Você está na página 1de 7

Seminário da Prática IV

Aula 1

Linguagem e Estilo

Objetivos da aula:

Abordar o conceito de estilo, estabelecendo suas relações com a linguagem;Objetivos da aula: refletir sobre os diferentes estilos de escrita; caracterizar a Estilística enquanto “ciência do

refletir sobre os diferentes estilos de escrita;de estilo, estabelecendo suas relações com a linguagem; caracterizar a Estilística enquanto “ciência do

caracterizar a Estilística enquanto “ciência do estilo”;linguagem; refletir sobre os diferentes estilos de escrita; avaliar o percurso histórico da Estilística, enquanto

avaliar o percurso histórico da Estilística, enquanto disciplina, determinando seu espaço nos estudos da linguagem;linguagem; refletir sobre os diferentes estilos de escrita; caracterizar a Estilística enquanto “ciência do estilo”;

Vídeo

Estilo - Charles Bukowski

Vídeo Estilo - Charles Bukowski Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=y_LlQSw7igk

Fonte:

http://www.youtube.com/watch?v=y_LlQSw7igk

31/10/2017

Prof. Antonio Lemes Guerra Junior

Doutor em Estudos da Linguagem (UEL) Mestre em Estudos da Linguagem (UEL) Graduado em Letras (UEL)

em Estudos da Linguagem (UEL) Graduado em Letras (UEL) Etimologia de “estilo” ESTILO do latim, STILUS
em Estudos da Linguagem (UEL) Graduado em Letras (UEL) Etimologia de “estilo” ESTILO do latim, STILUS

Etimologia de “estilo”

ESTILO

Etimologia de “estilo” ESTILO do latim, STILUS (instrumento metálico pontiagudo utilizado para escrever ou desenhar)

do latim, STILUS (instrumento metálico pontiagudo utilizado para escrever ou desenhar)

Etimologia de “estilo” ESTILO do latim, STILUS (instrumento metálico pontiagudo utilizado para escrever ou desenhar)

Significações de “estilo”

ARTE Cada movimento artístico, com suas especificidades, as quais unificam ou distinguem obras e autores.

ARTE Cada movimento artístico, com suas especificidades, as quais unificam ou distinguem obras e autores.

M Ú SICA Caráter próprio que um músico imprime em suas obras, o qual, se

MÚSICA Caráter próprio que um músico imprime em suas obras, o qual, se disseminado, pode constituir um gênero musical.

MODA Forma de expressão, por meio de roupas e acessórios, predominante em determinada época, também

MODA Forma de expressão, por meio de roupas e acessórios, predominante em determinada época, também chamada de tendência.

LINGU Í STICA

LINGUÍSTICA

Objeto de estudo da Estilística, preocupada com o estético ou artístico da linguagem.

uso

“Estilo”!!!

“Estilo”!!!

31/10/2017

FIAT STILO “ Ou voc ê tem, ou voc ê n ã o tem. ”

FIAT STILO Ou você tem, ou você não tem.

Atividade Quais os efeitos da seleção de um “estilo”?

Atividade

Atividade Quais os efeitos da seleção de um “estilo”?

Quais os efeitos da seleção de um “estilo”?

Atividade Quais os efeitos da seleção de um “estilo”?
“Estilo” em teoria Para Nils Erik Enkvist, em sua obra “Linguística e estilo”: Para Georges
“Estilo” em teoria
Para Nils Erik Enkvist, em sua obra
“Linguística e estilo”:
Para Georges Mounin, em sua obra
“Introdução à Linguística”:
Estilo como desvio da norma
Estilo como elaboração
Estilo como conotação
Estilo como adição
Estilo como escolha
Estilo como conjuntos de características
individuais
Estilo como desvio da
norma
Estilo como conjunto
de características
coletivas
Estilo como resultado
de relações entre
entidades linguísticas
(MARTINS, 1989, p. 1)
(MARTINS, 1989, p. 1)
O estilo é o homem.”
O estilo é o homem.”

O

estilo é o homem.”

