Você está na página 1de 34

Oríkì Orí – Éjì Ogbè

Orí koo da mi 're.


Òrìşà ma jèé asenu nşợwợ.
Adifá fun okankan lenirunwo irúnmolè.
Nigbati won ntode Òrun bo wa si ode Ayè.
Orí lo koko da Òrúnmìlá si Okè Ìgètì.
Orí koo da mi ’re.
Òrìşà ma jèé n şợwợ asenu.
Orí lo da sợdẹ Òşún ilé Igede.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé n şợwợ asenu.
Orí lo da sợdẹ Ợbàtálá ilé Ifọn.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé n şợwợ asenu.
Orí lo da áwon sode Ajè Àkókó ile Òtá.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé asenu şợwợ.
Orí lo da sode Şàngó ilé Koso.
Orí koo da mi 're
Òrìşà ma jèé n şợwợ asenu.
Orí lo da sode Ợya ilé Irà.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé n şợwợ asenu.
Orí lo da si ilú Ògún ilé Ire.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé asenu şợwợ.
Orí lo da si Èşù ilé Kétu.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé asenu şợwợ.
Orí lo da si Òrìşà Oko ilé Irawọ Àgbà.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé asenu şợwợ.
Orí lo da si Eégún ilé Ọjẹ.
Orí koo da mi 're.
Òrìşà ma jèé asenu şợwợ.
Àse.

1
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Você adivinhou para os 401 òrìşà
Quando estavam a descer do céu para o mundo
Orí criado pela primeira vez no monte Igeti por Òrúnmìlá
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Orí criado por Òşún na cidade de Igede
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Orí criado na cidade de Ifon por Ợbàtálá
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Orí criado por Aje Àkókó na cidade de Otá
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Orí criado por Sàngó na cidade de Koso
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me dixe trabalhar em vão
Orí criado por Òya na cidade de Irá
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Orí criado por Ògún na cidade de Ire
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me dixe trabalhar em vão
Orí criado por Èşù na Cidade de Kétu
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Orí criado pelo Òrìşà Okó em Irawọ Agbà
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Orí criado por Eégún na cidade de Ojé
Orí me abençoe abundantemente
Òrìşà não me deixe trabalhar em vão
Àse

2
Oríkì Orí
(Para limpeza da cabeça)

Orí san mi.


Orí san mi.
Orí san igede.
Orí san igede.
Orí otan san mi ki nni owó lợwợ.
Orí otan san mi ki nbimo le mio.
Orí oto san mi ki nni aya.
Orí oto san mi ki nkole mole.
Orí san mi o. Orí san mi o. Orí san mi o.
Olóma ajiki, ìwá ni mopé.
Àse.

O Espírito interior me guia.


O Espírito interior me guia.
O Espírito interior me apoia.
O Espírito interior me apoia.
O Espírito interior sustenta a minha abundância.
O Espírito interior sustenta meus futuros filhos.
O Espírito interior apoia o meu relacionamento.
O Espírito interior protege minha casa.
O Espírito interior me guia.
O Espírito interior me guia.
O Espírito interior me guia.
Protetor das Crianças, meu Eu interior será sempre grato.

* Esta é uma limpeza da cabeça que pode ser utilizado em qualquer altura do dia para
limpar confusão.

3
Oração para Orí pela manhã

Orí (Espirito ancestral)


Orí, eu lhe dou louvor e agradeço.
É você quem está comigo através de todos os eventos da vida.
Meu Orí é um bom Orí.
Bom Orí é o meu que tem ligação direta com Olódùmarè (Deus).
Bom Orí é a essência de Olódùmarè dentro de mim.
Bom Orí está aberto para receber as bênçãos que Olódùmarè envia para mim.
Bom Orí é o meu Orí.
Bom Orí está aberto à sabedoria de Ifá (Ensinamentos sagrados).
Bom Orí está aberto à orientação de Òrúnmìlá (Òrìsà do oráculo).
Bom Orí aceita ajuda de òrìsà.
Bom Orí acolhe e abraça Eégúngún (nossa ancestralidade).
Bom Orí recebe assistência de Eégúngún.
Bom Orí é o meu Orí.
Orí peço-lhe para sempre manter as minhas portas abertas.
Orí peço-lhe que sempre me traga bênçãos.
Orí peço-lhe que sempre me apoie nos momentos difíceis.
Orí peço-lhe para sempre celebrar os bons momentos comigo.
Orí, eu o abraço e peço que você sempre me abrace.
Àse, Àse, Àse o!

Oríkì Orí
Ògúndá Méjì

Orí, pèlé
Atèté níran.
Atètè gbe ni kòòsà
Kò sóòsà tíí dá nìí gbè
Lẹyin orí eni
Orí, pèlé
Orí àbíyè
E ni orí bá gbeboo rè
Kó yò sèsè
Àse.

Orí, eu saúdo você


Você, aquele que sempre se lembra de nós
Você, que abençoa o homem antes que qualquer Òrìşà
Nenhum Òrìşà abençoa um homem
Sem o consentimento de seu Orí
Orí, eu saúdo você
Você, que permite que as crianças nasçam vivas
Aquele cujo sacrifício é aceito por seu Orí
Se alegrará abundantemente.
Àse
4
Oríkì Èṣù

Èṣù Iseri ganga to lojo oni.


Mo fikú mi ro sorùn re.
Aye le o.
Mo fikú mi ro
Sorùn re.
Aye le o.
Mo fikú mi ro sorùn re.
Èṣù Iseri to lojo oni.
Mo fikú mi ro sorùn re.
Àse.

Èṣù dono do dia.


Ponho minha vida em suas mãos.
O mundo é um lugar difícil.
Ponho minha vida em suas mãos.
Èṣù dono do dia.
Ponho minha vida em suas mãos.
Àsè.

5
Orìkí Èşù

Èşù ókíri ókò


Èşù otá òrìsà.
Òlágbokùn
Alágbárá
Ọmọkùnrín dúdú ìta
Bàbà kékeré
Èşù Òdàrà ọmọkùnrin Idòlófin
Ò lé şónşó s’ori esè elésè
Kò je kò sì jé kí eni je gbe mì
A fi òkúta dípò iyò
Òsé Òtúrá ni orúko tí bàbá mò o
Alágogo ìjà ni orúko ìyá npè é
Ò dá sòkòtò pénpé jè aláşợ ẹtù ní ìyà
A se ìkà má sè é
A s’òtún s’òsì lá í ní ìtìjú
A tú ká má se é sà
Akínlógon, Akánle
Pàa pàá wàrà
A r’oko ká’lé
A r’oko ká’de
Eréjà
Lásúnkàn
Èşù olá ilú
Eni se ebo ní oore ni Èşù ngbè
Òbembe níjó
Lágemo Ợrun
A kíí l’ọwó láì mú ti Èşù kúrò
A kíí l’áyò láì mú ti Èşù kúrò
A kíí se ohun rere láì mú ti Èşù kúrò
Èşù mo júbà o
Èşù má se mí
Eni tí kó se ebo ni kí o se
Àse.

6
O portador da pedra
Èşù o vingador dos òrìşà.
O grande combatente
O poderoso
O homem de pele escura, que está do lado de fora.
Pequeno pai (homem pequeno)
Èşù Òdàrà nativo de Idòlófin
É quem se senta no colo de sua vitima
É quem não come e não deixa ninguém comer
É quem transforma pedra em sal
Seu pai o chama por Òşéturá
Sua mãe o chama dono do Agogo que anuncia lutas
Homem pequeno que castiga o poderoso
É quem sempre faz travessuras quando é possível
É quem se orgulha de repartir em dois
É quem é difícil de agradar uma vez dispersado
O valente, é quem dirige seus negócios
O apressado o repentino
É quem cultiva ao redor da casa
É quem cultiva fora da casa
É quem coleta as dívidas nos mercados
Abundância que se aproxima
Èşù a benevolência do povo
A pessoa que faz ebo é quem recebe as graças de Èşù
O grande dançarino
O filho indulgente do céu
Para ter abundância, de a parte de Èşù.
Para ter a felicidade de a parte de Èşù.
Para manter vida boa de a parte de Èşù
Èşù minhas saudações
Èşù não me faça mal.
Faça mal ao filho de outro.
Àse.

