso podemos afirmar que o maior objetivo desse curso é sem dúvida o de trazer a luz, ou seja, o conhecimento a
todos os participantes dos trabalhos mediúnicos de nossa casa.

2. Cronograma do Curso:
a) Fase I:
Nosso conteúdo para essa primeira fase do curso, que vai de 10 de fevereiro até o dia 26 de maio, trará aos alunos os
conceito básicos necessários para um aprendizado mais aprofundado nos próximos módulos.

3. Textos para leitura e reflexão:

Umbanda tem história, mas até quando?


Marcos Boing - ASSEMA

Fui ao Rio de Janeiro, e entre outros passeios e visitas, tentávamos nos encontrar com D. Zilméia, filha e herdeira de
Zélio de Moraes, enquanto aguardávamos um contato, resolvemos ir visitar a casa de Zélio no bairro de Neves, local onde foram
feitos os primeiros trabalhos de Umbanda que se tem noticia (pelo menos oficialmente). Tínhamos apenas a indicação de seu
endereço Rua Floriano Peixoto, numero 30.
Chegando à rua tivemos a surpresa de que a numeração havia sido mudada, mas em nossa cabeça seria ate fácil de
achar pois muita gente ali deveria conhecer a tal casa, ledo engano, subimos e descemos a rua varias vezes, perguntamos a muita
gente novos e velhos e ninguém sabia nos dizer, coisa que nos deixou de certa forma frustrados, pois pensávamos que pelo que
la acontecia alguém lembraria.
Já estávamos para desistir quando depois de um telefonema que recebemos a própria D. Zilméia nos deu a indicação de
que o número novo era " oitocentos e pouco", voltamos a andar pela rua e logo eu avistei a casa , a reconheci por causa de uma
foto que vi tempos atrás, já na chegada notamos o total abandono, se não fosse pelo carro no pátio poderíamos ate achar que
estava abandonada, descemos e batemos no portão, quem nos atendeu foi uma neta da irmã de Zélio que e quem mora na casa
hoje em dia, e de cara já deixou bem claro que não estava a vontade com a nossa visita, quando explicamos a ela que queríamos
tirar umas fotos, pois ali era um local importante para a história da Umbanda, ela deixou claro que não gostava de Umbanda, e
que "graças a Deus ela não tinha muito contato com aquela parte da família, pois era católica e já havia acabado com tudo
daquela época".
Frustrados, revoltados, e até posso dizer tristes saímos dali...
E para completar nossa tristeza soubemos também que a Tenda Nossa Senhora da Piedade, esta sem sede, uma vez que
teve de entregar o imóvel, e hoje só realiza uma sessão por mês na Cabana do Pai Antonio, na Boca do Mato em Cachoeira do
Macacu.
Relatei tudo isto acima, para poder escrever o que vou escrever...
Nós Umbandistas nos arvoramos em falar que devemos nos defender dos "outros", criamos movimentos, criamos
"escolas", passamos a brigar entre nós mesmos para provarmos que somos "mais" Umbandistas que os outros, mas esquecemos
de coisas importantes, como preservar e difundir nossa história.

Página 1
ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA VÓ BARBINA
ESCOLA EURÍPEDES BARSANULFO
Curso de Umbanda
Fase I – Aula 01 – Apresentação do Curso

Independente da Escola que seguimos, ou da nossa crença em relação ao surgimento da Umbanda, temos de ser
racionais e entender que o "anuncio oficial", o Marco da Umbanda é o dia 15 de Novembro de 1908, por meio de Zélio de
Moraes e do Caboclo das 7 Encruzilhadas.
Me choca estar entre Umbandistas, pessoas esclarecidas e ao falarmos de D. Zilméia, alguém olhar a perguntar: "Quem
é D. Zilméia?"
Depois que começamos a falar sobre nossa indignação, começaram a aparecer alguns grupos que segundo eles "já
tinham projetos em andamento", que projetos são estes? Por que a comunidade Umbandista não estava sendo informada para
poder de alguma forma ajudar? Ou será que eles querem fazer tudo sozinho para depois poderem encher a boca e dizer "fui eu
quem fez"?
Teve gente que chegou ate a ligar para a família para dizer que tinha gente mexendo nisto, como se eles tivessem
exclusividade.
Mas estou escrevendo não para criticar, pois nem é preciso, os atos falam por si.
Escrevo para conclamar os verdadeiros UMBANDISTAS, aqueles que amam esta religião e não a tem como um meio
de ganhar a vida, vamos fazer alguma coisa para salvar a nossa história.
Tenho uma simples sugestão, claro que tudo depende da aceitação da Família de D. Zilméia:
Que tal lançarmos uma campanha nacional de arrecadação, onde as casas entre seus filhos e consulentes arrecadariam
R$ 1,00 de cada pessoa, depositaríamos numa poupança aberta em nome da Tenda N.Sra. da Piedade, e assim em pouquíssimo
tempo tenho a certeza teríamos o suficiente para adquirir a casa de Neves e assim a Tenda poderia fazer lá sua sede, ou seja
voltaria as origens, tenho certeza que Zélio e o Caboclo das 7 Encruzilhadas ficariam muito felizes...
E também poderíamos reunir todo o material que está espalhado por ai (vídeos, áudios, fotos, reportagens, etc) e criar
um pequeno Museu, lá mesmo na casa de Neves, assim com certeza daríamos oportunidades e quem quiser conhecer mais sobre
a nossa história, é claro que para isto acontecer precisaremos da boa vontade das pessoas que tem estes materiais...
Lembrem-se, só vai ter um futuro aquele que conhece e preserva seu passado, ou vocês acham que uma árvore pode ser
separada de suas raízes????

Até onde é bom estudar?


(Rodrigo Queirós – JUS – Jornal de Umbanda Sagrada)

Num período onde surgem escolas de Umbanda oferecendo os mais diversos cursos sobre a religião e toda ciência,
magia e mecanismo que a envolve, já observamos uma verdadeira revolução consciencial dentro da Umbanda. Como em toda
revolução o saldo é pesado no aspecto positivo e negativo. Então pergunto, até onde está sendo bom estudar a Umbanda? Parece
conversa de louco, né? Mas não é.
Mês passado, estive com meu irmão Alexandro Cumino e nesta ocasião trocamos experiências nesta caminhada de
ministrar cursos dentro da religião e, devido a esta prosa é que me surgiu a necessidade de escrever esta matéria.
A Umbanda precisa de uma dialética própria, de fiéis mais preocupados com o conhecimento e uma normatização
doutrinária. Isto é fato. Porém, também é fato que nos chegam diariamente "alunos" querendo criar uma situação muitas vezes
desconfortável para o bom andamento das coisas.
Primeiramente é importante ter em mente que nossos antecessores na Umbanda, em sua maioria não tiveram a
oportunidade que hoje temos de ir até um Colégio de Umbanda e buscar esclarecimentos diversos. Logo, o conhecimento destes
irmãos ficavam a cargo do que a espiritualidade revelava individualmente, o que no meu ver é bom demais! E com todas as
dificuldades que estes antigos Pais e Mães no santo se deparavam, ainda encontravam tempo e disposição para tocar um terreiro,
cuidar e orientar os irmãos encarnados. Hoje, muito deles não precisam ou não tem disponibilidade para estudar o que o Astral
nos oferta de novo.
O que muito me admira, são na maioria jovens, chegando aos colégios, travestidos de plena empáfia querendo tirar a
prova dos nove com os orientadores de estudo, para no retorno colocar o sacerdote do terreiro que freqüenta na parede ou acusá-
lo de nada saber e coisas do gênero. Estas pessoas mostram que até então nada aprenderam de valoroso no seu caminhar.
Mais triste é saber que esta pessoa há algum tempo chegou naquele terreiro sofrendo, precisando de uma limpeza, de
um afago, de reajustes, de conforto espiritual e encontrou tudo isto. Equilibrou-se entrou para a corrente mediúnica, começou a
ler alguns livros, e pronto: passa a encontrar um monte "erros" no terreiro. Então o próximo passo é começar a apontar os
supostos "erros". Procura um dos colégios e nas suas perguntas afirmativas já se revela, quando, por exemplo, pergunta:
"Professor, e quando no terreiro o caboclo chefe faz "isto", fala "aquilo", bebe "acolá", etc"... Tristemente sabemos o que este
irmão quer, ele pretende usar nossas palavras de forma negativa, e quando chega ao terreiro diz: "Olha fulano, lá no curso o
professor falou que isto está errado" . Então acontece o caos. Aquele sacerdote que outrora confiou em enviar seu filho para um
colégio já se arrepende pensando que o colégio quer desmoralizá-lo.
Irmão leitor, você que faz um curso ou pretende fazê-lo, aconselho-lhe que faça. Porém, cuidado. Saiba que todo
conhecimento que você buscar, tem valia apenas para você, não lhe dá o direito de se contrapor a nada e a ninguém, tampouco
chegar na corrente em que pertence e ficar de cochichos escusos e negativadores da boa ordem. Você só tem o direito e dever de
relatar o que aprendeu quando alguém lhe interrogar, caso contrário, mantenha-se imparcial.

