Você está na página 1de 17

1

BLITZ POLICIAL: PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS1


Danilo Matos Costa2
Profª Drª Vera Lúcia Bezerra Santos3

RESUMO
A Operação Tipo Blitz Policial em uma das maneiras que a polícia militar agi para garantir a
segurança da sociedade, possuindo níveis diferentes de acordo com seus objetivos, podendo
ser uma operação educativa, preventiva ou repressiva. A montagem do dispositivo da
operação levara em conta o efetivo e os equipamentos necessários, sendo que deve ser
levado em consideração a segurança da equipe de policiais e dos transeuntes. Percebe-se
portando que para o planejamento de uma Blitz é necessário levar alguns itens em
consideração, o que afeta a uniformidade dessa atividade desenvolvida pela polícia,
lembrando que um mecanismo para controle de qualidade de um serviço é sua padronização.
Percebe-se portanto a necessidade da polícia militar ter uma doutrina própria para as
operações Blitz Policial, que vai contribui para policial agi dentro da legislação, com respeito
aos direitos humanos, ofertando um serviço de qualidade para sociedade.
Palavras-Chaves: Blitz Policial. Operação. Sociedade.
ABSTRACT

Operation Type Blitz Police in one of the ways that the military police acted to ensure the
security of society, having different levels according to their objectives, and can be a
educational, preventive or repressive operation. The assembly of the operation device will take
into account the personnel and the necessary equipment, taking into account the safety of the
police and passersby staff. It is noticed that for planning a Blitz it is necessary to take some
items into consideration, which affects the uniformity of this activity developed by the police,
remembering that a mechanism for quality control of a service is its standardization. It is
perceived therefore the necessity of the military police to have a proper doctrine for the Police
Blitz operations, that will contributes to police agi within the legislation, with respect to the
human rights, offering a service of quality for society.

Key Words: Police Blitz. Operation. Society.

1. INTRODUÇÃO
A sociedade esperar que o policial paute suas ações sempre dentro da
legalidade, da ética e de maneira competente. O Estado repassar para o policial militar
o poder legal para agir por meio de intervenções para prevenção e repressão para
segurança pública, ou seja, cabe ao policial o uso legitimo da força para preservação
da ordem social.

1
Artigo apresentado à disciplina Métodos e Técnicas de Pesquisa em Segurança Pública para obtenção de nota.
2
Bacharelando em Segurança Pública. Cadete do 2° ano do Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar do
Maranhão.

3
Professora da disciplina MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISAS EM SEGURANÇA PÚBLICA.
2

Dentro das inúmeras atividades operacionais desenvolvida pela polícia


militar, a Operação Tipo Blitz Policial é uma das mais frequentes. Contudo percebe-
se dentro da corporação uma falta de uniformidade desse tipo de operação,
dificultando desta maneira uma análise das possíveis falhas apresentadas e a
elaboração das melhorias.

Para elaboração planejamento na elaboração da Operação Blitz Policial é


necessário ter um referencial teórico que possibilite uma padronização, para evitar
que erros não se repitam. Outro ponto importante é que ao seguir uma doutrina o
policial sempre vai pautar suas ações em respeito aos direitos humanos e a legislação
vigente, ofertando desta uma maneira um serviço de qualidade para sociedade.

2. CONCEITOS

A operação blitz policial pode ser entendida como um controle do fluxo do


transito em uma via, realizado através da interrupção total ou parcial da via.

“Operação Policial do tipo Blitz é uma interrupção parcial e temporária, do


fluxo de pessoas ou veículos em vias urbanas, rurais e rodoviárias, por meio
de sinalização física, visual e sonora, para abordar veículos e seus
ocupantes, realizando checagens e vistorias em geral.” (Prática Policial
Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial, p.11,2010)

Toda atividade desenvolvida pela polícia necessita de um planejamento,


em se tratando das operações policiais devido seu caráter estratégico, torna-se
necessário realizar algo mais bem elaborado ou seja especifico a realidade a ser
enfrentada.

“Operação policial: é a conjugação de ações, executada por fração de tropa


constituída, que exige planejamento específico. Pode ter caráter estratégico,
tático ou operacional, combinadas com outras forças policiais ou militares,
para o cumprimento de missões específicas com a participação eventual de
outros órgãos de apoio da Corporação e de órgãos integrantes do sistema de
Defesa Social.” (MINAS GERAIS. Diretriz para produção de serviços em
segurança pública nº 1 – Emprego da Policia Militar de Minas Gerais na
segurança pública).

A polícia militar realiza o chamado policiamento ostensivo, pois utilizar


farda, viaturas caracterizadas entre outros dispositivos que a torna visível, permitindo
a prevenção das ações criminosas.

“O policiamento ostensivo se desenvolve para a preservação da ordem


pública, tomada no seu sentido mais amplo. A natural, e às vezes imposta,
tendência à especialização, não constitui óbice à preparação do PM ser
capaz de dar tratamento adequado aos diversos tipos de ocorrências. Aos
PM especialmente preparados para determinado tipo de policiamento, caberá
a adoção de medidas, ainda que as preliminares, em qualquer ocorrência
3

policial-militar. O cometimento de tarefas policiais militares específicas não


desobriga o PM do atendimento de outras ocorrências, que presencie ou para
as quais seja chamado ou determinado.” (MINAS GERAIS. Diretriz para
produção de serviços em segurança pública nº 1 – Emprego da Policia Militar
de Minas Gerais na segurança pública).

As operações blitz policial são divididas em níveis de acordo com sua


finalidade, no nível 1 é a educativa que tem o cunho de orientar, informar e
conscientizar as pessoas, a de nível 2 é a de caráter preventivo, onde se verificou na
localidade da montagem da operação o cometimento de vários delitos, sendo
necessário uma abordagem policial para inibir essas práticas criminosas. Já o nível 3
é o repressivo tem o objetivo de restabelecer a ordem após a pratica de ações
criminosas.

2.1 Categorias de blitz policial


As categorias desse tipo operação são no total três, de acordo
com à estrutura de pessoal e material necessária para sua execução. No
planejamento levar-se em conta o objetivo da operação para escolha da
categoria correta.
Fig. 01: Previsão de efetivo, viaturas e armamentos/equipamento na Blitz Policial

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial


2.2 Procedimentos adotados na Blitz Categoria 1 e 2
Deve manter durante a operação no estado de atenção, agindo de
maneira preventiva e estando pronto para qualquer reação de pessoas
abordadas ou de outras no veículo. Durante a abordagem deve aumentar a
atenção priorizando a segurança da equipe das pessoas em voltas. Caso
perceba que o veículo abordado apresente o número de ocupantes adulto
maior que o efetivo de policiais da Blitz e que isso ameace a segurança da
equipe, é recomendável realizar a liberação do veículo e solicita via central
de rádio policial a abordagem por outra guarnição com apoio.
4

Nos casos em que o veículo entre em fuga, a operação será


mantida no local e um dos policiais via rede de rádio policial informara o
ocorrido com as características do veículo e outras informações necessárias.

2.3 Procedimentos adotados na blitz categoria 3


Nesse tipo de categoria a possibilidade de reação dos abordados
é maior, devendo desta forma os policiais estarem pronto para uso de força
de forma mais elevada, garantindo uma resposta adequada a reação do
abordado, permitindo a segurança da equipe e a de terceiros.

3. PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO
Antes da realização da operação Blitz Policial deve ser realizado um
planejamento, onde estejam presente todos os aspectos que, direta ou
indiretamente, venham contribuir ou prejudicar o sucesso da operação. Um dos
aspectos importantes que devem ser levados em consideração é o local e o
horário da operação, que não deve ser feita de maneira aleatória. Deve ser
realizado uma análise criminal e das condições do local em outras variáveis
antes da definição da operação.
Toda ou qualquer alteração do planejamento da operação deve ser
comunicada imediatamente a central pelo comandante, que depois deve
elaborar um relatório expondo o motivo da alteração. Em relação ao tempo da
operação a doutrina diz o seguinte:

“O PM Comandante evitará a longa permanência em um mesmo local. O


tempo previsto para a execução da Blitz policial poderá ser de 30 (trinta) a 60
(sessenta) minutos, período considerado suficiente para alcançar o objetivo
sem comprometer a qualidade das operações policiais. Esse tempo poderá
ser definido de forma diversa mediante determinação do setor de
planejamento do Comando da Região ou da Unidade respectiva.” (Prática
Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial, p.11,2010)

O comandante deve manter a central de rádio informada sobre as


ocorrências durante a operação.