7
Oríkì Èşù

Ajibike, owuru ja s’ogun,


Isele, afaja b’òrun be enia eleti gbofo, gb’aroye.
A bi etii luy ka bi ajere.
O soro l’ano, o see loni.
Sàngó o gbodo pe t’Èşù o si si.
Oya o gbdo pe t’Èşù o si si.
Omolu o gbodo pe t’Èşù o si si.
Òsun o gbodo pe t’Èşù o si si.
Ifá o gbodo pe t’Èşù o si si.
Èsù, gboongbo ki gbongbo.
Ajiboke owuru ja s’ogun
Èsù ma se mi o.
Ajibike ma se mi o.
Èsù ma se mi o.
Mo rubo Èşù o.
Àse.

Aquele que saudamos primeiro.


O guerreiro que cura mais que qualquer medicina.
O dono dos caminhos e dos seres vivos.
Aquele que está em toda parte e sabe de tudo.
Ele que falou ontem e vem falar hoje.
O Espírito do Relâmpago e do Fogo (Sàngó),
Não negam a existência do Mensageiro Divino (Èsù).
O Espírito do Vento (Òya), não nega a existência do Mensageiro Divino.
O Espírito das Enfermidades (Ọbàlúwayè),
Não nega a existência do Mensageiro Divino.
O Espírito dos Rios (Òşún), não nega a existência do Mensageiro Divino.
Ifá não nega a existência do Mensageiro Divino.
Èşù o Mensageiro Divino, raiz de todas as raízes.
Èşù não faça mal a quem lhe tem adoração.
Èşù, Mensageiro Divino, não me faça mal.
Trago oferendas a Èşù, (Este oríkì é uma oferenda).
Para que abra meus caminhos.
E me dê permissão para iniciar um novo caminho repleto de vitórias.
Àse.

8
Oríkì Ògún

Ògún Láakayé, osìn mọlẹ.


Ògún Aládàá méjì
O fi okan sànkò
O fi èkeji yènà
Ojo Ògún nti Orí òkè bo
Aso inà lo um bora
Ewu ęję lo wo
Ògún Onilę owo, Olóonà olà.
Ògún Onilę kàngun kàngun òrun
O pon omi sìlè feje we
Ògún ‘awon leyi nju
Ègbé l’éhìn omo kan
Ògún méje ni Ògún mi
Ògún Alára ni igba ajá
Ògún Onírè a gba agbo
Ògún ikole a gba ìgbín
Ògún Elémona nii gba èsun isu
Ògún Akìrun a gba iwo agbo
Ògún Gbénà-gbénà eran awun nije
Ògún Makinde ti dogun l’éhìn odi
Bi ko ba gba Tápà, a gba Abooki
A gba uku-uku, a gba Abooki.
Agba uku-uku, a gba ke mbe rí.
Nje níbo làti npade Ògún
A pàdé Ògún níbi ijà
A pàdè Ògún níbi ita
A pàdè re níbi agbára eje naa
Agbára eje tii de ni l’òrun bi omi ago.
Òrìsà to ni Ògún ko to nkan
A fowo je isu re nígbà aìmo yé
Ti e ba gun yan
E tete fi ti Ògún
Şílẹ ti e ba ro
Oka e tete fi
Ti Ògún sìlè nítorí
Ni pe Ògún lo roko
Ògún lo yènà
Bi omodé ba da ilè
Ki o ma se da Ògún
Oro Ògún l’ewo
Oro Ògún soro
É ma ba Ògún fi já seré
Ara Ògún kan go go go
Àse.

9
Homem forte do mundo, òrìsà adorado.
Ògún o Senhor dos dois facões.
Usou uma espada para cortar o mato.
Usou o segundo para abrir o caminho.
No dia em que Ògún veio da montanha
Cobriu-se com roupa de fogo.
Vestiu roupa de sangue.
Ògún homem do dinheiro, homem da honra.
Ògún homem da casa feita no céu.
Tem água na casa, porém, toma banho com sangue.
Ògún que tem olhos brilhantes.
Perigo para o filho que não o segue.
Meu Ògún são sete.
Ògún de Alára come cachorro.
Ògún de Onírè come carneiro.
Ògún de Ikole come caracol.
Ògún de Elémona come inhame assado.
Ògún de Akìrun aceita chifre de carneiro.
Ògún Gbená-gbená a carne de tartaruga é o que ele come.
Ògún Makinde que luta na guerra.
Se ele não aceita a tribo dos Tápà, ele aceita a tribo Abooki.
Onde a gente encontra Ògún.
Encontramos Ògún na briga.
Encontramos Ògún na guerra.
Encontramo-lo naquele rio de sangue.
Rio de sangue que chega ao pescoço, como jarro de água.
Qualquer òrìşà que diz que Ògún não é poderoso
Vai comer do inhame dele com as mãos até perder a conta.
Quando você fizer pirão de inhame, rapidamente de uma parte para Ògún.
Quando você fizer pirão de inhame ou banana da terra, rapidamente de uma parte para
Ògún, para que ele abra seus caminhos.
A pessoa pode trair tudo.
Só não pode trair Ògún.
As palavras de Ògún são fortes.
As palavras de Ògún são poderosas, não brinque de brincar com Ògún.
O corpo de Ògún ferve muito.
Àse.

10
Oríkì Òsóòsì

Iba Òsóòsì.
Iba Ológarare.
Iba Oni bèbè.
Iba Osòlikere.
Ode ata matase,
Agbani níjọ to burú,
Oni ode gan fi di ja,
A juba Odé.
Ase.

Ósóòsì eu te saúdo.
Eu louvo o Irunmolè independente.
Eu louvo o dono da margem do rio.
Eu louvo o feiticeiro da floresta.
Caçador que nunca erra o alvo.
Sábio espírito que distribui muitas bênçãos
Senhor do papagaio que me guia e me faz superar o medo.
Eu louvo o espírito do caçador.
Àse.

Isure Obàlúwayè
Iba Obàlúwayè
Farìoro, oni wòwó ado, arunmoloofun danu,
Aje igba òògùn makuu,
Oba Emitoto, obà emilare,
Oba Emitoto laape Ifá
Obà Emilare laape odu,
Iwo Ọbàlúwayè, iwo lo fi awon òrìsà mokanlenirungba ti
Be m lode isalayè je oye
Wa fi emi naa joyè lode aiye isalayè,
Ki nri je, ki nri um
Idakuda ni koo ma lo da awon ota mi,
Maa jeki nri iku, ma jeki nri arun,
Maa jeki nri kí ợmợ, iku aya, iku oko,
Agan ti o ri bi fun l’ómợ
Ki aboyún bi tibi tire,
Ki opo ile kiri mole,
Ọbalúwayè, jeki mbi mọ, ki o to di ợdun to mbo,
To ba fun mi lomo ati owo, emi o fun o ni ewúrẹ.
Ọbalúwayè, fun mi ni aláàfià,
Fun mi ni ilo síwájú ati ire re,
Alujo gùn gba mi
Jowo wo mi san,
Ma jeki nri ijà re,
Ki nkan ma se mi.
Àse ti Elédùmarè.
Elédùmarè àse.

