Você está na página 1de 7

Profª.

ISABEL VEGA AULA 11 PORTUGUÊS

VERBOS I

Quanto à flexão os verbos podem ser REGULARES, IRREGULARES, DEFECTIVOS e


ABUNDANTES.

1) Regulares
Os verbos regulares são aqueles que se flexionam de acordo com o paradigma, modelo que
representa o tipo comum da conjugação. Tome-se, por exemplo, os modelos dos verbos cantar (1ª
conjugação), vender (2ª conjugação) e partir (3ª conjugação).

2) Irregulares
São os que se afastam do paradigma de sua conjugação, como dar, estar, fazer, ser, pedir, ir e vários
outros.

3) Defectivos
São os que não têm a conjugação completa. Os principais são estes:

• todos os verbos impessoais e unipessoais;


• adequar e precaver, que só se conjugam nas formas arrizotônicas;
• computar, que não possui a 1ª, a 2ª e a 3ª pessoa do singular do presente do indicativo e,
consequentemente, todo o presente do subjuntivo e todo o imperativo negativo; do imperativo afirmativo
só possui esta pessoa: computai;
• viger, que só se conjuga nas pessoas que mantêm a vogal temática “e”; é mais usado nas terceiras
pessoas, do singular e do plural. O Vocabulário Ortográfico não contempla a forma “viges”;
• feder e soer, que não possuem a 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e, consequentemente,
todo o presente do subjuntivo e todo o imperativo negativo;
• reaver, derivado de haver, que só se conjuga nas formas em que este conserva a letra “v”;
• abolir, falir e uma série de outros da 3ª conjugação, os quais merecem atenção especial.

Os verbos defectivos da 3ª conjugação assim se apresentam por motivos de eufonia e de


possibilidade de confusão com formas de outros verbos. A língua contemporânea, contudo, manifesta a
tendência de aceitá-los com a conjugação integral, mesmo porque não há nem nunca houve uma lei
especial para excluir da conjugação nenhuma das formas que a gramática tradicional não contempla.

Tornou-se, então, praxe, classificarem-se os verbos defectivos da 3ª conjugação em dois grandes


grupos:
1ª) os que seguem a conjugação de abolir, que não possui a lª pessoa do singular do presente do indicativo
e, consequentemente, todo o presente do subjuntivo e todo o imperativo negativo.

Indicativo, presente: —, aboles, abole, abolimos, abolis, abolem


Imperativo afirmativo: abole, aboli.
Os principais verbos que seguem essa conjugação, segundo a gramática tradicional, são: aturdir,
banir, bramir, brandir, brunir, carpir, colorir (colorar é regular), comedir, delinquir, delir, demolir, descomedir,
desmedir, detergir, disjungir, esculpir, espargir, exaurir, explodir, expungir, extorquir, fremir, fulgir, fundir,
haurir, jungir, insculpir, pungir, refulgir, retorquir, ruir e urgir.
Não há, contudo, na língua contemporânea, como deixar de aceitar as formas bano, carpo, demulo,
esculpo, expludo, fundo e insculpo.
2ª) os que seguem a conjugação de falir, que só se usa nas formas arrizotônicas, não possuindo também
todo o presente do subjuntivo e todo o imperativo negativo.
Indicativo, presente: falimos, falis
Imperativo afirmativo: fali

Os principais verbos que seguem essa conjugação, segundo ainda a gramática tradicional, são:
adimplir, adir, aguerrir, combalir, embair, emolir, empedernir, esbaforir-se, escandir, espavorir, florir, foragir-
se, garrir, rangir, reflorir, remir, renhir, ressarcir, ressequir e transir.
Na língua contemporânea já se veem escando, escandes, etc.; ressarço, ressarces, etc.

4) Abundantes
OBS.: Fonte de “Particípios abundantes”: SACCONI, Luiz Antônio. Nossa Gramática. 25ed. São Paulo: Atual
Ed., 1999.
São os que têm duas ou mais formas equivalentes, geralmente de particípio.
Ex.: havemos e hemos / haveis e heis / acendido e aceso / soltado e solto
Dos particípios, o que termina em “-do” é regular; o outro é irregular.
Os particípios regulares são usados na voz ativa (a), ou seja, com “ter” e “haver”; os irregulares
são empregados na voz passiva (p), ou seja, com “ser”, “estar”, “ficar”, etc. Nem sempre, porém, a língua
contemporânea segue tal norma.

