Você está na página 1de 37

Treinamento de Líderes

de Grupos Pequenos
(GP)

Igreja Evangélica Congregacional em Coroa Grande


Pr. Washington de Mello Medeiros & Pr. Alexandre Huguenin da Fonseca

Expandindo o Reino de Deus


Nome:___________________________________________________________
Este treinamento de líderes foi desenvolvido por:

Bill Joukhadar, Dominic Beasant e Emma Fewster


Igreja Comunidade de Maadi
PO Box 218
MAADI
CAIRO - EGITO
Email: cells@maadichurch.net
Web site: www.maadichurch.com

Adaptado em janeiro de 2009.

Tradução por Aline Douglas e Magaly Santos

Conteúdo
Unidade
A essência
1- de um Grupo Pequeno (GP).
Unidade
Oração
2- & Evangelismo.

Unidade 3- Qualidades de um líder.

Unidade 4- Habilidades de um líder.

Unidade 5- Como iniciar um Grupo Pequeno (GP).

Unidade 6- Revisão & Próximo passo.

2
Unidade 1
A essência de um Grupo Pequeno (GP).
Ao final desta unidade esperamos que você entenda:
 Nosso plano de crescimento da igreja com Grupo Pequeno (GP).
 Foco para cima, foco externo e foco interno.
 O propósito e valores do Grupo Pequeno (GP).
 Como um Grupo Pequeno (GP) deve ser.

Nosso plano:
Edificar Grupos Pequenos (GP) cheios do Espírito que motivem um
relacionamento mais profundo com Deus e uns com os outros, cheios de
amor intenso pelos perdidos e cercados de uma atmosfera de crescimento
pessoal, desenvolvimento e prestação de contas.

O crescimento da Igreja quando o foco é:


 Vertical – RELACIONAMENTO COM DEUS. Buscando primeiro a Deus; sendo guiado pelo
Espírito, completamente dependendo dEle.

 Externo – PAIXÃO PELAS ALMAS. Desejando que ninguém se perca, priorizando


evangelismo, fazendo tudo que podemos para alcançar aos perdidos.

3
 Interno – UMA COMUNIDADE DE SERVOS. Estando imerso na Palavra de Deus,
descobrindo, usando e desenvolvendo nossos dons, nos tornando o que Ele nos criou para
sermos capacitados e disponíveis.

Nosso objetivo:
Este curso tem o alvo de providenciar aos líderes em treinamento mais
conhecimento e habilidade para continuarem o trabalho da grande
comissão.

“Minha graça te basta, meu poder se


aperfeiçoa na fraqueza.”
2 Co 12:9a
profundo

Um corpo
forte

Crescimento
Grupos Pequenos (GP)
= Células se multiplicando

Fundação: 4
Mat. 22:36-40; 28:18-20 e Ef. 4:11-13
Nos Grupos de Comunhão buscamos o crescimento natural. Raízes
profundas que geram uma árvore grande, forte e saudável.

O crescimento do Reino com grupos de comunhão vem através de:

 Oração
 Evangelismo
 Desenvolvimento de líderes.

Como num corpo, o grupo de comunhão será semelhante a uma célula que
não sobrevive fora do corpo.

Três dimensões do GRANDE Crescimento


1. Foco vertical – ______________________ com Deus.
O Grande Mandamento é amar a Deus com tudo o que somos e tudo o que temos (Mt 22:37).

 Nós devemos dar a Ele o _________________ lugar em nossas vidas (Mt 6:33).
 Podemos dar frutos somente quando estamos ____________________ na videira (Jo 15:4-5).
 Nossa realização vem de Deus (Is 26:12).
 “Se o _____________ não_________________ a casa, em vão trabalham os que a edificam”
(Sl 127:1).

Tornamo-nos comprometidos a uma vida de oração e dependência de Deus. Crescimento verdadeiro


e eterno vem apenas de Deus e requer que O coloquemos primeiro em nossas vidas, e que caminhemos
com Ele numa vida de obediência.

2. Foco externo – __________________ pelos perdidos.


A Grande Comissão é obedecer a Deus fazendo tudo que podemos para buscar e salvar os perdidos,
revelar o amor de Deus a eles e vê-los sendo livres.

 Jesus veio buscar e salvar o perdido (Lc 19:10), para que ___________ sejam salvos e cheguem
ao conhecimento da verdade, (1 Tm 2:4), não querendo que _____________se perca (2 Pd 3:9).

 Nossa missão como seguidores de Jesus é ________ por todo mundo, expandir Seu Reino
ensinando____________ as coisas, contando com a ajuda de Jesus todos os dias em nosso
trabalho. (Mat 28:18-20).

5
 Estamos dispostos a morrer para nós mesmos (Mat 16:24-25) e colocar as necessidades dos
outros na frente das nossas fazendo tudo com ___________________. (Fp 2:3-4)

3. Foco interno – UMA COMUNIDADE DE ________________. Crescimento


pessoal, desenvolvimento de líderes e prestação de contas.
A Grande Igreja tem todos os ___________________ do corpo usando os dons que Deus deu para
representar completamente o corpo de Cristo (Ef 4:11-13).
Mais que simplesmente fazer convertidos, desejamos fazer ___________________. Permitimos que
aprendam, cometam erros, e cresçam através do envolvimento no ministério e sendo preparados para
_________________________. Assumir o ___________de Jesus sendo SERVOS uns dos outros. (Fl
2:5-8).

Em um ambiente seguro de comunhão cada um pode descobrir,


desenvolver e usar os seus dons e habilidades.
Nós acreditamos no sacerdócio de todos convertidos e temos o alvo de desenvolver todos os membros
em ministros de Deus (1 Pd 2:9-10).

Tudo que falamos está resumido assim:

O quê? Como? Por quê?

Relacionamento Grande
Vertical profundo com Oração Mandamento
Deus Mat 22:36-40

Grande
Amor intenso
Externo pelos perdidos
Evangelismo Comissão
Mat 28:18-20

Crescimento Grande Igreja


Interno pessoal
Desenvolvendo
Ef 4:11-13
líderes

6
A Essência do Grupo Pequeno (GP)
1. O que é um Grupo Pequeno (GP)?
Grupo Pequeno (GP):
 É parte integrante de nossa igreja.
 É um grupo aberto com foco de evangelismo,
 Tendo como prioridade a edificação da Igreja.

O Grupo Pequeno (GP) só será eficaz quando observar um crescimento equilibrado:


 Vertical
 Externo
 Interno

Grupos Pequenos (GP) de nossa Igreja são centrados em Deus, com


coração de servos e que edificam o Reino.
2. Como uma reunião do Grupo Pequeno (GP) se parece
Boas – vindas.
Um bom “Quebra-gelo” ajuda os membros do grupo a relaxar, se abrir e se relacionar (nos ajuda a
conhecermos melhor uns aos outros) 5 exemplos de perguntas para interação, “quebra-gelo”.
 Se você pudesse perguntar uma coisa para Deus, o que seria?
 Compartilhe como foi o maior tempo que ficou sem dormir. Em que você pensava?
 Se pudesse viajar no tempo, onde você gostaria de ir e por quê?
 Qual foi o momento mais feliz na semana passada?
 Como sua vida seria diferente se Deus não existisse?

Vertical – Relacionamento profundo com Deus.


Nós começamos primeiro ligados com Deus através:
 Oração
 Uma breve devocional (Palavra)
 Adoração (cantando/falando/ em silêncio)

Externo – Amor intenso pelos perdidos.


Mantendo o foco e o controle do grupo:
 Compartilhando e orando pelos perdidos em nossa lista de oração. (Veremos depois)
 Evangelizando – planejando eventos criativos.

Interno – Crescimento pessoal, desenvolvimento e prestação de contas.


Tenha certeza de que cada um está caminhando com Deus e crescendo através:
 Meditando, conversando e aplicando a Palavra de Deus
 Compartilhando e orando por necessidades pessoais
 Prestando conta – respeito, submissão aos líderes e a Deus.
 Crescendo na comunhão criando relacionamentos mais fortes.

3. CULTOS NA IGREJA E ESTUDOS NOS GRUPOS PEQUENOS (GP)


O culto na Igreja e o Grupo Pequeno (GP) são igualmente vitais. O primeiro é o lugar de receber
ensinamento enquanto que o GP é o lugar onde se aplica o que foi ensinado. O Culto na igreja deve ser
grande o bastante para celebrar, e o grupo de pequeno deve ser pequeno o bastante para cada um
receber cuidado.

