Você está na página 1de 5

Avaliações On-line / Estácio

Disc.: TERMINAÇÃO CONTRATUAL E PROT. EM FACE DA DISPENSA

NPG - TERMINAÇÃO CONTRATUAL E PROTEÇÃO EM FACE DA DISPENSA

1. Ref.: 227264 Pontos: 0,60 / 0,60

Considere as seguintes verbas: I. Férias vencidas acrescidas de 1/3. II. Saldo de salário. III. 13o salário
proporcional. IV. Férias proporcionais. Na rescisão do contrato de trabalho, tendo em vista a dispensa de empregado
contratado há mais de um ano, com justa causa, serão devidas as verbas indicadas APENAS em

I, II e IV.

I e II.

II e III.

I, II, III e IV

II, III e IV

Respondido em 19/09/2019 17:56:29

2. Ref.: 234083 Pontos: 0,60 / 0,60

O descumprimento de ordens legais, legítimas e pessoais de serviços efetuados pelo gerente para o seu
subordinado, constitui justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador na modalidade de

incontinência de conduta.

desídia no desempenho das respectivas funções.

ato de insubordinação.

ato de improbidade.

ato de indisciplina.

Respondido em 19/09/2019 17:57:00


3. Ref.: 1115028 Pontos: 0,60 / 0,60

Diana frequentemente chegava atrasada no início de sua jornada de trabalho, atingia produção bem inferior àquela
realizada pelos colegas de sua equipe, além de apresentar um número elevado de faltas injustificadas. Por tais
razões, a empregada foi advertida, verbalmente e por escrito, além de receber suspensão disciplinar por 2 dias. Na
situação apresentada, Diana cometeu falta grave que ensejaria a dispensa por justa causa na modalidade de

ato de improbidade.

atitude de indisciplina.

ato de insubordinação.

incontinência de conduta.

desídia no desempenho das funções.

Respondido em 19/09/2019 17:57:33

4. Ref.: 1005508 Pontos: 0,60 / 0,60

(FCC - 2013) Considerando as previsões da CLT sobre rescisão do contrato de trabalho, é INCORRETO afirmar:

Nos contratos que tenham termo estipulado, o empregador que, sem justa causa, despedir o empregado, será obrigado a
pagar-lhe, a título de indenização, e por metade, a remuneração a que teria direito até o término do contrato.

Havendo culpa recíproca no ato que determinou a rescisão do contrato de trabalho, não há que se falar em recebimento de
indenização.

No caso de morte do empregador constituído em empresa individual, é facultado ao empregado rescindir o contrato de
trabalho.

No caso de paralisação temporária ou definitiva do trabalho, motivada por ato de autoridade municipal, estadual ou federal,
ou pela promulgação de lei ou resolução que impossibilite a continuação da atividade, prevalecerá o pagamento da
indenização, que ficará a cargo do governo responsável.

Aos contratos por prazo determinado que contiverem cláusula assecuratória do direito recíproco de rescisão antes de
expirado o termo ajustado, aplicam-se, caso seja exercido tal direito por qualquer das partes, os princípios que regem a
rescisão dos contratos por prazo indeterminado.

Respondido em 19/09/2019 17:58:14

5. Ref.: 732263 Pontos: 0,60 / 0,60


Marcos é empregado da empresa Sorria Ltda. há aproximadamente quatro anos. Há três meses o empregador não
efetua o pagamento do salário, nem deposita do FGTS e recolhimentos previdenciários. O empregado foi conversar
com o empregador que afirmou que tal situação é decorrente da forte crise financeira que assola o país. Marcos esta
inconformado porque atrasou todas as suas despesas pessoais e não mais deseja permanecer trabalhando para o
empregador sem receber salários. Sabendo-se que o contrato de trabalho possui obrigações e o empregador esta
descumprindo com a ausência de pagamento de salários e analisando a situação concreta esclareça e marque a
opção que possibilita a rescisão do contrato de trabalho com o recebimento das verbas trabalhistas.

Factum Principis

Pedido de Demissão

Justa Causa do Empregador

Força Maior

Culpa Recíproca

Respondido em 19/09/2019 18:00:25

6. Ref.: 250007 Pontos: 0,60 / 0,60

Em relação à rescisão do contrato individual de trabalho, nos termos da Consolidação das Leis do Trabalho e do
entendimento sumulado do TST é correto afirmar que:

O pagamento das parcelas constantes do instrumento de rescisão ou recibo de quitação deverá ser efetuado até o décimo
dia imediato ao término do aviso prévio trabalhado.

O pedido de demissão ou recibo de quitação de rescisão do contrato de trabalho, firmado por empregado com mais de 6
(seis) meses de serviço, só será válido quando feito com a assistência do respectivo Sindicato ou perante a autoridade do
Ministério do Trabalho.

