Você está na página 1de 4

CICLO DE CARNOT

Breve Histórico

No ano de 1824 foi idealizada uma máquina térmica cujo rendimento seria
máximo. Isso foi feito por Carnot, um cientista e engenheiro francês. A máquina foi
desenvolvida e funcionava por um ciclo então chamado “ciclo de Carnot” dado em
homenagem ao criador que o inventou, bem este ciclo atuava entre duas
transformações isotérmicas e duas adiabáticas de forma alternada. Isso permitia que
houvesse uma perda menor de energia para o meio externo.

O que é esse ciclo e qual sua definição?

É um ciclo teórico que proporciona a uma máquina térmica o rendimento


máximo possível. Consiste de transformações como já ditas, sendo estas duas
transformações adiabáticas alternadas com duas transformações isotérmicas, todas
elas reversíveis, sendo o ciclo também reversível.
Um processo reversível para um sistema é definido como aquele que,
tendo ocorrido, pode ser invertido sem deixar vestígios no sistema e no meio.
Considerando-se alguns fatores que tornam os processos irreversíveis,
imagina-se uma máquina térmica que receba calor de um reservatório a alta
temperatura e rejeite calor para um reservatório a baixa temperatura. Em se tratando
de reservatórios, notamos que a temperatura tanto daquele de alta como o de baixa
é constante e assim permanece por causa da quantidade de calor trocada.
Suponha-se que essa máquina térmica, operando entre os reservatórios de alta e de
baixa temperatura, opere num ciclo no qual todos os processos são reversíveis. Se
todos os processos são reversíveis, o ciclo também o é. Assim, invertendo-se o ciclo
de Carnot, a máquina térmica se transformaria num refrigerador.

O ciclo propriamente dito

O ciclo seria, independentemente da substância usada, composto por


quatro processos:
 O primeiro, consiste em uma expansão isotérmica reversível. Neste processo,
o sistema recebe uma determinada quantidade de calor da fonte de
aquecimento.
 O segundo, é uma expansão adiabática reversível, sendo que o sistema não
troca calor com as fontes térmicas.
 O terceiro, por sua vez, é uma compressão isotérmica reversível em que o
sistema cede calor para a fonte de resfriamento.
 E por fim, o quarto processo, trata-se de uma compressão adiabática
reversível em que o sistema não troca calor com as fontes térmicas.

Rendimento e objetivo

O rendimento desta máquina de Carnot é o máximo de uma máquina


térmica que esteja trabalhando entre determinadas temperaturas entre quente e fria.
Esse rendimento, no entanto, nunca chega aos 100%.
O rendimento de uma máquina de Carnot em porcentagem é igual à:

Sendo que é a temperatura da fonte fria medida em Kelvin, e é a


temperatura da fonte quente também medida em Kelvin.
A grande utilidade deste equipamento foi descobrir se uma máquina
térmica teria um bom rendimento, analisando desta forma se é viável para uma
empresa.

Funcionamento

Confira abaixo uma imagem e a explicação do funcionamento desta


máquina na prática.
 Conforme demonstrado na imagem acima, o gás, partindo de “A”, realiza uma
expansão isotérmica “AB”, sendo que recebe o calor de “Q1”.
 Depois, acontece uma expansão adiabática “BC” sem ocorrer troca de calor.
Com temperatura “T2”.
 Da fonte fria se verifica a compressão térmica “CD”, nesta, há a rejeição do
gás da quantidade “Q2” que não se transformou em trabalho.
 “DA” é a compressão adiabática que se completa sem que haja troca de
calor.
Neste experimento, podemos afirmar que:

Além disso, podemos dizer que o rendimento pode ser descrito da


seguinte maneira:

Podemos concluir, com esse experimento, que o para o Ciclo de Carnot, o


rendimento é uma função exclusiva das temperaturas absolutas de ambas fontes:
quentes e frias.
O rendimento máximo para uma máquina térmica é igual à:

E nunca será possível ter T1 = 0 e |T2| > |T1|, portanto é possível


determinar que uma máquina térmica nunca poderá ter o rendimento de 1, ou seja,
ela nunca será capaz de transformar todo o calor que é fornecido em trabalho.

Referência Bibliográfica

CIMM – Centro de informação metal mecânica. Disponível em


<https://www.cimm.com.br/portal/verbetes/exibir/596-ciclo-de-carnot>; Acesso em:
20 de abril de 2018.

Estudo Prático - Ciclo de Carnot. Disponível em


<https://www.estudopratico.com.br/ciclo-de-carnot-rendimento-objetivo-e-
funcionamento/>; Acesso em: 20 de abril de 2018.