Você está na página 1de 100

Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de

Atendimento às Pessoas com Surdez – CAS/PI

LIBRAS
4ª EDIÇÃO
GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ
Wilson Martins

SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA


Átila de Freitas Lira

SUPERINTENDÊNCIA DE ENSINO
Joara Delane Sousa Ribeiro

DIRETORA DA UNIDADE DE ENSINO- APRENDIZAGEM


Marta Lúcia de Medonça Freitas

GERENTE DE EDUCAÇÃO EDUCACIAL


Márcia Raika e Silva Lima

DIRETORA DO CAS
Rachel Medeiros Benigno de Andrade

COORDENADORA PEDAGÓGICA DO CAS


Elizabeth Coêlho de Sousa

TERESINA – PI
2012
EQUIPE DE EXECUÇÃO - EQUIPE DO CAS
INSTRUTORES OUVINTES E SURDOS

Ellery Johnson de Oliveira Sabino (surdo)


João Paulo Vitório Miranda (surdo)
Kelly Samara Pereira Lemos (surda)
Maria do Amparo Passos Silva (ouvinte)
Robert Benício da Silva Araújo (ouvinte)
Valdeny Costa de Aragão (ouvinte)
Ydêllanny da Costa Sotero (surda)

INTÉRPRETES

Anderson Almeida da Silva


Clevisvaldo Pinheiro Lima
Diego Herbert Rodrigues da Silva
Joselita Xavier de Jesus
Ludmila Barbosa Venâncio
Márcia Rúbia de Oliveira Lima
Maria Lúcia de Sousa
Natália de Almeida Simeão

ILUSTRAÇÃO
Clevisvaldo Pinheiro Lima
Ellery Johnson de Oliveira Sabino
João Paulo Vitório Miranda
Joselita Xavier de Jesus
Kelly Samara Pereira Lemos
Márcia Rúbia de Oliveira Lima
Maria do Amparo Passos Silva
Ydêllanny da Costa Sotero

COLABORAÇÃO

Elizabeth Coêlho de Sousa


Maria das Graças Pereira
Maristela Castelo Branco Vaz Parente
Rachel Medeiros Benigno de Andrade
Robert Benício da Silva Araújo

REVISÃO GERAL

Diego Herbert Rodrigues da Silva


Elizabeth Coêlho de Sousa
João Paulo Vitório Miranda
Joselita Xavier de Jesus
Márcia Rúbia de Oliveira Lima
Valdeny Costa de Aragão

Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica


Ana Cristina Ramos Brito
Sumário
INTRODUÇÃO

Apresentação...............................................................................................08

Sinais de uma chegada...............................................................................09

Apresentação do CAS-PI............................................................................10

Orientação para o estudante.................................................................... 12

UNIDADE I

I - A Libras e seus parâmetros.....................................................................15


II - Como comunicar-se com um Surdo.......................................................19
III - Alfabeto Manual e Datilologia................................................................20
IV – Sinal Soletrado.....................................................................................22
V - Batismo do Sinal Pessoal .....................................................................22
VI – Expressões de Saudação e Despedida...............................................23
VII - Números: Cardinais, Ordinais e Quantitativos..............................................25
VIII - Pronomes e Advérbios Interrogativos.................................................28
IX - Pronomes Pessoais.............................................................................29
X - Pronomes Possessivos..........................................................................31
XI - Pronomes Demonstrativos....................................................................32
UNIDADE II
I -Tipos de frases .......................................................................................34
Ii - Advérbios de tempo...............................................................................35
II- Calendário...............................................................................................37
IV -Advérbios de frequência .......................................................................40
V-Profissões................................................................................................41
VI - Hora......................................................................................................43
VII - Objetos Gerais.....................................................................................45
Cores..........................................................................................................46

UNIDADE III

I -Ambientes de estudo...................................................................................48

II -Instituições de ensino..................................................................................48.

III -Graus de escolaridade ...............................................................................49

IV - Sinais de matemática................................................................................49

V -Sinais de português....................................................................................49

VI -Sinais de materias.....................................................................................50

VII -Objetos escolares....................................................................................51

VIII –Ambientes Escolares..............................................................................53

IX –Locais e Instituições de Teresina...............................................................54

UNIDADE IV
I -Família........................................................................................................58

II - Animais ....................................................................................................60

III - Alimentos: (frutas, legumes, verduras e cereais)..........................................62

IV – Tipos de verbos........................................................................................67

V - Adjetivos...................................................................................................71

VI -Comparativos ...........................................................................................82

UNIDADE V
I – Estados do Brasil.........................................................................................84

II - Municípios do Piauí.....................................................................................86

III - Meios de transporte...................................................................................88


IV – Direção/Perspectiva..................................................................................90

UNIDADE VI

I – Números para valores monetários...............................................................93

II -Transações comerciais e bancárias...............................................................93

III -Pesos e medidas........................................................................................94

IV - Sinais de bancos e cartões.........................................................................95

V - Sinais de mais e seus contextos...................................................................96

TEXTOS COMPLEMENTARES................................................................100
Apresentação Inicial
Este primeiro capítulo inclui uma apresentação
geral do que é o CAS-PI, o trabalho que realiza e
como funciona além de conter algumas
orientações para os cursistas. Portanto, estas
informações são fundamentais para quem deseja
aprender Libras no CAS.
Boa leitura!

INTRODUÇÃO
APRESENTAÇÃO

A apostila do curso de LIBRAS do Centro de Capacitação de Profissionais da


Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez – CAS-PI, pretende, primeiramente,
auxiliar os alunos “ouvintes” no processo de aprendizagem e assimilação do ensino da Língua
Brasileira de Sinais – LIBRAS.

O CAS-PI tem como proposta, capacitar professores, servidores e a comunidade, para


a aquisição da Língua Brasileira de Sinais, com a finalidade de atuar no atendimento às
pessoas surdas, bem como, nas escolas inclusivas que atendem o surdo, respeitando a
proposta bilíngüe (Língua de Sinais e Língua Portuguesa).

O conteúdo deste trabalho teve como base o livro Libras em Contexto de Tanya A.
Felipe, professora titular da UPE e coordenadora do grupo de pesquisa da FENEIS. Constitui-
se, também, importante fonte de conteúdo o Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue
Língua de Sinais Brasileira de Fernando César Capovilla.

Porém, nossos instrutores, intérpretes e colaboradores, elaboraram cuidadosa-mente


uma variedade de atividades, sob vários registros fotográficos, respeitando a estrutura da
Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e nossa comunidade piauiense.

Enfim, esta apostila foi desenvolvida para você que deseja aprimorar sua capacidade
de interagir com pessoas surdas de nosso país.
Sinais de Uma Chegada
Anderson Almeida da Silva
(intérprete da LIBRAS)

A todos que pretendem mergulhar no mundo maravilhoso dos sinais:


Sejam Bem Vindos!
Numa mistura elegante de movimento e sensações que se completam
em gestos com sentimentos e sentidos, você descobrirá um novo mundo
que desafiará suas habilidades, explorará sua mente e completará seus
anseios.
O medo de enfrentar o silêncio pode levá-lo a desacreditar que essa
língua seja mesmo tão grandiosa e consiga, entre certezas e incertezas,
estabelecer uma das primordiais e mais importantes peças-chave da
sociedade: a comunicação.
Troque seus ouvidos por olhos e sua boca por mãos, que juntos
atuarão no mesmo sentido, o sentido de ver a vida só que com outras
perspectivas.
Entre configurações, movimentos, pontos de articulação, expressões
e colocações você encontrará a sincronia perfeita do ser que de um modo
diferente se expressa e emociona ao se emocionar de como um simples
olhar mostra a beleza de uma arte ainda não entendida por muitos. Porque
não se explica a relação de uma fala sem som, mas descobri agora que
podes me falar em silêncio.
Sem esperar muito por algo que me complete quando algo me falta,
perco o sentido, ou um de meus sentidos, mas ao mesmo tempo busco
uma saída sem ouvir o barulho dos dias, nem o ressoar dos sinos que
tocam em mesmas horas. Sendo ouvinte, faço-me surdo mesmo que por
instantes para entender a grandiosidade desta fala que não me fala.
Encontre nos sinais a beleza de uma língua que atua por si só, que
impressiona nos palcos sem ser atriz, que chama a atenção por sua
grandiosidade mesmo sendo limitada, que fará de você uma ponte entre
um mundo de sons e outro de sensações.