Nos contratos que tenham termo estipulado, o empregador que, sem justa causa, despedir o empregado será obrigado a
pagar-lhe, a título de indenização, e por metade, a remuneração a que teria direito até o termo do contrato.

Dado o aviso prévio, a rescisão torna-se efetiva depois de expirado o respectivo prazo, mas, se a parte notificante
reconsiderar o ato, antes de seu termo, à outra parte é obrigada a aceitar a reconsideração.

E lícito substituir o período que se reduz da jornada de trabalho, no aviso prévio, pelo pagamento das horas
correspondentes como extraordinárias com o devido adicional.

Respondido em 19/09/2019 18:00:55

7. Ref.: 250001 Pontos: 0,60 / 0,60


É considerada uma hipótese de justa causa prevista na Consolidação das Leis do Trabalho:

desídia no desempenho das respectivas funções, caracterizada pelos atos que importem em concorrência desleal ou prejuízo
ao empregador

a incontinência, que se dá quando o empregado desrespeita o empregador com expressão desrespeitosa, ou pratica os
crimes de calúnia, injúria ou difamação.

o ato de improbidade, agindo de maneira ímproba o empregado que, por exemplo, comete furto ou roubo de materiais da
empresa.

a exigência de serviços superiores às suas forças, defesos por lei, contrários aos bons costumes, ou alheios ao contrato.

a condenação criminal, desde que a sentença já tenha sido alcançada pelo trânsito em julgado, ou ainda, quando nesta
tenha sido determinada a suspensão condicional do processo.

Respondido em 19/09/2019 18:01:35

8. Ref.: 2909315 Pontos: 0,60 / 0,60

Alice, repositora no Supermercado Alegria Ltda. manifestou sua intenção de rescindir seu contrato de trabalho por
prazo indeterminado, pedindo para ser feito um acordo com seu empregador. Tendo em vista as novas disposições
introduzidas pela Lei nº 13.467/2017, o contrato de trabalho

não poderá ser extinto por acordo entre empregado e empregador, necessitando, para tanto, obrigatoriamente de
autorização do Ministério do Trabalho para sua homologação.

Responder
não poderá ser extinto por acordo entre empregado e empregador, uma vez que as verbas trabalhistas representam direitos
indisponíveis.
poderá ser extinto por acordo entre empregado e empregador, não sendo devido o aviso prévio, sendo que as demais
verbas trabalhistas serão devidas em sua integralidade, podendo Alice sacar 80% do valor dos depósitos do FGTS, sem
direito à indenização sobre o seu saldo e não podendo ingressar no Programa de Seguro-Desemprego.

poderá ser extinto por acordo entre empregado e empregador, sendo devido metade do aviso prévio, se indenizado, e
metade da indenização sobre o saldo do FGTS e as demais verbas trabalhistas em sua integralidade, podendo sacar 80% do
valor dos depósitos do FGTS, não podendo ingressar no Programa de Seguro-Desemprego.
poderá ser extinto por acordo entre empregado e empregador, sendo devido apenas o saldo de salário e as férias vencidas
acrescidas de 1/3, podendo Alice sacar 80% do valor dos depósitos do FGTS e ingressar no Programa de Seguro-
Desemprego.

Respondido em 19/09/2019 18:02:10


9. Ref.: 250022 Pontos: 0,60 / 0,60

Conforme previsão legal, a conta vinculada do trabalhador no FGTS poderá ser movimentada em algumas situações,
EXCETO:

suspensão total do trabalho avulso por período igual ou superior a 60 dias, comprovada por declaração do sindicato
representativo da categoria profissional.

aposentadoria concedida pela Previdência Social.

extinção normal do contrato a termo, inclusive o dos trabalhadores temporários regidos pela Lei no 6.019/74.

quando o trabalhador tiver idade igual ou superior a 70 anos.

despedida sem justa causa, inclusive a indireta, de culpa recíproca e de força maior.

Respondido em 19/09/2019 18:02:59

10. Ref.: 250014 Pontos: 0,60 / 0,60

As irmãs Simone, Sinara e Soraya tiveram seus contratos de trabalho rescindidos. A dissolução do contrato de
trabalho de Simone decorreu de culpa recíproca de ambas as partes; a rescisão do contrato de trabalho de Sinara foi
indireta, tendo em vista que a sua empregadora praticou uma das faltas graves passíveis de rescisão contratual; e
Soraya foi dispensada com justa causa. Nestes casos, o aviso prévio

será devido a Simone, Sinara e Soraya, sendo o seu valor integral para Simone e Sinara e de 50% para Soraya.

será devido apenas a Simone e Sinara, sendo para ambas em valor integral.

não será devido a Simone, Sinara e Soraya, por expressa disposição legal.

será devido apenas a Simone e Sinara, sendo o seu valor integral para Sinara e de 50% para Simone.

será devido apenas a Simone, em 50% do seu valor.

Respondido em 19/09/2019 18:03:35