7
Cada semana um “Estudo” é produzido com base na mensagem do culto de domingo, para que os
líderes de grupo desenvolvam o tema, facilitem a discussão e aprofundem o assunto dentro do grupo.
O estudo conterá os textos bíblicos ligados à mensagem e todos estudarão juntos buscando aplicar em
sua vida diária e situações que se venham a surgir. Os líderes deverão encorajar os seus grupos a
usarem, praticarem e viverem a mensagem estudada trazendo retorno de experiências vividas para
compartilhar com os irmãos.
Esteja alerta para não tentar aplicar tudo ao mesmo tempo, é melhor ver somente uma passagem e
aplicá-la. Esteja também alerta, pois a unidade da igreja não deve ser quebrada no GP. Nunca
faça do GP um lugar para pôr em prática suas próprias ideias. Mantenha seu líder informado (prestação
de contas) de como tem sido suas reuniões. No caso de ter alguma ideia diferente, devem ser
compartilhadas com o Pastor e, se possível, ponha em prática.

Sugestão de horário para os grupos de comunhão


Total = 1 h 30 min Total =________________
 Boas-vindas – 10 min  Boas-vindas _________ min
 Para cima – 15 min  Para cima _________ min
 Externo – 15 min  Externo __________min
 Interno – 50 min  Interno __________ min

4. Todos participam
O GP é um bom lugar para descobrir nossos dons espirituais e as habilidades; e desenvolver um líder
com um genuíno coração de servo. Em um ambiente seguro, pequeno e familiar todos participam e são
encorajados a tentar diferentes maneiras de participar da reunião. Isso inclui
 Local da reunião (hospedando/ recebendo)
 Dando boas-vindas à porta
 Liderando o quebra-gelo
 Orando no início ou no final
 Compartilhando uma breve devocional pessoal
 Trazendo algo para lanche =_____________________________________
 Liderando o louvor/adoração
 Facilitando o compartilhar
 Coordenando oração
 Organizando evangelismo
 Avaliando a reunião
 Ajudando a arrumar depois da reunião

5. Tamanho
Um grupo ideal é constituído de 5 a 10 pessoas. Relacionamentos se fortalecem melhor em grupos
mais íntimos. Quando o número de pessoas é menor, não há variedades de opiniões e podemos
desenvolver uma troca de ideias de maneira saudável. Quando o número de pessoas é maior pode
prejudicar o desenvolvimento de relacionamentos profundos e significativos. Tal relacionamento
não cresce num culto de final de semana em uma igreja de muitos membros.

Lembre-se deste princípio:


Quando o número de pessoas cresce, a intimidade diminui.

8
Unidade 1 – Resumo
A ESSÊNCIA DE UM GRUPO PEQUENO (GP)
Foco Vertical: Como podemos, de forma prática, amar a Deus de todo coração, alma e entendimento?

Foco Externo: De que maneira você pensa que o líder do grupo de comunhão deve morrer para si
mesmo e colocar as necessidades dos outros antes das próprias necessidades?

Cultos na igreja e estudos nos grupos pequenos: O que você deve, ou não deve fazer, para que o
estudo com base na mensagem pastoral de domingo, ao ser compartilhado com o GP não seja
prejudicado.

Tamanho: Qual e o tamanho do seu grupo? Você acha que e um tamanho saudável? Por quê?

Unidade 2
ORAÇÃO & EVANGELISMO
Ao final desta unidade esperamos que você entenda:
 O lugar da Oração no Grupo Pequeno (GP).
 Amor de Deus pelos perdidos.
 Evangelismo no Grupo Pequeno (GP) é crucial.
 O que é a lista de oração.

A. ORAÇÃO
1. Estando conectado - Texto de reflexão: João 15: 4-7

Preparação para uma liderança efetiva deve começar com a vida espiritual. É importante mantermos
um relacionamento íntimo com Jesus, caminharmos consistentes com Ele e atitude de oração.

9
Mantenha-se conectado! Seu CADERNO DE DEVOCIONAL, ou DIÀRIO, podem ser ferramentas
para levá-lo ao hábito de ter uma vida devocional.
Crescimento verdadeiro e durável vem somente de Deus e requer que nós o coloquemos em primeiro
lugar em nossas vidas e andemos perto dele. Nós precisamos estar comprometidos com uma vida de
oração e dependência de Deus. Apenas se
_________________________________________________ é que vamos produzir frutos (João 15:4-
5).
Tempo com Deus é mais importante que,
tempo gasto na preparação de programas.
É de vital importância que permitamos que a Palavra de Deus nos transforme, o Espirito Santo nos
capacita a permanecermos conectados com Deus através da oração.

A oração é o único verdadeiro recurso


de nossa vida e é o nosso poder.
2. Liderar através de exemplo

Através de uma pesquisa foi descoberto que o maior fator da multiplicação


em Igrejas é oração diária do líder pelos membros.
Portanto esta É a chave para os líderes: interceder diariamente pelos membros de seu grupo. Fale para
os membros o que você está fazendo (DEVOCIONAL, CULTO DOMÉSTICO, DIÁRIO DE
ORAÇÃO, JEJUM, CONSAGRAÇÃO, ETC.) e encoraje-os a orar uns pelos outros. Membros
respondem à liderança que ouve a Deus e que sabe o caminho a seguir. Só Deus traz sucesso.

Um líder que demonstra sua intimidade com Deus ganha autoridade espiritual.
3. As listas de oração – Pedidos feitos por todos, confecção da lista feita pelos líderes.
a) LISTA DE EVANGELIZAÇÃO - Encorajaremos cada membro a gastar tempo orando, pedindo a
Deus por um ou dois amigos, ou parentes, ou vizinhos, para colocar na lista de oração. O grupo, então,
passa a orar diariamente por todas as pessoas na lista de oração (evangelização efetiva). Será feito no
horário do foco EXTERNO. E serão estabelecidas estratégias para alcançar estas pessoas.
FOCANDO UM PROBLEMA – quando Jesus salva uma vida, 99% de seus problemas são resolvidos,
por isso focaremos as vidas por quem nos preocupamos na questão da salvação, todos os outros
problemas serão secundários. Ao se apresentar objetivos (motivos de oração), o compartilhar longo
deve ser substituído por longo tempo em oração, e constância diária de todos pelo assunto. Se for
necessário compartilhar, marque um tempo com o líder, e nesse momento vamos exercitar nossa
capacidade de ouvir e ministrar da parte de Deus.
Assim como saber o diagnóstico não significa cura, fazer o pedido de oração e explicá-lo nos mínimos
detalhes não solucionarão o problema. Devemos pedir em oração, fazer conhecidas diante de Deus as
nossas necessidades, sabendo que é dentro do nosso quarto em secreto que Jesus recomenda que seja o
nosso derramar. No templo, Ana se derramou, chorou e demorou na presença do Senhor. O sacerdote
Eli não ouviu uma palavra de sua boca, mas ela foi atendida. Em casa, a mulher se derramou aos pés
de Jesus, adorou, ofertou seu perfume caríssimo, e foi liberta e perdoada, ela FOI SALVA.
B) LISTA DE CRESCIMENTO PESSOAL – pedindo por alguém que já é salvo, priorizaremos o
Grupo Pequeno (GP), orando uns pelos outros (no mundo tereis aflições), e pelas nossas
necessidades. Estes pedidos devem ser selecionados e os que os líderes colocarem como alvos de

10
oração do Grupo serão sempre reforçados e ministrados no momento de foco INTERNO. Haverá
pedidos que deverão ser compartilhados com o líder e levados ao pastor.

Obs. As orações durante o foco VERTICAL devem ser mais de intimidade com Deus, louvor,
adoração ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Deve ser momento de mover espiritual.

CUIDADOS COM “mover em orações” - Todos os Dons mais evidentes (línguas, profecia,
revelação, cura, visão, etc.) devem sempre ser do conhecimento da liderança (Pastor), e sem próprios
de cada momento do FOCO ESPECÍFICO, com responsabilidade (o Espírito está sujeito ao profeta), e
respeitando os horários para que tudo seja feito com ORDEM E DECÊNCIA, para edificação da
Igreja.
Em virtude dos tempos de apostasia, e falsos profetas, e ventos de doutrina, que estão em nossa cidade,
(nos meios de comunicação e pelo mundo a fora), devemos ter prudência, mas estimularmos e
buscarmos a plenitude do Espírito Santo, e a manifestação dos Dons dentro dos Grupo Pequeno (GP)
e, antes, ter certeza de que O fruto do Espírito está presente na vida da pessoa.
Não queremos determinar a ordem que Deus agirá no Grupo Pequeno (GP), mas o dom que guiará o
grupo é o amor. Por amor aos irmãos e aos perdidos evitaremos toda aparência de mal sem nunca
impedir o agir de Deus. A maturidade para saber o que é de Deus, da Alma ou mesmo do Maligno está
nas mãos do Pastor, e nós seguimos suas instruções confirmando na palavra de Deus.

