Você está na página 1de 18

CONDOMÍNIO BELA CINTRA CLUB RESIDENCE

Rua Maranguape, s/n, Maiobinha CEP 65110–000 São José de Ribamar – MA


CNPJ/MF Sob nº 24.434.520/0001-70

REGIMENTO INTERNO

TÍTULO I

CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

Art. 1º - Reger-se-á o Condomínio Bela Cintra Club Residence quanto à sua utilização
e para todos os efeitos, pela Constituição Federal, pela Lei n° 4.591/64 (Lei de Condomínio) e
alterações posteriores, pela Convenção em vigor, pela Lei Estadual n° 5.715/93 (Lei do Silêncio),
pelos Regimentos Sanitários do Município e Estado, pelo Código de Segurança contra incêndio e
Pânico, pela Lei n°10.416/02 (Código Civil), pelo Decreto-lei n° 2.848/40 (Código Penal), pelo
Regimento Interno e pelos Regulamentos de Estacionamentos, do Salão de Festas, da Área de
Lazer, Churrasqueira e Piscina.
§ 1º - Este Condomínio tem destinação exclusivamente residencial.
§ 2º - Ao seu estrito cumprimento obrigam-se todos os moradores do Condomínio,
sejam proprietários, promitentes compradores, locatários, sublocatários, cessionários,
comandatários, seus dependentes e visitantes, empregados, prestadores de serviços e todos os
seus ocupantes, a qualquer título, ainda que temporário ou em trânsito, qualquer infração por eles
cometida é da inteira responsabilidade do Condômino/Proprietário ao qual está vinculado,
quanto ao pagamento da penalidade a quer estiver sujeito.

§ 3º - O não cumprimento das normas prescritas na Convenção, Regimento Interno e


Regulamentos sujeita os infratores às penalidades constantes no capítulo “DAS PENALIDADES”,
previstas no art. 36 do presente Regimento Interno. Doravante, o enquadramento do infrator na
penalidade a que estiver sujeito será feito apenas com a referência ao GRUPO das penalidades,
de acordo com a gravidade da ocorrência (ex: Grupo I ou Grupo II etc).

Art. 2º - São de responsabilidade exclusiva de cada Condômino as sanções e as


despesas decorrentes de atos praticados por eles, seus familiares, empregados, visitantes e
inquilinos, bem como pelos estragos causados pela má qualidade, conservação ou utilização das
instalações, equipamentos e aparelhos da sua unidade, não somente nela, como também nas
demais unidades e áreas comuns, nos quais comprovadamente der causa, cujos reparos deverão
ser prontamente providenciados pelo respectivo proprietário, por sua conta e risco.

Parágrafo Único - Na falta de qualquer providência, o Síndico mandará executar as


obras por conta do proprietário, que deverá saldar o débito dentro de 10 (dez) dias úteis, sob pena
de cobrança judicial, acrescida dos encargos moratórios cabíveis e legais, custas e honorários
advocatícios.

Art. 3º - Os condôminos são responsáveis pela infração a dispositivos legais, quer


federais, estaduais e municipais, cabendo ao infrator o ressarcimento de possíveis multas
advindas e computadas ao Condômino, devendo ser acrescida na taxa Condominial da unidade,
no mês imediato em que ocorreu a infração com e notificação.

Art. 4º - Todas as reclamações, sugestões, requerimentos e demais ocorrências


deverão ser registradas pelo condômino proprietário/inquilino, no livro destinado a ocorrência de
moradores, o qual ficará na portaria. Devendo a estrutura administrativa ou administradora tomar
providências cabíveis no prazo de até cinco dias úteis;

Art. 5º - Cada morador obriga-se a zelar pelo: patrimônio coletivo, pela segurança, pela
boa reputação do Condomínio e pela harmonia entre os moradores, não causando dano ou
incômodo nem obstáculos ou embaraço ao uso e fruição conjunta das partes e coisas comuns.

Art. 6º - Não é causa para isentar-se de responsabilidade a alegação de


desconhecimento do presente Regimento por parte de qualquer Condômino ou inquilino, seus
familiares, visitantes, empregados, proprietários e prestadores de serviço.

Art. 7º - São direitos dos Condôminos e, no que couber, dos inquilinos:

a) Usar e dispor da respectiva vaga no estacionamento, de acordo com o fim para o qual foi
construída, e nos limites de sua demarcação, obedecendo ao Regulamento próprio;

b) Usar e gozar das partes comuns externas e internas do Condomínio, desde que não
impeça idênticos uso e gozo aos demais condôminos;

c) Examinar, a qualquer tempo, os livros e arquivos da administração do Condomínio e pedir


esclarecimento, por escrito, ao Síndico, quando necessário;

d) Utilizar os serviços de portaria nas suas funções próprias, desde que não perturbe a sua
ordem e não desviem os empregados para serviços internos de sua unidade autônoma;
e) Comparecer às Assembleias e nelas discutir e votar os condôminos adimplentes assuntos
da pauta, bem como levar ao conhecimento do Síndico quaisquer irregularidades observadas;

f) Todos os demais direitos relacionados na Convenção do Condomínio e aqui não


mencionados.

