Você está na página 1de 17

A TOXICODEPENDÊNCIA

A toxicodependência causa problemas físicos, psicológicos, sociais e financeiros. É chamado de


dependência de drogas ao estado psíquico e às vezes físico causado pela interação entre um
organismo vivo e uma droga. Caracterizado por modificações comportamentais e por outras
reações que sempre compõem um impulso irreprimível para levar a droga de forma contínua ou
periódica para experimentar seus efeitos psíquicos e às vezes para evitar o desconforto
produzido pela privação.

Ao falar sobre dependência de uma droga refere-se ao uso compulsivo deste, mas é necessário
diferenciar a dependência física e psíquica. Na primeira, a síndrome de abstinência está
presente quando o paciente deixa de consumir e, no segundo, a síndrome não se apresenta.

Deve entender-se que o adicto permanecerá um viciado enquanto viver, ou seja, que o
indivíduo seja reabilitado para viver sem consumir a droga e, a partir de então, ele será um
viciado em remissão, não usará a droga, permanecer nesse estado de abstinência ou remissão
não pode diinuir sua guarda

Que são as drogas?

Estas são substâncias cujo consumo pode levar à dependência, estimulação ou depressão do
sistema nervoso central, ou que resultam em uma desordem na função de julgamento,
comportamento ou humor da pessoa.

É qualquer substância capaz de alterar o organismo e sua ação psíquica exerce sobre o
comportamento, a percepção e a consciência. A dependência de drogas é o consumo excessivo,
persistente e periódico de todas as substâncias tóxicas. O termo fármacos vistos desde um
ponto de vista estritamente científico é o princípio ativo, matéria-prima. Nesse sentido, a droga
pode ser formalmente comparada dentro da farmacologia e dentro do medicamento com um
medicamento, ou seja, drogas e drogas podem ser usadas como sinônimos. As drogas são um
produto químico utilizado no tratamento ou prevenção de doenças. As drogas podem ser feitas
de plantas, minerais, animais ou por síntese.

Há uma segunda concepção de natureza social, segundo a qual as drogas são substâncias
proibidas, prejudiciais à saúde, que são abusadas e que, de alguma forma, trazem danos
individuais e sociais. Então, temos o problema em que essas substâncias atuam, uma vez que
todas essas drogas têm um elemento básico no organismo que é o sistema nervoso central, que
é a estrutura mais delicada e a mais importante que tem o ser humano e se essas substâncias
atuam nessas estruturas danificando-os, prejudicando-os, sem dúvida, constituem um elemento
sério e perigoso para a comunidade, para saúde individual e logicamente para saúde pública.

Drogas de acordo com seu grau de dependência

Os medicamentos "Duras" são aqueles que causam uma dependência física e psicossocial, ou
seja, que alteram o comportamento psíquico e social do viciado, como o ópio e seus derivados,
álcool, anfetaminas e barbitúricos. "Soft" , são aqueles que criam apenas uma dependência
psicossocial, dentre as quais são derivados do cânhamo, como hachís ou maconha, cocaína,
ácido lisérgico, mais conhecido como LSD, bem como tabaco. Esta divisão de dura e macia é
questionada, e pode-se dizer que as mais difíceis são ruins e as macias são boas ou menos ruins,
mas administradas nas mesmas doses podem ter os mesmos efeitos nocivos.
A dependência é o estado do indivíduo pelo qual ele constantemente cria e mantém o desejo
de ingerir alguma substância. Se esse desejo é mantido por mecanismos metabólicos e sua
ausência cria uma síndrome de abstinência, é chamada de dependência física. Se a dependência
é mantida por mecanismos psicossociais, geralmente é definida como dependência psíquica ou
psicossocial. As drogas são divididas em narcóticos, como o ópio e seus derivados morfina,
codeína e heroína; estimulantes como café, anfetaminas, crack e cocaína e alucinógenos como
LSD, mescalina, peyote, fungos de psilocibina e derivados de cânhamo, como o haxixe.

Tipos de drogas de acordo com seus efeitos

NARCÓTICA:

A palavra narcótico é uma palavra grega que significa "coisa capaz de adormecer e sedar". Esta
palavra é freqüentemente usada para se referir a todos os tipos de drogas psicoativas, isto é,
aqueles que atuam na psique do indivíduo, podem ser divididos em:

Opium, opiáceos e substitutos sintéticos.

Neurolépticos ou tranquilizantes principais.

Anxiolíticos ou tranquilizantes menores.

Somnifers ou barbitúricos.

Grandes narcóticos ou anestésicos gerais.

É uma droga com diferentes composições e origens, que têm em comum o seu efeito sobre o
organismo, mesmo que se manifeste de maneiras diferentes e em diferentes graus.

Neurolépticos ou tranquilizantes maiores:

Estes são substâncias utilizadas no tratamento da depressão, mania e psicose, e muitos deles
são vendidos sem receita médica na maioria das farmácias, entre estes estão fenotiazinas,
haloperidol e reserpina.Producen um estado de indiferença emocional, sem alterar as funções
de percepção ou intelectuais, altamente tóxicos, têm efeitos secundários, tais como o
parkinsonismo, a destruição de células do sangue, arritmia cardíaca, anemia, tonturas, entre
outros.

Ansiolíticos ou tranquilizantes menores:

Comumente usado para tratar a neurose, esses medicamentos representam metade de todas
as drogas psicotrópicas consumidas no mundo, embora eles produzem a síndrome de
abstinência muito grave. Na maior função doses como hipnóticos ou indutores do sono: alguns
usados como relaxantes musculares.Producen letárgico, estupor e coma, com relativa
facilidade. Abandonar o seu consumo Episódios Depressivos, agitação ou insónia pode ocorrer.