 

(Buffon)

O estilo é o pensamento.”
O estilo é o pensamento.”

O

estilo é o pensamento.”

 

(Rémy de Gourmont)

O estilo é a obra.”
O estilo é a obra.”

O

estilo é a obra.”

 

(R.A. de Sayce)

Estilo é a expressão inevitável e orgânica de um modo individual de experiência.”
Estilo é a expressão inevitável e orgânica de um modo individual de experiência.”

Estilo é a expressão inevitável e orgânica de um modo individual de experiência.”

 

(Middleton Murray)

O estilo é compreendido como uma ênfase
O estilo é compreendido como uma ênfase

O

estilo é compreendido como uma ênfase

 

(expressiva, afetiva, ou estética) acrescentada

à

informação veiculada pela estrutura

linguística sem alteração de sentido. O que quer dizer que a língua exprime, e o sentido realça.”

(Riffaterre)

O estilo de um texto é o conjunto de
O estilo de um texto é o conjunto de

O

estilo de um texto é o conjunto de

 

probabilidades contextuais dos seus itens linguísticos.”

(Archibald Hill)

Estilo é o aspecto do enunciado que resulta de uma escolha dos meios de expressão,
Estilo é o aspecto do enunciado que resulta de uma escolha dos meios de expressão,

Estilo é o aspecto do enunciado que resulta de uma escolha dos meios de expressão, determinada pela natureza e pelas intenções do indivíduo que fala ou escreve.”

 

(Guiraud)

Estilo é o conjunto objetivo de características formais oferecidas por um texto como resultado da
Estilo é o conjunto objetivo de características formais oferecidas por um texto como resultado da

Estilo é o conjunto objetivo de características formais oferecidas por um texto como resultado da adaptação do instrumento linguístico às finalidades do ato específico em que foi produzido.”

 

(Herculano de Carvalho)

31/10/2017

Estilo é o que é peculiar e diferencial numa fala.” é o que é peculiar e diferencial numa fala.”

Estilo é o que é peculiar e diferencial numa fala.”

(Dâmaso Alonso)

Estilo é a qualidade do enunciado, resultante de uma escolha que faz, entre os elementos constitutivos é a qualidade do enunciado, resultante de uma escolha que faz, entre os elementos constitutivos de uma dada língua, aquele que a emprega em uma circunstância determinada.”

que faz, entre os elementos constitutivos de uma dada língua, aquele que a emprega em uma

(Marouzeau)

Estilo é surpresa.” é surpresa.”

Estilo é surpresa.”

(Kibédi Varga)

Estilo é expectativa frustrada.” é expectativa frustrada.”

Estilo é expectativa frustrada.”

(Jakobson)

Estilo é o que está presente nas mensagens em que há elaboração da mensagem por si é o que está presente nas mensagens em que há elaboração da mensagem por si mesma.”

Estilo é o que está presente nas mensagens em que há elaboração da mensagem por si

(Jakobson)

Estilo é a linguagem que transcende do plano intelectivo para carrear a emoção e a vontade.” é a linguagem que transcende do plano intelectivo para carrear a emoção e a vontade.”

Estilo é a linguagem que transcende do plano intelectivo para carrear a emoção e a vontade.”

(Mattoso Câmara)do plano intelectivo para carrear a emoção e a vontade.” Estilo é um fenômeno humano de

(Mattoso Câmara)

Estilo é um fenômeno humano de grande

complexidade. É a resultante linguística de

uma conjunção de fatores múltiplos [

].

Se

algum dia se chegar a atribuir ao estilo uma fórmula, há de ser uma fórmula extremamente complexa. Todas as reduções lapidares da definição do estilo só podem ser e permanecer como empobrecimentos unilaterais.”

(MOUNIN apud MARTINS, 1989, p. 3)

AtividadeEstas afi rmações sobre “ estilo ” s ã o v á lidas? a) “A

Atividade Estas afi rmações sobre “ estilo ” s ã o v á lidas? a) “A

Estas afi rmações sobre estilosão válidas?

a) “A primeira qualidade do estilo é a clareza.”

