Você está na página 1de 116

Antonio Nicolau Youssef

Oscar Augusto Guelli

2 º-
ANO
ENSINO
F U N DA M E N TA L
M AT E M ÁT I C A
Material Digital do Professor

Apresentação
Olá, Professor!
Este livro procura fornecer sugestões para o planejamento do cotidiano de suas ações
educativas e apoiar seu trabalho com a Coleção.
O ponto de partida dessas reflexões são os procedimentos que envolvem o planeja-
mento do processo de ensino e de aprendizagem da Matemática.
Essas orientações são apresentadas por bimestre e propomos um trabalho pedagógico
por meio de algumas modalidades organizativas, tais como:
• Plano de Desenvolvimento Anual: organizado por bimestres, contendo objetivos a se-
rem conquistados.
• Projeto: situações em que há propósitos didáticos articulados, com um produto final,
com função social e condições de produção definidas (para quem, para que e para
onde se produzem materiais, jogos, exposições etc.).
• Sequências didáticas: conjunto de atividades ligadas entre si, planejadas para que os
alunos possam aprender um determinado conteúdo.
• Atividades complementares de apoio ao trabalho.
• Sugestões de formas de avaliação da aprendizagem dos alunos.
• Ficha de acompanhamento da aprendizagem dos alunos.
Os procedimentos destacados precisam ser coordenados e articulados entre si, como
também adaptados à sua realidade, para que se possa implementar o plano de ação que
tenha como finalidade o avanço dos conhecimentos de seus alunos.
Esperamos que o material possa auxiliá-lo em sua trajetória como Educador.
Material Digital do Professor
Plano de Desenvolvimento Bimestral
Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre

PÁGINA 1
Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de
Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação

Identificar figuras
Reconhecimento de figuras
geométricas planas,
geométricas planas em imagens ou
considerando algumas
desenhos que representam objetos.
características em comum.
(EF02MA15) Reconhecer, Observação de características das
comparar e nomear figuras Nomear as figuras planas:
LINHAS figuras geométricas planas.
planas (círculo, quadrado, círculo, quadrado, retângulo e Figuras geométricas
Linha reta, linha retângulo e triângulo), por triângulo. planas (círculo, quadrado, Comparação de figuras planas.
curva e linha meio de características Reconhecer figuras retângulo e triângulo): Observação de figuras geométricas
poligonal comuns, em desenhos geométricas planas em reconhecimento e planas em obras de arte.
apresentados em diferentes imagens. características.
Polígonos Elaboração de desenhos de figuras
disposições ou em sólidos
geométricos. Comparar círculo, quadrado, geométricas planas na malha
retângulo e triângulo com quadriculada.
imagens ou desenhos que
Classificação de figuras planas de
representem objetos do
acordo com suas características.
ambiente.
Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
PÁGINA 2
Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de
Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação

(EF02MA01) Comparar e Comparar e ordenar Leitura, escrita, Comparação de números em


ordenar números naturais números, considerando as comparação e determinados grupos, indicando
(até a ordem de centenas) características do sistema de ordenação de números também qual é maior, menor ou igual.
pela compreensão de numeração decimal. de até três ordens
Sequência didática 1 Observação e registro do
NÚMEROS características do sistema Comparar números pela compreensão
Números nos jogos: Batalha da professor nos seguintes
ATÉ O 99 de numeração decimal (valor observando o valor posicional de características do
composição. indicadores:
posicional e função do zero). de determinados algarismos. sistema de numeração
Recordando as decimal (valor posicional Contagem de elementos organizados
(EF02MA02) Registrar o • sobre a atuação dos
dezenas Identificar, por meio de e papel do zero). em agrupamentos, registrando a
resultado da contagem ou alunos em sala de aula;
de comparações entre quantidade correspondente.
Comparação de estimativa da quantidade Composição e
agrupamentos, quais têm • como o aluno atua em
números até o 99 de objetos em coleções de decomposição de Identificação de números, a partir
mais, menos ou a mesma atividades fora da sala de
Cálculo Mental até 1000 unidades, realizada quantidade de elementos. números naturais de adições e subtrações na reta aula;
por meio de diferentes (até 1000). numérica.
Decomposição estratégias. Registrar o total identificado • o cumprimento ou não
de números em agrupamentos, com base Construção de fatos Construção dos fatos básicos da das tarefas;
(EF02MA03) Comparar na contagem dos elementos. fundamentais da adição adição e subtração tendo em vista
Relação entre quantidades de objetos de e da subtração. desenvolver estratégias de cálculo • a participação e o
adição e dois conjuntos, por estimativa Compor e decompor números mental. interesse para resolver
subtração envolvendo unidades e Problemas envolvendo atividades;
e/ou por correspondência
dezenas, com apoio de ábaco diferentes significados Comparação de quantidades, tendo
Aproximações (um a um, dois a dois, entre • a disponibilidade em
ou Material Dourado. da adição e da subtração como apoio o ábaco e o Material
outros), para indicar “tem socialização das suas
Cálculo mental (juntar, acrescentar, Dourado.
mais”, “tem menos” ou Construir os fatos básicos da produções.
separar, retirar). Comparação de quantidades
“tem a mesma quantidade”, adição e subtração tendo em
indicando, quando for o caso, vista usá-los como estratégias Construção de considerando as quantidades com
quantos a mais e quantos a para a realização de cálculos sequências repetitivas e maior, menor ou mesma quantidade
menos. mentais. de sequências recursivas. de elementos.
Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
PÁGINA 3
Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de
Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação
Produção dos alunos nos
(EF02MA04) Compor Desenvolver estratégias seguintes indicadores:
e decompor números pessoais de cálculo mental,
naturais de até três ordens, Identificação de números indicando • explicações orais
a partir dos fatos básicos da
com suporte de material qual é maior ou menor, de acordo com sobre o andamento
adição e subtração.
manipulável, por meio de a quantidade de elementos, ou sua ou o resultado de uma
diferentes adições. Calcular adições e subtrações, representação. atividade desenvolvida
NÚMEROS envolvendo unidades e pela turma;
ATÉ O 99 (EF02MA05) Construir fatos dezenas, com o apoio de Sequência Didática 2
básicos da adição e subtração materiais manipulativos. Números nos jogos: Bingo • registros, utilizando-
Recordando as
e utilizá-los no cálculo mental se de qualquer tipo de
dezenas Composição e decomposição de
ou escrito. Resolver situações- texto, do andamento ou
números em unidades e dezenas.
Comparação de -problema com adições ou dos resultados de uma
números até o 99 (EF02MA06) Resolver e subtrações, envolvendo Identificação Observação de regularidades do atividade;
elaborar problemas de adição unidades e dezenas. de regularidade sistema de numeração decimal no
Cálculo Mental e de subtração, envolvendo de sequências e Testes que podem ser
quadro numérico.
Decomposição números de até três ordens, Resolver situações- determinação de realizados:
com os significados de -problema com adições que elementos ausentes na Sequência Didática 3
de números • individualmente, com ou
juntar, acrescentar, separar, apresentem a ideia de juntar e sequência. Cada ponto vale 10
sem consulta;
Relação entre retirar, utilizando estratégias acrescentar. Identificação de determinados
adição e pessoais ou convencionais. • em duplas ou grupos,
Resolver situações- números a partir de aproximações.
subtração com ou sem consulta;
(EF02MA09) Construir -problema com subtrações
Resolução de problemas utilizando
Aproximações sequências de números que apresentem a ideia de • provas escritas,
estratégias pessoais e de cálculo
naturais em ordem crescente separar e retirar. individuais, em duplas ou
Cálculo mental mental.
ou decrescente a partir em grupo.
Completar sequências
de um número qualquer, Organização de sequências numéricas
de números, a partir de A seção: VERIFIQUE O QUE
utilizando uma regularidade determinados números, a partir de números obtidos por meio
APRENDEU pode ser mais
estabelecida. de adições ou subtrações.
considerando a regularidade um dos recursos para a
apresentada. avaliação da turma no final
de cada unidade.
Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
PÁGINA 4
Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de
Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação

NÚMEROS
ATÉ O 99
Resolução de problemas com adições
Recordando as (EF02MA10) Descrever um Organizar sequências de que envolvem as ideias de juntar e
dezenas padrão (ou regularidade) de números em ordem crescente acrescentar.
sequências repetitivas e de ou decrescente com base
Comparação de Resolução de problemas com
sequências recursivas, por em determinados números,
números até o 99 subtrações que envolvem as ideias de
meio de palavras, símbolos utilizando uma regularidade
Cálculo Mental ou desenhos. separar e retirar.
estabelecida.
Decomposição (EF02MA11) Descrever os Resolução de situações-problema
Descrever regularidades em
de números elementos ausentes em utilizando materiais manipulativos.
sequências repetitivas ou
sequências repetitivas e em recursivas. Descrição de situações observando
Relação entre
sequências recursivas de regularidades repetitivas e recursivas.
adição e Identificar elementos
números naturais, objetos ou
subtração ausentes em sequências. Identificação de elementos ausentes
figuras.
Aproximações de números, objetos ou figuras.

Cálculo mental
Material Digital do Professor
Sequência Didática 1 - Matemática - 2o Ano
Números nos jogos: Batalha da composição

Introdução
Em várias situações do cotidiano da criança, há a presença de números: na identificação
de casas, ruas e automóveis, nos valores de produtos, em diversos tipos de registros e
documentos. Os números, além de suas várias funções, também podem divertir: há uma
grande quantidade de jogos que os utilizam – eles podem estar nos naipes das cartas de
baralho, em tabuleiros, em cartões de loterias, e podem indicar quantidades em algumas
fichas ou nos dados. Além disso, quase sempre é necessário fazer cálculos da pontuação.
Dessa forma, utilizar esse tipo de jogo pode ser uma estratégia válida para o trabalho de
sistematização de alguns conteúdos.

Habilidades da BNCC Duração


(EF02MA01) Comparar e ordenar números naturais (até a ordem de 4 aulas
centenas) pela compreensão de características do sistema
de numeração decimal (valor posicional e função do zero). Materiais
• Cartas numeradas em sequência, com intervalos variados (de 1 a 30, de
Objetivos de ensino e aprendizagem 100 a 150 ou até com centenas e milhares)

• Construir significado do número natural por meio de contagens, medi- Espaço


das, códigos etc., explorados em diversos contextos e situações-proble-
ma e deles se apropriar. Sala de aula.

Objetos de conhecimento Processo de avaliação contínua


• Números ordinais. A avaliação deve ser considerada como um processo contínuo e, nesse
• Contagem, comparação e ordenação de quantidades. processo, é possível propor atividades semelhantes às que foram trabalhadas
em sala de aula. Checar se as crianças conseguem observar o valor posicional
• Leitura e escrita de números. dos números na utilização das cartas para estabelecer uma ordem crescente
ou decrescente e se justificam suas escolhas, tanto durante os jogos quanto
na problematização e sistematização destes.
Sequência Didática 1 - 2o Ano - Números nos jogos: Batalha da composição
Desenvolvimento
Aula 1 • Como podemos organizar as cartas 1 e 7 formando um número?
Comente com os alunos que eles irão jogar a Batalha da composição, • Qual deles é o maior?
jogo que traz como desafio a comparação numérica e o valor posicional.
Provavelmente, eles já conhecem o jogo Batalha simples, que praticamente É importante que os alunos falem livremente e montem as duas possibi-
possui as mesmas regras, o que muda é que as cartas a serem comparadas lidades, no caso, 17 e 71. Em caso de impasse, você pode sugerir o uso de
precisarão ser formadas pelos alunos. Por isso, pergunte se eles conhecem algum recurso, como o quadro numérico ou a fita métrica, para decidir qual
as regras desse jogo e, se algum deles conhecer, peça que comente com os é o maior. Em seguida, para dar continuidade ao jogo, peça que cada aluno
demais como se joga. forme o número maior com as cartas que recebereu e mostre para o grupo o
procedimento utilizado. Depois, os alunos podem comparar entre si e verifi-
Nessa mesma conversa, você pode retomar as regras do jogo, que car quem tem o número maior da rodada.
são bastante simples: Outra possibilidade é você jogar contra a classe ou fazer pequenos agru-
1. Organize os alunos em duplas e divida as cartas entre eles, de forma pamentos a fim de explicar de forma mais individualizada. Se preferir, você
que cada um fique com o mesmo número de cartas. pode conciliar mais de uma estratégia.

2. Cada um ficará com um monte, com as cartas viradas para baixo.


Aula 2
3. Para jogar, cada um utilizará as duas primeiras cartas de seu mon-
te, formando o número maior possível com os dois algarismos, por Dê continuidade ao jogo, porém proponha variadas situações em que os
exemplo, se as cartas forem 6 e 7, os jogadores deverão juntá-las alunos possam jogar em duplas. Durante as partidas, circule pela sala obser-
para formar a maior dezena: com esses números, é possível formar vando como jogam e como decidem qual é o número maior, pois os possíveis
67 e 76; portanto, devem formar o número 76. impasses e as indecisões poderão servir para discutir coletivamente depois.
4. Depois, os jogadores devem comparar o número que formaram com Em outras rodadas, explore as possibilidades com os alunos:
o do oponente. O que tiver o número maior fica com todas as cartas
e as reserva em outro monte. • Eu tirei um 2 e um 5, o que devo fazer com essas cartas?
• Posso colocar em qualquer ordem esses números?
5. Ganha o jogo quem tiver mais cartas. Em caso de empate, as próxi-
mas cartas servirão para decidir o ganhador. • Vocês tiraram o número maior, o que fazemos agora?
• Eu tirei o número maior, o que fazemos com as nossas cartas?
Para uma melhor compreensão, a primeira rodada poderá ser feita coleti- • Quem fica com as cartas depois que as comparamos?
vamente: distribua duas cartas para cada aluno e peça que formem o maior • Quem ganhou o jogo? Como sabemos disso?
número possível com elas. Se preferir, para exemplificar, escolha duas cartas
e trabalhe a composição com os alunos, perguntando-lhes:
Sequência Didática 1 - 2o Ano - Números nos jogos: Batalha da composição
Aula 3 Atividades complementares
Nesta aula, pretende-se que os alunos consigam jogar Batalha da com- A seguir, organize os alunos, novamente, em duplas ou trios, e proponha
posição com mais propriedade. Solicite que formem o maior número com as problemas como os exemplos a seguir:
cartas que tiraram e sejam capazes de descobrir qual é o maior dentre os que
cada jogador formou. Durante as jogadas é muito importante problematizar 1. QUAL O MAIOR NÚMERO QUE JULIANA E PEDRO PODEM
as respostas dadas, levantar e discutir as hipóteses formuladas. FORMAR PARA GANHAR ESTA RODADA DA BATALHA DA
Ao final das jogadas, organize uma roda de conversa sobre os desafios en- COMPOSIÇÃO?
contrados no decorrer do jogo. Nessa discussão coletiva, os alunos começam JULIANA
a elaborar suas ideias sobre a comparação de números e o valor posicional.
Algumas perguntas podem contribuir com esse momento, por exemplo:

• João tirou 3 e 4 e formou o número 34. Ele formou o maior número?


Não? Por quê? Como ficaria o maior?
1 8
• Quando tiramos duas cartas, como convém ordená-las? Por quê?
• Comparando 43 e 65, João disse que o número maior é 65 porque
esse número vem depois durante a contagem. Vocês concordam com
ele? Quem pensa diferente? Por quê?
• Alguém usou outro recurso para ajudar a descobrir o número maior? PEDRO

Tente fazer com que todos participem dando sua opinião, mostrando dife-
rentes estratégias para discutir o número maior: usando recursos de consulta;
visualizando o número e imediatamente dizendo qual é o maior; recorrendo à
sequência oral ou ,ainda, recorrendo à posição dos algarismos, ou seja, alguns
3 5
alunos podem dizer que se começa com 4, esse 4 vale quarenta, ou começa
com “quarenta e...”, e, se começa com 5, vale 50, ou começa com “cinquenta
e...”; e 50 é maior que 40.
Muitas ideias interessantes podem surgir com essa socialização, por isso, é
importante registrá-las em um cartaz para que, ao longo do desenvolvimento
desse trabalho, ele possa ser preenchido, retomado e reavaliado. Esse cartaz
pode ser fixado na parede da sala para que, pouco a pouco, os alunos possam
QUEM GANHOU A RODADA?
completá-los com suas novas formulações.
Sequência Didática 1 - 2o Ano - Números nos jogos: Batalha da composição
2. VEJA NA TABELA A SEGUIR AS CARTAS QUE JOÃO TIROU: 3. MARIANA E SABRINA JOGARAM QUATRO PARTIDAS DA BATALHA
DA COMPOSIÇÃO.
NÚMEROS NÚMERO A. PINTE AS CARTAS DA GANHADORA EM CADA RODADA:
PARTIDA
SORTEADOS FORMADO
MARIANA SABRINA
1 2E5 25

2 3E2 32 1
8 1 8 3
3 4E8 84

4 9E7 79
2
9 1 5 9
5 1E5 15

A. VOCÊ ACHA QUE JOÃO CONSEGUIU FORMAR O MAIOR


NÚMERO COM AS CARTAS QUE TIROU?
3
4 8 2 8

B. FAÇA UM X SOBRE OS NÚMEROS FORMADOS INCORRETOS E, 4


7 6 6 7
AO LADO, CORRIJA ESCREVENDO QUAL É O MAIOR NÚMERO
POSSÍVEL COM AS CARTAS SORTEADAS.
B. QUAL DAS DUAS JOGADORAS CONSEGUIU FORMAR O MAIOR
NÚMERO MAIS VEZES?
Sequência Didática 1 - 2o Ano - Números nos jogos: Batalha da composição
O foco das propostas é a reflexão sobre a posição que cada algarismo ocu- Enfim, verifique o progresso da turma nas variadas situações e decida o
pa no número, bem como a comparação entre eles. Para isso, é importante tempo didático destinado ao jogo. Além disso, avalie como os alunos reagem
eleger números que comecem com o mesmo algarismo, que têm algarismos diante de números com três algarismos:
em posição trocada e algarismos invertidos. Com essa diversidade, espera-se
que os alunos avancem em suas análises, nos procedimentos, além de possi- • utilizaram as mesmas estratégias usadas anteriormente;
bilitar uma rica discussão a respeito dos conteúdos trabalhados. • conseguiram usar uma mais econômica;
Ao refletir sobre o contexto do jogo durante a atividade – que é diferente • conseguiram formar o maior número possível e comparar, entre
de jogar –, os alunos são desafiados a explicitar os pensamentos feitos duran- outros.
te as partidas e avançar em seus conceitos matemáticos.
A socialização das respostas dadas nessas atividades é de suma importân-
cia, porque, ao explicarem sua estratégia, contribuem para mostrar um novo
recurso de pensamento possível aos demais. Por isso, mais que corrigir as Verificação da aprendizagem
propostas, definindo-as como certas ou erradas, permita que os alunos expo-
nham suas ideias e formas de resolver os problemas. É esperado que no final do trabalho desenvolvido, os alunos tenham cria-
do estratégias para comparação numérica, entre elas, de dizer que a quan-
tidade e a posição ocupada pelos algarismos influenciam para a descoberta
do número maior. Você pode ainda avaliar a postura de seus alunos diante do
Aula 4 - Rodada de avaliação jogo e das discussões realizadas após as partidas:
Nesta aula, sugerimos que você avalie os alunos, observando se eles con-
• Jogam com mais autonomia?
seguem usar as mesmas ou outras estratégias com números de intervalos
diferentes. • Usam outro recurso para apoiar a decisão sobre o número maior?
Proponha duas seções de jogo e observe se: • Participam das discussões coletivas?
• Avançaram em relação às estratégias empregadas?
• a maioria dos alunos participa das discussões coletivas;
• eles conseguem recorrer a outros recursos para decidir o número Convide os alunos a jogar no site Escola Games, disponível em:
maior; <http://www.escolagames.com.br/jogos/batalhaNumeros/>.
• não ficam estagnados em momentos de dificuldade. Acesso em: 2 jan. 2018.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 2 - Matemática - 2o Ano
Números nos jogos: Bingo

Introdução
Esta sequência didática tem como objetivo fazer com que as crianças avancem, pro-
gressivamente, na interpretação e produção de números escritos apoiando-se no conhe-
cimento que possuem da escrita convencional dos números redondos.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA01) Comparar e ordenar números naturais (até a ordem de • Cartões numerados de 1 a 99
centenas) pela compreensão de características do sistema • Saquinho opaco para guardar os cartões
de numeração decimal (valor posicional e função do zero). • Tabelas individuais com os números trabalhados
• Quadro numérico por trio ou quarteto
Objetivos de ensino e aprendizagem • Lápis para marcar os números sorteados
• Interpretar e produzir escritas numéricas, inicialmente observando os nú-
meros naturais e, em seguida, compreendendo as regras do sistema de Espaço
numeração decimal.
Sala de aula.
Objetos de conhecimento Processo de avaliação contínua
• Números ordinais.
A avaliação deve acompanhar todo o desenvolvimento da sequência e o
• Contagem, comparação e ordenação de quantidades. professor deve estar atento ao avanço progressivo das crianças no que se
• Leitura e escrita de números. refere à leitura e à escrita de números. Como atividade avaliativa pode-se
propor atividades semelhantes às desenvolvidas durante a sequência, como
Duração uma cartela com alguns números sorteados, que devem ser escritos na pró-
pria tabela. Também é importante observar e promover situações em que as
4 aulas crianças justifiquem suas escolhas no momento da escrita.
Sequência Didática 2 - 2o Ano - Números nos jogos: Bingo
Desenvolvimento
Aula 1 Aula 2
Apresente o jogo aos alunos. Por ser um jogo de domínio público, pode Nesta aula você apresentará variações do Bingo. Com isso, dará início
ser que alguns alunos já o conheçam e saibam como jogá-lo. Esta é uma boa ao trabalho com os problemas matemáticos. O objetivo é fazer com que os
oportunidade para que se exercite o protagonismo, oferecendo àqueles que alunos consigam encontrar o número “cantado” sem contar com o apoio da
queiram a oportunidade de explicar o jogo. escrita do número na lousa.
Proponha algumas partidas com o intuito de demonstrar como jogar e Divida a turma em duplas. Os alunos deverão utilizar as cartelas da aula
proporcionar que os alunos joguem com autonomia. Esse número pode variar anterior, ou, se julgar conveniente, cartelas com números maiores que 100.
de acordo com o entendimento dos alunos. Relembre as regras e combine com os alunos que eles devem ficar atentos
A seguir, comece a sequência utilizando, em vez da cartela convencional aos números que forem sorteados e, caso tenham esse número em sua car-
de bingo, uma tabela individual como o modelo a seguir. Os números devem tela, marquem-no com um X. A dupla que marcar todos os números de sua
ser dispostos considerando a posição no quadro numérico, os demais espaços cartela ganha o jogo.
ficam em branco. Produzir tabelas individuais com números diferentes. Você pode fazer intervenções importantes no desenrolar da atividade se
perceber que alguns alunos apresentam dificuldade. Nesses casos, retome al-
0 3 6 guns conhecimentos que a turma já possui sobre os números em outros con-
textos, como calendário e datas escritas diariamente na lousa, entre outros.
19
• Outra possibilidade é discutir, ao final de cada rodada, estratégias
20 possíveis, pensando em qual é mais adequada para cada um dos nú-
meros sorteados. Você pode orientá-los fazendo perguntas como: Se
30 eu “cantar” o número 76, será rápido contar de um em um? E se eu
ditar 6? É sempre possível obter ajuda consultando a data na lousa?
Que pistas podemos obter do quadro numérico para sabermos em
que linha está o número que procuramos? (Está na linha que inicia
55 com 70, por exemplo).
• Uma possibilidade é criar cartazes com “dicas” formuladas a partir
66 das respostas apresentadas pelos alunos, deixando-os em lugares vi-
síveis na sala.
73

88

91

Uma aula é suficiente para que joguem e conheçam o jogo.