SOMNIFEROS O BARBITÚRICOS:

Seu uso pode causar danos no fígado ou nos rins, produzir erupções cutâneas, dores nas
articulações, nevralgias, hipotensão, constipação e tendência ao colapso circulatório.

A intoxicação aguda pode levar à morte. A dependência física é gerada entre 4 ou 6 semanas.

GRANDES NARCÓTICAS
Existem várias substâncias usadas na anestesia geral que merecem ser incluídas neste grupo por
sua capacidade de produzir estupor e estupefação, maior que o de qualquer narcótico no
sentido estrito. Em doses leves produz uma primeira fase de excitação cordial, como álcool e
depois sedação e sono. Eles também geram tolerância e, conseqüentemente, dependência, o
que pode levar à intoxicação aguda e até à morte.

OPIO E SEUS DERIVADOS:

Com o nome popular de papoula de ópio ou papoula é conhecida a fruta a partir da qual o ópio
e seus derivados são obtidos. É um pó torrado. É extraído dos grãos contidos na fruta e, entre
os seus usos medicinais, a supressão da dor, o controle de espasmos e o uso como antitússico.
Entre os seus derivados estão a morfina, a heroína, a metadona e a codeína, todos os quais
podem proporcionar benefícios terapêuticos extraordinários se forem prescritos e controlados
por um médico. Os opiáceos são apresentados como um pó para fumar ou solução para injeção.
Este narcótico produz um estado de euforia e devaneio; uma sensação de êxtase que é
rapidamente reduzida pela tolerância, cujos efeitos físicos são:

Epiderme avermelhada

Alunos contratados

Náusea Diminuição da função respiratória

Perda de reflexos

Falta de resposta aos estímulos

Hipotensão Desaceleração cardíaca

Convulsões Risco da Morte

ALUCINÓGENOS As drogas conhecidas como alucinógenos são drogas que causam distúrbios
psíquicos que afetam a percepção. A palavra "alucinógena" refere-se a uma distorção na
percepção de visões, audições e uma geração de sensações irreais. Alucinação é um sintoma
grave de psicose da mente e sua aparência distorce conhecimento e alucinógenos voluntad.Los
são considerados psicodélicos que inibem os mecanismos de defesa do ego, e facilitar a
distribuição da sensibilidade e a aparência das imagens desconcertante

LSD (ÁCIDO LYSERGICO)

O LSD é uma substância semi-sintética, derivada do maconha, este extrato de centrax do


centeio, usado em medicina no final da Idade Média. Também foi amplamente utilizado em
obstetrícia para prevenir hemorragias pós-parto e promover a contração do útero. Inicialmente,
foi usado para fins terapêuticos de alcoólatras, pacientes com câncer e outros pacientes em
estado terminal para ajudá-los a superar o trance. A prática foi subsequentemente abandonada
à medida que os resultados adversos foram verificados, como suicídios devido a imagens
enganosas e visualizações aterrorizantes. Verificou-se também que poderia desencadear
esquizofrenia e várias deficiências mentais.

Descoberto em 1938 é considerado ácido lisérgico como o alucinógeno mais poderoso, embora
não o mais nocivo.

A MDMA
Metilenedioximetanfetamina (MDMA), vulgarmente conhecido como "Ecstasy", "ectasi" ou "X-
TC" é uma droga psicoactiva sintético com propriedades alucinogénicas de grande potencial
para o distúrbio emocional e psicológico, com propriedades semelhantes à anfetamina.
Assemelha-se à estrutura da metilenodioxiamphetamina (mda) e da metanfetamina, outros
tipos de drogas sintéticas que causam danos cerebrais. Durante a década de 1960, foi utilizado
para fins terapêuticos, dado que, de acordo com certos setores da psiquiatria, ajudou a
comunicação e tratamento das neuroses fóbicas. O êxtase produz efeitos psíquicos de grande
potencial perturbador. Inicialmente, o sujeito experimenta sentimentos de confiança e
excitação, que são seguidos por um estado de hiperatividade e um aumento nos pensamentos
mórbidos. Os efeitos do estimulante são diluídos causando distúrbios de psicólogos, como
confusão, problemas de sono (pesadelo, insônia), desejo incondicional de reutilizar drogas,
depressão, ansiedade severa e paranóia. Estes efeitos foram relatados mesmo após várias
semanas de consumo. Também foram relatados casos graves de psicose. Os sintomas físicos
incluem: anorexia, tensão e distúrbios musculares semelhantes aos encontrados na doença de
Parkinson, bruxismo, náuseas, visão turva, desmaie, calafrios e transpiração excessiva.

METANETHAMINA

A pessoa que usa "Ice" pensa que a droga fornece energia instantânea. A realidade é que a
droga acelera o sistema nervoso, fazendo com que o corpo use a energia acumulada. Os efeitos
que ele faz variar o corpo de acordo com a quantidade de droga utilizada. Entre os sintomas
observados estão: lesão nasal quando o medicamento é inalado; secura e pele com coceira;
acne; irritação ou inflamação; aceleração da respiração e pressão sanguínea; lesões do fígado,
pulmões e rins; extenuação quando os efeitos da droga são finalizados (precisa dormir por
vários dias); movimentos repentinos e descontrolados do rosto, pescoço, braços e mãos perda
de apetite; depressão aguda quando os efeitos da droga desaparecem.

