Você está na página 1de 5

FICHA DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS – 7.

º ano
Nome: ______________________________________ Nº: ____ Turma: ___ Data: ____/____/____

GRUPO I
Texto A
Lê atentamente o seguinte regulamento.

DIA MUNDIAL DA POESIA


CONCURSO FAÇA LÁ UM POEMA
2010-2011
Regulamento
1. O concurso Faça lá um poema 6. Só serão consideradas válidas as
decorrerá entre dezembro de 2010 e inscrições com os dados de identificação da
março de 2011, destinando-se a premiar escola e dos participantes e submetidas
poemas escritos por alunos dos seguintes dentro do prazo.
níveis educativos:
7. Os trabalhos serão avaliados por um júri
• 1.o Ciclo do Ensino Básico
de cinco elementos designados pelo Plano
• 2.o Ciclo do Ensino Básico
nacional de leitura e pelo Centro Cultural
• 3.o Ciclo do Ensino Básico
de Belém.
• Ensino Secundário
8. Os trabalhos que não corresponderem às
2. A participação no concurso é
cláusulas do presente regulamento serão
individual.
desclassificados.
3. Calendarização das atividades
9. Não haverá recurso das decisões do
• Seleção dos melhores trabalhos pelas
júri.
escolas agrupadas (máximo de 1 poema
por cada nível de ensino) e respetivo 10. Os prémios a atribuir aos três
envio para a sede do agrupamento – até primeiros classificados de cada nível de
21 de janeiro de 2011. ensino serão anunciados oportunamente.
• Submissão do formulário pela sede do 11. As escolas dos alunos premiados serão
agrupamento, com os trabalhos sele- contempladas com um conjunto de livros.
cionados. (máximo 4 por sede de agrupa-
mento, 1 poema por cada nível de 12. Os trabalhos premiados serão divulga-
ensino) – até 4 de fevereiro de 2011. dos no Sítio dos Concursos no Portal do
PNL.
4. Não há qualquer tema obrigatório para
os poemas a concurso. 13. Os premiados serão convidados a apre-
sentar pessoalmente os seus trabalhos na
5. O formulário do concurso deverá ser cerimónia pública de entrega dos prémios,
devidamente preenchido no endereço do a realizar em 20 de março de 2011 (Dia
Plano nacional de leitura e submetido Mundial da Poesia), no CCB – Centro Cul-
por um professor responsável. tural de Belém – Lisboa.
(http://sipnl.planonacionaldeleitura.gov.
pt/login.jsp) 14. Os encargos com o transporte e o alo-
jamento dos premiados serão da responsa-
bilidade da organização do concurso.

http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/Concursos/upload/ficheiros/regulamento_flp
(1).pdf (adaptado)
Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.

1. Para cada uma das questões seguintes, indica a letra correspondente à alternativa que
completa cada afirmação, de acordo com a informação presente no regulamento.

1.1. Um regulamento é
a) uma narrativa.
b) uma descrição.
c) uma enumeração de normas.
d) um texto de opinião.

1.2. O concurso Faça lá um Poema


a) decorre no ano de 2010.
b) decorre no ano de 2011.
c) inicia-se em 2010 e termina em 2011.
d) realiza-se em 2012.

1.3. O concurso está aberto


a) a todos os alunos dos ensinos básico e secundário.
b) exclusivamente a alunos do ensino básico.
c) exclusivamente a alunos do ensino secundário.
d) a alunos dos 2.o e 3.o ciclos do ensino básico e do ensino secundário.

1.4. O formulário do concurso deverá


a) ser enviado pelo correio.
b) preenchido diretamente na página da internet do Plano nacional de leitura.
c) entregue pessoalmente no Ministério da Educação.
d) ser recolhido por um responsável do Plano nacional de leitura.

2. Identifica as afirmações verdadeiras (V) e falsas (F).

a) Cada escola pode concorrer, no máximo, com quatro poemas.


b) Os poemas devem obedecer a um tema obrigatório.
c) Não serão aceites trabalhos fora do prazo.
d) Os cinco elementos do júri são designados pela escola.
e) Os concorrentes não podem recorrer da decisão do júri.
f) As escolas pagarão o transporte e o alojamento dos alunos concorrentes.

2.1. Corrige as frases falsas.

2
Texto B

MAR

Mar!
Tinhas um nome que ninguém temia:
Era um campo macio de lavrar
Ou qualquer sugestão que apetecia...

Mar!
Tinhas um choro de quem sofre tanto
Que não pode calar-se, nem gritar,
Nem aumentar nem sufocar o pranto...

Mar!
Fomos então a ti cheios de amor!
E o fingido lameiro, a soluçar,
Afogava o arado e o lavrador!