4. Os efeitos de um Grupo Pequeno (GP) que ora


Oração muda os GP’s. Quando os membros se juntam com o propósito de orar pelo grupo, pela “lista
de oração”, coisas incríveis começam a acontecer. A vida de oração do grupo, e de cada membro
individualmente, cresce mais e mais. Cada membro é alcançado diariamente em oração pelo pastor, e
muitos fora da igreja são alcançados quando o grupo ora fielmente por aqueles da “lista de oração”.

GP’s que oram são GP’s poderosos.

B. EVANGELISMO
Romanos 8:29 nos fala que a vontade de Deus para todos os homens é
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
_____.
Em nenhum lugar a Bíblia relata que o propósito de Jesus era ter um pequeno
grupo de discípulos ao seu redor.
Isso era parte de sua estratégia para cumprir o seu propósito.

1. A missão de Jesus na terra:


 Jesus veio ______________________ o perdido (Lc 19:10)
 Jesus veio __________________ as boas novas do Reino de Deus (Lc 4:43)
 Jesus veio morrer, para ressuscitar para _______________ todas as pessoas (Jo12:27, 32)
 Jesus veio para ser de uma vez para sempre o perfeito sacrifício e nos
____________________de Volta para Deus (Hb 10:1-18)
 Jesus veio não desejando que _________________se perca (2 Pd 3:9)
 Jesus veio ___________________ de satanás (1 Jo 3:8)
Para cumprir sua missão como homem Jesus teve o cuidado de manter o EQUILÍBRIO do propósito
de sua vida mantendo o foco:
Vertical (foco no seu relacionamento com o pai)
Externo (foco em suprir as necessidades dos “perdidos”)

11
Interno (foco em suprir as necessidades dos “salvos”)
2. O alvo
O alvo principal do GP é multiplicar num processo natural: pessoas sendo salvas e discipuladas.
O recurso do ministério em GP’s é o evangelismo.

3. Grupo Pequeno (GP) como estratégia - Uma maneira eficaz


A maioria dos não crentes não vai assistir a um culto sem que primeiro tenha desenvolvido amizade
com um cristão da igreja. GP é um lugar excelente para se desenvolver amizades antes de assistir um
culto. A diferença entre uma igreja que cresce e uma igreja que não cresce é que na igreja que cresce,
os membros procuram uma maneira de incluir e convidar seus amigos.

Num contexto de um pequeno grupo saudável, evangelismo


acontecerá naturalmente.
4. Um grupo mais completo
Grupos que têm o foco externo experimentam comunhão de forma mais profunda que grupos que
fazem da comunhão o seu primeiro propósito. Trabalhando em equipe, e alcançando os não crentes
através de evangelização, é o caminho mais rápido para se desenvolver intimidade e comunidade.

PERIGO : Grupos que têm como alvo somente comunhão e crescimento pessoal, logo
vão perder o foco externo. Fique atento para os sinais perigosos no seu grupo:
 Um GP enfermo torna-se interno no seu foco;
 Torna-se exclusivo, é um grupo fechado e não cumpre a grande comissão;
 Um grupo com foco interno torna-se estagnado e logo se desintegra.

5. A pescaria – trabalhando em equipe


Evangelismo no GP é uma experiência compartilhada. O GP
oferece um ambiente onde todos podem estar envolvidos. O GP
funciona como equipe, ajudando uns aos outros através dos dons
especais, oração e caminhando juntos. O grupo trabalha junto,
como um todo. (Ec. 4-9.12)

A clareza e dedicação na oração efetiva e diária, evitando os


problemas, como apresentado no ponto “A”, vai determinar o
sucesso do evangelismo.

Ao evangelizar “pescando de arrastão”, a submissão ao líder,


ouvindo e obedecendo a sua voz de comando, e trabalhando em
equipe, serão imprescindíveis para resgatarmos as vidas.

6. Reuniões sociais são necessárias – EVANGELISMO ESTRATÉGICO


Evangelismo é a chave importante do Grupo de Comunhão. Cada grupo, em parceria com o Espirito
Santo, procura ver como usar oração, eventos sociais, uma reunião informal, até um jogo de futebol ou
um aniversário, para que os visitantes não se sintam constrangidos, ou como o centro das atenções. A
maioria dos não crentes vai “ouvir” suas ações antes de ouvir suas palavras.
Suprir as necessidades de amor verdadeiro e companheirismo dos
não crentes é a melhor forma de atraí-los para Deus.
12
7. Crescimento pessoal junto com o crescimento celular
Evangelismo não é apenas boas novas aos perdidos, é também uma forma de impactar nossas próprias
vidas. As pessoas aprendem melhor quando participam, quando estão envolvidas ativamente. Assim,
nossa fé cresce, nosso conhecimento de Deus é expandido, e nos tornamos mais parecidos com Cristo.
O foco externo diminui a ansiedade de nossas necessidades pessoais, permitindo que possamos ver o
mundo por uma perspectiva melhor.
A experiência mais comum daqueles que praticam evangelismo é
que Deus faz mais em suas vidas, do que através deles.
8. Propósito de Vida
Qual o seu propósito na vida? O que motiva você? O fato de que você está envolvido num treinamento
de líderes de GP’s, mostra que você tem o coração nos perdidos. Ainda assim, é fácil desanimar e,
também permitirmos a nós mesmos, sermos enganados pelos valores do mundo. Um propósito de vida
nos ajuda a ter o foco no que é prioridade e como alcançá-la melhor. Analise e veja o propósito abaixo.
Este parece com o seu?
O meu relacionamento com Deus me leva a ter um propósito.
Meu propósito é ganhar almas.
Meu propósito é mais bem cumprido em grupo
(Através de trabalho em equipe e relacionamentos).
Nada mais me satisfaz de verdade
(Isto não é meu “hobby”, é minha vida).
Eu não tenho preocupações com o amanhã.

13
 Unidade 2 – Resumo

 ORAÇÃO & EVANGELISMO

A. ORAÇÃO

Qual a lição mais importante que aprendemos na passagem de Jo 15:4-5?


____________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________.

Se você viver esses princípios, mudará a maneira de agir hoje? Se sim, como?
____________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________.
Que passos práticos você pode dar para fortalecer sua vida de oração?
____________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________.

B. EVANGELISMO

É mais fácil convidar um amigo não crente para a Igreja ou para o GP? Por quê?
____________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________.

O que é mais importante, a lista de oração ou reuniões sociais?


____________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________.

Como o evangelismo beneficia o grupo e seus membros?


____________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________.
Qual o propósito de sua vida? O que está fazendo para alcançá-lo?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________.
14
Unidade 3
QUALIDADES DE UM LÍDER
Ao final desta unidade esperamos que você entenda:
 A definição de liderança de ‘Jesus’
 As qualidades chave de um líder
 A importância de caráter e atitude
 Que todos podem liderar um Grupo Pequeno (GP).

1. Definindo liderança

Quando Jesus estava debatendo sobre liderança, ele disse,

“...quem quiser tornar-se importante entre vocês devera ser servo; e quem quiser
ser o primeiro devera ser escravo de todos. “Pos nem mesmo o Filho do homem
veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”.
Marcos 10. 43–45

Jesus é o nosso principal exemplo. Paulo escreve,

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não
considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-
se a si mesmo, vindo a ser servo.” Fl 2:5-7

Ser um líder de GP significa cuidar de pessoas dentro de uma estrutura de prestação de contas. O
ensinamento é feito nos cultos no final de semana e o GP é o lugar para cuidado, estudo e aplicação da
Palavra. Deus lidera o grupo através de todos os membros presentes.

A liderança em Grupo Pequeno (GP) na igreja é através de


líderes servos e não de líderes autoritários.

2. O Servo

A maior qualidade em um líder é se ele/ela tem um coração de servo. Nesta unidade poderíamos
estudar todas as qualidades, desenvolver habilidades, ler muitos artigos em liderança, mesmo liderança
cristã, e ainda não seremos grandes líderes até que estejamos dispostos a nos tornar servos daqueles
que estamos liderando.

