Você está na página 1de 240

Manual do operador

Monitor Vigilance II
Monitor de débito cardíaco contínuo/oximetria/volumétrico (DCC/SvO2/VDFC)
Manual do operador do Monitor Vigilance II

Prefácio

Manual do operador do monitor Vigilance II da Edwards Lifesciences


Devido às constantes melhorias implementadas no produto, as especificações e os preços
estão sujeitos a modificações sem aviso prévio. Alterações a este manual, quer em
resposta a solicitações de usuários ou devido aos constantes avanços do produto, serão
implementadas por meio de novas edições. Se durante o uso normal deste manual, forem
detectados erros, omissões ou dados incorretos, entre em contato com o suporte técnico ou
com o representante local da Edwards.
Publicado por Edwards Lifesciences LLC
One Edwards Way
Irvine, CA 92614-5686
Fabricado nos EUA
Patentes Este produto é fabricado e comercializado sob uma ou mais das
seguintes patentes dos EUA(s): Patentes nos EUA No. 5,146,414;
5,305,760; 5,553,622; 5,634,470; 5,701,908; 5,755,670; 5,588,438;
5,687,733; 5,720,293; 6,045,512; 6,371,923; e patentes
correspondentes em outros países. Outras patentes pendentes.
Marcas Edwards Lifesciences, o logotipo E estilizado, Vigilance, Edwards, e
comerciais Vigilance II são marcas comerciais da Edwards Lifesciences
Corporation; Co-Set e Vigilance são registrados no escritório de
patentes e marcas comerciais dos EUA. Flexport e PCMS são marcas
comerciais da SpaceLabs, Inc.
Copyright ©2005-2006 Edwards Lifesciences LLC. Todos os direitos
reservados.
Impresso nos Estados Unidos da América.
2006

Edwards Lifesciences Services GmbH


Edisonstr. 6
D-85716 Unterschleissheim, Alemanha
Precaução: As leis federais dos EUA restringem a venda deste aparelho a
médicos ou ao pedido de um médico.

ii Edwards Lifesciences 4/26/06


Sobre este manual
O manual do operador do monitor Vigilance II é dividido em 14 capítulos e 9 Apêndices.
Em cada capítulo são apresentadas todas as informações necessárias para a utilização de
uma função específica de monitorização ou o processamento de saída/entrada em apenas
um capítulo. Embora algumas informações apareçam duplicadas em alguns capítulos, o
manual foi elaborado para reduzir o tempo de procura de informações para a configuração
e execução dos recursos de monitorização.
Um resumo do conteúdo de cada capítulo é apresentado a seguir. Todos os capítulos são
apresentados com listagens detalhadas do conteúdo, ilustrações e tabelas.
1. Introdução: Apresenta um resumo geral dos modos, funções e interfaces entre os
acessórios disponíveis no monitor Vigilance II.
2. Segurança e símbolos: Apresenta definições dos AVISOS, PRECAUÇÕES E
OBSERVAÇÕES encontradas no manual, bem como das ilustrações encontradas nas
etiquetas localizadas nas superfícies do monitor.
3. Guia de referência rápida: Fornece informações para médicos e usuários com
experiência em monitores à beira leito para uso imediato do monitor.
4. Como desembalar, instalar e executar o autoteste inicial: Fornece informações
sobre diferentes acessórios e opções que podem ser utilizados com o monitor
Vigilance II. Inclui uma descrição da execução do autoteste de reinicialização para
verificação dos componentes críticos do hardware.
5. Telas, controles, alarmes e indicadores do monitor: Fornece detalhes dos layouts
das telas exibidas, dos botões do teclado, do botão de navegação, das etiquetas dos
painéis frontal e traseiro, sobre como personalizar as telas, além de instruções sobre
como ativar, desativar e silenciar alarmes.
6. Configuração inicial, como inserir dados do paciente: Fornece informações passo a
passo sobre os procedimentos para as configurações iniciais que devem ser realizadas
antes da utilização normal do equipamento.
7. Modo de monitorização de DCC: Fornece instruções sobre como operar o monitor
durante o uso do modo Débito Cardíaco Contínuo (DCC). Inclui informações sobre a
configuração do equipamento, configurações de telas, mensagens de erro e sobre o
uso do teste do cabo de DCC do paciente , além de descrições das telas de leitura
rápida e da tela diagnóstico. Neste capítulo também é apresentado um guia para a
resolução de problemas durante o uso no modo DCC.
8. Modo de monitorização de DCI: Fornece instruções sobre como operar o monitor
durante o uso do modo Débito Cardíaco Intermitente (DCI). Inclui informações sobre
a configuração do sistema, configurações de tela e mensagens de erro. Neste capítulo
também é apresentado um guia para a resolução de problemas durante o uso no modo
IDC.
9. Monitorização de VDFC/FEVD: Descreve a função de monitorização de VDFC/
FEVD do monitor Vigilance II. Inclui instruções para a conexão do monitor de ECG
multiparamétrico no painel traseiro do monitor Vigilance II. Apresenta informações
sobre configurações de tela, mensagens de erro e telas de leitura rápida e inclui ainda
um guia para a resolução de problemas durante a monitorização de VDFC/FEVD.

4/26/06 Edwards Lifesciences iii


Manual do operador do Monitor Vigilance II

10. Monitorização de oximetria: Apresenta informações sobre a função de oximetria


(saturação de oxigênio, SvO2) do monitor Vigilance II. Fornece instruções para o uso
do Módulo Óptico e de seus conectores. Inclui instruções para a realização de cali-
bração in vivo e in vitro, Recuperação de dados de MO e avaliação da qualidade do
sinal do sistema, além de um guia para a resolução de problemas durante a utilização
do modo de monitorização de oximetria.
11. Gráfico de Tendência, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo
Percorrer: Contém informações detalhadas sobre os requisitos para a configuração do
gráfico de tendência, gráfico instantâneo, gráfico de relação de dados e sobre o uso do
modo percorrer.
12. Recepção e transmissão de dados analógicos: Apresenta uma descrição das portas
do painel traseiro através das quais os sinais analógicos são recebidos ou transmitidos
pelo monitor Vigilance II. Inclui instruções para a configuração das portas e para a cal-
ibração/escalonamento dos sinais recebidos ou transmitidos.
13. Transmissão e recepção e de dados digitais: Contém descrições das duas portas de
comunicação (RS-232) serial digital do painel traseiro e da porta USB para as funções
de impressão. Inclui instruções para a configuração de cada porta.
14. Resolução de problemas: Apresenta uma lista de todas as mensagens de erro do equi-
pamento e as referências correspondentes para a ação sugerida ao operador.

Apêndices
A Especificações
B Equações para o cálculo de parâmetros de pacientes
C Parâmetros do monitor e predefinidos
D Constantes de computação
E Conversão de unidade
F Cuidados com o sistema, manutenção e suporte técnico
G Recomendações e declaração do fabricante
H Glossário
I Índice

iv Edwards Lifesciences 4/26/06


Indice

INDICE

Indice
Figuras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xii
Tabelas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .xv

Capítulo 1 Introdução
1.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.1 Débito Cardíaco Contínuo (DCC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.2 Débito Cardíaco Intermitente (IDC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.3 Volume Diastólico Final Contínuo (VDFC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.4 Oximetria (SvO2, ScvO2) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.5 Parâmetros derivados de hemodinâmica e oxigenação . . . . . . . . . . . . . 1-3
1.2 Objetivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3
1.3 Utilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3
1.4 Visão geral das condições e acessórios necessários para o funcionamento do
Monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4
1.5 Abreviaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4
1.6 Símbolos e ícones . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-5

Capítulo 2 Segurança e SÍmbolos


2.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-2
2.2 Símbolos de identificação de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-2
2.2.1 Advertências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-2
2.2.2 Precauções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-5
2.3 Símbolos da estrutura externa do monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-8
2.4 Outros símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-11
2.5 Normas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-12

Capítulo 3 Guia De Referência Rápida Para Utilização Do Monitor


3.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-2
3.2 Utilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-2
3.3 Procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-2

Capítulo 4 Como Desembalar, Instalar e Executar o Autoteste Inicial


4.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-2
4.2 Como desembalar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-2
4.3 Condições para utilização do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-2
4.4 Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
4.5 Recomendações de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
4.6 Opções de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
4.7 Requisitos para instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
4.8 Inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5

4/26/06 Edwards Lifesciences v


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

4.8.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5


4.8.2 Procedimento de inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5

Capítulo 5 Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor


5.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
5.2 Tela, controles e conectores do painel frontal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
5.2.1 Painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
5.2.2 Painel traseiro do Vigilance II. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-5
5.3 Modos de monitorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
5.3.1 Quadros da tela DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
5.3.2 Quadros da tela de DCI (Bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-9
5.4 Utilização do botão de navegação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-10
5.5 Quadros grandes de parâmetro (Modo DCC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-10
5.5.1 Como configurar os quadros grandes de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . 5-12
5.5.1.1 Seleção de um parâmetro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-13
5.5.1.2 Ativação/desativação do alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-13
5.5.1.3 Configuração da escala de tendência do quadro gráfico . . 5-14
5.5.1.4 Configuração dos limites de alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-14
5.6 Quadros grandes de parâmetro (Modo DCI) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-15
5.7 Quadro TS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-16
5.8 Quadro TS (somente no Modo DCI) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-16
5.9 Quadro pequeno de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-16
5.9.1 Como configurar grupos para o quadro pequeno de parâmetro. . . . . 5-17
5.9.2 Aplicação de um grupo ao quadro pequeno de parâmetro . . . . . . . . . 5-18
5.10 Quadro de Data/Hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-19
5.11 Quadros da barra de ferramentas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-19
5.12 Quadro secundário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.1 Perfil cardíaco e de oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.2 Caixas de Leitura Rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.3 Gráfico Diagnóstico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.4 Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.5 Revisão de Bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13 Quadro gráfico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13.1 Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13.2 Gráfico Instantâneo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13.3 Gráfico de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.14 Quadro de mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.15 Função do teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.1 Liga/Desliga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.2 Iniciar/Interromper DC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.3 Botão de Seleção do Modo DCC/DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.4 Dados do Paciente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.5 Percorrer Tendência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.6 Silenciar Alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24

vi Edwards Lifesciences 4/26/06


Indice

Capítulo 6 Configuração inicial, como inserir dados do paciente


6.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2
6.2 Inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2
6.2.1 Telas iniciais e execução do autoteste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2
6.3 Inserção de informações do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
6.3.1 Inserção de dados sobre o paciente — Altura e peso . . . . . . . . . . . . . . 6-4
6.3.2 Inserção de dados sobre o paciente — ASC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-6
6.4 Ajuste da data e hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
6.4.1 Acesso ao menu Quadro de Data/Hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
6.4.2 Seleção do formato da tela de hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
6.4.3 Seleção do formato da tela da data . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-8
6.4.4 Ajuste da data e hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-8
6.5 Seleção dos parâmetros do formato da tela . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-9
6.6 Parâmetros predefinidos do monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-11
6.7 Atualização dos perfis Cardíaco e de Oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
6.7.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
6.7.2 Perfil cardíaco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
6.7.3 Perfil de Oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-15
6.7.4 Opções adicionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-17

Capítulo 7 Modo de monitorização de DCC


7.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-2
7.2 Configuração do equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3
7.3 Execução do processo de monitorização de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-4
7.3.1 Início do processo de monitorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-4
7.3.2 Condições do sinal térmico durante a monitorização de DCC . . . . . . . 7-5
7.3.3 Caixas de Leitura Rápida DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
7.3.4 Gráfico diagnóstico - Modo DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-7
7.4 DCC/ICC Mensagens para resolução de problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-7
7.4.1 Como acessar a ajuda para DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-8
7.4.2 Acesso a informações da mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-10
7.4.3 Acesso à ajuda gráfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-11
7.4.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.5 Como mudar para o Modo DCI (bolus). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.6 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.7 Listas de mensagens de DCC e ICC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.7.1 Erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-13
7.4.7.2 Alertas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-13
7.4.7.3 Resolução de problemas gerais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-13

Capítulo 8 Modo de monitorização de DCI


8.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-2
8.2 Configuração do equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-2
8.2.1 Conexão do cabo de DCC de paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-3
8.2.2 Seleção do sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-4

4/26/06 Edwards Lifesciences vii


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

8.3 Seleção dos parâmetros de configuração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-4


8.3.1 Seleção do parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
8.3.2 Seleção do modo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
8.3.3 Seleção do volume do injetado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
8.3.4 Seleção do tamanho do cateter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
8.3.5 Seleção da constante de computação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7
8.4 Modos de medida de bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7
8.4.1 Modo de medidas automáticas de DCI (bolus). . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7
8.4.2 Modo de medidas manuais de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-12
8.5 Revisão de Bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-15
8.6 Mensagens para a resolução de problemas de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . 8-16
8.6.1 Acesso à ajuda de medida cardíaca do DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . 8-16
8.6.2 Acesso a informações da mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-17
8.6.3 Acesso à ajuda gráfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.5 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.6 Lista de mensagens de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.6.1 Erros. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.6.2 Alertas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-20
8.6.6.3 Guia para Solucionar Problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-20

Capítulo 9 Monitorização de VDFC/FEVD


9.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-2
9.2 Configuração do equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-3
9.2.1 Conexão do cabo de DCC de paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-3
9.2.2 Conexão do cabo de interface do ECG. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-4
9.3 Monitorização de VDFC/FEVD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-5
9.3.1 Início do processo de monitorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-5
9.3.2 Monitorização do VDFC em curso. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-6
9.3.3 Caixas de leitura rápida de VDF e FEVD. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-8
9.4 Mensagens para resolução de problemas de VDFC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-9
9.4.1 Acesso à ajuda do FEVD e VDFC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-9
9.4.2 Acesso a informações da mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-11
9.4.3 Acesso à ajuda gráfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-12
9.4.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.5 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.6 Lista de mensagens de VDFC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.6.1 Alertas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.6.2 Guia para Solucionar Problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13

Capítulo 10 Monitorização de oximetria


10.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
10.2 Configuração da oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
10.2.1 Preparação do cateter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
10.3 Calibração in vitro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-3

viii Edwards Lifesciences 4/26/06


Indice

10.3.1 Procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-3


10.3.2 Como concluir a calibração de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-6
10.3.3 Como cancelar o processo de calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-7
10.4 Calibração in vivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-7
10.5 Recuperar dados do MO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-11
10.6 Atualização de Hb . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-13
10.7 Reinicialização do módulo óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-14
10.8 Novo cateter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-14
10.9 Tendência de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-15
10.10 Indicador de qualidade do sinal (IQS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-15
10.11 Mensagens para resolução de problemas de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-16
10.11.1 Como acessar a Ajuda da monitorização de oximetria . . . . . . . . . . . 10-16
10.11.2 Acesso a informações da mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-17
10.11.3 Como acessar a ajuda gráfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-18
10.11.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5 Lista de mensagens de oximetria (SvO2) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.1 Erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.2 Alertas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.3 Advertências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.4 Guia para solucionar problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19

Capítulo 11 Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e


Modo Percorrer
11.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-2
11.2 Recursos do Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-2
11.3 Configuração da tela Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-4
11.3.1 Configuração do Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-4
11.3.2 Configuração do Eixo de Tempo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-4
11.3.3 Como acrescentar um evento ao Gráfico de Tendências . . . . . . . . . . . 11-5
11.3.4 Como rever eventos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-6
11.4 Gráfico Instantâneo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-7
11.5 Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-8
11.5.1 Como acessar a tela de Gráfico de Relação de Dados e o Menu de
Configuração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-8
11.5.2 Configuração do Gráfico de Relação de Dados. . . . . . . . . . . . . . . . . 11-10
11.6 Modo Percorrer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-15

Capítulo 12 Recepção e transmissão de dados analógicos


12.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-2
12.2 Interface de entrada analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-2
12.2.1 Configuração da porta de entrada analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-3
12.2.1.1 Seleção de um parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-3
12.2.1.2 Modificação de parâmetros predefinidos . . . . . . . . . . . . . 12-5
12.2.2 Calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-6

4/26/06 Edwards Lifesciences ix


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

12.2.2.1 Procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-6


12.3 Interface de saída analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-8
12.3.1 Faixas de voltagem de saída . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-9
12.3.2 Configuração da porta de saída analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-10
12.3.3 Processo de calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-11
12.4 Configuração da porta de ECG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-12

Capítulo 13 Transmissão e Recepção de Dados Digitais


13.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-2
13.2 Equipamentos digitais compatíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-2
13.2.1 Atraso de alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.3 Conexões dos cabos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.4 Configuração da porta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.4.1 Procedimento de configuração da porta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.4.2 Modificação do protocolo IFMout . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-5
13.5 Equipamentos USB compatíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-5

Capítulo 14 Resolução de problemas


14.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-2
14.2 Mensagens para resolução de problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-2
14.2.1 Mensagens e resolução de problemas de DCC/ICC . . . . . . . . . . . . . 14-2
14.2.2 Mensagens e resolução de problemas de RVS/IRVS . . . . . . . . . . . . . 14-6
14.2.3 Mensagens e resolução de problemas de oximetria . . . . . . . . . . . . . . 14-7
14.2.4 Mensagens e resolução de problemas de VDFC . . . . . . . . . . . . . . . 14-10
14.2.5 Mensagen e resolução de problemas do DCI (bolus) . . . . . . . . . . . 14-11
14.3 Ajuda gráfica para posicionamento do cateter (exemplo) . . . . . . . . . . . . . . 14-13
14.4 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-13

Apêndice A Especificações
A1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-1
A2 Especificações para medidas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-2
A3 Perfis de dados do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-3
A4 Especificações técnicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-4
A5 Especificações ambientais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-4
A6 Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-4

Apêndice B Equações Para os parâmetros calculados do paciente


B1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-1
B2 Equações para cálculo do Perfil Cardíaco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-1
B3 Equações para cálculo do perfil de oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-4

Apêndice C Parâmetros do Monitor e Predefinidos


C1 Escalas de tendência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . C-1
C1.1 Limites superiores da escala de tendência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . C-1
C1.2 Límites inferiores da escala de tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . C-1

x Edwards Lifesciences 4/26/06


Indice

C2 Límites de alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-2


C2.1 Límites superiores de alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-2
C2.2 Limites inferiores de alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-2
C3 Parâmetros de exibição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-3
C4 Grupo de quadros pequenos de parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-3
C5 Parâmetros predefinidos da tela de dados do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-4
C6 Gráfico de relação dos dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-4
C6.1 Parâmetros do gráfico de relação dos dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-4
C6.2 Escalas de gráfico de relação dos dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-4
C6.2.1 Limites superiores da escala do gráfico de relação dos
dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . C-5
C6.2.2 Limites inferiores da escala do gráfico de relação de dados C-5
C6.2.3 Limites superiores dos valores da linha vermelha . . . . . . . C-6
C6.2.4 Limites inferiores dos valores de linha vermelha . . . . . . . . C-6
C7 Parâmetros de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-7
C8 Parâmetros predefinidos da porta de comunicação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-7

Apêndice D Constantes de Computação


D1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-1
D2 Dados do sensor de temperatura para banho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-1
D3 Dados do sensor de temperatura em linha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-2

Apêndice E Conversão de Unidade


E1 lbs vs. Kg . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .E-1
E2 polegadas vs. cm . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .E-1
E3 mmHg vs. kPa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .E-1
E4 dn-s/cm5 vs. kPa-s/l . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .E-1
E5 dn-s-m2/cm5 vs. kPa-s-m2/l . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .E-2
E6 g/dl vs. mmol/L . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .E-2

Apêndice F Cuidados Com o Sistema, Manutenção e Suporte Técnico


F1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . F-1
F2 Limpeza do monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . F-1
F3 Como solicitar serviços de manutenção e suporte técnico para o monitor . . . . F-2
F4 Descarte do monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . F-3
F5 Manutenção preventiva . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . F-3
F6 Garantia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . F-3

Apêndice G Recomendações e Declaração do Fabricante


G1 Compatibilidade eletromagnética . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . G-1
G2 Instruções de uso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . G-1

Apêndice H Glossário
Apêndice I Indice

4/26/06 Edwards Lifesciences xi


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figuras
Figura 1-1 Diagrama dos painéis frontal e traseiro do Monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4
Figura 2-1 Símbolos do painel frontal do Monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-8
Figura 2-2 Símbolos do painel traseiro do Monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9
Figura 3-1 Tela para inserção de dados sobre o paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3
Figura 3-2 Menu Quadro grande de parâmetro para o parâmetro de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . 3-4
Figura 4-1 Monitor Vigilance II no ambiente operacional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-2
Figura 4-2 Placa adaptadora do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-4
Figura 4-3 Interfaces da placa adaptadora com o monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-4
Figura 4-4 Tela de inicialização do POST . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-6
Figura 4-5 Tela de seleção do idioma do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-6
Figura 5-1 Controles e indicadores do painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
Figura 5-2 Conectores e indicadores do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-5
Figura 5-3 Tela de monitorização de DCC (Tela principal) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Figura 5-4 Tela de monitorização de DCC (Tela dividida) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Figura 5-5 Tela de monitorização de DCI (Bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-9
Figura 5-6 Botão de navegação do painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-10
Figura 5-7 Quadro grande de parâmetro típico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-11
Figura 5-8 Parâmetro SvO2 no quadro grande de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-11
Figura 5-9 Menu Quadro Grande de Parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-13
Figura 5-10 Quadros grandes de parâmetro 1 e 2 no Modo DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-15
Figura 5-11 Quadro grande de parâmetro 3 no Modo DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-15
Figura 5-12 Posições e parâmetros do submenu quadro pequeno de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . 5-17
Figura 5-13 Botões do quadro da barra de ferramentas da tela do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . 5-20
Figura 6-1 Tela de inicialização do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2
Figura 6-2 Tela do perfil Apagar Dados do Paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3
Figura 6-3 Tela Informações sobre o paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Figura 6-4 Tela Informações sobre o paciente - ASC calculada com base nos valores
predefinidos da altura e peso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-6
Figura 6-5 Tela do Menu Quadro de Data/Hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
Figura 6-6 Acesso ao menu de opções de parâmetros predefinidos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-11
Figura 6-7 Tela Perfil Cardíaco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-13
Figura 6-8 Seleção de um parâmetro de perfil cardíaco, exibição dos valores da caixa
instantânea . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-14
Figura 6-9 Acesso ao Perfil de Oxigenação no menu Perfil Cardíaco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-15
Figura 6-10 Tela Perfil de Oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-16
Figura 6-11 Confirmação de alteraçãoes para ações de atualização dos novos dados do paciente . 6-18
Figura 7-1 Tela típica de monitorização de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-2
Figura 7-2 Conectores do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3
Figura 7-3 Conectores de Débito Cardíaco e de SvO2 do painel frontal do monitor Vigilance II . 7-4
Figura 7-4 Configuração do quadro grande com a monitorização interrompida . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
Figura 7-5 Gráfico de tendências com uma lacuna referente aos dados faltantes . . . . . . . . . . . . . . 7-6

xii Edwards Lifesciences 4/26/06


Figura 7-6 Tela Caixas de Leitura Rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-7
Figura 7-7 Menu da Tela Ajuda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-8
Figura 7-8 Menu da Tela de Ajuda de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-9
Figura 7-9 Duas páginas de mensagens de erro de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-10
Figura 7-10 Tela de Ajuda de DCC: Erros, Verificar Posicionamento do Filamento Térmico . . . . 7-11
Figura 7-11 Ajuda gráfica para a ação sugerida para a resolução de problemas em resposta à
Mensagem de erro “Verificar Posicionamento do Filamento Térmico” . . . . . . . . . . . 7-12
Figura 8-1 Tela de exibição de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-2
Figura 8-2 Conectores do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-3
Figura 8-3 Conectores do débito cardíaco e SvO2 do painel frontal do monitor Vigilance II . . . . . 8-3
Figura 8-4 Menu Quadro Grande de Parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
Figura 8-5 Menu Quadro Grande de Parâmetro 2 do DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
Figura 8-6 Configuração inicial da tela DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-8
Figura 8-7 Gráfico de uma seqüência de injeções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-9
Figura 8-8 Lista dos resultados de uma série de seis injeções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-10
Figura 8-9 Seleção de duas medidas de injeção para remoção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-10
Figura 8-10 Tela “Computando” bolus e listagem de resultados computados no quadro
grande de parâmetro 3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-13
Figura 8-11 Seleção de duas medidas de injeção para remoção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-14
Figura 8-12 Tela Revisão de bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-15
Figura 8-13 Menu da Tela Ajuda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-16
Figura 8-14 Tela de Ajuda de bolus DC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-17
Figura 8-15 Mensagens de alerta de DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-17
Figura 8-16 Primeira página Causas possíveis e ações sugeridas para a mensagem “Alerta de bolus:
Curva alargada” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-18
Figura 8-17 Segunda página Ações sugeridas para a mensagem “Alerta bolus: Curva alargada” . . 8-18
Figura 8-18 Gráfico do posicionamento do cateter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
Figura 9-1 Tela típica de monitorização de VDF . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-2
Figura 9-2 Conectores do cabo de paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-4
Figura 9-3 Conectores de débito cardíaco e de SvO2 do painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . 9-4
Figura 9-4 Conector de ECG do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-5
Figura 9-5 Configuração do quadro grande com a monitorização interrompida . . . . . . . . . . . . . . . 9-7
Figura 9-6 Gráfico de tendências com uma lacuna referente aos dados faltantes . . . . . . . . . . . . . . 9-8
Figura 9-7 Tela Caixas de Leitura Rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-9
Figura 9-8 Menu da Tela Ajuda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-10
Figura 9-9 Exibição da Tela de Ajuda de VDFC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-10
Figura 9-10 Tela das mensagens de alerta de VDFC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-11
Figura 9-11 Alerta da tela Ajuda de VDFC: Adaptação do sinal - Continuando . . . . . . . . . . . . . . . 9-12
Figura 9-12 Ajuda gráfica para as ações sugeridas para a resolução de problemas referente à
Mensagem de alerta “Adaptação do sinal - Continuando” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
Figura 10-1 Localização de armazenamento do módulo óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
Figura 10-2 Destaque do quadro de oximetria com o menu do quadro grande de parâmetro . . . . . 10-3
Figura 10-3 Menu quadro grande de parâmetro de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-4

4/26/06 Edwards Lifesciences xiii


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 10-4 Menu Calibração in vitro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-4


Figura 10-5 Mensagem Calibrando in vitro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-5
Figura 10-6 Instrução para iniciar a calibração in vitro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-6
Figura 10-7 Exibição da tela de Erro de Calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-6
Figura 10-8 Mensagem Calibração in vivo em curso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-8
Figura 10-9 Instruções a serem seguidas após a conclusão da linha de base . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-9
Figura 10-10 Tela de exibição da hora da coleta e valores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-9
Figura 10-11 Tela de introdução de valores laboratoriais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-10
Figura 10-12 Mensagem de atualização do módulo óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-10
Figura 10-13 Tela de exibição de dados de calibração do módulo óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-12
Figura 10-14 Seleção da opção Atualizar Hb . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-13
Figura 10-15 Menu da Tela Ajuda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-17
Figura 10-16 Menu Tela de Ajuda de Oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-17
Figura 10-17 Telas de Ajuda de oximetria em duas páginas, primeira página . . . . . . . . . . . . . . . . 10-18
Figura 10-18 Telas de Ajuda de oximetria em duas páginas, segunda página . . . . . . . . . . . . . . . . 10-18
Figura 10-19 Ajuda gráfica para as ações sugeridas para a resolução de problemas referentes às
Mensagens de alerta “IQS = 4” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
Figura 11-1 Gráfico Tendências com marcadores de eventos e pontos relativos a parâmetros
de bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-3
Figura 11-2 Menu Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-4
Figura 11-3 Menu Adicionar Evento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-5
Figura 11-4 Tela Rever Eventos do Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-7
Figura 11-5 Tela Gráfico Instantâneo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-7
Figura 11-6 Como destacar o quadro secundário (Borda) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-9
Figura 11-7 Tela Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-9
Figura 11-8 Menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-10
Figura 11-9 Ajuste da escala no menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-12
Figura 11-10 Ajuste da Linha Vermelha no menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . 11-13
Figura 11-11 Símbolos de intervenção no menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . 11-13
Figura 11-12 Gráficos Predefinidos no menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-14
Figura 11-13 Modo Percorrer do Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-16
Figura 12-1 Conectores analógicos do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-2
Figura 13-1 Conectores das portas seriais do painel traseiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-2
Figura 14-1 Conexão do cabo de DCC do paciente para o teste de integridade . . . . . . . . . . . . . . 14-14
Figura 14-2 Menu de configuração, teste do cabo de DCC do paciente destacado . . . . . . . . . . . . 14-14

xiv Edwards Lifesciences 4/26/06


Tabelas
Tabela 1-1 Definições das abreviaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4
Tabela 4-1 Acessórios necessários para os parâmetros de monitorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
Tabela 5-1 Controles e indicadores do painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-4
Tabela 5-2 Controles e etiquetas do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-6
Tabela 5-3 Função e conteúdo do quadro DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Tabela 5-4 Função e conteúdo do quadro DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-9
Tabela 5-5 Parâmetros que podem ser exibidos nos quadros grandes de parâmetro . . . . . . . . . . . 5-12
Tabela 5-6 Botões da barra de ferramentas do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-20
Tabla 6-1 Processo de eliminação dos dados do paciente do monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . 6-3
Tabla 6-2 Descrições de opção Formato da Tela . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-9
Tabela 11-1 Parâmetros que podem ser exibidos nos quadros grandes de parâmetros . . . . . . . . . . 11-2
Tabela 11-2 Nomes e marcadores de eventos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-5
Tabela 11-3 Parâmetros de gráfico disponíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-11
Tabela 12-1 Características dos parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-5
Tabela 12-2 Parâmetros de saída analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-9
Tabela 12-3 Características da porta de ECG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-12
Tabela 13-1 Características de comunicação do protocolo IFMout . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
Tabela D-1 Constantes de computação para o sensor de temperatura para banho . . . . . . . . . . . . . D-1
Tabela D-2 Constantes de computação para o sensor de temperatura em linha . . . . . . . . . . . . . . . D-2
Tabela G-1 Emissões eletromagnéticas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . G-1
Tabela G-2 Imunidade eletromagnética (ESD, EFT, oscilação de corrente, quedas de energia e
campo magnético) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . G-2
Tabela G-3 Imunidade eletromagnética (RF irradiada e conduzida) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . G-3
Tabela G-4 Distâncias recomendadas entre equipamentos portáteis e equipamentos móveis de
comunicações por RF e o monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . G-4

4/26/06 Edwards Lifesciences xv


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

xvi Edwards Lifesciences 4/26/06


Capítulo 1
INTRODUÇÃO

1.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2


1.1.1 Débito Cardíaco Contínuo (DCC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.2 Débito Cardíaco Intermitente (DCI) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.3 Volume Diastólico Final Contínuo (VDFC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.4 Oximetría (SvO2, ScvO2). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
1.1.5 Parâmetros derivados de hemodinâmica e oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3
1.2 Objetivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3
1.3 Utilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3
1.4 Visão geral do funcionamento do monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4
1.5 Abreviaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4
1.6 Símbolos e ícones . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-5

Figuras
Figura 1-1 Diagrama dos painéis frontal e traseiro do monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . 1-4

Tabelas
Tabela 1-1 Definições das abreviaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4

4/26/06 Edwards Lifesciences 1-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

ADVERTÊNCIA
Leia este manual com atenção antes de usar o monitor Vigilance II da
Edwards Lifesciences.

1.1 Geral
O monitor Vigilance II mede o débito cardíaco (DC) tanto contínuo (DCC) quanto
intermitentemente (DCI), utilizando o método de termodiluição de bolus. O monitor
também pode ser configurado para medir continuamente a saturação do oxigênio
(SvO2, ScvO2) e o volume diastólico final contínuo (VDFC). O monitor Vigilance II
também calcula os parâmetros hemodinâmicos e de oxigenação.
1.1.1 Débito Cardíaco Contínuo (DCC)
O monitor Vigilance II mede o débito cardíaco continuamente, introduzindo pequenos
pulsos de energia no fluxo sangüíneo e medindo a temperatura do sangue por meio de
um cateter inserido na artéria pulmonar. O débito cardíaco é calculado com a
utilização de algoritmos comprovados derivados dos princípios de conservação de
calor e curvas de diluição de um indicador obtidas através da correlação cruzada de
entrada de energia e formatos de onda da temperatura do sangue. Após a inicialização,
o monitor Vigilance II mede e exibe continuamente o débito cardíaco em litros por
minuto sem a necessidade de calibração ou intervenção do operador.
1.1.2 Débito Cardíaco Intermitente (IDC)
O monitor Vigilance II mede o débito cardíaco intermitentemente com a utilização da
técnica de termodiluição de bolus. Uma pequena quantidade do indicador de volume e
temperatura conhecidos é injetada através da porta de injeção do cateter. A diminuição
da temperatura do sangue resultante é medida pelo termistor na artéria pulmonar (AP).
Utilizando algoritmos baseados na equação de diluição de um indicador de Stewart-
Hamilton, o monitor Vigilance II produz um gráfico com uma curva que representa a
diminuição da temperatura do sangue em relação a um período de tempo. A área sob a
curva de termodiluição é calculada e o valor do IDC resultante é exibido em litros por
minuto.

1.1.3 Volume Diastólico Final Contínuo (VDFC)


O monitor Vigilance II calcula o volume diastólico final contínuo (VDFC), utilizando
a tecnologia de débito cardíaco contínuo (DCC) mencionada acima para obter a curva
de diluição do indicador. A fração de ejeção do ventrículo direito (FEVD) é calculada
com base na inclinação exponencial da curva, e a freqüência cardíaca média contínua
é obtida por meio do sinal do ECG do paciente enviado ao monitor. Em seguida, o
volume diastólico final contínuo (VDFC) é calculado com base na fração de ejeção do
ventrículo direito, no débito cardíaco contínuo e na freqüência cardíaca sem que haja
necessidade de calibração ou de intervenção do usuário.

1.1.4 Oximetria (SvO2, ScvO2)


O monitor Vigilance II mede a saturação do oxigênio, entre outras a SvO2 e a ScvO2,
utilizando a técnica de espectrofotometria que usa diodos emissores de luz (LEDs)
para transmitir luz no espectro vermelho e infravermelho para o sangue através de
uma fibra óptica contida em um cateter de oximetria. O sangue reflete de volta a luz
através de uma outra fibra óptica do cateter para um módulo óptico. A quantidade de
luz refletida depende principalmente da cor, que por sua vez depende da quantidade de
oxigênio ligado à hemoglobina e da quantidade de eritrócitos presentes no sangue. A

1-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Introdução

luz refletida é medida eletricamente pelo monitor Vigilance II e analisada para


determinar a saturação do oxigênio, detectando alterações na cor dos eritrócitos.

1.1.5 Parâmetros derivados de hemodinâmica e oxigenação


O monitor Vigilance II calcula os valores de parâmetros derivados relacionados à
hemodinâmica e oxigenação com base em dados inseridos pelo usuário.

1.2 Objetivo
Este manual foi preparado para a utilização do monitor Vigilance II da Edwards
Lifesciences por médicos e enfermeiros treinados no atendimento de pacientes em
estado crítico em qualquer ambiente hospitalar onde atendimento de pacientes em
estado crítico seja administrado; por exemplo, salas de emergência, centros cirúrgicos,
unidades de terapia intensiva, laboratório de cateterismo, salas de recuperação,
departamentos de emergência, unidades de queimados, etc.
O manual fornece ao operador do monitor Vigilance II instruções de configuração e
operação, além de informações sobre os procedimentos de interface do dispositivo e
limitações.

1.3 Utilização
O Manual do Operador do monitor Vigilance II fornece instruções para todas as
configurações do usuário. Além disso, apresenta informações sobre as condições e
acessórios necessários para a instalação do monitor Vigilance II, incluindo conexões e
comunicações com dispositivos e monitores dentro desse ambiente.
O monitor Vigilance II pode ser configurado para realizar medidas de DCC, DCI e
oximetria e também de VDF, FEVD, VS e RVS contínuos obtidos em interface com
monitores à beira leito apropriados.

4/26/06 Edwards Lifesciences 1-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

1.4 Visão geral das condições e acessórios necessários para o


funcionamento do Monitor Vigilance II

Figura 1-1 Diagrama dos painéis frontal e traseiro do Monitor Vigilance II


Conforme o mostrado na figura 1-1, para o funcionamento do monitor Vigilance II são
necessários cabos acessórios, outros monitores de paciente, uma impressora e o
operador.

1.5 Abreviaturas
A tabela 1-1 apresenta uma lista das abreviaturas que podem ser encontradas neste
manual. Essa abreviaturas serão definidas quando utilizadas pela primeira vez no
manual.

Tabela 1-1 Definições das abreviaturas


Abreviaturas Definição Abreviaturas Definição
AAMI Association for the Advancement of UTI Unidade de terapia intensiva
Medical Instrumentation
ca Corrente alternada IEC International Electrotechnical
Commission
ANSI American National Standard Institute E/S Entrada/Saída
ASC Área de superfície corporal ISTA International Safe Transit Association
TS Temperatura do sangue TI Temperatura do injetado
TS Diferencial da temperatura do LED Diodo emissor de luz
sangue

1-4 Edwards Lifesciences 4/26/06


Introdução

Tabela 1-1 Definições das abreviaturas


Abreviaturas Definição Abreviaturas Definição
Ca-vO2 Diferença do conteúdo arteriovenoso ITSVE Índice de trabalho sistólico do
de oxigênio (CaO2 - CvO2) ventrículo esquerdo
PAM Pressão arterial média
CaO2 Conteúdo arterial de oxigênio PAPM Pressão arterial pulmonar média
DCC Débito cardíaco contínuo REO2 Relação de extração de oxigênio
ICC Índice cardíaco contínuo IEO2 Índice de extração de oxigênio
IC Índice cardíaco (débito cardíaco MO Módulo óptico
indexado)
ICméd Índice de débito cardíaco médio AP Artéria pulmonar
calculado com base em uma PaO2 Pressão parcial do oxigênio arterial
série de medidas de bolus
DC Débito cardíaco PAO2 Tensão alveolar de O2
DCméd Débito cardíaco médio calculado PEAP Pressão de encunhamento arterial
com base em uma série de medidas pulmonar
de bolus POST Auto-teste de reinicialização
CVC Cateter venoso central RVP Resistência vascular pulmonar
CvO2 Conteúdo venoso de oxigênio IRVP Índice de resistência vascular pulmonar
PVC Pressão venosa central PvO2 Pressão parcial do oxigênio venoso
cd Corrente direta ITSVD Índice de trabalho sistólico do
ventrículo direito
DO2 Oferta de oxigênio FEVD Fração de ejeção do ventrículo direito
DO2I Índice de oferta de oxigênio SaO2 Saturação arterial do oxigênio
VDF Volume diastólico final SpO2 Saturação do oxigênio (oximetria de
pulso)
IVDF Índice de volume diastólico final IQS Índice de qualidade do sinal
ufe Unidade da fração de ejeção TS Temperatura da superfície
VSF Volume sistólico final VS Volume sistólico
IVSF Índice de volume sistólico final IVS Índice de volume sistólico
FiO2 Fração de oxigênio inspirado ScvO2 Saturação Venosa Central de Oxigênio
Hb Hemoglobina total SvO2 Saturação Venosa Mista de Oxigênio
Hct Hematócrito RVS Resistência vascular sistêmica
FC Freqüência cardíaca IRVS Índice de resistência vascular sistêmica
FCméd Freqüência cardíaca média USB Universal Serial Bus
IDC Débito cardíaco intermitente (Débito VO2 Consumo de oxigênio
cardíaco (bolus)) IVO2 Índice de consumo de oxigênio
IPV Índice de perfusão/ventilação

1.6 Símbolos e ícones


O texto inclui diversos símbolos que aparecem como marcas nos painéis frontal e
traseiro do monitor Vigilance II. Além disso, as advertências de segurança, as
precauções e as observações contidas no manual são impressas com símbolos/ícones
padrão. Consulte o Capítulo 2 para obter a lista e a descrição dos símbolos/ícones
apresentados no painel. Uma lista completa de todos os símbolos utilizados nas
identificações do monitor Vigilance II também é fornecida no Capítulo 2. Os símbolos
adicionais que aparecem na tela são descritos no capítulo correspondente.

4/26/06 Edwards Lifesciences 1-5


Capítulo 2
SEGURANÇA E SÍMBOLOS

2.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-2


2.2 Símbolos de identificação de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-2
2.2.1 Advertências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-2
2.2.2 Precauções. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-5
2.3 Símbolos da estrutura externa do monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-8
2.4 Outros símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-11
2.5 Normas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-12

Figuras
Figura 2-1 Símbolos do painel frontal do monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-8
Figura 2-2 Símbolos do painel traseiro do monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9

2-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Segurança e SÍmbolos

2.1 Geral
Este capítulo apresenta a descrição dos símbolos exibidos no manual ou nas
etiquetas dos produtos e dos símbolos utilizados para identificar uma
advertência, precaução ou observação. Este capítulo apresenta também um
resumo das advertências e precauções e inclui uma lista das normas vigentes
com as quais o monitor Vigilance II está em conformidade.

2.2 Símbolos de identificação de segurança


Os termos advertências, precauções e observações são identificados
graficamente e possuem significados específicos conforme utilizado neste
manual. .

As ADVERTÊNCIAS alertam sobre determinadas ações ou situações


que podem resultar em injúria pessoal ou morte.

As PRECAUÇÕES alertam contra ações ou situações que podem causar


dano ao equipamento, gerar dados imprecisos ou invalidar um procedimento.

As OBSERVAÇÕES chamam a atenção sobre informações úteis


referentes a alguma função ou procedimento.

2.2.1 Advertências
As seguintes ADVERTÊNCIAS são utilizadas no Manual do Operador
Vigilance II. Essas precauções aparecerão no manual quando forem
importantes para a função ou procedimento que estiver sendo descrito.

ADVERTÊNCIA
Leia este Manual do Operador com atenção antes de usar o monitor Vigilance II
da Edwards Lifesciences.
ADVERTÊNCIA
Consulte as instruções de uso fornecidas com cada cateter para obter
instruções específicas sobre colocação e uso do cateter e para obter
informações importantes sobre as ADVERTENCIAS, AVISOS e
ESPECIFICAÇÕES.
ADVERTÊNCIA
Não utilize cateteres danificados ou com contatos elétricos expostos.

ADVERTÊNCIA
Em situações em que os parâmetros do paciente monitorado estiverem fora
dos limites de alarme desejados, o alarme não soará se tiver sido desligado ou
silenciado temporariamente.

4/26/06 Edwards Lifesciences 2-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

ADVERTÊNCIA
Não desligue os alarmes em situações que possam comprometer a segurança
do paciente.
ADVERTÊNCIA
A monitorização de DCC deve ser descontinuada quando o fluxo de sangue
ao redor do filamento térmico for interrompido. As situações clínicas nas
quais a monitorização de DCC deverá ser interrompida incluem, mas não se
limitam a:
• Períodos de tempo quando o paciente estiver com bypass cardiopulmonar,
• Retirada parcial do cateter, de maneira que o termistor não esteja na artéria
pulmonar, ou
• Remoção do cateter do paciente.
ADVERTÊNCIA
Risco de explosão! Não utilize o monitor Vigilance II na presença de misturas
de anestésicos inflamáveis como ar, oxigênio ou óxido nitroso.
ADVERTÊNCIA
Para evitar complicações causadas por nós, o cateter não deve ser utilizado
simultaneamente com outro cateter de artéria pulmonar.
ADVERTÊNCIA
Não utilize o Modo de DEMO em um parâmetro de atendimento de pacientes
para evitar possível confusão de dados DEMO com medidas reais do paciente.
ADVERTÊNCIA
A utilização inadequada do monitor Vigilance II pode apresentar riscos ao
paciente. Leia atentamente a seção “Advertências” deste manual (no Capítulo
2) antes de utilizar o equipamento.
ADVERTÊNCIA
As portas de comunicação analógica e digital do monitor compartilham um fio
terra que é isolado da interface eletrônica do cateter. Ao conectar vários
equipamentos no monitor Vigilance II, todos os equipamentos deverão ser
aterrados para não comprometer o isolamento elétrico de nenhum desses
equipamentos.
ADVERTÊNCIA
Nenhuma das partes do monitor Vigilance II pode ser reparada pelo usuário. A
remoção da tampa ou a desmontagem do sistema exporá o usuário a voltagens
de risco. Para evitar injúrias ou lesões causadas pelo equipamento, não
desmonte ou tente consertar o equipamento a menos que você seja um
profissional qualificado para esse tipo de serviço.
ADVERTÊNCIA
O monitor Vigilance II deve ser utilizado somente como um complemento para a
avaliação do paciente. Este equipamento deve ser utilizado juntamente com a
avaliação dos sinais clínicos e sintomas do paciente.
ADVERTÊNCIA
Para evitar choque ou risco de incêndio, não mergulhe o monitor Vigilance II, os
sensores ou cabos em solução líquida. Não deixe que líquidos penetrem no
instrumento.

2-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Segurança e SÍmbolos

ADVERTÊNCIA
Para evitar danos ao equipamento, verifique se o monitor Vigilance II está
montado seguramente, e se todos os fios e cabos de acessórios estão
organi zados de maneira adequada para minimizar o risco de se enroscarem no
usuário ou no paciente.
ADVERTÊNCIA
Não utilize o monitor Vigilance II durante procedimentos de RM; consulte as
“instruções de uso” do cateter para verificar sua compatibilidade com a
ressonância magnética.
ADVERTÊNCIA
Para evitar lesões, não utilize um monitor ou acessório do Vigilance II que
estiver danificado.
ADVERTÊNCIA
Para evitar choque ou lesão, verifique se todos os equipamentos e acessórios
conectados ao monitor Vigilance II estão adequadamente aterrados.
ADVERTÊNCIA
Não utilize os cabos de extensão ou pinos em T para conectar a fonte de
alimentação ao monitor.
ADVERTÊNCIA
Não utilize nenhum outro cabo de força, além do fornecido.

ADVERTÊNCIA
O uso de acessórios, transdutores e cabos diferentes dos especificados pode
resultar no aumento de emissões e/ou na diminuição da imunidade do monitor
ADVERTÊNCIA
Conecte apenas acessórios que tiverem sido certificados como parte do
sistema de monitorização Vigilance II.
ADVERTÊNCIA
O risco e a corrente de fuga da configuração final do sistema devem estar em
conformidade com a norma IEC/EN 60601-1-1 e é responsabilidade do usuário
garantir o cumprimento dessa norma.
ADVERTÊNCIA
Os equipamentos acessórios conectados ao monitor devem ser certificados de
acordo com a norma IEC/EN 60950 referente a equipamentos de
processamento de dados ou norma IEC/EN 60601-1 referente a equipamentos
eletromédicos. Todas as combinações de equipamentos devem ser feitas em
conformidade com a norma IEC/EN 60601-1-1 referentes aos requisitos para os
sistemas.
ADVERTÊNCIA
Todos os equipamentos IEC/EN 60950, incluindo impressoras, devem ser
posicionados pelo menos a 1,5 metros do leito do paciente.

4/26/06 Edwards Lifesciences 2-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

2.2.2 Precauções
As PRECAUÇÕES a seguir são utilizadas no Manual do Operador Vigilance
II. Essas precauções aparecerão no manual quando forem importantes para a
função ou procedimento que estiver sendo descrito.

PRECAUÇÃO
Os seguintes fatores podem causar medidas imprecisas do débito cardíaco:
• Colocação ou posicionamento incorreto do cateter
• Variações excessivas da temperatura do sangue na artéria pulmonar. Algu-
mas situações que causam variações da TS incluem, mas não se limitam a:
- Estado após cirurgia de bypass cardiopulmonar
- Soluções resfriadas ou aquecidas de produtos sangüíneos administra-
das centralmente
• Utilização de dispositivos de compressão seqüencial
• Formação de coágulo no termistor
• Anomalias anatômicas (por exemplo, shunts cardíacos)
• Movimentação excessiva do paciente
• Interferência de equipamento de eletrocauterização ou eletrocirúrgico
• Alterações rápidas no débito cardíaco
PRECAUÇÃO
Verifique periodicamente todos os cabos para detectar possíveis defeitos. Não
armazene os cabos muito enrolados.
PRECAUÇÃO
Manuseie o módulo óptico com muito cuidado.

PRECAUÇÃO
Não obstrua as aberturas de ventilação do monitor Vigilance II.

PRECAUÇÃO
Não exponha o monitor Vigilance II a temperaturas extremas. Consulte as
especificações ambientais no Apêndice A.
PRECAUÇÃO
Não desconecte o módulo óptico enquanto a calibração e os dados do paciente
estiverem sendo transferidos do monitor Vigilance II.
PRECAUÇÃO
Para evitar que os dados do monitor Vigilance II sejam corrompidos, sempre
desconecte o cabo paciente e o módulo óptico do monitor antes de usar um
desfibrilador.
PRECAUÇÃO
Verifique todos os acessórios e equipamentos para detectar possíveis danos
antes de utilizá-los com o monitor Vigilance II.
PRECAUÇÃO
Utilize apenas cateteres e acessórios compatíveis com a Edwards para evitar
danos no monitor Vigilance II e para garantir a precisão das informações do
paciente.

2-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Segurança e SÍmbolos

PRECAUÇÃO
O monitor Vigilance II não deve ser utilizado fora das especificações
ambientais.
PRECAUÇÃO
Antes de inserir o cateter, consulte as instruções de uso fornecidas com cada
cateter para obter instruções e informações sobre advertências, precauções e
especificações.
PRECAUÇÃO
A precisão dos dados contínuos de RVS, IPV e IEO2 depende da qualidade e
precisão dos dados de PAM, PVC e SaO2 transmitidos por monitores externos.
Como a qualidade do sinal analógico de PAM, PVC e SaO2 de monitores
externos não pode ser validada pelo Vigilance II, os valores reais podem não
corresponder aos valores (incluindo todos os parâmetros derivados) exibidos
pelo monitor Vigilance II. Portanto, não é possível garantir a precisão de
medidas contínuas de RVS, IPV e IEO2. Para ajudar a determinar a qualidade
dos sinais analógicos, compare regularmente os valores de PAM, PVC e SaO2
exibidos no monitor externo com os valores exibidos no monitor Vigilance II.
Consulte o manual do operador do equipamento externo para obter
informações detalhadas sobre precisão, calibração e outras variáveis que
possam ter impacto no sinal de saída analógica.
PRECAUÇÃO
Consulte o Apêndice D para garantir que a constante de computação seja igual
à especificada no folheto de instruções que acompanha o cateter. Se a
constante for diferente, insira a constante de computação desejada
manualmente.
PRECAUÇÃO
Não utilize nenhuma outra solução desinfetante, além dos tipos especificados.