09
APRESENTAÇÃO DO CAS-PI
O QUE É O CAS-PI?

O Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de


Atendimento às Pessoas com Surdez – CAS é uma entidade que tem
como propósito atender e prestar uma melhor assistência e
acompanhamento às pessoas com surdez, familiares, profissionais de
diversas áreas e comunidade.
Tem como eixo principal a promoção da cidadania e inclusão social
através de cursos, capacitações e atividades na área da educação além de
articular com os mais diversos organismos da esfera pública, privada e
demais recursos humanos.
Encontra-se vinculado diretamente ao Governo do Estado do Piauí,
através da Secretaria de Educação e Cultura – SEDUC, sob a Gerência de
Educação Especial – GEE e teve como principal referencial teórico a
posposta apresentada pela parceria do Ministério da Educação – MEC
(representado pela Secretaria de Educação Especial e pelo Instituto
Nacional de Educação de Surdos) com as Secretarias de Educação, Insti-
tuições de Ensino Superior, Organizações Não-Governamentais e
entidades filiadas à Federação Nacional de Educação e Integração dos
Surdos – FENEIS.
O CAS, dentro de suas ações programadas, objetiva desenvolver
uma melhor assistência educacional à clientela assistida, visto a
necessidade de atendimento específico, observando valores essenciais
para a formação de consciência crítica e o pleno exercício da cidadania.

COMO FUNCIONA

O CAS funciona de Segunda a Sexta-feira, nos turnos manhã e tarde,


no horário de 7:30 às 11:30 e de 13:30 às 17:30, respectivamente.
O Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de
Atendimento às Pessoas com Surdez – CAS, conta em sua constituição de
trabalho: com professores, instrutores, professores intérpretes, psicólogo,
fonoaudiólogo, assistente social, pedagogo e psicopedagogo.
10
PÚBLICO ALVO

- Professores regentes de classes comuns, classes especiais, sala de


recursos e de escolas especiais que atuam com surdos;
- Professores e Instrutores surdos;
- Intérpretes de libras;
- Estagiários de magistério e de outros cursos superiores;
- Profissionais da área de saúde, assistente social, justiça e outros;
- Alunos surdos matriculados nas escolas públicas e privadas;
- Surdos e familiares;
- Comunidade em Geral.

11
ORIENTAÇÕES PARA O ESTUDANTE

PRINCÍPIOS GERAIS PARA O ESTUDANTE


Para que o aluno alcance um nível razoável em seu desempenho
comunicativo, precisará ter o desejo e oportunidade de se comunicar em
LIBRAS, por isso as orientações metodológicas, abaixo, servirão dos
seguintes princípios gerais que nortearão o ensino/aprendizagem desta
língua:
• Evite falar durante as aulas: devido ao fato das línguas de sinais
utilizarem o canal gestual-visual, muitos alunos ouvintes ficam tentados a
falar em sua língua enquanto tentam formular uma palavra ou frase na
língua que estão aprendendo. Esta atitude pode ocasionar um ruído na
comunicação, ou seja, uma interferência mútua de códigos, que prejudica o
processo de aprendizagem de uma segunda língua já que cada uma tem a
sua própria estrutura. Tente “esquecer” sua língua oral-auditiva quando
estiver formulando frases em LIBRAS. Um aprendizado de uma segunda
língua pode ter o suporte da primeira para se compreender e comparar as
gramáticas das duas línguas, mas quando se está estruturando uma frase,
tente “pensar” em LIBRAS;
• Use a escrita ou expressões corporais para se expressar: em
um primeiro momento, devido ao fato de não se ter ainda um domínio da
língua, o aluno, motivado por uma insegurança natural, é tentado a usar
sua língua para perguntar ao professor ou aos seus colegas o que não
consegue apreender de imediato. Uma alternativa, para evitar esta
interferência, é a comunicação através da datilologia, da escrita, ou tentar a
utilização de expressões corporal e facial a partir do contexto, recursos
utilizados pelos próprios surdos ao se comunicarem com ouvintes, que não
conseguem compreendê-los quando se expressam oralmente, ou não
sabem língua de sinais. Tente sempre se expressar em LIBRAS, o
professor entenderá sua comunicação e induzirá aos sinais que serão
necessários para a situação comunicativa que deseja se expressar;

12
• Não tenha receio de errar: o erro não deve ser entendido como
falha, mas como um processo de aprendizagem. Tenha segurança em si
mesmo. Na comunicação sempre o erro está presente, mas o contexto
ajuda a perceber a intenção comunicativa e o professor ou o colega poderá
ajudar a encontrar a forma adequada para a situação. Pense na mensagem
que se quer transmitir e não nas palavras isoladamente;
• Desperte a atenção e memória visuais: como os falantes de
línguas orais-auditivas desenvolvem geralmente mais atenção e memória
auditivas, é necessário um esforço para o desenvolvimento da percepção
visual do mundo - um olhar, uma expressão facial, uma sutil mudança na
configuração das mãos é um traço que pode alterar o sentido da
mensagem;
• Sempre fixe o olhar na face do emissor da mensagem: as
línguas de sinais são articuladas em um espaço neutro à frente do emissor,
mas como as expressões faciais e corporais podem especificar tipos de
frases e expressões adverbiais, é preciso estar atento ao sentido dos sinais
no contexto onde estão colocados. O importante é a frase e não o sinal
isolado. É, também, considerado falta de educação o desviar o olhar
durante a fala de alguém, pois representa desinteresse no assunto;
• Atente-se para tudo que está acontecendo durante a aula: preste
atenção nas orientações e conversas do professor com outro aluno e nas
atividades feitas pelos seus colegas de classe. Tudo é aprendizagem;
• Demonstre envolvimento pelo que está sendo apresentado:
através de aceno de cabeça, expressão facial e certos sinais, o receptor
demonstra ao emissor da mensagem que está interessado,
compreendendo e que este pode continuar sua fala (função fática da
linguagem);
• Comunique-se com seus colegas de classe, em LIBRAS, mesmo
em horário extra-classe ou em outros contextos, assim pode-se sempre
exercitar e apreender as vantagens de se saber uma língua de sinais em
certas situações onde se quer falar à distância, o som atrapalha ou mesmo
a mensagem deve ser sigilosa.

13
Nesta unidade iniciaremos nossos
estudos conhecendo a Libras e algumas
de suas peculiaridades lingüísticas.
Também aprenderemos dicas de como
se comunicar com um surdo, além de
aprender as principais expressões de
saudações e despedidas em Libras. Você
também será batizado com um sinal que
lhe identificará na comunidade surda, e
aprenderá o básico para iniciar uma
conversa em Libras com a troca de
informações pessoais básicas. Ao final da
unidade teremos um diálogo
contextualizado que lhe ajudará a praticar
o que você aprendeu.
Bons estudos!!!

UNIDADE I
I – A LIBRAS E SEUS PARÂMETROS
LIBRAS é a sigla da Língua Brasileira de Sinais, que é uma das
muitas línguas de sinais existentes no mundo. Utiliza a modalidade visual-
cinestésica, e não oral-auditiva como as línguas orais. É visual-cinestésica,
pois utiliza a visão para captar e transmitir a mensagem e os movimentos,
principalmente das mãos. Assim como todas as outras línguas sinalizadas,
foi criada na comunidade surda e passada de geração em geração.
Existem algumas controvérsias quanto à padronização da sigla que se
deve dar a esta língua: LIBRAS, LSB (Língua de Sinais Brasileira) e outras,
mas isto não nos compete decidir.
Os sinais utilizados nas línguas sinalizadas muitas vezes são
confundidos com simples gestos. Outras vezes, acredita-se que toda língua
sinalizada é uma mera mímica ou pantomima.
Mas entre gestos, mímica e pantomima e sinal, qual a diferença?
Definições segundo vários dicionários:
• Gesto: do Lat. gestu s. m., movimento do corpo, especialmente da
cabeça e dos braços, para exprimir idéias; sinal; mímica; (no pl.)
movimentos da fisionomia, da cabeça e dos braços, com que o orador
comenta ou dramatiza o discurso.
• Mímica: de mímico s. f., arte de imitar, de exprimir o pensamento por
meio de gestos; gesticulação que procura traduzir os pensamentos ou
sentimentos.
• Pantomima: do Lat. pantomimu < Gr. pantómimos s. f., arte ou ato
de exprimir idéias ou sentimentos por meio de gestos; representação
teatral, mormente no final de espetáculos circenses, em que os atores só
se exprimem por gestos.
• Sinal: do Lat. signale s. m., tudo o que faz lembrar ou representar
uma coisa, um fato ou um fenômeno presente, passado ou futuro;
demonstração exterior do que se pensa, do que se quer; aceno, gesto;
traço ou conjunto de traços que têm um sentido convencional.
Nisto conclui-se de que os gestos são espontâneos, naturais. A
mímica seria pura imitação. A pantomima é uma espécie de
representação teatral. E o sinal, especialmente aquele utilizado nas
línguas sinalizadas (contexto lingüístico) é convencional, isto é, tem um
significado combinado por um grupo social.
15
Os sinais se constituem a partir da combinação do movimento das
mãos com um determinado formato em um determinado lugar, podendo
este lugar ser uma parte do corpo ou um espaço em frente ao corpo. Estas
articulações das mãos, que podem ser comparados aos fonemas e, às
vezes, morfemas, são chamadas de parâmetros.
1) Configuração de mãos: são formas, que podem ser da datilologia
(alfabeto manual) ou outras formas feitas pela mão predominante
(mão direita para os destros), ou pelas duas mãos do emissor ou
sinalizador. Os sinais APRENDER, LARANJA e ADORAR têm a
mesma configuração de mão e são realizados na testa, na boca e
no peito, no lado esquerdo, respectivamente. Vejamos abaixo as
configurações de mãos mais comuns:

