Você está na página 1de 13

Lista de 18 peixes de água quente

Vamos distinguir os peixes em 4 grandes categorias:

 Caracídeos
 Ciclídeos/Poeciclideos
 Ciprinídeos
 Anabantídeos

Caracídeos
Os caracídeos são uma família de peixes onívoros, ou seja, alimentam-se de carne e de
vegetais. São pequenos e calmos e estão entre os mais conhecidos no aquarismo pelas
cores variadas e belas, pela resistência e facilidade de manejo e vivem em grandes
cardumes. Geralmente, providos de nadadeira adiposa, nadadeira caudal bifurcada e de
nadadeira anal desenvolvida, eles se diferenciam sexualmente, entre macho e fêmea, pela
nadadeira anal: nos machos ela é em forma de gancho. Os Tetras estão entre os
caracídeos mais procurados, dadas as suas cores realçantes. Os mais conhecidos são
o Neon, o Tetra-Cardinal, o Tetra-Rosáceo, o Tetra-Buenos Aires, o Tetra-Preto e o Mato-
Grosso. Eles vivem em bandos (cardume, coletivo de peixes) e se alimentam, em geral, de
alimentos que flutuam. Os caracídeos são mais de 1.300 espécies variadas que estão
distribuídas pela África, Ásia e América do Sul. Nessa família também se incluem as
piranhas.
Poecilídeos
Os poecilídeos são peixes originários da América. Resistentes, eles se reproduzem
facilmente em cativeiro, são calmos e gostam de viver em cardume. Os poecilídeos são
peixes ovovivíparos, sua reprodução ocorre por meio de uma cópula, com auxílio da
nadadeira anal modificada do macho, o gonopódio. A fêmea tem quase o dobro do
tamanho do macho, guarda o esperma em seu organismo por um longo tempo e, aos
poucos, vai parindo os alevinos. Guppys, Molinésias, Platys e Espadas são os
representantes mais importantes desta família, que é conhecida pela sua incrível
variedade de cores. Os adornos dos machos são curiosos: nadadeiras caudais largas e
coloridas, cores mais vivas no corpo, proeminências nas nadadeiras anal, dorsal e caudal.
Ciclídeos
Os ciclídeos estão entre os peixes ornamentais mais conhecidos. Eles são nativos da
África e das Américas, principalmente, da América do Sul. Eles têm um comportamento
muito variado. Enquanto alguns aceitam a convivência apenas com exemplares da mesma
espécie, outros aceitam viver com espécies diferentes de peixes. Essa família é dividida
em dois grupos: os ciclídeos menores (ou anões) e os maiores. O grupo dos menores é
composto por peixes como o Kribensis cujo tamanho raramente excede 7,5 cm. E os
ciclídeos maiores, Apaiaris, formam casais fiéis a vida toda, são peixes que defendem um
território exclusivo para a postura, e podem alcançar de 30 até 50 cm.
Ciprinídeos
Os ciprinídeos (carpas, kinguios, botias, labeos, barbos, entre outros) são peixes
originários da Ásia e Europa e foram os primeiros a serem domesticados pelo homem.
Algumas espécies como as botias e certas variedades de carpas e kinguios atingem
elevado valor no mercado, enquanto outras como o paulistinha, o barbo ouro e o
conchonio estão entre os peixes ornamentais de valor mais modesto. Em geral, os
ciprinídeos toleram bem temperaturas baixas e em certos casos, como para o tanictes,
devem ser criados em temperaturas amenas (de 18 a 26°C). A maioria das espécies,
mesmo sendo de clima frio, adapta-se bem e cresce melhor em temperaturas entre 24 e
28ºC, entretanto em temperaturas acima de 26ºC a desova é reduzida. Esses peixes
costumam desovar logo após o inverno. Existem espécies com ovos adesivos e outras
com ovos sem nenhuma adesividade, mas nenhuma apresenta cuidado parental. Em
geral, as larvas dessas espécies são pequenas mas muito resistentes e aceitam diversos
item alimentares (ração, plâncton, artemia) o que facilita sua criação. Essas espécies
podem ser criadas em pH entre 6 e 8 mas se desenvolvem melhor em pH ligeiramente
alcalino (7,2 a 7,8). A ração deve conter pelo menos 28% de proteína na fase de
crescimento.
Anabantídeos
Os anabantídeos também são peixes que vêm da Ásia, mas sua característica principal é
um sistema auxiliar de respiração, o labirinto, por isso também são conhecidos como
labirintídeos. Esse órgão é um conjunto de pregas sob os opérculos e que servem para
captar o ar atmosférico, importante porque são peixes que vivem em águas com pouco
oxigênio. Seus representantes mais conhecidos são o Beta, o Beijador e a Colisa