Art. 8º - São deveres dos Condôminos ou inquilinos, e, no que couber, de seus


familiares, visitantes ou empregados e prestadores de serviços;
I - Pagar pontualmente as taxas condominiais ordinária e extraordinária do condomínio,
aprovadas em assembleias;
II - Visando resguardar o princípio da isonomia, no sentido de que todos deverão ter
igualdade em direitos e obrigações, fica deliberado em assembleia que em caso de atraso em
pagamento das obrigações decorrente de taxa condominial ordinária, extraordinária, multa por
auto infracional e similares, a aplicação de juros de 6 % (seis por centos), ao mês, multa de 2%
(dois por cento) sobre a dívida, e correção monetária;
III – Fica assegurado ao Condomínio representado por seu preposto o direito de tomar em
face do inadimplente as medidas cabíveis e legais tais como:

a) suspensão de direitos em usufruir alguns benefícios destinados ao adimplente, exceto os


essenciais e vitais;

b) Negativação da unidade em nome do representante legitimado, nos órgãos de proteção


ao crédito bem como: SPC, SERASA, PROTESTO CARTORIAIS, AJUIZAMENTO DE
AÇÃO DE COBRANÇA e outras que se fizer necessárias, para a excelente arrecadação,
manutenção e conservação da instituição;

IV - Guardar decoro e respeito no uso das coisas comuns, assim como das unidades
autônomas;

V - Não sobrecarregar a estrutura e lajes do Edifício com peso localizado superior a 150kg;

VI - Permitir o ingresso, em sua unidade autônoma do Síndico, Administradora ou prepostos,


quando se fizer necessário à inspeção ou realização de serviços relativos à estrutura geral do
Edifício, para segurança e solidez, reparos em instalações elétricas, hidráulicas e outros de
interesse coletivo;

VII - Conservar e manter todas as instalações de sua unidade em perfeito estado de


funcionamento e de segurança, fazendo às suas custas todos reparos e indenizações pelos
danos causados nas partes comuns do Edifício;
VIII - Zelar pela conservação e manutenção do condomínio;

IX - Evitar ruídos que possam incomodar os vizinhos, principalmente das 12:00 às 14:00 e
das 22:00 às 08:00 horas; produzidos por aparelhos sonoros, deslocamentos de móveis e
movimento de pessoas capaz de contrariar as normas regimentais a Lei do Silêncio, aos
domingos e feriados não será permitido mudanças, uso de furadeiras e qualquer tipo de ruídos
que venha incomodar os vizinhos e aos sábados somente das 8h as 12h.

X - Colocar o lixo e outros detritos de varreduras embalados em sacos plásticos,


devidamente amarrados e depositados na lixeira. Os Condôminos devem instruir os seus
empregados para o fiel cumprimento desta recomendação, bem como no sentido de evitar sujar
as paredes e pisos ao transportar o lixo.

Art. 9º - É proibido aos Condôminos e, no que couber, aos inquilinos:


a) Mudar a forma da fachada correspondente a cada unidade, pintar as paredes e
esquadrias externas, colocar jarros e /ou enfeites, usar toldos nas janelas, varandas e sacadas,
ou até mesmo realizar o fechamento com vidros e/ou esquadrias diferentes da forma padrão, ou
pinturas externas em tonalidades diferentes das existentes nos blocos (Grupo I);
b) Colocar letreiros, faixas, bandeiras, anúncios ou placas, fazer inscrições ou sinais em
quaisquer lugares ou dependências externas e comuns, salvo concordância na maioria, utilizar
toldos que comprometam a harmonia do conjunto e/ou estejam em desacordo com as normas
técnicas vigentes (Grupo I);
c) Manipular, sob qualquer pretexto, chaves, registros, quadros e demais peças e
instrumentos das instalações que houver, tais como: porteiro eletrônico, antena coletiva etc., casa
das bombas, caixa d’água e cobertura, sendo que o acesso a qualquer destas dependências e/ou
instalações só poderá ser feito, quando necessário, por profissionais habilitados e com
autorização do Síndico, Subsíndico ou Administrador (Grupo I);
d) Lavar, com água ou outro líquido corrente, esquadrias e vidros, estender roupas, ou
sacudir vassouras, panos, tapetes ou quaisquer outras peças nas janelas, nas varandas ou partes
comuns, bem como colocar varais ou similares, estender roupas ou qualquer outro objeto que
possa oferecer incômodo, risco de vida ou se revelar prejudicial ou inadequado à estética do
condomínio, sendo obrigação do condômino, inclusive instruir seus empregados no fiel
cumprimento dessas recomendações (Grupo I);
e) Utilizar, em qualquer área do condomínio, com exceção da reservada para tal, assadeiras,
churrasqueiras e demais aparelhos domésticos que tenham como combustível a madeira, o
carvão ou qualquer outro elemento poluente (Grupo III);
f) Manter, no Condomínio ou em qualquer dependência do Condomínio, animais que
desatendam aos critérios deliberado em assembleia (Grupo II);
g) Utilizar, sob qualquer pretexto, os empregados do Condomínio para serviços particulares
em seu horário de expediente ou fora dele (Grupo V);
h) Fazer entrar ou sair móveis de grande volume ou peso, que não subam pelos acessos
normais do prédio (escadas), sem autorização do Síndico, Subsíndico ou Administrador (Grupo
III);
i) Destinar à unidade autônoma utilização diversa da finalidade do prédio (Grupo I);
j) Guardar ou depositar, em qualquer parte do Condomínio, explosivos, inflamáveis ou
agentes químicos suscetíveis de afetar a saúde dos moradores e a segurança do Condomínio –
ex: garrafão de gasolina (Grupo I);
k) Atirar restos de comida, matérias gordurosos etc., nos sanitários ou ralos dos
apartamentos, respondendo o responsável pelo entupimento de tubulações e demais danos
causados (Grupo I);
l) O uso de fogões e aquecedores que não sejam elétricos, a gás ou energia não poluente
(Grupo II);
m) Praticar jogos e similares que possam causar danos ao prédio, notadamente nas partes
comuns, áreas livres, bem como, nos estacionamentos, o uso de bicicletas, patins, skates, jogos
de futebol e similares (Grupo II);
n) Atirar fósforos, pontas de cigarros, cascas de frutas, detritos ou quaisquer outros objetos
pelas portas, janelas, varandas e áreas de serviço, corredores, escadas e demais áreas comuns
(Grupo II);
o) Utilizar, para qualquer fim particular, os depósitos destinados à guarda do material de uso
do Condomínio (Grupo II);
p) A produção de qualquer ruído ou sonorização excessiva, seja de natureza verbal ou
mecânica, inclusive no aquecimento de motores, arrancadas e acelerações de veículos,
usos de buzinas e som automotivo (Grupo III);
q) Transitar, em qualquer das vias internas do Condomínio, sem estrita observância das
regras oficiais de trânsito e, ainda, acima de 20 Km/h, sendo proibida, igualmente, a condução de
veículos por menores ou pessoas não habilitadas a dirigir (Grupo I);
r) Promover reuniões ou aglomerações que possam perturbar a ordem e o sossego dos
moradores (Grupo I);
s) Colocar lixo, mesmo que em saco plásticos, ao longo dos corredores ou hall das escadas,
bem como adjacências do Condomínio (Grupo IV);
t) Subir as escadas com roupas encharcadas e íntimas (Grupo IV);
u) Todas as demais proibições relacionadas na Convenção do Condomínio e aqui não
mencionadas.

