Você está na página 1de 16
P ROVA E SCRITA DO C ONCURSO P ÚBLICO PARA O P ROVIMENTO DO C

PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA

Edital Nº 334/2013, de 05 de novembro de 2013

CCAADDEERRNNOO DDEE QQUUEESSTTÕÕEESS

» CÓDIGO 54 «

INFRAESTRUTURA (CONSTRUÇÃO CIVIL) - PERFIL 05

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

Este caderno tem um total de 50 (cinquenta) questões, distribuídas da seguinte forma:

Questões de 01 a 20: Língua Portuguesa; Questões de 21 a 50: Conhecimentos Específicos.

Verifique se este caderno está completo.

Para cada questão são apresentadas cinco alternativas de resposta (a, b, c, d, e), sendo que o candidato deverá escolher apenas uma e, utilizando caneta esferográfica azul ou preta, preencher o círculo (bolha) correspondente no cartão-resposta.

As respostas das questões deverão, obrigatoriamente, ser transcritas para o cartão- resposta, que será o único documento válido utilizado na correção eletrônica.

Verifique se os dados constantes no cartão-resposta estão corretos e, se contiver algum erro, comunique o fato imediatamente ao aplicador/fiscal.

O candidato terá o tempo máximo de 04 (quatro) horas para responder a todas as questões deste caderno e preencher o cartão-resposta.

NÃO HAVERÁ SUBSTITUIÇÃO, sob qualquer hipótese, deste caderno, nem do cartão- resposta.

Não serão dadas explicações durante a aplicação da prova.

BOA PROVA!

COORDENAÇÃO PERMANENTE DE CONCURSOS PÚBLICOS

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

LÍNGUA PORTUGUESA

Leia o Texto I e responda às questões de 01 a 15.

TEXTO I

Sobre técnicas de torrar café e outras técnicas

Ronaldo Correia de Brito

Já não existe a profissão de torradeira de café. Ninguém mais escuta falar nessas mulheres que trabalhavam nas casas de família, em dias agendados com bastante antecedência. As profissionais famosas pela qualidade do serviço nunca tinham hora livre. Cobravam caro e só atendiam freguesas antigas. Não era qualquer uma que sabia dar o ponto certo da torrefação, reconhecer o instante exato em que os grãos precisavam ser retirados do fogo. Um minuto a mais e o café ficava queimado e amargo. Um minuto a menos e ficava cru, com sabor travoso. “Pra tudo na vida existe um ponto certo”, diziam orgulhosas do ofício, mexendo as sementes no caco de barro escuro, a colher de pau dançando na mão bem treinada, o fogo aceso na temperatura exata. Muitos profissionais se especializavam na ciência de pôr um fim: os que mexiam a cocada no tacho de cobre, os que fabricavam o sabão caseiro de gorduras e vísceras animais, os que escaldavam a coalhada para o queijo prensado, os que assavam as castanhas. Nos terreiros de candomblé, onde se tocam para os orixás e caboclos, os iniciados sentem o instante em que a toada e o batuque alcançam o ponto de atuação,

o transe que faz o santo descer e encarnar no seu cavalo. Nenhum movimento é mais complexo que o de finalizar. Nele, estão contidos o desapego e a separação, o sentimento de perda e morte. Sherazade contou suas histórias durante mil e uma noites, barganhando com o esposo e algoz Sheriar o direito de continuar vivendo e narrando. Mil noites é um número finito. O acréscimo de uma unidade ao numeral “mil” tornou-o infinito. Mil e uma noites se estendem pela eternidade. Sobrepondo narrativas, entremeando-as com novos contos, abrindo veredas de histórias que se bifurcam noutras, mantendo os enredos num contínuo com pausas diurnas, porém sem o ponto final, Sherazade adiou o término e a morte. De maneira análoga, Penélope tecia um manto sem nunca acabá-lo, acrescentando pontos durante o dia e desfazendo-os à noite. Também postergava o momento. [ ] Uma artesã do barro de Juazeiro do Norte chora quando proponho comprar a cerâmica representando uma mulher com muletas, uma criança no peito, o feixe de lenha na cabeça. Conta a história que representou naquela peça simples, sente pena de separar-se de sua criatura. O xilogravador Gilvan Samico me apresenta os mais de cem estudos e as provas de autor até chegar à gravura definitiva. Olha para os lados e me confessa que se pudesse não venderia nenhuma das impressões. Confessa os dias de horror vividos até chegar ao instante em que se decide pela prova definitiva, quando o trabalho é considerado concluído e o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence. Que valor possui o esposo de Sherazade, comparado à narrativa que a liberta da morte? Talvez apenas o de ser o pretexto para o mar de histórias que a jovem narra ao longo de mil e uma noites. E o que se segue a esse imaginário fim? O que ocupa a milésima segunda noite, supostamente sem narrativas? Eis a pergunta que todos os criadores se fazem. O que se seguirá ao grande vazio? Deus descansou no sétimo dia após sua criação. O artista descansa, ou apenas se angustia pensando se a criatura que pôs no mundo está verdadeiramente pronta, no ponto exato de um grão de café torrado por uma mestra exímia? Afirmam que a flecha disparada pelo arqueiro zen busca sozinha o alvo. Num estado de absoluta concentração, arqueiro, arco, flecha e alvo se desprendem da energia do movimento e partem em busca do ponto exato. Anos de exercício levam ao disparo perfeito. O escritor trabalha com personagens que o obsedam, alguns chegando a cavalgá-lo como os santos do candomblé. Sonha os sonhos do outro, numa entrega do próprio inconsciente à criação. Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manter-