Sequência Didática 2 - 2o Ano - Números nos jogos: Bingo
Aula 3 Uma aula (ou quantas você julgar necessárias) pode ser usada para discutir
os problemas propostos nesta etapa. Algumas questões que podem nortear
Dê continuidade ao trabalho com as regularidades do sistema de nume- esta discussão são:
ração decimal, com o intuito de os alunos se orientarem para registrar os
números “cantados” e realizar o controle dos números sorteados. Para isso, • Como se saíram na tarefa de anotador? Acharam fácil ou difícil? Por
você pode propor que usem um quadro numérico para controlar os números quê?
sorteados nas rodadas do Bingo. • Como fizeram para encontrar os números no quadro?
Uma sugestão para esta etapa é organizar os alunos em trios ou quarte- • O que poderíamos dizer para um aluno de outra turma que precise
tos, sendo um deles escolhido para marcar na tabela os números sorteados. ser o anotador durante um jogo de Bingo? Que dicas poderíamos dar
Ao final do jogo, ele poderá conferir se todos os números marcados na cartela a ele para que marque os números na tabela rapidamente e no lugar
do ganhador foram mesmo sorteados. É possível jogar mais de uma rodada correto?
na mesma aula, substituindo o anotador para que todos possam ocupar esse
papel. Você pode propor, também, ao longo desta etapa, novos problemas.
Você pode propor o seguinte: No jogo de Bingo costuma-se utilizar uma Assim como na etapa anterior, seria interessante organizar os alunos em du-
tabela para controlar quais números foram sorteados. Utilize o quadro a se- plas ou trios para garantir maior circulação e confronto de ideias. Além disso,
guir para anotar os números sorteados a cada rodada. é preciso ler cada problema coletivamente e, se for preciso, retomar a leitura
com algumas duplas.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Atividades complementares
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 A seguir, apresentamos algumas sugestões que podem contribuir com
este momento da sequência. Você pode utilizá-las como estão ou fazer alte-
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
rações (por exemplo, na magnitude dos números, na quantidade de proble-
mas propostos etc.) considerando os conhecimentos de sua turma.
31 32 33 34 35 36 37 38 39 40

41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 1. LUCAS SORTEOU O NÚMERO 36, MAS NÃO SABIA LÊ-LO. JULIANA


SE PROPÔS A AJUDÁ-LO E ANOTOU 30, DIZENDO: “ESSE É O
51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 TRINTA E AJUDA A LER O 36”.
EM SEGUIDA, LUCAS SORTEOU O 86. QUAIS DOS NÚMEROS A
61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 SEGUIR AJUDAM A LER ESSE NÚMERO?

71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 10 20 30 40 50
DEZ VINTE TRINTA QUARENTA CINQUENTA
81 82 83 84 85 86 87 88 89 90
60 70 80 90 100
91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 SESSENTA SETENTA OITENTA NOVENTA CEM
Sequência Didática 2 - 2o Ano - Números nos jogos: Bingo
2. JULIANA SORTEOU O NÚMERO 67, MAS NÃO SABIA LÊ-LO. VOCÊ
Verificação da aprendizagem
SABE QUE NÚMERO É ESSE? A PROFESSORA DE JULIANA FEZ A É esperado que ao final desta sequência os alunos estejam resolvendo
SEGUINTE ANOTAÇÃO NA LOUSA: com mais desenvoltura problemas envolvendo os números de 1 a 100 em di-
ferentes contextos, identificando regularidades presentes na série numérica
66 67 68 para interpretar e produzir números.
SESSENTA E SEIS SESSENTA E OITO O próprio desempenho dos alunos no Bingo pode ser um indicador da
aprendizagem deles. Organize uma pauta de avaliação com alguns indica-
ESSA INFORMAÇÃO AJUDA VOCÊ A SABER COMO SE LÊ ESSE dores que irão auxiliá-lo a verificar o avanço de cada aluno. Os indicadores
NÚMERO? podem ser:

• Jogam com autonomia?


• Encontram os números rapidamente, tanto no quadro numérico
3. RITA TIROU O NÚMERO 32 DO SAQUINHO E LEU: “VINTE E TRÊS”. como nas cartelas do jogo de Bingo?
VOCÊ ACHA QUE ELA O LEU CORRETAMENTE? LIGUE CADA • Quando convidados a escolher os números para marcar em suas car-
NÚMERO A SEU NOME: telas, escolhem números variados, de grandezas diferentes?
32 VINTE E TRÊS • Ocupam com tranquilidade tanto o papel de quem marca como de
quem canta as peças?
• Grafam os números até 100 em variadas situações?
23 TRINTA E DOIS
Analisando esses aspectos será possível identificar quais foram as apren-
dizagens do grupo e os investimentos que ainda são necessários para que os
Proponha esses problemas aos poucos, de modo a garantir sempre uma alunos avancem ainda mais nos conteúdos relativos ao sistema de numeração
rodada de socialização das estratégias utilizadas, o confronto e intercâmbio decimal.
de ideias e a institucionalização de alguns conceitos.
Para incentivar o uso dos meios digitais, apresente o seguinte endereço
aos alunos e oriente-os a jogar com a orientação dos pais ou responsáveis:
Click Jogos. Bingo. Disponível em:
<http://www.clickjogos.com.br/Jogos-online/Puzzle/Bingo/>.
Acesso em: 2 jan. 2018.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 3 - Matemática - 2o Ano
Números nos jogos: Cada ponto vale 10

Introdução
Ao longo da escolaridade é esperado que as crianças avancem no que se refere às es-
tratégias de cálculo. Para tanto, o professor irá oferecer situações em que o grupo seja
desafiado a usar cálculos conhecidos para resolver outros mais complexos. Esta sequência
utiliza-se do jogo para que as crianças construam e ampliem o repertório aditivo e de
subtração.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA05) Construir fatos básicos da adição e subtração e utilizá-los • Dados
no cálculo mental ou escrito. • Folhas de papel para anotar pontos

Objetivos de ensino e aprendizagem Espaço


Sala de aula.
• Memorização de cálculos que auxiliem na resolução de problemas.

Objetos de conhecimento Processo de avaliação contínua


Ao longo da sequência, o professor deverá observar o quanto os alunos
• Cálculo mental.
avançam nas estratégias de cálculo para adição e subtração utilizando outros
• Fatos básicos da adição e da subtração. cálculos já conhecidos (+10, –10), regularidades e se durante a sistematização
e socialização das estratégias apresentam argumentos condizentes ao que
Duração está sendo trabalhado.
4 aulas
Sequência Didática 3 - 2o Ano - Números nos jogos: Cada ponto vale 10
Desenvolvimento
Aula 1 que quando sai o número 4 anotam 40”. Anote no quadro: 4 e 40 e pergun-
te: “Qual a relação entre o quatro e o quarenta? Por que há um quatro no
Organize a turma em grupos de quatro alunos e distribua dois dados para quarenta?”.
cada grupo. Explique que eles jogarão a Cada ponto vale 10: neste jogo, cada
aluno lança os dois dados, levando em conta que cada ponto do dado vale 10,
e diz o resultado, considerando a soma obtida nos dois dados. Anota-se 10
pontos para o jogador que obtiver a maior soma.
Aula 2
A proposta para esta aula pode ser apresentada como uma continuação
Para fazer o cálculo da proposta da aula anterior, mas se o tempo de atenção dos alunos não for
• Para calcular o total de pontos, as crianças costumam utilizar diferen- suficiente, recomenda-se fazê-la em outro momento.
tes procedimentos: algumas contam nos dedos (ou com tracinhos)
até dez, depois até vinte; outras, contam de dez em dez, e outras, • Usando os registros feitos na Aula 1, peça aos alunos que, em peque-
ainda, dizem o resultado de imediato. nos grupos, montem colunas separando os cálculos que lhes parecem
• Ofereça a elas a possibilidade de realizar esses cálculos usando papel fáceis e os que parecem mais difíceis. É provável que muitos digam
como apoio, pois pode ser muito complexo, para boa parte delas – fa- que “todos são fáceis”, por isso, é necessário garantir, antecipada-
zer mentalmente essas operações. mente, um espaço para compartilhar entre todos o que chamam de
• Os alunos deverão realizar um registro de todos os cálculos e, após 5 “fáceis” e de “difíceis”. Espera-se que considerem como fáceis aque-
rodadas, poderão decidir quem foi o vencedor. les que podem ser resolvidos de forma rápida e difíceis aqueles que
• Com essa proposta pretende-se que os alunos construam um re- precisem “pensar mais” ou que não podem resolver tão rapidamente.
pertório aditivo com somas; por exemplo, de 60: 40 + 20; 30 + 30; • É uma condição para essa atividade que todos do grupo estejam de
50 + 10. Ao final da partida, peça que cada grupo registre em um car- acordo; portanto, não basta resolvê-los, será necessário explicar os
taz os diferentes cálculos que fizeram durante a partida. Esse cartaz procedimentos que utilizaram.
pode ser fixado na parede, ou cada aluno pode fazer esses registros
em seu caderno. Entre os procedimentos que podem aparecer no debate, veremos que al-
guns alunos irão contar desde o 1, outros irão somar a partir do 10 e outros
Observe as estratégias utilizadas pelos alunos e, depois de várias roda- poderão dizer: “Como eu sei que 4 + 5 é 9, então, 40 + 50 é 90”. Se os alunos
das, proponha um momento de discussão. Pergunte: “Quando saem quatro não atentarem para essa questão, pode-se perguntar qual é mais fácil: 10 +
pontos, o que vocês marcam?” Formule perguntas semelhantes para outros 60 ou 60 + 10? É provável que aqueles que contam de 10 em 10 digam que é
números. Em seguida, proponha uma discussão para que eles reflitam sobre mais fácil o segundo, e aqueles que resolvem esse cálculo como uma exten-
o aspecto multiplicativo da organização do sistema de numeração decimal e são de 1 + 6 e 6 +1 digam que ambos são igualmente simples de resolver.
relacionem com a interpretação aditiva desse número. “Vocês me disseram
Sequência Didática 3 - 2o Ano - Números nos jogos: Cada ponto vale 10
Aula 3 3. QUE RELAÇÕES É POSSÍVEL ESTABELECER ENTRE ESSES
Para a atividade desta aula, a proposta é o trabalho com a resolução de CÁLCULOS?
problemas que simulam situações apresentadas no jogo. Por exemplo:

1. INDIQUE QUE PONTUAÇÃO MARIELA ANOTOU DEPOIS DE CADA


LANÇAMENTO DOS DADOS:

DADOS TOTAL
Giz de Cera

Atividades complementares
As atividades da sequência não foram pensadas como aulas seguidas, mas
como momentos. A partir do que for observado no grupo, em razão de seus
conhecimentos prévios e dos avanços alcançados, é possível tomar distintas
decisões: fazer as atividades 1 e 2 em um mesmo dia, em dias sucessivos, e,
às vezes, voltar a realizar a atividade 1 após a atividade 2 para que os alunos
possam implementar algumas das estratégias discutidas.
Para contribuir para que os alunos desenvolvam possibilidades de “contro-
lar” os resultados obtidos em certas contas, pode-se trabalhar com a aproxi-
mação das parcelas somadas à dezena mais próxima, por meio de propostas
como as seguintes.

1. OBSERVE AS SOMAS DESTACADAS. EM SEGUIDA, MARQUE O


Em outras propostas, é possível apresentar os cálculos de forma descon- NÚMERO QUE MAIS SE APROXIMA DO RESULTADO CORRETO:
textualizada. Por exemplo:
62 + 35 90 100 120
2. COMPLETE OS SEGUINTES CÁLCULOS:

70 + = 130

70 + = 120
48 + 134 170 180 200
70 + = 110
Sequência Didática 3 - 2o Ano - Números nos jogos: Cada ponto vale 10
Situações para explorar relações numéricas NO DE
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Além de apresentar diversas atividades de cálculo, é desejável que algu- SANDUÍCHES
mas propostas permitam que os alunos estabeleçam relações e regras em
que possam se apoiar para resolver novos cálculos. Dessa maneira, é provável NO DE PÃES 2 4 6
que ampliem o repertório aditivo e subtrativo. Por exemplo:

2. PREENCHA A TABELA E DEPOIS, COM UM COLEGA, PENSEM EM


DICAS QUE DARIAM A OUTRO COLEGA PARA QUE PUDESSE
RESOLVER OS CÁLCULOS O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL, SEM FAZER NO DE
A CONTA. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
PESSOAS

NO DE
+10 –10 +100 –100 3 6
SANDUÍCHES
245 45

150 370 Verificação da aprendizagem


Espera-se que os alunos desenvolvam possibilidades de “controlar” os re-
759 709
sultados obtidos em certas contas e utilizem como recurso a aproximação das
parcelas somadas à dezena mais próxima.
26 98
Ao final do trabalho, solicite aos alunos que, reunidos em grupos, produ-
zam cartazes com as conclusões que foram tiradas por eles ao longo dessas
Nas adições e subtrações como as propostas na tabela ou com +20, +200, propostas. É conveniente considerá-las como parte das conquistas alcança-
–20, –200, os alunos poderão chegar a conclusões como: “Se somo 10, au- das por todo o grupo. Dessa forma, esses cálculos estarão sempre disponí-
menta 1 no algarismo das dezenas; se somo 100, aumenta 1 no algarismo das veis e, diante de novas situações, é possível pedir aos alunos que consultem
centenas”, e assim por diante. essas conclusões e avaliar se eles as estão considerando quando resolvem
problemas.
É possível propor, também, que os alunos completem tabelas proporcio-
nais elaboradas com base em outros problemas que foram resolvidos ante-
riormente. A partir delas, é possível criar espaços de discussão sobre as rela-
ções entre os números envolvidos que permitam chegar a conclusões como:
“Para completar as tabelas, demos saltos de 2 em 2, de 3 em 3...”; “Dentro de
cada tabela sempre somamos o mesmo número”.
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
Questões
1. JULIANA MISTUROU ALGUNS CARTÕES NUMERADOS E AGORA 2. JULIO FOI VISITAR SEU AVÔ, QUE MOSTROU A ELE SUA COLEÇÃO DE
PRECISA ORGANIZAR OS CARTÕES DO MENOR PARA O MAIOR. MOEDAS ANTIGAS. QUANTAS MOEDAS TEM A COLEÇÃO? MARQUE UM
VAMOS AJUDÁ-LA, ESCREVENDO-OS NA ORDEM? (X) NA RESPOSTA CORRETA.

Milosz Bartoszczuk/Shutterstock
63
23
45
56

32

77

ORDEM CORRETA:

A. 24 MOEDAS
B. 30 MOEDAS
         
C. 36 MOEDAS
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
3. JOÃO MONTOU VÁRIAS CESTAS DE FRUTAS PARA PRESENTER SUAS 5. AJUDE MARINA A COMPLETAR OS CÁLCULOS, PREENCHENDO OS
TIAS, MAS ELAS NÃO SÃO IGUAIS. OBSERVE AS CESTAS E AJUDE-O A QUADRADINHOS:
RESPONDER:
CESTA 1 CESTA 2

Giz de Cera
Giz de Cera

QUAL CESTA TEM MAIS FRUTAS?

QUANTAS FRUTAS A MAIS?

QUANTAS FRUTAS HÁ AO TODO NAS DUAS CESTAS?


6. LIGUE DUAS PEÇAS DE DOMINÓ DE FORMA QUE A SOMA DE TODOS
4. QUAL A QUANTIDADE REPRESENTADA NO ÁBACO? OS SEUS PONTOS SEJA 10:
MARQUE A RESPOSTA CORRETA.

Giz de Cera
a. 61
b. 16
c. 70

DEZENAS UNIDADES
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
7. AS TRÊS CLASSES DO 2o ANO DA ESCOLA DE MARIA IRÃO A UMA 10. PAULO SEGUIU UM PERCURSO LONGO PARA PODER PEGAR SEU
EXCURSÃO AO MUSEU DA CIDADE. O 2o A TEM 31 ESTUDANTES, SKATE, CONFORME A FIGURA 1. AJUDE PAULO A CHEGAR EM CASA,
O 2o B, 33 E O 2o C, 32. QUANTOS ESTUDANTES IRÃO AO MUSEU? SEGUINDO O PERCURSO MAIS CURTO
FAÇA O CÁLCULO E DEPOIS MARQUE A RESPOSTA CORRETA:

Giz de Cera
A. 96
B. 90
C. 65

8. LUÍS E MARCOS CONVIDARAM 24 AMIGUINHOS DA SUA CLASSE PARA


SEUS ANIVERSÁRIOS. SÓ FORAM À FESTA 13 AMIGUINHOS. QUANTOS
FALTARAM? FAÇA O CÁLCULO E MARQUE A RESPOSTA CORRETA.
Adolar

11. COMPLETE O PERCURSO, AJUDANDO LUCAS A ENCONTRAR A BOLA:

A. 24
B. 37 31 28 26 25 23 22
C. 11

9. MARIANA GANHOU 45 BALAS NAS BRINCADEIRAS QUE PARTICIPOU 11 13 14 16 17 19


NA ESCOLA. ELA DEU 20 PARA SUA MÃE. DEPOIS MARIANA AINDA
GANHOU MAIS 8 BALAS DA SUA AVÓ. COM QUANTAS BALAS ELA
FICOU? 9 7 4 3

Giz de Cera
ELA FICOU COM BALAS
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
12. FAÇA UMA ESTIMATIVA DA MASSA DE CADA ANIMAL, LIGANDO-OS À 14. PREENCHA A CRUZADINHA COM O NOME DA CADA FIGURA:
SUA MASSA APROXIMADA:
Sunghee.Kang/
Shutterstock

60 kg

Giz de Cera
CACHORRO
Volga/Shutterstock

20 kg

CAPIVARA
Photodisc

1 000 kg
15. VOCÊ RECONHECE UM TRIÂNGULO? QUANTOS TRIÂNGULOS HÁ NESTA
FIGURA? MARQUE A RESPOSTA CORRETA:

GIRAFA

13. AS CRIANÇAS RESOLVERAM MEDIR SUAS MASSAS NUMA BALANÇA.


QUEM TEM A MAIOR MASSA? MARQUE A RESPOSTA CORRETA:

Giz de Cera
a. 61
b. 16
c. 70
Giz de Cera

A. 2 TRIÂNGULOS
PAULO CIRO MARCO JOSÉ B. 4 TRIÂNGULOS
17 kg 15 kg 14 kg 16 kg
C. 5 TRIÂNGULOS
Material Digital do Professor
Gabarito
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre
Questão 1 Questão 3
(EF02MA01) Comparar e ordenar números naturais (até a ordem de (EF02MA03) Comparar quantidades de objetos de dois conjuntos, por
centenas) pela compreensão de características do sistema estimativa e/ou por correspondência (um a um, dois a dois,
de numeração decimal (valor posicional e função do zero). entre outros), para indicar “tem mais”, “tem menos” ou
“tem a mesma quantidade”, indicando, quando for o caso,
Resposta correta: 23, 32, 45, 56, 63, 77. quantos a mais e quantos a menos.
Comentários da questão: Para alunos com dificuldade, pode-se utilizar car-
tões marcados com os números apresentados acima (ou outros), de forma a Resposta correta: QUAL CESTA TEM MAIS FRUTAS? CESTA 2.
ordená-los. Na ordenação, o quadro com números até o 100 pode ajudar na QUANTAS FRUTAS A MAIS? 2 FRUTAS.
percepção de qual aparece primeiro. QUANTAS FRUTAS HÁ AO TODO NAS DUAS CESTAS? 18 FRUTAS.
Comentários da questão: Caso algum aluno criança apresente dificuldade,
Questão 2 você poderá retomar a questão com ilustrações de cada cesta, montando um
(EF02MA02) Registrar o resultado da contagem ou estimativa da quadro, como por exemplo:
quantidade de objetos em coleções de até 1000 unidades,

Giz de Cera
realizada por meio de diferentes estratégias. 1a

Resposta correta: letra B) 30 MOEDAS.


2a
Comentários da questão: Embora os alunos ainda não lidem com a multipli-
cação, a ideia aqui é a soma de parcelas repetidas, que pode ajudar na conta-
gem de um número maior de objetos. O aluno pode contar as moedas uma a Também é importante retomar os termos “a mais” e “a menos”, e para a to-
uma ou contatar que nas fileiras há sempre a mesma quantidade de moedas talização das frutas, pode-se anotar acima de cada uma a quantidade, para
(6) que se repete 5 vezes, podendo para isso, calcular: 6 + 6 + 6 + 6 + 6 = 30. depois somar as duas parcelas.
Outra opção é contar a fileira e marcar a quantidade encontrada ao seu lado
e assim sucessivamente até a totalização da contagem.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre - Gabarito
para que ela possa ir pensando e registrando cada soma. Chama-se a atenção
Questão 4 para a propriedade comutativa, quando usamos o material manipulativo, em
que 3 + 7 ou 7 + 3 tem como resultado 10, ou seja, se mudarmos os números
(EF02MA04) Compor e decompor números naturais de até três
de lugar, o resultado não se altera. Já na situação apresentada, com o preen-
ordens, com suporte de material manipulável, por meio de
chimento prévio de alguns quadrinhos, isso não acontece. Outros resultados
diferentes adições.
podem ser explorados também.
Resposta correta: letra A) 61.
Comentários da questão: Pode-se usar o Material Dourado e o ábaco e simu-
Questão 6
lar várias situações. O importante é a percepção da representação de cada
(EF02MA05) Construir fatos básicos da adição e subtração e utilizá-los
conta quando ocupa o lugar das dezenas, ou seja, a compreensão das caracte-
no cálculo mental ou escrito.
rísticas do sistema de numeração decimal. Pode-se marcar em cima de cada
haste do ábaco a quantidade de contas. Resposta correta:

Questão 5
(EF02MA05) Construir fatos básicos da adição e subtração e utilizá-los
no cálculo mental ou escrito.

Resposta correta: 20
10 + 10 = 20
5 + 5 + 3 +7 = 20
5+ 3 + 2 + 1 + 2 + 7 = 20 Comentários da questão: Para crianças que tiveram dificuldades, pode-se
usar peças de um Jogo de Dominó. Nesse caso, as peças que formam 10 são
Comentários da questão: A situação envolve os fatos básicos para vários separadas, formando “fatos de 10”. Outras somas podem ser incentivadas. O
resultados, em especial o “20” e o “10”. O uso de palitos de sorvete pode registro no caderno ajuda no trabalho de reforço dos fatos.
ajudar no caso de dificuldades. Apresenta-se à criança 20 palitos de sorvete,
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre - Gabarito
Comentários da questão: O professor pode simular a subtração com a ideia
Questão 7 de acrescentar na própria sala de aula, com os alunos, visando à compreensão
da operação. Nem sempre os alumos representam essa situação por meio de
(EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração,
24 – 13 = 11. Muitas vezes, também aparece o registro: 13 + 11 = 24, justamen-
envolvendo números de até três ordens, com os
te a ideia de “com 13, quanto falta para completar 24?” ou “ao 13, preciso
significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
acrescentar mais 11 para completar o total de amiguinhos”.
utilizando estratégias pessoais ou convencionais.

Resposta correta: letra A) 96. Questão 9


Outros registros ou cálculos que mostrem o percurso de resolução também
(EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração,
devem ser considerados, como a conta abaixo do enunciado do problema.
envolvendo números de até três ordens, com os
Comentários da questão: O professor pode simular a adição com a ideia de significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
juntar na própria sala de aula, com os alunos, visando à compreensão da ope- utilizando estratégias pessoais ou convencionais.
ração, para, posteriormente, ampliar para as quantidades indicadas na situa-
ção. Para o caso de dificuldade no alinhamento dos números para a realização Resposta correta: ELA FICOU COM 33 BALAS.
do cálculo, pode-se usar papel quadriculado. Outros registros ou cálculos que mostrem o percurso de resolução também
devem ser considerados, como a conta abaixo do enunciado do problema.
Questão 8 Comentários da questão: O professor pode simular a subtração com a ideia
de retirar e a adição com a ideia de acrescentar, usando material manipula-
(EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração,
tivo, como tampinhas, visando à compreensão da ideia das operações, na
envolvendo números de até três ordens, com os
sucessão de acontecimentos do problema (ganhar, dar, ganhar). Incentive os
significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
estudantes a marcar ou descrever o que foi acontecendo no problema, como
utilizando estratégias pessoais ou convencionais.
“Mariana ficou com 25 balas, após dar as balas para sua mãe e depois ganhou
Resposta correta: letra C) 11. mais 8 balas e eu fiz assim, 25 + 8”.
Outros registros ou cálculos que mostrem o percurso de resolução também
devem ser considerados, como a conta abaixo do enunciado do problema.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre - Gabarito
Resposta correta:
Questão 10
31 30 29 28 27 26 25 24 23 22
(EF02MA12) Identificar e registrar, em linguagem verbal ou não verbal, 21
a localização e os deslocamentos de pessoas e de objetos
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
no espaço, considerando mais de um ponto de referência,
e indicar as mudanças de direção e de sentido. 10
9 8 7 6 5 4 3 2 1
Resposta correta:
Comentários da questão: Brincadeiras de contar ao contrário podem ajudar
as crianças com mais dificuldade. Essa brincadeira pode ser realizada nas fi-
Giz de Cera

leiras da sala, em que a sequência se inicia com o primeiro da fila e o segundo


diz o próximo número da sequência e, assim, sucessivamente. Essa sequência
trabalha a ordem decrescente. As sequências trabalhadas oralmente devem
ser registradas no caderno.