Ciprinídeos

Barbo Tigre – Barbus tetrazona

Origem: Sumatra, Bornéu.


Comprimento: Até 7 cm.
Água: Pouco mineralizada, ligeiramente ácida.
Diformismo Sexual: O macho tem o ventre menos
arredondado do que a fêmea e é mais colorido.
Coloração: Amarelo dourado, tornando-se mais claro
na parte ventral. Quatro fixas verticais pretas. Parte
superior dorsal vermelha. Caudal e dorsais vermelhas.
Focinho rubro.Bastante agressivos. Devem ser
conservados em grupos numerosos, pois assim tornam-se mais amistosos, tanto
entre eles como em relação aos outros peixes. É sensível à poluição da água. Para a
sua reprodução, convém utilizar uma água um pouco menos mineralizada do que a de
um aquário comunitário. Em água dura, os ovos têm a tendência a não se
desenvolverem bem. O número de ovos pode ser da ordem dos 200 a 600 e eclodem
entre 30 a 37 horas, a 28º C. Dois dias mais tarde, começam a nadar.

Cauda-de-Fogo – Labeo Bicolor

Origem: Tailândia
Comprimento: Até 15 cm.
Água: Não muito mineralizada e ligeiramente
alcalina; 22-28°C.w
Diformismo sexual: As fêmeas são mais robustas.

Coloração: Corpo preto e cauda vermelha.O


seu aquário deve ser pouco iluminado e
apresentar bastantes “esconderijos”. É um comedor de algas e como tal, auxiliar na
limpeza do aquário. Entre si, são um pouco belicosos, mas para com os outros peixes,
são geralmente inofensivos. A sua reprodução parece só ter sido conseguida por
comerciantes tailandeses e em tanques exteriores.
Rabora Arlequim – Rasbora heteromorfa

Origem: Malásia, Tailândia, Sumatra.


Comprimento: Até 4 cm.
Água: Muito pouco mineralizada e ligeiramente ácida.
27-28°C.
Diformismo Sexual: O macho tem o ventre menos
arredondado do que a fêmea e apresenta uma linha
dourada na parte superior do triângulo.
Coloração: Parte anterior do corpo castanho avermelhado. Na metade posterior
apresenta um triângulo azul-escuro. Barbatana dorsal e caudal carmim na base e
amareladas nos bordos.Este peixe é inofensivo, mesmo para outros bastante
menores. Convém ter um pequeno grupo. A reprodução não é fácil e exige uma água
francamente doce (até 4º dh) e bastante ácida (ph 5,5 – 6,5). A postura é efetuada na
parte inferior da folha de uma planta, para o que os reprodutores se invertem
totalmente. Os ovos, cujo número chega a 300 eclodem entre 24 e 48 horas. Durante
este tempo, o aquário deve estar na obscuridade. Os alevins começam a nadar ao fim
de 4 dias.

Caracídeos

Cardinal – Hyphessobrycon axerlodi

Origem: Parte superior do rio negro.


Comprimento: Até 5 cm.
Água: pouco mineralizada e ácida; 23-30°C.
Diformismo Sexua: O macho é mais esguio.
Coloração: Parte superior do corpo
acastanhada, ventre vermelho luminoso. Faixa horizontal azul metalizada.Inofensivo. É
aconselhável dar-lhe um aquário pouco iluminado e bem plantado. Por vezes, é
atacado por uma doença designada por “plistophora”, cujo principal sintoma é a
descoloração da faixa azul. Para a sua reprodução, deve utilizar-se uma água de
dureza entre 1 e 4 dh e de ph 6,3 a 6,8. Os ovos são semi-adesivos e muito sensíveis
à luz. A eclosão dá-se em 24 horas.

