Você está na página 1de 8

Estruturas Pedagógicas

Área disciplinar de Biologia e Geologia


Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro Ano letivo 2016/2017

FICHA DE AVALIAÇÃO TEÓRICA DE BIOLOGIA E GEOLOGIA

VERSÃO 1
GRUPO I
ANIMAL QUE “ROUBA” CLOROPLASTOS
Há muito que se sabe que a fotossíntese ocorre em plantas, algas e muitas bactérias, assegurando uma
fonte de oxigénio e de biomassa para a vida heterotrófica. Alguns animais do filo Mollusca (ameijoa-gigante
e nudibrânquios), Porifera (esponjas) e Cnidária (corais, anémonas e hidras) desenvolveram mecanismos
de cleptoplastia para a captura de produtos fotossintéticos através da formação de associações simbióticas
com algas unicelulares intactas ou cianobactérias. As relações simbióticas mais simples consistiram na
fagocitose de eucariontes fotossintéticos por protistas unicelulares. Já, a aquisição de simbiontes
fotossintéticos por animais multicelulares apresenta múltiplos desafios.
A lesma-do-mar Elysia chlorotica constitui uma oportunidade única para estudar a evolução de uma nova
função – fotossíntese – num hospedeiro multicelular (figura 1). Este molusco alimenta-se de uma alga –
Vaucheria litorea – à qual “rouba” os cloroplastos. Estes plastídeos são mantidos durante vários meses no
interior das células do trato digestivo, que passam a realizar a fotossíntese, sendo, por isso, essenciais
para o desenvolvimento do animal.
A base da manutenção da atividade fotossintética durante vários meses pensava-se estar relacionada com
uma transferência horizontal de genes (HGT) do núcleo da alga para o do animal, cuja expressão, já nas
células do hospedeiro, originaria as proteínas essenciais à função dos cloroplastos.
Recentemente, estudos baseados no DNA das células das algas e, nomeadamente, das células da linha
germinativa do molusco contrariam esta hipótese, não demonstrando evidências fortes da integração de
sequências genéticas inteiras das algas na células do molusco.
Baseado em The Journal of Experimental Biology, 2010, doi:10.1242/jeb.046540;
Molecular Biology and Evolution, 2013, doi:10.1093/molbev/mst084

Figura 1: Ciclo de vida de Elysia chlorotica

MOD.01, revisão 0 Página 1 de 8


Nos itens de 1. a 8., selecione a letra da opção correta.
1. No estado larvar, a lesma-do-mar Elysia chlorotica, quanto à fonte de carbono é um ser vivo
_______ e obtém a energia indispensável ao seu metabolismo por _________.
A. … heterotrófico … fermentação
B. … heterotrófico … respiração aeróbia
C. … autotrófico … fermentação
D. … autotrófico … respiração aeróbia

2. Atendendo ao tipo de nutrição no estado juvenil não pigmentado da lesma-do-mar, podemos


afirmar que se trata de um animal com …
A. … digestão intracelular de macromoléculas no tubo digestivo.
B. … digestão extracelular e um fluxo unidirecional de alimentos ao longo do tubo digestivo.
C. … digestão extracorporal seguida de ingestão.
D. … absorção de macromoléculas como produto final da digestão.

3. A cleptoplastia resulta da digestão ___ das algas pela lesma-do-mar adulta, que apresenta
digestão ___.
A. … parcial … intracorporal e extracelular
B. … parcial … intracorporal e intracelular
C. … completa … intracorporal e extracelular
D. … completa … intracorporal e intracelular

4. Em Vaucheria litorea, a produção de biomassa ocorre em vias _________, que consistem numa
série de reações que, iniciando na captação de luz, ocorrem sequencialmente _________.
A. … anabólicas … nos tilacoides e no estroma dos cloroplastos
B. … anabólicas … no estroma e nos tilacoides dos cloroplastos
C. … catabólicas … nos tilacoides e no estroma dos cloroplastos
D. … catabólicas … no estroma e nos tilacoides dos cloroplastos

5. Nos cloroplastos presentes no estado adulto em Elysia chlorotica ocorre…


A. … conversão de energia química do molusco em energia luminosa, ao nível dos tilacoides.
B. … síntese de glicose nos tilacoides.
C. … fotólise das moléculas de água no estroma.
D. … oxidação das moléculas de água nos tilacoides.