MDA:

O MDA é uma droga semelhante a anfetamina que também foi abusada, apresentando efeitos
psicofísicos semelhantes aos da MDMA. Esta droga destrói neurônios produtores de serotonina,
que regulam diretamente a agressão, humor, atividade sexual, sono e sensibilidade à dor.

CANNABIS SATIVA-HACHIS-MARIHUANA:

O Canabis Sativa é um arbusto selvagem que cresce em zonas temperadas e tropicais, com uma
altura de seis metros, sendo extraído de seu hashish de resina. Seu componente mais relevante
é delta-9-THC, a planta contendo mais de sessenta componentes relacionados. De preferência,
é consumido fumado, embora as infusões possam ser feitas com diferentes efeitos. Um cigarro
de maconha pode conter 150 mg. de THC, e alcance o dobro se contiver óleo de hash, o que
pode levar à retirada se consumido de 10 a 20 dias. A dependência é considerada
principalmente psíquica. Os sintomas característicos da intoxicação são: ansiedade,
irritabilidade, tremores e insônia. Pode ser apresentado em diferentes padrões de consumo,
seja nas folhas que são fumadas diretamente, na resina do arbusto ou no óleo removido deste
último. O termo "maconha" é o nome das folhas de cannabis derrubadas, que, após a secagem
e o tratamento, podem ser fumadas (também é conhecida como grama, maconha, maconha,
mota, mafú, (Hashish), o nome Hashish (também conhecido como hashis) é derivado do terrível
assassino árabe (hashiscins), que lutou em as cruzadas nos anos 1090 e 1256. O hash é obtido a
partir da inflorescência de cânhamo feminino, substância resinosa que vem na forma de folhas
compactas com um cheiro característico.

Durante os anos sessenta começa o consumo quase enorme de maconha, bem como outros
alucinógenos como peyote, LSD, etc.

Apesar de ser uma substância ilegal, seu consumo continua a aumentar. A maconha comum
contém uma média de 3% de THC e pode atingir 5,5%. A resina tem de 7,5% atingindo até 24%.
O hash (resina gomosa das flores das plantas femininas) tem uma média de 3,6%, mas pode ter
28%. O óleo de Hashish, um líquido grosso e resinoso que é destilado do hashish, tem uma
média de 16% de THC, mas pode crescer para 43%.

THC afeta as células cerebrais responsáveis pela memória. Isso faz a pessoa difícil lembrar de
eventos recentes (como o que aconteceu há alguns minutos atrás), e torna difícil para ele
aprender enquanto estiver sob a influência da droga.

STIMULANTES Tradicionalmente utilizados para combater a fadiga, a fome e o desânimo, os


estimulantes causam maior resistência física transitória graças à ativação direta do sistema
nervoso central.

STIMULANTES VEGETAIS:

Café, chá, companheiro, cola, caco, betel e coca são plantas que crescem em muitas partes do
mundo, embora muitas vezes sejam consumidas várias vezes no dia, são substâncias tóxicas que
apresentam efeitos colaterais. os estimulantes de plantas são considerados seguros, é
aconselhável moderar o consumo, uma vez que são substâncias tóxicas que podem produzir
efeitos colaterais nocivos.

A coca COCALa, folha do arbusto indiano americano, pertence ao grupo de estimulantes. Seu
consumo é ancestral em certas partes da América Latina, onde é uma prática comum mastigar
as folhas. Seu efeito no sistema nervoso central é menor que o da cocaína. A coca é consumida
por mastigação com algum pó alcalino, como cinzas ou limas. Também é fumado sozinho e
misturado com tabaco e maconha. Está provado ter sintomas de abstinência, depressão, fadiga,
toxicidade e alucinações.

STIMULANTES QUÍMICOS

A COCAINA

É um poderoso estimulante de curta duração que atua no sistema nervoso central. A cocaína
vem da coca que cresce na América do Sul. A cocaína (cloridrato de cocaína) de maior consumo
nos Estados Unidos é um pó branco e cristalino extraído das folhas de coca. A cocaína comprada
na rua é uma mistura de cocaína pura e outras substâncias que são adicionadas para aumentar
o estoque e os lucros do vendedor. Essas substâncias com as quais são misturadas são: talco.
Farinha, laxantes, açúcar, anestésico local e outros estimulantes e cocaína polvos.La fumável é
precisamente obtido na rua, que se torna base pura para remover o sal cloridrato e outras
substâncias faia adicionado. A única maneira de apresentá-lo ao sistema é fumar.

SINTOMAS DO USO DA COCAINA:

Tendências suicidas

Mudanças drásticas de humor


Perda de amigos e valores antigos

Abortos / malformações congênitas em crianças de mães consumidoras

Perder peso como resultado da perda de apetite

Dor de cabeça crônica

Doenças respiratórias

Deficiência de vitaminas

AddictionCrime e prisão

Morte

SINAIS DO USO DE COCAINA:

Pupilas dilatadas

Boca seca e nariz, mau hálito, úlcera frequente dos lábios

Actividade excessiva, dificuldade em ficar quieto

Talker, mas a conversa não tem continuidade

Nariz desmamado, catarro ou sinusite crônica / problemas nasais

Queda repentina nas notas da escola e desempenho no trabalho

Facilidade de cair em problemas ou susceptibilidade a acidentes

Uso ou posse de parafernália, incluindo colheres de chá, lâminas de barbear, espelhos. Garrafas
pequenas com pó branco,

absorventes de plástico, vidro ou metal, tubos de vidro e tochas ou tochas em miniatura.

