Você está na página 1de 9
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 1. INTRODUÇÃO A

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 1. INTRODUÇÃO A Química é a

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 1. INTRODUÇÃO A Química é a ciência
1. INTRODUÇÃO
1. INTRODUÇÃO

A Química é a ciência responsável por estudar a matéria, as substâncias, como tais substâncias se combinam e, também, como são geradas as reações químicas. Para isso, no entanto, é necessário entender que essa ciência abrange o mundo material que nos rodeia, seja vegetal ou mineral, vivo ou morto. Envolve, ademais, o nível macroscópico, que trata da matéria e suas transformações, ou seja, objetos visíveis; e nível microscópico, que torna possível a leitura de arranjos de átomos, os quais, a olho nu, não conseguimos observar.

2. MATÉRIA
2. MATÉRIA

Sinteticamente, é tudo aquilo que tem massa e ocupa lugar no espaço, desse modo, possui volume. É formada por pequenas partículas que chamamos de átomos e essas partículas podem se unir e formar moléculas. Também podem se transformar em outras matérias e até mesmo em energia cinética.

Exemplos: a madeira, o ar, a água e tudo o que podemos imaginar que caiba na definição acima.

Obs: a ausência total da matéria é o vácuo.

CORPO: é qualquer porção limitada da matéria . Caso essa porção seja trabalhada e possua uma funcionalidade, é denominada de objeto ou sistema.

Exemplos: A madeira (corpo) transformada em mesa (objeto). A barra de ouro (corpo) quando transformada em jóias (objeto).

de ouro (corpo) quando transformada em jóias (objeto). 3. FENÔMENOS QUÍMICOS E FÍSICOS Fenômeno é uma
3. FENÔMENOS QUÍMICOS E FÍSICOS
3. FENÔMENOS QUÍMICOS E FÍSICOS

Fenômeno é

uma química ou física.

transformação

da

matéria.

Pode

ser

3.1 - Fenômeno Químico: É uma transformação da matéria com alteração da sua composição. Exemplos : combustão de um gás, da madeira, formação da ferrugem, eletrólise da água.

3.2 - Fenômeno Físico: É a transformação da matéria sem

alteração da sua composição. Exemplos: ebulição do álcool etílico, solidificação da água, reflexão da luz.

4. ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA
4. ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA

Cada tipo de matéria é chamado de substâncias que podem se apresentar num dos três estados físicos:

que podem se apresentar num dos três estados físicos: 4.1 - Sólido (S) : Partículas com

4.1 - Sólido (S): Partículas com pouco movimento,

fortemente unidas, bem arrumadas. Substância com forma e

volume constantes.

4.2 - Líquido (L): Partículas com pouco mais de liberdade

de movimento, levemente unidas. Substância apresenta volume constante e forma variável.

4.3 - Gasoso (G): Partículas com total liberdade de

movimento, livres umas das outras. A substância apresenta volume e forma variados.

5. MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DA MATÉRIA
5. MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DA MATÉRIA
e forma variados. 5. MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DA MATÉRIA Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 1
e forma variados. 5. MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DA MATÉRIA Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 1

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

1

e forma variados. 5. MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DA MATÉRIA Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 1
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 5.1 - Fusão

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 5.1 - Fusão (S  L):

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 5.1 - Fusão (S  L): a

5.1 - Fusão (S L): a substância funde à temperatura fixa

(ponto de fusão) a uma certa pressão. Ex.: o gelo funde à

0ºC ao nível do mar.

5.2 - Solidificação (L S): a substância solidifica à uma

temperatura fixa igual ao ponto de fusão, já que o processo é inverso ao da fusão. Ex.: o congelamento da água também ocorre à 0ºC ao nível do mar, quando a temperatura está baixando.

5.3 - Vaporização (L G): é a passagem de uma substância

do estado líquido para o estado de gás, que ocorre quando suas moléculas atingem o seu chamado ponto de ebulição. Pode ocorrer de três modos:

5.3.1 - Evaporação: ocorre à temperatura ambiente é lenta e

espontânea (ex: a água de um lago evapora com o calor do

sol);

5.3.2

- Ebulição: ocorre quando fornecemos calor ao líquido,

é rápida e violenta (ex: uma chaleira d'água fervendo);

5.3.3 - Calefação: ocorre quando se borrifa um líquido numa

chapa aquecida acima do seu ponto de ebulição (ex.: pingar

uma gota d'água numa chapa de ferro muito quente).