Infinitivo Particípio regular Particípio irregular


aceitar aceitado (a/p) aceito (p)
acender acendido (a) aceso (p)
assentar assentado (a/p) assento (p)
benzer benzido (a) bento (p)
corrigir corrigido (a/p) correto
desenvolver desenvolvido (a/p) desenvolto (p)
dispersar dispersado (a) disperso (p)
distinguir distinguido (a/p) distinto (p)
eleger elegido (a) eleito (a/p)
emergir emergido (a) emerso (p)
encher enchido (a/p) cheio (p)
entregar entregado (a) entregue (p)
envolver envolvido (a/p) envolto (p)
enxugar enxugado (a/p) enxuto (p)
erigir erigido (a/p) ereto (p)
expelir expelido (a/p) expulso (p)
expressar expressado (a/p) expresso (p)
exprimir exprimido (a) expresso (p)
expulsar expulsado (a) expulso (p)
extinguir extinguido (a) extinto (p)
findar findado (a/p) findo (p)
fixar fixado (a/p) fixo (p)
frigir frigido (a) frito (a/p)
fritar fritado (a/p) frito (p)
ganhar ganhado (a, em desuso) ganho (a/p)
gastar gastado (a, em desuso) gasto (a/p)
imergir imergido (a) imerso (p)
imprimir imprimido (a) impresso (p)
inserir inserido (a/p) inserto (p)
isentar isentado (a) isento (p)
juntar juntado (a/p) junto (p)
limpar limpado (a/p) limpo (a/p)
malquerer malquerido (a) malquisto (p)
matar matado (a) morto (p)
misturar misturado (a/p) misto (p)
morrer morrido (a) morto (p)
murchar murchado (a/p) murcho (p)
ocultar ocultado (a/p) oculto (p)
omitir omitido (a/p) omisso (p)
pagar pagado (a, em desuso) pago (a/p)
pegar pegado (a/p) pego (a/p)*
prender prendido (a) preso (p)
romper rompido (a/p) roto (p)
salvar salvado (a) salvo (a/p)
secar secado (a/p) seco (p)
segurar segurado (a/p) seguro (p)
soltar soltado (a) solto (a/p)
submergir submergido (a) submerso (p)
sujeitar sujeitado (a) sujeito (p)
suprimir suprimido (a/p) supresso (p)
suspender suspendido (a) suspenso (p)
tingir tingido (a/p) tinto (p)
vagar vagado (a) vago (p)

*Apenas admitido na língua cotidiana.

OBSERVAÇÕES:

1) Estes verbos e seus derivados só possuem o particípio irregular: abrir/aberto, cobrir/coberto, dizer/dito,
escrever/escrito, fazer/feito, pôr/posto, ver/visto, vir/vindo.

2) Na língua contemporânea quase não se usa ganhado, gastado e pagado; prefere-se o emprego de
ganho, gasto e pago, tanto na voz ativa quanto na voz passiva; o particípio pego (ê) é da língua popular,
assim como chego (tinha chego), falo (tínhamos falo), empregue (tenho empregue), trago (tínhamos
trago).

3) O verbo imprimir, no sentido de produzir movimento, não é abundante.


Ex.: O motorista havia imprimido grande velocidade ao veículo. Foi imprimida grande velocidade ao
veículo.

4) Corrigir é verbo abundante, mas o particípio irregular correto não conservou o significado de corrigir,
já que se usa como sinônimo de isento de erros, certo, apropriado: frase correta, uso correto, conduta
correta, etc.

5) O verbo completar não é abundante; portanto, usa-se o particípio completado, tanto na voz ativa quanto
na voz passiva.
Ex.1: Tinha completado vinte anos naquele dia.
Ex.2: O dinheiro para a compra do televisor foi completado por mim.
FORMAÇÃO DOS TEMPOS SIMPLES

São tempos primitivos: o PRESENTE DO INDICATIVO, o PRETÉRITO PERFEITO DO


INDICATIVO e o INFINITIVO IMPESSOAL.
Para mostrar a valia didática deste processo formativo, tomemos como exemplo os verbos cantar,
vender e partir, e separemos nos seus tempos simples o RADICAL, ou o TEMA (= RADICAL + VOGAL
TEMÁTICA), da TERMINAÇÃO, incluindo nesta o SUFIXO TEMPORAL e a DESINÊNCIA NÚMERO-
PESSOAL.