16
2) Ponto de articulação: é o lugar onde incide a mão predominante
configurada, podendo esta tocar alguma parte do corpo ou estar em um
espaço neutro vertical (do meio do corpo até à cabeça) e horizontal (à
frente do emissor). Os sinais TRABALHAR, BRINCAR, CONSERTAR são
feitos no espaço neutro e os sinais ESQUECER, APRENDER e PENSAR
são realizados na testa;
3) Movimento: os sinais podem ter um movimento ou não. Os sinais
citados acima têm movimento, com exceção de PENSAR que, como os
sinais AJOELHAR e EM-PÉ, não tem movimento;
4) Orientação / Direcionalidade: os sinais têm uma direção com
relação aos parâmetros acima. Assim os verbos IR e VIR se opõem em
relação à direcionalidade, como os verbos SUBIR e DESCER, ACENDER e
APAGAR, ABRIR-PORTA e FECHAR-PORTA;
5) Expressão facial e/ou corporal: muitos sinais, além dos quatro
parâmetros mencionados acima, em sua configuração têm como traço
diferenciador também a expressão facial ou corporal, como os sinais
ALEGRE e TRISTE. Há sinais feitos somente com a bochecha como
LADRÃO, ATO-SEXUAL; sinais feitos com a mão e expressão facial, como
o sinal BALA, e há ainda sinais em que sons e expressões faciais
complementam os traços manuais, como os sinais HELICÓPTERO e
MOTO.

CURIOSIDADE!
O mais antigo registro que menciona sobre a “Língua de Sinais” data de
368 a. C. (trezentos e sessenta e oito antes de Cristo), escrito pelo
filósofo grego Sócrates, quando perguntou ao seu discípulo:
“Suponha que nós, os seres humanos, quando não falávamos e
queríamos indicar objetos, uns para os outros, nós o fazíamos, como
fazem os surdos-mudos sinais com as mãos, cabeça, e demais membros
do corpo?” (Cratylus de Platão, discípulo e cronista, 368 a. C.)

17
POR QUE AS EXPRESSÕES FACIAIS SÃO TÃO IMPORTANTES PARA
SE COMUNICAR COM OS SURDOS?
As expressões faciais ou corporais são muito importantes pelo fato de
poder mudar o significado de um sinal. Elas podem retratar uma
interrogação, exclamação, negação, afirmação e ordem. Veja as
ilustrações abaixo:

VAMOS PRATICAR!!!

18
II - COMO COMUNICAR-SE COM PESSOA SURDA?

Ao encontrar um surdo, se você não sabe a Língua de Sinais,


observe:
• Não gritar;
• Posicionar-se na frente da pessoa;
• Para chamar sua atenção abane as mãos no campo visual do surdo
e/ou toque a pessoa gentilmente;
• Ao utilizar a oralização, feito o contato visual, olhos nos olhos, fale
calmamente em tom de voz normal, articulando bem as palavras, sem
exagerar;
• Utilize a comunicação visual, se você sabe, mesmo que poucos
sinais, use-os! Não se envergonhe de apontar, desenhar, escrever ou
dramatizar.

19
III - ALFABETO MANUAL
O Alfabeto Manual é um código de representação das letras do
alfabeto. Ele apresenta dois tipos de utilização: a Datilologia e o Sinal
Soletrado.
Datilologia é sinalização de cada letra da palavra sendo utilizada para
representar os nomes das pessoas, lugares, entre outros, caso não haja os
sinais específicos em Libras. A datilologia é transcrita com o uso de letras
maiúsculas separadas por hífen.
Exemplos:
M-A-R-I-A (nome de pessoa), J-O-A-Q-U-I-M R-I-B-E-I-R-O (Rua, Avenida),
A-M-A-R-A-N-T-E (cidade)

20
PRATIQUE A DATILOLOGIA COM AS PALAVRAS ABAIXO:
C-A-R-L-O-S E-V-A Z-É-L-I-A W-I-L-L-Y H-É-L-I-O
L-O-Í-Z-E J-O-S-É M-O-Í-S-E-S B-E-T-O M-Ô-N-I-C-A

ATIVIDADES
1) DESCUBRA A MENSAGEM SECRETA.

____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

____ ____ ____ ____ ____ ____

____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

2) ESCREVA NAS LINHAS ABAIXO AS PALAVRAS SOLETRADAS PELO PROFESSOR:


______________________ _____________________ _____________________

______________________ _____________________ ___________________

______________________ _____________________ _____________________

______________________ _____________________ _____________________

_____________________ _____________________ _____________________

3) FAÇA A DATILOLOGIA DA PALAVRA SORTEADA. 21

21
4) Escreva cinco palavras na coluna A e soletre-as ao colega ao lado,
que por sua vez, fará a datilologia das palavras escritas por ele,
onde você as escreverá na coluna B.
A B
_____________________ _____________________
_____________________ _____________________
_____________________ _____________________
_____________________ _____________________
_____________________ _____________________

IV - SINAL SOLETRADO

Sinal Soletrado é um empréstimo linguístico da língua portuguesa que foi


incorporada para a Libras, através de seu movimento flexível.
Exemplos:
o-i v-o-u c-e-d-o m-a-l

d-i-a v-a-i l-i-n-d-o t-u-d-o

m-a-u n-u-n-c-a q-u-m m-a-i-o

t-u-d-o p-a-i s-i m-a-r-ç-o

V - BATISMO DO SINAL PESSOAL


Geralmente, aqui no Brasil, quando as pessoas são apresentadas
umas às outras, elas dizem seus primeiros nomes após os cumprimentos
(aperto de mãos – contexto formal ou beijos no rosto - contexto informal).
No mundo dos Surdos, a pessoa, além de dizer o nome em datilologia, ela
primeiro se apresenta pelo seu sinal, que lhe foi dado pela comunidade a
qual faz parte.

22
O sinal é alguma característica que seja específica da pessoa. Veja alguns
exemplos:

Roberto Carlos Hebe Camargo Daiane dos Santos Jô Soares Ronaldinho Gaúcho

TANYA A. FELIPE
Professora Titular da UPE

VI – EXPRESSÕES DE SAUDAÇÃO E DESPEDIDA

BOM DIA (BO@ DIA) BOA TARDE (BO@ TARDE)

23
BOA NOITE (BO@ NOITE) SINAL-SE@

SINAL-ME@ NOME ME@-NOME

PRAZER CONHECER VOCÊ TCHAU

24
VI – DIÁLOGO: “VOCÊ ESTUDAR LIBRAS?”

A: OI! TUDO-BO@?
B: OI! TUDO-BO@.
A: VOCÊ ESTUDAR LIBRAS?
B: É! EU ESTUDAR LIBRAS CAS.
A: EU ESTUDAR CAS TAMBÉM.
B: SINAL-SE@? NOME-SE@?
A: SINAL-ME@ ... ME@-NOME L-U-C-I-A-N-A. VOCÊ?
B: SINAL-ME@ ... NOME M-A-R-I-N-A-L-V-A.
A: PRAZER CONHECER VOCÊ.
B: PRAZER CONHECER VOCÊ TAMBÉM.

VII – NÚMEROS
As línguas podem ter formas diferentes para apresentar os numerais
quando utilizados como cardinais, ordinais, quantidade, medida, idade, dias da
semana ou mês, horas e valores monetários. Isso também acontece na
LIBRAS.

A- NÚMEROS CARDINAIS

Exemplos: idade, número do ônibus, da casa, do apartamento, do


telefone.

25
IDADE NÚMERO

B- NÚMEROS PARA “QUANTIDADE”

C - NÚMEROS ORDINAIS
Os números ordinais do PRIMEIRO até o NONO têm a mesma
forma dos cardinais, mas aqueles possuem movimentos enquanto estes
não possuem. Os ordinais do PRIMEIRO até o QUARTO têm
movimentos para cima e para baixo e os ordinais do QUINTO até o
NONO têm movimentos para os lados. A partir do numeral DEZ, não há
mais diferença entre os cardinais e ordinais.