11
Eu te saúdo Ọbalúwayè.
Farìoro, você que tem muitas cabaças pequenas cheias de medicinas,
Pessoa que faz medicina eficaz nas pessoas incapacitadas.
Você que come o veneno que não tem efeito sobre você,
O deus de Emitoto, deus de Emilare,
O deus de Emitoto é o nome dado ao Ifá,
O deus de Emilare é o nome dado ao Odù,
Você, Ọbalúwayè é quem coroa todos os duzentos òrìsà que residem no mundo,
Po favor me coroe também neste mundo,
Forneça-me todos os materiais de bem-estar,
Crie confusões para os meus inimigos,
Proteja-me da morte e doenças,
Proteja meus filhos, esposa e marido da morte.
Dê filhos para àquelas que ainda não tem.
Faça com que aquelas grávidas tenham seus partos sem problemas,
Não deixe o espírito do mau entrar na minha casa
Ǫbalúwayé faça com que eu tenha filho antes do final do próximo ano,
Se você me der filho e dinheiro, matarei uma cabra para lhe agradar.
Ọbalúwayè me dê à paz,
Dê-me progresso e bondade.
Alujo gùn me salve,
Por favor, me cure de qualquer coisa que possa me afligir,
Não me deixe ver sua raiva e que nada aconteça comigo.
Àse do Senhor Supremo.
Benção do Senhor Supremo.

12
Ìbà Ọsányìn
Louvor ao proprietário das ervas medicinais

Iba oni ewe


Agbenigi, ewè gbogbo kiki oogun
Agbenigi, òròmodìe abidi sonso,
Esinsin abedo Kinni kínni,
Koogo egbo ro irin,
Aroni ja koto di gun moya
O gbaṣọ Okùnrin ta giegie
O l'oso mo Olókunrìn l’òrun
O gbaṣọ Okùnrin ta giegie
Abanija ma jebi eni
O siso arun lara Okùnrin
Eegun nlá a yido fun
Ewe lowo
Ewe lenu
Ko sohun to o lee se
Gbogbo ara kiki oogun
Ko sohun to o lee se
A le pa le ji
Oko o mi
A le ji le pa
O foogun baku ja
Ekun tii so oogun loya
O bum u, o bum we
Ko lounje méjì bi o sataare
O so igba ewe dokan
Gbogbo ara kiki oogun
Okunrin nlá ti i fi gbo le foogun
Okunrin a fewe soun gbogbo to wuu
Àse

13
Louvor ao proprietário das ervas
O sobrenatural, aquele que transforma todas as folhas em remédio
Aquele que é versado no uso de raízes, que tem uma cauda com ponta afiada como a de
um pintinho,
Aquele que tem um fígado tão cristalino como uma mosca.
Aquele que é tão poderoso quanto uma barra de ferro,
Aroni, o guardião dos segredos que prende a medicina em seu peito
Aquele que toma à força a roupa de um homem doente e cambaleia
Aquele que pega à força e torce a roupa de um homem doente
Aquele que toma à força a roupa de um homem doente e cambaleia
Aquele que luta sem ser culpado
Ele remove as roupas do homem
Um grande baile de máscaras para quem o almofariz é lançado
Deixa na mão
Deixa na boca
Não há nada que você não possa fazer
Aquele cujo corpo é cheio de medicina
Não há nada que você não possa fazer
Aquele que pode matar e pode reviver
Meu marido
Aquele que pode reviver e pode matar
Aquele que utiliza medicamentos para combater a morte
Um leopardo que prepara a medicina para remover as agressões
Ele não tem outra comida, mas ataare
Ele bebe um pouco de água e usa alguma para ungir a cabeça
Ele vira 200 folhas em uma
Aquele cujo corpo é cheio de medicina
O homem poderoso que preserva a floresta para fins medicinais
O homem que usa as folhas para fazer tudo o que quer.
Àse.
Oríkì Òsùmàré

Omi ọjọ firí bó, omi ọjọ firí bó.


Omi bó aráayé, omi bó aráayé.
Àró bó bá éjì lè si a njé lè ìkòkum
Àró bó bá éjì lè si a njé lè ìkòkum
Òun jé lè ìkòhun, a njé lè ìkòkum ó.
À róbó ho yi Òsùmàrè!!!!
Àse.
A água da chuva cai depressa, a água da chuva cai depressa,
Muito depressa, a água cai sobre a humanidade,
A água cai sobre a humanidade.
O intermediário que traz a chuva sobre o Ayè.
É ele quem pode abastecer nossos reservatórios,
É ele quem pode abastecer os nossos reservatórios.
Àse
14
Oríkì Şàngó
(Louvando o Espírito do relâmpago)

Kaawo Kabiyesile, Etala mo jùbá, Gadagba a jùbá.


Oluòyó, Etala mo jùbá, Gadagba a jùbá.
Oba ko so, etala mo jùbá, Gadagba a jùbá.
O gborann mi dun dákun mo ya mi.
Aremu njọ o burú igba nii gbo pe
Oko Ìbejì eleti mo, ojú eri eri ó là Ợrùn garara.
Oni l’aba jinijini ala a li ase atata bi okunrin a du gbé ekun oke.
Agba ngbà li ojú àgádá o gbe iná wo ile eké.
Tútù tútù ni kí o jé kí a máá rí. Máà jé ki owó ìkà ó tè wá o. Báni ṣẹgun òtá o.
Bá mi wo ợmợợ mi. Máà jé ki n àrin fi esè sí. Máà jé ki n sòrò fi enu ko.
Jámujámu po leégún, Sàngó o pò lòkunrin.

Saudação ao Chefe, é treze vezes que eu vos saúdo.


Chefe de Ọyọ, ele é treze vezes maior que todos
Eu vos saúdo.
O chefe que não morreu, ele é treze vezes maior, vamos cumprimentá-lo.
Por favor, me defenda, não me rejeite.
Aremu nos momentos difíceis da escalada envolveu a palmeira com uma corda.
Guardião dos gêmeos, mestre do conhecimento, olhos faiscantes, que divide os céus.
Dono do compartimento do trovão, dono do compartimento cheio de poder, guerreiro
experiente.
Tempestade na extremidade da faca,
Ele carrega fogo sobre a sua cabeça dentro da casa.
Vamos experimentar as coisas calmas e gentis da vida.
Salve-nos de pessoas más.
Ajude-nos a derrotar os inimigos.
Ajude a proteger os meus filhos.
Guie meus passos.
Me impeça de cometer infrações pelas minhas palavras.
O Espírito de relâmpago é um ancestral poderoso.
O Espírito de relâmpago é um homem poderoso.
Àse.

15
Epa Ợya ó!

Ợya tem uma mensagem para dar à comunidade hoje:

Síbá le mi.
Ki n siba le o.
Bi yere pè ti siba èèsún.
Ka jo siba lera à wa.

Se apoie em mim
Eu poderei me apoiar em você
Como poderemos nos apoiar em urtigas ou arbustos selvagens.
Devemos aprender a nos apoiar uns nos outros.

Ợya está dizendo que devemos nos unir e nos apoiar uns nos outros, a fim de nos
tornarmos suave através destes tempos difíceis.
Que todos nós possamos nos apoiar mutuamente e que o òrìșà possa apoiar a todos nós.
Àse o.

Isure Ợya

Ìbà Ợya
Ayaba Ợba koso,
Odò kun ko kun, ko si
Eniti Ợya ko le gbe lo,
Maa jeki odò gbe mi lo,
Maa jeki nku iku inà,
Ìyà mi Bọrọkìnní,
J’ọwó emi nfe oro làti
Odè re,
Emi nfe aláàfià,
Emi nfe ilerà,
Emi nfe ilosiwaúu,
Ìyàwò onibon-òrun, jọwó somi di olórò.
Àse ti Eledunmare
Eledunmare àse.