Néon – Hyphessobrycon innesi

Origem: Amazonas Peruviano.


Comprimento: Até 4 cm.
Água: Ligeiramente ácida e pouco
mineralizada. 21-28°C.
Diformismo sexual: A fêmea tem o perfil do ventre mais arredondado.
Coloração: Dorso acinzentado, ventre prateado. Faixa azul metalizada desde o olho
até à barbatana adiposa. Banda vermelha luminosa desde o início da anal até ao
pedúnculo caudal.É inofensivo. É aconselhável dar-lhe um aquário pouco iluminado
e bem plantado. Por vezes, é atacado por uma doença designada por “plistophora”,
cujo principal sintoma é a descoloração da faixa azul. Para a sua reprodução deve
utilizar-se uma água de dureza entre 1 e 4 dh e de ph 6,3 a 6,8. Os ovos são semi-
adesivos e muito sensíveis à luz. A eclosão dá-se em 24 horas.

Gracilis – Hemigrammus gracilis

Origem: Da Guiana até Paraguai


Comprimento: Até 4,5 cm.
Água: Pouco mineralizada e ligeiramente ácida; 23 a
27°C.
Diformismo sexual: Pouco aparente. Só na época de
reprodução a fêmea apresenta o ventre mais
arredondado.
Coloração: Esverdeado e translúcido, com uma faixa horizontal vermelho luminoso
que vai da parte superior do olho até ao pedúnculo caudal.Bastante pacífico, deve
ser conservado em grupos num aquário bem plantado, para mostrar melhor o seu
colorido. A reprodução requer um pouco de experiência. Os ovos, como os muitos
outros Caracídeos, não devem apanhar luz e eclodem em três dias.

Peixe-lápis de três faixas – Nannostomus trifasciatus

Origem: Guiana Britânica, médio Amazonas, Rio Negro.


Comprimento: Até 6 cm.
Água: pouco mineralizada e ácida; 23-28°C.
Diformismo sexual: Fêmea menos colorida e com o
ventre arredondado.
Coloração: Dorso castanho claro, passando a branco no
ventre. Três faixas pretas horizontais. Tem também manchas vermelhas na base das
barbatanas ímpares.Convém dar-lhe um aquário bem plantado e povoado de espécies
pequenas. A sua reprodução é difícil. Deve utilizar-se água muito pouco mineralizada
e ácida. Os ovos, em pequeno número, eclodem em 24 horas a 27°C.

Olho-de-fogo – Hemigrammus ocelifer

Origem: Região setentrional da América do Sul.


Comprimento: Até 4,5 cm.
Água: Pouco mineralizada – 23-28°C
Coloração: Corpo esverdeado prateado. Mancha preta no
pedúnculo caudal. Parte superior da íris e do pedúnculo
caudal vermelhos. Primeiro raio das barbatanas dorsal e
anal branco.Ideal para um aquário comunitário. Bastante pacífico, deve ser
conservado em grupos e num aquário bem plantado, para mostrar melhor o seu
colorido. A reprodução é relativamente fácil: os ovos não devem apanhar luz e
eclodem entre 48 a 60 horas, a 26°C.

Tetra Imperador – Nematobrycon palmeri

Origem: Região setentatorial da América do Sul: Colômbia.


Comprimento: Até 6 cm.
Água: Ligeiramente Ácida e pouco mineralizada; 23-28º C.
Diformismo Sexual: Macho mais colorido e com os primeiros
raios da dorsal e anal mais desenvolvido.
Coloração: Dorso castanho-escuro, passando a amarelo no
ventre. Faixa horizontal azul-escuro, passando a amarelo no
ventre. Faixa horizontal azul luminosa. Barbatanas
amarelam.Pacífico, tem preferência por se agrupar em pares, em vez de se juntar em
cardumes. A sua reprodução não é fácil e necessita de uma água pouco mineralizada
e ácida. A temperatura deve ser de 24 a 26º C. Os ovos são conservados na
escuridão total.

Ciclídeos

Peixe-Anjo, Escalar

Origem: Bacia do Amazonas.


Comprimento: Até 10 cm.
Água: Medianamente mineralizada e um pouco ácida; 23-30°C.
Coloração: Prateado com quatro faixas pretas verticais. Existem
algumas variedades, das quais as mais conhecidas são o
“fantasma”, o “dourado” e o “preto”.O seu aquário deve ter uma
altura compatível com o seu tamanho e apresentar uma boa
plantação. Geralmente pouco agressivo, é no entanto prudente
não o juntar a peixes muito pequenos. Nunca deve, por exemplo,
estar junto com o Néon, já que este pequeno peixe é literalmente
um petisco para o Escalar. A sua reprodução requer alguns
cuidados, tanto na escolha e preparação do casal como na
qualidade da água, a qual deve ser um pouco mineralizada e um
pouco ácida. A postura é colocada numa folha ou numa pedra mas
de preferência em posição perto da vertical. É habitual os reprodutores comerem os
ovos, pelo que é de aconselhar uma incubação artificial. A eclosão dá-se em dois dias
a 29°C.
Espada – Xiphophorus helleri

Origem: Sul do México à Guatemala.


Comprimento: Até 12 cm.
Água: Medianamente dura e alcalina; 22-27°C
Diformismo sexual: No macho, a parte inferior da
caudal tem um longo prolongamento. Também se
distingue pelo gonopódio.
Coloração: As espécies selvagens são verdes, mas
forma criadas as mais diferentes variedades de
coloração.São peixes pacíficos e resistentes. Por vezes mudam de sexo; geralmente
são as fêmeas que passam a machos férteis. Dada a semelhança dos gonopódios, é
possível o cruzamento com os Platys. Em todas as fêmeas é visível uma mancha
escura de gravidez na parte traseira do corpo. É muito decorativo para um aquário
comunitário.

Guppy – Lebistes reticulatus

Origem: Norte da América do Sul


Comprimento: Macho 3 cm e fêmea 6 cm.
Água: Limpa e ligeiramente alcalina; 21-30°C
Diformismo Sexual: Macho mais colorido, de menor
tamanho e com gonopódio.
Coloração: As espécies selvagens são castanhas
acinzentadas. As variedades selecionadas têm as
mais variadas cores e formas de barbatanas.É
indiscutivelmente o peixe mais popular na
aquariofilia. E tem boas razões para isso: é
resistente, pequeno, pacífico. Colorido e de reprodução mais que fácil.
Bastantes aquariófilos dedicam-se totalmente aos Guppys, desenvolvendo
variedades com as mais diversas colorações e formas de barbatanas (lira, véu,
espada, etc.). Reproduz-se pelo menos uma vez por mês.
Molly Velifera – Mollinesia velifera ou latipinna

Origem: E. U. A., da Carolina até ao Yucatan.


Comprimento: Até 12 cm (embora costume ser mais
pequeno no aquário).
Água: Alcalina, com um pouco de sal (uma colher de chá de sal por cada 10 litros de
água do aquário); 24-30°C.
Diformismo Sexual: Macho mais esguio, com gonopódio e a barbatana dorsal maior.
Coloração: Quando selvagem, com o dorso acastanhado e flancos esverdeados, com
fileiras de pontos vermelhos.São geralmente pacíficos para as outras espécies. Os
machos, quando intimidados, ficam de barbatanas abertas. Reproduzem-se com
facilidade, e uma fêmea grande pode ter até 120 crias por postura. Os machos, e em
particular os selvagens, desenvolvem barbatanas dorsais em forma de vela,
usualmente mantidas eretas com rigidez.

Platy – Xiphophorus maculatus

Origem: Sul do México, na Guatemala e nas


Honduras.
Comprimento: Macho, até 4 cm; as fêmeas são
um pouco maiores (até 6 cm).
Água: Medianamente dura e alcalina; 22-28°C.
Diformismo sexual: O macho tem gonopódio.
Coloração: Tem as mais variadas colorações.São
peixes pacíficos e resistentes. Por vezes mudam
de sexo; geralmente são as fêmeas que passam a
machos férteis. Dada a semelhança dos
gonopódios, é possível o cruzamento com os
Platys. Em todas as fêmeas é visível uma mancha
escura de gravidez na parte traseira do corpo. É
muito decorativo para um aquário comunitário.
Anabantídeos (Peixes-labirinto)

Betta, Combatente – Betta splendens

Origem: Tailândia, Malásia.