3.1 Pessoal e logística

O efetivo e as viaturas empregadas levara em consideração a categoria


da operação empregada e sua finalidade. Além disso será necessário a utilização dos
seguintes armamentos e equipamentos: armas de porte para todos os policiais; arma
5

portátil com bandoleira para o PM Segurança, quando disponível; rádios portáteis –


HT, quando disponível; coletes balísticos para os policiais; coletes refletivos ou japona
dupla-face com faixas refletivas; instrumentos de menor potencial ofensivo (armas,
munições e equipamentos), quando disponíveis.

Também é necessário os seguintes acessórios: cones de sinalização


(mínimo de oito cones); cavalete de sinalização, quando disponível; apitos de trânsito;
pranchetas, caneta e papel para anotações; planilha para registro da relação de
veículos e das pessoas abordadas; bloco de Auto de Infração de Trânsito (AIT),
quando disponível; lanternas (mesmo durante o dia) para vistoria no veículo, se for o
caso; fita zebrada; luz sinalizadora; kit de biossegurança.

3.2 Distribuição das funções

Para manter a unidade de comando será necessário determinar a


função e as atribuições de cada policial durante a operação, sendo
basicamente quatro funções o comandante, o selecionador, o vistoriador e o
segurança.

“PM Comandante: é o militar de maior posto ou graduação ou o mais antigo,


responsável direto pela coordenação e controle da operação. Faz cumprir o
planejamento, orienta a equipe para que sejam atingidos os resultados
propostos e corrige as falhas que porventura possam ter ocorrido. É o
responsável pelas comunicações via rede-rádio e pela definição das funções
de cada um dos policiais, dentre elas, quem será o responsável pelo Box de
Registro.” (Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial,
p.20,2010)
“PM Selecionador: é o policial responsável por “escolher” os veículos que
serão vistoriados e fiscalizados, de acordo com os objetivos da operação.
Estará com a atenção voltada para o trânsito e para o comportamento dos
condutores e, sinalizará através de gestos e silvos de apito, previstos no
Código de Trânsito Brasileiro, para que transitem em velocidade de
segurança, para onde o veículo deverá seguir ou em qual local estacionar no
caso de vistoria.” (Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial,
p.20,2010)
“PM Vistoriador: é quem procede à abordagem e mantém contato visual e
verbal com o condutor do veículo e seus passageiros. Deve ser firme e
educado no momento da abordagem, transmitindo segurança e tranquilidade,
atuando em conformidade com os preceitos da verbalização policial e dos
princípios e critérios de emprego dos níveis do uso de força. É também o
policial encarregado de sinalizar para que os veículos vistoriados retornem à
corrente de tráfego.” (Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz
Policial, p.21,2010)
“PM Segurança: é o policial responsável pela integridade e segurança dos
componentes da equipe. Sua posição não é fixa no dispositivo, varia de
acordo com a quantidade de policiais envolvidos e o tipo de via em que a
operação é realizada. Mantém escuta ininterrupta da rede-rádio. Poderá
6

utilizar arma portátil, dotada de bandoleira, de acordo com a situação.”


(Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial, p.21,2010)

O sucesso da operação depende do papel desempenhado por


cada membro da equipe de policiais envolvida.

3.3 Montagem do dispositivo

Na montagem do dispositivo da barreira serão destinados dois


locais para atuação do policial, o primeiro chamado box de abordagem e o
segundo box de atuação. “O Box de Abordagem é o local demarcado na via
de trânsito, por meio de sinalização física, pelo posicionamento de viaturas,
pela utilização de cones ou cavaletes, para onde os policiais direcionarão os
veículos que serão abordados.” “(...)Box de Registro, local definido na via
para efetuar, dentre outros, as autuações de trânsito, o registro de
ocorrências, as retenções e as remoções de veículo, apreensões e prisões
de infratores, se for o caso. (...)” (Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário
3. Blitz Policial, p.22,2010)

A montagem do dispositivo será definida pela categoria de Blitz


que será aplicada, levando em conta a segurança da equipe e das pessoas
em volta.

3.4 Tipos de pistas

Todas as vias públicas, seja ela urbana ou rural estão sujeitas a


blitz policial. As pistas podem ser simples ou única possuem uma única faixa
de rolamento, permitindo o fluxo de único veículo em cada sentido. E a pista
de sentido duplo que permite o fluxo de dois veículos em cada sentido,
geralmente possui um canteiro central.
3.5 Padrões de procedimentos

Durante a operação blitz policial, os policiais deverão estar


preocupados com a segurança do fluxo de trânsito da via, dos transeuntes e
da própria equipe. Ao realizar a abordagem o policial deve informar os
motivos da operação, contribuindo desta maneira para o apoio da população.

