Você está na página 1de 4

Atividade laboratorial 1.

1
Lançamento horizontal
Um atirador olímpico dispara a sua pistola horizontalmente.
A que altura acima do nível do alvo deve colocar a saída da bala para, a uma dada distância,
acertar no alvo?

Objetivo geral: Obter, para um lançamento horizontal de uma certa altura, a relação entre o
alcance do projétil e a sua velocidade inicial.
Metas Curriculares
1. Medir o valor da velocidade de lançamento horizontal de um projétil e o seu alcance para uma altura
de queda.
2. Elaborar um gráfico do alcance em função do valor da velocidade de lançamento e interpretar
o significado físico do declive da reta de regressão
3. Calcular um alcance para uma velocidade não medida diretamente, por interpolação ou extrapolação.
4. Concluir que, para uma certa altura inicial, o alcance é diretamente proporcional à velocidade
de lançamento do projétil.
5. Avaliar o resultado experimental, confrontando-o com previsões do modelo teórico.

Sugestões
Nesta atividade, os alunos relacionarão a velocidade de lançamento horizontal de um projétil com
o seu alcance. Devem, ainda, interpretar o movimento de um projétil como a composição de dois
movimentos, um na horizontal e outro na vertical.
Ao utilizar-se uma esfera é necessário ter o cuidado de
que seja o diâmetro da esfera a cortar o feixe de luz da
célula fotoelétrica. Se o diâmetro da esfera não estiver
alinhado com o feixe de luz, o feixe é interrompido por um
tempo menor do que o que seria se tivesse o diâmetro
alinhado. Como não se sabe exatamente qual a espessura
do corpo que corta o feixe, e se continua a admitir que é o
diâmetro, vão calcular-se velocidades maiores.
Embora não incluído na proposta das Metas Curriculares, poderá ainda registar-se em vídeo o
lançamento horizontal do projétil e proceder à sua análise com um programa de análise de vídeo
(por exemplo o Tracker, software livre de análise de vídeo do projeto Open Source Physics). Esse
vídeo poderia ser obtido na aula e a sua análise poderia ser proposta como trabalho extra-aula.
A análise do vídeo permitiria extrair as coordenadas de posição em função do tempo e decompor
o movimento nas suas duas componentes, horizontal e vertical, com a obtenção ainda das
componentes da velocidade. A análise gráfica da variação das componentes da posição e da
velocidade em função do tempo promoverá o reforço da interpretação do movimento.
Como equipamento, para além da montagem apenas seria necessário um aparelho de aquisição
de vídeo, colocado perpendicularmente ao plano do movimento, num suporte fixo.
Objetivos para a análise de vídeo: obtenção dos gráficos das componentes da posição ‫ )ݐ(ݔ‬e
‫ ;)ݐ(ݕ‬obtenção dos gráficos das componentes da velocidade ‫ݒ‬௫ (‫ )ݐ‬e ‫ݒ‬௬ (‫ ;)ݐ‬caracterização dos
movimentos segundo cada componente, ‫ ݔ‬e ‫ݕ‬.

30 Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12F


Questões pré-laboratoriais (respostas)
1. Um projétil é disparado horizontalmente quando a sua velocidade inicial tem apenas componente
horizontal.

2. O projétil descreve uma trajetória parabólica.


a) Segundo a horizontal, o movimento é uniforme; assim, a componente escalar da sua
velocidade nesta direção é constante. A expressão da sua coordenada de posição em função
do tempo é dada por ‫ݔ = ݔ‬଴ + ‫ݒ‬଴ ‫ݐ‬.
b) Na direção vertical, o movimento é uniformemente acelerado; então, nesta direção a
componente escalar da sua velocidade varia uniformemente com o tempo. Para um eixo de

sentido ascendente, a expressão da sua coordenada de posição é dada por ‫ݕ = ݕ‬଴ െ ݃‫ ݐ‬ଶ .

3. a) Com o dispositivo referido, pode variar-se e controlar-se facilmente quer a velocidade de


lançamento, quer a altura de saída em relação ao solo.
b)

c) i) A velocidade de lançamento horizontal é tanto maior quanto mais acima sair da rampa.
ii) O alcance é tanto maior quanto maior for a velocidade de lançamento. A esfera que for
largada mais acima tem um maior alcance.
iii) Os tempos de chegada ao solo dependem apenas da altura de lançamento; assim, sendo a
altura de lançamento a mesma, os tempos que demoram a chegar ao solo são iguais.

4. Usando as equações do movimento, ‫ݔ = ݔ‬଴ + ‫ݒ‬଴ ‫ ݐ‬e ‫ݕ = ݕ‬଴ െ ݃‫ ݐ‬ଶ , considerando um sistema

de eixos com eixos vertical ascendente e horizontal com sentido do movimento de saída, tendo
origem no solo, e substituindo as grandezas conhecidas, obtém-se:
ଶ௛
‫= ܣ ۓ‬0+‫ݐ ݒ‬ ‫ۓ‬ ‫ݒ = ܣ ۓ‬଴ ට
ۖ ଴ ۖ‫ = ܣ‬0 + ‫ݒ‬଴ ‫ݐ‬ ۖ ௚
ଶ௛
; ; ฺ ‫ = ܣ‬ට ‫ݒ‬଴
‫۔‬ ‫۔‬ ௚
‫۔‬
ۖ ଵ ଶ ۖ ‫ = ݐ‬ටଶ௛ ۖ ‫ = ݐ‬ටଶ௛
‫ە‬0 = ݄ െ ଶ ݃‫ݐ‬ ‫ە‬ ௚ ‫ە‬ ௚

5. Para além da célula fotoelétrica, é necessário usar uma fita métrica e uma craveira. Com
a craveira mede-se o diâmetro da esfera, a fita métrica servirá para medir a altura de saída da
esfera em relação ao solo e também o alcance para cada lançamento. Com a célula fotoelétrica
medir-se-á o intervalo de tempo de interrupção do feixe pelo diâmetro da esfera. Assim, pode
calcular-se a velocidade média de lançamento pela divisão do diâmetro pelo intervalo de tempo.
Esta velocidade média aproxima-se tanto mais da velocidade num instante quanto menor for
o intervalo de tempo que a esfera demora a atravessar o feixe de luz.
Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12F 31
Trabalho laboratorial
1. Medida do diâmetro com uma craveira: ы= (22,00 ± 0,05) mm.

