Você está na página 1de 50

Durabilidade & Vida útil

na construção

PCC 3221
Materiais de Construção Civil I

Poli USP © 2019


Objetivo
• Apresentar os conceitos básicos e modelo teórico
utilizados para estudar a durabilidade e vida útil na
construção

Poli USP © 2019


Leituras Obrigatórias

• John, V. M. ; Sato, N. M. N. . Durabilidade de componentes da


construção. In: Construção e Meio Ambiente. Porto Alegre: ANTAC,
2006, v. 7, p. 21-57.
• Arlt, N, Burkert A., Isecke, B. Stainless steel in contact with other
metallic materials. Euro Inox 2009

Poli USP © 2019


Qualquer produto

Poli USP © 2019


Degradação: perda de desempenho do produto

100
99
98
97
96
Desempenho

95 Solução 3
94
Solução 1
93
92
mínimo aceitável
91 Solução 2
90
Tempo

Poli USP © 2019


Vida útil: período de tempo que um produto
atende ao desempenho mínimo
104

102

100

98
Desempenho

96

94 mínimo
aceitável

92

90
Tempo Vida útil média

Poli USP © 2019


Obsolescência funcional:
sociedade se torna mais exigente, afetando a vida útil ou o
produto se torna inútil
104

102

100
Desempenho

98

96 Evolução do desempenho
mínimo

94 mínimo
de projeto

92

90
Vida útil
projetada
Poli USP © 2019
Responder
•Diferencie durabilidade de vida útil.
•Porque a durabilidade é importante para a
engenharia?

Poli USP © 2019


Vida útil & Durabilidade

• Durabilidade: estudo dos agentes e mecanismos de


degradação de materiais e componentes.
• Vida útil: Período de tempo durante o qual o produto
ou montagem tem desempenho satisfatório, quando
exposto a determinadas condições e submetido ao
plano regular de manutenção previsto em projeto.

Não são propriedades dos materiais,


mas resultado da interação material – ambiente local.

Poli USP © 2019


Durabilidade é importante

• Economicamente: Custo Global


• Período de tempo que o produto pode ser utilizado
(amortização)
• Controla as necessidades de manutenção
• Ambiental
• Controla a demanda por recursos naturais para
substituição de partes degradadas
• Controla a geração de resíduos
• Vida útil necessária para Avaliação do Ciclo de Vida
• Segurança em uso
• Previsão da vida útil
• Planejamento da manutenção

Poli USP © 2019


Entendendo Durabilidade

Poli USP © 2019


Agentes do ambiente interagem entre si e com
os materiais, causando transformações:

Reações químicas Transformações físicas (abrasão, cargas..)

Poli USP © 2019


Porque degrada?

Reações químicas

Poli USP © 2019


Degradação é inevitável.
Engenharia busca controlar a cinética

é um problema de

Projetar para que a velocidade de degradação de cada componente,


nas condições de uso do projeto
seja compatível com a vida útil de projeto estabelecida para minimizar
impactos ambientais e o custo, ao longo do ciclo de vida.

Poli USP © 2019


Agentes e mecanismos de degradação
• Agentes de degradação:
quaisquer fatores que agem sobre os materiais ou componentes de
uma construção e que provocam alterações nas suas propriedades.
• Mecanismos de degradação
Processos físico-químicos desencadeados pela interação entre
agente(s) e os materiais e componentes.
• Corrosão
• Fotodegradação
• Oxidação
• Dissolução
• Abrasão
• Indicador de degradação:
Propriedade mensurável escolhida para acompanhar os efeitos da
degradação sobre o produto. Ex: perda de massa, variação de
resistência ou tenacidade, presença de fissuras, mudança de cor...

Poli USP © 2019


Agentes de Degradação (I)

• Radiação (UV, global, visível)


• Temperatura
• Água
• Constituintes do Ar e poluentes (CO2, NOx,SOx)
• Gelo-Degelo
• Vento
• Agentes biológicos (microorganismos – fungos,
bactérias, algas, insetos)

• Escala: macro, meso e micro clima


Poli USP © 2019
Radiação solar: aquecimento & fotodegradação
fotodegradação

https://heatisland.lbl.gov/coolscience/cool-roofs
Poli USP © 2019
Irradiação Solar Total
é local

http://globalsolaratlas.info/downloads/brazil
Poli USP © 2019
Radiação UV

http://dx.doi.org/10.1590/abd1806-
4841.20154089

Correa et al.
1 UV = 25W/m²

Poli USP © 2019


Degradação de tintas por UV e ciclos térmicos

Poli USP © 2019


Movimentação diferencial associada a
ciclos de temperature e umidade

Poli USP © 2019


Poli USP © 2019
O efeito do Microclima

Poli USP © 2019


Micro-climas em uma ponte

http://bridges.transportation.org/Documents/DesignforServiceLife.pdf

Poli USP © 2019


Agentes de Degradação
Cargas de uso (II)
• Desgaste por abrasão • Carregamento
• Sugeira • Deformação lenta
• Fadiga
• Água e seus derivados
• Cargas de uso

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Enormous_creepdeflections_midspan_
Poli USP © 2019 concrete_bridge_Deventer,_see_the_downwards_hump_-_panoramio.jpg
Degradação de pavimento pelos usuários

