Você está na página 1de 3
Secretaria de Educação Básica do Ceará Escola de Ensino Fundamental e Médio Senador Osires Pontes

Secretaria de Educação Básica do Ceará

Escola de Ensino Fundamental e Médio Senador Osires Pontes 2º Ano D Prova Bimestral de Português Prof. (a):

Aluno (a):

nº:

Série:

Examine a charge abaixo para responder às questões de 1 a 3.

a charge abaixo para responder às questões de 1 a 3. Nota: Turno: (Disponível em:

Nota:

Turno:

(Disponível em: <http://www.tecnologianaeducacaopdg.blogspot.com/2011/09/formacao-do-professor-para-ouso. html>. Acesso em: 25 mar. 2014.)

QUESTÃO 1 Os elementos que compõem a charge (imagem e texto) e a informação “Brasil tem 25 milhões de telefones celulares” sugerem, de forma humorística,

a) o controle em relação à quantidade de celulares vendidos.

b) a inadequação do uso do telefone no trânsito.

c) a popularização do acesso à telefonia móvel.

d) a facilidade de comunicação entre as pessoas.

e) o aperfeiçoamento dos aparelhos celulares.

QUESTÃO 2 Analise atentamente as afirmações:

I. Em “Me liga mais tarde”, a colocação do pronome pessoal oblíquo fere uma regra gramatical baseada no uso português, mas que é adotada na língua falada e em algumas obras literárias no Brasil. II. Supondo normalmente que as pessoas se tratem por você, em “Me liga mais tarde”, o verbo concorda com o pronome você implícito. III. Segundo a gramática normativa conservadora, em “Me liga mais tarde”, o pronome me deveria ser substituído por outro, para a frase ser considerada gramaticalmente correta. É correto o que se afirma em

a) I, apenas.

b) II, apenas.

c) III, apenas.

d) I e II, apenas.

e) I e III, apenas.

QUESTÃO 3 No trecho “tô enrolado no trânsito”, a palavra enrolado poderia ser substituída, sem alteração de sentido, por

a) impaciente.

b) apressado.

c) inseguro.

d) atrapalhado.

e) imóvel.

Questão 4 Leia o texto a seguir para responder à questão 1 . TEXTO:

Continho

Era uma vez um menino triste, magro e barrigudinho, do sertão de Pernambuco. Na soalheira danada do meio-dia, ele estava sentado na poeira do caminho, imaginando bobagem, quando passou um gordo vigário a cavalo:

Você aí, menino, para onde vai essa estrada?

Ela não vai não: nós é que vamos nela.

Engraçadinho duma figa! Como você se chama?

Eu não me chamo não: os outros é que me chamam de Zé.

CAMPOS, Paulo Mendes. In: CABRAL, Isabel Cristina M, MINCHILLO,Carlos Alberto C. A narração. São Paulo,

Atual, 1989.p. 13. Considere a análise morfológica feita sobre os termos destacados nos fragmentos transcritos, identificando com

V as verdadeiras e com F, as falsas.

(

) “um menino triste” – artigo e adjetivo, referindo-se ao nome.

(

) “do sertão de Pernambuco.” – substantivo e locução adjetiva.

(

) “um gordo vigário” – substantivo e substantivo.

(

) “— Você aí, menino” – pronome e substantivo.

(

) “os outros é que me chamam” – artigo e pronome adjetivo.

A alternativa que apresenta a seqüência correta, de cima para baixo, é a

A) F F V V V

B) F F F V V

C) F V F V F

D) V V V V F

E) V V F V F

Questão 5 (Fuvest-2001) Teu romantismo bebo, ó minha lua, A teus raios divinos me abandono, Torno-me vaporoso

Eu sinto os lábios meus se abrir de sono. (Álvares de Azevedo, “Luar de verão”, Lira dos vinte anos) Neste excerto, o eu-lírico parece aderir com intensidade aos temas de que fala, mas revela, de imediato, desinteresse e tédio. Essa atitude do eu-lírico manifesta a

a) ironia romântica.

b) tendência romântica ao misticismo.

c) melancolia romântica.

d) aversão dos românticos à natureza.