Página 2
ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA VÓ BARBINA
ESCOLA EURÍPEDES BARSANULFO
Curso de Umbanda
Fase I – Aula 01 – Apresentação do Curso

Antes de mais nada, honre seu sacerdote, seja respeitoso e leal ao templo a qual pertence, e acima de tudo, saiba, que se
hoje você está no caminho da evolução, isto se deve ao fato de ter encontrado o templo a qual pertence e ter tido os braços do
seu dirigente estendidos a você. Este não lhe perguntou de onde vinha, que raça é a sua e profissão; pois ao abrir as portas do
templo a você, está abrindo as portas do coração para lhe abrigar.
Se você tem a oportunidade de estudar, que sirva de benefício a todos os que estão ao seu redor, começando pelo
terreiro. Se em alguns pontos o terreiro for resistente ou não aceitar algum ponto de vista, respeite. Lembre-se, de que ele
funcionava sem você e que continuará funcionando, pois o que é necessário é o amor e a caridade.
Se por algum motivo você pensar que o terreiro não está bom, então, de forma respeitosa e grata peça licença para o
afastamento, sem comentar ou apontar algo, sabe por quê? Porque se não está bom para você, é você quem deve sair de perto e
pronto.
Se você pretende estudar para ficar questionando o que é certo ou errado dentro do terreiro ou se posicionar como
alguém soberano, então seu destino é a ignorância.
Agora, se você antes de mais nada, você procura se esclarecer e tem consciência de que todo conhecimento alcançado
serve apenas para você inicialmente, e que caso tenha oportunidade de multiplicar naturalmente, assim o fará, então meu irmão,
para você vale a pena estudar.

Os três pilares do médium


(Eduardo Gomes - Templo Beneficente Fonte dos Caboclos )

