TRATADO SOBRE CRIATURAS INUMANAS - TOMO 1

VAMPIROS
Origem e historia
O vampiro como conhecemos é o resultado final de uma serie de mutações cromossômicas, que
transformam o indivíduo em uma subespécie humana (há também um vírus capaz de contaminar
outras espécies), ocasionadas pelo Vírus da Hematodeficiência Humana (HHV), também chamado
Patógeno V. Assim como no caso do SIV (Vírus da Imunodeficiência Símia), patógeno de primatas
que sofreu mutações no RNA e passou a contaminar também humanos, dando origem ao HIV,
acredita-se que há, aproximadamente, 5200 anos atrás um vírus que contaminava uma espécie de
morcego hematófago da África tenha sofrido modificações genéticas e se tornado capaz de parasitar
células humanas. Este período histórico coincide com o início de relatos sobre espíritos sugadores
de sangue na civilização suméria, chamados Akhkharu, que, muito provavelmente, se tratavam dos
primeiros humanos portadores do vampirismo. Ainda na África, em 2000 a.C no Egito, atinge-se o
ápice do culto a Sekhmet, onde sacrifícios humanos e animais eram feitos e o sangue dos mesmos
era ingerido pelos sacerdotes, ditos representantes terrenos da deusa sanguinária. Poder-se-ia citar
uma incrível quantidade de outros relatos por quase todas as civilizações do mundo antigo como
índia, Babilônia, Pérsia, Assíria, Grécia, Roma, Peru, México, China, entre outros. Mas foi mesmo
na idade média e moderna que os relatos se difundiram causando uma histeria coletiva na
população. Muitos dos mitos que rodeiam os vampiros hoje tiveram origem durante este período.
Em meados do Séc.XV, Vlad III, príncipe da Transilvânia (Romênia atual) era um guerreiro temido.
Na luta contra os turco-otomanos, matou mais de 40 mil inimigos, boa parte deles empalada viva (o
ato de empalar é fazer transpasar um objeto pontiagudo atravéz do anûs até o tórax do indivíduo).
Diz-se que os empalamentos eram feitos durante o jantar do príncipe, que assistia ao espetáculo
macabro emquanto se bamqueteava. É sabido que era um grande apreciador de vinho, porém, não
que o dito vinho na verdade se tratava do sangue de suas vítimas empaladas. Sua crueldade inspirou
Bram Stoker a escrever Drácula. Atualmente sabe-se que Vlad III realmente era um vampiro. Outra
figura histórica desta época que se tratava realmente de caso de vampirismo foi Elizabeth Báthory,
condessa hungara acusada de matar mais de 600 pessoas no Sec.XVI. Nascida em 1560 aos 15 anos
teve um casamento arranjado com o conde Ferenc Násdady. Quando o marido saia em canpanhas
militares ela torturava os servos. Ao ficar viúva em 1604, o comportamento sádico se agravou. Em
1605 contraiu vampirismo durante uma ida a Grécia, e apartir desta data começou a sequestrar
pessoas em vilarejos próximos ao castelo onde morava. As principais vítimas da condessa eram
meninas adolescentes virgens. Especula-se que sua predileção pelas garotas devia-se ao fato de que,
durante sua infância e adolescência tenha sofrido abusos de uma tia bissexual. Bathory matava
pessoas suficientes para encher sua banheira, onde se banhava com o sangue das vítimas. Além
disso, Elizabeth mantinha garotas acorrentadas para serem torturadas com porretes e açoites
farpados. O modo de execução preferido consistia em arrastar as adolescentes nuas pela neve e
derramar água sobre elas até que morressem congeladas. Quando foi descoberta pela inquisição em
1610, além da própria, foram condenadas a babá de seus filhos, o servo aleijado Ficzko, uma serva
chamada Dorka e uma camponesa suspeita de ser bruxa, todos acusados de serem cúmplices. A
pena foi a de morte na fogueira. Sua historia virou fime em 1971 com A Condessa Drácula.