PRECAUÇÃO
A calibração in vitro não será realizada corretamente se for executada após a
inserção do cateter no paciente.
PRECAUÇÃO
O cateter e o recipiente de calibração devem estar secos para que a calibração
in vitro seja precisa. Lave o lúmen do cateter somente após a conclusão da
calibração in vitro.
PRECAUÇÃO
O monitor Vigilance II não foi desenvolvido para ser utilizado como um
dispositivo portátil.
PRECAUÇÃO
Alterações repentinas na temperatura do sangue da artéria pulmonar, como as
causadas pelos movimentos do paciente ou pela administração de
medicamento em bolus, podem fazer com que o valor de DC ou IC sejam
computados. Para evitar curvas produzidas falsamente, a injeção deverá ser
feita assim que a mensagem “Injetar” aparecer.

4/26/06 Edwards Lifesciences 2-6


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

PRECAUÇÃO
Antes de conectar o monitor Vigilance II a equipamentos externos, consulte o
manual de instruções do equipamento para obter informações detalhadas.
Obtenha informações sobre o funcionamento adequado do sistema antes do
uso clínico.
PRECAUÇÃO
Somente profissionais treinados devem calibrar as portas analógicas do
monitor Vigilance II.
PRECAUÇÃO
O único procedimento para remoção de energia do monitor é desconectar o
cabo de força da fonte de alimentação.
PRECAUÇÃO
A limpeza das partes de cima, de baixo e da frente do monitor pode ser feita
com um pano, mas não espirre ou derrame líquidos diretamente na tela do
monitor e em seus acessórios.
PRECAUÇÃO
NÃO DEIXE que nenhum tipo de líquido entre em contato com o conector de
energia, suporte do fusível ou chaves nem que penetrem nos conectores e
aberturas da estrutura externa. Se alguma das situações mencionadas acima
ocorrer, NÃO tente utilizar o monitor. Desconecte a fonte de energia
imediatamente e entre em contato com representante local da Edwards.
PRECAUÇÃO
NÃO tente limpar o painel traseiro do monitor.

PRECAUÇÃO
Não aplique vapor, radiação nem esterilize o monitor.

PRECAUÇÃO
Não mergulhe em líquido.

2-7 Edwards Lifesciences 4/26/06


Segurança e SÍmbolos

2.3 Símbolos da estrutura externa do monitor


Esta seção apresenta a ilustração e descrição de todos os símbolos contidos na
parte externa do monitor Vigilance II. A localização dos símbolos é mostrada
na figura 2-1 (painel frontal) e na Figura 2-2 (painel traseiro).

Figura 2-1 Símbolos do painel frontal do Monitor Vigilance II

Figura Símbolo Significado

1 Peça aplicada tipo CF: Equipamento protegido contra choque


elétrico, tendo um componente aplicado isolado tipo F (flutuação)
e desenvolvido para aplicação cardíaca direta

2 Guia do conector (4): Indica o local do terminal de chaveamento


em cada conector

3 Atenção, consulte as instruções de uso (3)

4 Identificação do conector: Conector do débito cardíaco

5 Peça aplicada tipo B: Equipamento protegido contra choque


elétrico.

6 Identificação do conector: Conexão do módulo óptico

7 Identificação do conector (2): Cabo de teste de DCC do paciente;


filamento e termistor do aquecedor

4/26/06 Edwards Lifesciences 2-8


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura Símbolo Significado

8 Identificação do botão de pressão: LIGA/DESLIGA: Botão de


pressão LIGAR/EM ESPERA, mencionado no texto como LIGA/
DESLIGA.

9 Identificação de CA: Este símbolo pode ser localizado pelo LED


que acende quando o cabo de força é conectado a uma fonte de
CA externa

10 Identificação do botão de pressão: Iniciar/interromper DC

11 Identificação do botão de pressão: Botão de seleção do modo


DCC/DCI

12 Identificação do botão de pressão: Dados do paciente

13 Identificação do botão de pressão: Percorrer tendência

14 Identificação do botão de pressão: Silenciar alarme

Figura 2-2 Símbolos do painel traseiro do Monitor Vigilance II

2-9 Edwards Lifesciences 4/26/06


Segurança e SÍmbolos

Figura Símbolo Significado

1 Logotipo da Edwards Lifesciences

2 Data de fabricação
Número de série

3 Número da peça
Designação do modelo
Equipamento recondicionado

4 Precaução: As leis federais dos EUA restringem o


uso deste aparelho a médicos ou ao pedido de um
médico.

5 Conector USB: para impressora

6 Conector: para Ethernet (opção futura)

7 Representante autorizado na Comunidade


Européia

8 Conector: para as portas seriais COM 1 e 2

9 Marca CE: Certificação de acordo com o Anexo II


da Diretiva EC No. 93/422/EEC referente a
dispositivos médicos.

10 Conector: para saída analógica

11 Atenção: Risco de choque elétrico

12 Conector: para entrada de ECG de monitor


externo

13 Conectores: para entradas analógicas

14 Pino terminal eqüipotencial

15 Grau de impermeabilidade da estrutura externa: A


estrutura externa possui proteção contra gotas de
água que caírem verticalmente

16 Certificação ETL

17 Atenção, consulte as instruções de uso

18 Voltagem de corrente alternada

4/26/06 Edwards Lifesciences 2-10


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura Símbolo Significado

19 Especificação para substituição do fusível

20 Coleta separada para equipamentos elétricos e


eletrôicos de acordo com Diretriz 2002/96/ED da
EC

2.4 Outros símbolos


A tabela a seguir ilustra outros símbolos utilizados no monitor Vigilance II. A
tabela inclui os símbolos contidos na embalagem utilizada no transporte do
equipamento e que indicam as condições necessárias para os cuidados no
manuseio do monitor embalado durante a entrega e o armazenamento. Inclui
também os símbolos exibidos nas etiquetas ou na tela do monitor. .

OBSERVAÇÃO
Os outros símbolos que aparecem na tela do monitor são descritos nos
capítulos correspondentes.

Símbolo Definição
Manter seco

Frágil: cuidado ao manusear

Posição: este lado para cima

Condições de umidade para armazenamento: não exponha o conteúdo a


ambientes com umidade relativa superior aos valores recomendados.

Condições da temperatura: não exponha o conteúdo a temperaturas que


excedam os limites recomendados.

Mantenha ao abrigo do calor

# Quantidade
Alarme desativado: o alarme sonoro para o parâmetro foi desativado.

Condição de alarme.

Silenciar alarme: o alarme sonoro para o parâmetro foi silenciado por dois
minutos.

2-11 Edwards Lifesciences 4/26/06


Segurança e SÍmbolos

Símbolo Definição
Identificação do quadro da barra de ferramentas: Imprimir

Identificação do quadro da barra de ferramentas: Tela cheia/dividida

Identificação do quadro da barra de ferramentas: Principal

Identificação do quadro da barra de ferramentas: Ajuda

Identificação do quadro da barra de ferramentas: Configurar

2.5 Normas
O monitor Vigilance II está em conformidade com as seguintes normas.
Consulte o Apêndice G, Recomendações e Declaração do Fabricante para
obter outros detalhes sobre conformidade.

Norma Classificação de conformidade


EN60601-1:1990, incorporando
A1 (1993) e A2 (1995) Equipamento classe I
Peça aplicada tipo B
Peça aplicada tipo CF
EN60601-1-1:2001
EN60601-1-4:1996
EN60601-2-49:2001
EN60601-1-2:2001 Classe B
UL 60601-1: Primeira edição: junho de 2003 Equipamento classe I
Peça aplicada tipo B
Peça aplicada tipo CF
CAN/CSA C22.2 601.1-M90 Equipamento classe I
Peça aplicada tipo B
Peça aplicada tipo CF
EN60529: 1991 Proteção IPX1 contra penetração de
água

OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II é adequado para uso nos ambientes de pacientes
como indicado na norma EN60601-1-1.
OBSERVAÇÃO
Este equipamento pode ser usado continuamente.

4/26/06 Edwards Lifesciences 2-12


Capítulo 3
GUIA DE REFERÊNCIA RÁPIDA PARA UTILIZAÇÃO DO
MONITOR

3.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-2


3.2 Utilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-2
3.3 Procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-2

Figuras
Figura 3-1 Tela para inserção de dados sobre o paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3
Figura 3-2 Menu Quadro grande de parâmetro para o parâmetro de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . 3-4

3-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Guia De Referência Rápida Para Utilização Do Monitor

3.1 Geral
Este capítulo fornece instruções para médicos e usuários com experiência em
monitores à beira leito, permitindo a utilização imediata do monitor Vigilance II.

3.2 Utilização
Este Guia de referência rápida foi desenvolvido apenas como uma lista de verificação
do funcionamento do monitor Vigilance II. O usuário deve ler completamente este
manual antes de tentar usar o equipamento.
O monitor Vigilance II deve ser usado somente como um complemento para a
avaliação do paciente. Este equipamento deve ser utilizado em conjunto com outros
indicadores clínicos.
Antes de utilizar o monitor Vigilance II, o usuário deve ler todas as instruções de uso
fornecidas com cada cateter para obter a descrição dos mesmos, além de instruções e
informações sobre as advertências, precauções e especificações.
Os equipamentos acessórios conectados ao monitor devem ser certificados de acordo
com a norma IEC/EN 60950 referente a equipamentos de processamento de dados ou
a norma IEC/EN 60601-1 referente a equipamentos eletromédicos. Todas as
combinações de equipamentos devem ser feitas em conformidade com a norma IEC/
EN 60601-1-1 referentes aos requisitos para os sistemas.

ADVERTÊNCIA
A utilização inadequada do monitor Vigilance II pode acarretar riscos ao
paciente. Leia atentamente a seção “Advertências” deste manual (no Capítulo
2) antes de utilizar o equipamento.

3.3 Procedimento
1. Ligue a ponta adequada do cabo de força firmemente no monitor Vigilance II.
Conecte a outra ponta em uma tomada da rede elétrica (fonte de alimentação de
CA). O indicador de CA acenderá. Conecte o cabo DCC do paciente e o cabo do
módulo óptico ao monitor Vigilance II, conforme for aplicável.
2. Ligue o monitor Vigilance II, pressionando o botão do painel frontal.
A tela exibirá uma mensagem inicial, indicando que um autoteste de
reinicialização (POST) está sendo executado.
Quando esse teste for concluído de maneira satisfatória (nenhum erro
detectado), o monitor exibirá a tela para inserção de informações sobre o
paciente e a área de superfície corporal (ASC).

PRECAUÇÃO
O único procedimento para remoção de energia do monitor é desconectar o
cabo de força da fonte de alimentação.

4/26/06 Edwards Lifesciences 3-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 3-1 Tela para inserção de dados sobre o paciente


3. Gire e pressione o botão de navegação para selecionar os campos em deseja
inserir as informações.
4. Pressione Continuar para confirmar a seleção. Em seguida, a tela Principal
aparecerá.
No caso de monitorização de oximetria:
5. Verifique a conexão do Módulo Óptico ao conector
codificado por cor de SvO2 à frente do monitor Vigilance II.

Aguarde o aquecimento do módulo óptico por 20 minutos.


6. Conecte o cateter ao módulo óptico.
7. Utilize o botão de navegação para destacar o quadro grande
de parâmetro para SvO2 ou ScvO2 e clique para exibir o menu (gire para destacar
o quadro; pressione para selecionar).

3-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Guia De Referência Rápida Para Utilização Do Monitor

8. Utilize o botão de navegação (gire para destacar; pressione para selecionar) para
iniciar a Calibração in vitro. O menu a seguir aparecerá no Quadro secundário:

Figura 3-2 Menu Quadro grande de parâmetro para o parâmetro de


oximetria
9. Utilize o botão de navegação para selecionar Hb (hemoglobina) ou Hct
(hematócrito). Digite o valor laboratorial, utilizando o botão giratório. Se o valor
laboratorial não estiver disponível ou não for conhecido, os valores predefinidos
poderão ser usados até que o valor laboratorial esteja disponível. Quando o valor
laboratorial estiver disponível, consulte as Instruções de atualização da Hb no
Capítulo 10, Monitorização de oximetria.
10. Utilize o botão de navegação para selecionar Calibrar. Aparecerá a seguinte
mensagem:
Calibração in vitro em curso.
Pronto em xx segundos.
O valor “xx” começa no número 20 com contagem regressiva de 1 em 1 seg. Quando
a calibração for concluída com sucesso, o monitor exibirá a seguinte mensagem:
Calibração in vitro OK.
Introduza o cateter e, em seguida, selecione Iniciar.
11. Prepare o cateter para ser inserido (consulte o folheto de instruções contido na
embalagem do cateter).
12. Se desejar monitorizar a oximetria, e se o cateter estiver posicionado corretamente
no paciente, utilize o botão giratório para destacar a linha Iniciar SvO2 e
pressione-o para selecionar.
Aparecerá a seguinte mensagem:
Atualização do módulo óptico em curso.
Não desconecte o Módulo Óptico.
Pronto em xx segundos.
No final da atualização, o Quadro grande de parâmetro exibirá automaticamente um
valor de oximetria.
Se estiver monitorizando o DCC:

4/26/06 Edwards Lifesciences 3-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

13. Conecte o cabo de DCC do paciente: Utilizando as setas


localizadas na parte de cima do receptáculo do painel frontal,
alinhe a extremidade do cabo de DCC do paciente com o
receptáculo codificado por cor correspondente localizado no
canto inferior esquerdo do monitor. Empurre o conector,
encaixando-o completamente.
14. Se for necessária a monitorização contínua de VDF, ligue o conector de
fone de 1/4 polegada do cabo da interface de ECG na entrada do monitor
do ECG no painel traseiro do monitor Vigilance II.
Conecte a outra extremidade do cabo da interface de ECG na saída de
sinal de ECG do monitor à beira leito.
15. Pressione o botão iniciar/interromper DC para iniciar o processo de
monitorização do débito cardíaco contínuo (DCC). A monitorização
contínua de VDF também será iniciada se o sinal de ECG do paciente
for enviado ao monitor e o cateter de VDFC correspondente tiver sido
colocado.
Os valores do débito cardíaco serão mostrados no Quadro grande de parâmetro do
DCC no lado direito da tela. Os valores indexados serão mostrados no canto
inferior direito do quadro se a altura e o peso do paciente ou o ASC tiverem sido
inseridos.
16. Tela RÁPIDA: Os valores médios, calculados em intervalos de aproximadamente
60 segundos, podem ser visualizados na tela RÁPIDA. Esses valores médios
podem ser mostrados antes da visualização de um valor no quadro grande de
parâmetro do DCC. O valor mais recente será mostrado na caixa direita com um
marcador de tempo exibido acima da caixa.
17. Débito cardíaco intermitente (Bolus) (DCI): Para medir o DCI, consulte o
Capítulo 8, Modo de monitorização de DCI deste manual.

3-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Capítulo 4
COMO DESEMBALAR, INSTALAR E EXECUTAR O
AUTOTESTE INICIAL

4.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-2


4.2 Como desembalar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-2
4.3 Condições para utilização do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-2
4.4 Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
4.5 Recomendação de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
4.6 Opções de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
4.7 Requisitos para instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
4.8 Inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
4.8.1 Geral. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
4.8.2 Procedimento de inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5

Figuras
Figura 4-1 Monitor Vigilance II no ambiente operacional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-2
Figura 4-2 Placa adaptadora do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-4
Figura 4-3 Interfaces da placa adaptadora com o monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-4
Figura 4-4 Tela de inicialização do POST. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-6
Figura 4-5 Tela de seleção do idioma do Vigilance II. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-6

Tabelas
Tabela 4-1 Acessórios necessários para os parâmetros de monitorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3

4/26/06 Edwards Lifesciences 4-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

4.1 Geral
Dependendo da configuração de um determinado parâmetro e da aplicação do usuário,
pode ser necessário conectar acessórios ao monitor Vigilance II. Este capítulo
apresenta informações sobre o procedimento de instalação do monitor Vigilance II e
sobre os acessórios necessários. Também apresenta informações sobre o autoteste de
reinicialização e sobre a seleção do idioma.

4.2 Como desembalar


Verifique se o recipiente para transporte não foi danificado em trânsito. Para relatar os
resultados dessa verificação, utilize as normas e os procedimentos institucionais
locais.
Verifique o conteúdo do recipiente para transporte. Faça uma inspeção visual do
monitor, dos cabos e acessórios. Relate qualquer sinal de dano externo no monitor, de
cabos desgastados e de pinos quebrados ou tortos.
O monitor e os itens de acessório podem ser entregues separadamente. Recomenda-se
que o usuário confirme o recebimento de todos os equipamentos solicitados.

4.3 Condições para utilização do sistema


A figura 4-1 ilustra as interconexões nos painéis frontal e traseiro do monitor
Vigilance II que abrangem condições comuns para a monitorização do DCC.

Figura 4-1 Monitor Vigilance II no ambiente operacional

4-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Como Desembalar, Instalar e Executar o Autoteste Inicial

4.4 Acessórios
A tabela a seguir apresenta os acessórios necessários para a exibição de parâmetros
específicos monitorados e calculados.

Tabela 4-1 Acessórios necessários para os parâmetros de monitorização


Parâmetros monitorizados e calculados
Acessórios necessários DCC VDFC FEVD Oximetria RVS IDC VS
Cabo de força aprovado pela Edwards • • • • • • •
Cabo de DCC do paciente da Edwards • • • • • •
Módulo óptico •
Cabo de ECG • • •
Cabo(s) de entrada analógica •
Sensor de temperatura do injetado •
Consulte a seção de acessórios no Apêndice A para obter os números de modelo.
Em relação aos recursos de impressão, entre em contato com o representante local da
Edwards Lifesciences para obter informações sobre as impressoras compatíveis e os
cabos de impressora utilizados com o monitor Vigilance II.

4.5 Recomendações de montagem


O monitor Vigilance II deve ser montado de maneira segura de acordo com a prática
da instituição. Acessórios de montagem opcionais podem ser adquiridos com
fornecedores aprovados de equipamentos médicos. Entre em contato com o
representante local da Edwards para obter informações sobre carrinhos para
montagem, racks e outras opções recomendadas.

4.6 Opções de montagem


Uma placa adaptadora do monitor Vigilance II encontra-se disponível como um
acessório opcional. A placa adaptadora foi projetada para simplificar a montagem e
remoção do equipamento em um suporte com rodas, em um suporte de parede ou
ainda em cima de uma bancada sem necessidade de utilização de ferramentas. A
figura 4-2 apresenta uma ilustração da placa adaptadora e a Figura 4-3, as interfaces
com o lado de baixo do monitor Vigilance II.

4/26/06 Edwards Lifesciences 4-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 4-2 Placa adaptadora do Vigilance II

Figura 4-3 Interfaces da placa adaptadora com o monitor Vigilance II

4-4 Edwards Lifesciences 4/26/06


Como Desembalar, Instalar e Executar o Autoteste Inicial

4.7 Requisitos para instalação

ADVERTÊNCIA
Não utilize os cabos de extensão ou adaptadores em T para tomada para
conectar a fonte de alimentação ao monitor.
ADVERTÊNCIA
Não utilize nenhum outro cabo de força, além do fornecido.

PRECAUÇÃO
O monitor Vigilance II deve ser utilizados somente de acordo com as
especificações.
PRECAUÇÃO
O monitor Vigilance II não foi desenvolvido para ser utilizado como um
dispositivo portátil.
PRECAUÇÃO
O único procedimento para remoção de energia do monitor é desconectar o
cabo de força da fonte de alimentação.

Consulte o Apêndice A para obter informações sobre as condições físicas, elétricas,


térmicas e atmosféricas em que o monitor Vigilance II deve ser utilizado.

4.8 Inicialização

4.8.1 Geral
O autoteste de reinicialização (POST) é iniciado quando o monitor é ligado. O POST é
o procedimento de autoteste inicial que garante que o equipamento está em condições
de funcionamento. Esse teste verifica se o equipamento atende às necessidades básicas
de funcionamento, analisando os componentes importantes de hardware.

4.8.2 Procedimento de inicialização

OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II faz o ajuste automaticamente para voltagens de
100 a 240 Vac.

1. Utilize o cabo de força fornecido com o monitor Vigilance II para fazer a conexão
com uma tomada elétrica do hospital. O indicador de CA acenderá.
2. No painel frontal do monitor Vigilance II, pressione o botão LIGA/
DESLIGA do teclado.
3. Observe a tela do monitor. Verifique se a mensagem “Auto-teste em
curso” aparece conforme mostrado na Figura 4-4.

4/26/06 Edwards Lifesciences 4-5


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 4-4 Tela de inicialização do POST


4. Se for detectada uma falha durante o POST, o monitor exibirá uma mensagem de
erro e será necessário desligar o equipamento. Pressione o botão LIGA/
DESLIGA do teclado para desligar o equipamento, se necessário.
5. Consulte o Apêndice F para obter instruções sobre como obter serviços de
conserto e manutenção para o equipamento.

Figura 4-5 Tela de seleção do idioma do Vigilance II

4-6 Edwards Lifesciences 4/26/06


Como Desembalar, Instalar e Executar o Autoteste Inicial

6. No final do autoteste, se não forem detectados erros, a tela mudará para


“selecionar idioma”, conforme mostrado na Figura 4-5. Essa tela aparecerá apenas
na primeira vez que o equipamento for ligado. Consulte o Capítulo 6,
Configuração inicial, como inserir dados do paciente para alterar a seleção de
idioma.
7. Gire o botão de navegação para destacar o idioma desejado. Pressione o botão
giratório para confirmar a seleção.
Todos os textos serão exibidos e impressos no idioma selecionado. Além disso, os
seguintes parâmetros do sistema serão aplicáveis:
Se estiver selecionado English (US):
• Unidades internacionais - Não
• Todos os parâmetros que podem ser representados em duas unidades de
medida diferentes serão exibidos no formato para unidades não internacio-
nais.
• Formato da hora - 12 horas
• Formato da data - MM/DD/AAAA
Se estiverem selecionados os idiomas English (UK), Español, Português, Deutsch,
Français, Italiano, Svenska, Dansk, Nederlands, Português, Polski, Ceština, Magyar
ou Simplified Chinese:
• Unidades internacionais - Sim
• Todos os parâmetros que podem ser representados em duas unidades de
medida diferentes serão exibidos no formato para unidades internacionais.
• Formato da hora - 24 horas
• Formato da data - DD.MM.AAAA
Após a confirmação da seleção do idioma, a tela apresentará duas opções: será
possível utilizar os dados do paciente anterior ou inserir informações do novo
paciente. Os detalhes de sobre como inserir essas informações são apresentados no
Capítulo 6, Configuração inicial, como inserir dados do paciente.

4/26/06 Edwards Lifesciences 4-7


Capítulo 5
TELAS, CONTROLES, ALARMES E INDICADORES DO
MONITOR

5.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3


5.2 Tela, controles e conectores do painel frontal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
5.2.1 Painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
5.2.2 Painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-5
5.3 Modos de monitorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
5.3.1 Quadros da tela de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
5.3.2 Quadros da tela de DCI (Bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-9
5.4 Utilização do botão de navegação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-10
5.5 Quadros grandes de parâmetro (Modo DCC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-10
5.5.1 Como configurar os quadros grandes de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-12
5.5.1.1 Seleção de um parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-13
5.5.1.2 Ativação/desativação do alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-13
5.5.1.3 Configuração da escala de tendência do quadro gráfico. . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-14
5.5.1.4 Configuração dos limites de alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-14
5.6 Quadros grandes de parâmetros (Modo DCI) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-15
5.7 Quadro TS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-16
5.8 Quadro TS (somente no Modo DCI). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-16
5.9 Quadro pequeno de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-16
5.9.1 Como configurar grupos para o quadro pequeno de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-17
5.9.2 Aplicação de um grupo ao quadro pequeno de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-18
5.10 Quadro de Data/Hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-19
5.11 Quadros da barra de ferramentas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-19
5.12 Quadro secundário. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.1 Perfil cardíaco e de oxigenação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.2 Caixas de leitura rápida. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.3 Gráfico diagnóstico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.4 Gráfico de relação de dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-22
5.12.5 Revisão de bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13 Quadro gráfico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13.1 Gráfico de tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13.2 Gráfico instantâneo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.13.3 Gráfico de DCI (Bolus). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.14 Quadro de mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-23
5.15 Função do teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.1 LIGA/DESLIGA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.2 Iniciar/interromper DC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24

5-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

5.15.3 Botão de Seleção do Modo DCC/DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24


5.15.4 Dados do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.5 Percorrer tendência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24
5.15.6 Silenciar alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-24

Figuras
Figura 5-1 Controles e indicadores do painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
Figura 5-2 Conectores e indicadores do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-5
Figura 5-3 Tela de monitorização de DCC (Tela principal) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Figura 5-4 Tela de monitorização de DCC (Tela dividida). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Figura 5-5 Tela de monitorização de DCI (Bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-9
Figura 5-6 Botão de navegação do painel frontal do Vigilance II. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-10
Figura 5-7 Quadro grande de parâmetro típico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-11
Figura 5-8 Parâmetro SvO2 no quadro grande de parâmetro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-11
Figura 5-9 Menu Quadro grande de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-13
Figura 5-10 Quadros grandes de parâmetro 1 e 2 no Modo DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-15
Figura 5-11 Quadro grande de parâmetro 3 no Modo DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-15
Figura 5-12 Posições e parâmetros do submenu quadro pequeno de parâmetro. . . . . . . . . . . . . . . . 5-17
Figura 5-13 Botões do quadro da barra de ferramentas da tela do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . 5-20

Tabelas
Tabela 5-1 Controles e indicadores do painel frontal do Vigilance II. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-4
Tabela 5-2 Controles e etiquetas do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-6
Tabela 5-3 Função e conteúdo do quadro DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Tabela 5-4 Função e conteúdo do quadro DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-9
Tabela 5-5 Parâmetros que podem ser exibidos nos Quadros grandes de parâmetro . . . . . . . . . . . . . 5-12
Tabela 5-6 Botões da barra de ferramentas do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-20

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

5.1 Geral
Este capítulo apresenta descrições ilustradas dos painéis frontal e traseiro do monitor
Vigilance II, incluindo os quadros de exibição, os controles e conectores. O capítulo 5
também fornece instruções sobre o uso do botão de navegação e a personalização das
telas.

5.2 Tela, controles e conectores do painel frontal

5.2.1 Painel frontal do Vigilance II

Figura 5-1 Controles e indicadores do painel frontal do Vigilance II


A tabela 5-1 apresenta informações sobre os controles e conectores ilustrados na
figura 5-1. Observe que os símbolos ilustrados aparecem em tamanhos aproximados.

5-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

Tabela 5-1 Controles e indicadores do painel frontal do Vigilance II


Nº. do Símbolo,
índice ícone Descrição

1 LIGA/DESLIGA: botão de pressão LIGAR/EM ESPERA, chamado no texto de LIGA/


DESLIGA.

2 Luz de indicação de CA: o LED acende quando o cabo de força é conectado a uma
fonte de CA externa.

3 Identificação de CA.

4 Iniciar/Interromper DC: inicia ou interrompe o processamento de dados do débito


cardíaco para DCI ou DCC.

5 Botão Selecionar Modo DCC/DCI: alterna a exibição da tela do modo de


monitorização entre DCC e DCI.

6 Dados do Paciente: permite que o operador revise/atualize os dados do paciente e


também os perfis cardíaco e de oxigenação.

7 Percorrer Tendência: permite que o operador revise os dados gráficos de tendência


com a utilização da função Percorrer.

8 Silenciar Alarme: silencia os alarmes técnicos indefinidamente e os alarmes


fisiológicos por dois minutos. Quando a causa do alarme for eliminada, será
necessário utilizar o botão outra vez para silenciar o alarme. Todos os quadros
grandes de parâmetro com um parâmetro de alarme exibirão um sino com uma única
barra para o período de desativação do alarme.

9 Botão de navegação: permite a navegação e seleção de quadros, menus e valores


de parâmetro.

10 Conector de débito cardíaco (cinza): utilizado para conectar o cabo de DCC do


paciente para monitorização do DCC/DCI. A seta deve ser utilizada como referência
para o alinhamento correto da conexão do cabo.

11 Conector SvO2 (cor de vinho): utilizado para conectar o módulo óptico para
monitorização de oximetria. A seta deve ser utilizada como referência para o
alinhamento correto da conexão do cabo.

12 Porta de teste do filamento térmico: utilizado para testar a conexão do filamento


térmico do cabo de DCC do paciente da Edwards (consulte o capítulo 14, Resolução
de problemas, para obter instruções sobre o teste do cabo de DCC do paciente). A
seta deve ser utilizada como referência para o alinhamento correto da conexão do
cabo.

13 Porta de teste do termistor: utilizado para testar a conexão do termistor do cabo de


DCC do paciente da Edwards (consulte o capítulo 14, Resolução de problemas, para
obter instruções sobre o teste do cabo de DCC do paciente). A seta deve ser
utilizada como referência para o alinhamento correto da conexão do cabo.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

5.2.2 Painel traseiro do Vigilance II


A figura 5-2 mostra os conectores e as etiquetas do painel traseiro do Vigilance II.

Figura 5-2 Conectores e indicadores do painel traseiro do Vigilance II


A tabela 5-2 apresenta descrições dos conectores, indicadores e das etiquetas do painel
traseiro, conforme ilustrado na figura 5-2.

5-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

Tabela 5-2 Controles e etiquetas do painel traseiro do Vigilance II


Nº. do
índice Símbolo, ícone Descrição

1 Etiqueta de identificação do equipamento: número da


peça, número de série, número do modelo, data de
fabricação

2 Conector principal de entrada de energia

3 Especificações da fonte de energia elétrica

4 Especificação dos fusíveis

5 Pino de terminal eqüipotencial e identificação

6 Identificação do produto

7 Indicadores de certificação

8 Informações sobre o fabricante

9 Conectores e identificações de entradas analógicas

10 Conector e identificação da entrada do ECG do monitor


externo

11 Conector e identificação da saída analógica

12 Conectores e identificações das portas seriais COM 1 e


COM 2

13 Conector e identificação para Ethernet (opção futura)

14 Conector USB e identificação para impressora

15 Advertência: consulte os documentos anexos.

16 IPX1 Símbolo de identificação do grau de impermeabilidade da


estrutura externa

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-6


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

5.3 Modos de monitorização


O monitor Vigilance II dispõe de dois modos principais de monitorização do débito
cardíaco:
• Débito cardíaco contínuo (DCC) e
• Débito cardíaco intermitente (bolus) (DCI).
As descrições da tela contidas neste capítulo descrevem a configuração e o conteúdo
dos quadros de cada modo. As descrições são ilustradas com telas de amostra.

5.3.1 Quadros da tela DCC


A tela predefinida do monitor, também mencionada como tela Principal do modo
DCC, aparece após a conclusão da configuração inicial. A tela Principal é descrita na
figura 5-3. As principais áreas da tela são chamadas de Quadros e são identificadas na
figura 5-3.

Figura 5-3 Tela de monitorização de DCC (Tela principal)


A tela de monitorização de DCC pode ser apresentada em uma tela cheia (Tela
principal, formato predefinido apresentado na figura 5-3) ou em uma tela dividida,
conforme ilustrado na figura 5-4. O formato de tela dividida inclui um quadro
adicional: o quadro secundário.
O usuário pode alternar entre a tela cheia e a dividida, pressionando o ícone
de tela cheia/dividida na parte inferior da tela.

5-7 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

Figura 5-4 Tela de monitorização de DCC (Tela dividida)


A tabela 5-3 apresenta descrições da função e do conteúdo de cada quadro.
Tabela 5-3 Função e conteúdo do quadro DCC
Nome do quadro Descrição da função, conteúdo
Quadro Grande de Parâmetro Exibe os valores medidos/calculados de parâmetros do
1-4 paciente como por exemplo DCC e oximetria Além disso,
exibirá o valor indexado do valor medido ou calculado
quando a ASC estiver disponível.
Quadro TS Exibe o valor medido do parâmetro da temperatura do
sangue.
Quadro Pequeno de Exibe vários valores de parâmetros do paciente com
Parâmetro fonte pequena.
Quadro de Data/Hora Exibe a data e hora atuais.
Imprimir quadro Exibe um ícone de impressora utilizado para iniciar a
impressão de imagens da tela se a impressora estiver
conectada.

Tela Cheia/Dividida Utilizado para expandir e reduzir o tamanho do quadro


gráfico. Quando expandido, ocupa as áreas do quadro
gráfico e secundário.
Quadro Principal Permite acesso rápido para a configuração da tela
Principal.

Quadro de Ajuda Possibilita o acesso às mensagens de ajuda.

Quadro de Configuração Possibilita o acesso aos menus de configuração do


sistema.

Quadro Secundário Exibe a apresentação de dados do paciente que podem


ser selecionados, como gráficos de dados e tabelas, e é o
local para a visualização dos menus.
Quadro Gráfico (Tendência) Apresenta uma tendência dos valores do quadro grande
de parâmetro ou um gráfico dos valores rápidos.
Quadro de Mensagem Exibe as mensagens de texto, utilizando duas linhas.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-8


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

5.3.2 Quadros da tela de DCI (Bolus)


A tela de monitorização do DCI (Bolus) (figura 5-5) é mostrada quando o operador
pressiona o botão Selecionar Modo DCC/DCI.

Figura 5-5 Tela de monitorização de DCI (Bolus)


As principais áreas da tela são identificadas na figura 5-5 e descritas na tabela 5-4.

Tabela 5-4 Função e conteúdo do quadro DCI


Nome do quadro Descrição da função, conteúdo
Quadro Grande de Parâmetro 1 Exibe o parâmetro e os valores de oximetria, se
configurados.
Quadro Grande de Parâmetro 2 Exibe os parâmetros e os valores do DCméd e ICméd.
Quadro Grande de Parâmetro 3 Exibe valores individuais de DC e IC (bolus) (até seis
medidas).
Quadro TI Exibe a temperatura do injetado.
Quadro TS Exibe o valor medido do parâmetro de temperatura do
sangue.
Quadro Pequeno de Parâmetro Exibe vários valores de parâmetros do paciente com
fonte pequena.
Quadro de Data/Hora Exibe a data e hora atuais.
Imprimir Quadro Exibe um ícone de impressora utilizado para iniciar a
impressão de imagens da tela se a impressora estiver
conectada.

Tela Cheia/Dividida Não disponível no modo DCI.

Quadro Principal Não disponível no modo DCI.

5-9 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

Tabela 5-4 Função e conteúdo do quadro DCI


Nome do quadro Descrição da função, conteúdo
Quadro de Ajuda Possibilita o acesso às mensagens de ajuda.

Quadro de Configuração Possibilita o acesso aos menus de configuração do


sistema.

Quadro Secundário Exibe os dados de revisão de bolus e os dados do


paciente e é o local para a visualização dos menus.
Quadro Gráfico (Tendência) Exibe representações gráficas das curvas de
termodiluição de bolus.
Quadro de Mensagem Exibe as mensagens de texto, utilizando duas linhas.

5.4 Utilização do botão de navegação


O botão de navegação permite que o operador selecione menus, escolha parâmetros e
execute funções do menu, girando e/ou pressionando o botão.
Se o usuário girar o botão no sentido horário, um quadro amarelo sólido será
destacado de quadro a quadro, começando com o quadro superior direito. Se o usuário
girar o botão no sentido anti-horário, o quadro se deslocará no sentido anti-horário. Se
o usuário pressionar o botão giratório quando um quadro estiver destacado, será
ativado um menu ou função do quadro.

Figura 5-6 Botão de navegação do painel frontal do Vigilance II

5.5 Quadros grandes de parâmetro (Modo DCC)


O monitor Vigilance II pode exibir até quatro parâmetros nos quadros grandes de
parâmetro. Cada um desses parâmetros é mostrado como uma tendência em relação a
um período de tempo no quadro gráfico.
A figura 5-7 ilustra a alocação de espaço nos quadros grandes de parâmetro. A
identificação do parâmetro é colocada no canto superior esquerdo do quadro. O valor
aparece em numerais grandes na área central do quadro. Para parâmetros que podem
ser indexados, o valor indexado aparecerá no canto superior direito quando os
numerais grandes forem mostrados no quadro do parâmetro medido. Quando o quadro

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-10


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

for configurado para mostrar o valor indexado no formato grande, o valor medido
aparecerá no canto inferior direito. O símbolo de tendência do parâmetro aparece à
direita da identificação.
Para monitorização da oximetria, um indicador de qualidade do sinal de quatro níveis
(IQS) será exibido no canto inferior direito. (Veja a Figura 5-8).

Figura 5-7 Quadro grande de parâmetro típico

OBSERVAÇÃO
Os locais do valor indexado e não-indexado podem ser alternados na
configuração do quadro.

Figura 5-8 Parâmetro SvO2 no quadro grande de parâmetro

Um valor fora dos limites será exibido como uma série de travessões com a cor do
parâmetro. Os valores que estiverem faltando aparecerão como espaços em branco.
A tabela 5-5 lista os parâmetros que podem ser configurados e identifica as
características da tela para cada parâmetro. A cor e o símbolo especificados também
são utilizados para produzir um gráfico do parâmetro na tela de tendência do quadro
gráfico. Cada quadro deve ser configurado individualmente com a utilização do botão
de navegação.

5-11 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

Tabela 5-5 Parâmetros que podem ser exibidos nos quadros grandes de parâmetro
Símbolo Intervalo de
Identificação da atualização
do Descrição Unidades Cor do tendênci aproximado Sino de
parâmetro do parâmetro de valor parâmetro a (seg) alarme
SvO2 Saturação Venosa % Azul claro 2 Sim
Mista de Oxigênio
ScvO2 Saturação Venosa % Púrpura 2 Sim
Central de Oxigênio
DCC Débito cardíaco l/min Amarelo 60 Sim
contínuo
ICC Índice cardíaco l/min/m2 Amarelo 60 Sim
contínuo
COmed Média DC Bolus l/min Amarelo Determinado Não
pelo usuário
CImed Média IC Bolus l/min/m2 Amarelo Determinado Não
pelo usuário
VDF Volume diastólico ml Roxo 60 Sim
final
IVDF VDF indexado ml/m2 Roxo 60 Sim
RVS Resistência vascular dynes-seg/cm5 Verde 60 Sim
sistêmica (kPa-s/l)
RVSI Resistência vascular dynes-seg-m2/ Verde 60 Sim
sistêmica indexada
cm5 (kPa-s-m2/l)
FEVD Fração de ejeção do % Azul X 60 Sim
ventrículo direito escuro
VS Volume sistólico ml/b Laranja 60 Sim
IVS Volume sistólico ml/b/m2 Laranja 60 Sim
indexado

OBSERVAÇÃO
O mesmo parâmetro não pode ser configurado ao mesmo tempo em dois
ou mais quadros grandes de parâmetro.

O quadro grande de parâmetro também pode ser utilizado para ativar/desativar o


alarme, e para configurar os limites de alarme e a escala de tendência para o parâmetro
específico.

5.5.1 Como configurar os quadros grandes de parâmetro


Gire o botão de navegação para destacar o quadro grande de parâmetro e configurar
um dos parâmetros listados na tabela 5-5 (o quadro será destacado com uma linha
amarela espessa). Pressione o botão para selecionar o quadro grande de parâmetro.
Um menu Quadro Grande de Parâmetro aparecerá no quadro secundário (veja a figura
5-9).
Esse menu deve ser utilizado para selecionar o parâmetro disponível, ativar/desativar
o alarme e para definir os limites do alarme e a escala de tendência do quadro gráfico.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-12


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 5-9 Menu Quadro Grande de Parâmetro

5.5.1.1 Seleção de um parâmetro


Siga as etapas abaixo para selecionar um parâmetro:
1. Gire o botão de navegação para Parâmetro. Pressione o botão. Uma caixa
instantânea aparecerá com as opções de parâmetro disponíveis.
2. Gire o botão para destacar o parâmetro desejado. Pressione o botão
giratório para confirmar a seleção.

OBSERVAÇÃO
Os parâmetros configurados em outro quadro grande de parâmetro não
estarão disponíveis.

5.5.1.2 Ativação/desativação do alarme


Siga as etapas abaixo para ativar/desativar o alarme para um quadro grande de
parâmetro específico:
1. Gire o botão de navegação para destacar a identificação de Alarme no menu
Quadro Grande de Parâmetro. Pressione o botão para selecionar o item destacado.
O cursor se deslocará para a seleção Liga/Desliga.
2. Gire o botão para escolher Liga ou Desliga.
3. Pressione o botão para confirmar a seleção.
O quadro grande de parâmetro contém um ícone de sino para indicar o status do
alarme (em quadros em que o alarme for importante).
• Se o valor do parâmetro estiver fora dos limites de alarme, o valor numérico exi-
bido piscará. Se os alarmes do parâmetro estiverem ativados, um ícone de sino pis-
cante aparecerá no canto superior direito do quadro. Um alarme sonoro será
emitido e uma mensagem de alarme fora dos limites aparecerá no quadro de men-
sagem como um indicador visual.
• Se os alarmes do parâmetro estiverem desativados, o ícone de sino aparecerá com
um “X” e nenhum sinal sonoro será emitido para esse parâmetro, mas o valor
numérico piscará sempre que o valor estiver fora dos limites de alarme, e a mensa-
gem de alarme aparecerá no quadro de mensagem.

5-13 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

OBSERVAÇÃO
Os monitores Vigilance II configurados para um idioma diferente do inglês
(EUA) emitirão um sinal sonoro durante 3 segundos a cada 3 minutos
quando um alarme estiver desativado em um ou todos os quadros
grandes de parâmetro.

5.5.1.3 Configuração da escala de tendência do quadro gráfico


Siga as etapas abaixo para configurar a escala de tendências:
1. Gire o botão de navegação para destacar o valor máximo ou mínimo da escala a
ser alterado. Pressione o botão para confirmar a seleção.
2. Gire o botão de navegação para aumentar ou diminuir o limite da escala para o
parâmetro.
3. Pressione o botão para confirmar a seleção.
4. Gire o botão para selecionar o outro limite da escala e pressione o botão para sele-
cionar o valor. Repita as etapas 2 e 3 descritas acima para definir esse valor.

5.5.1.4 Configuração dos limites de alarme


Siga as etapas abaixo para configurar os limites de alarme:
1. Gire o botão de navegação para destacar o limite de alarme máximo ou mínimo a
ser alterado. Pressione o botão para confirmar a seleção.
2. Gire o botão de navegação para aumentar ou diminuir o limite de alarme para o
parâmetro. Durante essa etapa, uma linha vermelha horizontal aparecerá no
quadro gráfico para representar visualmente o parâmetro do alarme.
3. Pressione o botão para confirmar a seleção. Um tique aparecerá no eixo vertical
no quadro gráfico, representando o parâmetro de alarme selecionado.
4. Gire o botão para selecionar o outro limite de alarme e pressione o botão para
selecionar o valor. Repita as etapas 2 e 3 acima para definir esse limite.

OBSERVAÇÃO
Se os limites de alarme estiverem definidos fora dos limites da escala, um
acento circunflexo voltado para cima ou para baixo ( ^ o v ) aparecerá na
parte superior ou inferior da escala de tendência gráfica, conforme a
necessidade.
OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II impedirá a seleção de uma escala ou limite de
alarme mínimo superior a um limite máximo configurado. Da mesma
maneira, impedirá a seleção de um limite de escala ou de alarme máximo
inferior ao limite mínimo configurado.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-14


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

5.6 Quadros grandes de parâmetro (Modo DCI)


No modo DCI, o monitor Vigilance II exibe os valores de oximetria e DCméd nos
quadros grandes de parâmetro 1 e 2, respectivamente. A figura 5-10 apresenta uma
ilustração da alocação de espaço nesses quadros. A identificação do parâmetro é
colocada no canto superior esquerdo do quadro. O valor aparece em numerais grandes
na área central do quadro. Para o DCméd, o valor médio de DC indexado (ICméd)
aparecerá no canto inferior direito. No caso de oximetria, um indicador de qualidade
do sinal de quatro níveis (IQS) será exibido no canto inferior direito. O símbolo de
tendência do parâmetro aparecerá à direita da identificação.

OBSERVAÇÃO
Se SvO2 ou ScvO2 foram configuradas previamente no modo de monito-
rização doDCC, os valores de oximetria são exibidos no Quadro grande
de parâmetro 1.
OBSERVAÇÃO
Os locais do valor indexado e não-indexado para o DCméd poderão ser
alternados quando o quadro for configurado.

Um valor fora dos limites será exibido como uma série de travessões com a cor do
parâmetro. Os valores que estiverem faltando aparecerão como espaços em branco.
O quadro grande de parâmetro 3 exibe até seis medidas individuais de bolus de DC e
IC. A figura 5-11 apresenta uma ilustração da alocação de espaço nesse quadro. Os
números referentes às medidas (bolus), os valores de DC e IC aparecem
seqüencialmente em formato de tabela.

Figura 5-10 Quadros grandes de parâmetro 1 e 2 no Modo DCI

Figura 5-11 Quadro grande de parâmetro 3 no Modo DCI


5-15 Edwards Lifesciences 4/26/06
Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

5.7 Quadro TS
O quadro TS exibe a temperatura do sangue da artéria pulmonar do paciente com o
cateter devidamente posicionado. O quadro contém uma identificação (TS) e o valor
da temperatura medida. As unidades utilizadas na exibição são configuradas no menu
Configurar. Esse quadro não possui submenu, portanto, nunca será destacado quando
o usuário girar o botão para selecionar um quadro da tela.
O campo de valor numérico permanecerá em branco se os dados de temperatura do
sangue (TS) não estiverem disponíveis. Travessões (“- - -”) serão exibidos sempre que
os dados de temperatura estiverem fora dos limites. O valor da TS é atualizado a cada
segundo.

5.8 Quadro TS (somente no Modo DCI)


O quadro TI exibe a temperatura do líquido injetado no modo DCI. O quadro contém
uma identificação (TI) e o valor da temperatura medida. As unidades utilizadas na
exibição são configuradas no menu Configurar. Esse quadro não possui submenu,
portanto, nunca será destacado quando o usuário utilizar o botão de navegação para
selecionar um quadro.
O campo de valor numérico permanecerá em branco se os dados de temperatura do
injetado (TI) não estiverem disponíveis. Travessões (“- - -”) serão exibidos sempre
que os dados de temperatura estiverem fora dos limites. O valor da TI é atualizado a
cada segundo.

5.9 Quadro pequeno de parâmetro


O quadro pequeno de parâmetro contém uma listagem de até oito valores de
parâmetro. O monitor Vigilance II permite que o usuário configure quatro grupos de
parâmetro diferentes, sendo que cada grupo consiste de oito valores de parâmetro para
exibição. Os dois primeiros grupos são predefinidos para conveniência do usuário, e o
primeiro grupo é o predefinido de fábrica para o quadro pequeno de parâmetro.

OBSERVAÇÃO
Os parâmetros no Quadro pequeno de parâmetro não possuem alarme.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-16


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

5.9.1 Como configurar grupos para o quadro pequeno de parâmetro


Cada grupo dispõe de oito posições que podem ser configuradas pelo usuário. Cada
parâmetro pode ser utilizado apenas uma vez em uma única posição de parâmetro. Os
parâmetros já configurados no grupo selecionado aparecerão em cinza.
Os parâmetros serão exibidos no quadro pequeno de parâmetro na mesma ordem que
foram organizados no Menu Quadro pequeno de parâmetro. (Veja a figura 5-12).

Figura 5-12 Posições e parâmetros do submenu quadro pequeno de


parâmetro
São apresentadas a seguir instruções passo a passo para a configuração de grupos de
parâmetro para seleção no quadro pequeno de parâmetro:
1. Gire o botão de navegação para destacar o quadro pequeno de parâmetro.
2. Pressione o botão. O menu Quadro Pequeno de Parâmetro aparecerá no quadro
secundário.

3. Gire o botão para destacar o grupo desejado para configuração.


4. Pressione o botão. Um submenu do menu Quadro Pequeno de Parâmetro apare-
cerá com os parâmetros disponíveis para cada posição.

5-17 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

5. Gire o botão para destacar a posição de parâmetro desejada a ser configurada com
cada um dos parâmetros listados no lado direito do menu Quadro Pequeno de
Parâmetro.
6. Pressione o botão. O primeiro parâmetro disponível no lado direito do menu será
destacado.
7. Gire o botão para destacar o parâmetro desejado.
8. Pressione o botão. O parâmetro selecionado substituirá o parâmetro anterior nessa
posição.
Repita as etapas de 5 a 8 para outras posições de parâmetro do grupo, se necessário.
Quando Nenhum for selecionado, aparecerá um espaço em branco.
Se o usuário selecionar Retornar, as seleções do menu serão aceitas, o menu será
fechado e voltará para a tela anterior. As seleções do menu serão armazenadas até que
sejam alteradas.
Se o usuário selecionar Cancelar, o menu será fechado e voltará para a tela anterior.
Todas as seleções/alterações do menu serão descartadas.
Ao selecionar Limpar todos, todas as posições de parâmetro serão configuradas
como Nenhum.

5.9.2 Aplicação de um grupo ao quadro pequeno de parâmetro


Apenas um grupo pode ser exibido no quadro pequeno de parâmetro. No entanto,
todos os quatro grupos podem ser predefinidos e salvos no menu Quadro Pequeno de
Parâmetro.
As informações a seguir descrevem as etapas necessárias para selecionar um grupo
específico no quadro pequeno de parâmetro.
1. Gire o botão de navegação para abrir o menu Quadro Pequeno de Parâmetro e
destacar o grupo a ser exibido.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-18


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

2. Pressione o botão. Aparecerá o submenu Quadro Pequeno de Parâmetro que per-


mitirá que o usuário aplique o grupo para ser exibido no quadro pequeno de
parâmetro.

3. Gire o botão de navegação para destacar Aplicar, conforme mostrado no exemplo


anterior.
4. Pressione o botão. Em seguida, os parâmetros do grupo selecionado serão exibi-
dos no quadro pequeno de parâmetro.

5.10 Quadro de Data/Hora


O Quadro de Data/Hora deve ser utilizado para configurar, formatar e exibir a hora e a
data.
O capítulo 6, Configuração inicial, como inserir dados do paciente, apresenta os
procedimentos sobre o uso do menu para execução das funções descritas acima.

5.11 Quadros da barra de ferramentas


O grupo de quadros, juntamente com a parte inferior, oferece vários botões de
software que possibilitam o acesso a cinco grupos de função. Cada quadro é
identificado por um ícone que indica as funções acessadas. Os quadros e seus ícones
de identificação na figura 5-13 são mostrados na tabela 5-6. A tabela também inclui o
menu de primeiro nível exibido no quadro secundário quando o botão é selecionado
com o botão de navegação. Outros detalhes operacionais são apresentados nos
capítulos correspondentes.