6. Os genes presentes no núcleo das células de Vaucheria litorea resultaram da condensação de


monómeros de _________ unidos por ligações _________.
A. … nucleósidos … fosfodiéster entre a extremidade 3’ da cadeia e o fosfato da pentose seguinte
B. … nucleósidos … fosfodiéster entre a extremidade 5’ da cadeia e o fosfato da pentose seguinte
C. … nucleótidos … fosfodiéster entre a extremidade 3’ da cadeia e o fosfato da pentose seguinte
D. … nculeotidos … fosfodiéster entre a extremidade 5’ da cadeia e o fosfato da pentose seguinte

7. As esponjas apresentam digestão ________ e ________.


A. … intracelular … intracorporal C. … extracelular … intracorporal
B. … intracelular … extracorporal D. … extracelular … extracorporal

8. Na hidra, a distribuição de nutrientes e a eliminação de resíduos metabólicos podem ser


efetuadas por difusão…
A. … direta, pois apresenta uma estrutura simples com uma relação superfície/volume elevada.
B. … direta, pois realiza uma digestão exclusivamente intracelular.
C. … indireta, pois possui circulação simples.
D. … indireta, pois apresenta uma cavidade gastrovascular.

MOD.01, revisão 0 Página 2 de 8


9. Faça corresponder a cada uma das afirmações da coluna A, relativas a diferentes estratégias de
obtenção de matéria, o número da coluna B que as identifica. Utilize cada letra e cada número
apenas vez.

COLUNA A COLUNA B
A. Ingestão de Vaucheria litorea por Elysia chlorotica, 1) Digestão
seguida de digestão e absorção sequenciais ao longo do extracorporal
tubo digestivo. 2) Ser vivo com tubo
B. Exocitose de enzima para o meio abiótico. digestivo completo
C. Organismo autotrófico cuja fonte de energia resulta da 3) Ser vivo
oxidação de substratos minerais. quimioautotrófico
D. Organismo autotrófico cuja fonte de energia resulta da 4) Ser vivo com tubo
oxidação da molécula de água. digestivo incompleto
E. Ocorre a digestão parcial das partículas alimentares, à 5) Ser vivo
qual se sucede a fagocitose pelas células que revestem a fotoautotrófico
parede da cavidade gastrovascular, onde ocorre nova
digestão

10. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência de processos envolvidos na


digetão intracelular por heterofagia, culminando na eliminação de resíduos.

A. Exocitose de partículas resultantes da digestão.


B. As células englobam partículas alimentares constituídas por moléculas complexas.
C. Formação de vacúolos digestivos.
D. Redução da superfície da membrana celular.
E. Fusão de vesículas endociticas com lisossomas.

11. As lesmas-do-mar tendem a habitar zonas de águas pouco profundas (0 a 0,5 metros) onde, por
vezes, o teor de oxigénio é reduzido.
Explique por que motivo a presença de plastídeos nas lesmas-do-mar constitui uma vantagem
para a sua sobrevivência.

GRUPO II
Eram duas da manhã quando Gil Grissom e Sara Sidle chegaram ao quarto 46 do Flamingo Hotel. A
chamada tinha referido a presença de vestígios de luta (vidro de espelho partido no chão) e sangue mas,
para além de testemunhas terem ouvido gritos de mulher, nenhuma vítima tinha sido encontrada e não
havia registo de queixas. Começando a sua análise do local pela cama, Sara recolheu uma amostra dos
vestígios de sangue presentes na colcha, bem como de manchas que lhe pareceram líquidos orgânicos.
“Parece que alguém se divertiu nesta cama”, ironizou ela.
Grissom, por sua vez, foi atraído pela enorme quantidade de cabelos visível no tapete, junto ao espelho
partido. “Que te parece isto?”, perguntou ele a Sara.
“Que alguém andou a arrancar o couro a alguém”, respondeu ela. “É melhor também levarmos amostras
para o laboratório, pode ser que sejam de um agressor, arrancados na luta.”
De volta ao laboratório, Greg Sanders verificou que a amostra de sangue recolhida por Sara era muito
reduzida, pelo que foi necessário utilizar a técnica PCR para amplificar a quantidade de DNA.
Posteriormente, ao realizar testes de sequenciação ao DNA obtido, detectou uma alteração no gene XIS,
responsável pela produção de uma proteína que impede a queda do cabelo.
Entretanto, também recolheu células da raiz dos cabelos encontrados no local para obter um cariótipo,
que comparou com o obtido das células sanguíneas, e testou a amostra orgânica para proteínas.