bebia o sangue e guardava os pedaços no freezer para comer mais tarde. Já no Séc. A terceira era australiana e teria matado um homem chamdo Edward Baldock para beber o sangue. O primeiro. fazia sexo com os cadáveres e em seguida tomava o sangue dos mesmos. era obçecado pela ideia de que seu sangue estava contaminado. Na hora de sua execução. envolveram os corpos de Pedro Plogojowitz e Arnold Paole. em Amsterdã. passando a matar coelhos. Os camponeses foram até sua tumba e encontraram o corpo em bom estado de conservação com sangue escorrendo pela boca e nariz. bebia o sangue e derretia os corpos em ácido. que se propagou a outras localidades. desde pequeno mutilava seus próprios dedos para chupar o sangue. Esquartejava as vítimas. período durante o qual muitas lendas e mitos populares foram explicados. Em uma de suas viagens ao cemitério foi pego pela polícia francesa. Em 1977 começou a matar gente também. Durante o julgamento alegou que necessitava de sangue para viver. Porém. em 1999. Licantropos (conhecidos vulgarmente como . os primeiros a serem oficialmente registados. salve meu filho da maldição do Drácula!”. após voltar de uma batalha. seis entre dezembro desse ano e janeiro do ano seguinte. escondem a verdade sobre a existência de seres por eles chamados “inumanos”. Conhecido como Vampiro de Londres. cães e vacas para beber o que ele achava ser “sangue limpo”. em 1949. Richard Trenton Chase e Tracey Wingginton. Plogojowitz supostamente voltou e atacou alguns vizinhos.XVIII jurou ter sido atacado por um vampiro. tenha o levado para estudos em laboratórios secretos). até mesmo funcionários do governo envolveram-se na caça de vampiros. É de conhecimento das autoridades humanas que sensível parcela dos desaparecimentos de sua população se deve a ataques de vampiros. aos 48 anos. Dois casos famosos de vampirismo. No Séc. foi encontrado morto no dia seguinte. no início do séc. O caso teria ocorrido em 1991 e faria parte de um ritual de magia negra. a crença em vampiros cresceu dramaticamente nesta época. Aos 40 anos. Foi descoberto. Plogojowitz teria morrido aos 62 anos. norte americano. Foi condenada a prisão perpétua. inglês. os quais morreram por perda de sangue. Quando o filho recusou. da Sérvia. preso e condenado a morte por decapitação em 1831. cortando o próprio pescoço na prisão após três dias. depois de nove assassinatos onde cortava os pescoços das vítimas. morreu na câmara de gás. foi condenado a forca. admitiu ter matado para saciar sua “sede”.Durante o século XVIII houve um frenesi de avistamentos de vampiros na Europa Oriental. Um serial killer que estuprava e esfaqueava crianças até atingir o orgasmo. resultando numa histeria coletiva que afetou a maioria da Europa. mas se suicidou com uma faca improvisada. que compreendem os Vampiros (da qual o autor da presente obra pertence). ninguém teria acreditado em sua historia. Um mês depois de sua morte surgiram relatos de que ele estaria atacando pessoas à noite. Outro famoso desse século foi Peter Kurten. em seguida bebia o sangue de suas presas. Paole. O segundo. sabendo de sua verdadeira origem. se tornou tão famoso que ganhou biografia e até uma estátua no Museu de Cera de Madame Tussauds. mas alegadamente voltou depois de morto para pedir comida ao filho. Preso. teria gritado: “Deus.XX os representantes mais ilustres são John George Haig. No segundo caso. Alguns tempo depois Paole faleceu. Apesar de chamado de Iluminismo. O pânico teve início num surto de alegados ataques de vampiros na Prússia Oriental em 1721 e na Monarquia de Habsburgo de 1725 a 1734. Estranhamente. Inspirou o diretor Fritz Lang a fazer o filme M. acabou desaparecendo sem deixar vestígios (acredita-se que o governo francês. Condenado a dois anos de prisão. chamado de o Vampiro de Dusseldorf. sendo frequentes as escavações de sepulturas com o fim de identificar e matar mortos-vivos em potencial.XIX temos o caso de Henri Blot que violava túmulos de mulheres recém-enterradas. para não alardear sua sociedade. O coração de Paole foi então atravessado por uma estaca e seu corpo incinerado. No julgamento.

Existem 23 tipos diferentes (Elixir-A até Elixir-Z) cada qual capaz de causar diferentes alterações fisiológicas e psicológicas. antecipadamente passam por uma cirurgia onde um explosivo acompanhado de um rastreador é implantado no tórax que pode ser ativado remotamente caso desvie de seu objetivo. responsável por caçar subespécies humanas. Se a missão for cumprida com sucesso o indivíduo ganha a liberdade.S* . . hoje serve a igreja como uma de suas principais armas: a magia.U. Os primeiros são resultado de experimentos com super-drogas psicoanabólicas chamadas de Elixires.C. também chamados de mestiços. Os riscos são altíssimos e para muitos as drogas acabam servindo como uma injeção letal. Os conjuradores são o que popularmente se conhece por bruxos. organização secreta politico-religiosa resultante de uma aliança entre a Casa Branca e o Vaticano.T. Aqueles que sobrevivem. nos perseguem através dos Inquisitores. Todos conjuradores são humanos puros (a magia é praticada por todas as espécies e subespécies racionais. As cobaias são criminosos que estavam no corredor da morte. O que na idade média levava milhares de pessoas a fogueira em praça pública. não antes de receber um antídoto para o respectivo elixir que tenha ingerido. porém. sigla para “Inhumam Combat Tactics of Unite States”. mas logicamente só magos humanos podem fazer parte desta organização) que conseguem alterar as leis da física através da pronunciação de certas palavras (chamados de Gatilhos Vocais) na presença de certos elementos químicos (conhecidos como Condutores da 4a Dimensão ou Conectores Dimensionais) cujas formas são muito específicas (denominadas Chaves Geométricas). Os inqusitores são divididos em Guerreiros e Conjuradores. Deste modo. soldados de elite da I.lobisomens) e Licantropos Hematopatas. (licantropos que contraíram vampirismo). se tornam super-humanos. Para não aproveitarem de seus poderes e fugirem.

Elisabeth Bathory. séc. As mudanças variam de uma subespécie para outra. Peter Plogojowitz.XVIII. que ocasiona hipotermia (baixa temperatura corporal) e Bradipnéia (diminuição na frequência média dos movimentos respiratórios). garantindo ótima visão . Gravura medieval retratando Vlad III baqueteando-se enquanto observa o empalamento de turco-otomanos. fotografia de 1721. devido a anemia crônica. séc. Ele codifica uma enzima que atua como um tipo especial de anticorpo. Conde Vlad Tepes. A necrofenina atua combatendo o vírus do vampirismo. como medida de prevenção a ataques de supostos vampiros.XVIII. meados do séc. Estacamento de um cadáver em Paris. a colocação de tijolos na boca dos defuntos também era um modo de impedir que o vampiro em potencial pudesse atacar. quase o dobro do que em humanos. Henri Blot. Aumento da quantidade de fibras musculares. Deusa egípcia Sekhmet.XVI. o que não é verdade. escola alemã. óleo sobre tela. Crânio encontrado em cemitério austríaco do séc. que não é encontrada em pessoas sem este gene.U. a necrofenina. Pulso Filiforme (Baixíssima pressão sanguínea).Da esquerda para direita e de cima para baixo. Desse modo as modificações organomorfológicas ocorrem mais lentamente. impedindo-o de se multiplicar rapidamente. como por exemplo: crescimento dos caninos e criação de cavidades ósseas para abrigar os mesmos quando não estão em uso.S poderão futuramente ser encontradas no livro A Serviço de Deus e do Homem Transmissão e Transformação Para que seja possível a transformação de um indivíduo contaminado em um vampiro é necessário que ele possua um gene chamado Determinante V.XIX. Foto de Peter Kurten . Foto de Tracey Wingginton. possibilitando ao organismo hospedeiro tempo para adequar-se a elas. Foto de Richard Trenton Chase. mas há algumas que são comuns a todas. 1831. John George Haig. 1977. Hiperdilatação das pupilas. Palidez. proporcionando aumento da agilidade e da força. dando a impressão de que o infectado está morto. óleo sobre tela. gravura do séc.XVII.T. 1999. * Informações detalhadas sobre a I. foto de 1949. o fato é seu corpo fica em um estado parecido com o de animação suspensa. que podem pode chegar a até 95% em algumas subespécies.C.