Mar!
Enganosa sereia louca e triste!
Foste tu quem nos veio namorar,
E foste tu depois que nos traíste!

Mar!
E quando terá fim o sofrimento!
E quando deixará de nos tentar
O teu encantamento!

Miguel Torga, Poemas Ibéricos

Responde, de forma completa e bem estruturada, aos itens que se seguem.

1. O sujeito poético faz uma evocação do mar. De acordo com a primeira estrofe, quais os
sentimentos que o lhe desperta?
1.1. Identifica o recurso expressivo utilizado no verso “Era um campo macio de lavrar” e
comenta a sua expressividade.

2. Transcreve, da primeira e última estrofes, duas palavras diferentes que mostrem a presença
de um “tu” no poema.
2.1. De acordo com o sentido do poema, identifica esse “tu” e refere o recurso expressivo
utilizado na sua caracterização.
2.2. O sujeito poético insere-se num coletivo, presente na forma verbal “fomos então a ti
(…)”. Na tua opinião, a quem se refere esse “nós”?

3
3. O poema pode dividir-se em dois momentos: o apelo irresistível do Mar e as suas
consequências. Indica as estrofes que correspondem ao primeiro momento e ao segundo.

3.1. Transcreve o verso que liga esses dois momentos.

4. O primeiro verso de cada estrofe repete-se. Explica a intenção dessa repetição.

5. Partindo da quarta estrofe, caracteriza a sereia.

6. Explica os dois últimos versos do poema.

7. Atenta agora na forma do poema.

7.1. Diz por quantas estrofes é constituído e classifica-as quanto ao número de versos.
7.2. Faz o esquema rimático das duas primeiras estrofes e classifica a rima dessas estrofes.
7.3. Faz a divisão em sílabas métricas dos versos transcritos nas alíneas abaixo e regista o
número se sílabas métricas existente em cada um.
a) “E o fingido lameiro, a soluçar,”
b) “O teu encantamento!”

GRUPO II

1. Atenta na frase: O lameiro afogava o arado e o lavrador.

a) Substitui o sujeito e o complemento direto por pronomes pessoais.


b) Reescreve a frase depois de transformada na negativa.

2. Associa a expressão sublinhada na coluna A à função sintática que lhe corresponde na coluna B.

COLUNA A COLUNA B
a) Chegou o professor 1) Complemento indireto
b) Ontem, o Pedro ficou em casa. 2) Complemento direto
c) Ele colocou as compras em cima da mesa. 3) Predicativo do sujeito
d) Vieram no dia combinado. 4) Predicado
e) Os alunos portaram-se bem. 5) Sujeito
f) Dei os parabéns à Bruna. 6) Complemento oblíquo

3. Classifica as orações sublinhadas nas frases seguintes.


a) Ofereço-te um diário, logo que faças anos.
b) Ele adoeceu porque apanhou frio.

4
c) Fiz um poema bonito com as palavras que aprendi.
d) Visto roupa prática mal chego a casa.

4. Associa cada forma verbal sublinhada nas frases da coluna A à subclasse que lhe corresponde
na coluna B.

COLUNA A COLUNA B
a) Fiquei curioso ao ler este poema. 1) Verbo principal intransitivo
b) Miguel Torga escreveu muitos poemas. 2) Verbo principal transitivo direto
c) Ofereci um livro de poesia ao meu pai. 3) Verbo principal transitivo indireto
d) Ele adormeceu tranquilo. 4) Verbo principal transitivo direto e indireto
e) Ele saiu de casa. 5) Verbo copulativo

5. Completa as frases, escrevendo os verbos destacados nos tempos e nos modos apresentados
entre parênteses.
a) Se a Carlota (estudar: Pretérito imperfeito do conjuntivo) mais, (ter: Condicional)
melhores notas.
b) Eu gostava que tu (fazer: Futuro do conjuntivo) bem o trabalho.
c) Nós (trazer: Pretérito perfeito do indicativo) tudo o que (ser: Pretérito imperfeito do
indicativo) necessário.
d) Os livros não (caber: Pretérito perfeito do Indicativo) no meu cacifo.
e) A professora perguntou aos alunos se (gostar: Pretérito mais-que-perfeito composto do
Indicativo) do poema de Miguel Torga?
f) Se os portugueses (temer: Pretérito imperfeito do conjuntivo) o mar, não teriam
descoberto tantas terras desconhecidas.

GRUPO III

Escreve um texto narrativo, com um mínimo de cento e vinte palavras e um máximo de duzentas,
em que relates uma viagem ao fundo dos oceanos. Nessa viagem, poderás ter encontros maravilhosos
e agradáveis. Na tua narrativa deves incluir a descrição do espaço e de um ser que observaste.