15
A satisfação de um líder de células não vem da exaltação de
si mesmo, mas da alegria ao servir.

3. Qualidades chave que formam o caráter de um líder


 Um coração genuíno para Deus e para as pessoas (Mt 22:37-39; 1 Co13:1-7)
 Um compromisso de seguir a Jesus sacrificialmente (Lc 9:23)
 Uma confiança firma na autoridade da palavra de Deus (Jo 8:31)
 Revestido de Poder e Autoridade do espirito Santo (At1:8)
 Pessoa de oração (1 Ts5:17-18)
 Tem a vida que reflete os frutos do ‘Espirito’ (Gl5:22-23)
 Tem atitude positiva e é totalmente dependente da Forca de Deus (Fl 4:13)
 Busca santidade (1 Ts 4:3-7)
 Diligente e disciplinado (1 Co 9:24-27)
 Tem o coração para testemunhar (Mt28:18-20)
 Coração de Servo (Mc 10:42-45)
 Disponível (2 Tm 4:2)
 Ensinável (Pv 9:8-10)
 Fiel (Lc 16:10)
 Fraco mas disposto (2 Co 12:9)

4. Caráter
Caráter é a qualidade mais importante de um líder, e especialmente para futuros pastores. 1
Timóteo 3:1-7 e uma boa passagem com qualificações de um líder/pastor. Note que há quinze
qualidades nesta lista apenas uma fala de coisas que ele/ela “faz”: estar apto para ensinar. Todos os
outros atributos falam do caráter do líder - pastor. Sendo assim o caráter do líder/pastor é mais
importante que suas habilidades.
Deus está mais preocupado em quem nos somos do que no que
fazemos.
Por que alguns líderes cristãos continuam a falhar em seus ministérios? É triste, porém eles não põem
limites entre comportamentos apropriados e inapropriados. Nos vamos considerar três alvos em nosso
caráter:
Alvo de Caráter Um: 1 - Pureza Sexual
Alguns líderes têm falhado na área de pureza sexual não por falta de conhecimento dos conselhos
bíblicos contra imoralidade sexual mas por falharem em colocarem fortes limites em suas vidas
que possam guardá-los de serem atraídos em situações que o pecado de sexual possa facilmente
ocorrer.
Considere estes quarto sábios limites:
1. Nunca visite a casa de alguém do sexo oposto se estiverem sozinhos.
2. Mantenha pureza total em todos os aconselhamentos (mesmo pensamentos).
3. Observe cuidadosamente a natureza dos livros, músicas, programas de TV, sites internet,
etc. Eles podem influenciar sua vida.
4. Piadas vulgares e humor sexual e palavras obscenas são inaceitáveis para um líder, ainda
que não tenha ninguém por perto. Paulo disse a Timóteo “seja exemplo aos cristãos em
palavras” (1 Tm4:12)
Alvo de caráter Dois: 2 Integridade Financeira

16
A maneira que administra seu dinheiro, geralmente mostra quão disciplinado você é.
Colocamos cinco maneiras de manter integridade financeira:
1. Procure pagar suas contas em dia.
2. Pule fora de dívidas!
3. Dizime. Deus diz, “é mais abençoado dar que receber.”

Alvo de caráter Três: 3 Integridade Espiritual


Integridade significa que somos fiéis a Deus. Buscamos praticar os princípios que Deus nos deu
para nossa vida diária e desafiamos outros a seguí-los também. Isto é: oramos de verdade, lemos
nossa Bíblia, compartilhamos nossa fé, amamos e perdoamos aos outros cotidianamente.

Ainda mais, somos honestos com nós mesmos, em áreas que somos fracos e precisamos melhorar.
Nossas vidas devem ser consistente com o nosso chamado que recebemos.
Uma vida transparente é uma liderança poderosa.
5. Atitude
a) Atitude Errada
Algumas pessoas falham, em se tornarem grandes líderes por causa de suas atitudes erradas.
Eles caem em uma dessas categorias – autoconfiantes ou inseguros:

a. Autoconfiança – produzindo orgulho e senso de superioridade. Essa fraqueza pode


fazer com que a pessoa atue muito forte se tornando dominadoras de outras.
b. Insegurança – produzindo respostas negativas, medo, dúvida e confusão.
b) Atitude correta
O líder equilibrado busca desenvolver uma imagem própria dependente de Cristo em sua vida, não
sozinho ou num esforço próprio mas confiante e seguro naquilo que Deus diz que você é.
Quando alguém considera a lista de qualidades que formam o caráter de líder em sua própria força
deveria vir sobre ele um senso de que é fraco e inadequado. Ainda bem que não fomos chamados para
fazer em nossa própria força.
Vejamos 2 Co3:4-6, Paulo declara
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
________.
Então, o que Deus esta a procura?
“Pois os olhos do Senhor estão atentos sobre toda a terra para fortalecer aqueles que lhe
dedicam totalmente o coração.” 2 Cr 16:9
Note que Deus não está buscando somente por pessoas instruídas, pastores ou gigantes espirituais. Ele
está buscando cuidadosamente por aqueles que sinceramente são leais a Ele.

Sua lealdade e disponibilidade de coração são as únicas partes da


visão que Ele não vai providenciar.

6. Todos podem liderar um grupo!

17
Pesquisas em uma das maiores igreja do mundo- Joel Comiskey descobriu que não existe conexão
entre os dons do líder e o seu sucesso na multiplicação do GP. Essa descoberta nos diz que todo líder
leigo pode liderar um GP com sucesso!

Seus dons, sua idade, seu estado civil ou sua ocupação são fatores que pouco influenciam na
efetividade de um líder de GP. Caráter é mais importante que carisma (dom em grego, usado também
para os dons do Espírito Santo).

O que você faz como líder (suas ações) falam mais que seus dons.

7. Todos tem potência – então qual é sua desculpa?

Existem muitas razões pelas quais Deus não deveria tê-lo chamado. Mas não se preocupe você não
está sozinho…
 Moisés era gago.
 A armadura de Davi não coube nele, ele era muito pequeno.
 João Marcos foi rejeitado por Paulo.
 A esposa de Oséias era prostituta.
 O único treinamento de Amos foi a escola de poda de Figo.
 Jacó foi um mentiroso.
 Davi caiu em adultério.
 Salomão era muito rico.
 Abraão era muito velho.
 Davi era muito jovem.
 Pedro estava com medo de morrer.
 Lázaro estava morto.
 Noemi era viúva.
 Moisés foi um assassino.
 Davi foi um assassino.
 Jonas correu de Deus.
 Gideão e Tomé foram incrédulos.
 Jeremias foi depressivo.
 Elias estava estressado.
 João Batista era falador.
 Marta era preocupada.
 Sansão tinha muitas mulheres.
 Noé ficou bêbado.

Com certeza, existem muitas razões pelas quais Deus não deveria ter te escolhido. Mas se você
ama o Senhor profundamente se você anseia pelo Senhor como o ar que respira, ele ira usá-lo
apesar de quem você é, ou o que você passou.

18
Unidade 3 – Resumo

QUALIDADES DO LÍDER

Jesus nos chama a sermos servos e escravos. O que isso significa, como você lidera hoje?
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
_____.

Pense alguma maneira prática que um líder pode servir seu grupo.
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
_____.

Qual das qualidades chave é mais desafiadora para você?


__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
_____.

Qual é a mais importante qualidade para selecionar um líder e Por quê?


__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
_____.

Você é mais autoconfiante ou inseguro?


__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
_____.

Que desculpa você usa para não liderar um grupo?


__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
_____.

19
Unidade 4
HABILIDADES PARA LIDERAR
Ao final desta unidade esperamos que você entenda:
 A importância do trabalho em equipe
 A necessidade de desenvolver lideres
 Como manter a direção de um grupo
 O valor de prestação de contas & avaliação

1. Cultivando trabalho em equipe


a) Envolver e da habilitar a todos
Na agenda de Deus o evangelismo urgente requer envolvimento de todo seu povo. Um bom líder é
alguém que com sabedoria delega responsabilidades capacita a outros a terem a alegria de servir a
família de Deus. Os membros de seu grupo vão ganhar confiança e amadurecer espiritualmente quando
você o encorajar e liderar oração, louvor e adoração, devocional. Trazer algo para comer, arrumar a
sala, etc.
b) Correr risco
Existe uma necessidade de correr risco que às vezes vai resultar em cometer erros. De outra forma não
seria correr risco! Criar um ambiente que permite que pessoas tentem e falhem. A habilidade está em
ajudá-los a irem mais longe e sempre que falharem, levantar e tentar outra vez, aprendendo com os
erros.
c) Como o grupo atrair visitantes
Existe uma relação direta entre quão freqüente grupos convidam pessoas novas e a multiplicação de
grupos. O líder precisa constantemente lembrar seu grupo de convidar seus amigos. Encoraje seus
membros a amar, orar por e convidar seus amigos, colegas de trabalho, escola familiares e vizinhos.
A diferença entre igrejas que crescem e igrejas que ficam estagnadas é o “convite”.
d) Acompanhamento rápido
Quando alguém visitou seu grupo planeje imediatamente um acompanhamento, envie um cartão a
pessoa, ou telefone. Porém não é para o líder fazê-lo, esse é um trabalho para os membros de sua
célula… envolva todos!

e) Suprindo as necessidades juntos.