5.4 - Condensação (G L): a substância no estado gasoso é

resultado de um líquido vaporizado que, ao sofrer um resfriamento, retorna ao estado líquido por condensação. (ex:

gotículas de água se formam na tampa de uma chaleira). Outro

processo similar é a Liquefação: é a condensação de uma substância que em condições ambientes, é um gás que ao comprimi-la (aumentar a pressão) passa para o estado líquido (ex.: o gás de cozinha é comprimido num botijão e se liquefaz - gás liquefeito de petróleo (GLP)).

5.5 - Sublimação (S G): a substância passa da forma sólida

diretamente para o estado gasoso (ex: naftalina, iodo, cânfora).

6. PROPRIEDADES DA MATÉRIA
6. PROPRIEDADES DA MATÉRIA

São as características que definem a espécie de matéria. Podem ser:

que definem a espécie de matéria. Podem ser: 6.1 - Propriedades gerais: São as propriedades inerentes

6.1 - Propriedades gerais: São as propriedades inerentes a

toda espécie de matéria.

6.1.1 - Extensão: espaço que a matéria ocupa, seu volume.

6.1.2 - Inércia: resistência que um corpo oferece a qualquer

tentativa de variação do seu estado de movimento ou de

repouso. O corpo que está em repouso, tende a ficar em repouso e o que está em movimento tende a ficar em movimento, com velocidade e direção constantes.

6.1.3 - Massa: é a grandeza que usamos como medida da

quantidade de matéria de um corpo ou objeto.

6.1.4 - Peso: é a força gravitacional entre o corpo e a Terra.

6.1.5 - Impenetrabilidade: é o fato de que duas porções de

matéria não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo.

6.1.6 - Compressibilidade: o volume ocupado por uma

porção de matéria pode diminuir sob a ação de forças externas.

6.1.7 - Elasticidade: se a ação de uma força causar

deformação na matéria, dentro de um certo limite, ela poderá retornar à forma original.

6.1.8 - Divisibilidade: toda matéria pode ser dividida sem

alterar a sua constituição (até um certo limite).

6.2 - Propriedades funcionais: São propriedades comuns a

determinados grupos de matéria, identificadas pela função que desempenham. A Química se preocupa particularmente com estas propriedades. Podemos citar como exemplo de propriedades funcionais a acidez, a basicidade, a salinidade de

algumas espécies de matéria.

6.3 - Propriedades específicas: São propriedades individuais

de cada tipo particular de matéria:

6.3.1 - Organolépticas: são aquelas capazes de impressionar

os nossos sentidos, como a cor, que impressiona a visão, o sabor e o odor, que impressionam o paladar e o olfato respectivamente, e a fase de agregação da matéria, que pode

ser sólida (pó, pasta), líquida ou gasosa e que impressiona o tato.

6.3.2 - Químicas: são propriedades responsáveis pelos tipos

de transformação que cada matéria é capaz de sofrer. Por

exemplo, o vinho pode se transformar em vinagre; o ferro pode se transformar em aço, mas o vinho não pode se transformar em aço nem o ferro em vinagre.

6.3.3 - Físicas: são certos valores constantes, encontrados

experimentalmente, para o comportamento de cada tipo de matéria, quando submetida a determinadas condições. Essas

de matéria, quando submetida a determinadas condições. Essas Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 2

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

2

de matéria, quando submetida a determinadas condições. Essas Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 2
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 condições não alteram

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 condições não alteram a constituição da

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 condições não alteram a constituição da matéria,

condições não alteram a constituição da matéria, por mais adversas que sejam.

6.3.4 - Ponto de fusão e ebulição: são as temperaturas onde a

matéria passa da fase sólida para a fase líquida e da fase

líquida para a fase sólida, respectivamente.

6.3.5 - Ponto de ebulição e de liquefação: são as

temperaturas onde a matéria passa da fase líquida para a fase gasosa e da fase gasosa para a líquida, respectivamente.

6.6.6 - Calor específico: é a quantidade de calor necessária

para aumentar em 1 grau Celsius (ºC) a temperatura de 1grama

de massa de qualquer substância. Pode ser medida em calorias.