causando anemia grave. ainda mais. Como resposta o vírus começa a produzir um hormônio denominado hematofagiosterona que causa hematomania (necessidade de tomar sangue). devido à hipoglicemia (baixa taxa de glicose no sangue) causada pelo acelerado consumo de energia das células usadas nas já citadas modificações. Aumento no número de microvilosidades no intestino. devido ao rápido crescimento dos caninos e da abertura do Canal Fechado do Canino (abrigo para estes dentes. Neste momento. popularmente falando. afirmar que a transmutação vampírica em indivíduos não-portadores do Determinante V é possível. respectivamente. Penetram em células do sangue. Esta rapidez de absorção é genética. sente muita fome. como força (decorrente do aumento considerável da massa muscular). ainda que o indivíduo se alimentar o gasto de energia supera o de obtenção. incrementando consideravelmente os sentidos de audição e faro. A queima de carboidratos é tão rápida que. cerca de três semanas. porém. Algo curioso que ocorre com os vampiros resultantes desta transformação forçada é que a medula continua produzindo células sanguíneas e. onde o organismo do mesmo consegue absorver rapidamente os nutrientes ingeridos na alimentação durante as chamadas horas críticas (primeiras 24 horas após o contagio). porém. Isso acontece até que a célula não consegue mais se dividir ou se autodestrua por conter erros em demasia. as hemácias. nelas se multiplicam consumindo rapidamente todas as energias celulares e. A destruição de hemácias pelo fígado também cessa. Crescimento e fortalecimento acelerados das unhas. A necrofenina faz com que estas mudanças ocorram de modo relativamente lento. imortalidade. A cada divisão. Durante este período a pessoa sente muita dor na arcada dentária superior. facilitando a localização de possíveis presas.no escuro. isso acaba por acelerar a perda de energia. algumas células se multiplicam constantemente. Sem células para transportar oxigênio os tecidos de todo corpo começam a morrer. já que nestes hospedeiros o vírus se reproduz de modo . em raríssimos casos. melhorando a absorção do sangue ingerido. permitindo ao portador do vampirismo ter Imutabilidade Celular ou. mas supersensibilidade durante o dia. Aumento no número de células sensoriais no ouvido e nas narinas. eles apresentam todas as características típicas dobradas. Outra consequência da destruição do gene do envelhecimento é a preservação do DNA. Isso conserva a célula tornando desnecessária sua reposição. Nos portadores de vampirismo permanente isso não ocorre. fragmentos de DNA se perdem. Sem a necrofenina os vírus se reproduzem aceleradamente. para TRPV1-S que alerta o portador para objetos acima de 30°C. Passando-se três semanas as mutações cessam e seus sintomas também. já que não são identificados como ameaça pelos linfócitos (glóbulos brancos. Ao longo da vida humana (e de qualquer espécie não-vampírica). percepção e capacidades parapsicológicas. É interessante. os anticorpos comuns). O nível de hemácias no sangue cai rapidamente juntamente com a glicemia. Imagina-se que essa acentuação das habilidades seja feita por estímulo viral. Ao mesmo tempo em que o vírus se multiplica as modificações começam a ocorrer. Destruição dos genes do envelhecimento. que só dá sinais quando o objeto está acima de 43ºC. a medula óssea diminui sensivelmente a produção de hemácias. A literatura médica vampírica tem seis casos registrados. Modificação da proteína TRPV1 que serve para ajudar a identificar quando um objeto está quente. destroem-nas. Em aproximadamente 48 horas o hospedeiro morre. o que ocasiona pequenos erros genéticos que são passados para as células-filhas. por razões ainda não bem compreendidas. que determinam a produção de radicais livres (moléculas com um elétron a menos e que reagem facilmente danificam as células) através das mitocôndrias (reservatório de energia celular) na respiração celular. que são retráteis.). ao saírem. em progressão geométrica. A partir deste momento e por toda sua existência o agora vampiro deverá se alimentar de sangue para suprir sua deficiência.