Amor e hospitalidade são ferramentas evangelísticas muito efetivas. Quando não crentes vêem amor
sendo colocado em pratica normalmente são atraídos.

f) O perigo da dependência
Lideres devem tomar cuidado para não desenvolverem um relacionamento de dependência com
membros de seu grupo. Se o líder exerce controle sobre as pessoas, elas nao irão crescer.
Assim como bons pais treinam seus filhos a serem independente, bons lideres de Grupos de Comunhão
servem a eles melhor se os ajudarem a descobrir sua própria identidade unicamente em Cristo. A
dependência deve ser em Cristo.

20
2. Desenvolvendo líderes

Um dos problemas que a maioria das igrejas no mundo tem enfrentado e a falta de líderes. Existem
líderes em potencial; eles ainda não foram identificados, treinados, autorizados e liberados.

a) Crentes Maduros
A tarefa principal de um líder é, “preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de
Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé é do conhecimento do Filho de Deus, e
cheguemos a maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.” (Ef 4:12-13) Ajudar cada crente
amadurecer em sua fé e compromisso com o Cristo, recursos devem estar disponíveis na igreja para
que seja utilizado.

b) Selecione as pessoas certas


Em uma igreja que cresce e impossível para o Pastor conhecer cada um intimamente, e pessoas podem
participar regularmente por anos e ainda assim o caráter, habilidades espirituais e maturidade
permanecem desconhecidas.

A melhor maneira de avaliar se a pessoa se encaixa na liderança é observando no seu envolvimento em


um grupo. Este e o lugar aonde a pessoa vai realmente se revelar. Ao mesmo tempo que não podemos
apontar um líder rapidamente (1 Tm 5:22), quando os vemos demonstrando caráter e as qualidades
certas não devemos impedi-los. Lembre-se que liderança é um processo de aprendizado. Incentive
aqueles que têm potencial e coração puro, e confie que Deus ira desenvolver o líder com o tempo.
Somado as qualidades esperadas de um líder, caráter e atitude, (ver unidade 3), podemos colocar, ser
membro da igreja, freqüentar regularmente, e ser submisso a autoridades.

c) O poder da multiplicação

Uma coisa impressionante na forma que Paulo atuava na expansão do Evangelho era a ênfase que dava
ao discipulado de líderes nas igrejas recém formadas e eles então discipulavam outros.
O nome que se da a esse processo é multiplicação:
“E as palavras que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confirme-as a
homens fieis __________________________________________________.” 2 Tm
2:2

A baixo, a comparação feita entre as duas formas de expandir o reino de Deus - Através de Soma e
através de Multiplicação.
 Soma - contra - Multiplicação

ANO 50 convertidos em um ano, mas Discípulos se reproduzindo cada ano


não discipuladas.
1 50 50
2 50+50=100 50x2=100
3 100+50=150 100x2=200
4 150+50=200 200x2=400
5 200+50=250 400x2=800
6 250+50=300 800x2=1.600
7 300+50=350 1.600x2=3.200
8 350+50=400 3.200x2=6.400
9 400+50=450 6.400x2=12.800
10 450+50=500 1.000% 12.800x2=25.600 51.200%

21
O que vemos acima é apenas uma teoria, mas um compromisso total com o Senhor e obediência (Mt
28:16-20) pode fazer essa teoria se tornar realidade.

3. Mantenha direção
a) Este grupo pertence a Deus!
Existem muitas coisas que podemos aprender para ajudar os grupos, nunca se esqueça este grupo
pertence a Deus. Ele é o líder e instrutor. Não nós. Não existe substituto para o tempo que gasta com
Deus em oração e estudo, a permitindo que o Espirito Santo dirija você e seu grupo. Tenha espaço em
sua cabeça e seu coração para mudanças.

a) Coordenando o grupo
Os membros de seu grupo vão se espelhar em você para conselhos palavras de animo e liderança.Você
ganha a confiança e respeito dos membros quando você:
 Ora com eles e por eles
 Aprofunda seus conhecimentos com boas leituras
 Se interessa pelos faltosos (delega aos parceiros de oração)
 Esta sempre disposto a oferecer ajuda quando necessita

c) Estabelecendo o ritmo
Um bom líder “estabelece o ritmo”. Eles devem estar conscientes da necessidade de que existe tempo
adequado para todos os principais componente de uma reunião, e ainda o tempo necessário para
interação do grupo. Eles devem estar sensíveis a necessidades espirituais dos indivíduos e flexíveis
quanto à administração do tempo.

Reuniões do grupo devem iniciar e terminar no horário combinado. O tempo para a maioria dos grupos
deve ser cerca de 1 ½ a 2 horas, apesar que isso pode variar dependendo do tamanho do grupo. Se você
mantém o horário combinado você:
 Mostra que podem confiar em sua liderança
 Permite as pessoas planejarem seu tempo (babá para crianças, outros compromissos,
acordar cedo para trabalho no dia seguinte, etc.).
 Permite pessoas saírem no horário sem que se sintam mal
 Assegura que os membros não vão usar a desculpa de que o grupo termina tarde, para não
comparecerem

d) Mantenha o foco externo


Se um grupo que se reúne sem alvo semana após semana, pode até estar bem, porém não chegará a
lugar nenhum. Para ajudar a manter o foco externo, o líder deve…
 Enfatizar o propósito dos Grupos de Comunhão regularmente
 Criar e renovar maneiras de evangelismo
 Andar lado a lado com líderes em potencial
 Estar aberto a novas maneiras de desafiar e estimular o grupo
 Orar e ajudar aqueles que resistem à idéia de multiplicação

e) Enfrentando desafios/diferenças em caráter


Como líder sua preocupação deve ser amadurecê-los no ministério e em amor (Fl. 2: 1-8). O sucesso
ou falha do grupo vai depender de como você lida com as pessoas que tendem a trazer desarmonia ao
grupo. Eles precisam de amor e cuidado enquanto com entusiasmo você poderá redirecionar a situação.
(Cl. 3.16).

Confie no Senhor para escolher a dedo as pessoas de diferente caráter para fazer parte de seu grupo.

22
É importante aceitar que essas pessoas são escolhidas por Deus para receberem ministrarão através de
sua vida e estão lá para ministrar a sua vida. Este e um agir de Deus nas duas direções.

Note os tipos de pessoas que foram escolhidas por Deus para fazer parte da equipe de Davi: “Também
se juntaram a ele todos os que estavam em dificuldades, os endividados e os descontentes; e ele se
tornou o líder deles” 1 Samuel 22:2.

Colidiremos alguns desses casos interessantes


 O dominante
A maioria dos grupos vai ter alguém que domina a conversa. Ele/Ela pode ter mais conhecimento ou
ser mais comunicativo que outras pessoas e frequentemente contribuem com boas ideias. Porém outros
poderão ficar desencorajado em dar sua contribuição se nao puderam falar. Então limite o tempo de
fala e encoraje outros a compartilhar também.

 O ‘sai fora da trilha’ (sempre muda o tópico abordado)


Essas pessoas algumas vezes podem ser bem interessantes. No entanto eles podem mover lentamente o
assunto abordado perdendo tempo. Com esse tipo precisamos educadamente redirecionar o assunto.

 Aqueles que nunca falam


Procure entender essa pessoa. Essa pessoa está recebendo alguma coisa do grupo? Talvez não esteja
entendendo o estudo, talvez seja apenas tímida. Devemos fazer essa pessoa se sentir valorizada.
Lembre-se, não ponha pressão, ela tem o direito de não falar se desejar. Também pode ocorrer que
tenha no grupo uma pessoa que não lê corretamente e se sente constrangida em admitir isso. Você
precisa prestar atenção a casos como esse. Tente achar alguém que possa ajudar essa pessoa (fora do
horário do grupo)

 Tipos Negativos
Pessoas como essa pode ser difícil, sendo contra tudo, e trazem desarmonia ao grupo. Normalmente
causam problemas, isso pode ser um sinal de que precisam de ajuda. Um grupo que entenda isso
poderá ajudá-los. Certamente precisam de amor e aceitação. Deixe claro quando algum comentário que
fizerem não esta sendo de muita ajuda, Não permita que a conversa se transforme em uma decepção ou
uma critica de outros.