6.6.7 - Densidade absoluta: razão entre massa e volume de

um corpo.

d = m / V

6.6.8 - Propriedade magnética: capacidade que uma

substância tem de atrair pedaços de ferro (Fe) e níquel (Ni).

6.6.9 - Maleabilidade: é a propriedade que permite à matéria

ser transformada em lâmina. Característica dos metais.

6.6.10 - Ductibilidade: capacidade que a substância tem de

ser transformada em fios. Característica dos metais. 6.6.11 - Dureza: é determinada pela resistência que a superfície do material oferece ao risco por outro material. O diamante é o material que apresenta maior grau de dureza na natureza.

6.6.12 - Tenacidade: é a resistência que os materiais oferecem

ao choque mecânico, ou seja, ao impacto. Resiste ao forte impacto sem se quebrar.

7. SUBSTÂNCIA
7. SUBSTÂNCIA

É a matéria analisada qualitativamente, possui um conjunto definido de propriedades, composição característica. Pode ser:

7.1 - Simples, quando são formadas só por um elemento

químico (exemplo: ferro, ouro, zinco, mercúrio).

7.2 Composta, quando são formadas por mais de um

elemento químico; exemplo: açúcar (sacarose), sal de cozinha (cloreto de sódio), água.

8. MISTURA
8. MISTURA

Caracteriza-se por duas ou mais substâncias agrupadas, onde suas propriedades e composição são variáveis. Podem ser:

8.1 - Homogênea ou solução, quando apresentam uma única fase, ou seja, são monofásicas. Toda sua extensão possui um

único aspecto (exemplo: água com álcool, água com açúcar, ar atmosférico).

água com álcool, água com açúcar, ar atmosférico). 8.2 - Heterogênea , quando apresentam duas ou

8.2 - Heterogênea, quando apresentam duas ou mais fases. Suas fases podem ser observadas a olho nu ou através de um microscópio. São classificadas em:

8.2.1

- Bifásica, quando apresenta duas fases (exemplo: água e

óleo);

quando apresenta duas fases (exemplo: água e óleo ) ; 8.2.2 - Trifásica , quando apresenta

8.2.2 - Trifásica, quando apresenta três fases (exemplo:

granito);

8.2.3 - Polifásicas, quando apresenta a partir de quatro fases

(exemplo: Água e areia, água e azeite, sangue).

fases (exemplo: Água e areia, água e azeite, sangue). Lembre-se! A olho nu, o sangue é

Lembre-se! A olho nu, o sangue é homogêneo, entretanto, ao microscópio ele é heterogêneo devido a existência de plasma, hemácias e outras substâncias presentes no mesmo.

OBS1: Toda solução é uma mistura, mas nem toda mistura é uma solução. Lembre-se: Toda solução é composta por duas substâncias que são o soluto e o solvente, formando juntos uma mistura homogênea (SEMPRE). Já a mistura é a união de 2 componentes, independente se se fundirem ou não.

OBS2: É válido atentar para os gráficos de misturas, pois, algumas delas têm o comportamento similar a uma substância pura.

Temos, então, misturas eutéticas e azeotrópicas:

pura. Temos, então, misturas eutéticas e azeotrópicas: Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 3

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

3

pura. Temos, então, misturas eutéticas e azeotrópicas: Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 3
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 Mistura Eutética: Neste

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 Mistura Eutética: Neste caso, temos uma

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 Mistura Eutética: Neste caso, temos uma mistura

Mistura Eutética:

Química Matéria e Energia Aula: 01 Mistura Eutética: Neste caso, temos uma mistura que funde/solidifica em

Neste caso, temos uma mistura que funde/solidifica em temperatura constante. É o que acontece, por exemplo, com uma liga metálica que contenha 62% de estanho e 38% de chumbo à uma temperatura constante de 183°C. Mistura Azeotrópica:

uma temperatura constante de 183°C. Mistura Azeotrópica: Neste caso, temos uma mistura que ferve/condensa em

Neste caso, temos uma mistura que ferve/condensa em temperatura constante. Têm-se, por exemplo, uma mistura com 96% de álcool comum e 4% de água, em volume, que ferve à temperatura de 78.1°C.