Ợya eu te saúdo.
Esposa do Ợba kòso (Sàngó).
O rio enche ou não enche, não há ninguém que Ợya não leve,
Não deixe o rio me levar.
Não me deixe morrer afogado,
Não me deixe morrer no fogo,
Minha linda mãe.
Eu quero prosperidade de você,
Eu quero paz,
Eu quero saúde,
Eu quero progresso,
Esposa do dono da trovoada no céu (Șàngó),
Por favor, faça-me equilibrado, forte, sem medos, ágil e etc....
Asé do Senhor Supremo.
Benção do Senhor Supremo
16
Oríkì iniciado e filhos de Ợya

Ori o! Ori Ợya,


Mo gbe de.
Ợya mẹsàn, mẹsàn, mẹsàn.
Ợya oriri, ooo.
Ợya mẹsàn,
A ji loda òrìşà.
Ori o
Ori ol'Ợya,
Mo gbe de.
Ori mi!
Ori Ợya, mo gbe de.

O Ori do iniciado,
O Ori daquele que é iniciado em Ợya está aqui.
Ợya, que se desdobra em nove partes.
Ợya, a grande mulher, charmosa e elegante.
Ợya, que se desdobra em nove partes.
Òrìsà que usa a espada ao acordar.
O Ori do iniciado,
O Ori daquele que é iniciado em Ợya está aqui.
Meu Ori.
O Ori daquele que é iniciado em Ợya está aqui.

Orìkí Òyà

Mo jùbá áwo Ợya!


Iwo ni òrìşà obinrin afèfè.
Iwo ni iku Olúwa áwo.
Iwo ni òrìşà obinrin Efúfú lèlè.
Iwo ni Ológùn obinrin julo na se.
Iwo ni emi iye.
Àse.

Meus respeitos aos mistérios de Ợya!


Você é a deusa do vento.
Você é o proprietário dos mistérios da morte.
Você é a deusa da tempestade.
Você é a maior guerreira feminina.
Você é o fôlego da vida.
Àse.

17
Oríkì Ợya

Iyà Ojisé obìnrin Şàngó


Ợya ìjẹgbẹ ogan a ji san (i) dà obìnrín
Ọyá pere bi eni tana
Ợya lamu-lamu b (i) ina b (i) aláró
O bo (o) kan ki já ợmợ logun
Ợya gúdù l (i) okun a b (i) Olokun já má jebi
Ợya l (i) opo ki Elése osùn
Da (i) na s (i) ajere gb (e) erù
O ru (i) na Gere-gere saju oko
Ợya ni o to iwo efon gbe
Ki nrin l (i) orun ọjọ ale ni wo (i) le
Iyà Ợya afefe iku
Ợya toto hun
Ợya moju re gbemi o

Mãe mensageira, mulher de Şàngó


Ợya corajosa que ao despertar carrega a espada
Ợya é como alguém que acende o fogo
Ợya brilha como fogo no lume
Ela apoia o filho (a) que combate na guerra
Ợya briga no mar com Olókun sem ter a culpa
Saudamos Ợya, cujos pés são embelezados com osùn
Ela acende o fogo em um Ajèrè e o leva na cabeça
Ela carrega o fogo muito alto diante de seu esposo
Não ande no sol, ao entardecer volte para casa
Ợya é a única que pode carregar os chifres do búfalo
Senhora do vento da morte
Ợya, meus respeitos
Ợya eu te saúdo, olhai por mim.
Àse.

Orìkí procedente da cidade de Ợya, adja wéré, Baningbe (Nigéria).

18
Oríkì Ợya

Ayá roro joko lo,


Ayá roro joko lo.
Eyin o mo p' Ợya lo roro ju Sàngó.
Ayá roro joko lo.
Ợya lo roro ju Sàngó.
Ayá roro joko lo.
Ta ni o mo’pe Ợya lo roro ju Sàngó,
Ayá roro joko lo.
Àse

A esposa é mais feroz que o marido!


A esposa é mais feroz que o marido!
Vocês não sabem que Ợya é mais brava que Sàngó?
A esposa é mais feroz que o marido!
Ợya é mais brava que Sàngó.
Quem não sabe que Ợya é mais brava que Sàngó?
A esposa é mais brava que o marido.
Àse.

19
Oríkì Ợya

Ợya n'ílé, Ợya l'óko.


Obinrin wò, bí ojó rò,
Obinrin kàta kiti bii ji.
A ji fa ‘ji.
A jí rin l’ójó.
Bẹẹni o, Ợya nlá.
Héparipa Ợya o, hé-hé-hé.
Ajagajígi Eégún inú aféfé.
Ajagajígi Eégún inú iná.
Ajagajígi Eégún inú ji.
Ajagajígi Òòşà.
Ti nbá ni ja lái y'ọwó.
Ajagajígi Òòşà:
Tó gbá’lù pé kí òun lù,
Agbára kékeré fa gbogbo ìlù ya.
Héèpà, ò bá gbé ilu míràn wá.
Ajagajígi Òòşà.
Héèpà, ò jó lábé Àyán,
Héparipa, gbogbo ewé orí Àyán ló wòbó tán.
Àse.

Ợya na cidade, Ợya na aldeia.


Mulher suave como o sol que se vai,
Mulher revolta como vendaval.
Ela acorda e chama o vendaval.
Ela acorda e anda na chuva.
Assim é a grande Ợya.
Héparipa Ợya o, hé-hé-hé.
Firme no meio do vento.
Firme no meio do fogo.
Firme no meio do vendaval.
Firme òrìşà:
Que bate sem mover as mãos.
Firme òrìşà.
Que tomou o tambor para tocar
E com pouco, muito pouco, o tambor rasgou.
Epá, vocês tragam mais um tambor.
Firme òrìşà.
Epá, ela dançou sob árvore Àyán,
Héparipa, as folhas de Àyán caíram todas.
Àse.

20
Oríkì Ợya

Ợya Òòşà tí í toko léyìn. Alágbára obìnrín òòsá.


Ợya ní tí tárúgbó se lóge. Màá bá o sepò.
Obìnrin gba ndikan, Odó awu wo lóhùn, bí àárá,
Eégún a san dórí. Ợya Òrírí a wúwo má se wa.
Ợya ni mó máa bo. Ợya má se ba tèmi je.
Pará Ogun bí e n palé. Ợya òrìşà ti n gbà ní lówó isé.
Irú Ợya ò sí l’órun. Ợya oláà re lèmí n je ò.
Ìyàwó Orí ògun. Olá tí kékeré awó je tó fi mó gbódú.
Ợya kan, Sàngó kan. Àwa kò lóhùn méjì bí ò se’wo.
A tó ó kàn bí òkè. A bá ni sòrò má tan ni je.
Ma málejò yìká ile. Ợya a d’ikúta mérù òtá.
Baálé di méjì, ara ò rò kan. Ợya má d’ikúta mérù tèmi ò.
Onínúolá, oko o! Jagun a bá onífà délé.
Ợya a rìn léji. A fijá dófiri.
Olúwaà mi èjè níyì ogun. A birun bí adé lóri.
Ợya Òrìrì! Obìnrin bíríbírí bí ilè ojà.
Áwo ni fírí, bí ení ti ò rí ni. Ợya òréré re ni mo nwo o.
Àsòwòò kéékèèkéé gbowó è ní kisi. Alágbára obìnrin Sàngó.
Ợya a rinà bora bí aşọ. Ọlọrọ tí nyagi èbá ònà.
Ina ma ni Égún o, Efúùfù lèlè.
Ina ti njọ ní lái t’owó bo’ná Àjáná Òòşà tí nbégi lókè lókè.
Ợya òwàrà, bíi’ná jókòó láàró. Ợya Àrìnnà bora bí aşọ.
A fijà dófiri, níwájú Jagunjagun. Abiyamợ Olórè mi ajíkí.
Ợya bí àkúfó ìkòkò ti nró kókó-kókó. Òòsá bí Ợya kòsí,
Ợya lé bàbáláwo kò dúró kó ‘fá. A tó péjú wò bí òsùpá.
Ợya rorò! A rewà obìnrin.
A rìn dengbere nínú aféfé. Ará irá a dági lókè lái f’ọwó kan igi.
Ợya, a tún Orí ení ti kò sunwòn se. Ợya Olórè mi.
A sò ìbànújé diré. Iwo ni màá sìn dojó alé mi.
Àse.