e) fuga romântica para o sonho.

e só de ver-te

Questão 6

(UEL-1995) O romance é um gênero literário que veio a se desenvolver no século

muito comum publicar-se em partes, nos jornais, na forma de pela ordem:

a) XVII - a alta aristocracia - conto.

b) XVIII - o mundo burguês - folhetim.

c) XVIII - o mundo burguês - crônica.

d) XIX - o mundo burguês - folhetim.

e) XIX - a alta aristocracia crônica

retratando sobretudo

, Preenchem corretamente as lacunas do texto acima,

;

era

Questão 7

(PUC-RS-2000) As Três Irmãs do Poeta“É noite! As sombras correm nebulosas.Vão três pálidas virgens

silenciosasAtravés da procela irriquieta.Vão três pálidas virgens

fronte cismadora do - Poeta -‘Saúde, irmão! Eu sou a Indiferença.Sou eu quem te sepulta a idéia imensa,Quem no teu

nome a escuridão projeta

responde-lhe o Poeta.‘Saúde, meu irmão! Eu sou a Fome.Sou eu quem o teu negro pão consome

mísero atleta!Hoje, amanhã, depois

lhe o Poeta. ‘Saúde, meu irmão! Eu sou a Morte.Suspende em meio o hino augusto e forte.Volve ao nada! Não sentes neste enleioTeu cântico gelar-se no meu seio?!’- ‘Eu cantarei no céu’- diz-lhe o Poeta!”

O texto pode ser vinculado a uma tendência de expressão poética denominada

a) subjetivismo. b) ufanismo. c) nacionalismo. d) futurismo. e) condoreirismo.

vão sombriasRindo colar num beijo as bocas frias

vais fazer tão triste e solitário?

-

O

-

‘Eu lutarei’ -

teu mísero pão,

Na

Fui

eu que te vesti do meu sudário

,Que

depois (qu’importa?)Virei sempre sentar-me à tua porta

‘Eu sofrerei’ - responde-

Questão 8 (UNIFESP-2005) Nos versos, evidenciam-se as seguintes características românticas: Meus oito anos Oh! que saudades que tenho Da aurora da minha vida, Da minha infância querida Que os anos não trazem mais! Que amor, que sonhos, que

flores, Naquelas tardes fagueiras À sombra das bananeiras, Debaixo dos laranjais! Casimiro de Abreu.

a) nacionalismo e religiosidade.

b) sentimentalismo e saudosismo.

c) subjetivismo e condoreirismo.

d) egocentrismo e medievalismo.

e) byronismo e idealização do amor.

Questão 9

Marque a alternativa que classifica corretamente os pronomes destacados, na ordem em que se encontram na frase a seguir:

Eu saí com a minha mãe e depois nós nos divertimos muito em um parque.

a) Pronome pessoal do caso reto pronome possessivo pronome pessoal do caso oblíquo pronome

pessoal do caso reto.

b) Pronome pessoal do caso oblíquo pronome possessivo pronome pessoal do caso oblíquo

pronome pessoal do caso reto.

c) Pronome possessivo pronome pessoal do caso oblíquo pronome pessoal do caso oblíquo

pronome de tratamento.

d) Pronome pessoal do caso reto pronome possessivo pronome pessoal do caso reto pronome

pessoal do caso oblíquo.

Questão 10

reto – pronome pessoal do caso oblíquo. Questão 10 A questão refere-se ao texto seguinte. Observe

A questão refere-se ao texto seguinte. Observe atentamente a charge de Millôr Fernandes. O termo apagado pela professora pode ser inferido do contexto como uma das formas do verbo SER. Marque a opção que melhor promove a correlação entre os tempos verbais do enunciado.

A) Que bom É se a ignorância e a dor pudessem se apagar com o

apagador.

B) Que bom SERMOS se a ignorância e a dor pudessem se apagar com o

apagador.

C) Que bom ÉRAMOS se a ignorância e a dor pudessem se apagar com o

apagador.

D) Que bom SERIA se a ignorância e a dor pudessem se apagar com o apagador.

E) Que bom SEJAM se a ignorância e a dor pudessem se apagar com o apagador.