A cocaína é uma das drogas mais adictivas por aí, como seu efeito, embora forte seja de curta
duração.

OUTRA MANEIRA DE UTILIZAR COCAINE:

PASTA DE BASE

Também chamado de "crack, bazuco" forma mais perigosa de cocaína fumável é uma pasta de
cocaína feita usando gasolina ou ácido sulfúrico para extrair uma massa passel de ser fumado, a
massa é seca e fumada em um tubo ou triturados para fazer uma cigarro

A cocaína pode ser usada com outras drogas para produzir uma variedade de efeitos. Uma
euforia de cocaína é freqüentemente seguida de uma queda de 30 a 60 minutos ou mais.
Durante o acidente, o consumidor sente-se cansado, ansioso e irritado. O uso de cocaína
proporciona alívio imediato a esses sintomas e cria um ciclo de uso para evitar os efeitos
desagradáveis resultantes. Geralmente, quanto maior a euforia, pior as conseqüências do
colapso. A síndrome de retirada, seguida do uso prolongado e extensivo da droga, pode causar
irritação, náuseas, agitação, distúrbios do sono, depressão aguda, dores musculares e ansiedade
intensa para a droga.

AMPETAMINAS
Eles foram sintetizados pela primeira vez entre a última década do século XIX e a primeira
década do século XX. Os primeiros experimentos clínicos começaram em 1930, e desde 1935 foi
amplamente comercializado no Reino Unido, França e Alemanha. Durante a Segunda Guerra
Mundial, foi utilizado indiscriminadamente por todos os lados, dado o caráter eufórico que
contém substância e agressividade.

Anfetaminas foram usadas como estimulantes, em seguida, como inalações para o tratamento
de constipações e congestão nasal, mais tarde como comprimidos enjoo e para diminuir o
apetite no tratamento de obesidade e, finalmente, como um antidepressivo. Eles apresentam
uma alta tolerância que produz habituação e necessidade de dose progressivamente maior.

O consumo desta emocionante é amplamente difundido e distribuído por todas as classes


sociais. Ao contrário do que acontece com a cocaína que consomem de preferência classes
média e alta, as anfetaminas são consumidos tanto por executivos que procuram
overexcitement como donas de casa que procuram uma anoréxica em suas dietas ou
estudantes que se preparam para os exames. Quando eles afetam o sistema ortoestático
causam hipertensão, taquicardia, hiperglicemia, midríase, vasodilatação, eritema, hiperpneia,
hiporexia, etc. O humor do viciado varia de distrofia a hipomania, bem como ansiedade, insônia,
dor de cabeça, tremores e vertigem. Pode haver sintomas depressivos e síndrome da
anfetamina paranóica. Em doses normais, seus efeitos variam de acordo com o indivíduo e as
condições de ingestão. Eles podem produzir efeitos prazeres, hiperatividade e energia
transbordante, mas também causam tremor, ansiedade, irritabilidade, desmotivação e raiva
repentina e distúrbios amnésicos e incoerentes. Na última fase, descrevemos depressão,
imagens paranóicas e delírios paranóicos, alucinações e distúrbios de conduta. Tais situações
ocorrem quando as doses geralmente entregues por via intravenosa excedem dois gramas.
Tomadas em doses significativas são causa de confusão, tensão, ansiedade aguda e medo. O
consumo de anfetaminas produz no corpo os seguintes sintomas: acelera o coração e os
pulmões

Dilate alunos

Reduz o apetite

Produz a secura na boca

Suam

Dores de cabeça

Perda de visão

Tontura

Insônia

Ansiedade

Longo prazo e / ou usado em altas doses causa:

Tremores

Perda de coordenação

Colapso físico
Danos nos rins e nos tecidos

Desnutrição

Aumento repentino da pressão arterial que pode levar à morte por acidente vascular cerebral,
febre muito alta ou insuficiência cardíaca.

O que é dependência de drogas?

A toxicodependência, a toxicodependência ou também o adicto a substâncias psicoativas é a


NECESSIDADE EMPÍRICA de que uma pessoa tem que consumir bebidas alcoólicas ou outros
tipos de drogas (maconha, cocaína, inalantes, tranquilizantes, alucinógenos, etc.). apesar do
consumidor consumir as conseqüências negativas produzidas no momento de consumi-las ou
depois de deixar de usá-las. É mais uma necessidade psicológica do que a Física.

Em nosso país é um problema que está aumentando todos os dias, envolvendo menores e mais
mulheres do que se imagina. Dizem que 10 a 15 de cada 100 pessoas têm problemas com o
consumo de álcool ou por causa do uso de drogas ilegais ou medicamentos prescritos obtidos
por algum método impróprio. Também é dito que das 10 a 15 de cada 100 pessoas, pelo menos
2 ou 3 são mulheres. Não estamos falando de todas as pessoas em geral, mas apenas daquelas
que se enquadram na faixa de 14 a 60 anos de idade, o que significa as idades mais produtivas
na vida de qualquer um.

O vício é: uma doença primária, progressiva e fatal.

PRIMÁRIO: Esta palavra significa "primeiro" ou aparece primeiro. Muitas pessoas pensam que a
toxicodependência ocorre mais tarde ou é o resultado de um problema como doença mental,
um "trauma" sofrido durante a infância ou algo parecido. Se assim for, diríamos que é uma
doença secundária, ou seja, é uma conseqüência direta de outro problema mental ou
emocional, ou seja, que o problema mental apareceu pela primeira vez e, em conseqüência,
veio o vício em drogas.