Nem sempre o médium sabe quais caminhos a seguir, conduzindo-se nas veredas do trabalho de comunicação entre os
planos material e espiritual, de maneira superficial, deixando-se levar pela superficialidade que a vida material acostumou-o.
Desta forma vale ressaltar que o médium não o é somente apenas enquanto cumpre com suas funções de intermediário entre os
planos físico e espiritual, ele é médium (mediador) pelas 24 horas de todos os dias de sua existência carnal, pois ser médium é
viver um estado de espírito e este acompanha o médium em todos os momentos, em todas as suas experiências. O médium é
constantemente acompanhado pelo mundo espiritual e atitudes inadequadas por parte do médium podem prejudicá-lo direta ou
indiretamente, seja por obsessões, perda temporária ou definitiva de suas faculdades mediúnicas, etc.
Cabe ao médium a obrigação de melhoria interna, não para simplesmente ser um bom aparelho receptor e transmissor
de comunicações espirituais, mas para que ele "quite-se" perante sua própria consciência e assim livrar-se das "amarras"
cármicas. Porém o caminho da reforma íntima é longo e trabalhoso. O médium deve ter em mente isso. Não há fórmulas e
regras para a obtenção deste êxito, mas, junto à força de vontade própria, o médium tem um pequeno roteiro, simples, mas por
vezes, difícil de se acompanhar. São esses os “Três Pilares do Médium”:
ƒ Evangelização - Significa mudarmos internamente, seguindo como exemplo os ensinamentos de Jesus Cristo.
Devemos a cada ação, colocar em prática, ou seja viver realmente, o "amar ao próximo como a si mesmo",
praticando a caridade em múltiplas formas, sem todavia esperar algo em troca e praticá-la com o coração.
Devemos nos policiar, conhecendo-nos profundamente, detectando nossas más tendências e lutando todo o instante
contra elas. O egoísmo, a vaidade, a maledicência, a volúpia, o orgulho, a raiva, o ódio e outros baixos sentimentos
devem ser "tratados" através da reforma íntima. Como fazer tudo isso? Bem, é muito difícil, mas os outros dois
pilares darão sustentação para esse;
ƒ Mediunismo - Somente com a prática tornamo-nos aptos e especialistas nos exercícios mediúnicos, pois eles são
ligados diretamente com nossos corpos físico e astral. Com a prática constante, rotineira, persistente e
RACIONAL, vamos conhecendo os meandros da espiritualidade. Tornamo-nos ótimos medianeiros sob o aspecto
das comunicações, assim, vamos, a partir daí, recebendo lições, seja por desdobramentos naturais (sono) ou
induzidos, seja por vidência/clariaudividência, seja por intuições cada vez mais fortes. Vamos com isso ligando-
nos fortemente ao mundo espiritual e os espíritos aproximarão-se mais intensamente, levando-nos a mais
aperfeiçoamentos. Recebemos lições, puxões de orelhas, conselhos, aulas, etc, que nos auxiliarão em nosso
melhoramento moral;
ƒ Conhecimento - O estudo é uma exigência para quem sabe que é imperfeito em todos os aspectos. Devemos
conhecer para fazer melhor e corretamente. Só nos tornaremos bons medianeiros e nos evangelizaremos se
estudarmos. Estudar não é somente ler alguns livros, é ler de tudo, reter somente aquilo que é proveitável. Estudar
é também observar. Observar nosso íntimo estaremos obtendo respostas para nossas próprias falhas. Estudar aquilo
que nos rodeia, vamos percebendo coisas sutis que antes nos passavam desapercebidos. Estudar as pessoas, pois
somente assim vamos descobrindo que cada um é um universo em si e com isso vamos entendendo as pessoas
como elas são (empatia), compreendemo-nas e passamos a "amá-las como a nós mesmos". Estudar os fenômenos
mediúnicos práticos é estar em campo e aprender sutilidades. Estudar a natureza e compreender seus fenômenos
físicos, energéticos e astrais.