3.5.1 Montagem do dispositivo com dois policiais e uma viatura


Fig. 02 – Dispositivo com dois policiais e uma viatura – pista simples mão dupla
7

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial

Fig. 03 – Dispositivo com dois policiais e uma viatura – pista dupla

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial


Nesse dispositivo, o policial selecionador vai atuar após a
escolha do veículo abordado como policial vistoriador e o comandante
vai se aproxima deste e atuar como o segurança. O selecionador
também vai ser responsável por orientar o retorno do veículo ao trânsito
.
3.5.2 Montagem do dispositivo com três policiais e uma viatura
Fig. 04 – Dispositivo com três policiais e uma viatura – pista simples
8

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial


Fig. 05 – Dispositivo com três policiais e uma viatura – Pista dupla

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial


O policial selecionador vai realizar a escolha do veículo
atuando em seguida como o segurança das situação externa, o
comandante além das atribuições já definidas anteriormente, vai atuar
nesta situação como segurança do policial vistoriador, este por sua vez
será responsável por colocar o veículo ao trânsito.

3.5.3 Montagem do dispositivo com cinco policiais e duas viaturas


Fig. 06 – Dispositivo com cinco policiais e duas viaturas – pista simples
9

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial


Fig. 07 – Dispositivo com cinco policiais e duas viaturas – pista dupla

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial

O selecionador define o primeiro veículo abordado, o vistoriador 1


vai fazer a abordagem desse veículo e o comandante vai atuar como
segurança deste, o selecionador vai definir o segundo o veículo a ser
abordado, então o vistoriador 2 faz a abordagem e sua segurança realizado
pelo policial segurança, o selecionador vai garantir a segurança externa, e
10

cada vistoriador será responsável por orientar o veículo para volta ao


trânsito.

3.6 Comunicações operacionais

Durante a operação deve ser mantida constante comunicação


com a central de rádio policial, para manter informado das ocorrências
externas que podem passar na barreira necessitando de atuação.

“O PM Segurança deverá manter escuta ininterrupta das comunicações


operacionais, de modo a captar informações importantes para a segurança
do pessoal empregado, tais como: notificação sobre veículos roubados ou
furtados, veículos que evadiram de outras intervenções policiais ou sobre
envolvidos em crimes. Essas informações serão repassadas, de imediato, a
todos os militares envolvidos na operação.” (Prática Policial Básica. Caderno
Doutrinário 3. Blitz Policial, p.30,2010)

Em situações de desobediência, resistência, tentativa ou


consumação de fuga, o comandante da operação deve informar a central de
rádio informações, para que sejam adotadas as medidas necessárias, como
ações de cerco e bloqueio.

3.7 Busca
A busca pessoal ou veicular deve ser baseada na fundada
suspeita:

“(...)no artigo 244 do Código de Processo Penal (CPP) determina a busca


pessoal diante da existência de fundada suspeita que a pessoa esteja na
posse de arma proibida ou de objetos ou papéis que constituam corpo de
delito, ou quando a medida for determinada no curso de busca domiciliar.”
(Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial, p.32,2010)

“A busca pessoal consistirá na procura material feita nas vestes,


pastas, malas e outros objetos que estejam com a pessoa revistada e,
quando necessário, no próprio corpo”. (Prática Policial Básica. Caderno
Doutrinário 3. Blitz Policial, p.32,2010)

O policial ter a discricionariedade para analisar e identificar as


atitudes suspeitas dentro do limite da legislação. Contudo, não se pode
desprezar a existência de elementos concretos e plausíveis para justificar
uma busca.

“A busca veicular consiste na verificação interna e externa do veículo


abordado, por meio de revistas nos compartimentos suscetíveis a serem
utilizados como esconder objetos ilícitos. A busca estende-se a veículos
11

automotores e a quaisquer outros objetos que estejam com a pessoa, salvo


se constituírem domicílio. Veículos não são domicílios, por isso devem ser
alvo de revistas toda vez que houver fundada suspeita.” (Prática Policial
Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial, p.33,2010)

A realizar a busca veicular o policial deve se preocupa com o


patrimônio do abordado, mantendo sua conservação e os retirados devem
sempre que possível recolocados no mesmo local.