Esta é uma ideia algo anacrônica e não completamente verdadeira.

A ciência contemporânea já corrigiu esse ponto de vista. A realidade é que o vício em álcool ou
drogas pode ser sofrido por qualquer pessoa, com ou sem doença mental, e deve ser tratada
primeiro, isto é, antes de qualquer outro problema emocional ou mental e isso simplesmente
significa que a pessoa tem que você aceita que está doente e que deve abster-se de continuar a
usar drogas ou álcool, além de solicitar ajuda de especialistas no campo. Alguns pesquisadores
científicos dizem que é possível saber de antemão se uma pessoa vai ser viciada ou não em
algum momento da vida.

Esses estudiosos afirmaram que, desde uma idade precoce, uma criança se comporta de uma
maneira que prepara o terreno para o desenvolvimento de álcool ou toxicodependência alguns
anos depois. Eles falam sobre crianças muito nervosas, hiperativas e instáveis. Essa idéia não é
nova. Mas também temos que dizer que essas crianças podem mudar a forma como se
comportam quando são pressionadas pela família ou ambiente social ou, simplesmente,
quando atingem a puberdade, podem sofrer mudanças no seu modo de ser devidas mais às
crises deste estágio da vida e, portanto, essa suposta personalidade "pré-adictiva" (risco de se
tornarem viciados) desaparece para sempre.

PROGRESSO: Significa simplesmente que as coisas irão piorar e pior, desde que a pessoa não
seja atendida. Muitos viciados, seus parentes, amigos pensam que, fazendo uma boa conversa
com a pessoa problemática, dando-lhes alguns conselhos ou repreensão, isso vai parar de usar
drogas ou abusar de bebidas alcoólicas e as coisas vão mudar. Infelizmente, não é assim no caso
de verdadeiros alcoólatras e adictos. É necessária assistência especializada. É muito provável
que, depois dessas conversas interessantes e intensas, em que o tempo, a energia e a
inteligência foram investidos, a pessoa viciada e voluntária ou voluntária a prestar, ambos
convencidos de que algo bom acontecerá em breve, mas Depois de alguns dias ou horas, as
coisas vão voltar como antes ou pior. Algumas pessoas assumem que parar por algum tempo
consumir sua droga preferida, fugir dela por semanas ou meses, se tornarão melhores
argumento para provar a si mesmo e aos outros que eles não têm nenhum problema e que
podem parar de beber ou chegar alto quando querem ou se propõem a ele. A realidade é que,
no fundo, ele estará contando as horas e os minutos em que este termo está terminado para
re-consumir a droga de forma ilimitada.

Durante o período de abstinência em que a pessoa não estava envolvida com o uso de álcool ou
drogas, seu desejo de fazê-lo não diminuiu, pelo contrário, ele foi aumentado e toda a energia
contida desse desejo desaparecerá no momento do consumo ou use drogas.

MORTAL: Isso parece fácil de entender: como as pessoas viciadas consomem mais drogas ou
álcool, correm maior risco de morrer por uma overdose. Mas esse ponto não é o único que
torna esta doença mortal. Há outros muito importantes.

Você também pode morrer em um acidente rodoviário dirigindo com intoxicação; da mesma
forma que você pode perder sua vida em uma ação judicial por golpes ou por lesões causadas
por uma arma ou arma de fogo, situações que comumente são encontradas quando as pessoas
estão intoxicadas por álcool ou drogas, ou mesmo morrem por não ingerir alimentos ou fluidos
vitais, uma vez que a maioria das drogas tira a fome e às vezes até a sede; da mesma forma que
pode simplesmente ser sucumbido porque, enquanto o álcool ou as drogas estão sendo
abusados, o significado da vida é perdido e o suicídio é alcançado e isso é algo que acontece
com uma grande quantidade de alcoólatras e adictos, e finalmente pode perecer por Razão
simples de que a maioria dos adictos tenha dificuldade em parar de usar álcool ou drogas, o que
causará uma deterioração progressiva das funções vitais do corpo até que pare de funcionar.

ADICIONAMENTO AO ÁLCOOL E / OU OUTRAS DROGAS

É uma doença porque apresenta sintomas claros e definidos e quatro fases principais do
processo da doença, onde esta série de sintomas são apresentados em cada uma das etapas e
terminando com a morte do alcoólatra ou viciado se não for atendida tempo. Alguns exemplos
desses sintomas são:

Para esquecer o que a pessoa estava fazendo enquanto intoxicado ("lagoas mentais"), Deitado
para poder continuar a consumir, Roubar objetos ou dinheiro da casa para obter álcool ou
drogas, Justifique sua maneira de beber ("Eu não mentindo ruas, eu posso controlar "ou" faz
parte do meu trabalho "), Defenda o efeito" positivo "do uso de drogas (" Eu uso para estudar
ou melhorar minhas notas na escola "), Use desculpas irracionais (" Ninguém me quer "),
Sentimentos de culpa, Ilusão de grandeza, Comportamento hostil para intimidar e tentar
controlar a família, períodos de Abstinência para mostrar que ele pode deixar álcool ou drogas
(" Eu posso parar de usar sempre que eu quiser "), Apatia progressiva em relação a outras coisas
além do álcool e / ou drogas de sua preferência, ressentimentos e medos múltiplos,
hospitalizações para desintoxicação ou desintoxicação domiciliar, minimizando o efeito (" a
maconha não faz mal, é um produto natural " , "cerveja não contém tanto álcool"), etc.
Como as pessoas começam a ter esse problema?