(Aristóteles)

b) “O estilo é uma dificuldade de expressão.” (Mário Quintana) c) “O estilo consiste em
b)
“O estilo é uma dificuldade de expressão.”
(Mário Quintana)
c)
“O estilo consiste em escrever como nos dá na
veneta.”
(Sofocleto)
d)
“O estilo está sob as palavras como dentro delas.
É igualmente a alma e a carne de uma obra.”
(Gustave Flaubert)

Relações entre linguagem e estilo

O estilo é a definição de uma personalidade em
O estilo é a definição de uma personalidade em

O

estilo é a definição de uma personalidade em

 

termos linguísticos.”

(CÂMARA JUNIOR, 1978, p. 13)

O estilo de uma língua é “definido como um
O estilo de uma língua é “definido como um

O

estilo de uma língua é “definido como um

repertório de propriedades ou procedimentos expressivos, observáveis em quaisquer de seus níveis estruturais.”

(MONTEIRO, 1991, p. 10)

AtividadeO que seriam : escrita limitada, escrita floreada, escrita fi gurativa e escrita fragmentada?

Atividade O que seriam : escrita limitada, escrita floreada, escrita fi gurativa e escrita fragmentada?

O que seriam: escrita limitada, escrita floreada, escrita fi gurativa e escrita fragmentada?

Atividade O que seriam : escrita limitada, escrita floreada, escrita fi gurativa e escrita fragmentada?

31/10/2017

A complexidade da linguagem

LINGUAGEM

Bloco de cristal irregular e multiplamente facetado, cujos efeitos prismáticos dependem do ângulo de observação
Bloco de cristal irregular e multiplamente facetado,
cujos efeitos prismáticos dependem do ângulo de
observação escolhido.”

(CÂMARA JUNIOR, 1978, p. 3)

facetado, cujos efeitos prismáticos dependem do ângulo de observação escolhido.” (CÂMARA JUNIOR, 1978, p. 3)

Estilos de escrita

Estilos de escrita FORMA CONTE Ú DO

FORMA

CONTEÚDO

Estilística “ciência do estilo”

Embora já utilizada no século XIX, é no século XX que a palavra “estilística” passa a designar uma nova disciplina, ligada à Linguística.Estilística “ciência do estilo” A Estil í stica surge, sobretudo, ocupando o espaço da Retórica.

A Estil í stica surge, sobretudo, ocupando o espaço da Retórica. Estilística surge, sobretudo, ocupando o espaço da Retórica.

“A estilística vem complementar a gramática.” (CÂMARA JUNIOR, 1978, p. 14) GRAMÁTICA → Anatomia da
“A estilística vem complementar a gramática.”
(CÂMARA JUNIOR, 1978, p. 14)
GRAMÁTICA
Anatomia da língua
ESTILÍSTICA
Fisiologia da língua
A língua absorve uma carga afetiva que se infiltra em seus elementos e os transfigura.”
A língua absorve uma carga
afetiva que se infiltra em seus
elementos e os transfigura.”
(CÂMARA JUNIOR, 1978, p. 14)

Grande nome da Estilística:

Charles Bally

Grande nome da Estilística: Charles Bally

31/10/2017

“O sol está quente.” “Você é o sol da minha vida.”
“O sol está quente.”
“Você é o sol da minha vida.”
“Estou com uma dor de cabeça ”
“Estou com uma dor de cabeça
“O rapaz pobre passava fomes.” “O pobre rapaz foi reprovado no teste.”
“O rapaz pobre passava fomes.”
“O pobre rapaz foi reprovado no teste.”
“Os muitos anos nevaram-lhe os cabelos.”
“Os muitos anos nevaram-lhe os cabelos.”

Grande nome da Estilística:

Charles Bally

Grande nome da Estilística: Charles Bally ] [ língua falada, da língua a serviço da vida
Grande nome da Estilística: Charles Bally ] [ língua falada, da língua a serviço da vida

] [

língua falada, da língua a serviço da vida humana, língua viva, espontânea, mas gramaticalizada, lexicalizada, e possuidora de um sistema expressivo cuja descrição deve ser a tarefa da Estilística. Bally condena o ensino da língua baseado apenas na gramática normativa e nos textos literários, o qual dá uma visão parcial da língua, de um tipo de língua que não corresponde ao que as pessoas usam nas múltiplas atividades de sua vida social e psíquica.”