Questão 12
(EF02MA17) Estimar, medir e comparar capacidade e massa,
utilizando estratégias pessoais e unidades de medida não
padronizadas ou padronizadas (litro, mililitro, cm3, grama e
Comentários da questão: Pode-se desenhar o quadriculado no chão do pátio quilograma).
ou da própria sala de aula e praticar os deslocamentos com os estudantes.
Só não é possível andar na diagonal, nesta atividade. Pratique caminhos mais Resposta correta: CACHORRO = 20 kg
longos e mais curtos. Progressivamente, é possível adicionar mais pontos de CAPIVARA = 60 kg
referência.
GIRAFA = 1 000 kg
Questão 11 Comentários da questão: Em caso de dificuldade, pode-se realizar uma
pesquisa na internet, envolvendo curiosidades sobre os animais. Há baralhos
(EF02MA09) Construir sequências de números naturais em ordem do tipo “Batalha” que trazem várias curiosidades sobre animais, como peso,
crescente ou decrescente a partir de um número qualquer, média de vida, altura, em que se joga, escolhendo um atributo para competir
utilizando uma regularidade estabelecida. com seu oponente.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre - Gabarito
Comentários da questão: O trabalho com materiais de arte ajuda bastan-
Questão 13 te os estudantes no reconhecimento das figuras, como desenhar com tinta,
carimbar faces de sólidos geométricos, observar alguns quadros, formar al-
(EF02MA17) Estimar, medir e comparar capacidade e massa,
gumas figuras usando palitos de sorvete ou barbante e o uso de Geoplano.
utilizando estratégias pessoais e unidades de medida não
padronizadas ou padronizadas (litro, mililitro, cm3, grama e
quilograma). Questão 15
Resposta correta: letra A) PAULO. (EF02MA15) Reconhecer, comparar e nomear figuras planas
(círculo, quadrado, retângulo e triângulo), por meio de
Comentários da questão: Em caso de dificuldade, pode-se sugerir que os
características comuns, em desenhos apresentados em
alunos organizem as crianças da ilustração, do menos pesado para o mais pe-
diferentes disposições ou em sólidos geométricos.
sado ou vice-versa.
Cuidado apenas ao trabalhar mais pesado e menos pesado com os alunos, Resposta correta: letra C) 5 TRIÂNGULOS.
usando uma balança em sala para pesá-los. A situação pode levar ao bullying. Comentários da questão: Algumas crianças ainda têm dificuldade de visuali-
Uma boa forma de comparação pode ser por meio dos animais ou objetos e zar triângulos que aparecem numa posição diferente do convencional, como
seus pesos.

Questão 14
.
(EF02MA15) Reconhecer, comparar e nomear figuras planas
O Tangran (antigo jogo chinês formado por figuras geométricas) pode divertir
(círculo, quadrado, retângulo e triângulo), por meio de
e, ao mesmo tempo, auxiliar nessa visualização, permitindo também manipu-
características comuns, em desenhos apresentados em
lar as peças, percebendo suas formas, números de lados, além de nomeá-las
diferentes disposições ou em sólidos geométricos.
e contá-las.
Resposta correta:

RETÂNGULO

TRIÂNGULO

QUADRADO

CÍRCULO
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre

1o BIMESTRE
ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 1o BIMESTRE TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 1o Bimestre

ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 1 BIMESTRE
o
TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
Assinalar com X os acertos e ao final registrar o número de acertos.
Diante do que foi proposto e do que era esperado, avaliar o aluno de acordo com a legenda ao lado.
LEGENDA:
IMPORTANTE: Lembrar que a avaliação do aluno deve ser composta com outras atividades co- A - Atingiu satisfatoriamente o objetivo
tidianas (em grupo, duplas etc.), desempenho nas Sequências Didáticas, autoavaliação e demais P - Atingiu parcialmente o objetivo
atividades complementares que permearam o bimestre. N - Não atingiu o objetivo
Material Digital do Professor
Plano de Desenvolvimento Bimestral
Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre

PÁGINA 1

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação

(EF02MA01) Comparar e Ler e escrever números até a


ordem das centenas. Sequência Didática 4
ordenar números naturais Leitura, escrita, comparação Jogo dos cartões.
(até a ordem de centenas) Compor e decompor números e ordenação de números
pela compreensão de envolvendo unidades, dezenas e de até três ordens Ampliação do conhecimento de
características do sistema centenas, com apoio do Material pela compreensão de números e ordem numérica . Observação e registro do
AS CENTENAS de numeração decimal (valor Dourado e ábaco. características do Sistema professor nos seguintes
Leitura e escrita, comparação e
posicional e função do zero). de Numeração Decimal indicadores:
As centenas Compor e decompor números ordenação de números até as
e o Material (EF02MA02) Registrar o (valor posicional e centenas. • sobre a atuação dos
por meio de diferentes adições.
Dourado resultado da contagem ou papel do zero). alunos em sala de aula;
Fazer contagem formando Composição e decomposição de
Comparação de estimativa da quantidade grupos.
Composição e decomposição números em unidades, dezenas e • como o aluno atua em
centenas de objetos em coleções de de números naturais centenas. atividades fora da sala
até 1000 unidades, realizada Identificar centenas exatas. (até 1 000). de aula;
Adição de por meio de diferentes Identificação de diferentes
números com Relacionar os agrupamentos com Construção de fatos formas de representar a mesma • o cumprimento ou não
estratégias.
três algarismos a escrita dos números. fundamentais da adição e da quantidade. das tarefas;
(EF02MA03) Comparar subtração.
Fazendo Comparar e ordenar números Exploração de diferentes • a participação e
quantidades de objetos de
estimativas até a ordem das centenas Problemas envolvendo procedimentos de contagem. interesse para resolver
dois conjuntos, por estimativa
considerando as características diferentes significados atividades;
Subtração com e/ou por correspondência do sistema de numeração da adição e da subtração Compreensão das regularidades
números de (um a um, dois a dois, entre
decimal. (juntar, acrescentar, separar, presentes no sistema de • a disponibilidade em
três algarismos outros), para indicar “tem retirar). numeração decimal. socialização das suas
mais”, “tem menos” ou Constatar regularidades na produções.
“tem a mesma quantidade”, escrita de números. Construção de sequências Utilização de materiais
indicando, quando for o caso, repetitivas e de sequências manipulativos ou imagens
Representar uma mesma como recurso de ensino e
quantos a mais e quantos a quantidade com diferentes recursivas.
menos. aprendizagem.
formas de registro.
Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre
PÁGINA 2

Objetivos de ensino e Objetos de


Temas Habilidades Prática pedagógica Formas de avaliação
aprendizagem conhecimento
(EF02MA04) Compor e Utilização dos sinais
decompor números naturais de Compreender “maior que”, matemáticos de maior que (>)
até três ordens, com suporte de “menor que”. e menor que (<).
material manipulável, por meio Produção dos alunos nos
Compreender as trocas no Conceituação de maior que e
de diferentes adições. seguintes indicadores:
sistema de numeração decimal. menor que.
(EF02MA05) Construir fatos • explicações orais sobre o
Construir fato básico da adição. Sequência Didática 5
básicos da adição e subtração e andamento ou o resultado de
AS CENTENAS Ensinando a estimar.
utilizá-los no cálculo mental ou Utilizar o fato básico da adição uma atividade desenvolvida pela
As centenas escrito. no cálculo mental ou escrito e Construção dos fatos básicos turma;
na resolução de problemas. Identificação da adição e subtração tendo
e o Material (EF02MA06) Resolver e de regularidade em vista usá-los como • registros, utilizando-se de
Dourado. elaborar problemas de adição Construir o fato básico da de sequências e estratégia no cálculo mental e qualquer tipo de texto, do
Comparação de e de subtração, envolvendo subtração. determinação de resolução de problemas. andamento ou dos resultados de
centenas. números de até três ordens, elementos ausentes uma atividade.
Utilizar o fato básico da
com os significados de juntar, na sequência. Explicitação dos
Adição de subtração no cálculo mental Testes que podem ser realizados:
acrescentar, separar, retirar, procedimentos utilizados para
números com ou escrito e na resolução de Coleta, classificação
utilizando estratégias pessoais resolver problemas. • individualmente com ou sem
três algarismos. ou convencionais. problemas. e representação de
Validação dos resultados consulta;
Realizar cálculo mental. dados em tabelas
Fazendo (EF02MA09) Construir obtidos nos fatos e resolução
simples e de dupla • em duplas ou grupos, com ou
estimativas. sequências de números Fazer estimativas. de problemas.
entrada e em gráficos sem consulta;
Subtração com naturais em ordem crescente Resolver problemas. de colunas. Desenvolvimento de
ou decrescente a partir de um • provas escritas, individuais, em
números de estratégias pessoais de cálculo duplas ou em grupo.
três algarismos. número qualquer, utilizando uma Desenvolver estratégias e resolução de problemas.
regularidade estabelecida. pessoais de cálculo mental e A seção: VERIFIQUE O QUE
resolução de problemas. Desenvolvimento do raciocínio APRENDEU pode ser mais um dos
(EF02MA10) Descrever um
Resolver situações-problema lógico. recursos para a avaliação da turma
padrão (ou regularidade) de
sequências repetitivas e de com adições e subtrações Sequência Didática 6 no final de cada unidade.
sequências recursivas, por com números até a ordem das Resolução de problemas para
meio de palavras, símbolos ou centenas. ampliar o conhecimento com
desenhos. operações do campo aditivo.
Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre
PÁGINA 3

Objetivos de ensino e Objetos de


Temas Habilidades Prática pedagógica Formas de avaliação
aprendizagem conhecimento

AS CENTENAS
As centenas e o
Material Dourado
(EF02MA11) Descrever os Identificar o padrão de
Comparação de Exploração de situações em
elementos ausentes em regularidade de uma sequência
centenas que apareçam situações de
sequências repetitivas e em numérica recursiva.
sequência e seriação.
Adição de números sequências recursivas de Ordenar elementos de uma
com três algarismos números naturais, objetos ou Reconhecimento de padrões de
sequência recursiva em ordem
figuras. regularidade, em sequências.
Fazendo estimativas crescente ou decrescente.
Subtração com
números de três
algarismos
Material Digital do Professor
Sequência Didática 4 - Matemática - 2o Ano
Jogo dos cartões

Introdução
Esta sequência propõe um jogo com cartões em que os alunos deverão ler, comparar e
ordenar números de até três algarismos. Com isso, espera-se que ampliem o conhecimento
sobre o Sistema de Numeração em uma situação lúdica e condizente com suas experiências.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA01) Comparar e ordenar números naturais (até a ordem de • Para cada dupla de alunos, três cartões, com algarismos diferentes (por
centenas) pela compreensão de características do sistema exemplo: 5, 8 e 1) e 12 cartões em branco (podem ser confeccionados pe-
de numeração decimal (valor posicional e função do zero). los alunos em cartolina).

Espaço
Objetivos de ensino e aprendizagem
Sala de aula, com os alunos organizados em duplas.
• Leitura, composição e comparação de números de três algarismos.
Processo de avaliação contínua
Objeto de conhecimento
A avaliação deve ser permanente e levar em consideração os conhecimen-
• Leitura, escrita, comparação e ordenação de números de até três ordens tos apresentados pelos alunos ao longo do processo, tanto no que se refere
pela compreensão de características do sistema de numeração decimal à resolução dos exercícios quanto às propostas de sistematização e sociali-
(valor posicional e papel do zero). zação das estratégias que serão feitas durante a sequência. Na avaliação, é
preciso estar atento às contribuições trazidas pelos alunos nos subgrupos
Duração (duplas ou trios) e para o grupo todo que demonstrem o quanto avançaram
4 aulas em suas ideias sobre o sistema de numeração decimal lendo e comparando
números de até três algarismos.
Sequência Didática 4 - 2o Ano - Jogo dos cartões
Desenvolvimento
Aula 1 - Apresentando o trabalho • O registro no caderno, dessas primeiras descobertas, é muito impor-
Para esta aula, entregue os cartões numerados para cada aluno e peça que tante para que você possa acompanhar os avanços do seu grupo e
organizem os números com dois ou três algarismos, mas sem repeti-los. Após quais estratégias eles utilizam no início da sequência e quais eles pas-
essa organização, peça que socializem quais números montaram e registre- sarão a utilizar no final da sequência. Além disso, esse registro deve
-os na lousa para que todos possam ver. Faça comentários atentando para os se configurar como uma fonte de consulta permanente para os alu-
números citados: quais foram iguais e quais foram diferentes, pois alguns alu- nos, que pode ser frequentemente retomada para incluir novas des-
nos poderão organizar os cartões apenas com números de dois algarismos. cobertas ou substituir ideias pouco econômicas.

Proponha novamente o jogo dos cartões, mas desta vez, ao final da par-
85 18 tida, os alunos deverão ordenar os números que formaram e registrá-los no
81 caderno.

58 158 185 815 Nesta etapa, os alunos enfrentarão um novo desafio: além de montar os
15
números, terão de organizá-los em ordem crescente e decrescente. Saber
518 ordenar os números do menor para o maior ou do maior para o menor é um
581
recurso importante a ser utilizado por eles nos momentos em que precisam
851
comparar números de diferentes magnitudes.

JOGO DOS CARTÕES


Aula 2 - Novas jogadas
NÚMEROS SORTEADOS        
Proponha que repitam o mesmo jogo da primeira etapa, apresentando
agora outros números. Ao final, faça uma discussão coletiva sobre as estra- NÚMEROS FORMADOS
tégias que eles utilizaram para formar os números e peça que registrem as ORGANIZE OS NÚMEROS FORMADOS DO MENOR PARA O MAIOR.
descobertas no caderno.
Sequência Didática 4 - 2o Ano - Jogo dos cartões
Atividade complementar Verificação da aprendizagem
Repita o jogo outras vezes, alternando ora com ordenação em ordem cres- Para esta etapa, organize os alunos em duplas e entregue cartões com dois
cente, ora em ordem decrescente. algarismos. Peça que montem um número que seja o maior possível. Depois,
entregue outro cartão com um algarismo e proponha uma nova organização:
JOGO DOS CARTÕES
• Como montar o maior número possível? E o menor? O que vocês per-
cebem quando mudamos os algarismos de lugar?
NÚMEROS SORTEADOS        
A partir dessas problematizações, avalie as contribuições das crianças em
NÚMEROS FORMADOS
relação ao conhecimento que evidenciam sobre o valor posicional dos alga-
ORGANIZE OS NÚMEROS FORMADOS DO MENOR PARA O MAIOR. rismos e, desse modo, o avanço que tiveram sobre a organização do sistema
de numeração decimal.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 5 - Matemática - 2o Ano
Ensinando a estimar

Introdução
Fazer estimativas contribui de modo significativo para a construção e desenvolvimento
do raciocínio lógico, na realização de antecipações e, consequentemente, na resolução de
problemas da vida cotidiana, pois auxilia a tomada de decisão. Partindo desses pressupos-
tos, esta sequência propõe situações em que os alunos deverão fazer estimativas baseadas
em conhecimentos prévios sobre cálculos de adição e subtração e justificar suas ações.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA05) Construir fatos básicos da adição e subtração e utilizá-los • Cartolinas coloridas
no cálculo mental ou escrito.
Espaço
Objetivos de ensino e aprendizagem Sala de aula, alunos em grupos grandes e em pequenos grupos.

• Antecipação e controle de resultados de cálculos. Processo de avaliação contínua


• Estimativa de resultados sem calcular a resposta exata.
A avaliação deve ser contínua e fundamentada em pautas de observação
que considerem o quanto os alunos fazem boas estimativas para resolver al-
Objeto de conhecimento guns cálculos. Para tanto, o professor pode propor situações semelhantes às
• Construção de fatos fundamentais da adição e da subtração. vivenciadas em sala de aula e também considerar o que for dito nos momen-
tos de sistematização e socialização dos exercícios.
Duração
4 aulas
Sequência Didática 5 - 2o Ano - Ensinando a estimar
Desenvolvimento
Aula 1 - Estimativa Explique ao grupo, após a reflexão sobre algumas dessas questões, fa-
zendo registros individuais ou em duplas, que o que estão fazendo chama-se
Proponha aos alunos que respondam oralmente, sem fazer conta armada, estimativa.
as questões a seguir:

1. O RESULTADO DE 335 + 285 É MAIOR OU MENOR DO QUE 600? Aula 2 - Problematizações


2. O RESULTADO DE 678 – 304 É MAIOR OU MENOR QUE 400? Inicie esta aula com a socialização dos registros produzidos na aula ante-
rior e explique que irão construir um texto coletivo para dar dicas sobre como
3. O RESULTADO DE 767 – 343 É MAIOR OU MENOR QUE 400? fazer cálculos estimados, isto é, como poderão saber se a quantia de dinheiro
que possuem é suficiente para fazer uma compra que desejam sem usar a
4. O RESULTADO DE 529 + 353 É MAIOR OU MENOR QUE 600? calculadora. Explique que o registro com as respostas serão socializados no
mural para que todos possam recorrer a ele em outras situações.
Oriente-os a só começar a responder quando todos já tiverem a resposta. “A mãe de Amanda deu a ela 20 reais para comprar seu lanche na cantina
Nesse momento, peça que expliquem como pensaram cada caso e registre da escola. Amanda quer comprar um salgado que custa 6 reais, um suco que
no quadro as diferentes estratégias. Oriente-os a copiarem esses registros custa 4 reais e um bombom que custa 1 real. Ela tem a quantidade de dinheiro
no caderno. suficiente para fazer essa compra? Como vocês fizeram para chegar a essa
conclusão?”
Entre as estratégias que apresentarem, espera-se que utilizem conheci-
mentos que já possuem em relação a regularidades do sistema de numeração
decimal. Um exemplo desse tipo de raciocínio é:
Aula 3
• “Como 300 + 200 = 500, então, 335 + 285 é maior que 600”. Nesta aula, organize os alunos em duplas e levante a seguinte situação
problema:
A partir dessas contribuições, apresente ao grupo o conceito de esti-
mativa e dê exemplos cotidianos de quando empregamos essa estratégia.
UM COLEGA DE OUTRA TURMA DO 2o ANO GOSTARIA DE
Apresente situações com números bem conhecidos pelo grupo, como: “Você SABER SE O CÁLCULO 240 + 190 É MAIOR OU MENOR
quer comprar algumas coisas na padaria, um sorvete que custa 4 reais, uma DO QUE 400. PARA CHEGAR A UMA CONCLUSÃO, ELE
bala que custa 1 real e um suco que custa 6 reais. Quanto de dinheiro você UTILIZOU OUTROS CÁLCULOS CONHECIDOS, PENSANDO
precisa levar?”; “Em uma compra de mercado, como podemos saber a quan- DA SEGUINTE FORMA: “EU SEI QUE 200 + 100 = 300, ENTÃO
tidade de dinheiro levar sem fazer a soma de cada produto?”; “O que pode- O RESULTADO É MENOR DO QUE 400”.
mos observar nas somas que podem nos ajudar a chegar mais próximo ao
valor exato”?
Sequência Didática 5 - 2o Ano - Ensinando a estimar
A seguir, pergunte ao grupo se concordam com esse raciocínio, se a estra- Com essa sequência de atividades, espera-se consolidar e ampliar as es-
tégia foi boa e peça para conferirem o resultado em uma calculadora. tratégias empregadas pelos alunos a fim de encontrar resultados mais exa-
tos. Para tanto, é importante que eles justifiquem suas respostas e que essa
Construa um registro coletivo com dicas para que possam fazer outras
discussão seja registrada individual e coletivamente para futuras consultas.
estimativas. Nesse momento, é importante chamar a atenção para a impor-
Destaque, na discussão, como cálculos já conhecidos podem auxiliar em ou-
tância dos cálculos conhecidos para auxiliar na resolução de novos cálculos.
tros que o grupo ainda não conhece, por exemplo: se sabemos que 5 + 5 = 10,
A partir dessa discussão, apresente aos alunos outros exercícios que os esse cálculo pode apoiar no conhecimento de 4 + 5 ou 6 + 5.
levem a refletir sobre o arredondamento e quantidade de algarismos que o
resultado pode apresentar, como:
Verificação da aprendizagem
29 + 85; 130 + 128; 46 + 17.
Para este momento, apresente exercícios semelhantes aos realizados du-
Também é interessante apresentar cálculos que envolvam mais de uma rante a sequência. Espera-se que os alunos evidenciem as estratégias para
parcela e subtrações, como: realizar cálculos estimados, como a utilização de cálculos já conhecidos para
62 + 25 + 100; 12 + 21 + 17; 46 – 23; 84 – 20. apoiar novos, por exemplo:
“Caio ganhou de mesada 50 reais para comprar um brinquedo. Ele quer
um carrinho que custa 28 reais e um super-herói que custa 22. O dinheiro que
Atividade complementar o Caio ganhou é suficiente para comprar os brinquedos? Como ele pode ter
essa informação sem o uso da calculadora?”
A partir das aulas anteriores, apresente novos cálculos para os alunos re-
solverem utilizando a estratégia da estimativa.
Com os alunos organizados em duplas, proponha que observem as contas
apresentadas a seguir e marquem com um X o resultado que considerarem
mais próximo do correto. Depois, peça que utilizem a calculadora para verifi-
car os resultados:

A. 20 + 12 =
(  ) 55     (  ) 35    (  ) 85
B. 82 + 25 =
(  ) 62     (  ) 100    (  ) 97
C. 46 + 17 =
(  ) 50    (  ) 60     (  ) 70
Material Digital do Professor
Sequência Didática 6 - Matemática - 2o Ano
Resolução de problemas para ampliar o conhecimento com operações do campo aditivo

Introdução
No cotidiano, os alunos têm contato com diferentes situações-problema que envolvem co-
nhecimento matemático para resolvê-las. Esta sequência apresenta algumas situações para
que resolvam e compartilhem as estratégias empregadas. Com isso, poderão compreender
que existem muitas possibilidades para encontrar um resultado e, ao compará-las, perceberão
quais são mais rápidas, quais ajudam a chegar a resultados mais precisos etc.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração, • Lápis
envolvendo números de até três ordens, com os • Papel
significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
utilizando estratégias pessoais ou convencionais. Espaço
Sala de aula, com os alunos organizados em duplas e em quartetos.
Objetivos de ensino e aprendizagem
• Resolução de problemas do campo aditivo que envolvam as ideias: juntar, Processo de avaliação contínua
comparar, acrescentar, perder e completar. Estabeleça um processo contínuo de avaliação com uma pauta de obser-
vação em que se possa aferir o quanto os alunos, gradativamente, resolvem
Objeto de conhecimento problemas do campo aditivo e avançam nas estratégias para resolvê-los. Você
pode propor atividades avaliativas com problemas similares aos desenvolvi-
• Problemas envolvendo diferentes significados da adição e da subtração
dos em sala e observar a resolução dos mesmos e as reflexões (discussão e
(juntar, acrescentar, separar, retirar).
sistematização) sobre as estratégias de resolução.
Duração
3 aulas.
Sequência Didática 6 - 2o Ano - Operações do campo aditivo
Desenvolvimento
Aula 1 - Apresentando a proposta Aula 2 - Trabalho em quartetos
A seguir, apresentamos problemas envolvendo ideias do campo aditivo Organize os alunos em quartetos e oriente-os a resolver os problemas a
e multiplicativo para serem propostos ao longo desta Unidade de trabalho. seguir a partir das estratégias que utilizaram para resolver os problemas da
Proponha os dois primeiros problemas com os alunos organizados em duplas. primeira aula.
Acompanhe o trabalho dos alunos durante as resoluções, analise os proce-
dimentos de resolução apresentados, escolha alguns para compartilhar e 3. JOÃO TEM DOIS ÁLBUNS DE FIGURINHAS: UM ÁLBUM DE
organize discussões em torno das estratégias utilizadas. ANIMAIS COM 91 FIGURINHAS COLADAS E UM ÁLBUM DE
Se julgar necessário, você poderá alterar os números propostos (aumen- FUTEBOL COM 39 COLADAS. QUANTAS FIGURINHAS HÁ NOS DOIS
tando-os ou diminuindo-os) no problema, de modo que atendam melhor às ÁLBUNS JUNTOS?
necessidades do seu grupo de alunos.
4. NO ÁLBUM DE FIGURINHAS DE ANIMAIS DE PEDRO, CABEM 200
1. TIAGO TINHA 89 FIGURINHAS, ANTES DE DAR 36 A SEU IRMÃO. FIGURINHAS E JÁ FORAM COLADAS 68 FIGURINHAS. QUANTAS
COM QUANTAS FIGURINHAS TIAGO FICOU? FIGURINHAS AINDA FALTAM PARA PEDRO COMPLETAR O ÁLBUM?

