Você está na página 1de 3

Teste de

ESCOLA SECUNDÁRIA CACILHAS-TEJO compreensão da leitura


e expressão escrita
PORTUGUÊS – 11º ANO – Os Maias, Eça de Queirós
55%
Ano lectivo: 2009-2010 Docente: Cristina Pimentel
BOM TRABALHO!

GRUPO I
 Leia atentamente o texto transcrito.

«O Pedrinho no entanto estava quase um homem. Ficara pequenino e nervoso como Maria
Eduarda, tendo pouco da raça, da força dos Maias; a sua linda face oval de um trigueiro cálido, dois olhos
maravilhosos e irresistíveis, prontos sempre a humedecer-se, faziam-no assemelhar-se a um belo árabe.
Desenvolvera-se lentamente, sem curiosidades, indiferente a brinquedos, a animais, a flores, a livros.
5 Nenhum desejo forte parecera jamais vibrar naquela alma meio adormecida e passiva: só às vezes dizia
que gostaria muito de voltar para a Itália. Tomara birra ao padre Vasques, mas não ousava desobedecer-
lhe. Era em tudo um fraco; e esse abatimento contínuo de todo o seu ser resolvia-se a espaços em crises
de melancolia negra, que o traziam dias e dias mudo, murcho, amarelo, com olheiras fundas e já velho. O
seu único sentimento vivo, imenso, até aí, fora a paixão pela mãe.
10 Afonso quisera-o mandar para Coimbra. Mas, à ideia de se separar do seu Pedro, a pobre senhora
caíra de joelhos diante de Afonso, balbuciando e tremendo: e ele, naturalmente, lá cedeu perante essas
mãos suplicantes, essas lágrimas que caíam quatro a quatro pela pobre face de cera. O menino
continuou em Benfica, dando os seus lentos passeios a cavalo, de criado de farda atrás, começando já a ir
beber a sua genebra aos botequins de Lisboa… Depois foi despontando naquela organização uma grande
15 tendência amorosa: aos dezanove anos teve o seu bastardozinho.
Afonso da Maia consolava-se pensando que, apesar de tão desgraçados mimos, não faltavam ao
rapaz qualidades: era muito esperto, são e, como todos os Maias, valente: não havia muito que ele só,
com um chicote, dispersara na estrada três saloios de varapau que lhe tinham chamado «palmito».
Quando a mãe morreu, numa agonia terrível de devota, debatendo-se dias nos pavores do Inferno,
20 Pedro teve na sua dor os arrebatamentos de uma loucura. Fizera a promessa histérica, se ela escapasse,
de dormir durante um ano sobre as lajes do pátio: e levado o caixão, saídos os padres, caiu numa
angústia soturna1, obtusa2, sem lágrimas, de que não queria emergir, estirado de bruços sobre a cama
numa obstinação3 de penitente. Muitos meses ainda não o deixou uma tristeza vaga: e Afonso da Maia já
se desesperava de ver aquele rapaz, seu filho e seu herdeiro, sair todos os dias a passos de monge,
25 lúgubre4 no seu luto pesado, para ir visitar a sepultura da mamã…
Esta dor exagerada e mórbida cessou por fim; e sucedeu-lhe, quase sem transição, um período de
vida dissipada5 e turbulenta, estroinice 6 banal, em que Pedro, levado por um romantismo torpe 7,
procurava afogar em lupanares8 e botequins as saudades da mamã. Mas essa exuberância ansiosa que se
desencadeara tão subitamente, tão tumultuosamente, na sua natureza desequilibrada, gastou-se
30 depressa também.»

Vocabulário:
1- Soturna (l.22) – sombria; medonha; aterradora. 5- Dissipada (l. 27) – esbanjada; dispersa
2- Obtusa (l. 22) – estúpida. 6- Estroinice (l. 27) – borga; pândega; extravagância.
3- Obstinação (l. 24) – perseverança; insistência. 7- Torpe (l.27) – sórdido; vil.
4- Lúgubre (l. 25) – fúnebre; triste; de luto. 8- Lupanares (l. 28) – bordéis.

 De acordo com o texto, responda de forma clara, objectiva e documentada às questões que se seguem.