5-19 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

Figura 5-13 Botões do quadro da barra de ferramentas da tela do


Vigilance II

Tabela 5-6 Botões da barra de ferramentas do Vigilance II


Nº. da
figura Nome do
no índice Ícone quadro Ilustrações e observações
1 Configurar

O quadro de configuração é utilizado para configurar o monitor


Vigilance II (consulte os capítulos 6, 12 e 13). O modo de demo* e o
registro de mensagens são protegidos por senha e não se destinam
ao uso geral.
2 Ajuda

Se uma única mensagem aparecer no quadro de mensagem,


selecione o quadro de ajuda fará com que sejam exibidas
informações para resolução de problema referente a essa
mensagem.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-20


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Tabela 5-6 Botões da barra de ferramentas do Vigilance II


Nº. da
figura Nome do
no índice Ícone quadro Ilustrações e observações
3 Principal

O botão Quadro principal possibilita o acesso rápido à configuração


da tela Principal no modo DCC. A configuração da tela de DCC
Principal apresenta a tela de tendência exibida no quadro gráfico no
formato de tela cheia.
4 Cheia/
Dividida

O botão Tela Cheia/Dividida é utilizado para alternar a tela entre a


exibição expandida ou reduzida do quadro gráfico no modo DCC.
Quando o quadro gráfico for dividido, aparecerá o quadro
secundário, conforme mostrado na ilustração. Esse quadro não se
encontra disponível no modo DCI.
5 Imprimir Quando a opção Imprimir quadro for selecionada na barra de
ferramentas, o monitor Vigilance II descarregará automaticamente a
tela para a impressora conectada. No caso de revisão de bolus,
revisão de eventos e registro de mensagens, a opção Imprimir
quadro imprimirá a tabela inteira. Se nenhuma impressora estiver
conectada, o ícone aparecerá desbotado e não será possível
selecionar o quadro. As impressões serão feitas apenas em preto e
branco. O capítulo 13, Transmissão e recepção de dados digitais,
apresenta outras informações sobre a impressora.

*O Modo de Demo permite que o operador configure o monitor Vigilance II


para fins de demonstração. O termo “MODO DE DEMO” aparecerá no quadro
de mensagens quando o monitor estiver nesse modo. O monitor não funcionará
nesse modo se um cabo de DCC de paciente ou um módulo óptico estiver
conectado.

5-21 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

ADVERTÊNCIA
Não utilize o Modo de Demo em um parâmetro de atendimento de pacientes
para evitar possível confusão de dados Demo com medidas reais do paciente.

5.12 Quadro secundário


O quadro secundário pode ser configurado para exibir os perfis cardíacos e de
oxigenação. No modo DCC, o quadro secundário pode exibir também:
• Caixas de leitura rápida (predefinido de fábrica)
• Gráfico diagnóstico
• Gráfico de relação de dados
Para acessar essas telas, é necessário configurar o quadro gráfico em tela
dividida. Para isso, selecione o ícone do quadro Tela cheia/dividida
localizado no quadro da barra de ferramentas.
No Modo DCI, o quadro secundário exibe uma Revisão de bolus.
O quadro secundário é também o local em que todos os menus são exibidos (os menus
sobreporão temporariamente o quadro selecionado pelo usuário até serem fechados).

5.12.1 Perfil cardíaco e de oxigenação


Os perfis cardíaco e de oxigenação são representações em forma de tabela que contêm
parâmetros cardíacos e de oxigenação medidos e derivados. Os perfis incluem os
valores e as unidades de medida de parâmetro. O usuário também pode editar o valor e
as unidades de medida para alguns parâmetros selecionados.
O capítulo 6 apresenta os detalhes das telas de perfil, Configuração inicial, como
inserir dados do paciente.

5.12.2 Caixas de Leitura Rápida


As Caixas de Leitura Rápida apresentam estimativas dos últimos 8 valores rápidos
(DCC/ICC, VDF/IVDF, FEVD, se essas opções estiverem configuradas nos quadros
grandes de parâmetro) no modo DCC.
Os capítulos 7 Modo de monitorização de DDC e 9 Modo de monitorização de VDFC
apresentam uma descrição detalhada das caixas de leitura rápida.

5.12.3 Gráfico Diagnóstico


O Gráfico Diagnóstico exibe duas curvas de diagnóstico que fornecem informações
específicas sobre o processo de produção do DCC.
O capítulo 7: Modo de monitorização de DCC, apresenta detalhes sobre o gráfico
diagnóstico.

5.12.4 Gráfico de Relação de Dados


O Gráfico de Relação de Dados é uma representação gráfica de um parâmetro em
comparação a outro parâmetro.
O capítulo 11, Gráfico de tendências, Gráfico instantâneo, Gráfico de relação de
dados e Modo Percorrer, apresenta informações sobre o uso do gráfico de relação de
dados.

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-22


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

5.12.5 Revisão de Bolus


A Revisão de Bolus é utilizada para rever vários valores médios históricos de DC e IC
bolus.
O Capítulo 8: Modo de monitorização de DCI, apresenta detalhes sobre a revisão de
bolus.

5.13 Quadro gráfico


O quadro gráfico (Tendência) apresenta os dados do paciente em formato gráfico. O
quadro gráfico pode ser configurado para exibir dois conjuntos diferentes de
informações no modo DCC:
• Gráfico Tendências (predefinido de fábrica)
• Gráfico Instantâneo
e dois conjuntos no modo DCI (bolus):
• Gráfico DCI (bolus) (predefinido de fábrica)
• Gráfico de Edição de Bolus

5.13.1 Gráfico Tendências


O Gráfico Tendências é uma representação gráfica dos dados do paciente mostrados
nos quatro quadros grandes de parâmetro.
O Capítulo 11: Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de
Dados e Modo Percorrer, apresenta informações sobre o uso do gráfico de tendências.

5.13.2 Gráfico Instantâneo


A tela Gráfico Instantâneo exibe uma representação gráfica dos valores das caixas de
leitura rápida e os valores de oximetria. As escalas e os alarmes são baseados na
configuração do gráfico de tendências. A escala de tempo é de aproximadamente 60
minutos.
Os valores de oximetria, DCC/ICC rápido, VDF/IVDF rápido e FEVD rápido são
codificados por cores para corresponder à cor de seus valores de tendência nos
quadros grandes de parâmetro.
O Capítulo 11: Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de
Dados e Modo Percorrer, apresenta informações sobre o uso do gráfico instantâneo.

5.13.3 Gráfico de DCI (bolus)


O Gráfico de DCI (bolus) apresenta a curva de termodiluição (por exemplo, alteração
de temperatura em relação a um período de tempo) como resultado de uma injeção em
bolus. O Capítulo 8: Modo de monitorização de DCI, apresenta detalhes sobre o
Gráfico de DCI (bolus).

5.14 Quadro de mensagem


O quadro de mensagem exibe mensagens para o usuário. As mensagens da primeira
linha se referem ao débito cardíaco e aos parâmetros associados. As mensagens da
segunda linha se referem à monitorização da oximetria.
As descrições de todas as mensagens exibidas que possam ser importantes para uma
função de monitorização são apresentadas no capítulo referente à função
correspondente e no Capítulo 14: Resolução de problemas.

5-23 Edwards Lifesciences 4/26/06


Telas, Controles, Alarmes e Indicadores Do Monitor

5.15 Função do teclado

5.15.1 Liga/Desliga
O botão de pressão LIGA/DESLIGA é utilizado para alterar o status de LIGAR para
EM ESPERA.

5.15.2 Iniciar/Interromper DC
O botão de pressão Iniciar/Interromper DC é usado para iniciar ou interromper o
processamento de dados de débito cardíaco nos modos DCI e DCC. Esse botão só
pode ser utilizado no modo DCC se ele estiver configurado em um dos quadros
grandes de parâmetro. Quando utilizado para interromper o processamento de dados
de DCC, o valor do DCC atual aparecerá em tamanho reduzido e um marcador de
tempo será mostrado no quadro para indicar a hora em que o valor exibido foi medido.
Para obter instruções detalhadas sobre o uso desse botão, consulte os capítulos 7 Modo
de monitorização de DCC e 8 Modo de monitorização de DCI.

5.15.3 Botão de Seleção do Modo DCC/DCI


O botão de Seleção do Modo DCC/DCI permite alternar entre os modos de
monitorização DCI e DCC. Se esse botão for pressionado no Modo DCC, o
processamento de DCC será interrompido.

5.15.4 Dados do Paciente


O botão Dados do Paciente permite que o operador acesse a tela Perfil Cardíaco. Se
esse botão for pressionado no Modo Percorrer, será exibida a tela Dados do paciente
contendo dados sobre a hora da posição do cursor.

5.15.5 Percorrer Tendência


O botão Percorrer Tendência ativará e desativará a função Percorrer no quadro gráfico
no modo DCC quando o gráfico de tendências for exibido. Consulte o capítulo 11,
Gráfico de Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo
Percorrer para obter mais informações sobre a função Percorrer.

5.15.6 Silenciar Alarme


O botão Silenciar Alarme desativa os alarmes técnicos indefinidamente e os alarmes
fisiológicos por dois minutos. Quando a causa do alarme for eliminada, será
necessário utilizar o botão outra vez para silenciar o alarme. Quando a função
Silenciar Alarme for ativada, um ícone de sino com uma barra simples aparecerá no
canto superior direito do quadro grande de parâmetro com um parâmetro de alarme
(consulte a seção 5.5.1.2 deste capítulo para obter detalhes sobre como ativar/
desativar o alarme).

4/26/06 Edwards Lifesciences 5-24


Capítulo 6
CONFIGURAÇÃO INICIAL, COMO INSERIR DADOS DO
PACIENTE

6.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2


6.2 Inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2
6.2.1 Telas iniciais e execução do autoteste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2
6.3 Inserção de informações do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
6.3.1 Inserção de dados sobre o paciente — Altura e peso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
6.3.2 Inserção de dados sobre o paciente — ASC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-6
6.4 Ajuste da data e hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
6.4.1 Acesso ao menu Quadro de Data/Hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
6.4.2 Seleção do formato da tela da hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
6.4.3 Seleção do formato da tela da data . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-8
6.4.4 Ajuste da data e hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-8
6.5 Seleção dos parâmetros do formato da tela. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-9
6.6 Parâmetros predefinidos do monitor Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-11
6.7 Atualização dos perfis cardíaco e de oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
6.7.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
6.7.2 Perfil cardíaco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
6.7.3 Perfil de oxigenação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-15
6.7.4 Opções adicionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-17
Figuras
Figura 6-1 Tela de inicialização do Vigilance II. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-2
Figura 6-2 Tela do perfil Apagar Dados do Paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3
Figura 6-3 Tela Informações sobre o paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Figura 6-4 Tela Informações sobre o paciente - ASC calculada com base em valores predefinidos de
altura e peso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-6
Figura 6-5 Tela do Menu Quadro de Data/Hora. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
Figura 6-6 Acesso ao Menu de opções dos parâmetros predefinidos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-11
Figura 6-7 Tela Perfil Cardíaco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-13
Figura 6-8 Seleção de um parâmetro do perfil cardíaco, exibição dos valores da caixa
instantânea . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-14
Figura 6-9 Acesso ao perfil de oxigenação no menu Perfil cardíaco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-15
Figura 6-10 Tela Perfil de Oxigenação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-16
Figura 6-11 Confirmação de alteraçãoes para ações de atualização dos
novos dados do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-18
Tabelas
Tabela 6-1 Processo de eliminação de dados do paciente do monitor Vigilance II. . . . . . . . . . . . . . 6-3
Tabela 6-2 Descrições das opções de formato de tela . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-9

6-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

6.1 Geral
Este capítulo apresenta os procedimentos necessários para a configuração inicial do
monitor Vigilance II antes do funcionamento normal. Este capítulo também apresenta
informações sobre as configurações necessárias para a utilização das funções do
monitor, como a inserção de dados sobre o paciente, o ajuste da data e hora e a
configuração do formato da tela.

6.2 Inicialização

6.2.1 Telas iniciais e execução do autoteste


Para começar o processo de inicialização do monitor, pressione o botão
LIGA/DESLIGA do teclado no canto superior direito do painel frontal.
O monitor Vigilance II exibirá a tela de inicialização, conforme mostrado
na figura 6-1, até a conclusão do autoteste de reinicialização.

Figura 6-1 Tela de inicialização do Vigilance II


Conforme o mostrado na ilustração, os itens a seguir são exibidos na tela:
• Logotipo da Edwards
• Nome do produto
• Indicador do andamento do autoteste
• Informações sobre Direitos autorais, e
• Versão do software

OBSERVAÇÃO
Se aparecer uma mensagem de erro durante o teste POST, desligue o
monitor e entre em contato com o representante local da Edwards
Lifesciences.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Após a conclusão da inicialização e se não houver dados do paciente com


menos de 8 horas, o monitor Vigilance II perguntará se os dados deverão ser
excluídos (veja a figura 6-2). Todos os dados serão excluídos automaticamente
se tiverem mais de oito horas, e o monitor exibirá a tela de Informações sobre o
paciente (veja a figura 6-3).

Figura 6-2 Tela do perfil Apagar Dados do Paciente


A tabela 6-1 apresenta uma lista de ações do monitor Vigilance II se a resposta para a
pergunta abaixo for Não ou Sim: Apagar os dados do perfil do paciente? conforme
mostrado na tela acima.
Tabla 6-1 Processo de eliminação dos dados do paciente do monitor Vigilance II
Se a opção SIM for selecionada, o monitor
Se a opção NÃO for selecionada, o monitor Vigilance II : Vigilance II :
• Ativará o registro anterior para continuação • Apagará os dados do paciente da memória
• Manterá os parâmetros do alarme e ativará/desativará o • Restaurará os limites de alarme aos valores
estado dos alarmes predefinidos
• Exibirá a configuração da tela como foi utilizada pela última • Ativará todos os alarmes
vez para esse paciente • Iniciará um novo registro do paciente
• Exibirá a tela Informações do paciente

Enquanto estiver em funcionamento, o monitor armazenará até 72 horas de


dados de tendência. Se a monitorização continuar por mais de 72 horas, os
dados mais recentes serão acrescentados nas tendências e o dados mais antigos
serão excluídos. O monitor armazenará as 72 horas de informações quando
houver corte de energia. Se a fonte de energia for restaurada imediatamente,
todas as informações serão retidas e exibidas. No entanto, a medida em que o
tempo passar, uma quantidade igual de dados será perdida (i.e., após 4 horas,
as últimas 4 horas de dados retidos serão perdidos). O monitor também
armazenará as seleções específicas feitas em relação ao gráfico, etc., assim
como os dados do paciente inseridos pelo usuário.

6-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

OBSERVAÇÃO
Se a energia for recuperada em 60 segundos, o monitor Vigilance II ten-
tará reiniciar o DCC e a oximetria, se estes estavam em execução durante
a queda de energia. Se o equipamento tiver sido configurado para VDF e
FEVD, a coleta de dados também será retomada.

6.3 Inserção de informações do paciente

Figura 6-3 Tela Informações sobre o paciente


São apresentados a seguir procedimentos detalhados para a inserção de novos
dados do paciente, começando com a tela exibida na Figura 6-3 acima.

OBSERVAÇÃO
Para exibir valores indexados, é necessário inserir a altura e o peso do
paciente.

6.3.1 Inserção de dados sobre o paciente — Altura e peso


O parâmetro Altura será destacado como a exibição predefinida (veja a figura 6-3).
É possível inserir informações do paciente para exibir valores indexados de duas
formas. Para que o monitor Vigilance II calcule a ASC, insira a altura e o peso do
paciente e siga as etapas 1 a 8 abaixo:
1. Pressione o botão de navegação. O destaque aparece em uma caixa do menu
instantâneo com a unidade de medida “pol.”

2. Gire o botão de navegação até destacar a unidade de medida desejada.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

3. Pressione o botão de navegação para selecionar a unidade de polegadas (por


exemplo). O destaque se deslocará para o campo do valor próximo à unidade de
medida selecionada no menu instantâneo.
4. Se o usuário girar o botão de navegação no sentido horário, o primeiro clique exi-
birá os valores predefinidos 60 pol e 152 cm.

5. Gire o botão de navegação no sentido horário para aumentar o valor ou no sentido


antihorário para diminuí-lo. As unidades padrão e internacionais serão alteradas
de forma correspondente. Pressione o botão giratório para confirmar o valor dese-
jado. Aparecerá o valor selecionado da altura e a unidade de medida (63 pol, por
exemplo).

6. Gire o botão de navegação para destacar Peso e repita as etapas descritas acima
para ajustar o peso do paciente. Os valores predefinidos do peso do paciente são
150 lbs e 68 kg.

OBSERVAÇÃO
Com os valores da altura e peso inseridos, o monitor Vigilance II calculará
e exibirão automaticamente o valor da ASC.

7. Gire o botão de navegação para destacar a opção Continuar.

6-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

8. Pressione o botão de navegação para exibir a tela Principal.

Figura 6-4 Tela Informações sobre o paciente - ASC calculada com


base nos valores predefinidos da altura e peso
O monitor Vigilance II utiliza a fórmula de Dubois para calcular a área de superfície
corporal. Se desejar utilizar outra fórmula, insira o valor da ASC diretamente, o que
permitirá manter consistência quando forem utilizados monitores à beira leito com
métodos diferentes de cálculo da ASC.
Se os valores de peso e altura forem definidos antes da inserção manual do valor da
ASC, o monitor Vigilance II removerá os valores de altura e peso inseridos
anteriormente. O valor da ASC inserido pelo operador será utilizado para calcular
valores indexados.
6.3.2 Inserção de dados sobre o paciente — ASC
Para inserir a ASC do paciente diretamente, siga as etapas abaixo:
1. Gire o botão de navegação para destacar o parâmetro ASC.
2. Pressione o botão de navegação. O destaque será deslocado para o campo do
valor.
3. Se o usuário girar o botão de navegação no sentido horário, o primeiro clique exi-
birá o valor predefinido 1,65 m2.
4. Gire o botão de navegação até que o valor da ASC (por exemplo, 1.20) seja visu-
alizado.
5. Pressione o botão giratório para confirmar o valor desejado.

6. Gire o botão de navegação para destacar Continuar.

7. Pressione o botão de navegação para exibir a tela Principal.


4/26/06 Edwards Lifesciences 6-6
Manual do Operador do Monitor Vigilance II

6.4 Ajuste da data e hora


6.4.1 Acesso ao menu Quadro de Data/Hora
O Menu Quadro de Data/Hora é utilizado para definir a data e a hora, e para selecionar
o formato de data e hora na tela. Para acessar o menu, destaque o Quadro de Data/
Hora na parte inferior da tela à esquerda do quadro pequeno de parâmetro do grupo
com o botão de navegação. Pressione o botão de navegação para selecionar o menu
Quadro de Data/Hora para a tela. Afigura 6-5 apresenta uma ilustração do menu.

Figura 6-5 Tela do Menu Quadro de Data/Hora

6.4.2 Seleção do formato da tela de hora


Para definir o formato de hora como 12 horas (por exemplo, 10:31:35 PM) ou como
24 horas (por exemplo, 22:31:35), siga as etapas abaixo:
1. Gire o botão de navegação para destacar Formato da hora.
2. Pressione o botão de navegação. As opções aparecerão no lado direito do menu. A
seleção atual será destacada.

3. Gire o botão de navegação para destacar a seleção desejada.


4. Pressione o botão para confirmar a seleção. O formato selecionado aparecerá no
lado esquerdo do menu e o Quadro de Data/Hora será atualizado para o formato
selecionado.

6-7 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

6.4.3 Seleção do formato da tela da data


Para definir o formato da data como MM/DD/AAAA (por exemplo, 12/4/2003) ou
como DD/MM/AAAA (por exemplo, 4.12.2003), siga as etapas abaixo:
1. Gire o botão de navegação para destacar Formato da data.
2. Pressione o botão de navegação. As opções aparecerão no lado direito do menu.
Aseleção atual será destacada.

3. Gire o botão de navegação para destacar a seleção.


4. Pressione o botão de navegação para confirmar a seleção. O formato selecionado
aparecerá no lado esquerdo do menu, e o Quadro de Data/Hora será atualizado
para o formato selecionado.

6.4.4 Ajuste da data e hora


1. Gire o botão de navegação para destacar Hora ou Data.
2. Pressione o botão de navegação. Os campos da hora ou data aparecerão no lado
direito do menu. O primeiro campo será delineado.

3. Gire o botão de navegação para delinear a parte da data ou hora a ser alterada.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-8


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

4. Pressione o botão para selecionar o campo. O campo será destacado.

5. Gire o botão no sentido horário para aumentar o valor no campo para a data ou
hora, e no sentido anti-horário para diminuí-lo.
6. Pressione o botão para confirmar a seleção.
7. Repita essas etapas para os campos de data e hora restantes, incluindo AM e PM.
8. Para confirmar as seleções, gire o botão para a identificação Retornar abaixo da
data ou hora e pressione o botão de navegação. O Quadro de Data/Hora será
atualizado para a nova data e hora.
9. Para excluir as seleções, gire o botão para a identificação Cancelar abaixo da data
ou hora e pressione o botão de navegação. Todos os campos voltarão para os
valores anteriores.
Para fechar o Menu Quadro de Data/Hora, gire o botão de navegação para a
identificação Retornar e pressione o botão.

6.5 Seleção dos parâmetros do formato da tela


O menu Formato da Tela permite que o usuário modifique as opções relacionadas à
exibição. Atabela 6-2 apresenta uma lista de opções que podem ser configuradas e
suas descrições.

Tabla 6-2 Descrições de opção Formato da Tela


Função Opções Descrição
Idioma Inglês (EUA), Inglês (Reino Unido), Francês, Define o idioma para todo o texto exibido
Alemão Italiano, Espanhol, Sueco, e configura o formato da hora e da data e
Dinamarquês, Holandês, Japonês, Chinês, as unidades de parâmetro.
Português
Unidades de Celsius ou Fahrenheit Define as unidades utilizadas para
temperatura exibição da temperatura.
Unidades Sim (para unidades internacionais) Define a medida unidades utilizadas
internacionais Não (para unidades não internacionais) para exibição dos valores de parâmetro.
Volume do alarme Escala deslizante: de 45 dB(A) a 85 dB(A) Define o nível de decibéis para todos os
sons.
Desativar alarme Ativar ou desativar Define se um alarme será emitido
quando o equipamento for desligado.
Dia/Noite Dia ou noite Define a configuração da cor do segundo
e primeiro planos da tela do monitor
Vigilance II.

6-9 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

Para acessar o menu Formato da Tela, utilize o ícone Quadro de


configuração no quadro da barra de ferramentas na parte inferior da tela.
Em seguida, utilize o botão de navegação (Gire e pressione). O seguinte
Menu Configuração aparecerá no quadro secundário.

1. Gire o botão de navegação para destacar Formato da Tela.


2. Pressione o botão de navegação. O menu Formato da tela a seguir aparecerá no
Quadro secundário.

3. Gire o botão de navegação para destacar o recurso desejado da tela. (por exemplo,
Unidades de Temperatura).
4. Pressione o botão de navegação para acessar as opções de configuração no lado
direito da tela Formato da tela.

5. Gire o botão de navegação para selecionar o formato desejado.


6. Pressione o botão para confirmar a seleção.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-10


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

7. Repita as etapas 3 a 6 para todos os outros recursos da tela necessários.


Para fechar os menus Formato da Tela e Configurar, gire o botão de navegação para
destacar Retornar e pressione o botão.

6.6 Parâmetros predefinidos do monitor Vigilance II


A função Parâmetros Predefinidos restaura todos os parâmetros de configuração do
monitor Vigilance II para os valores predefinidos.
Para restaurar os valores predefinidos do monitor Vigilance II, siga as etapas abaixo:
1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone Configurar no quadro
da barra de ferramentas na parte inferior da tela.
2. Pressione o botão de navegação. O menu de configuração aparecerá no
Quadro secundário.
3. Gire o botão de navegação para destacar Parâmetros Predefinidos.
4. Pressione o botão. O menu Parâmetros predefinidos substituirá o menu
Configurar no quadro secundário.

5. Gire o botão de navegação para destacar a opção Sim.


6. Pressione o botão de navegação.

Figura 6-6 Acesso ao menu de opções de parâmetros predefinidos

6-11 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

7. Desligue o monitor Vigilance II para restaurar as configurações predefinidas.

OBSERVAÇÃO
Se a opção Não for selecionada, o monitor retornará para o menu de con-
figuração sem restaurar a configuração para os valores predefinidos.

6.7 Atualização dos perfis Cardíaco e de Oxigenação


6.7.1 Geral
O operador poderá acessar outros dados do paciente, utilizando o botão do teclado
Dados do Paciente no lado direito do painel frontal do monitor Vigilance II. A tela
contém as unidades de medida de cada parâmetro.
Os itens de dados são agrupados como perfil cardíaco e de oxigenação do paciente.
Alguns valores de dados podem ser modificados por dados inseridos pelo operador ou
apresentados como entradas analógicas “enviadas” ao monitor, como PAM, PVC,
SaO2, e FCméd. No entanto, outros dados são valores derivados e não podem ser
modificados pelo operador.

6.7.2 Perfil cardíaco


O perfil cardíaco exibe uma lista de parâmetros medidos e derivados do paciente, seus
valores e as unidades de medida. Existem três formas diferentes para visualizar os
valores de parâmetro do Perfil Cardíaco:
• Se o modo de monitorização Normal estiver ativo, os valores medidos, calculados
e enviados mais recentemente serão utilizados para os cálculos do perfil cardíaco.
Os valores de data e hora serão atualizados de maneira correspondente.
• Se o Modo Percorrer estiver ativo, a posição da data e hora do cursor no quadro
gráfico determinará a data e hora dos valores inseridos para a tela Perfil Cardíaco.
• Se a data e hora forem modificadas na tela Perfil Cardíaco ou Perfil de Oxi-
genação, essa data e hora serão utilizadas para determinar os valores a serem exi-
bidos na tela Perfil cardíaco.
Para acessar o perfil cardíaco do paciente:
1. Pressione o botão Dados do paciente.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-12


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

O perfil cardíaco do paciente aparecerá no quadro secundário (veja a figura 6-7).

Figura 6-7 Tela Perfil Cardíaco


2. Para editar um valor de parâmetro, gire o botão de navegação para destacar um
parâmetro que pode ser modificado. Os parâmetros que podem ser modificados
são:

DCC ou DC POAP
ICC ou IC FCméd
PAM Altura
PAPM Peso
PVC ASC

(Não será possível destacar nenhum dos parâmetros não modificáveis.)

OBSERVAÇÃO
Se os valores de altura, peso, ASC, PAPM ou POAP estiverem editados,
serão recalculados todos os valores de parâmetros atuais correlaciona-
dos exibidos, apresentados em gráfico ou traçados no monitor.

3. Pressione o botão de navegação para acessar a caixa do menu instantâneo desse


valor de parâmetro.

O exemplo mostra a seleção do parâmetro de PAPM e o layout da caixa


instantânea. Observe que as unidades de medida não internacionais e internacio-
nais (métricas) são exibidas.

6-13 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

Figura 6-8 Seleção de um parâmetro de perfil cardíaco, exibição dos


valores da caixa instantânea
4. Gire e pressione o botão de navegação para destacar e selecionar a unidade de
medida desejada para modificar o valor.
Para apagar o valor, gire o botão de navegação um nível além do menor valor no
intervalo disponível.
Ao concluir as modificações, feche a tela, mas mantenha o perfil cardíaco
exibido, selecione a opção Sair, girando e pressionando o botão de navegação.

OBSERVAÇÃO
Não insira o valor 0 para limpar o valor. O valor zero (0) será utilizado nos
cálculos de parâmetros derivados, mas os valores excluídos não serão uti-
lizados. Quando os dados do campo forem apagados, os parâmetros deri-
vados serão calculados com a utilização de dados contínuos ou enviados
ao monitor.
OBSERVAÇÃO
Um asterisco (*) denota valores de parâmetro inseridos manualmente pelo
usuário se esses parâmetros puderem ser medidos ou enviados continua-
mente de uma fonte externa.
OBSERVAÇÃO
Se o valor da FCméd for modificado, os valores dos parâmetros VDF,
IVDF, VSF, IVSF e FEVD ficarão em branco.
OBSERVAÇÃO
Só é possível acessar o perfil de oxigenação através do menu Perfil
Cardíaco.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-14


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

6.7.3 Perfil de Oxigenação


O perfil de oxigenação exibe uma lista de parâmetros medidos e derivados do
paciente, seus valores e as unidades de medida. Existem três formas diferentes para
visualizar os valores de parâmetro do Perfil de Oxigenação:
• Se o modo de monitorização Normal estiver ativo, os valores medidos, calculados
e enviados mais recentemente serão utilizados para os cálculos do perfil de oxi-
genação. Os valores de data e hora serão atualizados de maneira correspondente.
• Se o Modo Percorrer estiver ativo, a posição da data e hora do cursor no gráfico
determinará a data e hora dos valores inseridos para a tela Perfil de Oxigenação.
• Se a data e hora forem modificadas na tela Perfil de Oxigenação ou Perfil
Cardíaco, essa data e hora serão utilizadas para determinar os valores a
serem exibidos na tela Perfil de Oxigenação.

OBSERVAÇÃO
Os parâmetros derivados na tela Perfil de Oxigenação são calculados
através de equações padrão que utilizam saturação venosa mista de
oxigênio como valor de oximetria.

Acesso e modificação do perfil de oxigenação do paciente:


1. Gire o botão de navegação para destacar a identificação Perfil de Oxigenação no
menu Perfil Cardíaco (veja a Figura 6-9).

Figura 6-9 Acesso ao Perfil de Oxigenação no menu Perfil Cardíaco

6-15 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

2. Pressione o botão de navegação. O perfil de oxigenação será exibido (Figura 6-


10), indicando a data e hora dos valores mostrados.

Figura 6-10 Tela Perfil de Oxigenação

OBSERVAÇÃO
A identificação de oximetria dentro do Perfil de Oxigenação exibirá SvO2
ou ScvO2 dependendo do parâmetro que estiver configurado no Quadro
grande de parâmetro. Se um parâmetro de oximetria não estiver
configurado, será exibido o valor predefinido, isto é, SvO2.

Os valores de parâmetros de oxigenação que podem ser modificados são:


DCC ou DC SaO2
SvO2 ou ScvO2 PvO2
SvO2 PaO2
ICC o IC FiO2
Hb
(Não será possível destacar nenhum dos valores de parâmetros não modificáveis.)
A modificação de um valor do perfil de oxigenação é feita da mesma forma que a
modificação do valor do perfil cardíaco descrito anteriormente.
Ao concluir as modificações, feche a tela, mas mantenha o perfil de oxigenação
exibido, selecione a opção Sair, girando e pressionando o botão de navegação.
Para remover a tela Dados do Paciente e voltar para a configuração da tela
anterior, pressione o botão de teclado Dados do Paciente.

OBSERVAÇÃO
Se os valores de PvO2, PaO2 ou FiO2 estiverem editados, serão recalcu-
lados todos os valores de parâmetros atuais correlacionados exibidos,
apresentados em gráfico ou traçados no monitor.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-16


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

6.7.4 Opções adicionais


Seleção da opção Atual:
Ao selecionar a opção Atual, o perfil cardíaco ou de oxigenação será exibido para ser
atualizado de acordo com os dados do paciente da hora atual. Todos os valores de
parâmetro editados permanecerão inalterados.
Seleção da opção Hora:
Se selecionar a opção Hora, o operador poderá escolher uma data e hora no passado e
exibir os dados do perfil cardíaco ou de oxigenação referente a essa data ou hora. Para
definir a hora como um perfil passado:
1. Gire o botão de navegação para destacar Hora.
2. Pressione o botão. O quadro gráfico será ajustado para centralizar os dados da
hora indicada no campo Hora.
3. Gire o botão para alterar a hora em incrementos de 1 minuto. O quadro gráfico
será percorrido para manter a hora centralizada no gráfico. Adata será atualizada
se um limite de dia for passado no campo da hora.
4. Pressione o botão ao atingir a hora desejada. O quadro gráfico retornará para a
hora atual e o perfil cardíaco ou de oxigenação exibido será atualizado de acordo
com os dados do paciente da hora selecionada. Todos os valores de parâmetro edi-
tados permanecerão inalterados.
Seleção da opção Novo Paciente:
Se selecionar a opção Novo Paciente, o operador poderá apagar todos os dados de
parâmetro do banco de dados do paciente, restaurar os limites de alarme aos seus
valores predefinidos para todos os parâmetros de tendência, ativar todos os alarmes e
remover os asteriscos dos parâmetros do paciente editados nas telas de dados do
paciente (perfis cardíaco e de oxigenação). Além disso, o quadro gráfico, os quadros
grandes e pequenos de parâmetro, as caixas de leitura rápida, serão atualizados.
Para selecionar Novo paciente no perfil cardíaco ou de oxigenação:
1. Gire o botão de navegação para destacar Novo paciente.
2. Pressione o botão. As opções Sim/Não aparecerão com a opção Não destacada.
3. Gire o botão para destacar Sim ou Não.
4. Pressione o botão para confirmar a seleção.

Se a opção Não for selecionada, o processo do novo paciente será cancelado.

Se a opção Sim for selecionada, o monitor Vigilance II solicitará que o operador


confirme a seleção. Pressione o botão para confirmar (veja a Figura 6-12).

6-17 Edwards Lifesciences 4/26/06


Configuração inicial, como inserir dados do paciente

Figura 6-11 Confirmação de alteraçãoes para ações de atualização dos


novos dados do paciente
5. A tela voltará para o perfil do paciente anterior. Para sair do perfil do paciente,
gire o botão de navegação para destacar Sair e pressione o botão.

4/26/06 Edwards Lifesciences 6-18


Capítulo 7
MODO DE MONITORIZAÇÃO DE DCC

7.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-2


7.2 Configuração do equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3
7.3 Execução do processo de monitorização de DCC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-4
7.3.1 Início do processo de monitorização. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-4
7.3.2 Condições do sinal térmico durante a monitorização de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-5
7.3.3 Caixas de Leitura Rápida DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
7.3.4 Gráfico diagnóstico - Modo DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-7
7.4 DCC/ICC Mensagens para resolução de problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-7
7.4.1 Como acessar a Ajuda para DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-8
7.4.2 Acesso a informações da mensagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-10
7.4.3 Acesso à ajuda gráfica. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-11
7.4.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.5 Como mudar para o Modo DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.6 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.7 Listas de mensagens de DCC e ICC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12
7.4.7.1 Erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-13
7.4.7.2 Alertas . . . . 7-13
7.4.7.3 Resolução de Problemas Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-13

Figuras
Figura 7-1 Tela típica de monitorização de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-2
Figura 7-2 Conectores do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3
Figura 7-3 Conectores de Débito Cardíaco e de SvO2 do painel frontal do monitor Vigilance II . . 7-4
Figura 7-4 Configuração do quadro grande com a monitorização interrompida . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
Figura 7-5 Gráfico de tendências com uma lacuna referente aos dados faltantes . . . . . . . . . . . . . . 7-6
Figura 7-6 Tela Caixas de Leitura Rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-7
Figura 7-7 Menu da Tela Ajuda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-8
Figura 7-8 Menu da Tela de Ajuda de DC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-9
Figura 7-9 Duas páginas de mensagens de erro de DCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-10
Figura 7-10 Tela Ajuda de DCC: Erros, Verificar Posicionamento do Filamento Térmico . . . . . . 7-11
Figura 7-11 Ajuda gráfica para a ação sugerida para a resolução de problemas em resposta à
mensagem de erro Verificar posicionamento do filamento térmico . . . . . . . . . . . . . . . 7-12

7-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCC

7.1 Geral
No modo de monitorização de DCC, o monitor Vigilance II exibe continuamente
medidas de débito cardíaco. O DCC, um valor médio referente a um período, é
mostrado em valores numéricos no Quadro grande de parâmetros no lado direito da
tela e na forma de tendência gráfica em relação ao período no quadro gráfico (veja a
Figura 7-1).
Além disso, estimativas dos valores de DCC são calculadas e mostradas nas caixas de
leitura rápida em intervalos de 60 segundos. Esses valores também podem ser
mostrados em um gráfico instantâneo.
Todas as medidas de DCC e todos os dados gráficos são exibidos em amarelo. A
configuração predefinida para o valor de DCC é o quadro grande de parâmetro 2, mas
o operador pode configurá- lo para que apareça em qualquer um dos quatro quadros
grandes de parâmetro modo DCC (consulte Capítulo 5 para obter informações sobre
como configurar os quadros grandes de parâmetro).

Figura 7-1 Tela típica de monitorização de DCC

OBSERVAÇÃO
Quando o DCC não estiver configurado para um dos quadros grandes de
parâmetro, o DCC será removido do quadro gráfico, das caixas de leitura
rápida e do gráfico instantâneo, e todos os parâmetros do coração direito
ficarão indisponíveis. A seguinte mensagem de erro aparecerá na tela de
mensagens: “DCC não configurado - Monitorização de Dados Coração
Direito não Disponível.”

O DCC é expresso em litros/minuto (l/min), e o ICC é expresso em litros/minuto/área


de superfície corporal (l/min/m2).
Quando um valor medido de DCC for mostrado em números grandes, o valor
indexado, ICC, será mostrado em números menores no canto inferior direito desse
quadro.

4/26/06 Edwards Lifesciences 7-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Quando o ICC for o parâmetro selecionado, o valor do ICC aparecerá em


números grandes, e o DCC será mostrado em números menores no canto
inferior direito do quadro.
OBSERVAÇÃO
Se o valor da área de superfície corporal não tiver sido inserido ou calcu-
lado (com base na altura e no peso), todos os valores indexados como o de
ICC ficarão em branco.

7.2 Configuração do equipamento


Esta seção apresenta informações sobre como conectar os cabos no monitor
Vigilance II e sobre o cateter de DCC da Edwards para monitorização de DCC.
Conexão do cabo de DCC de paciente:

ADVERTÊNCIA
Consulte as instruções de uso fornecidas com cada cateter para obter instruções
específicas sobre colocação e uso, e sobre ADVERTÊNCIAS , PRECAUÇÕES,
e ESPECIFICAÇÕES importantes.
ADVERTÊNCIA
Não utilize catéteres danificados ou com contatos elétricos expostos.

ADVERTÊNCIA
Não utilize catéteres que tenham sido usados anteriormente.

OBSERVAÇÃO
A Opção Teste do Cabo de DCC do paciente no menu de configuração per-
mite verificar a integridade do cabo de DCC do paciente. O operador
poderá fazer essa verificação antes de usar o equipamento pela primeira
vez ou depois, como parte de um procedimento de Resolução de proble-
mas. As instruções para a verificação dos cabos são apresentadas no
capítulo 14, Resolução de problemas.

A Figura 7-2 identifica os quatro conectores de um cabo de DCC de paciente


utilizados no monitor Vigilance II.

Figura 7-2 Conectores do cabo de DCC do paciente


1. Conecte a ponta do cateter do cabo de DCC de paciente no termistor e nos conec-
tores do filamento térmico no cateter de DCC da Edwards.

7-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCC

2. Conecte o cabo de DCC de paciente no conector de débito cardíaco no


painel frontal do monitor Vigilance II identificado pelo símbolo mostrado
na Figura 7-3.

Figura 7-3 Conectores de Débito Cardíaco e de SvO2 do painel frontal


do monitor Vigilance II
3. Verifique se o cateter de DCC da Edwards foi corretamente inserido no
paciente.

PRECAUÇÃO
Antes de inserir o cateter, consulte as instruções de uso fornecidas com cada
cateter para obter instruções e informações sobre advertências, precauções e
especificações.

7.3 Execução do processo de monitorização de DCC

ADVERTÊNCIA
A monitorização de DCC deve ser descontinuada quando o fluxo de sangue ao
redor do filamento térmico for interrompido. As situações clínicas nas quais a
monitorização de DCC deverá ser interrompida incluem, mas não se limitam a:
• Períodos de tempo quando o paciente estiver com bypass cardiopulmonar,
• Retirada parcial do cateter, de maneira que o termistor não esteja na artéria
pulmonar, ou
• Remoção do cateter do paciente.

7.3.1 Início do processo de monitorização


Quando o sistema estiver corretamente conectado, a mensagem a seguir será mostrada
no quadro de mensagens:
“Pressione a tecla iniciar para começar a monitorização do DCC”
A tecla de Iniciar/Parar DC está localizada no lado direito do painel frontal
do monitor Vigilance II. Sempre que o DCC for iniciado, a mensagem
“Coletando dados de débito cardíaco contínuo...” será mostrada na
parte inferior do quadro de gráfico até que o primeiro ponto seja traçado na
tela. Após cerca de 3 a 6 minutos, quando dados suficientes tiverem sido obtidos, um
valor de DCC aparecerá no quando grande de parâmetro.
Dados de DCC também serão representados no quadro de gráfico. Um círculo
amarelo piscante “ “ indica o valor mais recente de DCC. Os pontos de dados
mais recentes aparecem no lado direito do gráfico. À medida que novos valores
DCC tornarem-se disponíveis, os valores do quadro grande de parâmetro serão
atualizados (aproximadamente a cada 60 segundos) e um novo ponto será
traçado no gráfico.

4/26/06 Edwards Lifesciences 7-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

OBSERVAÇÃO
Nenhum valor de DCC ou ICC será mostrado no quadro grande de
parâmetro ou como tendência no quadro gráfico até que valores médios
referentes a um período estejam disponíveis.

Em algumas situações, nas quais as condições do paciente criarem grandes alterações


na temperatura do sangue da artéria pulmonar por vários minutos, o monitor poderá
levar mais de 6 minutos para obter uma medida inicial de DCC. Nesses casos, a
seguinte mensagem de alerta aparecerá 6 minutos após o início do monitorização:
ALERTA DCC: Adaptação do sinal — Continuando
Se a condição de alerta não desaparecer em 9 minutos (total de 15 minutos após o
início da monitorização), a seguinte mensagem aparecerá:
ALERTA DCC: Temperatura Sangüínea Instável — Continuando
Nos dois casos, o monitor continuará funcionando e nenhuma ação será necessária.
Quando forem obtidas medidas de DCC, a mensagem de alerta será removida e o
valor atual de DCC será mostrado e traçado no gráfico.
Nos casos em que a medida de DCC demorar mais de 30 minutos para ser obtida após
o início da monitorização, a seguinte mensagem aparecerá e a monitorização de DCC
será encerrada:
ERRO DCC: Perda Sinal Térmico
Essa condição pode causar a migração da ponta do cateter para um vaso pequeno
impedindo que o termistor detecte o sinal térmico com precisão. Verifique a posição
do cateter e, se necessário, reposicione-o. Depois de verificar as condições do paciente
e a posição do cateter, a monitorização de DCC poderá ser reiniciada. Para isso
pressione a tecla Iniciar/Parar.

7.3.2 Condições do sinal térmico durante a monitorização de DCC


Quando a monitorização de DCC estiver em execução, poderá ocorrer atrasos na
atualização da medida de DCC devido à temperatura sangüínea instável da artéria
pulmonar. Se o valor de DCC não for atualizado por 6 minutos, a seguinte mensagem
aparecerá:
ALERTA DCC: Temperatura Sangüínea Instável — Continuando
O último valor de DCC e a hora da medida serão mostrados no lugar do valor de DDC
digital grande no lado superior direito do quadro grande de parâmetro. Não há
necessidade de intervenção do operador. Quando houver dados suficientes
disponíveis, o valor de DCC será mostrado novamente. Se a condição acima não
desaparecer em 14 minutos (total de 20 minutos a partir da hora da última atualização
do valor de DCC), a seguinte mensagem aparecerá e a monitorização de DCC será
interrompida:
ERRO DCC: Perda Sinal Térmico
Essa condição pode causar a migração da ponta do cateter para um vaso pequeno
impedindo que o termistor detecte o sinal térmico com precisão. O operador deve
verificar a posição do cateter e, se necessário, reposicioná-lo. Depois de verificar as
condições do paciente e a posição do cateter, a monitorização de DCC poderá ser
reiniciada. Para isso pressione a tecla Iniciar/Parar.
Se ocorrer um erro ou se a monitorização for interrompida com o uso da tecla Iniciar/
Parar, o tamanho do valor numérico grande de DCC será reduzido e um marcador de

7-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCC

tempo será colocado embaixo do valor e mostrará a hora de realização da última


medida de DCC (Figura 7-4).

Figura 7-4 Configuração do quadro grande com a monitorização


interrompida
Se o monitorização de DCC for reiniciada, aparecerá uma lacuna no gráfico de
tendência indicando o período no qual a monitorização contínua foi interrompida.

Figura 7-5 Gráfico de tendências com uma lacuna referente aos dados
faltantes

7.3.3 Caixas de Leitura Rápida DCC


Um sinal térmico hemodinamicamente instável poderá fazer com que ocorra atraso na
exibição dos valores de DCC e ICC no monitor Vigilance II após o início do DCC. O
médico poderá utilizar a tela instantânea no quadro secundário que apresenta
estimativas rápidas de valores DCC e ICC atualizados aproximadamente a cada 60
segundos.
A estimativa rápida mais recente será mostrada no lado direito do quadro secundário
na caixa de leitura rápida com um marcador de tempo sobre a caixa. À medida que os
novos valores rápidos forem atualizados, os valores anteriores se deslocarão para a
esquerda e serão acompanhados pela duração do tempo que passou desde que esse
valor e o mais atual foram mostrados pela primeira vez. Os períodos de tempo
decorridos para esses valores são mostrados entre parênteses sobre as caixas de leitura
rápida.

4/26/06 Edwards Lifesciences 7-6


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Um temporizador de contagem regressiva na parte superior direita do quadro


secundário mostra quando a próxima estimativa de DCC/ICC rápida é esperada (em
minutos e segundos).

Figura 7-6 Tela Caixas de Leitura Rápida

OBSERVAÇÃO
Se o valor rápido estimado para um DCC/ICC não estiver indisponível, um
quadro em branco será mostrado. Se o valor rápido estiver fora intervalo,
traços (“- - -”) serão mostrados na caixa de leitura rápida.
OBSERVAÇÃO
Pressione a tecla Dados do paciente para visualizar a tela Perfil Cardíaco
do paciente. Os dados rápidos podem ser inserido manualmente nessa
área.

7.3.4 Gráfico diagnóstico - Modo DCC


O Gráfico Diagnóstico, que pode ser acessado no menu Quadro Secundário, fornece:
• Um gráfico de diagnóstico de curvas de DCC que fornece informações específicas
sobre o processo de produção de DCC. As duas curvas representam o dado de
tempo médio dos dados de SNR (relação sinal/ruído). A curva mais escura é rep-
resentação real dos dados do paciente para cálculo de DCC. A curva mais clara é a
curva ideal calculada que representa uma boa relação sinal/ruído. As curvas
deverão ser quase sobrepostas quando o sinal for adequado. As curvas são atual-
izadas aproximadamente a cada 60 segundos.
• O valor atual de DCC Rap ou ICC Rap.
• TS - Temperatura da Superfície do filamento térmico.
• SNR - A relação sinal/ruído indicando o nível de ruído térmico ocorrido a cada
atualização de DCC. A faixa de SNR é de -10 a +20 decibéis (dB).

7.4 DCC/ICC Mensagens para resolução de problemas


Erros de DCC/ICC e mensagens de alerta são mostrados no quadro de mensagens do
monitor Vigilance II. Dependendo da situação, a mensagem pode indicar:
• Um erro que requer intervenção imediata do operador para retomar a monitoriza-
ção de DCC. Se um erro causar a interrupção do processamento de DCC, a mensa-
gem de erro será acompanhada por dois bipes rápidos que continuarão sendo
emitidos até que sejam silenciados pelo operador (com o botão do teclado silen-
ciar alarme) ou que a condição seja resolvida. Em muitos casos, as condições de

7-7 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCC

erro que impeçam a monitorização de DCC não impedirão a monitorização de


DCI (bolus) ou de oximetria.
• Um alerta, para ajudar a obter ajuda para qualificar os resultados da medida. Essas
mensagens podem aparecer na tela sem notificação sonora. Se o alerta causar a
interrupção do processamento de DCC, a mensagem de erro será acompanha por
dois bipes rápidos que continuarão sendo emitidos até que sejam silenciados pelo
operador (com o botão do teclado silenciar alarme) ou que a condição seja
resolvida. Em muitos casos, não será necessária nenhuma ação corretiva quando
uma mensagem de alerta for mostrada.

O monitor Vigilance II oferece um menu de ajuda para obter detalhes dos eventos que
produzem as mensagens, sua possível causa, e sugestões de medidas corretivas para
resolver o problema e retomar o monitorização.
São apresentadas a seguir informações passo a passo sobre processo para acessar a
função Ajuda para uma das mensagens possíveis. Uma tabela é fornecida no final
deste capítulo com um lista de todas as mensagens referentes à monitorização de DCC
ou ICC.

7.4.1 Como acessar a ajuda para DCC


1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone da Ajuda no quadro
da barra de ferramentas.
2. Pressione o botão. A Tela Ajuda aparecerá no quadro
secundário. A Figura 7-7 mostra uma parte dessa tela.

OBSERVAÇÃO
O menu da Tela de Ajuda fornece a opção de seleção de ajuda relacionada
a qualquer um dos modos de monitorização de parâmetros do Vigilance II
listados no lado esquerdo da tela.

Figura 7-7 Menu da Tela Ajuda


3. Gire o botão para destacar DCC.

4/26/06 Edwards Lifesciences 7-8


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

4. Pressione o botão. O menu da tela de Ajuda de DCC aparecerá no quadro


secundário (Figura 7-8).

Figura 7-8 Menu da Tela de Ajuda de DCC


A Tela de Ajuda de DCC fornece ajuda para mensagens de erro e de alerta.
Além disso, o menu possui uma opção de acesso a informações gerais para
Resolução de problemas.

OBSERVAÇÃO
A Figura 7-8 inclui uma categoria de “Advertências” em cinza. Isso significa
que a versão instalada do software não inclui mensagens de advertência
que possam ser mostradas durante o processo de monitorização de DCC.

5. Gire o botão de navegação para destacar a categoria Erros ou Alertas.


6. Pressione o botão. Será mostrada uma lista de todas as mensagens para a catego-
ria em questão.
O número de possíveis mensagens pode ser maior do que o mostrado em uma área do
quadro secundário. Se a mensagem mostrada não estiver na primeira “página” desse
menu, selecione Página seguinte para exibir a segunda página. As telas da primeira e
segunda páginas das mensagens de erro de DCC são mostradas na Figura 7-9.