Comprimento: Até 10 cm.
Água: De preferência velha; 23-32°C.
Diformismo Sexual: Os machos são mais coloridos e
têm as barbatanas maiores.
Coloração: Foram desenvolvidas muitas variedades:
verdes, azuis, vermelhos…Gostam de um aquário
com água velha e com plantas flutuantes. São
agressivos, tanto entre si como para os outros peixes.
Os machos lutam inevitavelmente entre si, de
barbatanas distendidas e opérculos abertos, pelo que são utilizados no Oriente em
lutas organizadas, onde se fazem apostas avultadas. A coloração vistosa e as
barbatanas grandes foram conseguidas através de seleção e não existem nos
exemplares selvagens. A sua reprodução é fácil: basta ter um macho e uma fêmea
compatível. O macho faz um ninho de bolha à superfície, onde são colocados os ovos,
em número de 300 a 500. A eclosão dá-se em 30 a 40 horas a 30°C e os alevins
mantêm-se no ninho durante os três dias de reabsorção do saco vitelino.

Gourami anão – Colisa laila

Origem: Índia.
Comprimento: Até 6 cm.
Água: Medianamente mineralizada e neutra; 22-30°C.
Diformismo Sexual: O macho é bastante mais
colorido.
Coloração: No macho, faixas alternadas vermelhas e
azuis, em diagonal. Na fêmea, faixas castanhas em
diagonal sobre fundo mais claro.Gosta de um aquário bem plantado e recebendo
alguma luz solar. É conveniente juntar alguns vegetais ao seu regime alimentar, para
que não mordisque as plantas mais tenras. São geralmente pacíficos para os
companheiros de cativeiro. A sua reprodução é fácil e não necessita de um aquário
muito grande. O macho faz um ninho de bolhas à superfície, reforçado por fragmentos
vegetais, sendo por vezes ajudado nesta tarefa pela fêmea. Os ovos, guardados pelo
macho, eclodem em 24 horas a 28º C e passados 2 a 3 dias os alevins já nadam.

Gourami Pérola – Trichogaster leeri

Origem: Malásia, Sumatra, Bornéu, Tailândia.


Comprimento: Até 12 cm.
Agua: pouco mineralizada e ligeiramente
ácida; 23-30°C.
Diformismo Sexual: O macho é mais colorido e
com a dorsal maior e pontiaguda na parte
posterior.
Coloração: Corpo prateado azulado com
pontos pérola. Uma linha horizontal preta
desde a boca até ao pedúnculo caudal.Este
peixe é um pouco sensível e enquanto
pequeno é geralmente pacífico. O seu aquário
deve ter a luz filtrada por plantas de superfície. A sua reprodução não é muito fácil. O
macho faz um ninho de bolhas à superfície e guarda os ovos, cujo número pode
chegar a 2000. A eclosão dá-se em 28 horas, a 28-29°C.

Peixe-Gato de Adolfo – Corydoras adolfi

Origem: Nos braços de água límpida do Rio Negro,


Brasil
Comprimento: Até 5 cm.
Diformismo sexual: As fêmeas adquirem uma forma
ligeiramente mais robusta quando transportam os
ovos.Uma das espécies mais bonitas dos Corydoras, distingue-se pelo elevado
preço a que é comercializado. É um peixe pacífico, ideal para aquários comunitários. É
relativamente fácil de reproduzir, depositando os ovos ao acaso.
Lista dos 10 melhores peixes de água
fria

Néon Chinês

Ele é originalmente de Hong Kong,


especificamente das montanhas Baiyun. É
pequeno, mede no máximo 6 centímetros e
tem cores brilhantes e marcantes em tons
de verde, amarelo, vermelho e rosa.