(SANT’ANNA, 1989, p. 3-4)

Charles Bally volta-se para os aspectos afetivos da

Bally “foi o primeiro a distinguir com precisão o conte ú do lingu í stico

Bally “foi o primeiro a distinguir com precisão o conteúdo linguístico do conteúdo estilístico, a informação neutra do suplemento subjetivo a ela acrescentado, mostrando que um mesmo conteúdo pode ser expresso de diferentes modos.

(SANT’ANNA, 1989, p. 4)

A pessoa faleceu. A pessoa morreu. A pessoa bateu as botas. A pessoa abotoou o

A

pessoa faleceu.

A

pessoa morreu.

A

pessoa bateu as botas.

A

pessoa abotoou o paletó.

A

pessoa partiu dessa para a melhor.

A

pessoa entregou a alma ao Criador.

[

]

abotoou o palet ó . A pessoa partiu dessa para a melhor. A pessoa entregou a
Atividade Que signifi cações suscitam os enunciados a seguir? 1) O time A derrotou o

Atividade

Atividade Que signifi cações suscitam os enunciados a seguir? 1) O time A derrotou o time

Que signifi cações suscitam os enunciados a seguir? 1) O time A derrotou o time B. 2) O time B foi vencido pelo time A. 3) A vitória foi conquistada pelo time A.

a seguir? 1) O time A derrotou o time B. 2) O time B foi vencido
pelo time A. 3) A vit ó ria foi conquistada pelo time A. 31/10/2017 Objeto da

31/10/2017

A. 3) A vit ó ria foi conquistada pelo time A. 31/10/2017 Objeto da estilística A

Objeto da estilística

Objeto da estilística A estilística é a ciência da linguagem expressiva, independentemente do âmbito particular em
Objeto da estilística A estilística é a ciência da linguagem expressiva, independentemente do âmbito particular em

A estilística é a ciência da linguagem expressiva, independentemente do âmbito particular em que a expressividade funciona.”

(CÂMARA JUNIOR, 1978, p. 25)

Os limites da estilística

Conceito de estiloOs limites da estilística Norma e desvios Emotividade e expressividade Denotação e conotação Funções da linguagem

Norma e desviosOs limites da estilística Conceito de estilo Emotividade e expressividade Denotação e conotação Funções da

Emotividade e expressividadeOs limites da estilística Conceito de estilo Norma e desvios Denotação e conotação Funções da linguagem

Denotação e conotaçãoda estilística Conceito de estilo Norma e desvios Emotividade e expressividade Funções da linguagem (MONTEIRO, 1991)

Funções da linguagemda estilística Conceito de estilo Norma e desvios Emotividade e expressividade Denotação e conotação (MONTEIRO, 1991)

(MONTEIRO, 1991)

Síntese do estudo estilístico

[ ]
[
]

convém centralizar o estudo estilístico na linguagem que se desvia da norma, nos procedimentos que geram conotações, como resultado de um trabalho de recriação

exercido na própria linguagem [

discurso que se afasta da linguagem denotativa para obter efeitos expressivos.”

(MONTEIRO, 1991, p. 26)

]

todo

31/10/2017

Referências

CÂMARA JUNIOR, Joaquim Mattoso. Contribuiç ã o à estil í stica portuguesa . 3. ed. Rio de Janeiro: Ao Contribuição à estilística portuguesa. 3. ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1978.

MARTINS, Nilce Sant’Anna. Introduç ã o à Estil í stica : a expressividade na língua portuguesa. São Paulo: Introdução à Estilística: a expressividade na língua portuguesa. São Paulo: T.A. Queiroz; Edusp, 1989.

MONTEIRO, José Lemos. A estil í stica . São Paulo: A estilística. São Paulo:

Ática, 1991.