Você está na página 1de 18

22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Painel / Meus cursos / Gestão e Fiscalização de Contratos Administrativos


/ Módulo de Encerramento / Exercício Avaliativo Final

Iniciado em quinta, 22 nov 2018, 11:21

Estado Finalizada

Concluída em quinta, 22 nov 2018, 12:26

Tempo empregado 1 hora 5 minutos

Notas 10,00/10,00

Avaliar 30,00 de um máximo de 30,00(100%)

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 1/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 1
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

A prefeitura de um determinado município e uma empresa promotora


de eventos assinaram um contrato, em 15/10/X1, para a organização
das festividades comemorativas do aniversário da emancipação
municipal. As festividades aconteceriam de 12 a 14 de janeiro de X2,
contudo em 10 de janeiro de X2, fortes chuvas caíram sobre toda a
região do município, levando ao transbordamento de rios, inundações
de áreas urbanas e rurais e à decretação do estado de calamidade
pública pelo prefeito. Consequentemente, as festividades relativas ao
aniversário da emancipação municipal foram canceladas e o contrato
com a empresa promotora do evento foi rescindido unilateralmente
pela prefeitura. A empresa solicitou ressarcimento por despesas
incorridas e prejuízos sofridos. Por isso, você, como fiscal do contrato,
foi chamado a opinar.
Avalie essa situação e marque a alternativa correta.

 
a. A empresa não tem direito a nenhum ressarcimento, devido à
decretação do estado de calamidade pública no município.
b. A empresa tem direito apenas ao pagamento das despesas que
tiver incorrido até a data da rescisão, pela ocorrência de uma
situação de caso fortuito.
c. A empresa tem direito apenas ao pagamento das despesas que
tiver incorrido até a data da rescisão, e ao custo de desmobilização,
pela ocorrência de uma situação de caso fortuito.
d. A empresa tem direito apenas ao pagamento das despesas que
tiver incorrido até a data da rescisão, ao custo de desmobilização e
aos prejuízos por ela incorridos, pela ocorrência de uma situação de
caso fortuito.
e. A empresa tem direito ao pagamento das despesas que tiver
incorrido até a data da rescisão, ao custo de desmobilização e aos
prejuízos que ela regularmente comprovados que houver sofrido,
pela ocorrência de uma situação de caso fortuito. A alternativa
está correta. De acordo com o parágrafo 2º do artigo 79 da Lei nº
8.666/93, a empresa contratada tem direito ao ressarcimento dos
prejuízos regularmente comprovados que houver sofrido, aos
pagamentos devidos pela execução do contrato até a data da
rescisão e ao pagamento do custo da desmobilização.

Ocorrendo a rescisão unilateral do contrato por parte da Administração,


sem que haja culpa por parte da contratada, de acordo com o parágrafo
2º do artigo 79 da Lei nº 8.666/93, a contratada tem direito ao
ressarcimento dos prejuízos regularmente comprovados que houver
sofrido, aos pagamentos devidos pela execução do contrato até a data
da rescisão e ao pagamento do custo da desmobilização.
Gabarito: A empresa tem direito ao pagamento das despesas que tiver
incorrido até a data da rescisão, ao custo de desmobilização e aos
prejuízos que ela regularmente comprovados que houver sofrido, pela
ocorrência de uma situação de caso fortuito.
A alternativa está correta. De acordo com o parágrafo 2º do artigo 79
da Lei nº 8.666/93, a empresa contratada tem direito ao ressarcimento
dos prejuízos regularmente comprovados que houver sofrido, aos
https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 2/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

pagamentos devidos pela execução do contrato até a data da rescisão


e ao pagamento do custo da desmobilização.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 3/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 2
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

João é um experiente contador e auditor de determinado município que


foi designado como fiscal de um contrato firmado com uma construtora
local para a realização de obras de pavimentação de ruas da cidade.
Qual das alternativas a seguir melhor representa o atendimento da
obrigatoriedade de designação de um fiscal para acompanhar os
contratos administrativos?

 
a. João não deveria ter sido designado fiscal de um contrato de
obras, pois a sua formação de contador o impede de exercer essa
atividade, ainda que não existissem engenheiros nos quadros da
prefeitura.
b. João, aproveitando conhecimentos e experiência de contador e
auditor, confere individualmente os serviços indicados como
realizados nos boletins de medição, e os compara com aqueles que
constam da planilha que integrou a proposta vencedora da licitação.
c. Na hipótese de João contar com o auxílio de engenheiro
contratado para as verificações de campo quanto ao que estava
sendo executado, cabe a esse profissional todas as atividades de
fiscalização quanto aos aspectos técnicos, restando para João
apenas referendar os documentos elaborados e os encaminhar
para as instâncias superiores.
d. Na hipótese de os boletins de medição terem sido elaborados
com o acompanhamento do engenheiro contratado para auxiliar
João, , ele deve checar in loco, e por amostragem, alguns serviços
realizados, conferindo todos os dados dos boletins com a planilha
do contrato. Essa é a resposta correta. Como João não é
engenheiro, e conta com o auxílio desse profissional, as verificações
da correta execução dos serviços, em qualidade e quantidades
contratadas, devem ser realizadas pelo engenheiro, cabendo a ele
(João), como fiscal do contrato, criar procedimento de checagem das
informações prestadas pela empresa e pelo engenheiro auxiliar, de
modo a assegurar a correta fiscalização do contrato.
e. Apesar de João não ser engenheiro, a sua experiência de
contador e auditor fez com que adotasse procedimentos corretos
quanto à fiscalização, pois ele confere os serviços indicados como
realizados com os serviços constantes da planilha da proposta
vencedora da licitação, o que lhe garante que o contrato está sendo
cumprido à risca.

A Lei 8.666/1993, especificamente o Capítulo III da Lei 8.666/1993 (que


vai do art. 54 ao art. 80), traz as disposições legais acerca dos contratos
administrativos, regulando a sua formalização, alterações, forma de
execução, e consequências de inexecuções. Nesse contexto, o art. 67 da
referida Lei traz comando expresso quanto à obrigatoriedade de a
Administração designar um servidor para acompanhar e fiscalizar a
execução dos contratos administrativos:
Art. 67. A execução do contrato deverá ser acompanhada e fiscalizada
por um representante da Administração especialmente designado,
permitida a contratação de terceiros para assisti-lo e subsidiá-lo de
informações pertinentes a essa atribuição.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 4/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Essa designação deve recair sobre servidor com condições de executar


o acompanhamento e a fiscalização com efetividade, de modo a cumprir
com os objetivos do comando legal. Nesse sentido, além do
conhecimento sobre o objeto da contratação a ser fiscalizado, deve
possuir um perfil psicológico adequado à atividade, pois ele irá
constantemente interagir com o contratado (através do preposto da
empresa) e, em muitas situações, deverá ser rigoroso nas exigências
quanto ao cumprimento das obrigações assumidas e consignadas no
contrato.Preferencialmente, e quando possível, a fiscalização deve ser
executada por servidor do setor solicitante do objeto.
Na impossibilidade técnica ou material de contar exclusivamente com
servidores do quadro de pessoal do órgão contratante, a Lei faculta a
contratação de terceiros para auxiliar o fiscal do contrato nessa tarefa
(parte final do caput do art. 67 da Lei 8.666/1993).
Desse modo, a fiscalização deve se dar de tal modo que garanta para a
Administração a segurança quanto à execução do contrato na forma
acordada, evitando-se pagamentos por serviços não realizados ou
realizados em descordo com o pretendido.
A fiscalização deficiente, sem observar os procedimentos necessários
para a efetiva verificação da conformidade do que se está executando
com o que fora contratado, além de prejuízos para a Administração
pode levar à responsabilização de gestores e fiscais de contratos,
especialmente quanto à atestos de serviços não realizados:
Instrua os fiscais de contrato quanto à forma de verificar e medir a
execução de serviços e o recebimento de bens, observando os preceitos
dos arts. 73 e 76 da Lei 8.666/1993, alertando-os para a
responsabilidade pessoal pelos "atestos" emitidos. Acórdão 1488/2009
Plenário.
Por fim, observar que a fiscalização, ainda que feita de forma efetiva, de
acordo com o que prescreve a Lei, não desobriga a empresa contratada
de responder por danos causados à Administração ou a terceiros como
consequência da execução defeituosa do contrato. É o que dispõe o art.
70 da Lei de Licitações:
Art. 70. O contratado é responsável pelos danos causados diretamente
à Administração ou a terceiros, decorrentes de sua culpa ou dolo na
execução do contrato, não excluindo ou reduzindo essa
responsabilidade a fiscalização ou o acompanhamento pelo órgão
interessado.
Gabarito: Na hipótese de os boletins de medição terem sido
elaborados com o acompanhamento do engenheiro contratado para
auxiliar João, , ele deve checar in loco, e por amostragem, alguns
serviços realizados, conferindo todos os dados dos boletins com a
planilha do contrato.
Essa é a resposta correta. Como João não é engenheiro, e conta com
o auxílio desse profissional, as verificações da correta execução dos
serviços, em qualidade e quantidades contratadas, devem ser
realizadas pelo engenheiro, cabendo a ele (João), como fiscal do
contrato, criar procedimento de checagem das informações prestadas
pela empresa e pelo engenheiro auxiliar, de modo a assegurar a
correta fiscalização do contrato.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 5/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 3
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