9. SEPARAÇÃO DE MISTURAS
9. SEPARAÇÃO DE MISTURAS

9.1 - Separação dos componentes de mistura homogênea 9.1.1 - Destilação Simples: a separação ocorre de acordo com a diferença nos pontos de ebulição do solvente e soluto. Por aquecimento, em aparelhagem apropriada com um condensador adaptado, só o líquido entra em ebulição, passando para o estado gasoso, e, em seguida, a parte sólida da mistura, por não se volátil, não evapora e permanece no balão de destilação.

9.1.2 - Evaporação: neste processo a mistura, contida em

recipiente aberto, é aquecida (naturalmente ou não) até o líquido evaporar, separando-se do soluto na forma sólida. Este é o método utilizado nas salinas para obtenção de sal marinho.

9.1.3 - Destilação fracionada: São separações de líquidos miscíveis cujas temperaturas de ebulição não sejam muito próximas,

pois, consiste no aquecimento dos líquidos misturados, em aparelhagem específica e com controle de temperatura. O componente mais volátil, ou seja, aquele com menor ponto de ebulição, é destilado primeiro. Este processo é utilizado, por exemplo, na obtenção de bebidas alcoólicas, e também no fracionamento do petróleo para a obtenção de seus subprodutos.

9.1.4 - Liquefação fracionada: através de resfriamento em

aparelhagem adequada e com controle de temperatura, os gases se liquefazem separadamente. Uma aplicação desse processo consiste na separação dos componentes do ar atmosférico.

9.2 - Separação dos componentes de mistura heterogênea

9.2.1 -

utilizada para separar substâncias em misturas heterogêneas envolvendo

sólidos e líquidos

imiscíveis que têm densidades diferentes.

9.2.2 - Centrifugação: processo caracterizado pelo uso de

aparelhos denominados centrífugas, que aceleram a decantação, separando materiais de densidades diferentes.

A separação de glóbulos vermelhos do plasma sanguíneo, por exemplo, é feito com o auxílio de uma centrífuga.

9.2.3 - Filtração: É utilizada para separar substâncias

presentes em misturas heterogêneas evolvendo sólidos e líquidos. O sólido ficará retido no filtro e o líquido será

recolhido em outro recipiente. A preparação do café é um exemplo de filtração

Decantação:

É

do café é um exemplo de filtração Decantação: É Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 4
do café é um exemplo de filtração Decantação: É Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 4
do café é um exemplo de filtração Decantação: É Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 4

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

4

do café é um exemplo de filtração Decantação: É Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 4
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 9.2.4 - Decantação:

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 9.2.4 - Decantação: É utilizada para

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 9.2.4 - Decantação: É utilizada para separar

9.2.4 - Decantação: É

utilizada para separar líquidos imiscíveis com diferentes densidades. Após a decantação, abre-se a torneira, deixando passar o líquido mais denso.

9.2.5 - Catação: separação manual dos sólidos com

diferentes tamanhos.

separação manual dos sólidos com diferentes tamanhos. 9.2.6 - Levigação: quando o sólido da mistura tem

9.2.6 - Levigação: quando o sólido da mistura tem densidades

diferentes, usa-se uma corrente de água, que arrasta o componente menos denso.

uma corrente de água, que arrasta o componente menos denso. 9.2.7 - Ventilação: separação dos componentes

9.2.7 - Ventilação: separação dos componentes sólidos de

densidades diferentes, na qual o componente menos denso é arrastado por uma corrente de ar. Na separação de cereais e suas cascas, já soltas, utiliza-se a ventilação.

e suas cascas, já soltas, utiliza-se a ventilação. 9.2.8 - Peneiração (tamisação): processo utilizado na

9.2.8 - Peneiração (tamisação): processo utilizado na separação de sólidos de tamanhos diferente. Pode ser utilizado na separação de diferentes granulações de areia.

na separação de diferentes granulações de areia. 9.2.9 - Separação magnética: separa os componentes de

9.2.9 - Separação magnética: separa os componentes de uma

mistura, onde um deles é atraído por um ímã, e o outro não.

onde um deles é atraído por um ímã, e o outro não. 9.2.10 - Flotação: consiste

9.2.10 - Flotação: consiste em separar sólidos de densidades diferentes através de um líquido com densidade intermediária. Em uma mistura de terra e serragem, quando adicionamos água, a areia fica no fundo e a serragem flutua na água. 9.2.11- Filtração: Neste caso, a mistura passa através de um filtro, onde o sólido fica retido. Este é o processo utilizado pelo aspirador de pó.