21
Ợya o òrìşà que apoia seu marido. Ợya caminha livremente no vento.
Ợya o òrìşà que rejuvenesce a mulher Ợya que melhora o mau Orí.
velha. Ela transforma tristeza em alegria.
Mulher poderosa e forte. Òrìşà feminino poderoso eu me
Ela possui um corpo perfeito. envolverei contigo.
É a Ợya que eu cultuarei. Òrìşà brava e potente, de voz possante
Dizem que ela ao ir à guerra, enfeita o como o trovão.
corpo com creme como quem encera o Tu que és forte, não nos faça mal.
chão. Ợya não estrague as minhas coisas.
Igual a Ợya não existe. Ợya òrìşà que salva-nos da pobreza
Ợya a primeira mulher de Ògún. Ợya vivo sob tuas bênçãos.
Ợya é a única e Şàngó é único. A benção que o iniciado em Ifá recebeu
Ợya é grandiosa como uma montanha e E que o levou a conhecer a floresta
a ela se recorre. sagrada de Ifá.
Ela leva visitantes para conhecer a casa. Nada tememos além de ti.
Há dois maridos para a mesma mulher Fale conosco sem nos enganar.
na casa, o que causa inquietação a um Ợya coloca pedras no caminho dos
deles. inimigos.
Ela sente compaixão pelas pessoas. Ợya não ponha pedras no meu caminho.
Ợya que anda na chuva. A guerreira que segue o adversário até
Meu òrìșà, sangue é a recompensa da sua casa.
guerra. Ợya quando luta ataca com a rapidez de
Ợya a charmosa e elegante. um piscar de olhos.
Ợya de olhar sorrateiro, nos vê sem Ợya cujas tranças são belas como uma
percebermos. coroa.
Ợya faz fortuna com uma série de Ợya vibrante como as ruas do mercado.
pequenos negócios. Ợya meus olhares esperançosos voltam-
Ợya se veste de fogo e é feroz como o se para ti.
fogo. Proteja-me.
O fogo que queima a nós, sem que A poderosa mulher de Şàngó.
ponhamos a mão nele. A poderosa que derruba árvores na beira
Ợya que faz várias coisas da estrada.
simultaneamente, como o fogo que Efufu lélé, o Grande Vendaval.
espalha suas labaredas. O òrìșà que atravessa o fogo e corta a
Ợya quando luta golpeia com rapidez de copa das árvores.
um piscar de olhos. Ợya que se veste de fogo.
Ợya a poderosa que vive no vento. Que é maternal benfeitora a ser louvada
Que possui olhos brilhantes como o sol pela manhã.
nascente Não existe òrìşà como Ợya.
E por isso vê as pessoas onde quer que Todos a admiram como se fosse à lua
elas estejam. nascente.
Ela é como um pote de barro já antigo, A mulher bela.
mas que ao ser tocado revela possuir A mulher que veio de Irá e que corta a
ainda total resistência. copa das árvores sem fazer uso das
Ợya expulsou o Babaláwo e este nem mãos.
sequer teve tempo de pegar seu Ifá. Ợya minha benfeitora é a ti que
Ợya é brava. cultuarei até o fim de minha vida.

22
Oríkì Ợya

Ợya é o vento da mudança.


A mudança que sopra através de nossas vidas
E nos leva a lugares que nunca pensamos que poderíamos ir.
Ợya é o tornado turbulento que traz bênçãos
E luta afastando os malfeitores e deixa-os nos degraus da porta de seus filhos.
Ợya é a suave brisa que acaricia com seu espírito e purifica nossa alma.
Nada impressiona mais rápido do que relâmpago.
Ợya detém o ferrolho iluminando, ela é a mãe e governante das tempestades.
Ela luta lado a lado com o marido Sàngó, o rei do trovão.
Ela é a descarga elétrica que pode atingir rapidamente com um golpe fatal.
Ela é a mãe de Egungun, os ancestrais.
Ela protege a Sociedade Ancestral.
Àse.

23
Oríkì Òşún

Se você olhar para mim de manhã, eu


estarei no Rio. Eu vou me preparar cada vez bonita.
Onde a mística feminina sempre reina E deixar que o espelho me mostre tudo
suprema. o que é certo.
Na primeira luz do dia eu vou estar no Vou vestir minha roupa muito
Rio, lentamente.
Aonde a graça e a beleza simples vêm E deixar escorrer o mel da cabeça aos
viver. pés.
Vou ver a minha Grande Mãe. Quando a lua começar a subir, eu vou
Òşún que é tão cheia de compreensão, dançar no rio.
Òşún com seios grandes e robustos. Oh! Estarei nas flores, nas nuvens e nas
A Rainha do rio que está sempre fresca árvores.
se senta em um trono. A mulher se torna uma mulher dentro
Vou ver a minha Grande Mãe dessa vibração
Ela que tece as águas dos céus E um homem certamente torna-se um
Com o jorro das fontes da terra homem.
Com as profundezas do oceano. Como a paixão que começa a queimar,
Òşún que dá águas curativas sim,
gratuitamente. Eu vou te ajudar a se despir.
Se você olhar para mim na parte da E as aves da noite apenas vão cantar e
tarde, eu ainda vou estar no rio. cantar.
Sempre tão misteriosa e tão cheia de E se estabelecerão aqui, nas margens do
mistério. rio.
Espumante sempre, sempre espumante, E fazer de minha coroa os meus seios,
sem parar, no seu rio. minhas coxas e meus pés.
Sempre em movimento, sempre em Vamos nos amar a noite toda, aqui nesta
movimento, Casa de Magia.
Movendo-se sem dormir no rio. Você me faz gemer a cada toque.
Ela, que não tem nem ossos nem Eu saudarei minha mãe hoje.
sangue. Nós saudaremos nossa mãe
Do nascer do sol ao seu ponto mais alto, extremamente linda.
eu vou ser limpo pelo rio. Eu saudarei minha mãe
Oh, por dentro todo o tempo. Nós saudaremos nossa grande mãe.
Ela tem a chave para todos os segredos Nós saudamos Òşún Ibikọle, Rainha do
desta Assembleia da Tradição. mel, Rainha do rio.
E de bom grado o juramento: Nós saudamos a mãe que chega, ela é a
Eu nunca vou contar. nossa mãe.
Há muita abundância e riquezas na casa A mãe que nos olha e observa.
de Òşún. Esposa de Şàngó.
Ela ainda enterra tesouros na areia. Esposa de Ògún.
Quando o sol completar o seu ciclo, eu Esposa de Ợbàtálá.
ainda vou estar no rio. Esposa de Ọrùnmìlá.
Eu desejo estar com Òşún.
24
Àse.