se na superfície e salvar-se; com a mão esquerda anota frases sobre ruínas. Nunca possui a técnica exata de um arqueiro zen, nem a perícia de uma torradeira de café. Dialoga com a morte como Sherazade, mantém

a respiração suspensa, negocia adiamentos e escreve. Num dia qualquer, sem que nada espere e sem compreender o que acontece à sua volta, um editor arranca papéis inacabados de sua mão.

Disponível em:

http://www.opovo.com.br/app/colunas/ronaldocorreiadebrito/2012/03/03/noticiasronaldocorreiadebrito,2794944

/sobre-tecnicas-de-torrar-cafe-e-outras-tecnicas.shtml Acesso em 12 jun. 2013. (Texto adaptado).

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

1. No TEXTO I, o autor

a) apresenta a atual situação dos artesãos no Brasil.

b) contesta a desigual valoração para as obras de arte.

c) argumenta em prol da necessidade de se fomentar o fazer artístico.

d) faz analogia entre o trabalho do artesão e o processo criativo do escritor.

e) defende o processo de construção literária como o único capaz de ser concluído.

2. Ao afirmar que “Sobrepondo narrativas, entremeando-as com novos contos, abrindo veredas de histórias que se bifurcam noutras, mantendo os enredos num contínuo com pausas diurnas, porém sem o ponto final, Sherazade adiou o término e a morte.” (parágrafo 3), o autor do texto retrata

a) o poder de sedução dos contos de fada.

b) a capacidade de inventividade narrativa como possibilidade de salvação.

c) a impossibilidade de se concluir uma produção literária em tempos modernos.

d) a indispensável interrelação entre ficção e realidade na concepção da obra literária.

e) a necessidade de se conhecer os clássicos da literatura, a exemplo de Mil e uma noites e a Odisseia.

3. Todas as passagens a seguir se reportam à dificuldade do artista em separar-se de sua obra, EXCETO:

a) “Uma artesã do barro de Juazeiro do Norte chora quando proponho comprar a cerâmica representando uma mulher com muletas, uma criança no peito, o feixe de lenha na cabeça.” (parágrafo 4)

b) “Olha para os lados e me confessa que se pudesse não venderia nenhuma das impressões.” (parágrafo 4)

c) “Confessa os dias de horror vividos até chegar ao instante em que se decide pela prova definitiva, quando o trabalho é considerado concluído e o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence.” (parágrafo 4)

d) Conta a história que representou naquela peça simples, sente pena de separar-se de sua criatura." (parágrafo 4)

e) O escritor trabalha com personagens que o obsedam, alguns chegando a cavalgá-lo como os santos do candomblé.” (parágrafo 6)

4. A referência à técnica desenvolvida pelas torradeiras de café, apresentada no início do texto,

a) denota a predileção do autor por técnicas artesanais, em detrimento das industriais.

b) é uma forma de registrar o reconhecimento, por parte das novas gerações, à cultura popular.

c) surge como uma homenagem do autor aos trabalhadores que conseguiram manter viva uma tradição popular.

d) representa um exemplo da capacidade de certas técnicas rudimentares se perpetuarem ao longo das gerações.

e) constitui-se ponto de partida para a discussão acerca da difícil arte de finalizar uma tarefa, tema retratado no decorrer do texto.

2 | Língua Portuguesa

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

5. A finalização do processo de produção artística é retratada no texto como algo

a) impessoal, em função das demandas comerciais.

b) definitivo, já que registra o momento tão desejado pelo artista.

c) angustiante e doloroso, por se tratar de uma separação entre criador e criatura.

d) complexo, pelo fato de ser toda obra de arte o resultado de um trabalho coletivo.

e) libertador, pois a conclusão de uma obra de arte instiga o artista a produzir sempre mais.