Ele geralmente vive em grupos de mais de sete indivíduos da mesma espécie e se dá


bem com peixinhos dourados. É fácil de cuidar, geralmente não fica doente e come
pouco; no entanto, não devemos esquecer de cobrir o aquário porque a espécie tem
tendência a pular para fora da água.

Barbo Rosado

Este é um dos peixes mais comuns


encontrados em lojas de aquários. Seu nome
científico é Puntius conchonius e é nativo do
Afeganistão, Paquistão, Índia, Nepal,
Bangladesh e Birmânia. É um peixe bastante
resistente, suportando temperaturas entre 17
e 25° C. Quando atinge a idade adulta, chega
a medir 14 centímetros de comprimento.

Olhos de bolha

Esse peixe também é asiático, mas


exatamente da China e seu parente mais
direto é o peixe dourado, com quem ele pode
se dar muito bem, mesmo que seja bastante
solitário. Uma das principais características
dos “olhos de bolha” é que em torno deles
apresenta uma espécie de sacos ou balões,
que sempre estão cheias de líquido. Não deve
ser colocado com outros peixes para evitar
agressão e também não é recomendado que
o aquário esteja cheio de ornamentos para evitar ferimentos.
Peixe Dourado

É o mais popular entre os peixes de água fria,


sendo vendido no mundo todo. É originalmente do
leste da Ásia e requer muito oxigênio e muito
espaço, por isso é aconselhável colocá-lo em
tanques ou aquários grandes.

É caracterizado por ter um corpo alongado e tem


uma única barbatana caudal, suas cores geralmente variam entre vermelho, amarelo e
prata. Na verdade, ele é conhecido por sobreviver em águas de temperaturas
consideravelmente baixas e sua expectativa de vida é de 6 a 8 anos.

Peixe Koi

O Peixe Koi é um dos peixes mais apreciados no


mundo. Também é nativo da China, embora ele
habite todos os mares, exceto no frio dos pólos. É
parente da carpa comum e pode crescer até 70
centímetros.

Para manter este peixe no aquário, a temperatura


deve ser mantida por cerca de 20ºC, embora resista a outras temperaturas.

Coridora Pimenta

A Coridora Pimenta, conhecida cientificamente


pelo nome de Corydoras paleatus, tolera
diferentes qualidades de água. É nativa da área
subtropical da América do Sul, especificamente
nos rios da Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e
Uruguai e cresce até 14 centímetros.

Peixe Mosquito

Este peixe do gênero Gambusia, é muito


resistente, tanto que ele pode sobreviver tanto em
águas mornas como frias. A espécie é nativa dos
rios da maior parte do mundo, incluindo a Europa,
Ásia e África. Além disso, ele pode ser mantido
em aquários pequenos ou médios, uma vez que
cresce até 14 centímetros, mas é necessário que saibamos que este peixe é carnívoro
e pode comer os filhotes de outras espécies.
Betta splendens

Conhecido por seu caráter forte e agressivo, o peixe Betta


é muito pequeno (menos de 10 cm de comprimento)
possui cores sempre opacas. Adapta-se perfeitamente em
águas muito frias e reproduz facilmente. Recomenda-se
que os peixes dessa espécie vivam em grupos de pelo
menos um homem a cada três mulheres; Você não pode
colocar dois machos juntos porque eles vão lutar até a
morte.

Perca-sol

Este é um dos peixes que se destaca pelas suas cores


bonitas, mas também pela sua adaptabilidade,
suportando de 4ºC a 22ºC. Seu nome científico é
pumpkinseed e é nativo da América do Norte, mas
também pode ser encontrado na África e na Europa. É
um animal carnívoro, por isso não é aconselhável colocá-
lo com outras espécies de peixes. Machos adultos podem crescer até 20 centímetros.

3Peixe telescópio

Este peixe tem um aspecto único, seus olhos


esbugalhados projetam-se do corpo. Seu corpo é
redondo e curto, não é um peixe grande. Também
destaca sua grande barbatana caudal com pontas
arredondadas. Uma curiosidade é que, apesar de ser
chamado de telescópio, sua visão é limitada e pode ser
perdida ao longo dos anos. Sua vida média é de 6 a 10
anos