 Antigos Opositores
Você pode ter em seu grupo duas pessoas que sempre discordaram. Essas duas pessoas podem ser um
desafio. Não permita que discórdia possa dominar a discussão, sendo distração para o grupo.
Lembrem-se quando pessoas agem assim, provavelmente estão tendo um problema ou tiveram no
passado, um com o outro. A maneira de eles reagirem pode ser a razão de precisarem de um grupo.

f) Assimilando o máximo dos estudos

O alvo em facilitar a discussão no grupo, não é que um só ensine, mas que todos compartilhem e a
conversa possa fluir. Deus é o que ensina o grupo e usa a todos no grupo para trazer o que Ele deseja
para o grupo. Muitas pessoas aprendem falando, então encoraje ao grupo a desenvolver um ambiente
em que todos podem descobrir juntos. E inda aprenderem a lidar com todos os tipos de pessoas que
fizerem parte do grupo. Algumas dicas para o seu grupo:

 Prepare a assunto que vai falar. Leia outros textos que falem do assunto. Peça a Deus que
direcione e de sabedoria em fazer as perguntar corretas.

23
 Esteja entusiasmado e com expectativas. Observe as respostas, faladas ou através de
linguagem corporal. Use palavras de afirmação com as pessoas, olhe nos olhos, de um
sorriso. Sente de forma que demonstre que está interessado.
 Encoraje seu grupo apreciando cada resposta (nos lembramos melhor daquilo que nos foi
ensinado e pudemos participar)
 Seja um bom ouvinte, providencie apoio não fique emendando os erros.
 Não fique satisfeito com a primeira resposta. Convide os outros a falarem. Envolva a todos.
 Não tenha medo de um período de silêncio. Pergunte novamente, mas resista à tentação de
você responder. Se uma resposta e sim ou não, talvez a pergunta não foi bem formulada.
 Seja humilde e Ensinável: lembre-se que você também esta aprendendo com o grupo.
 Seja honesto se você não sabe a resposta. Veja se alguém mais no grupo pode ajudá-lo. Seja
pro - ativo e pesquise a resposta para a próxima semana.
 Direcione a discussão. Evite dialogo que não dão em nada, ou redirecione a conversa para o
assunto, ou mude a conversa quando esta abordando parte irrelevante para o grupo.
 Seja flexível: prepare-se para omitir perguntas que não se encaixam enquanto a conversa
flui, ou se o tempo esta acabando. Todo tempo esteja sensível ao Espirito Santo
 Comece e termine no tempo determinado. Esteja preparado para encerrar a discussão
fazendo um resumo se necessário.

g) Desenvolvendo boa habilidade de comunicação

Um líder de sucesso usa inúmeras maneiras de comunicar. Boa comunicação requer que o receptor não
apenas entenda a mensagem, mas também se lembre dela.

Lembre-se:
 Ver e ouvir é mais eficaz que apenas ouvir
 Fazer é mais eficaz que ouvir e ver
 Seja criativo e visual
 Faca com que o grupo atue as situações. Tente fazer que uma atmosfera real aconteça no
grupo
 Fale o mais claro que puder e em alto e bom som
 Use uma linguagem simples e descritiva. Não use jargões religiosos, especialmente com
não crentes e novos convertidos.

4. Prestação de contas e Avaliação

a) Prestação de contas

Todos somos obrigados a responder por nossos atos a alguém. Cristãos respondem a Deus pelo uso dos
dons que Ele nos revestiu para o seu serviço.

“Assim cada um de nos prestara contas de si mesmo a Deus.”


Romanos 14:12

“Obedeçam aos seus lideres e submetam-se a autoridade deles. Eles cuidam de vocês como quem deve
prestar contas…” Hebreus13:17.

“…nos os que ensinamos seremos julgados com mais rigor.”


Tiago 3:1

24
Para que seja aplicado em cada igreja, e necessário que haja uma delegação de tarefas com
responsabilidade. Mas delegar tarefas exige prestação de contas.
Podemos ser efetivos nesta área nos assegurando que cada líder de GP preste contas ao Pastor.

Esta estrutura nos assegura que:


 Os grupos mantenham sempre o proposito e visão

 As necessidades dos membros estão sendo supridas

 O progresso é continuo e monitorado

 É mantido um alto padrão de cuidado, instrução e liderança.

 Unidade 4 - Resumo

 HABILIDADES PARA LIDERAR

Quais são alguns dos benefícios de se trabalhar em equipe?


_____________________________________________________________________

Como você responderia se alguém em seu grupo demonstra-se ter mais maturidade que você?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

O que o gráfico da multiplicação nos mostra sobre o crescimento do Reino de Deus?


____________________________________________________________________

O que um líder necessita considerar e fazer para não perder a direção?


_____________________________________________________________________

Como um líder pode aproveitar o Máximo de um debate?


_____________________________________________________________________
Quais são as vantagens da avaliação e do relatório?
_________________________________________________________________

25
Anexo 1
Líder ___________________________
Avaliação (Quinzenal)
Numa escala de 1 – 10, por favor considere as seguintes respostas:

Nao Sim

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

1. A sua preparação foi adequada? (Inclui sua preparação


espiritual)
2. A reunião começou e terminou na hora certa?
3. De uma forma geral o ambiente convidativo, informal e
amigável?
4. Todos tiveram oportunidade igual de participação?

5. As suas perguntas faram objetivas e claras?


6. A distribuição do tempo foi adequada?
7. Você poderia ter feito mais para estimular as pessoas a
pensarem?
8. Faram os membros edificados e desafiados a crescerem em sua
vida espiritual?

9. Qual foi o ponto mais forte do seu grupo?


___________________________________________________________________________________
________________________________________________________

10. Qual foi o ponto mais fraco do seu grupo?


___________________________________________________________________________________
_________________________________________________________

11. Se você pudesse melhorar alguma coisa no seu grupo para a próxima semana, o que você
melhoraria?
___________________________________________________________________________________
_________________________________________________________

Comentários? ___________________________________________________________
______________________________________________________________________

Assinatura: Data:

26
Anexo 2

Avaliação dos Membros

Sim Nao
1. A reunião começou e terminou na hora certa?
2. De uma forma geral o ambiente convidativo, informal e amigável?

3. Todos tiveram oportunidade igual de participação?

4. A manutenção do local foi razoavelmente boa e organizada?


5. Você se sentiu valorizado por seu grupo?
6. Vocês fazem coisas engraçadas juntos?
7. Você gosta de fazer parte deste grupo?
8. No tempo em que vocês gastam juntos, existe suficiente variedade de atividades?
9. Os membros do grupo faram desafiados e edificados em sua caminhada espiritual?
10. Você esta satisfeito com tudo que tem sido oferecido?
11. Você se sentiria a vontade para convidar um amigo descrente para visitar o este grupo?

12. Quais foram os pontos mais fortes do seu grupo?

_____________________________________________________________________

13. Quais foram os pontos mais fracos do seu grupo?

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

Nome assinatura

27
Evangelismo
“… vão e façam discípulos …” Mateus 28.19a

Iniciativas para o presente:

Iniciativas para o futuro:

Resultados:

Unidade 5
COMO COMEÇAR UM GRUPO COM
SUCESSO

28
Ao final desta unidade esperamos que você estenda:
 Como se preparar para um Grupo Pequeno (GP)
 As fases de um Grupo Pequeno (GP)
 A importância de estabelecer um alvo
 A alegria da multiplicação

Agora é tempo de considerar como começar um grupo. Isso pode ser um pouco intimidador no
começo, mas lembre-se: “Tudo posso naquele que me fortalece.” Fl. 4.13.

1. Preparação
Deve haver muito cuidado na preparação para se iniciar um grupo novo. Nunca vai ser demais
enfatizar que oração é a base é o poder de um Grupo Pequeno (GP) saudável, maduro, cheio do
Espirito e que vai se multiplicar. Separe um tempo em oração, para considerar como isso pode te
ajudar.

 Membros: Esta Deus lhe direcionando para ministrar para um grupo especifico de pessoas?
Ex. Mulheres/homens (solteiros/casados), um grupo misto, ou para pessoas de uma faixa etária
em particular ou outros grupos étnicos?
 Local: É necessário um lugar onde o GP possa ser formado e também que ofereça o espaço
necessário para o crescimento da mesma.
 Manutenção do local – regras e recursos.
 Data de início: Estabeleça uma data para o início do grupo, dia e hora durante a semana para
as reuniões semanais.
a) Membros – escolhendo as pessoas
Cada Líder deve considerar em oração quem eles deveriam convidar para fazer parte de seu grupo.
Resista à tentação de querer rapidamente convidar pessoas aleatoriamente.

