Você está na página 1de 3

NEEMIAS 13

O REAVIVAMENTO DO POVO (DIVISÃO BÍBLIA ANOTADA EXPANDIDA)


1. Reformas em relação aos não-judeus v. 1-3
v. 1 Naquele dia leu-se o livro de Moisés, na presença do povo, e achou-se escrito nele que os amonitas e os moabitas
não entrassem jamais na assembléias de Deus;
v. 2 porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água, mas contra eles assalariaram Balaão
para os amaldiçoar; contudo o nosso Deus converteu a maldição em benção.
v. 3 Ouvindo eles esta lei, apartaram de Israel toda a multidão mista.

1. Ver Dt.23.3-6 (Nm 22.1-11);


2. Vemos em Rute 1.4 o casamento misto;
3. A Palavra de Deus quando estudada e colocada no coração impede que pequemos
contra Deus (Sl 119.11).

2. Reformas em relação ao sacerdócio v.4-14

v. 4 Ora, antes disto Eliasibe, sacerdote, encarregado das câmaras da casa de nosso Deus, se aparentara com Tobias,
v. 5 e lhe fizera uma câmara grande, onde dantes se recolhiam as ofertas de cereais, o incenso, os utensílios, os dízimos
dos cereais, do mosto e do azeite, que eram dados por ordenança aos levitas, aos cantores e aos porteiros, como
também as ofertas alçadas para os sacerdotes.

1. O sacerdócio estava comprometido; Eliasibe havia se aparentado com Tobias, que era
amonita (Ver 19);
2. É interessante notar que Eliasibe esteve bem por algum tempo, quando ajudou na obra de
reconstrução (3.1).
3. A casa do tesouro (Ml 3.10) foi transformada em apartamento para Tobias. Eliasibe deixou
de cumprir a sua obrigação; não tinha mais cuidado com as coisas de Deus, e também não
estava cumprindo o que foi estabelecido em 12.44-47.

v. 6 Mas durante todo este tempo não estava eu em Jerusalém, porque no ano trinta e dois de Artaxerxes, rei da
Babilônia, fui ter com o rei; mas a cabo de alguns dias pedi licença ao rei,

• Neemias começou o seu trabalho em Judá no vigésimo ano do reinado de Artaxerxes (2.1),
depois de doze anos como governador, retornou à Babilônia no trigésimo segundo ano de
Artaxerxes, ficando por lá pouco tempo (13.6).

v. 7 e vim a Jerusalém; e soube do mal que Eliasibe fizera em servir a Tobias, preparando-lhe uma câmara nos átrios
da casa de Deus.
v. 8 Isso muito me desagradou; pelo que lancei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara.

1. Como homem comprometido com Deus, Neemias jamais consentiria que Eliasibe fizesse o
que fez.
2. Tanto não consentiria que para ele aquilo foi um mal, que o desagradou e que o levou a
tomar atitudes severas: “Lancei todos os móveis de Tobias fora da câmara”.
3. Não dá para entender com um sacerdote de Judá se aparentou com um inimigo do seu povo;
Tobias foi daqueles que se juntou a Sambalate para perturbar no tempo da reconstrução
(2.10).

v. 9 Então, por minha ordem purificaram as câmaras; e tornei a trazer para ali os utensílios da casa de Deus,
juntamente com as ofertas de cereais e o incenso.

1
1. Neemias era governador, portanto, seria mais ligado às questões políticas, e Eliasibe
deveria cuidar das coisas espirituais. Mas, surpreende-nos o fato de que Neemias cuidou
também das espirituais, porque a liderança espiritual estava comprometida com as coisas
deste mundo.
2. Neemias depois de desinfetar as câmaras das coisas de Tobias, mandou que elas fossem
purificadas para voltarem ao seu propósito original.

v. 10 Também soube que os quinhões dos levitas não se lhes davam, de maneira que os levitas e os cantores, que faziam
o serviço, tinham fugido cada um para o seu campo.
v. 11 Então contendi com os magistrados e disse: Por que se abandonou a casa de Deus? Eu, pois, ajuntei os levitas e
os cantores e os restaurei no seu posto.
v. 12 Então todo o Judá trouxe para os celeiros os dízimos dos cereais, do mosto e do azeite.
v. 13 E por tesoureiros pus sobre os celeiros Selemias, o sacerdote, e Zadoque, o escrivão, e Pedaías, dentre os levitas, e
como ajudante deles Hanã, filho de Zacur, filho de Matanias, porque foram achados fiéis; e se lhes encarregou de
fazerem a distribuição entre seus irmãos.