TANYA A. FELIPE
Professora Titular da UPE
Coordenadora do grupo de pesquisa da FENEIS

26
ATIVIDADES

1) PERGUNTE EM LIBRAS O NÚMERO DOS TELEFONES DE SEUS COLEGAS E


ESCREVA-OS NAS LINHAS ABAIXO:

____________________ ____________________ ____________________

____________________ ____________________ ____________________

____________________ ____________________ ____________________

____________________ ____________________ ____________________

2) COMPLETE O TEXTO ABAIXO COM SUAS INFORMAÇÕES PESSOAIS E DEPOIS


SINALIZE PARA A TURMA. (PERGUNTE AO PROFESSOR OS SINAIS QUE NÃO SOUBER).

OI! ME@-SINAL ... NOME ____________________ . EU MORAR


LUGAR NOME ___________________________________________.
EU SOLTEIR@/CASAD@. EU TER _______ FILH@/NÃO-TER FILH@.
ME@ FILH@ NOME _________________________________. EU
TER _________ IRMÃ@. ME@ IRMÃ@ NOME
____________________________________________________. EU
GOSTAR ESTUDAR LIBRAS.

27
VIII - PRONOMES E ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS
Os Pronomes e Advérbios Interrogativos são fundamentais em uma
conversa, visto que são usados para possibilitar a troca de informações em
uma conversa, como as informações pessoais de uma pessoa ou para falar
sobre um evento, por exemplo. Eles podem vir no começo ou no final das
perguntas, sendo que na maioria das vezes são mais bem colocados no final
das perguntas. Vejamos os sinais deles:

QUAL? COMO? PARA-QUE? POR-QUE? POR-QUE

OBSERVAÇÃO: Não há diferença entre o “por que” interrogativo e o “porque” explicativo, o


contexto mostra, pelas expressões faciais, quando ele está sendo usado em frase inter-rogativa
ou em frase explicativa/causal.

QUE/QUEM? ONDE? QUANDO-PASSADO? QUANDO-FUTURO? QUE-DIA?

28
ATIVIDADE

1) EM DUPLAS, PRATIQUEM O DIÁLOGO ABAIXO: (Pergunte ao professor os sinais


que não souber.)

A: BO@ DIA!
B: BO@ DIA!
A: EU LEMBRAR VOCÊ. VOCÊ ESTUDAR LIBRAS CAS?
B: É! EU TAMBÉM LEMBRAR VOCÊ.
A: VOCÊ MORAR ONDE?
B: EU MORAR V-I-L-A O-P-E-R-A-R-I-A. VOCÊ MORAR ONDE?
A: EU TAMBÉM MORAR V-I-L-A O-P-E-R-A-R-I-A.
B: VERDADE? VOCÊ MORAR RUA QUAL?
A: EU MORAR RUA C-E-A-R-Á.
B: SÉRIO? EU TAMBÉM. CASA SE@ NÚMERO?
A: CASA ME@ NÚMERO 1-6-7-9.
B: EU VIZINH@ VOCÊ. CASA ME@ NÚMERO 1-5-4-8.
A: LEGAL! VOCÊ SABER CURSO LIBRAS CAS COMO?
B: AMIG@ ME@ ESTUDAR AQUI JÁ. VOCÊ?
A: EU VER INTERNET. VOCÊ ESTUDAR LIBRAS POR-QUE?
B: POR-QUE EU QUERER COMUNICAR SURD@. VOCÊ?
A: EU TRABALHAR JUNT@ SURD@. EU QUERER APRENDER
CONVERSAR SURD@.
B: BO@. IMPORTANTE SABER LIBRAS.

IX - PRONOMES PESSOAIS

A LIBRAS possui um sistema pronominal para representar as pessoas do discurso.

PRIMEIRA PESSOA (singular, dual, trial, quatrial e plural)

EU NÓS-2 NÓS-3 NÓS-4 NÓS-TOD@

29
SEGUNDA PESSOA (singular, dual, trial, quatrial e plural)

VOCÊ VOCÊ-2 VOCÊ-3 VOCÊ-4 VOCÊS

TERCEIRA PESSOA (singular, dual, trial, quatrial e plural)

EL@ EL@-2 EL@-3 EL@-4 EL@-TOD@

No singular, o sinal para todas as pessoas é o mesmo, o que difere uma


das outras é a orientação da mão: o sinal para “eu” é um apontar para o peito
do emissor (a pessoa que está falando), o sinal para “você” é um apontar para
o receptor (a pessoa com quem se fala) e o sinal para “ele/ela” é um apontar
para uma pessoa que não está na conversa ou para um lugar convencionado
para uma terceira pessoa que está sendo mencionada.
No dual, a mão ficará com o formato do numeral dois (quantidade), no
trial o formato será do numeral três (quantidade), no quatrial o formato será do
numeral quatro (quantidade). Para o plural há dois sinais: um sinal composto
formado pelo sinal para a respectiva pessoa do discurso (1ª, 2ª, 3ª), mais o
sinal GRUPO; e outro sinal para plural que é feito pela mão predominante
com a configuração em “d” fazendo um semicírculo à frente do sinalizador¹.
Como na língua portuguesa, na LIBRAS, quando uma pessoa surda
está conversando, ela pode omitir a primeira pessoa porque, pelo contexto, as
pessoas que estão interagindo sabem a qual das duas o contexto está
relacionado, por isso, quando esta pessoa está sendo utilizada pode ser para
dar ênfase à frase. 29

30
Quando se quer falar sobre uma terceira pessoa que está presente, mas
deseja-se certa reserva, por educação, não se aponta para esta pessoa
diretamente. Nesta situação, o emissor faz um sinal com os olhos e um leve
movimento de cabeça para a direção da pessoa que está sendo mencionada,
ou aponta para a palma da mão encontrando o dedo indicador da mão
esquerda na mão direita um pouco à frente do peito do emissor, estando o
dorso desta mão direita voltada para a direção onde se encontra a pessoa
referida.
TANYA A. FELIPE
Professora Titular da UPE Coordenadora do grupo de pesquisa da FENEIS
1. GERALMENTE, NO PIAUI EXISTE DOIS SINAIS PARA O PLURAL: UM SINAL PARA PLURAL É FEITO PELA MÃO PREDOMINANTE COM A
CONFIGURAÇAO EM “D” FAZENDO UM CIRCULO À FRENTE DO SINALIZADOR E OUTRO SINAL QUE É A MESMA CONFIGURAÇAO DA
PRIMEIRA, FAZENDO EM MOVIMENTO HORIZONTAL, APONTANDO PARA AS PESSOAS.

X - PRONOMES POSSESSIVOS

ME@ NOME R-O-D-R-I-G-O.


SE@ AMIG@ BONIT@.
CASA DEL@ BONIT@.

Para a primeira pessoa: ME@, pode haver duas configurações de mãos:


uma é a mão aberta com os dedos juntos, que bate levemente no peito do
emissor; a outra é a configuração da mão em “P” com o dedo médio batendo
no peito - MEU PRÓPRIO. Para as segunda e terceira pessoas, a mão tem
esta segunda configuração em P, mas o movimento é em direção à pessoa
com que se fala (segunda pessoa) ou está sendo mencionada (terceira
pessoa).
TANYA A. FELIPE
Professora Titular da UPE
Coordenadora do grupo de pesquisa da FENEIS

31
XI - PRONOMES DEMONSTRATIVOS
AQUEL@

EST@ ESS@

ATIVIDADE

1) EM GRUPOS DE TRÊS, PRATIQUEM O DIÁLOGO ABAIXO: (Pergunte ao


professor os sinais que não souber.)

A: EI! AQUEL@ MULHER QUEM-É?


B: EL@ ME@ AMIG@ SURD@.
A: EL@ BONIT@-MUIT@. EU QUERER CONHECER EL@.
B: VAMOS!
C: OI!
B: OI!TUD@-BO@!? EU QUERER APRESENTAR AMIG@. SINAL-DEL@ ...
NOME L-E-O-N-A-R-D-O.
C: OI! TUD@-BO@!?
A: TUD@-BO@! PRAZER CONHECER VOCÊ.
C: PRAZER TAMBÉM. VOCÊ SURD@?
A: NÃO. EU OUVINTE. EU ESTUDAR LIBRAS CAS.
C: B@M!
(...USE SUA CRIATIVIDADE PARA CONTINUAR A CONVERSA...)
32
Nesta unidade estudaremos os diferentes
tipos de frases em Libras e também
aprenderemos a conversar sobre rotina
usando os sinais relacionados ao calendário
e períodos de dias. Aprenderemos também
sobre as profissões em Libras, os sinais dos
objetos e os sinais das cores.

Bons estudos!!!

