Você está na página 1de 2

Cópia não autorizada

JUN 2000 NBR 8689


Veículos rodoviários automotores
leves - Combustíveis para ensaio -
ABNT – Associação Gasolina, álcool e suas misturas
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 28º andar
CEP 20003-900 – Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro – RJ
Tel.: PABX (21) 210-3122
Fax: (21) 220-1762/220-6436 Origem: Projeto NBR 8689:1999
Endereço eletrônico:
www.abnt.org.br ABNT/CB-05 - Comitê Brasileiro de Automóveis, Caminhões, Tratores, Veículos
Similares e Autopeças
CE-05:102.02 - Comissão de Estudo de Emissões em Veículos Leves
NBR 8689 - Road vehicles - Fuel for test - Gasoline, alcohol and gasohol
Descriptors: Road vehicles. Fuel. Gas emission
Esta Norma substitui a NBR 8689:1990
Copyright © 2000,
ABNT–Associação Brasileira
Válida a partir de 31.07.2000
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/ Palavras-chave: Veículo rodoviário. Emissão de gás. 2 páginas
Impresso no Brasil
Todos os direitos reservados
Combustível

Prefácio
A ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo
conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB) e dos Organismos de Normalização Setorial
(ABNT/ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas
fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).
Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no âmbito dos ABNT/CB e ABNT/ONS, circulam para Consulta Pública entre
os associados da ABNT e demais interessados.
Esta Norma cancela e substitui a NBR 8689:1990.
1 Objetivo
Esta Norma fixa as condições exigíveis da gasolina, do álcool e do gasool como combustíveis a serem utilizados em
ensaios de medição de consumo e de emissões de veículos rodoviários automotores leves definidos na NBR 6601, equi-
pados com motores ciclo Otto, bem como em ensaios que exijam a utilização de um combustível como referência.
2 Referências normativas
As normas relacionadas a seguir contêm disposições que, ao serem citadas neste texto, constituem prescrições para esta
Norma. As edições indicadas estavam em vigor no momento desta publicação. Como toda norma está sujeita a revisão,
recomenda-se àqueles que realizam acordos com base nesta que verifiquem a conveniência de se usarem as edições mais
recentes das normas citadas a seguir. A ABNT possui a informação das normas em vigor em um dado momento.

Portaria DNC 42:1994 - Método de ensaio para a determinação do teor de álcool anidro existente na mistura álcool ani-
dro/gasolina

Resolução CNP 01:1985 - Álcool etílico anidro e hidratado para uso como combustível-padrão em ensaios de consumo
e emissão
Resolução CNP 01:1989 - Gasolina-padrão para ensaio de consumo e emissões

NBR 5800:1975 - Amostragem de petróleo e derivados líquidos para fins quantitativos - Procedimento

NBR 6601:1995 - Veículos rodoviários automotores leves - Determinação de hidrocarbonetos, monóxido de carbono,
óxidos de nitrogênio e dióxido de carbono no gás de escapamento - Método de ensaio

NBR 7148:1992 - Petróleo e derivados - Determinação da densidade - Método do densímetro

NBR 13992:1997 - Gasolina automotiva - Determinação do teor de álcool etílico anidro combustível (AEAC)
NBR 14525:2000 - Combustíveis - Determinação de goma por evaporação
Cópia não autorizada

2 NBR 8689:2000

3 Definição

Para os efeitos desta Norma, aplica-se a seguinte definição:

3.1 gasool: Combustível veicular composto predominantemente por gasolina, contendo álcool etílico anidro combustível.

4 Condições específicas

4.1 Para veículos movidos a gasolina, o combustível para ensaio deve ser a gasolina especificada conforme:

a) Resolução CNP 01/89 ou sucedânea;

b) especificação do solicitante do ensaio;


c) exigências legais.

4.2 Para os veículos movidos a álcool etílico hidratado combustível (AEHC), o combustível para ensaio deve ser conforme:

a) Resolução CNP 01/85 ou sucedânea;

b) especificação do solicitante do ensaio;


c) exigências legais.

4.3 Para os veículos movidos a gasool, o combustível para ensaio deve ser a mistura da gasolina especificada conforme a
Resolução CNP 01/89 ou sucedânea, com álcool etílico anidro combustível (AEAC) especificado conforme a Resolução
CNP 01/85 ou sucedânea, na proporção de (22 ± 1)% em volume de AEAC, mantidas as condições prescritas em 4.3.5.

4.3.1 Nos ensaios onde a perda de pressão de vapor do combustível tenha influência nos resultados, os combustíveis a se-
rem utilizados na preparação da mistura devem ser previamente resfriados a uma temperatura inferior a 10°C. Nos demais
ensaios, estes combustíveis devem estar a uma temperatura inferior a 30°C.

4.3.2 Uma vez preparada e homogeneizada a mistura, esta deve ser amostrada conforme 4.3.4 e o seu teor de álcool
determinado conforme a Portaria DNC 42/94 ou sucedânea ou NBR 13992. Caso o teor de álcool esteja fora do especi-
ficado em 4.3, este deve ser corrigido adequadamente, e a mistura novamente amostrada, e determinado o teor de álcool.

4.3.3 Quando da impossibilidade da preparação do combustível conforme descrito em 4.3.1, deve-se assegurar que a
densidade a 20/4°C do combustível de ensaio esteja entre 0,743 e 0,767, medida conforme a NBR 7148.

4.3.4 Retirar amostra da mistura de acordo com o estabelecido pela NBR 5800, ou através do seguinte procedimento:
utilizar para a retirada de amostra de combustível frascos de vidro âmbar, com batoque ou material de características fun-
cionais equivalentes, tampa plástica e, se necessário, mangueira isenta de contaminantes. Caso o combustível esteja res-
friado, todo o material necessário à amostragem deve ser condicionado à temperatura deste.

4.3.5 De forma a assegurar a qualidade da mistura, esta deve ser armazenada em uma das seguintes formas:

a) em recipiente fechado à temperatura inferior a 10°C; ou


b) em recipiente fechado à temperatura inferior a 30°C. Neste caso, se sua utilização for para ensaios onde a pressão
de vapor do combustível tenha influência nos resultados, antes de ser aberto para uso, deve-se resfriá-lo até a estabili-
zação térmica em temperatura inferior a 10°C;

c) em outros recipientes fechados. Neste caso, devem ser verificados periodicamente, ou no momento do uso, o teor de
álcool, conforme a Portaria DNC 42/94 ou NBR 13992, que deve ser de (22 ± 1)% em volume e a densidade a 20/4°C,
conforme a NBR 7148, que deve estar entre 0,743 e 0,767.
4.3.6 Para misturas armazenadas há mais de 60 dias, deve-se assegurar que no momento do uso o teor de goma atual,
analisado conforme a NBR 14525, não exceda 5 mg/L.

______________