devido à presença de inúmeros “mitos” sobre seres chupadores de sangue em quase todas as civilizações humanas. De acordo com a lei probabilística dos eventos independentes que diz “Se dois eventos são independentes. a probabilidade de que ambos se realizem é igual ao produto das probabilidades de realização dos dois eventos isolados”. . já que durante este período o indivíduo ainda esta em processo de mutação. oito variantes do HHV que causam diferentes alterações e organomorfológicas nos hospedeiros. (Ver tabela 1) Atualmente sabe-se que existem. strix = nome de uma ave noturna que segundo os romanos se alimentava de sangue e carne humana).3 X 0. A altura e peso podem sofrer singelos aumentos em milímetros e gramas. (isto é chamado de Fator V. acredita-se que no passado tenham existido muitas outras. ou abreviadamente. se tornar um vampiro) quando contaminada por esse subtipo (HHV1) é de: CV = 0. no mínimo. Os vampiros originados desta maneira são conhecidos como Os Seis Grandes. não sendo ainda representante de uma subespécie humana). mas.acelerado e. homo = homem. O desaparecimento destas supostas subespécies se deveu. unhas grandes. FV) o mais comum (cerca de 30% dos vampiros do mundo são desta subespécie). É o subtipo mais antigo do HHV. sapiens = que sabe. resultando posteriormente. HHV1: É encontrado em todo mundo. de nome científico Homo Sapiens Strix (do latim. Apenas 30% da população humana possui o gene Determinante V. palidez) a aparência da pessoa não se altera após o contágio (não se considera aqui mudanças ocorridas durante as horas críticas. como perda de peso. necessita de mais sangue. Confira abaixo os subtipos atuais do HHV. portanto. a chance de uma pessoa escolhida aleatoriamente apresentar o Determinante V e adquirir vampirismo permanente (ou seja. TABELA 1: SUBTIPOS DO HHV. que normalmente são imperceptíveis. SEUS RESPECTIVOS VAMPIRISMOS. Quem o possui tem 80% de chance se tornar vampiro do tipo Strix. na extinção de muitas delas.3 X FV CV = 0. causando conflitos entre as diferentes subespécies vampíricas coexistentes. muito provavelmente.8 = 0. a disputa por alimento entre as mesmas. Dá origem a subespécie mais comum. Tornando o hospedeiro mais forte. o vampiro “europeu”. FATOR-V(FV) E CV. a chance de conseguir alimento aumenta.24 = 24% Para outros subtipos do HHV as probabilidades são menores. LOCAL DE FREQUÊNCIA. Com exceção das características morfológicas comuns a todos os vampiros (presença de caninos retráteis. respectivamente.

É a subespécie mais abundante no mundo atualmente. ferrum = ferro). se encontrando abaixo do coração.2% HHV3: Exclusivo da Albânia. Por influência viral a pessoa portadora sente necessidade de ingerir estes alimentos. A grande diferença entre os dois subgêneros é que o Homo Sapiens Transitorium (do latim Transitorium = que muda com o tempo) se torna um pseudovampiro (indivíduos que apresentam os caninos retráteis. hipotermia. temos 7. já que o vírus causador é endêmico de Gana. O crescimento e fortalecimento dos ossos são diretamente proporcionais à quantidade de cálcio e flúor ingerida. por isso a quantidade dos sais deve ser consumida com moderação. A população local os chama de Asanbosam. Estima-se que sua população represente. deste modo pode viver em sociedade com os humanos sem serem percebidos. de 7. CV: 22. 1% da população mundial (humana e inumana). sentidos aguçados. Todos os males causados pelo vírus como hipotensão. a estatura do portador. Sem a intervenção viral as habilidades físicas (força e reflexos ampliados. também se origina neste período. Uma terceira glândula.Strix.000. etc. que estimula a absorção de todo flúor presente no organismo. que faz com que todo cálcio em excesso no organismo (que normalmente seria eliminado pela urina) seja aproveitado na fortificação dos ossos e dentes.75 m e o peso médio é de 82 kg. denominada Ósteorestauradora. Origina o Homo Sapiens Dentíferrun (do latim dentibus = dentes.000. a insuficiência dos mesmos. um país africano.Strix. hematomania.000 (sete milhões) de portadores deste vampirismo .S. causando em alguns casos. Devido a grande aproveitamento desses sais minerais o esqueleto aumenta suas dimensões e. mas não possuem a maioria das habilidades e deficiências características de um vampiro) após 30 anos a contar da transformação. aproximadamente. por consequência direta. Elas são responsáveis pela produção do hormônio Calcigênio. Os órgãos não acompanham o crescimento acentuado da ossatura.000 (sete bilhões) de indivíduos.S. sendo expostos apenas na hora do ataque.S. ou seja. A retratibilidade dos caninos também ajuda. que podem ser encontrados no leite e derivados. de modo a acelerar consideravelmente a regeneração óssea. As alterações são idênticas às ocorridas com os H. CV: 24% HHV2: Vírus endêmico de Gana. rápida regeneração) e .Da esquerda para direita: Família de H. Seu hormônio correspondente é o Fluogênio. desaparecem. FV: 80%. A altura média de seus representantes é de 1. em vegetais verde-escuros (para o cálcio) e em peixes (para o flúor). como mostra a figura ao lado.000. Durante as horas críticas duas pequenas glândulas chamadas Calcigênicas são formadas ao lado dos rins. A maioria de seus representantes é negra. Incrementos de até 3 cm são bastante comuns. A figura histórica portadora deste subtipo mais conhecida foi o príncipe Vlad III da Transilvânia.Sapiens. anemia. mas já foram registrados casos de até 5 cm. FV: 74%. Sua aparência é idêntica à do H.