Não necessariamente devido a complicados problemas emocionais crônicos que requerem


tratamento psiquiátrico. Embora seja preciso reconhecer que o fato de uma pessoa ter graves
dificuldades afetivas ou de adaptação, isso pode facilitar o início do consumo, mas não
necessariamente a principal causa da doença. Os motivos pelos quais a maioria começa na o
consumo é mais simples de entender. Alguns deles são analisados abaixo.

PRIMEIRO: Curiosidade: talvez seja o motivo mais frequente, a curiosidade, ou seja, querendo
saber o que é como consumi-los porque há tanta desinformação ou distorção sobre álcool e
drogas e há tanto desinformação de que algumas pessoas, especialmente adolescentes
(homens e mulheres), querem saber o que pode acontecer se forem testadas e aceitas para
fazê-lo ignorando os efeitos imediatos e as conseqüências a curto ou médio prazo (as
conseqüências a longo prazo são poucas e fáceis de entender: Danos irreversíveis à saúde,
insanidade e / ou morte).

SEGUNDA RAZÃO: A Pressão dos "Pares" (conhecidos ou amigos do bairro). Às vezes, é muito
importante se sentir aceito em um grupo de amigos da escola ou do bairro e, infelizmente, em
algumas dessas clínicas ou gangues foi posto de beber álcool sem controle ou também ingerir
algum medicamento ilegal ou algum medicamento que exija prescrição médica especial, mas
que seja obtido de outras maneiras.

Para pertencer a esses grupos ou para permanecer neles, você tem que fazer o que os outros
fazem e algumas pessoas têm uma grande necessidade de pertença, então eles aceitam o que
eles pedem, embora eles saibam que estão arriscando algumas conseqüências negativas. Com
esta pressão de pares, é difícil contra-lo com repreensão ou "sermões" ou apontando para as
terríveis conseqüências do uso de drogas. Existem outras formas mais eficazes.

TERCEIRA RAZÃO: A NECESSIDADE DE IMITAR OS OUTROS Quando uma pessoa quer alcançar
seu próprio estilo pessoal de ser e agir, ele primeiro tenta imitar seus pares que ele admira ou
gosta de como eles se comportam e então ele adquire para si mesmo algo desses estilos de ser,
tornando-os parte de sua personalidade. Muitas pessoas começam com o abuso de álcool ou
drogas por imitação, porque viram outros fazê-lo e, aparentemente, nada de ruim aconteceu
com eles, pelo contrário, parece que eles são bem-sucedidos e o último convida-os a seguir seu
exemplo. Esse fenômeno, o da necessidade de imitar alguém especial, é uma ocorrência natural
em alguns estágios da vida, especialmente durante a puberdade e adolescência. O problema
reside no fato de querer imitar alguém que consome álcool ou drogas.

Deve-se notar que a maioria dos viciados em álcool ou drogas começou a beber bebidas
alcoólicas durante sua puberdade ou adolescência e sob a "autorização" ou convite de uma
pessoa mais velha (familiar ou amigo da família) Parecia que era oportuno que a pessoa
inexperiente aprendesse a sentir o que acontece quando o álcool é consumido. Parece as
nossas sociedades altamente técnicas e "civilizadas" que um adolescente mostra que ele já é
um homem que consome grandes quantidades de bebidas alcoólicas.

QUARTA RAZÃO: Alívio do sofrimento: pelo efeito obtido (alívio ou redução de dor física ou
emocional, evitando fadiga, fome ou tensões) prescrito por um médico por tempo limitado e
que o usuário em questão decida continuar com o use a seu próprio risco. Em muitos casos,
esses medicamentos são obtidos no "mercado negro" ou também usando prescrições falsas.
Toxicodependência como doença

A toxicodependência é considerada uma doença, quando o indivíduo, que consome drogas, está
envolvido e seu organismo e não é mais uma situação psíquica. Além disso, o vício em drogas é
considerada uma doença, quando o tratamento é necessário para sair dela e não pode ser
controlado pelo toxicodependente. A doença pode ser com drogas ilícitas e com drogas, que
foram usadas originalmente para o tratamento de outra doença. A dependência de drogas,
como o vício do álcool, é uma doença, e isso ocorre porque os alcoólatras e os
toxicodependentes têm muitas coisas em comum, incluindo perder o controle sobre si mesmas
quando começam a ingerir sua "droga" favorita (álcool, maconha, tranquilizantes, inalantes,
cocaína, etc.), bem como consumidores As bebidas alcoólicas "fortes", como as de drogas
ilegais ou as de inalantes, podem perder a razão e terminar seus dias em um hospital
psiquiátrico ou também acabar com a vida por uma overdose.

Quais são as conseqüências do abuso de drogas?

- Distúrbios fisiológicos e psicológicos: entre os distúrbios fisiológicos temos síndrome de


abstinência, convulsões, alterações no ritmo cardíaco, deterioração do sistema nervoso central,
etc. Entre os distúrbios psicológicos que temos: alucinações, tendências paranóicas, depressão,
neurose, etc.

- Deterioração e enfraquecimento da vontade: o viciado em drogas torna-se literalmente um


escravo da droga, podendo fazer o que for necessário para obtê-lo.

- Deterioração dos relacionamentos pessoais: o toxicodependente não é mais capaz de manter


relacionamentos estáveis, seja com familiares ou amigos. Muitas vezes ele rouba ou engana
para obter drogas, o que deteriora ainda mais suas relações.