UNIDADE II
I- TIPOS DE FRASES
Na Libras há expressões faciais gramáticas que são expressadas de
acordo com o tipo de frase (afirmativa, negativa, interrogativa, exclamativa e
negativa/interrogativa).
Frase afirmativa:

1- cabeça movimentando-se, moderadamente, para cima e para baixo


EX: M@ FILH@ GOSTAR-MUITO CORRER MANHÃ.
Frase interrogativa:

1 – sobrancelhas levantadas e um ligeiro movimento da cabeça inclinando-


se para cima.
EX: VIAJAR VOCÊ GOSTAR?
2 – sobrancelhas franzidas e um ligeiro movimento da cabeça inclinando-se
para baixo.
EX: CARRO VENDER?
Frase exclamativa:
1 - sobrancelhas levantadas com boca um pouco aberta e um ligeiro
movimento da cabeça para cima e para baixo. Pode vir também com um
intensificador representado pela boca fechada com um movimento para baixo.

EX: S@ AMIG@ CASAR!


2 – sobrancelhas franzidas com boca fechada
EX: EL@ CAIR!

Frase negativa:
1 – com o acréscimo do sinal NÃO
EX: EU CASAR NÃO.
34
2 – com o aceno de cabeça para os lados
EX: EU ENTENDER-NÃO.
3 – Verbos que apresentam uma forma negativa específica.
EX: LER GOSTAR-NÃO.

Frase negativa/interrogativa:

1 - sobrancelhas franzidas e aceno da cabeça negando.


EX: ESPANHOL VOCÊ GOSTAR-NÃO?

ATIVIDADE
Elabore um diálogo utilizando os diferentes tipos de frases.

II- ADVÉRBIOS DE TEMPO

MANHÃ MEIO DIA

TARDE NOITE

35
MADRUGADA AMANHÃ

HOJE ONTEM ANTEONTEM

ANTES DEPOIS

36
III-CALENDÁRIO

DIAS DA SEMANA

DOMINGO SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA

QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA SÁBADO

37
MESES DO ANO

JANEIRO FEVEREIRO

MARÇO ABRIL

1 2 1 2

MAIO JUNHO
1 2
M-A-I-O
(datilologia)

JULHO AGOSTO
1 2 1 2

38
SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO

ATIVIDADE

AMIG@ ENCONTRAR

A: O-I, TUD@-BE@? SAUDADE VOCÊ!

B: TUD@-BE@, EU TAMBÉM SAUDADE! VOCÊ SUMIR POR-QUE?

A: PORQUE TRABALHAR-MUITO, ESTUDAR-MUITO. EU QUERER


FOLGA, MAS DIFÍCIL!

B: VERDADE!? VOCÊ TRABALHAR MANHÃ TARDE O-U NOITE?

A: EU TRABALHAR MANHÃ TARDE.

B: AH! EU SÓ ESTUDAR . SEGUNDA,QUARTA CURSAR LIBRAS, TERÇA ,


QUINTA CURSAR INGLÊS.

B: PACIÊNCIA DEPOIS V-Y FÉRIAS MÊS DEZEMBRO, OK?

A: BO@. DEPOIS ENCONTRAR, OK? TCHAU!

B: TCHAU!

39
IV- ADVÉRBIO DE FREQUENCIA

NUNCA NUNCA-MAIS AINDA


1 2 1 2

SEMPRE MESM@-LUGAR FREQUENTEMENTE(1) FREQUENTEMENTE(2) AINDA-NÃO


(PRESENÇA) (IR)

ATIVIDADE
1) Observe o vídeo onde o instrutor sinalizará frase contendo os
advérbios abaixo. (os alunos escreveram as frases de acordo
com os respectivos advérbios)
1 . NUNCA
a)____________________________________________________________
b)_____________________________________________________________

2. NUNCA-MAIS

a)_______________________________________________________________

b)_____________________________________________________________

3. SEMPRE

a)_______________________________________________________________

b)_____________________________________________________________

40
4. MESM@-LUGAR

a)_______________________________________________________________

b)_____________________________________________________________

5. FREQUENTEMENTE (PRESENÇA)
a)_______________________________________________________________

b)_____________________________________________________________

6. AINDA-NÃO

a)_______________________________________________________________

b)_____________________________________________________________

7. FREQUENTEMENTE (IR)

a)_______________________________________________________________

b)_____________________________________________________________

8. AINDA
a)_______________________________________________________________

b)_____________________________________________________________

V- PROFISSÕES
PROFESSOR ESTUDANTE MÉDIC@ PSICÓLOG@ ADVOGAD@

PSIQUIATRA ARQUITET@ JUIZ@


1 2 1 2

41
DIGITADOR PEDREIR@ POLICIAL PRESIDENTE SECRETÁRI@

DIRETOR ASSISTENTE SOCIAL INTÉRPRETE


1 2 1 2

ARQUIVISTA CONTADOR DESENHISTA


1 2 1 2

TELEFONISTA ARTISTA(PINTURA) PINTOR JORNALISTA

BIBLIOTECÁRIO REPÓRTER FOTÓGRAFO TAXISTA MOTORISTA

42
COZINHEIRO CABELEIREIRO FAXINEIRO GARÇON

PESQUISADOR CAIXA

EMPREGO COM CARTEIRA ESTAGIÁRI@ SALÁRIO MENSAL


1 2

VI- HORA
Na LIBRAS há dois sinais para se referir à hora: um para se referir
ao horário cronológico e outro para a duração. O sinal HORA, com o
sentido de tempo cronológico, é sinalizado por um apontar para o pulso
e, quando utilizado em frase interrogativa – expressão interrogativa
“QUE-HORA?”, tem um acréscimo da expressão facial para frase
interrogativa. Com relação às horas do dia, usa-se a mesma
configuração dos numerais para quantidade e, após doze horas, não se
continua a contagem, começa-se a contar novamente: HORA 1, HORA 2,
HORA 3, acrescentando o sinal TARDE, quando necessário, porque
geralmente, pelo contexto, já se sabe se o sinalizador está se referindo à
manha, tarde, noite ou madrugada.
43
O sinal HORA, com o sentido de tempo decorrido ou duração, é
sinalizado por um círculo ao redor do rosto e, quando utilizado em frase
interrogativa – expressão interrogativa “QUANTAS-HORAS”?, tem um
acréscimo da expressão facial para frase inter-rogativa. Esse sinal está
sempre relacionado ao tempo gasto para se realizar alguma atividade. A
esse sinal, pode-se incorporar os quantificadores: 1, 2 , 3 e 4 mas, a
partir da quinta hora, já não há mais essa incorporação.
Exemplos:

QUE-HORA? QUANTAS – HORAS?


ATIVIDADE
Enumere a frase que o(a) instrutor(a) sinalizará, colocando entre os
parênteses abaixo, os números de 1 a 18.
( ) COMEÇAR AULA QUE-HORA?
( ) TERMINAR AULA QUE-HORA?
( ) ACORDAR QUE-HORA?
( ) DORMIR QUE-HORA?
( ) JANTAR QUE – HORA?
( ) ÔNIBUS SE@ CASA ATÉ CAS QUANT@-HORA?
( ) AULA COMEÇAR QUE-HORA AQUI?
( ) VIAJAR PARNAÍBA QUANT@-HORAS?
( ) VOCÊ TRABALHAR COMEÇAR QUE-HORA?
( ) TRABALHAR CAS QUANT@-HORAS?
( ) AULA TERMINAR QUE-HORA?
( ) VOCÊ COMER QUE-HORA?
( ) VOCÊ DORMIR QUE-HORA?
( ) TERESINA ATÉ RIO QUANT@- HORA?
( ) EL@ SAIR QUE-HORA?
( ) FILME QUANT@-HORA?
( ) MOCAMBINHO ATÉ PORTO ALEGRE QUANT@- HORA

44
VII- OBJETOS GERAIS

CADEIRA MESA CASA BOLA

CAMA GELADEIRA TABLET NOTEBOOK

COMPUTADOR TELEVISÃO BRINQUEDO APARELHO AUDITIVO

45
VIII- CORES

VERMELHO AMARELO LARANJA ROSA VERDE

ROXO PRETO BRANCO CINZA BEGE

AZUL VINHO MARROM

1 2

CLARO ESCURO
1 2 1 2 2

46
Nesta unidade aprenderemos a
discutir assuntos relacionados ao
ambiente escolar e graus de
escolaridade. Também aprenderemos
os sinais dos estabelecimentos e
lugares mais populares de Teresina.
Aproveite ao máximo as atividades
propostas nesta unidade e siga as
orientações do professor.

Bons estudos!!!

