Você está na página 1de 8

www.cliqueapostilas.com.

br

As Escalas Duetadas
(Vamos dividir o estudo das escalas duetadas em duas páginas de forma que a página da web
não fique muito pesada, pois contém muitas figuras)

A primeira e principal coisa para se aprender a tocar viola é tocar as


escalas duetadas. Elas são escalas em que são tocadas, como o próprio nome
já sugere, notas em dueto, ou seja, duas notas ao mesmo tempo.

Essas escalas representam uma grande parte do aprendizado da viola, e


com base nela serão efetuados muitos exercícios para se aprender o ponteado.
Sem elas, o violeiro perde a principal ferramenta para se tocar a viola.

Assim, sugerimos que esse capítulo seja estudado com muito cuidado e
atenção, pois ele será a base para os demais que virão.

Para executar as seguintes escalas, tocaremos, com a mão esquerda,


com o polegar, ferindo as duas cordas indicadas ao mesmo tempo. Já os dedos
da mão esquerda também são indicados abaixo da tablatura.

Dicas de Execução

Procure tocar as escalas abaixo procurando obter um som limpo, claro.


Também procure tocar as notas em um ritmo constante. Toque lentamente no
início e somente aumente a velocidade quando o som, na velocidade que
estiver tocando, seja limpo e claro. Toque sem pressa, buscando qualidade de
som, e não velocidade na execução. A velocidade virá com o tempo.

Os dedos das mãos são indicados conforme a figura abaixo:


www.cliqueapostilas.com.br

Escala 1

A primeira escala é tocada nos 4º e 3º par da viola (D e F#


respectivamente):

Note que está sendo indicado, à esquerda da tablatura, o dedo da mão


direita (polegar - p), e abaixo da tablatura, os dedos da mão esquerda a serem
utilizados na execução.

Note também, que, com exceção das primeiras notas que são executadas
no par solto, o dedo 2 sempre toca no 4º par. Assim, o dedo 2 da mão
esquerda funciona como guia para essa escala.

Escala 2

A segunda escala é tocada nos 3º e 2º par da viola (F# e A


respectivamente):

Note que está sendo indicado, à esquerda da tablatura, o dedo da mão


direita (polegar - p), e abaixo da tablatura, os dedos da mão esquerda a serem
utilizados na execução. Aqui não indicamos os dedos a serem utilizados na
escala descendente, uma vez que são os mesmos dedos utilizados na escala
ascendente.

Aqui também temos um dedo guia, o dedo 3 da mão esquerda.

Escala 3
www.cliqueapostilas.com.br

A terceira escala é tocada nos 2º e 1º par da viola (A e D


respectivamente):

Nesta escala, o dedo guia da mão esquerda é o dedo 1.

Escala 4

Esta escala toca-se exatamente da mesma maneira que a escala 3, com


os mesmos dedos da mão esquerda. Note que na escala três usamos os pares
cujas notas soltas são A e D. Na escala 4 também, as notas soltas são A e D.
Assim, o "desenho" da escala é o mesmo, só que em pares diferentes.

Escala 5

A indicação dos dedos foi omitida para uma parte da escala. Descubra
você mesmo qual deve ser a digitação (Dica: ela deve seguir os mesmos
padrões das notas indicadas).
www.cliqueapostilas.com.br

A escala 5 é diferente das demais anteriormente apresentadas, uma vez


que ela é tocada em pares não consecutivos. Aqui, conforme indicado, deve
ser utilizado o polegar e o indicados da mão direita.

Escala 6

A escala 6 é muito parecida com a 5, mas não é totalmente igual,


atenção!

Escala 7

A escala 7 é uma junção de várias delas. Note que podemos tocar uma
escala duetada sem necessariamente irmos até a 12ª casa do braço da viola.
Podemos tocar uma somente nas cinco primeiras casas.

Tente descobrir a melhor digitação para essa escala (Dica: siga as


escalas já aprendidas).

Exercícios de Ponteios
Vamos apresentar agora alguns exercícios de ponteio, ou seja, uma
forma típica de tocar viola caipira. Esses exercícios que seguem seguem uma
lógica de dificuldade crescente. São baseados nas escalas duetadas aprendidas
www.cliqueapostilas.com.br

nos capítulos anteriores. Nem todas as escalas são vislumbradas nos seguintes
exercícios, mas se eles forem bem estudados, certamente gerarão excelente
resultados e o aluno poderá passar a fazer seus próprios exercícios e melodias
ponteadas.

Vale dizer que a escrita na partitura é extremamente simplificada para


fins didáticos.

Ponteio 1

Esse primeiro exercício é baseado na escala duetada 1. Muito simples.


Atenção aos indicadores dos dedos que devem ser utilizados (p - polegar e i -
indicador)

Ponteio 2

Esse exercício também é baseado na escala duetada 1. É derivado do


exercício de Ponteio 1, acima.
www.cliqueapostilas.com.br

Quando esses dois exercícios estiverem sendo tocados habilmente,


sugerimos que seja tocado o Estudo 1.

Ponteio 3

Esse exercício também é baseado na escala duetada 1. É derivado do


exercício de Ponteio 2, acima.

Ponteio 4

Esse exercício já se baseia na escala duetada 2. Também é muito


simples. Muita atenção aos dedos indicados, pois eles são diferentes dos que
foram utilizados na escala duetada 2.
www.cliqueapostilas.com.br

Ponteio 5

Esse exercício já possui um nível de dificuldade mais elevado. Muita


atenção deve ser prestada na passagem do segundo para o terceiro compasso,
onde o padrão de ponteio é modificado!

Sugerimos que, nesse momento, seja experimentado o Estudo 2.

Ponteio 6

Exercício baseado na escala duetada 3. Esse exercício é muito


importante, pois muitas músicas se utilizam do recurso que ele explora, ou
seja, a escala 3 junto com os 5º e 4º pares. Muita atenção deve ser prestada
na passagem do segundo para o terceiro compasso, onde o padrão de ponteio
é modificado!

Quando esse exercício estiver sendo executado habilmente, tentar tocar


o Estudo 3.
www.cliqueapostilas.com.br

Ponteio 7

Exercício baseado na escala duetada 5.

Ponteio 8

Esse exercício é uma derivação do exercício anterior. Muita atenção deve


ser prestada na passagem do segundo para o terceiro compasso, onde o
padrão de ponteio é modificado!