2. TIAGO TAMBÉM COLECIONA SELOS. ELE TEM 90 SELOS, SENDO 5. ESTELA COMPROU 5 GIBIS E PAGOU R$ 2,00 EM CADA UM.
QUE 29 NÃO SÃO DO BRASIL. QUANTOS SELOS BRASILEIROS ELE QUANTO ELA GASTOU NO TOTAL?
POSSUI?
6. UMA LANCHONETE VENDE 20 SANDUÍCHES POR DIA, QUANTOS
Converse com a turma a respeito das formas de resolver os problemas e ELA VENDERÁ EM TRÊS DIAS?
organize um painel com as diferentes estratégias de resolução.
Sequência Didática 6 - 2o Ano - Operações do campo aditivo
Aula 3 - Retomando as estratégias do grupo Verificação da aprendizagem
Nesta aula, procure identificar os modos de resolução apresentados pe- Proponha outros problemas do campo aditivo como lição de casa. Para
los alunos e se eles começam a encontrar soluções mais econômicas (como corrigi-los, você pode pedir que um corrija o problema resolvido pelo outro,
a sobrecontagem, o agrupamento, o arredondamento) e abandonam as mais ou que dê uma sugestão de outro modo de solucionar o problema, mesmo se
trabalhosas (como contar nos dedos, fazer desenhos ou pauzinhos). Escolha o colega tenha resolvido corretamente.
dois problemas da lista e faça uma tabulação utilizando a tabela a seguir. Essa
Com esse trabalho, espera-se que os alunos avancem em suas concepções
tabela trará indicadores de quais estratégias precisam ser mais discutidas e
sobre as operações do campo aditivo.
utilizadas pelos alunos.
Os indicadores podem ser:
Nome e quantidade de alunos Procedimento utilizado
• Indicam correções para os colegas de resolução de cálculo?
Desenhos • Compreendem a estratégia utilizada pelo colega para resolver um
problema?
Risquinhos
• Indicam estratégias diferentes aos colegas de resolução do problema?
Cálculo mental

Sobrecontagem (contar a
partir de um dos números dos
problemas)

Números

Outros
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre
Questões
1. DONA OLGA EM SUA PADARIA ORGANIZA OS DOCES EM CAIXAS COM QUANTOS BRIGADEIROS MIGUEL CONTOU NO ESTOQUE?
100 UNIDADES EM CADA UMA. CONTORNE 5 CENTENAS:
a. 230
b. 234
c. 134
Giz de Cera

3. OBSERVE A SEQUÊNCIA ABAIXO E COMPLETE OS DOIS PRÓXIMOS


TERMOS DA SEQUÊNCIA.

200 205 210 215 220 225


2. MIGUEL TRABALHA NA PADARIA DA DONA OLGA E ESTÁ FAZENDO
UM CONTROLE DA QUANTIDADE DE BRIGADEIROS QUE TEM NO 4. NOS ÁBACOS A SEGUIR ESTÁ O TOTAL DE PONTOS OBTIDO POR
ESTOQUE. CADA CAIXA CHEIA CONTÉM 100 BRIGADEIROS. BEATRIZ E JOAQUIM EM UM JOGO. QUEM FEZ MAIS PONTOS?
Giz de Cera

a. BEATRIZ
b. JOAQUIM
c. DEU EMPATE.
C D U C D U

BEATRIZ JOAQUIM
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre
5. AMANDA MISTUROU ALGUNS CARTÕES NUMERADOS E AGORA 8. ANA ESTAVA NO SÍTIO DA SUA AVÓ LIA E FOI AJUDÁ-LA A CONTAR OS
PRECISA ORGANIZAR OS CARTÕES DO MENOR PARA O MAIOR. OVOS DA BANDEJA, QUE TINHAM PELA MANHÃ NA COZINHA.
VAMOS AJUDÁ-LA, ESCREVENDO-OS NA ORDEM?

Jiri Hera/Shutterstock
423 327
596

945
767 932

DEPOIS DE CONTAR OS OVOS DA BANDEJA, ANA DESCOBRIU QUE


ORDEM CORRETA: HAVIAM MAIS 5 OVOS. SUA AVÓ PEDIU PARA ELA IR AO GALINHEIRO
VERIFICAR SE HAVIAM MAIS OVOS. CHEGANDO LÁ AS GALINHAS
HAVIAM BOTADO MAIS 3 OVOS, ANA OS RECOLHEU E LEVOU PARA
A COZINHA.
AO CONTAR TODOS OS OVOS QUAL FOI A QUANTIDADE OBTIDA
POR ANA?
6. PAULA AO JOGAR OS TRÊS PRIMEIROS DARDOS DO JOGO DOS a. 18
DARDOS OBTEVE 37 PONTOS. SEU ÚLTIMO DARDO CAIU NA CASA DO
NÚMERO 7. AO FINAL DA PARTIDA, QUAL FOI O TOTAL DE PONTOS
b. 20
OBTIDO POR PAULA? c. 8
a. 34
9. GABRIEL TRABALHA NA PAPELARIA DO SENHOR MIGUEL E ELE
b. 44 PRECISAVA CONTAR QUANTAS CANETAS TINHAM NO ESTOQUE. AO
c. 54 CONTAR ELE DESCOBRIU QUE HAVIAM 70 CANETAS. MAS O SENHOR
MIGUEL PEDIU PARA CONTAR AS CANETAS QUE ESTAVAM NAS
7. LUCAS TEM 38 BOLINHAS DE GUDE E COLOCOU-AS EM UMA SACOLA PRATELEIRAS DA PAPELARIA, ENTÃO GABRIEL CONTOU QUE HAVIAM
PARA LEVAR PARA A CASA DE SUA AVÓ MARIA. QUANDO CHEGOU 27 CANETAS. QUAL É O TOTAL DE CANETAS QUE HÁ NA PAPELARIA?
NA CASA DE SUA AVÓ ELE PERCEBEU QUE A SACOLA ESTAVA FURADA
E HAVIA PERDIDO 5 BOLINHAS. QUANTAS BOLINHAS DE GUDE
a. 77
RESTARAM COM LUCAS? b. 97
a. 35 c. 87
b. 23
c. 33
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre
10. PATRÍCIA TEM 150 REAIS E AO CHEGAR NA PAPELARIA TINHA O AGORA VAMOS ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES DE ACORDO COM A
SEGUINTE CARTAZ: QUANTIDADE DE ESTUDANTES:

a. NÚMERO DE MENINAS:
Giz de Cera
b. NÚMERO DE MENINOS:

c. PINTE OS QUADRADINHOS DE ACORDO COM O QUE VOCÊ


60 RE AIS 25 RE AIS
OBSERVOU E CONTOU:
a. SE ELA COMPRAR APENAS O LIVRO, QUANTOS REAIS
VÃO RESTAR?

b. E SE ELA COMPRAR APENAS O KIT DE CANETINHAS. QUANTO


IRÁ RESTAR?

c. E SE ELA RESOLVER COMPRAR OS DOIS? QUANTOS REAIS


IRÃO RESTAR?

Adolar
11. OBSERVE A REPRESENTAÇÃO DE UMA SALA DE AULA DO 2O ANO.
Giz de Cera
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre
12. OBSERVE A SEQUÊNCIA ABAIXO E COMPLETE OS TRÊS PRÓXIMOS 15. JÚLIA AO LONGO DO ANO CONSEGUIU ECONOMIZAR 122 REAIS DE
TERMOS DA SEQUÊNCIA. SUA MESADA. ELA DESEJA COMPRAR UMA BONECA. SUA AVÓ AO
SABER DISSO, RESOLVEU LHE DAR 20 REAIS. JÚLIA ENTÃO JUNTOU
TODO O DINHEIRO.
200 195 190 185 180

canbedone/Shutterstock
13. EFETUE A ADIÇÃO:

5 2 3
+ 2 5 5

IS
140 RE A

14. NA TABELA ABAIXO ENCONTRAM-SE OS PONTOS FINAIS DE GINCANA a. JULIA CONSEGUIRÁ COMPRAR A BONECA?
DE OUTONO DAS EQUIPES DO 2O ANO:

EQUIPE TOTAL DE PONTOS b. HAVERÁ TROCO? QUANTO?

AMARELA 250

AZUL 210

VERDE 252

ROXA 307

VERMELHA 310

ORDENE AS EQUIPES DA MAIOR PONTUAÇÃO PARA A MENOR:

           
Material Digital do Professor
Gabarito
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre
Questão 1 Questão 2
(EF02MA04) Compor e decompor números naturais de até três (EF02MA04) Compor e decompor números naturais de até três
ordens, com suporte de material manipulável, por meio de ordens, com suporte de material manipulável, por meio de
diferentes adições. diferentes adições.

Resposta correta: letra B) 234.

Giz de Cera
Resposta correta: Comentários da questão: Alguns alunos podem realizar o cálculo de forma
mental. Para os alunos com dificuldades, pode-se anotar embaixo de cada cai-
xa a quantidade, para posteriormente realizar a soma das parcelas (200 + 30 +
4). Não há problemas, caso seja necessário trabalhar com mais parcelas (100 +
100 + 10 + 10 + 10 + 4). Os materiais manipulativos como o Material Dourado
ou ábaco, podem ajudar por marcarem as centenas, dezenas e unidades.
Essa é uma possibilidade de resposta. Há outras formas de se contornar 5
dezenas e estas devem ser consideradas. Questão 3
Comentários da questão: O aluno pode ter dificuldade de compreender que
em cada caixa temos 100 unidades de doces, assim como pode ter dificuldade (EF02MA09) Construir sequências de números naturais em ordem
em compreender que uma conta do ábaco pode representar uma dezena ou crescente ou decrescente a partir de um número qualquer,
uma centena, dependendo da posição que ocupa. O uso de material mani- utilizando uma regularidade estabelecida.
pulativo pode contribuir para a compreensão das características do sistema
de numeração decimal. Pode-se usar o ábaco ou o Material Dourado (placa) Resposta correta: 230 e 235.
como forma auxiliar de compreensão. Comentários da questão: Brincadeiras de contar de 2 em 2, 3 em 3, e mais
especificamente para essa situação, contar de 5 em 5 podem ajudar as crian-
ças com mais dificuldade. Essa brincadeira pode ser realizada nas fileiras da
sala, em que a sequência inicia com o primeiro da fila e o próximo diz o pró-
ximo número da sequência e assim sucessivamente. Essa sequência trabalha
a ordem crescente e já contempla números maiores. Dependendo da difi-
culdade, comece com números mais familiares. Incentive o registro escrito
no caderno.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre - Gabarito
Questão 4 Questão 6
(EF02MA03) Comparar quantidades de objetos de dois conjuntos, por (EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração,
estimativa e/ou por correspondência (um a um, dois a dois, envolvendo números de até três ordens, com os
entre outros), para indicar “tem mais”, “tem menos” ou significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
“tem a mesma quantidade”, indicando, quando for o caso, utilizando estratégias pessoais ou convencionais.
quantos a mais e quantos a menos.
Resposta correta: letra B) 44. Outros registros ou cálculos que mostrem o
Resposta correta: letra A) BEATRIZ. percurso de resolução também devem ser considerados, como por exemplo
Comentários da questão: Pode-se usar o Material Dourado e o ábaco e simu- a conta abaixo do enunciado do problema, mostrando a adição das parcelas.
lar várias situações. O importante é a percepção da representação de cada Comentários da questão: O professor pode simular a adição com a ideia de
conta quando ocupa o lugar das centenas, dezenas ou unidades, ou seja, a acrescentar na própria sala de aula, com os alunos, visando a compreensão da
compreensão das características do sistema de numeração decimal, e poste- ideia da operação, e estimulando o cálculo mental, para posteriormente am-
riormente realizar a comparação entre dois ábacos ou dois grupos de mate- pliar para as quantidades indicadas na situação. Caso o aluno opte por apre-
riais. Pode-se marcar em cima de cada haste do ábaco ou grupo de materiais, sentar o cálculo escrito, e apresente dificuldade no alinhamento das parcelas
a quantidade de contas. para a realização do cálculo, pode-se usar papel quadriculado.

Questão 5 Questão 7
(EF02MA01) Comparar e ordenar números naturais (até a ordem de (EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração,
centenas) pela compreensão de características do sistema envolvendo números de até três ordens, com os
de numeração decimal (valor posicional e função do zero). significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
utilizando estratégias pessoais ou convencionais.
Resposta correta: 327, 423, 596, 767, 932, 945.
Comentários da questão: Para alunos com dificuldade, pode utilizar cartões Resposta correta: letra C) 33. Outros registros ou cálculos que mostrem o
marcados com os números apresentados acima (ou outros), de forma a or- percurso de resolução também devem ser considerados, como por exemplo,
dená-los ou alinhá-los para melhor percepção e comparação das centenas, a conta abaixo do enunciado do problema ou desenhos.
dezenas e unidades. É importante a compreensão do sistema de numeração Comentários da questão: O professor pode simular a subtração com a ideia
decimal em que 1 centena, vale mais que 9 dezenas, embora, muitas vezes o de retirar (ou perder) na própria sala de aula, com os alunos, visando a com-
aluno associe o 9 como quantidade maior que o 1, o que indicaria a necessida- preensão da ideia da operação e estimulando o cálculo mental. Nem sempre
de de um intensivo trabalho com o sistema de numeração decimal. os alunos representam essa situação por meio de 38 – 5 = 33. Muitas vezes
também aparece ainda o desenho, em que bolinhas são riscadas para indicar
a retirada. Para o caso de dificuldades, utilize material manipulativo e comece
com quantidades menores.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre - Gabarito
Questão 8 Questão 10
(EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração, (EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração,
envolvendo números de até três ordens, com os envolvendo números de até três ordens, com os
significados de juntar, acrescentar, separar, retirar, significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
utilizando estratégias pessoais ou convencionais. utilizando estratégias pessoais ou convencionais.

Resposta correta: letra A) 18. Outros registros que mostrem o percurso para Resposta correta: letra A) 90 REAIS, letra B) 125 REAIS, letra C) 65 REAIS.
se encontrar a quantidade correta, como por exemplo, marcar a quantidade
total ao lado da bandeja de ovos e a conta armada abaixo do enunciado, de- Comentários da questão: O professor pode simular a subtração com a ideia
vem ser considerados. de retirar usando dinheiro pedagógico (que costumam ser vendidos em pape-
larias), já trabalhando equivalências, como por exemplo, 150 reais em notas
Comentários da questão: Para o caso de dificuldade na compreensão da ideia de 50 e 10, para facilitar a retirada de 60 reais. Incentive também o cálculo
de juntar da adição, pode-se usar o Material Dourado ou o ábaco para um mental. Outra questão importante é que os acontecimentos expressos no
registro inicial ou mesmo papel amassado representando os ovos. Incentive problema não aconteceram sucessivamente, mas pressupõe “se ela comprar”
também o cálculo mental. e são independentes.

Questão 9 Questão 11
(EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração, (EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração
envolvendo números de até três ordens, com os envolvendo números de até três ordens, com os
significados de juntar, acrescentar, separar, retirar, significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
utilizando estratégias pessoais ou convencionais. utilizando estratégias pessoais ou convencionais.
Resposta correta: letra B) 97. Outros registros que mostrem o percurso para

Adolar
se encontrar a quantidade correta, como por exemplo, marcar a quantidade
total abaixo do enunciado devem ser considerados.
Comentários da questão: O professor pode simular a adição com a ideia
de juntar, utilizando material concreto que simule a situação visando a com-
preensão da ideia da operação e estimulando o cálculo mental. Para o caso
da apresentação do cálculo escrito, caso os alunos apresentem dificuldade
no alinhamento das parcelas para a realização do cálculo, pode-se usar papel
Resposta correta: letra A) 5, letra B) 7, letra C)
quadriculado.
Comentários da questão: Em caso de dificuldade de lidar com os dados apre-
sentados (alunos de uma sala), reproduza a pesquisa na sua turma, incentivan-
do os alunos a coletar dados e organizá-los por meio de tabelas e gráficos. Usar
papel quadriculado pode ajudar na etapa da tabela e do gráfico.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre - Gabarito
Questão 12 Questão 14
(EF02MA09) Construir sequências de números naturais em ordem (EF02MA01) Comparar e ordenar números naturais (até a ordem de
crescente ou decrescente a partir de um número qualquer, centenas) pela compreensão de características do sistema
utilizando uma regularidade estabelecida. de numeração decimal (valor posicional e função do zero).

Resposta correta: 175, 170, 165. Resposta correta: VERMELHA, ROXA, VERDE, AMARELA E AZUL.
Comentários da questão: Brincadeiras de contar de 2 em 2, 3 em 3, e mais Comentários da questão: Em caso de dificuldade pode-se usar cartões com a
especificamente para essa situação, contar de 5 em 5 de forma decrescente pontuação de cada equipe, pois facilita a organização em ordem decrescente
podem ajudar as crianças com mais dificuldade. Essa brincadeira pode ser e a comparação das centenas, depois dezenas e por último unidades, para
realizada nas fileiras da sala, em que a sequência inicia com o primeiro da fila ordenar de acordo com a pontuação.
e o próximo diz o próximo número da sequência e assim sucessivamente. Essa
sequência trabalha a ordem decrescente e já contempla números maiores. Questão 15
Dependendo da dificuldade, comece com números mais familiares. Incentive
o registro escrito no caderno. (EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração,
envolvendo números de até três ordens, com os
Questão 13 significados de juntar, acrescentar, separar, retirar,
utilizando estratégias pessoais ou convencionais.
(EF02MA05) Construir fatos básicos da adição e subtração e utilizá-los
no cálculo mental ou escrito. Resposta correta: letra A) SIM, letra B) SIM, 2 REAIS DE TROCO.
Comentários da questão: Em caso de dificuldade na compreensão da ideia
Resposta correta: 778. de juntar da adição, pode-se usar dinheiro pedagógico, para simular a situa-
Comentários da questão: O foco aqui está na aplicação do algoritmo con- ção. Pode-se estimular diferentes estratégias como o cálculo mental ou a
vencional, ainda sem troca de unidades, dezenas ou centenas. Caso a dificul- conta armada.
dade dos alunos esteja no alinhamento das parcelas na realização de outras
adições, pode-se usar o papel quadriculado que propicia que a unidade fique
embaixo de unidade, dezena embaixo de dezena e assim sucessivamente.
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre

2o BIMESTRE
ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 2o BIMESTRE TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 2o Bimestre

ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 2 BIMESTRE
o
TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
Assinalar com X os acertos e ao final registrar o número de acertos.
Diante do que foi proposto e do que era esperado, avaliar o aluno de acordo com a legenda ao lado.
LEGENDA:
IMPORTANTE: Lembrar que a avaliação do aluno deve ser composta com outras atividades co- A - Atingiu satisfatoriamente o objetivo
tidianas (em grupo, duplas etc.), desempenho nas Sequências Didáticas, autoavaliação e demais P - Atingiu parcialmente o objetivo
atividades complementares que permearam o bimestre. N - Não atingiu o objetivo
Material Digital do Professor
Plano de Desenvolvimento Bimestral
Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre
PÁGINA 1

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação
Sequência Didática 7
Resolver situações- Jogo de cartas.
-problema que envolvam Compreensão das multiplicações com base em situações
multiplicações com ideia que envolvam a ideia da adição de parcelas iguais. Observação e
(EF02MA07) Resolver de adição de parcelas
e elaborar problemas registro do professor
iguais. Sequência Didática 8
de multiplicação (por 2, nos seguintes
Resolução de problemas (envolvendo dobros, metades,
3, 4 e 5) com a ideia de Resolver multiplicações indicadores:
triplos e terça parte).
adição de parcelas iguais utilizando estratégias Problemas • sobre a atuação
e formas de registros Resolução de situações-problema de multiplicação
por meio de estratégias envolvendo dos alunos em sala
pessoais, com ou sem envolvendo a ideia de adição de parcelas iguais; destacando
e formas de registro adição de de aula;
material manipulativo. a ideia da organização retangular.
pessoais, utilizando parcelas iguais
TABELAS DE Resolução de problemas que envolvam a ideia de • como o aluno atua
ou não suporte de Identificação de (multiplicação).
MULTIPLICAÇÃO combinação. em atividades fora
imagens e/ou material resultados de Problemas da sala de aula;
Tabuadas manipulável. multiplicações em Observação de resultados de multiplicações em quadros e
envolvendo
do 2, 3, 4 e 5 quadros e tabelas. tabelas. • o cumprimento ou
(EF02MA08) Resolver significados de
não das tarefas;
e elaborar problemas Resolver problemas dobro, metade, Comparação de multiplicações e identificação de resultados
envolvendo dobro, envolvendo dobro e triplo e terça em tabelas. • a participação e
metade, triplo e terça triplo, utilizando imagens parte. o interesse para
Construção de quadros com resultados de multiplicações.
parte, com o suporte ou material manipulável. resolver atividades;
de imagens ou material Utilização de materiais manipulativos para calcular
Utilizar estratégias ou • a disponibilidade
manipulável, utilizando multiplicações.
registros pessoais para em socialização das
estratégias pessoais. Utilização de malha quadriculada para resolver suas produções.
resolver multiplicações
envolvendo dobro ou multiplicações.
triplo. Observação das regularidades envolvendo o dobro e o
triplo.
Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre
PÁGINA 2

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação
(EF02MA07) Resolver e
elaborar problemas de
Produção dos alunos nos
multiplicação (por 2, 3, 4 Resolver situações- Resolução de situações-problema de seguintes indicadores:
e 5) com a ideia de adição -problema que envolvam multiplicação envolvendo a ideia de • explicações orais
de parcelas iguais por meio multiplicações com ideia de adição de parcelas iguais. sobre o andamento
de estratégias e formas de adição de parcelas iguais. Problemas envolvendo
registro pessoais, utilizando adição de parcelas Resolução de problemas envolvendo ou o resultado de uma
TABELAS DE Resolver multiplicações atividade desenvolvida
ou não suporte de imagens iguais (multiplicação). dobro ou triplo em tabelas ou malha
MULTIPLICAÇÃO utilizando estratégias e formas pela turma;
e/ou material manipulável. quadriculada.
de registros pessoais, com ou Problemas envolvendo
Problemas de • registros, utilizando-
(EF02MA08) Resolver sem material manipulativo. significados de dobro, Observação em situações-
multiplicar se de qualquer tipo de
e elaborar problemas metade, triplo e terça -problema com multiplicações
envolvendo dobro, metade, Resolver problemas parte. envolvendo dezenas e centenas. texto, do andamento ou
triplo e terça parte, com envolvendo dobro e triplo, dos resultados de uma
utilizando imagens ou material Sequência Didática 9
o suporte de imagens ou atividade;
manipulável. Problemas de multiplicar.
material manipulável, Testes que podem ser
utilizando estratégias realizados:
pessoais.
• individualmente com ou
Identificação das figuras sem consulta;
Identificar figuras geométricas geométricas espaciais a partir de
espaciais como cubo, bloco suas características. • em duplas ou grupos,
retangular, pirâmide, cone, com ou sem consulta;
(EF02MA14) Reconhecer, cilindro e esfera, representada Comparação entre figuras
Figuras geométricas geométricas espaciais e embalagens • provas escritas,
GEOMETRIA nomear e comparar figuras em imagens.
espaciais (cubo, bloco de produtos. individuais, em duplas
Prismas geométricas espaciais (cubo,
Relacionar as figuras retangular, pirâmide, ou em grupo.
bloco retangular, pirâmide, Observação das características das
Pirâmides geométricas espaciais com cone, cilindro e esfera):
cone, cilindro e esfera), figuras geométricas espaciais e A seção VERIFIQUE O
objetos do mundo físico. reconhecimento e
Corpos redondos relacionando-as com objetos comparação com construções do QUE APRENDEU pode
características.
do mundo físico. Nomear as figuras geométricas mundo físico. ser mais um dos recursos
espaciais em cubo, bloco para a avaliação da turma
retangular, pirâmide, cone, Resolução de situações-problema no final de cada unidade.
cilindro e esfera. envolvendo as figuras geométricas
espaciais.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 7 - Matemática - 2o Ano
Jogo de cartas

Introdução
Os jogos fazem parte do repertório conhecido das crianças e constituem estratégia
potente para a avaliação dos conhecimentos matemáticos que elas já possuem e, princi-
palmente, para ampliá-los. Esta sequência propõe um jogo de cartas que envolve o campo
multiplicativo, valorizando a ideia de adição sucessiva de parcelas iguais, a sistematização
da realização das operações e a socialização delas.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3, • Cartões com números
4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de
estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou Espaço
não suporte de imagens e/ou material manipulável.
Sala de aula.