- Baixo desempenho no trabalho ou estudo. Alcança o nível de abandono de metas e planos,


recorrendo à droga como a única "solução".

- Conseqüências sociais: o toxicodependente pode estar envolvido em agressões ou conflitos.


Sob a influência da droga eles podem cometer crimes como assaltos ou assaltos.

- Conseqüências econômicas: o uso de drogas pode se tornar muito caro, levando o viciado em
drogas a alocar todos os seus recursos para manter o consumo.

Como identificar um viciado em drogas

Existem alguns sinais que podem ser identificados como sinais de perigo. Eles nem sempre
indicam a presença de abuso de drogas, mas podem servir como um guia para detectar esse
abuso. Entre estas indicações, temos:

- Mudanças súbitas na personalidade e nos hábitos. - Mudanças de humor excessivas.


Irritabilidade. Susceptibilidade .- queda súbita no desempenho acadêmico ou no trabalho .-
Negligência em aparência e limpeza pessoal .- Desaparecimento de objetos de valor ou dinheiro
em casa .- Tremores, insônia, aparência sonolenta ou sonolenta, incoerente de linguagem.-
Depressão, apatia, falta de motivação - incapacidade de cumprir responsabilidades - isolamento
do habitual grupo de amigos. - Hábitos anti-sociais, como mentir, roubar ou combater. - Crise
nervosa. - Perda de apetite.

CONSEQUÊNCIAS NO USO DE DROGAS


O uso de drogas, legal e ilegal, é um problema de saúde pública muito importante. Os riscos e
danos associados ao consumo variam para cada substância.

Além disso, é necessário levar em consideração variáveis pessoais, como o grau de


conhecimento ou experiência do usuário, sua motivação, etc. e as propriedades específicas de
cada droga, bem como a influência dos elementos adulterantes.

O que torna um vício um vício prejudicial é que ele se vira contra si mesmo e outros. No começo
você obtém alguma gratificação aparente, assim como com um hábito.

Mas, mais cedo ou mais tarde, seu comportamento começa a ter consequências negativas em
sua vida. Os comportamentos aditivos produzem prazer, alívio e outras compensações no curto
prazo, mas causam dor, desastre, desolação e uma grande quantidade de problemas no médio
prazo.

As conseqüências negativas associadas aos vícios afetam muitos aspectos diferentes da vida de
uma pessoa. Essas conseqüências são muito diversas e podem ser agrupadas em dois grupos
principais:

DE ACORDO COM O TIPO

Saúde: o consumo de drogas origina ou intervém na aparência de várias doenças, danos, danos
e problemas orgânicos e psicológicos. Por exemplo: hepatite, cirrose, distúrbios
cardiovasculares, depressão, psicose, paranóia, etc.

SAÚDE PSÍQUICA: Os viciados muitas vezes sofrem de uma ampla gama de distúrbios
psicológicos, como humor negativo e irritabilidade, atitudes defensivas, perda de auto-estima e
intensos sentimentos de culpa.

SAÚDE FÍSICA: A dependência geralmente leva à aparência de uma infinidade de sintomas


físicos, incluindo distúrbios do apetite, úlcera, insônia, fadiga, além de distúrbios físicos e
doenças causadas por cada substância em particular.

SOCIAL: os toxicodependentes são freqüentemente envolvidos em assaltos, desordem pública,


conflitos raciais, marginalização, etc. Quando você começa a precisar de drogas mais do que
outras pessoas podem arruinar ou destruir relacionamentos íntimos e perder amizades . Você
pode parar de participar do mundo, abandonar metas e planos, parar de crescer como pessoa,
não tentar resolver de forma construtiva problemas e recorrer a mais drogas como uma
"solução". O abuso de drogas também pode prejudicar os outros, por exemplo: o dinheiro com
o qual as drogas são pagas pode privar a família de satisfações vitais, como alimentos ou
roupas. Discutir os problemas e situações de dependência pode levar a conflitos familiares.
Reações violentas a drogas podem levar o usuário a cometer assaltos e até assassinatos. Se uma
mulher grávida toma drogas sem supervisão médica, ela pode causar malformações genéticas
no novo ser que está sob gerenciamento.

Legal: Abusar drogas é contra a lei. Os infratores (tanto aqueles que experimentam quanto
aqueles que praticam uso de drogas) correm o risco de ter que pagar multas e / ou prisões.
Uma prisão pode significar constrangimento, interrupção de planos de vida, registros criminais.
Certas drogas podem desencadear violência incontrolável e levar o usuário a crimes que são
severamente puníveis com a lei.

Economia: dado o enorme volume de dinheiro que move o mercado de drogas e o tráfico de
drogas, tanto os consumidores como os países incorrem em grandes dívidas; Bandas
organizadas são criadas; ocorre desestabilização econômica nacional, etc. O uso contínuo de
drogas pode ser muito caro, já que seus custos são centenas e, por vezes, milhares de dólares
por ano. Para suportar o seu hábito, muitos usuários se voltam para o crime. Alocando a maior
parte do dinheiro para comprar drogas, quase não há dinheiro para outras coisas. As economias
estão esgotadas e o empréstimo aparece frequentemente. Às vezes, para poder pagar as
despesas do vício é obrigado a recorrer a atividades ilegais.

Relacionamentos: o relacionamento com a família, os amigos ou o parceiro é alterado, as


discussões freqüentes aparecem, o desinteresse sexual, a comunicação é interrompida, há
perda de confiança, distanciamento, etc.