TÍTULO II
DISPOSIÇÕES GERAIS
Art. 10º - Não será permitida a entrada de pedintes, propagandistas, vendedores
ambulantes e entregadores de qualquer espécie, salvo entregadores de garrafão de água,
botijões de gás e deliveres, desde que interfonadas ou ligações realizadas pelo morador.
Art. 11º - A troca de cerâmica e/ou o polimento de mármore de demais obras no
apartamento, que produzam ruídos suscetíveis de incômodo aos vizinhos, só serão permitidos
se forem realizados nos dias úteis, das 8:00 às 12:00 horas e das 14:00 às 18:00 horas, e nos
sábados, das 8:00 às 12:00 horas. Fora destes dias e horários somente serão permitidas obras
de emergência, com a devida autorização do Síndico (Grupo II);
Art. 12º - Os proprietários e, no que couber, os inquilinos obrigam-se a:
a) Acatar e exigir que os ocupantes dos respectivos apartamentos e seus empregados
respeitem, rigorosamente, as deliberações da maioria e o presente Regimento;
b) Não alugar, ceder ou usar, nem permitir que subloquem, cedam ou usem o apartamento
de sua propriedade para leilões, estabelecimentos comerciais ou industriais, clubes, jogos de
azar, pensões e repúblicas ou qualquer outra destinação diversa do Condomínio (Grupo I);
c) Manter sempre atualizado o seu cadastro de proprietário junto ao Condomínio/
administradora fornecendo documentações comprobatórios tais como: contrato de compra e
venda e/ou registro de imóveis e preenchimento de ficha cadastro com dados pessoais dos
moradores;
d) Comunicar imediatamente ao Síndico ou a Administradora a locação do apartamento,
fornecendo cópia do contrato de locação e preenchimento de ficha cadastro, para o procedimento
de atualização cadastral;
e) Dar ciência ao Condomínio ou a Administradora, da saída do inquilino ou da desocupação
do imóvel.
Art. 13º - O porteiro ou zelador não deve aceitar chave de apartamento em caso de
ausência ou mudança de moradores;
Art. 14º - Os moradores deverão manter fechadas as portas de seus apartamentos e
dos blocos, em nenhuma hipótese, o Condomínio será responsabilizado por furtos, roubos ou
qualquer ocorrência danosa, tanto os apartamentos quanto nos objetos esquecidos ou deixados
em locais que não tenham sido construídos para essa finalidade, cabendo ao Síndico a apuração
das responsabilidades.
Art. 15º - A permanência de motocicletas, bicicletas e similares só será permitida nos
locais demarcados no estacionamento destinado a unidade;
Art. 16º - As atividades sociais (reuniões, festas e aniversários), deverão ser
realizadas, preferencialmente, no Salão de Festa e Área da Churrasqueira e Piscina.
Parágrafo Único: O condômino que Promover evento/festa, deverá entregar a relação
nominal das pessoas convidas na portaria, com antecedência mínima de 24 horas, para garantir
direito ao acesso dos convidados ao condomínio/área de lazer.
Art. 17º - Os proprietários obrigam-se a incluir nos contratos de locação, ou em outros
quaisquer de que decorre cessão do uso da propriedade do apartamento, a observação integral
da Convenção e do Regimento Interno do Condomínio, respondendo em qualquer caso pelas
faltas, infrações, débitos e multas oriundas de atos ou omissões de seus inquilinos ou ocupantes.
Art. 18º - As partes de uso comum deverão estar sempre desimpedidas, sendo que os
objetos nelas depositados serão imediatamente retirados e entregues ao respectivo dono, depois
de pagas as despesas causadas pela remoção, se for o caso.
Art. 19º - A qualquer hora do dia ou da noite, os portões de entrada do Condomínio (de
pedestres e de veículos) devem ser mantidos fechados, abrindo-se somente pelo tempo
necessário à entrada e saída de pessoas e veículos.
Art. 20º - O acesso de visitantes será mediante os seguintes procedimentos: 1 -
autorização do morador após o porteiro interfonar, 2 – identificação mediante documento de
identidade, 3 – e outras anotações necessárias;
Parágrafo Único - Mesmo autorizado pelo morador, o ingresso do visitante dependerá
de sua identificação na portaria.
Art. 21º – Visitante ou similar deverá estacionar no estacionamento destinado a
visitante;
Art. 22º – Só será permitida entrada de veículos que contenha o selo do condomínio.
Art. 23º – Fica Limitado o acesso a quantidade de 10 (dez) pessoas convidadas por
moradores a para participar de jogos na quadra;
Art. 24º- Só será permito a utilização da quadra com calçados apropriados
(chuteira society com travas baixa) as crianças até seis anos poderá usar outro calçado
que não seja os especificados acima.
Parágrafo Único – As unidades limitam-se o acesso máximo de 3 (três) convidados
por dia especifico de atividade esportiva, conforme calendário, onde não deverá superar o limite
estabelecido no presente parágrafo;
Art. 25º - Os gradeados de janelas e portas, deverão obedecer um mesmo padrão,
consoante escolha por critério de segurança e estilo votado e deliberado em assembleia;
Parágrafo Único – Somente poderá ser usada nas varandas ou sacadas dos
apartamentos, como medida de segurança, redes de proteção confeccionadas em nylon, na cor
preta, não sendo permitido outro tipo de material por maior que seja sua semelhança.
Art. 26º - É Proibido terminantemente uso de copos e garrafas de vidro, bem como
quaisquer objetos quebráveis e/ou cortantes, na área da Piscina (bordas e proximidades).
Sendo utilizado tais objetos somente na área da churrasqueira.
Art. 27º - Em caso de locação da unidade autônoma, o locador automaticamente
perde o seu direito ao uso das dependências do condomínio (salão de festas, piscina,
churrasqueira e playgroud) em benefício de seu locatário, salvo quando convidado.
Art. 28º - O Síndico representará o Condomínio, no que for de interesse comum,
ativa e passivamente, em juízo ou fora dele.

CAPÍTULO I
DAS MUDANÇAS

Art. 29º - Por medida de segurança, controle de ocupação/desocupação torna-


se necessário nos atos de mudança (ocupação) os seguintes PROCEDIMENTOS:
a) Comunicar a Administradora por e-mail, telefone e pessoalmente com antecedência
mínima de 48 horas,
b) Preencher de forma legível, compreensível, uma ficha cadastral contendo dados
pessoais dos moradores da unidade, veículo e animais de estimação se for o caso;
c) Fornecer cópia de documentos que ateste sua legitimidade que garanta o direito de
acesso bem como: para proprietário registro de imóvel/contrato de compra e venda, em caso
de inquilino cópia do Contrato de Locação, onde o locador deve constar como
proprietário/procurador;
d) A administradora fornecerá a autorização com descrição de dia e horário do evento,
fornecerá por mídia as informações a acerca dos procedimentos regimentais do condomínio.
Art. 30º - O horário autorizado para mudanças ou transportes de objetos de grande
porte é de Segunda a sexta, das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 18:00 horas e aos sábados de
08:00 as 12:00 horas.
Parágrafo Único - É terminantemente proibido realizar mudanças aos domingos e
feriados e fora do horário estipulado no caput deste artigo, salvo motivo excepcional, mediante
autorização da Administração do Condomínio.
Art. 31º - Qualquer prejuízo causado às partes comuns do condomínio, com a
chegada ou saída de mudança, correrá por conta do condômino que der causa, devendo
imediatamente corrigir o dano.
Art. 32º - Serão aplicadas multas do grupo III quando infringidas as recomendações
contidas neste Capítulo.