Objetivos de ensino e aprendizagem Processo de avaliação contínua


• Resolver problemas de multiplicação por 2, 3, 4 e 5. Nesta sequência, a avaliação deve ser contínua e levar em consideração a
resolução das partidas do jogo, das situações-problema trabalhadas a partir
Objetos de conhecimento do jogo, a socialização e a comunicação das estratégias de resolução. O pro-
fessor pode desenvolver a avaliação a partir da problematização de situações
• Problemas envolvendo adição de parcelas iguais (multiplicação). similares e de uma pauta de observação que leve em consideração a progres-
são dos conhecimentos das crianças sobre o campo multiplicativo.
Duração
4 aulas
Sequência Didática 7 - 2o Ano - Jogo de cartas
Desenvolvimento
Aula 1 - Apresentando o jogo 1. O aniversário de Sílvio é daqui a 5 semanas. Quantos dias faltam
Organize os alunos em roda e distribua um conjunto de cartas para cada para o aniversário dele?
um. Apresente propostas de multiplicações, para as quais quem tiver todas as 2. Maria e Ana compraram caixas com dedoches (fantoches de de-
parcelas necessárias apresenta ao grupo sua resolução. dos) para contar histórias a seus alunos. Maria comprou 2 caixas
Depois, organize a turma em grupos menores para continuarem jogando. com 9 dedoches em cada uma delas, e Ana comprou 3 caixas com
Combine um intervalo de tempo e acompanhe o desenvolvimento de cada 6 dedoches em cada uma delas. Quem comprou a maior
grupo. quantidade de dedoches?
Converse sobre a experiência vivenciada e escreva uma conclusão coletiva 3. Luiza gastou 21 reais na compra de cadernos e canetas em uma pa-
sobre a maneira como a adição pode ajudar a resolver multiplicações. pelaria. Observe o quadro com os preços e determine quantos ca-
dernos e canetas Luiza comprou.
Aula 2 - Problematizações Material Preço
Peça aos alunos que se organizem em duplas e proponha que resolvam Caderno 5 reais
as questões a seguir. Enquanto eles as resolvem, circule pela sala e observe Caneta 3 reais
como expressam seu raciocínio e esclareça eventuais dúvidas.
Peça para cada dupla apresentar aos demais como resolveram os proble-
mas. Durante a correção, valorize sempre o uso da adição como procedimen-
to de cálculo e também o cálculo mental.
Sequência Didática 7 - 2o Ano - Jogo de cartas
Atividades complementares
1. Proponha o preenchimento dos quadros a seguir com os resultados das multiplicações por 2 e por 4:

3 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

3 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

• Note que os quadros vão além do número 10: o objetivo é fazer os 1. Mariana tem 3 bonecas em sua coleção e Fernanda tem o dobro des-
alunos perceberem padrões numéricos presentes em multiplicações sa quantidade de bonecas. Quantas bonecas Fernanda tem?
por 2 e por 4.
2. Miguel tem 8 anos e a idade de sua mãe é quatro vezes maior que a
• Pergunte sobre resultados de multiplicações que não estão nos qua-
dele. Quantos anos tem a mãe de Miguel?
dros, como 2 × 21 e 2 × 22 ou 4 × 21 e 4 × 22.
3. Joana comprou 4 pacotes de canetas com 6 unidades em cada um.
2. Peça aos alunos que justifiquem suas respostas e escreva coletivamente Quantas canetas ela comprou ao todo?
uma conclusão sobre as multiplicações por 2 e por 4.
4. Hélio e Júlia são parceiros em um jogo de videogame. Hélio fez 150
pontos e Júlia marcou o dobro de pontos de Hélio. Quantos pontos
eles fizeram juntos nesse jogo?
Verificação da aprendizagem
A seguir, apresentamos alguns problemas para serem feitos um de cada
5. Uma caminhonete consegue armazenar até 45 caixas de banana em
seu compartimento de carga. Quantas caixas de banana cabem em
vez. Incentive os alunos a ler e compreender a história que cada um conta.
duas caminhonetes, supondo que os compartimentos de carga estão
Verifique se todos compreenderam os contextos trazidos pelos problemas.
sendo utilizados em suas capacidades máximas?
Durante a correção, valorize as diferentes estratégias adotadas pelos alunos
e também as relações entre os múltiplos de 2 e de 4.
Espera-se que o trabalho com esses problemas promova o avanço dos alu-
nos no que diz respeito ao cálculo com multiplicações e faça com que abando-
nem estratégias menos econômicas.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 8 - Matemática - 2o Ano
Resolução de problemas envolvendo dobros, metades, triplos e terça parte

Introdução
As crianças possuem alguns conhecimentos sobre o uso de medidas na culinária e do
sistema monetário por conta das vivências fora e dentro da escola. Esta sequência propõe
a valorização dessas experiências e a ampliação do conhecimento matemático a partir de
elaboração, discussão e sistematização de situações que problematizem as relações de
proporcionalidade que envolvam o uso de dobro, triplo e metade.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro, • Cópia das atividades organizadas na sequência
metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou
material manipulável, utilizando estratégias pessoais. Espaço
Sala de aula.
Objetivos de ensino e aprendizagem
Processo de avaliação contínua
• Resolução de problemas que envolvam o uso de dobros, triplos e metades.
• Estabelecimento de relações entre dobros, triplos e metades. A avaliação desta sequência deve ser contínua e levar em consideração o
quanto os alunos se apropriam e ampliam os conhecimentos sobre proporcio-
nalidade, especificamente, os conceitos de dobro, triplo e metade. Para esse
Objetos de conhecimento processo, propor situações e exercícios semelhantes aos já desenvolvidos e
• Problemas envolvendo significados de dobro, metade, triplo e terça discussões, bem como sistematizações sobre eles.
parte.

Duração
5 aulas
Sequência Didática 8 - 2o Ano - Dobros, metades, triplos e terça parte
Desenvolvimento
Aula 1 - Apresentando o trabalho Aula 2 - Novas discussões e problematizações
Providencie cópia da atividade. Oriente-os a formarem duplas para Retome a discussão da etapa anterior e proponha aos alunos que resol-
responder a seguinte atividade: vam individualmente o problema a seguir. Providencie uma cópia.

Converse com sua dupla sobre o que significa dividir ao meio e o que Fernanda convidou duas amigas para lanchar. Ela queria fazer san-
é metade. Faça um registro dessa conversa nas linhas a seguir: duíches e, para isso, resolveu fazer patê de cenoura. Porém, a receita
que tinha era para muitos sanduíches e ela resolver fazer somente
a metade dessa receita. Ajude Fernanda a calcular a metade dos in-
gredientes desta receita:
Patê de cenoura
Ingredientes:
2 cenouras raladas
4 colheres de sopa de maionese
2 colheres de sopa de cebola picada
6 colheres de chá de salsa picada
Sal a gosto
1. Complete as lacunas a seguir com a metade dos ingredientes da re-
ceita que a Fernanda precisa fazer:

cenoura ralada

colheres de sopa de maionese

colheres de sopa de cebola picada

Assim que terminarem essa atividade, proponha uma roda de conversa colheres de chá de salsa picada
para que possam falar sobre o que escreveram e qual o sentido que atribuem Sal a gosto
ao conceito de metade.
Sequência Didática 8 - 2o Ano - Dobros, metades, triplos e terça parte
2. Agora, explique como você pensou para calcular a quantidade dos Em outro dia, Fernanda iria receber em casa a visita de 6 amigos e
ingredientes que Fernanda precisava para fazer os sanduíches. precisou fazer o dobro da receita de seu patê de cenoura.
O que significa dobrar uma receita? Registre nas linhas a seguir as
ideias que vocês discutiram em grupo sobre isso:

Converse com os alunos sobre como fizeram para descobrir a metade dos Assim que os grupos fizerem um registro, proponha uma discussão sobre
ingredientes, procurando socializar as estratégias utilizadas. Proponha um o que os grupos mencionaram sobre dobro. Em seguida, peça que, manten-
novo problema para que resolvam em pequenos grupos: do-se em grupos, completem a tabela a seguir com as quantidades de ingre-
dientes necessárias para o dobro da receita.
Sequência Didática 8 - 2o Ano - Dobros, metades, triplos e terça parte

Receita normal Dobro da receita 2. Fábio chegou em casa com 30 figurinhas e sua mãe pediu que ele
desse a metade à sua irmã. Com quantas figurinhas Fábio ficou?

2 cenouras raladas
cenouras raladas

4 colheres de sopa de
maionese
colheres de sopa de maionese
Após a realização desse problema, discuta com os alunos o que eles per-
2 colheres de sopa de ceberam sobre a relação existente entre dobro e metade. Faça o registro
cebola picada coletivo das descobertas que eles fizeram sobre dobro e metade. Solicite que
colheres de sopa de cebola picada o copiem no caderno (ou digite, imprima e distribua aos alunos, solicitando
que colem no caderno).
6 colheres de chá de
Retome as discussões da sequência do trimestre anterior sobre o conceito
salsa picada
colheres de salsa picada de dobro e metade. Pergunte aos alunos o que eles aprenderam e proponha o
Sal a gosto Sal a gosto novo desafio que é pensar sobre o triplo. Organize os alunos em grupos com
três ou quatro integrantes e apresente a seguinte proposta:

Atividades complementares 3. Já discutimos o que significa dobro e metade. Agora, pensaremos


sobre o significado de triplo.
Proponha mais um problema envolvendo a ideia de dobro e metade, e
peça aos alunos que o resolvam individualmente. 4. Você sabe o que significa triplo? Converse com seu grupo sobre isso
e registrem nas linhas a seguir as descobertas que vocês fizeram a
1. Fábio e alguns amigos compraram figurinhas do álbum animais brasi- esse respeito:
leiros. Após a compra, cada um ficou com o dobro de figurinhas que
tinha antes. Complete a tabela a seguir escrevendo com quantas fi-
gurinhas cada um ficou:

Criança Quantidade inicial Quantidade final


Ana 5
Filipe 7
Tiago 10
Fábio 15
Sequência Didática 8 - 2o Ano - Dobros, metades, triplos e terça parte
Promova a socialização das descobertas realizadas pelos alunos e peça Aula 3 - Sistematizando
que façam um registro no caderno sobre essa primeira conversa. Nesse
momento, é possível que comentem que triplo quer dizer três vezes alguma Proponha aos alunos que resolvam, individualmente, o seguinte problema:
coisa. Oriente-os a pensar principalmente no que podem fazer para triplicar
algo. Registre as ideias apresentadas sobre isso. 6. Mariana foi ao cinema e, como estava acompanhada por duas pri-
Organize os alunos em duplas, retome as descobertas da etapa anterior e, mas, gastou o triplo do preço de um ingresso, que custa R$ 5,00.
depois, proponha que resolvam o seguinte problema: Quanto Mariana gastou?

5. Para comemorar seu aniversário com seus colegas de classe, Flávia


vai fazer um bolo com a ajuda da mãe. A receita de bolo que ela tem
serve 10 pessoas e, na classe em que estuda, há 30 alunos. Portanto,
Flávia terá de triplicar sua receita.
Veja a tabela a seguir e complete-a com as quantidades necessárias
de ingredientes para fazer três receitas de bolo.
Verifique como resolvem o problema e escolha duas estratégias para
Quantidade para Quantidade para
Ingredientes socializar.
1 receita 3 receitas
Depois, proponha novos problemas envolvendo triplo:
Ovos 4 unidades
7. Mariana resolveu ir ao parque de diversões com as primas. Ajude o
Óleo 1 xícara
bilheteiro a calcular quanto ele deve cobrar de Mariana, preenchen-
Açúcar 30 colheres do a tabela a seguir:

Farinha de trigo 2 xícaras 1 ingresso 2 ingressos 3 ingressos


Fermento em pó 1 colher
R$ 10,00
Manteiga 2 colheres
8. Ainda no parque de diversões, Mariana quis comprar pipoca para ela
Chocolate 200 gramas e suas duas primas. Quanto ela gastou? Preencha a tabela a seguir:
Leite 1 xícara
1 pipoca 2 pipocas 3 pipocas

Ao final desta atividade, socialize as estratégias utilizadas pelos alunos R$ 3,00


para resolver o problema e discuta os melhores caminhos para chegar às
respostas.
Sequência Didática 8 - 2o Ano - Dobros, metades, triplos e terça parte
9. No final do passeio, Mariana resolveu comprar um sorvete para cada
Aula 4
uma. Quanto ela gastou? Preencha a tabela a seguir: Proponha uma discussão sobre o que os alunos puderam perceber nas
tabelas que foram preenchidas nas atividades anteriores.
1 sorvete 2 sorvetes 3 sorvetes
• Na tabela com a cédula e a moeda na atividade 10, por exemplo, eles
R$ 4,00 poderão perceber que o dobro de R$ 2,00 são R$ 4,00 e que o tri-
plo são R$ 6,00. Caso isso aconteça, discuta com eles; se não, mostre
10. Calcule o dobro e o triplo das seguintes quantias essa regularidade e pergunte o que acham desses valores.
Valor dobro triplo
Para encerrar esta coletânea, retome os registros sobre dobro, triplo e
metade e verifique se as descobertas feitas mudaram e o que as crianças ti-
Casa da Moeda

nham como hipótese.

Verificação da aprendizagem
Banco Central do
Brasil

Espera-se que os alunos construam um repertório de cálculos e que, ao


resolver problemas, façam uso dele em suas resoluções.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 9 - Matemática - 2o Ano
Problemas de multiplicar

Introdução
Esta sequência apresenta situações-problema que envolvem relações de proporciona-
lidade direta que suponham a busca de novos valores a partir de certos dados, identifi-
cando o papel da multiplicação. Ela evidencia, para os alunos, as relações entre adição e
multiplicação e propõe a interpretação de informações contidas na escrita multiplicativa,
contribuindo, desse modo, para ampliar o repertório multiplicativo.

Habilidades da BNCC Duração


(EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3, 5 aulas
4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de
estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou Materiais
não suporte de imagens e/ou material manipulável.
• Cópias das atividades da sequência

Objetivos de ensino e aprendizagem Espaço


• Enfrentar situações que envolvam a multiplicação. Sala de aula.
• Estabelecer relações entre a multiplicação e a adição.
• Interpretar a informação contida na escrita multiplicativa.
Processo de avaliação contínua
• Construção de repertório multiplicativo. A partir do desenvolvimento desta sequência, espera-se que os alunos
avancem em seus conhecimentos sobre o campo multiplicativo. Desse modo,
Objetos de conhecimento o professor pode avaliar essa progressão propondo, continuamente, ativida-
des avaliativas similares às realizadas e discutidas em aula.
• Problemas envolvendo adição de parcelas iguais (multiplicação).
Sequência Didática 9 - 2o Ano - Problemas de multiplicar
Desenvolvimento
Aula 1 - Apresentando a situação Você poderá anotar algumas delas na lousa para analisar ao que corres-
ponde cada um dos números envolvidos. Por exemplo:
Organize os alunos em quartetos e proponha a atividade a seguir:
• se para as revistas Saúde animal adicionaram 8 vezes 2, você poderá
1. Os alunos de uma classe estavam estudando sobre animais. Foram perguntar: Ao que corresponde cada um desses 2? O que é o 16? Por
a uma banca de jornal comprar revistas para investigar mais sobre que se soma oito vezes?
esse tema. • Se algum procedimento recorrer a uma abreviação dessa adição, fa-
O jornaleiro preparou a seguinte fatura. Complete os dados que zendo, por exemplo, para 8 revistas de R$ 2,00 4 vezes 4, pergunte:
faltam: Como estamos seguros de que foram incluídas todas as revistas?

BANCA DE JORNAL VILA MARIA Ao final da discussão, introduza a escrita multiplicativa para cada um des-
Preço unitário Total por ses cálculos, relacionando-a aos procedimentos realizados pelos alunos. Por
Quantidade Detalhamento exemplo, poderá escrever na lousa: 8 × 2 = 16 e ressaltar que se lê 8 por 2 igual
em R$ título
a 16. Também poderá destacar que oito por dois quer dizer 8 vezes 2.
8 Saúde animal 2,00 A partir dessa escrita, se analisará então o que representa cada um desses
números no contexto do problema da banca de revistas.
4 Superpet 3,00
• Uma questão interessante para analisar é que, na escrita multiplica-
2 Natureza hoje 5,00 tiva 8 3 2, pode-se conhecer rapidamente, “num bater de olhos”, a
quantidade de vezes que se repete o 2, ou a quantidade de revistas,
TOTAL R$ diferentemente do que acontece com a escrita em forma de adição,
na qual era necessário contar a quantidade de parcelas para conhe-
cer a quantidade de revistas.
Conforme o estado de conhecimento dos alunos, essa atividade poderá
constituir uma oportunidade para identificar a operação de multiplicação. Será possível propor então aos alunos que façam o mesmo com cálculos
Nesse último caso, a discussão entre todos os alunos se centrará na análise para as outras revistas.
das diferentes estratégias empregadas para calcular as multiplicações. Muito
provavelmente, esses procedimentos estarão apoiados em adições.
Sequência Didática 9 - 2o Ano - Problemas de multiplicar
A seguir, apresente o seguinte problema:

2. Um dono de papelaria compra lápis em caixas, sempre do mesmo tipo, que depois vende soltos. Na tabela a seguir está a quantidade total de lápis que
há para vender, conforme as caixas que comprou. Complete a tabela:

Quantidade de caixas de lápis 1 2 3 5 8 9 10 12 15

Quantidade total de lápis 4 16 24

Antes de começar a resolução, certifique-se de que os alunos interpretam Será também uma oportunidade para iniciar a análise da comutatividade
adequadamente a representação dos dados em forma de tabela e, eventual- na multiplicação. Para isso, poderá utilizar a representação de 4 caixas de 4
mente, explique esta organização: lápis cada uma. Identificará o cálculo 4 + 4 + 4 + 4 = 16, como um cálculo que
permite encontrar esse resultado e apresentará a seguinte situação:
• Os alunos devem completar a tabela utilizando as estratégias que es-
Para calcular o conteúdo de 4 caixas de 4 lápis, um aluno fez:
tão ao seu alcance – não dispor da tabuada do 4 não deve constituir
um obstáculo para a resolução da situação. 4+4+4+4
• Depois de encontrada a resolução, deve-se realizar a discussão cole- O cálculo está correto. Como ele pensou para chegar a este cálculo?
tiva, momento para começar a obter diferentes maneiras de comple- Não se espera aqui que os alunos cheguem a formular a propriedade co-
tar a tabela. Deve-se discutir estratégias para fazer isso e registrá-las mutativa da multiplicação.
nos cadernos ou em um cartaz da sala.
• Analise que, em todos os casos, é possível completar a quantidade de
lápis multiplicando a quantidade de caixas por 4. É importante que,
nesse momento, se analise o significado dessa multiplicação no con-
texto do problema. Por exemplo, 9 × 4 significa 9 vezes 4, 9 caixas de
4 lápis cada uma.
Sequência Didática 9 - 2o Ano - Problemas de multiplicar
Atividades complementares

1. As crianças do 2o ano estão em um parque de diversões. Complete as tabelas a seguir calculando quanto será preciso pagar em cada um dos brinquedos
de acordo com a quantidade de voltas que quiserem dar.

Quantidade de voltas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Volta ao mundo R$ 3 R$ 6 R$ 12

Quantidade de voltas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Pires giratórios R$ 8 R$ 12

Quantidade de voltas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Carrinho bate-bate R$ 15

2. Quais dos cálculos seguintes servem para encontrar quanto se gasta em cada brinquedo?
Para três voltas na montanha-russa:

6+6+6= 6–3= 633= 6:3=


Para 4 voltas no trem fantasma:

8+8+8+8= 8–4= 8×4= 8:4=


Sequência Didática 9 - 2o Ano - Problemas de multiplicar
3. Quais das adições a seguir são possíveis escrever com uma multiplica-
Verificação da aprendizagem
ção? Nos casos em que for possível, anote qual seria a multiplicação: Certifique-se de que o grupo já domina as questões estudadas na
a. 5 + 5 + 5 + 5 = sequência e apresente problemas que permitam utilizar o que foi aprendido
e avaliar se ainda há dúvidas.
Exemplo de atividade:
b. 7 + 7 + 7 + 7 + 7 + 7 =
1. Em uma doceria, a vendedora organizou a seguinte tabela para con-
c. 3 + 3 + 4 + 4 = trolar a quantidade de doces por caixa. Complete esta tabela com os
números corretos:

d. 9 + 9 + 9 =
Caixas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

e. 2 + 2 + 2 + 1 + 7 =
Doces 32

f. 8 + 8 + 8 + 8 + 8 = 2. Explique como você fez para descobrir a quantidade de doces de


uma caixa.
g. 6 + 6 + 6 + 6 + 6 + 6 =

h. 3 + 3 + 3 + 3 + 3 + 3 + 3 =

i. 4 + 4 =

j. 12 + 12 + 12 + 12 + 12 =

k. 10 + 10 + 10 + 10 + 10 + 10 =

l. 40 + 40 + 40 =

Espera-se que o trabalho com esses problemas promova o avanço dos alu-
m. 128 + 128 + 128 = nos no que diz respeito ao cálculo com multiplicações.
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre
Questões
1. Marque a forma geométrica que tem a forma semelhante às pirâmides 3. Quais formas espaciais os objetos abaixo lembram?
do Egito:

Abramova Elena/Shutterstock
WitR/Shutterstock
a.

Photodisc
b.

c.

2. Nomeie as formas espaciais:

Kotema/Shutterstock

H.Kan/Shutterstock
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre
4. Ao terminar uma atividade que utilizava o Material Cuisenaire na sala de 5. Complete com os números que estão faltando:
aula as barras ficaram bagunçadas.

Giz de Cera
Giz de Cera
6. Observe as figuras abaixo:
Figura 1 Figura 2 Figura 3

A professora Cláudia pediu para que a turma organizasse as barras da


menor para a maior. Paula começou a colocá-las em ordem, mas ficou em
dúvida em relação às próximas barras. Ajude Paula a organizar as barras,
desenhando as que estão faltando.

Marque a alternativa que representa a figura 4 dessa sequência:


a. b. c.

Giz de Cera
Giz de Cera
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre
7. A calculadora custa o triplo do lápis. Lívia comprou dois lápis e uma 9. Como as galinhas do galinheiro da vó Lia estavam botando muito ela re-
calculadora. solveu comprar embalagens que cabem 12 ovos.

Vitaly Korovin/Shutterstock

Photodisc
Giz de Cera
Ao observar as embalagens cheias vó Lia percebeu que:
3 RE AIS
1 embalagem cabe 12 ovos
2 embalagens cabem 24 ovos
Marque a alternativa que representa o quando Lívia gastou.
3 embalagens cabem 36 ovos
a. 12 Como vó Lia tem quatro filhos e deseja dar uma embalagem completa de
b. 9 ovos para cada filho, quantos ovos ela precisa ter para conseguir comple-
tar 4 embalagens?
c. 15
10. Para obter o triplo de um número, multiplicamos este número por 3. Veja
8. Veja por quanto o senhor João vendeu um livro.
o exemplo: o triplo de 5 é igual a 3 × 5 = 15.
Complete o quadro a seguir com o triplo de cada número.

4
Giz de Cera

7
25 RE AIS

Quanto ele irá receber se vender:


9
a. O dobro de livros?
b. O triplo de livros?
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre
11. Observe esta família de tatus: 13. Na padaria do seu Pedro vende embalagens com 10 docinhos diferentes.
Mateus comprou 5 embalagens. Quantos docinhos ele comprou? Faça o
cálculo e marque a resposta correta.
a. 5

Heiko Kiera/Shutterstock
b. 50
c. 55
14. Na fábrica de lápis, durante 1 hora no turno da manhã, foram produzi-
Conte a quantidade de patas que há nessa família. dos 152 lápis. Eles têm uma encomenda para o fim do dia e o gerente ao
calcular a quantidade que falta de lápis percebeu que precisa de mais 4
a. Utilizando a adição:
horas de trabalho para atingir a encomenda. Qual é o total de lápis da
encomenda?
+ + + + =
a. 760
b. Utilizando a multiplicação:
b. 608
3 = c. 860

12. Em cada saco de moedas há 18 moedas. 15. Para o passeio do dia das crianças a professora fez orçamento para irem
de ônibus de dois andares, onde cabem 120 pessoas. Ao conversar com
a diretora, elas perceberam que precisam de 4 ônibus para caber exata-
mente todos os alunos e os professores. Qual é o total de pessoas que
irão ao passeio?
Giz de Cera

James Steidl/Shutterstock
Qual é o total de moedas que há nos três sacos? Marque a resposta
correta:
a. 18
b. 36
c. 54
Material Digital do Professor
Gabarito
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre
Comentários da questão: Para as crianças com dificuldade, o uso de material
Questão 1 manipulativo pode ajudar. Os kits de sólidos geométricos podem permitir que
(EF02MA14) Reconhecer, nomear e comparar figuras geométricas o aluno visualize melhor e toque os objetos percebendo melhor suas caracte-
espaciais (cubo, bloco retangular, pirâmide, cone, cilindro e rísticas. Além disso, pode-se realizar um bingo de formas, em que cada aluno
esfera), relacionando-as com objetos do mundo físico. escreva o nome de três formas em seu caderno (com auxílio se necessário).
Depois o professor sorteia uma forma e a mostra, dizendo seu nome, para
Resposta correta: letra a). que o aluno que tiver anotado em seu caderno, marque. Quem completar
primeiro as três formas que anotou previamente, vence o bingo. A ênfase
aqui está no nome das figuras geométricas espaciais.