7-9 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCC

Figura 7-9 Duas páginas de mensagens de erro de DCC

7.4.2 Acesso a informações da mensagem


Para obter informações sobre uma determinada mensagem, siga as etapas do exemplo
abaixo:
Na primeira página da tela de Mensagens de Erro de DCC,
1. Gire o botão de navegação para destacar a mensagem Verificar Posicionamento
do Filamento Térmico.
2. Pressione o botão.
O quadro secundário apresentará informações referentes à possível causa para a
mensagem e sugerirá ações que deverão ser executadas pelo operador para
resolver o problema e retomar o monitorização normal de DCC (Figura 7-10).
Conforme o mostrado na exibição de duas páginas da Tela de Ajuda de DCC: Erros,
Mensagem de Verificar Posicionamento do Filamento Térmico, na Figura 7-10, uma
ajuda gráfica encontra-se disponível para a resolução de problemas. Se a ajuda gráfica
não estiver disponível, a opção “Gráfico” deverá aparecer em cinza e não poderá ser
destacada.

4/26/06 Edwards Lifesciences 7-10


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

OBSERVAÇÃO
Se um erro ou mensagem de alerta for mostrada no quadro de
mensagens, selecione o ícone da Ajuda para visualizar a possível
causa e a ação sugerida especificamente para essa mensagem.

Figura 7-10 Tela de Ajuda de DCC: Erros, Verificar Posicionamento do


Filamento Térmico

7.4.3 Acesso à ajuda gráfica


Para acessar a ajuda gráfica:
1. Gire o botão de navegação para destacar Gráfico.
2. Pressione o botão.
A ajuda gráfica aparecerá no quadro secundário (Figura 7-11).

7-11 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCC

Figura 7-11 Ajuda gráfica para a ação sugerida para a resolução de problemas
em resposta à Mensagem de erro “Verificar Posicionamento do Filamento
Térmico”

7.4.4 Retornar, Sair


Em todas as telas de menu, duas opções normalmente aparecem: Retornar e Sair.
Utilize o botão de navegação para destacar e selecionar Retornar para a voltar para a
tela anterior. Selecione Sair para sair da tela de ajuda e voltar para a tela de
monitorização anterior.

7.4.5 Como mudar para o Modo DCI (bolus)


Quando as tentativas para restaurar o modo de monitorização DCC
falharem, e o modo de monitorização de DCI (Bolus) estiver disponível,
utilize o botão de navegação para sair das telas de ajuda. Em seguida,
simplesmente pressione o botão do teclado Selecionar Modo DCC/DCI para mudar
para o modo DCI no painel frontal do monitor Vigilance II.
Consulte o capítulo 8, Modo de monitorização de DCI, para obter informações sobre
esse modo de monitorização do Vigilance II.

7.4.6 Teste do cabo de DCC do paciente


O teste do cabo de DCC do paciente permite que o usuário verifique integridade do
cabo de DCC do paciente. Instruções detalhadas sobre essa opção são apresentadas no
capítulo 14, Resolução de Problemas.

7.4.7 Listas de mensagens de DCC e ICC


A lista de mensagens de ICC e DCC é apresentada abaixo. Informações mais
detalhadas sobre cada mensagem, incluindo as possíveis causas para produção das
mesmas e as ações sugeridas para o operador, são fornecidas no capítulo 14,
Resolução de Problemas.

4/26/06 Edwards Lifesciences 7-12


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

7.4.7.1 Erros
• Temperatura sangüínea fora do intervalo (<31°C ou >41°C)
• DCC não configurado - Monitorização de dados coração direito não disponível
• Memória do cateter, utilize modo bolus
• Verifique o cateter, utilize modo bolus
• DCC não disponível, utilize modo bolus
• Filamento térmico, utilize modo bolus
• Verifique a conexão do cateter e do cabo do paciente
• Verificar conexão do filamento térmico
• Verificar posicionamento do filamento térmico
• Verificar conexão do termistor
• Débito cardíaco <1,0 l/min
• Placa não responde
• Processador de sinal, use modo bolus
• Elemento térmico, utilize modo bolus
• Perda Sinal Térmico

7.4.7.2 Alertas
• Adaptação do sinal - Continuando
• Temperatura sanguínea instável - Continuando
• VS: Perda de sinal da freqüência cardíaca
• RVS: Perda do sinal da conexão das pressões enviadas ao monitor Vigilance II

7.4.7.3 Resolução de problemas gerais


• ICC > DCC
• DCC ≠ DC Bolus
• RVS > IRVS
• PAM e PVC do Vigilance II ≠ Monitor externo

7-13 Edwards Lifesciences 4/26/06


Capítulo 8
MODO DE MONITORIZAÇÃO DE DCI
8.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-2
8.2 Configuração do equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-2
8.2.1 Conexão do cabo de DCC de paciente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-3
8.2.2 Seleção do sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-4
8.3 Seleção dos parâmetros de configuração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-4
8.3.1 Seleção do parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
8.3.2 Seleção do modo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
8.3.3 Seleção do volume do injetado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
8.3.4 Seleção do tamanho do cateter. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
8.3.5 Seleção da constante de computação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7
8.4 Modos de medida de bolus. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7
8.4.1 Modo de medidas automáticas de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7
8.4.2 Modo de medidas manuais de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-12
8.5 Revisão de Bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-15
8.6 Mensagens para a resolução de problemas de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-16
8.6.1 Acesso à ajuda de medida cardíaca do DCI (bolus). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-16
8.6.2 Acesso a informações da mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-17
8.6.3 Acesso à ajuda gráfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.5 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.6 Lista de mensagens de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.6.1 Erros. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-19
8.6.6.2 Alertas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-20
8.6.6.3 Guia para Solucionar Problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-20
Figuras
Figura 8-1 Uma tela de exibição do DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-2
Figura 8-2 Conectores do cabo de DCC do paciente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-3
Figura 8-3 Conectores de débito cardíaco e de SvO2 do painel frontal do Vigilance II . . . . . . . . . .8-3
Figura 8-4 Menu Quadro grande de parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-5
Figura 8-5 Menu Quadro Grande de Parâmetro 2 do DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-5
Figura 8-6 Configuração inicial da tela DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-8
Figura 8-7 Gráfico de uma seqüência de injeções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-9
Figura 8-8 Listagem dos resultados de uma série de seis injeções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-10
Figura 8-9 Seleção de duas medidas de injeção para remoção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-10
Figura 8-10 Tela “Computando” bolus e listagem de resultados computados no quadro grande de
parâmetro 3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-13
Figura 8-11 Seleção de duas medidas de injeção para remoção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-14
Figura 8-12 Tela revisão de bolus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-15
Figura 8-13 Menu da Tela Ajuda. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-16
Figura 8-14 Tela de Ajuda de bolus DC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-17
Figura 8-15 Mensagens de alerta de DCI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-17
Figura 8-16 Primeira página Causas possíveis e ações sugeridas para a mensagem
“Alerta de bolus: Curva alargada” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-18
Figura 8-17 Segunda página Ações sugeridas para a mensagem “Alerta bolus: Curva alargada” . .8-18
Figura 8-18 Gráfico do posicionamento do cateter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8-19

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

8.1 Geral
O monitor Vigilance II mede o débito cardíaco intermitentemente coma utilização da
técnica de termodiluição de bolus. Com essa técnica, uma pequena quantidade do
indicador com volume e temperatura conhecidos é injetada através da porta do
injetado do cateter e a diminuição resultante na temperatura do sangue é medida pelo
termistor na artéria pulmonar (AP). O monitor Vigilance II exibe uma curva que
representa a alteração na temperatura do sangue em relação a um período de tempo e
integra os dados com base na equação de diluição do indicador de Stewart-Hamilton.
A área sob a curva de termodiluição é calculada e exibida em valores numéricos (l/
min) no quadro grande de parâmetro. O monitor também calculará e exibirá o valor
indexado (l/min/cm2) se a ASC estiver disponível (veja a Figura 8-1).
É possível realizar até seis injeções em bolus em uma série. O valor médio das
injeções de uma série é exibido no quadro grande de parâmetro de DCméd. Os
resultados de qualquer série podem ser revisados e o operador pode remover medidas
individuais de DCI (bolus) que possam estar comprometidas (por exemplo,
movimento do paciente, diatermia ou erro do operador).

Figura 8-1 Tela de exibição de DCI (bolus)

OBSERVAÇÃO
Se SvO2 ou ScvO2 estavam configuradas no modo de monitorização DCC,
os valores de oximetria são exibidos no Quadro grande de parâmetro 1.

8.2 Configuração do equipamento


Esta seção apresenta informações sobre como conectar os cabos no monitor Vigilance
II e sobre o cateter de termodiluição da Edwards para monitorização do DCI.

8-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

8.2.1 Conexão do cabo de DCC de paciente

ADVERTÊNCIA
Consulte as instruções de uso fornecidas com cada cateter para obter instruções
específicas sobre colocação e uso do cateter, e informações sobre as ADVER-
TENCIAS, PRECAUÇÕES e ESPECIFICAÇÕES importantes.
ADVERTÊNCIA
Não utilize cateteres danificados ou com contatos elétricos expostos.

OBSERVAÇÃO
A Opção Teste do cabo de DCC do paciente no menu de configuração per-
mite verificar a integridade do cabo de DCC do paciente. O operador poderá
fazer essa verificação antes de usar o equipamento pela primeira vez ou
depois, como parte de um procedimento de Resolução de problemas. As
instruções para a verificação dos cabos são apresentadas no capítulo 14,
Resolução de problemas.

A Figura 8-2 identifica os quatro conectores de um cabo de DCC de paciente


utilizados no monitor Vigilance II.

Figura 8-2 Conectores do cabo de DCC do paciente


1. Ligue o conector do termistor do cabo de DCC do paciente no conector do ter-
mistor do cateter de termodiluição da Edwards.
2. Conecte o cabo de DCC de paciente no conector de débito cardíaco no
painel frontal do monitor Vigilance II identificado pelo símbolo mostrado
na Figura 8-3.

Figura 8-3 Conectores do débito cardíaco e SvO2 do painel frontal do


monitor Vigilance II

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

3. Verifique se o cateter de termodiluição da Edwards foi corretamente


inserido no paciente.

PRECAUÇÃO
Antes de inserir o cateter, consulte as instruções de uso fornecidas com cada
cateter para obter instruções e informações sobre advertências, precauções e
especificações.

8.2.2 Seleção do sensor


Um sensor de temperatura do injetado detecta sua temperatura. O sensor selecionado é
conectado ao cabo de DCC do paciente (Figura 8-2). Um dos dois sensores pode ser
utilizado:
• Um sensor em linha conectado à estrutura por onde passa o fluxo no sistema de
oferta do injetado de COSet, ou
• Um sensor para banho que mede a temperatura da solução do injetado. Os sen-
sores para banho medem a temperatura de uma solução de amostra mantida na
mesma temperatura da solução estéril utilizada para injetados no cálculo do débito
cardíaco de bolus.
Ligue o sensor de temperatura do injetado (em linha ou para banho) no
conector do sensor de temperatura do injetado no cabo de DCC do paciente
ilustrado na figura 8-2.

OBSERVAÇÃO
Se um sensor de temperatura do injetado (TI) não for detectado pelo moni-
tor, aparecerá a mensagem “Erro bolus: Verifique a conexão do sensor
de temperatura do injetado.”

8.3 Seleção dos parâmetros de configuração


O monitor Vigilance II permite que o operador insira uma constante de
computação específica ou configure o monitor para permitir que o Vigilance II
determine automaticamente a constante de computação, selecionando o
volume do injetado e o tamanho do cateter.

PRECAUÇÃO
Consulte o Apêndice D para garantir que a constante de computação seja igual
à especificada no folheto de instruções que acompanha o cateter. Se a con-
stante for diferente, insira a constante de computação desejada manualmente.

OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II detectará automaticamente o tipo de sensor de tem-
peratura em uso (banho gelado ou em linha) e utilizará essas informações
para determinar a constante de computação.

Esses e outros parâmetros podem ser acessados e configurados; para isso, gire o botão
de navegação para destacar Quadro Grande de Parâmetro 2 no Modo DCI (bolus) e
pressione o botão de navegação. O menu Quadro Grande de Parâmetro do Modo DCI
(bolus) aparecerá com os parâmetros configuráveis no lado esquerdo do menu no
quadro secundário (veja a figura 8-4).
Os seguintes parâmetros do lado esquerdo do menu podem ser configurados:

8-4 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

Figura 8-4 Menu Quadro Grande de Parâmetro


O parâmetro predefinido para cada quadro é mostrado entre parênteses ao lado do
parâmetro.
As informações a seguir descrevem cada parâmetro e fornecem instruções sobre como
alterar a seleção.
8.3.1 Seleção do parâmetro
O parâmetro determina se o DCméd ou ICméd será o valor principal exibido no
quadro grande de parâmetro 2, conforme mostrado na figura 8-5.

Figura 8-5 Menu Quadro Grande de Parâmetro 2 do DCI


Para alterar o Parâmetro:
1. Gire o botão de navegação para destacar Parâmetro. Pressione o botão.
2. O destaque será movido automaticamente para o lado direito do menu onde duas
opções são mostradas:
• DCméd
• ICméd
3. Gire o botão para destacar a seleção desejada e pressione para confirmar. O
destaque será reposicionado na identificação de Parâmetro.
4. Para sair do menu, gire o botão de navegação em Retornar e pressione o botão. A
tela Revisão de Bolus aparecerá no quadro secundário.

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-5


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

8.3.2 Seleção do modo


Existem dois modos para medidas de DCI (bolus):
• Automático
• Manual
No modo Automático, o monitor piscará automaticamente uma mensagem “Injetar”
ao atingir a temperatura do sangue da linha de base. O funcionamento no modo
Manual é semelhante ao modo Automático, porém nesse modo o monitor Vigilance II
indica que está PRONTO antes de uma injeção. O operador deve pressionar o botão
Iniciar/interromper DC no lado direito do painel frontal antes de cada injeção no modo
Manual.
Para alterar o modo:
1. Gire o botão de navegação para destacar Modo.
2. Pressione o botão. O destaque será movido automaticamente para o lado direito
do menu onde duas opções são mostradas:
• Automático
• Manual
3. Gire o botão para destacar a seleção desejada e pressione para confirmar. O
destaque será reposicionado na identificação de Modo.
4. Para sair do menu, gire o botão de navegação em Retornar e pressione o botão. A
tela Revisão de bolus aparecerá no quadro secundário.

8.3.3 Seleção do volume do injetado


Para selecionar o volume do injetado:
1. Gire o botão de navegação para resaltar Volume do injetado.
2. Pressione o botão. O destaque será movido automaticamente para o lado direito
do menu onde aparecem três opções:
• 3 ml
• 5 ml
• 10 ml
3. Gire o botão para destacar a seleção desejada e pressione para confirmar. O
destaque será reposicionado na identificação de Volume do injetado.
4. Para sair do menu, gire o botão de navegação em Retornar e pressione o botão. A
tela Revisão de bolus aparecerá no quadro secundário.
Quando um valor é selecionado, a constante de computação é definida como Auto.
8.3.4 Seleção do tamanho do cateter
Para selecionar o tamanho do cateter:
1. Gire o botão de navegação para destacar Tamanho do cateter.
2. Pressione o botão. O destaque será movido automaticamente para o lado direito
do menu onde aparecem cinco opções:
• 5,5F
• 6F
• 7F
• 7,5F

8-6 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

• 8F
3. Gire o botão para destacar a seleção desejada e pressione para confirmar. O
destaque será reposicionado na identificação de Tamanho do cateter.
4. Para sair do menu, gire o botão de navegação em Retornar e pressione o botão. A
tela Revisão de bolus aparecerá no quadro secundário.
Quando um valor é selecionado, a constante de computação é definida como Auto.
8.3.5 Seleção da constante de computação
Para inserir manualmente uma constante de computação, gire o botão de navegação
para destacar Constante de computação e pressione o botão. O destaque é movido
para o lado direito do menu Quadro Grande de Parâmetro.
Siga as etapas abaixo para inserir o valor da constante de computação:
1. Gire o botão para destacar o dígito desejado.
2. Pressione o botão. Gire o botão para percorrer os numerais até o número dese-
jado. Pressione o botão para confirmar a seleção.
3. Repita as etapas 1 e 2 para selecionar o valor do numeral para as posições de
dígito restantes.
4. Ao inserir uma constante de computação de três dígitos, gire o botão para destacar
Retornar e pressione. A identificação Constante de computação será destacada.
5. Para sair do menu, gire o botão de navegação em Retornar e pressione o botão. A
tela Revisão de Bolus aparecerá no quadro secundário.
Se for inserida uma constante de computação, as opções Volume do injetado e
Tamanho do cateter serão definidas automaticamente como Auto.

8.4 Modos de medida de bolus


8.4.1 Modo de medidas automáticas de DCI (bolus)
O parâmetro predefinido do monitor é o modo Automático. Nesse modo, o monitor
piscará automaticamente uma mensagem “Injetar” ao atingir uma temperatura do
sangue da linha de base. Quando a injeção for concluída, o equipamento calculará um
valor e ficará pronto novamente para processar outra injeção em bolus. É possível
realizar até seis injeções em bolus em uma série.
São apresentadas a seguir instruções passo a passo para a execução de medidas
cardíacas de bolus no modo Automático, começando com a exibição de tela do
DCC.

OBSERVAÇÃO
A opção Seleção do modo DCC/DCI não estará ativada quando um menu
aparece no quadro secundário.

1. No painel frontal do monitor, pressione o botão de seleção do modo


DCC/DCI no teclado para alternar para o Modo DCI (bolus) (veja a
Figura 8-6).
2. Se o monitor não estiver no modo Automático, configure-o para essa opção.
Nesse momento, o operador também poderá selecionar o volume do injetado e o
tamanho do cateter para permitir que o monitor determine uma constante de com-
putação automaticamente ou insira manualmente. Essas opções são explicadas na
seção 8.3 deste capítulo.

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-7


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 8-6 Configuração inicial da tela DCI (bolus)


Conforme mostrado na ilustração, todos os valores do débito cardíaco serão excluídos
até a obtenção da primeira medida DCI (bolus). A figura 8-6 ilustra a configuração
predefinida para o quadro grande de parâmetro 2, em que o valor de DCméd aparecerá
em letra grande.
3. Quando o monitor estabelecer uma temperatura da linha de base estável, a tela
exibirá a mensagem “Injetar”, orientando o operador a iniciar a série de injeções
em bolus (Figura 8-6).
4. Inicie a série de injeções utilizando procedimentos padrão da instituição.

PRECAUÇÃO
Alterações repentinas na temperatura do sangue da artéria pulmonar, como as
causadas pelos movimentos do paciente ou pela administração de medicamento
em bolus, podem fazer com que o valor de DC ou IC sejam computados. Para
evitar curvas produzidas falsamente, a injeção deverá ser feita assim que a men-
sagem “Injetar” aparecer.

Quando uma injeção em bolus é feita, a curva de termodiluição aparece no


quadro gráfico, a mensagem “Computando” é exibida e a medida de DC
resultante é mostrada no quadro grande de parâmetro 3.

OBSERVAÇÃO
Se uma medida de bolus ficar comprometida, conforme indicado por uma
mensagem de alerta, aparecerá um “a” ao lado do valor exibido no quadro
grande de parâmetro 3.

5. Se desejar, realize injeções em bolus subseqüentes quando aparecer a men-


sagem “Injetar.”

8-8 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

OBSERVAÇÃO
No modo Automático, o tempo máximo permitido entre a exibição
da mensagem “Injetar” e a injeção do bolus é de quatro minutos.
Se não for detectada injeção nesse intervalo de tempo, a tela
retornará para a opção “Pronto” até que o botão de teclado Iniciar/Inter-
romper DC seja pressionado para iniciar o ciclo de injeções novamente.

OBSERVAÇÃO
Para interromper ou descontinuar medidas DCI (bolus), utilize o
botão do teclado Iniciar/Interromper DC no painel frontal.

Na figura 8-7, foram realizadas duas injeções na série atual, e os dois valores
calculados da série foram listados no quadro grande de parâmetro 3. O monitor está
calculando os valores da terceira injeção na série atual.

Figura 8-7 Gráfico de uma seqüência de injeções


Quando o número desejado de medidas de DCI (bolus) (até seis no máximo)
for obtido, utilize o botão de navegação para selecionar o quadro grande de
parâmetro 3 para calcular uma média, exibir as curvas no quadro gráfico e a
tela Editar bolus no quadro secundário. Isso ocorrerá automaticamente se seis
curvas do débito cardíaco forem obtidas (veja a figura 8-8).

OBSERVAÇÃO
Se uma medida de bolus ficar comprometida, conforme indicado por uma
mensagem de alerta, aparecerá um “a” ao lado do valor exibido no quadro
gráfico.

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-9


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 8-8 Lista dos resultados de uma série de seis injeções


6. Tela Editar bolus
O operador pode realizar todas as seguintes tarefas na tela Editar bolus:
a.Excluir medidas de bolus individuais
O operador pode utilizar a tela Editar bolus para remover qualquer uma das seis
injeções da série da média exibida.
Na tela Editar Bolus, gire e pressione o botão de navegação para
excluir valores da medida média de DC/IC. Por exemplo, a figura 8-9 mostra
a seleção da quarta e sexta medidas bolus a serem excluídas da média.

Figura 8-9 Seleção de duas medidas de injeção para remoção


b.Refazer série
Selecionando Refazer série, a média calculada do DC/IC será armazenada
no registro do paciente e todas as médias de bolus exibidas anteriormente
serão excluídas do quadro grande de parâmetro 2, assim como as medidas de bolus
individuais do quadro grande de parâmetro 3.
As médias armazenadas também podem ser revisadas na tela Revisão de bolus
descrita posteriormente na seção 8.5 deste capítulo.
Nessa tela, utilize o botão de navegação para destacar Refazer série. Pressione o
botão para armazenar a média de DC bolus.
O monitor piscará automaticamente a mensagem “Injetar” ao atingir uma
temperatura do sangue da linha de base.

8-10 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

c. Retomar série
A opção Retomar série permite que o operador inclua injeções em bolus adicionais
(até seis) para média.
A média DC/IC calculada na tela Editar Bolus não será armazenada no registro do
paciente ao selecionar a opção Retomar série.
Utilize o botão de navegação para destacar essa opção na tela Editar bolus.
Pressione o botão para continuar com medidas de injeção em bolus adicionais.
d. Exibição de médias de DC/IC na tela Dados do Paciente
O botão de teclado Dados do paciente no painel frontal pode ser utilizado
para exibir médias de DC e IC calculadas nas telas Perfil Cardíaco
e Perfil de Oxigenação. Essa função também armazenará a média de DC/IC
calculada no registro do paciente.
As médias armazenadas podem ser revisadas na tela Revisão de bolus
descrita na seção 8.5 deste capítulo.
e. Retomar monitorização de DCC
1. Pressione o botão de teclado Selecionar Modo DCC/DCI para reini-
ciar a monitorização contínua e será exibida uma tela com uma per-
gunta.

2. Para reiniciar a monitorização DCC selecione Sim e pressione o botão.


3. Para retornar ao modo DCC sem reiniciar a monitorização do DCC, selecione Não
e pressione o botão.
Ao reiniciar a monitorização contínua, um marcador de evento (B) denotará a
alteração para o Modo DCI (bolus) no gráfico de tendências. A medida média do DC
obtida no modo DCI será traçada no gráfico.
Essa função também armazenará a média de DC/IC calculada no registro do paciente.
As médias armazenadas podem ser revisadas na tela Revisão de bolus descrita na
seção 8.5 deste capítulo.

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-11


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

8.4.2 Modo de medidas manuais de DCI (bolus)


Esta seção fornece instruções para realizar medidas de débito cardíaco de bolus no
modo manual, com início em uma exibição de tela do DCC.
1. Pressione o botão de teclado Selecionar Modo DCC/DCI para exibir
a tela DCI (bolus).
2. Se o monitor não estiver no modo manual, configure-o para essa
opção. Nesse momento, o operador também poderá selecionar o volume do
injetado e o tamanho do cateter para permitir que o monitor determine uma
constante de computação automaticamente ou insira-a manualmente. Essas
opções são explicadas na seção 8.3 deste capítulo.
3. Quando o monitor obtiver uma temperatura do sangue na linha de base, aparecerá
a mensagem “Pronto” na tela.

4. Quando o operador estiver pronto para injetar, pressione o botão


de teclado Iniciar/Interromper DC no painel frontal. Uma injeção
em bolus pode ser realizada quando a mensagem “Injetar” apare-
cer na tela.

OBSERVAÇÃO
O operador tem 30 segundos no máximo para fazer uma injeção em bolus
depois de pressionar o botão do teclado Iniciar/Interromper DC. Se não for
detectada injeção nesse intervalo de tempo, a tela retornará para o estado
“Pronto” até que o botão de teclado Iniciar/Interromper DC seja pressionado
novamente.

5. Quando uma injeção em bolus é feita, uma curva de termodiluição e a mensagem


“Computando” aparecerão na tela. Os valores resultantes (DC e IC) serão lista-
dos no quadro grande de parâmetro 3 (Figura 8-10).

8-12 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

Figura 8-10 Tela “Computando” bolus e listagem de resultados


computados no quadro grande de parâmetro 3

OBSERVAÇÃO
Se uma medida de bolus ficar comprometida, conforme indicado por uma
mensagem de alerta, aparecerá um “a” ao lado do valor exibido no quadro
grande de parâmetro 3.

Quando o número desejado de medidas de DCI (bolus) (até seis no máximo) for
obtido, utilize o botão de navegação para selecionar o quadro grande de parâmetro
3 para calcular uma média, exibir as curvas no quadro gráfico e a tela Editar bolus
no quadro secundário. Isso ocorrerá automaticamente se seis curvas do débito
cardíaco forem obtidas (veja a figura 8-8).
6. Tela Editar Bolus

O operador pode realizar todas as seguintes tarefas na tela Editar Bolus:


a. Excluir medidas de bolus individuais
O operador pode utilizar a tela Editar Bolus para excluir/cancelar a exclusão de
qualquer uma das seis injeções na série da média exibida.
Na tela Editar Bolus, gire e pressione o botão de navegação para excluir valores
da medida média de DC/IC. Por exemplo, a figura 8-11 mostra a seleção da quarta
e sexta medidas bolus a serem excluídas da média.
Para reativar os valores excluídos, gire e pressione o botão de navegação para
incluir esses valores na média de DC/IC.

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-13


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 8-11 Seleção de duas medidas de injeção para remoção


b. Refazer série
Selecionando Refazer série, a média calculada do DC/IC será armazenada no
registro do paciente e todas as médias de bolus exibidas anteriormente serão
excluídas do quadro grande de parâmetro 2, assim como as medidas de bolus
individuais do quadro grande de parâmetro 3.
As médias armazenadas também podem ser revisadas na tela Revisão de bolus
descrita posteriormente na seção 8.5 deste capítulo.
Nessa tela, utilize o botão de navegação para destacar Refazer série. Pressione o
botão para armazenar a média de DC bolus.
O monitor piscará automaticamente a mensagem “Pronto” ao atingir uma
temperatura do sangue da linha de base.
c. Retomar série
A opção Retomar Série permite que o operador inclua injeções em bolus
adicionais (até seis) para média.
A média de DC/IC calculada na tela Editar bolus não será armazenada no registro
do paciente ao selecionar a função Reiniciar.
Utilize o botão de navegação para destacar Retomar Série na tela Editar bolus.
Pressione o botão. Quando o monitor obtiver uma temperatura do sangue da linha
de base, a mensagem Pronto aparecerá na tela.
d. Exibição de médias de DC/IC na tela Dados do paciente
O botão de teclado Dados do paciente no painel frontal é utilizado para
exibir médias de DC e IC calculadas nas telas Perfil Cardíaco e Perfil de
Oxigenação. Essa função também armazenará a média de DC/IC
calculada no registro do paciente.
As médias armazenadas podem ser revisadas na tela Revisão de bolus descrita na
seção 8.5 deste capítulo.

8-14 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

e. Retomar monitorização de DCC


1. Pressione o botão de teclado Selecionar Modo DCC/DCI para reini-
ciar a monitorização contínua e será exibida uma tela com uma per-
gunta.

2. Para reiniciar a monitorização DCC selecione Sim e pressione o botão.


3. Para retornar ao modo DCC sem reiniciar a monitorização do DCC, selecione Não
e pressione o botão.
Ao reiniciar a monitorização contínua, um marcador de evento (B) denotará a
alteração para o Modo DCI (bolus) no gráfico de tendências. A medida média do DC
obtida no modo DCI será traçada no gráfico.
Essa função também armazenará a média de DC/IC calculada no registro do paciente.
As médias armazenadas podem ser revisadas na tela Revisão de bolus descrita na
seção 8.5 deste capítulo.

8.5 Revisão de Bolus


A tela Revisão de Bolus será exibida no quadro secundário. Exibe as médias de DC/IC
bolus armazenadas do registro do paciente. A figura 8-12 mostra um exemplo desses
dois registros. Cada registro armazenado contém um valor médio de DC/IC com a
data e hora em que o valor foi calculado.

Figura 8-12 Tela Revisão de bolus


O número de registros pode ser maior que o exibido na área Revisão de bolus; a opção
Percorrer pode ser utilizada para avançar para a página seguinte. Pressione o botão
novamente para finalizar a função Percorrer.

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-15


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Até 32 médias de bolus serão registradas na tela Revisão de bolus, a mais


recente substituirá a mais antiga quando mais de 32 forem coletadas. As
médias na tela serão traçadas no gráfico de tendências.

OBSERVAÇÃO
Os valores de IC não serão recalculados se a ASC for alterada.

8.6 Mensagens para a resolução de problemas de DCI (bolus)


As mensagens de erro e alerta de DCI são mostradas no quadro de mensagem do
monitor Vigilance II. Dependendo das circunstâncias, a mensagem pode indicar:
• Um erro, que requer intervenção imediata do operador para reiniciar as medidas
de DCI (Bolus). Uma mensagem de erro aparece na tela sem notificação sonora.
Ou
• Um Alerta, para ajudar a qualificar os resultados da medida. Essas mensagens
aparecem na tela sem notificação sonora. Em muitos casos, não será necessária
nenhuma ação corretiva quando uma mensagem de alerta for mostrada.
O monitor Vigilance II oferece um menu de ajuda para obter detalhes dos eventos que
produzem as mensagens, sua possível causa, e sugestões de medidas corretivas para
resolver o problema e retomar o monitorização.
São apresentadas a seguir informações passo a passo sobre processo para acessar a
função Ajuda para uma das mensagens possíveis. Uma tabela com todas as mensagens
relacionadas ao Modo DCI (bolus) é apresentada no final deste capítulo.
8.6.1 Acesso à ajuda de medida cardíaca do DCI (bolus)
1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone da Ajuda no quadro
da barra de ferramentas.
2. Pressione o botão. A Tela Ajuda aparecerá no quadro
secundário. a Figura 8-13 mostra uma parte dessa tela.

OBSERVAÇÃO
O menu da tela Ajuda permite selecionar ajuda relacionada a qualquer modo
de monitorização de parâmetros do Vigilance II listados no lado esquerdo da
tela.

Figura 8-13 Menu da Tela Ajuda


3. Gire o botão de navegação para destacar Bolus DC.

8-16 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

4. Pressione o botão. O menu da tela Ajuda de Bolus DC aparecerá no quadro


secundário.

Figura 8-14 Tela de Ajuda de bolus DC


Essa tela fornece ajuda para as mensagens de erro e alerta. Além disso, o menu
possui uma opção de acesso a informações gerais para Resolução de
problemas.

OBSERVAÇÃO
A figura 8-14 apresenta uma categoria de “Advertências” em cinza. Isso sig-
nifica que a versão instalada do software não inclui mensagens de advertên-
cia que possam ser mostradas durante o processo de monitorização de DCI.

5. Gire o botão de navegação para destacar a categoria Erros ou Alertas.


6. Pressione o botão. Será mostrada uma lista de todas as mensagens para a catego-
ria em questão.
As telas das mensagens de alerta de DCI são mostradas na figura 8-15.

8.6.2 Acesso a informações da mensagem


Para obter informações sobre uma determinada mensagem, siga as etapas do exemplo
abaixo:
Na tela Mensagens de Alerta de DCI:
1. Gire o botão de navegação para destacar a mensagem Curva alargada.
2. Pressione o botão.

Figura 8-15 Mensagens de alerta de DCI

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-17


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

O quadro secundário apresentará informações referentes à possível causa para


a mensagem e sugerirá ações que deverão ser executadas pelo operador para
resolver o problema e retomar o monitorização normal da medida de DCI
(bolus).

OBSERVAÇÃO
Se um erro ou mensagem de alerta for mostrada no quadro de
mensagens, selecione o ícone da Ajuda para visualizar a pos-
sível causa e a ação sugerida especificamente para essa men-
sagem.

O número de possíveis mensagens pode ser maior do que o mostrado em uma área do
quadro secundário. Se a mensagem exibida não estiver na primeira “página” deste
menu, utilize o botão de navegação para exibir a Segunda página, gire para destacar e
selecione Página seguinte. As telas das primeira e segunda páginas da mensagem de
bolus DCI “Alerta bolus: Curva alargada” são mostradas nas figuras 8-16 e 8-17.

Figura 8-16 Primeira página Causas possíveis e ações sugeridas para a


mensagem “Alerta de bolus: Curva alargada”

Figura 8-17 Segunda página Ações sugeridas para a mensagem “Alerta


bolus: Curva alargada”
Conforme mostrado na ilustração acima das telas de Ajuda de Bolus DC para a
mensagem Curva alargada de alertas, uma ajuda gráfica encontra-se disponível para a
resolução de problemas. Se a ajuda gráfica não estiver disponível, a opção “Gráfico”
deverá aparecer em cinza e não poderá ser destacada.

8-18 Edwards Lifesciences 4/26/06


Modo de monitorização de DCI

8.6.3 Acesso à ajuda gráfica


Para acessar a ajuda gráfica:
1. Gire o botão de navegação para destacar Gráfico.
2. Pressione o botão.
A ajuda gráfica será exibida no quadro secundário.

Figura 8-18 Gráfico do posicionamento do cateter

8.6.4 Retornar, Sair


Depois de concluir a ação sugerida para a resolução de problemas, utilize o botão de
navegação para selecionar Retornar ou Sair. Usando o botão de navegação para
destacar e selecionar a opção Retornar e voltar para a tela anterior. Selecione Sair
para sair da tela de ajuda e voltar para a tela de monitorização anterior.
Se a resolução de problemas for concluída com sucesso, volte para o processo de
monitorização de DCI (bolus).
Se a mensagem de alerta não for excluída, entre em contato com o suporte técnico da
Edwards, conforme descrito no Apêndice F, Cuidados com o sistema, manutenção e
suporte técnico.
8.6.5 Teste do cabo de DCC do paciente
O teste do cabo de DCC do paciente permite que o usuário verifique integridade do
cabo de DCC do paciente. Instruções detalhadas sobre essa opção são apresentadas no
capítulo 14, Resolução de Problemas.
8.6.6 Lista de mensagens de DCI (bolus)
A lista de mensagens de DCI (bolus) é apresentada a seguir. Informações mais
detalhadas sobre cada mensagem, incluindo as possíveis causas para produção das
mesmas e as ações sugeridas para o operador, são fornecidas no capítulo 14,
Resolução de Problemas.
8.6.6.1 Erros
• Verificar Conexão do Termístor
• TI fora do intervalo, verifique o sensor de temperatura
• Volume injetado não é válido
• Verifique a Conexão do Sensor de Temperatura do Injetado
• Placa Não Responde

4/26/06 Edwards Lifesciences 8-19


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

8.6.6.2 Alertas
• Curva Não Detectada
• Curva Alargada
• Curva Irregular
• Linha de Base Instável
• Injetado aquecido
8.6.6.3 Guia para Solucionar Problemas
• Débito Cardíaco Continua ≠ Débito Cardíaco Bolus

8-20 Edwards Lifesciences 4/26/06


Capítulo 9
MONITORIZAÇÃO DE VDFC/FEVD

9.1 Geral. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-2


9.2 Configuração do equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-3
9.2.1 Conexão do cabo de DCC de paciente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-3
9.2.2 Conexão do cabo de interface do ECG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-4
9.3 Monitorização de VDFC/FEVD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-5
9.3.1 Início do processo de monitorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-5
9.3.2 Monitorização do VDFC em curso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-6
9.3.3 Caixas de leitura rápida de VDF e FEVD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-8
9.4 Mensagens para resolução de problemas de VDFC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-9
9.4.1 Acesso à ajuda do FEVD e VDFC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-9
9.4.2 Acesso a informações da mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-11
9.4.3 Acesso à ajuda gráfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-12
9.4.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.5 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.6 Lista de mensagens de VDFC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.6.1 Alertas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13
9.4.6.2 Guia para Solucionar Problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13

Figuras
Figura 9-1 Tela típica de monitorização de VDF . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-2
Figura 9-2 Conectores do cabo de paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-4
Figura 9-3 Conectores de débito cardíaco e de SvO2 do painel frontal do Vigilance II. . . . 9-4
Figura 9-4 Conector de ECG do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-5
Figura 9-5 Configuração do quadro grande com a monitorização interrompida . . . . . . . . . 9-7
Figura 9-6 Gráfico de tendências com uma lacuna referente aos dados faltantes . . . . . . . . 9-8
Figura 9-7 Tela Caixas de Leitura Rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-9
Figura 9-8 Menu da Tela Ajuda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-10
Figura 9-9 Exibição da tela Ajuda de VDFC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-10
Figura 9-10 Tela das mensagens de alerta de VDFC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-11
Figura 9-11 Alerta da tela Ajuda do VDFC: Adaptação do sinal - Continuando. . . . . . . . . 9-12
Figura 9-12 Ajuda gráfica para as ações sugeridas para a resolução de problemas referente à
Mensagem de alerta “Adaptação do sinal - Continuando” . . . . . . . . . . . . . . . . 9-13

4/26/06 Edwards Lifesciences 9-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

9.1 Geral
A monitorização do VDFC poderá ser realizada no modo de monitorização de DCC
quando utilizado com um cateter de DCC/VDFC da Edwards. Na monitorização de
VDFC, o monitor Vigilance II exibirá continuamente as medidas do volume diastólico
final (VDF) e da fração de ejeção do ventrículo direito (FEVD). Os valores médios de
VDF e FEDV são calculados em relação a um período de tempo e podem ser exibidos
numericamente nos quadros grandes de parâmetro no lado direito da tela e na forma
de tendência gráfica em relação a um período de tempo no quadro gráfico (veja a
figura 9-1).
Além disso, são calculadas estimativas desses valores e exibidas nas caixas de
leitura rápida em intervalos aproximados de 60 segundos. Esses valores
também podem ser mostrados em um gráfico instantâneo.
Todas as medidas de VDF e os dados gráficos são exibidos em roxo; o FEVD é
exibido em azul escuro. A configuração predefinida para o valor de VDF é
quadro grande de parâmetro 3, mas o operador pode configurá-lo para ser
exibido em qualquer um dos quatro quadros grandes de parâmetro. O FEDV
também pode ser configurado para ser exibido em qualquer quadro grande de
parâmetro (consulte o capítulo 5 para obter instruções sobre a configuração dos
quadros grandes de parâmetro).

Figura 9-1 Tela típica de monitorização de VDF

OBSERVAÇÃO
Quando o DCC não estiver configurado para um dos quadros grandes de
parâmetro, todos os parâmetros do coração direito estarão indisponíveis,
incluindo o VDF e FEDV. A seguinte mensagem de erro aparecerá na tela
de mensagens: “DCC não configurado - Monitorização de dados
coração direito não disponível.”

O VDF é expresso em mililitros (ml), e o FEDV, em mililitros/área de superfície


corporal (ml/m2). O FEDV é exibido como uma porcentagem.
Quando um valor medido de VDF for mostrado em números grandes, o valor
indexado, IVDF será mostrado em números menores no canto inferior direito desse
quadro.

9-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de VDFC/FEVD

Quando o IVDF for o parâmetro selecionado, o valor do IVDF aparecerá em números


grandes, e o VDF será mostrado em números menores no canto inferior direito do
quadro.
O FEVD não pode ser indexado e sempre será exibido em números grandes no
quadro grande de parâmetro.

OBSERVAÇÃO
Se o valor da área de superfície corporal não tiver sido inserido diretamente
ou calculado (com base na altura e no peso), todos os valores indexados
como o de IVDF ficarão em branco.

9.2 Configuração do equipamento


Esta seção apresenta informações sobre como conectar os cabos no monitor Vigilance
II e sobre o cateter de DCC/VDFC da Edwards para monitorização de VDFC.

9.2.1 Conexão do cabo de DCC de paciente

ADVERTÊNCIA
Consulte as instruções de uso fornecidas com cada cateter para obter instruções
específicas sobre colocação e uso do cateter, e para obter informações impor-
tantes sobre as ADVERTENCIAS, AVISOS e especificações.
ADVERTÊNCIA
Não utilize catéteres danificados ou com contatos elétricos expostos.

ADVERTÊNCIA
O risco e a corrente de fuga da configuração final do sistema devem estar em
conformidade com a norma IEC/EN 60601-1-1 e é responsabilidade do usuário
garantir o cumprimento dessa norma.
ADVERTÊNCIA
Os equipamentos acessórios conectados ao monitor devem ser certificados de
acordo com a norma IEC/EN 60950 referente a equipamentos de processa-
mento de dados ou a norma IEC/EN 60601-1 referente a equipamentos
eletromédicos. Todas as combinações de equipamentos devem ser feitas em
conformidade com a norma IEC/EN 60601-1-1 referentes aos requisitos para os
sistemas.

OBSERVAÇÃO
A opção Teste do Cabo de DCC do Paciente e no menu de configuração
permite verificar a integridade do cabo de DCC do paciente. O operador
poderá fazer essa verificação antes de usar o equipamento pela primeira
vez ou depois, como parte de um procedimento de Resolução de problemas.
As instruções para a verificação dos cabos são apresentadas no capítulo 14,
Resolução de problemas.

4/26/06 Edwards Lifesciences 9-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

A Figura 9-2 identifica os quatro conectores de um cabo de DCC de paciente


utilizados no monitor Vigilance II.

Figura 9-2 Conectores do cabo de paciente


1. Ligue a extremidade do cateter do cabo de DCC do paciente no termistor e os
conectores do filamento térmico no cateter de DCC/VDFC da Edwards.
2. Conecte o cabo de DCC do paciente no conector de débito cardíaco do
painel frontal do monitor Vigilance II identificado pelo símbolo mostrado
na Figura 9-3.

Figura 9-3 Conectores de débito cardíaco e de SvO2 do painel frontal


do Vigilance II
3. Verifique se o cateter de DCC/VDFC da Edwards foi corretamente
inserido no paciente.

PRECAUÇÃO
Antes de inserir o cateter, consulte as instruções de uso fornecidas com cada
cateter para obter instruções e informações sobre advertências, precauções e
especificações.

9.2.2 Conexão do cabo de interface do ECG

PRECAUÇÃO
Utilize apenas acessórios compatíveis com a Edwards para evitar danos no
monitor Vigilance II e para garantir a precisão das informações do paciente.

1. Conecte o plugue de fone em miniatura de 1/4 polegada do cabo da interface do


ECG na entrada do monitor do ECG no painel traseiro do monitor Vigilance II
(veja a Figura 9-4). Conecte a outra extremidade do cabo da interface à saída do
sinal do ECG do monitor à beira leito. Assim, a medida da freqüência cardíaca
média (FCméd) será enviada ao monitor Vigilance II para medidas de VDF e
FEVD. Para adquirir cabos de ECG compatíveis, entre em contato com o repre-
sentante local da Edwards.
9-4 Edwards Lifesciences 4/26/06
Monitorização de VDFC/FEVD

Painel traseiro
Conector de
ECG

Figura 9-4 Conector de ECG do painel traseiro do Vigilance II

9.3 Monitorização de VDFC/FEVD

OBSERVAÇÃO
O VDF e FEDV contínuos estão disponíveis apenas em conjunto com o
DCC. Portanto, para obter medidas do EDV e RVEF, o DCC deve ser
configurado em um dos quadros grandes de parâmetro.

ADVERTÊNCIA
A monitorização de DCC/VDFC deve ser descontinuada quando o fluxo de
sangue ao redor do filamento térmico for interrompido. As situações clínicas
em que a monitorização do DCC/VDFC deve ser interrompida
incluem, mas não se limitam a:
• Períodos em que o paciente está com bypass cardiopulmonar,
• Retirada parcial do cateter para que o termistor não fique na artéria pulmo-
nar, ou
• Remoção do cateter do paciente.

9.3.1 Início do processo de monitorização


Quando o sistema estiver corretamente conectado, a mensagem a seguir será mostrada
no quadro de mensagens:
“Pressione a tecla iniciar para começar a monitorização do DCC”
A tecla de Iniciar/Parar DC está localizada no lado direito do painel frontal
do monitor Vigilance II.
Pressione essa tecla para iniciar a monitorização do DCC e VDFC. O
equipamento iniciará o processo de medida, exibindo a mensagem
“Coletando dados de Débito Cardíaco Contínuo...”
na parte inferior do quadro gráfico, até que o primeiro ponto de dados seja
traçado no gráfico. Depois de aproximadamente 6 a 9 minutos, quando dados
suficientes tiverem sido obtidos, aparecerá um valor de VDF e/ou FEVD nos
quadros grandes de parâmetro configurados.

4/26/06 Edwards Lifesciences 9-5


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

OBSERVAÇÃO
Os parâmetros do FEVC também podem ser configurados no quadro
pequeno de parâmetro. No entanto, os parâmetros configurados nesse
quadro não serão mostrados como tendências no quadro gráfico.

Os dados contínuos de VDF e FEDV também serão produzidos no quadro


gráfico se forem configurados nos quadros grandes de parâmetro. Um “x” azul
escuro piscante indica o valor de FEVD mais recente; o valor contínuo de VDF
é representado por um “n” quadrado roxo piscante. Os pontos de dados mais
recentes aparecem no lado direito do gráfico. À medida que novos dados
tornarem-se disponíveis, os valores de FEVD e VDF no quadro grande de
parâmetro serão atualizados (aproximadamente a cada 60 segundos), e novos
pontos serão traçados no gráfico.

OBSERVAÇÃO
Nenhum valor de VDF ou FEDV será mostrado no quadro grande de
parâmetro ou como tendência no quadro gráfico até que valores médios
referentes a um período estejam disponíveis.

Em algumas situações, nas quais as condições do paciente criarem grandes alterações


na temperatura do sangue da artéria pulmonar por vários minutos, o monitor poderá
levar mais de 9 minutos para obter uma medida inicial de VDF ou FEVD. Nesses
casos, a seguinte mensagem de alerta aparecerá 9 minutos após o início do
monitorização:
ALERTA VDFC: Adaptação do sinal — Continuando
O monitor continuará funcionando e nenhuma ação será necessária. Ao obter
medidas contínuas de VDF e FEDV, a mensagem de alerta será removida e os
valores atuais serão exibidos e traçados no gráfico.

OBSERVAÇÃO
Os valores de DCC poderão estar disponíveis mesmo quando o VDF e
FEVD não estiverem.

9.3.2 Monitorização do VDFC em curso


Quando a monitorização de VDFC estiver em execução, poderá ocorrer atrasos na
atualização da medida de VDF e FEDV devido à temperatura sangüínea instável da
artéria pulmonar. Se os valores não forem atualizados durante 8 minutos, aparecerá a
seguinte mensagem:
ALERTA VDFC: Adaptação do sinal — Continuando
Quando a freqüência cardíaca média estiver fora do limite (por exemplo, menos de 30
bpm ou mais de 200 bpm) ou quando não for detectada freqüência cardíaca, a seguinte
mensagem aparecerá:
ALERTA VDFC: Perda de Sinal da Freqüência Cardíaca
Os valores da monitorização contínua de VDF e FEDV não serão mais exibidos. Essa
condição pode ser causada por alterações fisiológicas no estado do paciente ou pela
perda do sinal enviado de ECG. O operador deve verificar as conexões do cabo da
interface do ECG e, se necessário, reconectá-las. Após a verificação do estado do
paciente e das conexões dos cabos, a monitorização do VDFC e do FEDV será
retomada automaticamente.

9-6 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de VDFC/FEVD

A precisão das avaliações contínuas de VDF e FEDV depende de um sinal do ECG


consistente do monitor à beira leito. Se o monitor Vigilance II detectar um alto grau de
variabilidade nos dados da freqüência cardíaca medida em relação a um período de
tempo, aparecerá a seguinte mensagem:
ALERTA VDFC: Padrão de ECG Irregular
Essa condição pode resultar de um sinal de ECG intermitente, que pode ser
causado por uma alteração fisiológica no estado do paciente devido a
eletrodos/conexões frouxos. O operador deve verificar os eletrodos e as
conexões do cabo de interface do ECG, e reposicioná-los ou reconectá-los, se
necessário.

OBSERVAÇÃO
Os valores de VDF e FEVD dependem de cálculos precisos da freqüência
cardíaca precisos. É necessário ter cuidado para exibir valores da freqüên-
cia cardíaca precisos, e evitar a contagem dupla, principalmente no caso de
estimulação AV.

Se o paciente tiver um marcapasso atrial ou atrial-ventricular (AV), o operador deve


avaliar a presença de sinal duplo (para determinações precisas da FC, apenas uma
espícula de marcapasso ou uma contração por ciclo cardíaco deve ser detectada). Se
houver sinal duplo, o operador deve:
• Reposicionar os eletrodos de referência para minimizar a detecção do pico auricu-
lar
• Selecionar a configuração adequada dos eletrodos para maximizar o sinal de
freqüência cardíaca e minimizar a detecção do pico auricular e
• Avaliar a miliamperagem (mA) correta para o nível de estimulação.
Se ocorrer um erro ou se a monitorização de VDFC for interrompida com o uso
da tecla Iniciar/Parar, o tamanho do valor numérico grande de VDF e/ou
FEVD será reduzido e um marcador de tempo será colocado embaixo do valor
e mostrará a hora de realização da última medida (Figura 9-5).

OBSERVAÇÃO
Pressione a tecla Iniciar/Interromper DC para interromper a monitorização
do VDF, FEDV e DCC.

Figura 9-5 Configuração do quadro grande com a monitorização


interrompida
Se o monitorização de VDFC for reiniciada, aparecerá uma lacuna no gráfico de
tendência indicando o período no qual a monitorização contínua foi interrompida
(Figura 9-6).