CAPÍTULO II
DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS

Art. 33º - É permitida permanência de pequenos animais de estimação (domésticos)


nas unidades autônomas (ex: cães, gatos, peixes, pássaros), desde que não comprometam a
tranquilidade, higiene e segurança dos moradores e nas seguintes condições:
§ 1º - Para cães e gatos, somente 1 (um) exemplar por unidade autônoma, de pequeno
porte (máximo de sete quilos). Para pássaros, até 2 (dois) exemplares.
§ 2º - Em nenhuma hipótese é permitida a permanência de animais silvestres, aqueles
protegidos por lei e cães reconhecidamente agressivos, como Pitbull, Dobermann, Buldoger,
Fila Brasileiro, Pastor Alemão e similares.
§ 3º - Os animais terão permissão de permanência nas unidades autônomas, desde que
não incomodem os demais moradores/vizinhos com barulhos e latidos, tendo a administração
poderes para solicitar e exigir a sua retirada, em definitivo, das dependências da unidade
autônoma e do condomínio a qualquer tempo.
§ 4º - Nenhum animal poderá ficar nas áreas comuns, devendo sempre ser transportado
preso à coleira pela escada, da unidade autônoma até à rua ou ao seu veículo de transporte.
§ 5º - Ainda que apenas no trajeto da unidade autônoma x rua x veículo, se o animal fizer
necessidades fisiológicas (fezes e urina), o seu condutor tem a obrigação de efetuar a imediata
limpeza do local, ou mesmo reparar os danos materiais causados pelo animal.
§ 6º - Para cães e gatos é obrigatória a apresentação anual, no mês de janeiro de cada
ano, de atestado médico veterinário e de carteira de vacinação, com vacina antirrábica em dia,
ou, ainda, sempre que requisitado pela administração do condomínio.
Art. 34º - Serão aplicadas multas do grupo II quando infringidas as recomendações
contidas neste Capítulo.
TÍTULO III
DAS PENALIDADES
Art. 35º - As penalidades, prevista neste instrumento e cominada nas normas
regimentais, visa dentre outras finalidades coibir, reeducar, equilibrar e manter a ordem,
respeito e harmonia no da instituição condominial, norteado e regida pelos princípios da
legalidade, isonomia, transparência e normas regimentais e convencionais;
Paragrafo Primeiro – O prazo legal para registrar ocorrências, denunciar/dar
ciência à unidade transgressora será de 05 (cinco) dias úteis; após data da infração cometida;
Paragrafo segundo – todo e qualquer recurso interposto intempestivamente não
será conhecido;
Art. 36º - As multas advindas das infrações às normas regimentais deverão ser
pagas juntamente com a taxa de condomínio referente à unidade autônoma responsável, no
mês imediatamente subsequente ao daquele em que se verificou o julgamento da
transgressão.
Parágrafo Único - Se houver atraso no pagamento de taxa condominial ordinária,
extraordinária, multa por infração, incidirá em multa de 2% e juros de 6% ao mês, independente
das despesas havidas na contratação de advogados, estas na ordem de 20% no caso de ação
judicial e de 10% nas cobranças extrajudiciais.
Art. 37º - A imputação de transgressão de quaisquer itens deste Regimento Interno
será realizada mediante registro escrito no “Livro de Ocorrências”, especificando–se sempre a
hora, o local, a natureza da transgressão, a pessoa ou unidade infratora e o responsável pela
ocorrência.
Art. 38º - O Regimento interno deste condomínio já servira com notificação as regras
do condomínio.
Art. 39º - As multas estão distribuídas em 05 (cinco) grupos, com valores
proporcionais à taxa de condomínio vigente, na data do julgamento da infração, o qual não
deverá exceder em 30 (trinta) dias da sua notificação e apuração segundo a seguinte tabela:
Grupo I – 100% (cem por cento) da taxa de condomínio vigente;
Grupo II – 70% (setenta por cento) da taxa de condomínio vigente;
Grupo III – 50% (cinquenta por cento) da taxa de condomínio vigente;
Grupo IV – 30% (trinta por cento) da taxa de condomínio vigente;
Grupo V – 20% (vinte por cento) da taxa de condomínio vigente;