dores musculares e fraqueza. ou crescimento desigual. continua devido ao fato de que o gene responsável pelo envelhecimento é destruído no período em que o vírus está no organismo. CV: 22. Isso causa a queda dos mesmos. visando adquirir este tipo de vampirismo e. Dá-se pela geração de muco nos pulmões (onde o vírus começa a se acumular a partir de então). As características físicas são as mesmas para ambos portadores.S. Os filhos de um lugat. aproximadamente. isto só ocorre no período de saída do patógeno do corpo hospedeiro. devido aos baixos níveis do neurotransmissor serotonina. Boas partes dos vampiros deste subgênero preferem. tosse. A imutabilidade celular.parapsicológicas (que serão explicadas detalhadamente no próximo capítulo) também se vão. Isso causa uma série de sintomas que muito se parecem com os de uma gripe forte. Diferentemente dos demais subtipos que parasitam exclusivamente células sanguíneas. como um corvo.Transitorium. o HHV4 se reproduz também em células de crescimento rápido. até mesmo carniça.Strix e vampiro do subgênero H. atacando viajantes incautos. Depois de. raspar a cabeça. dificuldade para respirar. Algo comum de se encontrar também nesta subespécie são casos de demência. HHV4: Comum em países árabes. O estômago é adaptado a digerir qualquer coisa. mas podem ter centenas de anos. FV: 76%. A idade aparente para os dois está entre 15 e 18 anos. causada pelo organismo como uma tentativa de expulsar o vírus (neste momento os linfócitos começam a identificar o vírus e combatê-lo). um mês o parasita celular deixa o organismo por completo. porém. assim como fazem os portadores de câncer que passam por tratamento quimioterápico. febre. já nascem pseudovampiros e são capazes de “sentir” a presença de outros vampiros.S. então. o indivíduo torna-se um humano (ou inumano. posteriormente. responsáveis pela produção da melanina). A maioria dos portadores apresenta vitiligo (despigmentação da pele de algumas partes do corpo causada pela redução dos melanócitos.8% Vampira do subgênero H. ou seja. coriza. a imortalidade isenta de malefícios. . Apresenta dois pares de caninos superdesenvolvidos. Aqueles que não apresentam loucura são geralmente agressivos e antissociais. Este fato vem fazendo com que muitos conhecedores desta informação iniciem uma caçada aos Transitorium. como de pelos e cabelo. denominados damphir. no caso de licantropos) imortal. como dor de cabeça. entretanto. Por isso não é difícil de achar estes vampiros vagando pelos desertos como verdadeiros animais. O vírus causador é o único subtipo capaz de ser transmitido pelo ar. É causador do tipo mais agressivo da doença.

muitas vezes é possível encontrar cemitérios com túmulos violados nas regiões onde este subgênero é mais comum. Quando um homem contrai este subtipo o patógeno fica encubado nos testículos e não causa nenhuma alteração no organismo. o ácido orgânico mais forte conhecido. O conjunto desses dois fatores faz com que uma portadora deste vampirismo consiga predar com facilidade e se alimentar da mesma vítima várias vezes sem que esta desconfie. Junto com HHV6 formam os dois tipos de vírus vampíricos que parasitam exclusivamente representantes do sexo feminino. o que os torna quase que exclusivamente carnívoros. ilustra melhor o aspecto de um ghoul. CV. de pka = 6.daí seu nome científico Homo Sapiens Corvilinius(do latim corvilinius = que é como o corvo). FV: 70%. HHV5: Típico das Filipinas. que sofre sensíveis mudanças. Seu aspecto é exagerado já que. No início do terceiro mês o patógeno sai e se espalha pelo sangue.8. porém caso tenha uma relação sexual com uma mulher pode transmitir a ela. São mais conhecidas como Aswang. aproximadamente. dois meses no útero. as glândulas salivares sofrem uma mutação e começam a produzir um neurotransmissor junto à saliva. sua aparência ficou condicionada a descrição dada por aqueles poucos que se depararam com ele e conseguiram sobreviver para contar. Gravura do livro Libre Des Monstres. Desenvolvem um tipo de forte alergia a celulose e lactose. É responsável pela subespeciação em Homo Sapiens Lorentis (do latim lorem = atraente). portanto não podem se alimentar de vegetais nem de leite. 21% . mas ausente nos humanos) capaz de ser sentido pelo olfato humano. e esta desenvolver o vampirismo. como a água (em qualquer outra subespécie o ácido estomacal é o ácido clorídrico. Nesse intervalo a pessoa não sente nada de “anormal”. Já as alterações uterinas fazem com que este órgão passe a produzir um feromônio (hormônio capaz de atrair o sexo oposto da mesma espécie. Após a transformação seu fígado passa a produzir um novo tipo de ácido.3). causando alterações fisiológicas idênticas às causadas pelo vírus HHV1 e HHV3. mais recente. com uma exceção. O nome popular é Ghoul. sendo 1 o ácido mais forte possível e 10 uma substância neutra. Ele tem a propriedade de apagar a memória recente (24 a 72 horas) daquele que o ingerir fenômeno conhecido como Amnésia de Memória Curta (AMC). Este vírus passa por um período de incubação de. em uma escala de vai de 1 a 10. denominado neuranina.XIX. Devido a estes motivos. CV: 20. séc. A figura ao lado. ilustrando um ghoul. FV: 68%. chamado p-tolueno-sulfônico. de grau de ionização pka = 2.4% Da esquerda para direita. presente nos animais. devido à raridade de suas aparições em grandes centros urbanos. Normalmente são prostitutas.