retido. Este é o processo utilizado pelo aspirador de pó. 10. ENERGIA É a medida da
10. ENERGIA
10. ENERGIA

É a medida da capacidade de realizar um trabalho. Existem vários tipos de energia, dependendo do tipo de trabalho realizado. Por exemplo, a energia que um corpo adquire

quando está em movimento é a energia cinética. A energia que

o corpo

mecânica é toda forma de energia relacionada com o

movimento de corpos ou com a capacidade de colocá-los em movimento ou de deformá-los. A energia química é baseada na força de atração e repulsão nas ligações químicas, presente

na formação da matéria. As trocas de calor são energias

térmicas. A condução de eletricidade é uma energia elétrica, e a energia na forma de luz é a energia luminosa. Exemplo: Durante a queima de uma vela (matéria), ela se desgasta, produzindo fumaça (matéria: fuligem e gases) e liberando energia (luz: energia luminosa; calor: energia calorífica). 10.1 - Princípio da conservação de matéria e energia: A matéria e energia não podem ser criadas nem destruídas; podem somente ser transformadas. 10.2 - Lei da Conservação da Massa ou lei de Lavoisier: "A soma das massas dos reagentes é igual a soma das massas dos produtos". Ou ainda, "Na natureza, nada se cria, nada se perde; tudo se transforma".

armazena é a energia potencial. A energia

EXERCÍCIOS
EXERCÍCIOS

1) (FAAP) No texto: “Um escultor recebe um bloco Retangular de mármore e, habilmente, o transforma na estátua de uma celebridade do cinema”, podemos identificar matéria, corpo e objeto e, a partir daí, definir esses três conceitos.

e objeto e, a partir daí, definir esses três conceitos. Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 5

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

5

e objeto e, a partir daí, definir esses três conceitos. Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 5
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 I. Matéria (mármore):

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 I. Matéria (mármore): tudo aquilo que

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 I. Matéria (mármore): tudo aquilo que tem

I. Matéria (mármore): tudo aquilo que tem massa e ocupa lugar no espaço. II. Corpo (bloco retangular de mármore): porção limitada de matéria que, por sua forma especial, se presta a um determinado uso.

III. Objeto (estátua de mármore): porção limitada de matéria.

Assinale:

a)

se somente a afirmativa I é correta.

b)

se somente a afirmativa II é correta.

c)

se somente a afirmativa III é correta.

d)

se somente as afirmativas I e II são corretas.

e)

se as afirmativas I, II e III são corretas.

2) (PUC) Em garimpos onde o ouro é encontrado em pó, para separá-lo da areia acrescenta-se mercúrio líquido que forma liga metálica com ouro. Para separar os metais, a liga é aquecida até evaporação completa do mercúrio. Esse procedimento é possível porque dos dois metais, o mercúrio tem:

a) menor densidade.

b) menor massa molar.

c) menor temperatura de ebulição.

d) maior temperatura de fusão.

e) maior volume molar.

3) (UNIVÁS-MG) Observe os seguintes fatos:

I. Uma pedra de naftalina deixada no armário. II. Uma vasilha com água deixada no freezer.

III. Uma vasilha com água deixada no fogo.

IV. O derretimento de um pedaço de chumbo quando

aquecido.

A esses fatos estão relacionados corretamente os seguintes fenômenos:

a) I sublimação; II – solidificação; III – ebulição; IV fusão.

evaporação.

c) I fusão; II sublimação; III ebulição; IV – solidificação

b) I sublimação; II solidificação; III fusão;

IV

d)

I evaporação; II solidificação; III fusão;

IV

sublimação.

 

e)

I evaporação; II sublimação; III

fusão;

IV

solidificação

4) (PUC) Numa indústria de fabricação do metanol, CH 3 OH, a queda acidental de álcool no reservatório de água potável tornou-a imprópria para o consumo. Apesar do incidente, duas características da água potável permaneceram inalteradas:

a) cor e densidade.

b) sabor e ponto de ebulição.

c) odor e calor específico.

d) cor e condutividade elétrica.

e) sabor e ponto de fusão.

5) (Mackenzie) Considere os fenômenos:

I. A queima de fogos de artifício

II. A água entrando em ebulição

III. O escurecimento de um objeto de cobre

IV. A efervescência de um comprimido em água

São fenômenos químicos:

a) I, II, III e IV.

b) I, II e III, somente.

c) I, III e IV, somente.

d) II e IV, somente.

e) I e III, somente.

