Você está na página 1de 62

Projeto de Vigas – (Revisão de Cisalhamento Transversal, p.

283)

V = força de cisalhamento interna atuante na seção;


 = tensão de cisalhamento no elemento no ponto localizado à distância y’ da linha neutra;
I = momento de inércia da seção transversal;
t = largura da área da seção transversal.
A = área da seção transversal
Para vigas de madeira – fibras orientadas na direção longitudinal

Qmáx = quando toda área acima ou


abaixo da linha neutra for considerada
Projetos de Vigas – p.425

Vigas: Elementos estruturais projetados para suportar cargas aplicadas


perpendicularmente aos seus eixos longitudinais.
Projeto de viga prismática: Se o vão livre for relativamente longo, de modo que os
momentos internos são grandes, considera-se em primeiro lugar, um projeto baseado na
flexão, considerando, então, a resistência ao cisalhamento.
Projeto para flexão:

ou

Seções de aço: A maioria das vigas de aço são produzidas por laminação a quente
de um lingote até se obter a forma desejada, denominadas perfis laminados.

American Institute of Steel Construction (AISC), apêndice B – pag.625


Os perfis de abas largas são projetados segundo sua altura e peso por unidade de comprimento.
Exemplo: W460 x 68
- Seção transversal de abas largas,
altura = 459 mm, peso = 0,68 kN/m
Seções compostas (vigas-mestras): Uma seção composta é constituída com duas
ou mais peças unidas para formar uma única unidade estrutural.

Vigas de madeira (seção de viga-caixão): Podem ser feitas com almas de


compensado e tábuas maiores para as abas. Quando os vãos são muito grandes,
usa-se vigas de lâminas coladas.
Exemplo: Selecionar o perfil em W para suportar o carregamento abaixo. Tensão
admissível de flexão adm = 170 MPa, admissível de cisalhamento adm = 100 MPa
Determinação do módulo de resistência

vigas disponíveis: grupo 1


W410 x 39 S = 632 x 103 mm3
W360 x 39 S = 578 x 103 mm3
W310 x 39 S = 547 x 103 mm3
W200 x 59 S = 583 x 103 mm3
W250 x 58 S = 693 x 103 mm3

vigas disponíveis: grupo 2


W460 x 60 S = 1120 x 103 mm3
W410 x 67 S = 1200 x 103 mm3
W360 x 64 S = 1030 x 103 mm3
W310 x 74 S = 1060 x 103 mm3
W250 x 80 S = 984 x 103 mm3
Determinação da tensão de cisalhamento:
Dados da viga escolhida (apêndice B, pag.625):
Problema: Selecione a viga de abas largas de aço que suporte com segurança a carga
mostrada. A tensão de flexão admissível é  = 168 MPa e a tensão de cisalhamento cis =
100 MPa
Determinação da tensão de cisalhamento:
Dados da viga escolhida (apêndice B, pag.625):
Determine a altura da seção transversal para uma viga de madeira. Condição h = b,
tensão de flexão admissível é  = 14 MPa, tensão de cisalhamento cis = 5 MPa

1 2 3
Ex: Determine a dimensão “a” da viga quadrada de madeira (carvalho) para suporta com
segurança o carregamento apresentado. Usar aproximação de múltiplos de 5 mm.
Tensão de flexão admissível é  = 32 MPa e a tensão de cisalhamento cis = 0,875 MPa.
Ex: Determine se a viga de abas largas suporta com segurança o carregamento
apresentado. Tensão de flexão admissível é  = 160 MPa e a tensão de cisalhamento cis
= 84 MPa.
Determinação da tensão de cisalhamento:
Ex 11.5: Determine se a viga suporta com segurança o carregamento apresentado.
Tensão de flexão admissível é  = 160 MPa e a tensão de cisalhamento cis = 100 MPa.

1 2 3
vigas disponíveis:

W200 x 36 S = 342 x 103 mm3


W250 x 45 S = 535 x 103 mm3
W310 x 33 S = 415 x 103 mm3
W360 x 33 S = 475 x 103 mm3
W410 x 39 S = 632 x 103 mm3
Cargas Combinadas – p.320
Vasos de pressão cilíndricos ou esféricos de paredes finas

Utilização na indústria: Caldeiras, tanques, reservatórios


Estruturas que sob pressão possuem cargas submetidas em todas as direções
Vasos de pressão cilíndricos ou esféricos:

forno rotativo
Vasos de pressão de paredes finas:
Nota 1. Quando a relação entre o raio interno (r) e a espessura da parede (t) é igual ou
superior a 10
(r / t)  10
Nota 2. Quando (r / t) = 10, estima-se que a tensão aplicada é 4% menor que a tensão
máxima real no vaso. Para relações maiores o erro diminui ainda mais.
Nota 3. Quando a parede do vaso e fina a variação da distribuição da tensão pela sua
espessura não será significativa, sendo considerada uniforme e constante.