6. Considerando o texto, aponte, dentre as alternativas a seguir, aquela em que as expressões apresentam relação sinonímica.

a) "fabricavam" "escaldavam"

(parágrafo 2)

b) "adiou" "postergava"

(parágrafo 3)

c) "estendem" "bifurcam"

(parágrafo 3)

d) "impressões" "estranheza"

(parágrafo 4)

e) "descansa" "angustia"

(parágrafo 5)

7. No final do texto, ao comparar o arqueiro zen ao escritor, o autor observa que

a) o arqueiro zen, diferentemente do escritor, dificilmente atinge seu objetivo.

b) o arqueiro zen, diferentemente do escritor, consegue, com exatidão, finalizar seu trabalho.

c) as ações do escritor e do arqueiro zen atingem, simultaneamente, o ponto exato de finalização.

d) o escritor, ao contrário do arqueiro zen, dedica-se com esmero ao processo de produção, antes de finalizar seu trabalho.

e) o escritor e o arqueiro zen não conseguem finalizar seus trabalhos com êxito, por mais que se esforcem.

8. A coesão de um texto se dá através da conexão entre vários enunciados e da relação de sentido existente entre eles. Em relação à coesão presente no texto, o termo destacado encontra-se devidamente justificado em:

+”

(parágrafo 1). O termo em destaque indica uma referência à expressão “freguesas antigas” (parágrafo 1).

b) Nele, estão contidos o desapego e a separação * (parágrafo 3). O termo em destaque faz

a) “Ninguém mais escuta falar nessas mulheres que trabalhavam nas casas de família, *

+”

referência a “nenhum movimento” (parágrafo 3).

c) “* quando o trabalho é concluído e o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence.” (parágrafo 4). O conectivo “e” indica uma progressão semântica que acrescenta um dado novo.

d) “* a jovem narra ao longo de mil e uma noites.” (parágrafo 5). O vocábulo em destaque

+

+

caracteriza uma referência mais específica em relação ao termo a que se refere: “Sherazade”.

e) “* alguns chegando a cavalgá-lo * (parágrafo 6). O termo destacado substitui a expressão

+

+”

“santos do candomblé”.

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

9. Em “Nos terreiros de candomblé, onde se tocam para os orixás e caboclos, os iniciados sentem o

instante em que a toada e o batuque alcançam o ponto *

+”

(parágrafo 2), as vírgulas utilizadas

a) evidenciam a expressão vocativa.

b) indicam uma oração de valor comparativo.

c) demarcam uma explicação acerca do espaço.

d) determinam a introdução de expressão da fala do autor.

e) marcam a opinião do autor em relação à informação anterior.

10. Analise as proposições a seguir:

I. As palavras “desapego” e “separação” pertencem ao mesmo campo semântico.

II. O prefixo na palavra “infinito” exprime sentido de negação.

III. O termo sublinhado em “O escritor trabalha com personagens que o obsedam” tem como referente a expressão “escritor”.

É CORRETO o que se afirma apenas em

a)

I.

b)

II.

c)

III.

d)

I e II.

e)

I e III.

11. O termo destacado em “Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manter-se na

superfície e salvar-se *

+”

a) Porque

b) Para que

c) Porquanto

d) Contanto que

e) Ao mesmo tempo que

(parágrafo 6), pode ser substituído, sem alteração de sentido, por:

12. Os conectivos ou partículas linguísticas de ligação, além de exercer funções coesivas, manifestam ainda diferentes relações de sentido entre os enunciados. Aponte, dentre as alternativas a seguir, aquela em que a relação estabelecida pelo conectivo em destaque está CORRETAMENTE indicada entre parênteses.

a) “Uma artesã do barro de Juazeiro do Norte chora quando proponho comprar a cerâmica”. (Proporção).

b) Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manter-se na superfície e salvar-se;” – (Consequência).

c) “Dialoga com a morte como Sherazade, [

d) “Olha para os lados e me confessa que se pudesse não venderia nenhuma das impressões.” – (Finalidade).

]” –

e) “Num dia qualquer, sem que nada espere e sem compreender o que acontece à sua volta [ (Adversidade).

]

(Comparação).

4 | Língua Portuguesa

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

13. Por vezes, a omissão de palavras ou expressões não acarreta alteração no sentido de orações ou períodos, já que tal omissão pode ser depreendida do contexto. Há, dentre as alternativas a seguir, uma ocorrência assim caracterizada. Aponte-a.

a) "Mil e uma noites se estendem pela eternidade". (parágrafo 3)

b) "O que se seguirá ao grande vazio?" (parágrafo 5)

c) "Deus descansou no sétimo dia após sua criação". (parágrafo 5)

d) "Nunca possui a técnica exata de um arqueiro zen, *

e)

+” (parágrafo 6)

"[

]

a flecha disparada pelo arqueiro zen busca sozinha o alvo". (parágrafo 6)

14. Analise as proposições a seguir, acerca da pontuação, e assinale (V), para o que for verdadeiro, e (F), para o que for falso.