6) (ITA) O fato de um sólido, nas condições ambientes,

apresentar um único valor de massa específica em toda sua extensão é suficiente para afirmar que este sólido:

I. É homogêneo.

II. É monofásico.

III. É uma solução sólida.

IV. É uma substância simples.

V. Funde a uma temperatura constante.

Das afirmações feitas, estão corretas:

a)

apenas

I

e

II.

b)

apenas

I,

II

e

III.

c)

apenas

II,

III

e

V.

d)

apenas

IV

e

V.

e)

todas.

7) (UFSM-RS) A destilação fracionada, como a usada na separação de frações do petróleo, é um método utilizado para

separar misturas

de

não sendo indicado para separar misturas

De líquidos com diferentes pontos

,

para separar misturas De líquidos com diferentes pontos , Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 6

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

6

para separar misturas De líquidos com diferentes pontos , Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 6
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 a) heterogêneas -

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 a) heterogêneas - fusão - eutéticas.

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 a) heterogêneas - fusão - eutéticas. b)

a) heterogêneas - fusão - eutéticas.

b) homogêneas - fusão - azeotrópicas.

c) heterogêneas - ebulição - eutéticas.

d) heterogêneas - fusão - azeotrópicas.

e) homogêneas - ebulição azeotrópicas

8) (UEPA) Considerando-se as transformações:

I. A água líquida é obtida a partir do gelo ao se fornecer energia na forma de calor:

a partir do gelo ao se fornecer energia na forma de calor: II. As chuvas ácidas

II. As chuvas ácidas transformaram a superfície do mármore de estátuas gregas em gesso macio e sujeito à erosão:

de estátuas gregas em gesso macio e sujeito à erosão: III. Uma poção de ferro interage

III. Uma poção de ferro interage com o oxigênio em presença da umidade, transformando-se em ferrugem:

em presença da umidade, transformando-se em ferrugem: É correto afirmar que os fenômenos ocorridos são

É correto afirmar que os fenômenos ocorridos são identificados, respectivamente, como:

a) Físico, químico, físico.

b) Físico, químico, químico.

c) Físico, físico, químico.

d) Químico, químico, físico.

e) Químico, físico, físico.

9) (Mackenzie-SP) Os sistemas I, II, III, IV e V abaixo contêm as seguintes substâncias:

(I) um pedaço de bronze;

(II) cloreto de sódio fundindo;

(III)

ar filtrado;

(IV)

H 2 O (vapor)

(V) gás nitrogênio liquefeito.

A alternativa que apresenta sistemas constituídos unicamente de misturas é:

a) I e IV

b) II e III

c) IV e V

d) II e V

e) I e III

10) (G1- cps 2008 ) "Encontro em lanchonetes ou no intervalo das aulas é uma das atividades de lazer de crianças e de adolescentes, e a comida preferida é o lanche à base de hambúrguer com maionese e ketchup, batata frita, salgadinhos, refrigerantes, entre outros. Porém esses alimentos vêm sofrendo condenação pelos médicos e nutricionistas, em especial por conterem componentes não recomendados, que são considerados 'vilões' para a saúde dessa população jovem como, por exemplo, as gorduras trans e o excesso de sódio. Segundo pesquisa recente do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), nas redes de fast-food, certos sanduíches fornecem 80 % da quantidade necessária de sódio por dia. Esse elemento compõe a substância cloreto de sódio, que é um dos principais compostos presentes no sal de cozinha. O sal de cozinha pode ser obtido a partir da água do mar, em salinas, por evaporação. A condenação desse composto pelos médicos está associada a uma série de problemas, entre eles a hipertensão, hoje em dia comum até entre crianças e adolescentes. Com base no exposto e considerando o conceito de mistura e de substância pura, pode-se afirmar que

a) o sal de cozinha, considerado substância pura, é encontrado

na natureza.

b) o cloreto de sódio puro é considerado uma mistura das

substâncias puras cloro e sódio.

c) o sal de cozinha é uma mistura que contém, entre outras

substâncias, o cloreto de sódio.

d) o sal de cozinha, obtido em salinas por evaporação, é

cloreto de sódio puro.

e) os sanduíches, em especial das redes fast-food, contêm 80%

do sal recomendado por dia.