Vasos cilíndricos: admita uma pressão p atuando na direção x devido a um gás ou fluido

Tensões normais: 1 na circunferencial ou do aro e 2 no sentido longitudinal


Vasos esféricos
Exemplo 8.1. pág 322. Um vaso de pressão cilíndrico tem diâmetro interno de 4 pés e
espessura de ½ pol. Determine a pressão interna em MPa, que ele pode suportar de forma
que as componentes da tensão circunferencial e a longitudinal não excedem 20 ksi. Verifique
também a pressão interna máxima que um vaso esférico sob as mesmas condições pode
suportar.
Problema 8.1. pág 323. Um tanque esférico de gás tem raio = 1,5 m. Se for submetido a uma
pressão interna p = 300 kPa, determine a espessura exigida para que a tensão normal
máxima não ultrapasse 12 MPa.

Problema proposto. O tanque do compressor de ar está sujeito a uma pressão interna de


0,63 MPa. Supondo que o diâmetro interno do tanque é igual a 550 mm e a espessura é
6 mm, determine as componentes da tensão que agem no ponto A.
usar como dados: d = 3,94 pol, t = 0,197 pol, p = 0,42 MPa e encontrar
o valor das tensões em MPa
Problema 8.9, pág 323. Um tubo de madeira com diâmetro interno de 0,9 m é atado com
aros de aço cuja área de seção transversal é 125 mm2. Se a tensão admissível para todos os
aros for adm= 84 MPa, determine o espaçamento máximo s dos aros para que possa resistir a
uma pressão interna de 28 kPa. Considere que cada aro suporta a pressão do carregamento
que age ao longo do comprimento s do tubo.
Problema proposto. O barril de madeira está cheio de água até em cima. Determine a
distância s entre os aros de modo que a força de tração em cada aro seja a mesma. O barril
tem diâmetro interno de 1,2 m. Considere que somente os aros resistem a pressão da água.
A pressão da água no barril segue a lei da Pascal p = (0,01z) MPa, onde z é a profundidade
da água em relação a superfície em metros.
Problema proposto. A figura mostra duas alternativas para apoiar um cilindro de parede fina.
Determine o estado de tensão na parede do cilindro para ambas as alternativas, se o pistão P
provocar uma pressão interna de 0,5 MPa. A parede tem espessura de 6 mm e o diâmetro
interno do cilindro é de 400 mm.

Problema 8.4, pág.323. O tudo de extremidade aberta tem parede de espessura 2 mm e


diâmetro interno 40 mm. Determine as tensões a pressão que o gelo exerceu na parede
interna do tubo para provocar a ruptura mostrada na figura. A tensão máxima que o material
pode suportar na temperatura de congelamento é 360 MPa.
Problema 8.7, pág.323. A cinta de aço A-36 tem 50 mm de largura e está presa ao redor do
cilindro rígido liso. Se os parafusos forem apertados de modo que a tração neles seja 2 kN,
determine a tensão normal na cinta, a pressão exercida sobre o cilindro e o alongamento até a
metade da cinta. (dado: Ecinta = 200 GPa)
ESTADO DE TENSÃO PROVOCADO POR CARGAS COMBINADAS

PÁGINA: 325
Exemplo 8.2, pág. 326: Uma força de 150 lb é aplicada à borda do elemento mostrado na
figura abaixo. Despreze o peso do elemento e determine o estado de tensão nos pontos B e C
e a linha de ação das tensões.
Exemplo 8.61, pág. 339: A pilastra de alvenaria está sujeita à carga de 800 kN. Se x = 0,25 m
e y = 0,50 m, determine a tensão normal em cada canto A,B,C e D (não mostrado na figura).
Despreza o peso da pilastra.

centroide: coordenadas:

propriedades da seção:

cálculo dos momentos:

esforços combinados:
Exemplo 8.27, pág. 335: Determine no suporte em degrau as tensões máxima e mínima para
uma carga igual a 50 kN.

A
B
Exemplo proposto: Visto que o concreto só suporta pouca ou nenhuma tração, esse problema
pode ser evitado se o concreto for protendido com cabos ou hastes. Se o peso especifico do
concreto for 24 kN/m3, determine a tração exigida na barra AB, de modo que nenhuma tensão
de tração seja desenvolvida na seção a-a da viga.

Reações nos apoios:


Transformação de tensão – Pag.342
Revisando o estado geral de tensão em um ponto:

- seis componentes independentes da tensão normal e de cisalhamento


- simplificação na prática da engenharia para análises de tensões em um único plano
- se não houver carga na superfície de um corpo, a tensão normal e de cisalhamento são
iguais e zero na face desse corpo. Por analogia, as componentes da tensão
correspondente na face oposta também serão nulas.
- o estado geral de tensão no plano em um ponto pode ser representado por duas
componentes da tensão normal (x e y) e uma componente da tensão de cisalhamento (xy)
“O estado plano de tensão em um ponto é representado exclusivamente por três
componentes que agem sobre um elemento que tenha uma orientação específica
nesse ponto”.
y
y


 x
x
Equações gerais de transformação de tensão no plano.