MOD.01, revisão 0 Página 3 de 8


1. A técnica PCR simula in vitro a replicação do DNA, característica das células. O processo de
replicação do DNA é ____ ocorrendo da extremidade ____.
A. … conservativo … 5’para a 3’. C. … semi-conservativo … 3’para a 5’.
B. … conservativo … 3’ para a 5’. D. … semi-conservativo … 5’para a 3’.

2. A replicação do DNA ocorre durante ____ do ciclo celular, fazendo com que a estrutura do
cromossoma passe ____.
A. … interfase … de dois cromatídeos para um cromatídeo.
B. … o período mitótico … de um cromatídeo para dois cromatídeos.
C. … o período S … de dois cromatídeos para um cromatídeo.
D. … o período S … de um cromatídeo para dois cromatídeos.

3. Nas células da raiz de cabelo que Greg Sanders analisou, os núcleos em fase G2
apresentam______.
A. … 46 pares de cromossomas. C. … 46 cromatídeos.
B. … 46 centrómeros. D. … 92 centrómeros.

4. A sequência do gene XIS normal é TAC CCC GTA GAG ATT e a sequência detectada por Greg é
TAC CCC GTA GAG GTT. A proteína codificada pelo gene alterado… (Código genético no final do
teste)
A. … não apresenta alterações nos seus aminoácidos relativamente à proteína codificada pelo
gene sem mutação devido à redundância do código genético.
B. … apresenta o mesmo número de aminoácidos que a proteína codificada pelo gene sem
mutação.
C. … apresenta menos aminoácidos do que a proteína codificada pelo gene sem mutação.
D. … apresenta mais aminoácidos do que a proteína codificada pelo gene sem mutação.

5. A alteração ocorrida designa-se por…


A. … mutação génica por substituição. C. … mutação cromossómica.
B. … mutação génica por deleção. D. … mutação numérica.

6. O mistério foi desvendado!


Las Vegas, 26 de Outubro – Uma mulher anunciou que tenciona processar a polícia forense de Las
Vegas por lhe ter invadido o quarto de hotel enquanto jogava no casino. A situação desencadeou-
se quando hóspedes de quartos vizinhos relataram gritos de mulher no quarto 46 do Flamingo
Hotel, seguidos de passos apressados no corredor. A segurança abriu o quarto e chamou a equipa
CSI após encontrar vestígios de sangue e sinais de luta.
A surpresa foi geral quando a “vítima” chegou ao hotel de madrugada e encontrou o quarto cheio
de pó de impressões digitais e os seus pertences remexidos. Ms. Mabel Smith revelou que tinha
realmente gritado mas por ver a quantidade de cabelo que lhe estava a cair, partiu o espelho de
raiva, mas apenas acabou com a mão cortada. “Sentei-me na cama um instante para retirar a
minha máscara de clara e mel e sujei os lençóis, nada mais!”, indignou-se ela. “Resolvi ir esquecer
as mágoas no casino e quando volto tenho tudo num destrambelho! Acha isto normal?”
O Departamento de Polícia de Las Vegas declinou comentar o sucedido.
Relacione a alteração do gene XIS detectada por Greg com o facto de Ms. Mabel Smith estar a
perder tanto cabelo.

MOD.01, revisão 0 Página 4 de 8


GRUPO III
O zigoto é uma célula que pode originar todos os tipos de células do organismo humano. Por divisões
celulares sucessivas e crescimento celular, formam-se tecidos cujas células possuem estrutura e função
específicas.
O esquema da figura 2 apresenta a evolução de alguns processos que ocorrem nas células estaminais
embrionárias. Nestes processos estão envolvidas proteínas que podem ativar ou silenciar a expressão dos
genes e que se designam por fatores de transcrição, podendo estimular ou inibir a ligação da RNA
polimerase aos diferentes genes, respetivamente. Este fenómeno permite explicar que uma célula
humana contendo cerca de 30 000 genes nos cromossomas apenas expresse, em média, apenas alguns
milhares.