UNIDADE III
I-SINAIS RELACIONADOS AOS AMBIENTES DE ESTUDO

ESCOLA UNIVERSIDADE FACULDADE

II-SINAIS RELACIONADOS A INSTITUIÇÕES DE ENSINO

UFPI UESPI IFPI

CEUT FACID

48
SANTO AGOSTINHO NOVAFAPI
III - GRAU DE ESCOLARIDADE

ENSINO INFANTIL ENSINO FUNDAMENTAL ENSINO SUPERIOR

ENSINO MÉDIO ESPECIALIZAÇÃO MESTRADO DOUTORADO

IV - SINAIS DE MATEMÁTICA

+ - x :
V - SINAIS DE PORTUGUÊS

SUBSTANTIVO ADJETIVO PRONOME VERBO

49
FRASE TEXTO GRAMÁTICA GRAMÁTICA DA LIBRAS

VI - SINAIS DAS MATÉRIAS

PORTUGUÊS CIÊNCIAS MATEMÁTICA HISTÓRIA INGLÊS

REDAÇÃO QUÍMICA FÍSICA FILOSOFIA GEOGRAFIA

LITERATURA BIOLOGIA ESPANHOL LIBRAS ARTES

50
VII - MATERIAIS ESCOLARES

APAGADOR BORRACHA APOSTILA/CADERNO CANETA

CARTEIRA CLIP COLA

CORRETIVO LÁPIS LIVRO

MARCADOR MOCHILA PASTA

51
PINCEL QUADRO RÉGUA TESOURA

ATIVIDADE

Junte-se ao colega ao lado e treine a sinalização do texto abaixo:

A – OI TUDO-BO@?
B – TUDO-BO@.
A – VOCÊ RESPONDER ATIVIDADE MATEMÁTICA PROFESSOR PEDIR?
B – NÃO! RESPONDER NADA PORQUE EU ESTUDAR PROVA CIÊNCIAS.
A – AH! ENTENDER. VOCÊ ENSINO MÉDIO ACABAR(PRONTO) UNIVERSIDADE
CURSO ESCOLHER JÁ?
B – AINDA-NÃO. EU DÚVIDA TRÊS: INGLÊS UFPI, FÍSICA IFPI, FILOSOFIA UESPI.
VOCÊ CURSO QUERER ESCOLHER JÁ?
A – JÁ. EU QUERER ESTUDAR QUÍMICA IFPI. AGORA VAMOS ESCOLA. NÓS-2
ATRASAD@.
B – OK! VAMOS.

Observe o texto sinalizado pelo seu professor e transcreva, em


português, para as linhas abaixo.
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________

Observe os sinais sinalizados pelo professor e escreva abaixo:

___________________ ____________________
___________________ ____________________
___________________ ____________________
___________________ ____________________
___________________ ____________________
52
VIII- AMBIENTE ESCOLAR

DIRETORIA SECRETARIA LANCHONETE BIBLIOTECA

AUDITORIO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA SALA

ATIVIDADE

Utilize o vocabulário de ambientes escolares e elabore frases. Em


seguida escolha uma e apresente a sua turma em libras.

_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________

Observe o texto sinalizado pelo seu professor e transcreva, em


português, para as linhas abaixo.

_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
53
IX- SINAIS DAS INSTITUIÇÕES E LOCAIS DE TERESINA

54
ASTE APADA APAE CAP

CAS MATIAS OLÍMPIO PAULO FERRAZ ADEMIR LEAL

ALBERTÃO CLUBE DOS DIÁRIOS FREI SERAFIM CASA DA CULTURA

PRAÇA PEDRO II PALACIO DE KARNAK MUSEU DO PIAUÍ PONTE METÁLICA

PONTE ESTAIADA TROCA-TROCA TEATRO 4 DE SETEMBRO ENCONTRO DOS RIOS

55
BOM PREÇO RIVERSIDE INSINUANTE PARAÍBA VERDÃO

C&A PÇA DA BANDEIRA RIACHUELO

ATIVIDADE

Treine a sinalização do texto abaixo.

PORTUGUÊS

A cidade de Teresina é muito bonita, tem várias praças como a Praça


da Bandeira e a Praça Pedro II. Aqui também tem lugares bonitos que
podemos visitar como, por exemplo, a Ponte Estaiada, o Troca-Troca, o
Encontro dos Rios e os dois shoppings Teresina e Riverside. Outra
coisa muito legal aqui nessa cidade é que os surdos se reúnem todos
os dias na Avenida Frei Serafim em frente ao Bom Preço para
conversar e fazer amigos. Eu gosto muito dessa cidade.

LIBRAS

CIDADE TERESINA BONIT@MUITO. TER PRAÇAS VÁRIAS EXEMPLO PRAÇA DA


BANDEIRA TAMBEM PRAÇA PEDRO II. TERESINA TAMBEM TER LUGAR BONIT@
NÓS PODER VISITAR. EXEMPLO PONTE ESTAIADA, TROCA-TROCA, ENCONTRO
DOS RIOS, TERESINA SHOPPING E RIVERSIDADE SHOPPING. TAMBEM LEGAL
AQUI TERESINA SURD@S REUNIR FREI SERAFIM FRENTE BOM PREÇO
CONVERSAR CONHECER PESSOAS. EU GOSTAR TERESINAMUITO.

56
56
Nesta unidade estudaremos: sinais
relacionados a família; animais, alimentos
em geral, adjetivo na LIBRAS;
comparativos de superioridade,
inferioridade e igualdade.
Bons
estudos!!!

UNIDADE IV
I - SINAIS RELACIONADOS A FAMÍLIA

FAMÍLIA MÃE PAI


1 2 1 2

IRMÃO IRMÃ
1 2 1 2

MADRASTA PADRASTO NOIV@(1)


1 2 1 2

NOIV@(2) NORA GENRO SOGR@ TI@

SOBRINH@ PRIM@ PADRINHO/MADRINHA NET@ FILHO

58
CASAD@ SOLTEIR@ AMIGAD@ COMPANHEIR@ VIÚV@

AMANTE DIVORCIAD@ SEPARAD@


1 2 1 2

ESPOSA MARIDO CRIANÇAS


1 2 1 2

PARENTE CUNHAD@ VOV@(1)


1 2 1 2

VOV@(2) MENINO
1 3 1 2

2 4

59
II - SINAIS DOS ANIMAIS

BODE CANGURU FORMIGA HIPOPÓTAMO


1 2

CAVALO BOI CARNEIRO SAPO CACHORRO

GATO RATO COBRA TARTARUGA COELHO

GIRAFA ELEFANTE LEÃO MACACO

1 2

60
TIGRE BARATA PEIXE CAMARÃO
1 2

CARANGUEJO PATO PAPAGAIO PÁSSARO PORCO

ONÇA ZEBRA RINOCERONTE


1 2 1 2

GALO PERU URUBU JACARÉ


1 3

LOBO CAMELO BALEIA


1 2 1 2

61
ATIVIDADE

Em duplas criem um diálogo utilizando o contexto familiar e animal.

III - SINAIS DE ALIMENTOS:


VEGETAIS
ABACAXI ABACATE 1 2

ACEROLA 1 2 ATA

BANANA CAJÁ 1 2

CAJU CARAMBOLA CÔCO

62
GOIABA JABUTICACA JACA

LIMÃO 1 2 MAÇÃ

MAMÃO 1 2 MANGA

MELANCIA MELÃO 1 2

MORANGO 1 2 PÊRA

63
TANGERINA UVA LARANJA

ABOBORA COUVE ALFACE

ALHO BATATA 1 2

BERINJELA 1 2 CHEIRO-VERDE

64
BETERRABA 1 2 MANDIOCA

CEBOLA 1 2 MILHO

CENOURA 1 2 PEPINO

PIMENTA TOMATE 1 2

CEREAIS/ALIMENTOS
AÇÚCAR ARROZ BISCOITO 1

65
BISCOITO 2 CAFÉ CARNE

CHOCOLATE FARINHA FEIJÃO

LEITE LINGÜIÇA MACARRÃO

ÓLEO PÃO QUEIJO

TRIGO 1 2

66
ATIVIDADE

Em duplas, elabore um diálogo contextualizando os sinais já aprendidos


nesta unidade.

IV - TIPOS DE VERBOS NA LIBRAS


VERBOS NÃO DIRECIONAIS
São verbos caracterizado por não apresentar flexão quanto à pessoa, eles também
não incorporam instrumentos, são os verbos mais simples na LIBRAS.
ACABAR ACABAR/PRONTO 1 2

ACABAR(comida) APOSENTADORIA 1 2

APOSENTADO CONSEGUIR APROVAR

67
CANCELAR 1 CANCELAR 2 COMEÇAR 1

COMEÇAR 2 COMPRAR 1 2

DEPENDER PERDER/REPROVAR PROCURAR

ESPERAR SAIR

68
VERBOS DIRECIONAIS
São verbos que concordam com a pessoa da sentença, também
incorporam o locativo. A direção do sinal é realizada do sujeito para o
objeto da sentença. Com isso a direção do movimento sempre irá variar
de acordo com a posição dos elementos envolvidos na ação.