Fig. 08 – Posicionamento a ser adotado no momento da vistoria veicular

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial

3.8 Procedimento para utilização do etilômetro

Este aparelho tem como objetivo ser um recurso para confirmação


se o condutor estar sob a influência de álcool ou de subsistência
entorpecente. O condutor será atuado se a concentração de álcool igual ou
superior a 0,3 mg por litro de ar expelido dos pulmões.

“No caso de recusa do condutor a ser submetido ao teste de alcoolemia, a


infração poderá ser caracterizada mediante a obtenção de outras provas
acerca dos notórios sinais de embriaguez. Tais sinais deverão ser descritos
na ocorrência ou em termo específico. O policial deverá registrar a recusa do
condutor em se submeter aos exames previstos no ordenamento jurídico e
descrever os sintomas que demonstram efeitos de álcool ou substância
entorpecente(...)” (Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz
Policial, p.36,2010)

O policial deve ficar atento ao descreve as condições que o


condutor se encontrava no momento da abordagem, para ter a certeza do
cometimento da infração.

3.9 Evasão
12

As evasões das blitz policial ocorrem das seguinte maneiras,


quando o condutor evitou a blitz, quando o condutor não respeitou a ordem
de parada e quando o motorista para e em seguida resolve fugir. As
diferentes maneiras de evasão exigi condutas procedimentos diferentes a
serem adotados pela equipe de policiais.
Na situação em que o condutor evitou a blitz deve ser informada
a central as características para central de rádio.

“Ao visualizar a operação, o condutor pode evitar o bloqueio, evadir em


marcha a ré, atravessar o canteiro central ou, simplesmente, fazer conversão
na via anterior ao dispositivo policial e tomar sentido contrário ao da Blitz.
Nesse caso, transmita as características que foram observadas do veículo,
via rede-rádio, para possível abordagem por outras viaturas. Evite
mensagens com conteúdo alarmista na rede. Procure mobilizar somente os
policiais necessários para realizar a abordagem posterior. Alerte-os para
procedimentos de segurança, mas considere que pode ser apenas um
condutor inabilitado.” (Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz
Policial, p.37,2010)

No caso de desobediência da ordem de parada, deve ser


comunicada imediatamente a central, pois existe grande possibilidade que o
condutor tenha cometido algo de ilícito.

“Esteja bem atento com esta situação. Se o condutor não respeitou a ordem
de parada e empreendeu fuga, a possibilidade de estar em conflito com a lei
é grande. Por isso, a equipe deve transmitir rapidamente as características
do veículo (local, direção de fuga, marca, modelo, cor, placa e características
dos ocupantes) para o CICOp ou correspondente, no intuito de que sejam
realizada as ações de cerco, bloqueio e interceptação, nas principais rotas de
fuga e vias de acesso do local.(...)” (Prática Policial Básica. Caderno
Doutrinário 3. Blitz Policial, p.37,2010)

Na situação onde o condutor parou e resolveu fugir em seguida,


primeiramente deve se preocupa com a segurança da equipe e terceiros,
devido ao risco de atropelamento, por isso é importante o policial estar
sempre atento durante a operação, estando pronto para agir em situação
adversa. “Diante de uma evasão ou agressão armada, os policiais deverão
estar prontos para rapidamente buscarem um abrigo, a fim de não serem
atropelados ou alvos dos disparos.(...)”

3.10 Emprego de armas de fogo

A utilização de armas durante a operação devem ter cuidados


especiais, sempre obedecendo os preceitos legais e técnicos. O policial a
realizar algum disparo devem levar em consideração as características do
13

armamento e da munição (calibre, potência e alcance) que é utilizado pelo


policial.

“O PM Segurança da Blitz, caso seja necessário, poderá estar equipado com


uma arma portátil, dotada de bandoleira. Terá como benefício da utilização
desse armamento, o seu aspecto de impacto psicológico, inibindo uma
possível reação. A escolha desse armamento deve ser baseada nas suas
características técnicas de emprego, alcance útil e calibre da munição,
obedecendo às restrições de disparos principalmente no ambiente urbano.”
(Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial, p.39,2010)

O armamento é um instrumento de trabalho do policial, que deve


ser utilizado sempre respeitando a legislação vigente.