1. Os levitas tinham deixado o seu posto, pois não estavam sendo subsidiados (sustentados)
conforme prescrevia a Lei (Ver Nm 3 e 4).
2. Todo o serviço do Templo (já restaurado por Esdras, cf 6.16-18) restabelecido por Neemias
tinha sido relegado ao segundo (ou a nenhum) plano; os ministros tiveram que cuidar das
suas vidas, deixando de fazer o que havia sido determinado a eles.
3. Depois de contender com os magistrados (os que faziam o juízo) Neemias restaura os
ministros aos seus postos (v.11).
4. O povo havia se acomodado; como não eram cobrados por ninguém, deixaram de dedicar
os seus dízimos (v.12). Não sei se hoje acontece isso!
5. Neemias escolheu dentre todos, para cuidarem dos recursos financeiros, aqueles que foram
‘achados fiéis...para fazerem a distribuição entre seus irmãos’ (At. 6.1-6). Eliasibe foi
descartado pois não cumpriu bem a sua obrigação.

v. 14 Por isto, Deus meu, lembra-te de mim, e não risques as beneficências que eu tenho feito para a casa do meu Deus
e para o serviço dela.

• É possível que Neemias tenha sentido apenas que o seu tempo estava terminando, e que,
algo maior o esperava. Assim como Paulo também acreditava em algo melhor (1 Co 9.27).

3. Reformas em relação ao sábado v.15-22

v. 15 Naqueles dias vi em Judá homens que pisavam lagares no sábado, e traziam molhos, que carregavam sobre
jumentos; vi também vinho, uvas e figos, e toda sorte de cargas, que eles traziam a Jerusalém no dia de sábado; e
protestei contra eles quanto ao dia em que estavam vendendo mantimentos.
v. 16 E em Jerusalém habitavam homens de Tiro, os quais traziam peixes e toda sorte de mercadorias, que vendiam no
sábado aos filhos de Judá, e em Jerusalém.
v. 17 Então contendi com os nobres de Judá, e lhes disse: Que mal é este que fazeis, profanando o dia de sábado?
v. 18 Porventura não fizeram vossos pais assim, e não trouxe nosso Deus todo este mal sobre nós e sobre esta cidade?
Contudo vós ainda aumentais a ira sobre Israel, profanando o sábado.
v. 19 E sucedeu que, ao começar a fazer-se escuro nas portas de Jerusalém, antes do sábado, eu ordenei que elas
fossem fechadas, e mandei que não as abrissem até passar o sábado e pus às portas alguns de meus moços, para
que nenhuma carga entrasse no dia de sábado.
v. 20 Então os negociantes e os vendedores de toda sorte de mercadorias passaram a noite fora de Jerusalém, uma ou
duas vezes.
v. 21 Protestei, pois, contra eles, dizendo-lhes: Por que passais a noite defronte do muro? Se outra vez o fizerdes, hei de
lançar mão em vós. Daquele tempo em diante não vieram no sábado.
v. 22 Também ordenei aos levitas que se purificassem, e viessem guardar as portas, para santificar o sábado. Nisso
também, Deus meu, lembra-te de mim, e perdoa-me segundo a abundância da tua misericórdia.