Figura 2.
Baseado em Journal of Molecular Biology. 429 (10): 1476-1503, 2017.
Nos itens de 1. a 6., selecione a letra da opção correta.
1. O zigoto é uma célula _____ que se pode dividir por mitose para formar células nervosas _____.

A. … totipotente … indiferenciadas C. … diferenciada … totipotentes


B. … indiferenciada … totipotentes D. … totipotente … diferenciadas

2. As células estaminais embrionárias possuem uma fase G1…


A. … mais longa, uma vez que precisam de se preparar para a divisão mitótica.
B. … que não é incluída na interfase, pois as células estão em constante divisão.
C. … mais curta, uma vez que possuem elevadas taxas de divisão celular.
D. … em que o material genético já se encontra replicado.

3. Relativamente à diferenciação celular, e partindo da análise dos dados, é possível afirmar que…
A. … todas as células do corpo humano conservam o genoma original do zigoto.
B. … resulta da existência de diferentes conjuntos de proteínas nas células.
C. … a regulação da expressão dos genes é apenas efetuada ao nível da transcrição.
D. … não é possível revertê-la a partir de uma célula diferenciada.

4. Ao longo da diferenciação, a cromatina pode sofrer modificações que originam a sua maior
condensação. Deste processo resulta uma cromatina que…
A. … permite o silenciamento de um elevado conjunto de genes.
B. … facilita a expressão de todos os genes.
C. … está pronta para ser dividida na fase mitótica.
D. … não pode ser replicada na fase S da interfase.

MOD.01, revisão 0 Página 5 de 8


5. Considere as seguintes afirmações, referentes à produção de clones.
I. As células vegetais preservam mais a totipotência do que as células humanas.
II. Quanto maior a especialização de uma célula, menor a capacidade de originar um clone.
III. Nos clones, todos os genes são expressos simultaneamente.

A. I é verdadeira; II e III são falsas.


B. II é verdadeira; I e III são falsas.
C. II e III são verdadeiras; I é falsa.
D. I e II são verdadeiras; III é falsa.

6. A incorreta condensação da cromatina pode originar o aparecimento de tumores,


caracterizando-se por…
A. … reduzidas taxas de divisão e perda da funcionalidade e estrutura originais.
B. … elevadas taxas de divisão e perda da funcionalidade e estrutura originais.
C. … elevadas taxas de divisão e manutenção da funcionalidade e estrutura originais.
D. … reduzidas taxas de divisão e manutenção da funcionalidade e estrutura originais.

7. A maioria das células possui um tempo de vida limitado. Relacione este aspeto com a
necessidade de regeneração dos tecidos.

GRUPO IV
A meiose é uma divisão celular que ocorre nos ciclos de vida de muitos organismos e que tem sido investigada para
compreender os mecanismos moleculares que se verificam durante as diferentes fases.
Kitajima e os seus colaboradores sabiam que, durante a anáfase I, a proteína shugoshin era detetada perto dos
centrómeros. Estes cientistas implementaram uma experiência para determinar se a proteína shugoshin impedia a
degradação de outras proteínas que estavam ligadas aos centrómeros e que os impediam de clivar durante a anáfase
I, evitando assim a separação dos cromatídios-irmãos durante esta fase de divisão.
Na sua experiência, Yoshinori Watanabe e os seus colaboradores usaram uma espécie de leveduras em que os
esporos se formam por meiose e se mantêm numa posição definida numa cápsula. Para acompanhar o movimento
dos cromossomas, aplicaram uma marcação fluorescente à região do centrómero de um cromossoma de um par de
homólogos, mantendo o outro cromossoma do par sem marcação. Usando duas estirpes de leveduras, uma normal
(tipo selvagem, WT) e outra em que o gene que codifica a proteína shugoshin está mutado e não origina uma
proteína funcional (sgo1∆), seguiram a migração dos cromossomas até ao final da divisão.
Os resultados estão expressos na figura 2. O esquema A representa a segregação dos cromossomas e dos
cromatídios na estirpe de levedura normal (não estão representadas todas as fases de divisão sequenciais) e o
gráfico do esquema B apresenta os resultados da distribuição dos cromatídios nos esporos da estirpe WT e sgo1∆.