(

) No trecho “De maneira análoga, Penélope tecia um manto * separar uma expressão adverbial disposta no início do período.

+",

a vírgula é utilizada para

(

) Em “Dialoga com a morte como Sherazade, mantém a respiração suspensa, negocia adiamentos e escreve.”, as vírgulas são utilizadas para separar orações coordenadas.

(

) Em “Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manter-se na superfície e salvar-

se; *

Assim, seu uso é facultativo.

+”,

não há razão linguístico-gramatical que justifique a presença da vírgula na sentença.

A sequência que completa CORRETAMENTE os parênteses é

a) V

V

F

b) V

F

F

c) F

V

F

d) V

V

V

e) F

F

V

15. A regência verbal em destaque na frase “mulheres que trabalhavam nas casas de família” é a mesma do verbo destacado em

a) “Anos de exercício levam ao disparo perfeito.”

b) “Deus descansou no sétimo dia após sua criação.”

c) “Muitos profissionais se especializavam na ciência de pôr um fim: *

d) “O xilogravador Gilvan Samico me apresenta os mais de cem estudos: *

e)

+”

+.”

“*

+

o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence.

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

As questões de 16 a 18 referem-se ao TEXTO II, a seguir:

TEXTO II

Capítulo I

− Muito trabalho, mestre Zé?

− Está vasqueiro. Tenho umas encomendas de Gurinhém. Um tangerino passou por aqui e

me encomendou esta sela e uns arreios. Estou perdendo o gosto pelo ofício. Já se foi o tempo em

que dava gosto trabalhar numa sela. Hoje estão comprando tudo feito. E que porcarias se vendem por aí! Não é para me gabar. Não troco uma peça minha por muita preciosidade que vejo. Basta lhe dizer que seu Augusto do Oiteiro adquiriu na cidade uma sela inglesa, coisa cheia de arrebiques. Pois bem, aqui esteve ela para conserto. Eu fiquei me rindo quando o portador do Oiteiro me chegou com a sela. E disse, lá isto disse: “por que seu Augusto não manda consertar esta bicha na cidade?” E deu pela sela um preção. Se eu fosse pedir o que pagam na cidade, me chamavam de ladrão. É, mestre José Amaro sabe trabalhar, não rouba a ninguém, não faz coisa de carregação. Eles não querem mais os trabalhos dele. Que se danem. Aqui nesta tenda só faço o que quero.

REGO, José Lins do. Fogo Morto. Record: Rio de Janeiro, 2003.

16. Pelo disposto acima, é CORRETO afirmar sobre o Mestre José Amaro:

a) Mostra-se insatisfeito com os resultados de seus últimos trabalhos.

b) Prefere trabalhar para clientes de fora, pois estes valorizam seu trabalho.

c) Orgulha-se do esmero com que desenvolve seu trabalho e da qualidade que lhe imprime.

d) Embora se envaideça de seu ofício, preocupa-se com o fato de não poder mais executá-lo da melhor forma.

e) Questiona a qualidade do trabalho de outros seleiros, mas reconhece o valor dos novos materiais industrializados.

17. É, mestre José Amaro sabe trabalhar, não rouba a ninguém, não faz coisa de carregação. Eles não querem mais os trabalhos dele. Que se danem. Aqui nesta tenda só faço o que quero”. A fala final de Mestre José Amaro revela

a) certa resignação diante das novas demandas do mercado.

b) revolta por desenvolver seu ofício numa região de parcas condições.

c) a decisão de não mais confeccionar produtos para o senhor Augusto do Oiteiro.

d) a sua disposição em manter-se fiel ao trabalho de qualidade que sempre desenvolveu.

e) a determinação por continuar tentando convencer os vaqueiros da qualidade de suas selas.

6 | Língua Portuguesa

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

18. Atente para a seguinte passagem: “Eles não querem mais os trabalhos dele.”

Agora, considere as seguintes afirmações acerca da expressão em destaque:

I. Retoma um termo expresso anteriormente.

II. Refere-se diretamente aos moradores e comerciantes da cidade.

III. Embora não se refira a nenhum elemento textual anterior, o contexto possibilita a recuperação do termo referente.

Está(ão) CORRETA(S):

a) III apenas

b) I e II apenas.

c) I e III apenas.

d) II e III apenas.

e) I, II e III.

19. Leia a seguir:

I. “Declaração fundamentada em ponto de vista a respeito de um fato ou negócio.”

II. “É o instrumento pelo qual Ministros ou outras autoridades expedem instruções sobre a organização e funcionamento de serviço e praticam outros atos de sua competência.”