2
1. O sábado, que era para ser guardado como dia de descanso e reflexão estava sendo
profanado, tanto por judeus como por outros que vinham até a cidade (v.15,16).
2. Neemias que já estava acostumado a ter que fazer mudanças na base do grito, mais uma vez
contende com os nobres, fazendo perceber o mal que estavam trazendo para si mesmos
(v.17,18).
3. Neemias já estava no limite da sua paciência; depois de ordenar que as portas de Jerusalém
fossem fechadas na sexta-feira para que nenhum comerciante entrasse, os mesmos ficavam
aguardando do lado de fora. Bom, é melhor dizer que Neemias perdeu a paciência (v.21).

4. Reformas em relação ao casamento v. 23-31

v. 23 Vi também naqueles dias judeus que tinham casado com mulheres asdoditas, amonitas, e moabitas;
v. 24 e seus filhos falavam no meio asdodita, e não podiam falar judaico, senão segundo a língua de seu povo.
v. 25 Contendi com eles, e os amaldiçoei; espanquei alguns deles e, arrancando-lhes os cabelos, os fiz jurar por Deus, e
lhes disse: Não dareis vossas filhas a seus filhos, e não tomareis suas filhas para vossos filhos, nem para vós
mesmos.
v. 26 Não pecou nisso Salomão, rei de Israel? Entre muitas nações não havia rei semelhante a ele, e ele era amado de
seu Deus, e Deus o constituiu rei sobre todo o Israel. Contudo mesmo a ele as mulheres estrangeiras o fizeram
pecar.
v. 27 E dar-vos-íamos nós ouvidos, para fazermos todo este grande mal, esta infidelidade contra o nosso Deus, casando
com mulheres estrangeiras?
v. 28 Também um dos filhos de Joiada, filho do sumo sacerdote Eliasibe, era genro de Sambalate, o horonita, pelo que
o afugentei de mim.
v. 29 Lembra-te deles, Deus meu, pois contaminaram o sacerdócio, como também o pacto do sacerdócio e dos levitas.
v. 30 Assim os purifiquei de tudo que era estrangeiro, e determinei os cargos para os sacerdotes e para os levitas, cada
um na sua função;
v. 31 como também o que diz respeito à oferta da lenha em tempos determinados, e bem assim às primícias. Lembra-te
de mim, Deus meu, para o meu bem.

1. Já vimos no início do capítulo a decisão que o povo tomou em relação à mistura que
haviam feito (v.3). Mas pelo que tudo indica a decisão não foi levada até as últimas
conseqüências.
2. Os lares eram divididos em sua religiosidade; havia gente de Deus casada com os filhos de
Belial. Nenhum casamento misto pode trazer a harmonia que o crente precisa buscar dentro
de casa. Por mais que o outro seja bonzinho, nunca vai compreender as muitas atividades
que temos na igreja cristã (Muitas vezes os próprios crentes não se entendem!).
3. Neemias perdeu a paciência de vez: “Contendi com eles...os amaldiçoei...espanquei alguns
deles...arrancando-lhes os cabelos” (v.25). Não sei o que os crentes fariam se os seus
pastores partissem para essas atitudes mais radicais. A bem da verdade, tem muita gente
merecendo isso mesmo!
4. Neemias faz o povo lembrar-se de Salomão que, mesmo sendo amado de Deus, pecou por
causa das mulheres estrangeiras (v.26).
5. Eliasibe, o sumo sacerdote, estava comprometido até a raiz dos cabelos, pois um dos seus
netos era genro de Sambalate, amigo de Tobias (parente de Eliasibe v.4).
6. Neemias encerra o seu livro mostrando o contraste entre quem serve a Deus e quem não O
serve:
• “Lembra-te deles, Deus meu, pois contaminaram o sacerdócio” (v.29) O próprio
Eliasibe havia contaminado o sacerdócio aparentando-se com Sambalate e Tobias.
• “Lembra-te de mim, Deus meu, para o meu bem” (v.31). Neemias entendia que havia
combatido o bom combate e guardado a fé; razão da sua oração.

PR. Eli da Rocha Silva OPBB/SP 2036


Igreja Batista em Jardim Helena – Itaquera – São Paulo – SP 07/04/2010
3