4/26/06 Edwards Lifesciences 9-7


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 9-6 Gráfico de tendências com uma lacuna referente aos dados
faltantes

9.3.3 Caixas de leitura rápida de VDF e FEVD


Um sinal térmico hemodinamicamente instável poderá fazer com que ocorra
atraso na exibição dos valores de VDF, IVDF e/ou FEVD no monitor
Vigilance II após o início da monitorização. O médico poderá utilizar a tela
instantânea no quadro secundário, que apresenta estimativas rápidas de valores
VDF ou IVDF, e os valores do FEVD atualizados aproximadamente a cada 60
segundos.

OBSERVAÇÃO
As Caixas de leitura rápida só estarão disponíveis para esses parâmetros se
estiverem configurados nos quadros grandes de parâmetro.

A estimativa rápida mais recente será mostrada no lado direito do quadro secundário
na caixa de leitura rápida com um marcador de tempo sobre a caixa. À medida que os
novos valores rápidos forem atualizados, os valores anteriores se deslocarão para a
esquerda e serão acompanhados pela duração do tempo que passou desde que esse
valor e o mais atual foram mostrados pela primeira vez. Os períodos de tempo
decorridos para esses valores são mostrados entre parênteses sobre as caixas de leitura
rápida.
Um temporizador de contagem regressiva na parte superior direita do quadro
secundário mostra quando a próxima estimativa de VDFC rápido, IVDF rápido ou
EDV é esperada (em minutos e segundos).

9-8 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de VDFC/FEVD

Figura 9-7 Tela Caixas de Leitura Rápida

OBSERVAÇÃO
Se o valor rápido estimado para uma sucessão não estiver indisponível, um
quadro em branco será mostrado. Se o valor rápido estiver fora intervalo,
traços (“- - -”) serão mostrados na caixa de leitura rápida.
OBSERVAÇÃO
Pressione a tecla Dados do Paciente para visualizar a tela Perfil Cardíaco do
paciente. Os dados rápidos podem ser inserido manualmente nessa área.

9.4 Mensagens para resolução de problemas de VDFC


As mensagens de alerta de VDFC são mostradas no quadro de mensagem do monitor
Vigilance II. Dependendo das circunstâncias, uma das diversas mensagens de alerta
pode aparecer no quadro de mensagem que fornece ajuda para a qualificação dos
resultados de medidas do VDF e/ou FEVD. Essas mensagens podem aparecer na tela
sem notificação sonora. Se o alerta causar a interrupção do processamento de DCC, a
mensagem de erro será acompanha por dois bipes rápidos que continuarão sendo
emitidos até que sejam silenciados pelo operador (com o botão do teclado silenciar
alarme) ou que a condição seja resolvida. Em muitos casos, não será necessária
nenhuma ação corretiva quando uma mensagem de alerta for mostrada.
O monitor Vigilance II oferece um menu de ajuda para obter detalhes dos eventos que
produzem as mensagens, sua possível causa, e sugestões de medidas corretivas para
resolver o problema e retomar o monitorização.
São apresentadas a seguir informações passo a passo sobre processo para acessar a
função Ajuda para uma das mensagens possíveis. Uma tabela é fornecida no final
deste capítulo com um lista de todas as mensagens referentes à monitorização de
FEVD ou VDFC.

9.4.1 Acesso à ajuda do FEVD e VDFC


1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone da Ajuda no quadro da
barra de ferramentas.
2. Pressione o botão. A Tela Ajuda aparecerá no quadro secundário.
A Figura 9-8 mostra uma parte dessa tela.

OBSERVAÇÃO
O menu da tela Ajuda permite selecionar ajuda relacionada a qualquer modo
de monitorização de parâmetros do Vigilance II listados no lado esquerdo da
tela.

4/26/06 Edwards Lifesciences 9-9


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 9-8 Menu da Tela Ajuda


3. Gire o botão de navegação para destacar VDFC.
4. Pressione o botão. O menu da tela Ajuda de VDFC aparecerá no quadro
secundário (Figura 9-9).

Figura 9-9 Exibição da Tela de Ajuda de VDFC


Essa tela fornece ajuda para as mensagens de alerta. Além disso, o menu
possui uma opção de acesso a informações gerais para Resolução de
problemas.

OBSERVAÇÃO
A figura 9-9 inclui categorias de “Erros” e “Advertências” em cinza. Isso sig-
nifica que a versão instalada do software não inclui mensagens de erro ou
de advertência que possam ser mostradas durante o processo de moni-
torização de VDFC.

5. Gire o botão de navegação para destacar a categoria de Alertas.


6. Pressione o botão. Será mostrada uma lista de todas as mensagens para a catego-
ria em questão.

9-10 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de VDFC/FEVD

As telas das mensagens de alerta de VDFC são mostradas na figura 9-10.

Figura 9-10 Tela das mensagens de alerta de VDFC

9.4.2 Acesso a informações da mensagem


Para obter informações sobre uma determinada mensagem, siga as etapas do exemplo
abaixo:
Na tela Mensagens de alerta de VDFC:
1. Gire o botão de navegação para destacar a mensagem Adaptação do sinal - Con-
tinuando.
2. Pressione o botão

O quadro secundário apresentará informações referentes à possível causa para a


mensagem e sugerirá ações que deverão ser executadas pelo operador para resolver o
problema e retomar o monitorização normal de VDFC (Figura 9-11). Será necessário
mais de uma página para exibir a lista de ações de ajuda da Ação sugerida. Para
acessar a segunda página com as ações sugeridas restantes, selecione Página
seguinte.

4/26/06 Edwards Lifesciences 9-11


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 9-11 Alerta da tela Ajuda de VDFC: Adaptação do sinal -


Continuando

OBSERVAÇÃO
Se um erro ou mensagem de alerta for mostrada no quadro de
mensagens, selecione o ícone da Ajuda Ícone para visualizar a
possível causa e a ação sugerida especificamente para essa
mensagem.

Conforme o mostrado na exibição de duas páginas da Tela de Ajuda de VDFC:


Alertas, Adaptação do sinal - Continuando na figura 9-11, uma ajuda gráfica
encontra-se disponível para a resolução de problemas. Se a ajuda gráfica não estiver
disponível, a opção “Gráfico” deverá aparecer em cinza e não poderá ser destacada.

9.4.3 Acesso à ajuda gráfica


Para acessar a ajuda gráfica:
1. Gire o botão de navegação para destacar Gráfico.
2. Pressione o botão.
A ajuda gráfica aparecerá no quadro secundário (Figura 9-12).

9-12 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de VDFC/FEVD

Figura 9-12 Ajuda gráfica para as ações sugeridas para a resolução de


problemas referente à Mensagem de alerta “Adaptação do sinal -
Continuando”

9.4.4 Retornar, Sair


Em todas as telas de menu, duas opções normalmente aparecem: Retornar e Sair.
Usando o botão de navegação para destacar e selecionar a opção Retornar e voltar
para a tela anterior. Selecione Sair para sair da tela de ajuda e voltar para a tela de
monitorização anterior.

9.4.5 Teste do cabo de DCC do paciente


O teste do cabo de DCC do paciente permite que o usuário verifique integridade do
cabo de DCC do paciente. Instruções detalhadas sobre essa opção são apresentadas no
Capítulo 14: Resolução de problemas .

9.4.6 Lista de mensagens de VDFC


A lista de mensagens de VDFC é apresentada abaixo. Informações mais detalhadas
sobre cada mensagem, incluindo as possíveis causas para produção das mesmas e as
ações sugeridas para o operador, são fornecidas no capítulo 14, Resolução de
Problemas.

9.4.6.1 Alertas
• Perda de sinal da freqüência cardíaca
• Padrão de ECG irregular
• Adaptação do sinal - Continuando

9.4.6.2 Guia para Solucionar Problemas


• FCméd medida pelo Vigilance II está diferente do monitor multiparamétrico

4/26/06 Edwards Lifesciences 9-13


Capítulo 10
MONITORIZAÇÃO DE OXIMETRIA
10.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
10.2 Configuração da oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
10.2.1 Preparação do cateter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
10.3 Calibração in vitro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-3
10.3.1 Procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-3
10.3.2 Como concluir a calibração de oximetria. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-6
10.3.3 Como cancelar o processo de calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-7
10.4 Calibração in vivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-7
10.5 Recuperar dados do MO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-11
10.6 Atualização de Hb . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-13
10.7 Reinicialização do módulo óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-14
10.8 Novo cateter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-14
10.9 Tendência de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-15
10.10 Indicador de qualidade do sinal (IQS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-15
10.11 Mensagens para resolução de problemas de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-16
10.11.1 Como acessar a ajuda da monitorização de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-16
10.11.2 Acesso a informações da mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-17
10.11.3 Como acessar a Ajuda gráfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-18
10.11.4 Retornar, Sair . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5 Lista de mensagens de oximetria (SvO2) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.1 Erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.2 Alertas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.3 Advertências. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
10.11.5.4 Guia para Solucionar Problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19
Figuras
Figura 10-1 Localização de armazenamento do módulo óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-2
Figura 10-2 Destaque do quadro de oximetria com o menu do quadro grande de parâmetro. . . . . 10-3
Figura 10-3 Menu quadro grande de parâmetro de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-4
Figura 10-4 Menu Calibração in vitro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-4
Figura 10-5 Mensagem Calibrando in vitro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-5
Figura 10-6 Instrução para o início da calibração in vitro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-6
Figura 10-7 Exibição da tela de Erro de Calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-6
Figura 10-8 Mensagem Calibração in vivo em curso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-8
Figura 10-9 Instruções a serem seguidas após a conclusão da linha de base . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-9
Figura 10-10 Tela de exibição da hora da coleta e valores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-9
Figura 10-11 Tela de introdução de valores laboratoriais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-10
Figura 10-12 Mensagem de atualização do módulo óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-10
Figura 10-13 Tela de exibição de dados de calibração do módulo óptico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-12
Figura 10-14 Seleção da opção Atualizar Hb . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-13
Figura 10-15 Menu Tela de Ajuda. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-17
Figura 10-16 Menu Tela de Ajuda de Oximetria. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-17
Figura 10-17 Telas de Ajuda de oximetria em duas páginas, primeira página . . . . . . . . . . . . . . . . 10-18
Figura 10-18 Telas de Ajuda de oximetria em duas páginas, segunda página . . . . . . . . . . . . . . . . 10-18
Figura 10-19 Ajuda gráfica para as ações sugeridas para a resolução de problemas
referentes às Mensagens de alerta “IQS = 4”. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10-19

10-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

10.1 Geral
Este capítulo apresenta instruções para a calibração e utilização da medida de
oximetria (saturação do oxigênio, incluindo, entre outras, SvO2 e ScvO2) no monitor
Vigilance II. Consulte o Capítulo 5 para obter informações gerais sobre a configuração
da tela e sobre as características de alarme. O monitor Vigilance II é compatível com
todos os cateteres de oximetria da Edwards Lifesciences.
A Figura 10-1. ilustra o local de armazenamento do módulo óptico.

Figura 10-1 Localização de armazenamento do módulo óptico

10.2 Configuração da oximetria


Para realizar a monitorização de oximetria é necessário calibrar o módulo óptico. A
calibração pode ser realizada in vitro (antes da inserção do cateter no paciente), ou in
vivo (após a inserção do cateter no paciente). Os procedimentos de calibração são os
mesmos para todos os cateteres de oximetria.
10.2.1 Preparação do cateter
Para conectar o cateter de oximetria da Edwards no módulo óptico para a
monitorização de oximetria:
1. Retire uma divisão da tampa da bandeja para expor o conector do módulo óptico.
2. Insira o conector do módulo óptico com o lado de “CIMA” voltado para cima, no
módulo óptico.
3. Insira o conector do módulo óptico no conector de SvO2 do monitor Vigilance II.
Ligue o monitor Vigilance II.
4. As seguintes mensagens serão mostradas na tela:
Inicialização de oximetria, favor aguardar
Seguida por:
Módulo Óptico ligado, favor aguardar
Seguida por:
Módulo Óptico não calibrado - Selecione oximetria para calibrar

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

10.3 Calibração in vitro


A calibração in vitro deve ser realizada antes da inserção do cateter no
paciente, com a utilização do recipiente de calibração fornecido na embalagem
do cateter.

PRECAUÇÃO
O cateter e o recipiente de calibração devem estar secos para que a calibração
in vitro seja precisa. Lave o lúmen do cateter somente após a conclusão da
calibração in vitro.
PRECAUÇÃO
A calibração in vitro não será realizada corretamente se for executada após a
inserção do cateter no paciente.

10.3.1 Procedimento
A configuração da medida de oximetria do monitor Vigilance II deve ser executada
com a utilização do botão de navegação.
1. Gire e pressione o botão de navegação para destacar o Quadro grande de
parâmetro no qual o parâmetro de oximetria deverá aparecer (a localização padrão
é o quadro grande de parâmetro 1). O Menu Quadro Grande de Parâmetro apare-
cerá no quadro secundário.
2. Selecione a opção Parâmetro para alterar a identificação de oximetria (SvO2 ou
ScvO2) no Quadro grande de parâmetro.
3. Configure o quadro grande de parâmetro para a monitorização de oximetria de
acordo com as instruções apresentadas no Capítulo 5. Quando a SvO2 ou ScvO2
for selecionada como parâmetro, o menu exibirá as opções disponíveis para
seleção de oximetria no lado esquerdo do menu, como mostra a Figura 10-2 e o
detalhe ampliado na Figura 10-3.

Figura 10-2 Destaque do quadro de oximetria com o menu do quadro


grande de parâmetro

10-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

Figura 10-3 Menu quadro grande de parâmetro de oximetria


4. Gire o botão de navegação para destacar Calibração in vitro.
5. Pressione o botão. Um menu aparecerá no lado direito do quadro (veja a Figura
10-4) e permitirá que o operador insira valores de hemoglobina (Hb) ou
hematócrito (Hct) do paciente. O operador também poderá utilizar os valores pre-
definidos fornecidos. Para inserir novos valores, execute os procedimentos descri-
tos nas etapas 5 a 12.

Figura 10-4 Menu Calibração in vitro

OBSERVAÇÃO
Se forem inseridos de um valor de Hb ou de Hct, o monitor Vigilance II calcu-
lará automaticamente o outro valor. Se tanto o valor de Hb quanto de Hct for
inserido, o monitor aceitará o valor que tiver inserido por último.

6. Gire o botão de navegação para destacar Hb.


7. Pressione o botão. O destaque aparece em uma
caixa do menu instantâneo com as unidades atuais.
8. Gire o botão até destacar a unidade de medida dese-
jada.
9. Pressione o botão de navegação para selecionar a unidade g/dl (por exemplo). O
destaque se deslocará para o campo do valor próximo à unidade de medida sele-
cionada no menu instantâneo.

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

10. Em seguida, o valor da unidade selecionada será destacado e poderá ser alterado.
Para isso, gire o botão de navegação no sentido horário para aumentar o valor da
Hb e em sentido anti-horário para diminuir esse valor.
11. Pressione o botão de navegação quando o valor correto aparecer.
12. Para mudar o valor do hematócrito, gire o botão de navegação para destacar o
parâmetro de Hct.
13. Pressione o botão. Em seguida, o valor exibido também será destacado e poderá
ser alterado. Para isso, gire o botão de navegação no sentido horário para aumen-
tar o valor da Hct e em sentido anti-horário para diminuir esse valor.
14. Pressione o botão de navegação quando o valor correto aparecer.
15. Depois de inserir os valores laboratoriais ou se o valores predefinidos mostrados
no menu forem ser utilizados [11,5 g/dl (7,2 mmol/l) para Hb e 35% para Hct],
gire o botão de navegação para destacar Calibrar.
16. Pressione o botão. A tela do menu exibirá a mensagem mostrada na Figura 10-5.
Será feita uma contagem regressiva por segundo do valor restante.

Figura 10-5 Mensagem Calibrando in vitro

10-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

10.3.2 Como concluir a calibração de oximetria


Se a calibração da oximetria for concluída com sucesso, a tela será mostrada da
maneira mostrada na Figura 10-6.

Figura 10-6 Instrução para iniciar a calibração in vitro


Se não for possível realizar a calibração in vitro no sistema, a mensagem mostrada na
Figura 10-7 aparecerá no quadro secundário.

Figura 10-7 Exibição da tela de Erro de Calibração


O operador poderá selecionar Calibrar para repetir o processo de calibração da
oximetria, ou Cancelar para voltar para o começo do processo de calibração.
Se a opção Iniciar for selecionada, a mensagem mudará para:
Atualização do módulo óptico em curso.
Não desconecte o módulo óptico.
Pronto em xx segundos

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-6


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

onde xx é atualizado de um em um segundo em um intervalo total de 25


segundos.

PRECAUÇÃO
Não desconecte o módulo óptico enquanto a calibração e os dados do paciente
estiverem sendo transferidos do monitor Vigilance II.

OBSERVAÇÃO
Insira o cateter no paciente de acordo com as instruções de uso do cateter
antes de selecionar Iniciar.

10.3.3 Como cancelar o processo de calibração


A opção Cancelar estará disponívelem todas as etapas do processo de calibração da
oximetria. Se a opção Cancelar for selecionada, serão excluídos todos os valores
inseridos para os parâmetros de oximetria. A tela voltará para a tela principal.

10.4 Calibração in vivo


A calibração in vitro deve ser realizada após a inserção do cateter no paciente.

ADVERTÊNCIA
Consulte as instruções de uso fornecidas com cada cateter para obter instruções
específicas sobre colocação e uso, e sobre ADVERTÊNCIAS, PRECAUÇÕES e
ESPECIFICAÇÕES importantes.
ADVERTÊNCIA
Não utilize catéteres danificados ou com contatos elétricos expostos.

OBSERVAÇÃO
O processo de coleta de sangue para exames laboratoriais deve ser real-
izado por profissionais aprovados pela instituição. Um valor de medida de
oximetria deve ser obtido em um co-oxímetro.
OBSERVAÇÃO
Para máxima precisão recomenda-se que a calibração in vivo seja realizada
a cada 24 horas.

1. Utilizando o botão de navegação, selecione o quadro de oximetria da tela princi-


pal. O menu Quadro grande de parâmetro para a SvO2 ou ScvO2 aparecerá no
quadro secundário.
2. Utilizando o botão de navegação, selecione o processo Calibração in vivo. Con-
forme o mostrado na Figura 10-8, o monitor começará o processo de calibração e
a mensagem correspondente aparecerá no menu:
Configuração da linha de base em curso para calibração in vivo.
Pronto em xx segundos.
Será feita uma contagem regressiva de 25 segundos.

10-7 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

Figura 10-8 Mensagem Calibração in vivo em curso

Se a configuração da linha de base não for realizada com sucesso, uma das seguintes
mensagens serão exibidas no quadro grande de parâmetro de oximetria:

Ou

Se for detectado um cateter encostado na parede do vaso ou encunhado ou se a


mensagem Sinal instável aparecer, tente resolver o problema de acordo com as
instruções apresentadas no Capítulo 14, Resolução de problemas, e selecione
Calibração in vivo para reiniciar a configuração do baseline.
O operador também poderá selecionar a opção Continuar, que permitirá que o
monitor Vigilance II monitor continue o processo de coleta.
O operador poderá ainda selecionar a opção Cancelar. A utilização da opção
Cancelar fará com que o sistema volte para o começo do processo de calibração da
oximetria.
Se a calibração da linha de base for realizada com sucesso, a mensagem mostrada no
menu passará a fornecer instruções para a próxima etapa. Veja a Figura 10-9.

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-8


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 10-9 Instruções a serem seguidas após a conclusão da linha de


base
3. A configuração predefinida é Colher. IMPORTANTE: Pressione o botão de
navegação antes de colher a amostra de sangue. A tela mudará para mostrar a hora
da coleta e os valores dos parâmetros de SvO2 ou ScvO2 e Hb na hora da coleta,
conforme o mostrado na Figura 10-10.

Figura 10-10 Tela de exibição da hora da coleta e valores


4. Colha a mostra de sangue lentamente do lúmen distal.
5. Colha a amostra de sangue para exame laboratorial lentamente (2 ml (cc) em 30
segundos).
6. Envie a amostra de sangue para análise pelo co-oxímetro.

OBSERVAÇÃO
Enquanto aguarda os valores laboratoriais de Hb/Hct e de oximetria, é pos-
sível acessar outros modos selecionando Retornar. Para voltar para a tela
Para voltar para a tela Calibração in vivo, selecione o quadro grande de
parâmetro de oximetria e, em seguida, selecione Calibração in vivo.

10-9 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

7. Ao receber os resultados do exame laboratorial referente á amostra colhida, utilize


o botão de navegação para inserir o valor da oximetria e de Hb ou Hct.

Figura 10-11 Tela de introdução de valores laboratoriais

OBSERVAÇÃO
Se forem inseridos de um valor de Hb ou de Hct, o monitor Vigilance II calcu-
lará automaticamente o outro valor. Se tanto o valor de Hb quanto de Hct for
inserido, o monitor aceitará o valor que tiver inserido por último.

8. Depois de inserir os valores, utilize o botão de navegação para selecionar Cali-


brar. Com isso, será iniciada a calibração do módulo óptico, como mostra a men-
sagem do menu mostrada na tela e ilustrada na Figura 10-12.

Figura 10-12 Mensagem de atualização do módulo óptico


9. No final da contagem regressiva de 25 segundos, o menu Calibrar será removido
da tela e será exibido o menu Quadro grande de parâmetro de oximetria. Esse
menu permite a configuração dos limites de alarme e as informações sobre o
mesmo são apresentadas no Capítulo 5: Telas, Controles, Alarmes e Indicadores
Do Monitor.

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-10


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

10.5 Recuperar dados do MO


Em caso de necessidade de transportar o paciente durante a monitorização da
oximetria, os dados do paciente (ex.:, altura, peso e ASC) e as informações sobre a
calibração do sistema poderão ser transferidas com o paciente através do módulo
óptico, sem que haja necessidade de calibrar novamente o monitor.
1. Com o cateter conectado no módulo óptico, desconecte o cabo do módulo
óptico do monitor Vigilance II e transporte-o juntamente com o paciente. O
cateter não deve ser desconectado do módulo óptico.

OBSERVAÇÃO
Não é necessário transferir o monitor com o paciente. Todos os monitores
da Edwards, com exceção do SAT-1, compatíveis com o módulo óptico
podem ser utilizados para medidas de oximetria.

2. Se o módulo óptico estiver sendo conectado a outro monitor Vigilance II, pres-
sione o botão do teclado Dados do Paciente no painel frontal e, em seguida, sele-
cione Novo paciente. Selecione a opção Sim e em seguida Sim novamente para
confirmar que um novo paciente está sendo conectado ao monitor.
3. Quando o paciente tiver sido transferido, reconecte o cabo do módulo óptico no
monitor Vigilance II. Ligue o monitor Vigilance II.
4. Destaque e selecione o quadro grande de parâmetro de oximetria. Selecione Reca-
librar Módulo Óptico.
5. Aparecem os dados de calibração do módulo óptico (consulte a Figura 10-13).

10-11 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

Figura 10-13 Tela de exibição de dados de calibração do módulo


óptico
6. Se os dados armazenados no módulo óptico tiverem menos de 24 horas,
serão exibidas instruções de confirmação e uma confirmação Sim/Não.
Selecione Sim para iniciar a monitorização da oximetria utilizando as
informações de calibração recuperadas. Se a opção Não for selecionada, as
informações sobre a calibração não serão recuperadas e será necessário
realizar uma calibração in vivo.

OBSERVAÇÃO
Atualize sempre a data e a hora em todos os monitores Vigilance II. Se a
data e/ou a hora do monitor Vigilance II, “do qual” os dados estão sendo
transportados, for diferente da hora e/ou data do monitor Vigilance II “para o
qual” os dados estão sendo transportados, o teste de 24 horas poderá não
funcionar corretamente.

7. Se os dados armazenados no módulo óptico tiverem mais de 24 horas, não será


possível recuperar os dados do módulo óptico e será necessário realizar uma nova
calibração. Aparecerá a seguinte mensagem:
Dados do paciente no Mód. Óptico superior a 24 horas.
Recalibrar o módulo óptico.
Continuar
Selecione Continuar para sair do menu de calibração e selecione
Calibração in vivo para recalibrar o módulo óptico.

OBSERVAÇÃO
Se for preciso recalibrar o sistema, será necessário aguardar 10 minutos
para o aquecimento do módulo óptico.
OBSERVAÇÃO
Se os dados do paciente contidos no módulo óptico não forem confiáveis, a
mensagem “Impossível ler a memória do módulo óptico. Recalibrar.”
aparecerá com a opção Continuar. Selecione Continuar e prossiga para
Calibração in vivo.

8. Para rever os dados do paciente que foram transportados com o módulo óptico,
pressione o botão do teclado Dados do paciente no lado direito do monitor
Vigilance II.
4/26/06 Edwards Lifesciences 10-12
Manual do Operador do Monitor Vigilance II

10.6 Atualização de Hb
A função de atualização poderá ser utilizada se uma calibração tiver sido realizada
anteriormente ou se os dados de calibração tiverem sido recuperados do módulo
óptico. Para atualizar os dados de calibração:
1. Destaque e selecione o quadro grande de parâmetro de oximetria. Selecione Atu-
alizar Hb.
2. O menu a seguir aparecerá:

Figura 10-14 Seleção da opção Atualizar Hb


3. Os valores exibidos de Hb e Hct podem ser utilizados ou novos valores
inseridos.

OBSERVAÇÃO
Se forem inseridos de um valor de Hb ou de Hct, o monitor Vigilance II calcu-
lará automaticamente o outro valor. Se tanto o valor de Hb quanto de Hct for
inserido, o monitor aceitará o valor que tiver inserido por último.

4. Para modificar o valor da Hb, destaque Hb.


5. Pressione o botão. O destaque aparece em uma caixa
do menu instantâneo acima das unidades atuais.
6. Gire o botão até destacar a unidade de medida dese-
jada.
7. Pressione o botão de navegação para selecionar a unidade g/dl (por exemplo). O
destaque se deslocará para o campo do valor próximo à unidade de medida sele-
cionada no menu instantâneo.
8. Em seguida, o valor da unidade selecionada será destacado e poderá ser alterado.
Para isso, gire o botão de navegação no sentido horário para aumentar o valor da
Hb e em sentido anti-horário para diminuir esse valor.
9. Pressione o botão de navegação quando o valor correto aparecer.
10. Para modificar o valor do Hct, destaque e selecione Hct. O valor do Hct será
destacado e poderá ser alterado. Para isso, gire o botão de navegação no sentido
horário para aumentar o valor e em sentido anti-horário para diminuí-lo. Pres-
sione o botão selecionar o valor desejado. O valor da Hb será calculado e exibido
automaticamente.
11. Para recalibrar o módulo óptico, selecione Calibrar, a seguinte mensagem será
exibida:
10-13 Edwards Lifesciences 4/26/06
Monitorização de oximetria

12. Para encerrar o processo de calibração, selecione Cancelar. Todos os valores de


Hb e Hct que tiverem sido inseridos serão excluídos e o menu Atualizar Hb será
fechado.

10.7 Reinicialização do módulo óptico


Quando o IQS estiver continuamente alto, a reinicialização do módulo óptico poderá
estabilizar a qualidade do sinal. A reinicialização do módulo óptico só deverá ser
realizada depois que o usuário tiver tentado as sugestões para resolver o problema de
IQS descritas no Capítulo 14, Resolução de problemas.
Sigas as etapas abaixo para reinicializar o módulo óptico:
1. Selecione Reinciar Óptico. Aparecerá a seguinte mensagem:
Atualização do Módulo Óptico em curso.
Não desconecte o Módulo Óptico.
Pronto em xx segundos.

OBSERVAÇÃO
O monitor não permitirá a reinicalização do módulo óptico antes da cali-
bração nem antes da recuperação dos dados do módulo óptico.

10.8 Novo cateter


Será necessário recalibrar o sistema quando um novo cateter for utilizado no paciente.
Siga as etapas abaixo para fazer um nova calibração:
1. Destaque e selecione o quadro grande de parâmetro de oximetria. Selecione Novo
Cateter.
2. O operador deverá confirmar que um novo cateter está senso conectado. Para con-
firmar, selecione Sim. A opção Calibração in vitro estará disponível para seleção
e calibração do novo cateter. A seleção da opção Não indica que um novo cateter
não está sendo conectado e que o monitor continuará a monitorização da oxime-
tria.

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-14


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

10.9 Tendência de oximetria


Consulte o Capítulo 11: Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação
de Dados e Modo Percorrer para obter detalhes.

10.10 Indicador de qualidade do sinal (IQS)


O IQS reflete a qualidade do sinal com base na condição do cateter e no
posicionamento do vaso através de um indicador de qualidade do sinal de quatro
níveis. O nível do IQS é atualizado a cada 2 segundos após a conclusão da calibração
da oximetria.
O IQS apresenta quatro nível de sinal. Esses níveis são:

Nível 1 (verde) Normal Todos os aspectos do sinal estão ótimos


Nível 2 (verde) Intermediário Indica um sinal com comprometimento moderado
Nível 3 (amarelo) Insatisfatório Indica qualidade insatisfatória do sinal
Nível 4 (vermelho) Inaceitável Indica um problema grave em um ou mais aspectos
da qualidade do sinal

Os seguintes fatores podem interferir na qualidade do sinal:


• Pulsatilidade (e.x: biselamento da ponta do cateter)
• Intensidade do sinal (ex:, dobras no cateter, coágulo, hemodiluição)
• Contato intermitente do cateter com a parede do vaso

A qualidade do sinal será mostrada durante a calibração in vivo e a execução


das funções de atualização da Hb. Recomenda-se que as calibrações sejam
realizadas somente quando o IQS estiver no nível 1 ou 2. O usuário deverá
resolver o problema do sinal de oximetria sempre com o IQS ≥ 3. Consulte o
Capítulo 14: Resolução de problemas.

10-15 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

OBSERVAÇÃO
O sinal IQS algumas vezes é afetado pela presença de unidades eletrocirúr-
gicas. Tente afastar o eletrocautério e os cabos do monitor Vigilance II e, se
possível, ligue os cabos de força em circuitos de CA diferentes. Se os prob-
lemas de qualidade do sinal persistirem, entre em contato com o represen-
tante local da Edwards para assitência.
OBSERVAÇÃO
Para obter precisão máxima, recomenda-se que os valores inseridos de Hb
e Hct sejam atualizados quando houver uma mudança fisiológica de 6% ou
mais no Hct ou de 1,8 g/dl (1,1 mmol/l) ou mais na Hb. Alterações na hemo-
globina também podem afetar o IQS. Utilize a função Atualizar Hb para corri-
gir os problemas de qualidade do sinal (veja a Seção 10.6).

10.11 Mensagens para resolução de problemas de oximetria


As mensagens de erro/alerta de oximetria são mostradas no quadro de mensagem do
monitor Vigilance II. Dependendo das circunstâncias, a mensagem pode indicar:
• Um erro que requer intervenção imediata do operador para retomar a monitoriza-
ção da oximetria. A mensagem de erro será acompanha por dois bipes rápidos que
continuarão sendo emitidos até que sejam silenciados pelo operador (com o botão
do teclado Silenciar Alarme) ou que a condição seja resolvida. A mensagem será
exibida no Quadro de Mensagens; ou,
• Um alerta, para ajudar a obter ajuda para qualificar os resultados da medida. Essas
mensagens aparecem na tela sem notificação sonora. Em muitos casos, não será
necessária nenhuma ação corretiva quando uma mensagem de alerta for mostrada.
A mensa em será exibida no Quadro de Mensagens; ou
• Uma advertência relacionada à calibração do sistema exibida no quadro
secundário quando o processo de calibração estiver comprometido.
O monitor Vigilance II oferece um menu de ajuda para obter detalhes dos eventos que
produzem as mensagens, sua possível causa, e sugestões de medidas corretivas para
resolver o problema e retomar o monitorização.
São apresentadas a seguir informações sobre como acessar o menu Ajuda.
10.11.1 Como acessar a Ajuda da monitorização de oximetria
1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone da Ajuda no quadro da
barra de ferramentas.
2. Pressione o botão. A Tela Ajuda aparecerá no quadro
secundário. A Figura 10-15 mostra uma parte dessa tela.

OBSERVAÇÃO
O menu da tela Ajuda permite selecionar ajuda relacionada a qualquer
parâmetro do monitor do Vigilance II listado no lado esquerdo da tela.

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-16


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 10-15 Menu da Tela Ajuda


3. Gire o botão para destaca Oximetria.
4. Pressione o botão.O menu da tela Ajuda de oximetria aparecerá no quadro
secundário (Figura 10-16).

Figura 10-16 Menu Tela de Ajuda de Oximetria


A Tela de Ajuda de oximetria fornece ajuda para mensagens de erro, alertas e
mensagens de advertência para a monitorização de oximetria. Além disso, o menu
possui uma opção de acesso a informações gerais para Resolução de problemas.
5. Gire o botão de navegação para destacar a categoria Erros, Alertas, ou
Advertências.
6. Pressione o botão. Será mostrada uma lista de todas as mensagens para a catego-
ria em questão.
10.11.2 Acesso a informações da mensagem
Para obter informações sobre uma determinada mensagem, siga as etapas do exemplo
abaixo:
Na primeira página das mensagens de alerta de oximetria SvO2:
1. Gire o botão de navegação para destacar a mensagem IQS = 4.
2. Pressione o botão.

Em seguida, o quadro secundário apresentará informações referentes à(s)


possível(is) causa(s) para a mensagem e sugerirá ações para resolver o
problema e retomar a monitorização normal da oximetria (Figura 10-17).

10-17 Edwards Lifesciences 4/26/06


Monitorização de oximetria

OBSERVAÇÃO
Se um erro ou mensagem de alerta for mostrada no quadro
de mensagens, selecione o ícone da Ajuda para visualizar a
possível causa e a ação sugerida especificamente para essa
mensagem.

O número de causas possíveis e de ações sugeridas pode ser maior do que o exibido no
quadro secundário. Se a mensagem exibida não estiver na primeira “página” deste
menu, utilize o botão de navegação para exibir a Segunda página, gire para destacar e
selecione Página seguinte. As informações apresentadas na primeira e na segunda
página na tela de Ajuda de oximetria IQS = 4 mostram as possíveis causas e sugerem
ações para a mensagem IQS = 4. Os exemplos apresentados nas Figuras 10-17 e 10-18
são de SvO2.

Figura 10-17 Telas de Ajuda de oximetria em duas páginas, primeira página

Figura 10-18 Telas de Ajuda de oximetria em duas páginas, segunda página


Conforme o mostrado na exibição de Alertas da tela de Ajuda de oximetria IQS = 4,
na Figura 10-17, existe uma ajuda gráfica disponível para a resolução de problemas.
Se a ajuda gráfica não estiver disponível, a opção “Gráfico” deverá aparecer em cinza
e não poderá ser selecionada.
10.11.3 Como acessar a ajuda gráfica
Para acessar a ajuda gráfica:
1. Gire o botão de navegação para destacar Gráfico.
2. Pressione o botão.
A ajuda gráfica aparecerá no quadro secundário (Figura 10-19).

4/26/06 Edwards Lifesciences 10-18


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 10-19 Ajuda gráfica para as ações sugeridas para a resolução


de problemas referentes às Mensagens de alerta “IQS = 4”

OBSERVAÇÃO
A ajuda gráfica fornecida se aplica à monitorização de oximetria na artéria
pulmonar.

10.11.4 Retornar, Sair


Em todas as telas de menu, duas opções aparecem: Retornar e Sair. Utilize o botão
de navegação para destacar e selecionar Retornar para a voltar para a tela de Ajuda
anterior. Selecione Sair para sair da tela de ajuda e voltar para a tela de monitorização
anterior.
10.11.5 Lista de mensagens de oximetria (SvO2)
10.11.5.1 Erros
• Faixa da luz
• Módulo Óptico Desconectado
• Memória Módulo Óptico
• Valor Fora da Faixa
• Transmissão Luz Vermelha/IV
• Temperatura do Módulo Óptico
• Oximetria não disponível
10.11.5.2 Alertas
• IQS = 4
10.11.5.3 Advertências
• Erro da Calibração In Vitro
• Sinal Instável
• Cateter encostado na parede do vaso ou encunhado
10.11.5.4 Guia para solucionar problemas
• Módulo Óptico não calibrado - Selecione Oximetria para Calibrar
• Dados do paciente no Mód. Óptico superior a 24 horas

10-19 Edwards Lifesciences 4/26/06


Capítulo 11
GRÁFICO TENDÊNCIAS, GRÁFICO INSTANTÂNEO,
GRÁFICO DE RELAÇÃO DE DADOS E MODO PERCORRER

11.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-2


11.2 Recursos do Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-2
11.3 Configuração da tela Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-4
11.3.1 Configuração do Gráfico Tendências. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-4
11.3.2 Configuração do Eixo de Tempo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-4
11.3.3 Como acrescentar um evento ao Gráfico de Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-5
11.3.4 Como rever eventos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-6
11.4 Gráfico Instantâneo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-7
11.5 Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-8
11.5.1 Como acessar a tela de Gráfico de Relação de Dados e o Menu de Configuração . . . . . 11-8
11.5.2 Configuração do Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-10
11.6 Modo Percorrer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-15

Figuras
Figura 11-1 Gráfico Tendências com marcadores de eventos e pontos relativos
a parâmetros de bolus. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-3
Figura 11-2 Menu Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-4
Figura 11-3 Menu Adicionar evento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-5
Figura 11-4 Tela Rever eventos do Gráfico Tendências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-7
Figura 11-5 Tela Gráfico Instantâneo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-7
Figura 11-6 Como destacar o Quadro Secundário (Borda) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-9
Figura 11-7 Tela Gráfico de Relação de Dados. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-9
Figura 11-8 Menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-10
Figura 11-9 Ajuste da escala no menu Gráfico de Relação de Dados. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-12
Figura 11-10 Ajuste da linha vermelha no menu Gráfico de Relação de Dados. . . . . . . . . . . . . . . .11-13
Figura 11-11 Símbolos de intervenção no menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . .11-13
Figura 11-12 Gráficos predefinidos no menu Gráfico de Relação de Dados . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-14
Figura 11-13 Modo Percorrer do Gráfico Tendências. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11-16

Tabelas
Tabela 11-1 Parâmetros que podem ser exibidos nos quadros grandes de parâmetros . . . . . . . . . . . 11-2
Tabela 11-2 Nomes e marcadores de eventos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-5
Tabela 11-3 Parâmetros de gráfico disponíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11-11

4/26/06 Edwards Lifesciences 11-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

11.1 Geral
Este capítulo apresenta informações detalhadas sobre as características de
funcionamento e sobre os requisitos para a configuração do Gráfico Tendências,
Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e o uso do Modo Percorrer.

11.2 Recursos do Gráfico Tendências


O Gráfico Tendências é uma representação gráfica dos dados do paciente exibidos em
quatro quadros grandes de parâmetros.
• A cor de cada linha de tendência, da identificação do parâmetro e a escala vertical
é a mesma utilizada para aquele parâmetro no quadro grande de parâmetros, con-
forme o mostrado na Tabela 11-1.
Tabela 11-1 Parâmetros que podem ser exibidos nos quadros grandes
de parâmetros
Parâmetro
Tendência Parâmetro
‘Identificação Descrição do parâmetro Cor Símbolo
SvO2 Saturação Venosa Mista de Oxigênio Azul claro

ScvO2 Saturação Venosa Central de Oxigênio Púrpura

DCC/ICC Débito cardíaco contínuo (índice) Amarelo


DCméd/ICméd Média de DC Bolus (índice) Amarelo
VDF/IVDF Volume diastólico final (índice) Roxo
RVS/IRVS Resistência vascular sistêmica (índice) Verde
FEVD Fração de ejeção do ventrículo direito Azul escuro X
VS/IVS Volume sistólico (índice) Laranja

• Os dados de tendência são introduzidos no gráfico da esquerda para a direita. Os


dados mais recentes de cada tendência de parâmetro aparecem no lado direito e
são exibidos com um símbolo de tendência. Quando os dados de tendência
preencherem o gráfico, os dados mais recentes permanecerão na extremidade dire-
ita e a tendência se deslocará para a esquerda.
• Se o processamento de DCC for interrompido por um período de tempo, o Gráfico
Tendências de todos os parâmetros do coração direito referente a esse período será
exibido com uma lacuna. Se a monitorização da oximetria for interrompida, será
exibida uma lacuna correspondente no Gráfico Tendências para o parâmetro de
SvO2 ou ScvO2.
• Os valores dos limites mínimo e máximo de alarme aparecem com um tique em
cada escala vertical.
• A escala horizontal é marcada com incrementos de hora e data.

OBSERVAÇÃO
Se os limites de alarme estiverem configurados com um valor for a dos
limites da escala, um acento circunflexo para baixo ou para cima (^ ou v )
aparecerá na parte de cima ou de baixo da escala de tendência gráfica,
conforme a necessidade.

11-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo

• O monitor Vigilance II registra e exibe determinados parâmetros que podem ser


selecionados pelo operador e eventos armazenados automaticamente. Os marca-
dores de eventos serão exibidos na área de tendências no momento em que o
evento ocorrer ou for selecionado.
• Os calores médios de DCI (bolus) são representados na forma de pontos no Grá-
fico Tendências (veja a Figura 11-1).

Figura 11-1 Gráfico Tendências com marcadores de eventos e pontos


relativos a parâmetros de bolus
• No Modo Percorrer, uma barra deslizante vertical no centro do Gráfico Tendên-
cias permitirá a visualização de dados de tendências referente a qualquer intervalo
de tempo presente no gráfico. Gire o botão para deslocar os dados de tendência
para esquerda ou direita.
• Durante o funcionamento, o monitor armazenará até 72 horas de dados de tendên-
cias. Se a monitorização continuar por mais de 72 horas, os dados mais recentes
serão acrescentados nas tendências e o dados mais antigos serão excluídos.
• O monitor armazenará as 72 horas de informações quando for desligado. No
entanto, a medida em que o tempo passar, uma quantidade igual de dados será per-
dida (i.e., após 72 horas, todos os dados armazenados das 72 horas serão perdi-
dos). O monitor também armazenará todas as configurações selecionadas e
também os dados inseridos pelo operador.
• O monitor também tentará iniciar a função de oximetria por meio da recu-
peração dos dados de calibração do módulo óptico, se a SvO2 ou a ScvO2
estivessem sendo calibradas quando a energia foi cortada. A identificação
Oximetria que estava sendo utilizada quando a energia foi cortada também
será recuperada em todos os locais da tela.

4/26/06 Edwards Lifesciences 11-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

OBSERVAÇÃO
Embora alguns dados sejam atualizados em intervalos muito menores
(por exemplo: os dados de SvO2 são atualizados e exibidos em intervalos
de 2 segundos), os dados de tendência são armazenados em intervalos
de 30 segundos. Portanto, quando os dados armazenados forem recuper-
ados não serão exibidos todos os dados exibidos inicialmente.

11.3 Configuração da tela Gráfico Tendências


O operador pode utilizar o botão de navegação e as opções do menu para configurar a
Tela Tendência para diminuir ou aumentar a resolução da tendência. As opções de
configuração também incluem um recurso que permite acrescentar marcadores de
eventos à linha de tendência e revisar eventos em formato de tabela.

11.3.1 Configuração do Gráfico Tendências


1. Gire o botão de navegação para destacar o Quadro Gráfico. O quadro aparecerá
destacado com uma linha amarela espessa.
2. Pressione o botão para selecionar o quadro. O menu Gráfico Tendências apare-
cerá no Quadro Secundário (veja a Figura 11-2).

Figura 11-2 Menu Gráfico Tendências


As opções do menu Gráfico Tendências são: Eixo de Tempo, Adicionar Evento,
Rever Eventos e Gráfico Instantâneo.

11.3.2 Configuração do Eixo de Tempo


Siga as etapas abaixo para configurar a escala do eixo de tempo:
1. Gire o botão de navegação para destacar Eixo de Tempo.
2. Pressione o botão. O valor entre parêntesis aparecerá destacado.
3. Gire o botão para destacar a seleção desejada. As opções disponíveis para seleção
são:
• 30 Minutos
• 1 hora
• 2 horas
• 4 horas
• 8 horas
• 24 horas

11-4 Edwards Lifesciences 4/26/06


Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo

4. Pressione o botão para confirmar a seleção e concluir a reconfiguração da escala


do eixo de tempo.

11.3.3 Como acrescentar um evento ao Gráfico de Tendências


O monitor Vigilance II tem capacidade para armazenar até 32 eventos selecionados
pelo operador e eventos armazenados automaticamente. A Tabela 11-2 apresenta uma
lista de eventos que podem ser exibidos em cada uma dessas categorias (manual e
automático).

Tabela 11-2 Nomes e marcadores de eventos


Manual Automático
Droga (D) Calibração in vitro (I)
Arritmia (A) Calibração in vivo (C)
Ventilador (V) Atualização de HGB (U)
Fluido (F) Recuperar dados de MO (R)
Enfermagem (E) Luz fora da faixa (L)
Aspiração (P) Coleta de sangue (s)
Diversos (D) Desconexão MO (O)
Bolus termod (B)
Alteração da hora (T)

O operador pode anotar o Gráfico Tendências acrescentado um marcador de evento na


hora selecionada.
Siga as etapas abaixo para acrescentar um evento:
1. Gire o botão para destacar Adicionar evento no menu Gráfico Tendências.
2. Pressione o botão. O menu Adicionar Evento será exibido no lado direito do
quadro. A Hora Evento e a Data Evento mostra a hora e data atuais e serão uti-
lizadas para qualquer evento adicionado, a menos que essa função tenha sido
modificada pelo usuário (veja a Figura 11-3).

Figura 11-3 Menu Adicionar Evento


Siga as etapas abaixo para modificar a hora e a data do evento:
3. Gire o botão para destacar a opção Hora Evento.
4. Pressione o botão. O valor da hora atual em parênteses será destacado.
5. Gire o botão para modificar a hora em incrementos de 1 minuto. Se girar o
botão de navegação, o operador poderá voltar para o início do registro de
dados do paciente e avançar para a hora atual. Uma barra deslizante verti-
4/26/06 Edwards Lifesciences 11-5
Manual do Operador do Monitor Vigilance II

cal será mostrada no centro do Gráfico Tendências com a data e a hora


atuais posicionadas abaixo da barra.
OBSERVAÇÃO
A data é conectada à hora, portanto, para que a data do evento seja
alterada automaticamente se o botão for girado para trás e ultrapassar os
limites do dia, mês ou ano.

6. Pressione o botão quando a hora desejada aparecer para congelar essa data e hora.
7. Gire o botão para destacar o evento desejado.
8. Pressione o botão. O evento selecionado aparecerá na tela do menu com o sím-
bolo, ⇒.
Para cancelar a seleção do evento, pressione o botão sobre o evento marcado.
Droga (D)
⇒ Arritmia (A)
Ventilador (V)
Fluido (F)
⇒ Enfermagem (E)
Aspiração (P)
Diversos (M)
É possível selecionar mais de um evento para uma determinada hora/data como
mostra a ilustração acima. Se dois ou mais eventos ocorrerem simultaneamente, o
primeiro evento inserido manualmente selecionado será exibido como um
marcador de evento no Gráfico Tendências. Um evento inserido manualmente
será sempre exibido antes do evento automático, enquanto os eventos automáticos
serão exibidos de acordo com a prioridade.
Para cancelar as seleções de hora data e eventos, selecione a opção Limpar.
Para sair do menu Adicionar Evento, gire o botão de navegação para destacar a
opção Retornar e pressione o botão. Esse procedimento fará com que o(s)
evento(s) selecionado( s) seja(m) armazenado(s) para visualização e revisão
posterior.

11.3.4 Como rever eventos


Existe uma opção no Menu Gráfico Tendências que permite rever os eventos
registrados anteriormente da seguinte maneira:
1. No Menu Gráfico Tendências, gire o botão para destacar Rever Eventos.
2. Pressione o botão. Aparecerá uma tabela na parte direita da janela. A tela Rever
Eventos mostra o nome do evento e seu marcador(letra), e a data e hora de cada
evento(veja a Figura 11-4).

11-6 Edwards Lifesciences 4/26/06


Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo

Figura 11-4 Tela Rever Eventos do Gráfico Tendências


3. Os eventos mais recentes são exibidos na primeira página. Para rever eventos
anteriores, gire o botão para ir para cima ou para baixo na lista de eventos.
4. Para sair da tela Rever Eventos, pressione o botão.

11.4 Gráfico Instantâneo


O Gráfico Instantâneo mostra a hora mais recente de dados de DCC/ICC Rap., VDF/
IVDF Rap. que foram exibidos nas caixas de leitura rápida, além de oximetria, se
configurado no quadro grande de parâmetro.
O acesso à tela Gráfico Instantâneo é feito através do Menu Gráfico Tendências.
1. Gire o botão de navegação para destacar o Quadro Gráfico. Pressione o botão. O
Menu Gráfico Tendências aparecerá no Quadro Secundário.
2. Gire o botão para destacar Gráfico Instantâneo no menu.
3. Pressione o botão. O gráfico de valores instantâneos aparecerá no Quadro
Secundário (veja a Figura 11-5).

Figura 11-5 Tela Gráfico Instantâneo


A Figura 11-5 mostra os valores da caixa de leitura rápida para os dados de DCC,
VDF e FEVD mostrados no gráfico e também o gráfico de valores de tendência de
SvO2. O eixo de tempo indica um espaço de uma hora anterior à hora atual.

4/26/06 Edwards Lifesciences 11-7


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Os valores instantâneos mostrados no gráfico para parâmetros de DCC e VDF podem


ser substituídos com valores de ICC e IVDF quando um dos quadros grandes de
parâmetro estiver configurado para valores indexados.
Os valores de DCC/ICC Rap., VDF/IVDF Rap. e FEVD Rap. mostrados no gráfico
são atualizados aproximadamente a cada 60 segundos. Os valores de tendência de
oximetria são atua lizados a cada 2 segundos. Um novo ponto é acrescentado ao
gráfico de cada parâmetro a cada 30 segundos.
Para voltar para o Gráfico Tendências:
1. Gire o botão de navegação para destacar o Quadro Gráfico. Pressione o botão. O
Menu Gráfico Instantâneo aparecerá no Quadro Secundário.
2. Gire o botão para destacar a opção Gráfico Tendências e pressione-o.
3. Para voltar para o Gráfico Instantâneo, gire o botão para destacar a
opção Retornar e pressione o botão.

Para voltar para a tela Principal, gire o botão para destacar o ícone no quadro da
barra de ferramentas na parte de baixo da tela e pressione o botão.