III. “Modalidade de comunicação entre unidades administrativas de um mesmo órgão, que podem estar hierarquicamente em mesmo nível ou em níveis diferentes. Trata-se, portanto, de uma forma de comunicação eminentemente interna.”

As descrições dizem respeito, respectivamente, a

a) Parecer Portaria Memorando .

b) Ofício Relatório Parecer.

c) Parecer Ofício Portaria.

d) Memorando Ofício Declaração.

e) Portaria Requerimento Relatório.

20. Pela própria natureza, a redação oficial deve apresentar uma linguagem que obedeça a critérios específicos. Todas as características a seguir devem compor a redação oficial, EXCETO:

a) Impessoalidade e clareza.

b) Uso da linguagem padrão.

c) Tratamento linguístico formal.

d) Concisão e transparência de sentido.

e) Presença de conotação e da criatividade do emissor.

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

» INFRAESTRUTURA - CONSTRUÇÃO CIVIL - PERFIL 5 | CÓDIGO 54 «

21. Uma amostra de solo úmido, com volume de 0,0179 m³, apresentou peso úmido de 35,5 kg. Após secar em uma estufa com temperatura = 110°C, verificou-se que a amostra apresentou teor de umidade de 10%. Qual é o peso seco dessa amostra?

a)

39,05 kg

b)

37,55 kg

c)

30,20 kg

d)

25,50 kg

e)

32,27 kg

22. Assinale a alternativa que apresenta o nome do ensaio original para determinação da umidade ótima e peso específico máximo de um solo.

a) Darcy

b)

Casagrande

c)

Proctor

d)

Speddy

e)

Becker

23. No ensaio denominado Standard Penetration Test (SPT), o mais amplamente usado, há um "barrilete amostrador" que é fixado na extremidade das hastes de cravação e cravado "X" cm no solo, por dentro do tubo de sondagem. A cravação é feita por um peso de "Y" kg, com "Z" cm de altura de queda. Diante do exposto acima, assinale a alternativa em que os valores de X, Y e Z, respectivamente, estão CORRETOS.

a) X = 45 kg, y = 65 cm e Z = 75 cm.

b) X = 45 kg, y = 75 cm e Z = 65 cm.

c) X = 45 kg, y = 55 cm e Z = 75 cm.

d) X = 55 kg, y = 75 cm e Z = 65 cm.

e) X = 55 kg, y = 65 cm e Z = 75 cm.

24. Em relação a origem e formação dos solos, analise as afirmações:

I. Os solos são materiais que resultam do intemperismo ou meteorização das rochas, por desintegração mecânica ou decomposição química.

II. Por desintegração mecânica, através de agentes como a água, temperatura e condensação, formam-se os pedregulhos e areia.

III. Decomposição química consiste no processo em que há modificações químicas ou mineralógicas das rochas de origem, por meio de reações de óxido-redução.

IV. Segundo os pedologistas, a formação de um solo "s" é função da rocha de origem (r), da ação dos organismos vivos (o), do clima (cl) da fisiologia (p) e do tempo.

Estão CORRETAS apenas as afirmativas:

a) I, II e III.

b) I e IV.

c) I, II e IV.

d) II, III e IV.

e) II e III.

8 | Código 54 « Infraestrutura (Construção Civil) - Perfil 5 « Conhecimentos Específicos

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

25. As pesquisas roentgenográficas das argilas revelam, apesar da aparência amorfa do conjunto, que elas são constituídas de pequeníssimos minerais cristalinos, chamados minerais argílicos, dentre os quais se distinguem três grupos principais, são eles:

a) Caolinitas, Montmorilonitas e Lixitas.

b) Calcitas, Montmorilonitas e Ilitas.

c) Calcitas, Montmorilonitas e Lixitas.

d) Caolinitas, Montmorilonitas e Ilitas.

e) Caolinitas, Amórficos e Ilitas.

26. Um solo é extraído de um terreno, na cidade de Natal, onde será construído um dos estádios para a Copa do Mundo. A amostra ocupa todo um recipiente cujas dimensões são: 0,40 m, 0,40 m e 0,50 m. Considerando que o volume de vazios dessa amostra é de 0,008 m³, qual a porosidade desse solo?

a) 8,0%

b)

10,0%

c)

15,0%

d)

12,0%

e)

20,0%

27. Quando um material não tem plasticidade, como por exemplo a areia, considera-se o índice de plasticidade:

a)

IP = 1

b)

0 < IP < 1

c)

IP = 0

d)

IP < 0

e)