Página 3
ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA VÓ BARBINA
ESCOLA EURÍPEDES BARSANULFO
Curso de Umbanda
Fase I – Aula 01 – Apresentação do Curso

Idéias Espirituais
Fernando Sepe (Erásmo – espírito) – Blog Oruananda

A todos vocês que querem trilhar ou trilham um caminho espiritual, seja qual for esse caminho, lembrem-se sempre:
dedicação, firmeza, amor e compaixão em seus estudos e práticas.
O caminho espiritual nunca deve ser algo levado de forma leviana ou como uma moda passageira. Deve sim, ser
compreendido como um estudo sério e reedificador, que pode alterar profundamente o curso de vossas encarnações.
Façam do estudo e da assistência espiritual uma reciclagem de vossas consciências, abrindo-a para padrões de
pensamentos que antes não a acessavam.
Façam da espiritualidade vossa no dia-dia uma verdadeira reciclagem energética/sentimental em vossas almas e valores
íntimos.
Brilhem, filhos do Pai! A luz da alma é algo que pode ofuscar até mesmo incontáveis Sóis, afinal esse brilho, é o brilho
da centelha divina que anima todos vocês.
Ascendam-na! Façam na brilhar, iluminando os vossos destinos e os destinos de vossos semelhantes...
Não pensem que a mediunidade é um fim em si mesmo, ou que vocês são especiais por seus dons mediúnicos.
Mediunidade é uma capacidade conquistada pelo vosso espírito, mas isso nada significa!
O importante é a utilidade que você dá a ela! Existe um monte de médium por aí que nada fazem pelo mundo, e o pior,
são escravos encarnados, e verdadeiros bonecos nas mãos de desencarnados que tem suas consciências dormentes nas trevas
escuras e sombrias do ódio.
Vigiem-se sempre! Vocês têm todas as oportunidades de que precisam! Não errem! Mediunidade é importante quanto
ela te ajuda a melhorar e também te propicia meios de auxílio e assistência, seja a espíritos encarnados e desencarnados.
Sintonia é tudo quando falamos de mediunidade! Prestem atenção nisso!
Dêem importância também para vossas capacidades anímicas! Não esperem os guias para tudo, não dependam sempre
deles! Vocês são capazes, existe, como dito linhas acima, um Sol a brilhar nos refúgios internos de vossos corações. Despertem
os potenciais latentes que existem em todos vocês. As faculdades e manifestações anímicas da consciência andam junto com as
faculdades mediúnicas, e uma depende da outra para o sucesso da prática.
Animismo e mediunismo devem andar sempre de mãos juntas, escoradas pelo conhecimento, razão e discernimento,
brilhando e
trabalhando pelo amor e pela compaixão.
Por último, não caiam nas bobagens que muitos pseudo-espiritualistas ou religiosos caem! Não comecem a erigir
barreiras, muros e templos em volta de vossos ídolos e principalmente em volta de vossa mente, isolando se dentro de uma
doutrina, religião, ordem, etc.
Abram a mente e o coração, estudem de tudo, pratiquem aquilo que ressoar dentro de vosso íntimo.
Pensem bem:
Deus é UM só! Muitos são Seus nomes, mas Ele É UM SÓ!
As divindades também têm muitos nomes, mas são sempre as mesmas, sempre amando e amparando seus filhos
queridos, a humanidade...
Os avatares, as encarnações divinas, também têm muitos nomes e acontecem em meio a muitas doutrinas, mas em
verdade todos eles são apenas canais, ou grandes médiuns, manifestadores do Amor Crístico, da Serenidade Búdhica, da Alegria
Kríshinica, ou seja, todos são portadores da Luz do UM...
Pensem bem:
Para que emparedá-los dentro de um templo de pedra? Pra que emparedá-los dentro de uma doutrina, de um livro
sagrado, de um pensamento dogmático?
Pensem bem! Para que enquadrar seu coração e seus pensamentos, livres como o vento, em alguma adoração cega,
algum fanatismo ou preconceito religioso? Qual parede pode prender a luz e o amor?
A sabedoria universal aconselha a todos: Estejam de mente e coração sempre abertos! Trabalhe com a espiritualidade
sempre de forma livre...
Afinal de contas todos são manifestações do UM...
Pois se Ele é UM, apenas UM existe, não é mesmo?
Somos Todos UM!

Paz, Axé e Luz!

Página 4