11.5 Gráfico de Relação de Dados


O Gráfico de Relação de Dados é uma representação gráfica de um parâmetro em
comparação a outro. Um parâmetro define o eixo vertical e o secundo o eixo
horizontal. Um ponto no gráfico é representado pelos valores desses dois parâmetros
em um ponto de tempo. A hora é representada por um código de escala de cinzas dos
pontos no gráfico. O intervalo de dados é dividido em 5 grupos principais, dos dados
mais recentes para os mais antigos. O grupo mais recente é apresentado em branco.
Cada grupo mais antigo é codificado com tons de cinza progressivamente mais
escuros.

11.5.1 Como acessar a tela de Gráfico de Relação de Dados e o Menu de


Configuração
O Gráfico de Relação de Dados é apresentado no quadro secundário do monitor
Vigilance II. O menu dessa área pode ser acessado através do quadro secundário.
A partir da tela principal, execute as etapas abaixo para ter acesso ao menu Gráfico de
Relação de Dados:
1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone Tela Cheia/Dividida
no quadro da barra de ferramentas. Pressione o botão. A Figura 11-6
apresenta uma ilustração da tela dividida com as caixas de leitura rápida
no quadro secundário. A tela acessada mais recentemente será exibida.
2. Gire o botão para destacar o parâmetro secundário.

11-8 Edwards Lifesciences 4/26/06


Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo

Figura 11-6 Como destacar o quadro secundário (Borda)


3. Pressione o botão. O menu Caixas de leitura rápida aparecerá no quadro
secundário.

4. Gire o botão para destacar a opção Gráfico de Relação de Dados.

5. Pressione o botão. O Gráfico de Relação de Dados aparecerá no quadro


secundário. O gráfico predefinido é o volume sistólico(VS) versus o volume
diastólico final (VDF).

Figura 11-7 Tela Gráfico de Relação de Dados


4/26/06 Edwards Lifesciences 11-9
Manual do Operador do Monitor Vigilance II

6. Pressione o botão novamente para acessar o menu Gráfico de Relação de Dados


mostrado na Figura 11-8.

Figura 11-8 Menu Gráfico de Relação de Dados

11.5.2 Configuração do Gráfico de Relação de Dados


Como mostra a Figura 11-8, o menu Gráfico de Relação de Dados permite o acesso às
opções de configuração. Os itens a seguir apresentam a definição de cada opção no
menu de Relação de Dados e instruções sobre como utilizar uma função.
a. Seleção da opção Retornar
A opção Retornar faz com que o operador volte para a tela Gráfico de Relação de
Dados. Se essa opção for selecionada, o monitor Vigilance II utilizará os parâmetros
atuais do Gráfico de Relação de Dados.
b. Seleção da opção Atual
Se a opção Atual for selecionada, a hora e data serão restauradas para a hora atual. Os
dados atuais serão exibidos quando o operador voltar para a tela Gráfico de Relação
de Dados.
c. Seleção da opção Hora
A opção Hora permite que o operador revise os dados do gráfico de histórico. O
operador poderá voltar para o início do registro de dados do paciente e avançar para a
hora atual. A data é conectada à hora, portanto, a data será alterada automaticamente
se o botão for girado para trás e ultrapassar os limites do dia, mês ou ano.
Essa opção também ativa a barra deslizante do Gráfico Tendências; ou seja, a barra
deslizante será posicionada sobre os dados de tendência correspondente à medida que
o operador mudar a hora. A hora desejada será exibida abaixo da barra deslizante
juntamente com a data.
Para modificar a hora no Menu Gráfico de Relação de Dados siga as etapas abaixo:
1. Gire o botão para destacar Hora.
2. Pressione o botão. O valor da hora atual em parênteses será destacado.
3. Gire o botão para modificar a hora em incrementos de 1 minuto. Pressione o
botão quando a hora desejada aparecer para congelar essa data e hora no Gráfico
de Relação de Dados.
d. Seleção das opções Eixo Vertical e Eixo Horizontal
O operador poderá designar os parâmetros para os eixos vertical e horizontal na lista
de parâmetros selecionáveis mostrada na Tabela 11-3.

11-10 Edwards Lifesciences 4/26/06


Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo

Tabela 11-3 Parâmetros de gráfico disponíveis


Parâmetros verticais e horizontais
SvO2 ou ScvO2 IVDF RVS
DCC IVDF Rap. IRVS
DCC Rap. DO2 FEVD
ICC DO2I FEVD Rap.
CCI Rap. REO2 VS
VDF VO2 IVS
VDF Rap. VO2I FCméd

Um parâmetro configurado em um eixo deverá ser exibido “em cinza” e não deverá
estar disponível para seleção no outro eixo. Por exemplo, se o DCC for configurado
no eixo vertical, o DCC aparecerá em cinza e não estará disponível para seleção como
um parâmetro do eixo horizontal.
Siga as etapas abaixo para selecionar um parâmetro para o eixo vertical ou horizontal:
1. Gire o botão de navegação para destacar o eixo desejado.
2. Pressione o botão. O parâmetro atual mostrado entre parênteses aparecerá destac-
ado no menu instantâneo.
3. Para selecionar um novo parâmetro, gire o botão para o parâmetro desejado, e
pressione-o. O novo parâmetro será exibido entre parênteses ao lado do eixo.
e. Seleção da opção Escala
A opção Escala define os limites máximo e mínimo do Gráfico de Relação de Dados
para um parâmetro selecionado. Quando um novo parâmetro é selecionado para um
determinado eixo, o valor predefinido da escala é atualizado automaticamente. O
operador pode alterar o valor máximo e mínimo predefinido da escala da seguinte
maneira:
1. Girando o botão de navegação para destacar o valor máximo ou mínimo abaixo
do cabeçalho da escala (veja a Figura 11-9).

4/26/06 Edwards Lifesciences 11-11


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 11-9 Ajuste da escala no menu Gráfico de Relação de Dados


2. Pressione e, em seguida, gire o botão para o valor desejado.
3. Pressione o botão para confirmar o valor da escala.

OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II não permitirá a seleção de um valor máximo da
escala que seja inferior ao limite mínimo da escala ou a seleção de um
limite mínimo que seja superior ao limite máximo.

f. Seleção da opção Linha Vermelha


A Linha Vermelha define as posições das duas linhas vertical ou horizontal
desenhadas no gráfico. Quando um novo parâmetro é selecionado para um
determinado eixo, o valor predefinido da linha vermelha é atualizado
automaticamente. O operador pode alterar o valor máximo e mínimo predefinido da
linha vermelha da seguinte maneira:
1. Girando o botão de navegação para destacar o valor máximo ou mínimo abaixo
do cabeçalho da Linha Vermelha (veja a Figura 11-10).

11-12 Edwards Lifesciences 4/26/06


Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo

Figura 11-10 Ajuste da Linha Vermelha no menu Gráfico de Relação de


Dados
2. Pressione e, em seguida, gire o botão para o valor desejado.
3. Pressione o botão para confirmar o valor.
g. Seleção da opção Intervenção
A opção Intervenção fornece um método para que o médico diferencie graficamente
os dados anteriores à administração do tratamento e os dados após a administração do
tratamento. Todas as intervenções são mantidas no registro do paciente para o gráfico
de histórico. Existem três símbolos de pontos de dados de intervenção que podem ser
selecionados: •, s, n.
Siga as instruções abaixo para selecionar um símbolo de ponto de dados de
intervenção durante a monitorização:
1. Gire o botão para destacar a opção Intervenção. Pressione o botão. Um menu
instantâneo aparecerá com os símbolos de intervenção que podem ser seleciona-
dos (consulte a Figura 11-11).

Figura 11-11 Símbolos de intervenção no menu Gráfico de Relação de


Dados
2. Gire o botão para destacar o símbolo de intervenção desejado. Pressione o botão
para confirmar a seleção.
O novo símbolo continuará aparecendo no Gráfico de Relação de Dados até que
operador mude o símbolo de intervenção.
4/26/06 Edwards Lifesciences 11-13
Manual do Operador do Monitor Vigilance II

h. Seleção da opção Gráficos Predefinidos


O monitor Vigilance II fornece ao operador uma lista de opções de gráficos
predefinidos. Siga as etapas abaixo para utilizar um dos gráficos predefinidos:
1. Gire o botão para destacar a opção Gráficos Predefinidos. Pressione o botão.
Um menu instantâneo aparecerá com os gráficos predefinidos(veja a Figura 11-
12).

Figura 11-12 Gráficos Predefinidos no menu Gráfico de Relação de


Dados

OBSERVAÇÃO
Os gráficos predefinidos de oximetria vs. DCC serão determinados seg-
undo a identificação de parâmetro que estiver selecionada, SvO2 ou
ScvO2.

2. Gire o botão para destacar a opção desejada de gráfico predefinidos. Pressione o


botão para confirmar a seleção. O novo gráfico aparecerá entre parênteses ao lado
de Gráficos Predefinidos.
i. Seleção da opção Número de Pontos
A função Número de Pontos permite que o operador selecione o número de pontos de
dados que aparecerão no gráfico. O operador poderá selecionar de 10 a 50 pontos de
dados para um determinado gráfico.
O número de pontos de dados pode ser modificado e atualizado em qualquer momento
durante o processamento do Gráfico de Relação de Dados.
Siga as instruções abaixo para selecionar o número de pontos de dados a serem
mostrados no gráfico:
1. Gire o botão de navegação para destacar a opção Número de Pontos no menu de
relação de dados.
2. Pressione o botão. O número de pontos de dados atualmente configurado será
destacado.
3. Gire o botão para selecionar o número de pontos de dados desejado (de 10 a 50)
para o gráfico selecionado.
4. Pressione o botão para confirmar o valor. O valor será exibido entre parênteses o
Número de Pontos aparecerá destacado.

11-14 Edwards Lifesciences 4/26/06


Gráfico Tendências, Gráfico Instantâneo, Gráfico de Relação de Dados e Modo

j. Seleção da opção Freqüência do Traçado


A opção Freqüência do Traçado permite que o operador selecione o intervalo de
tempo entre os pontos de dados do gráfico. O operador poderá selecionar uma
freqüência de pontos de dados de 1 a 120 minutos em incrementos de 1 minuto.
Siga as etapas abaixo para configurar a freqüência do traçado:
1. Gire o botão de navegação para destacar a opção Freqüência do Traçado no
menu de relação de dados.
2. Pressione o botão. O valor atual do intervalo de tempo entre os pontos de dados
aparecerá destacado.
3. Gire o botão para selecionar o número desejado de minutos entre os pontos de
dados (de 1 a 120 minutos) para o gráfico selecionado.
4. Pressione o botão para confirmar o valor. O valor será exibido entre parênteses
Freqüência do Traçado aparecerá destacada.

11.6 Modo Percorrer

OBSERVAÇÃO
O recursos Modo Percorrer não se encontra disponível no modo DCI
(bolus).

O recurso Modo Percorrer permite que o operador revise até as


últimas 72 horas de dados do paciente no Gráfico Tendências
enquanto estiver no modo DCC. A função Modo Percorrer será
ativada quando o botão Percorrer do teclado for pressionado. O botão está
localizado no painel frontal do monitor Vigilance II. Além disso, o Modo Percorrer
também pode ser ativado durante a edição do campo HORA nos menus Perfil
Cardíaco, Perfil Oxigenação, Gráfico de Relação de Dados ou Adicionar Eventos.
Quando essa função for ativada com o uso do botão do teclado, uma barra vertical
deslizante aparecerá no centro do gráfico de tendências de DCC com a data e a hora
atuais posicionadas abaixo da barra , como mostra a Figura 11-13. Ao utilizar pela
primeira vez o Modo Percorrer, só será possível visualizar dados de tendências
anteriores. Portanto, o operador só poderá girar o botão de navegação no sentido anti-
horário, deslocando a os dados de tendência da esquerda para a direita depois da barra
deslizante.

4/26/06 Edwards Lifesciences 11-15


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Figura 11-13 Modo Percorrer do Gráfico Tendências


Girar o botão de navegação em um único nível (clique) fará com que os dados do
Gráfico Tendências sejam deslocados. Pressionar o botão modificará o nível de
deslocamento realizado com cada clique do botão. A primeira vez que o botão for
pressionado aumentará 8 vezes o deslocamento; na segunda vez que o botão for
pressionado o aumento será de 64 vezes e, voltará para um único deslocamento.
Portanto, cada nível de rotação depende da hora. Se girar o botão de navegação, o
operador poderá voltar para o início do registro de dados do paciente ou avançar para
a hora atual.
Quando essa função for ativada no campo Hora em um menu, a barra vertical
deslizante aparecerá sobre a hora contida no menu Campo Hora. O operador poderá
girar o botão de navegação tanto no sentido horário quanto anti-horário.
Os valores de parâmetros de tendências para os quadros grandes de parâmetros,
diferenciados pela cor, serão exibidos no alto do Gráfico Tendências e mostrarão os
dados do paciente na tendência à medida que estes cruzarem a barra deslizante. Os
marcadores de eventos também serão exibidos no Modo Percorrer.
Pressione o botão Modo Percorrer do teclado para sair desse modo e voltar para o
formato de tendência anterior. O monitor Vigilance II também continuará atualizando
os dados do paciente enquanto estiver no Modo Percorrer.

11-16 Edwards Lifesciences 4/26/06


Capítulo 12
RECEPÇÃO E TRANSMISSÃO DE DADOS ANALÓGICOS

12.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-2


12.2 Interface de entrada analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-2
12.2.1 Configuração da porta de entrada analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-3
12.2.1.1 Seleção de um parâmetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-3
12.2.1.2 Modificação de parâmetros predefinidos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-5
12.2.2 Calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-6
12.2.2.1 Procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-6
12.3 Interface de saída analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-8
12.3.1 Faixas de voltagem de saída. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-9
12.3.2 Configuração da porta de saída analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-10
12.3.3 Processo de calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-11
12.4 Configuração da porta de ECG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-12

Figuras
Figura 12-1 Conectores analógicos do painel traseiro do Vigilance II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12-2

Tabelas
Tabela 12-1 Características dos parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-5
Tabela 12-2 Parâmetros de saída analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-9
Tabela 12-3 Características da porta de ECG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12-12

4/26/06 Edwards Lifesciences 12-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

12.1 Geral
Conforme o mostrado na Figura 12-1, existem 5 portas para dados analógicos no
painel traseiro do monitor Vigilance II: três para o recebimento de sinais selecionáveis
de um monitor à beira leito, uma transmissão de sinais selecionáveis para um aparelho
externo conectado e um para recebimento do sinal de ECG.
Este capítulo apresenta instruções para a realização dos procedimentos de
configuração das portas e de calibração dos sinais recebidos e transmitidos no monitor
Vigilance II.

Figura 12-1 Conectores analógicos do painel traseiro do Vigilance II

PRECAUÇÃO
Antes de conectar o monitor Vigilance II a equipamentos externos, consulte o
manual de instruções do equipamento para obter informações. Obtenha
informações sobre o funcionamento adequado do sistema antes do uso clínico.

12.2 Interface de entrada analógica


As identificações de dados selecionáveis podem ser atribuídos independentemente
para qualquer uma das três portas de entrada analógica. Essas identificações são:
• PAM (Pressão Arterial Média)
• PVC (Pressão Venosa Central)
• SaO2 (Saturação Arterial de Oxigênio)
• Nenhum

12-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Recepção e transmissão de dados analógicos

12.2.1 Configuração da porta de entrada analógica

ADVERTÊNCIA
As portas de comunicação analógica e digital do monitor compartilham um fio
terra que é isolado da interface eletrônica do cateter. Ao conectar vários
equipamentos no monitor Vigilance II, todos os equipamentos deverão ser
aterrados para não comprometer o isolamento elétrico de nenhum desses
equipamentos.
ADVERTÊNCIA
O risco e a corrente de fuga da configuração final do sistema devem estar em
conformidade com a norma IEC/EN 60601-1-1 e é responsabilidade do usuário
garantir o cumprimento dessa norma.
ADVERTÊNCIA
Os equipamentos acessórios conectados ao monitor devem ser certificados de
acordo com a norma IEC/EN 60950 referente a equipamentos de
processamento de dados ou a norma IEC/EN 60601-1 referente a
equipamentos eletromédicos. Todas as combinações de equipamentos devem
ser feitas em conformidade com a norma IEC/EN 60601-1-1 referentes aos
requisitos para os sistemas.

Quando o monitor à beira leito tiver sido configurado com o parâmetro


desejado de saída, conecte o monitor através de um cabo de interface na porta
de entrada analógica selecionada no monitor Vigilance II.

OBSERVAÇÃO
Entre em contato com o representante local da Edwards para obter o
cabo de interface de saída analógica correto do Vigilance II para o seu
monitor à beira leito.

O procedimento apresentado a seguir descreve as etapas necessárias para a


configuração das portas de entrada analógica do monitor Vigilance II.

12.2.1.1 Seleção de um parâmetro


1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone do quadro de config-
uração no quadro da barra de ferramentas localizado na parte de baixo
da tela.
2. Pressione o botão. O menu de configuração aparecerá no quadro secundário.

4/26/06 Edwards Lifesciences 12-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

3. Gire o botão para destacar Configuração da entrada analógica.

4. Pressione o botão. O menu de configuração da entrada analógica aparecerá.


5. Gire o botão para destacar a porta desejada conectada ao monitor à beira leito (por
exemplo, Porta 1).
6. Pressione o botão para confirmar a seleção da porta de entrada analógica.

7. Gire o botão para destacar Parâmetro.


8. Pressione o botão. Será mostrada uma caixa com as opções de parâmetros que
podem ser selecionadas.

9. Gire o botão para destacar o parâmetro desejado.

12-4 Edwards Lifesciences 4/26/06


Recepção e transmissão de dados analógicos

10. Pressione o botão para confirmar a seleção. A identificação muda para o


parâmetro selecionado como pode ser observado no exemplo abaixo (PAM).
Também são mostrados os valores predefinidos para esse parâmetro.

OBSERVAÇÃO
O mesmo parâmetro pode não ser configurado ao mesmo tempo em duas
ou mais portas de entrada analógica.

11. Se os valores predefinidos estiverem corretos para o monitor à beira leito em uso,
gire o botão para destacar Retornar, e pressione o botão.

Se os valores predefinidos de entrada analógica não estiverem corretos para o


monitor à beira leito em uso(consulte o manual do Manual do Operador à beira
leito), o usuário poderá modificar a faixa de voltagem, faixa de escala total execu-
tar a opção de calibração descrita na seção 12.2.2 deste capítulo.
A Tabela 12-1 abaixo mostra a faixa de escala total que pode ser modificada para os
parâmetros disponíveis.

Tabela 12-1 Características dos parâmetros


Parâmetro Faixa de escala total
PAM 100 a 510 mmHg (13.3 kPa a 68 kPa)
PVC 10 a 110 mmHg (1.3 kPa a 14.6 kPa)
SaO2 50 a 100%

As faixas de voltagem que podem ser selecionadas para todos os parâmetros são:
• 0 a 1 volts
• 0 a 5 volts
• 0 a 10 volts

12.2.1.2 Modificação de parâmetros predefinidos


Para modificar os valores predefinidos, siga as etapas apresentadas no exemplo a
seguir:
1. Gire o botão para destacar a opção Faixa de voltagem.

4/26/06 Edwards Lifesciences 12-5


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

2. Pressione o botão. A opção destacada é deslocada para o campo de seleção de


faixa de voltagem. Será mostrada uma caixa com os valores que podem ser sele-
cionados.

3. Gire o botão até destacar a faixa de voltagem desejada.


4. Pressione o botão. O novo valor aparecerá ao lado da identificação
Faixa de voltagem.

5. Se necessário, repita as etapas 1 a 4 para a Faixa de escala total.

12.2.2 Calibração
A opção de calibração deve ser utilizada quando os valores predefinidos estiverem
incorretos, ou faixa de voltagem não tiver sido determinada. O processo de calibração
correlaciona o monitor Vigilance II com o sinal analógico recebido do monitor à beira
leito.

OBSERVAÇÃO
Não execute a calibração se os valores predefinidos estiverem corretos.

PRECAUÇÃO
Somente pessoas treinadas devem calibrar as portas analógicas do monitor
Vigilance II.

12.2.2.1 Procedimento
1. Gire o botão de navegação para destacar a porta/parâmetro a ser calibrado.

12-6 Edwards Lifesciences 4/26/06


Recepção e transmissão de dados analógicos

2. Pressione o botão. A tela exibirá o valor do parâmetro configurado anteriormente.

3. Simule um sinal da escala total do monitor à beira leito para a porta de entrada
analógica no monitor Vigilance II.
4. Configure a opção Valor Alto Simulado do menu com um valor igual ao valor do
sinal da escala total do monitor à beira leito.
5. Gire o botão para destacar Calibrar Valor Alto.

6. Pressione o botão. O processo de calibração começará.


7. A instrução “Pressione botão quando a leitura A/D estiver estável” aparecerá
na tela.

8. Repita o processo para Calibrar Valor Baixo.

4/26/06 Edwards Lifesciences 12-7


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

OBSERVAÇÃO
A conexão a equipamentos receptores externos permite que informações
adicionais sejam exibidas. Por exemplo, quando dados de PAM e PVC
estiverem continuamente disponíveis em um monitor à beira leito, os
dados de RVS serão exibidos, se essa opção estiver configurada no
quadro grande de parâmetro. Dados de PAM, PVC e RVS também
podem ser exibidos no quadro pequeno de parâmetro.

PRECAUÇÃO
A precisão dos dados contínuos de RVS, VQI e O2EI depende da qualidade e
precisão dos dados de PAM, PVC e SaO2 transmitidos por monitores externos.
Como a qualidade do sinal analógico de PAM, PVC e SaO2 de monitores
externos não pode ser validada pelo Vigilance II, os valores reais podem não
corresponder ao valores (incluindo todos os parâmetros derivados) exibidos
pelo monitor Vigilance II. Portanto, não é possível garantir a precisão de
medidas contínuas de RVS, VQI e O2EI. Para ajudar a determinar a qualidade
dos sinais analógicos, compare regularmente os valores de PAM, PVC e SaO2
exibidos no monitor externo com os valores exibidos no monitor Vigilance II.
Consulte o Manual do Operador do equipamento externo para obter
informações detalhadas sobre precisão, calibração e outras variáveis que
possam ter impacto no sinal de saída analógica.

12.3 Interface de saída analógica


O monitor Vigilance II possui uma porta de saída analógica. Consulte a Figura 12-1
para conhecer a localização do conector no painel traseiro. Essa porta de saída é
utilizada para transmitir informações sobre parâmetros do Vigilance II para um
equipamento externo.

12-8 Edwards Lifesciences 4/26/06


Recepção e transmissão de dados analógicos

A Tabela 12-2 mostra o intervalo de valores para os possíveis parâmetros de saída.

Tabela 12-2 Parâmetros de saída analógica


Faixa de saída

Parâmetro Valor minimo Valor maximo Unidades Definição


DCC 0 20 l/min Débito cardíaco contínuo
ICC 0 20 l/min/m 2 Índice cardíaco contínuo
SvO2 0 100 % Saturação Venosa Mista de
Oxigênio
ScvO2 0 100 % Saturação Venosa Central
de Oxigênio
TS 25 45 °C Temperatura do sangue
TI 0 30 °C Temperatura do injetado
TS 0 2 °C Diferencial da temperatura
do sangue
FEVD 0 60 % Fração de ejeção do
ventrículo direito
VDF 0 800 ml Volume diastólico final
IVDF 0 400 ml/m2 Índice de volume diastólico
final
RVS* 0 5000 kPa-s/l Resistência vascular
sistêmica
IRVS* 0 10000 kPa-s-m2/l Índice de Resistência
vascular sistêmica
Nenhum N/A N/A

*As opções RVS/IRVS só poderão ser selecionadas quando as opções PAM e PVC
estiverem configuradas nas portas de entrada analógica.

12.3.1 Faixas de voltagem de saída


É possível selecionar uma entre duas opções de faixa de voltagem de saída::
• 0a1v
• 0a5v
• 0 a 10 v
Saídas de tensão encontram-se disponíveis para calibração do equipamento receptor.

4/26/06 Edwards Lifesciences 12-9


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

12.3.2 Configuração da porta de saída analógica


Procedimento
1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone de configuração no
quadro da barra de ferramentas localizado na parte de baixo da tela.
2. Pressione o botão. O menu de configuração aparecerá no quadro
secundário.
3. Gire o botão para destacar Configuração da Saída Analógica.

4. Pressione o botão. O menu de configuração da saída analógica aparecerá no


quadro secundário.

5. Gire o botão para destacar a opção Voltagem Máx. Saída. Pressione o botão.
Aparecerá uma janela com as opções de 1v ou 10v.
6. Gire o botão para destacar a voltagem de saída desejada e pressione-o para confir-
mar a seleção (1v por exemplo).

12-10 Edwards Lifesciences 4/26/06


Recepção e transmissão de dados analógicos

7. Gire o botão para destacar a opção Parâmetro e pressione-o.


8. Gire o botão para destacar o parâmetro a ser transferido através da porta de saída
analógica (por exemplo SvO2).

OBSERVAÇÃO
Os dados de RVS e IRVS também serão exibidos na janela instantânea
de parâmetro se as opções PAM e PVC estiverem configuradas nas por-
tas de saída analógica.
OBSERVAÇÃO
Será exibida a identificação de oximetria configurada (SvO2 o ScvO2).

9. Pressione o botão para confirmar a seleção.

O menu exibirá o valor mais baixo e valor mais alto do parâmetro selecionado.

12.3.3 Processo de calibração


O processo de calibração correlaciona o monitor à beira leito com o sinal analógico
recebido do monitor Vigilance II. Se for possível realizar a calibração do monitor à
beira leito, o monitor Vigilance II enviará continuamente uma voltagem baixa ou alta
quando as opções Calibrar Valor Mais Baixo e Calibrar Valor Mais Alto forem
selecionadas.
Procedimento
1. Gire o botão para destacar Calibrar Valor Mais Baixo.
2. Pressione o botão.

4/26/06 Edwards Lifesciences 12-11


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

3. O menu exibirá a mensagem “Pressione o botão para sair do valor de


referência baixa” ao concluir 8.
4. Repita o procedimento para Calibrar Valor Mais Alto.

5. Quando a calibração estiver completa, gire o botão para destacar Retornar.


6. Pressione o botão. O sistema voltará para o menu de configuração. Para sair do
menu de configuração pressione novamente o botão enquanto a opção Retornar
estiver destacada.

12.4 Configuração da porta de ECG


O monitor Vigilance II utiliza o sinal de ECG do monitor à beira leito para calcular e
exibir a freqüência cardíaca média.
Não é necessário configurar o monitor. A Tabela 12-3 apresenta uma lista das
características de desempenho da porta de ECG. Simplesmente conecte a saída do
monitor à beira leito de ECG no conector do Vigilance II utilizando um cabo de
interface recomendado pela Edwards.

Tabela 12-3 Características da porta de ECG


Parâmetro Valor
Faixa de voltagem de entrada 0 a 10V escala total
Largura de banda do canal 0,5 a 40 Hz
Precisão (modo TS) ±1 BPM (com entrada de simulador)
Resolução ±1 BPM
Faixa 30 a 200 BPM
Proteção contra desfibrilação Não
Detecção de marcapasso Eliminado da forma de onda do QRS antes do cálculo
da freqüência cardíaca
Detecção de arritmia Não
Detecção de QRS Amplitude: 0,5V a 5V
Duração: 40 - 120 ms

OBSERVAÇÃO
Entre em contato com o representante local da Edwards para obter infor-
mações sobre os cabos de interface apropriados para o monitor de ECG.

12-12 Edwards Lifesciences 4/26/06


Capítulo 13
TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO DE DADOS DIGITAIS

13.1Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-2
13.2 Equipamentos digitais compatíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-2
13.2.1 Atraso de alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.3 Conexões dos cabos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.4 Configuração da porta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.4.1 Procedimento de configuração da porta. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3
13.4.2 Modificação do protocolo IFMout. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-5
13.5 Equipamentos USB compatíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-5

Figuras
Figura 13-1 Conectores das portas seriais do painel traseiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13-2

Tabelas
Tabela 13-1 Características de comunicação do protocolo IFMout. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13-3

4/26/06 Edwards Lifesciences 13-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

13.1 Geral
Conforme o mostrado na ilustração da Figura 13-1, existem duas portas de
comunicação serial RS-232 (COM 1 e COM 2) no painel traseiro do monitor
Vigilance II nas quais os equipamentos digitais podem ser conectados. O monitor
Vigilance II também possui uma porta USB utilizada para a função de impressão.
Este capítulo apresenta instruções para a realização dos procedimentos para
configuração de cada uma das portas COM do monitor Vigilance II.

Figura 13-1 Conectores das portas seriais do painel traseiro

ADVERTÊNCIA
O risco e a corrente de fuga da configuração final do sistema devem estar em
conformidade com a norma IEC/EN 60601-1-1 e é responsabilidade do usuário
garantir o cumprimento dessa norma.
ADVERTÊNCIA
Os equipamentos acessórios conectados ao monitor devem ser certificados de
acordo com a norma IEC/EN 60950 referente a equipamentos de processamento
de dados ou a norma IEC/EN 60601-1 referente a equipamentos eletromédicos.
Todas as combinações de equipamentos devem ser feitas em conformidade com
a norma IEC/EN 60601-1-1 referentes aos requisitos para os sistemas.

13.2 Equipamentos digitais compatíveis


O monitor Vigilance II comporta a exportação de dados de parâmetros através das
portas de comunicação serial (COM 1 e COM 2) para qualquer monitor à beira leito
ou computador que aceite o protocolo IFMout do monitor Vigilance II.
Entre em contato com o representante local da Edwards Lifesciences para obter
informações sobre os sistemas de interface digital recomendados para o monitor de
sua instituição.
A Tabela 13-1 apresenta as características de comunicação do protocolo IFMout das
portas seriais COM do monitor Vigilance II.

13-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Transmissão e Recepção de Dados Digitais

Tabela 13-1 Características de comunicação do protocolo IFMout


Veloc. Trans. 1200, 2400, 9600, 19200
Paridade Nenhuma, Par, Ímpar
Bits de Parada 1, 2
Bits de Dados 7, 8
Controle de Fluxo 2, 10, 30, 60 segundos

O protocolo de comunicação Flexport® da Spacelabs também comporta a


exportação de dados de parâmetros para sistemas de gerenciamento de
atendimento médico de pacientes da Spacelabs.

OBSERVAÇÃO
As características do parâmetro de comunicação Flexport® da Spacelabs
são predefinidas e não podem ser modificadas.
OBSERVAÇÃO
Quando os limites de alarme forem excedidos, somente os parâmetros con-
figurados com alarme no Quadro grande de parâmetro emitirão um alarme
no monitor Spacelabs.

13.2.1 Atraso de alarme


O atraso do alarme para um equipamento remoto será de menos de dois segundos se o
controle de fluxo estiver configurado em 2 segundos.

13.3 Conexões dos cabos


Os conectores das portas seriais COM 1 e COM 2 do monitor Vigilance II utiliza um
conector RS-232 de 9 pinos. Conecte o cabo correspondente entre o equipamento
digital e a porta COM desejada. Consulte a documentação enviada com o
equipamento digital ou monitor à beira leito para obter informações sobre as conexões
recomendadas para o monitor Vigilance II.

13.4 Configuração da porta


A porta de comunicação serial digital e as seleções de protocolo do monitor
Vigilance II podem ser configuradas no quadro de configuração.

13.4.1 Procedimento de configuração da porta


1. Gire o botão de navegação para destacar o ícone do quadro de config-
uração no quadro da barra de ferramentas localizado na parte de baixo
da tela.
2. Pressione o botão. O menu de configuração aparecerá no quadro secundário.

4/26/06 Edwards Lifesciences 13-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

3. Gire o botão de navegação para destacar Configuração da porta serial.


4. Pressione o botão. O menu aparecerá com uma coluna abaixo de cada uma das
portas COM. Nenhum valor será mostrado nessas colunas até que um aparelho
seja selecionado.

5. Gire o botão para destacar Aparelho na coluna da porta em que o aparelho será
conectado (COM 1 ou COM 2).
6. Pressione o botão. Será mostrada uma caixa com os protocolos que podem ser
selecionados.

7. Gire o botão até destacar o protocolo desejado (por exemplo, IFMout).


8. Pressione o botão. As características definidas originalmente para o aparelho
aparecerão na coluna abaixo do nome do protocolo.

13-4 Edwards Lifesciences 4/26/06


Transmissão e Recepção de Dados Digitais

13.4.2 Modificação do protocolo IFMout


O usuário só poderá modificar as características predefinidas do protocolo de
comunicação IFMout.
Siga as etapas abaixo para modificar as características do protocolo IFMout:
1. Gire o botão para destacar a característica desejada.
2. Pressione para selecionar (será mostrada uma caixa com as opções disponíveis).
3. Gire o botão para destacar o valor desejado.
4. Pressione para selecionar.
Repita essas etapas para cada característica que desejar modificar.

13.5 Equipamentos USB compatíveis


A porta USB comporta a função de impressão de tela para determinadas impressoras.
A impressoras devem ser abastecidas com uma fonte de alimentação ITE Classe II.
Entre em contato com o representante local da Edwards Lifesciences para obter
informações sobre as impressoras aprovadas e cabos USB adequados.

4/26/06 Edwards Lifesciences 13-5


Capítulo 14
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

14.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-2


14.2 Mensagens para resolução de problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-2
14.2.1 Mensagens e resolução de problemas de DCC/ICC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-2
14.2.2 Mensagens e resolução de problemas de RVS/IRVS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-6
14.2.3 Mensagens e resolução de problemas de oximetria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-7
14.2.4 Mensagens e resolução de problemas de VDFC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-10
14.2.5 Mensagens e resolução de problemas de DCI (bolus) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-11
14.3 Ajuda gráfica para posicionamento do cateter (exemplo). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-13
14.4 Teste do cabo de DCC do paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14-13

Figuras
Figura 14-1 Conexão do cabo de DCC do paciente para o teste de integridade. . . . . . . . . . . . . . . 14-14
Figura 14-2 Menu de configuração, teste do cabo de DCC do paciente destacado . . . . . . . . . . . . 14-14

14-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Resolução de problemas

14.1 Geral
Este capítulo apresenta uma lista de mensagens que podem aparecer no quadro de
mensagens ou no quadro secundário juntamente com as possíveis causas e ações
sugeridas. As mensagens são agrupadas de acordo com a função de monitorização
para qual foram exibidas. Este capítulo também apresenta informações sobre o
procedimento para verificação da integridade do cabo de DCC do paciente.

14.2 Mensagens para resolução de problemas

14.2.1 Mensagens e resolução de problemas de DCC/ICC


Erros de DCC/ICC
Mensagens de erro de
DCC/ICC Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Temperatura sangüínea A temperatura do sangue Verifique se o cateter está posicionado
fora do intervalo monitorizada é corretamente na artéria pulmonar (veja a
(<31°C ou >41°C) <31°C ou >41°C orientação gráfica na seção 14.3)
• Confirmar pressão de oclusão, verificando se o
volume de insuflação do balão encontra-se
entre 1.25 - 1.50 ml
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Retome a monitorização de DCC quando a
temperatura do sangue estiver dentro do intervalo
DCC não configurado - DCC e parâmetros do coração Configurar DCC em alguma janela de parâmetro
Monitorização de Dados direito não disponíveis porque grande para iniciar medida DCC
Coração Direito Não DCC não está configurado em
Disponível nenhuma janela de parâmetro
grande
Memória do Cateter, Mau funcionamento do Verifique se a ligação do filamento térmico do
Utilize Modo Bolus filamento térmico do cateter cateter está segura
Mau funcionamento do cabo Verifique se faltam pinos ou existem pinos
de DCC dobrados nas ligações do cateter/cabo de DCC
Erro no cateter de DCC Execute um teste de cabo de DCC de paciente
O cabo de DCC do paciente (consulte a seção 14.4)
está conectado nas portas de Substitua o cabo de DCC
teste Utilize o modo Bolus DC
Substitua o cateter para medida do DCC
Verifique o Cateter, Utilize Mau funcionamento do cabo Execute um teste de cabo de DCC de paciente
Modo Bolus de DCC (consulte a seção 14.4)
Erro no cateter de DCC Substitua o cabo de DCC
O cateter conectado não é um Utilize o modo Bolus DC
cateter de DCC Edwards Verifique se o cateter é um cateter de DCC
Edwards
DCC não Disponível, Mau funcionamento do Desligue e ligue novamente o monitor para
Utilize Modo Bolus sistema interno restaurar o sistema
Utilize o modo Bolus DC
Se o problema persistir, entre em contato com a
Assistência Técnica da Edwards

4/26/06 Edwards Lifesciences 14-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Erros de DCC/ICC
Mensagens de erro de
DCC/ICC Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Filamento Térmico, Utilize Mau funcionamento do Desligue e ligue novamente o monitor para
Modo Bolus sistema interno restaurar o sistema
Utilize o modo Bolus DC
Se o problema persistir, entre em contato com a
Assistência Técnica da Edwards
Verifique a Conexão do Não detectada conexão do Verifique a conexão do cabo de DCC e do cateter
Cateter e do Cabo do filamento térmico do cateter e Desconecte o termistor e o filamento térmico e
Paciente do termistor verifique se existem pinos dobrados ou faltando
Mau funcionamento do cabo Execute um teste de cabo de DCC de paciente
de DCC (consulte a seção 14.4)
Substitua o cabo de DCC
Verificar Conexão do Não detectada conexão do Verifique se o filamento térmico está conectado de
Filamento Térmico filamento térmico forma segura ao cabo de DCC
Mau funcionamento do cabo Desconecte o filamento térmico e verifique se
de DCC existem pinos dobrados ou faltando
O cateter conectado não é um Execute um teste de cabo de DCC de paciente
cateter de DCC Edwards (consulte a seção 14.4)
Substitua o cabo de DCC
Verifique se o cateter é um cateter de DCC
Edwards
Utilize o modo Bolus DC
Verificar Posicionamento Fluxo sanguíneo reduzido Lavar os lumens do cateter
do Filamento térmico próximo ao filamento térmico Verifique se o cateter está posicionado
O filamento térmico pode corretamente na artéria pulmonar (veja a
estar encostado na parede do orientação gráfica na seção 14.3)
vaso • Confirmar pressão de oclusão, verificando se
O cateter não está no pressão de insuflação encontra-se entre 1,25 -
paciente 1,50 ml
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Retome a monitorização de DCC
Verificar Conexão do A conexão do termistor do Verifique se o termistor do cateter está conectado
Termistor cateter não foi detectada de forma segura ao cabo de DCC
A temperatura do sangue Verifique se a temperatura sanguínea está entre 15
monitorizada é <15°C ou a 45°C
>45°C Desconecte o termistor e verifique se existem
Mau funcionamento do cabo pinos dobrados ou faltando
de DCC Execute um teste de cabo de DCC de paciente
(consulte a seção 14.4)
Substitua o cabo de DCC
Débito Cardíaco DC medido <1,0 l/min. Siga o protocolo hospitalar para aumentar o DC
<1,0 l/min. Retome a monitorização de DCC

14-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Resolução de problemas

Erros de DCC/ICC
Mensagens de erro de
DCC/ICC Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Placa Não Responde Interferência devido presença Desconecte o cabo de DCC durante a utilização de
de eletrocautério eletrocautério
Mau funcionamento do Desligue e ligue novamente o monitor para
sistema interno restaurar o sistema
Se o problema persistir, entre em contato com a
Assistência Técnica da Edwards
Processador de Sinal. Use Erro de processamento de Retome a monitorização de DCC
modo Bolus. dados Desligue e ligue novamente o monitor para
restaurar o sistema
Utilize o modo Bolus DC
Elemento Térmico, Utilize Mau funcionamento do Desligue e ligue novamente o monitor para
Modo Bolus sistema interno restaurar o sistema
Utilize o modo Bolus
Se o problema persistir, entre em contato com a
Assistência Técnica da Edwards
Perda Sinal Térmico Sinal térmico detectado pelo Verifique se o cateter está posicionado
monitor é muito pequeno para corretamente na artéria pulmonar (veja a
processar orientação gráfica na seção 14.3)
Interferência devido • Confirmar pressão de oclusão, verificando se
compressões seqüenciais pressão de insuflação encontra-se entre 1,25-
1,50 ml
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Desligue temporariamente o aparelho de
compressão seqüencial segundo o protocolo
hospitalar
Retome a monitorização de DCC

4/26/06 Edwards Lifesciences 14-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Alertas de DCC/ICC
Mensagens de alerta de
DCC/ICC Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Adaptação do sinal - Detectadas grandes variações Aguarde mais algum tempo para o monitor medir e
Continuando na temperatura sanguínea na exibir o DCC
artéria pulmonar Verifique se o cateter está posicionado
Interferência devido corretamente na artéria pulmonar (veja a
compressões seqüenciais> orientação gráfica na seção 14.3)
O filamento térmico do cateter • Confirmar pressão de oclusão, verificando se
não está corretamente pressão de insuflação encontra-se entre 1,25-
posicionado 1,50 ml
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Ao minimizar o desconforto do paciente as
variações de temperatura poderão diminuir
Desligue temporariamente o aparelho de
compressão seqüencial segundo o protocolo
hospitalar
Temperatura sanguínea Detectadas grandes variações Aguarde atualização da medida do DC
instável - Continuando na temperatura sanguínea na Ao minimizar o desconforto do paciente as
artéria pulmonar variações de temperatura poderão diminuir
Interferência devido Desligue temporariamente o aparelho de
compressões seqüenciais> compressão seqüencial segundo o protocolo
hospitalar
VS: Perda de Sinal da A freqüência cardíaca média Aguarde até a freqüência cardíaca média se situar
Freqüência Cardíaca do paciente calculada num dentro do intervalo padrão
período de tempo situa-se Selecione a configuração adequada dos eletrodos
fora do intervalo (FC <30 ou da freqüência cardíaca
>200 bpm)
Verifique se a ligação do cabo entre o Vigilance IIe
Não foi detectada freqüência o monitor à beira leito é segura
cardíaca
Substitua o cabo de interface do ECG
A ligação do cabo de interface
de ECG
não foi detectada

Resolución general de problemas del GCC/ICC


Tópico de DCC/ICC Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
ICC > DCC ASC do paciente incorreta Verifique as unidades de medida e os valores de
ASC <1 altura e peso do paciente
Débito Cardíaco Continuo As informações do bolus não Verifique se a constante de computação, o volume
≠ Débito Cardíaco Bolus estão configuradas do injetado e o tamanho do cateter foram
corretamente corretamente selecionados
Falha no termistor ou no Utilize injetado “gelado” ou o volume de injeção de
sensor de temperatura do 10 ml para produzir um sinal térmico maior
injetado Verifique se a técnica de injeção está correta
Temperatura basal instável Substitua o sensor de temperatura do injetado
afetando as medidas de DC
Bolus

14-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Resolução de problemas

14.2.2 Mensagens e resolução de problemas de RVS/IRVS


Alertas de RVS/IRVS
Mensagem de alerta de
RVS/IRVS Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
RVS: Perda do sinal da A porta de entrada analógica Verifique se o intervalo de voltagem e os valores
conexão das pressões doVigilance II não está de voltagem baixa/alta no monitor Vigilance IIsão
enviadas ao monitor configurada para aceitar PAM corretos para o monitor à beira leito
Vigilance II e PVC Verifique se a ligação do cabo entre o monitor
As ligações do cabo de Vigilance II e o monitor à beira leito é segura
interface da entrada analógica Verifique se os dados de altura/peso e as unidades
não foram detectadas de medida para a ASC do paciente são corretos
Sinal de entrada não exato Confirme o sinal no aparelho de saída analógica do
Mau funcionamento do monitor à beira leito
monitor à beira leito Substitua o módulo do monitor à beira leito caso
esteja sendo usado

Resolução de problemas gerais de IRVS


Tópico de RVS/IRVS Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
RVS > IRVS ASC do paciente incorreta Verifique as unidades de medida e os valores de
ASC <1 altura e peso do paciente
PAM e PVC do Vigilance O monitor Vigilance II não Verifique se o intervalo de voltagem e os valores
II: ≠ do monitor está configurado de voltagem baixa/alta no monitor Vigilance II são
multiparamétrico corretamente corretos para o monitor à beira leito
Sinal de entrada não exato Confirme se as unidades de medida para os
Mau funcionamento do valores de voltagem da porta de entrada analógica
monitor à beira leito ( mmHg ou Kpa ) estão corretas
Verifique se os dados de altura/peso e as unidades
de medida para a ASC do paciente são corretos
Confirme o sinal no aparelho de saída analógica do
monitor à beira leito
Substitua o cabo de interface de entrada analógica
Substitua o mód. do monitor à beira leito caso
esteja sendo usado
Limpe o asterisco (*) do display de perfil cardíaco,
relativo à PAM e PVC, se proveniente de um
aparelho externo remoto

4/26/06 Edwards Lifesciences 14-6


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

14.2.3 Mensagens e resolução de problemas de oximetria


Erros de oximetria
Mensagens de erro de
oximetria Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Faixa da Luz Má conexão do módulo óptico Verifique se a ligação do módulo óptico/cateter é
/ cateter segura
Fragmento ou película Limpe o módulo óptico e os conectores do cateter
obstruindo a lente do conector com um algodão com álcool isopropílico a 70%,
do módulo óptico / cateter deixe secar ao ar e volte a calibrar
Mau funcionamento do Substitua o módulo óptico e volte a calibrar
módulo óptico Substitua o cateter se suspeitar que existem danos
Cateter dobrado ou danificado e volte a calibrar
Módulo Óptico Conexão do módulo óptico ao Verifique se a ligação do módulo óptico/cateter é
Desconectado monitor não detectada segura
Pinos do conector do módulo Verifique se existem pinos dobrados ou se faltam
óptico dobrados ou faltando pinos no conector do cabo do módulo óptico
Memória Módulo Óptico Mau funcionamento na Substitua o módulo óptico e volte a calibrar
memória do módulo óptico
Valor Fora da Faixa Valores de oximetria, Hb ou Verifique se os valores de oximetria, Hb e Hct
Hct introduzidos foram corretamente introduzidos
incorretamente Verifique se a unidade de medida de Hb é correta
Unidades de medida de Hb Obtenha valores laboratoriais de oximetria
incorretas atualizados e volte a recalibrar
O valor de oximetria calculado
está fora da faixa de 0 a 99%
Transmissão Luz Fragmento ou película Limpe o módulo e os conectores do cateter com
Vermelha/IV obstruindo a lente do conector um algodão com álcool isopropílico a 70%, deixe
do módulo óptico / cateter secar ao ar e volte a calibrar
Mau funcionamento do Desligue e ligue novamente o monitor para
módulo óptico restaurar o sistema
Substitua o módulo óptico e volte a calibrar
Temperatura do Módulo Mau funcionamento do Substitua o módulo óptico e volte a calibrar
Óptico módulo óptico
Oximetria não disponível Mau funcionamento do Desligue e ligue novamente o monitor para
sistema interno restaurar o sistema
Se o problema persistir, entre em contato com a
Assistência Técnica da Edwards

14-7 Edwards Lifesciences 4/26/06


Resolução de problemas

Alertas de oximetria
Mensagens de alerta de
oximetria Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
IQS = 4 Fluxo sanguíneo baixo na Verifique se o cateter está posicionado
ponta do cateter ou ponta do corretamente. No caso de SvO2, verifique se o
cateter encostada à parede do cateter está posicionado corretamente na artéria
vaso pulmonar. Veja a orientação gráfica na seção 14.3.
Alteração significativa nos • Confirmar pressão de oclusão, verificando se
valores de Hb/HCT pressão de insuflação encontra-se entre 1,25-
Presença de coágulo na ponta 1,50 ml, (Somente para SvO2.)
do cateter • Confirme o correto posicionamento do cateter
Cateter dobrado ou danificado em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Aspire e lave o lúmen distal segundo o protocolo
hospitalar
Atualize os valores de Hb/HCT utilizando a função
Atualizar
Verifique se o cateter está dobrado e volte a
calibrar
Substitua o cateter se suspeitar que existem danos
e volte a calibrar

4/26/06 Edwards Lifesciences 14-8


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Advertências para oximetria


Mensagens de
advertência para
oximetria Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Erro da Calibração In Vitro Má conexão do módulo óptico Verifique se a ligação do módulo óptico/cateter é
e cateter segura
Recipiente de calibração Endireite quaisquer dobras visíveis no cateter e
molhado substitua- o caso haja suspeita de dano
Cateter dobrado ou danificado Substitua o módulo óptico e volte a calibrar
Mau funcionamento do Verifique se a ponta do cateter está colocada com
módulo óptico segurança no recipiente de calibração
A ponta do cateter não se Execute calibração in vivo
encontra no recipiente de
calibração da embalagem
Sinal Instável Alteração de oximetria, Hb/ Estabilize o paciente segundo o protocolo
HCT ou valores hospitalar e execute a calibração in vivo
hemodinâmicos não usuais
Cateter encostado na Fluxo sanguíneo reduzido na Aspire e lave o lúmen distal segundo o protocolo
parede do vaso ou ponta do cateter hospitalar
encunhado Presença de coágulo na ponta Verifique se o cateter está posicionado
do cateter corretamente. Para SvO2, verifique se o cateter
Ponta do cateter encunhada está posicionado corretamente na artéria
no vaso ou encostada na pulmonar. Veja a orientação gráfica na seção 14.3.
parede do vaso • Confirmar pressão de oclusão, verificando se
pressão de insuflação encontra-se entre 1,25-
1,50 ml (Somente para SvO2).
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Execute calibração in vivo

Guia para Solucionar Problemas de oximetria


Mensagens de oximetria Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Módulo Óptico Não O módulo óptico não foi Execute a calibração in vivo ou in vitro
Calibrado — Selecione calibrado (in vivo ou in vitro) Execute a função recalibrar dados do módulo
Oximetria para Calibração A função recalibrar dados do Óptico, se o módulo estiver sido calibrado
Mód. Óptico não foi executada previamente
Mau funcionamento do Substitua o módulo óptico e volte a calibrar
módulo óptico
Dados do paciente no A última calibração do módulo Execute calibração in vivo
Mód. Óptico superior a 24 óptico foi efetuada há >24 Sincronize a data e a hora em todos os monitores
horas horas da instituição
A data e a hora dos monitores
Vigilance II da instituição
estão incorretas

14-9 Edwards Lifesciences 4/26/06


Resolução de problemas

14.2.4 Mensagens e resolução de problemas de VDFC


Alertas de VDFC
Mensagens de alerta de
VDFC Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Perda de sinal da A freqüência cardíaca média Aguarde até a freqüência cardíaca média se situar
Freqüência Cardíaca do paciente calculada num dentro do intervalo padrão
período de tempo situa-se Selecione a configuração adequada dos eletrodos
fora do intervalo (FC <30 ou da freqüência cardíaca
>200 bpm)
Verifique se a ligação do cabo entre o Vigilance IIe
Não foi detectada freqüência o monitor à beira leito é segura
cardíaca
Substitua o cabo de interface do ECG
A ligação do cabo de interface
de ECG não foi detectada
Padrão Irregular de ECG Alteração fisiológica no estado Siga o protocolo hospitalar padrão para estabilizar
do paciente o estado do paciente
Terminais das ligações do Reposicione os eletrodos ou volte a ligar o cabo de
sinal de ECG mal conectados interface de ECG
Detectado duplo sinal devido Reposicione os eletrodos de referência para
a presença de marcapasso minimizar a detecção do pico auricular
atrial ou atrioventricular Selecione a configuração dos eletrodos adequada
para maximizar o sinal de freqüência cardíaca e
minimizar a detecção do pico auricular
Avalie a miliamperagem (mA) correta para o nível
de estimulação
Adaptação do sinal — O padrão de respiração do Aguarde mais algum tempo para o monitor medir e
Continuando paciente pode ter sido exibir o VDF
alterado Desligue temporariamente o aparelho de
Interferência devido compressão seqüencial segundo o protocolo
compressões sequenciais hospitalar
O filamento térmico do cateter Verifique se o cateter está posicionado
não está corretamente corretamente na artéria pulmonar (veja a
posicionado orientação gráfica na seção 14.3)
• Confirmar pressão de oclusão, verificando se
pressão de insuflação encontra-se entre 1,25-
1,50 ml
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada

Guia para Solucionar Problemas de VDFC


Tópico VDFC Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
FCméd medida pelo A configuração do monitor à Desligue o DCC e verifique se a freqüência
Vigilance II está ≠ do beira leito não está otimizada cardíaca é a mesma para o monitor Vigilance IIe
monitor à beira leito para saída de sinal de ECG para o monitor à beira leito
Mau funcionamento do Selecione a configuração dos eletrodos adequada
monitor à beira leito para maximizar o sinal de freqüência cardíaca e
Mau funcionamento do cabo minimizar a detecção do pico auricular
de interface de ECG Verifique a saída do sinal proveniente do monitor à
beira leito se necessário substitua o módulo
Substitua o cabo de interface do ECG

4/26/06 Edwards Lifesciences 14-10


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

14.2.5 Mensagen e resolução de problemas do DCI (bolus)


Erros do DC bolus
Mensagens de erros do
DCI Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Verifique a conexão do Não detecta a conexão do Verifique se o termistor do cateter está bem
termistor termistor do cateter conectado no cabo de DCC
A temperatura do sangue Verifique se a temperatura do sangue está entre
monitorizada é <15 °C ou >45 15-45°C.
°C Desconecte o termistor e verifique se estão
Funcionamento incorreto do faltando pinos ou estão dobrador
cabo de DCC Troque o cabo DCC.
T°I fora do intervalo, Temperatura do injetado Verifique a temperatura do soro injetado.
examine o cabo <0°C, >30°C ou >TºS Verifique as conexões do cabo do injetado para
Funcionamento incorreto do verificar se faltam pinos ou se estão dobados.
cabo de temperatura do Troque o cabo de temperatura do injetado.
injetado
Troque o cabo de DCC.
Funcionamento incorreto do
cabo de DCC
O monitor não responde Interferência do Desconecte o cabo de DCC durante o uso do
eletrocauterizador eletrocauterizador.
• Funcionamento interno do Deslique e ligue o monitor para restaurar o
sistema incorreto sistema.
Se o problema persistir, entre em contato com a
Assistência Técnica da Edwards
Verifique a conexão do Não foi detectado o cabo de Verifique a conexão entre o cabo do DCC e o cabo
cabo de temperatura do temperatura do injetado de temperatura do injetado.
injetado Funcionamento incorreto do Troque o cabo de temperatura do injetado.
cabo de temperatura do Troque o cabo de DCC
injetado
Funcionamento incorreto do
DCC
O volume injetado é Volume de injeção com o cabo Troque o volume injetado para 5 ml ou 10 ml.
incorreto Co Set deve ser de 5 ml ou 10 Utilize o sensor de temperatura de banho para um
ml volume de 3 ml.