2. ݄ = (86,40 ± 0,05) × 10ିଶ m

3.

't (±0,001) / 7,978 8,313 8,431 9,551 9,230 9,405 11,141 11,142 11,053
ms 14,216 14,213 14,080 21,101 20,737 20,943 30,220 29,664 31,966
1,065 1,025 1,000 0,895 0,900 0,890 0,775 0,755 0,760
A/m
0,610 0,584 0,593 0,398 0,415 0,410 0,285 0,280 0,255

Questões pós-laboratoriais (respostas)


1. Tabela:
't (±0,001) / ms 't (±0,001) / ms ࢜૙ / ‫ି ܛ ܕ‬૚ A(±0,0005) / m A/m
7,978 1,0650
8,313 8,241 2,670 1,0250 1,030
8,431 1,0000
9,551 0,8950
9,230 9,395 2,342 0,9000 0,895
9,405 0,8900
11,141 0,7750
11,142 11,112 1,980 0,7550 0,763
11,053 0,7600
14,216 0,6100
14,213 14,170 1,553 0,5840 0,596
14,080 0,5930
21,101 0,3980
20,737 20,927 1,051 0,4150 0,408
20,943 0,4100
30,220 0,2850
29,664 30,617 0,719 0,2800 0,273
31,966 0,2550

2. Erros experimentais que poderão ter sido cometidos:


ƒ as esferas poderão não interromper o feixe exatamente com o seu diâmetro;
ƒ as esferas não saem da calha perpendicularmente à mesa, conduzindo a erro de medida no
alcance medido;
ƒ podem existir pequenos desvios em relação à direção horizontal na velocidade de saída da esfera.

32 Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12F


3.

a) Entre a velocidade de lançamento e o alcance existe uma proporcionalidade direta. A equação


encontrada é ‫ = ݕ‬0,385‫ ݔ‬െ 0,001, ou seja, ‫ = ܣ‬0,385 ‫ݒ‬଴ െ 0,001. De acordo com o modelo
ଶ௛
teórico, deduzido nas questões pré-laboratoriais, ‫ = ܣ‬ට ‫ݒ‬଴ , então, o declive da reta é igual

ଶ௛
ao tempo de queda, ට .

b) A equação encontrada revela um bom ajuste aos pontos experimentais. A ordenada na origem
é pequena, 0,001 m, e da ordem da incerteza de medida. Calculando o tempo de queda, a
ଶ௛ ଶ × ଴,଼଺ସ଴ m
partir da altura da queda, obtém-se ට =ට = 0,420 s. Comparando com o valor
௚ ଽ,଼ m s షమ

଴,ଷ଼ହ ି ଴,ସଶ଴
encontrado a partir da equação, o erro é de × 100% = െ8,3%.
଴,ସଶ଴

4. ‫ = ݕ‬0,314‫ ݔ‬െ 0,017


a) Para ‫ݒ‬଴ = 2,0 m sିଵ, tem-se ‫ = ܣ‬0,314 × 2,0 െ 0,017 = 0,61 m.
b) Para ‫ = ܣ‬1,2 m, tem-se 1,2 m = 0,314 × ‫ݒ‬଴ െ 0,017 ฺ ‫ݒ‬଴ = 3,9 m sିଵ .

5. a) Convertendo a velocidade para a unidade metros por segundo:


ଵ଺଴଴ ଵ଺଴଴ ଶ௛
‫ۓ‬ ‫=ܣ ۓ‬ ଷ,଺
‫ݐ‬ ‫=ܣۓ‬
ଷ,଺
ට௚
ۖ ‫ݒ = ܣ‬଴ ‫ݐ‬ ۖ ۖ ଶ × ଵ,଺ ଵ଺଴଴
; ; ฺ‫ =ܣ‬ට m s ିଵ × s = 254 m
‫۔‬ ଽ,଼ ଷ,଺
‫۔‬ ‫۔‬ ଶ௛
ۖ 0 = ݄ െ ଵ ݃‫ ݐ‬ଶ ۖ ‫ = ݐ‬ට௚ ۖ ‫ = ݐ‬ටଶ௛
‫ە‬ ଶ ‫ە‬ ‫ە‬ ௚

b) Estando o nível do alvo ao nível da origem do eixo das ordenadas:


ଵ଺଴଴ ହ଴ × ଷ,଺
‫ݒ = ܣ‬଴ ‫ݐ‬ 50 = ‫ݐ‬ ‫=ݐ‬
ଷ,଺ ଵ଺଴଴
ଵ ହ଴ × ଷ,଺ ଶ
൞ ; ൞ ; ൞ ฺ݄= × 9,8 × ቀ ቁ 0,062 m = 6,2 cm
ଵ ଶ ଵ଺଴଴
ଵ ଵ
0=݄െ ݃‫ ݐ‬ଶ ݄= ݃‫ ݐ‬ଶ ݄= ݃‫ ݐ‬ଶ
ଶ ଶ ଶ

Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12F 33