4. PROCESSO DE COMUNICAÇÃO

A forma como o policial se comunica com o abordado é um fator


importante nas intervenções policiais. Sendo realizado de maneira correta
facilita o trabalho realizado pela polícia. A comunicação poder ser verbal, por
meio da linguagem falada ou escrita e a não verbal por meio de gestos, sinais,
dentre outros.

“O policial deve estar sempre atento à sua forma de se comunicar, preocupar


se com as palavras utilizadas para que possa transmitir suas intenções, e
com sua postura na condução das ocorrências. Deve lembrar-se que o
conjunto de condutas coerentes aos preceitos doutrinários (Polícia
Comunitária, Direitos Humanos e valores institucionais elencados na
Identidade Organizacional) traduz profissionalismo e transmitem segurança
ao abordado. A boa comunicação favorece a interação entre a polícia e a
comunidade e auxilia na condução das ocorrências policiais.” (Prática Policial
Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial, p.43,2010)

O policial deve buscar se comunicar com o abordado de forma clara


e objetiva.

4.1 Sinalização
Os policiais podem utilizar os sinais sonoros ou gestuais para
orienta o condutor durante a operação Blitz Policial. Os sinais sonoros são
os emitidos por de silvos de apito.

Fig. 09 – Quadro de sinais sonoros


14

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial

Os sinais gestuais são feitos através da movimentação


convencionais de braço, para orientar o condutor.

Fig. 10 – Sinais gestuais previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB)

FONTE: Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial

4.2 Verbalização policial durante a blitz

Pode ser entendida como uma forma de comunicação firme e


direta que o policial pode ter com o cidadão abordado.
15

“Verbalizar significa expressar ou exprimir algo. A verbalização é a técnica


utilizada pelo policial militar durante sua atuação em intervenções,
abordagens a pessoas e vistorias de veículos, com a finalidade de emitir
orientações e ordens. Para cada tipo de operação e, dependendo do contexto
no qual ela ocorre, a verbalização varia em alguns aspectos, porém sempre
com o objetivo de possibilitar uma comunicação efetiva entre a polícia e o
cidadão.” (Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário 3. Blitz Policial,
p.46,2010)

A comunicação correta vai facilitar o trabalho desempenhado pelo


policial durante a operação Blitz Policial.

CONCLUSÃO
A polícia militar desenvolve um trabalho muito complexo, este artigo
apresentou somente uma dessas atividades e a sua complexidade, pois o trabalho
policial deve estar pautado dentro da lei, sempre respeitando os direitos humanos,
mas para que isso ocorra é necessário seguir uma doutrina para servir de referência
para execução desse trabalho.

A operação tipo Blitz Policial é umas das atividades rotineira desenvolvida


pela polícia militar, mas percebe-se que devido a suas características falta uma
uniformidade, ou seja, uma padronização, para que possa existir um controle dos
serviços prestados, permitindo um serviço de maior qualidade para sociedade.

A uniformidade na execução das Operações Blitz Policial, visa garanti a


segurança da equipe de policiais e dos transeuntes, contribuindo desta forma para um
serviço mais profissional desempenhado pela polícia militar.
16

BLITZ POLICIAL: PROCEDURES TO BE ADOPTED

DANILO MATOS COSTA

ABSTRACT

Operation Type Blitz Police in one of the ways that the military police acted to ensure the
security of society, having different levels according to their objectives, and can be a
educational, preventive or repressive operation. The assembly of the operation device will take
into account the personnel and the necessary equipment, taking into account the safety of the
police and passersby staff. It is noticed that for planning a Blitz it is necessary to take some
items into consideration, which affects the uniformity of this activity developed by the police,
remembering that a mechanism for quality control of a service is its standardization. It is
perceived therefore the necessity of the military police to have a proper doctrine for the Police
Blitz operations, that will contributes to police agi within the legislation, with respect to the
human rights, offering a service of quality for society.

Key Words: Police Blitz. Operation. Society.


17

REFERÊNCIAS
MINAS GERAIS. Polícia militar de. Prática Policial Básica. Caderno Doutrinário
3. Blitz Policial. Belo Horizonte. Academia de Polícia Militar, 2010.

Diretriz para a produção de serviços de segurança pública n. 1 de 27 de março de


2002. Emprego da Polícia Militar de Minas Gerais na Segurança Pública. Belo
Horizonte, 2002.

BRASIL. Lei n. 9.503, 23 set. 1997. Institui o Código de Trânsito Brasileiro. Diário
Oficial (da República Federativa do Brasil), Brasília, 1997.