14-11 Edwards Lifesciences 4/26/06


Resolução de problemas

Alertas Bolus DC
Mensagens de alerta de
DCI Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Curva Não Detectada Não foi detectada nenhuma Reinicie a monitorização de DC bolus e prossiga
injeção de bolus por um com as injeções
período >que 4 minutos
(modo Automático) ou 30
segundos (modo Manual)
Curva Alargada Curva de termodiluição Verifique se a técnica de injeção está correta
demorando para retornar a Verifique se o cateter está posicionado
linha basal corretamente na artéria pulmonar (veja a
Via para injeção na bainha do orientação gráfica na seção 14.3)
introdutor • Confirmar pressão de oclusão, verificando se
Possível shunt intracardíaco pressão de insuflação encontra-se entre 1,25-
1,50 ml
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Certifique-se que a via de injeção do cateter esteja
fora da bainha do introdutor
Utilize injetado “gelado” ou o volume de injeção de
10 ml para produzir um sinal térmico maior
Curva Irregular A curva de termodiluição Verifique se a técnica de injeção está correta
possui vários picos Verifique se o cateter está posicionado
corretamente na artéria pulmonar (veja a
orientação gráfica na seção 14.3)
• Confirmar pressão de oclusão, verificando se
pressão de insuflação encontra-se entre 1,25-
1,50 ml
• Confirme o correto posicionamento do cateter
em relação ao local de inserção, peso e altura
do paciente
• Considere a realização de uma radiografia para
avaliar a posição adequada
Utilize injetado “gelado” ou o volume de injeção de
10 ml para produzir um sinal térmico maior
Linha de Base Instável Detectadas grandes variações Aguarde mais algum tempo até a temperatura
na temperatura sanguínea na sanguínea estabilizar
artéria pulmonar Utilize o modo Manual
Injetado Aquecido A diferença entre as Utilize solução de injeção mais fria
temperaturas do injetado e do Substitua o sensor de temperatura do injetado
sangue é inferior ou igual a
8°C Substitua o cabo de DCC
Mau funcionamento no sensor
de temperatura do injetado
Mau funcionamento do cabo
de DCC

4/26/06 Edwards Lifesciences 14-12


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Resolução geral de problemas do DCI


Tópico de DCI Possível(is) causa(s) Ação(ões) sugerida(s)
Débito Cardíaco Contínuo As informações do bolus não Verifique se a constante de computação, o volume
≠ Débito Cardíaco Bolus estão configuradas do injetado e o tamanho do cateter foram
corretamente corretamente selecionados
Falha no termistor ou no Utilize injetado “gelado” ou o volume de injeção de
sensor de temperatura do 10 ml para produzir um sinal térmico maior
injetado
Temperatura basal instável Verifique se a técnica de injeção está correta
afetando a medida de DC Substitua o sensor de temperatura do injetado
Bolus

14.3 Ajuda gráfica para posicionamento do cateter (exemplo)

14.4 Teste do cabo de DCC do paciente


O teste do cabo de DCC do paciente (que exclui o teste de conexão do sensor do cabo
de temperatura do injetado) permite que o usuário verifique a integridade do cabo.
Também é possível obter as instruções para a realização do procedimento de
verificação da integridade do cabo de DCC do paciente em uma opção incluída no
menu de configuração.
1. Ligue o conector do filamento térmico do cabo de DCC do paciente e o conector
do termistor aos conectores correspondentes localizados no lado direito do painel
frontal do Vigilance II. A Figura 14-1 ilustra a conexão para o teste do cabo de
DCC do paciente.

14-13 Edwards Lifesciences 4/26/06


Resolução de problemas

Figura 14-1 Conexão do cabo de DCC do paciente para o teste de


integridade
2. Utilize o botão de navegação para selecionar o ícone de configuração
no quadro da barra de ferramentas do monitor Vigilance II .
3. Gire o botão para destacar Teste do Cabo Paciente DCC (veja a Fig-
ura 14-2).

Figura 14-2 Menu de configuração, teste do cabo de DCC do paciente


destacado
4. Pressione o botão. Siga as instruções mostradas na tela para executar o teste do
cabo de DCC do paciente.
Ao concluir o teste do cabo de DCC do paciente, desligue as conexões feitas com o
filamento térmico do painel frontal do monitor e os conectores do termistor.

4/26/06 Edwards Lifesciences 14-14


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

14-15 Edwards Lifesciences 4/26/06


Apêndice A
ESPECIFICAÇÕES

A1 Geral
O monitor Vigilance II mede o débito cardíaco contínuo (DCC), o volume diastólico
final contínuo (VDFC) e a oximetria (saturação do Oxigênio, incluindo, entre outras,
SvO2 e ScvO2) quando utilizado com os cateteres Edwards adequados para débito
cardíaco contínuo, volumétrico e para oximetria.
O Apêndice A apresenta resumos sobre os seguintes itens:
• Especificações físicas e mecânicas
• Especificações para medidas
• Perfis de dados do paciente
• Especificações técnicas
• Especificações ambientais
• Acessórios para uso com o monitor Vigilance II

Especificações físicas e mecânicas


Peso 3,43 kg
Dimensões Altura 241 mm
Largura 292 mm
Profundidade 208 mm (excluindo-se o botão de navegação)
Visor TFT Área ativa 211 mm x 157 mm
Tela de Eixo de Tempo 30 minutos a 24 horas (para Tendência Gráfica)
tendência Configuração Tendência Gráfica (Modo DCC)
Gráfico de Bolus (Modo DCI)
Parâmetros 4 Quadros grandes de parâmetro, ou 3 quadros
grandes de parâmetro quando no Modo DCI (bolus)

4/26/06 Edwards Lifesciences A-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

A2 Especificações para medidas

Parâmetros de base
Parâmetro Especificações
DCC Faixa 1 a 20 l/min
Débito cardíaco contínuo Reproducibilidade 1 ±6% ou 0,1 l/min, o que for maior

Tempo de resposta2 3 a 9 minutos


DCI Faixa 1 a 20 l/min
Débito cardíaco Reproducibilidade1 ±3% ou 0,1 l/min, o que for maio
intermitente (bolus)
TS Faixa 15°C a 45°C
Temperatura do sangue Precisão ±0.3°C
TI Faixa 0°C a 30°C
Temperatura do injetado (de 32°F a 86°F)
Precisão ±0.3°C

Parâmetros volumétricos
Parâmetro Especificações
FCmed Faixa exibida 30 a 250 bpm
Frequência cardíaca média Média do comprimento de uma
(para determinação da FEVD) sucessão3
FEVD Faixa 10% a 60%
Fração de ejeção contínua do Reproducibilidade 1 ±6% ou 3 efu, o que for maior
ventrículo direito

Parámetros de oximetria
Parâmetro Especificações
Oximetria (saturação de Faixa 0 a 99%
Oxigênio) ±2% a 30 a 99%
Precisão4

Observações:
1. Coeficiente de variação — medido com a utilização de dados produzidos eletroni-
camente
2. Alteração de 10% a 90% em condições temperatura sangüínea estável
3. A média da freqüência cardíaca quando não estiver no modo DCC será a média de
seis dos 8 intervalos R-R mais recentes, excluindo-se o intervalo mais longo e o
mais curto.
4. A precisão foi testada em condições laboratoriais.

A-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Especificações

A3 Perfis de dados do paciente


A listagem em forma de tabela a seguir apresenta intervalos aceitáveis da variáveis
derivadas ou inseridas que podem ser introduzidas pelo operador e aceitos pelo
monitor. Os parâmetros derivados são impressos em negrito. Os parâmetros
mostrados em fonte normal podem ser medidos pelo monitor Vigilance II, enviados ou
inseridos pelo usuário.

Perfil de dados do paciente


Parâmetro Descrição Faixa
DCC Débito cardíaco contínuo 1-20 l/min
ICC Índice cardíaco contínuo 0-20 l/min/m2
DC Débito cardíaco 1-20 l/min
IC Índice cardíaco 0-20 l/min/m2
Hb Hemoglobina total 4 - 20 g/dl (2,5 - 12,4 mmol/l)
PaO2 Pressão parcial do Oxigênio arterial 0 - 1520 mmHg (0,0 - 202,6 kPa)
PvO2 Pressão parcial do Oxigênio venoso 0 - 1520 mmHg (0,0 - 202,6 kPa)
PAM Pressão arterial média 0 - 500 mmHg (0,0 - 66,6 kPa)
PVC Pressão venosa central 0 - 100 mmHg (0,0 - 13,3 kPa)
PAPM Pressão de artéria pulmonar média 0 - 100 mmHg (0,0 - 13,3 kPa)
PEAP Pressão de encunhamento de artéria pulmonar 0 - 100 mmHg (0,0 - 13,3 kPa)
FCméd Freqüência cardíaca 30 - 250 lpm
Alt Altura 30 - 250 cm (12 - 98 pulgad)
P Peso 0,9 - 400 kg (2 - 880 lbs)
ASC Área de superfície corporal 0,08 - 5,02 m2
FiO2 Fração de Oxigênio inspirado 0,21 - 1,00 (sin unidades)
SaO2 Oximetria (saturação arterial de Oxigênio) 40 – 100%
SvO2 Saturação venosa de Oxigênio 10 – 99%
ScvO2 Saturação Venosa Central de Oxigênio 10 – 99%
RVS Resistência vascular sistêmica 0 - 3000 dn-s/cm5 (0,0 - 300,0 kPa-s/l)
IRVS Índice de resistência vascular sistêmica 0 - 6000 dn-s/m2/cm5 (0,0 - 600 kPa-s-m2/l)
RVP Resistência vascular pulmonar 0 - 999 dn-s/cm5 (0,0 - 99,9 kPa-s/l)
IRVP Índice de resistência vascular pulmonar 0 - 2000 dn-s/m2/cm5 (0,0 - 200,0 kPa-s-m2/l)
ITSVE Índice de trabalho sistólico do ventrículo 0 - 999 g-m/m2/batimento
esquerdo
ITSVD Índice de trabalho sistólico do ventrículo direito 0 - 200 g-m/m2/batimento
VS Volume sistólico 0 - 300 ml/batimento
IVS Índice de volume sistólico 0 - 200 ml/batimento/m2
FEVD Fração de ejeção de ventrículo direito 10 a 60%
VDF Volume diastólico final 40 - 800 ml
IVDF Índice de volume diastólico final 20 - 400 ml/m2
VSF Volume sistólico final 10 - 700 ml
IVSF Índice de volume sistólico final 5 - 400 ml/m2
IEO2 Índice de extração de Oxigênio 0,0 - 99,9 %
VO2 Consumo de Oxigênio 0 - 999 ml/min

4/26/06 Edwards Lifesciences A-3


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Perfil de dados do paciente


Parâmetro Descrição Faixa
IVO2 Índice de consumo de Oxigênio 0 - 999 ml/min/m2
DO2 Oferta de Oxigênio 0 - 2,000 ml/min
DIO2 Índice de oferta de Oxigênio 0 - 2,000 ml/min/m2
CaO2 Conteúdo arterial de Oxigênio 0 - 99 ml/dl
CvO2 Conteúdo venoso de Oxigênio 0 - 99 ml/dl
Ca-vO2 Diferença do conteúdo arterio-venoso de 0 - 99 ml/dl
Oxigênio

A4 Especificações técnicas

Especificações técnicas
Entrada/ Entradas analógicas Escala total selecionável: 0 a 1V, 0 a 5V, 0 a 10V; impedância de entrada
Saída (3) >100 kΩ; tomada estéreo de 1/8 pol.; largura de banda = 5 Hz;
resolução: 12 bits ±1 LSB de escala total
Saída analógica (1) Faixa de escala total selecionável: 0 a 1V, 0 a 10V; largura de banda = 10
Hz; resolução = 8 bits; precisão absoluta = ±2,5%; linearidade = ±1%
tomada estéreo de 1/8 pol.
Entrada do monitor Faixa de voltagem de entrada 0 a 10V em escala total; largura de banda
do ECG do canal = 0,5 a 40 Hz; resolução = ±1 BPM; precisão = ±1 BPM; faixa =
30 a 250 BPM; tomada estéreo de 1/4 pol.; cabo analógico
E/S digital (2) Portas seriais programáveis RS232;
taxa de dados máxima = 19,2 kilobaud
Teclado Seis (6) botões de pressão no painel frontal: 1 botão LIGA/DESLIGA e 5
seleções de monitorização
Porta USB Um conector tipo A compatível com V1.1
Parâmetros Tensão 100 a 240 Vac; 50/60 Hz
elétricos Consumo de energia 40 watts, máximo
Fusível Dois de 1 amp, 250 volts, tempo de atraso, baixa capacitância, 5x20 mm

A5 Especificações ambientais

Especificações ambientais
Parâmetro Valor
Temperatura de funcionamento sem o módulo óptico 0 a 50°C
Temperatura de funcionamento com o módulo óptico 0 a 37°C
Temperatura de armazenamento -25 a 70°C
Umidade relativa, funcionamento e armazenamento 10% a 95%, sem condensação
Pressão atmosférica de funcionamento 696 a 1013 hPa

A6 Acessórios

ADVERTÊNCIA
Conecte apenas acessórios que tiverem sido certificados como parte do
sistema de monitorização Vigilance II.

A-4 Edwards Lifesciences 4/26/06


Especificações

Os seguintes acessórios encontram-se disponíveis para uso com o monitor


Vigilance II:
Accesórios Modelo
Cateteres *
Cabo de força *
Manual do operador *
Cabo de DCC de paciente Modelo 70CC2
Módulo óptico Modelo OM2/OM2E†
Sensor de temperatura em linha Modelo 93522
Sensor de temperatura para banho Modelo 9850A
Impressora Porta USB, COM ITE Classe II
Cabo de interface da impressora Compatível com USB
Cabo escravo de pressão **
Cabos escravos do Monitor de ECG **
Cabos escravos do oxímetro de pulso Nellcor **
Placa adaptadora *

* Entre em contato com o representante local da Edwards para obter informações


sobre modelos e como fazer o pedido.
† Módulo óptico com marca CE.
** Os cabos escravos Edwards Lifesciences são específicos para o monitor de beira
de leito; esses cabos podem ser utilizados em monitores de beira de leito de
várias empresas como a Philips (Agilent), GE (Marquette) e Spacelabs (OSI
Systems). Entre em contato com o representante local da Edwards para obter
informações sobre um modelo específico e sobre como fazer o pedido.

4/26/06 Edwards Lifesciences A-5


Apêndice B
EQUAÇÕES PARA OS PARÂMETROS CALCULADOS DO
PACIENTE

B1 Geral
Esta seção apresenta as equações utilizadas para calcular os parâmetros do
paciente exibidos nas telas de Perfil Cardíaco e Perfil de Oxigenação.

OBSERVAÇÃO
Os parâmetros calculados para os pacientes possuem mais casas
decimais de precisão do que as apresentadas na tela (por exemplo, um
valor de DC de 2,4 pode representar um valor de 2,4492).
Conseqüentemente, as tentativas de verificar os valores exibidos na tela
com a utilização das equações a seguir podem produzir resultados um
pouco diferentes dos dados computados pelo monitor.
OBSERVAÇÃO
Subscrito SI = Unidades internacionais padrão

B2 Equações para cálculo do Perfil Cardíaco


Equações para cálculo do perfil cardíaco
Parâmetro Descrição & Fórmula
IC Índice cardíaco
IC = DC/ASC (l/min/m2)
onde:
DC - Débito cardíaco, l/min
ASC - Área de superfície corporal, m2
VDF Volume diastólico final
VDF = VS/FE (ml)
onde:
SV - Volume sistólico (ml)
FE - Fração de ejeção, % (efu))
IVDF Índice de volume diastólico final
IVDF = IVS/FE (ml/m2)
onde:
IVS - Índice de volume sistólico, ml/m2
FE - Fração de ejeção, % (efu)

B-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Equações Para os parâmetros calculados do paciente

Equações para cálculo do perfil cardíaco (Continued)


Parâmetro Descrição & Fórmula
VSF Volume sistólico final
VSF = VDF - VS (ml)
onde:
VDF - Volume diastólico final (ml)
SV - Volume sistólico (ml)
IVSF Índice de volume sistólico final
IVSF = IVDF - IVS (ml/m2)
onde:
IVDF - Índice de volume diastólico final (ml/m2)
IVS - Índice de volume sistólico (ml/m2)
RVS Resistência vascular sistêmica
RVS = {(PAM - PVC) x 80} /DC (dn-s/cm5)
RVS = {(PAMSI - PVCSI) x 60} /DC (kPa-s/l)
onde:
PAM - Pressão arterial média, mmHg
PAMSI - Pressão arterial média, kPa
PVC - Pressão venosa central, mmHg
PVCSI - Pressão venosa central, kPa
DC - Débito cardíaco, l/min
IRVS Índice de resistência vascular sistêmica
IRVS = {(PAM - PVC) x 80} /IC (dn-s-m2/cm5)
IRVS = {(PAMSI - PVCSI) x 60} /IC (kPa-s-m2/l)
onde:
PAM - Pressão arterial média, mmHg
PAMSI - Pressão arterial média, kPa
PVC - Pressão venosa central, mmHg
PVCSI - Pressão venosa central, kPa
IC - Índice cardíaco, l/min/m2
RVP Resistência vascular pulmonar
RVP = {(PAPM - POAP) x 80} /DC (dn-s/cm5)
RVP = {(PAPMSI - POAPSI) x 60} /DC (kPa-s/l)
onde:
PAPM - Pressão arterial pulmonar média, mmHg
PAPMSI - Pressão arterial pulmonar média, kPa
POAP - Pressão de encunhamento arterial pulmonar, mmHg
POAPSI - Pressão de encunhamento arterial pulmonar, kPa
DC - Débito cardíaco, l/min

4/26/06 Edwards Lifesciences B-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Equações para cálculo do perfil cardíaco (Continued)


Parâmetro Descrição & Fórmula
IRVP Índice de resistência vascular pulmonar
IRVP = {(PAPM - POAP) x 80} /IC (dn-s-m2/cm5)
IRVP = {(PAPMSI - POAPSI) x 60} /IC (kPa-s-m2/l)
onde:
PAPM - Pressão arterial pulmonar média, mmHg
PAPMSI - Pressão arterial pulmonar média, kPa
POAP - Pressão de encunhamento arterial pulmonar, mmHg
POAPSI - Pressão de encunhamento arterial pulmonar, kPa
IC - Índice cardíaco, l/min/m2
VS Volume sistólico
VS = (DC/FC) x 1000 (ml/batimento)
onde:
DC - Débito cardíaco, l/min
FC - Freqüência cardíaca, batimentos/min
IVS Índice de volume sistólico
IVS = (IC/FC) x 1000 (ml/batimento/ m2)
onde:
IC - Índice cardíaco, l/min/m2
FC - Freqüência cardíaca, batimentos/min
ITSVE Índice de trabalho sistólico do ventrículo esquerdo
ITSVE = IVS x (PAM - PEAP) x 0,0136 (g-m/m2/batimento)
ITSVE = IVS x (PAMSI - PEAPSI ) x 0,0136 x 7,5 (g-m/m2/batimento)
onde:
IVS - Índice de volume sistólico, ml/batimento/m2
PAM - Pressão arterial média, mmHg
PAMSI - Pressão arterial média, kPa
POAP - Pressão de encunhamento arterial pulmonar, mmHg
POAPSI - Pressão de encunhamento arterial pulmonar, kPa
ITSVD ITSVD = IVS x (PAPM - PVC) x 0,0136 (g-m/m2/batimento)
ITSVD = IVS x (PAPMSI - PVCSI) x 0,0136 x 7,5 (g-m/m2/batimento)
onde:
IVS - Índice de volume sistólico, ml/batimento/m2
PAPM - Pressão arterial pulmonar média, mmHg
PAPMSI - Pressão arterial pulmonar média, kPa
PVC - Pressão venosa central, mmHg
PVCSI - Pressão venosa central, kPa
ASC Área de superfície corporal (fórmula de Dubois)
ASC = 71,84 x (P 0,425) x (Alt 0,725) /10.000 (m2)
onde:
P - Peso do paciente, kg
Alt - Altura do paciente, cm

B-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Equações Para os parâmetros calculados do paciente

OBSERVAÇÃO
Todos os cálculos que incluam SvO2, ScvO2 serão substituídos quando o
usuário selecionar a identificação ScvO2 no Quadro grande de
parâmetro.

B3 Equações para cálculo do perfil de oxigenação


Equações para cálculo do perfil de oxigenação
Parâmetro Descrição & Fórmula
IEO2 Índice de extração de Oxigênio
IEO2 = {(SaO2 - SvO2) / SaO2} x100 (%)
onde:
SaO2 – Saturação arterial de O2, %
SvO2 – Saturação venosa mista de O2, %
DO2 Oferta de Oxigênio
DO2 = CaO2 x DC x 10 (ml O2/min)
onde:
CaO2 – Conteúdo arterial de Oxigênio, ml/dl
DC - Débito cardíaco, l/min
CaO2 Conteúdo arterial de Oxigênio
CaO2 = (0,0138 x Hb x SaO2) + (0,0031 x PaO2) (ml/dl)
CaO2 = [0,.0138 x (HbSI x 1,611) x SaO2]
+ [0.0031 x (PaO2SI x7,5)] (ml/dl)
onde:
Hb - Hemoglobina total, g/dl
HbSI - Hemoglobina total, mmol/l
SaO2 - Saturação arterial de O2, %
PaO2 - Pressão parcial do Oxigênio arterial, mmHg
PaO2SI - Pressão parcial do Oxigênio arterial, kPa
CvO2 Conteúdo venoso de Oxigênio
CvO2 = (0,0138 x Hb x SvO2) + (0,0031 x PvO2) (ml/dl)
CvO2 = [0,0138 x (HbSI x 1,611) x SvO2]
+ [0,0031 x (PvO2SI x 7,5)] (ml/dl)
onde:
Hb - Hemoglobina total, g/dl
HbSI - Hemoglobina total, mmol/l
SvO2 - Saturação venosa mista de O2, %
PvO2 - Pressão parcial do Oxigênio venoso, mmHg
PvO2SI - Pressão parcial do Oxigênio venoso, kPa

4/26/06 Edwards Lifesciences B-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Equações para cálculo do perfil de oxigenação


Parâmetro Descrição & Fórmula
Ca-vO2 Diferença do conteúdo arteriovenoso de Oxigênio
Ca-vO2 = CaO2 - CvO2 (ml/dl)
onde:
CaO2 - Conteúdo arterial de Oxigênio (ml/dl)
CvO2 - Conteúdo venoso de Oxigênio (ml/dl)
DO2I Índice de oferta de Oxigênio
IDO2 = CaO2 x IC x 10 (ml O2/min/m2)
onde:
CaO2 - Conteúdo arterial de Oxigênio, ml/dl

IC - Índice cardiaco, l/min/m2


VO2 Consumo de Oxigênio
CO2 = Ca-vO2 x DC x 10 (ml O2/min)
donde:
Ca-vO2 - Diferença do conteúdo arteriovenoso de Oxigênio, ml/dl
DC - Débito cardíaco, l/min
IVO2 Índice de consumo de Oxigênio
ICO2 = Ca-vO2 x IC x 10 (ml/min/m2)
donde:
Ca-vO2 - Diferença do conteúdo arteriovenoso de Oxigênio, ml/dl

IC - Índice cardíaco, l/min/m2


REO2 Relação de extração de Oxigênio
REO2 = (Ca-vO2 / CaO2) x 100 (%)
donde:
CaO2 - Conteúdo arterial de Oxigênio, ml/dl
Ca-vO2 - Diferença do conteúdo arteriovenoso de Oxigênio, ml/dl

B-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Equações Para os parâmetros calculados do paciente

Equações para cálculo do perfil de oxigenação


Parâmetro Descrição & Fórmula
IPV Índice de perfusão/ventilação
{1,38 x Hb x (1,0 - (SaO2/100))+ (0,0031 x PAO2)}
IPV =------------------------------------------------------------------x 100 (%)
{1,38 x Hb x (1,0 - (SvO2/100))+ (0,0031 x PAO2)}

{1,38 x HbSI x 1,611344 x (1,0 - (SaO2/100)) + (0,0031 x PAO2)}


IPV = --------------------------------------------------------------------------------x 100 (%)
{1,38 x HbSI x 1,611344 x (1,0 - (SvO2/100)) + (0,0031 x PAO2)}
onde:
Hb - Hemoglobina total, g/dl
HbSI - Hemoglobina total, mmol/l
SaO2 - Saturação arterial de O2, %
SvO2 - Saturação venosa mista de O2, %
PAO2 - Tensão dos alvéolos O2, mmHg
e:
PAO2 = ( (PBAR - PH20) x FiO2) - PaCO2 x (FiO2 +(1,0 - FiO2)/0,8)
onde:
FiO2 - Fração de Oxigênio inspirado
PBAR – 760 mmHg
PH2O – 47 mmHg
PaCO2 – 40 mmHg

4/26/06 Edwards Lifesciences B-6


Apêndice C
PARÂMETROS DO MONITOR E PREDEFINIDOS

C1 Escalas de tendência

OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II não aceitará um valor de um parâmetro superior da
escala que seja mais baixo que o parâmetro inferior da escala e também
não aceitará um parâmetro inferior da escala que seja maior que o
parâmetro superior da escala.

C1.1 Limites superiores da escala de tendência


Parâmetro Faixa de limite Incremento Valor Unidades
superior do valor predefinido
SvO2 20 a100 10 100 %
ScvO2 20 a 100 10 100 %
DCC 4 a 20 1 12 l/min
ICC 4 a 20 1 12 l/min/m2
VDF 100 a 800 20 300 ml
IVDF 60 a 400 20 200 ml/m2
RVS 500 a 5000 50 1500 kPa-s/l
IRVS 1000 a 9950 50 3000 kPa-s-m2/l
FEVD 10 a 100 10 100 %
VS 40 a 300 20 160 ml/batimento
IVS 40 a 200 20 80 ml/batimento/m2

C1.2 Límites inferiores da escala de tendências


Parâmetro Faixa de limite Incremento do Valor Unidades
inferior valor predefinido
SvO2 0 a 60 10 0 %
ScvO2 0 a 60 10 0 %
DCC 0 a 10 1 0 l/min
ICC 0 a 10 1 0 l/min/m2
VDF 0 a 400 20 80 ml
IVDF 0 a 200 20 40 ml/m2
RVS 0 a 2000 50 500 kPa-s/l
IRVS 0 a 2000 50 500 kPa-s-m2/l
FEVD 0 a 60 10 0 %
VS 0 a 140 20 0 ml/batimento
IVS 0 a 140 20 0 ml/batimento/m2

C-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Parâmetros do Monitor e Predefinidos

C2 Límites de alarme

OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II não aceitará um valor de limite superior que seja
mais baixo que o limite inferior e também não aceitará um parâmetro de
limite inferior que seja maior que o parâmetro do limite superior.

C2.1 Límites superiores de alarme


Parâmetro Faixa de limite Incremento Valor Unidades
superior do valor predefinido
SvO2 20 a 99 1 99 %
ScvO2 20 a 99 1 99 %
DCC 2 a 20 1 14 l/min
ICC 1 a 20 1 7 l/min/m2
VDF 40 a 800 10 300 ml
IVDF 20 a 400 10 150 ml/m2
RVS 500 a 5000 20 1500 kPa-s/l
IRVS 1000 a 9950 50 3000 kPa-s-m2/l
FEVD 20 a 100 5 50 %
VS 20 a 300 5 120 ml/batimento
IVS 20 a 200 5 60 ml/batimento/m2

C2.2 Limites inferiores de alarme


Parâmetro Faixa de limite Incremento Valor Unidades
inferior do valor predefinido
SvO2 0 a 60 1 10 %
ScvO2 0 a 60 1 10 %
DCC 1 a 19 1 2 l/min
ICC 0 a 19 1 1 l/min/m2
VDF 0 a 400 10 80 ml
IVDF 0 a 200 10 60 ml/m2
RVS 0 a 2000 20 500 kPa-s/l
IRVS 0 a 4000 50 1000 kPa-s-m2/l
FEVD 0 a 60 5 0 %
VS 0 a 140 5 20 ml/batimento
IVS 0 a 100 5 10 ml/batimento/m2

4/26/06 Edwards Lifesciences C-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

C3 Parâmetros de exibição
Parâmetro Opções Parâmetro
predefinido
Escala de tempo de 30 minutos, 1 hora, 2 horas, 4 horas, 8 2 horas
tendência horas, 24 horas
Gráfico 1 SvO2 ou ScvO2, DCC, ICC, VDF, SvO2
IVDF, RVS, IRVS, FEVD, VS, IVS
Gráfico 2 SvO2 or ScvO2, DCC, ICC, VDF, IVDF, DCC
RVS, IRVS, FEVD, VS, IVS
Gráfico 3 SvO2 ou ScvO2, DCC, ICC, VDF, Nenhum
IVDF, RVS, IRVS, FEVD, VS, IVS
Gráfico 4 SvO2 ou ScvO2, DCC, ICC, VDF, Nenhum
IVDF, RVS, IRVS, FEVD, VS, IVS
Idioma Inglês (EUA), Inglês (RU), Francês, Inglês (EUA)
Alemão, Italiano, Espanhol, Sueco,
Dinamarquês, Holandês, Japonês,
Chinês, Português
Unidades de temperatura °C, °F °C
Unidades internacionais Sim, não Não
(para o inglês (EUA), Japanese)
Sim
((para todos os outros idiomas)
Formato de hora 12 horas, 24 horas 12 horas (para o inglês (EUA)
24 Horas (para todos os outros idiomas)
Formato de data MM/DD/AAAA, DD.MM.AAAA MM/DD/AAAA (para o inglês (EUA)
DD.MM.AAAA (para todos os outros
idiomas)
Volume de alarme 45 dB - 85 dB 65 dB
Alarme de desligamento Ativado, desativado Ativado
Cor do visor Dia, noite Noite
Área de exibição de Grupo 1, Grupo 2, Grupo 3, Grupo 4 Grupo 1
valores numéricos
pequenos

C4 Grupo de quadros pequenos de parâmetros


Todas as posições oferecem os seguintes parâmetros:
FEVD, VSF, IVSF, VS, IVS, RSV, IRVS, FCméd, PVC, PAM, RVP, IRVP, ITSVE,
ITSVD, SaO2, CaO2, CvO2, Ca-vO2, DO2, IDO2, VO2, IVO2, IEO2, REO2, IPV,
Nenhum (em branco).
Grupo 1 RVS PAM Grupo 2 DO2 SaO2
VSF SaO2 VSF Nenhum
IRVS PVC VO2 PVC
PVC Nenhum IVSF PAM

Grupo 3 Nenhum Nenhum Grupo 4 Nenhum Nenhum


Nenhum Nenhum Nenhum Nenhum
Nenhum Nenhum Nenhum Nenhum
Nenhum Nenhum Nenhum Ninguno

C-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Parâmetros do Monitor e Predefinidos

C5 Parâmetros predefinidos da tela de dados do paciente


PvO2 = 40 mmHg
PaO2 = 100 mmHg

C6 Gráfico de relação dos dados


C6.1 Parâmetros do gráfico de relação dos dados
Parâmetro Opções Parâmetro
predefinido
Intervención , ,
Gráficos VS vs. VDF, IVS vs. IVDF, VDF vs. DC, IVDF VS vs.VDF
predefinidos vs. IC, SvO2/ScvO2 vs. DC
Número de puntos 10 - 50 (de 1 em 1) 20
Freqüência do 1 - 120 minutos (de 1 em 1 minuto) 1 minuto
gráfico
Eixo vertical DCC, DCC Rápido, ICC, ICC Rápido, VDF, VS
VDF Rápido, IVDF, IVDF Rápido, SvO2/
ScvO2,DO2, IDO2, REO2, VO2, IVO2, RVS,
IRVS, FEVD, FEVD Rápido, VS, IVS, FCmed
Eixo horizontal DCC, DCC Rápido, ICC, ICC Rápido, VDF VDF
Rápido, IVDF, IVDF Rápido, SvO2/ScvO2,
DO2, IDO2, REO2, VO2, IVO2, RVS, IRVS,
FEVD, FEVD Rápido, VS, IVS, FCmed

C6.2 Escalas de gráfico de relação dos dados

OBSERVAÇÃO
O monitor Vigilance II não aceitará um valor de um parâmetro superior da
escala que seja mais baixo que o parâmetro inferior da escala e também
não aceitará um parâmetro inferior da escala que seja maior que o
parâmetro superior da escala.

4/26/06 Edwards Lifesciences C-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

C6.2.1 Limites superiores da escala do gráfico de relação dos dados


Parâmetro Faixa de limite Incremento Valor Unidades
superior do valor predefinido
DCC/DCC Rápido 4 a 20 1 12* l/min
ICC/ICC Rápido 4 a 20 1 12* l/min/m2
VDF/VDF Rápido 100 a 800 20 300* ml
IVDF/IVDF Rápido 60 a 400 20 200* ml/m2
SvO2 ou ScvO2 50 a 100 10 100* %
DO2 500 a 5000 50 1500 ml/min
IDO2 250 a 2500 50 800 ml/min/m2
REO2 20 a 100 10 60 %
VO2 200 a 1000 50 400 ml/min
IVO2 200 a 500 20 300 ml/min/m2
RVS 500 a 5000 50 1500* kPa-s/l
IRVS 1000 a 9950 50 3000* kPa-s-m2/l
FEVD/FEVD 10 a 100 10 100* %
Rápido
VS 40 a 300 20 160* ml/lat
IVS 40 a 200 20 80* ml/lat/m2
FCméd 50 a 250 10 200 lpm

*Mostraam os valores predeterminados ou os valores superiores das tencências atuais


na escala de paraâmetros.

C6.2.2 Limites inferiores da escala do gráfico de relação de dados


Parâmetro Faixa de limite Incremento Valor Unidades
inferior do valor predefinido
DCC/DCC Rápido 0 a 10 1 0* l/min
ICC/ICC Rápido 0 a 10 1 0* l/min/m2
VDF/VDF Rápido 0 a 400 20 80* ml
IVDF/IVDF Rápido 0 a 200 20 40* ml/m2
SvO2 ou ScvO2 0 a 60 10 0* %
DO2 0 a 2000 50 500 ml/min
IDO2 0 a 1000 50 300 ml/min/m2
REO2 0 a 60 10 0 %
VO2 0 a 500 50 100 ml/min
IVO2 0 a 300 20 0 ml/min/m2
RVS 0 a 2000 50 500* kPa-s/l
IRVS 0 a 2000 50 500* kPa-s-m2/l
FEVD/FEVD Rápido 0 a 60 10 0* %
VS 0 a 140 20 0* ml/batimento
IVS 0 a 140 20 0* ml/batimento/m2
FCméd 0 a 100 10 0 lpm

C-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Parâmetros do Monitor e Predefinidos

*Mostram os valores predeterminados ou os valores inferiores das tendências atuais


para a escala de parâmetros.

C6.2.3 Limites superiores dos valores da linha vermelha


Parâmetro Faixa de limite Incremento Valor Unidades
superior do valor predefinido
DCC/DCC Rápido 2 a 20 1 14 l/min
ICC/ICC Rápido 1 a 20 1 7 l/min/m2
VDF/VDF Rápido 40 a 800 10 300 ml
IVDF/IVDF Rápido 20 a 400 10 150 ml/m2
SvO2 ou ScvO2 11 a 99 1 99 %
DO2 500 a 5000 50 1200 ml/min
IDO2 250 a 2500 50 600 ml/min/m2
REO2 20 a 100 1 40 %
VO2 200 a 1000 25 300 ml/min
IVO2 100 a 500 10 200 ml/min/m2
RVS 500 a 5000 20 1500 kPa-s/l
IRVS 1000 a 9950 50 3000 kPa-s-m2/l
FEVD/FEVD Rápido 20 a 100 5 50 %
VS 20 a 300 5 120 ml/lat
IVS 20 a 200 5 60 ml/lat/m2
FCméd 50 a 250 5 150 lpm

C6.2.4 Limites inferiores dos valores de linha vermelha


Parâmetro Faixa de limite Incremento Valor Unidades
inferior do valor predefinido
DCC/DCC Rápido 1 a 19 1 2 l/min
ICC/ICC Rápido 0 a 19 1 1 l/min/m2
VDF/VDF Rápido 0 a 400 10 80 ml
IVDF/IVDF Rápido 0 a 200 10 60 ml/m2
SvO2 ou ScvO2 0 a 98 1 10 %
DO2 0 a 2000 50 800 ml/min
IDO2 0 a 1000 50 500 ml/min/m2
REO2 0 a 50 1 15 %
VO2 0 a 500 25 200 ml/min
IVO2 0 a 200 10 100 ml/min/m2
RVS 0 a 2000 20 500 kPa-s/l
IRVS 0 a 4000 50 1000 kPa-s-m2/l
FEVD/FEVD 0 a 60 5 0 %
Rápido
VS 0 a 140 5 20 ml/batimento
IVS 0 a 100 5 10 ml/batimento/
m2
FCméd 0 a 100 5 50 bpm

4/26/06 Edwards Lifesciences C-6


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

C7 Parâmetros de DCI (bolus)


Parâmetro Opções Parâmetro
predefinido
Modo Automático, Manual Automático
Volume injetado 3ml, 5ml, 10ml 10ml
Tamanho do cateter 5,5F, 6F, 7F, 7,5F, 8F 8F
Constante Auto, 0.001 - 0.999 (em etapas de 0,001) Auto
Computação

C8 Parâmetros predefinidos da porta de comunicação


Portas de entrada analógica (1, 2, 3) Nenhuma
Porta de saída analógica (1) Nenhuma
Porta digital (COM 1, COM 2) Nenhum

C-7 Edwards Lifesciences 4/26/06


Apêndice D
CONSTANTES DE COMPUTAÇÃO

D1 Geral
No modo DCI, o monitor Vigilance II computa o débito cardíaco utilizando uma
configuração de sensor para banho ou um sensor de temperatura em linha utilizando
as constantes de computação listadas nas tabelas a seguir. O monitor Vigilance II
detecta automaticamente o tipo de sensor de temperatura do injetado que está sendo
utilizado e a temperatura de injeção, o tamanho do cateter e o volume injetado
correspondentes definem a constante de computação a ser utilizada.

OBSERVAÇÃO
As constantes de computação apresentadas a seguir são nominais e em
geral se aplicam a cateteres de tamanhos específicos. Para obter
constantes computação específicas para o cateter que está sendo
utilizado, consulte as instruções de uso do cateter.
OBSERVAÇÃO
Constantes de computação específicas para o modelo devem ser
inseridas manualmente no menu de configuração no modo DCI.

D2 Dados do sensor de temperatura para banho


Tabela D-1 Constantes de computação para o sensor de temperatura para banho
Intervalo de
temperatura
do injetado* Volume do Tamanho do cateter (French)
(°C) injetado (ml) 8 7.5 7 6 5.5
Temp. 10 0.612 0.594 0.595 0.607 0.616
ambiente 5 0.301 0.283 0.287 0.304 0.304
22.5–27°C 3 0.177 0.159 0.165 0.180 0.180
Temp. 10 0.588 0.582 0.578 0.597 0.606
ambiente 5 0.283 0.277 0.274 0.297 0.298
18–22.5°C 3 0.158 0.156 0.154 0.174 0.175
Frío (helado) 10 0.563 0.575 0.562 0.573 0.581
5–18°C 5 0.267 0.267 0.262 0.278 0.281
3 0.148 0.50 0.144 0.159 0.161
Frío (helado) 10 0.564 0.564 0.542 0.547 0.555
0–5°C 5 0.262 0.257 0.247 0.259 0.264
3 0.139 0.143 0.132 0.144 0.148

* Para otimizar a medida cardíaca, recomenda-se que a temperatura do injetado


corresponda a uma das faixas de temperatura listadas nas instruções de uso do cateter.

4/26/06 Edwards Lifesciences D-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

D3 Dados do sensor de temperatura em linha


Tabela D-2 Constantes de computação para o sensor de temperatura em linha
Intervalo de
temperatura
do injetado* Volume do Tamanho do cateter (French)
(°C) injetado (ml) 8 7,5 7 6 5,5
Temp. 10 0.601 0.599 0.616 0.616 0.624
ambiente 5 0.294 0.301 0.311 0.307 0.310
22.5–27°C
Temp. 10 0.593 0.593 0.603 0.602 0.612
ambiente 5 0.288 0.297 0.295 0.298 0.304
18–22.5°C
Gelado 10 0.578 0.578 0.570 0.568 0.581
5–18°C 5 0.272 0.286 0.257 0.276 0.288
Gelado 10 0.562 0.563 0.537 0.533 0.549
0–5°C 5 0.267 0.276 0.217 0.253 0.272

* Para otimizar a medida cardíaca, recomenda-se que a temperatura do injetado


corresponda a uma das faixas de temperatura listadas nas instruções de uso do cateter.

D-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Apêndice E
CONVERSÃO DE UNIDADE

E1 lbs vs. Kg
Fatores de conversão: lb para Kg Dividir lb por 2,2
kg para lb Multiplicar Kg por 2,2

E2 polegadas vs. cm
Fatores de conversão: polegadas para cm Multiplicar polegadas por 2,54
cm para polegadas Dividir cm por 2,54

E3 mmHg vs. kPa


1 mmHg = (1mmHg) x

( Newton ) ⁄ m 2-⎞ ⎛ -----------------------------------


⎛ --------------------------------------- Pa 1kPa -⎞
⎞ × ⎛ ------------------ ⎛ 1kPa
-------------⎞
× =
⎝ ( 0, 0075 )mmHg⎠ ⎝ ( Newton ) ⁄ m 2⎠ ⎝ 1000Pa⎠ ⎝ 7, 5 ⎠

ou
7,5 mmHg = 1 kPa
Fatores de conversão: mmHg para kPa Dividir mmHg por 7,5
kPa para mmHg Multiplicar kPa por 7,5

E4 dn-s/cm5 vs. kPa-s/l

1dn – s -⎞ x ⎛ Newton/m
2⎞ 3
Pa 1000cm
1 dn–s/cm5= ⎛ ----------------------------- ⎜ --------------------------2-⎟ = ⎛⎝ --------------------------2-⎞⎠ x ⎛⎝ ----------------------⎞⎠
⎝ ⎠ ⎝ 10dn/cm ⎠ 1
1cm 2 – cm 3 Newton/m

1kPa 1kPa – s ⁄ L
x ⎛⎝ -------------------⎞⎠ = ⎛⎝ -----------------------------⎞⎠
1000Pa 10, 0

ou
10,0 dn-s/cm5 = 1 kPa-s/l
Fatores de conversão: dn-s/cm5 kPa - s/l Dividir dn-s/cm5 por 10,0
kPa-s/l dn-s/cm5 Multiplicar kPa-s/l por 10,0

4/26/06 Edwards Lifesciences E-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

E5 dn-s-m2/cm5 vs. kPa-s-m2/l

⎛ kPa – s ⁄ L-⎞
------------------------
⎛ 1dn – s-⎞ ⎜ 10 ⎟ 1kPa – s – ( m 2 ) ⁄ L-⎞
1 dn–s-m /cm = 2 5 -----------------
⎝ cm 5 ⎠
x ⎜ -------------------------⎟ x m2 = ⎛⎝ ---------------------------------------------- ⎠
1dn –
⎜ ------------------ ⎟s 10, 0
⎝ cm 5 ⎠

ou
10,0 dn-s-m2/cm5 = 1 kPa-s-m2/l
Fatores de conversão:
dn-s-m2/cm5 kPa - s-m2/l Dividir dn-s-m2/cm5 por 10,0
kPa-s-m2/l dn-s-m2/cm5 Multiplicar kPa-s-m2/l por 10,0

E6 g/dl vs. mmol/L

1g 1mol 1000mmol 10dl 0, 6206mmol


1 g/dl = ⎛⎝ ------⎞⎠ x ⎛⎝ ------------------⎞⎠ x ⎛⎝ --------------------------⎞⎠ x ⎛⎝ -----------⎞⎠ x 4 = ⎛⎝ --------------------------------⎞⎠
dl 64458g mol 1 1

ou
g ⁄ ( dL )
1 mmol/l = ⎛⎝ ------------------⎞⎠
0, 6206

Fatores de conversão:: g/dl mmol/l Multiplicar g/dl por 0,6206


mmol/l g/dl Dividir mmol/l por 0,6206

E-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Apêndice F
CUIDADOS COM O SISTEMA, MANUTENÇÃO E SUPORTE
TÉCNICO

F1 Geral

ADVERTÊNCIA
Nenhuma das partes do monitor Vigilance II pode ser reparada pelo usuário. A
remoção da tampa ou a desmontagem do sistema, exporá o usuários a
voltagens de risco. Para evitar injúrias ou lesões causadas pelo equipamento,
não desmonte ou tente consertar o equipamento a menos que você seja um
profissional qualificado para esse tipo de serviço.

O monitor Vigilance II não necessita de manutenção de rotina para manter seu nível
ótimo de desempenho. O monitor Vigilance II não possui peças que podem ser
reparadas pelo usuário e os consertos deverão ser executados apenas por profissionais
qualificados que tenham recebido treinamento para realizar serviços de manutenção e
conserto do monitor Vigilance II.
Este apêndice apresenta instruções para limpeza do monitor e dos acessórios do
sistema. Este apêndice também apresenta informações sobre como entrar em contato
com o representante local da Edwards em caso de necessidade de suporte técnico para
o monitor e sobre como enviar o monitor ou cabos dos acessórios para conserto/
substituição.

F2 Limpeza do monitor

PRECAUÇÃO
Não utilize nenhuma outra solução desinfetante, além dos tipos especificados.

A limpeza da superfície do monitor Vigilance II pode ser feita com um pano


umedecido em álcool isopropílico a 70%, solução diluída com água sanitária (1
parte de água sanitária para 10 partes de água), ou um produto de limpeza
líquido não abrasivo ou desinfetante em spray.
PRECAUÇÃO
A limpeza das partes de cima, de baixo e da frente do monitor pode ser feita
com um pano, MAS NÃO espirre ou derrame líquidos diretamente na tela do
monitor e em seus acessórios.
PRECAUÇÃO
NÃO DEIXE que nenhum tipo de líquido entre em contato com o conector de
energia, suporte do fusível ou chaves nem que penetrem nos conectores e
aberturas da estrutura externa. Se alguma das situações mencionadas acima
ocorrer, NÃO tente utilizar o monitor. Desconecte a fonte de energia
imediatamente e entre em contato com representante local da Edwards.

4/26/06 Edwards Lifesciences F-1


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

PRECAUÇÃO
NÃO tente limpar o painel traseiro do monitor.