ABANDONAR 1 2 AVISAR

DAR DEMITIR ENSINAR

ENVIAR (carta) ENVIAR (e-mail) ENVIAR (pessoa)

FICAR 1 FICAR 2 INFORMAR

69
IR PEDIR PESQUISAR

RESPONDER

VERBOS CLASSIFICADORES
CAMINHAR 1 CAMINHAR 2 PASSAR (carro)

PASSAR (moto) PASSAR (pessoa) PASSAR (pano/casa)

PASSAR (ferro)

70
ATIVIDADE

1. Veja a sinalização do professor e escreva-as em português.


______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
V - ADJETIVOS NA LIBRAS

Os adjetivos são sinais que formam uma classe especifica na LIBRAS e


sempre estão na forma neutra, não havendo, portanto, nem marca para
gênero (masculino e feminino), nem para número (singular e plural).
Muitos adjetivos, por serem descritivos, apresentam iconicamente uma
qualidade do objeto, desenhando-a no ar ou mostrando-a a partir do objeto ou
do corpo do emissor.
Em português, quando uma pessoa se refere a um objeto como sendo
arredondado, quadrado, listrado, entre outros, está também descrevendo,
mas na LIBRAS, esse processo é mais “transparente” porque o formato ou
textura são traçados no espaço ou no corpo do emissor, em uma
tridimensionalidade permitida pela modalidade da língua.
Em relação à colocação dos adjetivos na frase, eles geralmente vêm
após o substantivo que qualifica.

TANYA A. FELIPE

Professora Titular da UPE


Coordenadora do grupo de pesquisa da FENEIS

ABAFAD@ ALEGRE ALT@

71
AVARENT@ BAIX@ BARAT@

BOB@ BO@ BONIT@

BRAV@ ABUSAD@ BURR@

CURT@ CALM@ CANSAD@

72
CHAT@ CHEI@ VELH@(ser vivo)

CLAR@ COMPRID@ CONVENCID@

CURIOS@ CURT@ DANAD@

DEMORAD@ DENTR@ DEPRIMID@

73
DIFERENTE 1 2 IGUAL

DIFICIL DUR@ EDUCAD@

ENGRAÇAD@ ERRAD@ ESCUR@

ESPERT@ 1 2 FÁCIL

74
ESTRANH@ 1 2 FALS@ 1

FALS@ (pessoa) 1 2 FEI@

FELIZ FOF@ FORTE

FRAC@ FRI@/GELAD@ PROFUND@

75
GORD@ GOSTOS@ GRANDE

GROSS@ IGUAL 1 IGUAL 2

IMPORTANTE IMPOSSIVEL VERDADE

INTELIGENTE LEGAL LEVE

76
LIMP@ LIS@ LONGE 1

LONGE 2 MAGR@ MAU

NERVOS@ JOVEM NOV@

OCUPAD@ ORIGINAL PERT@

77
PESAD@ POBRE POSSIVEL

QUENTE QUIET@ RIC@

RÁPID@ 1 2 RUIM

SAIR SÉRI@ SIMPLES/HUMILDE

78
SUJ@ TEIMOS@ TIMID@

TRISTE USAD@ VAZIO/LIMP@

ATIVIDADE

1.TRANCREVA OS SINAIS NAS SEGUINTES FRASES.

a) VOCÊ ESTA MUITO , PRECISA PARAR DE COMER.

__________________________________________________________________________

b)VOCÊ JÁ LEU O LIVRO DO PATINHO ?

___________________________________________________________________________ 79
c)A MAIORIA DAS PESSOAS QUE JOGA BASQUETE É .

______________________________________________________________________________

d)O MEU PEDIU PRA EU COMPRAR UM CADERNO

______________________________________________________________________________

e)MEU É ADVOGADO, TRABALHA NA CIDADE.

___________________________________________________________________________________________

f)ELA TEM UM HÁ CINCO ANOS.

________________________________________________________________________________

80
g) O DELE É BOM AJUDA A .

________________________________________________________________________________

h) MINHA CASA É .

__________________________________________________________________________

2. AGORA OBSERVE A SINALIZAÇÃO DO INSTRUTOR E ESCREVA ABAIXO.

a)____________________________________________________________________________

b)____________________________________________________________________________

c)____________________________________________________________________________

d)____________________________________________________________________________

e)____________________________________________________________________________

81
VI - COMPARATIVO

É comum que nós comparemos a qualidade das pessoas, coisas e animais em três graus:
superioridade, igualdade e inferioridade. Na LIBRAS isto também acontece, porém não é comum
utilizar o grau de INFERIORIDADE. Vejamos as estruturas mais comuns para estas situações.
Para fazermos comparações em Libras, normalmente usamos os sinais MAIS-DO-QUE e IGUAL.

MAIS-DO-QUE IGUAL
1 2

SUPERIORIDADE

X + ADJETIVO+ MAIS-DO-QUE +Y

EXEMPLOS:

 ME@ PAI ALTO MAIS-DO-QUE ME@ MÃE.

 (EU) ALTO MAIS-DO-QUE-VOCÊ. (Neste caso, o EU não é necessário visto que o sinal
MAIS-DO-QUE já incorpora em sua direcionalidade os elementos presentes).

IGUALDADE

X + Y + ADJETIVO + IGUAL

EXEMPLOS:

 ME@ IRMÃ ME@ IRMÃO ALTO IGUAL.

ATIVIDADE
Observe as frases sinalizadas e escreva-as em português.
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
82
Nesta unidade aprenderemos os sinais dos
estados do Brasil, dos principais municípios
do Piauí e dos meios de transportes.
Também veremos como se referir a distância
entre os lugares estudados.

Bons Estudos!!!!

UNIDADE V
1. ESTADOS DO BRASIL

PARANÁ ACRE SANTA CATARINA PIAUÍ

MATO GROSSO DO SUL RIO DE JANEIRO AMAZONAS BRASÍLIA

PARAÍBA RIO GRANDE DO NORTE RORAIMA RIO GRANDE DOSUL ALAGOAS

AMAPÁ PARAÍBA SERGIPE GOIÁS PERNAMBUCO

84
ESPÍRITO SANTO RONDÔNIA MATO GROSSO SÃO PAULO PARÁ

MARANHÃO TOCANTINS MINAS GERAIS

BAHIA DISTRITO FEDERAL CEARÁ

85
2. MUNICÍPIOS DO PIAUÍ

CAPITAL INTERIOR

TERESINA PARNAÍBA PICOS

FLORIANO PIRIPIRI CAMPO MAIOR

86
OEIRAS SÃO RAIMUNDO NONATO VALENÇA

FRASES PARA PRATICAR:

a. MINHA FAMÍLIA MORAR PERNAMBUCO, SUA ONDE?


b. MÊS PASSADO EU VIAJAR PEDRO II, LÁ FRIO VERDADE!
c. INVERNO JÁ, EU PRECISAR COMPRAR UM GUARDA-CHUVA.
d. VOCÊ NASCER ONDE?
e. CAPITAL BRASIL QUAL?
f. ESTADO BRASIL QUANTOS?
g. ESTADO VOCÊ GOSTAR QUAL?

ATIVIDADE:

Observem os sinais e as frases sinalizadas e escreva-as nas linhas abaixo:

a) __________________ f) ___________________ l) __________________

b) _________________ g) ___________________ m) _________________

c) _________________ h) ___________________ n)__________________

d) _________________ i) ___________________ o)__________________

c) _________________ j) ___________________ p)__________________

87
FRASES:

a) ________________________________________________________________

b) ________________________________________________________________

c) ________________________________________________________________

d) ________________________________________________________________

3. MEIOS DE TRANSPORTES

BICICLETA MOTO TÁXI VAN CAMINHÃO

NAVIO FOGUETE BARCO CARROÇA TREM

88
METRÔ HELICÓPETERO

ÔNIBUS AVIÃO

ATIVIDADE:

Elabore cinco frases com os sinais aprendidos:

_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

89
4. DIREÇÃO/ PERSPECTIVA

As línguas de sinais por serem de modalidade gestual-visual utilizam, como


elemento gramatical, a tridimensionalidade do espaço para a comunicação.

Assim, uma pessoa que está aprendendo uma dessas línguas precisa ficar
atenta para a visualização das informações no espaço porque elas sempre estão
sob a perspectiva do emissor da mensagem e precisa-se apreendê-las ao inverso,
como uma imagem no espelho.
Na LIBRAS, os advérbios “perto” e “longe” são representados por sinais
distintos com relação a essa perspectiva, medida e ponto específico, podendo-se
incorporar, ao advérbio LONGE, um movimento e expressões facial e corporal que
acrescentam idéia de perspectiva, e de intensificação da distância.