Figura 2.
Baseado em Kitajima, T. et al. The conserved kinetochore protein shugoshin protects centromeric cohesion during meiosis. Nature, 427:
510-517, 2004.

MOD.01, revisão 0 Página 6 de 8


1. Identifique a fase da meiose representada no número I do esquema A da figura 2.
Nos itens de 2. a 8., selecione a letra da opção correta.

2. O objetivo da experiência descrita foi…


A. … determinar como se processa a separação dos esporos da levedura na cápsula.
B. … verificar que, durante a anáfase I, pode ocorrer separação dos cromatídios-irmãos em
resultado da ação da proteína shugoshin.
C. … verificar que na anáfase I ocorre sempre a segregação dependente dos cromatídios-irmãos,
mesmo na presença da proteína shugoshin.
D. … determinar o papel das proteínas shugoshin na prevenção da separação dos
cromatídios--irmãos durante a anáfase I da meiose.
3. Relativamente à experiência, é possível afirmar que…
A. … a estirpe de levedura sgo1∆ funciona como controlo experimental.
B. … não foi usada variável dependente.
C. … a variável independente corresponde à presença ou ausência da proteína shugoshin
funcional associada aos centrómeros.
D. … a variável independente corresponde à presença ou ausência de marcação fluorescente
num dos cromossomas do par.

4. Os resultados permitem concluir que…


A. … na estirpe sgo1∆, a proteína shugoshin impediu a separação dos cromatídios na anáfase I da
divisão.
B. … na estirpe selvagem, os cromatídios de cada par foram, predominantemente, segregados
de forma independente apenas na anáfase II.
C. … a ação da proteína shugoshin só ocorreu na anáfase II.
D. … na estirpe sgo1∆, os cromatídios foram sempre segregados em conjunto na divisão I da
meiose.

5. Considere as seguintes afirmações, referentes aos dados experimentais.


I.Os números II e III representam a anáfase I e II, respetivamente.
II.O número IV corresponde à metáfase II.
III.Os esporos formados são haploides.
A. III é verdadeira; I e II são falsas.
B. II é verdadeira; I e III são falsas.
C. II e III são verdadeiras; I é falsa.
D. I e II são verdadeiras; III é falsa.

6. A meiose é uma divisão em que ocorre redução do número de cromossomas,…


A. … uma vez que se processa em duas fases, em que na primeira se verifica a segregação dos
cromatídios-irmãos.
B. … verificando-se uma divisão celular única, em que se formam duas células-filhas.
C. … dado que metade dos cromossomas são degradados na primeira fase de divisão.
D. … uma vez que se processa em duas fases, em que na primeira se verifica a segregação dos
cromossomas homólogos.

7. Comparando a meiose com a mitose, é possível verificar que nesta divisão celular não ocorre…

A. … alinhamento dos cromossomas na placa equatorial durante a metáfase.


B. … condensação dos cromossomas.
C. … migração dos cromossomas homólogos para polos distintos da célula.
D. … citocinese no final da divisão nuclear.

MOD.01, revisão 0 Página 7 de 8


8. No final da telófase I e da citocinese existem…
A. … quatro células haploides. C. … duas células haploides.
B. … duas células diploides. D. … quatro células diploides

9. Faça corresponder cada uma das afirmações expressas na coluna A ao respetivo termo, na
coluna B. Utilize cada letra e cada número apenas uma vez.
COLUNA A COLUNA B
A. Estrutura celular que inclui os centríolos e que permite a 1) Centrómero
formação do fuso acromático. 2) Cromatídio
B. Estrutura à qual se associam proteínas e permite ligar as 3) Microtúbulo
moléculas de DNA de um mesmo cromossoma. 4) Centrossoma
C. Elemento do citoesqueleto envolvido na divisão celular. 5) Bivalentes

10. No esquema B da figura 2, na cápsula representada pelo número V, existe um esporo que contém
dois cromatídios do mesmo par de cromossomas homólogos marcados com a fluorescência do
início da experiência.
Relacione este facto com a localização e possível função da proteína shugoshin.

FIM

ANEXO

MOD.01, revisão 0 Página 8 de 8