Questão 3
(EF02MA14) Reconhecer, nomear e comparar figuras geométricas
Comentários da questão: Para as crianças com dificuldade, o uso de material espaciais (cubo, bloco retangular, pirâmide, cone, cilindro e
manipulativo pode ajudar. Os kits de sólidos geométricos e embalagens de esfera), relacionando-as com objetos do mundo físico.
produtos presentes no cotidiano podem permitir que o aluno visualize me-
lhor e toque os objetos percebendo melhor suas características. Resposta correta: cone, esfera, cilindro, bloco retangular.
Comentários da questão: O professor pode utilizar um kit de formas geomé-
Questão 2 tricas ou construí-las de papel mais resistente e montar uma exposição em
que cada forma é colocada ao lado de embalagens ou objetos que lembrem
(EF02MA14) Reconhecer, nomear e comparar figuras geométricas
seu formato. Por exemplo, a embalagem da cola bastão ao lado do cilindro.
espaciais (cubo, bloco retangular, pirâmide, cone, cilindro e
Aproveite para fazer rótulos com os nomes das formas, reforçando seus
esfera), relacionando-as com objetos do mundo físico.
nomes.
Resposta correta: cilindro, cubo, esfera, pirâmide, cone.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre - Gabarito
Atenção para as cores:
Questão 4
(EF02MA10) Descrever um padrão (ou regularidade) de sequências
Número Comprimento
Cor da barra
repetitivas e de sequências recursivas, por meio de representado (em cm)
palavras, símbolos ou desenhos.
Branco 1 1
Resposta correta: verde-escuro, preto, marrom, azul e laranja.
Vermelho 2 2

Verde-claro 3 3

Rosa ou lilás 4 4

Amarelo 5 5

Giz de Cera
Verde-escuro 6 6

Comentários da questão: O Material Cuisenaire usado nesta questão, tam- Preto 7 7


bém é chamado de Escala Cuisenaire. Normalmente feio de madeira ou EVA, é
constituído por prismas quadrangulares, com 1 cm de aresta na base, com 10 Marrom 8 8
cores e 10 comprimentos diferentes e proporcionais. Cada cor representa um
número de acordo com o tamanho. As cores seguem o padrão determinado
pelo criador do material. Seu manuseio favorece bastante a organização dele Azul 9 9
de acordo com o tamanho. Pode ser confeccionado em papel colorido ou ser
pintado pelos próprios alunos. Para os alunos com dificuldade, a manipulação Laranja 10 10
das peças ajuda bastante.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre - Gabarito
Algumas anotações que podem ajudar na percepção da regularidade, por
Questão 5 meio da quantidade de blocos:
(EF02MA09) Construir sequências de números naturais em ordem
crescente ou decrescente a partir de um número qualquer,
utilizando uma regularidade estabelecida.
  1    1, 2    1, 2, 3  e na próxima figura 1, 2, 3, 4. E assim sucessivamente.
Respostas corretas: 24, 32, 40 (sentido horário).
Explore também outras visões de sequências, além da frontal.
Comentários da questão: É importante que o aluno perceba a regularidade
na sequência que, no caso, vai de 8 em 8, começando pelo 0. Questão 7
Para alunos com dificuldade, pode-se iniciar com sequências que vão de 2 em
2, 3 em 3, por exemplo. Pode-se usar o mesmo desenho da estrela e anotar (EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro,
ao lado de cada sequência o número que está sendo adicionado, por exemplo, metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou
+ 8, que pode ser anotado entre as pontas da estrela. material manipulável, utilizando estratégias pessoais.

Questão 6 Resposta correta: letra c) 15.


Comentários da questão: Nessa resolução é importante que o aluno com-
(EF02MA10) Descrever um padrão (ou regularidade) de sequências preenda o que é triplo, ou três vezes mais. Anotações de todos os passos
repetitivas e de sequências recursivas, por meio de podem ajudar os alunos com mais dificuldade, por exemplo: o triplo do preço
palavras, símbolos ou desenhos. do lápis: 3 x 3 ou 3 + 3 + 3. Portanto, o preço da calculadora é 9 reais. Comprou
2 lápis: 2 x 3 ou 3 + 3, totalizando 6, para posteriormente juntar o valor gastos
Resposta correta: letra b). nos itens (1 calculadora e 2 canetas). As ilustrações também ajudam:

+ é a mesma coisa que 3 + 3.

Comentários da questão: O Material Dourado pode ser bom para reproduzir


a sequência, pois os alunos podem ter dificuldades na visualização quando
usamos apenas o papel. Aqui a posição também é importante, pois além da
quantidade de blocos que vai aumentando, esse aumento ocorre da esquerda
para a direita.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre - Gabarito
Questão 8 Questão 9
(EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro, (EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3,
metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou 4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de
material manipulável, utilizando estratégias pessoais. estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou
não suporte de imagens e/ou material manipulável.
Respostas corretas: letra a) 50 reais, letra b) 75 reais.
Comentários da questão: Alguns alunos conseguirão resolver usando a es- Resposta correta: 48 ovos.
tratégia do cálculo mental ou escrito, montando o algoritmo (conta em pé); Comentários da questão: Há vários caminhos para a resolução desse proble-
para os que tiverem dificuldades, a ilustração pode ajudar: ma, usando recurso de desenho, cálculo mental, contando nos dedos, cálculo
escrito, com a ideia da multiplicação como adição de parcelas repetidas: 12
ovos + 12 ovos + 12 ovos + 12 ovos.
1 livro = 25 As ilustrações podem ajudar alunos com dificuldade. Procure, usar as quan-
tidades de ovos embaixo da ilustração, pois quando ficarem maiores, as ilus-
25 trações não podem ser o único recurso. Pode-se adicionar as parcelas duas a
duas também:
12 + 12 + 12 + 12 =
2 livros = 50
  24  +   24 =
25 25

3 livros = 75

25 25 25
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre - Gabarito
Questão 10
(EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro,
metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou
material manipulável, utilizando estratégias pessoais. 4 + 4 + 4 + 4 + 4 =

Respostas corretas: 3, 12, 21 e 27.


8 + 4 + 4 + 4 =
Comentários da questão: Os alunos podem resolver usando cálculo mental.
Para alunos com dificuldade, pode registrar como a adição de parcelas iguais, E assim sucessivamente, até a adição de todas as parcelas.
formando um novo quadro:
Questão 12
1 O triplo de 1 é a mesma coisa que: 1 + 1 + 1
(EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3,
4 O triplo de 4 é a mesma coisa que: 4 + 4 + 4 4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de
estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou
7 E assim sucessivamente... não suporte de imagens e/ou material manipulável.

Resposta correta: letra c) 54.


Questão 11 Comentários da questão: Nesse problema não é possível contar na ilustra-
ção a quantidade de moedas, justamente para avaliar outras estratégias de
(EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3,
resolução, por exemplo, a multiplicação ou a adição como soma de parcelas
4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de
iguais (18 + 18 + 18).
estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou
não suporte de imagens e/ou material manipulável. Para os alunos ainda com dificuldade na troca de unidades por dezenas, pode-
-se incentivar a decomposição:
Respostas corretas: letra a) 4 + 4 + 4 + 4 + 4 = 20, letra b) 4 × 5 = 20. 18 + 18 + 18
Comentários da questão: Embora alguns alunos utilizem o apoio da imagem 10 + 8 + 10 + 8 + 10 + 8 =
para contar e totalizar a quantidade de patas dos tatus, aqui se quer ampliar
10 + 10 + 10 + 8 + 8 + 8 =
a forma de registro, destacando a adição e a multiplicação. No caso de dificul-
dade, pode-se usar a ilustração para preencher as lacunas, utilizando também 30 + 24 =
o registro das quantidades e a adição de parcelas duas a duas ou em partes: Podem-se adicionar também as parcelas duas a duas.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre - Gabarito
Comentários da questão: É importante que os alunos compreendam a ideia
Questão 13 da multiplicação como adição de parcelas iguais. Uma boa interpretação do
problema é: em 1 hora foram produzidos 152 lápis e como precisará de mais 4
(EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3,
horas, totaliza 5 horas para a produção total, ou seja, 5 x 152.
4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de
estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou Devido às quantidades, já é difícil utilizar desenhos dos lápis. Uma boa estra-
não suporte de imagens e/ou material manipulável. tégia para os alunos com dificuldade é o uso do Material Dourado, separando
as 5 parcelas de 152, para então adicionar.
Resposta correta: letra b) 50. Decompor o número também pode auxiliar:
Comentários da questão: O aluno pode escolher resolver utilizando dese- 152 é a mesma coisa que 100 + 50 + 2. Depois de registrar as 5 parcelas, pode-
nho, cálculo mental ou cálculo escrito e compreender a ideia da multiplicação -se adicionar todas as unidades, todas as dezenas (e haverá troca por cente-
como adição de parcelas iguais. Para o caso de dificuldade, peça ao aluno para nas) e depois todas as centenas.
desenhar os docinhos, mas sempre registrando embaixo das caixas as quan-
tidades que possam auxiliar num registro mais sistemático, que será melhor Questão 15
nas resoluções que apresentem quantidades maiores.
Nessa faixa etária também já é possível realizar contagens por meio de de- (EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3,
senhos, sem, necessariamente, desenhar todos os docinhos. As parcelas po- 4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de
dem, ainda, ser adicionadas em etapas: estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou
não suporte de imagens e/ou material manipulável.
10 10 10 10 10
Resposta correta: 480 pessoas.
+ + + + =
Comentários da questão: É importante que os alunos compreendam a ideia
da multiplicação como soma de parcelas iguais. Devido às quantidades, já é
20 e assim sucessivamente. difícil utilizar desenhos de todos que irão ao passeio. Uma boa estratégia para
os alunos com dificuldade é o uso do Material Dourado, separando as 4 parce-
Questão 14 las de 120, para então adicionar.
Decompor o número também pode auxiliar:
(EF02MA07) Resolver e elaborar problemas de multiplicação (por 2, 3,
4 e 5) com a ideia de adição de parcelas iguais por meio de 120 é a mesma coisa que 100 + 20. Depois de registrar as 4 parcelas, pode-se
estratégias e formas de registro pessoais, utilizando ou adicionar todas as dezenas e, em seguida, todas as centenas. Nessa situação,
não suporte de imagens e/ou material manipulável. não haverá troca de dezenas por centenas. Esquemas que mostrem cada adi-
ção realizada também podem ajudar.
Resposta correta: letra a) 760.
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre

3o BIMESTRE
ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 3o BIMESTRE TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 3o Bimestre

ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 1 BIMESTRE
o
TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
Assinalar com X os acertos e ao final registrar o número de acertos.
Diante do que foi proposto e do que era esperado, avaliar o aluno de acordo com a legenda ao lado.
LEGENDA:
IMPORTANTE: Lembrar que a avaliação do aluno deve ser composta com outras atividades co- A - Atingiu satisfatoriamente o objetivo
tidianas (em grupo, duplas etc.), desempenho nas Sequências Didáticas, autoavaliação e demais P - Atingiu parcialmente o objetivo
atividades complementares que permearam o bimestre. N - Não atingiu o objetivo
Material Digital do Professor
Plano de Desenvolvimento Bimestral
Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre

PÁGINA 1

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação
Resolução de problemas que
Resolver situações-problema que envolvam a ideia de dobro e de
envolvam a ideia de dobro (duas parcelas triplo.
(EF02MA07) Resolver iguais) e de triplo (três parcelas iguais).
e elaborar problemas Resolução de problemas que Observação e registro do
Compreender a ideia de dobro e triplo. envolvam a ideia de metade e professor nos seguintes
de multiplicação (por 2,
3, 4 e 5) com a ideia de Compreender a ideia de metade e terça terço. indicadores:
adição de parcelas iguais parte. Utilização de materiais de apoio • sobre a atuação dos
por meio de estratégias Resolver problemas de divisão que Problemas (manipulativos, imagens) para alunos em sala de aula;
e formas de registro envolva a ideia de metade (duas partes envolvendo adição resolver os cálculos.
DIVISÃO • como o aluno atua em
pessoais, utilizando iguais) e terço (três partes iguais). de parcelas iguais
Explicitação das estratégias atividades fora da sala
Repartindo em ou não suporte de (multiplicação).
Relacionar dobro e triplo à multiplicação. utilizadas para resolver problemas. de aula;
partes iguais imagens e/ou material
Problemas
manipulável. Relacionar metade e terça parte à divisão Validação dos resultados obtidos • o cumprimento ou não
Dobro e metade envolvendo
em partes iguais. na resolução dos problemas. das tarefas;
(EF02MA08) Resolver significados de
Triplo e terço
e elaborar problemas Compreender a ideia da divisão de dobro, metade, Utilização de diferentes • a participação e
envolvendo dobro, repartir em partes iguais. triplo e terça parte. estratégias para resolução de interesse para resolver
metade, triplo e terça problemas ou representação das atividades;
parte, com o suporte Fazer divisões utilizando material divisões e multiplicações.
manipulativo e/ou com suporte de • a disponibilidade em
de imagens ou material Desenvolvimento de estratégias socialização das suas
manipulável, utilizando imagens e estratégias próprias.
pessoais de cálculo mental e produções.
estratégias pessoais. Utilizar estratégias pessoais para resolver resolução de problemas.
as situações-problema envolvendo dobro,
triplo, metade e terço. Desenvolvimento de raciocínio
lógico.
Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
PÁGINA 2

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação

Produção dos alunos nos


seguintes indicadores:
• explicações orais sobre
Medida de o andamento ou o
comprimento: unidades resultado de uma atividade
não padronizadas desenvolvida pela turma;
Sequência Didática 10
e padronizadas • registros, utilizando-
(EF02MA16) Estimar, Coletânea de atividades: medidas de
(metro, centímetro e -se de qualquer tipo de
medir e comparar comprimento
GRANDEZAS E Comparar comprimentos milímetro). texto, do andamento ou
comprimentos de lados utilizando instrumentos Comparação de comprimentos utilizando dos resultados de uma
MEDIDAS de salas (incluindo
Medida de capacidade
convencionais e não recursos diversos. atividade;
O comprimento e de massa: unidades
contorno) e de convencionais.
de medida não Exploração de recursos, como palmos, pés, Testes que podem ser
Capacidade polígonos, utilizando
Medir espaços e objetos convencionais e passos para medir comprimentos de objetos realizados:
unidades de medida
Massa utilizando recursos convencionais (litro, e espaços.
não padronizadas e • individualmente com ou
diversos. mililitro, cm³, grama e
Tempo padronizadas (metro, Sequência Didática 11 sem consulta;
quilograma).
centímetro e milímetro) Reconhecer o metro como Uso do calendário
O dinheiro e instrumentos unidade de medida padrão. Medidas de tempo: • em duplas ou grupos, com
Reconhecimento de metro e centímetro a ou sem consulta;
adequados. intervalo de tempo, uso
partir de atividades que explorem medidas
do calendário, leitura • provas escritas, individuais,
em objetos e no espaço.
de horas em relógios em duplas ou em grupo.
digitais e ordenação de
datas. A seção: VERIFIQUE O QUE
APRENDEU pode ser mais
um dos recursos para a
avaliação da turma no final
de cada unidade.
Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
PÁGINA 3

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação

(EF02MA17) Estimar,
medir e comparar
capacidade e massa, Comparação de medidas de comprimento em
utilizando estratégias objetos e no ambiente, identificando: mais alto,
Comparar medidas de
pessoais e unidades de mais baixo, mais largo/estreito, mais comprido/
capacidade em recipientes
medida não padronizadas curto.
diversos, utilizando
ou padronizadas (litro, instrumentos convencionais e Comparação de medidas de capacidade em diversos
mililitro, cm3, grama e não convencionais. recipientes, identificando onde cabe mais/menos,
quilograma). tem mais/menos, ou a mesma quantidade.
Utilizar estratégias para medir
(EF02MA18) Indicar a capacidades. Reconhecimento do litro como unidade
GRANDEZAS E duração de intervalos padronizada de medida de capacidade.
Identificar unidades adequadas
MEDIDAS de tempo entre duas
para medir capacidades. Sistema monetário Exploração de diversos recursos para medir
datas, como dias da
O comprimento brasileiro: capacidades, como: copos, garrafas de vários
semana e meses do ano, Reconhecer o litro como
Capacidade reconhecimento de tamanhos e outros utensílios.
utilizando calendário, unidade de medida padrão de
para planejamentos e capacidade. cédulas e moedas Comparação de medidas de massa em objetos e
Massa e equivalência de
organização de agenda. produtos, identificando a maior/menor massa.
Tempo Comparar medidas de massa em valores.
(EF02MA19) Medir a diversos objetos e produtos. Reconhecimento do quilograma como unidade
O dinheiro duração de um intervalo padrão de medida de massa.
Identificar o quilograma como
de tempo por meio de
unidade de medida padrão de Identificação dos dias da semana e meses do ano.
relógio digital e registrar
massa.
o horário do início e do Identificação de datas de nascimento e
fim do intervalo. Reconhecer os dias da semana e comemorações em calendários.
meses do ano em calendários.
(EF02MA20) Estabelecer Elaboração de agenda de atividades, destacando os
a equivalência de valores Identificação de datas e dias da semana e os meses do ano.
entre moedas e cédulas comemorações em calendários.
Registro de intervalos de tempo a partir da
do sistema monetário observação de horários no relógio.
brasileiro para resolver
situações cotidianas.
Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
PÁGINA 4

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação
Identificação de horários de atividades realizadas durante
o dia/noite.
Elaboração de agenda registro de horários de
Medir a duração de um desenvolvimento de determinadas atividades.
intervalo de tempo por
Conversa sobre aspectos históricos que envolvem o
meio de relógio.
dinheiro no Brasil.
GRANDEZAS E Registrar horários de início
Resolução de situações cotidianas que envolvem o sistema
MEDIDAS de períodos de tempo.
monetário.
O comprimento Identificar cédulas e
Resolução-problema, com base em folhetos de lojas e
Capacidade moedas do sistema
supermercados, envolvendo situações de compra.
monetário brasileiro.
Massa Sequência Didática 12
Estabelecer relações de
Tempo Estudo de gráficos
valor entre as cédulas e
O dinheiro moedas. Observação de informações apresentadas em tabelas ou
gráficos.
Resolver situações-
-problema que envolvam o Conversa sobre os resultados dispostos em tabelas
sistema monetário. ou gráficos, para compreender aspectos da pesquisa
apresentada.
Análise de resultados de informações ou pesquisas
organizados em tabelas ou gráficos.
Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
PÁGINA 5

Objetivos de ensino e Objetos de Prática Formas de


Temas Habilidades
aprendizagem conhecimento pedagógica avaliação
Identificar em situações cotidianas
a possibilidade de ocorrer eventos
(EF02MA21) Classificar resultados prováveis/improváveis.
de eventos cotidianos aleatórios Classificar resultados de eventos
como “pouco prováveis”, “muito cotidianos aleatórios, como: pouco
prováveis”, “improváveis” e prováveis, muito prováveis ou
“impossíveis”. improvável/impossível de acontecer.
(EF02MA22) Comparar Identificar informações em tabelas Análise da ideia de Identificação de
informações de pesquisas ou gráficos. aleatório em situações acontecimentos
apresentadas por meio de tabelas
Comparar informações de pesquisas do cotidiano. cotidianos destacando
de dupla entrada e em gráficos de a possibilidade de
PROBABILIDADE E apresentadas em tabelas ou Coleta, classificação e
colunas simples ou barras, para ocorrência ser provável/
ESTATÍSTICA gráficos. representação de dados
melhor compreender aspectos da possível ou improvável/
realidade próxima. Reconhecer informações em tabelas simples e
impossível.
organizadas em tabelas ou gráficos, de dupla entrada e em
(EF02MA23) Realizar pesquisa gráficos de colunas.
tendo em vista analisar resultados
em universo de até 30 elementos,
de pesquisas.
escolhendo até três variáveis
categóricas de seu interesse, Realizar pesquisas e registrar os
organizando os dados coletados dados coletados em tabelas ou
em listas, tabelas e gráficos de gráficos.
colunas simples. Comparar os dados pesquisados a
partir da organização dos resultados
em tabelas ou gráficos.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 10 - Matemática - 2o Ano
Coletânea de atividades: medidas de comprimento

Introdução
Conforme as BNCC, trabalhar grandezas e medidas contribui para a consolidação e
ampliação da noção de número, a aplicação de noções geométricas e a construção do pen-
samento algébrico. Nesse sentido, esta sequência propõe brincadeiras e situações-pro-
blema que envolvem medições de comprimento para que os alunos possam se apropriar,
gradativamente, de estratégias que envolvam unidades e instrumentos convencionais
de medida.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA16) Estimar, medir e comparar comprimentos de lados de • Cópia das atividades propostas ao longo da sequência
salas (incluindo contorno) e de polígonos, utilizando • Papel kraft
unidades de medida não padronizadas e padronizadas • Fita adesiva
(metro, centímetro e milímetro) e instrumentos
adequados.
Espaço
Pátio da escola; sala de aula, com os alunos divididos em grupos.
Objetivos de ensino e aprendizagem
• Resolução de problemas que envolvem medições de comprimento. Processo de avaliação contínua
Estabelecer um processo contínuo de avaliação com uma pauta de obser-
Objeto de conhecimento vação em que se possa aferir o quanto os alunos se apropriam, gradativa-
• Medida de comprimento: unidades não padronizadas e padronizadas mente, de instrumentos de medida mais precisos para mensurar diferentes
(metro, centímetro e milímetro). distâncias, o quanto fazem estimativas utilizando vocabulário adequado (lon-
ge, perto) e o quanto se apropriaram das unidades de medida convencionais
Duração (centímetro, metro).

4 aulas
Sequência Didática 10 - Coletânea de atividades: medidas de comprimento
Desenvolvimento
Aula 1 - Explorando o salto em distância 1. De que forma vocês verificaram o comprimento do pulo de cada um?
Proponha no pátio da escola uma brincadeira de Salto em distância. Para 2. Seria possível medir o comprimento dos pulos de outra forma?
isso, fazer uma linha no chão; os alunos deverão correr até essa linha e depois
saltar o mais longe que puderem. 3. Em algum momento ficaram em dúvida sobre o comprimento do
pulo de algum colega? Como fizeram para decidir quem pulou mais
Após a realização da brincadeira, pergunte-lhes como podem saber quem
longe?
pulou mais longe ou como podem medir o comprimento dos pulos. O objeti-
vo dessa discussão é proporcionar um momento de debate para que possam
expor suas ideias sobre medidas.
Faça um registro coletivo das descobertas que eles puderam construir
Nesse momento, é interessante que eles levantem o maior número de para ser fixado em um cartaz na lousa ou colado no caderno.
possibilidades de instrumentos e unidades de medidas convencionais e não
convencionais (por exemplo: pés, palmos, paus, palitos, barbantes, fita métri- Proponha mais uma vez a brincadeira Salto em distância em pequenos gru-
ca, régua etc.). Promova uma discussão sobre as sugestões dadas e questione pos, mas, dessa vez, com um desafio diferente: registrar em uma tabela (con-
quais elas acham que são mais ou menos precisas para medir comprimentos. forme o modelo a seguir) o comprimento de cada salto. Os próprios alunos
Registre na lousa as hipóteses levantadas. Não se preocupe, nesse momento, decidirão como fazer esse registro – provavelmente, aparecerão diferentes
em institucionalizar as unidades e instrumentos de medidas convencionais, formas de realizá-lo. Procure explorar toda a diversidade de hipóteses que
pois, antes, é interessante que os alunos percebam a necessidade de padro- surgirem quanto às medições.
nização de unidades, instrumentos e procedimentos de medida, para que
possam ser comparadas e comunicadas. Nome Comprimento do pulo

Aula 2
Após o levantamento das possibilidades feito na aula anterior, reor-
ganize os alunos em quartetos, proponha novamente a brincadeira do
Salto em distância.
Depois de realizar a atividade, proponha uma roda de conversa a partir das
seguintes questões: Ao final desta proposta, organize uma socialização sobre as formas de re-
gistro que apareceram e elabore um registro coletivo intitulado: “Diferentes
formas de registrar o comprimento dos objetos”.
Sequência Didática 10 - Coletânea de atividades: medidas de comprimento
Aula 3 Após essa discussão em pequenos grupos, abra para uma roda de conversa
coletiva para que todos falem sobre o que discutiram da situação-problema
Proponha para a classe a seguinte situação-problema: apresentada.
Caso não apareça nenhum comentário sobre ter uma mesma unidade de
As crianças do 2o ano C estavam brincando de salto em distância e medida para resolver o problema dos passos, comente que os alunos do 2o
aconteceu a seguinte situação: ano C resolveram o mesmo problema da seguinte maneira:
Mariana disse:
— Já sei! Cada um mede o comprimento de seu pulo com passos! João disse:
Pedro disse: — Acho que está dando esta diferença, porque seu passo é menor
— A minha medida deu três passos e a do João deu dois passos gran- do que o meu!
des e mais um pouco. Pedro disse:
João não concordou: — E meu pé, também, é menor do que o seu!
— Como sua medida deu 3 passos se eu fui mais longe? João disse:
— Já sei! Vamos pedir para a nossa amiga Tati medir as distâncias,
Organize os alunos em pequenos grupos e peça que discutam esse proble- pé com pé.
ma a partir das seguintes questões: Tati, então, mediu as distâncias e descobriu que o salto de João tinha
o comprimento de 5 pés e o de Pedro, 4 pés.
a. Por que João e Pedro estranharam as medidas encontradas? O que
vocês acham que aconteceu? Depois de apresentar a situação descrita, proponha uma nova discussão,
b. Como esses meninos poderiam medir de forma que não houvesse nos pequenos grupos, questionando se o modo como João e Pedro resolve-
dúvidas entre eles? ram o problema estava certo e por quê.
Peça aos alunos que registrem no caderno as descobertas que fizeram a
Com essa discussão espera-se que os alunos identifiquem que as medidas partir dessa discussão.
encontradas por Pedro e João são diferentes devido à diferença de compri-
mento nos passos dados por eles e na altura do salto de ambos. A ideia é Conte a eles que, antigamente, as pessoas mediam comprimentos usando
que essa discussão possa incentivar os alunos a pensarem que, para medir como referência os pés e as mãos (palmos) dos reis ou de outras personali-
o comprimento, é preciso ter a mesma unidade de medida, por exemplo, o dades. Hoje, a medida denominada pé, tem um valor-padrão fixo e é utilizado
passo de uma mesma pessoa. somente em alguns países.
Sequência Didática 10 - Coletânea de atividades: medidas de comprimento
Aula 4 Atividade complementar
Proponha aos alunos que, em grupos, meçam alguns objetos da sala usan- Traga para esta aula uma fita métrica para cada aluno, ou pelo menos uma
do pés e palmos e registrem em uma tabela, conforme o modelo a seguir. para cada dupla ou trio. Permita que explorem livremente esse instrumento
de medida e proponha uma análise com perguntas, como:
Objetos Comprimento
Pés Palmos • Em que número a fita métrica começa?
Mesa do professor • Em que número a fita métrica termina?
Lousa • Vocês sabem o nome de cada um dos pedacinhos em que está dividi-
Porta da a fita métrica?