11) (Cefet-PR) Para um químico, ao desenvolver uma análise,

é importante verificar se o sistema com o qual está trabalhando

é uma substância pura ou uma mistura. Dependendo do tipo de mistura, podemos separar seus componentes por diferentes processos. Assinale a alternativa que apresenta o método correto de separação de uma mistura.

a) Uma mistura homogênea pode ser separada através de

decantação.

b) A mistura álcool e água pode ser separada por filtração

simples.

álcool e água pode ser separada por filtração simples. Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 7

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

7

álcool e água pode ser separada por filtração simples. Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 7
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 c) A mistura

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 c) A mistura heterogênea entre gases

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 c) A mistura heterogênea entre gases pode

c) A mistura heterogênea entre gases pode ser separada por

decantação.

d) Podemos afirmar que, ao separarmos as fases sólidas e

líquida de uma mistura heterogênea, elas serão formadas por

substâncias puras.

e) O método mais empregado para a separação de misturas

homogêneas sólido-líquido é a destilação.

12) (UFRGS) - Analise os sistemas materiais abaixo, estando ambos na temperatura ambiente

I - Mistura de 10 g de sal de cozinha , 30 g de areia fina , 20

mL de óleo e 100 mL de água.

II - Mistura de 2,0 L de CO 2 , 3,0 L de N 2 e 1,5 L de O 2 .

Sobre esses sistemas é correto afirmar que :

a) ambos são heterogêneos, pois apresentam mais de uma fase.

b) em I, o sistema é bifásico, após forte agitação, e, em II, o

sistema é monofásico.

c) em I, o sistema é trifásico, após forte agitação, e em II, o

sistema é monofásico. d) ambos apresentam uma única fase, formando sistemas homogêneos.

e) em I, o sistema é trifásico, independentemente da ordem de

adição dos componentes, e, em II, o sistema é bifásico.

13) (UFRGS) - Três amostras materiais designadas por I, II e

III foram submetidas a diferentes processos de análise, sob

pressão de 1 atm, obtendo-se os dados a seguir. Amostra I- É um gás incolor que liquefaz a uma temperatura de -183ºC. Quando submetido a processos usuais de decomposição, permanece a mesma substância. Amostra II - É um sólido branco que apresenta ponto de fusão igual a 800ºC e ponto de ebulição igual a 1143ºC. Quando submetido a decomposição por eletrólise, origina um sólido metálico e libera um gás. Amostra III - É um líquido límpido e incolor que não mantém uma temperatura constante durante sua ebulição. Após a destilação observa-se a formação de cristais brancos no fundo do recipiente que o contém.

As amostras I, II e III podem ser, respectivamente,

a)

substância pura, mistura homogênea e mistura heterogênea.

b)

substância simples, substância composta e solução.

 

c)

substância

simples,

mistura

homogênea

e

mistura

homogênea.

d) solução gasosa, substância pura e substância composta.

e) mistura homogênea, mistura eutética e mistura azeotrópica.

14) (UFRGS) - Considere os pontos de fusão e ebulição das seguintes substâncias (P = 1 atm).

Substâncias

P. F (ºC)

P. E (ºC)

Benzeno

5,5

80,1

Acetona

- 94,6

56,5

Tetracloreto

de

- 22,6

76,8

carbono

Em relação a estes dados, é correto afirmar que:

a) o benzeno é líquido a uma temperatura de 90ºC.

b) a acetona é sólida a uma temperatura de -10ºC.

c) o tetracloreto de carbono é gasoso a uma temperatura de

70ºC.

d) a uma temperatura de 0ºC as três substâncias são sólidas.

e) a uma temperatura de 50ºC as três substâncias são líquidas.

15) (UFRGS) - Um estudante colocou gelo num recipiente, aqueceu o sistema, anotou a temperatura (T) à medida que o tempo(t) passava e traçou o seguinte gráfico:

medida que o tempo(t) passava e traçou o seguinte gráfico: Pela análise do gráfico, é possível

Pela análise do gráfico, é possível afirmar que

a) nos primeiros 20 s, havia gelo em equilíbrio com água.

b) entre M e N, o gelo não absorve calor.

c) o calor absorvido pelo sistema entre N e P é chamado calor

de fusão.

d) no ponto P, a água entrou em ebulição.

e) entre P e Q, o sistema estava todo no estado gasoso.