IP > 1

28. Qual é o índice de consistência de um solo que, em seu estado natural, apresenta limite de liquidez de 32%, teor de umidade de 25% e índice de plasticidade = 10?

a) 0,7

b)

1,0

c)

0,5

d)

1,5

e)

2,0

29. Uma empresa de João Pessoa pretende construir, num terreno de 2200,00 m² de área, um prédio de 8 (oito) pavimentos, cuja área de projeção é de 800,00 m². De acordo com a NBR 6884, quantos furos serão necessários para realizar o ensaio de SPT (Standart Penetration Test) no terreno?

a)

2 furos

b)

3 furos

c)

4 furos

d)

5 furos

e)

8 furos

30. Acerca da origem e formação do solo, preencha as lacunas do texto abaixo:

Os solos

gradual transição do solo até a rocha. Já os solos

são os que permanecem no local da rocha de origem, observando-se uma

são os que sofrem a ação de quando transportados pela água, quando pela ação da gravidade e

agentes transportadores, podendo ser quando pelo vento, pelas geleiras.

Assinale a alternativa que apresenta as palavras que preenchem CORRETA e respectivamente as lacunas:

a) orgânicos, sedimentares, residuais, eólicos, aluvionares, coluvionares.

b) sedimentares, residuais, coluvionares, aluvionares, eólicos e glaciares.

c) residuais, sedimentares, aluvionares, eólicos, coluvionares e orgânicos.

d) sedimentares, residuais, aluvionares, eólicos, coluvionares e glaciares.

e) residuais, sedimentares, aluvionares, eólicos, coluvionares e glaciares.

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

31. Os taludes são submetidos a forças gravitacionais e, eventualmente, de percolação, que tendem a mover o solo para baixo, instabilizando-o. Quando a resistência do solo não é suficiente para conter

a ação dessas forças instabilizantes, uma parte do terreno passa a se mover em relação à outra, ocorrendo a ruptura. De acordo com a velocidade de movimento da parte do solo instável, os movimentos de terra podem ser classificados em:

a) Acelerado, retardado e nulo.

b) Rastejo, autóctones e desmoronamento.

c) Deslize, escorregamento e amolgamento.

d) Rastejo, escorregamento e desmoronamento.

e) Rastejo, escorregamento e amolgamento.

32. Sobre os tipos de Taludes, é CORRETO afirmar que podem ser:

a) Naturais, caso das encostas ou artificiais, como os taludes de corte e aterro.

b) De aclive ou declive, dependendo do sentido de escoamento.

c) Superficiais ou profundos, de acordo com a altura do talude.

d) Orientados na vertical (eixo Y), na horizontal (eixo X), dependendo da maior dessas dimensões, ou inclinado quando X=Y.

e) Sedimentares ou residuais, de acordo com a rocha de origem.

33. Uma amostra de areia que apresenta grau de compacidade equivalente a 0,7 é classificada como:

a) Fofa.

b) Levemente compactada.

c) Medianamente compactada.

d) Compactada.

e) Extremamente compactada (rígida).

34. Sobre a classificação dos solos, julgue as afirmativas abaixo e marque (V) para as que forem Verdadeiras e (F) para as que forem Falsas:

(

) Os

dois

principais

sistemas

de

classificação

do

solo

são:

U.S.C

(Sistema

Unificado

de

Classificação) e a classificação H.R.B ( highway Research Board).

 

(

) De acordo com a classificação U.S.C, os solos podem ser grossos, médios e finos.

 

(

) Na classificação H.R.B, os solos são reunidos em grupos e subgrupos, em função de sua granulometria e plasticidade.

(

) De acordo com a classificação U.S.C, os solos grossos são aqueles cujo diâmetro da maioria absoluta dos grãos é maior que 0,074 mm (mais que 50% em peso dos grãos são retidos na peneira n° 200).

(

) No sistema H.R.B, os solos são classificados conforme a lei de Darcy.

 

A

sequência CORRETA para as afirmativas acima é:

 

a)

V V F F V.

b)

V F V V F.

c)

V V F F F.

 

d)

F F V V V.

e)

V F V F V.

10 | Código 54 « Infraestrutura (Construção Civil) - Perfil 5 « Conhecimentos Específicos

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

35. Após realizar um ensaio de granulometria, em uma amostra de solo, constatou-se que os diâmetros D60 e D10 são, respectivamente, 0,88 e 0,11. Assinale a alternativa que apresenta a CORRETA classificação desse solo, conforme o coeficiente de uniformidade.

a) 8,0 (Uniforme).

b) 8,0 (Uniformidade Média).

c) 0,77 (Uniformidade Média).

d) 0,77 (Desuniforme).

e) 0,99 (Uniforme).