A importância de fiscalizar a execução de um contrato administrativo


está em fazer com que o particular contratado cumpra com o que foi
ofertado na licitação, cuja decorrência é o recebimento, pela
Administração, do que foi combinado. Além disso, fiscalizar um contrato
é importante, por quê?

 
a. Sendo uma obrigação constitucional, todos estão obrigados a
cumpri-la.
b. Se for bem planejada, a execução de um contrato
administrativo dispensa a fiscalização, pois todos os direitos e
obrigações estão claramente definidos, cabendo às partes o seu fiel
cumprimento.
c. A obrigação de fiscalizar a execução de um contrato deriva da
disposição da Lei 8.666/1993, expressa no seu art. 15, inciso III, pois
a fiscalização se enquadra nas cláusulas exorbitantes dos contratos
privados.
d. A correta fiscalização de um contrato administrativo pressupõe
que estejam garantidas a entrega do bem ou a prestação do serviço
dentro das especificações, quantidades e qualidade descritas no
contrato, fazendo com que um dos objetivos da licitação, que é a
obtenção da proposta mais vantajosa, seja concretizado na
execução do contrato. Essa é a resposta correta. De nada
adianta especificar corretamente um produto ou um serviço se na
hora da entrega não se verifica o que foi entregue. Essa fase e os
procedimentos decorrentes são importantíssimos para garantir que
o que foi contratado e vai ser pago, de fato, vai corresponder à
entrega. Daí a importância de uma fiscalização atuante e firme no
sentido de compelir o particular contratado a cumprir fielmente as
especificações do que fora prometido.
e. Se a fiscalização for exercida apenas pelo preposto da empresa
contratada, conforme previsto no art. 68 da Lei 8.666/1993, a
Administração terá que remunerá-lo com fundamento no art. 67 da
mesma lei que lhe faculta a possibilidade de contratação de
terceiros para a atividade.

Além de estar expressamente disposto no texto da Lei de Licitações e


Contratos, que impõe à Administração a obrigação quanto à designação
de servidores para a tarefa de fiscalizar os contratos administrativos
firmados no âmbito dos respectivos órgãos, esses servidores públicos
designados devem possuir as qualificações necessárias para o correto
exercício da atividade de fiscalização. A qualificação técnica se mostra
importante, pois, a depender das especificidades e complexidade do
objeto do contrato, nem todos estarão aptos para verificar o seu fiel
cumprimento. Mas não é só a qualificação técnica que deve ser
verificada na designação de um fiscal de contrato, pois a atividade exige
características de personalidade que façam com que a atividade de
fiscalização se dê de forma efetiva e sem embaraços, a exemplo de
iniciativa, pró-atividade, firmeza de propósito, e conduta funcional
adequada;

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 6/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Vale a pena dar uma olhada na Portaria TCU 297/2012, que dispõe
sobre a fiscalização de contratos de prestação de serviços de natureza
continuada, pois tem importantes conceituações e procedimentos que
podem ser aplicadas a diversos contratos.
Também é importante também verificar a alteração da IN SLTI/MPOG
02/2008 promovida pela edição da IN SLTI/MPOG 06, de 23 de
dezembro de 2013, que impacta bastante as atividades de fiscalização
dos contratos administrativos no âmbito do Sistema de Serviços Gerais
(Sisg) no âmbito da União.
Gabarito: A correta fiscalização de um contrato administrativo
pressupõe que estejam garantidas a entrega do bem ou a prestação
do serviço dentro das especificações, quantidades e qualidade
descritas no contrato, fazendo com que um dos objetivos da licitação,
que é a obtenção da proposta mais vantajosa, seja concretizado na
execução do contrato.
Essa é a resposta correta. De nada adianta especificar corretamente
um produto ou um serviço se na hora da entrega não se verifica o que
foi entregue. Essa fase e os procedimentos decorrentes são
importantíssimos para garantir que o que foi contratado e vai ser
pago, de fato, vai corresponder à entrega. Daí a importância de uma
fiscalização atuante e firme no sentido de compelir o particular
contratado a cumprir fielmente as especificações do que fora
prometido.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 7/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 4
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

Para a configuração de inexecução contratual, a atuação do fiscal do


contrato é fundamental, pois, em algumas situações, é a partir dos
registros feitos pela fiscalização que se pode imputar tal situação.
Qual das alternativas a seguir, que relatam ações do fiscal do contrato,
pode ser utilizada como fundamento para configurar uma inexecução
contratual.

 
a. Relato das reclamações verbais feitas ao preposto da empresa
sobre as faltas observadas na execução do contrato.
b. Comunicado à autoridade competente sobre a existência de
reclamações trabalhistas de alguns empregados da contratada.
c. Solicitação feita, mas não entregue, ao preposto da contratada
sobre a relação de contratos firmados pela contratada com outras
empresas.
d. Registro em livro de ocorrências constando reiteradas falhas na
prestação do serviço contratado devido ao uso de contingente
inferior ao informado na planilha de preços. Essa é a resposta
correta. O livro de ocorrências preenchido com as formalidades
exigidas para a sua utilização em caso de rescisão é peça
fundamental para dar suporte probatório da situação relatada e
poderá ser utilizado como fundamento para rescisão contratual.
e. Assinatura nos boletins de medição dando o atesto da
realização dos serviços, conforme contratado.

O cumprimento das formalidades na atuação do fiscal de contratos é


peça fundamental para o desempenho da atividade com correção e
efetividade, pois o exercício de algum direito da Administração, ou
aplicação de alguma sanção, depende do correto, pertinente e
tempestivo registro.
Nesse sentido, para configurar a inexecução contratual é importante
que as faltas, não conformidades no fornecimento ou na prestação do
serviço, comunicações, reclamações e impugnações estejam
formalizadas e em boa ordem, pois constituem o histórico documental
da execução do contrato.
De acordo com a publicação "Licitações e Contratos - Orientações e
Jurisprudência do TCU", deve a Administração manter
permanentemente, no local de execução de obra ou de prestação de
serviços, registro apropriado para anotações relacionadas com a
execução do contrato, Por exemplo: cumprimento dos prazos,
desenvolvimento dos serviços, materiais empregados, locação de
equipamentos, logística, mão-de-obra.
O referido registro pode ser livro de capa dura, caderno, folhas
impressas em computador,
ou qualquer outro meio de anotação que possam ter folhas numeradas,
rubricadas, datadas e assinadas pelo representante da Administração e
preposto do contratado.
Gabarito: Registro em livro de ocorrências constando reiteradas
falhas na prestação do serviço contratado devido ao uso de
contingente inferior ao informado na planilha de preços.
https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 8/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Essa é a resposta correta. O livro de ocorrências preenchido com as


formalidades exigidas para a sua utilização em caso de rescisão é
peça fundamental para dar suporte probatório da situação relatada e
poderá ser utilizado como fundamento para rescisão contratual.

Questão 5
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

Certo ente federativo estadual contrata empresa para construção de 80


unidades habitacionais em determinada região. Ao iniciar o serviço de
terraplanagem, a contratada descobre que o terreno havia sido utilizado
como depósito de lixo pela população até o terreno ser murado pelo
proprietário, havendo a presença de gás metano. Objetivando evitar
maiores problemas, a empresa contrata firma especializada para fazer a
análise do terreno, para emissão de laudo técnico pericial, o que atrasa
o início das obras.
Em relação ao prazo de execução, podemos afirmar:

 
a. Que não poderá ser alterado, muito embora a medida tenha
sido acertada.
b. Que não poderá ser alterado, pois este tipo de situação é
perfeitamente previsível para este tipo de empreendimento.
c. O prazo poderá ser alterado em função de fato excepcional ou
imprevisível, devendo os motivos para tais mudanças estarem
fundamentados no processo administrativo. Item correto.
Superveniência de fato excepcional ou imprevisível, estranho à
vontade das partes, que altere fundamentalmente as condições de
execução do contrato é uma das hipóteses previstas em lei para
prorrogação do prazo de execução, devendo o laudo técnico ser
peça integrante na justificativa da alteração do prazo § 1° do artigo
57 da Lei n° 8.666/93.
d. Poderá ser alterado, pois qualquer situação que atrapalhe o
andamento da obra é motivo para prorrogação do prazo de
execução.
e. Poderá ser alterado em função de fato excepcional ou
imprevisível, devendo o laudo técnico fixar o novo prazo.

Esta questão envolve as possibilidades de alteração do prazo de


execução. Vale lembrar que a lei elenca as hipóteses em esta alteração
pode ocorrer, conforme previsto pelo § 1° do artigo 57 Lei n° 8.666/93.
Gabarito: O prazo poderá ser alterado em função de fato excepcional
ou imprevisível, devendo os motivos para tais mudanças estarem
fundamentados no processo administrativo.
Item correto. Superveniência de fato excepcional ou imprevisível,
estranho à vontade das partes, que altere fundamentalmente as
condições de execução do contrato é uma das hipóteses previstas em
lei para prorrogação do prazo de execução, devendo o laudo técnico
ser peça integrante na justificativa da alteração do prazo § 1° do artigo
57 da Lei n° 8.666/93.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 9/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 6
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

Apesar da Lei 8.666/1993 aludir apenas ao fiscal de contratos, o gestor


de contratos é figura importante na verificação da conformidade da
execução de um contrato, nos termos pactuados. Além deles, o
ordenador de despesas do órgão também participa de algumas etapas
importantes ao longo da execução de um contrato.
De acordo com o que foi estudado, qual das alternativas a seguir não
seria de competência do fiscal de contrato?

 
a. Anotação em registro próprio das ocorrências havidas na
execução do contrato.
b. Aplicar as penalidades por descumprimentos das obrigações
contratuais. Essa é a resposta correta. A aplicação de
penalidades ao contratado extrapola a competência do fiscal de
contrato, que deve, no entanto, subsidiar tempestivamente de
informações a autoridade competente, quando entender que a
ocorrência é passível de penalidade.
c. Realizar as medições dos serviços executados previamente ao
atesto das respectivas notas fiscais
d. Determinar a regularização de faltas ou defeitos na execução
do contrato.
e. Informar a ocorrência aos superiores quando alguma
providência extrapolar a sua competência de agir

O fiscal de contrato é o representante da administração que está na


linha de frente da execução de contratos administrativos, razão pela
qual possui uma importância capital para o sucesso das contratações
públicas.
Para isso, é importante que as designações de servidores para a
atividade sejam baseadas na competência técnica (conforme o objeto
do contrato a ser fiscalizado), como também nas características de
personalidade, tais como: iniciativa, pró-atividade, firmeza de propósito
e conduta funcional adequada, pois a atividade de fiscalização deve se
dar de forma efetiva e sem embaraços para as partes. Por exemplo, um
fiscal que tenha a timidez como uma característica forte em sua
personalidade, pode encontrar dificuldades para se relacionar com o
preposto da empresa, prejudicando a atividade de fiscalização. Ou outro
que não tenha uma conduta funcional adequada, adotando
comportamentos excessivamente permissivos ou informais, pode
deteriorar a relação entre as partes envolvidas, criando dificuldades
quando da necessidade de exigir correções ou aplicar penalidades.
Vale a pena dar uma olhada na Portaria TCU 297/2012, que dispõe
sobre a fiscalização de contratos de prestação de serviços de natureza
continuada, pois tem importantes conceituações e procedimentos que
podem ser aplicadas a diversos contratos.
É importante também verificar a recente alteração da IN SLTI/MPOG
02/2008 promovida pela edição da IN SLTI/MPOG 06, de 23 de
dezembro de 2013, que impacta bastante as atividades de fiscalização
dos contratos administrativos no âmbito do Sistema de Serviços Gerais
(Sisg) no âmbito da União.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 10/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Gabarito: Aplicar as penalidades por descumprimentos das


obrigações contratuais.
Essa é a resposta correta. A aplicação de penalidades ao contratado
extrapola a competência do fiscal de contrato, que deve, no entanto,
subsidiar tempestivamente de informações a autoridade competente,
quando entender que a ocorrência é passível de penalidade.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 11/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 7
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

Identifique a correta relação entre a conduta ilegal e a correspondente


esfera de responsabilização (administrativa, cível ou penal) a que está
sujeito o fiscal de contrato, quando, por ação ou omissão, o seu ato
estiver em desacordo com a legislação administrativa.

 
a. Deixar de comunicar à autoridade competente a ocorrência de
atrasos na execução do contrato, sem que dessa ação haja prejuízo
a Administração - esfera administrativa apenas. Essa é a
resposta correta. Houve descumprimento de normas funcionais no
exercício da atividade de modo que a esfera de responsabilização é
a administrativa. Se de sua conduta houvesse prejuízo, poderia ser
responsabilizado civilmente.
b. Atestar boletim de medição de obra sem a verificação in loco
dos serviços efetivamente realizados, ainda que não tenha havido
prejuízo – esfera administrativa e penal.
c. Solicitar verbalmente a correção de serviço que apresentaram
defeito, sem que dessa ação haja prejuízo a Administração – esfera
administrativa e cível.
d. Solicitar prorrogação de prazo de contrato fora das hipóteses
legais, do estabelecido no edital ou convencionado no contrato –
esfera administrativa e penal.
e. Atestar o recebimento de um bem defeituoso como sendo bom,
e em desacordo com o especificado na licitação e no contrato –
esfera administrativa apenas.

O rigor no exercício da atividade pública deve nortear as ações de todos


os agentes públicos, principalmente para algumas categorias de
servidores ou de servidores incumbidos de atividades, que pela sua
natureza, assumem contornos de guardiões do erário.
O fiscal de contrato recebe essa atribuição e dela deve se desincumbir
de maneira não apenas reta e proba, mas primando pela eficiência e
efetividade de suas ações, sob pena de ser compelido a responder por
atos que venham a ser questionados. Desta forma, o Fiscal estará
protegendo não apenas o patrimônio público, como também a si
próprio, evitando assim responsabilização por procedimentos que
venham a ser considerados inadequados.
Gabarito: Deixar de comunicar à autoridade competente a ocorrência
de atrasos na execução do contrato, sem que dessa ação haja prejuízo
a Administração - esfera administrativa apenas.
Essa é a resposta correta. Houve descumprimento de normas
funcionais no exercício da atividade de modo que a esfera de
responsabilização é a administrativa. Se de sua conduta houvesse
prejuízo, poderia ser responsabilizado civilmente.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 12/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 8
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

O Secretário de Administração solicitou à Procuradoria do Município a


elaboração de minuta de contrato para pregão, que seria realizado com
o objetivo de adquirir computadores com entrega parcelada.
Escolha, dentre as alternativas abaixo, aquela que melhor definirá o
procedimento técnico a ser adotado pela Procuradoria.

 
a. A Procuradoria do Município elaborou minuta de contrato em
que foram utilizadas cláusulas leoninas, conhecidas também como
exorbitantes, de acordo com a Lei de Licitações.
b. A Procuradoria do Município elaborou minuta de contrato com
algumas normas da Lei nº 8.666/93, mas a maioria regida pelo
Direito Privado.
c. A Procuradoria do Município elaborou minuta de contrato
regida integralmente pelo Direito Privado
d. A Procuradoria do Município elaborou minuta de contrato
regido primordialmente pela Lei 8.666/93 e aplicação subsidiária das
normas do Direito Privado. Este item está correto! A prefeitura
firmará com o particular um Contrato Administrativo comum para
realização de obras públicas, prestação de serviço e fornecimento,
que é regido primordialmente pela Lei 8.666/93 e aplicação
subsidiária das normas do Direito Privado. O Contrato
Administrativo tem como característica a Cláusula Exorbitante, que
decorre do princípio da supremacia do interesse público, dando
várias prerrogativas à Administração, como por exemplo, a
possibilidade de alteração unilateral do contrato, a rescisão
unilateral, a fiscalização e a possibilidade de aplicação de
penalidades por inexecução.
e. A Procuradoria do Município emitiu parecer dispensando o
termo de contrato.

O contrato Administrativo tem como característica as Cláusulas


Exorbitantes, que não deve ser confundida com leoninas ou abusivas.
A Administração Pública pode firmar contrato:
- Administrativo - regido primordialmente pela Lei nº 8.666/83;
- Semipúblico - regido por algumas normas da Lei nº 8.666/93 (arts. 55 e
58 a 61);
- Privado - regido integralmente por normas de Direito Privado.
Gabarito: A Procuradoria do Município elaborou minuta de contrato
regido primordialmente pela Lei 8.666/93 e aplicação subsidiária das
normas do Direito Privado.
Este item está correto! A prefeitura firmará com o particular um
Contrato Administrativo comum para realização de obras públicas,
prestação de serviço e fornecimento, que é regido primordialmente
pela Lei 8.666/93 e aplicação subsidiária das normas do Direito
Privado. O Contrato Administrativo tem como característica a Cláusula
Exorbitante, que decorre do princípio da supremacia do interesse
público, dando várias prerrogativas à Administração, como por

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 13/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

exemplo, a possibilidade de alteração unilateral do contrato, a


rescisão unilateral, a fiscalização e a possibilidade de aplicação de
penalidades por inexecução.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 14/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 9
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

As sanções administrativas da Lei 8.666/1993, tratadas em parte no


Capítulo IV da mencionada norma, estão expressas nas Seções I e II
(arts. 81 ao 88).
Acerca dessas sanções, assinale a alternativa correta.

 
a. O contratado que não entrega parte do objeto adjudicado está
sujeito apenas à Advertência, considerando que é conduta de baixa
reprobabilidade.
b. O licitante que não assinar o contrato a ele atribuído, após
adjudicação e homologação, está sujeito apenas à declaração de
inidoneidade para contratar com a Administração, considerada a
mais gravosa das penalidades.
c. A apenação com multa por inexecução de contrato pode ser
aplicada conjuntamente com a suspensão temporária para
participar de licitações e impedimento para contratações com a
Administração. Essa é a resposta correta. Conforme disposto
no § 2º do art. 87 da Lei 8.666/1993, as três penalidades podem ser
aplicadas em conjunto com a multa, conforme previsto no
instrumento convocatório e no contrato.
d. Havendo inexecução do contrato, o contratado pode optar por
uma das penalidades do art. 87 da Lei 8.666/1993.
e. Apenas nos casos de advertência, suspensão temporária e
declaração de inidoneidade o interessado tem garantido o direito a
ampla defesa prévia e do contraditório, conforme expresso no§ 2º
do art. 87 da Lei 8.666/1993.

A Lei estabelece as condutas passíveis de aplicação de penalidades, mas


não traz a gradação das sanções, considerando que elenca um rol delas
no seu art. 87.
Desse modo, cabe ao edital e ao contrato disciplinarem as demais
hipóteses e condições para aplicação das penalidades. No caso das
multas, considerando que são expressas em unidades monetárias e
referenciadas a valores contratuais, deve-se especificar, por exemplo,
percentuais, base de cálculo e prazo para recolhimento. Deve-se ainda
evitar expressões vagas ou imprecisas, limitando a subjetividade de sua
aplicação.
A declaração de inidoneidade aplicada pela Administração (art. 87,
inciso IV, da Lei 8.666/1993) não se confunde com aquela prevista no
art. 46, da Lei 8.443/1992. Esta última aplicada pelo Tribunal de Contas
da União por fraude comprovada à licitação.
Gabarito: A apenação com multa por inexecução de contrato pode ser
aplicada conjuntamente com a suspensão temporária para participar
de licitações e impedimento para contratações com a Administração.
Essa é a resposta correta. Conforme disposto no § 2º do art. 87 da Lei
8.666/1993, as três penalidades podem ser aplicadas em conjunto com
a multa, conforme previsto no instrumento convocatório e no contrato.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 15/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

Questão 10
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

A Secretaria de Saúde do município pretende contratar, por meio de


licitação na modalidade Pregão, empresa para prestar o serviço de
locação de veículos com motorista. No edital, inseriu cláusula com
indicação de que o contrato seria firmado inicialmente por 12 meses,
mas que seria prorrogado por iguais e sucessivos períodos até o limite
de 60 meses.
Foi solicitado ao fiscal de contratos da Secretaria que opinasse sobre as
cláusulas do edital que tratam da vigência do contrato. Foi pedido
também que indicasse as cláusulas de contrato que tratassem da
recomposição dos preços inicialmente contratados ao longo da vigência
do ajuste, para que constassem da minuta do contrato que acompanha
o edital.
De acordo com o que foi estudado e com as disposições da Lei
8.666/1993, qual das alternativas a seguir indica a resposta técnica mais
correta a ser dada pelo fiscal de contratos.

 
a. As cláusulas do edital acerca da vigência do futuro contrato
estão corretas. Para a minuta do contrato, como cláusula de
recomposição de preços, deve haver a previsão de que, a cada 12
meses, seja concedido um reajuste do valor do contrato, de modo a
compensar a inflação do período.
b. As cláusulas do edital acerca da vigência do futuro contrato
estão erradas, pois no edital não deve constar a indicação nem a
possibilidade de prorrogação do contrato. Somente quando da
execução, e se a contratação ainda se mostrar vantajosa para a
Administração, é que poderá haver prorrogação.
c. As cláusulas do edital acerca da vigência do futuro contrato
estão corretas. Para a minuta do contrato, como cláusula de
recomposição de preços, deve haver a previsão de repactuação dos
preços a cada prorrogação, com base na variação do salário mínimo,
de modo a compensar a inflação do período.
d. As cláusulas do edital acerca da vigência do futuro contrato
estão erradas. Para a minuta do contrato, como cláusula de
recomposição de preços, deve haver a previsão de repactuação dos
preços, que terá base na apresentação de planilha e dos respectivos
documentos que demonstrem a variação dos custos dos insumos
que compõe o preço do serviço contratado. As prorrogações
somente devem ser procedidas caso o contrato ainda se mostre
vantajoso para a Administração. Essa é a resposta correta. A
prorrogação do contrato é uma possibilidade, que será exercida
pela Administração se as condições ainda lhes forem favoráveis, e
não como uma obrigação decorrente do edital. As condições para a
recomposição dos preços do contrato, ao longo da sua vigência,
devem estar no edital e no contrato, e o instrumento a ser utilizado,
ordinariamente, é a repactuação, que dever ser precedida de
análise comparativa dos custos dos insumos da planilha de
composição dos preços contratados.
e. As cláusulas do edital acerca da vigência do futuro contrato
estão corretas. Para a minuta do contrato, como cláusula de
recomposição de preços, deve haver a previsão de revisão dos
preços a cada novo salário normativo da categoria dos motoristas.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 16/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

A vigência dos contratos de serviços de natureza continuada e os


respectivos preços dos serviços executados têm disciplina própria na Lei
8.666/1993 quando o ajuste avança além do período inicial firmado.
A primeira observação importante diz respeito à necessária previsão em
edital da possibilidade de prorrogação da vigência e a forma como se
procederá de modo a manter a equação econômico-financeira do
contrato nas bases estabelecidas quando da proposta e do contrato.
Assim, o contrato somente poderá ter sua vigência prorrogada se for
consignado expressamente no edital. A medida se explica em razão de
dar aos licitantes a possibilidade de formularem suas propostas
contemplando essa hipótese, com impacto na vantajosidade do preço
ofertado, em razão de uma contratação com perspectiva de se
prolongar por um período de até 60 meses implicar em ganhos de
escala e diluição de custos de mobilização e desmobilização.
No caso de ser aventada a possibilidade de prorrogação do contrato, a
Administração deve usar essa faculdade, desde que atendidas algumas
condicionantes, como:
1. verificação de que a contratação ainda se mostra vantajosa:
vantajosidade que deverá ser devidamente demonstrada nos
autos do processo de prorrogação, por meio da comparação dos
preços das novas condições do contrato com os praticados no
mercado.
2. verificação de que a empresa atende a todos os requisitos de
qualificação exigidos inicialmente na licitação.
3. verificação, caso necessário, do procedimento de recomposição
de preços do contrato, com vistas a manter a equação econômico-
financeira inicial, denominado repactuação, em que se deverá
demonstrar a variação de preços dos insumos dos serviços
contratados e ter periodicidade de um ano desde a última
repactuação.

Quando da primeira recomposição de preços, deve-se adotar como


data-base a data do orçamento a que a proposta se referir, hipótese
que deverá ser previamente consignada no edital.
Gabarito: As cláusulas do edital acerca da vigência do futuro contrato
estão erradas. Para a minuta do contrato, como cláusula de
recomposição de preços, deve haver a previsão de repactuação dos
preços, que terá base na apresentação de planilha e dos respectivos
documentos que demonstrem a variação dos custos dos insumos que
compõe o preço do serviço contratado. As prorrogações somente
devem ser procedidas caso o contrato ainda se mostre vantajoso para
a Administração.
Essa é a resposta correta. A prorrogação do contrato é uma
possibilidade, que será exercida pela Administração se as condições
ainda lhes forem favoráveis, e não como uma obrigação decorrente do
edital. As condições para a recomposição dos preços do contrato, ao
longo da sua vigência, devem estar no edital e no contrato, e o
instrumento a ser utilizado, ordinariamente, é a repactuação, que
dever ser precedida de análise comparativa dos custos dos insumos
da planilha de composição dos preços contratados.

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 17/18
22/11/2018 Exercício Avaliativo Final

https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/quiz/review.php?attempt=2692898 18/18