mirus = estranho). FV: 55%. mas também são consideravelmente mais fortes. touros e vacas. dando a portadora um corpo perfeito segundo os padrões de beleza (seios fartos. Assim como o HHV5 este vírus passa por um período de incubação no útero enquanto o modifica e homens contaminados servem apenas de transmissores da doença. já que o hormônio adrenalina poderá se espalhar com maior velocidade pelo organismo.).5 vezes) devido a contínua reposição de nutrientes para o tecido danificado. mas pode ser encontrado esporadicamente por toda Europa. Com o sangue fluindo com mais liberdade. uma circulação sanguínea mais eficiente possibilita regenerações mais rápidas (cerca de 1. Aproveitando-se desse fato.S Mirunus (do latim. A representante mais famosa desta subespécie foi a condessa Elizabeth Báthory. Com o dobro de pressão o sangue é bombeado mais rapidamente. São comumente chamadas de Lâmias na Grécia e de Súcubo nos demais países europeus. . Comumente sofrem de ataques epiléticos mudando de humor logo em seguida. FV: 71%. O vírus aumenta drasticamente a produção do hormônio feminino estrogênio. Ataca exclusivamente mulheres. As portadoras possuem os ossos flexíveis como de bebês. O nome científico é Homo Sapiens Lupinus (do latim lupinus = que é como o lobo).S. além disso. cintura fina. causa alterações nos genes responsáveis pela coloração da íris.). deixando os olhos azuis. Além disso. consiga conviver entre humanos sem ser notado com facilidade. coxas grosas.3% HHV7: Único subtipo de HHV capaz de parasitar outras espécies que não a humana. desse modo atraído indivíduos do sexo masculino. chamado pelas populações locais de Nellapse. os tecidos epiteliais passam a ser irrigados e a pele adquire um tom levemente avermelhado. possibilidade de realizar esforços físicos maiores ou por mais tempo (como levantar mais peso do que as demais subespécies ou correr por mais tempo que as mesmas) resultado de uma oxigenação mais efetiva dos músculos.Strix.7 vezes maior do que a gasta na transformação dos H. etc. Pelos e cabelos crescem mais rápido nesta espécie devido ao aumento na produção de testosterona. como as batidas são alternadas a frequência cardíaca se equipara à humana. reflexos mais rápidos quando exposto a riscos em potencial. CV: 21. A subespécie humana-vampírica deste vírus é a única a possuir dois pares de caninos retráteis desenvolvidos (um na mandíbula superior e outro na inferior. Isso faz com que a mortandade no período de mutação seja de 70%. CV: 16. por outro aqueles que passam desta fase adquirem certas características que lhes permitem obter alimento mais facilmente. o que fazem com que alguns os confundam com licantropos (lobisomens) ou mestiços (licantropos que contraíram vampirismo). A principal delas é o segundo coração. Já foram relatados casos de vampirismo permanente em carneiros. a temperatura sobe consideravelmente.HHV6: Presente em toda Grécia. aproximando-se dos 33 c°. Frequentemente chamado de Ustrel. Este vírus causa alterações tão violentas no corpo hospedeiro que a chance de se tornar um vampiro deste tipo é de apenas 30%. Do lado direito do tórax é criado um segundo coração e um segundo fígado! O hospedeiro ganha peso e chega a crescer até 10 cm! A criação dos órgãos adicionais consome uma quantidade de energia cerca de 1. Estes fatores fazem com que o H. O nome científico de sua respectiva subespécie é Homo Sapiens Angus (do latim anguis = serpente). a maioria das vampiras deste subgênero são ginastas.5% HHV8: Leste europeu. Precisam de mais sangue do que as outras subespécies para manter seu metabolismo ativo. Se por um lado a letalidade alta nesse período faz com que poucos contaminados sobrevivam.

5 H. que são armazenados no tecido adiposo (gordura). causar a queima espontânea da matéria.0 CAPACIDADES PARAPSICOLÓGICAS A mente e seus fenômenos ainda são um mistério para a ciência. A altura média e peso médio deste vampiro giram em torno de 1. mas supõe-se que a genética tenha um papel determinante. A dificuldade em aplicar a metodologia científica no estudo dos acontecimentos ditos “paranormais” devido a sua suposta incontrolabilidade faz com que pouco se saiba sobre algo que já é conhecido a centenas de anos. mas alguns indivíduos chegam a ter 2.Angus 2.2 a 2.3 a 8.0 a 3. portanto mais peso significa mais força.S.S.3 a 5.5 H. Testes em laboratórios feitos com humanos normalmente terminam em resultados pouco satisfatórios. dando a crer que muitos casos não passam de charlatanismo.Com um fígado extra o organismo pode armazenar uma quantidade maior de glicose na forma de glicogênio o que permite que se alimente de carboidratos menos vezes ao dia. tanto humana como inumana.Mirunus 3.0 a 4.Corvilinius 3. Entretanto.Transitoriun 3.0 H.3 H. são pessoas que conseguem mover objetos sem tocá-los. O excesso de glicídios e proteínas é totalmente transformado em lipídios. drogas.Lorents 2. A origem destes “poderes mentais” é totalmente desconhecida. ou ambíguos.S.5 H. respectivamente. ESTIMADA EM RELAÇÃO À FORÇA MÉDIA DE HUMANOS DO SEXO MASCULINO COM IDADE DE 30 ANOS) Subespécie Força (múltiplo) H. pesticidas. Um fato que indica que esta teoria esteja correta é a ocorrência de atividades paranormais intensas com a quase totalidade dos portadores . Em média 90% da massa corporal são convertidas em fibras musculares.0m e 140 kg. poluentes) a presença de um órgão a mais faz com que os Nellapse resistam a quantidades de venenos mortais para outras espécies.Strix 3.S.5 a 5. FV: 30%.S. entre outros fenômenos impressionantes. Além disso.84m e 100 kg. ver objetos situados a quilômetros de distância.S.S. como o fígado remove substâncias tóxicas do sangue (álcool.S.Dentiferrun 3. CV: 9% TABELA 3 – FORÇA FÍSICA RELATIVA DAS SUBESPÉCIES (PARA REPRESENTANTES DE 25 ANOS.Lupinus 3.5 H. alguns fatos ilustres relatados impedem que o meio acadêmico desista por completo.0 a 4.6 a 6.8 H. A população desta subespécie não passa de alguns milhares no mundo.