Pesquisas têm mostrado que pessoas com as mesmas experiências, gostos e interesses formam
grupos efetivos. Mais do que nunca as pessoas têm descoberto que o seu círculo de amigos não
crentes cresce, quando o evangelismo é feito de maneira natural e tem como fundamento a oração e
desta forma seus amigos são saturados pelo amor do nosso Deus.

É sempre bom ter um convite à mão, que contém algumas informações básicas que venham a
despertar o interesse e a curiosidade das pessoas. Um convite pessoal e efetivo que atrai novos
membros para o seu grupo.

Esteja entusiasmado e tenha expectativa quanto ao que o seu grupo vai fazer e o que Deus vai fazer
na vida deles. Entusiasmo é contagioso.

c) Local – escolhendo o local

A escolha do local é muito importante por que isso afeta diretamente o que será feito. Reuniões nos
lares/casas ajuda a construir relacionamentos e a aumentar a confiança entre as pessoas.

Prestar atenção nos detalhes ajudara o líder a construir um ambiente que seja confortável para o
grupo. O líder precisa supervisionar se todas as coisas estão em seus devidos lugares antes do
começo da reunião, assim com verificar se ele tem todo o material necessário:

29
 Local – limpo e arrumado;
 Uma boa iluminação;
 Ventilado no verão;
 Cadeiras que possam ser movidas e arrumadas em círculo (é melhor que 3 pessoas não se
sente num mesmo sofá). Crie um ambiente de intimidade e não deixe que o círculo seja tão
grande que acabe tendo mais que 3m de diâmetro;
 Tenha todas as coisas organizadas de antemão para o lanche tais como: talheres, copos,
guardanapos, pratinhos, comida e etc.

Obs.: Sempre que possível o ideal é que a reunião seja feita num local onde não tenha barulho ou
crianças, para que não haja nenhuma distração.

d) Manutenção do Local
Na primeira reunião de grupo é importante que se estabeleça algumas regras básicas, e convidar
pessoas do grupo a participarem dos trabalhos semanais.

As Regras Básicas devem incluir:


 Pedir que as pessoas sejam honestas umas com as outras. Relacionamentos profundos não
podem existir se não houver honestidade. Algumas pessoas talvez se sintam ameaçadas
quando se compartilha muitos detalhes, vindo mesmo até a se fecharem. Crie um ambiente
seguro e aconchegante onde possa haver transparência e confiança para se compartilhar.
 Sigilo é algo de vital importância para o grupo, não sendo aceita nenhuma crítica de fora.
Tome todo o cuidado para que o grupo não venha a se tornar um grupo de fofoca e
mexerico.
 Coisas que forem compartilhadas em grupo devem ser “confidencias” e jamais devem ser
comentadas fora.

Materiais Didáticos:

Um ‘kit’ do grupo, pode conter livros e música, Listas de atividades práticas de evangelismo, uma
lista de temas bíblicos para descorar, formas de interação (quebra-gelo), formulários
administrativos para prestação de contas e outros materiais que são de grande ajuda e estão a sua
disposição, podendo ser adquiridos com o seu instrutor.

Algumas responsabilidades que podem ser distribuídas no grupo:


Hospitalidade Boas-vindas Intercessor
Lanche Estudos bíblicos Cartões
Louvor Telefones/e-mails Notícias da Igreja
Coordenador social Cuidando dos ausentes Evangelismo
Formas de Interação (quebra-gelo) Aniversariantes

2. Fase de Crescimento

Crescimento instantâneo é algo que não existe. Crescimento necessita de tempo, e passa por estágios
definidos.
Aqui estão as fases normais de crescimento que o seu grupo estará experimentando:
1. Conhecer: conhecendo um ao outro (aproximadamente um mês);

30
2. Amar: Tirar as máscaras, vendo as pessoas como realmente elas são
(aproximadamente um mês);
3. Conectar: Cada membro encontra seu lugar para ministrar (aproximadamente um mês);
4. Avançar: membros se concentram em evangelismo (a partir do 4o. mês)
5. Amadurecer: multiplicando para um ou mais grupos (a partir de 6 mês até um ano).

3. Estabelecendo Alvos
Igrejas que crescem, são igrejas que tem alvos. Nosso alvo como Grupo Pequeno é fazer um
evangelismo que resulte em multiplicação. Desde o início lembre as pessoas constantemente o alvo do
grupo. Na vida um stress saudável aumenta a produtividade e causa crescimento. Alvos desafiam o
nosso “bom”, nos fazendo melhor!

A multiplicação não ocorre naturalmente. De fato, o oposto acontece. A tendência dos GP’s é ficarem
voltados para si mesmos. Relacionamentos íntimos foram desenvolvidos, momentos de alegria foram
compartilhados. Porque deveria o grupo pensar em multiplicar e formar um novo grupo? Lembre-se o
propósito do GP é evangelismo e crescimento. Eles nascem para multiplicar!

Apesar, desta tarefa não ser fácil os líderes precisam se posicionar em fé e constantemente comunicar
para o grupo que eles irão multiplicar. Eles acreditam na visão de evangelizar e trazer pessoas ao
conhecimento de Jesus e Deus os guiará para que isso aconteça. Enquanto alguns membros de células
abraçam a ideia da multiplicação é de realizar a Grande Comissão, outros veem a multiplicação como
algo negativo. O líder faz toda a diferença na maneira como o grupo vê multiplicação e crescimento.
Seja positivo e entusiasta com relação à multiplicação.

4. A dor e a alegria de multiplicar

“A mulher que está dando a luz sente dores, porque chegou a sua hora; mas, quando o bebê
nasce, ela esquece a angustia, por causa da alegria de ter vindo ao mundo. Assim acontece com
vocês: Agora é hora de tristeza para vocês, mas eu os verei outra vez, e vocês se alegrarão, e
ninguém lhes tirara essa alegria.”
João 16. 21,22

a) A dor

Razões comuns pelas quais um Grupo Pequeno não se multiplica:


 Membros se tornam muito à vontade uns com os outros. O grupo se fecha para pessoas novas.
O bem estar do grupo é priorizado acima do evangelismo;
 Os membros não conhecem a grande alegria que há em acompanhar o crescimento do Reino de
Deus.
 Medo de que o novo grupo não será tão bom quanto o último (eles não consideram as
promessas e poder do Espirito Santo);
 Os membros do grupo são centralizados neles mesmo e não estão dispostos a sacrificar pelo
crescimento.

b) A alegria

Se a dor não fosse digna da alegria da promessa, nenhum grupo jamais se multiplicaria. A chave
para o sucesso da multiplicação é lembrar o que isso significa. Multiplicação:
 É uma ideia de Deus (2 Timóteo 2.2)

31
 Desperta em nós a paixão pelas almas perdidas e a urgência de evangelizá-los (obedecendo a
Grande Comissão);
 Oferece oportunidade para mais pessoas exercerem liderança e dons.
 Alcançando novos territórios, ajudando pessoas a se libertarem;
 Muda o centro da atenção, nos tornamos menos egoísta. Olhamos para outras pessoas;
 Causa alegria através do crescimento;
 Demonstra obediência a Deus;
 E nos traz ALEGRIA, ALEGRIA, ALEGRIA, 

Unidade 5 – Resumo

 COMO COMECAR UM GRUPO COM SUCESSO

 Porque é importante para um líder de GP ter um instrutor e um vice-líder?

 Como você escolhe quem vai convidar para o seu grupo, e de que forma vai fazer isto?

 Quais são as coisas que precisam estar organizadas antes de começar um grupo?


 O crescimento do GP é algo fácil? Por quê?

 O que você faria se ninguém no seu grupo de 14 membros quisesse multiplicar?

Unidade 6
REVISÃO E PRÓXIMO PASSO
Ao final desta unidade esperamos que você entenda:
 Todos os pontos principais deste treinamento
32
 Prudência e o Grupo Pequeno (GP)
 Sua responsabilidade com membro do grupo que é a
expansão do Reino de Deus
É o plano de Grupo Pequeno claro para você?

O plano de Grupo Pequeno é ‘Construir grupos de _________________ que sejam cheios do


________________, através do qual pessoas possam ser encorajadas a ter um
___________________ mais íntimo com Deus e uns com os outros. Onde exista _______________
pelas almas, e seja proporcionada uma atmosfera para ___________________,
____________________________ e_____________________________.’

