Você está na página 1de 30

Leitura e Produção de Textos I

Aula 3
Gêneros de Síntese
Prof.ª. Andressa Aparecida
Lopes
Mestre em Estudos da Linguagem
- UEL
Especialista em Língua Portuguesa
– UEL
Graduada em Letras - UEL
Objetivos

Refletir acerca dos gêneros discursivos de síntese;


Apresentar e analisar o gênero discursivo resumo;
Apresentar e analisar o gênero discursivo resenha
crítica.
Um texto dialoga com outro texto
Charge
Esferas sociais
Gêneros textuais de síntese

Os gêneros de síntese são produções que


apresentam um objeto comum: sintetizar,
compactar um texto de forma a contemplar os
principais tópicos acerca de um assunto central.
Geralmente esses gêneros aparecem nas esferas
acadêmica e escolar, pois são objetos frequentes de
ensino.
Gêneros em que podemos encontrar
informações resumidas

Currículos;
Reportagens;
Artigos de opinião;
Cartas;
Fichamento;
Resenha;
Conversas;
Relatórios de pesquisa; etc.
O que é um resumo?

A ABNT define resumo como: “apresentação


concisa dos pontos relevantes de um documento”.
O resumo é uma condensação fiel das ideias ou dos
fatos contidos num texto.
Resumir um texto significa reduzi-lo ao seu
esqueleto essencial.
Formalmente o texto deve:

Ser redigido em linguagem objetiva;


Evitar a repetição de frases inteiras do original;
Respeitar a ordem em que as ideias ou fatos são
apresentados.
Aspectos importantes na
elaboração de resumo e resenha:

Menção do autor do texto resumido;


É preciso retomar o que o autor diz, fazendo
referência a ele de modos diferentes.
Geralmente começamos um resumo com o nome
completo do autor.
Ao longo do resumo podemos nos referir ao autor
utilizando seu sobrenome, sua
profissão, a expressão “o autor”.
Exemplo:
Saturno nos trópicos, de Moacyr Scliar (Companhia das Letras, 274 p.;
29 reais). Em seu novo livro o autor gaúcho Moacyr Scliar deixa a ficção
de lado e investe em outra de suas especialidades: o ensaio. Saturno nos
Trópicos é um estudo sobre melancolia, e custou cinco anos de pesquisa
ao escritor. Não se trata de uma obra difícil: ao contrário, sua linguagem
é acessível. Nota-se que Scliar enfoca o tema em vários momentos
históricos. O autor examina a cultura nacional desde os primeiros
tempos até o século XX – tratando de personagens como Jeca Tatu, de
Monteiro Lobato, e Macunaíma, de Mário de Andrade.
Três elementos essenciais para escrever um resumo

Determinar as partes principais do texto;


Observar a progressão em que as partes sucedem;
Perceber a correlação que o texto estabelece entre
cada uma das partes.
Retomar o autor de formas diferenciadas

O autor:
Aponta, elenca, exemplifica;
Classifica, define, enumera, argumenta;
Incita, busca levar a;
Afirma, nega, acredita, duvida;
Aborda, trata de;
Enfatiza, ressalta etc.
Ao escrever um resumo deve avaliar:

O texto está adequado ao objetivo de um resumo ?


O texto está adequado aos destinatários?
O texto transmite a mensagem que você quer
passar?
Há uma indicação clara do título e do autor no texto
resumido?
Atividade

Pensando nas práticas já realizadas, quais as


dificuldades e facilidades em escrever um resumo?
Plano global de uma resenha acadêmica

Livro resenhado;
Autor do livro;
Contextualização do livro;
Autor da resenha;
Área em que se insere o resenhista;
Veículo em que ela foi publicada;
Livros citados nas referências
bibliográficas.
Objetivos:

Instrumento de pesquisa bibliográfica,


Desenvolvimento da capacidade de síntese,
interpretação e crítica,
Contribui para desenvolver a mentalidade científica.
Objetivos:

Para criar condições de abordagem e inteligibilidade


em qualquer texto, alguns recursos são sugeridos:
Delimitação da unidade de leitura: considerar a
natureza e a familiaridade do leitor com o
assunto.
análise textual: estudo do vocabulário, verificação
da teoria exposta, sondagem de fatos
apresentados, autoridade dos
autores citados, esquema de
ideias.
Para realizar uma resenha é preciso levar
em consideração:

Tema;
Autor;
Contexto;
Suporte;
Público–alvo (leitor);
Época.
Atividade

Leia os textos enviados para a atividade e


identifique se são resumos ou resenhas. Justifique a
sua resposta.
Mecanismos de conexão: uso de
organizadores textuais

O leitor precisa entender as diferentes relações


estabelecidas entre as ideias.
Essas relações são dadas por palavras que
“organizam” o que está sendo dito, ou seja, os
organizadores textuais.
Na gramática normativa são chamados como
conectivos.
Conectivos

Podemos encontrar conectivos que têm


valores/funções diferentes, como:
Introduzir conclusões – assim, por isso, assim
sendo, portanto.
Introduzem argumentos, causas e justificativas – já
que, uma vez que, como, isso posto, devido a,
porque, pelo fato de, pois.
Atividade

Qual a importância no re(conhecimento) dos


conectivos para a leitura e para a escrita?
A expressão da subjetividade
Leia o trecho a seguir:
Por fim, o parecerista deve obrigar-se a observar a
“máxima polidez”, deixando de lado as expressões
que possam agredir ou desrespeitar os destinatários.
A propósito, outro lógico, COPI (1974), argumentando
em direção semelhante, chama a atenção para a
“neutralidade emocional” que deve caracterizar
a linguagem técnico-científica e, no nosso caso
específico, a dos laudos.
Grice, filósofo da linguagem
americano.
Polidez

Uma das maneiras de ser “polido” é atenuar as


afirmações negativas, que possam agredir o autor da
obra resenhada.
No trecho abaixo, vamos observar as expressões que
atenuam a crítica negativa do resenhista à obra:
“Aqui me parece manifestar uma das lacunas deste
que é um bom trabalho.”
Qual a diferença entre resumo e resenha

O resumo é a apresentação concisa e seletiva


do texto, destacando-se os elementos mais
importantes, as principais ideias do autor da obra.
Um resumo analítico deve conter as principais
informações apresentadas no texto, dispensando
a leitura da obra completa.
Qual a diferença entre resumo e resenha?

A resenha é uma apreciação crítica sobre uma obra,


consistindo na leitura, no resumo, na crítica e na
formulação de um conceito valorativo sobre o texto
resenhado. Além de apresentar uma síntese das
ideias fundamentais da obra, a resenha visa
também incentivar (ou não) a leitura do texto
comentado.
Vídeo

(Texto?) Multimodal: Vídeo!

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=GKtqTW0G30s
Referências
BAKHTIN, Mikhail M. Estética da criação verbal. 5. ed. São Paulo:
WMF Martins Fontes, 2010.
BORDENAVE, Juan E. Díaz. O que é comunicação. São Paulo:
Brasiliense, 1987.
JAKOBSON, Roman. Linguística e Comunicação. São Paulo:
Cultriz, 1995.
KOCH, Ingedore G. A inter-ação pela linguagem. São Paulo:
Contexto, 2010.
SILVA, Marina Cabral Da. "As Funções da
Linguagem"; Brasil Escola. Disponível em
<http://brasilescola.uol.com.br/redacao/
as-funcoes-linguagem.htm>.
Acesso em 02 de fevereiro de 2016.