 Derivados do PRESENTE do INDICATIVO


Do PRESENTE do INDICATIVO formam-se o IMPERFEITO do INDICATIVO, o PRESENTE do
SUBJUNTIVO e o IMPERATIVO.

1) IMPERFEITO do INDICATIVO → É formado pelo radical comum do Presente do Indicativo acrescido


respectivamente das D.M.T. (-va / -ia) e D.N.P.
Obs.: São exceções os verbos ser, ter, vir e pôr , que fazem era, tinha, vinha e punha.

2) PRESENTE do SUBJUNTIVO → Forma-se do radical da 1ª pessoa do Presente do Indicativo,


substituindo-se a desinência –o pelas flexões próprias deste tempo (-e / -a)

Obs.: 1. Dentre todos os verbos da língua apenas os seguintes não obedecem à regra anterior: haver,
ser, estar, dar, ir, querer e saber, que fazem no Presente do Subjuntivo: haja, seja, esteja, dê, vá, queira
e saiba.
2. Os verbos defectivos em que a 1ª pessoa do Presente do Indicativo caiu em desuso não têm
Presente do Subjuntivo.

3) IMPERATIVO → O Imperativo Afirmativo só possui formas próprias de 2ª pessoa do singular e 2ª


pessoa do plural, derivadas das correspondentes do Presente do Indicativo com a supressão do -s final.
Assim:

Presente Imperativo Afirmativo


tu cantas canta tu
tu vendes vende tu
vós partis parti vós

Obs.: 1. Excetua-se o verbo ser, que faz sê (tu) e sede (vós).


2. Costumam perder o -e na 2ª pessoa do singular do Imperativo Afirmativo os verbos dizer, fazer,
trazer e os terminados em -uzir: dize (ou diz) tu, faze (ou faz) tu, traze (ou traz) tu, aduze (ou aduz) tu,
traduze (ou traduz) tu.
As outras pessoas do Imperativo Afirmativo, bem como todas as do Imperativo Negativo, são
supridas pelos equivalentes do Presente do Subjuntivo, com o pronome posposto, quando usado.

 Derivados do PRETÉRITO PERFEITO do INDICATIVO


Os tempos derivados a partir do Pretérito Perfeito do Indicativo são formados do mesmo modo: o
tema acrescido das respectivas D.M.T. e D.N.P. Obtém-se o tema do Pretérito Perfeito suprimindo-se a
desinência da 2ª pessoa do singular ou da 1ª do plural. Assim,
cantaste → tema: canta disseste → tema: disse vieste → tema: vie
São eles:

1) PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO do INDICATIVO → D.M.T. –ra.


Ex.: cantara disseras viéramos

2) PRETÉRITO IMPERFEITO do SUBJUNTIVO → D.M.T. –sse


Ex.: vendesse dissésseis viessem

3) FUTURO do SUBJUNTIVO → D.M.T. –r


Ex.: partires disserdes vierem

Obs.: Embora as suas formas sejam quase sempre idênticas, o Futuro do Subjuntivo e o Infinitivo Pessoal
têm origem diversa, que deve ser conhecida para evitar-se a frequente confusão que se estabelece nos
poucos verbos em que as formas são distintas, como por exemplo nas formas abaixo.
Futuro do Subjuntivo Infinitivo Pessoal
fizer fazer
for ser
souber saber
vier vir
vir ver
quiser querer

 Derivados do INFINITIVO IMPESSOAL


Do Infinitivo Impessoal forma-se o FUTURO do PRESENTE e o FUTURO do PRETÉRITO do
INDICATIVO, o INFINITIVO PESSOAL, o GERÚNDIO e o PARTICÍPIO.

1) FUTUROS do INDICATIVO → O FUTURO do PRESENTE e o FUTURO do PRETÉRITO são formados


pela aglutinação do INFINITIVO do verbo principal às formas reduzidas do PRESENTE e do IMPERFEITO
do INDICATIVO do auxiliar haver: amar + hei, amar + hia (por havia), etc.

Ex. cantar – (h)ei saber – (h)ás querer – (h)á


cantar – (h)íamos saber – (h)íamos querer – (h)iam

Obs.: Não seguem esta regra os verbos dizer, fazer e trazer, cujas formas do Futuro do Presente e do
Pretérito são, respectivamente: direi, diria / farei, faria / trarei, traria.