O crescimento ocorre quando temos focos:


 VERTICAL –____________________________________________________________
 Base bíblica
_____________________________________________________.
 EXTERNO ––____________________________________________________________
 Base bíblica
_____________________________________________________.
 INTERNO ––____________________________________________________________
 Base bíblica
_____________________________________________________.

1. Prudência
O sucesso de um Grupo Pequeno depende em:

 Estar perto de Deus, gastar tempo com Ele (devocional pessoal e orar pelas pessoas em seu
grupo),
 Priorizar o evangelismo,
 Equipar o grupo e encorajar os lideres a estabelecerem alvos que sejam claros.

Todas estas coisas requerem prudência. Não existem soluções rápidas ou… um caminho mais curto
para o sucesso! Ouvir, ter discernimento, sabedoria do alto, e principalmente o amor devem estar
presente quando formos resolver um conflito e os líderes devem estar sempre informados de todas as
situações.

“Todo o trabalho árduo traz proveito, mas o só falar leva a pobreza.” Pv 14.23 (NIV)

Ec 11. 4-6 - Todos nós estamos cheios de boas intenções, mas somente algumas pessoas põem estas
intensões em prática.

Líderes efetivos transformam intenções em realidade.


2. Direcionado por Deus.
Concentre-se nisso, mas ao mesmo tempo tome iniciativa. Você provavelmente sabe a direção que quer
ir, porém não pense muito, será mais fácil se começar a pôr as coisas em andamento. OBEDECER.

33

 Quais são algumas das razões pelas quais muitas pessoas não estão envolvidas no ministério e
em evangelismo?
 Expectativas baixas (da liderança e suas)
 Não ter capacidade para o ministério
 Não estar autorizado para ministrar
 Ter medo
Os líderes precisam ter um equilíbrio. Você é responsável diante de Deus pelas pessoas que você
lidera. Você está aberto a correr riscos? Deus arrisca? Deus arriscou quando escolheu você.
As pessoas precisam ter atitudes responsáveis e prestar conta de suas ações. Todos nós aprendemos
com nossos erros, então comece a distribuir as tarefas e encorajar as pessoas a fazerem. Use todos os
erros para crescer e aprender mais. Sem medo.
A igreja cresce de uma maneira melhor quando “Deus está em controle”. Deus é o nosso equilíbrio.
Salmo 127.1
Priorize as áreas chaves de um grupo. Não permita que elas se tornem opcionais. Tenha altas
expectativas e leve as pessoas a pensarem da mesma forma. O Grupo de Comunhão ajuda as pessoas
orar, evangelizar, desenvolver e descobrir novos líderes. Fazendo assim, colheremos muitos frutos!

3. Visão da obra
Medite nos 12 espias...
Você apenas vê gigantes, ou você vê o Deus que é maior que qualquer gigante, e tem o poder de
vencê-lo.
 O Senhor tem chamado você, para em parceria com ele edificar o seu reino. (Matheus 28:18-
20, Efésios 4:11-13)
 Você tem o Espirito Santo habitando em você! … Você tem acesso ao seu infinito poder … Ele
te habilita. (Atos 1:8)
 Isso é verdade, você pode todas as coisas naquele que te fortalece. (Filipenses 4:13)
 Deus não está perguntando a você, Você é capaz? Ele está perguntando, Você está disponível?
 Sim, você é fraco, todos os homens são, mas esta não é a pergunta. A pergunta e, ‘Você está
disposto’?

4. O mais importante
Apesar disto ter sido mencionado através de todo o treinamento,
continua sendo necessário repetir que o aspecto mais importante de
uma célula deve ser oração e total dependência do Espirito Santo!
 Lembre-se da promessa de que Ele habita em nós (Jo. 15.5).
 Dedique-se e seu grupo também para o Senhor (Rom. 12.1).

5. Próximo passo?
Este treinamento tem fornecido para você todas as coisas necessárias para se começar um grupo (não
para terminar), nessa vibrante e desafiadora parceria de ver e fazer o reino de Deus crescer você
poderá agora se preparar para viver esta experiência e fazer outros se motivarem para serem líderes de
Grupo Pequeno.
Sugestão final: Não demore para começar aquilo que Deus tem compartilhado com você. Gaste
tempo orando e pedindo ao Senhor que lhe mostre os próximos passos.

34
Anexo 1
OUTROS NOMES PARA OS FOCOS
VERTICAL / INTERNO / EXTERNO
Momento com Deus(v), momento de oração pelas outras
pessoas(e), momento de oração por nós mesmos(i).
Buscando a Deus(v), buscando por nossas
vidas(i), buscando pelo próximo(e).
3 Partes: intercessão(e), adoração (v) e crescimento espiritual do
grupo(i).
Olhando para Deus(v),olhando os perdidos(e), olhando
nossas vidas(i).
Relacionamento com Deus(v), relacionamento com o
outro(e), relacionamento entre nós(i).
Hora de adorar a Deus(v), hora de orar(e), hora de
crescer(i).
Fazer por prazer (v), fazer por obrigação(e) e fazer por
necessidade(i).
Use palavras diferentes em cada reunião, mas mantenha o foco
correto.

35
Anexo 2
Treinamento de Líderes de Grupo Pequeno (GP).
Nome:_____________________________________
________________________
Palavras de “Boas Vindas” – Quebra gelo – * Feito pelo líder ou
(Alegria e informalidade devem marcar esse pelo 2º ou alguém
2 a 5 min momento) bem extrovertido.

DEVOCIONAL (5 *Preferência para um


15 min VERTICAL min) membro. Pode ser um
texto ou poesia. Sempre o
ORAÇÃO (5 min) FOCO é Deus. Use
bastante música, cantada
LOUVOR (5 min) e de fundo.

Retomando o Sem se alongar o líder fecha pontos soltos* e distribui


2 a 5 min comando oportunidades
15 min – seja objetivo -
* PALAVRA um membro (adulto)
PASTORAL (15 min) medita sobre a pregação de
30 min domingo, dando
oportunidade para as
INTERNO pessoas. (Correr riscos/
*LISTA DE ORAÇÃO Espaço para erros)
INTERNA (15 min) 15 min - seja criativo
*falam pedidos
Para crescimento pessoal: e oração coletiva /individual ou
- espiritual *cada um ora tendo a lista como
- experiência c/ Deus referência(distribuída)
- liderar/ servir * PODE COLOCAR MÚSICA
-caráter PARA DELIMITAR O TEMPO.
Retomando o Atente para as expressões das pessoas, (libertação),
2 a 5 min comando incomodo e posicione o grupo no foco ou necessidade.
15 min – ouça os pedidos, seja
cordial para controlar o tempo,
30 min
EXTERNO LISTA DE ORAÇÃO mas separe tempo para ouvir
CADA UM
EXTERNA (15 min) Confeccione a lista e assegure-se
E que os membros orarão em casa.
ORAÇÃO (15 min) 15 min – ORE

TOTAL Executar os3 focos para ter


1 hora e 30 min CRESCIMENTO

*DISTRIBUIR
RESPONSABILIDADES (PEDIDOS E PESSOAS) PARTICIPAÇÃO
*ALVOS CLAROS SEMPRE BUSCAR EM DEUS A DIREÇÃO

Anexo 3
O FOCO EXTERNO
36
É O PONTO CHAVE DO
CRESCIMENTO E
EXIGE COMPROMISSO
DE TODOS
Qualidades frutos de relacionamento com Deus
 Um coração genuíno para Deus e para as pessoas (Mt 22:37-39; 1 Co13:1-7)
 Um compromisso de seguir a Jesus sacrificialmente (Lc 9:23)________
 Uma confiança firmada na autoridade da palavra de Deus (Jo 8:31)
 Revestido de Poder e Autoridade do Espirito Santo (At1:8)
 Pessoa de oração (1 Ts5:17-18)
 Tem a vida que reflete o fruto do ‘Espírito’ (Gl5:22-23)
 Tem atitude positiva e é totalmente dependente da Força de Deus (Fl 4:13)
 Busca santidade (1 Ts 4:3-7)
 Diligente e disciplinado (1 Co 9:24-27)
 Tem o coração para testemunhar (Mt28:18-20)
 Coração de Servo (Mc 10:42-45)
 Disponível (2 Tm 4:2)
 Ensinável (Pv 9:8-10)
 Fiel (Lc 16:10)
 Fraco mas disposto (2 Co 12:9)
 Lc 17:10

37

Interesses relacionados