Quando os grupos terminarem essa atividade, organize uma rodada


Depois disso, proponha que escolham objetos para medir com a fita mé-
de socialização em que cada grupo apresente sua tabela com as medidas.
trica e registrem as medidas obtidas. Espera-se com essa proposta que iden-
Questione-os sobre as diferenças que apareceram em cada tabela e se existe
tifiquem quais objetos podem ser medidos com a fita métrica (janelas, lousa,
um modo de medir com exatidão esses objetos, já que, certamente, com pas-
móveis em geral) e as diferentes medidas que cada objeto tem.
sos e pés haverá uma diferença entre as medições que cada grupo realizou.
Socialize as medidas obtidas pelos alunos e incite-os a refletir, com per-
Conte a eles que, em tempos antigos, quando eram usados o palmo e os guntas como:
pés como medida, foram observadas variações nas medidas e, a partir disso,
passou-se a buscar outras formas de medir para garantir que as medidas fos- • Para medir o comprimento de uma cadeira, é possível usar uma fita
sem iguais em todos os lugares. Uma das unidades de medida encontradas para métrica?
resolver esse problema foi o metro. Pergunte se eles sabem o que é o metro?
• Para medir o comprimento de uma pulga, será que a fita métrica é o
Conte a eles que o metro pode ser encontrado nas fitas métricas e o cen- melhor instrumento?
tímetro nas réguas e foi dividido em unidades menores, por exemplo, o centí-
• Para medir a distância entre a escola e o centro digital, é possível usar
metro (1 metro equivale a 100 centímetros).
a fita métrica?
Sequência Didática 10 - Coletânea de atividades: medidas de comprimento
O objetivo dessa proposta é fazer com que percebam que para medir al- Nesta aula, seria interessante registrar, utilizando folhas de papel kraft
guns comprimentos a fita métrica não é a mais indicada. coladas na parede com fita adesiva, a atual altura de cada aluno e pedir que
descubram o quanto cresceram. É importante usar como unidade de medida,
Verificação da aprendizagem para essa proposta, o centímetro.
Proponha novos problemas envolvendo medidas de comprimento, por Outra proposta é solicitar a eles que estimem a sua altura e a do professor
exemplo, a própria altura, a de um colega, a comparação de quem é o mais de outra sala, a do diretor da escola, do coordenador ou outros funcionários
alto ou o mais baixo da sala etc. Peça que organizem os registros no caderno, da escola e depois meçam essas pessoas usando a fita métrica.
como o exemplo a seguir:
Depois, solicite que respondam às seguintes questões:

• Você estimou a medida a mais ou a menos?


a. Minha altura é • Quantos centímetros a mais ou a menos?

b. Meu colega mede Encerre as discussões dessa coletânea fazendo um registro no caderno
intitulado “Nossas descobertas sobre medidas de comprimento”. Analise
os comentários feitos pelos alunos para identificar quais conhecimentos
c. Quem é mais alto? eles construíram e para pensar em novos desafios envolvendo medidas de
comprimento.
Você pode, também, propor como lição de casa que os alunos perguntem Espera-se que os alunos avancem em suas concepções sobre medidas e
a seus pais ou responsáveis com quantos centímetros nasceram e tragam o passem a usar os conhecimentos adquiridos ao longo dessas atividades em
registro dessa informação para a aula seguinte. novas propostas sobre o tema.
Material Digital do Professor
Sequência Didática 11 - Matemática - 2o Ano
Uso do calendário

Introdução
Todos os dias, os alunos veem calendários que contêm informações de uso habitual.
O calendário pode ser utilizado para aprender sobre o tempo, mas também como fonte
de informação e pesquisa para a leitura e o registro de números.
Há diferentes tipos de calendários utilizados socialmente (folhinhas anuais, mensais,
semanais) que podem ser utilizados com diferentes funções na escola. As atividades a
seguir estão centradas na análise do modelo mais clássico e conhecido.
O trabalho com o calendário deve ser realizado durante o ano todo. Para isso, provi-
dencie um calendário – tipo folhinha – com uma página para cada mês, preferencialmente.
Encontrar e copiar a data, saber o dia, são atividades interessantes que acontecem ao
longo do ano, no entanto, sabemos que aquilo que se faz rotineiramente perde o sentido
e deixa de ser um problema para as crianças resolverem. Se você propõe, por exemplo,
que o aluno “marque no calendário o dia de hoje com um X”, no dia seguinte, para encon-
trar o número desejado, bastará olhar para o número que está logo depois do X. Dessa
forma, uma atividade que poderia ser rica e desafiadora transforma-se em uma atividade
mecânica que não beneficia a aprendizagem. Quando os alunos necessitam encontrar um
número no calendário que não tem essas marcas, precisam colocar em ação diferentes
procedimentos. Por exemplo, quando necessitam encontrar um número cuja escrita con-
vencional não conheçam, poderão apoiar-se na recitação da série oral e ir contando, apon-
tando para os números, do 1 até chegar ao número desejado, ou ainda buscar um número
conhecido, próximo ao desejado e, a partir dele, seguir contando.
Sequência Didática 11 - Uso do calendário
Habilidades da BNCC Duração
(EF02MA18) Indicar a duração de intervalos de tempo entre duas Ao longo de todo o ano
datas, como dias da semana e meses do ano, utilizando
calendário, para planejamentos e organização de agenda. Materiais
• Diversos modelos de calendário (tipo folhinha, de mesa e de parede)
Objetivos de ensino e aprendizagem
Espaço
• Utilização das unidades de tempo para localizar acontecimentos.
• Compreensão do funcionamento dos números em um contexto específi- Sala de aula.
co: calendário.
• Utilização do calendário como forma de organizar acontecimentos e com-
Processo de avaliação contínua
promissos comuns ao grupo, interpretando a série numérica, compreen- A avaliação deve se dar durante toda a realização da sequência. Nesse
dendo certas regularidades das medidas de tempo, como dia, mês e ano. processo, é importante estabelecer uma pauta de observação em que se pos-
sa verificar o quanto os alunos se apropriam, gradativamente e com maior
Objeto de conhecimento autonomia, dos procedimentos para utilização de calendário e agenda, de-
monstrando um maior conhecimento sobre a leitura e escrita de números em
• Medidas de tempo: intervalo de tempo, uso do calendário, leitura de ho- um contexto específico.
ras em relógios digitais e ordenação de datas.

Desenvolvimento
Aula 1 - Atividades para localização da data Aula 2 - Data dos aniversários
Organize os alunos em roda para uma conversa sobre o calendário. Organize uma conversa com os alunos sobre as datas em que fazem ani-
versários e ajude-os a marcar cada uma no calendário da sala.
Leve um calendário tipo “folhinha” para a roda do grupo. Pergunte quem
tem um calendário parecido com esse em casa e como é utilizado. Explique Leve o calendário para a discussão e ajude os alunos a marcarem a data
que o calendário ficará fixado na sala e que eles poderão consultá-lo em di- de aniversário de cada um. É possível que alguns ainda não saibam as datas
ferentes momentos: para colocar a data em alguma tarefa, para saber o dia de seus aniversários, portanto, é importante que você consulte previamen-
do aniversário dos colegas, do passeio que a turma realizará ou ainda quando te a ficha de matrícula de cada um, ou pergunte essa data a seus pais ou
precisarem escrever algum número que não conheçam. responsáveis.
Diariamente, um dos alunos deverá ficar responsável por localizar a data Posteriormente, monte um quadro de aniversariantes da turma: coloque o
no calendário e escrevê-la na lousa para que seus colegas possam anotá-la nome, a data do aniversário e a idade de cada um.
em seus trabalhos. Inicialmente, é provável que você, precise auxiliá-los nessa
tarefa, porém, é importante que, progressivamente, eles passem a realizar
essa tarefa sozinhos, em busca de autonomia.
Sequência Didática 11 - Uso do calendário
Com o quadro pronto proponha questões, como:
Janeiro Fevereiro Março
dia nome idade dia nome idade dia nome idade • Quantos fazem aniversário no mês de março?
• Qual mês tem a maior quantidade de crianças fazendo aniversário? E
a menor?
• Que mês não há nenhum aniversário?
Abril Maio Junho
Propostas recorrentes com o calendário – Atividades e
dia nome idade dia nome idade dia nome idade
acontecimentos da rotina escolar
O calendário é um instrumento importante também para organizar a roti-
na escolar. Organize novamente uma conversa, tendo em mãos o calendário
(uma sugestão é realizar essa atividade todo início de mês). Durante essa
Julho Agosto Setembro conversa, oriente os alunos a marcarem os acontecimentos e compromissos
importantes do grupo para o ano – feriados, eventos organizados na escola,
dia nome idade dia nome idade dia nome idade passeios etc.

Atividade complementar
Problemas envolvendo a observação de características e regularidades
das informações presentes no calendário.
Outubro Novembro Dezembro
Além da utilização do calendário, como instrumento organizador dos acon-
dia nome idade dia nome idade dia nome idade tecimentos e atividades do grupo, como marcar compromissos importantes
do grupo, averiguar que dia será o seguinte, localizar as datas de aniversários
das crianças, é possível, vez por outra, propor atividades que envolvam a ne-
cessidade de entender a distribuição da informação no calendário. Organize
rodas de conversa acerca desse assunto e proponha, em alguns casos, que os
alunos registrem essas informações.
Formule perguntas relacionadas com a unidade semana ou com a estrutu-
ra de um mês do calendário. Por exemplo:
Sequência Didática 11 - Uso do calendário
a. Se hoje é segunda-feira: • Quantos dias faltam para o passeio ao jardim zoológico?
>> Quantos dias faltam para chegar ao próximo domingo? • Vocês já sabem que ensaiamos toda terça-feira. Então, quantos
dias teremos para ensaiar a quadrilha?
>> Que dia da semana será dentro de 7 dias?
>> Que dia da semana foi há 5 dias?
Proponha que observem a Lua no céu durante certo período e marquem
>> Que dia da semana será dentro de uma semana? E dentro de 3 no calendário a data em que ela muda de fase. Se julgar pertinente, comente
semanas? que as divisões do calendário estão baseadas nos movimentos que podemos
b. Olhando um calendário, é possível ver: observar do Sol e da Lua. O mês era calculado pelos povos antigos como o
tempo entre duas luas cheias. Vista da Terra, a Lua muda de aspecto, mos-
>> Quantos dias há em uma semana?
trando quatro formas bem distintas: ora ela é bem redondinha, cheia de luz
>> Quantos dias há neste mês? (Lua cheia); depois, vai diminuindo a parte iluminada, vai minguando (quarto
>> Em que dia da semana começa este mês? minguante); depois fica bem fininha, quase desaparece (Lua nova); finalmen-
te, volta a crescer a parte iluminada (quarto crescente).
>> Quantas segundas-feiras há neste mês?
>> Quantos dias há entre quinta-feira e sábado? Verificação da aprendizagem
>> Quantos dias há entre sábado e quinta-feira? Espera-se que os alunos avancem em suas concepções sobre o funciona-
>> Quantas semanas completas há em um mês? mento do calendário e possam usar os novos conhecimentos para poder usar
outros recursos de organização e registro do tempo, como, por exemplo, a
Você pode propor também problemas que envolvam o cálculo de dura- agenda escolar.
ções. Por exemplo: quando se deseja saber quantos dias faltam para um pas-
seio, para um aniversário, quantos dias terão para ensaiar uma apresentação
que estão preparando ou quantos dias se passaram desde que começou o
mês. Ou, ainda, situações do tipo:
Material Digital do Professor
Sequência Didática 12 - Matemática - 2o Ano
Estudo de gráficos

Introdução
Embora as tabelas e gráficos façam parte do cotidiano dos alunos, como em jornais, re-
vistas etc., sendo utilizados para apresentar e relacionar diferentes informações, a leitura
e compreensão desses recursos ainda é bastante desafiador para os alunos dos anos ini-
ciais do Ensino Fundamental. Nesta sequência, as atividades visam favorecer a diversidade
de leitura e a escrita de dados em tabelas e gráficos.

Habilidades da BNCC Materiais


(EF02MA22) Comparar informações de pesquisas apresentadas por • Jornais e revistas em que apareçam diferentes tipos de gráfico
meio de tabelas de dupla entrada e em gráficos de colunas • Papel quadriculado
simples ou barras, para melhor compreender aspectos da • Lápis
realidade próxima.
• Régua

Objetivos de ensino e aprendizagem Espaço


• Ampliar repertório de estudo de gráficos. Sala de aula.

Objeto de conhecimento Processo de avaliação contínua


• Coleta, classificação e representação de dados em tabelas simples e de A avaliação desta sequência deve ser contínua e levar em conta a partici-
dupla entrada e em gráficos de colunas. pação dos alunos em questões e comentários pertinentes nos momentos de
pesquisa e socialização das informações, tanto nos subgrupos quanto com
Duração toda a turma. É importante fazer uma pauta de observação em que se possa
acompanhar o quanto os alunos avançam na construção, leitura e interpreta-
4 aulas
ção dos gráficos e tabelas.
Sequência Didática 12 - Estudo de gráficos
Desenvolvimento
Aula 1 - Proposta e pesquisa Divida a turma em grupos de quatro e proponha que entrevistem colegas
de outras classes. Explique que cada grupo deve levar um caderno com uma
Proponha à turma uma pesquisa sobre gráficos em jornais e revistas. tabela (como o exemplo a seguir), em que as respostas serão registradas.
Divida os alunos em grupos de quatro integrantes e distribua, para cada um,
materiais que contenham vários tipos de gráfico – barras, linhas, pizza etc. Livro que os alunos mais gostaram
Certifique-se de que os gráficos escolhidos tratem de temas que os alunos
têm familiaridade – número de alunos na escola, dados sobre desmatamento, Nome do entrevistado Livro 1 Livro 2 Livro 3 Livro 4 Livro 5
população etc.
Aula 2
João 1
Selecione alguns gráficos de barras para uma análise detalhada. Você
pode utilizar a lousa digital ou o computador para essa análise, pois é mais
fácil compreender o gráfico quando é colorido ou impresso na folha. Comece
perguntando aos alunos quais são as principais informações apresentadas: O Maria 1
que mostra cada gráfico? Do que ele trata?
Em seguida, chame a atenção da turma para as diferentes escalas e inter-
valos utilizados. Explique aos alunos que, na hora de criar um gráfico, é preci- Fernando 1
so pensar em uma escala em que caibam todas as informações que queremos
apresentar. Se os dados que vamos inserir variam de zero a dez, o gráfico
deve ter, pelo menos, uma escala com esses valores.
Henrique 1
Aula 3
Proponha que a turma faça uma pesquisa de opinião na escola sobre os
livros preferidos de outra turma de 2º ano (ou de qualquer outra série da es-
José 1
cola). Comece explicando que a atividade consiste em um levantamento de
informações sobre um tema determinado. Para isso, é preciso escolher um
assunto, formular perguntas e conversar com os entrevistados.
Sequência Didática 12 - Estudo de gráficos
Atividade complementar Verificação da aprendizagem
De volta à sala, proponha que as informações obtidas sejam socializadas Para este momento, peça que cada grupo elabore um gráfico de barras
e registradas em uma tabela coletiva. Em seguida, peça aos grupos que se para expressar os resultados obtidos. Para isso, retome as explicações das
reúnam e somem os resultados, como no exemplo a seguir, em que se pode aulas anteriores. Mostre a eles que, em primeiro lugar, é preciso traçar os
observar que 22 alunos gostam do Livro 1, 16 gostam do Livro 2, 14 do Livro eixos x e y no papel quadriculado com a ajuda da régua. Em seguida, cada gru-
3 e assim por diante: po deve definir a escala e os intervalos que lhes parecerem mais eficientes
para apresentar os dados. É provável que surjam opções diferentes, o que irá
enriquecer a discussão dos resultados.
Livro que os alunos mais gostaram
Ao final, exponha os gráficos construídos pelos alunos em uma parede
Livro 1 Livro 2 Livro 3 Livro 4 Livro 5 da sala. Peça que façam um registro no caderno sobre o que eles puderam
aprender sobre gráficos durante essa sequência.
Número de alunos 22 16 14 12 5 Espera-se que os alunos ampliem seus conhecimentos a respeito do fun-
cionamento de gráficos e sua utilidade para a compreensão de mundo.
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
Questões
1. O gráfico a seguir apresenta a quantidade de alunos por turma que gosta Quantas maças o atendente pegou para Catarina?
de voleibol. A altura de cada coluna representa a quantidade de alunos
que gostam de voleibol, por exemplo, a altura da turma azul é 7, então 7 a. 3
pessoas da turma gostam de voleibol b. 6
Estudantes que gostam de Voleibol
c. 9
8
7 3. Os alunos de uma classe querem ir à sala de brinquedos e à quadra. Para
6 isso, a professora resolveu deixar metade deles na sala de brinquedos e
5
enquanto isso levou a outra metade para a quadra. Veja a imagem dos
4
3 alunos na sala de brinquedos:
2

GraphicsRF/Shutterstock
1
0
Turma Turma Turma Turma
Azul Amarela Verde Vermelha

Qual é o total de estudantes das quatro turmas que gostam de voleibol?

a. 20
b. 22
c. 23
Adolar

2. Sandro foi ao mercado e pediu


ao atendente 3 maçãs. Catarina
a. Quantos alunos ficaram na sala de brinquedos?
que estava junto com Sandro
disse que queria o dobro de maçãs.
b. Quantos alunos compõe a turma?
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
4. Luiz e Joaquim estão decorando ovos de galinha para uma gincana na es- 6. Nicolas ganhou 5 reais de sua mãe e deseja comprar uma bolsa.
cola. Ajude-os, pintando um terço dos ovos. Ao chegar na loja o vendedor avisa que ele precisa do triplo desse valor
para conseguir comprar a bolsa. Qual o valor da bolsa?
a. 10 reais

Giz de Cera
neelsky/Shutterstock
b. 15 reais
c. 20 reais

5. Laura e Lucas foram estudar no parque e para fazer um lanche leva-


ram 21 salgadinhos. Para a surpresa dos dois chegaram mais 4 amigui- 7. Guilherme ganhou algumas borrachas e resolveu colocá-las enfileiradas
nhos. Ao fazer um cálculo eles perceberam que precisavam do triplo ao lado de um lápis e uma garrafa.
de salgadinhos.
GraphicsRF/Shutterstock

Chones/Shutterstock, apnskp/Shutterstock,
tomazas/Shutterstock
Observe a imagem e responda:

Qual o total de salgadinhos que eles precisam? Faça o cálculo e marque a a. Qual é o total de borrachas que Guilherme enfileirou?
opção que apresenta este número.
b. O lápis mede borrachas.
a. 53
b. 60 c. A garrafa mede borrachas.

c. 63 d. Quantas borrachas não foram usadas para medir a garrafa?


Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
8. Davi encontrou uma fita métrica em sua casa e resolveu medir a altura de 10. Observe as figuras e complete o quadro abaixo de acordo com a capaci-
dois móveis. dade de cada um:
GraphicsRF/Shutterstock

Photodisc

Early Spring/Shutterstock

Roman Sigaev/
Shutterstock

Anggara dedy/
Shutterstock

3DSguru/Shutterstock
Refrigerante Xampu Leite
Depois de medir ele descobriu que a altura da cadeira com o encosto

Picsfive/Shutterstock

Coprid/Shutterstock
mede 115 centímetros e a mesa mede 106 centímetros.

Africa Studio/
Shutterstock
a. Qual objeto é mais alto?

b. Qual a diferença, em centímetros, das duas alturas medidas? Garrafão


Álcool Iogurte
de água
9. Os números da régua estão apagados, mas mesmo assim é possível medir
a caneta. Menos de meio litro 1 litro Mais de 1 litro
a. Escreva os números que estão apagados:

Designsstock/Shutterstock ,Studio
KIWI/Shutterstock

b. Quantos centímetros mede a caneta?


12
11 1
12

Avaliação de Matemática - 2 Ano - 4 Bimestre o 2 o


10 2
11 1
10
9 3 9 3
8 4
11. Marque o instrumento que é usado para medir massa? 7 6 5 que se encontram em países8diferentes,
13. Dois amigos, 4 estavam conver-
7 5
sando pela internet e resolveram enviar fotos dos6 relógios de suas casas.

Vereshchagin Dmitry/Shutterstock

Maspi

Maspi
Photodisc
Corel

a. Que horas são no primeiro relógio?


b. Que horas são no segundo relógio?
c. Qual o intervalo de tempo mostrado entre os dois relógios?

14. Marina quer presentear sua mãe e ao chegar na loja viu a seguinte
12. Observe o calendário abaixo e responda as perguntas a seguir. promoção:

Giz de Cera
Equipe NATH

Ajude Marina a separar a quantidade de cédulas ou moedas para realizar


a compra. Contorne um conjunto de cédulas ou moedas que somadas dão
a. Se hoje for dia 16 de março qual dia será 1 semana depois? 13 reais.

Casa da
Moeda

Banco
Central do
Brasil
b. Caso fosse 27 de abril qual dia será 2 semanas depois?

c. E caso fosse 17 de maio, qual dia será 3 semanas depois?


Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
15. Caio tem a seguinte quantia em dinheiro: Ele quer trocar por cédulas de maior valor. Marque qual o conjunto de
cédulas que ele pode trocar:

Banco Central
do Brasil
Casa da
Moeda
a.

b.

c.
Material Digital do Professor
Gabarito
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre
Resposta correta: letra b) 6.
Questão 1
Comentários da questão: Nessa resolução é importante que o aluno com-
preenda o que é dobro, ou duas vezes mais. Anotações de todos os passos po-
(EF02MA22) Comparar informações de pesquisas apresentadas por
dem ajudar os estudantes com mais dificuldade, como, por exemplo: Sandro 3
meio de tabelas de dupla entrada e em gráficos de colunas
maçãs; Catarina 3 + 3 maçãs.
simples ou barras, para melhor compreender aspectos da
realidade próxima.
Questão 3
Resposta correta: letra b) 22.
Comentários da questão: O gráfico constitui um apoio visual importante (EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro,
que deve ser bem explorado. Para encontrar a quantidade total de alunos, metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou
podem-se contar as linhas, com apoio do eixo vertical e anotar acima de cada material manipulável, utilizando estratégias pessoais.
coluna. Para melhor compreensão também é possível utilizar papel quadricu-
lado, facilitando assim a contagem, para o caso de dificuldade. Resposta correta: letra a) 6 alunos, letra b) 12 alunos.
Comentários da questão: O aluno precisa lidar com os conceitos de metade
Questão 2 e dobro ao mesmo tempo, conforme a linguagem usada no problema. Esses
dois conceitos podem ser trabalhados juntos. Desenhar a quadra e represen-
tar as crianças que estariam lá pode ajudar os alunos com dificuldade.
(EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro,
metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou
material manipulável, utilizando estratégias pessoais.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre - Gabarito
os dados que serão importantes na resolução é fundamental, pois embora
Questão 4 apareçam os personagens Laura e Lucas e os 4 amiguinhos que chegaram,
esses são dados que não serão usados efetivamente na resolução, que pode
(EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro, ser feita por meio de cálculo escrito, mental ou mesmo por desenhos e esque-
metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou mas. Para auxiliar os estudantes na resolução pode-se pensar em esquemas
material manipulável, utilizando estratégias pessoais. que levem à ideia de triplo como “três vezes” a quantidade”, mas busquem
evoluir e já não precisem efetivamente desenhar 21 salgadinhos.
Resposta correta: Uma possibilidade de se colorir um terço:
neelsky/Shutterstock
Salgadinhos que tinham: 21

Triplo de salgadinhos:
21 21 21

Há outras possiblidades de resposta, desde que sejam coloridos 6 dos 18 Depois dessa compreensão, pode-se registrar:
ovos.
3 x 21 =     ou  21 + 21 + 21 =
Comentários da questão: Aqui é importante a compreensão de que um terço
de uma coleção de objetos ou elementos é o mesmo que dividir a quantidade
desses objetos ou elementos por 3. Materiais manipulativos podem ajudar,
Questão 6
como, por exemplo, tampinhas ou palitos de sorvete. Para melhor visualiza-
ção em caso de dificuldade procure separar a quantidade total e depois da (EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro,
separação em grupo, apresente-os bem separadamente. Lidar com outras metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou
quantidades também deve ser incentivado, mas para o caso de terços, nessa material manipulável, utilizando estratégias pessoais.
faixa etária, precisamos de múltiplos de 3.
Resposta correta: letra b) 15 reais.
Questão 5 Comentários da questão: Aqui a ideia de triplo envolve a questão de di-
nheiro e pode ser mais abstrato para os alunos, pois é preciso compreender
que trata-se do triplo de notas no valor de 5 reais. Desenhos e as cédulas
(EF02MA08) Resolver e elaborar problemas envolvendo dobro,
pedagógicas podem ajudar na visualização e totalização do preço a ser
metade, triplo e terça parte, com o suporte de imagens ou
pago pela bolsa. Descrever a situação também ajuda na visualização, como
material manipulável, utilizando estratégias pessoais.
por exemplo:
Resposta correta: letra c) 63. Valor que Nicolas tinha: 5 REAIS
Comentários da questão: O aluno precisa compreender a história que se pas- Triplo do valor: 5 REAIS 5 REAIS 5 REAIS
sa no problema e ao mesmo tempo lidar com o conceito de triplo. Selecionar
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre - Gabarito
questões, é necessário trabalhar com as medidas de cada um, em centíme-
Questão 7 tros. Para alunos com dificuldade, em comparar as medidas e encontrar a
diferença entre elas, pode-se usar barbante, separando dois pedaços com as
(EF02MA16) Estimar, medir e comparar comprimentos de lados de medidas indicadas. Depois estica-se os dois e pode ficar mais fácil perceber
salas (incluindo contorno) e de polígonos, utilizando a diferença de forma prática. Ao final, apresente também o cálculo escrito:
unidades de medida não padronizadas e padronizadas
115 – 106 =   ou 106   + ? = 115.
(metro, centímetro e milímetro) e instrumentos
adequados. Em ambos pode-se encontrar a diferença usando como estratégia a conta-
gem nos dedos ou cálculo mental.
Resposta correta: letra a) 7 borrachas, letra b) o lápis mede 3 borrachas, le-
tra c) a garrafa mede 4 borrachas, letra d) 3 borrachas. Questão 9
Comentários da questão: A prática da medida utilizando unidades não pa-
dronizadas deve ser incentivada. Outros objetos que costuma ser mais nu- (EF02MA16) Estimar, medir e comparar comprimentos de lados de
merosos na sala de aula podem ser utilizados, como, por exemplo, palitos de salas (incluindo contorno) e de polígonos, utilizando
sorvete ou palitos de fósforo (todos com a mesma medida). A prática, usando unidades de medida não padronizadas e padronizadas
objetos como unidade de medida, é que ajuda na percepção de alunos com (metro, centímetro e milímetro) e instrumentos
dificuldade. adequados.