Oríkì Òşún

Òşún Olomi tútù ooo Ìyàámi Àgbà Kaaro!


Òşún omi ki tútù ilé Yèyé Olomi tútù, a tò pèsè olá.
Òşún omi ki tútù ilé O wa yanrìn, wa yanrìn kówó sí.
Òşún k'awèri omi tútù. Irúnmólè, tí í gba ní.
Òşún sé oribururu maa di Orí ire Olókiki ilú èko.
Yèyé Òşún ki tútù ori nà Òşún, yèyé ó afi dé ré, kú.
Yèyé Efon, mofé-mofé ènyin Òşún, ilè odò tí í gba ní.
Yèyé Efòn, mofé-mofé gbogbo ọmọ Káre o, Ìbà yèyé!
Oliri Àkókó Eni ilú Òpàrà E ki ore yèyé o!
O ri Ojisé oba Kase Ore yèyé Òşún o.
O Je dandan Olóran. Òşún yèyé gbe Ọșogbo!
O fi agogo-Idé wà inu eké wò. Olomi wàrà wò rò tí í san wolé òtá.
Omo Olú iponda igbo soki redá omo ni. Òşún o wa yanrìn,
Obìnrin bí Okùnrin ní Òşún Wa yanrìn ró wó nlá nlá kó
Obìnrin bí Okùnrin ní Lóó gun Idé lówó,
A jí sèrí bí è ̣gá. Idé lẹsẹ.
Yèyé Olomi tútù. Òşún, yèyé ó afi de ré ọmọ gbakuló Idé
O pà ràrà ò jò bíri kalèá. Òşún gba mi, Ìyàámi Àgbà
Agbàn obìnrin tí gbogbo ayé n'pe sìn. Òşún gba mi, Ìyàámi Àgbà.
Ó bá Sànpònná jépétékí. Òşún a gbó bembé gba àse.
O bá alágbara ranyanga dìde èrò. Yèyé Òşún a sawo sò ògún.
Káre ooo! Òşún a fomi tútù wo àarùn, lái gbè jé.
Yèyé loore ìmólè Òşún dóla atóbálayé
Oní ilé mo mà yara Òşún dé o, Yèyé Òşún tire ní n o sẹ dojó alé mó.
Èrò yíí bá mònà kó será pàdé mi. Òşún àti nú ibú tobi.
Ìbà Òşún! A tilè náwó olá, wa Ifá
Òşún singinsi Ore yèyé o!
Emi lómợ Ile sin Òşún Ìbà oni kii Ìyàámi Àgbà,
Òşún ó jíre e o! A mó awo mo ro Onílé tútù.
Iba àse Ibú ợlà! Yèyé Obà l’ódò o we omo yè.
Oré yèyé Olo tútù èko.
Ìbà ìmólè Àgbà. Òòsò tí kò l’egún tí kò léjè.
Òşún omi sá, Alágbo òfé, o wá yanrìn kówó sí.
Omi ọlà Òşún ò yèyé ní mò.
Omi wo. Káre ó, ìyá Òşún.
Omi a sán rere wole ò dalé. Gbàdàmú-gbàdàmú obìnrin kò sé fòwó gbé.
Gbogbo l’ómó Òşún Ore yèyé kapèrè owó nbe nínù ibú.
A Gbàdàmú-gbàdàmú obìnrin yan yan bí òkúta, Òşún àpéré ọmọ nbe nínù ibú yèyé mi,
Otúbù yó o ogun, jíre f’éró. Alápèrè àláàfíà tí nbe nínú ibú.
Ìyà ilú Ipóndà wá Òşún omi a rìn má sún Osa.
Olókùnrùn ire pèlé Ore yèyé òrìsà arewa!
Ojú rè tán dé òdò mi. Òşún we mí yèyé ilú Ipóndà.
Kaaro eninarè Òşún Olómu gàdàgbà-gadagba a fide rèmo
Òşún omi a jí san rere wò sà. Ệni ìde kìí s, eni fé Idé.
Yèyé Òşún a jíre sé gégé Ibaa sẹ Yèyé Òşún
Obìnrin gbendeke, a gbenu ifá solá, yèyé mi, Yèyé Ilú ade oko.
Yèyé Òşún ki ayé sé gbogbo Agbàn. Òşún Áwosín ilú Òpàrà,
Yèyé ade oko, o mà jíre e o! Òşún Áwosín ilú Ojuna,
Òşún Ìyàámi Àgbà. Ìbà mí fún gbogbo yín Ìyàámi Ìyá Olomi, Ìyá
A gbe inu imò sóró. Alálé
Ore yèyé, jíre o! Ìbà Ìyàámi Òşún Nlá Ìyàámi.
Òşún á t’orí eni tí ko sunwòn sè. Ìbàase ilú Ipóndà
Omo omi kìí sò fò. Ìbàase ilú Ade-oko
Òşún, omi tíí léku dànù. Ìbàase ilú Òpàrà.
25
Ìbàase ilú Ọșogbo.
Ìbàase ilú Ojuna
Gbogbo àti èyí tí mo kí pè lú èyí tí n ko.

Òşún é a dona da água fresca. Ao dono da casa digam que Òşún


Òşún água que refresca e umedece a chegou!
terra! Quem sabe o caminho venha juntar-se a
Òşún água que refresca e encharca a mim.
casa! Saudações Òşún!
Òşún que purifica as cabeças com água Òşún a benfeitora delicada.
fresca. Sou cidadão do templo que cultua Òşún,
Òşún que transforma uma cabeça infeliz Bom dia para você!
em uma cabeça feliz. Meus respeitos às águas profundas!
Yèyé Òşún que esfria as cabeças Bondosa Mãezinha
quentes. Saudações ao espírito da mãe anciã
Yèyé Efon, eu te amo! Muito. Òşún a água que eu respeito.
Yèyé Efon, eu amo muito seus filhos! Água preciosa.
Poderosa, líder ancestral do povo da Água perigosa,
cidade Òpàrà. Água que flui no rio para destruir a casa
Aquela que recebe o mensageiro do rei dos falsos e mentirosos.
sempre com respeito Todos somos filhos de Òsùn.
Aquela que ouve as palavras do A grandiosa anciã resistente como uma
queixoso, o suplicante de seu auxilio. pedra imutável.
Com o seu sini e bronze ela fura a Deusa que surge onde há guerras, para
barriga dos mentirosos, falsos e trazer calmaria.
interesseiros. Mãe da cidade Iponda, venha trazendo
Não se pode carregar debaixo do braço respeito.
o filho da floresta da cidade Iponda. Saudações àquela que é cheia de
Òşún com força masculina. (Água felicidade
enérgica) Aquela que chega bondosamente para
Aquela que é curandeira com força me ver banhar no rio.
masculina. (Feiticeira ativa) Bom dia Òşún aquela que foi colocada
Aquela que canta afinadamente como o no caminho do bem.
Pássaro Ẹ̀gá. Òşún que caminha cedo em direção a
Graciosa mãe, senhora das águas lagoa.
frescas. Mãezinha Òşún, que sempre acorda
Aquela que na água mata rapidamente disposição e faz tudo com muita
Rodopiando como o vento, sem que delicadeza.
possamos vê-la. Minha mãe, mulher graciosa, graças a
Aquela que é plena de sabedoria e, que Ifá tem vida próspera,
todos juntos devem venerá-la. Mãezinha anciã que vive e faz tudo com
(Lamber mel antes de pronunciar a muita sabedoria com sabedoria.
palavra Sapponnà) Òşún a Minha Mãe Anciã.
Aquela que come Pétékí com Sànpònná Mãezinha da cidade Ade-Oko, a
(um tipo de Adimú). benfeitora.
Aquela que enfrenta pessoas poderosas Aquela que mesmo estando na mais
e as acalma com a sua sabedoria. profunda escuridão das águas,
Saudações a sua extrema bondade! O brilho de seus olhos chega até mim.
Mãezinha bondosa òrìşà!