TANYA A. FELIPE

Professora Titular da UPE


Coordenadora do grupo de pesquisa da FENEIS

PERTO PERTO

LONGE MUIT@-LONGE POUC@-LONGE

90
VAMOS PRATICAR!!

a. CAS PERTO PARADA-DE-ÔNIBUS.


b. ME@ CASA PERTO CASA AMIG@.
c. SÃO PAULO LONGE PIAUÍ. (mapa)
d. PRAIA LONGE.
e. CASA ME@ LONGE CAS.
f. ÔNIBUS MAIS DEVAGAR DO-QUE CARRO.
g. MEU AVÔ COMPRAR UM BARCO NOV@.
h. EU SABER-NÃO GUIAR-MOTO.

EM DUPLAS, CRIEM UM DIÁLOGO EM LIBRAS COM TEMA “PASSEIO”.

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

91
Nesta unidade aprenderemos a conversar
sobre assuntos relacionados a transações
comercias, incluindo os sinais dos
números para valores monetários,
principais bancos e cartões, sinais
relacionados a pesos e medidas, sinal
“MAIS” em diferentes contextos.
Bons estudos!!!

UNIDADE VI
I - NUMERAIS PARA VALORES MONETÁRIOS

Na LIBRAS para se representar os valores monetários de um até nove reais,


usa-se o sinal do numeral correspondente ao valor, incorporando a este o sinal
VÍRGULA. Por isso o numeral para valor monetário terá pequenos movimentos
rotativos. Pode ser usados também para estes valores acima os sinais dos
numerais correspodentes seguido dos sinais soletrados R-L “real” ou R-S “reais”.
Para valores de um mil até nove mil também há a incorporação do sinal
VIRGULA, mas aqui o movimento desta incorporação é mais alongando do que
os valores ante-riores ( de 1 até 9 reais). Podem ser usados também para esses
valores acima os sinais dos numerais correspondentes seguidos de PONTO.
Quando o valor é centavo, o sinal VÍRGULA vem depois do sinal zero, mas
na maioria das vezes não precisa usar o sinal zero para centavo porque o contexto
pode esclarecer e os valores para centavos ficam aos numerais cardinais.

TANYA A. FELIPE

Professora Titular da UPE


Coordenadora do grupo de pesquisa da FENEIS

II - SINAIS RELACIONADOS A TRANSAÇÕES COMERCIAIS E BANCÁRIAS

CAR@ SAQUE DESCONTO BARAT@ EMPRÉSTIMO

BANCO AUMENTO CARTÃO QUANT@-CUSTA?

93
JURO CHEQUE À-VISTA PRESTAÇÃO DEPOSITAR

A-PRAZO PROMOÇÃO PAGAMENTO

PORCENTAGEM
1 2 3

III - SINAIS RELACIONADOS A PESOS E MEDIDAS


BALANÇA(COISAS) BALANÇA(ANIMAISPESSOAS) METRO (madeira) METRO(articulado) RÉGUA

FITA MÉTRICA LEVE PESADO


1 2

94
IV - SINAIS DE BANCOS E CARTÕES
BANCO DO BRASIL ITAÚ BRADESCO CREDISHOP HIPERCARD(BOMPREÇO)

MASTERCARD CAIXA ECONÔMICA

DATILOLOGIA
V-I-S-A, H-S-B-C.

PRATIQUEM OS DIÁLOGOS ABAIXO EM DUPLAS.

DIÁLOGO 1
A: ESTE CARRO QUANT@-CUSTA?
B: SÓ 34.990 REAIS.
A: EU GOSTAR. QUERER COMPRAR.
B: VOCÊ PAGAR-Á-VISTA O-U À-PRAZO?

DIÁLOGO 2
A: EU COMPRAR CELULAR NOV@ PRECISAR.
B: POR-QUÊ? SE@ CELULAR BO@ NÃO?
A: NÃO. RUIM. PROBLEMA SEMPRE.
B: EU QUERER VENDER ME@. EU NÃO-GOSTAR.
A: EU QUERER COMPRAR. QUANT@-CUSTA?
B: 200,00 REAIS. BO@?
A: DOIS PRESTAÇÃO 100. OK?
B: OK.

95
DIÁLOGO 3
A: EU QUERER COMPRAR MOTO NOV@. ÔNIBUS SEMPRE EU
CANSAD@.
B: VOCÊ QUERER COMPRAR COM@?VOCÊ DINHEIRO TER?
A: NADA.
B: VOCÊ COMPRAR A-PRAZO CAIXA-ECONÔMICA POSSÍVEL.
A: EU CONSEGUIR COMO?
B: VOCÊ IR CAIXA PROCURAR GERENTE CONVERSAR. PRECISAR
DOCUMENT@ CÓPIA. TAMBÉM PRECISAR COMPROVANTE LUZ ÁGUA
TAMBÉM SALÁRIO.
A: AMANHÃ EU IR.

DIÁLOGO 4
A: EU DÍVIDA-MUIT@. EU PREOCUPAR PAGAR COM@.
B: VOCÊ IR BANCO-DO-BRASIL PEDIR EMPRÉSTIMO BO@.
A: BO@? EU QUERER MAS AMIG@ ME-DIZER JURO-MUIT@.
B: VERDADE. BO@ EVITAR GASTAR-MUIT@. ESPERAR PACIÊNCIA
PAGAR DÍVIDAS.
A: CONCORD@. OBRIGAD@ CONSELHAR-ME!
B: DE-NADA. S-I PRECISAR EU, PODER ME-PROCURAR. ABRAÇO

V - OS SINAIS DE “MAIS” E SEUS CONTEXTOS


quantidade superlativo soma

acréscimo exagero MAIS PRA LÁ

96
ATIVIDADE

1) Observe as frases sinalizadas pelo professor e escreva-as em português


nas linhas abaixo:
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________

2) Observe os sinais e escreva-os nas linhas abaixo:


a)________________________ e)_______________________
b)________________________ f)_______________________
c)________________________ g)_______________________
d)________________________ h)_______________________

3) Enumere as frases apresentadas, em LIBRAS, pelo(a) instrutor(a):


a)( ) Comprei uma casa à vista.
b)( ) Ontem minha mãe comprou roupas no shopping.
c)( ) Ele vai viajar para São Paulo.
d)( ) Meu amigo me presenteou no meu aniversário.
e)( ) Meu cachorro sumiu e voltou depois de uma semana.
f)( ) Meu irmão está triste porque não passou no vestibular para medicina.
g)( ) Aquela mulher que passou aqui na frente. Eu a conheço.
h)( ) Minha prima está feliz porque vai se casar amanhã.

97
DIÁLOGO 1
Situação: COMPRAS NO SUPERMERCADO.

ALUNO(A) A: VENDEDOR(A)
ALUNO(A) B: COMPRADOR(A)

A: TUDO-BO@! QUERER O-QUE VOCÊ?


B: QUERER ARROZ 1KG, FEIJÃO 3KG, AÇÚCAR 1,5KG, CARNE 5 KG, MANTEIGA 1, LEITE
2 LITRO. QUANT@-TOTAL?

A: ARROZ R$ 1,50/ FEIJÃO R$ 7,50/ AÇÚCAR R$ 0,75/ CARNE R$ 3,00/ MANTEIGA R$ 1,00/
LEITE R$ 3,00. TOTAL: R$ 16,75.
B: ESQUECER DINHEIRO! CARTÃO/ ACEITAR?
A: ACEITAR CARTÃO CREDISHOP/ HIPERCARD /MASTERCARD. VOCÊ TER?
B: TER MASTERCARD.
A: DESCULPAR CARTÃO PROBLEMA. TER OUTRO CARTÃO?
B: CREDISHOP.
A: OK. PRONTO!
B: OBRIGAD@! TCHAU.
A: DE-NADA.

98
DIÁLOGO 2
Situação: NA LOJA.
ALUNO(A) A: COMPRADOR(A)
ALUNO(A) B: VENDEDOR(A)

A: BOM-DIA/ BOA TARDE!


B: BOM-DIA/ BOA TARDE. O-QUE DESEJAR?
A: QUERER IGUAL (apontando para uma blusa).
B: COR? QUAL?
A: COR AZUL.
B: ESPERAR UM-POUCO. V-O-U PROCURAR.
(A vendedora procura, mas não consegue achar e volta)
B: DESCULPAR TER-NÃO. TER OUTR@ VERDE, BRANCO O-U PRETO. VOCÊ PREFERIR
QUAL?

A: VERDE.
B: “G”, “M” O-U “P”?
A: “M”
B: COM-LICENÇA, V-O-U PEGAR.
(Procura e entrega a blusa)
A: BONIT@! QUANTO-CUSTA?
B: R$ 95,00. QUERER EXPERIMENTAR?
A: NÃO, EU DAR PRESENTE AMIG@ ME@.
B: CARTÃO OU DINHEIRO?
A: DINHEIRO.
B: PRONT@!
A: OBRIGAD@.

B: DE-NADA. TCHAU!!

99
TEXTOS COMPLEMANTARES