Questão 8 Resposta correta: letra a) , letra b) 13 cm.


Comentários da questão: É importante a familiaridade com esse instrumen-
(EF02MA16) Estimar, medir e comparar comprimentos de lados de to de medida, a régua. Dificuldades podem surgir na marcação no início da
salas (incluindo contorno) e de polígonos, utilizando régua, com a posição do zero e do 1.
unidades de medida não padronizadas e padronizadas
(metro, centímetro e milímetro) e instrumentos
adequados.
A observação e manipulação de vários instrumentos de medida de compri-
Resposta correta: letra a) cadeira, letra b) 9 cm.
mento podem ajudar, bem como sua utilização para medir objetos do cotidia-
Comentários da questão: Embora a diferença de altura entre os objetos no escolar: lápis, caneta, cola.
possa ser constatada visualmente, para dar continuidade na resolução das
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre - Gabarito
Resposta correta: letra c).
Questão 10
Comentários da questão: Em caso de dificuldade pode-se levar para a sala
de aula instrumentos de medidas, enfatizando o que cada um mede. Pode-
(EF02MA17) Estimar, medir e comparar capacidade e massa,
se levar também ilustrações de diferentes balanças (os alunos podem ter a
utilizando estratégias pessoais e unidades de medida não
recordação da balança apresentada na ilustração como a usada em consultó-
padronizadas ou padronizadas (litro, mililitro, cm3, grama e
rios médicos). Pode-se perguntar sobre outros lugares em que encontramos
quilograma).
balanças, como, por exemplo, nas farmácias.
Resposta correta: Cuidado apenas ao trabalhar a massa dos alunos, usando uma balança em
sala. Embora os alunos sejam muito curiosos em relação à sua massa, a situa-
Menos de Meio Litro 1 litro Mais de 1 litro ção pode levar ao bullying. Uma boa forma de utilização da balança pode ser
Garrafa de refrigerante pesar as mochilas dos alunos.
Iogurte Caixa de leite
de 2 litros
Xampu Álcool Garrafão de água Questão 12

Comentários da questão: Nem sempre é fácil se basear apenas em ilustra- (EF02MA18) Indicar a duração de intervalos de tempo entre duas
ções para concluir sobre as capacidades, por isso é importante uma boa expe- datas, como dias da semana e meses do ano, utilizando
riência manipulando embalagens e instrumentos de medida de capacidade, calendário, para planejamentos e organização de agenda.
comparando tamanhos e capacidades de embalagens. Para o caso de dificul-
dade, volte a essa prática de observação, leitura de rótulos e manipulação, Resposta correta: letra a) 23 de março, letra b) 11 de maio, letra c) 7 de junho.
utilizando inclusive líquidos. Uma caixa com várias dessas embalagens pode Comentários da questão: O trabalho com calendário deve fazer parte da
ajudar. rotina diária do professor. Muitas questões podem ser exploradas nesse sen-
tido: data diária, mês e meses do ano, dia da semana, quanto tempo falta para
Questão 11 determinados eventos, entre outros. É importante explorar também as abre-
viações que aparecem no calendário, como, por exemplo, o dia da semana
(EF02MA17) Estimar, medir e comparar capacidade e massa, (D, S, T, Q, Q, S, S). Para alunos com dificuldade, sugere-se o manuseio de um
utilizando estratégias pessoais e unidades de medida não calendário, em que se possa circular determinadas datas e fazer marcações
padronizadas ou padronizadas (litro, mililitro, cm3, grama e que auxiliem na contagem das semanas. Incentive-os a usar esse tipo de mar-
quilograma. cação também na ilustração do calendário que aparece na questão.
Avaliação de Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre - Gabarito
Há outras formas, desde que seja circulada a quantia de R$ 13,00. Caso os alu-
Questão 13 nos circulem ou marquem as notas separadamente, desde que com a quantia
correta, a resposta deve ser considerada.
(EF02MA19) Medir a duração de um intervalo de tempo por meio de
Comentários da questão: Um mercadinho pode tornar mais dinâmica a si-
relógio digital e registrar o horário do início e do fim do
tuação para que o aluno possa reunir as cédulas e moedas e identificar como
intervalo.
é possível fazer o pagamento de acordo com o problema. Dinheiro para fins
Resposta correta: letra a) 12 horas, letra b) 14 horas, letra c) 2 horas. pedagógicos ou desenhos que imitem o Real podem ajudar. Pode-se simular
várias situações de compra, progressivamente avançando para quantidades
Comentários da questão: Explore com os alunos vários tipos de instrumen- maiores. Caso deseje usar folhetos de propaganda, selecione produtos com
tos para medir o tempo, inclusive os relógios digitais. Caso não saibam, explo- valores inteiros, como, por exemplo, R$ 10,00, R$ 12,00, R$ 15,00.
re também a questão do fuso horário.
Para dificuldade em perceber a diferença entre os dois relógios, pode-se or- Questão 15
ganizar um quadro, mostrando a passagem das horas:

Hora inicial 12:00 (EF02MA20) Estabelecer a equivalência de valores entre moedas e


cédulas do sistema monetário brasileiro para resolver
+ 1 hora 13:00 situações cotidianas.
+ 1 hora 14:00
+ 1 hora 15:00 Resposta correta: letra a) duas cédulas de 20 reais.
+ 1 hora 16:00 Embora a letra “c” tenha a mesma quantidade enquanto valor e seja possível a
troca, no enunciado, estabelece-se que Caio quer trocar por cédulas de maior
.... ....
valor.
Questão 14 Comentários da questão: Situações como a apresentada podem se tornar
mais dinâmicas se envolverem material manipulativo e o aluno possa reunir
as cédulas e moedas e identificar como é possível fazer a troca, de acordo
(EF02MA20) Estabelecer a equivalência de valores entre moedas e com o problema. Dinheiro para fins pedagógicos ou desenhos que imitem o
cédulas do sistema monetário brasileiro para resolver Real podem ajudar. Pode-se simular várias situações de troca, progressiva-
situações cotidianas. mente avançando para quantidades maiores.
Resposta correta:
Central do Casa da
Brasil Moeda
Banco
Material Digital do Professor
Acompanhamento da aprendizagem
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre

4o BIMESTRE
ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 4o BIMESTRE TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Ficha de Acompanhamento - Matemática - 2o Ano - 4o Bimestre

ALUNO
N DO
o AVALIAÇÃO 4 BIMESTRE
o
TOTAL DE AVALIADO
NOME DO ALUNO COMO
ALUNO ACERTOS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 A P N
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
Assinalar com X os acertos e ao final registrar o número de acertos.
Diante do que foi proposto e do que era esperado, avaliar o aluno de acordo com a legenda ao lado.
LEGENDA:
IMPORTANTE: Lembrar que a avaliação do aluno deve ser composta com outras atividades co- A - Atingiu satisfatoriamente o objetivo
tidianas (em grupo, duplas etc.), desempenho nas Sequências Didáticas, autoavaliação e demais P - Atingiu parcialmente o objetivo
atividades complementares que permearam o bimestre. N - Não atingiu o objetivo
Material Digital do Professor
Projeto Integrador - 2o Ano
Trançados indígenas
Componentes curriculares: Matemática e Arte

Projeto: Trançados indígenas - 2o Ano

Objetivos de ensino e aprendizagem Objetos de conhecimento Habilidades da BNCC

• Desenvolver percepções geométricas, de perspectiva e apreciação estética; (EF02MA15) Reconhecer, comparar e nomear
figuras planas (círculo, quadrado, retângulo e
• Distinguir figuras geométricas, explorando e reconhecendo suas características;
triângulo), por meio de características comuns, em
• Agir individual ou cooperativamente com autonomia, responsabilidade e desenhos apresentados em diferentes disposições
flexibilidade, no desenvolvimento e/ou na discussão de projetos, que abordem, ou em sólidos geométricos.
Matemática
sobretudo, questões de urgência social, com base em princípios éticos,
democráticos, sustentáveis e solidários, valorizando a diversidade de opiniões, de Figuras geométricas planas (círculo,
indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza. quadrado, retângulo e triângulo):
reconhecimento e características.
• Interagir com seus pares de forma cooperativa, trabalhando coletivamente
no planejamento e no desenvolvimento de pesquisas para responder a
questionamentos e na busca de soluções para problemas, de modo a identificar
aspectos consensuais ou não na discussão de uma determinada questão,
respeitando o modo de pensar dos colegas e aprendendo com eles.
• Explorar, conhecer, fruir e analisar, criticamente, práticas e produções artísticas Artes Visuais
e culturais do seu entorno social e de diversas sociedades, em distintos tempos e
(EF15AR01) Identificar e apreciar formas distintas
contextos, para reconhecer e dialogar com as diversidades;
das artes visuais tradicionais e contemporâneas,
• Pesquisar e conhecer distintas matrizes estéticas e culturais – especialmente Arte cultivando a percepção, o imaginário, a capacidade
aquelas manifestas na arte e na cultura brasileiras –, sua tradição e manifestações de simbolizar e o repertório imagético.
contemporâneas, reelaborando-as nas criações em Arte; Processos de criação.
(EF15AR02) Explorar e reconhecer elementos
• Desenvolver a autonomia, a crítica, a autoria e o trabalho coletivo e colaborativo Patrimônio cultural. constitutivos das artes visuais (ponto, linha, forma,
nas artes; cor, espaço, movimento etc.).
• Analisar e valorizar o patrimônio artístico nacional e internacional, material e
imaterial, com suas histórias e diferentes visões de mundo.
Projeto Integrador - Trançados indígenas - 2o Ano
Introdução e justificativa Desenvolvimento
A arte indígena, especificamente os trançados, representa uma gran- O projeto se desenvolverá em três etapas que deverão ocorrer de 5 a 10
de oportunidade de explorar conceitos e relações geométricas, pois nessa aulas.
manifestação artística é possível identificar figuras planas e desenhos com
padrões e simetrias. Para o 2o ano, espera-se que os alunos tenham diferen-
1a etapa - Exploração
tes vivências que impliquem tanto a observação e a análise de manifestações • Para iniciar esta etapa, o professor deverá apresentar aos alunos algumas
artísticas quanto tenham um fazer artístico. Espera-se também que todo esse produções indígenas – cestas, esteiras, cerâmicas etc. Durante a apresen-
percurso seja contextualizado para que possam reconhecer a cultura indíge- tação, é importante garantir uma diversidade de povos indígenas (de di-
na como parte da identidade da sociedade em que vive, o povo brasileiro, e, ferentes regiões do país) e que contextualize cada uma delas (ou algumas
desse modo, respeitá-la e valorizá-la. mais expressivas): seus modos de vida, suas produções artísticas, geração
Neste projeto, os alunos irão construir um pequeno cesto a partir do es- de renda com a venda dos artesanatos etc. Caso não tenha nenhum arte-
tudo das figuras geométricas planas e dos trançados indígenas de diferen- fato indígena, seria interessante montar uma apresentação virtual com
tes povos e em diversos suportes, como em esteiras e cestarias. Ao final, os imagens das produções indígenas. São modelos de artesanato da comu-
objetos confeccionados serão apresentados à comunidade escolar e/ou aos nidade Guarani:
familiares e, posteriormente, poderão ser levados para casa.

Duração do projeto:
Um bimestre – sugestão: 2o bimestre

Giz de Cera
Foram consideradas três etapas para o projeto, cada uma delas com um
foco central: a primeira em Arte, a segunda em Matemática e a terceira na
articulação das áreas, com o objetivo de construir o produto final. O profes-
sor deve fazer o ajuste de aulas de acordo com as demandas do grupo com o
qual atua.

Produto final
O objetivo deste projeto é produzir objetos inspirados nos trançados in-
dígenas: cesto de base quadrada e borda arredondada. A apresentação do
trabalho pode envolver outras turmas e/ou anos escolares e até mesmo os

Giz de Cera
familiares. Está previsto também que cada criança leve seu trabalho para sua
residência.
Projeto Integrador - Trançados indígenas - 2o Ano
Para saber mais sobre o grafismo na cestaria Guarani: 3. Atividades sugeridas sobre as figuras geométricas (a partir do
reconhecimento):
Fonte: LORENZONI, C. A. C. A. Cestaria Guarani do Espírito Santo numa pers-
pectiva etnomatemática. 2010. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do
a. Desenho
Espírito Santo, Centro de Educação, Vitória, 2010. Disponível em: <https://www. b. Colagem
researchgate.net/profile/Claudia_Lorenzoni/publication/320021263_CESTARIA_
GUARANI_DO_ESPIRITO_SANTO_NUMA _PERSPECTIVA _ETNOMATEMATICA/ 2a etapa
links/59c91ce8aca272c71bcdd745/CESTARIA-GUARANI-DO-ESPIRITO-SANTO-NUMA- Para esta etapa, o professor deve organizar a turma em grupos de quatro
PERSPECTIVA-ETNOMATEMATICA.pdf>. Acesso em: 4 jan. 2018. alunos.
Vídeo 1 Atividade 1
Por dentro da escola: vídeo sobre o Projeto Arte Indígena Matemática que Cada grupo receberá um objeto indígena para observar. Na ausência de
foi desenvolvido pela Escola Rural Estadual Rio das Cobras, na Terra Indígena um objeto para cada grupo, o professor poderá disponibilizar uma impressão
Rio das Cobras, em Nova Laranjeiras (PR). colorida de um artefato indígena que tenha grafismos (desenhos) em tran-
Fonte: Disponível em: <http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/ çados. É importante que haja somente um objeto no material impresso, caso
mec/14381>. Acesso em: 4 jan. 2018. seja esse o material a ser utilizado.
Atividade Solicitar aos alunos que observem as características do material que foi
entregue e que, em seu grupo, façam uma lista das principais características
1. O professor deve apresentar as tribos escolhidas para este trabalho e le- dos objetos. Neste momento, ao circular pela sala, o professor deverá ques-
var alguns objetos confeccionados por elas (se não for possível levar os tionar sobre os elementos matemáticos que aparecem nas produções indíge-
objetos, levar imagens desses objetos). Em seguida, perguntar “Para que nas, como tipos de linhas, traçados, figuras geométricas formadas, desenhos
servem estes objetos?” e sistematize as respostas, conferindo se acer- etc. Como os alunos ainda estão em processo de alfabetização, o professor
taram ou não. Pode-se dividir a turma em grupos e distribuir os objetos poderá atuar como escriba e auxiliar na confecção da lista que cada grupo
ou as imagens que os representem entre os grupos. Depois, cada grupo deve fazer.
apresenta suas conclusões à turma.
Atividade 2
2. Discussão arte × funcionalidade: explorar a função que esses objetos cum-
Novamente agrupados em quartetos, os alunos lerão as listas de obser-
prem (para dormir, armazenar alimentos, caçar, produzir música etc. ) e
vações feitas na aula anterior e o professor fará na lousa ou no projetor
algumas observar características que possuem – perguntar aos alunos de
uma lista coletiva, que contemplará todas as observações dos grupos. Neste
que materiais são feitos esses objetos e que outros detalhes podem ob-
momento, o professor deverá questionar os alunos sobre os tipos de linhas,
servar (texturas, padrões e formas geométricas). Fazer uma lista com as
traçados, figuras geométricas formadas, desenhos etc. que aparecem nos
figuras geométricas reconhecidas e deixar essa lista em um mural da sala.
objetos estudados. Caso os alunos não tragam esses conceitos matemáticos,
Projeto Integrador - Trançados indígenas - 2o Ano
é importante que o professor faça uma apresentação incentivando-os a ob- c. Simetria e padrão:
servar especificamente esses elementos nos objetos ou nas imagens. Ter con-
solidado os conceitos de linhas, figuras geométricas planas, padrão e simetria
é essencial para a confecção do cesto de base quadrada e borda arredondada

Giz de Cera
que se dará na próxima etapa. São exemplos de conceitos que podem apare-
cer até esse momento:
a. Retas paralelas, concorrentes ou perpendiculares:
PARALELAS

Giz de Cera
CONCORRENTES

PERPENDICULARES

b. Figuras geométricas planas:

Quadrado Retângulo

Giz de Cera
Círculo Triângulo
Projeto Integrador - Trançados indígenas - 2o Ano

Giz de Cera
Giz de Cera
Nesse trançado, pode-se notar que o número de tiras de cada cor deve ser
par (os pontos médios estão destacados pelas setas).
Nesse caso, para cada cor, são dois grupos com 6 tiras, ou seja, 12 tiras de
cada cor.
6 + 6 = 12 (PAR + PAR = PAR)
Se fossem dois grupos com 5 tiras, teríamos 10 tiras de cada cor.
Observação: É importante relatar aos alunos que os desenhos e a combina- 5 + 5 = 10 (ÍMPAR + ÍMPAR = PAR)
ção de cores são construídos sem modelo ou imagens, mas a partir de obser- Na configuração desse trançado – nos comprimentos de cada cor desta-
vações de padrões na natureza, como plantas e animais. Também é funda- cada –, notam-se ordenações numéricas (1, 2, 3, 4) e repetições numéricas (2,
mental ressaltar que, na cultura indígena brasileira, geralmente o artesanato 2, 2, 2).
é confeccionado pelas mulheres indígenas, que, ao estar cercada por seus
filhos e filhas, vai passando o conhecimento de geração em geração.

Giz de Cera
3a etapa
Nesta etapa, os alunos farão seu cesto de base quadrada e borda arre-
dondada. Para que o trabalho aconteça de forma harmoniosa, é importante
que o professor compreenda o processo de construção desse tipo de ces-
to. O exemplo apresentado foi confeccionado com tiras de papel por uma
professora da rede pública de Jacareí (SP), que confirmou ter ascendência
indígena guarani. O padrão gráfico resultante desse trançado é a etapa inicial
Nesses tipos de trançados ainda estão presentes ideias de linhas parale-
de construção de um cesto de base quadrada e boca redonda, tradicional da
las, linhas perpendiculares e de ângulos retos (conceituações que não cabem
cultura guarani.
amplamente neste ano escolar, mas essas noções serão percebidas visual-
Nos trançados indígenas, em geral, pode-se notar o uso de tiras em núme- mente, aos poucos, pois as tiras se cruzam em cruz em seu formato tradicio-
ro PAR, sempre divididas em dois grupos de cada cor, que se entrelaçam com nal). Ocorrem também simetrias e deslocamentos em alguns detalhes desse
as tiras de outra cor. padrão.
Projeto Integrador - Trançados indígenas - 2o Ano
Atividade 1 Atividade 3
Antes de iniciar a atividade, o professor comunicará aos alunos que eles Sequência de construção do cesto
analisarão um trabalho realizado por ele e que deverão reproduzi-lo, na ínte-
gra, na próxima aula. Nesta atividade, os alunos descobrirão como o professor fez para con-
feccionar seu cesto. Para isso, o professor entregará uma folha com o passo
Depois de organizar a turma em grupos de quatro alunos, o professor
a passo da construção de seu cesto e também um kit do material que será
deve entregar um cesto feito por ele e pedir que tentem identificar como foi
utilizado para cada um dos alunos. Ao final, cada um levará para casa o cesto
feito e qual material foi utilizado. Após a discussão, os integrantes dos gru-
que confeccionou.
pos deverão listar um passo a passo de como fariam para produzir um cesto
igual ao apresentado pelo professor e também os materiais que usariam. O Cesto de base quadrada e borda arredondada,
objetivo desta atividade é que os alunos estabeleçam relações das discussões inspirado na cultura guarani
feitas nas atividades anteriores com a realização do produto final do projeto.
Embora muitos conceitos presentes no traçado não sejam conteúdo do ano Atenção: Utilizar número par de tiras.
escolar, é possível que apareçam e que sejam pauta de discussão (como o Inicie entrelaçando as tiras (no modelo, amarelas e vermelhas) posiciona-
conceito de ângulo). das em ângulo de 90°, formando, assim, um xadrez simples. Em seguida, dobre
Durante a discussão dos grupos, o professor circulará pela sala com o ob- conforme indicado no modelo – as tiras voltam a se posicionar em ângulo de
jetivo de orientá-los ao pensamento matemático e também na construção 90°, só que agora no espaço. Continuar o trançado nessas tiras para construir
de um modelo, que mesmo não correto, será construído na próxima aula. O as laterais do cesto.
professor recolherá as listas de materiais dos grupos para providenciar o que Veja o passo a passo:
foi solicitado para a próxima aula.

Fotografias: V. Vello
Quadrado xadrez
Atividade 2 obtido pelo trançado
Nesta atividade, os alunos terão a oportunidade de construir seu mode-
lo, mesmo que conceitualmente o professor já tenha identificado que não Linhas de dobra
dará certo. A proposta aqui é que eles coloquem em jogo tudo que discuti-
ram sobre a forma de construir um cesto como o modelo apresentado pelo
professor. Alguns grupos conseguirão construir seu cesto, outros não, e isso
Este quadrado será
não tem importância nesse momento do projeto. Ao final, o professor pedirá
a base do cesto
para que cada grupo apresente o que fez. O importante aqui é que os alunos
conversem sobre suas descobertas e seus desafios durante a produção. O
professor atuará como escriba desse processo, listando os aprendizados.

Dobre e desdobre
Este quadrado será
a base do cesto
Este quadrado será
a base do cesto
Projeto Integrador - Trançados indígenas - 2o Ano
Avaliando o projeto de trançados indígenas
A avaliação deve ser contínua durante todas as etapas do projeto. Nas
diferentes áreas, é importante ter clareza sobre o que os alunos já sabiam
individualmente e o quanto tiveram seus conhecimentos ampliados a partir
das atividades propostas:
Dobre e desdobre • Matemática
pelas quatro linhas
Dobre e desdobre >> distinguem figuras geométricas planas (triângulo, quadrado, círculo e
de dobra.
pelas quatro linhas retângulo);
de dobra. >> identificam padrão e simetria nas cestarias apresentadas.
• Arte
>> emitem opiniões pertinentes (em situações individuais e/ou coletivas)
sobre as produções indígenas;
>> identificam e estabelecem relações entre as produções indígenas e fi-
guras geométricas planas;
>> reconhecem elementos constitutivos da Arte e sua inter-relação com
a Matemática: linhas, figuras geométricas planas, padrão e simetria;
>> produzem diferentes materiais de acordo com a proposta.
Continue o trançado
pelos quatro cantos.
Continue o trançado
pelos quatro cantos.