1. Insira o excerto transcrito na estrutura global da obra.


2. Caracterize, física e psicologicamente, a personagem Pedro da Maia, comprovando as suas afirmações
com elementos do texto.
3. Identifique o tipo de caracterização predominantemente utilizado pelo narrador, neste trecho.
4. Demonstre, com dados do texto, a verdade desta afirmação: «Era em tudo um fraco.»
Departamento de Línguas Românicas
Português 11º ano
Teste
5. Aponte o que nota de excêntrico em Pedro.
6. Faça o levantamento de três características da linguagem e estilo queirosiano presentes no texto,
comprovando sempre a sua resposta com exemplos do texto.

GRUPO II

Dos temas que se seguem, sobre a peça «Frei Luís de Sousa», escolha APENAS UM e desenvolva-o
num texto bem estruturado e coerente, de (190) cento e noventa a (220) duzentas e vinte palavras.
OPÇÃO A
Referindo alguns dos aspectos fundamentais da obra, integre-a na corrente literária do Romantismo.
OPÇÃO B
Mostre que há um predomínio de características trágicas na obra.
Nota: Identifique claramente na sua folha de resposta:
 o número de palavras do texto final
 a opção escolhida.

Cotações
GRUPO I ………………………………………………………………………………… 150 PONTOS

1. Aspectos de conteúdo ……………………………………………….…… 17 pontos


Aspectos de organização e correcção linguística ……………. 8 pontos
2. Aspectos de conteúdo …………………………………………….…….. 20 pontos
Aspectos de organização e correcção linguística ……………. 10 pontos
3. Aspectos de conteúdo …………………………………………………… 3 pontos
Aspectos de organização e correcção linguística ……………. 2 pontos
4. Aspectos de conteúdo …………………………………….…………….. 20 pontos
Aspectos de organização e correcção linguística ……………. 10 pontos
5. Aspectos de conteúdo ……………………………………………….….. 20 pontos
Aspectos de organização e correcção linguística ……………. 10 pontos
6. Aspectos de conteúdo ……………………………………………….….. 20 pontos
Aspectos de organização e correcção linguística ……………. 10 pontos

GRUPO II ………………………………………………………………………………... 50 PONTOS


Aspectos de conteúdo ……………………………………………………. 30 pontos
Aspectos de organização e correcção linguística………………… 20 pontos
TOTAL ……………………………………………………………………………………… 200 PONTOS

Factores de desvalorização:
Notas: Factores de desvalorização, no domínio da correcção linguística (F) em cada um dos grupos.
Por cada erro de sintaxe ou de impropriedade lexical são descontados dois (2) pontos.
Por cada erro inequívoco de pontuação, ou por cada erro de ortografia (incluindo acentuação, translineação e uso convencional de
maiúscula) é descontado um (1) ponto.
Por cada erro de ortografia repetido (incluindo acentuação, translineação e uso convencional de maiúscula) deve proceder-se apenas a
uma desvalorização.
Os descontos por erro de utilização de letra maiúscula são efectuados até ao máximo de cinco (5) pontos.
Por cada erro de citação de texto (uso indevido ou não uso de aspas, ausência de indicador (es) de corte de texto, etc.) ou de
referência a uma obra (ausência de sublinhado ou não uso de aspas no título, etc.) é descontado um (1) ponto.
Os descontos por erro de citação de texto ou de referência a uma obra são efectuados até ao máximo de cinco (5) pontos.
Factor específico de desvalorização relativo ao desvio dos limites de extensão
Sempre que não forem respeitados os limites relativos ao número de palavras indicados, deve ser descontado um (1) ponto por cada
palavra (a mais ou a menos), até ao máximo de cinco (1 x 5) pontos, depois de aplicados todos os critérios definidos para o item.
Nos casos em que, da aplicação deste factor de desvalorização, resultar uma classificação inferior a zero (0) pontos, é atribuída à
resposta a classificação de zero (0) pontos.

DLR – Professora Cristina Pimentel


Página 2/3
Português 11º ano
Teste
Nota – Para efeitos de contagem, considera-se uma palavra qualquer sequência delimitada por espaços em branco, mesmo quando
esta integre elementos ligados por hífen (ex.: /dir-se-ia/). Qualquer número conta como uma única palavra, independentemente dos
algarismos que o constituam (ex.: /2008/)

DLR – Professora Cristina Pimentel


Página 3/3