26
Os filhos das águas são cheios de Òşún, o seu poder vem das profundezas
encantamentos nas palavras e nas boas das águas.
ações. Òşún, Soberana dos rios, eu te cultuarei
Aquela que facilita a vida das pessoas. na terra até os meus últimos dias.
Mãe anciã, bom dia Òşún. Possuidora de frescor como o Èko.
Mãe anciã, dona das águas calmas que Òrìşà que não possui osso nem sangue,
produz riquezas. porém os dá graciosamente.
Aquela que cava e cava a areia para Você, que com orgulho gasta o dinheiro
guardar dinheiro. que tem em casa.
Divindade que salva-nos. Aquela que conhece todos os segredos,
Òşún, aquela que melhora a cabeça que mas não os revela, dona de uma casa
está mal. tranquila.
Òşún a água que afasta a morte dos Saudações a bondosa Mãe Òşún!
filhos que usam o bronze. Bondosa mãe que cava a areia para
Òşún moradora do rio que salva, guardar dinheiro.
Bondosa, Mãezinha Saudações. Minha mãe anciã, possuidora da cesta
Aquela que é Mãe bondosa! da paz no fundo dos rios.
Òşún mãezinha protetora da cidade Bondosa Mãe, aquela que possui uma
Ọșogbo! cesta de dinheiro no fundo do rio.
Mãe anciã, famosa na cidade de lagos e Mãe anciã, possuidora da cesta do
na cidade Iponda, dinheiro que está no fundo dos rios.
Dona das águas que correm suavemente Mãe anciã, rainha dos rios, seu banho
e invade a casa dos inimigos. dá vida aos filhos na terra de Iponda.
Òşún, você que cava, cava a areia e Bondosa Mãe Òşún.
descobre grandes fortunas. Bondosa dona da brisa fresca dos lagos
Aquela que tem bronze nas mãos (lagoa)
Aquela que tem bronze nos pés. Òşún, mãe anciã compreensiva,
Òşún, mãe anciã que enfeita seus filhos Ìbà mãezinha!
com o bronze, Òşún, Òrìşà grandioso, a qual ninguém
Para afastar e espantar a morte com consegue carregar nos braços,
bronze. A dona dos seios fartos que enfeita os
Salve Òşún, mãe anciã! filhos com bronze.
Salve Òşún, mãe anciã! As suas joias são todas de bronze e você
Òşún que fornece o seu àṣẹ ao som do não se enjoa delas.
tambor Bembé. Ìbàase Yèyé Òşún!
Òşún, mãe anciã que conhece os Òşún, água que corre sem parar.
segredos da medicina (magia com as Mãe da cidade Ade-Oko
folhas). Mãe cultuada na cidade Òpàrà
Òşún, aquela que cura doenças, apenas Saudação à todas as Ìyà mi Anciãs das
com água fresca consagrada, águas e da terra.
Sem usar qualquer tipo de sangue Saudações à minha mãe Òşún e maior
animal. anciã!
Òşún que dá prosperidade, suficiente Mãe anciã de corpo grandioso
para nos dar vida. Ìbàase à cidade Ipóndà
Mãezinha bondosa! Ìbàase à cidade Ade-oko
Aquela que traz prosperidade para a Ìbàase à cidade Òpàrà.
casa, somente através de Ifá. Ìbàase à cidade Ọșogbo
Bondosa mãezinha. Ìbàase à cidade Ojuna
Ìbà Oni kii, minha Mãe Anciã,
27
Mesmo aquelas que eu não citei Òşún, Me dê o seu apoio!
hoje peço um grande favor,

Oríkì Ibeji

Éjìrè okin
Éjìrè ti mo bi, ti mo jo.
Éjìrè, ti mo bi, ti mo yo.
É ara ìsokùn.
Ómó edun nsere lori igi.
Éjìrè wò ile Olówò ko lo.
O wo ile ololà ko lo be.
Ile alakisa lo lo.
Éjìrè so alakisa di aláso.
O so otòsì di Olówò.
Bi taye ti nlo ni iwájú.
Bẹẹni, Kéhìndé ntò lehin.
Taye ni omodé, Kéhìndé ni egbon.
Taye ni a ran ni se.
Pe ki o lo to aiye wò.
Bi aiye dara, bi ko dara.
O to aiye wo. Aiye dun bi oyin.
Taye, Kéhìndé, ni mo ki.
Eji woro ni oju ìyà re.
O de ile oba terin-terin.
Je ki nri je, ki nri um.
Àse.

Gêmeos muito bonitos nascidos de mim.


Gêmeos, eu dancei
Gêmeos, eu fiquei feliz.
Gêmeos, filhos da cidade de ìsokùn,
Filhos do mico que brinca em cima das árvores.
Gêmeos que olham a casa onde há dinheiro, e não vão lá.
À casa da riqueza também não vão.
Vão à casa do pobre
Dão roupa ao andrajoso
Fazem o pobre ficar rico.
Taye chega na frente
Assim como Kéhìndé chega atrás.
Taye é o mais novo,
Kéhìndé o mais velho.
Taye tem uma missão: provar o mundo e dizer se é bom.
Ele prova.
Diz que o mundo é doce como mel.
Taye, Kéhìndé, eu o cumprimento.
Gêmeos que saíram de uma só vez diante dos olhos da mãe,
E chegaram sorrindo a casa do rei,
Cubra-me para eu comer e beber.

28
Àse.

Oríkì Yemọjá

Yemọjá atara magba


Aìyàgbá ti gbe ibú omi
Yemọjá ìgbé di oju onà
Yemọjá m je oti pa gogo oju aka gba
Un gbo ni se oba ma kase
Yemọjá un wo'lu ìjì lóbi
Un pe korò yi ilú kaa
Awoyo, awoyo je'le je l'odo,
Iyà olo oyon oru ba
Fèrè obìnrin ají fon ni lara oba
Obo de abi ni orun bi egbe isu fun
Oni laiye okun un bi enia san
Olokun arugbo
Obìnrín pepe li gba eni gbe ilekile
Ko je dahun ni ilè
Oju omi ni je ni koro
Àse.

Yemọjá atará mágbà (nome de louvor)


Rainha que vive nas profundezas das águas
Yemọjá alisa os arbustos nas superfícies (caminho)
Yemọjá se inclina na beira-mar, enquanto toma um gole de espuma
Ela espera sentada, até mesmo na presença de um rei.
São forças de Yemọjá, remoinho/ tornado quando ela entra em um país.
Ela muda a cidade.
Awoyo, Yemọjá come na casa como também no rio
Ela faz isto depressa na superfície da água.
E está apertando como a um inhame seco.
Rainha do fundo do mundo, ela cura com água como se fosse medicamento;
Esposa do Rei do oceano.
Menina que toca Flauta para o despertar os reis.
Mulher que suavemente aguenta o nadador para descansá-lo em algum lugar
Ela não deseja responder em terra
Mãe de peitos chorões
Ela cultivou um arbusto sobre o negócio privado dela.
Àse.

29
Oríkì Ọlọkún

Iba Ọlọkún fe mi lo're.


Iba Ọlọkún omo re wa se fun oyi o.
Ọlọkún nù ni o si o ki e lu re ye toray.
B'omi taafi.
B'emi taafi.
Ọlọkún nika le.
Mo juba.
Ase.

Eu louvo o Espírito do vasto oceano.