Tensões principais no plano

Tensão normal Tensão de cisalhamento máxima

2P2 – 2P1 = 180°

R=

Planos principais de
tensões
Ex.9.2. pag.349. Determine o estado plano de tensões no ponto em outro elemento
orientado a 30º no sentido horário em relação a posição mostrada.
Ex.9.5. pag. 353. Represente o estado plano de tensões no elemento abaixo, em
termos das tensões principais, e o plano principal onde atua cada tensão normal.
Tensões principais:
Ex. Represente o estado plano de tensões no elemento abaixo, em termos das
tensões normais, e o plano principal onde atua cada tensão normal, para 30° no
sentido anti-horário.
Resposta = D
Resposta = E
Problema semelhante 9.7. pág 355. Determine as componentes da tensão que atuam no
plano inclinado AB. Usar o método de transformação de tensão.
Circulo de Mohr – Tensão no Plano - Pag.360
Aplicação:
- Abordagem da variação das componentes de tensão normal (x’) e de cisalhamento (x’y’) a
medida que o plano em que agem é orientado em diferentes direções.

(1) (2)

As equações 1 e 2 podem ser reescritas da seguinte forma:

(3) (4)

O parâmetro  pode ser eliminado elevando 3 e 4 ao quadrado e somando as equações:

onde: logo:
- EX. 9.10, pag. 366. Supondo eixos de coordenadas com  positivo para direita e r positivo
para baixo teremos uma equação do círculo de raio R e centro no eixo  no ponto C(méd, 0).

EX. Determine a tensão de cisalhamento máxima


no plano e a orientação no elemento abaixo no
sentido anti-horário:

2
Deflexão em vigas e eixos – Pag.449 deflexão  flexão

O plano xy é um plano de simetria da viga e todos os carregamentos atuam


nesse plano (plano de flexão). O material segue a Lei de Hooke e
consideramos somente deformações devido à flexão pura.

Deflexão ν
É o deslocamento na direção y de qualquer ponto no
eixo da viga, como apresenta. Como y é positivo para cima,
então ν é positivo.
- Considerar a curva de deflexão com mais detalhes como mostra a figura abaixo.
- Se o material for homogêneo e se comporta de maneira linear elástica, temos a seguinte
equação equivalente:

Nota 1: o produto EI é denominado de rigidez à flexão e sempre será representado por


valores positivos.

- Representação da curvatura em termos de v e x: (equação diferencial não linear de


segunda ordem)

Nota 2: a solução dessa equação oferece a forma exata da linha elástica


- A maioria das normas de projeto de engenharia especifica os limites de tolerância das deflexões
que não passam de curvas rasas. Logo, a inclinação da curva elástica dv/dx será muito pequena.
Assim, a equação anterior pode ser aproximada de:

- Se diferenciarmos cada lado em relação - Se diferenciarmos mais uma vez, usando


x e substituirmos V = dM/dx, temos: – w = dV/dx, temos:

- Para a maioria dos casos, a rigidez é constante ao longo da viga. Logo:

(1) (2) (3)

- Condições de Contorno:
- Determinação das constantes de integração pelas funções relacionadas com o cisalhamento,
momento e inclinação ou deslocamento em um determinado ponto da viga, onde os valores das
funções são conhecidos.
- Condições de Continuidade:
- Seja uma viga com coordenadas x escolhidas com origem em A. Cada uma delas só será válida
se dentro das regiões 0  x1  a e a  x2  (a + b). Uma vez obtidas as funções de inclinação e
deflexão para A, elas devem apresentar os mesmos valores para o ponto B, de modo que a linha
elástica seja uma função continua.

Condição: 1(a) = 2(a) e v1(a) = v2(a)

- Se a curva elástica for expressa em termos das coordenadas 0  x1  a e 0  x2  b, a


continuidade da inclinação e da deflexão em B exige que:

Condição: 1(a) = - 2(b) e v1(a) = v2(b)

- nota: o sinal é negativo visto que x1 é positivo para


a direita e x2 é positivo para esquerda.
Consequentemente, 1 é positivo em sentido anti-
horário e 2 é positivo no sentido horário.
Exemplo 12.1, pág. 456, Hibbeler. A viga em balanço está sujeita a uma carga vertical P em
sua extremidade. Determine a equação da linha elástica para EI constante.

Função do momento fletor:


M = - Px
Problema (página 462)
Problema (página 462)
Dados: