Você está na página 1de 8

Resumo de forragem

- Um manejo satisfatório é aquele em que:

1. controla-se a pressão de pastejo, que pode ser expressa em termos de carga animal
(número de animais por unidade de área), da forragem disponível por animal ou da
altura da pastagem após um período de utilização (pastejo rotativo) ou em utilização
(pastejo contínuo);

2. controlam-se os períodos de ocupação e descanso, constatando a perfeita recuperação


da pastagem.

- O corte ou pastejo de uma planta forrageira acarreta uma série de alterações em sua
morfologia e fisiologia, sendo as principais:
a) Diminuição na absorção de água e, conseqüentemente de nutrientes.

b) Paralisação temporária no crescimento de raízes.

c) Menor eficiência fotossintética.

Métodos de pastejo

Lotação continua

O rebanho tem acesso à toda a área da pastagem durante toda a estação de crescimento.

OBS: carga fixa ou variável.

Lotação rotacionada

O rebanho tem acesso a uma subdivisão da pastagem a cada momento, havendo


momentos de pastejo e de descanso para cada uma das subdivisões com carga fixa ou
variável em várias modalidades.

Conceitos importantes:

- Período de pastejo: Tempo que o pasto de um piquete é pastejado

- Periodo de descanso: intervalo de tempo entre dois pastejos sucessivos em um mesmo


piquete.

- Ciclo de pastejo: Tempo que o rebanho gasta dar a volta completa no sitema ou a soma
dos períodos de pastejo em todos os piquetes.

Modalidades da rotação rotacionada:

- Lotação rotacionada alternada

- Lotação rotacionada convencional


Lotação rotacionada com área de escape (pulmão)

Pastejo em faixas

Divisão de áreas sob lotação rotacionada

Modulo com corredor

Modulo tipo pizza

Conceitos:

1. Massa de forragem: Quantidade de forragem por área


2. Oferta de forragem(OF): Quantidade de forragem por animal (UA)
3. Taxa de lotação: Número de animais por unidade de área
4. Pressaõ de pastejo: Kg de matéria seca da forragem oferecida para cada 100 kg de
peso vivo.
OF ideal: Otimiza tanto a produção por animal quanto a produção por área, bem como
a que preserva a riqueza florística e o solo do ecossistema.
Sincronismo entre ganho animal e ganho por área:

Taxa de acumulo de forragem (TA):


Quantidade de forragem acumulada diariamente.

Eficiencia de pastejo
É a proporção do acumulo de forragem na pastagem consumida pelos animais antes
de senescer.

Capacidade de suporte
Quantidade de kg de peso vivo suportado pela oferta de forragem ideal.
Taxa de lotação no ótimo da pressão de pastejo.

Escolha da forrageira:
Adaptação à região (adaptabilidade às condições de solo e clima);
Objetivo da formação;
Produtividades desejadas;
O nível tecnológico a ser adotado;
Época de utilização da forragem;
Valor nutritivo.
Leguminosas

Raizes pivotantes
Alto poder de escarificação do solo
Entrada de ar atmosférico

O que tem no nódulos das leguminosas?


Uma infecção bacteriana por rhizobium que transforamam N2 enerte em N2 ativo. N2
em amônia. Fixadoras de nitrogênio.

Espécies
1. Aracchis pintoi: Amendoim forrageiro
Brasil
Ciclo PERENE
ALTAMENTE EXIGENTE – CHUVA E SOLO
cv. amarillo / ATF 2320
2. Cajanus Cajan: feijão guandu, feijão andu
África ou ASIA
CICLO PERENE -5 anos
Tolera seca, solo bom
3. Medicago sativa: Alfafa forrageira, lucerne
Oriente médio
CICLO ANUAL
ALTAMENTE exigente, mas boa EM TUDO

4. Leucena leucocephala: Leucena


América central/ Mexico
CICLO PERENE
ARBUSTIVA A ARBOREA
5. Neonotonia (GLYCINE): Soja perene
ÁFRICA
CICLO PERENE
Bastante adaptável
6. Stylosanthes sp : estilozantes
America central
CICLO PERENE
Bastante adaptável