Parágrafo Único - A reincidência ou a continuidade de infração já multada implicará
nova multa em dobro da anterior, até atingir o valor de 30 (trinta) vezes o valor da taxa de
condomínio vigente à data do pagamento.
Art. 40º - A infração de qualquer artigo dos Regulamentos das Garagens, Salão de
Festas e das Áreas da Churrasqueira e Piscina será punida com multa do grupo II.
Art. 41º - O condômino/morador que alterar a forma externa da fachada, pintar ou
decorar as janelas, paredes externas, esquadrias, com cores ou tonalidades diversas das
utilizadas no conjunto do condomínio, ficará sujeito ao pagamento de multa prevista neste
Regimento Interno, além de ser compelido a desfazer a obra, pintura, decoração ou abster-se
da prática do ato, cabendo ao condomínio, com autorização judicial, mandar desmanchá-los às
custas do transgressor, se este não as desfizer no prazo que lhe for estipulado.
Art. 42º - Compete à administração do condomínio a iniciativa dos processos
judiciais cabíveis, inclusive de natureza executiva para cobranças de taxas condominiais,
multas e indenizações ao condomínio.
Art. 43º - Na necessidade de procedimento judicial, e sendo vencedor o
Condomínio, todas as despesas correspondentes às custas e a honorários advocatícios
correrão por conta do condômino/morador responsável, ficando também obrigado ao
reembolso perante o andamento do processo judicial.
Art. 44º - É assegurado ao condomínio o direito de regresso contra condôminos para
ressarcir-se dos danos que vier a sofrer por infrações da lei, regulamentos, posturas, omissões,
dolosas ou culposas, do próprio ocupante ou de seus familiares, empregados, hóspedes,
inquilinos, visitantes etc.
Art. 45º - A administração do condomínio caberá ao Síndico, Subsíndico e Conselho
Consultivo, eleitos em assembleia Geral pelo período de dois anos, possibilitada a permuta de
funções entre os membros eleitos, nos termos e condições previstas na própria (Lei nº
4.591/64), bem como nas regras aprovadas para a eleição na convocação destinada ao pleito.
Parágrafo Único - No exercício do mandato, o Síndico ficará isento do pagamento
da taxa condominial, sendo, todavia, de sua obrigatoriedade, assim como de todos os
condôminos; o pagamento de eventuais taxas extras fixadas em assembleia seja para o
aformoseamento, utilidade, necessidade ou outro motivo de interesse do condomínio.
Art. 46º - Os casos não previstos neste Regimento Interno, na Convenção do
Condomínio, na Lei 4.591/64, nos Regulamentos das Garagens, do Salão de Festas e das
Churrasqueira e Piscina, ou nos demais diplomas legais mencionadas no art. 1°, serão
encaminhados pelo Síndico e/ou Subsíndico, com conhecimento do Conselho Consultivo, à
Assembleia Geral, marcada com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas, para
conhecimento da pauta e juízo de valor dos condôminos, devendo a decisão ser tomada pela
maioria absoluta e, em não ocorrendo esta, pela maioria simples dos presentes.
Parágrafo Único - Naquilo em que não haja tempo disponível para decisão coletiva
em Assembléia, bem como nos casos de extrema urgência e/ou necessidade, poderá tal
decisão ser tomada em reunião entre Síndico, o Subsíndico, e, no mínimo, 2 (dois) membros
do Conselho Consultivo, cuja ata deverá ser lavrada para conhecimento e homologação em
Assembleia Geral.
Art. 47º - O Síndico poderá ser destituído pelo voto da maioria absoluta dos
condôminos presentes em assembleia geral convocada especialmente para tal fim.
Parágrafo Único - A Assembleia para destituição do Síndico será convocada por
meio de requerimento de, mínimo, ¼ (um quarto) dos condôminos, ou por decisão unânime
do Conselho Consultivo.
Art. 48º - Fica eleito o Foro da Comarca de São José de Ribamar, com exclusão de
qualquer outro, para a resolução dos litígios que porventura venham advir da inobservância das
regras do presente Regimento, das demais normas que regem o Condomínio, e, inclusive, dos
Contratos de Prestações de Serviços.