36. No que diz respeito aos minerais, é CORRETO afirmar que:

a) São elementos com composição química, inorgânicos e naturais.

b) São elementos com composição química, orgânicos e naturais.

c) São elementos com composição química, orgânicos e artificiais.

d) São elementos sem composição química, inorgânicos e naturais.

e) São elementos sem composição química, orgânicos e artificiais.

37. Dentre as propriedades dos materiais, algumas se destacam principalmente para fins de identificação rápida, tais como: transparência, brilho, cor, dureza e propriedades elétricas. Sobre essas propriedades e suas características, assinale a alternativa CORRETA.

a) Transparência: todos os minerais são opacos.

b) Brilho: todos os minerais possuem brilho metálico.

c) Cor:

com

relação

à

cor,

os

minerais

podem

policromáticos.

ser

classificados

como

metacromáticos

ou

d) Dureza: para classificar o índice de dureza, utiliza-se a Escala de Mohs.

e) Propriedades elétricas: nos minerais considerados bons condutores de eletricidade, predominam as ligações covalentes.

Considere o seguinte trecho para as questões 38 e 39:

Para a Mecânica dos Solos, o intemperismo é o conjunto de processos que ocasionam a desintegração e a decomposição das rochas e dos minerais que formam os solos, dentre os quais se encontram os processos físicos e químicos.

38. Durante o processo de intemperismo químico sofrido pelas rochas, ocorre a alteração química dos seus componentes. As alternativas abaixo apresentam algumas formas de intemperismo químico, EXCETO:

a) Hidratação e carbonatação.

b) Carbonatação e efeitos químicos da vegetação.

c) Hidratação e efeitos químicos da vegetação.

d) Oxidação e carbonatação.

e) Oxidação e redução.

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

39.

Sobre como pode se dar o processo de intemperismo por meio físico, analise os itens abaixo e assinale (V) para o que for Verdadeiro ou (F) para o que for Falso:

(

) Pela variação da temperatura.

(

) Pelo congelamento da água.

(

) Pelo alívio de pressões.

(

) Pela carbonatação.

A

sequência CORRETA é:

a)

F V V V.

b)

V F V V.

c)

V V F F.

d)

V V V F.

e)

F F F V.

40.

determinação do coeficiente de permeabilidade do solo pode ser feita pela lei experimental de Darcy. Sobre essa lei, assinale a alternativa CORRETA:

A

a) É válida para escoamento “laminar”.

b) É válida para escoamento “laminar” e “turbulento”.

c) O gradiente hidráulico não é levado em consideração.

d) A velocidade de percolação é inversamente proporcional ao gradiente hidráulico.

e) A espessura da camada de solo, medida na direção do escoamento, não influencia a determinação da permeabilidade.

41.

Ainda em relação à permeabilidade dos solos, assinale a alternativa CORRETA:

a) Quanto maior for a temperatura, maior é a viscosidade da água e, portanto, mais facilmente ela se escoa pelos vazios do solo com correspondente aumento do coeficiente de permeabilidade.

b) Quanto mais facilmente a água escoa pelos vazios de um solo, menor é o coeficiente de permeabilidade do mesmo.

c) A influência do índice de vazios sobre a permeabilidade, em se tratando de areias puras e graduadas, pode ser expressa pela equação de Terzaghi.

d) O coeficiente de permeabilidade é diretamente proporcional à viscosidade da água.

e) Em terrenos estratificados, os coeficientes de permeabilidade são diferentes nas direções horizontal e vertical.

12 | Código 54 « Infraestrutura (Construção Civil) - Perfil 5 « Conhecimentos Específicos

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

42. Os métodos de ensaio de condutividade hidráulica são vários, destacando-se a carga constante, a carga variável e o bombeamento. A respeito de tais métodos, analise as afirmativas abaixo:

I. No ensaio de carga constante, a amostra é submetida a uma carga hidráulica constante durante

o ensaio. O coeficiente de permeabilidade é determinado pela quantidade de água que percola

a amostra para um dado intervalo de tempo. A quantidade de água é medida por um recipiente

graduado (que pode ser uma proveta), determinando-se a vazão. Este método é muito utilizado para solos de granulação grossa (solos arenosos).

II. No ensaio de carga variável, em se tratando de solos finos (argilosos e siltosos), o ensaio com carga constante torna-se inviável. Devido à baixa permeabilidade destes materiais, há pouca percolação de água pela amostra, dificultando a determinação do coeficiente de permeabilidade.

III. Para a realização deste ensaio, faz-se o uso de um poço principal denominado “poço filtrante”, de poços de observação denominados “poços testemunhas” e de uma bomba. Este método consiste em esgotar água do terreno, estabelecendo-se um escoamento uniforme.