Eu louvo o Espírito do Oceano, que está além da compreensão.
Espírito do Oceano, vou te adorar, enquanto houver água no mar.
Que haja paz no oceano.
Haja paz na minha alma.
O Espírito do Oceano, o eterno.
Eu dou o meu respeito.

Oríkì Ọbàtálá

Ọbanlá o rin n'eru ojikùtù s’èrù.


Oba n'ile Ifọn Alábalàse oba patapata n'ile Ìrànjé.
O yo kelekele o ta mi lóre.
O gba a giri l'owo osika.
O fi l’èmí asoto l'owo.
Oba igbo Olúwayè re e o ke bi owu la.
O yi 'ala.
Osun l’àála o fi koko ala rumo.
Oba igbo.
Àse.

Pai da floresta sagrada que nunca teme a morte.


Pai do céu sempre real por todas as gerações.
Delicadamente, sempre diminui o fardo de meus amigos.
Dê-me o poder de manifestar sua abundância.
Exponha o mistério da abundância.
Pai da floresta sagrada dono de todas as bênçãos, aumente a minha sabedoria.
Para que eu me torne semelhante ao Pano Branco (Puro).
Protetor do Pano Branco, eu vos saúdo.
Chefe do Pano Branco que não teme a chegada da morte.
Àse.

30
Oríkì Ọbàtálá

A ke bi ala.
Alábalese
Alamorere
Oluorogbo.
Oluwo Igbo
Òòsáálá Òòsà Ìgbowújìn òrìșà’ lase
Òrìṣàlá Orisa og'enia
Oba igbo
Ọbalufọn
Ọbanlá
Ọbàtálá gbingbin iki
Oba ti
Òsèèrèmògbò Pàkelemò
Àse.

Branco Resplandecente
Ele que prediz o futuro.
Dono da melhor argila.
Chefe da Medicina da Verdade
Chefe do Segredo da Floresta.
Espírito da visão mística.
O Espírito que vive na floresta distante.
Espirito do Poder dos Sonhos.
Espírito que cria a luz.
O Espírito que possui os seres humanos.
Rei da Floresta.
Rei da Voz Pura.
Rei da Pureza.
O Grande Espírito do Rei do Pano Branco.
Fonte das coisas boas da Floresta.
A cabaça da sabedoria.
Àse.

31
Oríkì Erínlè

A wé bi Abẹrẹ kudunda Oba F’omú só wuyéwuyé


A lè gbélé o ba igi já Iti m’oke ni iyi
O kose fi owo a enyiju da yin da yin Igi nlá se agbe ji omi
A jé tantan bi ará dún Rénrén bi oyé
Málamalá abiku rù funfun li ẹnu. Ele èjì alágbè ̣de opa
Erin o si igbá oude omi fin. Ehin funfun bi inu àdému
Gaga gugu erin ko kúnlè jé koko abéré Isale iku bi takada
A rérin ló kánkán o funfun ruru bi oyé Ajanaku li o ti ehin meji wá aiye
Akónyisi o ju tu jó Kurúkurú Égun Olóbu bi eyi pe
Ilé ma jé yi laniba órórun nró Kosi ala Alágbède
O já agbé lori iú Aburo kiyi kó pá ègbón
O só agbigbo ni ẹrú kalè. Abátàn oni sere oògùn
O li ówó kan o bi ọpẹ meji wó. Apa firi
Ira Àgéré li o gbó. Igi ajè ajigi jógó
O ju tun so ókó nu li ợnà oko. Aganan kó roko kò rin aguda
Bàbá Adebinpe o kó eri éiyé mogun. O ro ogun ebe li ợdún méta
O lébé bi ilèkè Kò mó pé balé o se òwè ilé
Ọsá di anu Nigbati mu ókó e wá roko
Omi ado ńbè iku. Ba ni jé enia oko
Omi li otan asa rin gbéré Wirayi a roko pá etu.
Onilé mó ibi ilé gbé li oju Àse.
Agunala o mó ibi Òsún re.
Oba ni F’omú

Ele é fino como agulha na alvorada. Ele ouve o som do aguéré.


Ele é persistente, muito persistente. Ele voltou a perder sua enxada no caminho da
Ele luta com a árvore. roça
Ele luta com alguém. Pai de Adepinbe que faz um talismã com a cabeça
Ele cambaleia segurando seu olho com força. de um pássaro.
Ele soa muito forte como um trovão. Ele é brilhante como uma conta
Ele come feijão e milho branco Òrìsà misericordioso
O elefante abre a cabaça da magia, A água da cabaça pequena espanta a morte.
E respira com força. Acabada a água o òrìsà caminha lentamente.
Muito pesado, o elefante não se ajoelha para O proprietário da casa.
comer a erva, ele se agacha. Conhece o lugar onde a superfície da terra é seca.
Ele ri escancaradamente, ele é frio como o vento Erìnlè conhece o lugar aonde vai Òsún.
Hamatã. Rei de F’omú.
Quando ele dá as costas assemelha-se mais ao Erìnlè fala em segredo.
nevoeiro. A erva é boa em lugar alto.
A terra não comerá isso, A árvore grande faz sombra na água.
Erìnlè atira as centenas. Ele é frio com o vento Hamatã.
Ele quebra a cabaça em uma viga. O segundo dono do bastão de ferro.
Ele atira no pássaro e põem seu fardo no chão. Ele tem os dentes brancos.
Com uma das mãos ele abate duas palmeiras Como o ventre do fabricante do vinho de palma.

32
Seu baixo ventre é como papel. Aganan não cava o campo e não vai à Aguda.
O elefante vem ao mundo com duas presas. Ele cavou vinte sulcos em três anos.
Não existe outro que possa ser chamado Wirayi cava sua roça e matou um rato
De Senhor Ferreiro como o espírito de Olóbu Se alguém trabalhar perto dele na roça,
O irmão mais novo não pode ter culpa a ponto de encontrará o que comer.
matar seu irmão mais velho. Ele não quer saber que o chefe mandou todos
Abátàn, Senhor de um sére mágico. fazerem trabalho em comum na fazenda, quando
Ele movimenta os braços com imaginação ele pega sua enxada para ir trabalhar na roça.
A árvore da riqueza é alta e muito grande. Àse.

Oríkì Ợbàtálá

Ợbàtálá, Obàtárìsá.
Adágbàá je ìgbín.
A so ení kan digba ènìyàn.
Eni Alaiyeluwà.
Odúú Baba ìkòkò.
Òyígíyígì òtá omi.
Oliwa yo sensen.
Orééréé ti ndu Orí Elemere.
O so àgàn dọlọmọ
Orere ti ndu Orí Elemere.
O yí láàlà
Osun láàlà
O se koko ala rumo rumo.
Oba igbó
Eleni a yin.
Oba tótó, bàbá ò!
Àse.

Ợbàtálá, Obàtárìsá (O rei dos òrìsà).


O ancião cuja comida preferida é o ìgbín,

33
Faz uma pessoa se reproduzir em muitas.
A você pertence o universo e o comportamento dos seres.
Aquele que molda as crianças.
É imóvel como uma pedra no fundo da água.
Oliwa yo sensen
A divindade que se preocupa em proteger o Orí de Ẹlẹmẹrẹ
(Sociedade Ègbé òrun).
Que torna fértil o estéril.
A divindade protetora dos Ẹlẹmẹrẹ.
Que se envolve na pureza branca.
Que dorme na pureza branca.
De dentro de sua branca pureza brilha,
Emitindo luz para proteger seus seguidores.
Obà igbò! A grande divindade.
Que é suficientemente grande para ser louvado.
Ó Grande Rei, meu pai!
Àse.

34

Interesses relacionados