São José de Ribamar - Ma, _____ de ______________________ de _____.

Comissão Administradora

______________________________
Síndico

______________________________
Subsíndico

______________________________
Presidente do Conselho Consultivo

______________________________
Membro do Conselho Consultivo
ANEXO I
REGULAMENTO DOS ESTACIONAMENTOS

Art. 1º - Cada condômino tem direito ao número de vaga correspondente especificado


em seu título de propriedade. Nos contratos de alienação ou cessão de uso do apartamento,
locação etc, o qual será definido pela administração do condomínio;
Art. 2º - Não é permitido usar a vaga para abrigo de veículos que não sejam de
tamanho compatível com a vaga, ou, ainda, para confecção de móveis, guarda de materiais de
construção, entulhos e restos de obras.
Art. 3º - O condomínio não se responsabiliza por estragos, furtos, roubos, incêndios,
etc, ocorridos nos estacionamentos, mas adotará medidas necessárias no sentido de apurar as
responsabilidades.
Art. 4º - Qualquer dano realizado por um veículo a outro ou por uma pessoa a um
veículo ou da pessoa causadora do dano, devendo o prejuízo ocasionado ser ressarcido na
melhor forma acordada entre os envolvidos.
Art. 5º - Os carros deverão ser estacionados de ré (Grupo V)
Art. 6º - É proibido aos Condôminos:
a) Usar ou permitir que usem a garagem para fins diversos daquele a que foi destinada,
mesmo dentro dos limites de sua vaga;
b) Ingressar na garagem com automóveis que apresentem anormalidades e que estas se
revelem prejudiciais ao condomínio, tais como descargas abertas, vazamento de óleo,
etc. É igualmente proibido ligar rádio ou qualquer outro equipamento de som em volume
que venha a incomodar os demais condôminos;
c) Usar a garagem para experimentar motor, buzinas e rádios, ou para fazer reparos, exceto
em casos de emergências e unicamente para que o carro possa deslocar-se;
d) Permitir o ingresso de pessoas estranhas no condomínio para fazer limpeza de veículos;
e) Alugar, ceder para guardar, vender sob qualquer forma sua vaga a pessoa que não seja
titular de unidade no condomínio;
f) Estacionar indevidamente na pista ou em áreas de circulação do condomínio, ou de forma
que impeça a manobra de outros veículos, bem como avançar as demarcações das vagas
vizinhas, prejudicando-lhes o uso;
g) Estacionar ou parar em frente ás áreas comuns do condomínio;
h) Lavar carros, motos e outros veículos ou objetos nas dependências do estacionamento;
i) Usar água do condomínio para lavagem de carros na área externa do prédio;
j) Trafegar em velocidade superior a 20 Km/h em áreas internas do condomínio.
Art.7º - Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pelo Síndico, Subsíndico e
Conselho Consultivo e, em segunda instância, pela maioria simples da Assembleia Geral.

Art. 8º - A não observância das proibições acima relacionadas acarreta a aplicação a multa
do Grupo II.

______________________________
Síndico

______________________________
Subsíndico

______________________________
Presidente do Conselho Consultivo

______________________________
Membro do Conselho Consultivo

ANEXO II
REGULAMENTO DO SALÃO DE FESTAS, DA CHURRASQUEIRA E DA ÁREA
DA PISCINA.
Art. 1º - Os condôminos e usuários do salão de festas, das áreas de churrasqueira e
piscina ficam obrigados ao cumprimento deste Regulamento, sob pena das multas nele previstas,
no Regimento Interno e na Convenção do Condomínio.
Parágrafo Único - O uso do salão de festas para realização de aniversários, eventos
sociais, etc., está condicionado ao pagamento de uma taxa fixada no valor R$ 50,00
(CINQUENTA REAIS) Art.3º, parágrafo único do anexo II, capaz de satisfazer as despesas com
limpeza e conservação das referidas áreas e dependências, e com o consumo de energia.
Art. 2º - A utilização do salão de festas, bem como das áreas acima relacionadas, é de
exclusividade dos condôminos para realização de assembleias e reuniões de interesse do
Condomínio e, ainda, para festividade e recepções dos seus moradores, sendo vedada sua
concessão para atividades político – partidárias, religiosas, profissionais, mercantis e de jogos
considerados de “azar” pela legislação pertinente. É vedada a requisição para empréstimo a
terceiros.
Art. 3º - As reservas salão de festa ocorrerá na seguinte condições:
I – Solicitação por escrito/e-mail junto à Administradora com antecedência máxima de 30
(trinta) dias corridos e mínima de 7 (sete) dias corridos.
II – Deve a unidade solicitante estar em dias com suas TAXAS CONDOMÍNIAS E
MULTAS;
III – Estar em pleno direitos de usufruto, ou seja não deve está suspenso/impedido de tal
benefício, por ato infracional, promovido por conduta ou postura de moradores/visitante;
IV - A área de lazer aos sábados, domingos e feriados é de uso exclusivo dos moradores,
salvo os dias de reserva;
V - As reservas para os dias da semana, ou seja, de segunda a sexta feira, a piscina fará
parte da reserva;
VI - As reservas feitas para os sábados não inclui o uso exclusivo da piscina.
PARÁGRAFO ÚNICO – Em caso excepcional, que impeça a concessão do espaço
(área de lazer) para a realização do evento programado ou agendado, a Administração do
condomínio através do síndico ou sua administradora, terá o prazo o mínimo de 10 (dez) dias
corridos para comunicar e justificar a unidade reservante, tal impedimento sem ônus de
qualquer natureza; para a instituição;
Art. 4º - A requisição das áreas de que trata este Regulamento deverá ser solicitada à
Administração, não podendo ser superior a 30 (trinta) dias, nem inferior a 7 (sete) dias, devendo
ser mencionados a data e o horário do evento.
Parágrafo Único - Não haverá reserva exclusiva para mais de uma unidade no mesmo
dia, devendo ser obedecida a ordem cronológica dos pedidos de reserva. Será recolhido o
pagamento da taxa de 50,00 (CINQUENTA REAIS) à ser pago antecipadamente ao evento para
utilização do salão de festas. Fica estipulado o prazo de 72 horas para a possível desistência do
evento e ressarcimento do valor pago.
Art. 5º- Os moradores só terão direito uma reserva ao mês. Não podendo
exceder esse limite;
Art. 6º - Os eventos realizados no salão de festas e/ou nas áreas comuns do
Condomínio obrigatoriamente obedecerão aos seguintes dias e horários:

a) Segunda a Sexta das 8:00 às 22:00 horas;

b) É proibido a reserva da área de lazer nos domingos e feriados.


