Você está na página 1de 5

UM AXIOMA CHAMADO SHABAT LUNAR

(PROVAS HISTÓRICAS)

Introdução: O calendário de vara encontrada no Termas de Tito (79 dC construída –


81) fornece mais uma prova de que nem o shabat bíblico, nem o dia da ressurreição
do Mashiach jamais poderá ser encontrada usando o calendário Juliano. O círculo
central contém os 12 signos do zodíaco, correspondente aos 12 meses do ano. Os
algarismos romanos nas colunas esquerda e direita indicam o dia do mês. Em toda a
parte superior do calendário vara aparecem os sete deuses planetários dos romanos
pagãos. Sábado, (ou dies Saturni - O dia de Saturno) originalmente foi o primeiro dia
da semana, e não o sétimo.

O Moderno Calendário Romano começou por volta de 46 AC por Júlio César.


Antes desse tempo, há algumas outras fontes que nos dizem que o Shabat foi contado
pelo calendário lunar: The Universal Jewish Encyclopedia o reconhece, dizendo que os
Shabatot foram originalmente observados pelas fases da lua. Philo que viveu no
mesmo tempo que o nosso Salvador, reconhece que a semana era lunar, bem como
Clemente de Alexandra (Estomas vol. VI). No entanto, os hebreus nem sempre
continuaram a manter o Shabat como YAHUH, nosso Criador os ordenara. Assim como
o Templo sagrado fora lhes dado, mas tirado também, pois nosso povo israelita
estava o profanando. Da mesma forma o Shabat. Se o Eterno nos dá algo sagrado é
para cuidarmos como tal. Se isto não acontece, ele tira (Veja Lamentações 2:6).
Os Jubileus PROVAM que o ciclo de sete dias fixos como no calendário Gregoriano
NÃO É VERDADE O ano dos jubileus quebra o ciclo de seis anos de semeadura, em
seguida, há descanso dois anos consecutivos, a terra repousa sobre o ano 49 e 50. Da
mesma forma, a lua nova quebra o ciclo dos seis dias de trabalho com dois dias de
descanso, sendo um Shabat seguido de Rosh Chodesh (Lua Nova) criando assim dois
dias de cultos. Isto tem procedência bíblica, veja Ezequiel 46:1: "As portas da casa
YHVH devem ser fechadas durante os seis que são de trabalho , e abrir no Shabat" e
no "dia da lua nova." Isto é maravilhoso, pois mostram claramente que os 6 (seis)
dias de trabalho não se misturam com 1 (um) de shabat e este 1 (um) de shabat não
se mistura com o dia da lua nova. De quantos dias Hashem estar a falar? Some 6 (de
trabalho) +1 (lua nova) +1 (shabat) 6+1+1=8. Como lua nova só ocorre uma vês ao
mês (dando início ao mesmo), Hashem esta a falar, principalmente da 1ª semana do
mês. E é exatamente quando ocorre o primeiro shabat do mês sempre no dia 8.
Sobre os dois dias consecutivos de guarda
EXEMPLO: A terra era semeada por seis anos e no sétimo descansava, mas depois a
terra repousa por 7 sete anos (49 anos) e novamente no resto do ano 50 que quebra
o ciclo dos seis restantes, seis de descanso, ETC. Desde o sétimo dia de descanso,
você tem seis "descansos" restante,
WWW.YESHUACHAI.COM.BR
2
contando os 49 e 50 anos de descanso, que quebra o ciclo de seis de descanso com
dois de descanso. Este é absoluto. O ciclo de seis da semeadura, em seguida, o
descanso é interrompido por um descanso no final dos anos 49. O mesmo acontece
quanto ao dia de culto na lua nova. Os portões da casa de YHVH seriam fechados
durante os seis dias úteis da semana, e abrir no Shabat "e" no dia da lua nova.
(Yechezkel-Ezequiel 46:1) Isto coloca dois dias de adoração em uma fileira e é por
isso que os Shabatot estão sempre no 8º, 15º, 22º e 29º da lua, porque a semana de
trabalho começa depois da lua nova. Isto é também absoluto. Em outras palavras, se
a lua nova, não é um dia de trabalho normal da semana em que você pode "comprar
e vender" (Amós 8:5) e fazer todo o seu trabalho, então você terá o último shabat do
mês seguido da lua nova. O mesmo acontece com o 50º (quinquagésimo) ano que é
Jubileu. Raciocine, a Torah diz que a partir da entrada dos israelitas em Canaã,
deviam desde então trabalharem seis anos a terra e dar descanso a terra no ano 7º.
No entanto existe uma outra lei de Hashem que manda dar descanso a terra no ano
quinquagésimo também. Esta mitzvah é mais forte do que a primeira, pois a anula
neste tempo.
Raciocine:
O primeiro shabat anual dos israelitas deu-se no 7º após a tomada da terra. O
segundo shabat caiu no ano 14º, o terceiro no ano 21º, o quarto no ano 28º o quinto
no ano 35ª, o sexto no ano 42 e o oitavo no ano 49º. Agora é que entra o cerne da
questão, pois assim como o quadragésimo nono ano era um ano shabatico, o
quinquagésimo também o era. Então temos dois anos shabatico consecutivos o de
número 49 e o de 50. Mas e a lei de trabalhar seis e descansar um, como fica? Ela é
forte e absoluta nos anos intermediários, mas na cabeça das contagens (na
convergência) há outra lei de Hashem mais forte e que inquestionavelmente tem que
ser obedecida. Mas a problemática toda é devido nossa mente conceber a ideia de que
o ciclo de "seis + 1 descanso" não deve ser interrompido, embora todos que seguem o
sábado do calendário Greco-romano admitem que em uma semana, por exemplo,
quando cai um dia de festa (Yom Kippur, Shavuot, Sucot) numa terça ou quarta, a
semana de seis dias úteis podem ser interrompida.
História
JOSEPHUS O historiador Flávio Josefo relata os registro dos Shabatot que podem
ser identificados e estão na forma de 8º, 15º, 22º e 29º da lua nova e não foi contado
como um dos seis dias de trabalho. Os romanos viram que os hebreus, no Shabat,
não lutavam, ao menos que eles fossem atacados. Mudaram-se os seus motores e
aríetes até as paredes, no dia do Shabat, que de outra forma que não se podia fazer,
e no dia seguinte, eles golpearam a cidade. Josefo registra que o 23º foi o "dia
seguinte" após o Shabat, quando os romanos atacaram, ou o dia após o Shabat,
quando tinha tudo no lugar. (Consulte a página 369. Antiguidades dos judeus Livro
14, capítulo 4:3 e nota de rodapé na página 370).
WWW.YESHUACHAI.COM.BR
3
PHILO Philo nasceu cerca de 20 anos antes da Era Comum, e morreu depois de 40
da Era Comum, são preservados ainda hoje alguns de seus trabalhos que lidam com a
interpretação alegórica da Torá, e biografias de pessoas nas escrituras. Philo é
descrito pelos leitores de suas obras como um "judeu grego", porque neles são
refletidos não só idéias mas também sabedoria hebraica da filosofia grega. O ponto de
Philo em relação ao calendário hebraico, ou mais especificamente o Shabat Lunar, é
por isso que foi uma testemunha ocular do calendário hebraico por volta do século
primeiro.
Observe o que Philo escreve em O XXX, Decálogo. 158-161
"(158) e o Quarto Mandamento, que se refere ao sétimo dia [sábado] ... como um
resumo de todas as leis relacionadas com festivais ... (161) Mas Ele (o Criador)
atribuiu ao sétimo dia da semana [sábado] os maiores festivais, o mais longo, em
períodos de equinócio vernal e outonal tanto a cada ano, selecionados dois festivais
para estas duas épocas, cada um com sete dias ... "
Philo liga o shabat com os movimentos médios da lua. Ele escreveu que o sábado
era pela lua; Ele disse que você tem uma lua cheia no final da 2ª semana. Bem a lua
cheia ocorre na metade do mês. E se a lua cheia, segundo Fhilo, acontece sempre no
final da segunda semana, então a semana teve que ser iniciada junto com a lua, e
mais, um final de semana judaico é sempre um sábado. Isto prova categoricamente
que os hebreus, no tempo do Messias, sabiam que a semana era contada pela lua. Ver
páginas de Estudos Preliminares 313, 19 cap. (106).
Nos escritos de Fhilo, ele registra que a festa dos Pães Ázimos (Pessach)
juntamente com a Festa dos Tabernáculos (Sucot), foram designados para o dia do
Shabat. E ambas estão caem no dia 15º do mês, sendo Pessach no 15º do 1º mês e
Sucot no 15º do mês 7º. Philo sabia que o dia 15 foi um dia do Shabat semanal, que
começou com ambas as Festas de Yahuh, ambas as festas duram sete dias. Consulte
a página 532 Philo xxx (161). Philo sabia que os israelitas receberam descanso no dia
15º do cativeiro do Egito e as festas no 1º e no 7º mês tem a ver com a sua forma da
libertação da escravidão no Egito no dia 15, Fhilo assume que sempre o 15º de
Pessach e Sucot caem em um Shabat semanal.
O mês e a semana eram lunares
Fhilo diz:
"O quarto mandamento tem referência ao sétimo dia sagrado, que pode ser aprovada
em um modo santo e sagrado. Agora, alguns estados mantêm o festival santo
somente uma vez no mês, a contar da lua nova, como um dia sagrado para o Criador:
mas a nação dos hebreus mantém cada sétimo dia, regularmente, a cada
WWW.YESHUACHAI.COM.BR
4
intervalo de seis dias de trabalho " (Contando a partir da Lua Nova). Philo - O
Decálogo, XX. Pg 546
O que Fhilo esta a dizer é que o sábado (e ele faz referencia ao 4º Mandamento)
é um dia santo. Então ele discursa que alguns Estados apenas se santificam uma vês
ao mês nas luas novas, enquanto a nação hebreia (Israel), além de celebrar a lua
nova, vem mantendo uma pausa regularmente a cada sétimo dia que vem após seis
de trabalho. Ele de maneira nenhuma citou que a contagem da semana judaica era
diferente. Porém, dentro do contexto do shabat ele apenas mostrou um diferencial de
Israel, repousar a cada sete dias a partir do mesmo ponto de partida, ou seja, a Lua
Nova.
Fhilo descreve sua interpretação mostrando que os números e espécie de animais
sacrificados à Hashem simbolizam as fases da lua:
"Os dois touros jovens são porque há dois movimentos da Lua, enquanto
continuamente realiza o seu curso duplo, o movimento até a lua cheia e minguante
crescente movimento para sua conjunção com o sol. Um carneiro, porque há princípio
de que a lua cresce e diminui em intervalos iguais, tanto aumento e diminuição da
iluminação. Os sete cordeiros porque [a lua] recebe as formas perfeitas em períodos
de sete dias, o crescente no período de sete dias primeiro após a sua conjunção com o
sol. A lua cheia no [período de sete dias] segundo, e quando você voltar, a primeira é
uma crescente, então apenas em sua conjunção com o sol " (As Leis Especiais I,
XXXV. 178).
Novamente, Philo menciona a lua dentro do contesto do sétimo dia, na página 26 (iv)
(8):
"Novamente, as mudanças periódicas da lua, tem lugar de acordo com o número sete,
que a estrela que tem a maior simpatia com as coisas da Terra. E as mudanças da lua
no ar, se aperfeiçoam principalmente em conformidade com as suas próprias
configurações de cada dia "sétimo".
Philo que era contemporâneo de Yeshua esta colocando as fases do lua
interligadas com o dia sétimo, ou seja: SHABAT. Então sabemos historicamente que
os shabatot sempre caem na Lua nova (ponto de partida), sete dias depois no Quarto
Crescente, mais sete dias depois na Lua Cheia, assim mais sete no Quarto Minguante.
O que ele está dizendo, não está fora de harmonia com as Escrituras ou da história. O
Tabernáculo de Hashem fora inaugurado no 1º dia do 1º mês, isto é, na lua nova de
Abib então Arão e seus filhos foram santificados por sete dias, que começou em uma
lua nova, e no oitavo dia, houve uma assembléia (Moed) da congregação. O ponto é
que durante esses sete dias, eles não saíram da porta do Tabernáculo por sete dias e
noites. Levítico 8:34,35. Foi a partir da lua nova até o sétimo dia (quarto crescente).
No Shabat, o dia 8, que era o sétimo dia após seis dias de trabalho, se reuniram a
congregação e não antes. Isso prova que a Assembléia ou
WWW.YESHUACHAI.COM.BR
5
convocações naquele mês bíblico foram nos dias 8, 15, 22 e 29. Em Ex. 40: 1, O
Yhwh falou a Moshé (Moisés) dizendo que no primeiro dia da primeira lua, ele devia
inaugurar o tabernáculo da congregação. "Além disso, em Ex 40:12-15, Mosheh foi
ordenado para ungir Arão e seus filhos e colocá-los as vestes sagradas, e o versículo
17 diz: "E aconteceu que, na primeira lua no segundo ano, no primeiro dia da lua que
o tabernáculo foi levantado." Aqui, novamente a primeira lua do primeiro mês é o
padrão da primeira semana de Gênesis, todas as coisas que saíam para fora da
escuridão representado no sair da conjunção, sendo o primeiro shabat um quarto
crescente.
Em Lev. 8:3 diz que Hashem ordenou a Mosheh reunir a congregação (na Lua
Nova) e nos versos 6-13, Mosheh trouxe Arão e os filhos e as vestes puras sobre eles
e ungiu o tabernáculo sozinho com Arão e seus filhos como ordenado. No versículo 33
eles foram ordenados a não sair do Tabernáculo por sete dias, mas no oitavo dia
(Shabat) Yhwh apareceu-lhes. (Levítico 9:15,23) Por estes versos você pode localizar
que eles começam a sua santificação e durante 7 dias a partir da lua nova e no dia 8
foi a assembléia da congregaçãoa. Isso coloca o Shabbat em 8, 15, 22 e 29, provando
que o dia da lua nova não é contado como um dos dias úteis para chegar ao primeiro
Shabbat. Quando as pessoas foram separadas para a limpeza, como um leproso, ou
quando o templo foi dedicado, ele começou no Rosh Chodesh ou Shabat, tal como fez
a separação de Arão e seus filhos.
SALOMÃO
Salomão celebrou a festa por sete dias, a Festa dos Tabernáculos (15 - 21). O
versículo 9 diz que no oitavo dia (22º) Shabat, eles fizeram uma assembléia solene
para que a dedicação do altar que teve duração de sete dias, (de 8 a 14) e a festa
sete dias (15 - 21). Se você contar para trás, verá que a dedicação do altar começou
no dia 8. O versículo 10 continua a dizer que no dia 23, ele despediu o povo. Por que
ele não mandou embora no dia 22? Será que o dia 22 foi um Shabat? Quando você
conta a partir de Shabat a Shabat, há oito dias.
Nascimento da semana romana:
Enciclopédia Britânica, 1972: Week “(Vênus, Mercúrio, Lua) foram concebidos
astrologicamente como os respectivos chefes de 7 a primeira das 24 horas do
primeiro dia e, posteriormente, de cada conjunto sucessivo de 7 horas. As primeiras
horas de sete dias consecutivos foram, assim, governada por Saturno, por sua vez, o
Sol, a Lua, Marte, Mercúrio, Júpiter e Vênus, depois que o ciclo se repetiu. Cada dia
foi nomeado após o planeta que governou a primeira hora, e os sete dias na semana
planetária foi assim definida"
A semana fixa do calendário romanos foi abruptamente imposta tornada
obrigatória por Roma a alguns séculos mais tarde. Manuscritos do Mar Morto e
fragmentos também preservam um
WWW.YESHUACHAI.COM.BR

calendário luni-solar, junto com novas luas e escuras que são desnecessários, se
apenas manteve o calendário puramente solar de 364 dias. "semana moderna
nomeada após os sete planetas, deve ser datado no final do primeiro século dC" - W.
Rordorf
Enciclopédia Judaica Universal
"O sábado e a Lua Nova (Rosh Hodesh), ambos se repetem periodicamente no
decorrer do ano. A Lua Nova ainda é, e o sábado originalmente dependentes do ciclo
lunar. Tanto a data do período nômade de Israel. Originalmente, a Lua Nova foi
comemorado da mesma forma como o sábado " Enciclopédia Judaica Universal 'O
livro de Isaac Landman, editado por Ktav Publishing House, no volume 5, página 410,
seção feriados.
Citação da Enciclopédia Judaica Universal não é a base mostrando que o sábado é de
acordo com o ciclo lunar, apenas confirma o que a Torá estabeleu.
Rosh Mosheh ben Shalom
Kehilat Israelita Beith Tefilah Yeshua Chai