Você está na página 1de 3

RESUMO

O JAR-TEST OU “TESTE DE JARRO” é um método utilizado para determinar parâmetros ideais


no tratamento de água; onde por meio de dosagem de produtos químicos floculantes obtém-
se a formação de flóculos que carregam a sujeira agrupando-as. Este é um processo químico e
físicos em que partículas muito pequenas são agregadas, formando flóculos, para que possam
decantar-se e isso altera a cor e turbidez da água, um dos processos de purificação da água.
Este método é feito manualmente e é utilizado em ETA (estação de tratamento de água) e no
projeto de construção da mesma.

OBJETIVO

Obter a concentração ótima (ideal) de coagulante a fim de eliminar impurezas da água,


clarificando-a e alterando a turbidez da água em análise.

INTRODUÇÃO

Com a escassez de água potável in natura no planeta uma alternativa para o consumo humano
é a reutilização da água. Por meio de procedimentos químicos e físicos a água dos rios são
represadas e tratadas pela ETA’S (Estação de Tratamento de Água) e assim disponibilizadas
para o consumo.

Um dos processos feito nesta purificação é a floculação das partículas em suspensão presentes
na água. Estas partículas são agrupadas quimicamente por meio de floculantes e na floculação
as partículas formam agregados e estes agregados formam pontes entre partículas
desestabilizadas ou as cargas se neutralizam para formar flocos.

Quando a floculação não ocorre há demora na sedimentação havendo necessidade de


floculantes para melhorar a clarificação, filtração e as operações de centrifugação.

Em nossos experimentos utilizamos o TANFLOC. O TANFLOC, um polímero de origem da Acácia


Negra, produzido pela TANAC S.A.

Na linha de tratamentos de águas de abastecimento e de efluentes industriais, a TANAC vem


desenvolvendo e aperfeiçoando, desde a década de 80, produtos da linha TANFLOC, polímeros
orgânicos, catiônicos, de baixo peso molecular, de origem essencialmente vegetal, que atuam
como: coagulante, floculante e auxiliam no tratamento de águas em geral. O TANFLOC SG não
contém metais na sua formulação e é registrado no REACH (Registration, Evaluation,
Authorisation and Restriction of Chemicals), o que evidencia o atendimento do rigoroso
padrão de avaliação estabelecido pela União Européia. O mesmo é classificado como
facilmente biodegradável. O TANFLOC possui certificações NBR 15784, NSF/ANSI 60, ISO 9001,
ISO 14001, FSC®, Kosher e Halal, sendo comercializado no Brasil há mais de 30 anos e
exportado para cerca de 20 países.

Grupos de floculantes

1) Minerais: a adsorção se dá por neutralização de carga. É o exemplo da sílica ativada, certas


argilas coloidais como a bentonita, e determinados hidróxidos metálicos com uma estrutura de
polímeros como o Sulfato de alumínio, Cloreto férrico, etc.

2) Naturais: são polímeros aniônicos, catiônicos ou não iônicos derivados do amido


pregelatinizados de milho ou batata. Podem ser naturais ou tratados quimicamente para
formar aminas aniônicas ou catiônicas. A utilização desta classe é importante na indústria de
papel. Polissacarídeos como as gomas guar e os alginatos aniônicos são utilizados no
tratamento de água potável.

3) Sintéticos: os polímeros de poliacrilamida são orgânicos, também chamados de


polieletrólitos, são essencialmente lineares e solúveis em água com pesos moleculares que
variam de algumas centenas de milhares a dez milhões ou mais.

São caracterizados pela carga elétrica que pode ser negativa (aniônica), positiva (catiônica) ou
não iônica. Um floculante aniônico irá se atrair a cargas positivas como é o caso de sais e
hidróxidos metálicos. Um floculante catiônico vai se ligar a cargas negativas como o silicone ou
substâncias orgânicas, contudo a regra tem exceções e floculantes aniônicos podem flocular
argilas eletronegativas. São os polímeros de uso mais comuns e os polieletrólitos são utilizados
em sistemas de água e tratamento de águas residuais. Os polímeros estão disponíveis na
forma de pós, líquidos e emulsões.

MATERIAIS

 Equipamento de Jar test


 1 Becker;
 2 litros de água bruta (rio Tietê)
 Medidor de ph;
 Floculante TANFLOC

PROCEDIMENTO

No ensaio que realizamos no laboratório da UMC, utilizamos uma amostra de água bruta
coletada do rio Tietê na região de Itaquaquecetuba.

Foi adicionado 4 gotas de floculante TANFLOC e colocado no equipamento de “teste de jarros”


com a seguinte configuração:

Mistura rápida 150rpm - 1 min

Floculação 70 rpm – 10 min

Soltar água 2 rpm 10 min

Nosso objetivo era verificar o processo de floculação e decantação das impurezas da água
obtendo a quantidade ideal de floculante para o processo de purificação da água.

Também medimos o ph da água, onde por meio de agentes químicos ( ácido ) fizemos o
controle do mesmo na pretensão de obter um ph menos alcalino melhorando a eficácia dos
resultados.
CONCLUSÃO

O experimento realizado por meio do teste de jarro “Jar Test”, pode nos mostrar de maneira
mais proveitosa e concisa, a importância de testes laboratoriais realizados nas ETA’S para o
tratamento e purificação da água de consumo servida a população. Também podemos
observar que é possível determinar a quantidade de produtos químicos dosados na água para
sua melhora e controle evitando assim o desperdício de material e maior eficiência no
processo. O resultado da floculação nos mostra como obter o menor índice de turbidez
possível garantindo a ausência de materiais particulados na água, onde essas partículas se
agrupam, aumentando sua densidade depositando-se no fundo do recipiente.

O pH pode influenciar severamente no resultado final de eficiência de remoção, e é uma


variável de extrema importância, já que, se descontrolada excessivamente pode causar sérios
problemas, seja com a biota, a proliferação de organismos vivos, a saúde humana e danificar a
infraestrutura de saneamento. Mas não somente o pH tem importância, como também todas
as demais variáveis têm de ser analisadas, principalmente se a destinação final for o consumo
humano.

O teste é um dos processos de potabilidade da água e não se pode definir se a água está
adequada para uso humano, já que seria necessário realizar outros ensaios, como
microbiológicos, e após esse levantamento comparar com os padrões de potabilidade da
legislação vigente.

BIBLIOGRAFIA

http://www.snatural.com.br/coagulantes-floculantes-tratamento-agua/

http://www.tanac.com.br/pt-br/noticia/tanfloc-ajuda-no-tratamento-da-potabilidade-da-
%C3%A1gua-nas-regi%C3%B5es-da-bacia-do-rio-doce

Em comparação a outras amostras de águas disponibilizadas por outros grupos e também


submetidas ao mesmo teste, só que com floculantes diferente como por exemplo Cloreto
férrico e sulfato de alumínio percebemos, que em determinadas amostras um tipo de
floculante pode ser mais ou menos eficiente em função do tipo de carga existente nas
partículas em suspensão da amostra de água, onde a mesma pode ser aniônico e irá se atrair a
cargas positivas ou catiônico vai se ligar a cargas negativas.