Está(ão) CORRETA(S) a(s) afirmativa(s):

a)

I apenas.

b)

II apenas.

c)

I e II apenas.

d)

II e III apenas.

e)

I, II e III.

43. Para o estudo dos recalques nos solos, é necessário o conhecimento de determinadas propriedades, dentre as quais se destacam as que interferem na diminuição do volume dos solos. A respeito do tema, assinale a alternativa INCORRETA.

a) O tipo de solo, o índice de vazios e a presença de água são fatores que contribuem para a determinação da compressibilidade sofrida por um solo.

b) Em solos arenosos e com presença de água, a compressibilidade ocorrerá rapidamente quando

a carga aplicada for grande.

c) Terzaghi desenvolveu um modelo mecânico com a utilização de molas, que simulam um “esqueleto mecânico” do solo, e êmbolos com furos que representam os “vazios” do solo.

d) O modelo mecânico de Terzaghi avalia a capacidade de adensamento de uma camada de solo através de um processo tridirecional de escoamento de água.

e) O processo de adensamento pode ser descrito como um processo que envolve um fluxo de água com correspondente redução de volume de solo ao longo de um período de tempo.

44. O ensaio de adensamento, no qual se usam aparelhos que aplicam o princípio introduzido por Terzaghi, tem por objetivo a determinação experimental das características do solo que interessam à determinação dos recalques provocados pelo adensamento. No que se refere ao ensaio de adensamento, é INCORRETO afirmar que:

a) São utilizados aparelhos denominados edômetros.

b) Devem ser utilizados discos não porosos.

c) A aparelhagem para o ensaio é constituída de um sistema de aplicação de carga.

d) A amostra do solo é confinada lateralmente.

e) No primeiro estágio do ensaio, ocorre uma “recompressão” do solo, pois a retirada da amostra do maciço terroso corresponde a um processo de descarregamento devido à retirada do peso das camadas sobrejacentes.

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

45. Tão importante quanto as propriedades de permeabilidade e compressibilidade é a “resistência ao cisalhamento” dos solos. A respeito dessa propriedade, julgue as afirmativas abaixo em Verdadeiras (V) ou Falsas (F).

(

) Segundo a equação de Coulomb a “resistência ao cisalhamento” de um solo se compõe, basicamente, de duas componentes: a “coesão” e o “atrito” entre as partículas.

(

) O termo coesão aparente é resultante da pressão capilar da água, contida nos solos, e que age como se fosse uma pressão externa.

(

) O termo “coesão verdadeira” é devido à capacidade de deslizamento das partículas do solo causado pela falta de atração eletroquímica das partículas.

A sequência CORRETA para as afirmativas acima é:

a)

V V V.

b)

V V F.

c)

V F V.

d)

F F V.

e)

F V F.

46. No que se refere aos tipos de ensaios de cisalhamento, assinale a alternativa CORRETA.

a) O

“Ensaio

de

Cisalhamento

Direto”

deformação controlada.

pode

ser

executado

sob

tensão

controlada

ou

sob

b) A pressão lateral é considerada como desprezível no “Ensaio de Cisalhamento Direto”.

c) O “Ensaio de Compressão Triaxial” despreza a tensão de confinamento presente na amostra.

d) O “Ensaio de Compressão Triaxial” é realizado em um aparelho constituído por uma câmara prismática.

e) O “Ensaio de Compressão Simples” é utilizado para solos não coesivos como os arenosos.

47. São fundações do tipo direta, EXCETO:

a) Bloco.

b) Sapata associada.

c) Viga de fundação.

d) Estaca raiz.

e) Radier.

48. Analise a seguinte descrição: “Elemento de fundação utilizado em terrenos pouco resistentes, onde todas as cargas são reunidas num só elemento de fundação e que tem o formato de uma placa de concreto armado maciça. O tipo de fundação que corresponde à descrição apresentada é:

a) Sapata corrida.

b) Radier.

c) Grelha.

d) Malha.

e) Alicerce.

14 | Código 54 « Infraestrutura (Construção Civil) - Perfil 5 « Conhecimentos Específicos

IFPB » Concurso Público | Professor Efetivo de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico » Edital Nº 334/2013

49. Em estacas cravadas é comum o uso de um elemento para evitar a destruição das “cabeças” das estacas durante a cravação. Esse elemento é denominado de:

a) Pilão.

b) Bate-estacas.

c) Capacete de cravação.

d) Trado.

e) Martelo.

50. A descrição: “Estaca de concreto, moldada in loco, executada por meio de um trado contínuo e injeção de concreto através da haste central do trado, no eixo da hélice, simultaneamente à sua retirada do terreno”, corresponde a uma estaca:

a) Simplex.

b) Mega.

c) Cravada.

d) Hélice contínua.

e) Strauss.