Limpeza dos cabos do sistema


A descontaminação desses cabos pode ser conseguida limpando-se as
superfícies com desinfetantes específicos. Formulações de álcool estéril
contendo álcool isopropílico a 70% podem ser utilizadas para limpeza do cabo
de DCC do paciente e acessórios. Para limpar os cabos com desinfetante, use
um pano limpo e água. Umedeça o pano com desinfetante e limpe as
superfícies. Em seguida, passe uma gaze de algodão umedecida em água
estéril. Passe a gaze com álcool quantas vezes forem necessárias para remover
todos os resíduos do desinfetante. Para completar o processo de limpeza, seque
a superfície com um pano limpo e seco.

PRECAUÇÃO
Não aplique vapor, radiação nem esterilize o monitor.

PRECAUÇÃO
Não mergulhe em líquido.

Limpeza do módulo óptico


Produtos estéreis à base de álcool prontos para o uso contendo álcool
isopropílico a 70% podem ser utilizados para a limpeza da parte externa da
estrutura do módulo óptico e do cabo de conexão. Os produtos estéreis à base
de álcool prontos para o uso não deixam uma película residual após o uso. A
interface de fibra óptica do módulo óptico deve ser mantida sempre limpa. As
fibras ópticas contidas no conector do cateter do oxímetro correspondem às
fibras óptica do módulo óptico. Aplicadores com ponta de algodão podem ser
umedecidos em produtos estéreis à base de álcool. Limpe os pequenos orifícios
da parte da frente do módulo óptico utilizando bolas de algodão que devem ser
pressionadas suavemente.
PRECAUÇÃO
Não aplique vapor, radiação nem esterilize o monitor.

PRECAUÇÃO
Não mergulhe em líquido.

F3 Como solicitar serviços de manutenção e suporte técnico para o


monitor
O Capítulo 14 deste Manual do Operador apresenta uma seção de resolução de
problemas, na qual os possíveis problemas são listados juntamente com as possíveis
causas e sugestões para solução dos mesmos. Se o problema não for resolvido com as
sugestões apresentadas, entre em contato com a Edwards Lifesciences para obter
assistência.

F-2 Edwards Lifesciences 4/26/06


Cuidados Com o Sistema, Manutenção e Suporte Técnico

A Edwards fornece suporte técnico para o monitor:


• Nos Estados Unidos e Canadá, ligue para 1.800.822.9837.
• Fora dos Estados Unidos e do Canadá, entre em contato com o representante local
da Edwards Lifesciences.
• Para enviar dúvidas sobre o funcionamento do monitor por e-mail, utilize o
endereço tech_support@edwards.com.
Para responder às perguntas, a Edwards necessitará das seguintes informações:
• O número de série do monitor localizado no painel traseiro do sistema;
• A versão do software exibida na parte de baixo da tela durante a inicialização do
monitor; e
• A mensagem exibida e informações detalhadas sobre a natureza do problema.

F4 Descarte do monitor
Para evitar contaminação ou infecção da equipe de profissionais, do meio ambiente e
de outro equipamento, desinfete e descontamine devidamente o monitor e/ou cabos
antes de descartá-los de acordo com a leis do país referentes a equipamentos que
contenham componentes elétricos e eletrônicos.
Em relação a peças e acessórios descartáveis, siga os regulamentos locais referentes
ao descarte de lixo hospitalar, a menos que especificado de outra maneira.

F5 Manutenção preventiva
Examine periodicamente a parte externa do monitor para avaliar a condição geral do
mesmo. Verifique se a estrutura externa não está rachada, quebrada e se não há nada
faltando. Verifique também se nenhum líquido foi derramado no monitor e se não há
sinais de uso indevido.
Inspecione regularmente os fios e cabos para detectar desgastes, rachaduras e defeitos
nos pinos e verifique se não existem condutores expostos. Realize periodicamente um
teste do cabo DCC de paciente (veja a seção 14.4).

F6 Garantia
A Edwards Lifesciences (Edwards) garante que o monitor Vigilance II é adequado
para o fins e indicações descritos nas instruções por um (1) ano após a data de
aquisição desde de que utilizado de acordo com as instruções de uso. A garantia será
nula e sem efeito se o equipamento não for utilizado de acordo com essas instruções.
Não existe nenhuma outra garantia expressa ou implícita, incluindo qualquer garantia
de comercialização ou adequação para fins específicos. Não estão incluídos nesta
garantia os cabos, sensores ou módulos ópticos utilizados com este monitor Vigilance
II. A única obrigação da Edwards e o direito exclusivo do comprador para quebra de
qualquer garantia se restringe ao conserto ou substituição do monitor Vigilance II a
critério da Edwards.
A Edwards não se responsabilizará por danos relacionados, incidentais ou em
conseqüência do uso do monitor. A Edwards não está obrigada por esta garantia a
reparar ou substituir um monitor Vigilance II danificado ou com defeito se esse dano
ou defeito tiver sido causado pelo uso de catéteres não fabricados pela Edwards.

4/26/06 Edwards Lifesciences F-3


Apêndice G
RECOMENDAÇÕES E DECLARAÇÃO DO FABRICANTE

G1 Compatibilidade eletromagnética
Referência: EN 60601-1-2:2001
O monitor Vigilance II é adequado para uso nos ambientes eletromagnéticos
especificados. O cliente e/ou usuário do monitor Vigilance II deve garantir que o
mesmo seja utilizado em um ambiente eletromagnético que atenda as especificações
abaixo.

G2 Instruções de uso
Os equipamentos médicos elétricos exigem precauções especiais em relação à CEM e
devem ser instalados e reparados de acordo com as informações e tabelas referentes à
CEM fornecidas a seguir.

ADVERTÊNCIA
O uso de acessórios, transdutores e cabos diferentes dos especificados pode
provocar aumento de emissão e/ou redução da imunidade do monitor Vigilance
II.

Tabela G-1 Emissões eletromagnéticas


Recomendações e declaração do fabricante— Emissões eletromagnéticas
Recomendações referentes a ambientes
Teste de emissão Conformidade eletromagnéticos
Emissões de RF CISPR 11 Grupo 1 O monitor Vigilance II utiliza energia de RF apenas
para as funções internas. Portanto, a emissão de RF é
muito baixa e é improvável que cause qualquer
interferência com equipamentos eletrônicos próximos.
Emissões de RF CISPR 11 Classe B O monitor Vigilance II é adequado para uso em
Emissões de harmônicos Classe A estabelecimentos domésticos e em estabelecimento
IEC 61000-3-2 diretamente conectados a uma rede de suprimento de
Flutuação de tensão/ Em confor- energia de baixa voltagem que abasteça edifícios
Emissões de oscilações de midade utilizados para fins domésticos.
imagem IEC 61000-3-3

G-1 Edwards Lifesciences 4/26/06


Recomendações e Declaração do Fabricante

Tabela G-2 Imunidade eletromagnética (ESD, EFT, oscilação de corrente, quedas de


energia e campo magnético)
Recomendações referentes a
Teste de imunidade Nível de testeIEC 60601-1-2 Classificação ambientes eletromagnéticos
Descarga contato ±2, ±4, ±6 kV ±2, 4, 6 kV Os pisos devem ser revestidos
electrostática (ESD) ar ±2, ±4, ±8 kV ±2, 4, 6, 8 kV com concreto, madeira ou com
IEC 61000-4-2 cerâmica. Se o piso for
revestido com material
sintético, a umidade relativa
deverá ser de pelo menos
30%.
Transiente rápido/ A qualidade da rede elétrica
descarga elétrica IEC deve ser a utilizada em geral
61000-4-4 em ambiente comercial e/ou
• Fonte de alimen- modo diferencial ± 0,5, ± 1 kV ±0,5, 1 kV hospitalar.
tação CA (rede modo comum ± 2 kV 2 kV
elétrica) N/A, Menos de 3 metros N/A
• Medida I/O
Oscilação de corrente modo diferencial ±0,5, ±1kV ±1 kV
IEC 61000-4-5 modo comum ±0,5, ±1, ±2 kV ±2 kV
Quedas de tensão, <5% UT (>95% de queda em UT) <5% UT A qualidade da rede elétrica
interrupções curtas e para 0,5 ciclo típico deve ser a utilizada em
variações de tensão ambiente comercial e/ou
40%UT (60% de queda em UT) 40% UT
em linhas de entrada hospitalar. Se o usuário do
de fonte de para 5 ciclos típico monitor Vigilance II necessitar
alimentação de CA 70% UT (30% de queda em UT) 70% UT utilizar o equipamento
IEC 61000-4-11 para 25 ciclos típico continuamente durante
interrupções no fornecimento
<5% UT (>95% de queda em UT) <5% UT
de energia elétrica,
para 5 segundos recomenda-se que o monitor
Vigilance II seja alimentado por
uma fonte de alimentação
ininterrupta ou por bateria.
Campo magnético (50/ 3 A/m 3 A/m Campo magnético gerado pela
60 Hz) IEC 61000-4-8 freqüência de energia elétrica
devem estar dentro dos níveis
característicos gerados pela
freqüência da energia elétrica
um estabelecimento comercial
comum ou hospital.
OBSERVAÇÃO: UT é tensão da rede elétrica antes da aplicação do nível de teste.

4/26/06 Edwards Lifesciences G-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Tabela G-3 Imunidade eletromagnética (RF irradiada e conduzida)


Teste de IEC 60601-1-2 Nível de Recomendações referentes a ambientes
imunidade Nível de teste conformidade eletromagnéticos
Equipamentos de RF portáteis e móveis não
devem ser utilizado nas proximidades do monitor
Vigilance II nem dos cabos. As distâncias
recomendadas calculadas com a equação
aplicável à freqüência do transmissor devem ser
respeitadas.

Distâncias recomendadas entre


equipamentos

Conduzida 3 Vrms 1 Vrms


IEC 61000-4-6 150 kHz a 80 d = [3,5] x P ; 150 a 80 MHz
MHz
RF irradiada 3 V/m
IEC 61000-4-3 3 V/m d = [1,2] x P ; 80 a 800 MHz
80 a 2500 MHz

d = [2,3] x P ; 800 a 2500 MHz

Onde P é a potência máxima de saída do


transmissor em watts (W) de acordo com o
fabricante do transmissor e as distâncias
recomendadas entre equipamentos em metros
(m).
A amplitude de campo de transmissores de RF
fixos, conforme determinado por uma pesquisa
de locais eletromagnéticosa deve ser menor do
que o nível de conformidade em cada faixa de
freqüência.b
Pode ocorrer interferência com equipamentos
próximos que possuam o seguinte símbolo:

a
Teoricamente, não é possível prever com precisão a amplitude de campo de transmissores fixos, como
estações-base para telefones de rádio (celular/sem fio) e rádios móveis terrestres, rádio amadores, transmissão
de rádio AM e FM e transmissão de TV. Para avaliar o ambiente eletromagnético devido a transmissores de RF
fixos, deve-se avaliar a necessidade de realizar uma pesquisa de local eletromagnético. Se a amplitude do campo
medido no local em que o monitor Vigilance II estiver sendo usado exceder o nível de conformidade de RF vigente,
será necessário observar se o monitor Vigilance II está funcionando normalmente. Se o sistema não estiver
funcionando normalmente, podem ser necessárias medidas adicionais, como mudar a direção ou colocar o
monitor Vigilance II em outro local.
b
Na faixa de freqüência de 150 kHz a 80 MHz, as amplitudes de campo devem ser inferiores a 1 V/m.
OBSERVAÇÃO 1: De 80 MHz a 800 MHz, será aplicada a maior faixa de freqüência.
OBSERVAÇÃO 2: Essas recomendações podem não se aplicar a todas as situações. A propagação
eletromagnética é afetada pela absorção e reflexão de estruturas, objetos e pessoas.

G-3 Edwards Lifesciences 4/26/06


Recomendações e Declaração do Fabricante

Tabela G-4 Distâncias recomendadas entre equipamentos portáteis e equipamentos


móveis de comunicações por RF e o monitor Vigilance II
O monitor Vigilance II deve ser usado em ambiente eletromagnético com controle de oscilações de RF irradiada. O
cliente ou o usuário do monitor Vigilance II pode ajudar a evitar interferência eletromagnética mantendo uma
distância mínima entre os equipamentos portáteis e móveis de comunicação por RF (transmissores) e o monitor
Vigilance II, conforme o recomendado a seguir, de acordo com a potência máxima de saída do equipamento de
comunicação.
Freqüência do transmissor 150 kHz a 80 MHz 80 a 800 MHz 800 a 2500 MHz
Equação d= [1,2 ] x P d= [2,3 ] x P
d = [3,5 ] x P
Potência máxima de saída Distância entre Distância entre Distância entre
Potência do transmissor equipamentos (metros) equipamentos (metros) equipamentos (metros)
(watts)
0.01 0.4 0.1 0.2
0.1 1.1 0.4 0.7
1 3.5 1.2 2.3
10 11 3.8 7.3
100 35 12 23
Para transmissores com potência máxima de saída não listada acima, a distância recomendada dentre
equipamentos pode ser calculada com o uso da equação apresentada na coluna correspondente à freqüência,
onde P é a potência máxima de saída do transmissor em watts (W) de acordo com o fabricante do mesmo.
OBSERVAÇÃO 1: De 80 MHz a 800 MHz, deverá ser aplicada a distância da maior faixa de freqüência.
OBSERVAÇÃO 2: Essas recomendações podem não se aplicar a todas as situações. A propagação
eletromagnética é afetada pela absorção e reflexão de estruturas, objetos e pessoas.

4/26/06 Edwards Lifesciences G-4


Apêndice H
GLOSSÁRIO

Alarmes Delta de Temperatura do Sangue (DTS)


Indicadores visuais e sonoros que informam o A diferença entre a temperatura atual do sangue e a
operador que um parâmetro medido do paciente temperatura do sangue da linha de base durante o
está fora dos limites de alarme. modo IDC.
Área de Superfície Corporal (ASC) Diferença do Conteúdo Arteriovenoso de
Área da superfície da pele do paciente. Oxigênio (Ca-vO2)
A diferença entre o conteúdo arterial e venoso de
Cabo Escravo Oxigênio. Essa diferença é expressa em mililitros
Cabo que transfere dados de outro monitor para o de Oxigênio por decilitro (ml/dl) de sangue ou
monitor Vigilance II. volume percentual (vol %).
Constante de Computação Evento
Uma constante utilizada na equação para cálculo Um episódio ocorrido durante a monitorização que
do débito cardíaco que possibilita o cálculo da o operador deseja marcar no gráfico de tendências.
densidade do sangue e do injetado, do volume
injetado e o tipo do cateter. Filamento Térmico
Local do cateter de termodiluição de DCC que
Consumo de Oxigênio (VO2) transfere pequenas quantidades de energia para o
Quantidade de Oxigênio em mililitros por minuto sangue para servir como indicador para a geração
(ml/min) utilizada pelos tecidos. contínua de tendências de débito cardíaco.
Conteúdo Arterial de Oxigênio (CaO2) Fração de Ejeção do Ventrículo Direito
A quantidade de Oxigênio transportada no sangue (FEVD)
arterial, tanto a quantidade que circula dissolvida Porcentagem de volume de sangue ejetado do
quanto a quantidade de Oxigênio ligado à ventrículo direito durante a sístole.
hemoglobina. O conteúdo de Oxigênio (CO2) pode
Fração de Oxigênio Inspirado (FiO2)
ser expresso em mililitros de Oxigênio por decilitro
(ml/dl) ou como volume percentual (vol %). A fração de Oxigênio no ar inspirado.

Conteúdo Venoso de Oxigênio (CvO2) Freqüência Cardíaca (FC)


Número de contrações ventriculares por minuto.
A quantidade de Oxigênio transportada no sangue
venoso, tanto a quantidade que circula dissolvida Gráfico
quanto a quantidade de Oxigênio ligado à Ilustração gráfica disponível na tela de Ajuda para
hemoglobina. O conteúdo de Oxigênio pode ser algumas mensagens.
expresso em mililitros de Oxigênio por decilitro
(ml/dl) ou como volume percentual (vol %). Gráfico de Relação dos Dados
Representação gráfica de um parâmetro em
Curva de Termodiluição comparação a outro.
Curva de diluição do indicador produzida por uma
injeção em bolus. O débito cardíaco é Gráfico Instantâneo
inversamente relacionado à área sob essa curva. Um gráfico dos valores mais recentes exibidos nos
quadros instantâneos.
Débito Cardíaco (DC)
Volume de sangue ejetado por minuto do coração Gráfico Tendências
para a circulação sistêmica. Representação gráfica dos dados do paciente
exibidos nos quadros grandes de parâmetros.
H-1 Edwards Lifesciences 4/26/06
Glossário

Hematócrito (Hct) Índice de Trabalho Sistólico do Ventrículo


Volume percentual de sangue que contém células. Esquerdo (ITSVE)
Uma medida do trabalho do ventrículo esquerdo
Hemoglobina (Hb) exercido durante a sístole, ajustado de acordo com
Componente transportador de Oxigênio das o tamanho do corpo do paciente.
hemácias.
Índice de Volume Diastólico Final (IVDF)
Ícone Volume diastólico final no ventrículo direito
Uma imagem que representa uma tela, janela, ajustado de acordo com o tamanho do corpo do
arquivo ou programa específico. paciente.
Índice Cardíaco (IC) Índice de Volume Sistólico (IVS)
Débito cardíaco ajustado de acordo com o tamanho Volume sistólico ajustado de acordo com o
do corpo. tamanho do corpo.
Índice de Consumo de Oxigênio (IVO2) Índice de Volume Sistólico Final (IVSF)
Quantidade de Oxigênio em mililitros por minuto Volume sistólico final no ventrículo direito
(ml/min) utilizada pelos tecidos, ajustado de ajustado de acordo com o tamanho do corpo do
acordo com o tamanho do corpo do paciente. paciente.
Índice de Extração de Oxigênio (IEO2) Injeção em Bolus
O IEO2 é determinado com o uso de oximetria Um volume conhecido de líquido gelado ou em
dupla, SaO2 e SvO2 ou ScvO2, e avalia a relação temperatura ambiente que é injetado em uma porta
do cateter da artéria pulmonar e que serve como
do Oxigênio extraído e a quantidade de Oxigênio indicador para a medida do débito cardíaco.
fornecido.
Injetado
Índice de Oferta de Oxigênio (IDO2)
Líquido utilizado para a medida do IDC (débito
Quantidade de Oxigênio em mililitros por minuto cardíaco pelo método de termodiluição por bolus).
(ml/min) distribuído para os tecidos, ajustado de
acordo com o tamanho do corpo do paciente. Limites de Alarme
Valores máximo e mínimo para os parâmetros
Índice de Perfusão/Ventilação (IPV) monitorizados do paciente.
O IPV é determinado com a utilização de oximetria
dupla, SaO2 e SvO2 ou ScvO2. Esse valor é uma Modo Bolus (DCI)
derivação da equação do shunt intrapulmonar e Estado de funcionamento do monitor Vigilance II
fornece uma estimativa do valor do shunt no qual o débito cardíaco é medido pelo método de
intrapulmonar. termodiluição por bolus.
Índice de Resistência Vascular Pulmonar Modo Débito Cardíaco Contínuo (DCC)
(IRVP) Estado de funcionamento do monitor Vigilance II
Resistência vascular pulmonar ajustada de acordo no qual o débito cardíaco gera tendências
com o tamanho do corpo. continuamente.
Índice de Resistência Vascular Sistêmica Modo DCI (bolus)
(IRVS) Modo de funcionamento do monitor Vigilance II
Resistência vascular sistêmica ajustada de acordo no qual o débito cardíaco é medido pelo método de
com o tamanho do corpo. termodiluição por bolus (débito cardíaco
intermitente).
Índice de Trabalho Sistólico do Ventrículo
Direito (ITSVD) Modo Percorrer
Uma medida do trabalho do ventrículo direito Modo do monitor Vigilance II no qual o usuário
exercido durante a sístole, ajustado de acordo com pode rever até as últimas 72 horas de dados do
o tamanho do corpo do paciente. paciente no gráfico de tendências.

4/26/06 Edwards Lifesciences H-2


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Modo Rápido Resistência Vascular Sistêmica (RVS)


Apresenta estimativas de valores de DCC/ICC, Uma medida derivada da impedância para o fluxo
VDF/IVDF e FEVD. sangüíneo do ventrículo direito (após sobrecarga).
Modo Volume Diastólico Final Contínuo Saturação Arterial de Oxigênio (SaO2)
(VDFC) Porcentagem de hemoglobina saturada de
Modo de funcionamento do monitor Vigilance II Oxigênio no sangue arterial.
no qual o volume diastólico final (VDF) e a fração
de ejeção do ventrículo direito(FEVD) são Saturação Venosa Central de Oxigênio
exibidos continuamente. (ScvO2)
Porcentagem de hemoglobina saturada de
Oferta de Oxigênio (DO2) Oxigênio no sangue venoso medida na veia cava
Quantidade de Oxigênio em mililitros por minuto superior
(ml/min) distribuído para os tecidos.
Saturação Venosa de Oxigênio
Oximetria (saturação de Oxigênio) Porcentagem de hemoglobina saturada de
Porcentagem de hemoglobina saturada de Oxigênio no sangue venoso.
Oxigênio no sangue.
Saturação Venosa Mista de Oxigênio
Parâmetros Predefinidos (SvO2)
Condições de funcionamento utilizadas Porcentagem de hemoglobina saturada de
inicialmente pelo monitor. Oxigênio no sangue venoso medida na artéria
pulmonar.
Pressão Arterial Média (PAM)
Média da pressão arterial sistêmica. Sensor
Dispositivo que mede a temperatura do injetado
Pressão da Artéria Pulmonar Média durante a medida do DCI (débito cardíaco pelo
(PAPM) método de termodiluição por bolus).
Média da pressão sangüínea medida na artéria
pulmonar. Sinal
Mudança induzida de temperatura que é utilizada
Pressão de Oclusão da Artéria Pulmonar para medir o débito cardíaco.
(POAP)
Pressão obtida com a utilização de um cateter Temperatura do Injetado (TI)
posicionado na artéria pulmonar quando o balão é Temperatura medida do injetado utilizado para a
inflado e a ponta do cateter caminha para um ramo medida do IDC (débito cardíaco pelo método de
mais distal da artéria pulmonar. Refletirá a pressão termodiluição por bolus).
do átrio esquerdo quando não houver obstrução
mecânica (ex.: tumores no átrio esquerdo ou Temperatura do Sangue (TS)
obstrução da veia pulmonar) entre a ponta do balão Temperatura do sangue na artéria pulmonar com o
e o átrio esquerdo. cateter devidamente posicionado.

Pressão Venosa Central (PVC) Temperatura do Sangue na Linha de Base


Pressão média na veia cava superior (átrio direito). Temperatura do sangue que serve como base para
Indica o retorno venoso para o lado direito do as medidas de débito cardíaco.
coração.
Termistor
Relação de Extração de Oxigênio (REO2) Sensor de temperatura localizado perto da ponta do
A REO2 é a diferença entre o conteúdo de cateter da artéria pulmonar.
Oxigênio e a quantidade de Oxigênio fornecido. Termodiluição
Resistência Vascular Pulmonar (RVP) Uma variante da técnica de diluição do indicador
Uma medida derivada da impedância para o fluxo que utiliza a mudança de temperatura como
sangüíneo do ventrículo esquerdo (após indicador.
sobrecarga).
H-3 Edwards Lifesciences 4/26/06
Glossário

Teste do Cabo de DCC do Paciente Volume Sistólico (VS)


Teste para verificar a integridade do cabo de DCC Quantidade de sangue ejetada dos ventrículos em
do paciente. cada contração.
Volume Diastólico Final (VDF) Volume Sistólico Final (VSF)
Volume de sangue no ventrículo direito no final da Volume de sangue no ventrículo direito no final da
diástole. sístole.

4/26/06 Edwards Lifesciences H-4


Apêndice I
INDICE

A input 12-6 Caixas de leitura rápida de VDF e


AAMI (def.) 1-4 analógicos 12-1 FEVD 9-8
Accesorios A-4 ANSI (def.) 1-4 Calibração 12-6
Acesso ao menu Quadro de Data/ AP (def.) 1-5 Calibração in vitro 10-3, 10-4, 11-5
Hora 6-7 Aplicação de um grupo 5-18 Calibração in vitro em curso 3-4
Acessórios 4-3 Área de Superfície Corporal (ASC) Calibração in vitro OK 3-4
acessórios necessários para o (def) H-1 Calibração in vivo 10-7, 11-5
funcionamento do Monitor Arritmia 11-5 Calibrar Valor Baixo 12-7
Vigilance II 1-4 ASC 6-6, B-3 Calibrar Valor Mais Alto 12-12
Adaptação do sinal - ASC (def.) 1-4 Calibrar Valor Mais Baixo 12-11
Continuando 14-5 Aspiração 11-5 Calibration
Adaptação do sinal — Ativação/desativação do alarme6 in vitro 10-4
Continuando 14-10 5-13 CAN/CSA C22.2 601.1-M90 2-12
Adicionar Evento 11-4 Atraso de alarme 13-3 CaO2 B-4
Advertências 2-2 Atual 11-10 CaO2 (def.) 1-5
Advertencias de oximetría 14-9 Atualização de Hb 10-13
Características da porta de ECG
Advertências para oximetria 14-9 Atualização de HGB 11-5
12-12
Ajuda gráfica 7-11, 8-19 Atualização do Módulo Óptico em Características de comunicação
Ajuste da data e hora 6-7, 6-8 curso 10-14 13-3
Alarme 5-13, 5-24 Atualização do módulo óptico em Características de los
Alarmes 5-1 curso 3-4, 10-6 parámetros 12-5
Alarmes (def) H-1 Atualização dos perfis Cardíaco Cateter 10-14
Alerta bolus 6-12 Cateter encostado na parede do
Curva alargada 8-18 Atualização dos perfis vaso ou encunhado 14-9
ALERTA DCC Oxigenação 6-12 Ca-vO2 B-5
Adaptação do sinal — Automático 8-6
Ca-vO2 (def.) 1-5
Continuando 7-5
Temperatura Sangüínea Instável B cd (def.) 1-5
— Continuando 7-5 Back Monitor 2-8 Clase A G-1
ALERTA VDFC Barra de ferramentas 5-19 Clase B G-1
Adaptação do sinal — Bits de Dados 13-3 Coleta de sangue 11-5
Continuando 9-6 Bits de Parada 13-3 Coletando dados de Débito
Padrão de ECG Irregular 9-7 Bolus 5-9, 5-23, 8-13 Cardíaco Contínuo 9-5
Perda de Sinal da Freqüência Bolus DC 8-16 Como acessar a ajuda gráfica 10-18
Cardíaca 9-6 Bolus termod 11-5 Como acessar a ajuda para DCC
Alertas 7-9, 7-13 Botão de navegação 5-10 7-8
Alertas Bolus DC 14-12 Botão de Seleção do Modo DCC/ Como acessar a tela de Gráfico
IDC 5-24 11-8
Alertas de DCC/ICC 14-5
Buttons, Monitor 2-8 Como cancelar o processo de
Alertas de oximetria 14-8
calibração 10-7
Alertas de oximetría 14-8
C Como configurar grupos 5-17
Alertas de RVS/IRVS 14-6
ca (def.) 1-4 Como configurar os quadros
Alertas de VDFC 14-10
Cabo de DCC do paciente 4-3, 8-19 grandes de parâmetro 5-12
Alertas del GCC/ICC 14-5
Cabo de ECG 4-3 Como desembalar 4-2
Alertas del GCI 14-12
Cabo de força 4-3 Como mudar para o Modo IDC
Alertas del RVS/IRVS 14-6
Cabo Escravo (def) H-1 (bolus) 7-12
Alertas del VDFC 14-10
Cabo(s) de entrada analógica 4-3 Como rever eventos 11-6
Alteração da hora 11-5
Caixas de Leitura Rápida 5-22 Computando 8-12
Altura e peso 6-4
Caixas de Leitura Rápida DCC 7-6 Condições do sinal térmico 7-5
Analog
Indice

Condições para utilização do Dados do paciente no Mód. Óptico EN 60601-1-2


sistema 4-2 superior a 24 horas 10-12, 2001 G-1
Conexão do cabo 9-3 14-9 EN60529
Conexão do cabo de DCC de Data 6-7, 6-8 1991 2-12
paciente 8-3 Data/Hora 5-19 EN60601-1
Conexão do cabo de interface do DC (def.) 1-5 1990 2-12
ECG 9-4 DCC 1-2 EN60601-1-1
Conexões dos cabos 13-3 DCC (def.) 1-5 2001 2-12
Configuração da entrada DCC não configurado 14-2 EN60601-1-2
analógica 12-4 DCC não configurado - 2001 2-12
Configuração da escala de Monitorização de dados EN60601-1-4
tendência 5-14 coração direito não 1996 2-12
Configuração da linha de base em disponível 9-2 EN60601-2-49
curso para calibração in DCC não Disponível 14-2 2001 2-12
vivo 10-7 DCC não Disponível, Utilize Modo Enfermagem 11-5
Configuração da oximetria 10-2 Bolus 14-2 Equações para cálculo do Perfil
Configuração da porta 13-3 DCméd 8-5 Cardíaco B-1
Configuração da porta de ECG DCméd (def.) 1-5 Equações para cálculo do perfil de
12-12 Débito Cardíaco 14-3 oxigenação B-4
Configuração da porta de entrada Débito Cardíaco (DC) (def) H-1 Equipamentos digitais
analógica 12-3 Débito Cardíaco Contínuo 1-2 compatíveis 13-2
Configuração da porta de saída Débito Cardíaco Continuo ≠ Débito Equipamentos USB
analógica 12-10 Cardíaco Bolus compatíveis 13-5
Configuração da porta serial 13-4 14-5 Erro bolus
Configuração da Saída Débito Cardíaco Intermitente 1-2 Verifique a conexão do sensor de
Analógica 12-10 Delta de Temperatura do Sangue temperatura do injetado 8-4
Configuração da tela Gráfico (DTS) (def) H-1 Erro da Calibração In Vitro 14-9
Tendências 11-4 Desconexão MO 11-5 ERRO DCC
Configuração do equipamento 7-3, Desembalar 4-1 Perda Sinal Térmico 7-5
8-2 Diagrama dos painéis frontal e Errores de oximetría 14-7
Configuração dos limites de traseiro do Monitor Errores del GC Bolo 14-11
alarme 5-14 Vigilance II 1-4 Errores del GCC/ICC 14-2
Configuración del equipo 9-3 Diferença do Conteúdo Erros 7-9, 7-13
Configuracion inicial 6-1 Arteriovenoso de Erros de DCC/ICC 14-2
Configurar os quadros 5-12 Oxigênio (Ca-vO2) Erros de oximetria 14-7
Constante de computação 8-7 (def) H-1 Escala 11-11
Constante de Computação (def) H- Dimensões A-1 Escalas de gráfico de relação dos
1 Distancias de separación dados C-4
Consumo de Oxigênio (VO2) recomendadas G-4 Escalas de tendência C-1
(def) H-1 Diversos 11-5 Especificaciones técnicas A-4
Conteúdo Arterial de Oxigênio dn-s/cm5 vs. kPa-s/L E-1 Especificações ambientais A-4
(CaO2) (def) H-1 dn-s/cm5 vs. kPa-s/l E-2 Especificações físicas e
Conteúdo Venoso de Oxigênio DO2 B-4 mecânicas A-1
(CvO2) (def) H-1 DO2 (def.) 1-5 Especificações para medidas A-2
Controle de Fluxo 13-3 Especificações técnicas A-4
DO2I B-5 Evento (def) H-1
Controles 5-1 DO2I (def.) 1-5
Curva Alargada 14-12 Excluir medidas de bolus
Curva de Termodiluição (def) H-1 Droga 11-5 individuais 8-10
Curva Irregular 14-12 Execução do processo de
E monitorização de DCC
Curva Não Detectada 14-12
E/S (def.) 1-4 7-4
CVC (def.) 1-5
Ecuaciones B-1
CvO2 B-4 F
Ecuaciones del perfil de
CvO2 (def.) 1-5 oxigenación B-4 Faixa da Luz 14-7
Eixo de Tempo 11-4 Faixa de voltagem 12-6
D Elemento Térmico 14-4 Faixas de voltagem de saída 12-9
dados 12-1 Elemento Térmico, Utilize Modo FC (def.) 1-5
Dados do Paciente 5-24, 8-11 Bolus 14-4 FCméd (def.) 1-5
Emisiones electromagnéticas G-1
4/26/06 Edwards Lifesciences I-2
Manual do Operador do Monitor Vigilance II

FCméd medida pelo Vigilance II Hct (def.) 1-5 Inicialização 4-5, 6-2
está ≠ do monitor à beira Hematócrito (Hct) (def) H-2 Inicialização de oximetria, favor
leito 14-10 hemodinâmica e oxigenação 1-3 aguardar 10-2
Ferramentas 5-19 Hemoglobina (Hb) (def) H-2 Iniciar 10-6
FEVD (def.) 1-5 Hora 6-7, 6-8, 6-17 Iniciar/Interromper DC 5-24
Filamento Térmico 14-3 Hora Evento e a Data Evento 11-5 Início do processo 7-4
Filamento Térmico (def) H-1 Início do processo de
Filamento Térmico, Utilize Modo I monitorização 9-5
Bolus 14-3 IC B-1 Injeção em Bolus (def) H-2
FiO2 (def.) 1-5 IC (def.) 1-5 Injetado 8-6
Físicas e mecânicas A-1 ICC (def.) 1-5 Injetado (def) H-2
Fluido 11-5 ICC > DCC 14-5 Injetado Aquecido 14-12
Formato da data 6-8 ICméd 8-5 Injetar 8-7
Formato da hora 6-7 ICméd (def.) 1-5 Inmunidad electromagnética G-2
Formato da Tela 6-10 Ícone (def) H-2 Inserção de dados sobre o
Formato da tela de hora 6-7 ícones 1-5 paciente 6-4
Fração de Ejeção do Ventrículo IDC 1-2 Inserção de dados sobre o paciente
Direito (FEVD) (def) H-1 IDC (def.) 1-5 — ASC 6-6
Fração de Oxigênio Inspirado IEC (def.) 1-4 Inserção de informações do
(FiO2) (def) H-1 IEO2 B-4 paciente 6-4
IEO2 (def.) 1-5 Instalar 4-1
Freqüência Cardíaca (FC) (def) H-1
IFMout 13-3 Interface de saída analógica 12-8
Freqüência do Traçado 11-15
Impossível ler a memória do Interfaces de entrada analógica
Front Monitor 12-2
Symbols 2-8 módulo óptico.
Recalibrar. 10-12 Interromper DC 5-24
Função do teclado 5-24 Intervenção 11-13
In vitro calibration 10-4
Indicador de qualidade do sinal Introduccion 1-1
G
(IQS) 10-15 IPV B-6
g/dl vs. mmol/l E-2
Índice Cardíaco (IC) (def) H-2 IPV (def.) 1-5
Gráfico 8-19, 10-18
Índice de Consumo de Oxigênio IQS (def.) 1-5
Gráfico (def) H-1
(IVO2) (def) H-2 IQS = 4 14-8
Gráfico de IDC (bolus) 5-23
IRVP B-3
Gráfico de Relação de Dados 5-22, Índice de Extração de Oxigênio IRVP (def.) 1-5
11-8 (IEO2) (def) H-2
Gráfico de Relação de Dados e IRVS B-2
Índice de Oferta de Oxigênio IRVS (def.) 1-5
Modo Percorrer 11-1 (IDO2) (def) H-2
Gráfico de relação dos dados C-4 ISTA (def.) 1-4
Gráfico de Relação dos Dados Índice de Perfusão/Ventilação ITSVD B-3
(def) H-1 (IPV) (def) H-2 ITSVD (def.) 1-5
Gráfico Diagnóstico 5-22 Índice de Resistência Vascular ITSVE B-3
Gráfico diagnóstico - Modo Pulmonar (IRVP) (def) H- ITSVE (def.) 1-5
DCC 7-7 2 IVDF B-1
Gráfico Instantâneo 5-23, 11-1, 11-7 Índice de Resistência Vascular IVDF (def.) 1-5
Gráfico Instantâneo (def) H-1 Sistêmica (IRVS) (def) H- IVO2 B-5
2 IVO2 (def.) 1-5
Gráfico Tendências 5-23, 11-1
Índice de Trabalho Sistólico do
Gráfico Tendências (def) H-1 IVS B-3
Ventrículo Direito
Gráficos Predefinidos 11-14 IVS (def.) 1-5
(ITSVD) (def) H-2
Grupo 1 G-1 IVSF B-2
Índice de Trabalho Sistólico do
Grupo de quadros pequenos C-3 IVSF (def.) 1-5
Ventrículo Esquerdo
Guia De Referência Rápida 3-1
(ITSVE) (def) H-2 L
Guia para Solucionar Problemas de
Índice de Volume Diastólico Final
oximetria 14-9 lbs vs. Kg E-1
(IVDF) (def) H-2 LED (def.) 1-4
Guia para Solucionar Problemas de
Índice de Volume Sistólico (IVS)
VDFC 14-10 Liga/Desliga 5-13, 5-24
(def) H-2 Límites de alarme C-2
H Índice de Volume Sistólico Final Limites de Alarme (def) H-2
(IVSF) (def) H-2
Hb 10-4, 10-13 Limites inferiores de alarme C-2
Hb (def.) 1-5 Informações da mensagem 7-10, 8- Límites inferiores de la escala de
17, 10-17
Hct 10-5 tendencias C-1
Informações do paciente 6-4
I-3 Edwards Lifesciences 4/26/06
Indice

Límites inferiores de la escala del Modificação de parâmetros Oximetria não disponível 14-7
gráfico de relación de predefinidos 12-5
datos C-5 Modificação do protocolo P
Límites inferiores de los valores de IFMout 13-5 Padrão Irregular de ECG 14-10
la línea roja C-6 Modo 8-6 Página seguinte 7-9, 8-18, 9-11
Limites superiores da escala de Modo Bolus (IDC) (def) H-2 Painel frontal 5-3
tendência C-1 Modo DCC 5-10 Painel traseiro 5-5
Limites superiores da escala do Modo Débito Cardíaco Contínuo PAM 12-5
gráfico de relação dos (DCC) (def) H-2 PAM (def.) 1-5
dados C-5 Modo IDC (bolus) (def) H-2 PAM e PVC do Vigilance II
Límites superiores de alarme C-2 Modo Percorrer 11-15 ≠ do monitor
Límites superiores de los valores de Modo Percorrer (def) H-2 multiparamétrico 14-6
la línea roja C-6 Modo Rápido (def) H-3 PAO2 (def.) 1-5
Limpar todos 5-18 Modo Volume Diastólico Final PaO2 (def.) 1-5
Linha de Base Instável 14-12 Contínuo (VDFC) PAPM (def.) 1-5
Linha Vermelha 11-12 (def) H-3 Para voltar para o Gráfico
Listas de mensagens 7-12 Modos de monitorização 5-7 Tendências 11-8
Luz fora da faixa 11-5 Módulo óptico 4-3 Parâmetro 5-10
Módulo Óptico Desconectado 14-7 Parâmetro (Modo IDC) 5-15
M Módulo Óptico ligado, favor Parâmetro, seleção 5-13
Manual 8-6 aguardar 10-2 Parámetros básicos A-2
Medida de bolus 8-7 Módulo Óptico Não Calibrado — Parâmetros de base A-2
Medidas automáticas de IDC Selecione Oximetria para Parâmetros de configuração 8-4
(bolus) 8-7 Calibração 14-9 Parâmetros de exibição C-3
Medidas de bolus individuais 8-13 Módulo Óptico não calibrado - Parâmetros de IDC (bolus) C-7
Medidas manuais de IDC (bolus) Selecione oximetria para
8-12
Parámetros de oximetría A-2
calibrar 10-2 Parâmetros de saída analógica 12-9
Memória do Cateter 14-2 Monitor Back Symbols 2-8
Memória do Cateter, Utilize Modo Parametros del paciente
Monitor Front Symbols 2-8 calculados B-1
Bolus 14-2 Monitorização de DCC 7-1
Memória Módulo Óptico 14-7 Parâmetros derivados de
Monitorização de IDC 8-1 hemodinâmica e
Mensagem de alerta de RVS/ Monitorização de oximetria 3-3, 10-
IRVS 14-6 oxigenação 1-3
1
Mensagens d 14-5 Parâmetros do gráfico de relação
Monitorização de VDFC/FEVD
Mensagens de advertência para 9-5
dos dados C-4
oximetria 14-9 Monitorização do VDFC em Parâmetros do Monitor e
Mensagens de alerta de curso 9-6 Predefinidos C-1
oximetria 14-8 Monitorizando o DCC 3-4 Parâmetros predefinidos 6-11, 12-5
Mensagens de alerta de VDFC Parâmetros Predefinidos (def) H-3
14-10 N Parâmetros predefinidos da porta de
Mensagens de DCC e ICC 7-12 Navegação 5-10 comunicação C-7
Mensagens de erro de DCC/ Nenhum 5-18 Parâmetros predefinidos da tela de
ICC 14-2 Nomes e marcadores de dados do paciente C-4
Mensagens de erro de oximetria eventos 11-5 Parámetros volumétricos A-2
14-7 Normas 2-12 Parâmetros volumétricos A-2
Mensagens de oximetria 14-9 Novo cateter 10-14 Paridade 13-3
Mensagens e resolução de Novo Paciente 6-17 PEAP (def.) 1-5
problemas de DCC/ Novo paciente 10-11 Pequeno de parâmetro 5-16, 5-17
ICC 14-2 Número de Pontos 11-14 Percorrer Tendência 5-24
Mensagens para a resolução 8-16 Perda de sinal da Freqüência
Mensagens para resolução de O Cardíaca 14-10
problemas 14-2 Oferta de Oxigênio (DO2) (def) Perda Sinal Térmico 14-4
Mensagens para resolução de H-3 Perfil Cardíaco B-1
problemas de Opções adicionais 6-17 Perfil cardíaco 6-12
oximetria 10-16 Opções de montagem 4-3 Perfil cardíaco e de oxigenação
Mensagens para resolução de Outros símbolos 2-11 5-22
problemas de VDFC 9-9 Oximetria 1-2, 10-1, 10-17 Perfil de Oxigenação 6-15
MO (def.) 1-5 Oximetria (saturação de oxigênio) Perfis de dados do paciente A-3
(def) H-3 Placa Não Responde 14-4

4/26/06 Edwards Lifesciences I-4


Manual do Operador do Monitor Vigilance II

Porta de ECG 12-12 Relação de Extração de Oxigênio Seleção da opção Freqüência do


Porta de entrada analógica 12-3 (REO2) (def) H-3 Traçado 11-15
Porta de saída analógica 12-10 REO2 B-5 Seleção da opção Gráficos
POST (def.) 1-5 REO2 (def.) 1-5 Predefinidos 11-14
Precauções 2-5 Seleção da opção Hora 11-10
Pressão Arterial Média (PAM) Resistência Vascular Pulmonar Seleção da opção Intervenção 11-13
(def) H-3 (RVP) (def) H-3 Seleção da opção Linha
Pressão Arterial Pulmonar Média Resistência Vascular Sistêmica Vermelha 11-12
(PAPM) (def) H-3 (RVS) (def) H-3 Seleção da opção Número de
Pressão de Encunhamento Arterial Resolução de problemas gerais 7- Pontos 11-14
13
Pulmonar (PEAP) (def) Seleção da opção Retornar 11-10
Resolução de problemas gerais de
H-3 Seleção das opções Eixo Vertical e
Pressão Venosa Central (PVC) IRVS 14-6
Eixo Horizontal 11-10
(def) H-3 Resolución general de problemas de Seleção de um parâmetro 5-13, 12-3
pressione 6-2 oximetría 14-9
Seleção do formato da tela da
Pressione a tecla iniciar para Resolución general de problemas data 6-8
começar a monitorização del GCC/ICC 14-5 Seleção do formato da tela de
do DCC 7-4, 9-5 Resolución general de problemas hora 6-7
Pressione botão quando a leitura A/ del GCI 14-13 Seleção do parâmetro 8-5
D estiver estável 12-7 Resolución general de problemas Seleção do sensor 8-4
Pressione o botão para sair do valor del IRVS 14-6
Seleção dos parâmetros 6-9
de referência baixa 12-12 Resolución general de problemas Sensor 8-4
Problemas de oximetria 10-16 del VDFC 14-10 Sensor (def) H-3
Problemas de VDFC 9-9 Retomar série 8-11
Sensor de temperatura do
Procedimento 3-2 Retornar 11-10 injetado 4-3
Procedimento de configuração da Retornar, Sair 7-12 Silenciar Alarme 5-24
porta 13-3 Rever Eventos e Gráfico
Símbolos 1-5
Procedimento de inicialização 4-5 Instantâneo 11-4 Símbolos da estrutura externa do
Processador de Sinal. Use modo Revisão de Bolus 5-23, 8-15 monitor 2-8
Bolus. 14-4 rTS (def.) 1-4
Símbolos de identificação 2-2
Processo de calibração 12-11 RVP B-2 Sinal (def) H-3
Pronto 8-9 RVP (def.) 1-5 Sinal Instável 14-9
Protocolo IFMout 13-3 RVS B-2
Somente no Modo IDC 5-16
PVC 12-5 Perda do sinal da conexão das SpO2 (def.) 1-5
PVC (def.) 1-5 pressões enviadas ao monitor
Vigilance II 14-6 SvO2 1-2
PvO2 (def.) 1-5
RVS (def.) 1-5 SvO2 (def.) 1-5
Q
RVS > IRVS 14-6 Symbols
Quadro de Data/Hora 5-19 Monitor Back 2-8
S Monitor Front 2-8
Quadro de mensagem 5-23 Sair 7-12
Quadro gráfico 5-23 SaO2 12-5 T
Quadro pequeno de parâmetro 5-16
SaO2 (def.) 1-5 Tamanho do cateter 8-6
Quadro secundário 5-22
Saturação Arterial de Oxigênio Teclado 5-24
Quadro TS 5-16
(SaO2) (def) H-3 Tela da data 6-8
Quadros 5-10
Tela DCC 5-7
Quadros da barra de ferramentas Saturação Venosa Central de
5-19
Tela de IDC 5-9
Oxigênio (ScvO2) Tela de tendência A-1
Quadros da tela DCC 5-7 (def) H-3 Telas 5-1
Saturação Venosa de Oxigênio Telas iniciais e execução do
R
(def) H-3 autoteste 6-2
Rápida de VDF e FEVD 9-8
Saturação Venosa Mista de Temperatura do Injetado (TI)
Recalibrar Módulo Óptico 10-11
Oxigênio (SvO2) (def) (def) H-3
Recepção e transmissão 12-1
Recomendações de montagem 4-3 H-3 Temperatura do Módulo Óptico
Recuperar dados de MO 11-5 ScvO2 1-2 14-7
Refazer série 8-10, 8-14 ScvO2 (def.) 1-5 Temperatura do Sangue (TS)
Reinicialização do módulo Seleção da opção Atual 11-10 (def) H-3
óptico 10-14 Seleção da opção Escala 11-11 Temperatura do Sangue na Linha de
Relação de Dados 5-22 Base (def) H-3

I-5 Edwards Lifesciences 4/26/06


Indice

Temperatura sangüínea fora do Volume Diastólico Final


intervalo 14-2 Contínuo 1-2
Temperatura sanguínea instável - Volume do injetado 8-6
Continuando 14-5 Volume Sistólico (VS) (def) H-4
Tendência de oximetria 10-15 Volume Sistólico Final (VSF)
Termistor (def) H-3 (def) H-4
Termodiluição (def) H-3 VS B-3
Teste do cabo 8-19 Perda de Sinal da Freqüência
Teste do cabo de DCC do Cardíaca 14-5
paciente 7-12 VS (def.) 1-5
Teste do Cabo de DCC do Paciente VSF B-2
(def) H-4 VSF (def.) 1-5
TI (def.) 1-4
Tópico de DCC/ICC 14-5
Tópico de RVS/IRVS 14-6
Tópico VDFC 14-10
Transmissão Luz Vermelha/IV
14-7
TS (def.) 1-4, 1-5

U
ufe (def.) 1-5
UL 60601-1 2-12
Unidades de Temperatura 6-10
USB (def.) 1-5
UTI (def.) 1-4
Utilização 3-2
Utilize Modo Bolus 14-2, 14-3, 14-4

V
Valor Alto Simulado 12-7
Valor Fora da Faixa 14-7
VDF B-1
VDF (def.) 1-5
VDFC 1-2
Alertas, Adaptação do sinal -
Continuando 9-12
VDFC/FEVD 9-1
Veloc. Trans. 13-3
Ventilador 11-5
Verificar Conexão do Filamento
Térmico 14-3
Verificar Conexão do
Termistor 14-3
Verificar Posicionamento do
Filamento térmico 14-3
Verifique a Conexão do Cateter e
do Cabo do Paciente 14-3
Verifique o Cateter, Utilize Modo
Bolus 14-2
Visão geral das condições 1-4
Visor TFT A-1
VO2 B-5
VO2 (def.) 1-5
Voltagem Máx. Saída 12-10
Volume Diastólico Final (VDF)
(def) H-4

4/26/06 Edwards Lifesciences I-6


Precaução: As leis federais dos EUA restringem a venda
deste aparelho a médicos ou ao pedido de um médico.
Consulte as instruções de uso para obter informações sobre
o uso previsto.
Os equipamentos da Edwards Lifesciences introduzidos no
mercado Europeu que atendem as exigências essenciais
referentes ao artigo 3 da Diretiva de dispositivos médicos
93/42/EEC possuem a marca CE de conformidade.
(c) 2006 Edwards Lifesciences LLC Todos os direitos
reservados. A/W No. da publicação 194812006A 4/2006
Fabricado por:
O monitor Vigilance II é produzido pela Edwards
Lifesciences LLC por fabricanate contratado na seguinte
localidae:
Analogic System
Analogic Corporation
8 Centennial Drive
Peabody, MA 01960
Edwards Lifesciences Comércio e Indústria de Produtos
Médico-Cirúrgicos Ltda.
Importado e Distribuído por:
Av. Santa Catarina, 2580 - São Paulo / SP - CEP 04378-200
CNPJ: 05.944.604/0001-00
Insc. Est.: 103.478.199.119
Tel.: (0xx11) 5567-5200
Fax.: (0xx11) 5567-5279
Resp. Téc. farm.: Sérgio L. Nogaroto - CRF/SP 9860
Registro ANVISA n. 80219050079 Indústria Brasileira

Edwards Lifesciences LLC • One Edwards Way • Irvine, CA 92614 EE.UU. • 949.250.2500 • 800.424.3278 • www.edwards.com