16) (ENEM/2015) Um grupo de pesquisadores desenvolveu um método simples, barato e eficaz de remoção de petróleo contaminante na água, que utiliza um plástico produzido a partir do líquido da castanha-de-caju (LCC). A composição química do LCC é muito parecida com a do petróleo e suas moléculas, por suas características, interagem formando agregados com o petróleo. Para retirar os agregados da água,

agregados com o petróleo. Para retirar os agregados da água, Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 8

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

8

agregados com o petróleo. Para retirar os agregados da água, Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 8
Cursinho Alternativo da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 os pesquisadores misturam

Cursinho Alternativo da UEPA 2017

Disciplina: Química Matéria e Energia

da UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 os pesquisadores misturam ao LCC nanopartículas

Aula: 01

UEPA 2017 Disciplina: Química Matéria e Energia Aula: 01 os pesquisadores misturam ao LCC nanopartículas

os pesquisadores misturam ao LCC nanopartículas magnéticas.KIFFER, D. Novo método para remoção de petróleo usa óleo de mamona e castanha-de-caju. Disponível em:

www.faperj.br. Acesso em: 31 jul. 2012 (adaptado).

Essa técnica considera dois processos de separação de misturas, sendo eles, respectivamente,

a) flotação e decantação.

b) decomposição e centrifugação

c) floculação e separação magnética

d) destilação fracionada e peneiração

e) dissolução fracionada e magnetização

17) (ENEM/2010) Em visita a uma usina sucroalcooleira, um grupo de alunos pôde observar a série de processos de

beneficiamento da cana-de-açúcar, entre os quais se destacam:

1. A cana chega cortada da lavoura por meio de caminhões e é

despejada em mesas alimentadoras que a conduzem para as

ser esmagada

para a retirada do caldo açucarado, toda a cana é transportada

por esteiras e passada por um eletroímã para a retirada de materiais metálicos.

2. Após se esmagar a cana, o bagaço segue para as caldeiras,

que geram vapor e energia para toda a usina.

3. O caldo primário, resultante do esmagamento, é passado por

filtros e sofre tratamento para transformar-se em açúcar refinado e etanol. Com base nos destaques da observação dos alunos, quais operações físicas de separação de materiais foram realizadas nas etapas de beneficiamento da cana-de-açúcar?

a) Separação mecânica, extração, decantação.

b) Separação magnética, combustão, filtração.

c) Separação magnética, extração, filtração.

d) Imantação, combustão, peneiração

e) Imantação, destilação, filtração.

moendas.

Antes

de

18) (ENEM/2013) Entre as substâncias usadas para o tratamento de água está o sulfato de alumínio que, em meio alcalino, forma partículas em suspensão na água, às quais as impurezas presentes no meio se aderem. O método de separação comumente usado para retirar o sulfato de alumínio com as impurezas aderidas é a

a) flotação.

b) levigação.

c) ventilação.

d) peneiração.

e) centrifugação.

19) (ENEM/ 2011) Belém é cercada por 39 ilhas, e suas populações convivem com ameaças de doenças. O motivo, apontado por especialistas, é a poluição da água do rio,

principal fonte de sobrevivência dos ribeirinhos. A diarreia é frequente nas crianças e ocorre como consequência da falta de saneamento básico, já que a população não tem acesso à

água de boa qualidade. Como não há água potável, a

alternativa é consumir a do rio.

O Liberal. 8 jul. 2008. Disponível em:

O procedimento adequado para tratar a água dos rios, a fim de atenuar os problemas de saúde causados por microrganismos a essas populações ribeirinhas é a

a) filtração.

b) cloração.

c) coagulação.

d) fluoretação.

e) decantação.

GABARITO

A

11ª

E

----

----

C

12ª

C

----

----

A

13ª

B

----

----

D

14ª

E

----

----

C

15ª

D

----

----

A

16ª

C

----

----

E

17ª

C

----

----

B

18ª

A

----

----

E

19ª

B

----

----

10ª

C

----

----

----

----

B ---- ---- 10ª C ---- ---- ---- ---- Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 9

Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/

9

B ---- ---- 10ª C ---- ---- ---- ---- Maiores Informações, acesse: paginas.uepa.br/cursinho/ 9