É a capacidade de alterar a sorte. divididas em dois tipos: em forças físicas da mente. cartas.FORÇAS DA MENTE Forças Físicas Telecinesia: Capacidade de causar o movimento de corpos sem contato direto e sem auxílio de qualquer tipo de força natural conhecida. Clariaudiência. É acionada em momentos de medo ou raiva intensos. . e que estas alterações acabam por potencializá-los. Aparentemente não causa qualquer tipo de esgotamento físico. muitas vezes o dotado desta capacidade não sabem que a possui. regressão temporal e viagem extradimensional.Teletransporte: O dotado é desmaterializado e materializado simultaneamente em outro ligar no mundo (ou no universo). Ainda que mais intensas em vampiros. . O uso dessa energia vital reflete no organismo causando fadiga. É um ato inconsciente. Transfiguração). Projeção Astral). Psicocinese: Capacidade de impor a vontade sobre eventos aleatórios. as habilidades mentais continuam independentes da vontade do dotado. Psicocinese) ou ainda sem nenhum motivo aparente (Precognição. mas permanece no mesmo ponto temporal (tempo. Hiloclastia. mas permanece com os conhecimentos adquiridos. época). Pirosinesia: Capacidade de acelerar as vibrações das moléculas que constituem a matéria sem usar nenhum meio de energia conhecida. como a gravitacional ou eletromagnética.de vampirismo. O uso destas habilidades precede um grande cansaço físico ainda que não se tenha feito movimento algum. que é aparentemente ilimitado chamado Telergia. Alguns vampirólogos acreditam que alguns dos muitos genes alterados pelos vírus sejam responsáveis pelos dotes parapsicológicos do portador. Macroscopicamente resultam no aquecimento e até na combustão espontânea do corpo. que interagem com a matéria. que é diretamente proporcional a intensidade da habilidade usada. como cinética(atrito). forte desejo de obter ou encontrar algo (nos casos de Psicometria.Regressão Psicotemporal: A mente do dotado volta ao corpo do mesmo em um ponto temporal anterior (ao passado). São os tipos de fenômenos paranormais mais raros registrados. e em forças ocultas da mesma. Clarividência. Abaixo estão descritas todos os tipos de fenômenos parapsicológicos já relatados. TABELA 2 . . período de uso e quantidade de vezes que foi usada. elétrica ou térmica. É normalmente ativada em momentos de medo intenso. o que leva alguns estudiosos a crer na existência de um fluido vital que atuaria como uma espécie de “combustível” para a realização de fenômenos paranormais. que interagem com os sentidos do dotado. Quando um o dotado utiliza um dom ele “gasta” esse combustível. Em casos extremos do uso de telergia o dotado pode vir a óbito por insuficiência múltipla dos órgãos. Manifesta-se em três tipos distintos: teletransporte. atuando como mecanismos de defesa automáticos que são acionados quando sob ação de medo ou raiva ou desespero (nos casos de Telecinesia e Pirocinesia. como lançamento de dados. moedas. Telepatia. Hiloclastia: Capacidade de deformar a relação espaço-tempo.

.Ectomorfose Psíquica: O indivíduo sofre drásticas mudanças morfológicas normalmente ligadas à criação de órgãos extras. tendo o registro de apenas algumas dezenas de casos em todo mundo. A duração do fenômeno pode variar entre 4 e 16min. visão) através da energia vital impregnada. uma forma psíquica semelhante a uma gárgula. O dotado fecha os olhos e mentaliza o dono do objeto. . após algum tempo que pode variar de alguns segundos a vários minutos. Transfiguração: Modificação momentânea da aparência do corpo do dotado causada pela materialização do ectoplasma. O Fenômeno tem duração de 10 a 20 minutos. pois é resultado da materialização do ectoplasma. audição. Pode ver os fatos que ocorreram com o rastreado em sua vida inteira até o presente momento. localizados abaixo dos naturais. uma série de lampejos do rastreado em questão assim como do lugar a sua volta invade a mente do dotado. Fenômenos ocultos da mente não causam grande estresse físico. Forças Ocultas Psicometria: Capacidade de receber informações de seres vivos através de objetos pertencentes a eles sem usar nenhum dos sentidos naturais (tato. criação de estruturas aerodinâmicas pelo corpo.7vezes. é dividida em três tipos: . A força do indivíduo pode ser duplicada ou até mesmo triplicada em alguns casos. a pessoa é tomada de uma fadiga extrema que pode ocasionar desmaios e até morte súbita. também chamada de metamorfose. . Este incremento resulta em um aumento de 15% no peso total do corpo. As modificações organomorfológicas incluem: aumento do peso em até 50 kg. não consegue distinguir ninguém e passa a agredir todos a sua volta. aproximadamente. Após o término do período. nelas pode ser encontradas ou feitas facilmente. olfato. uma das formas da telergia. paladar. O caso mais comum é a criação de um par de braços a mais. queda de pelos e cabelos. inclusive asas. Os pelos do corpo e o cabelo não “reaparecem” depois do fim do fenômeno. mas voltam a crescer posteriormente. . criação de membros extras ou a transformação completa em Nosferatu. É o tipo mais raro de hiloclastia. isto em apenas alguns segundos. A força do indivíduo por ser aumentada em até 1. A pessoa se torna irracional e perigosamente agressiva. O indivíduo deve ter contato físico com algum pertence da pessoa ou animal a ser rastreado.Endomorfose Psíquica: Todos os tecidos do organismo sofrem um aumento proporcional rápido (cerca de 1 a 4 min) chegando a ganhar até 40 kg em alguns casos. cuja aparência muito se assemelha a de um gárgula. Causa um considerável cansaço físico após cessar.Viagem Extradimensional: O dotado é enviado à outra dimensão onde as leis físicas são completamente diferentes. e o que nesta realidade se diz ser impossível de existir ou realizar. Baseando-se nestas variações a transfiguração. Normalmente o indivíduo adquire características que lhe permitem se defender melhor. Também causa cansaço físico acentuado ao término do fenômeno. aumento e fortalecimento das unhas e caninos. Dura de 7 a 35min.Licantropia psíquica: É um caso bem mais raro de transfiguração onde o dotado sofre uma transformação radical tornando-se um licantropo do tipo Nosferatu. então. dando a mesma um tom acinzentado. A criação de novos tecidos não consome energia. Acredita-se que na verdade foram as aparições deste licantropo psíquico que originou a figura mitológica. como: aumento substancial dos músculos e ossos. leve escurecimento da pele.