§ 1º - Em caso de eventos realizados para confraternização entre os condôminos, os dias e
horários acima elencados poderão ser alterados.
§ 2º - A utilização de aparelhos sonoros deve ser feita em volume moderado (som
ambiente), podendo ser desligados caso haja eventuais reclamações de moradores incomodados.
Proibido som automotivo.
Art. 7º - A cessão do Salão de festas, áreas da churrasqueira e piscina está
condicionada à prévia assinatura, por parte do requisitante, de um Termo de Vistoria e
Responsabilidade, em que ficará expressamente consignado haver recebido as referidas
dependências, assumindo o ônus de quaisquer danos que venham a ser registrados após sua
entrega, inclusive os causados por familiares, convidados, empregados e pessoas contratadas
(prestadores de serviços).
Art. 8º - No dia seguinte ao término da festa do morador, acompanhado pelo síndico,
pelo sub-síndico ou pelo administrador, efetuará a vistoria das áreas utilizadas que devem ser
entregues limpas e em condições de uso.
§ 1º- No caso de prejuízo causado ao condomínio, para efeito de ressarcimento por parte
do requisitante, será feita uma avaliação mediante coleta de preços entre firmas habilitadas à
execução dos serviços de reparos ou reposição das instalações danificadas.
§ 2º- A recusa do pagamento ou seu atraso por mais de cinco dias, a partir da data da
notificação relativa ao ressarcimento das despesas havidas com a reparação dos danos
causados, acarretará o acréscimo de 20% (vinte por cento) no montante dos danos apurados e a
cobrança judicial do débito, pagamento de honorários advocatícios, bem como a perda do direito
de requisição das áreas acima, até o cumprimento da obrigação.
Art. 9º - O morador usuário do salão de festas, área de churrascaria e piscina deverá
orientar seus convidados no sentido de que não utilizem as outras áreas comuns do condomínio.
Deverá também para que não haja aglomeração de pessoas aos condomínios e blocos.
Parágrafo Único - O morador requisitante assume, para todos os efeitos legais, a
responsabilidade do respeito e das normas de conduta e convivência social no decorrer das
atividades, comprometendo-se a inibir abusos e excessos e a afastar pessoas cuja presença
venha a ser considerada inconveniente.
Art. 10º - O uso de roupas adequadas (short de tactel, biquíni ou maiô, por exemplo) é
indispensável para o uso da piscina.
Parágrafo Único - É terminantemente proibido entrar na piscina após o uso de óleo
bronzeador ou de qualquer produto similar que possa prejudicar a limpeza da água e dos
equipamentos de banhos e filtros, sendo obrigatório o banho de chuveiro antes de entrar na
piscina.
Art. 11º - É proibida a utilização da piscina por menores de 10 anos, quando
desacompanhados de seus pais ou responsáveis, não se responsabilizando o condomínio pelo
descumprimento dessa norma.
Art. 12º - É terminantemente proibida a utilização de pratos, copos e garrafas de vidro
na borda da piscina ou dentro dela, bem como de qualquer objeto quebrável ou cortante.
Art. 13º - Não é permitido jogar na piscina qualquer tipo de objeto.
Art. 14º - Qualquer problema de pele ou de doença contagiosa impede o usuário do
banho na piscina.
Art. 15º - O horário de utilização da piscina e livre, porém no período noturno após as
22h as luzes serão apagadas e o usuário devera observar a Lei do Silêncio, bem como conduta
social apropriada.
Art. 16º - O uso da piscina é restrito único e exclusivamente aos condôminos e seus
hóspedes.
Art. 17º - A não observância de qualquer norma deste Regulamento acarreta a
aplicação da multa do Grupo II, dependendo uma nova solicitação de uso do salão de Festas,
Churrasqueira e Piscina de autorização do Conselho Consultivo.

São José de Ribamar - Ma, _____ de ______________________ de _________.

Comissão Administradora

______________________________
Síndico

_____________________________
Subsíndico

_____________________________
Presidente do Conselho Consultivo

____________________________
Membro do Conselho Consultivo
Sr (a) condômino (a)

O objeto principal deste “Regimento Interno” é assegurar a tranquilidade no uso e gozo


dos seus deveres, limitar os abusos que possam prejudicar o bom nome, asseio, higiene,
segurança e o conforto de todos os moradores do Condomínio.
O disciplinamento estatutário é uma decorrência do interesse comum que, neste caso,
sobrepõe-se ao particular em tudo quanto não viole o direito básico da propriedade.
O Condomínio tem, portanto, não só a faculdade, mas o dever de aplicar as sanções
previstas na “Convenção do Condomínio” em vigor, ou neste “Regimento Interno”, e as
aplicará, com certeza, sem nenhum favorecimento, em prol dos interesses da coletividade.

Comissão Administradora

______________________________
Síndico

______________________________
Subsíndico

______________________________
Presidente do Conselho Consultivo

______________________________
Membro do Conselho Consultivo