Poli USP © 2019


Agentes de Degradação (III)
agentes biológicos
• Roedores • Microrganismos
• Insetos • Fungos
• Cupins • Bactérias
• Teredos • Leveduras

Poli USP © 2019


Biodeterioração de pinturas:
fungos, bactérias e algas

Depende do tempo que a superfície permance úmida:


condensação por resfriamento associado a emissividade e capacidade térmica da estrutura

Poli USP © 2019


Crescimento de micro-organismos na superfície
pintada

Nova 21 meses

Poli USP © 2019


Agentes de Degradação (IV)

• Incompatibilidade entre • Fatores de uso


componentes em contato • Desgaste
• Química • Produtos quimicos
• Física decorrentes do uso
• Deformação diferente • Atividades de
manutenção

Poli USP © 2019


Corrosão galvânica

Conexão de tubo de aço com tubo de cobre


http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=27&Cod=103

Poli USP © 2019


Serie Galvânica (água do mar, 10oC)

Poli USP © 2019


Estimando a vida útil de produtos

Poli USP © 2019


Estimando a vida útil

• Ciência dos materiais: identifica os fatores de


degradação do material.
• Estudos de envelhecimento Natural
(fatores ambientais)
• Estudos de Envelhecimento Acelerado
(intensifica fatores de degradação)
• Estudos de produtos em uso (fatores ambientais, uso
...)
• Distribuição da vida útil de produtos em condições similares
de uso
• Modelos matemáticos

Poli USP © 2019


Envelhecimento acelerado de materiais
orgânicos por UV, calor e água

Poli USP © 2019


Envelhecimento Natural

Paolini et all. https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2014.08.008

Poli USP © 2019


Função Dose-Resposta Empírica

Aço M = 85 + 0,26 T SO2 O3 + 432 T


Alumínio M=0,85 +0,028 T SO2O3
Mármore M=34,4 + 5,96 T SO2 + 338R H+

M -  massa g/m2;
T =h/ano(HR>80%, T>0°C)/8760
SO2 e O3 mg/m3, Cl mg/m2,
R = chuva (m/ano);
H+=g/l
KUCERA et al 1995

Poli USP © 2019


Modelando a taxa de degradação da madeira
(funções dose-resposta)

• T is mean monthly average temperature (°C)


(T – 2) ≡ 0 if T < 2
• D is mean number of days per month with 0,25 mm
or more of precipitation
• Scheffer index

Carll, Charles G. 2009. Decay hazard (Scheffer) index values calculated from 1971–2000
climate normal data. General Technical Report FPL-GTR-179.
http://www.fpl.fs.fed.us/documnts/fplgtr/fpl_gtr179.pdf?

Poli USP © 2019


Degradação depende do clima
(Scheffer Model)

Climate data from


1971–2000

Carll, C.G. (2009) FPL-GTR-179.


Poli USP © 2019
Exercício

• Analise o modelo de Scheffer.


• Consulte o site do INMET (Normais Climatológicas) e estime
o Índice de Scheffer para duas cidades brasileiras com taxas
bem diferentes.

Poli USP © 2019


Projeto para a vida útil

Poli USP © 2019


Vida útil de projeto mínima: NBR 15575 Edificios

Pontes, barragens, túneis >>100 anos


Deposito de resíduos nucleares: >> 500 anos

Poli USP © 2019


Roteiro de projeto para a vida útil

• Para cada material, identificar • Detalhar o projeto, protegendo


os agentes de degradação os materiais
esperados • Prever e facilitar a realização das
• Regionais & locais atividades de manutenção
• Microclima (influencia do projeto)
• Ação dos usuários
• Redigir manual de manutenção
• Identificar incompatibilidades
entre materiais que estejam em
contato
• Buscar produtos alternativos
resistentes à estes agentes

Poli USP © 2019


Detalhes para proteção da Madeira

FOLIENTE et all Forest Products Journal VOL. 52, NO. 1 11, Jan 2002

Poli USP © 2019


Paredes de madeira desprotegidas da umidade
(Brasil)

Poli USP © 2019


Vida útil mínima desejável e a
possibilidade de substituição
• Substituíveis:
• Custos de manutenção
• Facilidade de substituição
• Impactos ambientais (resíduos...)
• Não ou dificilmente substituíveis:
• Vida útil da construção
• Retorno econômico máximo
• Impacto ambiental

Poli USP © 2019


Substituível, mas projeto dificulta manutenção

Poli USP © 2019


Manutenção prolonga a vida útil
104

102

100
Desempenho

98

96

mínimo
94
aceitável

92

90
Tempo v1 vm

Projeto deve especificar as atividades de manutenção necessárias.

Poli USP © 2019


Falta de manutenção da pintura
permite a corrosão

Foto: Fernanda Bassôa


Metrô urbano de Porto Alegre

Poli USP © 2019


Conclusões

• Todos os produtos degradam e ao final da vida útil


viram resíduo
• Interação produto x ambiente provoca degradação
• Produto com grande vida útil em uma aplicação
pode ter baixa vida útil em outra
• Vida útil da construção é parte da atividade de
projeto
• Manual de manutenção faz parte do projeto de vida
útil.

Poli USP © 2019