2) INFINITIVO PESSOAL → D.N.P.: ø / es / ø / mos / des / em


Ex. venderes saberdes quererem

3) GERÚNDIO → Forma-se substituindo o sufixo –r do infinitivo pelo sufixo –ndo.


Ex.: partindo dizendo indo

4) PARTICÍPIO → Forma-se o Particípio regular, substituindo-se o sufixo -r do infinitivo pelo sufixo –do.
Cabe notar que, por influência da vogal temática da 3ª conjugação, a da 2ª passou a -i-:
Ex.: falado sabido colorido
Obs.: Os verbos dizer, escrever, fazer, ver, pôr, abrir, cobrir, vir e seus derivados formam o
PARTICÍPIO irregularmente: dito, escrito, feito, visto, posto, aberto, coberto, vindo. Dos derivados
exclui-se prover, cujo Particípio é provido.

FORMAÇÃO DOS TEMPOS COMPOSTOS


Os tempos compostos da voz ativa são constituídos pelos verbos auxiliares HAVER ou TER
acrescidos do verbo principal no particípio.

 MODO INDICATIVO

1º) PRETÉRITO PERFEITO COMPOSTO → Formado do Presente do Indicativo do verbo ter (o uso de
haver é muito raro, nesse caso) com o particípio do verbo principal.
Ex.: Eu tenho cantado / Nós temos vendido / Eles têm partido

2º) PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO COMPOSTO → Formado do Pretérito Imperfeito do Indicativo


do verbo ter ou haver com o particípio do verbo principal.
Ex.: Tu tinhas cantado / Ele tinha vendido / Vós tínheis partido
Tu havias cantado / Ele havia vendido / Vós havíeis partido

3º) FUTURO do PRESENTE COMPOSTO → Formado do Futuro do Presente Simples do verbo ter ou
haver com o particípio do verbo principal.
Ex.: Eu terei cantado / Tu terás vendido / Ele terá partido
Eu haverei cantado / Tu haverás vendido / Ele haverá partido

4º) FUTURO do PRETÉRITO COMPOSTO → Formado do Futuro do Pretérito Simples do verbo ter ou
haver com o particípio do verbo principal.
Ex.: Nós teríamos cantado / Vós teríeis vendido / Eles teriam partido
Nós haveríamos cantado / Vós haveríeis vendido / Eles haveriam partido

 MODO SUBJUNTIVO

1º) PRETÉRITO PERFEITO COMPOSTO → Só existe a forma composta. Formado do Presente do


Subjuntivo do verbo ter (o uso de haver é raro) com o particípio do verbo principal.
Ex.: (Que) eu tenha cantado / (Que) nós tenhamos vendido / (Que) eles tenham partido

2º) PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO COMPOSTO → Só existe a forma composta. Formado do


Pretérito Imperfeito do Subjuntivo do verbo ter ou haver com o particípio do verbo principal.
Ex.: (Se) ele tivesse cantado / (Se) tu tivesses vendido / (Se) vós tivésseis partido
(Se) ele houvesse cantado / (Se) tu houvesses vendido / (Se) vós houvésseis partido

3º) FUTURO COMPOSTO → Formado do Futuro Simples do Subjuntivo do verbo ter ou haver (menos
usual) com o particípio do verbo principal.
Ex.: (Quando) eu tiver cantado / (Quando) nós tivermos vendido / (Quando) vós tiverdes partido
(Quando) eu houver cantado / (Quando) nós houvermos vendido / (Quando) houverdes partido
 FORMAS NOMINAIS
⬧ INFINITIVO IMPESSOAL COMPOSTO → Formado do Infinitivo Impessoal do verbo ter ou haver com
o particípio do verbo principal.
Ex.: ter cantado / ter vendido / haver partido

⬧ INFINITIVO PESSOAL COMPOSTO → Formado do Infinitivo Pessoal do verbo ter ou haver com o
particípio do verbo principal.
Ex.: teres cantado / termos vendido / haverdes partido

⬧ GERÚNDIO COMPOSTO → Formado do Gerúndio do verbo ter ou haver com o particípio do verbo
principal.
Ex.: havendo cantado / tendo vendido / havendo partido