TRABALHO: Quando uma pessoa tem um vício, muitas vezes tendo tempo para trabalhar para
encontrar ou recuperar do uso de drogas, muitas vezes tarde, há uma redução da
produtividade, deterioração da qualidade do trabalho ou trabalho em si perda.

Comportamento: Obter e usar drogas tornou-se quase mais importante do que qualquer outra
coisa, os adictos tornam-se egoístas e auto-centrados: eles não se preocupam com ninguém
além de si mesmos.

SEGUNDO O NÍVEL

Individual: estes são os danos sofridos pelo próprio usuário de drogas. Comunidade: o consumo
de drogas gera muitas conseqüências negativas para a família do viciado em drogas, nos
amigos, os vizinhos, ... Sociedade: na sociedade produz efeitos sobre a estrutura e organização
do mesmo (aumento das demandas nos serviços saúde, aumento da insegurança cidadã por
crimes contra a propriedade, presença de crime organizado através de redes de
narcotraficantes.

Efeitos das drogas na família

Os membros da família muitas vezes deixam de agir de forma funcional quando tentam lidar
com problemas de drogas em um ente querido, alguns negam que há um problema,
bloqueando seus próprios sentimentos (assim como o viciado em drogas ). Outro membro da
família tenta encobrir os erros cometidos pelo toxicodependente. A dissimulação ocorre
quando um membro da família resgata o viciado ou o ajuda na obtenção do medicamento. Um
dos cônjuges pode tentar ocultar o vício de drogas de seus parceiros. Os membros da família
que negam que há um problema ou permitem que o viciado continue usando o medicamento
são considerados co-dependentes. controlando a vida do viciado e o comportamento dos
familiares e outros entes queridos. A negação, o encobrimento ea co-dependência agravam o
problema. Os membros da família devem procurar tratamento para sua saúde emocional e
outros fatores que giram em torno do problema da droga.

Famílias em risco de seus usuários de drogas

Os membros da família não expressam seus sentimentos.

Somente certos sentimentos são aceitos

As coisas importam mais do que as pessoas.

Existem muitos problemas que não são discutidos (tabus)

Isso obriga todos a serem e pensarem iguais.


As pessoas não têm autocontrole.

Eles vivem em "o que outros dirão" e eles temem a crítica.

Papéis ambíguos, inconscientes e rígidos.

Há uma atmosfera de tensão, mau humor, tristeza e medo

As pessoas não se sentem tão queridas

As regras estão implícitas

O crescimento físico e psicológico é percebido como um problema.

O amor não é expresso verbal ou fisicamente.

Como prevenir a dependência de drogas?

Não se trata simplesmente de proibir a droga ou de controlar sua distribuição. Embora essas
coisas sejam necessárias, o problema do vício em drogas tem suas raízes na própria sociedade.
É por isso que é necessário um compromisso da sociedade como um todo. Pais, professores,
meios de comunicação, instituições, etc., devem comprometer-se a construir uma nova
sociedade, onde são promovidos valores autênticos, especialmente espirituais. Se isso não for
feito, todas as estratégias de prevenção serão inúteis, pois o problema subjacente continuará a
existir.

Para as pessoas que já caíram em abuso de drogas, tratamentos médicos simples não são
suficientes, já que existem outros problemas do indivíduo que estão por trás do fato de seu
vício em drogas. É necessário, juntamente com o tratamento médico da desintoxicação
propriamente dita, um tratamento de reabilitação que faz a pessoa redescobrir seu valor e sua
identidade mais profunda. Este tratamento não será possível sem a participação do indivíduo,
sem a vontade de mudar. O apoio familiar e assistência espiritual adequada também são
essenciais para a reabilitação

CONCLUSÕES

Embora nós pensemos que as drogas estão longe de nossa realidade, ou parte de nossas vidas,
a verdade é que eles estão muito perto, mas tudo depende do que nós decidimos fazer com a
nossa vida e saúde.

Droga é qualquer substância que, quando introduzidos no corpo por meio de várias vias
(injectado, fumado ou engolido), tem capacidade para alterar ou modificar as funções do corpo,
sentimentos humor ou percepções sensoriais (visão, audição , toque, gosto, cheiro). Existem
muitos tipos de drogas. Alguns são legais como álcool, tabaco ou drogas; outros são ilegais,
como haxixe, cocaína, heroína, etc. Todas as drogas têm um denominador comum: a ingerir
(independentemente da sua forma) entram no sangue e, por isso, o cérebro e todo o corpo,
causando vários efeitos que os caracterizam: excitar, relaxar ou distorcer a realidade .

Atualmente, a droga é um dos maiores problemas. Mas é mais assim que cobre ou esconde.
Cubra a angústia de quem consome e também cobrir o operador de homens, o traficante, que
não se preocupa com a dor que pode causar de modo a obter o lucro.
Portanto, tudo como parte da sociedade, temos de trabalhar juntos e ajudar a prevenção, uma
vez que não é necessário estar diretamente envolvido nesta questão para ajudar.

O que eu aprendi, eu não sabia?

Que nem todas as drogas produzem o mesmo efeito sob o qual são consumidas.

Que tantas pessoas possam morrer, e que tantos estão envolvidos nisso, em todo o mundo.

Isso ser viciado em algo não precisa necessariamente ser ilegal.

Imágenes de tipos de drogas

Crack y Cocaína

Esteroides (Anabólicos)

Éxtasis
Heroína

Inhalantes

LSD

Marihuana
Leer más: http://www.monografias.com/trabajos73/definicion-prevencion-
drogadiccion/definicion-prevencion-drogadiccion2.shtml#ixzz4wTc9ES1n