. O dotado que tem a capacidade acentuada de receber informações telepáticas (onde o emissor não possui um nível de dom relevante) também é conhecido como vidente. Porém. Em vez de imagens o dotado ouve sons do rastreado. A mente do indivíduo pode viajar o mundo inteiro e quando voltar ao corpo a pessoa se lembra perfeitamente de onde “esteve”. que são aquele que envia a mensagem e aquele que recebe a mensagem. quando um dotado quer que alguém faça certa escolha. limitando-se há algumas horas ou dias antes do momento do rastreamento. de uma gravação de voz ou até mesmo de um histórico de sua vida. Não é um fenômeno exaustivo. de uma foto. ou que o lugar emita sons característicos. Telepatia: Capacidade de se comunicar sem usar nenhum sentido conhecido. A troca de informações ocorre através de sons e imagens apenas perceptíveis para o emissor e o receptor. Não causa cansaço físico. A projeção astral é um caso particular de fenômeno paranormal já que pode ser aperfeiçoada com meditações específicas. Pode ser feita propositalmente ou mesmo sem o intuito. Sugestão Telepática: É a capacidade de enviar mensagens por telepatia. o fenômeno acontece subitamente. Não causa estresse físico algum. È mais comum. respectivamente. ou aquele que “lê” a mente. Esse tipo de comunicação entre mentes pode ser realizado entre pessoas de qualquer lugar do mundo e não sofre interferência de qualquer tipo de barreira material ou energética. porém menos eficiente na descoberta de seres ou coisas desaparecidas. Causa um relativo cansaço após sua realização se comparado a outros tipos de fenômenos de força oculta. em qualquer hora. Ocorre muitas vezes inconscientemente. São bastante comuns através de sonhos. É mais comum que a psicometria e ainda menos exaustiva. então seu desejo é enviado telepaticamente ao inconsciente da pessoa que “sente” a mensagem em formar de uma vontade súbita de fazer aquilo que o outro desejava. Precognição: Também conhecida como premonição. Projeção Astral: É a capacidade de projetar a consciência para fora do corpo enquanto este fica em estado de aparente inconsciência. as “visões” não alcançam períodos longínquos da vida do rastreado. Esta capacidade é muito semelhante à psicometria exceto pelo fato de que não necessita de um objeto para fazer a busca. é a capacidade de prever acontecimentos futuros. o que de certo modo é correto. capazes de influenciar as ações do receptor da informação. mas há casos relatados de previsões concretizadas depois de dois anos. já que não é possível saber onde ela está a não ser que a mesma diga.Clarividência: Também conhecida como “terceiro olho”. Não é ativada por nenhum motivo aparente. por exemplo. precisando apenas da descrição da pessoa. mas por algum motivo não quer ou não pode dizer a ele. mas também é possível de serem realizados conscientemente. Clariaudiência: É a “versão” auditiva da clarividência. Normalmente os acontecimentos previstos se realizam em um dia após a premonição. em qualquer lugar com ou sem estímulos.

Como qualquer ser vivo os portadores de vampirismo precisam descansar o corpo e a mente. Óculos escuros ajudam. 2) Vampiros tem medo de alho: Ainda que do modo apresentado normalmente(pendurado no pescoço) o alho não tenha efeito algum sobre o vampiro. o indivíduo perde a consciência e assim permanece. que é reconhecido pela necrofenina como um corpo estranho. 5)Vampiros temem crucifixos: Mito. mas acontece que. nem o por quê. pode causar um tipo de alergia aguda grave. como um vegetal. 3) Vampiros não podem sair no sol: Poder. Se os ferimentos forem graves demais e não houver sangue suficiente para regenerá-lo o corpo do indivíduo passa a sofrer uma rápida decomposição. assim como na cebola. de mobilidade e loucura. podem. ela o ataca exageradamente. vaso constrição (fechamento dos vasos sanguíneos. Sendo assim a igreja pensava que a cruz. Como o órgão é necessário para fazer o sangue circular (ainda que vagarosamente) pelo corpo. é quase impossível para um vampiro enxergar durante o dia. Porém. até que seu corpo se liquefaça. espantaria os vampiros.VERDADES & MITOS SOBRE VAMPIROS Este capítulo objetiva esclarecer alguns fatos relacionados aos vampiros muitas vezes exagerados. ardência. devido a grande sensibilidade dos olhos. Devido às razões explicadas no item anterior os vampiros trocam a noite pelo dia. mas ainda assim não são adequados para permanência prolongada a luz. Esta afirmação é originária da Europa medieval. isso danifica os tecidos ao redor e causa inflamações que podem evoluir para infecções generalizadas. principalmente a humana e inumana não-vampírica. Vampiros são tão visíveis em superfícies reflexivas quanto qualquer outro corpo material. infundados e resultantes da ignorância da sociedade. 1) Vampiros morrem com estacas no coração: Não apenas com estacas. manter os olhos entreabertos já é um desafio. 6) Vampiros não possuem reflexo no espelho: Não se sabe ao certo quando surgiu esta ideia. Como consequência o indivíduo é atacado por tremuras. danos que impeçam seu funcionamento ocasionam a morte das células do organismo. O que acontece é que no alho. se seu conteúdo tiver contato direto com o sangue ou mucosas do mesmo. mas é totalmente falsa. existe um ácido denominado. entidade maligna. perda de memória. Em cerca de 12 horas a partir do trauma. etc. oxigênio e anticorpos. . por isso costumam sair a noite descansar durante o dia. que pode evoluir para parada cardíaca) e falta de ar (que pode evoluir para parada respiratória). Os sintomas são: inchaço. mas qualquer objeto resistente o suficiente para causar danos graves ao coração pode matar um vampiro. levando nutrientes. O fanatismo religioso aliado à ignorância da sociedade da época fez a fama do vampiro como ser originado das trevas. filho do demônio. símbolo da vitória de Cristo sobre o mal. 4) Vampiros não dormem: Mito. o artefato não tem efeito algum sobre os portadores de vampirismo. As células cerebrais são as primeiras a morrer.